Autor Tópico: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica  (Lida 6874 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Online: 24 de Fevereiro de 2007, 10:02:49 »
Do site da Uol, traduzindo matéria do Le Monde (só para assinantes):

http://noticias.uol.com.br/midiaglobal/lemonde/2007/02/24/ult580u2375.jhtm



Citar
24/02/2007

Os muçulmanos britânicos querem que a escola se adapte à "moral islâmica"

Num documento que traz um elenco de pedidos, o Conselho Muçulmano Britânico solicita que as escolas públicas respeitem o conceito muçulmano de "haya" (pudor)

Jean-Pierre Langellier
correspondente em Londres


Os jovens muçulmanos devem poder usar a barba na escola, as moças trajar o véu islâmico durante todas as aulas, inclusive as de educação física, os estudantes devem poder ser dispensados das aulas de educação sexual. Estes são alguns dos pedidos que foram apresentados pelo Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha (MCB), a principal organização representativa dos 1,6 milhão de muçulmanos que vivem no reino.

Num documento de 72 páginas que foi publicado em 21 de fevereiro, o MCB pede ao governo que seja permitido aos 400.000 jovens muçulmanos exercerem mais livremente as suas práticas religiosas nas escolas públicas, onde 96% dentre eles estudam. Os outros freqüentam escolas privadas, ou ainda uma das cinco escolas de Estado muçulmanas. O MCB lamenta que certas escolas não tenham se mostrado "receptivas às reivindicações legítimas e sensatas dos pais e dos filhos muçulmanos em relação às suas preocupações ditadas pela fé".

O documento do MCB se parece ao mesmo tempo com um catálogo de recomendações e um elenco de reclamações. A sua importância política decorre da influência do MCB. Esta organização, que foi fundada em 1997, exerce um controle sobre mais de 400 associações religiosas, culturais, sociais e profissionais muçulmanas. Ela se diz autorizada a falar em nome da principal minoria religiosa do Reino Unido. O governo de Tony Blair fez do MCB o seu interlocutor muçulmano privilegiado, principalmente desde os atentados de Londres em julho de 2005.

O MCB quer que rapazes e meninas possam expressar a sua fidelidade ao conceito muçulmano de "haya" ("pudor") por meio do vestuário que eles trajam. As estudantes devem poder ter a cabeça coberta em qualquer circunstância com o véu islâmico ou trajar o "jilbab", um vestido comprido que desce até o tornozelo. O MCB nem sequer menciona o "niqab", o véu integral que só deixa aparecerem os olhos. Durante aulas de educação física, o MCB recomenda aos alunos trajarem um abrigo de moletom, e às moças cobrirem a cabeça com o véu islâmico, "amarrando-o de uma maneira segura".

O caráter misto da escola deve ser excluído dos esportes coletivos que envolvem contatos físicos, tais como o futebol e o basquete. O MCB pede que os alunos possam se trocar em cabines individuais, e não em grupo, e que eles sejam dispensados de tomar banho depois do esporte caso essa atividade expuser o seu corpo à vista das outras crianças, isso porque "o Islã proíbe estar nu diante dos outros ou antever a nudez dos outros". As aulas de natação que são ministradas aos rapazes e às meninas juntos são "inaceitáveis por razões de decência, aos olhos dos pais muçulmanos".

"Perspectivas morais"

Se a escola não puder separar os sexos, as crianças devem poder ser dispensadas dessas aulas. O mesmo deve acontecer com as aulas de dança, esta última não sendo "uma atividade normal para a maioria das famílias muçulmanas". A dança, sublinha o MCB, "não é compatível com as exigências do pudor islâmico, isso porque ela pode revestir conotações e dirigir mensagens sexuais".

A educação sexual, obrigatória no curso secundário, deve, segundo o MCB, ser ensinada aos alunos por professores do mesmo sexo. A utilização de objetos ou de "esquemas que representem os órgãos genitais" para ilustrar aulas sobre a contracepção ou sobre os preservativos é "totalmente inapropriada, uma vez que isso incentiva um comportamento moralmente inaceitável". As escolas devem levar em conta "as perspectivas morais islâmicas".

A publicação do manifesto do MCB motivou o ministério da educação a divulgar uma nota oficial. Este documento, declarou a entidade, "não está em adequação com 'o código de conduta' oficial em vigor nas escolas públicas, e, portanto, não reveste nenhum caráter obrigatório". Um porta-voz do sindicato dos diretores de estabelecimento criticou "esta lista de pedidos" que arrisca provocar "um efeito contrário àquele procurado".

A Alta Corte contra o uso do véu integral na escola

Uma decisão da Alta Corte de justiça deu razão, na quinta-feira, 22 de fevereiro, a uma escola que havia expulsado uma aluna muçulmana de 12 anos que exigia o direito de trajar o "niqab", o véu integral, durante as aulas. Além do mais, por ocasião do comparecimento perante a justiça os acusados dos atentados fracassados de 21 de julho de 2005 em Londres, um vídeo filmado por uma câmera de vigilância atestou que um deles havia fugido, dissimulado num vestido islâmico.

Tradução: Jean-Yves de Neufville


Olha, pessoalmente não tenho nada contra o direito de qualquer estudante de expressar seus valores culturais na escola pública. Mas isso é segregacionismo puro e simples, não preservação da identidade.

Se querem valores islâmicos na escola, que freqüentem escolas islâmicas particulares.

Offline Spitfire

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.530
  • Sexo: Masculino
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #1 Online: 24 de Fevereiro de 2007, 12:13:23 »
Se querem valores islâmicos na escola, que freqüentem escolas islâmicas particulares.

Plenamente de acordo.

Luz

  • Visitante
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #2 Online: 24 de Fevereiro de 2007, 12:32:29 »
Ah mas tem cabimento querer adaptar as instituições aos valores próprios. Ainda mais sendo estrangeiro numa nação de valores tão distintos.  ::)  Interessante isso de querer arrumar a casa dos outros do jeito que a gente acha certo. :)
« Última modificação: 24 de Fevereiro de 2007, 12:58:05 por Luz »

Offline Alegra

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.453
  • Sexo: Feminino
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #3 Online: 24 de Fevereiro de 2007, 16:06:32 »
Se querem valores islâmicos na escola, que freqüentem escolas islâmicas particulares.

Plenamente de acordo.

Idem.
Era só o que faltava!! Ou então eles que vão para um país que pensa como eles, ora!

Um exemplo: Eu como estrangeira aqui em Portugal me comporto da mesma maneira que as pessoas daqui. Isso é até uma questão de respeito ao país que te acolhe.
Sou completamente contra estrangeiros que querem fazer aqui o que normalmente fazem no seu país de origem e que vai contra a maneira de ser desse país.
Já sinto sua falta. Vá em paz meu lindo!

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #4 Online: 24 de Fevereiro de 2007, 16:16:05 »
sensata a reinvidicação. tudo que estão pedindo é por se vestirem de acordo com sua religião, não terem educação sexual, não serem obrigados a jogar esportes de muito contato físico ou dança. como o ateu que não quer ter aula de ensino religioso ou o punk que quer conservar os piercings.
"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline N3RD

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.493
  • Sexo: Masculino
  • O tal do "não querer"
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #5 Online: 24 de Fevereiro de 2007, 16:23:32 »
Imagina o tanto de sarro que vão tirar da menina que usa aqueles vestidos loucos ? heuheuah



Não deseje.

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #6 Online: 24 de Fevereiro de 2007, 16:33:17 »
sensata a reinvidicação. tudo que estão pedindo é por se vestirem de acordo com sua religião, não terem educação sexual, não serem obrigados a jogar esportes de muito contato físico ou dança. como o ateu que não quer ter aula de ensino religioso ou o punk que quer conservar os piercings.

Existe uma diferença entre preservar sua identidade cultural e empurrá-la goela abaixo de um estado teoricamente laico.

Offline Alegra

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.453
  • Sexo: Feminino
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #7 Online: 24 de Fevereiro de 2007, 16:46:13 »
E de sensata não tem nada...
Já sinto sua falta. Vá em paz meu lindo!

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #8 Online: 24 de Fevereiro de 2007, 21:13:17 »
sensata a reinvidicação. tudo que estão pedindo é por se vestirem de acordo com sua religião, não terem educação sexual, não serem obrigados a jogar esportes de muito contato físico ou dança. como o ateu que não quer ter aula de ensino religioso ou o punk que quer conservar os piercings.
Concordo, inclusive sendo um aspecto do laicismo a liberdade religiosa. Bem que podia ser um estado ateu, dai seria diferente, a crença (que pode ser falta de conhecimento) não precisaria ser aceita.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #9 Online: 24 de Fevereiro de 2007, 21:22:17 »
olha, vocês leram o texto inteiro ou só o título? as reinvindicações consistem basicamente em duas coisas; a)isentar as crianças muçulmanas de algumas atividades e b)dar-lhes liberdade de se vestirem como quiserem.
e o pior é que eu realmente fico dividido na questão; se tomo um partido em nome do velho liberalismo ou se admito a ameaça islâmica à existência da civilização ocidental. :\
"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #10 Online: 24 de Fevereiro de 2007, 22:59:20 »
A linha é de fato sutil, Bruno. Mas eu depreendi do texto que os muçulmanos querem empurrar essas reformas goela abaixo do sistema público, essencialmente segregando os alunos por sua origem cultural.

Se fosse um pai evangélico querendo obrigar a escola a não incluir seus filhos nas aulas sobre Evolução? Se você fosse um educador, um político, etc., permitiria que essas crianças fossem deliberadamente prejudicadas?

De novo: não teria nada contra se os muçulmanos (ou os evangélicos, diga-se) resolvessem matricular seus filhos num colégio particular que lhes atendesse melhor. Mas eles estão num país estrangeiro e laico. Não tem o menor cabimento exigir tratamento diferenciado só porque eles rezam diferente.

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #11 Online: 25 de Fevereiro de 2007, 00:06:05 »
A linha é de fato sutil, Bruno. Mas eu depreendi do texto que os muçulmanos querem empurrar essas reformas goela abaixo do sistema público, essencialmente segregando os alunos por sua origem cultural.

Se fosse um pai evangélico querendo obrigar a escola a não incluir seus filhos nas aulas sobre Evolução? Se você fosse um educador, um político, etc., permitiria que essas crianças fossem deliberadamente prejudicadas?

De novo: não teria nada contra se os muçulmanos (ou os evangélicos, diga-se) resolvessem matricular seus filhos num colégio particular que lhes atendesse melhor. Mas eles estão num país estrangeiro e laico. Não tem o menor cabimento exigir tratamento diferenciado só porque eles rezam diferente.

talvez não. eu não me decidi, afinal. me abstenho de opinar.
"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #12 Online: 25 de Fevereiro de 2007, 06:27:00 »
Concordo com o Dbohr
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline FxF

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.720
  • Sexo: Masculino
  • Yohohoho!
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #13 Online: 25 de Fevereiro de 2007, 07:07:23 »
O povo tem poder, seja bem ou seja mal é a escolha da maioria. Seja por coisas idiotas e infantis como medo do inferno, o povo continua tendo poder.

Aí vai depender se esses muçulmanos sejam maioria.

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #14 Online: 25 de Fevereiro de 2007, 09:26:22 »
Ou terem um lobby forte.

Um pouquinho de contato franco com outras culturas faria bem aos pequenos -- e muito mais aos pais. Acho que por isso fiquei tão aborrecido.

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #15 Online: 25 de Fevereiro de 2007, 10:50:59 »
Pois é, Dbohr. 

Eles até podem fazer questão de fugir da realidade do mundo dentro da escola. 

Mas uma hora vão ter de encará-la fora dela.

E aí vão ter perdido a oportunidade de aprender gradualmente a lidar com as dificuldades de entendimento que vem de diferenças de crença.  Realmente uma pena.
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #16 Online: 26 de Fevereiro de 2007, 10:57:19 »
Vocês notaram também que eles estão propondo mudanças nas aulas de educação sexual?
Citar
A educação sexual, obrigatória no curso secundário, deve, segundo o MCB, ser ensinada aos alunos por professores do mesmo sexo. A utilização de objetos ou de "esquemas que representem os órgãos genitais" para ilustrar aulas sobre a contracepção ou sobre os preservativos é "totalmente inapropriada, uma vez que isso incentiva um comportamento moralmente inaceitável". As escolas devem levar em conta "as perspectivas morais islâmicas".
Que tolice é essa de querer que as aulas sejam dadas por professores do mesmo sexo? O que existe de errado em uma mulher falar sobre sexo com homens? E homens com mulheres? E desde quando informar os adolescentes sobre contraceptivos é estimular um "comportamento moralmente inaceitável"? Mais inaceitável do que um adulto se casar com uma criança (como no caso de Mohammed)?
Concordo com o Dbohr (como sempre), se eles querem criar adultos sexualmente reprimidos, que associam sexo a sujeira e que têm vergonha do próprio corpo, que criem suas próprias escolas. Caso contrário, VTNC.
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Pug2

  • Visitante
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #17 Online: 26 de Fevereiro de 2007, 12:57:44 »
Ah mas tem cabimento querer adaptar as instituições aos valores próprios. Ainda mais sendo estrangeiro numa nação de valores tão distintos.  ::)  Interessante isso de querer arrumar a casa dos outros do jeito que a gente acha certo. :)


Muçulmanos britânicos ou seja cidadãos do país em questão.
O problema das pessoas é verem os muçulmanos como "alienigenas".
Portanto, não se trata de casa alheia, mas da própria...

Quanto ao assunto da notícia não tenha nada a dizer.

Pug2

  • Visitante
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #18 Online: 26 de Fevereiro de 2007, 13:00:26 »
"adultos sexualmente reprimidos, que associam sexo a sujeira e que têm vergonha do próprio corpo,"

Equivoco de um cidadão criado pela moral cristã.

O sexo é natural na religião citada e ninguém tem à partida nojo do próprio.
Existem limites morais que podem ou não aceitar ( antes do casamento, etc).


Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #19 Online: 26 de Fevereiro de 2007, 13:08:39 »
Imigrantes ou nativos, o ponto é que eles querem forçar seus valores às escolas públicas, essencialmente criando um regime diferenciado para eles numa instituição laica por causa de sua religião. É isso que acho sem cabimento.

Já disse: nada contra véus na escola, ou contra faltar aulas de educação física. Mas é lamentável que eles queiram tratamento diferenciado e busquem se isolar quando já se viu em vários outros casos que o contato e a integração cultural é muito mais proveitosa.

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #20 Online: 26 de Fevereiro de 2007, 13:21:10 »
"adultos sexualmente reprimidos, que associam sexo a sujeira e que têm vergonha do próprio corpo,"

Equivoco de um cidadão criado pela moral cristã.

O sexo é natural na religião citada e ninguém tem à partida nojo do próprio.
Existem limites morais que podem ou não aceitar ( antes do casamento, etc).

Diga-se de passagem, me parece que em boa parte é exatamente por NÃO ter essa vergonha do sexo que os muçulmanos costumam ser tão cautelosos com os contatos entre pessoas de gêneros opostos, e até mesmo ver a poliginia com certa naturalidade.

Nem por isso deixo de concordar com o Dbohr.

Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline Pregador

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.957
  • Sexo: Masculino
  • "Veritas vos Liberabit".
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #21 Online: 26 de Fevereiro de 2007, 14:28:18 »
Algumas coisas me parecem possíveis, como deixar usar barba e o véu, afinal é só uma roupa, nada demais, não são burcas. Quanto as aulas de educação sexual eu acho impossível, já que são em benefício de todos e omitir a realidade não pode ser usado como pretexto religioso. O bem estar geral e a informação geral estão em primeiro lugar. Quanto as aulas de educação física, ela poderiam ser optativas sim, sem maiores problemas. Quanto a se trocar em vestiários comuns, a mudança pra tudo individual representaria um custo extra não justificável.
Queira ou não, toda legislação comporta alguma coisa do costume e da moral da sociedade, a britânica tem moral cristã na esmagadora maioria. Os muçulmanos que lá vivem tem de aceitar certas restrições, que convenhamos, são possíveis sem grandes problemas.

É a mesma coisa que um Mórmon exigir, aqui no Brasil, que ele possa se casar com duas mulheres, algo vedado pela lei civil, além de ser crime.
"O crime é contagioso. Se o governo quebra a lei, o povo passa a menosprezar a lei". (Lois D. Brandeis).

Pug2

  • Visitante
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #22 Online: 26 de Fevereiro de 2007, 14:30:01 »
Imigrantes ou nativos, o ponto é que eles querem forçar seus valores às escolas públicas, essencialmente criando um regime diferenciado para eles numa instituição laica por causa de sua religião. É isso que acho sem cabimento.

Já disse: nada contra véus na escola, ou contra faltar aulas de educação física. Mas é lamentável que eles queiram tratamento diferenciado e busquem se isolar quando já se viu em vários outros casos que o contato e a integração cultural é muito mais proveitosa.

Isso obriga-me a falar da notícia, coisa que não pretendia.

A Europa rejeita-os independentemente da nacionalidade, este é o verdadeiro  problema. O fechar-se em comunidade, é na minha opinião, uma consequência dessa rejeição.
O que devia existir é bom senso, deve ser feito um esforço para um melhor convívio. Ambos têm igual responsabilidade.


Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #23 Online: 26 de Fevereiro de 2007, 14:35:08 »
Pug, eu tenho muita simpatia e respeito por você.

Mas ainda assim me pergunto se você não está sendo parcial ao dizer que existe tal rejeição, que o isolamento da comunidade muçulmana é em todo consequência (em vez de causa) dessa rejeição, ou que a responsabilidade é igual.

Desculpe-me, mas realmente não acho que liberdade de culto se estenda até o direito de ditar que escolas públicas não devem ter aulas de educação sexual.  Como já foi dito, nada impede os muçulmanos de criar suas próprias escolas se acham tão difícil aceitar as do governo.  Mas se uma comunidade não consegue se ajustar, não deve declarar unilateralmente que a falha é da comunidade mais ampla e mais antiga.
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re: Muçulmanos britânicos querem Escola que se adapte à Moral Islâmica
« Resposta #24 Online: 26 de Fevereiro de 2007, 14:42:42 »
A pergunta deveria ser: a Europa rejeita os muçulmanos, taxativa e definitivamente? Como se dá essa discriminação? Que forma assume?

Num tom mais direcionado à sua resposta: quais devem ser, em sua opinião, os mecanismos de melhor convívio? O que deveria ser feito por ambas as partes?

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!