Autor Tópico: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?  (Lida 2848 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.684
  • Sexo: Masculino
Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?

Há certeza de que é a atividade humana  a causa principal do aquecimento global ?


Pergunto, pois a atividade humana lança por ano 7 bilhões  de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera, enquanto a natureza lança  200 bilhões  de toneladas de dióxido de carbono por ano ( fonte: Uma Breve História de Quase Tudo, Bill Bryson,  Companhia das Letras, 2005 ).  Ainda conforme o autor, as pesquisas indicam que antes da era industrial havia 280 ppm de CO2 na atmosfera e agora (2003 ano em que foi escrito) havia 360 ppm e que este aumentava 0,25% ao ano.


Mas ainda sim podemos atribuir com certeza este aumento de 29%  de CO2 as atividades humanas ? E mais, seria estes 29% de aumento a causa exclusiva do aquecimento global ??


 :?:


Há fontes científicas que discordam de que a atividade humana seja a principal causa do aquecimento global ?


 :?:


.

Offline Stéfano

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.779
  • Sexo: Masculino
    • Hepcentro
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #1 Online: 31 de Maio de 2009, 12:40:38 »
Não há essa certeza. Mas parece haver um certo consenso de que a atividade humana esteja acelerando esse processo.
"Alternative and mainstream Medicine are not simply different methods of treating ilness. They are basically incompatible views of reality and how the material world works." Arnold S. Relman

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.844
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #2 Online: 31 de Maio de 2009, 15:03:18 »
O IPCC dava uma porcentagem de certeza alta o suficiente para se poder dizer que era certeza sim, acho. Ouvi dizer que o IPCC é o documento científico com o mais árduo processo de revisão de qualquer publicação na história.

Quanto aos pontos. A natureza é responsável por maiores emissões de CO2, e sim isso colabora com o efeito estufa. Isso é inclusive essencial para a sobrevivência, para manter a temperatura da Terra nesses níveis "ideais".

Mas isso não significa no entanto que o CO2 emitido por humanos seja insignificante. O ponto é que boa parte do CO2 emitido naturalmente é balanceado pelas absorções naturais de CO2, enquanto as emissões humanas ficam "sobrando", porque há limites para a absorção natural.


Há outros gases de efeito estufa, todos contribuem um pouco, mas o CO2 é o que fica lá por mais tempo, se acumulando cada vez mais; outros podem ser até "instantâneamente" mais significativos, como metano, se não me engano, mas a duração de sua atividade é menor.

Não é muito simples responder a questão sobre "fontes científicas" discordando da atividade humana como causa principal. A "oposição" é freqüentemente comparada aos opositores por exemplo, da ciência relacionada aos males do cigarro (inclusive tendo indivíduos em comum nos dois grupos) e criacionistas, fazendo seus casos com dados científicos, e nesse sentido, científicos, mas com omissões-chave de dados também, o que não sei se seria suficiente para descaracterizar como "científico", mas com certeza não é um meio através do qual se chega a melhor conclusão científica acerca de algo.

Algumas omissões-chave são bem relevantes quanto às alternativas, como por exemplo, a alternativa de flutuação na atividade solar, que, na verdade está mais próxima de inversamente correlacionada com o aumento na média da temperatura global.




http://solar-center.stanford.edu/sun-on-earth/glob-warm.html

Offline Zeichner

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.123
  • Sexo: Masculino
  • Somos feitos da mesma substância dos sonhos. - Wi
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #3 Online: 31 de Maio de 2009, 18:45:15 »
Existem muitas críticas quanto ao IPCC, principalmente ao seu uso político.
Aparentemente a produção de gases de efeito estufa aumentaram bastante, mas ninguém sabe o que vai causar. Aquela história de aumento de 70 metros no nível dos mares é puro e absoluto chute.
è muito chute, achômetros e palpites, porque ninguém sabe ao certo o que vai acontecer.

Offline Hugo

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.915
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #4 Online: 31 de Maio de 2009, 18:59:48 »
Eu sou um dos céticos com relação ao aquecimento Global.

Esses dados para mim não são novidades. Ora, se no nosso "universo" terrestre nada se cria, apenas se transforma, creio que a produção de CO2 pelos humanos é considerado um pequeno aranhão na natureza. Aranhão que é cicratizado rapidamente pela própria natureza.

A natureza está, naturalmente, se modificando e se adaptando. O avanço do mar em determinadas regiões, é uma consequência dessa mudança natural, como foi com os continentes que se separaram.

Repito, a natureza é extremamente mais potente que seus habitantes.

A única coisa que o homem pode fazer é poluição com seus dejetos. Sujar um rio, uma mata, destruir uma floresta, ou todas, e neste caso a temperatura muda neste ambiente, ...

Para lembrar, já foi dito e repetido neste fórum que floresta não produz oxigênio. se fosse assim, nos desertos ninguém respiraria. 
"O medo de coisas invisíveis é a semente natural daquilo que todo mundo, em seu íntimo, chama de religião". (Thomas Hobbes, Leviatã)

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.844
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #5 Online: 31 de Maio de 2009, 19:25:57 »
Existem muitas críticas quanto ao IPCC, principalmente ao seu uso político.
Aparentemente a produção de gases de efeito estufa aumentaram bastante, mas ninguém sabe o que vai causar. Aquela história de aumento de 70 metros no nível dos mares é puro e absoluto chute.

Acredito que os periódicos científicos não aceitem puros chutes, e não acho que qualquer relatório do IPCC tenha dado esse número especificamente.

Citar
[2006] Sea level rise 'under-estimated'

 [...] The team from Germany and the US found that for the timescale relevant to human-induced climate change, the observed rate of sea level rise through the 20th Century held a strong correlation with the rate of warming.

When applied to the possible scenarios outlined by the Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC), the researchers found that in 2100 sea levels would be 0.5-1.4m above 1990 levels.

This projection is much greater than the 9-88cm forecast made by the IPCC itself in its Third Assessment Report, published in 2001. [...]

http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/6179409.stm

Acho que teria havido mais estardalhaço na mídia se as previsões do IPCC de 2001 até os mais atuais tivessem passado as previsões de aumento no nível do mar de menos de 1m para 70m. Você está simplesmente inventando esses números, ou viu mesmo em algum lugar?



Citar
è muito chute, achômetros e palpites, porque ninguém sabe ao certo o que vai acontecer.

Ninguém sabe ao certo o que vai acontecer, mas o que chama de chutes e palpites são estudos científicos que vem sendo feitos há décadas, gradualmente fortalecendo um consenso sobre essa questão.


Citar
Beyond the ivory tower

The Scientific Consensus on Climate Change
Naomi Oreskes*



[...]IPCC is not alone in its conclusions. In recent years, all major scientific bodies in the United States whose members' expertise bears directly on the matter have issued similar statements. For example, the National Academy of Sciences report, Climate Change Science: An Analysis of Some Key Questions, begins: "Greenhouse gases are accumulating in Earth's atmosphere as a result of human activities, causing surface air temperatures and subsurface ocean temperatures to rise" [p. 1 in (5)]. The report explicitly asks whether the IPCC assessment is a fair summary of professional scientific thinking, and answers yes: "The IPCC's conclusion that most of the observed warming of the last 50 years is likely to have been due to the increase in greenhouse gas concentrations accurately reflects the current thinking of the scientific community on this issue" [p. 3 in (5)].

Others agree. The American Meteorological Society (6), the American Geophysical Union (7), and the American Association for the Advancement of Science (AAAS) all have issued statements in recent years concluding that the evidence for human modification of climate is compelling (8).

The drafting of such reports and statements involves many opportunities for comment, criticism, and revision, and it is not likely that they would diverge greatly from the opinions of the societies' members. Nevertheless, they might downplay legitimate dissenting opinions. That hypothesis was tested by analyzing 928 abstracts, published in refereed scientific journals between 1993 and 2003, and listed in the ISI database with the keywords "climate change" (9).

The 928 papers were divided into six categories: explicit endorsement of the consensus position, evaluation of impacts, mitigation proposals, methods, paleoclimate analysis, and rejection of the consensus position. Of all the papers, 75% fell into the first three categories, either explicitly or implicitly accepting the consensus view; 25% dealt with methods or paleoclimate, taking no position on current anthropogenic climate change. Remarkably, none of the papers disagreed with the consensus position. [...]

http://www.sciencemag.org/cgi/content/full/306/5702/1686





Mais material de divulgação a respeito:

The American denial of global warming - Naomi Oreskes

Vídeo longo (aproximadamente uma hora) sobre a história da pesquisa sobre esse tema.

<a href="http://www.youtube.com/v/2T4UF_Rmlio#normal" target="_blank" class="new_win">http://www.youtube.com/v/2T4UF_Rmlio#normal</a>






Série de episódios do podcast "geek counterpoint":

Climate change 101
<a href="http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC045_Climate_Change_101.mp3" target="_blank" class="new_win">http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC045_Climate_Change_101.mp3</a>


Climate Change and Logical Fallacies
<a href="http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC047_Climate_Change_Logic.mp3" target="_blank" class="new_win">http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC047_Climate_Change_Logic.mp3</a>

Climate Change: the Skeptics (part 1)
<a href="http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC054_Climate_Change_Skeptics_1.mp3" target="_blank" class="new_win">http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC054_Climate_Change_Skeptics_1.mp3</a>

Climate Change: the Skeptics (part 2)
<a href="http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC056_Climate_Change_Skeptics_2.mp3" target="_blank" class="new_win">http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC056_Climate_Change_Skeptics_2.mp3</a>

Climate Change: the Skeptics (part 3, naming names)
<a href="http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC057_Climate_Change_Skeptics_3.mp3" target="_blank" class="new_win">http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC057_Climate_Change_Skeptics_3.mp3</a>

Climate Change: the Proponents
<a href="http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC059_Climate_Change_Proponents.mp3" target="_blank" class="new_win">http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC059_Climate_Change_Proponents.mp3</a>

The Impacts of Climate Change
<a href="http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC060_Climate_Change_Impacts.mp3" target="_blank" class="new_win">http://www.google.com/reader/ui/3247397568-audio-player.swf?audioUrl=http://geekcounterpoint.net/audio/GC060_Climate_Change_Impacts.mp3</a>

(os episódios podem ser baixados vendo o código dessa mensagem e inserindo os endereços do mp3 em algum gerenciador de downloads ou mesmo na barra de endereços de boa parte dos navegadores. O próprio site também oferece os links para download)


O site ainda tem notas para cada episódio, uns posts somente em textos, inclusive com dissecções de "inconvenient truth" e "swindled":

http://geekcounterpoint.net/files/category-climate.html

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.844
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #6 Online: 31 de Maio de 2009, 19:40:46 »
Eu sou um dos céticos com relação ao aquecimento Global.

Esses dados para mim não são novidades. Ora, se no nosso "universo" terrestre nada se cria, apenas se transforma, creio que a produção de CO2 pelos humanos é considerado um pequeno aranhão na natureza. Aranhão que é cicratizado rapidamente pela própria natureza.

Não é isso que os estudos constatam, mas um aumento nos níveis de CO2, identificáveis como de origem humana, diga-se de passagem.

Sem levarmos em consideração versões fantasiosas do tipo "mãe Terra" como agente ativa tentando se auto regular, entendendo a Terra só com uma rocha com uma fina camada de gás, girando rapidamente ao redor do Sol, e a natureza apenas como química, também desprovida de uma espécie de macro-consciência coletiva, fica claro que as coisas não vão se arrumar por si sós. O mais próximo de uma consciência na natureza, é a espécie humana mesmo.



Citar
A natureza está, naturalmente, se modificando e se adaptando. O avanço do mar em determinadas regiões, é uma consequência dessa mudança natural, como foi com os continentes que se separaram.

Repito, a natureza é extremamente mais potente que seus habitantes.

A natureza são só "os fatos". Estou pouco me lixando "para a natureza". Mudanças na Terra ao longo das eras não foram "adaptações", foram só mudanças, como um meteoro que atinge a lua e faz mais uma cratera. Não tem nada de místico e "adaptativo" nisso.

Realmente não será possível "acabar com a natureza" ou mesmo extinguir a vida, mas não se trata disso, apesar de muitas vezes as coisas serem colocadas com essa entonação pelos esotéricos com queda por ambientalismo. Se trata da qualidade de vida da humanidade, e isso não é algo que se possa dar por garantido, que a "mãe Natureza vai providenciar para nós", não vai, isso é fantasia.

Mas se estiver realmente só se preocupando com a natureza, como "os seres vivos", e não com a humanidade, realmente não tem importância alguma. A natureza é quase que "indestrutível" a longo prazo, podemos tascar fogo em tudo, e alguma coisa vai sobreviver. Se dermos um jeito de matar todo ser vivo, ainda assim a natureza continua, só que sem vida. Não são essas as preocupações que se tem quanto a esse assunto.


Citar
A única coisa que o homem pode fazer é poluição com seus dejetos. Sujar um rio, uma mata, destruir uma floresta, ou todas, e neste caso a temperatura muda neste ambiente, ...

As emissões de gases das fábricas, usinas e automóveis também alteram o ambiente.


Citar
Para lembrar, já foi dito e repetido neste fórum que floresta não produz oxigênio. se fosse assim, nos desertos ninguém respiraria. 

Não vi a conexão lógica entre as duas coisas, nem disso com o assunto todo. Os cientistas que estão envolvidos nas pesquisas climáticas não negam a produção de oxigênio pelas florestas, de qualquer forma.

Offline ACSalles

  • Nível 10
  • *
  • Mensagens: 143
  • Sexo: Masculino
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #7 Online: 31 de Maio de 2009, 20:11:10 »
Obviamente queimar em 100 anos a quantidade de C que queimamos influencia o clima. Claro e evidente. Chequem as concentrações de CO2 na atmosfera há 50 anos e agora...

Mas também obviamente a natureza vai corrigir isso, ela sempre corrige. Erupções monstro já jogaram mais do que isso na atmosfera...
Coisa boba, estará tudo resolvido em digamos, uns 800 mil anos. Um nada na escala geológica e infelizmente um tudo para os imbecis dos seres humanos.
Fight your prime enemy
---

Offline Zeichner

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.123
  • Sexo: Masculino
  • Somos feitos da mesma substância dos sonhos. - Wi
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #8 Online: 31 de Maio de 2009, 21:51:02 »
Mas não existem dados confiáveis. cada site diz uma coisa, cada gráfico mostra uma coisa.
Na pior das estimativas, a concentração de carbono na atmosfera aumentou em um terço e a temperatura média subiu em torno de meio grau.

Acho temerário dizer que nunca houve tanto degelo, etc., afinal, existiam satélites no passado para fazer este acompanhamento?
Também não convém comparar muito por fotos antigas, sabendo que a primeira metade do século passado foi marcado por resfriamento.

Também aparece o ser humano emitindo 0 de C)2 a 150 anos atrás, como se naquela época vivessemos em harmonia com a natureza, sem nunca queimar um carvãozinho.

Enfim, esse terrorismo ambiental, o catastofrismo apocaliptico do aquecimento global faz muito mal à ciência, porque se perde o foco objetivo científico e passa a ter uso político, como o Al Goro está fazendo com o IPCC, altamente contestado. Isso faz muito mais mal do que bem.

Por eras a terra ou esteve congelada ou completamente descongelada. A Antártida já foi uma floresta.
O ser humano é mais uma forma natural de alteração climática, mas não é a única, nem a mais terrível.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.844
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #9 Online: 31 de Maio de 2009, 23:17:04 »
Mas não existem dados confiáveis. cada site diz uma coisa, cada gráfico mostra uma coisa.

Que sites? Que gráficos? Para se constatar um fato científico, todos os pesquisadores devem ter gráficos iguais? Que variação de dados é essa que compromete o consenso dos cientistas que estudam a questão? Como e por que eles defendem ainda um consenso, se é tudo indigno de confiança?


Citar
Na pior das estimativas, a concentração de carbono na atmosfera aumentou em um terço e a temperatura média subiu em torno de meio grau.

Ok, e disso deveria se prever então que os cientistas são todos idiotas, que pode-se aumentar ainda em outro terço e só vai haver mais meio grau de aquecimento?

A menos que os modelos deem uma guinada em capacidade preditiva, acho melhor ficar com o que os cientistas mesmo estão dizendo:



http://solar-center.stanford.edu/sun-on-earth/glob-warm.html


Citar
Acho temerário dizer que nunca houve tanto degelo, etc., afinal, existiam satélites no passado para fazer este acompanhamento? Também não convém comparar muito por fotos antigas, sabendo que a primeira metade do século passado foi marcado por resfriamento.

Eu não sei bem exatamente que afirmações seriam essas e qual seria a sua relevância. A pesquisa não parece depender significativamente de olhar para geleiras e falar "nossa, quanto gelo derretendo". A primeira metade do século passado também não parece ter sido exatamente marcada por resfriamento.


Citar
Também aparece o ser humano emitindo 0 de C)2 a 150 anos atrás, como se naquela época vivessemos em harmonia com a natureza, sem nunca queimar um carvãozinho.

Não entendi a relevância desse ponto também. Estou certo de que os cientistas não desconsideram o passado recente da espécie humana e suas atividades.

As vezes os "céticos" falam como se pudessem um belo dia desses irem num laboratório de climatologistas e começar a humilhar eles terrivelmente, expondo a ignorância deles sobre as coisas mais básicas, relevantes para o seu "campo", que, nem existe de verdade, porque com esse nível de qualidade, de falta de fundamento, que se pode refutar assim só de olhar por cima, deve ser pior que astrologia ou homeopatia.



Citar
Enfim, esse terrorismo ambiental, o catastofrismo apocaliptico do aquecimento global faz muito mal à ciência, porque se perde o foco objetivo científico e passa a ter uso político, como o Al Goro está fazendo com o IPCC, altamente contestado. Isso faz muito mais mal do que bem.

Isso é teoria da conspiração, e não se tem embasamento de tal conspiração. O IPCC não é altamente contestado, conforme o que postei anteriormente ("beyond the ivory tower").

Ao mesmo tempo, é engraçado que essa acusação parece nem se dar conta da possibilidade de voltar para o lado dos "céticos". E é contra eles que ela fica bem mais sustentável, não por acaso. São os lobbyistas, criacionistas, pró-vida e teóricos da conspiração que fazem muito mais mal do que bem, ainda mais se tentam pintar suas opiniões ou fatos convenientes como competidores sérios no debate científico, quando não são.




Citar
Por eras a terra ou esteve congelada ou completamente descongelada. A Antártida já foi uma floresta.
O ser humano é mais uma forma natural de alteração climática, mas não é a única, nem a mais terrível.

Espantalho. Os cientistas não ignoram o histórico de glaciações e variações de temperatura, tampouco afirmam que o ser humano seja a única ou a mais terrível fonte de variação climática.

Offline Zeichner

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.123
  • Sexo: Masculino
  • Somos feitos da mesma substância dos sonhos. - Wi
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #10 Online: 01 de Junho de 2009, 01:19:20 »
Eu sou cético. Mesmo que os cientistas venham dizendo, é meu dever contestar, ainda mais depois de ver aquele filmeco do Verdade IInconveniente, que é apenas propaganda política do Al Gore.

Realmente houve um aumento de gases do efeito estufa causados pelos seres humanos e aparentemente há um aumento de temperatura global por causa disso. Mas é meu dever cético colocar estas afirmações à prova, principalmente quando estão sendo claramente usadas para fins políticos.

Porque isso vai ser utilizado para interferir agora em qualquer país, sob a desculpa de que emite carbono. Vão criar mais impostos, taxar as pessoas, colocar leis, tirar direitos individuais,  porque o Al Gore disse que o mundo vai acabar se andarem de carro.

Antes de fazerem isso, quero saber mais das consequências, porque ninguém sabe o que vai acontecer. Pode haver, mas o futuro é apenas chute.

O que critico são principalmente estes profetas do apocalipse que vão utilizar do terror ambiental para privar as pessoas de suas liberdades individuais. E já estão se mexendo para fazer isso.



Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.844
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #11 Online: 01 de Junho de 2009, 02:34:39 »
Eu sou cético. Mesmo que os cientistas venham dizendo, é meu dever contestar, ainda mais depois de ver aquele filmeco do Verdade IInconveniente, que é apenas propaganda política do Al Gore.

E daí? Se o Al Gore tivesse feito um filmeco sobre evolução biológica? Aí seria o criacionismo que mereceria mais crédito?


Citar
Realmente houve um aumento de gases do efeito estufa causados pelos seres humanos e aparentemente há um aumento de temperatura global por causa disso. Mas é meu dever cético colocar estas afirmações à prova, principalmente quando estão sendo claramente usadas para fins políticos.

Não estou sugerindo que não deva nunca duvidar de nada, longe disso. Mas que tal aplicar o mesmo ceticismo para os dois lados? :umm:

Citação de: wikipedia
Many of the critics of the consensus view on global warming have disagreed, in whole or part, with the scientific consensus regarding other issues, particularly those relating to environmental risks, such as ozone depletion and passive smoking. Chris Mooney, author of The Republican War on Science, has argued that the appearance of overlapping groups of skeptical scientists, commentators and think tanks in seemingly unrelated controversies results from an organised attempt to replace scientific analysis with political ideology. Mooney claims that the promotion of doubt regarding issues that are politically, but not scientifically, controversial has become increasingly prevalent under the Bush Administration and constitutes a "Republican war on science". This is also the subject of a recent book by Environmental lawyer Robert F. Kennedy Jr. entitled Crimes Against Nature: How George W. Bush and Corporate Pals are Plundering the Country and Hijacking Our Democracy. Another book on this topic is The Assault on Reason by former U.S. Vice-President Al Gore. Earlier instances of this trend are also covered in the book The Heat Is On by Ross Gelbspan.

Some critics of the scientific consensus on global warming have argued that these issues should not be linked and that reference to them constitutes an unjustified ad hominem attack.[17] Political scientist Roger Pielke, Jr., responding to Mooney, has argued that science is inevitably intertwined with politics.[18]

O Al Gore por acaso tem algum histórico de usar pseudociência ou abafar ciência como arma política, como o Bush jr e a direita conservadora de modo geral?


Citar
Porque isso vai ser utilizado para interferir agora em qualquer país, sob a desculpa de que emite carbono. Vão criar mais impostos, taxar as pessoas, colocar leis, tirar direitos individuais,  porque o Al Gore disse que o mundo vai acabar se andarem de carro.

Curioso, a crítica que tinha ouvido do Gore era justamente que era ingênuo sugerir apenas deixar o pneu do carro com mais pressão. Não parece que ele anunciou a necessidade do fim dos carros -- muito embora eu mesmo não tenha visto o filme e não garanto que vá concordar com qualquer coisa, ainda que as críticas dos climatologistas tenham sido positivas.


Citar
Antes de fazerem isso, quero saber mais das consequências, porque ninguém sabe o que vai acontecer. Pode haver, mas o futuro é apenas chute.

O que critico são principalmente estes profetas do apocalipse que vão utilizar do terror ambiental para privar as pessoas de suas liberdades individuais. E já estão se mexendo para fazer isso.

Pode ser que sim, que existam medidas preventivas que se mostrem exageradas. Mas digamos que, por exemplo, você morasse em algum lugar onde uma empresa jogasse algum gás, ou despejasse algum resíduo na água que você bebe.

Não preferiria a precaução em saber que aquilo é seguro para a sua saúde e de sua família, em detrimento da liberdade deles de se livrarem dos resíduos dessa forma?

Quantos % de comprovação você iria querer da versão de um painel de investigação científica que analisasse essa questão, para achar que o risco à sua qualidade de vida e saúde vale mais do que o direito das fábricas vizinhas?



Offline Hugo

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.915
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #12 Online: 01 de Junho de 2009, 10:14:38 »


Enfim, esse terrorismo ambiental, o catastofrismo apocaliptico do aquecimento global faz muito mal à ciência, porque se perde o foco objetivo científico e passa a ter uso político, como o Al Goro está fazendo com o IPCC, altamente contestado. Isso faz muito mais mal do que bem.


Concordo contigo. Acontece que nós estamos do lado do "politicamente incorreto" ao questionar o aquecimento global. Mas, dane-se o "politicamente correto"!!! Não posso defender algo que não acredito.

Por exemplo: fazem propaganda para que nós usemos a água de forma racinável. Dizem que essa fonte está se esgotando. Ora, aqui na minha cidade (João Pessoa) chove torrencialmente há dias sem parar. É água pra dedeu. Toda essa água está descendo pelos esgotos. Por que não temos uma estrutura para captar essa água? A cidade está inundada. Nossas casas poderiam captar essa água para ser usada.

Daqui há um ano, quando a seca castigar... os discursos serão os mesmos... temos que racionar água... blá, blá, blá...
"O medo de coisas invisíveis é a semente natural daquilo que todo mundo, em seu íntimo, chama de religião". (Thomas Hobbes, Leviatã)

Offline Zeichner

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.123
  • Sexo: Masculino
  • Somos feitos da mesma substância dos sonhos. - Wi
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #13 Online: 01 de Junho de 2009, 10:58:38 »
Eu sou cético. Mesmo que os cientistas venham dizendo, é meu dever contestar, ainda mais depois de ver aquele filmeco do Verdade IInconveniente, que é apenas propaganda política do Al Gore.

E daí? Se o Al Gore tivesse feito um filmeco sobre evolução biológica? Aí seria o criacionismo que mereceria mais crédito?


Citar
Realmente houve um aumento de gases do efeito estufa causados pelos seres humanos e aparentemente há um aumento de temperatura global por causa disso. Mas é meu dever cético colocar estas afirmações à prova, principalmente quando estão sendo claramente usadas para fins políticos.

Não estou sugerindo que não deva nunca duvidar de nada, longe disso. Mas que tal aplicar o mesmo ceticismo para os dois lados? :umm:

Citação de: wikipedia
Many of the critics of the consensus view on global warming have disagreed, in whole or part, with the scientific consensus regarding other issues, particularly those relating to environmental risks, such as ozone depletion and passive smoking. Chris Mooney, author of The Republican War on Science, has argued that the appearance of overlapping groups of skeptical scientists, commentators and think tanks in seemingly unrelated controversies results from an organised attempt to replace scientific analysis with political ideology. Mooney claims that the promotion of doubt regarding issues that are politically, but not scientifically, controversial has become increasingly prevalent under the Bush Administration and constitutes a "Republican war on science". This is also the subject of a recent book by Environmental lawyer Robert F. Kennedy Jr. entitled Crimes Against Nature: How George W. Bush and Corporate Pals are Plundering the Country and Hijacking Our Democracy. Another book on this topic is The Assault on Reason by former U.S. Vice-President Al Gore. Earlier instances of this trend are also covered in the book The Heat Is On by Ross Gelbspan.

Some critics of the scientific consensus on global warming have argued that these issues should not be linked and that reference to them constitutes an unjustified ad hominem attack.[17] Political scientist Roger Pielke, Jr., responding to Mooney, has argued that science is inevitably intertwined with politics.[18]

O Al Gore por acaso tem algum histórico de usar pseudociência ou abafar ciência como arma política, como o Bush jr e a direita conservadora de modo geral?


Citar
Porque isso vai ser utilizado para interferir agora em qualquer país, sob a desculpa de que emite carbono. Vão criar mais impostos, taxar as pessoas, colocar leis, tirar direitos individuais,  porque o Al Gore disse que o mundo vai acabar se andarem de carro.

Curioso, a crítica que tinha ouvido do Gore era justamente que era ingênuo sugerir apenas deixar o pneu do carro com mais pressão. Não parece que ele anunciou a necessidade do fim dos carros -- muito embora eu mesmo não tenha visto o filme e não garanto que vá concordar com qualquer coisa, ainda que as críticas dos climatologistas tenham sido positivas.


Citar
Antes de fazerem isso, quero saber mais das consequências, porque ninguém sabe o que vai acontecer. Pode haver, mas o futuro é apenas chute.

O que critico são principalmente estes profetas do apocalipse que vão utilizar do terror ambiental para privar as pessoas de suas liberdades individuais. E já estão se mexendo para fazer isso.

Pode ser que sim, que existam medidas preventivas que se mostrem exageradas. Mas digamos que, por exemplo, você morasse em algum lugar onde uma empresa jogasse algum gás, ou despejasse algum resíduo na água que você bebe.

Não preferiria a precaução em saber que aquilo é seguro para a sua saúde e de sua família, em detrimento da liberdade deles de se livrarem dos resíduos dessa forma?

Quantos % de comprovação você iria querer da versão de um painel de investigação científica que analisasse essa questão, para achar que o risco à sua qualidade de vida e saúde vale mais do que o direito das fábricas vizinhas?




acho que pisei no calo. Falar mal do Al Gore acaba levando a respostas irritadas.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.844
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #14 Online: 01 de Junho de 2009, 12:06:09 »
Nossa, eu estou me importando taaaaaanto com o Al Gore... fui eu inclusive que o lembrei primeiro, com o importantíssimo trabalho de pesquisa científica conduzido por ele. Ops, engano meu. Você que veio enfiando o Al Gore no meio, e ele nem é pesquisador, só produziu um documentário de divulgação que, por pior que possa ser considerado, é irrelevante para o estado da pesquisa climatológica, assim como é irrelevante o pior dos documentários sobre evolução que venha a passar no Discovery Channel, seja produzido pelo Biden ou pelo Rumsfeld.

Offline Zeichner

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.123
  • Sexo: Masculino
  • Somos feitos da mesma substância dos sonhos. - Wi
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #15 Online: 01 de Junho de 2009, 13:14:02 »
Desculpe ter ofendido seu ídolo querido e adorado. Prometo não falar mais mal do bosta do Al Gore, O merda que conseguiu perder pro incompetente do Bush.  :babao: :babao:

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.844
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #16 Online: 01 de Junho de 2009, 13:34:14 »
 ::) pois é, sou fãzaço do Gore, que é um bundão, etc, etc, e o assunto original que se dane, vamos só nos focar no Gore e sair de fininho do assunto...



Então... Gore... tem programa para depois que sair daqui? Que tal a gente ir para o meu jatinho...


...jatinho nada, vamos lá atrás mesmo...

Offline Zeichner

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.123
  • Sexo: Masculino
  • Somos feitos da mesma substância dos sonhos. - Wi
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #17 Online: 01 de Junho de 2009, 13:35:15 »
hahahaha bunitinho os dois.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.684
  • Sexo: Masculino
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #18 Online: 01 de Junho de 2009, 17:18:11 »
Achei esta reportagem publicada originalmente  na Super Interessante :


"O AQUECIMENTO TAMBÉM TEM CAUSAS NATURAIS", segundo Henrik Svensmark

Segundo o pai da cosmoclimatologia, Henrik Svensmark as causas do aquecimento global não provem na globalidade das mãos do ser humano, mas também são provenientes da actividade solar e radiação cósmica, problema politico tanto para os governos como para a comunidade cientifica.

Este fisico começou a investigar por si, recordando o fascinio juvenil que tinha pelas nuvens nunca chegando a pensar que iria resolver o puzzle da sua formação, mas segundo este o sol é uma das causas do aquecimento global, isto porque investigou a correlação entre actividade solar nos ultimos tempos e as temperaturas na terra, mas como nunca ninguem pensou o que poderia estar por detras disto veio-lhe á ideia que estivesse relacionada com os raios cosmicos, que poderiam alterar quimicamente as camadas superiores a atmosfera e por sua vez acontecia atraves das nuvens, foi o ponto de partida. Começou obter dados satélites e por sua surpresa parcia haver relação entre alterações nos raios cosmicos e variação nas nuvens, obtendo em 1996 uma impressionante correlação que abragia um periodo de 7 anos.

No entanto o sol é um mecanismo que esta associado a mudanças climáticas da terra, este faz aumentar ou diminuir a nublusidade, que tem efeito sobre o arrefecimento e aquecimento a superficie terrestre, os agentes são os raios cosmicos que provem do meio interstrelar, sobretudo das explosões das supernovas, ou seja as particulas cósmicas entram na heliosfera ( espaço dominado pelo estrela) atraves do vento solar. Se este estiver muito activo não permite que os raios cosmicos alcacem a terra o que significa que o planeta fica com poucas nuvens e assim mais quente, por outro lado se não for muito activo, chegaram raios cosmicos a superficie terrestre, levara á existência mais nuvens, que refleteram para o espaço a luz do sol e assim o planeta permanecera frio.

Para estudar este acontecimento durante cinco a seis anos desenvolveu experiencias em Copenhaga a que chamou SKY, que significa nuvem em dinamarquês, onde os raios cosmicos naturais chegavam atraves do tecto e algumas lâmpadas de luz ultravioleta desempenhando o papel do sol,associando esta experiência a camada atmosferica terrestre, a fim de ter ar limpo como o do pacifico. Ao faze - lo e alterando apenas a ionização (carga electrica, verifica - se que se produziam nuvens,concluindo que a ionização na atmósfera modifica a nebluosidade e atraves disso a quantidade de calor para a alcançar a terra, trata - se de um mecanismo muito eficaz que altera quase sem investimento de energia a temperatura global.

Logo o sua teoria perante as causas do aquecimento global, diz - nos que o sol influência a situação da terra no passado, a mudar o clima no presente e faze - lo no futuro.Outro dos problemas da actualidade e o degelo onde constituimos agora uma pequena parte de todo o gelo que hà 300 anos verificavamos na chamada idade do gelo, epoca que coincidiu com um periodo de baixa incição solar, sendo assim possivel existir um factor humano nas alterações climaticas. Por sua vez Henrik diz que Co2 exerce impacto no aquecimento da terra, mas pode ser inferior ao que afirmam.

Assim a cosmoclimatologia sendo uma ideia que os processos no Espaço e da Terra estão ligados , a maior parte da investigação foi desenvolvida ultimos 10 anos e abrange a fisica solar , a quimica, a geologia e a meteorologia, ligacões que combinam uma grande variedade disciplinas e abrangem tantas prespectivas de investigação. Tal como esta que começou com uma simples ideia mas parece estar continuamente a expandir - se o que é mais importante. Nunca Henrik imaginava encontrar uma relação entre os raios cosmicos e a evolução da vida na Terra, nunca pensou que uma coisa a tão grande estive - se ligada de uma forma bela


in "Super Interessante" - Alterações Climáticas. Ajude a arrefecer a Terra!


http://e_meteo.blogs.sapo.pt/2430.html



E também esta reportagem de 2007 :


Aquecimento global em rediscussão no Brasil
10 July, 2007 12:00:00 editoria

Assim como vem ocorrendo em outros países, aos poucos, o alegado "consenso científico" sobre o aquecimento global antropogênico vem sendo objeto de um questionamento cada vez mais visível no Brasil, inclusive entre órgãos públicos e universidades, nos quais o enfoque "aquecimentista" costuma ser dominante. Membros do Movimento de Solidariedade Ibero-americana (MSIa) participaram de três eventos recentes, que sinalizam essa tendência.

Em 27 de junho, promovido pela Agência Nacional de Águas (ANA), realizou-se em Brasília o seminário "Recursos Hídricos no Contexto das Mudanças Climáticas". O evento, que contou em sua abertura com a presença da ministra do Meio Ambiente Marina Silva, foi desenvolvido em três mesas-redondas: questão científica, políticas públicas e o papel da comunicação social. O aspecto mais marcante do seminário foi o contraditório. Diferentemente do que vem ocorrendo de forma avassaladora na mídia em geral e em eventos similares, a versão "oficial" do aquecimento global como sendo resultante da ação humana foi contestada com competência e argumentos que causaram impacto em uma platéia visivelmente atenta e, até certo ponto, surpreendida.

Por isso mesmo, o ponto alto do seminário foi o painel científico, com as presenças de dois dos principais paladinos do aquecimento antropogênico no País, Carlos Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e Pedro Dias da Silva (Universidade de São Paulo), ambos integrantes do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), e Luiz Carlos Molion, um dos decanos da Climatologia no Brasil, aposentado do INPE e atualmente professor da Universidade Federal de Alagoas.

Previsivelmente, os dois primeiros apresentaram as conclusões do quarto relatório do IPCC, não deixando margem a dúvidas sobre a causa antropogênica do aquecimento global, bem como as suas catastróficas conseqüências para a Humanidade, caso não sejam adotados draconianos cortes no consumo de combustíveis fósseis nas próximas décadas.

Por sua vez, Molion, que é um dos mais antigos e severos críticos do catastrofismo climático, no Brasil e no exterior, contestou não apenas as conclusões do relatório, mas a metodologia empregada na sua elaboração, fundamentada em modelos matemáticos que estão muito longe de representar as complexas e interconectadas variáveis reais que condicionam as mudanças climáticas. Igualmente, ele ressaltou que o IPCC é uma entidade formada por cientistas, mas é também "intergovernamental", o que implica em fortes ingerências políticas na sua dinâmica de trabalho e conclusões. A última transparência de sua apresentação trazia o sugestivo título: "Conspiração?" (Um elucidativo artigo do Dr. Molion sobre o tema se encontra no sítio Alerta em Rede.)

Nosso colega Nilder Costa, editor do Alerta Científico e Ambiental, participou da mesa-redonda sobre comunicação social, na companhia do ex-deputado "verde" Fabio Feldmann, atual secretário-executivo do Fórum Paulista de Mudanças Climáticas, o gerente do WWF Brasil, Samuel Barreto, e a gerente de Conteúdo do Canal Futura, Deborah Garcia. Na oportunidade, ele ressaltou que o tema do seminário unia os dois temas mais emblemáticos das distorções que envolvem a percepção e as discussões dos problemas ambientais - recursos hídricos e aquecimento global. "Um envolve os principais problemas ambientais reais e de saúde pública da maioria dos países em desenvolvimento, como o Brasil, mas não recebe nem a décima parte da atenção e da publicidade do outro, que foi elevado à condição de uma emergência global que, supostamente, justificaria toda sorte de restrições ao desenvolvimento, especialmente quanto aos usos da energia", enfatizou (o texto completo da apresentação encontra-se no sítio do Movimento de Solidariedade Ibero-americana).
No mesmo dia, Geraldo Luís Lino proferiu uma palestra sobre "Mitos e realidade do aquecimento global", na semana acadêmica do Centro de Tecnologia da Universidade Federal de Santa Maria (RS). O evento contou com a participação de quase 300 pessoas, entre estudantes e professores (inclusive um de Climatologia), que proporcionaram duas horas e meia de discussões, entre palestra e debates, com muitas perguntas inteligentes e oportunas, que denotavam atenção e interesse real pelo assunto.

Em 6 de julho, Lino e Lorenzo Carrasco participaram de um seminário interno da Companhia Paranaense de Energia (COPEL) sobre Mudanças Climáticas, no qual discorreram sobre as motivações políticas da campanha "aquecimentista" e as evidências científicas sobre as causas naturais do fenômeno. Na ocasião, a tarefa de ambos foi facilitada pela brilhante exposição anterior do Dr. Francisco Mendonça, professor de Climatologia da Universidade Federal do Paraná, autor de um celebrado livro-texto sobre os climas brasileiros e igualmente crítico do alarmismo ambiental em geral.

Na medida em que a enormidade dos custos socioeconômicos da adoção da agenda "aquecimentista" começa a ser percebida em toda parte, essas e outras discussões do gênero, em vários fóruns do País, proporcionam uma bem-vinda lufada de ar fresco e racionalidade para o encaminhamento de questões cruciais para a retomada de um processo de desenvolvimento compartilhado e realmente sustentável, tanto no Brasil como no resto do mundo.


http://www.msia.org.br/c---t/383.html .



.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.844
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #19 Online: 01 de Junho de 2009, 18:07:43 »
Os argumentos devem estar cobertos nessa lista:

1      It's the sun         7.6%            sun
2      Climate's changed before         6.8%            change
3      There is no consensus         5.9%            consensus
4      It's cooling         5.2%            cooling
5      Models are unreliable         4.6%            model
6      Surface temp is unreliable         4.3%            surface
7      Ice age predicted in the 70s         3.7%            ice70s
8      We're heading into an ice age         3.6%            newice
9      It hasn't warmed since 1998         3.5%            1998
10      Antarctica is cooling/gaining ice         3.2%            antarctica
11      CO2 lags temperature         3.1%            co2lag
12      Al Gore got it wrong         3.1%            gore
13      Global warming is good         3.0%            posneg
14      Hurricanes aren't linked to global warming         2.6%            hurricane
15      It's freaking cold!         2.6%            cold
16      Mars is warming         2.4%            mars
17      1934 - hottest year on record         2.3%            1934
18      It's cosmic rays         2.2%            cosmic
19      Urban Heat Island effect exaggerates warming         2.0%            uhi
20      Sea level rise is exagerated         1.9%            sealevel
21      Arctic icemelt is a natural cycle         1.8%            arctic
22      Greenland was green         1.7%            greenland
23      Other planets are warming         1.7%            planet
24      Hockey stick was debunked         1.6%            hockey
25      Water vapor is the most powerful greenhouse gas         1.6%            vapor
26      Human CO2 is a tiny % of CO2 emissions         1.3%            manc02
27      We're coming out of an ice age         1.3%            oldice
28      It cooled mid-century         1.2%            midcen
29      Oceans are cooling         1.2%            
30      It warmed before 1940 when CO2 was low         1.2%            lowco2
31      Mt. Kilimanjaro's ice loss is due to land use         1.2%            kilimanjaro
32      Glaciers are growing         1.1%            glacier
33      There's no empirical evidence         1.0%            empirical
34      Climate sensitivity is low         1.0%            sensitivity
35      Satellites show no warming in the troposphere         0.9%            troposphere
36      If scientists can't predict weather, how can they predict long term climate?         0.8%            weather
37      Greenland is cooler/gaining ice         0.8%            greenl
38      Neptune is warming         0.7%            neptun
39      Jupiter is warming         0.6%            jupiter
40      It's Pacific Decadal Oscillation         0.5%            
41      It's volcanoes (or lack thereof)         0.4%            volcano
42      It's the ocean         0.4%            ocean
43      Less than half of published scientists endorse global warming         0.4%            schulte
44      CO2 measurements are suspect         0.3%            co2sus
45      It's aerosols         0.3%            aerosols
46      Can animals and plants adapt to global warming?         0.3%            
47      It's methane         0.2%            methane
48      It's Solar Cycle Length         0.2%            scl
49      Naomi Oreskes' study on consensus was flawed         0.1%            oreskes
50      Solar cycles cause global warming         0.1%            solarcycle
51      Water levels correlate with sunspots         0.1%            water
52      The sun is getting hotter         0.1%            hotsun
53      It's satellite microwave transmissions         0.0%            
54      It's the ozone layer




http://www.skepticalscience.com/argument.php


No link tem explicações bem resumidas, como:

Citar
It's cosmic rays

The skeptic argument...


When solar activity is high, galactic cosmic rays are reduced due to increased magnetic shielding by the Sun. Cosmic rays may influence Earth's climate through formation of low lying clouds.

They ionize the atmosphere and an experiment found production of aerosols depends on the amount of ionization. As aerosols are precursors for formation of cloud droplets, this indicates cosmic rays may influence cloud formation. (Source: Danish National Space Center).

What the science says...

While the link between cosmic rays and cloud cover is yet to be confirmed, more importantly, there has been no correlation between cosmic rays and global temperatures over the last 30 years of global warming.

[...]

Que é só a introdução, depois tem uma explicação um pouco mais detalhada e referenciada.

Ainda há também o www.realclimate.org, um blog de climatologistas dedicados a essa questão toda, os posts lá são bem mais técnicos.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.844
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #20 Online: 14 de Junho de 2009, 22:32:16 »


Enfim, esse terrorismo ambiental, o catastofrismo apocaliptico do aquecimento global faz muito mal à ciência, porque se perde o foco objetivo científico e passa a ter uso político, como o Al Goro está fazendo com o IPCC, altamente contestado. Isso faz muito mais mal do que bem.


Concordo contigo. Acontece que nós estamos do lado do "politicamente incorreto" ao questionar o aquecimento global. Mas, dane-se o "politicamente correto"!!! Não posso defender algo que não acredito.

Por exemplo: fazem propaganda para que nós usemos a água de forma racinável. Dizem que essa fonte está se esgotando. Ora, aqui na minha cidade (João Pessoa) chove torrencialmente há dias sem parar. É água pra dedeu. Toda essa água está descendo pelos esgotos. Por que não temos uma estrutura para captar essa água? A cidade está inundada. Nossas casas poderiam captar essa água para ser usada.

Daqui há um ano, quando a seca castigar... os discursos serão os mesmos... temos que racionar água... blá, blá, blá...

Meio non-sequitur... de aquecimento global, para economia de água... essas coisas são apenas infimamente relacionadas.

Você está ciente de que o índice pluviométrico de todas as cidades não é igual a esse, e de que o tratamento de água para consumo envolve custos, certo?

Offline Hugo

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.915
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #21 Online: 15 de Junho de 2009, 10:47:34 »


Enfim, esse terrorismo ambiental, o catastofrismo apocaliptico do aquecimento global faz muito mal à ciência, porque se perde o foco objetivo científico e passa a ter uso político, como o Al Goro está fazendo com o IPCC, altamente contestado. Isso faz muito mais mal do que bem.


Concordo contigo. Acontece que nós estamos do lado do "politicamente incorreto" ao questionar o aquecimento global. Mas, dane-se o "politicamente correto"!!! Não posso defender algo que não acredito.

Por exemplo: fazem propaganda para que nós usemos a água de forma racinável. Dizem que essa fonte está se esgotando. Ora, aqui na minha cidade (João Pessoa) chove torrencialmente há dias sem parar. É água pra dedeu. Toda essa água está descendo pelos esgotos. Por que não temos uma estrutura para captar essa água? A cidade está inundada. Nossas casas poderiam captar essa água para ser usada.

Daqui há um ano, quando a seca castigar... os discursos serão os mesmos... temos que racionar água... blá, blá, blá...

Meio non-sequitur... de aquecimento global, para economia de água... essas coisas são apenas infimamente relacionadas.

Você está ciente de que o índice pluviométrico de todas as cidades não é igual a esse, e de que o tratamento de água para consumo envolve custos, certo?

Com relação ao custo, tudo bem. Mas a quantidade de agua no planeta não diminuiu e nem aumentou.

Alias Buckaroo, quando se fala de aquecimento global, uma das consequencias é o degelo das camadas polares. Isso ocorrendo, o nível do mar subiria, isto é, a quantidade de agua utilizável aumentaria.

Quer dizer, o aquecimento global favoreceria um aumento de agua untilizável no planeta. Estou entendendo que a agua congelada nos polos não se movimenta na terra de forma constante.

 "
Citar
Meio non-sequitur... de aquecimento global, para economia de água... essas coisas são apenas infimamente relacionadas"

Se são infimamente relacionadas, juro não tenho certeza. Mas que os ecologistas relacionam, isso sim.
"O medo de coisas invisíveis é a semente natural daquilo que todo mundo, em seu íntimo, chama de religião". (Thomas Hobbes, Leviatã)

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.844
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re: Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #22 Online: 16 de Junho de 2009, 16:11:18 »


Enfim, esse terrorismo ambiental, o catastofrismo apocaliptico do aquecimento global faz muito mal à ciência, porque se perde o foco objetivo científico e passa a ter uso político, como o Al Goro está fazendo com o IPCC, altamente contestado. Isso faz muito mais mal do que bem.


Concordo contigo. Acontece que nós estamos do lado do "politicamente incorreto" ao questionar o aquecimento global. Mas, dane-se o "politicamente correto"!!! Não posso defender algo que não acredito.

Por exemplo: fazem propaganda para que nós usemos a água de forma racinável. Dizem que essa fonte está se esgotando. Ora, aqui na minha cidade (João Pessoa) chove torrencialmente há dias sem parar. É água pra dedeu. Toda essa água está descendo pelos esgotos. Por que não temos uma estrutura para captar essa água? A cidade está inundada. Nossas casas poderiam captar essa água para ser usada.

Daqui há um ano, quando a seca castigar... os discursos serão os mesmos... temos que racionar água... blá, blá, blá...

Meio non-sequitur... de aquecimento global, para economia de água... essas coisas são apenas infimamente relacionadas.

Você está ciente de que o índice pluviométrico de todas as cidades não é igual a esse, e de que o tratamento de água para consumo envolve custos, certo?

Com relação ao custo, tudo bem. Mas a quantidade de agua no planeta não diminuiu e nem aumentou.

Estou quase certo que ninguem ve seriamente como problema a quantidade absoluta de agua no planeta, e sim a disponibilidade de agua potavel.


Citar
Alias Buckaroo, quando se fala de aquecimento global, uma das consequencias é o degelo das camadas polares. Isso ocorrendo, o nível do mar subiria, isto é, a quantidade de agua utilizável aumentaria.

O principal motor da subida do nivel das aguas eh expansao termica mesmo. Independentemente disso, a agua do mar, mesmo se misturada a agua doce dos icebergs, nao eh potavel e esse acrescimo de volume a principio nao tem consequencia alguma para a disponibilidade de agua potavel.

Consequencias mais indiretas desse aumento do nivel do mar, e do aquecimento global de modo geral, podem ateh ter, e ser tanto positivas ou negativas, imagino (nao lembro de ter lido ainda sobre esse aspecto). O principal efeito mais relacionado sao mudancas de distribuicao nos padroes das chuvas. Locais que hoje dependem de chuvas recorrentes podem nao ter mais, precisando de toda uma outra estrutura, e locais acustumados a nao ter chuvas, podem vir a ter.

Isso nao sera significativamente adiado ou evitado com a economia de agua, a menos no que isso puder reduzir o ritmo do aquecimento global, o que nao deve ser muito significativo. Duvido que tenha alguem que proponha uma relacao mais significativa entre as coisas. Se houver, sao soh esses bobocas que nao sao cientistas nem cientificamente informados, apesar de gostar de posar como se fossem. Meio como a ambientalista que lancou a hipotese do buraco negro para explicar o sumico do aviao no mar.


Citar
Quer dizer, o aquecimento global favoreceria um aumento de agua untilizável no planeta. Estou entendendo que a agua congelada nos polos não se movimenta na terra de forma constante.

 "
Citar
Meio non-sequitur... de aquecimento global, para economia de água... essas coisas são apenas infimamente relacionadas"

Se são infimamente relacionadas, juro não tenho certeza. Mas que os ecologistas relacionam, isso sim.

Como disse, pessoas que se auto-rotulam ecologistas, nao cientistas, a nao ser talvez por um ou outro excentrico que pode receber atencao desproporcional dos jornais, como criacionistas, negacionistas do aquecimento global, dos males do cigarro, do HIV como causa da AIDS, etc.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.684
  • Sexo: Masculino
Re:Há certeza no meio científico sobre a causa do aquecimento global?
« Resposta #23 Online: 05 de Fevereiro de 2018, 13:50:36 »


'Nunca existiu aquecimento global antropogênico'' 

Entrevista especial com Luiz Carlos Molion


 14 Fevereiro 2013 

"O Nordeste brasileiro é uma região semiárida por natureza. Anos chuvosos são exceção e não regra. Não há que se “combater” a aridez como vem sendo tentado há 500 anos. O que deve ser feito é encontrar soluções que se adaptem à região. Não é preciso reinventar a roda", afirma o físico.


Luiz Carlos Molion é um cientista polêmico e diz que o aquecimento global antropogênico nunca existiu e que, por trás deste discurso, há um interesse econômico dos países desenvolvidos. “Nunca existiu aquecimento global antropogênico (AGA). O AGA é uma farsa e, por detrás dele, só existem interesses econômicos dos países desenvolvidos. O CO2 não controla o clima global. O CO2 não é vilão, não é tóxico ou poluente. O CO2 é o gás da vida. Quanto mais CO2 tiver no ar, maior será a produtividade das plantas. E o homem depende das plantas para sobreviver”, considera.


Em entrevista por e-mail à IHU On-Line, o professor falou sobre a previsão de estiagem para os próximos anos no Nordeste brasileiro relacionada a mudanças climáticas no oceano Pacífico e, também, sobre projeções climáticas para o semiárido da região.


Formado em física, Luiz Carlos Molion possui PhD em Meteorologia pela University of Wisconsin, pós-doutorado em Hidrologia de Florestas pelo Institute of Hydrology da Wallingford e é fellow do Wissenschftskolleg zu Berlin. Pesquisador Sênior aposentado do INPE/MCT, também atua como professor associado da Universidade Federal de Alagoas, professor visitante da Western Michigan University e professor de pós graduação da Universidade de Évora, Portugal.


Confira a entrevista.


IHU On Line- Segundo suas pesquisas, a região do Nordeste incluída no ecossistema do semiárido terá mais nove anos de estiagem, com chuvas abaixo da média. Quais as evidências que remetem a essa projeção?


Luiz Carlos Molion - Eu não afirmei que o Nordeste do Brasil terá mais nove anos de estiagem. Eu disse que existe probabilidade de os Estados da costa leste do Nordeste terem chuvas um pouco abaixo da média (10% a 20%) de longo prazo durante os próximos nove a dez anos. Essa conclusão foi resultante da análise de 60 anos de dados observados de chuva e está baseada na variação da temperatura da superfície do Oceano Pacífico.


IHU On Line- Que relações o senhor estabelece entre as mudanças climáticas no oceano Pacífico e as mudanças climáticas na região Norte e Nordeste?


Luiz Carlos Molion - O clima do Nordeste responde muito bem às mudanças de temperatura da superfície do oceano Pacífico tanto na escala interanual como na escala decadal. Na escala interanual (de dois a quatro anos), é o fenômeno El Niño que, em geral, produz secas no Nordeste e excesso de chuvas no Sul/Sudeste. Na escala decadal, as temperaturas das superfícies dos oceanos ficam mais aquecidas durante 25 a 30 anos e, em seguida, se resfriam durante outros 25 a 30 anos, um ciclo total de 50 a 60 anos. Quando o Pacífico se resfriou, entre 1946 e 1976, as chuvas se reduziram no Nordeste e os Estados da costa leste tiveram chuvas abaixo da média de longo prazo durante praticamente 11 anos consecutivos. Como o Pacífico está se resfriando atualmente, por analogia, eu sugeri que devemos nos prevenir e nos preparar para o pior cenário que foi o da década de 1950. Mas, pode não acontecer, porque o clima é muito variável e complexo.


IHU On Line - Atualmente, com os períodos de estiagem acentuados, já há muitas críticas à falta de investimento no semiárido brasileiro. O que é possível vislumbrar para a região em termos climáticos diante desta projeção de chuvas abaixo da média?


Luiz Carlos Molion - O Nordeste brasileiro é uma região semiárida por natureza. Anos chuvosos são exceção e não regra. Não há que se “combater” a aridez como vem sendo tentado há 500 anos. O que deve ser feito é encontrar soluções que se adaptem à região. Não é preciso reinventar a roda. Por exemplo, na Califórnia (EUA), chove apenas 200 mm/ano e é o maior pomar do mundo. Petrolina está no Nordeste e é um polo de produção de frutas, irrigado. Não se ouve falar de seca em Petrolina. Ao contrário, uma área próspera e muito rica. Então, por que não estender essa solução para o restante do Nordeste?


IHU On Line- Diante desta previsão de estiagem, que alternativas vislumbra para os sertanejos?


Luiz Carlos Molion - O balanço hídrico do Nordeste brasileiro é deficitário. Chove pouco e a demanda evaporativa da atmosfera é alta. A única solução é levar, aduzir água para a região. A Califórnia teve um problema sério de secas entre 1895 e 1904. Tomaram a decisão e, em 1908, o rio Colorado já tinha sido desviado para dentro do Estado e, aos poucos, construíram mais de 14 mil quilômetros de canais de irrigação. Isso fez da Califórnia, o Estado de maior renda per capita dos EUA. A primeira vez que se falou sobre levar água do rio São Francisco foi em 1847, há 165 anos. E até hoje não resolveram o problema. Não existem soluções paliativas, tem que haver soluções definitivas e estruturais. Se não se aduzir água para a região, não há como resolver o problema. E uma redução do total de chuva, ou mesmo uma mudança em seu regime mensal, pode provocar grandes impactos sociais, pois a população é muito maior hoje que há 70 anos.


IHU On Line- De acordo com sua pesquisa, percebe-se uma variabilidade climática de tempos em tempos. Como o senhor vê, a partir disso, as discussões em torno das mudanças climáticas e do aquecimento global? Esses fenômenos de fato estão mais intensos por causa da ação humana? Há algo que se possa fazer para reverter esse processo?


Luiz Carlos Molion - Houve um aquecimento natural entre 1976 e 1998, devido ao aquecimento do Pacífico e frequência maior de eventos El Niño que, normalmente, aumentam a temperatura global. Mas, esse aquecimento terminou em 1998 e estamos nos dirigindo inexoravelmente para um novo, ligeiro, resfriamento global. Nunca existiu aquecimento global antropogênico (AGA). O AGA é uma farsa e, por detrás dele, só existem interesses econômicos dos países desenvolvidos. O CO2 não controla o clima global. O CO2 não é vilão, não é tóxico ou poluente. O CO2 é o gás da vida. Quanto mais CO2 tiver no ar, maior será a produtividade das plantas. E o homem depende das plantas para sobreviver. O homem sente que o clima está mais quente, porque, no Brasil, por exemplo, 85% da população vivem nas grandes cidades. E o microclima urbano tem temperaturas 5 a 6 graus mais elevados que o clima rural. O homem tem capacidade de mudar seu microclima, por exemplo, quando substitui uma floresta nativa por uma selva de pedras. Mas, o homem só manipula 7% da superfície terrestre. Portanto, não pode interferir no clima global. Ou seja, a variabilidade do clima global é natural. Não há crise climática e não há nada para fazer, a menos deixar de jogar dinheiro fora tentando reduzir emissões de CO2. Esse dinheiro poderia ser mais bem utilizado, diminuindo a pobreza e a miséria existente no mundo, reduzindo as diferenças sociais existentes.


IHU On Line - O senhor diz que ao invés de um aquecimento global antropogênico (AGA), como o previsto pelo IPCC, haverá um resfriamento global. Quais as razões e por que se fala tanto em aquecimento global?


Luiz Carlos Molion - O Oceano Pacífico cobre 35% da superfície terrestre. A atmosfera (clima) é aquecida por baixo, em contato com a superfície. Quando o Pacífico se resfria, o clima global se resfria como aconteceu entre 1946 e 1976. O Pacífico já se aqueceu entre 1976 e 1998, agora está se resfriando. Portanto, vamos para um resfriamento global e não aquecimento. O AGA é uma farsa e seu objetivo é reduzir as emissões de CO2, lembram-se, o gás da vida. Como 80% da matriz energética global depende do petróleo, gás natural e carvão mineral (combustíveis fósseis), reduzir as emissões de CO2, produto da queima dos combustíveis fósseis, significa gerar menos energia elétrica, a mola propulsora do desenvolvimento mundial. Menos energia, menor desenvolvimento, o que condenaria os países pobres à pobreza eterna e os ricos continuariam ainda mais ricos, explorando os pobres. Daí, se fala muito no AGA, principalmente com uma imprensa tendenciosa e conivente.


IHU On Line - Quais os efeitos possíveis do resfriamento global, que o senhor menciona?


Luiz Carlos Molion - Um resfriamento global é ruim para todos. A História está cheia de exemplos, em que a Humanidade sempre prosperou com clima quente e regrediu, e civilizações até desapareceram, com clima frio. De maneira geral, esse novo ligeiro resfriamento entre 1999 e 2030 provocará uma pequena redução de chuvas na Amazônia e no Nordeste brasileiro. Nas regiões Sul e Sudeste, os invernos serão mais frios, com uma frequência maior de geadas severas, semelhantes as que ocorreram entre 1946 e 1976. Tais geadas poderão ocorrer fora de época, antecipadas (abril/maio) ou tardias (outubro/novembro). A frequência de veranicos entre janeiro-fevereiro também deve aumentar. Ambos, geadas e veranicos, contribuíram para redução de safras agrícolas no Sul/Sudeste.


IHU On Line - A partir das suas constatações, como avalia as Conferências do Clima da ONU?


Luiz Carlos Molion - Infelizmente, como a ONU insiste no AGA, digo que tais Conferências das Partes (COP) são perda de tempo e de dinheiro. Não trouxeram nada de relevante até hoje como a Rio+20. E o último exemplo, em dezembro em Doha, Qatar, mostrou bem o que produziram as anteriores. Mas, são de grande interesse dos “executivos negociadores” que são muito bem pagos, com os impostos que os cidadãos recolhem.


IHU On Line- Deseja acrescentar algo?


Luiz Carlos Molion - Há muita gente contra a erroneamente chamada “Transposição do São Francisco”. O Lago de Sobradinho tem uma superfície de 4.214 quilômetros quadrados em sua cota normal de operação. Esse lago, inserido no semiárido, perde cerca de 400 cúbicos por segundo, isso mesmo, 400 mil litros por segundo, por evaporação. Para se ter uma ideia do que isso representa, o mencionado rio Colorado (EUA), que transformou o deserto da Califórnia no maior pomar do mundo,  tem uma vazão média de 520 metros cúbicos por segundo. Ou seja, o lago de Sobradinho perde um rio Colorado inteiro por evaporação para a atmosfera. Bastaria reduzir de 4 metros de altura das comportas de Sobradinho para a área do lago encolher um terço e diminuir a perda de água por evaporação em 120 metros cúbicos por segundo, que poderiam ser “transpostos” para o Nordeste brasileiro, dando, assim, uma solução definitiva ao problema secular. O lago poderia ter um “reforço” com a transposição do rio Tocantins, em Barra (BA), à montante de Sobradinho. O Tocantins funcionaria como uma “torneira” para quando o São Francisco precisasse de água, em caso de seca nas serras de Minas Gerais. Soluções existem para o problema. Mas, será que existe interesse em resolvê-lo, ou é melhor manter o povo na ignorância e na pobreza para ser mais facilmente manipulado?


http://www.ihu.unisinos.br/entrevistas/517470-nunca-existiu-aquecimento-global-antropogenico-entrevista-luiz-carlos-molion






 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!