Autor Tópico: A falência ético-moral do cristianismo  (Lida 431 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:A falência ético-moral do cristianismo
« Resposta #25 Online: 04 de Maio de 2018, 14:34:47 »
Condenar Deus, a Bíblia e o Cristianismo pelos erros dos homens é fácil demais. Aliás, é uma atitude pusilânime que demonstra fraco caráter.

Estes homens estão sempre tentando achar culpados e transferindo seus erros para figuras de autoridade.

Por que estes homens não julgam a si mesmos? Medo de se olharem no espelho?

Certo. Então nesse caso também não podemos condenar Alá, o Alcorão, o Islamismo, o Budismo e o Marxismo pelos erros dos homens.

Exatamente! Seria muita burrice condenar o Alcorão e o Islã só porque alguns fanáticos decidiram se autodetonar, até porque o conhecimento para fabricar explosivos adveio da ciência e não da religião.

Perfeito.

A contribuição da religião foi fornecer a ignorância

Quem não fornece a ciência semeia a ignorância?


Citar
e o fanatismo.

Quem forneceu o fanatismo dos homens-suicidas do Islão foi o Velho Da Montanha e sua seita de Assassinos.

Então não culpe Alá ou o Alcorão pelos interesses políticos dos homens.



Vários pensadores cristãos como Santo Agostinho ou Tomás de Aquino contribuíram na elaboração
sobre o direito à "Guerra Justa".
Apelo (claro) à autoridade?

(Geotecton, acorda!)

Tais "pensadores" cristãos contribuíram ou não para o conceito de "Guerra Justa"?

Ah, então é assim? Retórica pra driblar falácias está valendo?

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:A falência ético-moral do cristianismo
« Resposta #26 Online: 04 de Maio de 2018, 14:43:34 »
A grande pergunta é:

Será que me concederão a mesma chance de me explicar caso eu cometa, sem querer, uma falácia? 

Ou já irão logo de cara meter um cartão amarelo?

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.557
  • Sexo: Masculino
Re:A falência ético-moral do cristianismo
« Resposta #27 Online: 04 de Maio de 2018, 14:47:49 »
Condenar Deus, a Bíblia e o Cristianismo pelos erros dos homens é fácil demais. Aliás, é uma atitude pusilânime que demonstra fraco caráter.

Estes homens estão sempre tentando achar culpados e transferindo seus erros para figuras de autoridade.

Por que estes homens não julgam a si mesmos? Medo de se olharem no espelho?

Certo. Então nesse caso também não podemos condenar Alá, o Alcorão, o Islamismo, o Budismo e o Marxismo pelos erros dos homens.

Exatamente! Seria muita burrice condenar o Alcorão e o Islã só porque alguns fanáticos decidiram se autodetonar, até porque o conhecimento para fabricar explosivos adveio da ciência e não da religião.
Perfeito.

A contribuição da religião foi fornecer a ignorância
Quem não fornece a ciência semeia a ignorância?

Basicamente, sim.


e o fanatismo.
Quem forneceu o fanatismo dos homens-suicidas do Islão foi o Velho Da Montanha e sua seita de Assassinos.

Então não culpe Alá ou o Alcorão pelos interesses políticos dos homens.

O extermínio de (pessoas e grupos) 'diferentes' ocorre desde sempre em todas as religiões, sem nenhuma exceção.


Citação de: Martinho Lutero
Vários pensadores cristãos como Santo Agostinho ou Tomás de Aquino contribuíram na elaboração
sobre o direito à "Guerra Justa".
Apelo (claro) à autoridade?

(Geotecton, acorda!)
Tais "pensadores" cristãos contribuíram ou não para o conceito de "Guerra Justa"?
Ah, então é assim? Retórica pra driblar falácias está valendo?

Não, não está.

Ainda assim eu quero saber se você aceita que o conceito de "Guerra Justa" teve contribuição de "pensadores" cristãos.
Foto USGS

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:A falência ético-moral do cristianismo
« Resposta #28 Online: 04 de Maio de 2018, 15:20:00 »
Condenar Deus, a Bíblia e o Cristianismo pelos erros dos homens é fácil demais. Aliás, é uma atitude pusilânime que demonstra fraco caráter.

Estes homens estão sempre tentando achar culpados e transferindo seus erros para figuras de autoridade.

Por que estes homens não julgam a si mesmos? Medo de se olharem no espelho?

Certo. Então nesse caso também não podemos condenar Alá, o Alcorão, o Islamismo, o Budismo e o Marxismo pelos erros dos homens.

Exatamente! Seria muita burrice condenar o Alcorão e o Islã só porque alguns fanáticos decidiram se autodetonar, até porque o conhecimento para fabricar explosivos adveio da ciência e não da religião.
Perfeito.

A contribuição da religião foi fornecer a ignorância
Quem não fornece a ciência semeia a ignorância?

Basicamente, sim.

Presunção e preconceito.

Quer dizer então que: artistas eruditos, basicamente, semeiam ignorância? E um lixeiro?



e o fanatismo.
Quem forneceu o fanatismo dos homens-suicidas do Islão foi o Velho Da Montanha e sua seita de Assassinos.

Então não culpe Alá ou o Alcorão pelos interesses políticos dos homens.

O extermínio de (pessoas e grupos) 'diferentes' ocorre desde sempre em todas as religiões, sem nenhuma exceção.


Mas quem forneceu o fanatismo foram homens motivados mais por questões políticas do que religiosas.



Citação de: Martinho Lutero
Vários pensadores cristãos como Santo Agostinho ou Tomás de Aquino contribuíram na elaboração
sobre o direito à "Guerra Justa".
Apelo (claro) à autoridade?

(Geotecton, acorda!)
Tais "pensadores" cristãos contribuíram ou não para o conceito de "Guerra Justa"?
Ah, então é assim? Retórica pra driblar falácias está valendo?

Não, não está.

Ainda assim eu quero saber se você aceita que o conceito de "Guerra Justa" teve contribuição de "pensadores" cristãos.

Que diferença faz? Não importa o que fulano ou beltrano (ou seja, meros homens) disseram. Para Cristãos coerentes o que importa é o que está na Bíblia.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.557
  • Sexo: Masculino
Re:A falência ético-moral do cristianismo
« Resposta #29 Online: 04 de Maio de 2018, 15:29:57 »
Condenar Deus, a Bíblia e o Cristianismo pelos erros dos homens é fácil demais. Aliás, é uma atitude pusilânime que demonstra fraco caráter.

Estes homens estão sempre tentando achar culpados e transferindo seus erros para figuras de autoridade.

Por que estes homens não julgam a si mesmos? Medo de se olharem no espelho?

Certo. Então nesse caso também não podemos condenar Alá, o Alcorão, o Islamismo, o Budismo e o Marxismo pelos erros dos homens.

Exatamente! Seria muita burrice condenar o Alcorão e o Islã só porque alguns fanáticos decidiram se autodetonar, até porque o conhecimento para fabricar explosivos adveio da ciência e não da religião.
Perfeito.

A contribuição da religião foi fornecer a ignorância
Quem não fornece a ciência semeia a ignorância?

Basicamente, sim.

Presunção e preconceito.

Quer dizer então que: artistas eruditos, basicamente, semeiam ignorância? E um lixeiro?

Não retire as minhas palavras do contexto da discussão.

Estamos discutindo sobre Ciência e crendices religiosas.


e o fanatismo.
Quem forneceu o fanatismo dos homens-suicidas do Islão foi o Velho Da Montanha e sua seita de Assassinos.

Então não culpe Alá ou o Alcorão pelos interesses políticos dos homens.
O extermínio de (pessoas e grupos) 'diferentes' ocorre desde sempre em todas as religiões, sem nenhuma exceção.

Mas quem forneceu o fanatismo foram homens motivados mais por questões políticas do que religiosas.

Todos tiveram como base a crença em algum "livro sagrado" (sic).


Citação de: Martinho Lutero
Vários pensadores cristãos como Santo Agostinho ou Tomás de Aquino contribuíram na elaboração
sobre o direito à "Guerra Justa".
Apelo (claro) à autoridade?

(Geotecton, acorda!)
Tais "pensadores" cristãos contribuíram ou não para o conceito de "Guerra Justa"?
Ah, então é assim? Retórica pra driblar falácias está valendo?
Não, não está.

Ainda assim eu quero saber se você aceita que o conceito de "Guerra Justa" teve contribuição de "pensadores" cristãos.
Que diferença faz? Não importa o que fulano ou beltrano (ou seja, meros homens) disseram. Para Cristãos coerentes o que importa é o que está na Bíblia.

Então pare de usar os argumentos com base em 'exegese', 'apologética' ou 'hermenêutica' porque o que importa é o que está na bíblia literalmente e nada pode ser derivado ou interpretado.
Foto USGS

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:A falência ético-moral do cristianismo
« Resposta #30 Online: 04 de Maio de 2018, 15:55:36 »
Condenar Deus, a Bíblia e o Cristianismo pelos erros dos homens é fácil demais. Aliás, é uma atitude pusilânime que demonstra fraco caráter.

Estes homens estão sempre tentando achar culpados e transferindo seus erros para figuras de autoridade.

Por que estes homens não julgam a si mesmos? Medo de se olharem no espelho?

Certo. Então nesse caso também não podemos condenar Alá, o Alcorão, o Islamismo, o Budismo e o Marxismo pelos erros dos homens.

Exatamente! Seria muita burrice condenar o Alcorão e o Islã só porque alguns fanáticos decidiram se autodetonar, até porque o conhecimento para fabricar explosivos adveio da ciência e não da religião.
Perfeito.

A contribuição da religião foi fornecer a ignorância
Quem não fornece a ciência semeia a ignorância?

Basicamente, sim.

Presunção e preconceito.

Quer dizer então que: artistas eruditos, basicamente, semeiam ignorância? E um lixeiro?

Não retire as minhas palavras do contexto da discussão.

Estamos discutindo sobre Ciência e crendices religiosas.

Meu caro, eu havia feito uma pergunta clara: ''Quem não fornece a ciência semeia a ignorância?''
 
Você respondeu: ''Basicamente, sim.''
 

e o fanatismo.
Quem forneceu o fanatismo dos homens-suicidas do Islão foi o Velho Da Montanha e sua seita de Assassinos.

Então não culpe Alá ou o Alcorão pelos interesses políticos dos homens.
O extermínio de (pessoas e grupos) 'diferentes' ocorre desde sempre em todas as religiões, sem nenhuma exceção.

Mas quem forneceu o fanatismo foram homens motivados mais por questões políticas do que religiosas.

Todos tiveram como base a crença em algum "livro sagrado" (sic).

Correção: todos esses fanáticos distorceram algum Livro sagrado a fim de justificarem seus atos corruptos.


Citação de: Martinho Lutero
Vários pensadores cristãos como Santo Agostinho ou Tomás de Aquino contribuíram na elaboração
sobre o direito à "Guerra Justa".
Apelo (claro) à autoridade?

(Geotecton, acorda!)
Tais "pensadores" cristãos contribuíram ou não para o conceito de "Guerra Justa"?
Ah, então é assim? Retórica pra driblar falácias está valendo?
Não, não está.

Ainda assim eu quero saber se você aceita que o conceito de "Guerra Justa" teve contribuição de "pensadores" cristãos.
Que diferença faz? Não importa o que fulano ou beltrano (ou seja, meros homens) disseram. Para Cristãos coerentes o que importa é o que está na Bíblia.

Então pare de usar os argumentos com base em 'exegese', 'apologética' ou 'hermenêutica' porque o que importa é o que está na bíblia literalmente e nada pode ser derivado ou interpretado.

Se não dispuséssemos de ferramentas adequadas para interpretar os Livros Sagrados Antigos, imagina o que iria ocorrer?

Interpretações enviesadas e turvas baseadas em nossos conceitos e preconceitos?

Não, meu caro, essas ferramentas se fazem eficazes e necessárias. 

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!