Autor Tópico: CURA GAY  (Lida 2564 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline pehojof

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 251
Re:CURA GAY
« Resposta #200 Online: 26 de Maio de 2018, 00:51:10 »
É muita castração de liberdade isso que vocês defendem, não acham? Por que um profissional tem que ser um servo de um órgão que restringe sua liberdade se uma ética mais livre apenas exigiria que o profissional declare ao paciente que aquele procedimento não é cientificamente reconhecido pela comunidade científica? Restringir mais que isso é ditadura. Ciência é ditadura?
Não. O Paciente nem sempre saberá o que "cientificamente reconhecido" significa, nem todo mundo entende o básico de ciência, principalmente no Brasil. O Paciente deposita sua confiança no psicólogo ou psiquiatra para resolver seu problema, é dever do profissional proteger seu paciente e não esperar que o paciente saiba como se proteger.

Suponho que o seu "não" seja tanto para a primeira quanto para a terceira pergunta, mas a segunda ficou sem sua resposta. Se não, vejamos:

"O Paciente nem sempre saberá o que "cientificamente reconhecido" significa, nem todo mundo entende o básico de ciência, principalmente no Brasil."

Isso não está em questão e não importa a não ser na medida em que na verdade o que estaria em discussão é exatamente que o que é "cientificamente reconhecido" é discutível em qualquer nível. Além do mais, fragilização e inferiorização das pessoas é meio para impor ditaduras como exatamente a sob foco. Quem tem que definir que está saindo da "normativa" é o profissional, declarar ao paciente, e este não precisa saber "a profundidade desse significado" mas concordar que quer o que a "medicina convencional" não endossa. Tudo deve ficar em escrituração para a fiscalização que deve ser ativa em qualquer situação porque profissionais nunca são confiáveis e propagandear que se deve confiar neles em desamparo total de si mesmo já é fraude. As pessoas devem se preparar para enfrentar a vida. Estamos falando aqui do único mundo real que existe, não de mundos ideais.

"O Paciente deposita sua confiança no psicólogo ou psiquiatra para resolver seu problema"

Pois ele é, para dizer um mínimo não ofensivo, tolo se o fizer, mas se o faz porque quer, é problema dele. Eu não faço isso e sugiro que ninguém nunca faça.

"é dever do profissional proteger seu paciente e não esperar que o paciente saiba como se proteger."

Isso é só frase pronta de efeito; chavão de para-choque. Profissionais efetivamente cometem erros, abusos e crimes contra os pacientes e não se pode contar com a "proteção" deles aos mesmos, dentro ou fora dos "tratamentos normativos da classe". A pressão evolutiva do mundo real é essa mesma: cada um que cuide de si. Quem não tem conhecimento, que procure ter, porque ninguém mais vai te proteger de nada. Desconfio de todo discurso paternalista. Desconfio não, tenho certeza de que é o primeiro e pior dos engodos, porque até o paternalista muitas vezes acredita, com isso eu deixando claro que nem duvido do seu íntimo na sua boa intenção, mas infelizmente você deve muito bem saber que há um sábio adágio popular bem conhecido com essa expressão.
"Et quæ tanta fuit Romam tibi causa videndi?"
"Libertas, quæ sera tamen, respexit inertem,"

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!