Autor Tópico: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia  (Lida 4800 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline La Liberté

  • Nível 04
  • *
  • Mensagens: 43
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #25 Online: 21 de Agosto de 2010, 12:04:28 »
Vou manerar, mas é impressionante como o Geotecton mudou radicalmente o discurso com as tais "alfinetadas"...

Eu acho que o tópico sugere críticas ao OdC mas, antes de qualquer coisa, deve ser dado a devida atenção ao FOCO do estudo do cidadão, e não picuinhas sobre suas posições políticas e caprichos ideológicos.

Espero que não seja mais necessário anfinetar o ego de ninguém para que os debates sejam conduzidos a um clima maior coerência.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.767
  • Sexo: Masculino
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #26 Online: 21 de Agosto de 2010, 12:46:53 »
Eu to acostumado a ver ateus e céticos somente fazendo chacotas a respeito do OdC e é raro algum elemento neste grupo levar qualquer coisa dele à sério, exceto o fato dele ser católico, extrema direita, defensor da astrologia e ser anti-ateu.

Me admira, Geotecton, você apresentar agora uma faceta aparentemente mais coerente a respeito do trabalho de OdC, coisa que vemos muito poucos por aqui fazerem.

Mas baseando-me em seus posts anteriores fica difícil acreditar na sua coerência... Não é mais fácil tentar ser coerente desde sempre? Por que fazes como os outros de só mencionar o lado incoerente de OdC, ignorando o FOCO de seu estudo? Que bom que as minhas alfinetadas incentivaram a expressão do seu lado mais coerente de julgar as coisas.

E eu dei as alfinetadas de propósito, porque eu sei que to representando uma posição inusitada, neste fórum aonde as pessoas focalizam-se tanto em atacar picuinhas de um grande estudioso e filósofo quanto o OdC é.

Vou manerar, mas é impressionante como o Geotecton mudou radicalmente o discurso com as tais "alfinetadas"...

Eu acho que o tópico sugere críticas ao OdC mas, antes de qualquer coisa, deve ser dado a devida atenção ao FOCO do estudo do cidadão, e não picuinhas sobre suas posições políticas e caprichos ideológicos.

Espero que não seja mais necessário anfinetar o ego de ninguém para que os debates sejam conduzidos a um clima maior coerência.

Caro La Liberté

Por favor leia todas as postagens do tópico, desde o início e que foram dirigidas ao Buckaroo, e voce poderá constatar que eu não "mudei o discurso". Continuo afirmando que, do pouco que conheço da obra de OdC, fica nítido que a especialidade dele não é ciência e sim filosofia política e social, no qual é um expoente da direita católica. Em momento algum eu fiz ataque "ad hominen" ao senhor OdC.

No entanto, concordo com voce que eu deveria ter sido mais incisivo apenas quanto à proposição do tópico, qual seja, a discussão das posições sobre política e economia de OdC. Em minha defesa quero apenas ressaltar que, ao meu ver, estas posições são influenciadas pela formação religiosa e filosófica dele, e por isto achei importante contextualizá-las, visto que tem muito ateus e crentes que nada conhecem sobre OdC.

Por fim, caro La Liberté, eu quero lhe dizer que se a sua argumentação demonstrar que eu fui parcial ou até mesmo ignorante sobre parte ou sobre o todo do tema em questão, posso lhe garantir que isto não afetará a qualidade do nosso colóquio, pois tenho dignidade suficiente para reconhecer erros.

Mas se a sua linha-mestra de análise e crítica deste que vos escreve, continuar sendo a de fazer ataques gratuitos, situação inusitada para mim em 5 meses de fórum, eu certamente não participarei do debate.
Foto USGS

Offline La Liberté

  • Nível 04
  • *
  • Mensagens: 43
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #27 Online: 21 de Agosto de 2010, 12:48:46 »
Bom, devo agradecer ao Buckaroo Banzai pelo tópico criado, além de uma boa introdução dado ao mesmo.

Pessoal deste fórum odeia filtrar informações, isso é fato, não analisa contextos e se prendem em detalhes de pouca importância apenas porque estes detalhes lhes dizem respeito.

Eu já cheguei a odiar muito os posicionamentos extrema-direita-católica-conservador-anti-ateu-anti-evolucionista-pro-astrologia do nosso "querido" OdC, mas realmente fui incapaz de ignorar o ALVO principal do FOCO de suas análises, de todo seu trabalho.

Eu tive sim que experimentar um pouco do que aqui chamam de "subverter", porque eu me vi obrigado a pensar em 3 hipóteses:
1) Ou OdC é apenas um louco lunático, ignorante;
2) Ou é um charlatão de primeira;
3) Ou é um grande estudioso que não abandona suas raízes e apresenta um comportamento agressivo por estar decepcionado por não conseguir ser ouvido.

O ítem 1 foi a primeira impressão que tive...

Atualmente estou mais para o 3, mas volte e meia desconfio poder se tratar também do ítem 2.


Mas, vou justificar meu predomínio no ítem 3.

Primeiro, há mais de 15 anos OdC estuda o movimento revolucionário e "ele já foi de esquerda". Sabemos que a luta "contra a ditadura", na verdade, foi mais uma luta "pró-comunista"! E essa luta "pró-comunista" era financiada por Rússia e Cuba, sendo que ofereciam até treinamentos fora do Brasil. Muitos dos motivos para a ocorrência do golpe militar de 64 está relacionado aos interesses do exército e dos EUA em impedir a implantação do comunismo no Brasil. Ou seja, a mídia idolatra excessivamente a "luta contra a ditadura" mas se esquecem de mencionar que na verdade era uma luta "pró-comunista". Hoje, José Serra, Dilma, Lula, FHC e cia se dizem "socialistas", mas estiveram no lado comunista anteriormente para derrubar a ditadura. Não duvido que a maioria destes ainda sejam, de fato, comunistas. Será que se juntaram ao comunismo apenas para derrubar a ditadura? Ou será que eram realmente e/ou ainda são comunistas?

OdC esteve presente nesta época e o mesmo gosta de fazer mistério e não diz se participou ativamente da luta. Só sabemos que ele militou no Partido Comunista até 68.

Há muita coisa que não lembro, mas analisando o conjunto das principais idéias defendidas por OdC, fica difícil ignorar a sua aparente "irrefutabilidade" no que diz respeito à política mundial, principalmente no foco das críticas à esquerda latino americana. Todos sabemos que a esquerda não é santa! Porém, a maioria nem sonha o quanto a esquerda foi e é diabólica, tanto ou mais do que a extrema direita. Hoje é lindo ser "de esquerda", vestir camisetas de Che Guevara, embora a mídia ainda não dê muito crédito a elementos como Fidel Castro e Hugo Chavez. No entanto, é inegável que o PT não repudia esses governos e até os apóia.

É preciso ter inteligência para compreender os argumentos de OdC sobre essa "máfia esquerdista". Se todos tem inteligência para entender a "Máfia direitista", composta por ligações da ICAR + exércitos + política + comércio, por que é tão difícil enxergar a conexão PT + FARC + MST + "esquerda latino americana" + "grande mídia unânime cada vez mais esquerdista"? É difícil porque a máfia esquerdista, por evolução, deseja ser melhor do que a já desmascarada "máfia direitista"... E também porque fomos doutrinados a pensar como esquerdistas.

Não acredito em tudo que OdC fala, mas como eu já mencionei, é difícil ignorar sua irrefutabilidade quando ele acerta muitas de suas previsões.

Vemos a ICAR cada vez mais fraca, Israel (que não é santo) se enfraquecendo na política mundial, a esquerda tomando conta da América Latina, a direita praticamente sendo extinguida etc. Olavo já previa isso, contrariando muitos analistas, jornalistas, filósofos de sua época.

E o que mais dá crédito ao foco do estudo dele é que ele realmente não precisa entender p¨&(* nenhuma de ciência e evolução, como querem os céticos e ateus. É tipo uma birra de ateus como se estivessem dizendo: "Só levamos a sério seu trabalho se você gostar da gente Olavo!!!"

Offline La Liberté

  • Nível 04
  • *
  • Mensagens: 43
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #28 Online: 21 de Agosto de 2010, 12:56:31 »
Caro La Liberté

Por favor leia todas as postagens do tópico, desde o início e que foram dirigidas ao Buckaroo, e voce poderá constatar que eu não "mudei o discurso". Continuo afirmando que, do pouco que conheço da obra de OdC, fica nítido que a especialidade dele não é ciência e sim filosofia política e social, no qual é um expoente da direita católica. Em momento algum eu fiz ataque "ad hominen" ao senhor OdC.
Claro que mudou de discurso, agora até admite importância do OdC e parou de concentrar em picuinhas do fato dele ser "extrema-direita-católica-conservador-anti-ateu-anti-evolucionista-pro-astrologia".

No entanto, concordo com voce que eu deveria ter sido mais incisivo apenas quanto à proposição do tópico, qual seja, a discussão das posições sobre política e economia de OdC. Em minha defesa quero apenas ressaltar que, ao meu ver, estas posições são influenciadas pela formação religiosa e filosófica dele, e por isto achei importante contextualizá-las, visto que tem muito ateus e crentes que nada conhecem sobre OdC.
Esse é um erro bastante grave no meu entender, que é não se ater ao objetivo do tópico, mas sim ficar se apegando a picuinhas. E o que piora o quadro é que você apenas fez o que quase todos neste fórum já fez, que é criticar os caprichos do OdC ao invés de dar qualquer ênfase ao foco do trabalho dele.

Por fim, caro La Liberté, eu quero lhe dizer que se a sua argumentação demonstrar que eu fui parcial ou até mesmo ignorante sobre parte ou sobre o todo do tema em questão, posso lhe garantir que isto não afetará a qualidade do nosso colóquio, pois tenho dignidade suficiente para reconhecer erros.

Mas se a sua linha-mestra de análise e crítica deste que vos escreve, continuar sendo a de fazer ataques gratuitos, situação inusitada para mim em 5 meses de fórum, eu certamente não participarei do debate.
Não fiz ataques gratuitos... Fiz colocações enfáticas, pró-ativas e "expressivas além da conta", talvez. Mas você não iria mudar seu discurso se seu ego não fosse alfinetado.

Alguém aqui neste fórum precisa questinar os padrões, não é verdade?

Admiro o Buckaroo Banzai por fazer isso, embora eu ache o tom dele muito ameno... Não sei como fazer as pessoas enxergarem as coisas... Conversando "bonitinho" não funciona, mas "esculaxando" também não. Vou tentar me posicionar no meio-termo.

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.360
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #29 Online: 21 de Agosto de 2010, 18:40:11 »


Citar
Admiro o Buckaroo Banzai por fazer isso, embora eu ache o tom dele muito ameno... Não sei como fazer as pessoas enxergarem as coisas... Conversando "bonitinho" não funciona, mas "esculaxando" também não. Vou tentar me posicionar no meio-termo.

Se não tem capacidade  de fazer as pessoas enxergarem as coisas, não deveria nem tentar...

Offline Dodo

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.304
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #30 Online: 21 de Agosto de 2010, 18:58:28 »
É impossível refutar OC (considerando que refutá-lo seria fazer com que ele reconhecesse que estava errado) ou vencê-lo num debate, e o motivo para isso reside em duas condições que o mesmo, de maneira implícita ou não, coloca para seus possíveis adversários:

Primeira condição: é necessário ter toda a bagagem cultural que o mesmo alega possuir nos seus textos, seja através de referências breves ou nas bibliografias apresentadas; caso contrário você não passará, aos olhos dele, de um imbecil, ignorante e esquerdista de merda;

Segunda condição: mesmo que você tenha toda esta bagagem cultural, é também necessário ter chegado as mesmas conclusões que ele; caso contrário, você não passará, aos olhos do mesmo, de um imbecil, ignorante e esquerdista de merda.

Eis o porquê OC não pode ser refutado ou vencido em um debate, e também o motivo do porquê seus admiradores transmitirem seus ensinamentos exatamente da maneira como receberam do mesmo.
Você é único, assim como todos os outros.
Alfred E. Newman

Offline La Liberté

  • Nível 04
  • *
  • Mensagens: 43
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #31 Online: 21 de Agosto de 2010, 20:50:40 »
É impossível refutar OC (considerando que refutá-lo seria fazer com que ele reconhecesse que estava errado) ou vencê-lo num debate, e o motivo para isso reside em duas condições que o mesmo, de maneira implícita ou não, coloca para seus possíveis adversários:

Primeira condição: é necessário ter toda a bagagem cultural que o mesmo alega possuir nos seus textos, seja através de referências breves ou nas bibliografias apresentadas; caso contrário você não passará, aos olhos dele, de um imbecil, ignorante e esquerdista de merda;

Segunda condição: mesmo que você tenha toda esta bagagem cultural, é também necessário ter chegado as mesmas conclusões que ele; caso contrário, você não passará, aos olhos do mesmo, de um imbecil, ignorante e esquerdista de merda.

Eis o porquê OC não pode ser refutado ou vencido em um debate, e também o motivo do porquê seus admiradores transmitirem seus ensinamentos exatamente da maneira como receberam do mesmo.
Concordo, mas devemos lembrar que nada disso é suficiente para justificar distorções e erros de interpretação que fazem constantemente com o OdC.

É por isso que eu falo sobre filtrar informações...

Todo mundo tem o seu ego, o do OdC é um ego fortíssimo... Quanto mais o atacam, mais famoso ele fica, mais visto como "coitadinho", "injustiçado", "incompreendido" ele fica.

Ele, como qualquer filósofo ou jornalista, que ODEIA e se decepciona com a sociedade e com a política mundial, não tá nem aí em debater ou admitir erros. Ele sabe que a sociedade e a política pouco valoriza a verdade e a coerência.

A política valoriza o poder, a sociedade o carisma, e apenas uma diminuta massa de verdadeiros intelectuais valorizam a clareza e a verdade acima de tudo.

O pessoal aqui deste fórum, em sua maioria extrema, representa um misto de político com sociedade normal. Valoriza somente aquilo que tem demonstração de poder (a curto prazo) e carisma (palavras bonitinhas que inflam o próprio ego iluminista ateísta).

Eu adoro debates e discussões, adoro ensinar (o que a maioria não sabe) e aprender (só o que eu não sei, é óbvio) e já antecipo... Não vou me dedicar muito a demonstrar poder e nem carisma... O filtro é bem fino mesmo, povão, semi-intelectuais e semi-inteligentes não passam!

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #32 Online: 21 de Agosto de 2010, 22:36:42 »
Concordo, mas devemos lembrar que nada disso é suficiente para justificar distorções e erros de interpretação que fazem constantemente com o OdC.

É por isso que eu falo sobre filtrar informações...

Todo mundo tem o seu ego, o do OdC é um ego fortíssimo... Quanto mais o atacam, mais famoso ele fica, mais visto como "coitadinho", "injustiçado", "incompreendido" ele fica.

Ele, como qualquer filósofo ou jornalista, que ODEIA e se decepciona com a sociedade e com a política mundial, não tá nem aí em debater ou admitir erros. Ele sabe que a sociedade e a política pouco valoriza a verdade e a coerência.

A política valoriza o poder, a sociedade o carisma, e apenas uma diminuta massa de verdadeiros intelectuais valorizam a clareza e a verdade acima de tudo.

O pessoal aqui deste fórum, em sua maioria extrema, representa um misto de político com sociedade normal. Valoriza somente aquilo que tem demonstração de poder (a curto prazo) e carisma (palavras bonitinhas que inflam o próprio ego iluminista ateísta).

Eu adoro debates e discussões, adoro ensinar (o que a maioria não sabe) e aprender (só o que eu não sei, é óbvio) e já antecipo... Não vou me dedicar muito a demonstrar poder e nem carisma... O filtro é bem fino mesmo, povão, semi-intelectuais e semi-inteligentes não passam!

La Liberté, independentemente de minha opinião sobre Olavo de Carvalho, faço este comentário em reconhecimento à validade e à importância dessas suas palavras. Quem acompanha minhas postagens aqui sabe que só mesmo um grande incentivo poderia me levar a fazer este comentário. Meus parabéns e espero que eu não termine por te prejudicar com estas minhas palavras. Tenha cuidado. De minha curta experiência aqui, pude chegar à conclusão de que a verdade (falo desta 'verdade verdadeira' da qual você bem aparenta ter consciência) não é exatamente bem vinda nestas "pradarias céticas". Nem mesmo a máxima de que para o cético tudo é possível é muito bem aceita. A autoridade e a "polidez diplomática", como você muito bem elucidou, são extremamente valorizadas aqui (muito embora, paradoxalmente, nem mesmo usadas de fato) e postas, sem rodeios, acima da verdade.

Agora, não se chateie pois o que tenho a dizer sobre o Olavo não é muito:

Sobre o OC, esqueceu-se de mencionar: um venerador patológico de Aristóteles, excessivo até para o filósofo não médio sofredor de disfunção aristotélico-tendenciosa. Sua teoria dos quatro discursos de Aristóteles é abominável. Já me diverti muito ouvindo alguns de seus discursos em podcast. Como um cômico pseudo-intelectual, ele é aproveitável.

Já ouvi-o dizer algo tão depreciativo contra Galileu (não recordo, exatamente, o que) e, principalmente, desmerecendo sua importância na história da ciência que se ele deveria abster-se de "posicionamentos científicos", infelizmente não o faz. E, de fato, ele manifesta, sim, constante posicionamento como "autoridade científica".

Como política é assunto de pouquíssima importância para mim, não vejo mais nada que ele tenha a me oferecer além de alguns bons momentos de diversão.

Offline La Liberté

  • Nível 04
  • *
  • Mensagens: 43
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #33 Online: 21 de Agosto de 2010, 23:35:38 »
Concordo, mas devemos lembrar que nada disso é suficiente para justificar distorções e erros de interpretação que fazem constantemente com o OdC.

É por isso que eu falo sobre filtrar informações...

Todo mundo tem o seu ego, o do OdC é um ego fortíssimo... Quanto mais o atacam, mais famoso ele fica, mais visto como "coitadinho", "injustiçado", "incompreendido" ele fica.

Ele, como qualquer filósofo ou jornalista, que ODEIA e se decepciona com a sociedade e com a política mundial, não tá nem aí em debater ou admitir erros. Ele sabe que a sociedade e a política pouco valoriza a verdade e a coerência.

A política valoriza o poder, a sociedade o carisma, e apenas uma diminuta massa de verdadeiros intelectuais valorizam a clareza e a verdade acima de tudo.

O pessoal aqui deste fórum, em sua maioria extrema, representa um misto de político com sociedade normal. Valoriza somente aquilo que tem demonstração de poder (a curto prazo) e carisma (palavras bonitinhas que inflam o próprio ego iluminista ateísta).

Eu adoro debates e discussões, adoro ensinar (o que a maioria não sabe) e aprender (só o que eu não sei, é óbvio) e já antecipo... Não vou me dedicar muito a demonstrar poder e nem carisma... O filtro é bem fino mesmo, povão, semi-intelectuais e semi-inteligentes não passam!

La Liberté, independentemente de minha opinião sobre Olavo de Carvalho, faço este comentário em reconhecimento à validade e à importância dessas suas palavras. Quem acompanha minhas postagens aqui sabe que só mesmo um grande incentivo poderia me levar a fazer este comentário. Meus parabéns e espero que eu não termine por te prejudicar com estas minhas palavras. Tenha cuidado. De minha curta experiência aqui, pude chegar à conclusão de que a verdade (falo desta 'verdade verdadeira' da qual você bem aparenta ter consciência) não é exatamente bem vinda nestas "pradarias céticas". Nem mesmo a máxima de que para o cético tudo é possível é muito bem aceita. A autoridade e a "polidez diplomática", como você muito bem elucidou, são extremamente valorizadas aqui (muito embora, paradoxalmente, nem mesmo usadas de fato) e postas, sem rodeios, acima da verdade.

Agora, não se chateie pois o que tenho a dizer sobre o Olavo não é muito:

Sobre o OC, esqueceu-se de mencionar: um venerador patológico de Aristóteles, excessivo até para o filósofo não médio sofredor de disfunção aristotélico-tendenciosa. Sua teoria dos quatro discursos de Aristóteles é abominável. Já me diverti muito ouvindo alguns de seus discursos em podcast. Como um cômico pseudo-intelectual, ele é aproveitável.

Já ouvi-o dizer algo tão depreciativo contra Galileu (não recordo, exatamente, o que) e, principalmente, desmerecendo sua importância na história da ciência que se ele deveria abster-se de "posicionamentos científicos", infelizmente não o faz. E, de fato, ele manifesta, sim, constante posicionamento como "autoridade científica".

Como política é assunto de pouquíssima importância para mim, não vejo mais nada que ele tenha a me oferecer além de alguns bons momentos de diversão.

Pra ser sincero, eu não acho o OdC um gênio, mas não me vejo gastando tempo elaborando textos para criticar as imposturas dele. Oras, eu to aqui é para aprender e sugar o que cada estudioso tem de bom a oferecer.

Não sou de direita, e nem extrema esquera, mas o OdC é um dos poucos críticos de direita, e ele tem um foco que não pode ser ofuscado por conta de picuinhas.

Há dezenas de artigos do Olavo que podemos simplesmente jogar no lixo, mas o conjunto de sua obra detalha manobras da onda esquerdista revolucionária que muito poucas pessoas têm coragem de sequer supor publicamente.

OdC está certo? Há dúvidas e falta de provas, mas é difícil ignorar toda a lógica envolvida e os acertos precisos em algumas previsões.

E outra coisa... Estou nem aí se estou alimentando o ego do Olavo... To pouco me f*¨^´*& se ele se acha um gênio, o retorno de cristo ou seja lá o que for. Não gasto minhas energias tentando elaborar a crítica mais inteligente contra OdC, ou fazê-lo compreender a evolução e tolerar o ateísmo... Eu só gostaria que mencionasse o OdC no que diz respeito ao foco de estudo dele, sem esse predomínio de posts zombatórios das excentricidades do elemento em questão.

Offline La Liberté

  • Nível 04
  • *
  • Mensagens: 43
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #34 Online: 23 de Agosto de 2010, 03:46:45 »
Eis uma boa fonte de informações sob uma ótica "aparentemente direitista". Entrevista com o Cabo Anselmo na Band, feita ano passado.

Segue abaixo os links:


Offline Mahul

  • Nível 17
  • *
  • Mensagens: 486
  • Sexo: Masculino
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #35 Online: 23 de Agosto de 2010, 16:17:18 »
É impossível refutar OC (considerando que refutá-lo seria fazer com que ele reconhecesse que estava errado) ou vencê-lo num debate, e o motivo para isso reside em duas condições que o mesmo, de maneira implícita ou não, coloca para seus possíveis adversários:

Primeira condição: é necessário ter toda a bagagem cultural que o mesmo alega possuir nos seus textos, seja através de referências breves ou nas bibliografias apresentadas; caso contrário você não passará, aos olhos dele, de um imbecil, ignorante e esquerdista de merda;

Segunda condição: mesmo que você tenha toda esta bagagem cultural, é também necessário ter chegado as mesmas conclusões que ele; caso contrário, você não passará, aos olhos do mesmo, de um imbecil, ignorante e esquerdista de merda.

Eis o porquê OC não pode ser refutado ou vencido em um debate, e também o motivo do porquê seus admiradores transmitirem seus ensinamentos exatamente da maneira como receberam do mesmo.
Acho que é por aí, Dodo. Sem dúvida, trata-se de um cara muito inteligente, mas pelo pouco que conheço dele, arrogante demais! A propósito, nunca li nenhum livro do Orvalho de Cavalo, mas devo ter lido cerca de 50 artigos na mídia impressa e internet. Aliás, num desses artigos, publicado pela revista Época há alguns anos, o Olavão culpava a esquerda pela existência de padres pedófilos! :o :susto: Tudo bem, a esquerda (assim como a direita) cometeu muitos erros e crimes, mas aí já é demais!
Não gosto da direita porque ela é de direita e não gosto da esquerda porque ela também é de direita - Mestre Millôr

Deus seria reprovado em qualquer escola de engenharia - Paulo Francis

Só vou acreditar em socialismo no dia em que todo mundo puder morar em Ipanema - Grande Tom Jobim

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re: [subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #36 Online: 24 de Agosto de 2010, 00:43:31 »
Concordo, mas devemos lembrar que nada disso é suficiente para justificar distorções e erros de interpretação que fazem constantemente com o OdC.

É por isso que eu falo sobre filtrar informações...

Todo mundo tem o seu ego, o do OdC é um ego fortíssimo... Quanto mais o atacam, mais famoso ele fica, mais visto como "coitadinho", "injustiçado", "incompreendido" ele fica.

Ele, como qualquer filósofo ou jornalista, que ODEIA e se decepciona com a sociedade e com a política mundial, não tá nem aí em debater ou admitir erros. Ele sabe que a sociedade e a política pouco valoriza a verdade e a coerência.

A política valoriza o poder, a sociedade o carisma, e apenas uma diminuta massa de verdadeiros intelectuais valorizam a clareza e a verdade acima de tudo.

O pessoal aqui deste fórum, em sua maioria extrema, representa um misto de político com sociedade normal. Valoriza somente aquilo que tem demonstração de poder (a curto prazo) e carisma (palavras bonitinhas que inflam o próprio ego iluminista ateísta).

Eu adoro debates e discussões, adoro ensinar (o que a maioria não sabe) e aprender (só o que eu não sei, é óbvio) e já antecipo... Não vou me dedicar muito a demonstrar poder e nem carisma... O filtro é bem fino mesmo, povão, semi-intelectuais e semi-inteligentes não passam!

La Liberté, independentemente de minha opinião sobre Olavo de Carvalho, faço este comentário em reconhecimento à validade e à importância dessas suas palavras. Quem acompanha minhas postagens aqui sabe que só mesmo um grande incentivo poderia me levar a fazer este comentário. Meus parabéns e espero que eu não termine por te prejudicar com estas minhas palavras. Tenha cuidado. De minha curta experiência aqui, pude chegar à conclusão de que a verdade (falo desta 'verdade verdadeira' da qual você bem aparenta ter consciência) não é exatamente bem vinda nestas "pradarias céticas". Nem mesmo a máxima de que para o cético tudo é possível é muito bem aceita. A autoridade e a "polidez diplomática", como você muito bem elucidou, são extremamente valorizadas aqui (muito embora, paradoxalmente, nem mesmo usadas de fato) e postas, sem rodeios, acima da verdade.

Agora, não se chateie pois o que tenho a dizer sobre o Olavo não é muito:

Sobre o OC, esqueceu-se de mencionar: um venerador patológico de Aristóteles, excessivo até para o filósofo não médio sofredor de disfunção aristotélico-tendenciosa. Sua teoria dos quatro discursos de Aristóteles é abominável. Já me diverti muito ouvindo alguns de seus discursos em podcast. Como um cômico pseudo-intelectual, ele é aproveitável.

Já ouvi-o dizer algo tão depreciativo contra Galileu (não recordo, exatamente, o que) e, principalmente, desmerecendo sua importância na história da ciência que se ele deveria abster-se de "posicionamentos científicos", infelizmente não o faz. E, de fato, ele manifesta, sim, constante posicionamento como "autoridade científica".

Como política é assunto de pouquíssima importância para mim, não vejo mais nada que ele tenha a me oferecer além de alguns bons momentos de diversão.

Pra ser sincero, eu não acho o OdC um gênio, mas não me vejo gastando tempo elaborando textos para criticar as imposturas dele. Oras, eu to aqui é para aprender e sugar o que cada estudioso tem de bom a oferecer.

Não sou de direita, e nem extrema esquera, mas o OdC é um dos poucos críticos de direita, e ele tem um foco que não pode ser ofuscado por conta de picuinhas.

Há dezenas de artigos do Olavo que podemos simplesmente jogar no lixo, mas o conjunto de sua obra detalha manobras da onda esquerdista revolucionária que muito poucas pessoas têm coragem de sequer supor publicamente.

OdC está certo? Há dúvidas e falta de provas, mas é difícil ignorar toda a lógica envolvida e os acertos precisos em algumas previsões.

E outra coisa... Estou nem aí se estou alimentando o ego do Olavo... To pouco me f*¨^´*& se ele se acha um gênio, o retorno de cristo ou seja lá o que for. Não gasto minhas energias tentando elaborar a crítica mais inteligente contra OdC, ou fazê-lo compreender a evolução e tolerar o ateísmo... Eu só gostaria que mencionasse o OdC no que diz respeito ao foco de estudo dele, sem esse predomínio de posts zombatórios das excentricidades do elemento em questão.

Compreendo você e até acho que tem razão. Mas, como deixei claro, o que OC *talvez* tenha a oferecer de útil pouco me vale. Até porque, do ponto de vista do meu modo de ver o mundo, muitas das coisas "acertadas" que ele diz soam tão óbvias para mim que não me vêm como novidades. Aprecio mais mesmo é o modo irritadiço e divertido como ele as diz. Gostei quando, por exemplo, ele explicou a alguém porque profere tantos palavrões. Ele disse que quando fala com/de gente (decente e educada) não o faz. Mas como ele está falando da escória do mundo (indivíduos que não medem esforços para serem bandidos e deturpar toda a verdade) não pode usar outros termos. Ele tem que dizer: tá vendo aqui (esfregando na cara do sacripanta) a prova da sua mentira seu FILHO DA P...! E ele tem toda razão nisso (mesmo que, acaso, ele se inclua entre os tipos mencionados). Só mesmo imbecis totais acham cabível usar de diplomacia e boas maneiras com pilantras safados mentirosos cínicos canalhas bandidos deturpadores da verdade e das palavras alheias. Qualquer ser decente e racional sabe muito bem como se deve agir com esses tipos.

Quanto ao assunto "política", sinto-me um néscio total (até porque, para dizer bem a verdade, considero que não haja, realmente, "assunto" nenhum aí): ainda estou na incipiente fase de tentar descobrir se lula é molusco ou pertence à espécie humana. Então, como pode ver, não tenho elementos para discutir. Não me importo porque não são os políticos que "mandam no mundo" (o que quer que essa expressão signifique) embora pareçam ter convencido todo mundo disso.

Há muitas maneiras de ser o mais forte mas apenas uma de *vir a ser* o mais forte. Os mais fracos demonstram não entender isso.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.379
  • Sexo: Masculino
Re:[subvertendo] Olavo de Carvalho é irrefutável em política e economia
« Resposta #37 Online: 03 de Junho de 2018, 16:47:14 »

Olavo de Carvalho montou uma seita com mentiras, orgias e política: o relato de um ex-aluno do guru da extrema direita


Publicado por Pedro Zambarda de Araujo -  4 de novembro de 2017


O empresário Carlos Velasco, que atualmente mora em Portugal, foi aluno do guru da extrema-direita Olavo de Carvalho de 26 de agosto de 2009 até dezembro de 2013.

Ele fez o Curso Online de Filosofia (COF) interessado, segundo conta, nos conhecimentos geopolíticos de Olavo.

Ao romper com o mestre, tornou-se seu principal inimigo nas redes sociais. Em suas diatribes, Olavo chamado o ex-pupilo de “veadasco”.

“Testemunhei o início de iniciativas como a venda de souvenirs olavianos, como canecas, e a invenção de coisas como a página Musas Olavettes, com total apoio dele”, relata.

“Olavo é um mitômano, um generalista inculto que inventa teses bombásticas de acordo com a conveniência do momento”.

Em texto para o DCM, Velasco detalha como conheceu o ex-astrólogo, fala da briga e explica como os seguidores do homem que faz a cabeça de Jair Bolsonaro formam uma seita.


Guru


Conheci Olavo em 2003. Estudava a relação entre os grandes monopólios privados e a globalização e ele despertou minha atenção por ser o primeiro “jornalista/filósofo” que abordava o tema em português.



Acompanhei seus artigos e intervenções no programa de áudio “True Outspeak” com o mesmo interesse que tinha por outros jornalistas e investigadores estrangeiros. Mantinha divergências, como em relação ao papel da administração Bush, mas passei a dar maior valor à importância da religião como fundamento da civilização e descobri alguma bibliografia interessante.


No fundo, o que me interessava mais era a sua análise da situação brasileira e suas indicações bibliográficas, apesar de muita dessa bibliografia ser questionável em termos de rigor. Suas observações a respeito do perigo comunista, extrapoladas para o mundo, de certa forma se encaixavam nos meus estudos sobre o balanço militar mundial, ou melhor, forneciam um modelo explicativo satisfatório à luz do que sabia.


Apesar das lacunas no conhecimento histórico, algumas das suas observações eram interessantes e me pareciam corretas, imaginando serem fundamentadas num sólido conhecimento filosófico. Quanto aos “erros”, considerava que havia alguma ingenuidade, especialmente na geopolítica e na leitura do processo histórico, onde o lugar-comum era a regra.


Mas não ligava muito, pois até em pessoas com formação histórica isso é normal. Me correspondi com ele esporadicamente e cheguei a passar indicações bibliográficas que depois o vi utilizar, mas estranhando a falta de referência. Nada demais, pensava.


Motivado pela minha falta de conhecimento em filosofia, e dos tais instrumentos filosóficos que Olavo parecia possuir, decidi me inscrever no COF. Foi em fins 2010 e logo enviei o necrológio (registro de morte antes de uma transição).


Mais tarde me arrependeria, mas jamais suspeitei, vindo de décadas de materialismo, que tinha me deparado com algo bem diverso de um simples grupo de estudos. Quanto ao necrológio, mais tarde ele usaria contra a minha pessoa, lendo-o numa aula com o intuito de me ridicularizar. Até na pior das universidades isso levaria à expulsão.


Após as primeiras aulas, negligenciei o curso. Sendo empresário, não tinha tempo e disposição para as tarefas, que incluíam a transcrição das aulas, e a hora tardia das mesmas, pois vivo em Portugal e o fuso horário é outro. O fato era agravado pela impontualidade do guru. Quase todas as aulas me causavam tédio e sono.


Faltava organização e, excluindo as aulas em que Olavo se debruçava sobre temas da política contemporânea, onde meu interesse acendia justamente por causa das divergências, achava aquilo tedioso e inconclusivo. Nesse contexto, os “cursos suplementares” me levantavam alguma suspeita. Mais tarde entendi que Olavo falava para os iniciados e lançava a isca para os que desejavam ser iniciados na “tradição filosófica”. Quem não a buscava, se desinteressaria.


Também me incomodavam o ambiente de intriga constante, as habituais acusações de infiltração de espiões a serviço de Orlando Fedeli (falecido líder da TFP), que desconhecia e imaginava ser um maluco à Plínio Corrêa de Oliveira (fundador da TFP), e a incapacidade de Olavo lidar com as objeções de alguns alunos.


Pouco depois de me inscrever, fui contatado pelos estudantes residentes em Portugal e se organizou um encontro. Nesse grupo se destaca Mário Chainho, com o qual imaginei ter alguma amizade, e Luís Afonso, amigo de longa data de Olavo que mantinha o blog “Nadando contra a Maré Vermelha”.


Tirando o Mário Chainho, que me escutava com atenção e parecia interessado em aprender, e era bem próximo de Olavo de Carvalho, não hesito em dizer que desprezava os alunos olavianos. Me correspondi com a “nata” do olavismo nas redes sociais e fiquei perplexo ao constatar que muitos eram semi-analfabetos, como no caso de Graça Salgueiro.


Eram todos ignorantes, provincianos e pedantes, e muitos se transformaram em caricaturas do guru, chegando ao ponto de fumarem a mesma marca de cigarro americana. Me destacava naquele meio e, mesmo não sendo um estudante participativo, cheguei a ser citado nas aulas do Olavo por causa de observações enviadas ao guru. Nas tertúlias online iniciadas pelos alunos do COF em Portugal, cheguei a dar aulas de História aos meus colegas. Imaginei que algo de positivo pudesse nascer daí.


A minha estima inicial foi se transformando em desprezo e desconfiança e a evolução política do Brasil e do mundo catalisaram o que era inevitável. Afinal, eu estava em busca de conhecimento e não de um paizinho. Diante de certas questões que lhe punha, despertadas por afirmações que me causavam curiosidade e espanto, notei que o mesmo se esquivava a responder com a desculpa da falta de tempo, mas enquanto isso perdia tempo nas redes sociais discutindo banalidades nos termos mais vulgares.


Comecei a perceber que a idolatria em torno de Olavo não era acidental. O mesmo a incentivava. Testemunhei o início de iniciativas como a venda de souvenirs olavianos, como canecas, e a invenção de coisas como a página “Musas Olavettes”, com total apoio do guru.


Eu, que tinha virado as costas aos estudos na Universidade de Coimbra, sentia vergonha por ter me misturado àquele circo. O culto à personalidade era instigado pelos seus próprios relatos de grandes feitos, cada vez mais suspeitos aos meus olhos.


A título de exemplo, afirmava que certa vez calou centenas de militantes enfurecidos do MST e, noutra ocasião, impediu um assalto com um velho revólver enferrujado que lhe havia sido dado de presente (mais tarde descobri, graças à filha, que o assalto aconteceu, mas ele fingiu que dormia enquanto ela e os “habitantes da casa” o tentavam acordar desesperados sabendo que ele tinha revólver). Já não me encontrava no campo da mera discordância e enxergava desonestidade.


Mas Olavo não se emendava, apesar das advertências que lhe dirigia, e fingia saber do que falava quando abordava História. Para dar um exemplo, certa vez ele apresentou uma tese a respeito dos portugueses, que considerava como um povo covarde (tal e qual os brasileiros) devido ao fato de ter vivido durante muito tempo na incerteza reinante numa terra dividida entre cristãos e muçulmanos.


Para além de ser uma banalidade que prova a falta de conhecimento do que foi o processo de reconquista, e irrealista à luz do que conhecia da história militar portuguesa, a tese era ridícula pois espanhóis viveram nas mesmas circunstâncias e deles Olavo gabava a coragem.


Hoje Olavo afirma o contrário, dizendo que os portugueses são o povo mais corajoso do mundo, o que também é estúpido e pueril. Enfim, Olavo é assim. Um generalista inculto que inventa teses bombásticas de acordo com a conveniência do momento, e não alguém que muda de opinião gradualmente, à medida que suas investigações avançam e falsas imagens vão sendo desfeitas.


Duas coisas me motivaram a confrontar Olavo de Carvalho nas redes sociais, já que ele não respondia as minhas observações em privado. Tomei a priori as suas observações a respeito do professor Dugin como mentor de Vladimir Putin, e dos seus “planos macabros”, como verdadeiras (Dugin é um cientista político russo).


Jamais desconfiei que alguém na posição de Olavo poderia inventar mentiras tão descaradas e aquilo parecia explicar as contradições que descobri na tese da Rússia continuar comunista, ainda que sob uma fachada.


Ao estudar melhor o assunto após a famosa discussão entre os dois (registrada no livro “Os EUA e a nova ordem mundial: um debate entre Alexandre Dugin e Olavo de Carvalho”, de 2012), apesar da minha discordância com o professor Dugin a respeito de geopolítica se manter, concordando com ele fundamentalmente na defesa da multipolaridade, vi que era tudo um exagero grotesco e que Putin o tem apenas como mais uma referência entre várias.


Putin é um estadista e sabe qual é o lugar dos acadêmicos. Fiquei chateado por ter sido feito de tolo e por ter passado desinformação. Por outro lado, a evolução da ingerência na Síria expunha de forma cabal o total desajuste da tese dos “três globalismos” de Olavo de Carvalho, assim como a evolução da situação no Brasil, na qual Olavo teve um papel fundamental, que então estava claramente se encaminhando para uma “primavera”.


Carlos Velasco, ex-aluno de Olavo


Da mesma forma que Olavo mentia sobre a Síria, atribuindo tudo a uma cabala “comunista” e escondendo o papel americano (afirmando ser o Obama um agente do KGB), e o extremismo islamista uma ferramenta a serviço da Rússia, constatei que Olavo fazia o mesmo no Brasil. Via a situação no terreno e para mim era preocupante o que acontecia, e os sinais de ingerência e polarização induzida a partir de fora eram claros.


Ainda que fosse um crítico feroz da gestão PT, sem com isso deixar de ser crítico feroz das gestões anteriores e das “alternativas”, considerava que o futuro do Brasil passava por uma solução que isolasse tanto as lideranças corrompidas de direita quanto as de esquerda, e não pela formação de massas fanatizadas à direita para se chocarem contra massas fanatizadas à esquerda, como ele defende.


Olavo, como milhares de pessoas devem lembrar, repetia incessantemente coisas como “todos os comunistas são covardes”, “os comunistas são psicopatas perigosos, não são gente”, “todo aquele que manifesta o pensamento revolucionário deveria levar um tiro na cabeça” e “julgamento é coisa de comunista. É por isso que Stalin queria o julgamento dos nazistas, ao contrário de Churchill, que defendia que os mesmos fossem sumariamente fuzilados”.


Eu, que já tinha sido comunista, sabia que isso era uma imbecilidade e pensava comigo próprio: mas como Olavo pode dizer isso se ele próprio já foi comunista? Será que toma a si próprio como modelo do que é um comunista?


Enquanto o guru incitava as pessoas à violência fratricida, desde distância segura, vi os milhares de fanáticos por ele criados muito ativos nas redes sociais e convictos de que estavam numa cruzada. Eles geraram ondas que foram fundamentais para a reação direitista que se seguiu às manifestações de setores da esquerda radical em 2013, onda essa em que Bolsonaro soube surfar, com apoio de Olavo e de muitos nomes de relevo por ele angariados, como Lobão, Danilo Gentili e Joice Hasselmann.


Não seria melhor deixar o governo Dilma, já desgastado, chegar ao fim quando era certo que a oposição venceria as eleições de forma serena? Agora, diante da confusão instalada, estou ainda mais convicto da minha resposta na altura: sim! Quanto a Bolsonaro, que se aproximava cada vez mais de Olavo, constatei que dexou de ser um “político folclórico” graças ao impulso inicial olavista. Até porque Olavo, tido por muitos como um intelectual, foi o primeiro indivíduo com fama de culto a apoiá-lo publicamente, rompendo o isolamento que antes mantinha Bolsonaro no gueto.


Inspirado pelo ensinamento olaviano de que se deve humilhar publicamente um mau professor, decidi fazê-lo nas redes sociais, diante de todos, e me desliguei formalmente do curso, avisando os colegas. Incapaz de me rebater, e sempre mantive um tom elevado, não lhe restou outro recurso a não ser fugir e se proteger por detrás do séquito de fanáticos.


Trata-se de gente radicalizada ao ponto de romper laços com familiares em defesa do guru e disposta a tudo na sua guerra sagrada. Porém, eu não estava preparado para o que viria após essa decisão, e muito menos para o que acabaria descobrindo graças à reação desproporcional da qual fui alvo. Ao mesmo tempo, recebi uma estranha visita surpresa de Luís Afonso, que conhecia Olavo intimamente, que tentou me convencer que Olavo de Carvalho era um vovozinho caipira, sem nenhuma maldade e já um bocado senil, e que a minha reação era excessiva.


Mais tarde descobri que este era um recurso habitual. Só faltou mandar a sua mãe me telefonar. Está tudo documentado no blog Prometheo Liberto, que criei. Sendo assim, farei um resumo dessas descobertas e das conclusões a que cheguei com a colaboração de muitos, especialmente o meu irmão (Jorge Velasco) e Caio Rossi, sem os quais jamais teria compreendido a “filosofia” de Olavo.


Desmascarado nas redes sociais, isso numa altura em que pensava estar prestes a alcançar o zênite da sua carreira (Felipe Moura Brasil lançando o “Mínimo” e sendo contratado pela Veja, manifestações crescentes e aumento da percepção de que o impeachment era inevitável), Olavo de Carvalho partiu para a agressão sem limites, começando por afirmar que eu jamais tinha sido seu aluno.


Provada a sua mentira, depois disso fui acusado de ser agente do PT, satanista, agente do Lyndon la Rouche e, finalmente, agente do KGB. Está tudo no blog Prometheo Liberto. A situação chegou ao ponto de Olavo, apanhado em inúmeras mentiras, ter deitado a própria página abaixo atribuindo isso a um ataque da esquerda, e do episódio ter sido citado pelo deputado Marco Feliciano na Câmara.


Fui difamado no site Mídia sem Máscara por Mário Chainho e Juliana Chainho (Juliana Camargo Rodrigues), que mais tarde vim a saber que tinha sido membro da seita de Waldo Vieira (mineiro que foi parceiro de Chico Xavier). Quanto ao senhor Mário Chainho, que se fazia passar por meu amigo e rompeu todos os vínculos de forma súbita, lembro que foi ele que deu nome ao meu blog, Prometheo Liberto, o que levou Olavo a me acusar de satanismo, e que este possuía um blog chamado “Portas do Inferno”.


Certa vez, numa conversa muito estranha, o mesmo me contou que certas pessoas lhe haviam relatado que tinham uma tara bastante repulsiva: fazer sexo com mulheres grávidas que iriam abortar. Mais tarde, pensei: que situação mais estranha, afinal, quem contaria esse tipo de perversidade a outra pessoa sem haver qualquer tipo de cumplicidade? Nunca achei uma resposta satisfatória para a pergunta, mas não pude deixar de repensar nisso quando li a respeito das acusações de abortos rituais que Olavo fez contra a seita Tradição, da qual foi ele próprio membro.


A desconfiança de que havia algo muito errado com Olavo não parava de aumentar à medida que a memória era revisitada, assim como a convicção de que tudo deveria ser investigado.


Ao princípio, achamos uma série de informações que, mais tarde, descobrimos ser apenas a ponta do iceberg, como a iniciação de Olavo de Carvalho na maçonaria, e decidimos, sabedores de que Olavo era um mitômano, analisar o que Orlando Fedeli havia escrito sobre o mesmo.


Com a ajuda de alguém presente no terreno, colhemos relatos estranhos a respeito do que se havia passado em Curitiba, desde informações a respeito de famílias desfeitas, passando por orgias e casamentos arranjados, isolamento dos membros, casos de loucura e exorcismos, informação que batia com relatos que tinha ouvido do próprio Mário Chainho a respeito das trocas de casais que por lá ocorreram numa conversa em que eu falava da infantilidade e satirismo que notava nas olavettes, e do próprio Olavo, que disse publicamente no True Outspeak que o curso havia sido infiltrado por uma tariqa (tal e qual o seu curso online foi infiltrado por agentes de Orlando Fedeli e eu era um agente do KGB infiltrado).


Ouvi um bizarro relato de alguém, que pediu anonimato, e  afirmou que um médico, conhecido como abortista, todos os anos visitava Olavo na Virgínia e lá ficava durante um mês. É algo bizarro, ainda mais quando Olavo se travestia de campeão na luta contra o aborto.


O  que podemos dizer publicamente por depender apenas de provas documentais ou relatos de pessoas dispostas a vir a público confirmar o que afirmamos, estão no documentário “Adubando o Jardim das Aflições”, e as conclusões a respeito do culto por detrás de tudo estão na série de documentários “Desconstruindo Olavo de Carvalho”, onde não apenas confirmamos algumas coisas que Orlando Fedeli já havia descoberto a respeito do gnosticismo disfarçado de catolicismo de Olavo de Carvalho.


Desvendamos que Olavo, graças à investigação de Caio Rossi, cultua o “Eterno Feminino” sob um “véu mariano”, adaptando os ensinamentos do seu antigo mestre Frithjof Schuon. A ajuda do meu irmão, com seus insights a respeito dos textos em que Olavo aborda a religião e a sua intuição de que tudo aquilo era apenas a capa para uma unificação das lideranças religiosas num nível esotérico, mantendo a diversidade apenas a nível exotérico, foi fundamental.


Felipe Moura Brasil, pupilo de Olavo e ex-colunista da Veja

Caio Rossi testou a tese a todos os níveis, reticente a priori, e acabou desvendando os mistérios desse culto graças aos seus conhecimentos em relação ao perenialismo, e também ao conhecimento obtido in loco durante a fugaz convivência com o clã Carvalho, num trabalho digno de nota.


Quanto à faceta política de Olavo de Carvalho, temos revelado ao público quem o financia e as suas ligações políticas e intelectuais, que incluem bilionários brasileiros, além de intelectuais romenos diretamente ligado a George Soros. Hoje o filho mais velho de Olavo de Carvalho ainda vive na Roménia.


Para terminar, lembro que Olavo, conhecedor da desatenção do grande público e escudado por milhares de fanáticos, assim como por dezenas de iniciados nos mistérios olavianos mais próximos e bem situados, não apenas desvia as atenções nos atribuindo acusações absurdas e descabidas, como tem mudado a sua versão dos fatos que temos revelado.


Um exemplo é o do seu envolvimento com a astrologia. Neste caso, ele sempre negou que tivesse sido astrólogo, afirmando que tinha estudado a astrologia apenas para compreender o simbolismo medieval, mas a partir do momento em que revelamos provas de que realmente foi astrólogo, admitiu o que sempre negou e agora afirma que exerceu a profissão por um curto espaço de tempo, o que também desmentimos.


A desatenção da maioria e a força bruta do olavismo o protegem, assim como a trama de cumplicidade em torno dele, o que inclui até muitos dos seus desafetos.


Certas práticas criam elos que nem a inimizade mais renhida pode romper.


https://www.diariodocentrodomundo.com.br/olavo-de-carvalho-montou-uma-seita-com-mentiras-orgias-e-politica-o-relato-de-um-ex-aluno-do-guru-da-extrema-direita/



 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!