Autor Tópico: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu  (Lida 4583 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingira
« Resposta #25 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 00:07:13 »
perdão, eu abri a tela de respostas antes de você editar.
Citar
"No Brasil, nesse contexto medíocre, ser social democrata não é de esquerda, vide o PSDB, logo me dizer social democrata, quando os que reclamam esse rótulo por aqui, não me representam, tb seria impreciso. Não é?"

Logo eu não posso me dizer social democrata, pq sou de esquerda, e os que reclamam esse rótulo por aqui não me representam. E segundo sua lógica não posso dizer que sou socialista pq seria confundido com um defensor do socialismo real, o que não procede.
o psdb é social-democrata do estatuto à prática, difere muito pouco do pt nessa questão e mesmo da maior parte dos partidos socialistas europeus. se você se sente à esquerda disso, aí, amigo, pode se chamar de socialista mesmo e começar a ler gramsci.

Citar
2-Sobre as "chances reais" tudo que já lí sobre o assunto indicam que não haviam bases para isso. O golpe civil militar foi uma ruptura com valores democráticos, algo que eu jamais posso aceitar, e o regime que se desenvolveu, rompeu com princípios básicos das liberdades políticas. Algo para mim indefensável, tal quais os regimes do socialismo real, não que eu esteja igualando, são bem diferentes, óbvio, mas não é pq um sistema matou menos, ou foi menos violento, faz dele aceitável. Como disse o juiz americano no julgamento de Nuremberg, bastava que fosse um. Logo o regime é absolutamente condenável, e quem não condena, para mim não tem moral para condenar regimes autoritários, pois os autoritários mais próximos da sua forma de pensar passam a mão, minimizam e racionalizam. E se há algo desumano é racionalização de crimes como seqüestro, tortura, e assassinatos.
hmm. vejamos. se assumirmos que um golpe de esquerda (bem de esquerda, à la allende, apoiado pelo komintern) era não só possível mas inevitável, como você se posicionaria? em outros termos, pode o regime democrático sufocar algumas garantias para se manter, supondo que esse sufocamento seja eficaz?


"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline André Teixeira Jacobina

  • Nível 03
  • *
  • Mensagens: 30
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #26 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 00:26:23 »
perdão, eu abri a tela de respostas antes de você editar.
Citar
"No Brasil, nesse contexto medíocre, ser social democrata não é de esquerda, vide o PSDB, logo me dizer social democrata, quando os que reclamam esse rótulo por aqui, não me representam, tb seria impreciso. Não é?"

Logo eu não posso me dizer social democrata, pq sou de esquerda, e os que reclamam esse rótulo por aqui não me representam. E segundo sua lógica não posso dizer que sou socialista pq seria confundido com um defensor do socialismo real, o que não procede.
o psdb é social-democrata do estatuto à prática, difere muito pouco do pt nessa questão e mesmo da maior parte dos partidos socialistas europeus. se você se sente à esquerda disso, aí, amigo, pode se chamar de socialista mesmo e começar a ler gramsci.

Citar
2-Sobre as "chances reais" tudo que já lí sobre o assunto indicam que não haviam bases para isso. O golpe civil militar foi uma ruptura com valores democráticos, algo que eu jamais posso aceitar, e o regime que se desenvolveu, rompeu com princípios básicos das liberdades políticas. Algo para mim indefensável, tal quais os regimes do socialismo real, não que eu esteja igualando, são bem diferentes, óbvio, mas não é pq um sistema matou menos, ou foi menos violento, faz dele aceitável. Como disse o juiz americano no julgamento de Nuremberg, bastava que fosse um. Logo o regime é absolutamente condenável, e quem não condena, para mim não tem moral para condenar regimes autoritários, pois os autoritários mais próximos da sua forma de pensar passam a mão, minimizam e racionalizam. E se há algo desumano é racionalização de crimes como seqüestro, tortura, e assassinatos.
hmm. vejamos. se assumirmos que um golpe de esquerda (bem de esquerda, à la allende, apoiado pelo komintern) era não só possível mas inevitável, como você se posicionaria? em outros termos, pode o regime democrático sufocar algumas garantias para se manter, supondo que esse sufocamento seja eficaz?




Eu me posicionaria contra o golpe(Independente de ser de esquerda ou de direita seria contra qualquer um). Apoiando forças contrarias a ele. Porém não aceitaria controle militar, depois do golpe ser abortado, apoiaria convocação de eleições livres. Essa é minha posição.

Já leio Gramsci. Mas ainda tenho muito que ler. Sei que é literatura, mas já leu George Orwell? Meu pensamento tem muita identidade com o dele.

Quanto ao PSDB ele se aliou a corja do PFL, boa parte dele abandonou ideais da social democracia. Eu respeito Serra (foi bem como Ministro), mas Alckmin para mim é de direita, nem deveria estar no PSDB, e se ele vira candidato a presidência isso me diz muito do partido. Sim, estou a esquerda do PSDB, mas o PT tb não me representa, alias partido nenhum, o que tem estatuto mais próximo é o PPS, porém é aquela coisa uma coisa é o que está escrito lá que eu acho bonito, outra é ver se a prática reflete. A classe política brasileira em geral é lastimável e essa é a triste verdade. Até por isso eu prefiro fazer campanha por idéias, e não em nome de nenhum partido, pois nenhum tem minha confiança, nem as organizações nem os envolvidos, com raras exceções, e mesmo essas eu simpatizo, não coloco a mão no fogo por ninguém envolvido nesse jogo.


Visite a pagina do meu primeiro livro "A Nova Máquina do Tempo. Vendas, fórum, fotos, e muito mais.

http://www.andreteixeirajacobina.com.br/

O herói é um cientista cético, um pensador político.  O livro debate filosofia, política, questões ambientais, sociais, bioética, cosmologia, e muito mais, no contexto de uma aventura de ficção científica.

Offline Eleitor de Mário Oliveira

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.502
  • Sexo: Masculino
    • Lattes
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingira
« Resposta #27 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 03:25:33 »
A social-democracia é só um ramo do capitalismo praticado por aqueles que acreditam que alguns sacrifícios são necessários para o combate à miséria e a criação de um estado de bem-estar social. Este grupo e respeitável por suas intenções, apesar de ser passível de crítica a necessidade ou mesmo a efetividade destes sacrificios. Isto é bem diferente das ideologias malignas que levam o nome de "socialismo".

Dizer isso é pura ignorância, me desculpe, mas é verdade, até em uma fonte fuleira como Wikipédia vc pode ver que a social democracia nasceu dentro da internacional comunista.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Socialdemocracia

Dentro da internacional partidos do chamado socialismo democrático, e social democrata, sempre foram a mesma coisa. Origem marxista, porém que tinham suas divergências. Chamár eles de capitalistas é negar sua história.

Eu não nego que alguns desses partidos, e indivíduos, fizeram um caminho para a direita, como  liberais fizeram caminho para o socialismo democrático. Mas negar o caráter socialista da medicina socializada, por exemplo, é pura ignorância. Senso comum transformado em consenso.

Eu por exemplo, me considero socialista, pq defendo a socialização do poder, para as massas. Pq defendo a socialização das riquezas, através da garantia dos direitos sociais (como saúde, educação...). Era esse mesmo socialismo bem próximo que Bertrand Russel falava, George Orwell, um socialismo no seu sentido original de divisão. Afinal quando vc diz vamos socializar o pão, estamos falando em dividir, e nada maligno há ai.

Já o socialismo autoritário, ditatorial, é condenável, e concordo com vc, mas ele não me afeta, no sentido que não o defendo, em nenhuma de suas formas. Tem a semelhança de ter surgido nos movimentos de esquerda, mas suas características são profundamente distintas, e incompatíveis, com os princípios e valores que acredito.

A social democracia, e o socialismo democrático, em suma defendem práticas socialistas dentro do capitalismo. Uma transformação gradual e continua, para uma sociedade socialista e democrática. Entendem que a geração de riqueza promovida pelas trocas, e pelo mercado, é importante na garantia dos direitos sociais, universais, e que a socialização da riqueza pode ser feita sem estatização total. Apenas algumas coisas devem ser estatizadas, e mesmo essas sem ser de forma compulsória.

Até pq socializar e estatizar nunca foram a mesma coisa, e pensar que são é uma interpretação rasteira. Hoje, na Europa, é inegável que a socialização da medicina contraria os interesses do capitalismo ( Ou talvez de uma parte dos capitalistas), no entanto se mantêm firme. Como uma conquista popular, e ai de quem tente desmantelar.

http://afilosofia.no.sapo.pt/11SocialDemocracia.htm

O único reparo que faço a esse link, é que em parte concordo que muitos partidos abandonaram a idéia de fazer um regime socialista, nos moldes do socialismo Real, esse nunca defenderam, ou uma sociedade que prescinde do mercado. Porém socialismo para esses significa algo diferente, e sua incompatibilidade não é com o mercado em si, podendo conviver com esse e esse ser até importante para seus propósitos, mas sim com a lógica interna do mercado, essa verdadeiramente incompatível com suas preocupações. E dessa forma continuam socialistas. A incapacidade de entender que termos como esse precisam de qualificativos para serem definidos, é comum. Infelizmente, o giro lingüístico a lingua como algo vivo, e o caráter histórico das palavras, é algo não largamente aceito, tende a ser ignorado, já que ver as nuances da trabalho.


Eu realmente ignoro a história do movimento social-democrata, assim como suas pretensões maiores. Tudo o que vejo é que países que adotaram governos social-democratas não romperam com o capitalismo, apesar de fazerem alguns "sacrifícios" atípicos do capitalismo a fim de combater a miséria e obter um estado de bem-estar social.

Eu pessoalmente me considero um liberal moderado. Sou contra, por exemplo, à privatização das instituições de ensino superior, por vários motivos, dentre os quais o que mais pesa é o fato de que seria um absurdo cobrar mensalidade de futuros professores de escola pública mal-remunerados. Por outro lado, sou a favor da concessão de estradas e fim do IPVA, uma vez que a iniciativa privada tem se mostrado muito mais eficiente que o poder público na manutenção da malha rodoviária.
Considero patéticos os esquerdinhas que querem a reestatização da Vale. O mote "A Vale é nossa!" consiste numa total indistinção entre estatal e público, o que fede a facismo.
Para mim é um absurdo que sejam feitas tantas políticas de cunho social, como o Bolsa Família e o Fome Zero, em um país onde 30% do preço do arroz é de impostos. Acabar com estes impostos junto com estes gastos inúteis garantiria uma maior economia mais dinâmica, com mais oportunidades e maior poder aquisitivo.
Acredito numa mãe invisível do mercado que coloca a sociedade nos trilhos, mas tenho ressalvas quanto à velocidade que ela é capaz de fazê-lo. Quantas pessoas precisam morrer até que os consumidores deixem de comprar um remédio ineficaz? Quanto do meio ambiente deve ser prejudicado até que os consumidores exijam responsabilidade ambiental das empresas? Por estes motivos que orgãos reguladores governamentais são imprescindiveis, a despeito da crença dos anarco-capitalistas.
Por fim, devemos ter a máxima cautela com políticas bem intencionadas, mas que podem ter conseqüencias desastrosas. Vide o caso da França, que com leis trabalhistas tão benéficas aos trabalhadores que o desemprego ultrapassa os 10%.
« Última modificação: 22 de Fevereiro de 2008, 03:27:58 por Dante, the Wicked »

Offline André Teixeira Jacobina

  • Nível 03
  • *
  • Mensagens: 30
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #28 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 09:51:06 »
A social-democracia é só um ramo do capitalismo praticado por aqueles que acreditam que alguns sacrifícios são necessários para o combate à miséria e a criação de um estado de bem-estar social. Este grupo e respeitável por suas intenções, apesar de ser passível de crítica a necessidade ou mesmo a efetividade destes sacrificios. Isto é bem diferente das ideologias malignas que levam o nome de "socialismo".

Dizer isso é pura ignorância, me desculpe, mas é verdade, até em uma fonte fuleira como Wikipédia vc pode ver que a social democracia nasceu dentro da internacional comunista.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Socialdemocracia

Dentro da internacional partidos do chamado socialismo democrático, e social democrata, sempre foram a mesma coisa. Origem marxista, porém que tinham suas divergências. Chamár eles de capitalistas é negar sua história.

Eu não nego que alguns desses partidos, e indivíduos, fizeram um caminho para a direita, como  liberais fizeram caminho para o socialismo democrático. Mas negar o caráter socialista da medicina socializada, por exemplo, é pura ignorância. Senso comum transformado em consenso.

Eu por exemplo, me considero socialista, pq defendo a socialização do poder, para as massas. Pq defendo a socialização das riquezas, através da garantia dos direitos sociais (como saúde, educação...). Era esse mesmo socialismo bem próximo que Bertrand Russel falava, George Orwell, um socialismo no seu sentido original de divisão. Afinal quando vc diz vamos socializar o pão, estamos falando em dividir, e nada maligno há ai.

Já o socialismo autoritário, ditatorial, é condenável, e concordo com vc, mas ele não me afeta, no sentido que não o defendo, em nenhuma de suas formas. Tem a semelhança de ter surgido nos movimentos de esquerda, mas suas características são profundamente distintas, e incompatíveis, com os princípios e valores que acredito.

A social democracia, e o socialismo democrático, em suma defendem práticas socialistas dentro do capitalismo. Uma transformação gradual e continua, para uma sociedade socialista e democrática. Entendem que a geração de riqueza promovida pelas trocas, e pelo mercado, é importante na garantia dos direitos sociais, universais, e que a socialização da riqueza pode ser feita sem estatização total. Apenas algumas coisas devem ser estatizadas, e mesmo essas sem ser de forma compulsória.

Até pq socializar e estatizar nunca foram a mesma coisa, e pensar que são é uma interpretação rasteira. Hoje, na Europa, é inegável que a socialização da medicina contraria os interesses do capitalismo ( Ou talvez de uma parte dos capitalistas), no entanto se mantêm firme. Como uma conquista popular, e ai de quem tente desmantelar.

http://afilosofia.no.sapo.pt/11SocialDemocracia.htm

O único reparo que faço a esse link, é que em parte concordo que muitos partidos abandonaram a idéia de fazer um regime socialista, nos moldes do socialismo Real, esse nunca defenderam, ou uma sociedade que prescinde do mercado. Porém socialismo para esses significa algo diferente, e sua incompatibilidade não é com o mercado em si, podendo conviver com esse e esse ser até importante para seus propósitos, mas sim com a lógica interna do mercado, essa verdadeiramente incompatível com suas preocupações. E dessa forma continuam socialistas. A incapacidade de entender que termos como esse precisam de qualificativos para serem definidos, é comum. Infelizmente, o giro lingüístico a lingua como algo vivo, e o caráter histórico das palavras, é algo não largamente aceito, tende a ser ignorado, já que ver as nuances da trabalho.


Eu realmente ignoro a história do movimento social-democrata, assim como suas pretensões maiores. Tudo o que vejo é que países que adotaram governos social-democratas não romperam com o capitalismo, apesar de fazerem alguns "sacrifícios" atípicos do capitalismo a fim de combater a miséria e obter um estado de bem-estar social.

Eu pessoalmente me considero um liberal moderado. Sou contra, por exemplo, à privatização das instituições de ensino superior, por vários motivos, dentre os quais o que mais pesa é o fato de que seria um absurdo cobrar mensalidade de futuros professores de escola pública mal-remunerados. Por outro lado, sou a favor da concessão de estradas e fim do IPVA, uma vez que a iniciativa privada tem se mostrado muito mais eficiente que o poder público na manutenção da malha rodoviária.
Considero patéticos os esquerdinhas que querem a reestatização da Vale. O mote "A Vale é nossa!" consiste numa total indistinção entre estatal e público, o que fede a facismo.
Para mim é um absurdo que sejam feitas tantas políticas de cunho social, como o Bolsa Família e o Fome Zero, em um país onde 30% do preço do arroz é de impostos. Acabar com estes impostos junto com estes gastos inúteis garantiria uma maior economia mais dinâmica, com mais oportunidades e maior poder aquisitivo.
Acredito numa mãe invisível do mercado que coloca a sociedade nos trilhos, mas tenho ressalvas quanto à velocidade que ela é capaz de fazê-lo. Quantas pessoas precisam morrer até que os consumidores deixem de comprar um remédio ineficaz? Quanto do meio ambiente deve ser prejudicado até que os consumidores exijam responsabilidade ambiental das empresas? Por estes motivos que orgãos reguladores governamentais são imprescindiveis, a despeito da crença dos anarco-capitalistas.
Por fim, devemos ter a máxima cautela com políticas bem intencionadas, mas que podem ter conseqüencias desastrosas. Vide o caso da França, que com leis trabalhistas tão benéficas aos trabalhadores que o desemprego ultrapassa os 10%.


Bem comentar sua mensagem não é tarefa fácil (vc falou sobre um monte de coisas diferentes hehehe), mas vou tentar fazer. Adianto que concordo com algumas coisas outras não, mas prefiro um liberal moderado, e vc realmente é pelas suas posições, do que os apologistas da ditadura do mercado, ou os que usam o liberalismo para no fundo defender apenas seus interesses.

Vamos lá, os social democratas podem não ter rompido totalmente com o capitalismo, e nisso concordo, e de fato estou a esquerda deles em algumas coisas. Porém em relação a outras coisas como o tamanho do Estado, provavelmente me colocariam a direita deles, pq enquanto eles defendem a presença do Estado, na cultura, por exemplo, eu sou favorável a redução do Estado nessas áreas, e o aumento do Estado nas áreas essenciais. Agora eles defendem coisas que contrariam sim o interesse do capital como a socialização da medicina e nisso concordo inteiramente com eles, com os trabalhistas e outros. O que me faz a esquerda é a socialização do poder, que se alguns indivíduos de fato defendem, isso ainda não virou bandeira. Mas a social democracia surgiu na Internacional Comunista, e sempre partidos social democratas e socialistas democratas, não tinham diferenças significativas. Logo eles são socialistas, apenas não de mesmo tipo. Se alguns se afastaram tanto que chegaram na direita, outros renovaram sua perspectiva de esquerda ampliando o conceito de democracia de massas. Os que pelas práticas deixaram de ser socialistas podemos dizer isso sobre eles, mas não dá para generalizar a todos. Nem dizer que socialismo e o "socialismo real" é a mesma coisa, é algo que proceda em debate científico, ou acadêmico, não se sustenta a pesquisa.

Quanto as suas posições, bem as únicas que discordo mesmo é em relação a políticas sociais. O Bolsa familia representa apenas um gasto de 0,4 do PIB e está tendo impacto tão grande, que o Banco mundial está realizando estudos, e programas copiando o modelo estão aparecendo. Devo deixar claro, sou favorável a esses programas porém eles devem conter condicionais, e ser bem fiscalizados. Condicionais como, manter os filhos nas escolas, realizar exames periódicos de preventivos, e ajudar na qualificação e na conquista de melhores empregos, para que as pessoas não mais necessitem do programa. Toda a idéia e mobilização deve ser que o programa deve ser temporário na vida das pessoas, ajudando a garantir o básico, até elas se estruturarem para que possam viver sem ele. Dessa forma o programa teria período de renovação, as pessoas não teriam apenas benefícios, mas uma serie de deveres, que se não cumpridos, levariam a perda do beneficio. Os programas podem ser poderosos instrumentos de estimulo, a qualificação, ao ensino.... e já está provado que seu custo não é tão elevado, a questão é aprimorar os mesmos, na garantia dos direitos sociais.

Quanto ao desemprego na França nem tudo pode ser atribuído as leis trabalhistas. Existem muitos trabalhadores não suficiente qualificados em um mercado muito competitivo, que requisita qualificação para muitos empregos. Apesar disso, com medicina e educação pública de qualidade, antes ser um desempregado na França recebendo auxilio desemprego, até se qualificar e ter um emprego razoável, ou bom, do que ter um subemprego nos EUA, no qual uma doença pode levar vc a mais absoluta miséria, vc e toda sua família. Como o estudo de Harvard que postei demonstra. 



Visite a pagina do meu primeiro livro "A Nova Máquina do Tempo. Vendas, fórum, fotos, e muito mais.

http://www.andreteixeirajacobina.com.br/

O herói é um cientista cético, um pensador político.  O livro debate filosofia, política, questões ambientais, sociais, bioética, cosmologia, e muito mais, no contexto de uma aventura de ficção científica.

Offline Eu

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 375
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #29 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 10:32:50 »
Citar
Sou contra, por exemplo, à privatização das instituições de ensino superior, por vários motivos, dentre os quais o que mais pesa é o fato de que seria um absurdo cobrar mensalidade de futuros professores de escola pública mal-remunerados.


Pois eu sou a favor, Dante, em nome destes professores que supostamente vão ganhar pouco vamos gastar 1,1% do PIB com universidade federal?
« Última modificação: 22 de Fevereiro de 2008, 10:37:44 por waldon »

Offline Andre

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.072
  • Sexo: Masculino
    • Aletéia
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #30 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 11:27:20 »
Citar
Sou contra, por exemplo, à privatização das instituições de ensino superior, por vários motivos, dentre os quais o que mais pesa é o fato de que seria um absurdo cobrar mensalidade de futuros professores de escola pública mal-remunerados.


Pois eu sou a favor, Dante, em nome destes professores que supostamente vão ganhar pouco vamos gastar 1,1% do PIB com universidade federal?
E quem vai investir em pesquisa? Uma das críticas que Carl Sagan faz em O Mundo assombrado pelos demônios é ao corte de gastos do governo com pesquisas científicas nos EUA.
Se Jesus era judeu, então por que ele tinha um nome porto-riquenho?

Offline Eu

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 375
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #31 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 12:08:37 »
Citar
E quem vai investir em pesquisa? Uma das críticas que Carl Sagan faz em O Mundo assombrado pelos demônios é ao corte de gastos do governo com pesquisas científicas nos EUA.


Continua sendo o governo. Na Coréia do Sul e até na China comunista e tb nos EUA as universidades são pagas. Vai sobrar até mais dinheiro, fazendo pesquisa junto com a iniciativa privada.

Offline Luiz Souto

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.356
  • Sexo: Masculino
  • Magia é 90% atitude
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #32 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 12:24:15 »
Olha, "socialismo" sempre significou o "socialismo real". Para evitar confusões, por que simplesmente não se refere à sua ideologia por outro nome, em vez de "socialismo"?

So se for para voce.
Pergunte para Karl Kautsky ,Rosa Luxemburgo , Leon Trotsky , Karl Korsch , Victor Serge , Ernest Mandel , Michael Lowy , Herbert Marcuse entre outros marxistas ( sem falar dos socialistas nao marxistas) se eles achavam isso.

Citar

hmm. vejamos. se assumirmos que um golpe de esquerda (bem de esquerda, à la allende, apoiado pelo komintern) era não só possível mas inevitável, como você se posicionaria? em outros termos, pode o regime democrático sufocar algumas garantias para se manter, supondo que esse sufocamento seja eficaz?


Salvador Allende nao deu golpe , foi eleito democraticamente por uma coalizao de partidos de esquerda , que deu golpe foi Pinochet e instalou uma das mais assassinas ditaduras da historia da America Latina.

O Komintern apoiar Allende teria sido um pouco dificil , ja que ele foi extinto por Stalin em 1943 , no contexto da aliança durante a 2ª guerra mundial.

Um pouco de atençao aos fatos historicos ajuda no debate
Se não queres que riam de teus argumentos , porque usas argumentos risíveis ?

A liberdade só para os que apóiam o governo,só para os membros de um partido (por mais numeroso que este seja) não é liberdade em absoluto.A liberdade é sempre e exclusivamente liberdade para quem pensa de maneira diferente. - Rosa Luxemburgo

Conheça a seção em português do Marxists Internet Archive

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #33 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 12:29:32 »
Citar
Continua sendo o governo. Na Coréia do Sul e até na China comunista e tb nos EUA as universidades são pagas. Vai sobrar até mais dinheiro, fazendo pesquisa junto com a iniciativa privada.

E a ciência pura, vai pra onde?

Offline André Teixeira Jacobina

  • Nível 03
  • *
  • Mensagens: 30
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #34 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 12:45:47 »
Olha, "socialismo" sempre significou o "socialismo real". Para evitar confusões, por que simplesmente não se refere à sua ideologia por outro nome, em vez de "socialismo"?

So se for para voce.
Pergunte para Karl Kautsky ,Rosa Luxemburgo , Leon Trotsky , Karl Korsch , Victor Serge , Ernest Mandel , Michael Lowy , Herbert Marcuse entre outros marxistas ( sem falar dos socialistas nao marxistas) se eles achavam isso.

Citar

hmm. vejamos. se assumirmos que um golpe de esquerda (bem de esquerda, à la allende, apoiado pelo komintern) era não só possível mas inevitável, como você se posicionaria? em outros termos, pode o regime democrático sufocar algumas garantias para se manter, supondo que esse sufocamento seja eficaz?


Salvador Allende nao deu golpe , foi eleito democraticamente por uma coalizao de partidos de esquerda , que deu golpe foi Pinochet e instalou uma das mais assassinas ditaduras da historia da America Latina.

O Komintern apoiar Allende teria sido um pouco dificil , ja que ele foi extinto por Stalin em 1943 , no contexto da aliança durante a 2ª guerra mundial.

Um pouco de atençao aos fatos historicos ajuda no debate

Perfeito.
Visite a pagina do meu primeiro livro "A Nova Máquina do Tempo. Vendas, fórum, fotos, e muito mais.

http://www.andreteixeirajacobina.com.br/

O herói é um cientista cético, um pensador político.  O livro debate filosofia, política, questões ambientais, sociais, bioética, cosmologia, e muito mais, no contexto de uma aventura de ficção científica.

Offline Eu

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 375
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #35 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 13:09:01 »
Citar
Continua sendo o governo. Na Coréia do Sul e até na China comunista e tb nos EUA as universidades são pagas. Vai sobrar até mais dinheiro, fazendo pesquisa junto com a iniciativa privada.

E a ciência pura, vai pra onde?


Como disse, o governo junto com as universidades pesquisam, Harvard é um grande exemplo.

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #36 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 23:01:54 »
Citar
Salvador Allende nao deu golpe , foi eleito democraticamente por uma coalizao de partidos de esquerda , que deu golpe foi Pinochet e instalou uma das mais assassinas ditaduras da historia da America Latina.

O Komintern apoiar Allende teria sido um pouco dificil , ja que ele foi extinto por Stalin em 1943 , no contexto da aliança durante a 2ª guerra mundial.

Um pouco de atençao aos fatos historicos ajuda no debate
grato pela correção. não foi o komintern, foi a kgb.
de qualquer forma, eu não neguei que allende tivesse sido legalmente eleito. como eu disse, o golpe se deu após a eleição (um pouco de atenção ao que as partes falam ajuda no debate :)). allende assinou o estatuto de garantias constitucionais para pacificar o congresso e ter sua presidência ratificada e logo em seguida o rasgou, como ele mesmo afirma na entrevista que deu a regis debray.
"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline Fabi

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.801
  • Sexo: Feminino
  • que foi?
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #37 Online: 22 de Fevereiro de 2008, 23:06:08 »
Citar
Sou contra, por exemplo, à privatização das instituições de ensino superior, por vários motivos, dentre os quais o que mais pesa é o fato de que seria um absurdo cobrar mensalidade de futuros professores de escola pública mal-remunerados.


Pois eu sou a favor, Dante, em nome destes professores que supostamente vão ganhar pouco vamos gastar 1,1% do PIB com universidade federal?
A questão é...se privatizarem como os professores vão poder fazer greve e atrasar a vida dos alunos? Como alunos sem ter o que fazer vão invadir reitorias? Como?
Difficulter reciduntur vitia quae nobiscum creverunt.

“Deus me dê a serenidadecapacidade para aceitar as coisas que não posso mudar, a coragem para mudar o que posso, e a sabedoria para saber a diferença” (Desconhecido)

Offline CyberLizard

  • Nível 17
  • *
  • Mensagens: 498
  • Lagartos são os melhores
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingira
« Resposta #38 Online: 23 de Fevereiro de 2008, 13:06:12 »
E quem não tem condições financeiras de pagar universidades? O conhecimento não é como um carro ou um aparelho de som. Ele é algo básico ao qual todos deveriam ter acesso. Universidades públicas são uma coisa necessária para democratizar o conhecimento em um país como o nosso. É claro, uma grande parte das vagas de universidades públicas é ocupada por pessoas que tem condições financeiras de pagar. Apesar disso, existem também várias vagas que são preenchidas por pessoas que não teriam condições de pagar. Eu, por exemplo, não teria como pagar por um curso de Ciência da Computação em uma universidade particular com a qualidade equivalente à que tenho em uma universidade pública.

Outra vantagem das universidades públicas é que podemos exigir certas coisas dela. Assim como o governo deve ser laico, as universidades financiadas pelo governo também devem ser. Privatizar universidades acabariam com um pouco do controle que temos sobre elas.  Nem sempre a lei de oferta e procura conduz empresas para um rumo certo e bom para a sociedade. Nem sempre aquilo que atrai consumidores é o melhor para eles. Universidades públicas são uma forma de proteger o conhecimento de possíveis falhas às quais instituições privadas podem ser sucetíveis. Da mesma forma, instituíções privadas são importantes para proteger o conhecimento de possíveis falhas às quais instituições públicas são mais sucetíveis. As duas formas de universidade devem coexistir. A educação é uma área estratégica demais para deixarmos apenas nas mãos de empresas ou apenas nas mãos do governo.

As universidades públicas tem muitos problemas e muitas vezes podem não cumprir o seu papel. Mas isso significa que elas devem ser consertadas, não extintas. Acabar com elas é um erro tão grande ou talvez maior do que simplismente deixá-las como estão.

Offline Luiz Souto

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.356
  • Sexo: Masculino
  • Magia é 90% atitude
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingira
« Resposta #39 Online: 23 de Fevereiro de 2008, 21:14:17 »
Citar
Salvador Allende nao deu golpe , foi eleito democraticamente por uma coalizao de partidos de esquerda , que deu golpe foi Pinochet e instalou uma das mais assassinas ditaduras da historia da America Latina.

O Komintern apoiar Allende teria sido um pouco dificil , ja que ele foi extinto por Stalin em 1943 , no contexto da aliança durante a 2ª guerra mundial.

Um pouco de atençao aos fatos historicos ajuda no debate
grato pela correção. não foi o komintern, foi a kgb.
de qualquer forma, eu não neguei que allende tivesse sido legalmente eleito. como eu disse, o golpe se deu após a eleição (um pouco de atenção ao que as partes falam ajuda no debate :)). allende assinou o estatuto de garantias constitucionais para pacificar o congresso e ter sua presidência ratificada e logo em seguida o rasgou, como ele mesmo afirma na entrevista que deu a regis debray.

Onde está o golpe?

Não achei a transcrição da entrevista à Debray , que consta do seu livro The Chilean Revolution , mas na Wikipédia achei um parágrafo sobre ela

Citar
Allende assumed the presidency on November 3, 1970 after signing a “Statute of Constitutional Guarantees” proposed by the Christian Democrats in return for their support in Congress. In an extensive interview with Regis Debray, Allende explained his reasons for agreeing to the guarantees.[10] Some critics have interpreted Allende's responses as an admission that signing the "Statute" was only a tactical move on his part.[11]

Se a assinatura do Estatuto por Allende como tática para obter a ratificação da sua eleição no Congresso ( já que nenhum dos três candidatos teve maioria absoluta) foi um golpe , então golpes acontecem o tempo todo na política da América Latina.
E que golpe foi esse  , uma vez que ele ficou em minoria no Congresso , já que a Democracia Cristã se aliou ao Partido Nacional ?
Em 22 de agosto de 1973 quem chamou por um golpe contra o presidente eleito foi maioria do Congresso  , golpe este que ocorreu em 11 de setembro de 1973 ( diazinho  fatídico esse!) com apoio pleno da CIA.

Citar
On August 22, 1973 the Christian Democrats and the National Party members of the Chamber of Deputies passed, by 81 to 47 votes, a resolution entitled "Declaration of the Breakdown of Chile’s Democracy", which called upon the military to "put an immediate end" to what they described as "breach[es of] the Constitution… with the goal of redirecting government activity toward the path of Law and ensuring the constitutional order of our Nation and the essential underpinnings of democratic coexistence among Chileans."
http://en.wikipedia.org/wiki/1973_Chilean_coup_d%27%C3%A9tat

Já a KGB , não considerava o Allende suficientemente confiável , embora houvesse o apoio explícito e óbvio da USSR.

Citar
Soviet involvement

According to Vasili Mitrokhin, a former KGB bureaucrat, regular Soviet contact with Allende after his election was maintained by his KGB case officer, Svyatoslav Kuznetsov, who was instructed by the centre to “exert a favourable influence on Chilean government policy”. According to Allende’s KGB file, he “was made to understand the necessity of reorganising Chile's army and intelligence services, and of setting up a relationship between Chile’s and the USSR’s intelligence services”. Allende was said to react positively.

In October 1971, on instructions from the Politburo, Allende was given $30,000 “in order to solidify the trusted relations” with him. On December 7, in a memorandum to the Politburo, the KGB proposed giving Allende another $60,000 for what was termed “his work with political party leaders, military commanders and parliamentarians.”[29]

According to Christopher Andrew's account of the Mitrokhin archives, "In the KGB’s view, Allende's fundamental error was his unwillingness to use force against his opponents. Without establishing complete control over all the machinery of the State, his hold on power could not be secure. [29]"

Se não queres que riam de teus argumentos , porque usas argumentos risíveis ?

A liberdade só para os que apóiam o governo,só para os membros de um partido (por mais numeroso que este seja) não é liberdade em absoluto.A liberdade é sempre e exclusivamente liberdade para quem pensa de maneira diferente. - Rosa Luxemburgo

Conheça a seção em português do Marxists Internet Archive

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingira
« Resposta #40 Online: 24 de Fevereiro de 2008, 04:08:45 »
Citar
Onde está o golpe?

Se a assinatura do Estatuto por Allende como tática para obter a ratificação da sua eleição no Congresso ( já que nenhum dos três candidatos teve maioria absoluta) foi um golpe , então golpes acontecem o tempo todo na política da América Latina.
E que golpe foi esse  , uma vez que ele ficou em minoria no Congresso , já que a Democracia Cristã se aliou ao Partido Nacional ?
Em 22 de agosto de 1973 quem chamou por um golpe contra o presidente eleito foi maioria do Congresso  , golpe este que ocorreu em 11 de setembro de 1973 ( diazinho  fatídico esse!) com apoio pleno da CIA.
seria reducionismo enfocar somente na barganha política e não em seus termos. golpe talvez seja uma palavra forte, mas fato é que allende se comprometeu perante o povo chileno a respeitar as garantias constitucionais e depois 'esqueceu-se' disso, o que seria até motivo pra impeachment.... que, aliás, foi o que aconteceu. até aí, tudo dentro da estrita legalidade.
julgando-se tanto pinochet quando allende com equidistância, é difícil atribuir um golpe a um e não a outro. pois o golpe pinochetista deu-se não com a deposição de allende, que teve a ratificação do congresso, mas com a continuidade do general do poder, o que se tratava de uma ruptura substancial com a constituição, coisa que allende também fez.
"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline Luiz Souto

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.356
  • Sexo: Masculino
  • Magia é 90% atitude
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingira
« Resposta #41 Online: 24 de Fevereiro de 2008, 10:32:32 »
Citar
Onde está o golpe?

Se a assinatura do Estatuto por Allende como tática para obter a ratificação da sua eleição no Congresso ( já que nenhum dos três candidatos teve maioria absoluta) foi um golpe , então golpes acontecem o tempo todo na política da América Latina.
E que golpe foi esse  , uma vez que ele ficou em minoria no Congresso , já que a Democracia Cristã se aliou ao Partido Nacional ?
Em 22 de agosto de 1973 quem chamou por um golpe contra o presidente eleito foi maioria do Congresso  , golpe este que ocorreu em 11 de setembro de 1973 ( diazinho  fatídico esse!) com apoio pleno da CIA.
seria reducionismo enfocar somente na barganha política e não em seus termos. golpe talvez seja uma palavra forte, mas fato é que allende se comprometeu perante o povo chileno a respeitar as garantias constitucionais e depois 'esqueceu-se' disso, o que seria até motivo pra impeachment.... que, aliás, foi o que aconteceu. até aí, tudo dentro da estrita legalidade.
julgando-se tanto pinochet quando allende com equidistância, é difícil atribuir um golpe a um e não a outro. pois o golpe pinochetista deu-se não com a deposição de allende, que teve a ratificação do congresso, mas com a continuidade do general do poder, o que se tratava de uma ruptura substancial com a constituição, coisa que allende também fez.

Putz, dizer que um golpe militar com bombardeio do palácio presidencial é equivalente a um ato que se pode chamar de desonestidade política ( mas não golpe) é demais! Golpe ratificado por um Congresso que abdicou de sua atribuição constitucional chamando um golpe militar , rasgando a Constituição e que aceitou ter os parlamentares governistas presos e torturados!
Allende expurgou o Congresso , prendendo os parlamentares da oposição? Allende prendeu seus opositores no Estádio Nacional e os torturou? Allende suspendeu os direitos democráticos de liberdade de expressão e associação?
Quer ser anti-esquerda seja , é seu direito , mas  pelo menos debata de forma  coerente!
Se não queres que riam de teus argumentos , porque usas argumentos risíveis ?

A liberdade só para os que apóiam o governo,só para os membros de um partido (por mais numeroso que este seja) não é liberdade em absoluto.A liberdade é sempre e exclusivamente liberdade para quem pensa de maneira diferente. - Rosa Luxemburgo

Conheça a seção em português do Marxists Internet Archive

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #42 Online: 24 de Fevereiro de 2008, 14:26:06 »
A questão é...se privatizarem como os professores vão poder fazer greve e atrasar a vida dos alunos? Como alunos sem ter o que fazer vão invadir reitorias? Como?

:-)

A Física da Unicamp, da Usp, da UFRJ e da Uerj - e na maioria dos cursos de Exatas das mesmas - simplesmente não pára. As aulas só são suspensas quando os funcionários param de trabalhar na manutenção das salas de aula e as trancam. E mesmo assim, os laboratórios e cursos de pós-graduação não páram. E a gente ainda tenta peitar o piquete, dependendo...

Greve nas públicas, hoje em dia, é muito mais malandragem do que reivindicação.

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #43 Online: 24 de Fevereiro de 2008, 14:30:11 »
E a ciência pura, vai pra onde?

Como disse, o governo junto com as universidades pesquisam, Harvard é um grande exemplo.

É possível, mas mesmo Harvard e outras grandes universidades americanas estão sofrendo problemas de financiamento por conta disso. O fato é que a iniciativa privada raramente se interessa por ciência pura; que entretanto é tão importante quanto a pesquisa aplicada.

Concordo que não se pode ceder aos caprichos de intelectuais trancados na Torre de Marfim, que só querem moleza, mas há que se ter muito cuidado em relegar essa área ao investimento particular.

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingira
« Resposta #44 Online: 24 de Fevereiro de 2008, 15:36:37 »
Citar
Putz, dizer que um golpe militar com bombardeio do palácio presidencial é equivalente a um ato que se pode chamar de desonestidade política ( mas não golpe) é demais!

você está se concentrando no fato de que houve uma malandragem política e não no que ela foi em si. foi assinar uma garantia e descumpri-la, o que, isso é o mais importante, deu-se através do desrespeito sistêmico e substancial da constituição chilena. o exército entrar na história é algo que esteve de acordo com a legalidade, tendo sido convocado pelo congresso.
. . .
mas suponho que você esteja certo. há que se reconhecer que allende não deu um golpe. não basta desrespeitar a constituição de maneira substancial para que se configure golpe de estado, mas sua parte essencial e primeiro papel histórico: a que regula o governo e a sucessão. mas também há que se reconhecer que não foi golpista a sua deposição, foi legítima e lícita. o golpe não se deu com a entrada do exército, mas com o que este fez depois que entrou.
« Última modificação: 24 de Fevereiro de 2008, 15:38:43 por Rodasol »
"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline Eu

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 375
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #45 Online: 24 de Fevereiro de 2008, 15:49:40 »
A questão é...se privatizarem como os professores vão poder fazer greve e atrasar a vida dos alunos? Como alunos sem ter o que fazer vão invadir reitorias? Como?

:-)

A Física da Unicamp, da Usp, da UFRJ e da Uerj - e na maioria dos cursos de Exatas das mesmas - simplesmente não pára. As aulas só são suspensas quando os funcionários param de trabalhar na manutenção das salas de aula e as trancam. E mesmo assim, os laboratórios e cursos de pós-graduação não páram. E a gente ainda tenta peitar o piquete, dependendo...

Greve nas públicas, hoje em dia, é muito mais malandragem do que reivindicação.


E a ciência pura, vai pra onde?

Como disse, o governo junto com as universidades pesquisam, Harvard é um grande exemplo.

É possível, mas mesmo Harvard e outras grandes universidades americanas estão sofrendo problemas de financiamento por conta disso. O fato é que a iniciativa privada raramente se interessa por ciência pura; que entretanto é tão importante quanto a pesquisa aplicada.

Concordo que não se pode ceder aos caprichos de intelectuais trancados na Torre de Marfim, que só querem moleza, mas há que se ter muito cuidado em relegar essa área ao investimento particular.


O Brasil pesquisa ciência pura muito mal, compare com o resto do mundo. Elas estão entra as mais caras do mundo e sua eficiência é questionável.
« Última modificação: 24 de Fevereiro de 2008, 16:02:27 por waldon »

Offline Eu

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 375
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #46 Online: 24 de Fevereiro de 2008, 15:59:34 »
E quem não tem condições financeiras de pagar universidades? O conhecimento não é como um carro ou um aparelho de som. Ele é algo básico ao qual todos deveriam ter acesso. Universidades públicas são uma coisa necessária para democratizar o conhecimento em um país como o nosso. É claro, uma grande parte das vagas de universidades públicas é ocupada por pessoas que tem condições financeiras de pagar. Apesar disso, existem também várias vagas que são preenchidas por pessoas que não teriam condições de pagar. Eu, por exemplo, não teria como pagar por um curso de Ciência da Computação em uma universidade particular com a qualidade equivalente à que tenho em uma universidade pública.

Outra vantagem das universidades públicas é que podemos exigir certas coisas dela. Assim como o governo deve ser laico, as universidades financiadas pelo governo também devem ser. Privatizar universidades acabariam com um pouco do controle que temos sobre elas.  Nem sempre a lei de oferta e procura conduz empresas para um rumo certo e bom para a sociedade. Nem sempre aquilo que atrai consumidores é o melhor para eles. Universidades públicas são uma forma de proteger o conhecimento de possíveis falhas às quais instituições privadas podem ser sucetíveis. Da mesma forma, instituíções privadas são importantes para proteger o conhecimento de possíveis falhas às quais instituições públicas são mais sucetíveis. As duas formas de universidade devem coexistir. A educação é uma área estratégica demais para deixarmos apenas nas mãos de empresas ou apenas nas mãos do governo.

As universidades públicas tem muitos problemas e muitas vezes podem não cumprir o seu papel. Mas isso significa que elas devem ser consertadas, não extintas. Acabar com elas é um erro tão grande ou talvez maior do que simplismente deixá-las como estão.



Os Estados Unidos tem um sistema de bolsas que oferecem e são muito mais baratas que as universidades brasileiras. Um aluno de pró-uni custa cinco vezes menos que o de um aluno de universidade pública, isso é muito mais eficiente para democratizar ensino superior do que universidade pública de graça, que ficaria mais democrática se o sistema de cotas fosse instalado, mas até isso a maioria dos que atuam em universidades públicas é contra.

Offline Luiz Souto

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.356
  • Sexo: Masculino
  • Magia é 90% atitude
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingira
« Resposta #47 Online: 24 de Fevereiro de 2008, 19:35:11 »
Citar
Putz, dizer que um golpe militar com bombardeio do palácio presidencial é equivalente a um ato que se pode chamar de desonestidade política ( mas não golpe) é demais!

você está se concentrando no fato de que houve uma malandragem política e não no que ela foi em si. foi assinar uma garantia e descumpri-la, o que, isso é o mais importante, deu-se através do desrespeito sistêmico e substancial da constituição chilena. o exército entrar na história é algo que esteve de acordo com a legalidade, tendo sido convocado pelo congresso.
. . .
mas suponho que você esteja certo. há que se reconhecer que allende não deu um golpe. não basta desrespeitar a constituição de maneira substancial para que se configure golpe de estado, mas sua parte essencial e primeiro papel histórico: a que regula o governo e a sucessão. mas também há que se reconhecer que não foi golpista a sua deposição, foi legítima e lícita. o golpe não se deu com a entrada do exército, mas com o que este fez depois que entrou.

a) Seu conceito de golpe é tão fluido que qualquer coisa cabe nele , o que torna impraticável debater.

b) Seu conceitos de legitimidade e licitude são também tão tortos que você consegue construir uma frase tão históricamente absurda como essa.

Não vejo razão para insistir no debate contigo sobre este assunto neste tópico. :tchau:
Se não queres que riam de teus argumentos , porque usas argumentos risíveis ?

A liberdade só para os que apóiam o governo,só para os membros de um partido (por mais numeroso que este seja) não é liberdade em absoluto.A liberdade é sempre e exclusivamente liberdade para quem pensa de maneira diferente. - Rosa Luxemburgo

Conheça a seção em português do Marxists Internet Archive

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #48 Online: 24 de Fevereiro de 2008, 22:18:54 »
já que insiste na postura evasiva, só me resta dizer o mesmo.
"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline CyberLizard

  • Nível 17
  • *
  • Mensagens: 498
  • Lagartos são os melhores
Re: LIÇÕES DE LIBERALISMO Que os Liberais do Século XX não Aprenderam ou Fingiram qu
« Resposta #49 Online: 27 de Fevereiro de 2008, 23:19:48 »
E quem não tem condições financeiras de pagar universidades? O conhecimento não é como um carro ou um aparelho de som. Ele é algo básico ao qual todos deveriam ter acesso. Universidades públicas são uma coisa necessária para democratizar o conhecimento em um país como o nosso. É claro, uma grande parte das vagas de universidades públicas é ocupada por pessoas que tem condições financeiras de pagar. Apesar disso, existem também várias vagas que são preenchidas por pessoas que não teriam condições de pagar. Eu, por exemplo, não teria como pagar por um curso de Ciência da Computação em uma universidade particular com a qualidade equivalente à que tenho em uma universidade pública.

Outra vantagem das universidades públicas é que podemos exigir certas coisas dela. Assim como o governo deve ser laico, as universidades financiadas pelo governo também devem ser. Privatizar universidades acabariam com um pouco do controle que temos sobre elas.  Nem sempre a lei de oferta e procura conduz empresas para um rumo certo e bom para a sociedade. Nem sempre aquilo que atrai consumidores é o melhor para eles. Universidades públicas são uma forma de proteger o conhecimento de possíveis falhas às quais instituições privadas podem ser sucetíveis. Da mesma forma, instituíções privadas são importantes para proteger o conhecimento de possíveis falhas às quais instituições públicas são mais sucetíveis. As duas formas de universidade devem coexistir. A educação é uma área estratégica demais para deixarmos apenas nas mãos de empresas ou apenas nas mãos do governo.

As universidades públicas tem muitos problemas e muitas vezes podem não cumprir o seu papel. Mas isso significa que elas devem ser consertadas, não extintas. Acabar com elas é um erro tão grande ou talvez maior do que simplismente deixá-las como estão.



Os Estados Unidos tem um sistema de bolsas que oferecem e são muito mais baratas que as universidades brasileiras. Um aluno de pró-uni custa cinco vezes menos que o de um aluno de universidade pública, isso é muito mais eficiente para democratizar ensino superior do que universidade pública de graça, que ficaria mais democrática se o sistema de cotas fosse instalado, mas até isso a maioria dos que atuam em universidades públicas é contra.

É claro que são contra as cotas. Elas são uma forma errada de se resolver o problema e fere o princípio de que todos devem ser considerados iguais sem discriminação. A forma correta de se democratizar o ensino não são as cotas , mas aumentar os investimentos e a qualidade dos mesmos na educação básica. Desta forma, deixaria de existir uma diferença tão grande entre aqueles que estudaram em escolas públicas e particulares.

O pró-uni não é uma boa medida por investir dinheiro público em empresas privadas. Acho isso absurdo. O correto seria perguntar o porquê das universidades públicas gastarem tanto (uma das causas é a burocracia enorme), buscar solucionar o problema e investir o dinheiro em universidades públicas.

Universidades particulares podem fornecer bolsas, mas não fornecem um número de oportunidades tão grande quanto universidades públicas para pessoas com menos condições financeiras. Esse é um dos motivos pelo qual universidades públicas são importantes para a sociedade.


 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!