Autor Tópico: Tensão na Coréia do Norte  (Lida 60268 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.145
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1125 Online: 30 de Abril de 2018, 11:59:48 »
A diplomacia sul-coreana merece todo o crédito.

A Coréia do Sul já deu bastante crédito aos EUA no caso. Querer ignorar isso por birras com o Trump me parece errado.

O discurso da Coreia do Sul dando crédito é mais diplomacia.

::)
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.124
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1126 Online: 30 de Abril de 2018, 12:28:45 »
Trump deveria ganhar o Nobel da Paz, diz presidente da Coreia do Sul

O que custa encher um pouco mais o ego do ególatra? Se o cara mais poderoso do mundo é uma criança mimada, dá-lhe mimo! O importante é não atrapalhar.

Mas quem merece mesmo o Nobel é ele mesmo, o presidente da Coreia do Sul!

Porém como disseram convém esperar e ver se tudo isso é real mesmo por parte da Coreia do Norte!



Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.124
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1127 Online: 30 de Abril de 2018, 12:45:44 »
Citar
Does Trump deserve the credit for peace talks with North Korea?

Claim: Donald Trump and South Korean President Moon Jae-in agree the US President deserves credit for peace talks with North Korea.

Verdict: Only the historical record will reveal what influenced these talks, but evidence suggests it was the South Koreans who encouraged dialogue with the North, along with pressure from Chinese enforced sanctions.

Leaders of North and South Korea are expected to meet 27 April, for their third leaders' summit since the Korean War armistice was signed in 1953. Then in May or June, Donald Trump is expected to meet North Korean leader Kim Jong-un, for the first ever meeting between a leader of the North and a sitting US president.

After mounting tension and military threats traded between the US and North Korea, the historic talks may bring about a de-escalation of hostilities, as well as a peace treaty to end the 68-year Korean War.

On 4 January 2018, US President Donald Trump tweeted: "With all of the failed 'experts' weighing in, does anybody really believe that talks and dialogue would be going on between North and South Korea right now if I wasn't firm, strong and willing to commit our total 'might' against the North. Fools, but talks are a good thing!"

South Korean President Moon Jae-in said publicly too that President Trump deserved big credit for bringing about talks to discuss peace with the North. "It could be a resulting work of the US-led sanctions and pressure."

US-led sanctions enforced by UN

Since North Korea detonated its first nuclear test in 2006, the US and a number of allies imposed sanctions on North Korea. As well, the United Nations Security Council passed nine rounds of sanctions on North Korea - many of these proposed by the US.

Over the years, these sanctions became more strict. The initial UN sanctions in 2006 banned the supply of heavy weaponry, missile technology and luxury goods. By December 2017, the UN sanctions restricted oil imports, metal, agriculture and demanded the deportation of North Koreans working abroad.

While these most recent sanctions were US-led under the administration of President Trump, it may be China's recent enforcement of UN sanctions that hit North Korea hardest. China accounts for more than 90% of North Korea's trade, and while the Security Council member voted in favour of the UN sanctions against their long-time ally, they rarely upheld those, reports the Council on Foreign Relations. However, in this past year, China appears to have enforced the sanctions.

Having already proved his military capabilities, Mr Kim is now turning his attention to economic growth, says Dr John Nilsson-Wright, a senior research fellow at Chatham House. So while the sanctions didn't stop Mr Kim from developing weapons, this latest development could hinder his economic plan for the long term.

Tough talks and threats of military action

On 2 January 2018, President Trump tweeted: "North Korean Leader Kim Jong-un just stated that the 'nuclear button is on his desk at all times'. Will someone from his depleted and food-starved regime please inform him that I too have a nuclear button, but it is a much bigger and more powerful one than his, and my button works."

On 23 September 2017, President Trump tweeted: "Just heard [the] foreign minister of North Korea speak at [the] UN. If he echoes [the] thoughts of Little Rocket Man, they won't be around much longer."

To compare, President Obama, in 2014, warned North Korea that "we don't use our military might to impose these things on others, but we will not hesitate to use our military might to defend our allies and our way of life".

In 2016, President Obama told CBS News North Korea was "erratic enough" and "irresponsible enough that we don't want them getting close".

"We could, obviously, destroy North Korea with our arsenals. But aside from the humanitarian costs of that, they are right next door to our vital ally, the Republic of Korea," he added.

President Bush, for his part, labelled North Korea part of the "axis of evil."

America has for years used words and threats of military might.

The influence of South Korean engagement

Two presidents prior to Moon Jae-in, Lee Myung-bak (2008-2013) took a hard-line approach to North Korea. The next president, Park Geun-hye (2013-2017), promised engagement with the North, a strategy that ended in early 2016 following missile and nuclear tests.

In his inauguration speech, Mr Moon said he would "do everything I can to build peace on the Korean peninsula".

This is a return to the Sunshine Policy of Presidents Kim Dae-Jung (1999-2003) and Roh Moo-Hyun (2003-2008), who were the only other two South Korean presidents to meet North Korean leadership - during the Inter-Korean Summits of 2000 and 2007. Kim Dae-jung won a Nobel Peace Prize for his efforts.

"More credit should go to the South Koreans, because they actually made sure to have the North Koreans come to the Olympics and that was organised very very quickly," said senior lecturer Dr Virginie Grzelczyk, of Aston University. "The invitation to have the North Korean delegation and Kim Jong-un's sister…has been really critical to organise the summit that we are going to see at the end of the week."

So why is the South giving credit to Trump?

South Korea is acting strategically, says Dr Grzelczyk, to bring the Americans around to a place of dialogue "because both Koreas have at some point, been perplexed and concerned by American policy".

:sorry:


Offline André Luiz

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.587
  • Sexo: Masculino
    • Forum base militar
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1128 Online: 30 de Abril de 2018, 13:02:02 »
Os dois japas (eu sei) sentaram pra conversar, dois inimigos de uma mesma cultura, que sabem como o outro pensa, estrategistas, de poder militar equivalente, com décadas de tensão.

Mas quem resolveu a parada foi um bufão laranja do Twitter que NAO ACHA as Coréias no mapa sem o auxílio de algum acessor

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.145
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1129 Online: 30 de Abril de 2018, 13:31:26 »
Citar
Does Trump deserve the credit for peace talks with North Korea?

Claim: Donald Trump and South Korean President Moon Jae-in agree the US President deserves credit for peace talks with North Korea.

Verdict: Only the historical record will reveal what influenced these talks, but evidence suggests it was the South Koreans who encouraged dialogue with the North, along with pressure from Chinese enforced sanctions.

Leaders of North and South Korea are expected to meet 27 April, for their third leaders' summit since the Korean War armistice was signed in 1953. Then in May or June, Donald Trump is expected to meet North Korean leader Kim Jong-un, for the first ever meeting between a leader of the North and a sitting US president.

After mounting tension and military threats traded between the US and North Korea, the historic talks may bring about a de-escalation of hostilities, as well as a peace treaty to end the 68-year Korean War.

On 4 January 2018, US President Donald Trump tweeted: "With all of the failed 'experts' weighing in, does anybody really believe that talks and dialogue would be going on between North and South Korea right now if I wasn't firm, strong and willing to commit our total 'might' against the North. Fools, but talks are a good thing!"

South Korean President Moon Jae-in said publicly too that President Trump deserved big credit for bringing about talks to discuss peace with the North. "It could be a resulting work of the US-led sanctions and pressure."

US-led sanctions enforced by UN

Since North Korea detonated its first nuclear test in 2006, the US and a number of allies imposed sanctions on North Korea. As well, the United Nations Security Council passed nine rounds of sanctions on North Korea - many of these proposed by the US.

Over the years, these sanctions became more strict. The initial UN sanctions in 2006 banned the supply of heavy weaponry, missile technology and luxury goods. By December 2017, the UN sanctions restricted oil imports, metal, agriculture and demanded the deportation of North Koreans working abroad.

While these most recent sanctions were US-led under the administration of President Trump, it may be China's recent enforcement of UN sanctions that hit North Korea hardest. China accounts for more than 90% of North Korea's trade, and while the Security Council member voted in favour of the UN sanctions against their long-time ally, they rarely upheld those, reports the Council on Foreign Relations. However, in this past year, China appears to have enforced the sanctions.

Having already proved his military capabilities, Mr Kim is now turning his attention to economic growth, says Dr John Nilsson-Wright, a senior research fellow at Chatham House. So while the sanctions didn't stop Mr Kim from developing weapons, this latest development could hinder his economic plan for the long term.

Tough talks and threats of military action

On 2 January 2018, President Trump tweeted: "North Korean Leader Kim Jong-un just stated that the 'nuclear button is on his desk at all times'. Will someone from his depleted and food-starved regime please inform him that I too have a nuclear button, but it is a much bigger and more powerful one than his, and my button works."

On 23 September 2017, President Trump tweeted: "Just heard [the] foreign minister of North Korea speak at [the] UN. If he echoes [the] thoughts of Little Rocket Man, they won't be around much longer."

To compare, President Obama, in 2014, warned North Korea that "we don't use our military might to impose these things on others, but we will not hesitate to use our military might to defend our allies and our way of life".

In 2016, President Obama told CBS News North Korea was "erratic enough" and "irresponsible enough that we don't want them getting close".

"We could, obviously, destroy North Korea with our arsenals. But aside from the humanitarian costs of that, they are right next door to our vital ally, the Republic of Korea," he added.

President Bush, for his part, labelled North Korea part of the "axis of evil."

America has for years used words and threats of military might.

The influence of South Korean engagement

Two presidents prior to Moon Jae-in, Lee Myung-bak (2008-2013) took a hard-line approach to North Korea. The next president, Park Geun-hye (2013-2017), promised engagement with the North, a strategy that ended in early 2016 following missile and nuclear tests.

In his inauguration speech, Mr Moon said he would "do everything I can to build peace on the Korean peninsula".

This is a return to the Sunshine Policy of Presidents Kim Dae-Jung (1999-2003) and Roh Moo-Hyun (2003-2008), who were the only other two South Korean presidents to meet North Korean leadership - during the Inter-Korean Summits of 2000 and 2007. Kim Dae-jung won a Nobel Peace Prize for his efforts.

"More credit should go to the South Koreans, because they actually made sure to have the North Koreans come to the Olympics and that was organised very very quickly," said senior lecturer Dr Virginie Grzelczyk, of Aston University. "The invitation to have the North Korean delegation and Kim Jong-un's sister…has been really critical to organise the summit that we are going to see at the end of the week."

So why is the South giving credit to Trump?

South Korea is acting strategically, says Dr Grzelczyk, to bring the Americans around to a place of dialogue "because both Koreas have at some point, been perplexed and concerned by American policy".

:sorry:

Um artigo publicado na BBC com a opinião de uma pessoa. Eu posso colocar outros em direção oposta. Mas me parece perda de tempo, quando você tem a declaração do presidente da Coreia do Sul.

Aparentemente, ler a mente dos terroristas que gritam Allah Hu Akbar antes de se explodirem não é tua única especialidade. :)
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.124
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1130 Online: 30 de Abril de 2018, 14:17:55 »
Quanta inocência...


Offline Gauss

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.595
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1131 Online: 30 de Abril de 2018, 18:34:15 »
Nossa, que rumo esquisito isso aqui tomou.


Primeiro temos que ver se o gordinho irá cumprir aquilo que promete mesmo. Cumprindo isso, Trump pode ir para Oslo numa boa. :hihi:
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.722
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1132 Online: 13 de Junho de 2018, 01:14:51 »





Trump e Kim, o que esperar desse encontro 


Hoje no Mundo Militar

Publicado em 11 de jun de 2018



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.722
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1133 Online: 13 de Junho de 2018, 01:20:10 »
Muitas interpretações e coisas que estão sendo faladas  sobre o que está acontecendo não me parecem que façam sentido.  Pois, depois de anos tanto esforço para  construir mísseis e bombas  o Kim Jong iria jogar tudo fora ?


De repente ele resolveu  fazer amizade e acreditar  na amizade oferecida ?  Depois de décadas de hostilidades ?  Depois de um enorme esforço para conseguir armas potentes ?


Ao meu ver estão faltando peças nesse quebra cabeça.


 :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?:


« Última modificação: 13 de Junho de 2018, 01:31:29 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.722
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1134 Online: 13 de Junho de 2018, 01:27:29 »


E o filminho  que eles mostraram para o Kim dando a entender que a Coréia  terá prosperidade e desenvolvimento caso aceite as condições  deles, também não me parece nada crível. Eles iram ajudar a desenvolver um país que até há pouco tempo estava ameaçando jogar bombas atômicas neles ?  E que é aliado da China e da Rússia ?


Sei não, mas isso está muito estranho. Realmente muito estranho.




« Última modificação: 13 de Junho de 2018, 01:36:26 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.722
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1135 Online: 13 de Junho de 2018, 01:34:24 »


Só faria sentido os Estados Unidos ajudar a Coréia do Norte  a se desenvolver, se  eles bandeassem para o lado deles e  deixassem a China e a Rússia  ficar a ver navios.
« Última modificação: 13 de Junho de 2018, 01:36:43 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.722
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1136 Online: 13 de Junho de 2018, 02:11:17 »


Ou talvez o mundo virou o mundo da Alice, e  eu ainda não vi essa boa nova.  Talvez o mundo esteja entrando numa Nova Era de paz e prosperidade.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.269
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1137 Online: 13 de Junho de 2018, 04:16:20 »
Ou acharam a fonte de recursos da família Kim no exterior, que com certeza deve existir, e além disso deve enfrentar problemas internos no país para se manter no poder.

Sem dinheiro, sem apoio dos chinesss e russos,  sem apoio interno acaba a festa do gordo.

O aperto de mão não veio de graça só por causa de um filminho.




Offline André Luiz

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.587
  • Sexo: Masculino
    • Forum base militar
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1138 Online: 13 de Junho de 2018, 08:05:04 »
Da treta que vale não tem tópico, Macedônia e Grécia chegaram a um acordo sobre o nome do país, podemos dormir tranquilos agora

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.682
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1139 Online: 13 de Junho de 2018, 10:07:45 »
Só sei que o meu mundo acordou mais seguro hoje. Meu filhote, finalmente, decidiu fazer xixi no jornal. Ganhou um biscoito! Ponto pro Trumpf!  :)

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.880
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1140 Online: 13 de Junho de 2018, 10:19:53 »
Muitas interpretações e coisas que estão sendo faladas  sobre o que está acontecendo não me parecem que façam sentido.  Pois, depois de anos tanto esforço para  construir mísseis e bombas  o Kim Jong iria jogar tudo fora ?


De repente ele resolveu  fazer amizade e acreditar  na amizade oferecida ?  Depois de décadas de hostilidades ?  Depois de um enorme esforço para conseguir armas potentes ?


Ao meu ver estão faltando peças nesse quebra cabeça.


Não é muito diferente até então dos outros acordos anteriores.

Parte do programa de mísseis não foi realmente decisão de abdicar, mas algo que literalmente colapsou por si próprio. Aparentemente ainda assim foi dado como "concessão" norte-coreana.

KJU ainda conseguiu barganhar mais pela sua perda anterior ao acordo, conseguindo que Trump admita tirar tropas da Coréia do Sul, o que Trump disse que seria bom, em termos de custos financeiros. Sem falar da legitimação nunca antes conseguida do líder do mundo livre, que derramou elogios e disse que o ditador ama seu povo.


Putz, diante dos jornalistas, e de KJU, ele pediu, "vocês podem tirar fotos bem caprichadas? Para que todos nós fiquemos bem, bonitos, e magros, e perfeitos?"

KJU observava com cara de tacho. :biglol:



Eu acho que tudo isso é uma pegadinha em escala mundial. Um Truman show. Só pode.


Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.682
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1141 Online: 13 de Junho de 2018, 10:42:06 »

Eu acho que tudo isso é uma pegadinha em escala mundial. Um Truman show. Só pode.

Disseram que eu estava de má vontade com Trump quando falei algo parecido. Bom, pode ser, porque estou mesmo, mas - ah, meu deus - estou concordando com o JJ.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.880
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1142 Online: 13 de Junho de 2018, 11:02:58 »
Acabo de receber informações do site legitsecretinfotheyhidefromyoutrust.me: KJU foi assassinado e esse é um doppelganger. Agora tudo faz sentido.

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.542
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1143 Online: 14 de Junho de 2018, 09:04:01 »
A Europa fez um acordo de paz com Hitler em 1939: ele ficaria com os países já invadidos e deixaria o resto da Europa sossegado.
Deu no que deu.

No caso da Coreia do Norte, o ditador seria deixado em paz para continuar oprimindo seu povo, só que agora sem o bloqueio econômico.

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.542
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1144 Online: 14 de Junho de 2018, 10:08:40 »
Citar
Trump minimiza violações dos direitos humanos no regime da Coreia do Norte

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, minimizou na noite de quarta-feira as violações dos direitos humanos cometidas pelo regime de Kim Jong-un, assinalando que outros países também fazem "coisas más".

[...]

Segundo o Departamento americano de Estado, o regime de Kim mantém entre 80 mil e 120 mil presos políticos em campos de trabalho forçado, enfrentando torturas e fome. Kim também é suspeito de ordenar, no ano passado, o assassinato de seu irmão, envenenado em um aeroporto da Malásia.
https://oglobo.globo.com/mundo/trump-minimiza-violacoes-dos-direitos-humanos-no-regime-da-coreia-do-norte-22777944

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.077
  • QI (Quociente de Inteligência) = 98
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1145 Online: 14 de Junho de 2018, 10:13:55 »
A Europa fez um acordo de paz com Hitler em 1939: ele ficaria com os países já invadidos e deixaria o resto da Europa sossegado.
Deu no que deu.

No caso da Coreia do Norte, o ditador seria deixado em paz para continuar oprimindo seu povo, só que agora sem o bloqueio econômico.

Teve o Acordo de Munique em 1938 que tratou da ocupação da Checoslováquia. A invasão de Praga que desrespeitou o tratado ocorreu em 1939, ano da invasão da Polônia. No mesmo ano teve Pacto Molotov-Ribbentrop com os soviéticos.

A Coréia do Norte rompeu um tratado de não proliferação de armas nucleares (assinado em 1985) em 2003 depois de ser acusada de conduzir um programa nuclear clandestino. Em 1994, Clinton tinha enviado Jimmy Carter para negociar com a Coréia do Norte a paralização do programa em troca de ajuda econômica, negociação muito parecida com essa feita por Trump e as barras de combustível nuclear chegaram a ser lacradas pela AIEA. Apesar disso um programa clandestino continuou em desenvolvimento.

Portanto não é possível confiar muito que o Ping Pong vai respeitar o tratado. O mesmo vale para Trump que mudou de atitude em relação ao tratado com o Iran e ao Protocolo de Kyoto. Os dois são farinha do mesmo saco.
Não passei no teste da MENSA mas completei o 2o. Grau.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.722
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1146 Online: 14 de Junho de 2018, 10:33:45 »

Portanto não é possível confiar muito que o Ping Pong vai respeitar o tratado.


O que existe até o momento é só um tratado vago. Sem objetivos e metas detalhadas, e sem prazos e datas.






Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.269
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1147 Online: 14 de Junho de 2018, 18:00:27 »

Portanto não é possível confiar muito que o Ping Pong vai respeitar o tratado.


O que existe até o momento é só um tratado vago. Sem objetivos e metas detalhadas, e sem prazos e datas.







Ele respeitaria o acordo de não produzir armas? Na verdade ele nem precisa produzir para ter uma.

Eu vi uma reportagem afirmando que com a queda da URSS ninguém sabe de verdade quantas existem ou onde acabaram.

E nem precisa de uma para fazer um estrago considerável nos EUA se contrabandear matéria radioativo e fizer uma merda como Goiânia e a máquina de raio X abandonada.

Não precisa estourar uma bomba, só precisa de um idiota para se sacrificar.

Todo mundo fica olhando para o céu esperando uma bomba cair mas um idiota com um frasco em uma caixinha de chumbo pode fazer o mesmo estrago.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.880
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1148 Online: 14 de Junho de 2018, 18:17:33 »
"Bomba suja" nem requer sacrifício individual. Mas o estrago é bem menor do que o de uma bomba propriamente dita.

Como fica esse tipo de arma em acordos de não-propagação nuclear? Tenho a impressão de ser algo meio ignorado, sendo algo mais terrorista do que militar. O acordo anterior com a Coréia do Norte iria inclusive dar a eles uma usina nuclear (talvez no plural, usinas), o que acho que deve aumentar os riscos de produção de armas terroristas, muito embora talvez esperando que a fiscalização fosse ser efetiva, isso pudesse ser eliminado. Ao menos até que o acordo fosse quebrado e a fiscalização impedida.

Talvez fosse alguma modalidade de usina menos propícia a isso.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.269
  • Sexo: Masculino
Re:Tensão na Coréia do Norte
« Resposta #1149 Online: 14 de Junho de 2018, 18:30:21 »
Citar
Bomba suja" nem requer sacrifício individual. Mas o estrago é bem menor do que o de uma bomba propriamente dita.

Mais ou menos.

Vc imagina o cara soltando a coisa na cidade em meio a uma multidão mas o objetivo de um sujeito que quer fazer mais estrago pode ser um reservatório de água que abastece a cidade.

Tenho mais medo de um doido que coloca uma mochila explosiva nas costas que medo de uma bomba voadora.

*Só o caos que causaria entre os habitantes já aumentaria muito o fator psicológico do medo, o estrago relacionado ao setor econômico acompanharia.

Seria muito pior que apenas matar pessoas.

Citar
Como fica esse tipo de arma em acordos de não-propagação nuclear? Tenho a impressão de ser algo meio ignorado, sendo algo mais terrorista do que militar

Então,  é exatamente o que digo.

O Ping Pong pode cumprir o acordo com o Trump ao mesmo tempo em que banca um otário para agir como terrorista.

O cara matou o irmão com gás tóxico então pode muito bem fazer o que penso.

« Última modificação: 14 de Junho de 2018, 18:34:03 por Arcanjo Lúcifer »

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!