Autor Tópico: Petrolão - Talvez o maior esquema de corrupção do planeta  (Lida 76224 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Petrolão - Talvez o maior esquema de corrupção do planeta
« Resposta #1875 Online: 08 de Maio de 2018, 22:20:50 »
Uma luz no fim do túnel para o fim do irritante "E o Aécio?".

O problema pra mim é o Cunha. Vão prender quando?
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.210
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Petrolão - Talvez o maior esquema de corrupção do planeta
« Resposta #1876 Online: 09 de Maio de 2018, 13:43:57 »
Aos poucos vamos caminhando na direção certa.

Citar
Supremo Tribunal Federal deve discutir ampliar restrição ao foro privilegiado

Diante da onda de transferências de inquéritos de deputados e senadores para primeira instância, Supremo Tribunal Federal (STF) deve analisar em breve proposta para ampliar a restrição do foro privilegiado. Dois caminhos podem ser usados: a adoção de uma súmula vinculante ou julgamento de um recurso contra decisões de ministros de baixar inquéritos para instâncias inferiores.

No dia do julgamento do tema no STF, quando o tribunal decidiu restringir o foro apenas para deputados federais e senadores, os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes já haviam defendido que a medida deveria ser estendida para outras autoridades, como ministros, governadores, juízes e procuradores. Foram vencidos.

Dentro do STF, porém, a avaliação interna é que o tribunal precisa criar uma regra geral para todos os casos, porque, caso contrário, várias dúvidas e pendências serão levantadas. E vão acabar chegando ao plenário do próprio Supremo. O ministro Luís Roberto Barroso, que apresentou a proposta de restringir o foro a atos praticados durante o mandato e relacionados a ele, defendeu que o tribunal teria que analisar em breve o caso de outras autoridades.

A discussão de uma súmula vinculante faria com que a decisão da semana passada do Supremo passasse a valer para outras autoridades, que seriam definidas pelo plenário do tribunal.

Na sessão do plenário do STF na tarde desta quarta-feira, a proposta de uma súmula vinculante será apresentada pelo ministro Dias Toffoli.
No caso de um recurso, um exemplo dado é o do governador Ricardo Coutinho (PSB), da Paraíba. Seus advogados podem questionar a decisão do ministro Luís Salomão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que baixou um inquérito dele para primeira instância. Isso antes mesmo que o Supremo decidisse que a restrição também valeria para governadores.

Emenda sobre o fim do foro

O debate sobre a ampliação da restrição ao foro virá no mesmo momento em que será instalada, nesta quarta-feira (9), comissão especial na Câmara dos Deputados para analisar emenda constitucional que acaba com a prerrogativa do foro privilegiado. Ou seja, é até mais ampla. Só manteria o privilégio para presidentes de poderes, como presidente e vice da República, presidentes da Câmara, Senado e STF.

Só que a emenda não pode ser votada enquanto durar a intervenção federal no Rio. Daí que há uma proposta de uma ala do Congresso de suspender temporariamente a intervenção para que a proposta de emenda constitucional (PEC) seja votada. Dentro do Palácio do Planalto, a ideia é condenada e criticada por assessores do presidente.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse ao blog que a ideia de suspender a intervenção para votar a PEC “não é razoável”. Jungmann afirmou considerar um “equívoco” a restrição ao foro apenas para parlamentares, mas destacou que “não é razoável tentar resolver o problema criado com a decisão do Supremo em detrimento da segurança da população do Rio”.

“Não podemos trocar a segurança e a proteção à vida das pessoas no Rio para se dar uma resposta a uma decisão do Supremo, essa medida não pode ser tomada de afogadilho, apesar de concordar que é preciso estender a restrição a todos e não só para parlamentares”, acrescentou o ministro.

Na avaliação da equipe de Temer, além disso a suspensão da intervenção poderia representar uma desmoralização para o governo e Congresso, já que não há garantias de que a emenda seria aprovada.

Suspender a intervenção também não contaria com o apoio da população, principalmente do Rio, porque seria vista como uma medida para atender interesses específicos da classe política, numa vingança contra a decisão do STF de restringir o foro para parlamentares.

https://g1.globo.com/politica/blog/valdo-cruz/post/2018/05/09/stf-deve-discutir-ampliar-restricao-ao-foro-privilegiado.ghtml
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline O Grande Capanga

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.779
Re:Petrolão - Talvez o maior esquema de corrupção do planeta
« Resposta #1877 Online: 09 de Maio de 2018, 16:58:52 »
Uma luz no fim do túnel para o fim do irritante "E o Aécio?".

O problema pra mim é o Cunha. Vão prender quando?

Tava pensando na mesma coisa, mas o caso foi remetido à justiça mineira, não foi essa que quase prescreveu o caso do Azevedo?

Vi uma charge chamando Aécio de tucano de piranha (alusão ao boi de piranha). De fato, o cara tá tão enrolado que não deve ganhar para mais nada e "sacrificá-lo" como uma resposta da justiça ao tucanato não parece teoria da conspiração.

O tucanato vai ser atingido se Paulo Preto delatar. Também tem o Beto Richa que tá pra se ferrar.

Vamos aguardar...

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.783
Re:Petrolão - Talvez o maior esquema de corrupção do planeta
« Resposta #1878 Online: 09 de Maio de 2018, 17:29:36 »
Uma luz no fim do túnel para o fim do irritante "E o Aécio?".

O problema pra mim é o Cunha. Vão prender quando?

Tava pensando na mesma coisa, mas o caso foi remetido à justiça mineira, não foi essa que quase prescreveu o caso do Azevedo?


Só em 2014, quando Azeredo renunciou ao cargo, perdendo o foro, a ação foi para a primeira instância - sendo condenado por essa em 2015 e pela segunda em 2017, com os últimos recursos esgotando por agora. Não sei qual o tempo médio nas instâncias inferiores, mas considerando o tempo que a ação ficou no STF.
« Última modificação: 09 de Maio de 2018, 17:39:28 por AlienígenA »

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.402
  • Sexo: Masculino
Re:Petrolão - Talvez o maior esquema de corrupção do planeta
« Resposta #1879 Online: 10 de Maio de 2018, 00:18:49 »
A verdade sobre os empréstimos do BNDES está comecando a aparecer.


O Pingão e o Dilmão manipularam o grau de risco das ditaduras amigas para permitir a liberação de um volume maior de verbas a juros menores.

Mais de 50 bilhões em 140 operações fraudulentas.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!