Autor Tópico: Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso  (Lida 3531 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Muad'Dib

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.528
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #25 Online: 26 de Fevereiro de 2018, 21:18:06 »
É tudo junto.

Ele é muito bem articulado, gosta do som da própria voz e não tem muita vergonha de defender besteiras.

Não consigo ver esse tipo de besteira.

Offline Muad'Dib

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.528
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #26 Online: 26 de Fevereiro de 2018, 21:25:37 »
E vá lá, fake news mainstream é só a FOX news, mas a CNN é uma bela de uma merda também. Pode ter sido uma boa fonte de informação na época da Tempestade do Deserto, mas hoje, pelo que eu vejo no youtube (CNN live), é bem fraquinha.

Eles não mentem, não espalham desinformação como a FOX, não fazem armaçõezinhas, mas estão longe de ser um meio de comunicação que cumpra o papel de informar.

Hoje eu só vejo a Aljazeera Live. É meio que incrível como eles são imparciais e informativos.


Offline Gauss

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.209
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #27 Online: 26 de Fevereiro de 2018, 21:37:24 »
E vá lá, fake news mainstream é só a FOX news, mas a CNN é uma bela de uma merda também. Pode ter sido uma boa fonte de informação na época da Tempestade do Deserto, mas hoje, pelo que eu vejo no youtube (CNN live), é bem fraquinha.

Eles não mentem, não espalham desinformação como a FOX, não fazem armaçõezinhas, mas estão longe de ser um meio de comunicação que cumpra o papel de informar.

Hoje eu só vejo a Aljazeera Live. É meio que incrível como eles são imparciais e informativos.
Muita coragem sua criticar a CNN por aqui. Seu trumpista!
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #28 Online: 26 de Fevereiro de 2018, 22:22:05 »
Putz, muito decepcionante esse cara regurgitando essa merda de "CNN é Lügenpresse" do Trump. Esperava mais. Isso é ou ignorância, credulidade por cegueira ideológica aguda, ou desonestidade.

Você ignorou tudo o que ele falou sobre a Globo, do Buzzfeed, do ar de armação dos entrevistados por usarem jargões que ninguém tinha usado ou detectado em todos esses movimentos. Você preferiu focar numa crítica pontual que ele fez sobre a CNN, inclusive em que eles admitiram depois da pressão que erraram. Aí usou o clássico "falsa dicotomia" do tipo "ou o cara é isso ou aquilo".

Você, Buck! Você é a fake news! Está inclusive usando um avatar dos vendidos do Comedy Central, que são pró-democratas comunistas!
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #29 Online: 26 de Fevereiro de 2018, 22:29:43 »
Eu postei isso enquanto assistia, e foi uma das primeiras coisas que ele falou. Chamar a CNN de "fake news"/PiG não parece crítica pontual, parece simplesmente o "PiG" dos trumpetes mesmo.

Depois disso nem prestei muita atenção, só vi qualquer coisa sobre ele duvidar da metodologia de avaliar a proporção de comentários "X" tentando "refutar" isso com a implicação de que requeriria analizar TODOS os comentários, e continuei mais lendo o tópico ou outro tópico do que prestando atenção.

Mas certamente globo e buzzfeed devem ter dito suas merdas aqui e ali sim. Infelizmente ainda assim devem ter credibilidade maior do que as "mídias alternativas" conservadoras, que não ficam muito adiante das esgotosfera petista mesmo. Tem cara que acredita que o Piauí Herald é notícia de verdade até. (É um Onion tupiniquim).

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #30 Online: 26 de Fevereiro de 2018, 22:48:19 »
Eu postei isso enquanto assistia, e foi uma das primeiras coisas que ele falou. Chamar a CNN de "fake news"/PiG não parece crítica pontual, parece simplesmente o "PiG" dos trumpetes mesmo.

Depois disso nem prestei muita atenção, só vi qualquer coisa sobre ele duvidar da metodologia de avaliar a proporção de comentários "X" tentando "refutar" isso com a implicação de que requeriria analizar TODOS os comentários, e continuei mais lendo o tópico ou outro tópico do que prestando atenção.

Mas certamente globo e buzzfeed devem ter dito suas merdas aqui e ali sim. Infelizmente ainda assim devem ter credibilidade maior do que as "mídias alternativas" conservadoras, que não ficam muito adiante das esgotosfera petista mesmo. Tem cara que acredita que o Piauí Herald é notícia de verdade até. (É um Onion tupiniquim).

Ou seja, se não fosse eu expor seu fake news, um desavisado iria ter uma conclusão bem diferente do vídeo dele.

Na verdade a CNN teve um histórico de manipulação de reportagens que podem sim caracterizar fake news. Isso não exclui a fox, não alivia pros erros do Trump. Alegar isso é fake news tentar desviar o foco.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.783
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #31 Online: 26 de Fevereiro de 2018, 23:03:57 »

Não dá para levar a sério! Eu não passei do começo do vídeo. Ele inicia dizendo que a reportagem da Globo disse que tudo apontava para uma vitória da Hilary, mas os russos deram uma ajudinha ao Trump. Mentira! Eu assisti a reportagem do Fantástico. O que foi dito foi que mesmo se confirmada a ajuda dos russos não é possível afirmar que ele foi efetiva na vitória do Trump. :hein:


Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #32 Online: 26 de Fevereiro de 2018, 23:12:26 »

Não dá para levar a sério! Eu não passei do começo do vídeo. Ele inicia dizendo que a reportagem da Globo disse que tudo apontava para uma vitória da Hilary, mas os russos deram uma ajudinha ao Trump. Mentira! Eu assisti a reportagem do Fantástico. O que foi dito foi que mesmo se confirmada a ajuda dos russos não é possível afirmar que ele foi efetiva na vitória do Trump. :hein:




O início do vídeo fala exatamente isso. Pode levar a entender que eles estavam defendendo essa tese sim.

Segue a transcrição automática do youtube:

Citar
00:00
[Aplausos]
00:01
em 2016 tudo indicavam que hillary
00:04
clinton seria nova presidente dos
00:06
estados unidos mas uma grande virada
00:08
aconteceu na reta final a festa enorme
00:10
eleitores republicanos aqui na porta e
00:12
donald trump se elegiam lugar do
00:14
ex-deputado semana passada a justiça
00:17
americana anunciou ter provas de que
00:19
donald trump recebeu 115 para vencer o
00:22
empurrãozinho que fere as leis do país
00:25
russos teriam entrado no jogo espalhado
00:27
na internet um monte de notícias falsos
00:30
para atrapalhar a campanha de hillary
00:32
clinton e ajudar as donas
00:34
o departamento de justiça americano
00:36
acusou formalmente três agências e 13
00:40
cidadãos russos porque nem falou claro
00:43
que eles cometeram crimes influenciará o
00:45
sistema político americano incluindo as
00:47
eleições de 2016
00:49
chiquinho o governo russo nega qualquer
00:51
interesse estilo
00:53
a casa branca diz que não houve conluio
00:55
entre a campanha detran ea rússia opel e
00:58
presidente falou que nada disso ele
01:01
impacto no resultado das urnas mas a
01:03
justiça acredita que os russos continuam
01:05
estimulando a divisão do país nas redes
01:07
sociais
01:08
aqui no brasil a ameaça das chamadas
01:10
fake news também é motivo de preocupação
01:15
o brasil se aproxima de eleições
01:17
importantes este ano e já tem gente
01:20
querendo confundir o eleitor
01:21
a estratégia é conhecida espalhar
01:24
notícias falsas pela internet portátil
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.783
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #33 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 00:42:13 »

Não dá para levar a sério! Eu não passei do começo do vídeo. Ele inicia dizendo que a reportagem da Globo disse que tudo apontava para uma vitória da Hilary, mas os russos deram uma ajudinha ao Trump. Mentira! Eu assisti a reportagem do Fantástico. O que foi dito foi que mesmo se confirmada a ajuda dos russos não é possível afirmar que ele foi efetiva na vitória do Trump. :hein:




O início do vídeo fala exatamente isso. Pode levar a entender que eles estavam defendendo essa tese sim.

Segue a transcrição automática do youtube:

Citar
00:00
[Aplausos]
00:01
em 2016 tudo indicavam que hillary
00:04
clinton seria nova presidente dos
00:06
estados unidos mas uma grande virada
00:08
aconteceu na reta final a festa enorme
00:10
eleitores republicanos aqui na porta e
00:12
donald trump se elegiam lugar do
00:14
ex-deputado semana passada a justiça
00:17
americana anunciou ter provas de que
00:19
donald trump recebeu 115 para vencer o
00:22
empurrãozinho que fere as leis do país
00:25
russos teriam entrado no jogo espalhado
00:27
na internet um monte de notícias falsos
00:30
para atrapalhar a campanha de hillary
00:32
clinton e ajudar as donas
00:34
o departamento de justiça americano
00:36
acusou formalmente três agências e 13
00:40
cidadãos russos porque nem falou claro
00:43
que eles cometeram crimes influenciará o
00:45
sistema político americano incluindo as
00:47
eleições de 2016
00:49
chiquinho o governo russo nega qualquer
00:51
interesse estilo
00:53
a casa branca diz que não houve conluio
00:55
entre a campanha detran ea rússia opel e
00:58
presidente falou que nada disso ele
01:01
impacto no resultado das urnas mas a
01:03
justiça acredita que os russos continuam
01:05
estimulando a divisão do país nas redes
01:07
sociais
01:08
aqui no brasil a ameaça das chamadas
01:10
fake news também é motivo de preocupação
01:15
o brasil se aproxima de eleições
01:17
importantes este ano e já tem gente
01:20
querendo confundir o eleitor
01:21
a estratégia é conhecida espalhar
01:24
notícias falsas pela internet portátil

Pode levar a entender quem quer entender, Lorentz. Não há mentiras aí. Tudo realmente levava a crer que Hilary sairia vitoriosa. A justiça americana realmente anunciou ter provas de que Trump recebeu ajuda e realmente acusou formalmente agências e cidadãos russos. Isso realmente fere as leis do país. O governo russo realmente nega qualquer envolvimento. E o americano realmente nega qualquer conluio. Como deveria ser uma reportagem isenta, na sua opinião? Ocultando esses fatos? Na mesma reportagem, a partir dos 11:05 é dito algo como: é impossível saber se as notícias falsas ajudam a mudar o resultado das eleições, tudo que nós sabemos é que foi apertado. Então, sim, poderia ter feito a diferença. Em nenhum momento a reportagem diz que Trump teve uma ajudinha dos russos. Quem pode levar alguém a entender alguma coisa errada e intencionalmente, nesse caso, não estou generalizando, é o Arthur!

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #34 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 00:42:35 »
Não é possível provar que as manipulações influenciaram eleitores o suficiente para que afetasse o resultado das eleições, mas acho que, dado que Hillary venceu no voto popular, é muito provável que mesmo uma influência mínima tenha dado uma vantagem significativa para Trump.


O que eu vejo de gente dizendo que previsões erradas de eleição de Hillary eram "mentiras", "fake news/Lügenpresse", é de facepalmar até...





É de ficar abismado mesmo. Um monte de adultos que não entendem algo tão básico.

Offline Muad'Dib

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.528
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #35 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 05:54:24 »
E não foi uma previsão errada. 91% de chance de vitória não é evento certo. É o mesmo que eu de  lhe der um bombom da Koppenhagen dizendo que tem 10% de chance de estar envenenado. Você comeria?

Fake news e pós verdade são termos fluídos, O significado deles varia de acordo com o que a pessoa escolhe acreditar.

Offline Muad'Dib

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.528
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #36 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 06:13:07 »
E vá lá, fake news mainstream é só a FOX news, mas a CNN é uma bela de uma merda também. Pode ter sido uma boa fonte de informação na época da Tempestade do Deserto, mas hoje, pelo que eu vejo no youtube (CNN live), é bem fraquinha.

Eles não mentem, não espalham desinformação como a FOX, não fazem armaçõezinhas, mas estão longe de ser um meio de comunicação que cumpra o papel de informar.

Hoje eu só vejo a Aljazeera Live. É meio que incrível como eles são imparciais e informativos.
Muita coragem sua criticar a CNN por aqui. Seu trumpista!

Você está criticando o fato de eu criticar a CNN? Seu democrata desarmamentista!

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.595
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #37 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 08:57:39 »

Não é possível provar que as manipulações influenciaram eleitores o suficiente para que afetasse o resultado das eleições, mas acho que, dado que Hillary venceu no voto popular, é muito provável que mesmo uma influência mínima tenha dado uma vantagem significativa para Trump.

O que eu vejo de gente dizendo que previsões erradas de eleição de Hillary eram "mentiras", "fake news/Lügenpresse", é de facepalmar até...

É de ficar abismado mesmo. Um monte de adultos que não entendem algo tão básico.

Incluindo você.
Se a eleição era apertada, segundo suas próprias palavras, como é que todos os institutos de pesquisa, a mídia em peso e toda a torcida Hilarista alegavam que ela ganharia com 90% de certeza?
Como Arthur falou, teve instituto que se esmerou em falar da chance de 98,2%.
O nome disso na minha terra é FAKE NEWS e tentativa de influenciar o eleitorado.

Eu mesmo, trumpista declarado, fui dormir sem esperar pela apuração porque já "sabia" que ele iria perder, dado o alarido que fez a imprensa sobre os 90% de chances de ela vir a ganhar.
Será que isso não influenciou muito mais do que a "suposta" (e bota suposta nisso) interferência russa?
Eu que moro em outro país, não sofro tanta influência da imprensa americana, estava convicto que Trump perderia, quanto mais quem mora lá e é bombardeado com noticiários toda hora?

Previsões erradas escancaram o que realmente aconteceu:
1 - Falsificação de números e levantamentos estatísticos
2 - Tentativa de direcionar os eleitores para Hillary, isso sim, um atentado às leis muito fácil de ser encoberto, bastando alegar erros de análise
3 - Prova de comprometimento da imprensa esquerdista americana, totalmente desacreditada nos dias de hoje
4 - Prova de ser o que o presidente batizou e que nunca mais descola dela, apesar de seus esperneios: FAKE NEWS
5 - Torcida descarada pela candidata democrata

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.595
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #38 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 08:58:39 »
O cara está governando há mais de um ano.
O chororô inicial era sobre fraude na contagem de votos.
Vamos fazer recontagem.
Tiro n'água.
Vieram então com o eterno chororô, que parece não ter fim, sobre a influência dos russos na campanha.
Não parece ter fim simplesmente porque não há mais nada que possa retirar o Laranjão da Casa Branca, que é o sonho dourado de todo mundo, inclusive de muita gente por aqui.
Mas aí, Rod Rosenstein, vice-procurador, veio com o balde de água fria dizendo VERBATIM “Não há nenhuma alegação na acusação de que a conduta alterou o resultado das eleições de 2016.
Mas a meninada não descansa...

Eu cansei.
Fico só assistindo esse eterno chororô de gente grande.

E, pelo andar da carruagem, vocês vão ter Laranjão de novo em 2020 e Ivanka em 2024.
:)

Citar
Reportagem do Fantástico sobre notícias falsas começa usando uma fake news sobre Donald Trump
Por Francine Galbier -
26 de Fevereiro de 2018

A reportagem do Fantástico sobre fake news, que foi ao ar no último domingo, se inicia com uma – vejam só! – fake news.

A primeira imagem que vemos é a da candidata democrata Hillary Clinton, concorrente do republicano Donald Trump e favorita da esquerda mundial.

“Em 2016 tudo indicava que Hillary Clinton seria a nova presidente dos Estados Unidos”, diz a apresentadora Poliana Abritta. Não é uma informação correta, uma vez que é baseada em pesquisas tendenciosas e matérias da mídia de esquerda. Seria mais verdadeiro se Poliana dissesse que “todos veículos de esquerda indicavam que Hillary seria a nova presidente, inclusive nós.”

Citar
“Mas uma grande virada aconteceu na reta final”, segue narrando outro repórter. “E Donald Trump se elegeu”, completa Poliana. E começa a fake news deslavada: “Semana passada a Justiça americana afirmou ter provas de que Donald Trump teve um empurrãozinho para vencer. Um empurrãozinho que fere as leis do país. Russos teriam entrado no jogo e espalhado na internet um monte de notícias falsas para atrapalhar a campanha de Hillary Clinton e ajudar a de Donald Trump. O departamento de Justiça americana acusou formalmente três agências e três cidadãos russos.”

De fato, houve uma denúncia, mas não do jeito que foi reportada. Rod Rosenstein, o vice-procurador-geral dos EUA, disse o seguinte: “Não há nenhuma alegação nesta acusação de que qualquer americano era um participante consciente dessa atividade ilegal. Não há nenhuma alegação na acusação de que a conduta alterou o resultado das eleições de 2016.

De novo: a própria Justiça dos Estados Unidos declarou que não encontraram NENHUMA evidência que a Rússia influenciou na vitória de Donald Trump nas eleições de 2016.

Assista a declaração do vice-procurador:

Citar
FOX Business ✔
@FoxBusiness

Rod Rosenstein: "There is no allegation in this indictment that any American was a knowing participant in this illegal activity. There is no allegation in the indictment that the charged conduct altered the outcome of the 2016 election." http://fxn.ws/2o5WVkO
16:19 - 16 de fev de 2018

(clique na imagem para o vídeo)


Então, pela terceira vez, vamos elucidar pra que esse texto possa ser jogado na cara do amiguinho pró-Hillary que vai usar a matéria do Fantástico como se fosse uma prova da teoria conspiratória que existe contra Trump:

O indiciamento que aconteceu na sexta-feira, 16, deixou claro que não existe nenhuma prova de que os cidadãos russos acusados tenha tido qualquer impacto decisivo no resultado das eleições.

Sobre o indiciamento, a Terra informou:

“O documento alega que Yevgeny Prigozhin, um aliado do presidente russo Vladimir Putin, gerenciou o grupo, sediado em São Petersburgo, e que também fez viagens aos estados americanos de Nevada, Califórnia, Novo México, Colorado, Illinois, Michigan, Louisiana, Texas, Geórgia e Nova York na esperança de influenciar essas regiões a votar em Trump.

O texto também aponta que a interferência incluiu encorajar “grupos minoritários dos EUA a não votar na eleição presidencial dos EUA de 2016 ou a votar em um terceiro candidato”. As acusações também incluem formação de quadrilha, fraude bancária e roubo de identidade agravado.

Além de Prigozhin, os cidadãos russos indiciados são: Mikhail Ivanocih Bystrov, Mikhail Leonidovich Burchik, Aleksandra Yuryevna Krylova, Anna Vladislavovna Bogacheva, Sergey Pavlovich Polozov, Vladimir Venkov, Maria Anatolyevna Bovda, Eober Sergeyrvich Bovda, Dzheykhun Nasimi, Vadim Vladimirovich, Gleb Igorevich e Irina Viktorovna.

Já entre as empresas acusadas estão Agência de Pesquisa de Internet, chamada de “fábrica de trolls” pela imprensa ocidental. Sediada em São Petersburgo, ela é apoiada pelo Kremlin. As outras duas empresas operavam sob o nome Concord.”

Enfim. É isso. A Globo fez uma reportagem para falar de fake news usando fake news. Como disse o ativista Bene Barbosa: “Somos todos robôs, só a Globo fala a verdade.”



Vamos deixar aqui um lembrete de como foi que Trump ganhou de Hillary dando uma bela esculhambada nas propostas dela nos três debates.

<a href="https://www.youtube.com/v/GIRksqPNsQI" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/GIRksqPNsQI</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/3w3ltlJVx5U" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/3w3ltlJVx5U</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/53kKME5Sb7g" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/53kKME5Sb7g</a>



Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.595
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #39 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 09:05:26 »
Mas não tem jeito.
Ninguém vai mudar de opinião.
Daqui a pouco vão cair de pau nos meus posts.

Conselho a vocês que estão contrariados: foquem-se em coisas que gostam de fazer e esqueçam Trump.
Dói menos.
O tempo passa rápido e logo, lá para 2030, talvez um democrata volte a sentar na Casa Branca.
:)

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.595
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #40 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 09:39:31 »
Em 2:15, o governador John Sununu e a jornalista da Clinton News Networks:
- O único desconforto que eu tenho é com gente da mídia tentando criar um caso sem ter coragem de dizer concretamente com o que deveria estar preocupado. Ainda não identifiquei nenhum caso! Você já?
- Deveria estar preocupado se existiu um conluio.
- Eu não vejo nenhuma evidência de conluio! Você vê?
- Não.
 :biglol:

- Então deveria dar por terminada a sua reportagem.


<a href="https://www.youtube.com/v/ioc9HKQJoWI" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/ioc9HKQJoWI</a>

Vejam o resto.
:)

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.595
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #41 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 09:45:04 »
Do mesmo vídeo acima.

Em 3:26:

- Se Mueller vier e disse que a minha versão está correta e a sua não, quantos chapéus você vai comer?
- Governador, eu não tenho uma versão dos eventos.
- Mas é claro que tem! Todo o tempo fiquei escutando de você uma versão!
 :biglol:

O vídeo está ótimo!


Tem muitos outros parecidos, mas o trabalho me chama!


Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.892
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #42 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 10:56:42 »
O mesmo raciocínio que usaram para acusar a "imprensa democrata" de Fake News por causa das pesquisas eleitorais presidenciais também pode ser usada para taxar de "promotor de Fake News" quem apresentou pesquisa favorável a Trump. O famoso estatístico Nate Silver chegou a dar 55% de probabilidade de vitória para Trump, mas mesmo ele estava enganado. Isso acontece porque, há 10 dias atrás a esse fato, essa probabilidade era de apenas 20% (ele usa estatística bayesiana, que implica revisão das probabilidades estimadas ao longo do tempo). Qualquer que fosse a probabilidade estimada na reta final ele estaria enganado, pois como argumentou Arnaldo Gunzi do blog Ideias Esquecidas, as probabilidades de Silver variam tanto que são muito estocásticas para serem probabilidades: https://ideiasesquecidas.com/2016/11/19/os-falsos-profetas

E no fim das contas, essa discussão Trump x Hillary, é só mais uma discussão socialista x socialista mesmo. Donald Trump parece favorecer aumento de dívida pública, protecionismo comercial e globalismo. Sobre o último caso, até mesmos ícones da direita econômica americana o criticam por isso, tal como Ron Paul e Paul Joseph Watson.
« Última modificação: 27 de Fevereiro de 2018, 11:02:56 por -Huxley- »

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.269
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #43 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 11:50:32 »
Incluindo você.

Se a eleição era apertada, segundo suas próprias palavras, como é que todos os institutos de pesquisa, a mídia em peso e toda a torcida Hilarista alegavam que ela ganharia com 90% de certeza?

Como Arthur falou, teve instituto que se esmerou em falar da chance de 98,2%.

O nome disso na minha terra é FAKE NEWS e tentativa de influenciar o eleitorado.

Sim, possivelmente o Buck está no grupo.

Mas pela sua resposta, parece que você desconhece as peculiaridades do sistema eleitoral no EUA e os possíveis reflexos em uma pesquisa de intenção de votos.

As pesquisas apontavam uma probabilidade de vitória (não importa se 90,00% ou 98,99%) mas isto não significava uma CERTEZA ABSOLUTA quanto ao resultado do pleito.

E é fácil de entender isto, por dois motivos. O primeiro que lá o voto é livre, de tal modo que uma intenção de votos não significa necessariamente em um voto realizado, e isto pode ocorrer por inúmeras razões, que não sejam necessariamente decorrentes de fraude ou manipulação.

O segundo motivo é que na democracia estadunidense o voto não é direto, de tal modo que pode ocorrer de um candidato ter mais votos mas não ser eleito. E longe de mim, afirmar que isto é uma fraude ou que este sistema seja pior que o nosso.

Por fim, os órgãos de mídia no EUA nunca pretenderam ser isentos quanto à preferência por um candidato, partido ou ideologia. O que não deve (e não pode) ocorrer é a manipulação escusa de informações, seja pela 'direita' ou pela 'esquerda'; seja por democratas ou por republicanos.

Não custa lembrar que na história recente do EUA, as mídias da 'esquerda' local é que foram responsáveis pelos principais casos de 'jornalismo investigativo'. Duvido que as reportagens como a de Watergate ou a da indústria do tabaco seriam feitas por um órgão como a FoxNews.


Eu mesmo, trumpista declarado, fui dormir sem esperar pela apuração porque já "sabia" que ele iria perder, dado o alarido que fez a imprensa sobre os 90% de chances de ela vir a ganhar.

Erros ocorrem. Não são necessariamente atrelados a um ato de má-fé.


Será que isso não influenciou muito mais do que a "suposta" (e bota suposta nisso) interferência russa?

Talvez.

Sobre a (suposta) influência russa, somente o tempo dirá quem está mentindo.


Eu que moro em outro país, não sofro tanta influência da imprensa americana, estava convicto que Trump perderia, quanto mais quem mora lá e é bombardeado com noticiários toda hora?

Talvez. Para aferir isto seria necessário um levantamento isento.


Previsões erradas escancaram o que realmente aconteceu:

1 - Falsificação de números e levantamentos estatísticos

Cabe a você demostrar que os levantamentos eram falsos intencionalmente.


2 - Tentativa de direcionar os eleitores para Hillary, isso sim, um atentado às leis muito fácil de ser encoberto, bastando alegar erros de análise

É possível.

O mesmo pode ser dito de Bush contra o Al Gore em 2000.


3 - Prova de comprometimento da imprensa esquerdista americana, totalmente desacreditada nos dias de hoje.

Desacreditada para você, que é fanático do Trump.

Ou você acha que os históricos de um NYTimes ou de um Washington Post podem ser igualados a órgãos como a FoxNews, InfoWars ou similares?


4 - Prova de ser o que o presidente batizou e que nunca mais descola dela, apesar de seus esperneios: FAKE NEWS

A história do jornalismo estadunidense não começou em 2016.


5 - Torcida descarada pela candidata democrata

Uma possível preferência ideológica e ou partidária é histórica no EUA, sempre demonstrada nos editoriais. Admira-me que você desconheça isto.

O que é execrável é a manipulação de informações.
Foto USGS

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.122
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #44 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 13:54:16 »
Esse discurso de "fake news" dos trumpistas me lembra demais o discurso do "pig" do Lula.

"Deus prefere os ateus"

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #45 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 14:26:48 »

Não é possível provar que as manipulações influenciaram eleitores o suficiente para que afetasse o resultado das eleições, mas acho que, dado que Hillary venceu no voto popular, é muito provável que mesmo uma influência mínima tenha dado uma vantagem significativa para Trump.

O que eu vejo de gente dizendo que previsões erradas de eleição de Hillary eram "mentiras", "fake news/Lügenpresse", é de facepalmar até...

É de ficar abismado mesmo. Um monte de adultos que não entendem algo tão básico.

Incluindo você.
Se a eleição era apertada, segundo suas próprias palavras, como é que todos os institutos de pesquisa, a mídia em peso e toda a torcida Hilarista alegavam que ela ganharia com 90% de certeza?
Como Arthur falou, teve instituto que se esmerou em falar da chance de 98,2%.
O nome disso na minha terra é FAKE NEWS e tentativa de influenciar o eleitorado.

E o nome disso é teoria da conspiração.

Não há qualquer prova de que tenha ocorrido essa farsa, mas bradam isso com toda "certeza", como "fato alternativo".

Apenas "darem porcentagens, ou dígitos decimais" de pesquisas não é prova de farsa. Isso não tem a menor lógica.


Foram, antes dessas eleições, apenas outras 3 em que o voto eleitoral, onde as pesquisas corretamente deram Hillary como vencedora, não bateu com o popular.

Há ainda artigos se propondo a explicar o erro com base em estados ou localidades mais negligenciados pelas pesquisas, cujo padrão de votação destoou do normal. O sistema de colégio eleitoral vai ter essa bizarrice de poder dar a vitória para o perdedor do voto popular, acho que especialmente com eleições populares apertadas (mas já li que há o potencial para um presidente ser eleito com menos de 30% do voto popular).

Citar
https://www.reuters.com/article/us-usa-election-polls/how-the-polls-including-ours-missed-trumps-victory-idUSKBN1343O6
...
The media, including Reuters, pumped out two kinds of poll stories. Some were national surveys designed to estimate the entire country’s popular vote, but not the outcome in individual states, where the contest is actually decided. These polls actually got the big picture right: Clinton won more overall votes than President-elect Donald Trump - but not by as much as the polling averages predicted, and not where she needed to.
...
The models almost universally miscalculated how turnout was distributed among different demographic groups, Young said. And turnout was lower than expected, a result that generally favors Republican candidates.
...




Citar
Eu mesmo, trumpista declarado, fui dormir sem esperar pela apuração porque já "sabia" que ele iria perder, dado o alarido que fez a imprensa sobre os 90% de chances de ela vir a ganhar.
Será que isso não influenciou muito mais do que a "suposta" (e bota suposta nisso) interferência russa?
Eu que moro em outro país, não sofro tanta influência da imprensa americana, estava convicto que Trump perderia, quanto mais quem mora lá e é bombardeado com noticiários toda hora?

É difícil dizer que influenciou positivamente para Hillary, é mais provável o contrário. O voto dos negros caiu muito, além de ter havido menos votos em geral (facultativos). E ainda teve o "Bernie or bust". Isso me sugeriria que mesmo os anti-Trump mais ferrenhos, que achassem da Hillary apenas o mal menor, poderiam ficar em casa tranqüilos em vez de ir votar, sem ter que "sujar as mãos". Do outro lado, certamente houve o maior turnout de neonazistas, KKKs, e afins, que elegeram o primeiro "presidente branco".


(Não tem nada de apenas "suposto" na interferência Russa. Apenas Trump, que acha que o serviços de inteligência são um estado paralelo secreto de Hillary que acredita nisso)


Citar
Previsões erradas escancaram o que realmente aconteceu:
1 - Falsificação de números e levantamentos estatísticos
2 - Tentativa de direcionar os eleitores para Hillary, isso sim, um atentado às leis muito fácil de ser encoberto, bastando alegar erros de análise
3 - Prova de comprometimento da imprensa esquerdista americana, totalmente desacreditada nos dias de hoje
4 - Prova de ser o que o presidente batizou e que nunca mais descola dela, apesar de seus esperneios: FAKE NEWS
5 - Torcida descarada pela candidata democrata

"Fake news" em trumpilíngua é "Lügenpresse", ou "PiG".

Offline Muad'Dib

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.528
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #46 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 14:48:11 »
Citar
Foram, antes dessas eleições, apenas outras 3 em que o voto eleitoral, onde as pesquisas corretamente deram Hillary como vencedora, não bateu com o popular.

E se tem um fato que não sustenta a teoria de conspiração esquerdista para beneficiar a Hillary via manipulação das pesquisas é isso. A mulher venceu no voto popular, e nos swing states o Trump venceu por uma diferença mínima. As pesquisas não estavam manipuladas, só que as peculiaridades do sistema eleitoral americano pesaram.

Não era esse link que eu queria mas agora estou sem tempo para procurar.

https://www.washingtonpost.com/graphics/politics/2016-election/swing-state-margins/


Citar
Do outro lado, certamente houve o maior turnout de neonazistas, KKKs, e afins, que elegeram o primeiro "presidente branco".

E esse maior turnout de alucinados pode ser muito bem explicado pelos trolls russos e outras manipulações  atiçando a mentalidade limitade desse tipo de pessoa. Isso com o fato do Comey (sim, o Comey do FBI), 10 dias antes da eleição, ter lançado uma bomba na campanha da Hillary, os órfãos do Bernie (que estavam putos com razão) explicam a tragédia Trump.

O contorcionismo mental que os trumpsters fazem para justificar esse excremento é coisa de outro mundo. Ontem ele disse que correria, mesmo desarmado, para proteger crianças em situação de mass shooting. Ele é louco.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #47 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 15:11:49 »
Quanto a investigações em torno da casa branca, eu imagino que deve haver alguns paralelos interessantes entre os petistas defendendo a inocência de Lula e de todo mundo, e da inocência geral de Trump e relacionados/indiciados. Vão querer contrato de colusão ilegal assinado, do contrário é PiG/faken-news/Lügenpresse/golpe judiciário/governo secreto.

É engraçada a disparidade do que aceitam como possibilidade de ser real (eufemismo, dão como "fato"), em coisas como a inteligência não afirmar que a influência russa afetou as eleições (o que também não é negar), versus o "#releasethememo". Colocaram todas as esperanças em algo que nunca leram, cujo próprio autor não teve acesso a qualquer material sigiloso para escrever, certos de que seria bombástico contra o FBI, o "governo das sombras" de Hillary. E novamente, é muito difícil poder desprezar com certeza alguma influência dos bots/trolls de Putin, que uns estimam que tenham aumentado a reprodução da tag astronomicamente. Isso cria um efeito "normalizador", outros vêem como real, e reproduzem também. E as pessoas simplesmente se recusam a aceitar terem sofrido esse tipo de manipulação, ou outras. Até algumas reuniões físicas parece que foram coordenadas ou muito incentivadas por russos.

E falando em Nunes...



O site de "notícias" é dele mesmo.

https://slate.com/news-and-politics/2018/02/devin-nunes-funds-own-local-news-site-which-praises-him-as-hero.html

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.595
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #48 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 18:14:57 »

Será que isso não influenciou muito mais do que a "suposta" (e bota suposta nisso) interferência russa?

Talvez.

Sobre a (suposta) influência russa, somente o tempo dirá quem está mentindo.


Mesmo depois de uma declaração oficial, emitida pela autoridade responsável pela investigação de que NÃO houve interferência russa nas eleições, ouvir esse tipo de declaração me faz apenas constatar que você representa a ponta da ferradura que se aproxima dos petistas que gritam sem parar que Lula é inocente.

Se uma constatação oficial não faz você mudar sua viseira, quem sou eu para dizer alguma coisa?


3 - Prova de comprometimento da imprensa esquerdista americana, totalmente desacreditada nos dias de hoje.

Desacreditada para você, que é fanático do Trump.


Não sou fanático.
Vá ler a definição e se retrate.
Eu aceito desculpas.

Fanático tisna a razão e impõe a emoção acima de seus atos.
Eu não faço isso.
Não sou exaltado nem tenho devoção cega a ninguém.

Faço uso da minha razão para as minhas conclusões e tenho o livre direito de pensar o que quiser, mas não vou às raias do fanatismo.
Nem ajo como fanático.
Nem nunca parti para acusação direta a quem quer que seja dentro desse fórum por causa de suas convicções, fechando os olhos aos seus argumentos.
Obrigado.
De nada.


Esse discurso de "fake news" dos trumpistas me lembra demais o discurso do "pig" do Lula.


Pois é, quem não consegue enxergar a distorção dos fatos pela imprensa americana e também a daqui com relação às pautas de Esquerda me faz lembrar da história da ferradura.

Nada vai mudar a visão dos petistas sobre Lula.
Nada vai mudar a visão de quem não enxerga a manipulação da imprensa com relação a Trump.

Boa sorte a quem não vê os fatos.


E o nome disso é teoria da conspiração.

Não há qualquer prova de que tenha ocorrido essa farsa, mas bradam isso com toda "certeza", como "fato alternativo".

Apenas "darem porcentagens, ou dígitos decimais" de pesquisas não é prova de farsa. Isso não tem a menor lógica.



Pesquisas que erram dessa maneira, e quase em uníssono, me lembram outras pesquisas que são feitas por aqui mesmo e que nem são descaradas assim.
Tem um pessoal que diz que Inácio da Silva está em primeiro na corrida presidencial.
Interessante é que esse mesmo Inácio não consegue nem sair à rua, não pode pegar um avião comercial sob pena de chover escrachos em cima dele.
Mas a boa pesquisa eleitoral dá a ele mais de 30%, mesmo quando nos seus comícios só se vê gato pingado de sindicato.

Muito boas essas pesquisas que dão 90% de chance de uma canditata vencer.
Muito boas essas pesquisas que, baseados nelas, muitos preparam até palanque para a festa de comemoração da vitória.
Por aqui, não chegaram a esse nível de descaramento na fraude das pesquisas. Deram somente 30%.
E ninguém acredita.
Um cara que não põe a cabeça na janela sem levar tomatada, mas é o líder nas pesquisas...
Imagina dar 90% então!
Mas não é manipulação, não, imagina!

Pois o resultado da eleição foi uma ducha geladíssima nesse povo.


Mas não adianta os fatos gritarem.
Eu vou sempre ler críticas aos meus comentários como se estivesse lendo de petistas defendendo Lula, Dirceu Herói do Povo Brasileiro.
Não vai ter Rod Rosenstein que lance luz sobre suas convicções.
Elas já estão formadas.

Se vocês não enxergam manipulação aí, eu me despeço e desejo um Feliz Natal a todos.
 :harle:

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Fake News - o que a Ciência já sabe sobre isso
« Resposta #49 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 18:23:23 »

Será que isso não influenciou muito mais do que a "suposta" (e bota suposta nisso) interferência russa?

Talvez.

Sobre a (suposta) influência russa, somente o tempo dirá quem está mentindo.


Mesmo depois de uma declaração oficial, emitida pela autoridade responsável pela investigação de que NÃO houve interferência russa nas eleições, ouvir esse tipo de declaração me faz apenas constatar que você representa a ponta da ferradura que se aproxima dos petistas que gritam sem parar que Lula é inocente.

O texto citado simplesmente não faz essa afirmação, isso é pura interpretação sua.

Citação de: Rod Rosenstein
There is no allegation in this indictment that any American was a knowing participant in this illegal activity. There is no allegation in the indictment that the charged conduct altered the outcome of the 2016 election.

"Não é feita a alegação de que Americanos conscientemente fizeram parte dessa atividade ilegal" =/= "não houve atividade ilegal"

"Não é feita a alegação de que Americanos conscientemente fizeram parte dessa atividade ilegal" =/= "Americanos não fizeram conscientemente parte dessa atividade ilegal"

"Não fazemos a alegação" =/= "fazemos a alegação positiva contrária"


O indiciamento de Mueller a 13 russos e três companhias russas foi por interferir nas eleições.

Citar
https://www.reuters.com/article/us-usa-trump-russia-indictment/u-s-charges-russians-with-2016-u-s-election-tampering-to-boost-trump-idUSKCN1G022U

...

“These Russians engaged in a sinister and systematic attack on our political system. It was a conspiracy to subvert the process, and take aim at democracy itself,” said Paul Ryan, Republican Speaker of the House of Representatives.

...

Paul Ryan é agora lacaio de Hillary e do PiG/Lügenpresse/fakenews?





As pesquisas americanas não tem nada a ver com as brasileiras. As brasileiras terem sido fraudadas não é evidência de que as americanas foram. E não há evidência de que as brasileiras foram/são. Teoria da conspiração não é evidência de outra teoria da conspiração.

Pesquisa de opinião é como a imprensa, partidários de ambos os lados acusarão de armação/PiG/"ditadura esquerdista" sempre que mostrar algo que não gostem.










Já pensaram o escândalo que seria se Dilma/Lula tivessem demitido o principal investigador (Dallagnol), e ordenado demitir o seu substituto?

Imaginem também o Pagliocci/Dirceu/Genoíno dando depoimentos para Dallagnol, e com celular, sendo coordenado por Dilma/Lula a não responder certas perguntas.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!