Forum Clube Cetico

Discussões => Religiões, Crenças e Mitos => Tópico iniciado por: Micrômegas em 20 de Setembro de 2010, 15:01:43

Título: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Micrômegas em 20 de Setembro de 2010, 15:01:43
No mesmo dia houve uma matéria no Fantástido sobre Chico Xavier. 

Achei interessante o resultado da enquete sobre quem acredita em Reencarnação. 81% disseram acreditar e os outros 19% não acreditam. Esses 19% creio que foram de católicos, evangélicos e protestantes, ficando uma parcela muito pequena para o ceticismo e o ateísmo (é o que eu deduzi).


Os tempos estão difíceis para o ateismo. Novelas dando primeiro lugar em audiênica; Filmes estourando o récorde de bilhereiras e sujeito a concorrer o Oscar. Livros na lista do mais vendidos; vários programas espíritas na tv brasileira; várias citações em quase todos os programas, inclusive o Pânico; O meio acadêmico está bem mais flexicivel aceitando palestras e cursos espíritas dentro de suas faculdades. Além disso, uma simples busca na net por determinado assuntos com cunho religioso, filosofico, teologico etc notem que os primeiros resultados caem em sites espíritas ou algum artigo espírita.


É por isso que tenho notado que os espíritas que gostam de defender a Doutrina Espírita tem sumido de foruns de discussões que atacam o Espíritismo; eles estão vendo que não precisam ficar discutindo ou perdendo tempo porque o espiritismo cresce com os ataques e é impossível ser parado.  :ok:


http://www.youtube.com/v/vBs_CfOb8lE

http://www.youtube.com/v/1PdqnJa79h0

http://www.youtube.com/v/HtMtd82Yo7I




abraços
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Mr. Mustard em 20 de Setembro de 2010, 15:05:52
Os tempos estão difíceis para o ateismo. Novelas dando primeiro lugar em audiênica; Filmes estourando o récorde de bilhereiras e sujeito a concorrer o Oscar. Livros na lista do mais vendidos; vários programas espíritas na tv brasileira; várias citações em quase todos os programas, inclusive o Pânico; O meio acadêmico está bem mais flexicivel aceitando palestras e cursos espíritas dentro de suas faculdades. Além disso, uma simples busca na net por determinado assuntos com cunho religioso, filosofico, teologico etc notem que os primeiros resultados caem em sites espíritas ou algum artigo espírita.

É por isso que tenho notado que os espíritas que gostam de defender a Doutrina Espírita tem sumido de foruns de discussões que atacam o Espíritismo; eles estão vendo que não precisam ficar discutindo ou perdendo tempo porque o espiritismo cresce com os ataques e é impossível ser parado.  :ok:

E?
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Dr. Manhattan em 20 de Setembro de 2010, 15:08:27
Hmm... Deixa eu desenhar:



(http://3.bp.blogspot.com/_-V3ZME3FxHo/TIGmH1-wisI/AAAAAAAAAZ4/STXCBEnsIQE/s1600/DSC03025.JPG)



Entendeu agora?
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gaúcho em 20 de Setembro de 2010, 15:11:39
Sem contar que o número de espíritas, perto das grandes religiões, é quase nada. É como comemorar que seu time conseguiu acesso à série D do Brasileiro...
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Contini em 20 de Setembro de 2010, 15:18:59

Citar
É por isso que tenho notado que os espíritas que gostam de defender a Doutrina Espírita tem sumido de foruns de discussões que atacam o Espíritismo;
Bom,
partindo da amostragem deste forum, é fácil concluir que os espíritas não ficam muito tempo pois não conseguem sustentar sua crença com argumentos.

E realmente, os tempos parecem realmente ruins para o pensamento racional, mas essa religião está muito relacionada a falta de cultura e educação de um povo, haja visto que é uma crença que prospera somente em países com educação deficiente (Brasil, Africa, etc). Mas a Europa conseguiu se livrar desta crença moralmente atrazada, quem sabe não tomemos o mesmo caminho, mesmo que demore...
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gaúcho em 20 de Setembro de 2010, 15:30:24
Eu acho incrível como crentes não conseguem enxergar a contradição óbvia de acreditar que, dentre as milhares de religiões existentes e contraditórias entre si, ele teve a sorte de escolher a única correta.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Micrômegas em 20 de Setembro de 2010, 17:22:04
Hmm... Deixa eu desenhar:



(http://3.bp.blogspot.com/_-V3ZME3FxHo/TIGmH1-wisI/AAAAAAAAAZ4/STXCBEnsIQE/s1600/DSC03025.JPG)



Entendeu agora?
Que fato, o materialismo?

Ja ouviu falar da falácia contra-falácias Judas Scariotium (sic) ? Não deve ter ouvido pois acabei de inventar  :D.

Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Geotecton em 20 de Setembro de 2010, 17:34:07
No mesmo dia houve uma matéria no Fantástido sobre Chico Xavier.

Isto chamasse "segmentação de mercado".


Achei interessante o resultado da enquete sobre quem acredita em Reencarnação. 81% disseram acreditar e os outros 19% não acreditam. Esses 19% creio que foram de católicos, evangélicos e protestantes, ficando uma parcela muito pequena para o ceticismo e o ateísmo (é o que eu deduzi).

Acreditar. Eis o que separa o crente do cético, em particular do cético cientista.

O mito da reencarnação é anterior ao espiritismo kardecista que somado à falta de conhecimento da doutrina cristã por parte da maioria dos católicos e o sincretismo de crenças, explica satisfatoriamente este (alegado) percentual.

Os ateus e os céticos são minoria não de hoje mas desde que a primeira corrente filosófica cética foi implantada na Grécia no século 3 AC, com Pirro de Élis.


Os tempos estão difíceis para o ateismo.

Sempre foram, assim como sempre foi elevado o índice de crendice e de ignorância científica!


Novelas dando primeiro lugar em audiênica; Filmes estourando o récorde de bilhereiras e sujeito a concorrer o Oscar. Livros na lista do mais vendidos; vários programas espíritas na tv brasileira; várias citações em quase todos os programas, inclusive o Pânico; O meio acadêmico está bem mais flexicivel aceitando palestras e cursos espíritas dentro de suas faculdades. Além disso, uma simples busca na net por determinado assuntos com cunho religioso, filosofico, teologico etc notem que os primeiros resultados caem em sites espíritas ou algum artigo espírita.

Primeiro. Argumentum ad populum.

Segundo. Novelas? Faustão? Filme sobre Chico Xavier? Livros e programas espíritas? O que isto indica, além de crendice?

Terceiro. O número de espíritas kardecistas e congêneres é muito menor que o número de católicos, por exemplo.

Quarto. O "meio acadêmico está mais flexível"? De qual "meio acadêmico" voce está falando? Da Faculdade Espírita do Paraná ou da USP? E do que se trata esta "maior flexibilidade com cursos e palestras"? Análise de cunho histórico ou análise de cunho científico (que eu duvido em universidades de ponta!)?


É por isso que tenho notado que os espíritas que gostam de defender a Doutrina Espírita tem sumido de foruns de discussões que atacam o Espíritismo; eles estão vendo que não precisam ficar discutindo ou perdendo tempo porque o espiritismo cresce com os ataques e é impossível ser parado.  :ok:

O que significa "parar" o espiritismo? Ameaçar fisicamente os seus adeptos? Eu acho que não é isto, "né" Micrômegas?


abraços

Retribuo.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: André Luiz em 20 de Setembro de 2010, 17:48:33
Muito barulho por nada

A crença em "isprito" existe a muito tempo e nao vai ser agora que ira sumir
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Micrômegas em 20 de Setembro de 2010, 17:59:52
No mesmo dia houve uma matéria no Fantástido sobre Chico Xavier.

Isto chamasse "segmentação de mercado".


Achei interessante o resultado da enquete sobre quem acredita em Reencarnação. 81% disseram acreditar e os outros 19% não acreditam. Esses 19% creio que foram de católicos, evangélicos e protestantes, ficando uma parcela muito pequena para o ceticismo e o ateísmo (é o que eu deduzi).

Acreditar. Eis o que separa o crente do cético, em particular do cético cientista.

O mito da reencarnação é anterior ao espiritismo kardecista que somado à falta de conhecimento da doutrina cristã por parte da maioria dos católicos e o sincretismo de crenças, explica satisfatoriamente este (alegado) percentual.

Os ateus e os céticos são minoria não de hoje mas desde que a primeira corrente filosófica cética foi implantada na Grécia no século 3 AC, com Pirro de Élis.


Os tempos estão difíceis para o ateismo.

Sempre foram, assim como sempre foi elevado o índice de crendice e de ignorância científica!


Novelas dando primeiro lugar em audiênica; Filmes estourando o récorde de bilhereiras e sujeito a concorrer o Oscar. Livros na lista do mais vendidos; vários programas espíritas na tv brasileira; várias citações em quase todos os programas, inclusive o Pânico; O meio acadêmico está bem mais flexicivel aceitando palestras e cursos espíritas dentro de suas faculdades. Além disso, uma simples busca na net por determinado assuntos com cunho religioso, filosofico, teologico etc notem que os primeiros resultados caem em sites espíritas ou algum artigo espírita.

Primeiro. Argumentum ad populum.

Segundo. Novelas? Faustão? Filme sobre Chico Xavier? Livros e programas espíritas? O que isto indica, além de crendice?

Terceiro. O número de espíritas kardecistas e congêneres é muito menor que o número de católicos, por exemplo.

Quarto. O "meio acadêmico está mais flexível"? De qual "meio acadêmico" voce está falando? Da Faculdade Espírita do Paraná ou da USP? E do que se trata esta "maior flexibilidade com cursos e palestras"? Análise de cunho histórico ou análise de cunho científico (que eu duvido em universidades de ponta!)?


É por isso que tenho notado que os espíritas que gostam de defender a Doutrina Espírita tem sumido de foruns de discussões que atacam o Espíritismo; eles estão vendo que não precisam ficar discutindo ou perdendo tempo porque o espiritismo cresce com os ataques e é impossível ser parado.  :ok:

O que significa "parar" o espiritismo? Ameaçar fisicamente os seus adeptos? Eu acho que não é isto, "né" Micrômegas?


abraços

Retribuo.
Vocês ainda não entenderam uma coisa. Vocês não estão defendendo a ciência, nunca estiveram, e nunca irão defender, porque a ciência não precisa de defensores sendo ela uma exploradora da verdade. Vocês estão defendendo o materialismo, e usando a ciência como muleta, so isso, nada além disso; o resto é um ad hoc paralelo com as descobertas. Uma crença que crer que não existe nada além da matéria: é nisso que vocês creem, porque a ciência não é fruto de opniões.

Se a ciência provar que existe algo fora da matéria vocês tem que engolir, portanto, não tem como vocês defende-la pois ela não precisa da opnião de vocês; precisa de cientistas que buscam a verdade seja qual for;  muito pelo contrário do materialismo que busca uma verdade pessoal. É tão verdade que se caso provar que existe algo além da matéria a culpa do entravamento e atraso da ciência é toda de vocês.

Não pensaram nisso, "né" Geotecton.






não tenho paciência de quotar todas as frases como você, o forum não ajuda; por isso é um argumento para todo o post.

Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Mr. Mustard em 20 de Setembro de 2010, 18:19:09
Vocês ainda não entenderam uma coisa. Vocês não estão defendendo a ciência, nunca esteve, e nunca irão defender, porque a ciência não precisa de defensores sendo ela uma exploradora da verdade. Vocês estão defendendo o materialismo, e usando a ciência como muleta, so isso, nada além disso: uma crença que crer que não existe nada além da matéria: é nisso que vocês creem, porque a ciência não é fruto de opniões.

Se a ciência provar que existe algo fora da matéria vocês tem que engolir, portanto, não tem como vocês defender a ciência pois ela não precisa da opnião de vocês; precisa de ciêntistas que buscam a verdade independente de qual for; Muito pelo contrário do materialismo: se caso provar que existe algo além da matéria a culpa do entravamento e atraso da ciência é toda de vocês.

Não pensaram nisso, "ne" Geotecton.

não tenho paciência de quotar todas as frases como você, o forum não ajuda; por isso é um argumento para todo o post.

Maaaannhhhhêêêê, o Micrômegas me chamou de materialista!!! :hehe:

Caro forista,

É uma brincadeira, não leve a mal.
Mas acho que você não está nada bem hoje, não é?
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Mister B em 20 de Setembro de 2010, 18:22:56
Não, Micromegas. Não temos que engolir nada. Não batemos o pé ou pirraça. Não eu, ao menos. Somos contra apenas gente, como você, que vem a um fórum de céticos querendo que aceitemos suas crenças e ainda tenta baseá-las em ciência. E o pior, com um argumento simplório como esse, de "aumento de interesse", como se isso dissesse alguma coisa.

Agora vem dizer que usamos a ciência como muleta... Por favor. Acho que nenhum dos céticos aqui venera a ciência ou faz orações pra ela ou acha que tudo é explicado e o que não é explicado é ação do "sobrenatural". Se algo que antes era considerado "sobrenatural" for provado pela ciência, sabe o que acontece? Ela se torna natural, pois passa a pertencer à nossa compreensão.

O que não fazemos é aceitar coisas sem explicações que podem ser provadas. E nem digo só cientificamente, mas empiricamente. Espíritos, o que é o seu caso, vai de encontro ao que o AngeloItacare prega em outro tópico. Qual de vocês está certo? E se vocês dois estiverem errados e o certo for o Deus Bumba, o do vômito cósmico? Um cético não é aquele que não acredita porque não quer acreditar. Ele não acredita porque não vê motivos para tal. Alguém que não acredita em nada é niilista.

E tem mais:  se um cético acredita cegamente na ciência porque ele acha que ela é a única verdade, aí sim ele está sendo radical. Mas como exposto pelo Contini, a ciência é a melhor forma que temos de obter conhecimento. E ela não te obriga a acreditar nela, nem promete castigos. Ela apenas estuda o universo e fornece as ferramentas para conhecermos ainda mais.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Contini em 20 de Setembro de 2010, 19:10:39
Citar
Vocês ainda não entenderam uma coisa. Vocês não estão defendendo a ciência, nunca esteve, e nunca irão defender, porque a ciência não precisa de defensores sendo ela uma exploradora da verdade. Vocês estão defendendo o materialismo, e usando a ciência como muleta, so isso, nada além disso: uma crença que crer que não existe nada além da matéria: é nisso que vocês creem, porque a ciência não é fruto de opniões.
ERRADO.
Estamos "defendendo" como voce diz, o pensamento racional e o metodo científico.
Essa estorinha de materialismo foi invenção de religiosos para tentar desqualificar quem defenda a ciencia quando essa não corrobora as crenças espiritas.

Micromegas, está claro que voce não entende nadade ciencias, pelo seu desejo que a mesma prove sua religião. Isso não vai acontecer. Não adianta inventar uma nova ciencia, só porque a real não colabora com sua religião.
Veja esse link, sobre o método científico. Está em linguagem simples e clara:
http://www.projetoockham.org/ferramentas_metodo_1.html

Leia antes, e entenda o que é ciencia de verdade, para não cair de novo nesses enganos. A ciencia é uma ferramenta, que não é perfeita mas comprovadamente é a melhor que temos, e ela não está aí para provar uma religião só porque ela é do seu agrado.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Geotecton em 20 de Setembro de 2010, 19:14:01
Vocês ainda não entenderam uma coisa. Vocês não estão defendendo a ciência, nunca esteve, e nunca irão defender, porque a ciência não precisa de defensores sendo ela uma exploradora da verdade.

Eu não estou "defendendo a ciência" e sim afirmando que ela não corrobora, até o momento, a posição espírita de que o Espiritismo é científico.

Sem entrar no mérito filosófico, eu modestamente acho que a ciência não busca a "verdade" e sim procura descrever, analisar e interpretar a realidade objetiva, ou seja, aquilo que se apresenta para nós pela razão e os sentidos.


Vocês estão defendendo o materialismo, e usando a ciência como muleta, so isso, nada além disso: uma crença que crer que não existe nada além da matéria: é nisso que vocês creem, porque a ciência não é fruto de opniões.

A filosofia materialista não "crê" que não existe nada além da matéria (e energia) e sim duvida de que exista algo além de, até que se apresente as evidências racionais disto.

Admite-se que há três grupos distintos de conhecimento: a filosofia (que busca a "verdade" racional), a religião (que busca a "verdade" revelada) e a ciência (que busca a "verdade" empírico-racional). Os céticos partem da premissa que se uma informação de "algo" não pode ser obtida pela razão e pelos sentidos, então não há motivo para considerar que este "algo" exista, além da esfera da crença.

A ciência não é fruto de opiniões? Tudo bem, mas há necessidade de um parêntesis nisto. A ciência também evolui, principalmente sua epistemologia.


Se a ciência provar que existe algo fora da matéria vocês tem que engolir, portanto, não tem como vocês defender a ciência pois ela não precisa da opnião de vocês; precisa de ciêntistas que buscam a verdade independente de qual for; Muito pelo contrário do materialismo.

Eu não terei que "engolir" nada. Uma vez comprovada a sua proposição, eu passaria a incluir aquela informação em meu cabedal científico.

Sua indignação contra o materialismo está obnubilando a sua qualidade na avaliação sobre o 'fazer-ciência' dos ateus, pois gostaria de lembrá-lo que a imensa maioria dos principais cientistas, hoje, é atéia. E entre os ateus, a maioria em momento algum, vociferou gratuitamente contra os deuses ou o sobrenatural, mas apenas quando são chamados para debater.


É tão verdade que se caso provar que existe algo além da matéria a culpa do entravamento e atraso da ciência é toda de vocês.

Não Micrômegas, a partir do momento que qualquer coisa do espiritismo ou do teísmo em geral for provado, ele passará ao corpus de conhecimento da ciência.

E aí eu pergunto: Porque é que todos os casos apresentados pelos espíritas não passaram pelo crivo da Ciência? Sem respostas ad hoc, por favor!  


Não pensaram nisso, "ne" Geotecton.

Pensamos sim, Micrômegas, pensamos sim!

Tanto é verdade que há um certo consenso (apaziguamento?), de que o "conhecimento espiritual" não pode ser demonstrado cientificamente, onde a premissa materialista considera que o sobrenatural não existe, ao passo que a premissa teísta afirma que são duas categorias de substâncias diferentes, e que o sobrenatural não pode ser identificado pela razão sensível, mas somente pela fé e pela razão pura.


não tenho paciência de quotar todas as frases como você, o forum não ajuda; por isso é um argumento para todo o post.

Não pedi para voce "quotar" todas as frases. Eu o faço por respeito a voce e para manter a clareza do diálogo.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Contini em 20 de Setembro de 2010, 19:15:33
E eu dei uma explicação perfeitamente plausível sobre a sua suposição equivocada sobre o comportamento dos religiosos espíritas neste forum.
Inclusive é só reler os debates que fica clara a total falta de argumentos e as falácias que a maioria dos crentes espíritas vem apregoar aqui, e como eles "somem" quando começam a ser questionados...
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Diegojaf em 21 de Setembro de 2010, 07:18:25
Nós já tivemos tempos bons no Brasil? :|
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Contini em 21 de Setembro de 2010, 13:32:37
Nós já tivemos tempos bons no Brasil? :|
:histeria: :histeria: O Diego já refutou o "argumento...
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: West em 21 de Setembro de 2010, 14:38:14
Assisti essa entrevista e achei que os entrevistados se sentiram bastante constrangidos com as perguntas, talvez por vergonha de confessar que acreditavam em toda essa papagaiada ou por medo de dizer que não acriditam e serem discriminados em rede nacional . Isso ficou banstante evidente.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Contini em 21 de Setembro de 2010, 14:43:10
Falando em educação científica, o desconhecimento de como funciona a ciencia não é privilégio nosso, veja nos EUA:
http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/802161-universitarios-acreditam-que-et-fez-piramides-analfabetismo-cientifico-nos-eua-preocupa.shtml
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: O Grande Capanga em 21 de Setembro de 2010, 15:59:34
Falando em educação científica, o desconhecimento de como funciona a ciencia não é privilégio nosso, veja nos EUA:
http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/802161-universitarios-acreditam-que-et-fez-piramides-analfabetismo-cientifico-nos-eua-preocupa.shtml

E quem acredita que exista um barbudo que fez o mundo?

E olha que não estou falando dos criacionistas de terra jovem, que acreditam que o mundo tem uns 6000 anos.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Spitfire em 21 de Setembro de 2010, 21:14:54
Acho que não somos nós, ateus, que estão em apuros... talvez na época das inquisições fosse uma má época, hoje não... vide o malabarismo pseudo-intelectual que algumas correntes estão precisando fazer para manter seu quinhão. Pastores patrocinando lutas-livres abençoadas e espíritas largando o "magnetismo" e apelando para o "novo" argumento Quântico.

A vida nunca esteve tão difícil para os geradores de BULLSHIT.    ;P
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Fabrício em 21 de Setembro de 2010, 21:49:37
Citar
E quem acredita que exista um barbudo que fez o mundo?

Os petistas... :hihi:
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: O Grande Capanga em 21 de Setembro de 2010, 21:59:58
Citar
E quem acredita que exista um barbudo que fez o mundo?

Os petistas... :hihi:

:histeria: :histeria: :histeria:
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: calvino em 22 de Setembro de 2010, 09:44:02
Citar
E quem acredita que exista um barbudo que fez o mundo?

Os petistas... :hihi:

:histeria: :histeria: :histeria:

:rola:
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Rios em 22 de Setembro de 2010, 17:39:07

Se a ciência provar que existe algo fora da matéria vocês tem que engolir, portanto, não tem como vocês defende-la pois ela não precisa da opnião de vocês; precisa de cientistas que buscam a verdade seja qual for;  muito pelo contrário do materialismo que busca uma verdade pessoal. É tão verdade que se caso provar que existe algo além da matéria a culpa do entravamento e atraso da ciência é toda de vocês.


Ok, então nós céticos estamos entravando a ciência, que ja deveria ter aceito a existênica de espíritos a muito tempo, baseado nas seguintes evidências:

a) ________________________________________________
b) ________________________________________________
c) ________________________________________________

Complete as lacunas.


Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Hold the Door em 26 de Setembro de 2010, 13:49:49
Mas qual a novidade, Micrômegas? Não é de hoje que os autores e atores da Globo têm um pé no espiritismo. Esse sempre foi um tema recorrente nas novelas da Globo. E o Brasil tem a maior - e única - concentração de espíritas e simpatizantes do espiritismo no mundo. Nada mais natural que reportagens ou um filme com esse tema, ainda mais sobre Chico Xavier, faça sucesso aqui.

E em uma cultura de BBB, pagode, funk e mulheres-fruta eu realmente ia achar estranho se o pensamento racional e o ceticismo fossem a vertente dominante na população...
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Lion em 26 de Setembro de 2010, 15:40:49
Nós já tivemos tempos bons no Brasil? :|

Humm... Essa é difícil, vou ter de pensar um pouco, mas alguma coisa me diz - talvez um espírito   :P  - que nunca houve tempo bom.   


Mas qual a novidade, Micrômegas? Não é de hoje que os autores e atores da Globo têm um pé no espiritismo. Esse sempre foi um tema recorrente nas novelas da Globo. E o Brasil tem a maior - e única - concentração de espíritas e simpatizantes do espiritismo no mundo. Nada mais natural que reportagens ou um filme com esse tema, ainda mais sobre Chico Xavier, faça sucesso aqui.

E em uma cultura de BBB, pagode, funk e mulheres-fruta eu realmente ia achar estranho se o pensamento racional e o ceticismo fossem a vertente dominante na população...

Isso porque o Brasil é coração do mundo e pátria do evangelho, seu incrédulo.  ;P

http://www.uemmg.org.br/list.noticia.php/origem/20/noticia/508/titulo/Brasil_coracao_do_mundo_patria_do_evangelho

Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: parcus em 26 de Setembro de 2010, 18:37:05
Mas qual a novidade, Micrômegas? Não é de hoje que os autores e atores da Globo têm um pé no espiritismo. Esse sempre foi um tema recorrente nas novelas da Globo. E o Brasil tem a maior - e única - concentração de espíritas e simpatizantes do espiritismo no mundo. Nada mais natural que reportagens ou um filme com esse tema, ainda mais sobre Chico Xavier, faça sucesso aqui.

E em uma cultura de BBB, pagode, funk e mulheres-fruta eu realmente ia achar estranho se o pensamento racional e o ceticismo fossem a vertente dominante na população...
Isso é impressionante, tudo o que você precisa fazer para convencer esses caras é dar uma vida de sucesso e eles acreditam em qualquer ladainha que justifique esse sucesso... e isso prova como não só o ensino público como o privado não dão o mínimo de senso crítico para as pessoas. Aqui na UnB há uma disciplina chamada "Práticas de saúde", é impressionante como as pessoas acham que existe algo como "saúde espiritual", e isso não é só padrão da nutrição como também é padrão na medicina em que os alunos teoricamente estudaram mais durante o ensino médio.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gaúcho em 26 de Setembro de 2010, 20:50:38

Se a ciência provar que existe algo fora da matéria vocês tem que engolir, portanto, não tem como vocês defende-la pois ela não precisa da opnião de vocês; precisa de cientistas que buscam a verdade seja qual for;  muito pelo contrário do materialismo que busca uma verdade pessoal. É tão verdade que se caso provar que existe algo além da matéria a culpa do entravamento e atraso da ciência é toda de vocês.


Ok, então nós céticos estamos entravando a ciência, que ja deveria ter aceito a existênica de espíritos a muito tempo, baseado nas seguintes evidências:

a) ________________________________________________
b) ________________________________________________
c) ________________________________________________

Complete as lacunas.




a) (http://www.saindodamatrix.com.br/archives/mat-josefa-peixotinho.jpg)

b) (http://www.espiritismogi.com.br/fotos/irma%20josefa%202.jpg)

c) (http://www.espiritismogi.com.br/fotos/valter%20veloso.jpg)

Precisa de mais, incrédulo?
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: HeadLikeAHole em 26 de Setembro de 2010, 21:41:37
Duvido que alguma pessoa que "acredite" em reencarnação se mate para provar a sua crença.

Eu não entendo os crentes, se eu tivesse certeza que reencarnaria depois de morrer eu não daria nenhum valor para minha vida, sairia por ai fazendo coisas ariscadas e tals. (ATENÇÂO CRENTES: não tentem me converter, pois ao fazer isso me transformarão num maníaco psicopata sem escrúpulos que não dá valor a sua vida nem a das pessoas ao seu redor)

 :hihi:

Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: HeadLikeAHole em 26 de Setembro de 2010, 21:48:53
Sério agora.

Se o número de pessoas acreditando em algo torna-se este algo verdade, a realidade estaria sofrendo severas mudanças ao longo dos séculos: 600 anos atrás a terra era plana e há algum tempo atrás os fenômenos da natureza eram regidos por seres antropomorfizados. A realidade também variaria geograficamente, as crenças predominante na Índia, por exemplo, são diferentes das mais seguidas na Europa.

É bem difícil levar uma coisa dessas a sério.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Lion em 26 de Setembro de 2010, 22:30:33
a) (http://www.saindodamatrix.com.br/archives/mat-josefa-peixotinho.jpg)

Regurgitando ectoplasma?   :stunned:
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: uiliníli em 27 de Setembro de 2010, 10:53:05
Masmasmas o Xico Chavier era bonzinho, ele doou tudo pra caridade e ele falou coisas alegres e felizes pras pessoas, então ele não pode ter mentido, não é mesmo?
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Contini em 27 de Setembro de 2010, 11:43:08
Masmasmas o Xico Chavier era bonzinho, ele doou tudo pra caridade e ele falou coisas alegres e felizes pras pessoas, então ele não pode ter mentido, não é mesmo?

hehehehe.... Pequena alfinetada, heim Uili...
E o "dono" do tópico, sumiu...
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Lion em 27 de Setembro de 2010, 12:05:46
Maaaannhhhhêêêê, o Micrômegas me chamou de materialista!!! :hehe:

Caro forista,

É uma brincadeira, não leve a mal.
Mas acho que você não está nada bem hoje, não é?

Acho hilário quando um conhecedor da verdade transcendente (seja lá o que isso queira dizer) chama um materialista de materialista como se isso fosse algum tipo de insulto/alfinetada.  :lol:


hehehehe.... Pequena alfinetada, heim Uili...
E o "dono" do tópico, sumiu...

Talvez ele não vá mais perder o tempo dele aqui já que o avanço do espiritismo é inevitável como ele mesmo concluiu....

Citar
É por isso que tenho notado que os espíritas que gostam de defender a Doutrina Espírita tem sumido de foruns de discussões que atacam o Espíritismo; eles estão vendo que não precisam ficar discutindo ou perdendo tempo porque o espiritismo cresce com os ataques e é impossível ser parado.

Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Pregador em 29 de Setembro de 2010, 11:13:04
Masmasmas o Xico Chavier era bonzinho, ele doou tudo pra caridade e ele falou coisas alegres e felizes pras pessoas, então ele não pode ter mentido, não é mesmo?

Uma vez li, não lembro onde, que estas fotos aí foram feitas para exemplificar o que ocorreria "no mundo espiritual". Em tese, seria apenas uma demonstração e não uma tentativa de criar fotos fraudulentas.

Eu até chego a acreditar nisso, tendo em vista que as fotos são ruins demais para alguém achar que são verdadeiras.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Barata Tenno em 29 de Setembro de 2010, 12:57:52
Masmasmas o Xico Chavier era bonzinho, ele doou tudo pra caridade e ele falou coisas alegres e felizes pras pessoas, então ele não pode ter mentido, não é mesmo?

Uma vez li, não lembro onde, que estas fotos aí foram feitas para exemplificar o que ocorreria "no mundo espiritual". Em tese, seria apenas uma demonstração e não uma tentativa de criar fotos fraudulentas.

Eu até chego a acreditar nisso, tendo em vista que as fotos são ruins demais para alguém achar que são verdadeiras.
O Leafar acreditava nelas.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Lion em 29 de Setembro de 2010, 13:01:22
Masmasmas o Xico Chavier era bonzinho, ele doou tudo pra caridade e ele falou coisas alegres e felizes pras pessoas, então ele não pode ter mentido, não é mesmo?

Uma vez li, não lembro onde, que estas fotos aí foram feitas para exemplificar o que ocorreria "no mundo espiritual". Em tese, seria apenas uma demonstração e não uma tentativa de criar fotos fraudulentas.

Eu até chego a acreditar nisso, tendo em vista que as fotos são ruins demais para alguém achar que são verdadeiras.

Chico Xavier e a Fraude de Otília Diogo, a “Irmã Josefa” --> http://www.ceticismoaberto.com/paranormal/3417/chico-xavier-e-a-fraude-de-otlia-diogo-a-irm-josefa
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: uiliníli em 29 de Setembro de 2010, 16:49:45
Masmasmas o Xico Chavier era bonzinho, ele doou tudo pra caridade e ele falou coisas alegres e felizes pras pessoas, então ele não pode ter mentido, não é mesmo?

Uma vez li, não lembro onde, que estas fotos aí foram feitas para exemplificar o que ocorreria "no mundo espiritual". Em tese, seria apenas uma demonstração e não uma tentativa de criar fotos fraudulentas.

Eu até chego a acreditar nisso, tendo em vista que as fotos são ruins demais para alguém achar que são verdadeiras.

Chico Xavier e a Fraude de Otília Diogo, a “Irmã Josefa” --> http://www.ceticismoaberto.com/paranormal/3417/chico-xavier-e-a-fraude-de-otlia-diogo-a-irm-josefa

Pois é, isso foi uma fraude para enganar repórteres da revista O Cruzeiro.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: André Luiz em 29 de Setembro de 2010, 16:57:58
Com certeza nao abordaram isso no filme
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Lion em 29 de Setembro de 2010, 21:32:21
Eles não cometeriam um sacrilégio desses, o sujeito é um santo.....   :anjo:

Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: sunyear em 05 de Outubro de 2010, 10:05:20
O foda é que o povão acha que essa gente da tv manja só porque... está na TV...
Perguntaram pra cocotinha lá se ela achava que espirito bom fica mal por influencia de humanos como se ela fosse uma "autoridade" espirita... Ela fez uma cara de WTF(?) e respondeu genericamente.
Pior ainda foi o bundão barbudo que foi lá para "esclarecer" e disse que acreditar em reencarnação é independente de religião... Ele por acaso conhece os dogmas católicos, por exemplo?


Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Pandora em 06 de Outubro de 2010, 10:40:50
Quando os tempos forem bons para céticos no Brasil, descobriremos que não estamos no Brasil!

Esse negócio de espirtismo está tão entranhado na imaginação popular que até evangélicos assistiam e gostavam dessa novela!
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Dr. Manhattan em 06 de Outubro de 2010, 11:13:43
Quando os tempos forem bons para céticos no Brasil, descobriremos que não estamos no Brasil!

Esse negócio de espirtismo está tão entranhado na imaginação popular que até evangélicos assistiam e gostavam dessa novela!

Uai, nada impede de se gostar de ficção. Eu não preciso acreditar na existência de Sauron para apreciar O Senhor dos Anéis.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Spitfire em 06 de Outubro de 2010, 12:01:54
Acho que alguém esta confundindo as coisas um pouquinho... o movimento cético não faz parte de uma "modinha" midiática, embora não tenha nenhuma restrição em usar a mídia para divulgar suas opiniões. Não é por conta dos tempos serem (ou não) favoráveis que a maioria de nós deixaremos de ser céticos, na verdade quanto pior forem os tempos, mais o movimento cético se organiza... perde em número, ganha em qualidade.  :ok:
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Leafar em 13 de Outubro de 2010, 17:15:00
Masmasmas o Xico Chavier era bonzinho, ele doou tudo pra caridade e ele falou coisas alegres e felizes pras pessoas, então ele não pode ter mentido, não é mesmo?

Uma vez li, não lembro onde, que estas fotos aí foram feitas para exemplificar o que ocorreria "no mundo espiritual". Em tese, seria apenas uma demonstração e não uma tentativa de criar fotos fraudulentas.

Eu até chego a acreditar nisso, tendo em vista que as fotos são ruins demais para alguém achar que são verdadeiras.

Chico Xavier e a Fraude de Otília Diogo, a “Irmã Josefa” --> http://www.ceticismoaberto.com/paranormal/3417/chico-xavier-e-a-fraude-de-otlia-diogo-a-irm-josefa

Pois é, isso foi uma fraude para enganar repórteres da revista O Cruzeiro.
Sobre as materializações de Uberaba, indico o link abaixo:

http://www.opiniaoespirita.org/samdu_rgm.htm
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Diegojaf em 13 de Outubro de 2010, 17:19:10
Masmasmas o Xico Chavier era bonzinho, ele doou tudo pra caridade e ele falou coisas alegres e felizes pras pessoas, então ele não pode ter mentido, não é mesmo?

Uma vez li, não lembro onde, que estas fotos aí foram feitas para exemplificar o que ocorreria "no mundo espiritual". Em tese, seria apenas uma demonstração e não uma tentativa de criar fotos fraudulentas.

Eu até chego a acreditar nisso, tendo em vista que as fotos são ruins demais para alguém achar que são verdadeiras.

Chico Xavier e a Fraude de Otília Diogo, a “Irmã Josefa” --> http://www.ceticismoaberto.com/paranormal/3417/chico-xavier-e-a-fraude-de-otlia-diogo-a-irm-josefa

Pois é, isso foi uma fraude para enganar repórteres da revista O Cruzeiro.
Sobre as materializações de Uberaba, indico o link abaixo:

http://www.opiniaoespirita.org/samdu_rgm.htm

Não explica nada e ainda promove pirataria.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Geotecton em 13 de Outubro de 2010, 19:13:47
Masmasmas o Xico Chavier era bonzinho, ele doou tudo pra caridade e ele falou coisas alegres e felizes pras pessoas, então ele não pode ter mentido, não é mesmo?

Uma vez li, não lembro onde, que estas fotos aí foram feitas para exemplificar o que ocorreria "no mundo espiritual". Em tese, seria apenas uma demonstração e não uma tentativa de criar fotos fraudulentas.

Eu até chego a acreditar nisso, tendo em vista que as fotos são ruins demais para alguém achar que são verdadeiras.

Chico Xavier e a Fraude de Otília Diogo, a “Irmã Josefa” --> http://www.ceticismoaberto.com/paranormal/3417/chico-xavier-e-a-fraude-de-otlia-diogo-a-irm-josefa

Pois é, isso foi uma fraude para enganar repórteres da revista O Cruzeiro.
Sobre as materializações de Uberaba, indico o link abaixo:

http://www.opiniaoespirita.org/samdu_rgm.htm

Qual é a utilidade do "link" indicado, além de mostrar fotos com montagens primitivas de supostos espíritos e de apresentar uma defesa de CX na fraude, que beira o infantil?
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Leafar em 13 de Outubro de 2010, 22:42:13
Qual é a utilidade do "link" indicado, além de mostrar fotos com montagens primitivas de supostos espíritos e de apresentar uma defesa de CX na fraude, que beira o infantil?
No mínimo serve para mostrar que não se deve usar fotos ou outra coisa qualquer como evidência sem se dar conta de sua origem. Essas fotos não depõem contra o Chico. Depõem é contra O Cruzeiro.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Geotecton em 13 de Outubro de 2010, 22:56:54
Qual é a utilidade do "link" indicado, além de mostrar fotos com montagens primitivas de supostos espíritos e de apresentar uma defesa de CX na fraude, que beira o infantil?
No mínimo serve para mostrar que não se deve usar fotos ou outra coisa qualquer como evidência sem se dar conta de sua origem. Essas fotos não depõem contra o Chico. Depõem é contra O Cruzeiro.

Um momento.

O livro é espírita e aparentemente impresso no primeiro meado dos anos 60 do século XX.

Se as fotos contidas nele são consideradas por voce como "verdadeiras provas de materialização de espíritos" então me desculpe, porque a fraude é clara e até primitiva, mesmo para os parcos recursos disponíveis no início dos anos 60.

Se o senhor CX sabia e endossou esta farsa então ele é conivente, no mínimo. E isto está claro na página 33, com aquela tosca "materialização do espírito" da "irmã Josefa".

Por fim, a revista O Cruzeiro era uma publicação de baixíssima qualidade em termos de conteúdo, mesmo para aquela época.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Dbohr em 14 de Outubro de 2010, 10:58:21
Não sou da época de O Cruzeiro, mas o espírita Victor Moura (que andou pelo fórum até relativamente pouco tempo atrás) escreveu muito sobre a farsa da materialização de Irmã Josefa. Claro, ele é considerado controverso no Espiritismo.
Título: Re: Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Osler em 14 de Outubro de 2010, 19:33:43
Tenho alguns amigos espíritas, e vários (que não se conhecem) já memostraram essas fotos (e outras mas toscas ainda) como PROVA da existência dos espíritas.
Toda vez que eu falava "então vamos no seu centro agora fotografar com máquinas modernas" a resposta variava entre "você quer birncar com coisa séira", "não temos que provar nada para quem naõ acredita"; "isso é só quando vc evoluir mais"; "os espiritos não estão a nossa disposição"; "os espritos ja fizeram isso mas hoje não fazem mais porque não precisam".

Enfim, no aguardo de fotografias melhores (veja bem não to fazendo nenhum juíso de valor, somente afirmando que todas as fotos que me mostraram até hoje são de qualidade péssima)
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Skorpios em 07 de Novembro de 2016, 07:44:56
Ressuscitando...

Citar
Preconceito, agressividade e desconfiança: como é ser ateu no Brasil (http://www.bbc.com/portuguese/brasil-37640191)

 André Bernardo Do Rio de Janeiro para a BBC Brasil

Passava das 22h30 do último dia 2 de outubro quando o então candidato a verador por São Paulo Edmar Luz (PPS-SP) publicou em seu perfil no Facebook uma nota de agradecimento aos 709 eleitores que votaram nele. Minutos depois, começaram a surgir as primeiras mensagens em sua timeline: algumas de apoio, outras de zombaria.

Dos mais de 480 mil candidatos a vereador, Edmar era o único declaradamente ateu do Brasil. "Enquanto uns demonstram curiosidade em saber como um ateu lida com as questões cruciais da vida, como morte e doença, outros, mais exaltados, reagem com desprezo e agressividade", relata o candidato.

Durante a campanha, Edmar perdeu a conta das vezes em que foi insultado nas ruas. A cena era sempre a mesma: ele distribuía o "santinho" com a propaganda política, o eleitor dava uma rápida lida no papel e, dali a pouco, vociferava algum palavrão, indignado.

"Demônio" e "Satanás" eram os mais recorrentes. Não bastasse, ele sofreu ataques nas redes sociais e, o mais curioso, recebeu críticas até de quem também se diz ateu.

Mas Edmar diz não se intimidar: afirma que continuará a defender, nas próximas eleições, um Estado laico de fato e o fim do preconceito contra ateus.

Uma pesquisa de 2007 encomendada ao CNT/Sensus revelou que apenas 13% dos eleitores brasileiros votariam em um candidato ateu para presidente da República. Para efeito de comparação: 84% votariam em um negro, 57% em uma mulher e 32% em um homossexual.

Até hoje, há quem diga que Fernando Henrique Cardoso só não ganhou de Jânio Quadros na disputa pela prefeitura de São Paulo, em 1985, porque titubeou diante de uma pergunta do jornalista Boris Casoy, no último debate na TV, sobre sua crença em Deus.

"É difícil ser ateu no Brasil porque negar a existência de Deus contraria o modo de viver da maioria da população", analisa Geraldo José de Paiva, coordenador do Laboratório de Psicologia Social da Religião, do Instituto de Psicologia da USP. "Mexer com Deus é como mexer com a mãe", compara.
"Religião não define caráter"

No Brasil, a rejeição aos ateus não se limita aos que pleiteiam cargos políticos. Levantamento da Fundação Perseu Abramo, de 2008, mostra que 42% dos brasileiros admitem sentir aversão aos descrentes. Desses, 17% declararam sentir ódio ou repulsa e 25%, antipatia.

"Já fui até ameaçado de morte", afirma Daniel Sottomayor, um engenheiro civil que ajudou a fundar, em 2008, a Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) ─ entidade que reúne 17 mil membros e mais de 592 mil seguidores no Facebook.

Inspirada em uma campanha britânica, a Atea tentou estampar anúncios em ônibus de quatro capitais brasileiras, em 2010. Não conseguiu. A propaganda foi considerada ofensiva e rejeitada pelas empresas. Um ano depois, nova investida. Dessa vez, a associação conseguiu espalhar alguns poucos outdoors pelas ruas de Porto Alegre (RS), com slogans do tipo "Religião não define caráter" ou "Somos todos ateus com os deuses dos outros".

"Enquanto as notas de Real louvarem a Deus, as escolas públicas tiverem ensino religioso e as repartições do governo ostentarem crucifixos, os ateus continuarão ser tratados como cidadãos de segunda classe", protesta Sottomayor.

Na opinião do biólogo Eli Vieira Araújo, da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, campanhas ateístas não são efetivas porque se valem de slogans que, como qualquer frase de efeito, estão "cheios de furos".

É o caso de "A fé não dá respostas. Só impede perguntas". "Sabe quem refutaria essa frase? Isaac Newton. Ele fez ciência só até por volta dos 30 anos. Depois disso, dedicou-se à teologia", diz Araújo.

Um dos fundadores da Liga Humanista Secular do Brasil (LiHS), Eli afirma que, quando o assunto é não ter vergonha de se assumir publicamente, ateus e agnósticos ainda têm muito a aprender com a experiência de gays e lésbicas.

"Embora ainda seja difícil para muita gente lidar com LGBTs fazendo carícias públicas, até quem tem ojeriza a eles reconhece que estão dentro de sua liberdade num país laico", analisa.

O preconceito que ateus e agnósticos sofrem ao redor do mundo encorajou o cineasta Micael Langer a abordar o tema em Godless - The Truth Beyond Belief (Sem Deus - a verdade além da crença, em tradução livre) que deve chegar aos cinemas no segundo semestre de 2017.

Em alguns países, negar a existência de uma entidade divina pode significar a perda do emprego. Em outros, uma sentença de morte. "Muitas vezes, os ateus preferem se trancar no armário a passar por situações constrangedoras", diz.

Até o momento, Langer já entrevistou dois dos incrédulos mais famosos do planeta: o biólogo evolucionista britânico Richard Dawkins, autor de Deus, Um Delírio, e o sociólogo americano Phil Zuckerman, de A Sociedade Sem Deus.

"O público-alvo do meu filme não são os ateus. Meu objetivo é trazer um pouco de luz a um debate que, apesar de ser importante e afetar a vida de milhões de pessoas, costuma ser varrido para debaixo do tapete."
"Deus prefere os ateus"

Originalmente, um dos entrevistados de Godless seria Drauzio Varella. Quando ele diz às pessoas que não segue uma religião ou acredita em Deus, quase sempre ouve a mesma resposta: "Mas, o senhor? Uma pessoa tão boa...". "

Muita gente enxerga os ateus por um viés religioso, como se fôssemos anticristos a serviço do demônio", ironiza o músico e escritor Tony Bellotto, que diz ter "saído do armário" por influência de Christopher Hitchens, jornalista e escritor britânico que morreu em 2011.

"Não compreendem que alguém pode ser ético, solidário e feliz seguindo princípios humanistas e não preceitos religiosos", completa Bellotto, que tem em seu escritório uma placa onde se lê: "Deus prefere os ateus".

Desde que assumiu publicamente sua não-crença, o guitarrista dos Titãs já passou por situações, no mínimo, inusitadas. Certa vez, uma senhora no avião tirou da bolsa um folheto evangélico do tipo "Jesus te ama" e ofereceu a ele, com a seguinte recomendação: "Leia isso, vai te fazer bem". Quando Tony avisou que não acreditava em Deus, foi obrigado a ouvir: "Mas, você tem que acreditar em alguma coisa!".

"Volta e meia, alguns me provocam dizendo que, na hora da morte, apelarei para Deus. A esses, recomendo a leitura de Últimas Palavras", rebate Bellotto, citando o livro póstumo de seu ateu favorito, Hitchens.

A neurocientista Suzana Herculano-Houzel, da Universidade de Vanderbilt, nos EUA, também demorou a se declarar ateia. Por recomendação da mãe, sempre relutou em dizer em cadeia nacional que não acreditava em Deus.

Em 2010, porém, ela rompeu o silêncio. Na crônica "Sou ateia e sinto-me discriminada". Na época, recebeu dezenas de e-mails, a maioria deles em tom condescendente, lamentando sua posição.

"Proselitismo é um saco: pró ou contra religião. Ser vítima de pregação é sempre desagradável. É uma pena que alguns ateus não entendam que as pessoas religiosas têm tanto direito à sua religião quanto nós ao ateísmo", afirma.

Mas, afinal, o que pode ser feito para combater a intolerância? Para Tony Bellotto, não se deve misturar educação com religião. "A doutrinação religiosa tem que estar fora das escolas", enfatiza o músico.

Daniel Sottomayor, da Atea, defende leis mais duras contra quem discrimina ateus e agnósticos. Já Suzana Herculano-Houzel propõe incentivar as pessoas a pensar por si mesmas, a ter espírito crítico e a exigir evidências antes de aceitar a palavra alheia. "Mas a convicção tanto de que Deus existe quanto de que ele não existe deve ser sempre respeitada", sublinha a cientista.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Rhyan em 07 de Novembro de 2016, 10:38:40
Um tanto exagerado. Acho que as coisas mudaram um pouco nesses 10, 15 anos.

Copiar o grave erro do movimento LGBT de criminalizar opiniões contrárias e liberdade de expressão é algo tão patético, seria muito triste ver o movimento ateu fazer essa censura.

A Atea não me representa, ateísmo nível infantil.

Sottomayor?
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 07 de Novembro de 2016, 11:37:22
Espero que os ateus não entrem nessa onda de justiciamento social que a ATEA visa pregar.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Pedro Reis em 08 de Novembro de 2016, 16:45:28
No mesmo dia houve uma matéria no Fantástido sobre Chico Xavier. 

Achei interessante o resultado da enquete sobre quem acredita em Reencarnação. 81% disseram acreditar e os outros 19% não acreditam. Esses 19% creio que foram de católicos, evangélicos e protestantes, ficando uma parcela muito pequena para o ceticismo e o ateísmo (é o que eu deduzi).


De acordo com o censo de 2010, data dessa postagem, no Brasil havia:

- 64,6% de católicos
- 22,2% de evangélicos
- 8% sem religião
- 3,2% outras opções
- 2% de espíritas

https://pt.wikipedia.org/wiki/Religi%C3%B5es_no_Brasil

Como é possível que 81% acreditem em reencarnação?

(A) Esse resultado é uma invenção.
(B) Enquete não é pesquisa estatística. Metodologia furada.
(C) Pessoas são idiotas e têm preguiça de pensar com coerência.
(D) Uma combinação de todas as opções anteriores.

O tempos estão difíceis. Ponto.

Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: homemcinza em 08 de Novembro de 2016, 17:59:47
Evidencia anedotica:  conheço muito catolico ou meio catolico sei lá, que acredita em reencarnação, mistura coisas do espiritismo e tal....sacumé!

Não estaria ai algo relacionado a esta cotradição?

Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Buckaroo Banzai em 08 de Novembro de 2016, 18:00:59
Tenho alguns amigos espíritas, e vários (que não se conhecem) já memostraram essas fotos (e outras mas toscas ainda) como PROVA da existência dos espíritas.
Toda vez que eu falava "então vamos no seu centro agora fotografar com máquinas modernas" a resposta variava entre "você quer birncar com coisa séira", "não temos que provar nada para quem naõ acredita"; "isso é só quando vc evoluir mais"; "os espiritos não estão a nossa disposição"; "os espritos ja fizeram isso mas hoje não fazem mais porque não precisam".

Enfim, no aguardo de fotografias melhores (veja bem não to fazendo nenhum juíso de valor, somente afirmando que todas as fotos que me mostraram até hoje são de qualidade péssima)

A qualidade das fotos não é tão ruim, ou sempre tão ruim. Tem fotos de materializações com o XC que você consegue enxergar até as costuras dos panos dos fantasmas.

Isso não seria no entanto evidência de fraude porque os panos são isso mesmo, panos, apenas materializados perfeitamente a partir do citoplasma teleportado e transformado das pessoas ao redor. Talvez de outros organismos, também, como bactérias, ácaros, insetos.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gigaview em 08 de Novembro de 2016, 22:00:36
Tenho alguns amigos espíritas, e vários (que não se conhecem) já memostraram essas fotos (e outras mas toscas ainda) como PROVA da existência dos espíritas.
Toda vez que eu falava "então vamos no seu centro agora fotografar com máquinas modernas" a resposta variava entre "você quer birncar com coisa séira", "não temos que provar nada para quem naõ acredita"; "isso é só quando vc evoluir mais"; "os espiritos não estão a nossa disposição"; "os espritos ja fizeram isso mas hoje não fazem mais porque não precisam".

Enfim, no aguardo de fotografias melhores (veja bem não to fazendo nenhum juíso de valor, somente afirmando que todas as fotos que me mostraram até hoje são de qualidade péssima)

A qualidade das fotos não é tão ruim, ou sempre tão ruim. Tem fotos de materializações com o XC que você consegue enxergar até as costuras dos panos dos fantasmas.

Isso não seria no entanto evidência de fraude porque os panos são isso mesmo, panos, apenas materializados perfeitamente a partir do citoplasma teleportado e transformado das pessoas ao redor. Talvez de outros organismos, também, como bactérias, ácaros, insetos.

As materializações continuam ocorrendo...na escuridão total. A moda atual são espíritos fosforescentes.

http://www.alemdaciencia.com/materializacoes-de-alegados-espiritos-no-lar-de-frei-luiz/

Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Pedro Reis em 08 de Novembro de 2016, 22:20:34
Essa entrevistadora já manifestou o Chico Xavier ao vivo.

É de arrepiar.

Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Buckaroo Banzai em 09 de Novembro de 2016, 05:52:44
Espero que os ateus não entrem nessa onda de justiciamento social que a ATEA visa pregar.

Se depender de imitarem os EUA, tem boas chances disso acontecer. Lá agora tem o "atheism +" ou "atheism 2.0", um "ateísmo com consciência social".

:/



Estranhos esses tempos, fica parecendo até que a idiotice e os lados políticos são meio como um pêndulo. Até a pouco tempo, a esquerda tendo uma razoável superioridade intelectual. Mas está rapidamente se degenerando em idiotices que tornam fácil para idéias opostas serem até mais racionais. E acho que a tendência agora, com Trump, é que isso se agrave ainda mais, uma considerável histeria esquerdista. Mesmo uns esquerdistas-mor (Zizek, talvez Chomsky?) chamam o politicamente correto de "fascismo", e agora essa esquerda vem sendo chamada de "regressiva" por alguns esquerdistas, ou, talvez, ex-querdistas.

A aparência de "pêndulo" se dá um pouco com coisas como o John McCain defendendo legalização de maconha (se ainda o faz), uma absorção gradual de propostas liberais/progressistas ao conservadorismo. Mas não me ocorre outro exemplo agora. Talvez o investimento republicano em ciências ser melhor que o democrata, segundo Neil Tyson, e junto com isso deve estar também o desdém às humanidades pós-modernas esquerdóides. Mas infelizmente há a tendência de "jogar fora o bebê com a água do banho", paradoxal, vinda dos pró-vida.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 09 de Novembro de 2016, 13:44:05
Espero que os ateus não entrem nessa onda de justiciamento social que a ATEA visa pregar.

Se depender de imitarem os EUA, tem boas chances disso acontecer. Lá agora tem o "atheism +" ou "atheism 2.0", um "ateísmo com consciência social".

:/



Estranhos esses tempos, fica parecendo até que a idiotice e os lados políticos são meio como um pêndulo. Até a pouco tempo, a esquerda tendo uma razoável superioridade intelectual. Mas está rapidamente se degenerando em idiotices que tornam fácil para idéias opostas serem até mais racionais. E acho que a tendência agora, com Trump, é que isso se agrave ainda mais, uma considerável histeria esquerdista. Mesmo uns esquerdistas-mor (Zizek, talvez Chomsky?) chamam o politicamente correto de "fascismo", e agora essa esquerda vem sendo chamada de "regressiva" por alguns esquerdistas, ou, talvez, ex-querdistas.

A aparência de "pêndulo" se dá um pouco com coisas como o John McCain defendendo legalização de maconha (se ainda o faz), uma absorção gradual de propostas liberais/progressistas ao conservadorismo. Mas não me ocorre outro exemplo agora. Talvez o investimento republicano em ciências ser melhor que o democrata, segundo Neil Tyson, e junto com isso deve estar também o desdém às humanidades pós-modernas esquerdóides. Mas infelizmente há a tendência de "jogar fora o bebê com a água do banho", paradoxal, vinda dos pró-vida.

O pessoal tem que se ligar que esse Progressismo moderno não é a melhor posição política para conseguir seus objetivos. O Progressismo hoje é somente uma forma esquerdizada de ver o mundo, arraigada em seu pós-modernismo acadêmico.


A transformação do ateísmo em movimento social será a pior coisa que acontecerá para os ateus.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 10 de Novembro de 2016, 18:13:50
Citar
A transformação do ateísmo em movimento social será a pior coisa que acontecerá para os ateus.

Acredite, não é. A Liga dos Ateus Militantes (https://en.wikipedia.org/wiki/League_of_Militant_Atheists), vinculada à Komsomol, já existiu por mais de uma década.

Além, é praticamente inevitável que conforme seus números crescem, que não-religiosos/secularistas/ateus aspirem a remodelar certos aspectos sociais à sua imagem e semelhança, e caso tenham números e força política, talvez consigam isso.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 10 de Novembro de 2016, 18:22:41
Citar
A transformação do ateísmo em movimento social será a pior coisa que acontecerá para os ateus.

Acredite, não é. A Liga dos Ateus Militantes (https://en.wikipedia.org/wiki/League_of_Militant_Atheists), vinculada à Komsomol, já existiu por mais de uma década.

Além, é praticamente inevitável que conforme seus números crescem, que não-religiosos/secularistas/ateus aspirem a remodelar certos aspectos sociais à sua imagem e semelhança, e caso tenham números e força política, talvez consigam isso.

Você acha isso bom?
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 10 de Novembro de 2016, 19:07:26
Citar
Você acha isso bom?

No caso da Liga? De forma algum. Foi uma maneira de supressão e perseguição a religiosos na URSS, muito além do que seria "razoável" dada a aliança entre a Igreja Ortodoxa e os Czares e posteriormente os "Brancos".

Quanto ao segundo parágrafo - em geral, relativamente neutro. Embora eu não compartilhe diversos valores com o autonomeado Ateísmo+ e ainda seja em larga medida um "Ateu de Dicionário" (que mantém uma separação estrita entre sua descrença religiosa e outras crenças, a ponto que eu me apresento mais como um Católico Secular do que Ateu), eu acho esperado que em meios onde não-religiosos/secularistas/ateus são majoritários e representam o "Consenso", que ditem parte das regras e expectativas do local. É o que ocorre em qualquer arranjo social, usando a Academia como exemplo - outrora era Academia era mantida por seus patronos religiosos e políticos, em um sistema de ensino largamente confessional, que passou por uma certa profissionalização e se tornou uma Instituição Estatal (ou Foundations, se ainda são Privadas) no fim do século XIX/começo do XX, foi guiada pela ética da colaboração e tolerância frutos da aliança entre sociais-democratas, liberais e conservadores no Pós-Guerra (aqui, uma certa tolerância marxiana sob auspícios militares) e hoje conflita entre o antigo ethos pós-Guerra (ou pós-Ditadura, no Brasil) e o novo ethos da Justiça Social, que parece que inevitavelmente predominará nos anos seguir.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 10 de Novembro de 2016, 20:38:07
Quanto ao segundo parágrafo - em geral, relativamente neutro. Embora eu não compartilhe diversos valores com o autonomeado Ateísmo+ e ainda seja em larga medida um "Ateu de Dicionário" (que mantém uma separação estrita entre sua descrença religiosa e outras crenças, a ponto que eu me apresento mais como um Católico Secular do que Ateu), eu acho esperado que em meios onde não-religiosos/secularistas/ateus são majoritários e representam o "Consenso", que ditem parte das regras e expectativas do local. É o que ocorre em qualquer arranjo social, usando a Academia como exemplo - outrora era Academia era mantida por seus patronos religiosos e políticos, em um sistema de ensino largamente confessional, que passou por uma certa profissionalização e se tornou uma Instituição Estatal (ou Foundations, se ainda são Privadas) no fim do século XIX/começo do XX, foi guiada pela ética da colaboração e tolerância frutos da aliança entre sociais-democratas, liberais e conservadores no Pós-Guerra (aqui, uma certa tolerância marxiana sob auspícios militares) e hoje conflita entre o antigo ethos pós-Guerra (ou pós-Ditadura, no Brasil) e o novo ethos da Justiça Social, que parece que inevitavelmente predominará nos anos seguir.

Bem, como eu me enquadro dentro do espectro ateista, pois me considero um ateu agnóstico, como Bertrand Russel, eu não me sinto nem um pouco representado por esses ateus+ que passaram a integrar a esquerda acadêmica pós-moderna da Justiça Social. Acho bizarro mesmo. Me sinto muito mais representado pela Liga Humanista Secular do que pela ATEA.

Por isso acho lamentável a guinada de alguns ateus nessa direção, vai acabar tornando o ateísmo mais um instrumento de manobra desses grupos pseudo-progressistas.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 10 de Novembro de 2016, 21:19:34
Citar
Bem, como eu me enquadro dentro do espectro ateista, pois me considero um ateu agnóstico, como Bertrand Russel, eu não me sinto nem um pouco representado por esses ateus+ que passaram a integrar a esquerda acadêmica pós-moderna da Justiça Social. Acho bizarro mesmo. Me sinto muito mais representado pela Liga Humanista Secular do que pela ATEA.

Sim - mas isso não modifica o que é praticamente inevitável, Ateus se unirão em grupos e desenvolverão/defenderão uma agenda política em torno dessa identidade, como ocorre em diversos outros movimentos políticos. Preferer a LIHS à ATEA ainda é defender a politização do ateísmo por um grupo, diga-se de passsagem.

Citar
Por isso acho lamentável a guinada de alguns ateus nessa direção, vai acabar tornando o ateísmo mais um instrumento de manobra desses grupos pseudo-progressistas.

Não é de todo lamentável, é possivelmente um reflexo das preferências da maioria de ateus/secularistas/não-religiosos. Seja bem vindo à Minoria de um grupo já Minoritário (no sentido demográfico, não de relações de poder).
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 10 de Novembro de 2016, 21:27:08
Citar
Bem, como eu me enquadro dentro do espectro ateista, pois me considero um ateu agnóstico, como Bertrand Russel, eu não me sinto nem um pouco representado por esses ateus+ que passaram a integrar a esquerda acadêmica pós-moderna da Justiça Social. Acho bizarro mesmo. Me sinto muito mais representado pela Liga Humanista Secular do que pela ATEA.

Sim - mas isso não modifica o que é praticamente inevitável, Ateus se unirão em grupos e desenvolverão/defenderão uma agenda política em torno dessa identidade, como ocorre em diversos outros movimentos políticos. Preferer a LIHS à ATEA ainda é defender a politização do ateísmo por um grupo, diga-se de passsagem.
Ah sim, mas eu não queria passar a impressão que não queria uma representatividade para os ateus, todos os grupos tem que ter representantes, e sim que eles não entrassem em sua maioria na onda pseudo-progressista atual.

Citar
Por isso acho lamentável a guinada de alguns ateus nessa direção, vai acabar tornando o ateísmo mais um instrumento de manobra desses grupos pseudo-progressistas.

Não é de todo lamentável, é possivelmente um reflexo das preferências da maioria de ateus/secularistas/não-religiosos. Seja bem vindo à Minoria de um grupo já Minoritário (no sentido demográfico, não de relações de poder).

Triste. Espero que surja um contra-movimento dentro do próprio ateísmo contra esses movimentos sociais no futuro.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 16 de Novembro de 2016, 03:49:12
Citar
Ah sim, mas eu não queria passar a impressão que não queria uma representatividade para os ateus, todos os grupos tem que ter representantes, e sim que eles não entrassem em sua maioria na onda pseudo-progressista atual.

Sendo honesto, com que outro grupos representantes ateus irão se aliar?

Ateus são consistentemente um dos grupos na qual pessoas jamais votariam (rivalizando com usuários de drogas) e não desejam que seus filhos/filhas se unam e casem e grandes grupos políticos modernos (trabalhistas, sociais-democratas, conservadores, liberais/libertários) tem laços demasiados com um eleitorado religioso e pragmatismo político de sobra para saber que certas alianças são tóxicas demais para eles. Então, quem sobra? Progressistas, que são um grupo jovem, com menos laços religiosos e com elos com causas nenhum pouco palatáveis para o eleitorado tradicional. Basta ver que mesmo membros do alta escalão do supostamente "esquerdista" Democratic Party não tiveram o menor pudor em sugerir que um candidato seja ateu para desmoralizá-lo diante da opinião pública (http://www.politico.com/story/2016/07/top-dnc-staffer-apologizes-for-email-on-sanders-religion-226072).

Citar
Espero que surja um contra-movimento dentro do próprio ateísmo contra esses movimentos sociais no futuro.

Não sei, meu senso de Realpolitik diz que se estar ao lado de Progressivistas é de doer, é melhor estar ao lado de um aliado que te trata como igual do que com outros que no menor deslize, venderá você para uma opinião pública que te odeia. E Ateus provavelmente já são um dos grupos mais inclinados ao Progressivismo, então é uma aliança quase natural (assim como o Socialismo Marxista).
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 16 de Novembro de 2016, 11:40:18
Sendo honesto, com que outro grupos representantes ateus irão se aliar?
Honestamente? Não sei.

Citar
Ateus são consistentemente um dos grupos na qual pessoas jamais votariam (rivalizando com usuários de drogas) e não desejam que seus filhos/filhas se unam e casem e grandes grupos políticos modernos (trabalhistas, sociais-democratas, conservadores, liberais/libertários) tem laços demasiados com um eleitorado religioso e pragmatismo político de sobra para saber que certas alianças são tóxicas demais para eles.
Estou  sabendo. É engraçado se pararmos para pensar que alguns dos principais ideólogos sociais democratas, liberais e libertários eram ateus. Rs.

Citar
Então, quem sobra? Progressistas, que são um grupo jovem, com menos laços religiosos e com elos com causas nenhum pouco palatáveis para o eleitorado tradicional. Basta ver que mesmo membros do alta escalão do supostamente "esquerdista" Democratic Party não tiveram o menor pudor em sugerir que um candidato seja ateu para desmoralizá-lo diante da opinião pública (http://www.politico.com/story/2016/07/top-dnc-staffer-apologizes-for-email-on-sanders-religion-226072).
Ainda bem que você colocou esquerdista entre aspas.

Citar
Não sei, meu senso de Realpolitik diz que se estar ao lado de Progressivistas é de doer, é melhor estar ao lado de um aliado que te trata como igual do que com outros que no menor deslize, venderá você para uma opinião pública que te odeia. E Ateus provavelmente já são um dos grupos mais inclinados ao Progressivismo, então é uma aliança quase natural (assim como o Socialismo Marxista).
Se aliar com grupos que também são odiados pela população em geral não é uma boa maneira de tentar ser melhor visto pela sociedade. Qual é a lógica em querer que uma frase numa moeda seja mudada por questões politicamente corretas? Pois o progressismo moderno está reduzido a isso: SJWs e PCs. Esse tipo de ativismo, criminalizando a opinião contrária, só serve para piorar a imagem dos ateus. Que façam então como a LHS: Fiquem na sua, rebatam a ignorância quando necessário, mas de maneira pragmática e sem avançar muito sobre o  rival. Isso parece o mais sensato pensando na política real, a de Maquiavel, no qual a opinião do povão é a que realmente conta para conseguir oque você quer. Esses grupos "progressistas" atuais parecem pensar muito mais em como as coisas devem ser e não como elas realmente são.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 18 de Novembro de 2016, 17:14:44
Citar
Honestamente? Não sei.

O que é um problema se espera representatividade política - você precisa se aliar com alguém.

Citar
Estou  sabendo. É engraçado se pararmos para pensar que alguns dos principais ideólogos sociais democratas, liberais e libertários eram ateus. Rs.

Sim, mas é porque ideólogos são um "grupo de elite", naturalmente distintos dos entusiastas e aderentes.

Citar
Ainda bem que você colocou esquerdista entre aspas.

Acredite, eu me considero alguém com considerável inclinação à Esquerda e tenho um certo incômodo em colocar os Democratas como um grupo de Esquerda, mas eles são o mais próximo que existe de uma "Esquerda Mainstream" nos EUA - a ponto de permitir um candidato abertamente socialista (ao estilo norte-europeu, embora norte-europeus não se considerem socialistas) como um dos seus pré-candidatos.

Citar
Se aliar com grupos que também são odiados pela população em geral não é uma boa maneira de tentar ser melhor visto pela sociedade.

Não muito - mas ao menos Progressivos tem uma rede de ONGs mais-ou-menos influente, capacidade de influência em meios Acadêmicos e de Direito e são um grupo cuja voz não é completamente ignorada por Trabalhistas, Ambientalistas e Sociais-Democratas. Que outro grupo que pode aceitar Ateus como aliados tem algo similar a oferecer?

Citar
Qual é a lógica em querer que uma frase numa moeda seja mudada por questões politicamente corretas? Pois o progressismo moderno está reduzido a isso: SJWs e PCs. Esse tipo de ativismo, criminalizando a opinião contrária, só serve para piorar a imagem dos ateus.

Simples, Progressistas querem fazer o que qualquer grupo que ambiciona o poder deseja - moldar o mundo à sua imagem e beneficiar seus aliados. Não é uma questão de lógica ou coerência interna (Realpolitik não permite que você se importe tanto com isso, aliás).
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 27 de Novembro de 2016, 12:45:08
O que é um problema se espera representatividade política - você precisa se aliar com alguém.
O problema é quando um determinado grupo que não representa todo um movimento(diria que a maioria dos ateus não pensam como a ATEA, mas isso é um chute, não podemos afirmar os números exatos ainda) usa isso(o Ateísmo) como pretexto para disseminar sua linha ideológica esquerdista "progressista" como se realmente estivesse representando a vontade dos ateus e agnósticos.

Citação de: El Elyon
Sim, mas é porque ideólogos são um "grupo de elite", naturalmente distintos dos entusiastas e aderentes.
Conhecendo o meio liberal e libertário, sou obrigado a discordar de você em relação a seus aderentes. A não ser que você considera conservadores parte dos entusiastas do liberalismo e do libertarianismo, mas você estaria equivocado.

Citação de: El Elyon
Acredite, eu me considero alguém com considerável inclinação à Esquerda e tenho um certo incômodo em colocar os Democratas como um grupo de Esquerda, mas eles são o mais próximo que existe de uma "Esquerda Mainstream" nos EUA - a ponto de permitir um candidato abertamente socialista (ao estilo norte-europeu, embora norte-europeus não se considerem socialistas) como um dos seus pré-candidatos.
Sim, dentro do contexto americano, sim. Já eu, não sou a favor de meias liberdades, portanto não me inclino a direita nem a esquerda. Apesar de dar boas risadas quando os direitistas e os esquerdistas discutem.


Citação de: El Elyon
Não muito - mas ao menos Progressivos tem uma rede de ONGs mais-ou-menos influente, capacidade de influência em meios Acadêmicos e de Direito e são um grupo cuja voz não é completamente ignorada por Trabalhistas, Ambientalistas e Sociais-Democratas. Que outro grupo que pode aceitar Ateus como aliados tem algo similar a oferecer?
Qual é a lógica de ateus, que tem um bilhão de linhas ideológicas seguidas pelos seus aderentes pois não são um grupo homogêneo, quererem se aliar a um grupo político visando uma espécie de interesse coletivo que nem mesmo existe entre eles?

Citação de: El Elyon
Simples, Progressistas querem fazer o que qualquer grupo que ambiciona o poder deseja - moldar o mundo à sua imagem e beneficiar seus aliados. Não é uma questão de lógica ou coerência interna (Realpolitik não permite que você se importe tanto com isso, aliás).

Realpolitik é um termo pejorativo, inclusive. Mas baseado no realismo político, esses grupelhos ATEA da vida jamais entenderão que não existe um desejo coletivo homogêneo entre os ateus, e passarão o resto da vida tentando praticar a "Justiça Social", criminalizando a opinião contrária e trazendo ainda mais aversão dos outros a esse grupo de pessoas.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 28 de Novembro de 2016, 00:47:50
Citar
O problema é quando um determinado grupo que não representa todo um movimento(diria que a maioria dos ateus não pensam como a ATEA, mas isso é um chute, não podemos afirmar os números exatos ainda) usa isso(o Ateísmo) como pretexto para disseminar sua linha ideológica esquerdista "progressista" como se realmente estivesse representando a vontade dos ateus e agnósticos.

Embora eu não tenha nenhum fonte específica quanto Ateus e Progressivismo, posso afirmar que ao menos baseados no que se sabe sobre Ateus/Agnósticos nos EUA (http://www.pewforum.org/2012/10/09/nones-on-the-rise-social-and-political-views/), eles são sim fortemente inclinados à Esquerda Americana, e por conseguinte, um maior número deles deve se simpatizar com o Progressivismo (o que não implica que Ateus são, em sua maioria, aderentes desse ideário).

No momento eu estou lendo o livro The Nonreligious que lida justamente com demografia de grupos seculares, e devo ter mais fontes para lidar com o tópico. Talvez eu dê uma olhada em alguns subreddits que faziam pesquisas sobre seus membros, para ver como Progressivistas se autodefinem.  :wink:

Citar
Conhecendo o meio liberal e libertário, sou obrigado a discordar de você em relação a seus aderentes. A não ser que você considera conservadores parte dos entusiastas do liberalismo e do libertarianismo, mas você estaria equivocado.

Curioso, não imaginei que não discordaria comigo. O que quis dizer é que "luminares ideológicos" são tipicamente acadêmicos ou intelectuais, tipicamente com ampla educação (formal ou informal, geralmente a primeira), com renda substancialmente alta (parte dos estratos superiores de um sociedade), e por isso nitidamente distintos de seus seguidores. De acordo?

Citar
Qual é a lógica de ateus, que tem um bilhão de linhas ideológicas seguidas pelos seus aderentes pois não são um grupo homogêneo, quererem se aliar a um grupo político visando uma espécie de interesse coletivo que nem mesmo existe entre eles?

Porque ao menos nos casos dos EUA (mas creio que possa ser aplicado ao Brasil - alguém pesquisou a opinião política de grupos ateus como a ATEA e LIHS, ou de ateus "como um todo"?), Ateus não são tão distintos assim. Nitidamente há uma "party line" informalmente mantida eles, de forma até mais previsível que ocorre entre Cristãos (esses sim são muito mais distintos entre si).

Citar
Realpolitik é um termo pejorativo, inclusive.

Curioso, para mim é um termo bastante neutro. Mas terei isso em mente ao discutir contigo.  :wink:

Citar
Mas baseado no realismo político, esses grupelhos ATEA da vida jamais entenderão que não existe um desejo coletivo homogêneo entre os ateus, e passarão o resto da vida tentando praticar a "Justiça Social", criminalizando a opinião contrária e trazendo ainda mais aversão dos outros a esse grupo de pessoas.

Parece-me que supõe que há muito mais diversidade entre ateus do que realmente existe. Eu creio, apesar de tudo, que o "Ateu Médio" é um quase-progressivo (e que o Clube Cético é hoje, um peculiar rincão de Ateus ou Similares com inclinação sociopolítica geralmente Liberal).
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 28 de Novembro de 2016, 11:21:44
Evidencia anedotica:  conheço muito catolico ou meio catolico sei lá, que acredita em reencarnação, mistura coisas do espiritismo e tal....sacumé!

Não estaria ai algo relacionado a esta cotradição?

Não tão anedótica, o vlogueiro professor Maro, por exemplo, disse que crê em reencarnação e que não queria mais reencarnar nesse mundo (só porque o mundo não é conservador como ele quer).

Pior que o mito de que pessoas espíritas eram mais tolerantes que cristãs tá caindo mais e mais. Já vi por exemplo espíritas a favor de Bolsonaro (não que espiritismo proíba isso, mas já demonstra um radicalização e menos tolerância até mesmo nessa crença).   


Sobre ceticismo / ateísmo eu não concordo com tudo que pessoal da ATEA faz, mas depois que vi barbaridades ditas por religiosos contra  ateus acho que ela é um mal necessário; pois religiosos adoram se fazer de vítima e sempre se passam por mártires perseguidos além de fazer provocações. Esse negócio de ateu dar outra face pode parecer bonitinho mas não to vendo muito resultado, e mesmo quando se consegue avanços há muitos recuos.

Tem horas que enche a paciência e acho que caras como Paulopes faz bem pra encher saco de religiosos chatos.




Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: DDV em 28 de Novembro de 2016, 11:44:48
O ateísmo nunca será uma bandeira politicamente relevante pelos seguintes motivos:

- É impossível um ateu ou agnóstico ser identificado a não ser que ele próprio o faça, espontaneamente.

- Não há absolutamente nenhuma vantagem em se identificar como ateu ou agnóstico que torne essa questão um problema ou dilema (uma escolha entre 2 coisas ruins ou boas)

- Ninguém é obrigado atualmente a participar de nenhuma atividade religiosa. A identificação default como "católico não praticante" ou algum deísmo/teísmo indeterminado "resolve" todos os seus problemas e não lhe trás absolutamente nenhum prejuízo ou limitação.

Resumindo, o ateísmo militante é inútil e politicamente vazio. As bandeiras do laicismo e do racionalismo científico (que são as que importam) já têm adeptos suficientes em todos os espectros de crença.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 28 de Novembro de 2016, 12:16:36

Citar
Se aliar com grupos que também são odiados pela população em geral não é uma boa maneira de tentar ser melhor visto pela sociedade. Qual é a lógica em querer que uma frase numa moeda seja mudada por questões politicamente corretas? Pois o progressismo moderno está reduzido a isso: SJWs e PCs. Esse tipo de ativismo, criminalizando a opinião contrária, só serve para piorar a imagem dos ateus. Que façam então como a LHS: Fiquem na sua, rebatam a ignorância quando necessário, mas de maneira pragmática e sem avançar muito sobre o  rival. Isso parece o mais sensato pensando na política real, a de Maquiavel, no qual a opinião do povão é a que realmente conta para conseguir oque você quer. Esses grupos "progressistas" atuais parecem pensar muito mais em como as coisas devem ser e não como elas realmente são.

E se submeter a opinião da maioria fazendo concessões como abrira mão do estados laico em menor ou maior escala só pra fazer média

Aliás, você não é um liberal minarquista ou anarco-capitalista? Não me parece que isso seja popular também entre a mairoria da população mais carente que vê bolsa-família como algo moral e justo. Então você omitiria ou fingiria ser a favor de bolsa-família só pra ganhar apoio popular? Então por que ateus deveriam fazer média pra uma maioria religiosa?

Eu sou favor do estado laico que é diferente de estado ateu (acho que muita gente ainda confunde os dois). Então eu deveria abrir mão disso só pra agradar uma população de maioria religiosa? Acho que é preciso saber passar isso pra população, pois o estado laico seria bom até pra religiosos, poderia evitar que alguém de uma religião majoritária (em certa área) prejudicasse outros em nome da sua própria fé.

Mas não tem nenhum político ateu que eu conheça que saiba passar isso de forma fácil de entender e que ganhe mais apoio da população.



Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 28 de Novembro de 2016, 12:21:18
O ateísmo nunca será uma bandeira politicamente relevante pelos seguintes motivos:

- É impossível um ateu ou agnóstico ser identificado a não ser que ele próprio o faça, espontaneamente.

- Não há absolutamente nenhuma vantagem em se identificar como ateu ou agnóstico que torne essa questão um problema ou dilema (uma escolha entre 2 coisas ruins ou boas)

- Ninguém é obrigado atualmente a participar de nenhuma atividade religiosa. A identificação default como "católico não praticante" ou algum deísmo/teísmo indeterminado "resolve" todos os seus problemas e não lhe trás absolutamente nenhum prejuízo ou limitação.

Resumindo, o ateísmo militante é inútil e politicamente vazio. As bandeiras do laicismo e do racionalismo científico (que são as que importam) já têm adeptos suficientes em todos os espectros de crença.

E deixar o religião militante, cientificamente, economicamente (exceto pra enriquecer pastores e redes de igrejas usando de forma leviana o argumento da ética protestante segundo Max Weber), socialmente (apesar das campanhas sociais feitas por igrejas, etc, não há uma mudança do quadro geral na sociedade) atrasada se impôr sem oposição? De jeito nenhum. Então em vez de ateísmo militante deveria ter um laicismo militante, o que é bem diferente.


Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 28 de Novembro de 2016, 15:54:59
E se submeter a opinião da maioria fazendo concessões como abrira mão do estados laico em menor ou maior escala só pra fazer média
Que? Claro que não.

Aliás, você não é um liberal minarquista ou anarco-capitalista?
Depende do que você considera um estado mínimo. Para os padrões brasileiros eu sou um minarquista.

Não me parece que isso seja popular também entre a mairoria da população mais carente que vê bolsa-família como algo moral e justo. Então você omitiria ou fingiria ser a favor de bolsa-família só pra ganhar apoio popular? Então por que ateus deveriam fazer média pra uma maioria religiosa?
O Liberalismo tem se propagado aos poucos e muito recentemente no Brasil, e tem sido um  sucesso. O ativismo liberal não se baseia em criminalizar a opinião contrária, e a maioria dos liberais são abertos ao diálogo, ao contrário da esquerda e dos conservadores.
Não se trata de fazer média com uma maioria religiosa, e sim fazer com que as pessoas aceitem a sua concepção irreligiosa gradualmente, sem imposições, e sempre defendendo o estado secular e se opondo às tentativas de Teocracia na forma menos imbecil possível. A LIHS faz isso de maneira muito menos infantil que a ATEA. E eu não simpatizo muito com alguns aspectos da LIHS também, apesar de gostar da defesa ao estado secular deles.

Eu sou favor do estado laico que é diferente de estado ateu (acho que muita gente ainda confunde os dois).
Confundem mesmo, entre na página da ATEA e verá.

Então eu deveria abrir mão disso só pra agradar uma população de maioria religiosa?
Claro que não. E nem foi isso que eu falei ou quis dar a entender.

Acho que é preciso saber passar isso pra população, pois o estado laico seria bom até pra religiosos, poderia evitar que alguém de uma religião majoritária (em certa área) prejudicasse outros em nome da sua própria fé.
Exatamente, também penso assim.

Mas não tem nenhum político ateu que eu conheça que saiba passar isso de forma fácil de entender e que ganhe mais apoio da população.
Dificilmente um político ateu que fica fazendo ativismo ateísta antirreligião vá ganhar uma eleição para alguma coisa. Por que? Porque o Ateísmo Militante, antirreligioso, não tem simpatia nem pela maioria dos ateus, quem dirá dos religiosos, que não simpatizam nem com os ateus "mais clássicos". Sei lá, essa onda ateísta militante antirreligião e religiosos me parece muito com os próprios movimentos religiosos em seu modus operandi. Jamais simpatizarei com eles.

E deixar o religião militante, cientificamente, economicamente (exceto pra enriquecer pastores e redes de igrejas usando de forma leviana o argumento da ética protestante segundo Max Weber), socialmente (apesar das campanhas sociais feitas por igrejas, etc, não há uma mudança do quadro geral na sociedade) atrasada se impôr sem oposição? De jeito nenhum. Então em vez de ateísmo militante deveria ter um laicismo militante, o que é bem diferente.

E já tem! É o que a LIHS faz!
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 28 de Novembro de 2016, 16:19:01
Embora eu não tenha nenhum fonte específica quanto Ateus e Progressivismo, posso afirmar que ao menos baseados no que se sabe sobre Ateus/Agnósticos nos EUA (http://www.pewforum.org/2012/10/09/nones-on-the-rise-social-and-political-views/), eles são sim fortemente inclinados à Esquerda Americana, e por conseguinte, um maior número deles deve se simpatizar com o Progressivismo (o que não implica que Ateus são, em sua maioria, aderentes desse ideário).
No momento eu estou lendo o livro The Nonreligious que lida justamente com demografia de grupos seculares, e devo ter mais fontes para lidar com o tópico. Talvez eu dê uma olhada em alguns subreddits que faziam pesquisas sobre seus membros, para ver como Progressivistas se autodefinem.  :wink:

Sim. É bem provável mesmo, pois geralmente os ateus são pró-secularismo, e o secularismo é uma bandeira quase exclusivamente progressista hoje em dia, muito devido a ainda inexpressiva (mas em crescimento) propagação dos ideais liberais/libertários a nível mundial. E também pelo populismo da justiça social ser muito mais atraente do que o pragmatismo do gradualismo.




Citar
Conhecendo o meio liberal e libertário, sou obrigado a discordar de você em relação a seus aderentes. A não ser que você considera conservadores parte dos entusiastas do liberalismo e do libertarianismo, mas você estaria equivocado.

Curioso, não imaginei que não discordaria comigo. O que quis dizer é que "luminares ideológicos" são tipicamente acadêmicos ou intelectuais, tipicamente com ampla educação (formal ou informal, geralmente a primeira), com renda substancialmente alta (parte dos estratos superiores de um sociedade), e por isso nitidamente distintos de seus seguidores. De acordo?

Sim, concordo que os ideólogos são uma elite intelectual. Mas os militantes liberais e libertários literalmente cagam e andam para a religião ou irreligião alheia, é aquela história de Sociedade Aberta (https://en.wikipedia.org/wiki/Open_society) defendida pelos liberais e até mesmo por alguns sociais-democratas. Por isso discordei de você em relação a antipatia de tais pelo ateísmo ou pelos ateus.

Porque ao menos nos casos dos EUA (mas creio que possa ser aplicado ao Brasil - alguém pesquisou a opinião política de grupos ateus como a ATEA e LIHS, ou de ateus "como um todo"?), Ateus não são tão distintos assim. Nitidamente há uma "party line" informalmente mantida eles, de forma até mais previsível que ocorre entre Cristãos (esses sim são muito mais distintos entre si).
A LIHS não é um grupo ateu. É um grupo secular que luta pelo secularismo. A ATEA milita pelo ateísmo e tenta impor a visão ateísta para a sociedade de forma não muito diferente dos religiosos. Está ai a diferença.

A única simpatia que há unanimemente entre os ateus acho que é a defesa do estado laico, provavelmente.

Curioso, para mim é um termo bastante neutro. Mas terei isso em mente ao discutir contigo.  :wink:
Pode continuar utilizando, mas é como usar o termo neoliberal para definir os liberais modernos. Geralmente é usada de maneira pejorativa, por isso acho engraçado você usar de maneira não-pejorativa.

Parece-me que supõe que há muito mais diversidade entre ateus do que realmente existe. Eu creio, apesar de tudo, que o "Ateu Médio" é um quase-progressivo (e que o Clube Cético é hoje, um peculiar rincão de Ateus ou Similares com inclinação sociopolítica geralmente Liberal).
Talvez, mas acho que há mais progressistas/quase-progressistas do que liberais aqui. Talvez os liberais apenas façam mais barulho. E acredite, há bastante pluralidade de ideias entre os ateus sim. Há vários tipos de ateísmo, e o ateísmo antirreligião militante é só um deles, um movimento recente por assim dizer.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: AlienígenA em 28 de Novembro de 2016, 16:53:51
Eu nunca escondi o que penso, no que acredito e nunca tive problema com isso, mas tenho me surpreendido atualmente. Minha filha descobriu recentemente durante o debate de filosofia sobre o livro Carta a Uma Nação Cristã de Harris que 15 dos 45 alunos, incluindo-a, são ateus/agnósticos e apenas 5 religiosos praticantes. 1 espírita e 4 evangélicos. Melhor que isso, apenas 1 é marxista. A garota fala até russo  :susto: ou melhor, xinga em russo quando alguém critica a religião dela.  :hihi:  A família do namorado de minha filha, um católico praticante, muito religiosa, não pareceu se incomodar ou preocupar com isso. Já tivemos algumas oportunidades de falar do assunto em encontros, churrascos e tal, com naturalidade, sem constrangimento ou tensão, de ambas as partes. Numa delas, inclusive, o padre da pariquia deles, que é amigo da família, estava presente e participou da conversa. Pareceu mais curioso que qualquer outra coisa, interessado em saber como nos guiávamos moralmente, no que nos baseávamos. Foi uma boa conversa. Já não me parece que as pessoas se assustam como há 30 anos quando eu tinha a idade dela. Já não é mais algo tão incomum. Não que fiquem todos muito confortáveis, mas há mais tolerância. Suponho que isso se deva à Internet. É um assunto recorrente na rede.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: JJ em 28 de Novembro de 2016, 19:33:26
Eu nunca escondi o que penso, no que acredito e nunca tive problema com isso, mas tenho me surpreendido atualmente. Minha filha descobriu recentemente durante o debate de filosofia sobre o livro Carta a Uma Nação Cristã de Harris que 15 dos 45 alunos, incluindo-a, são ateus/agnósticos e apenas 5 religiosos praticantes. 1 espírita e 4 evangélicos.


Certamente que esta não é uma amostra significativa da população com um todo.  Pois o número de ateus e agnósticos no Brasil atual não deve ser de 33 % .  A não ser que a classificação de agnóstico que você esteja usando seja  mais ampla do que a definição normal da palavra.

Exatamente o que quis  dizer com agnóstico neste contexto ?

Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: AlienígenA em 28 de Novembro de 2016, 20:23:14
Eu nunca escondi o que penso, no que acredito e nunca tive problema com isso, mas tenho me surpreendido atualmente. Minha filha descobriu recentemente durante o debate de filosofia sobre o livro Carta a Uma Nação Cristã de Harris que 15 dos 45 alunos, incluindo-a, são ateus/agnósticos e apenas 5 religiosos praticantes. 1 espírita e 4 evangélicos.


Certamente que esta não é uma amostra significativa da população com um todo.  Pois o número de ateus e agnósticos no Brasil atual não deve ser de 33 % .  A não ser que a classificação de agnóstico que você esteja usando seja  mais ampla do que a definição normal da palavra.

Exatamente o que quis  dizer com agnóstico neste contexto ?
Exatamente o que a palavra significa. Sem religião, sem crença em deus. O restante dos colegas são religiosos não praticantes, maioria católicos. Sei perfeitamente que não representa a média, por isso mesmo me surpreendeu e também a ela e ao professor, que também é ateu. Foi a primeira vez, inclusive, segundo ele, que foi possível inverter as posições no debate - com ateus/agnósticos rebatendo Harris e religiosos defendendo. O resultado foi bom. Houve exceções, mas a maioria entrou no jogo. Aliás, até hoje está redendo bons debates, agora no zapzap, já que o CEFET também foi ocupado por meia dúzia de tiranos mirins contra a vontade da maioria dis alunos, professores e do diretor - faltando três semanas para fechar o ano.  :)
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 29 de Novembro de 2016, 18:32:58

Obama comentou sobre algo assim:

https://www.youtube.com/v/eVuOTwlMEjU
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 30 de Novembro de 2016, 13:54:55
Citar
Sim. É bem provável mesmo, pois geralmente os ateus são pró-secularismo, e o secularismo é uma bandeira quase exclusivamente progressista hoje em dia, muito devido a ainda inexpressiva (mas em crescimento) propagação dos ideais liberais/libertários a nível mundial. E também pelo populismo da justiça social ser muito mais atraente do que o pragmatismo do gradualismo.

Eu tenho minhas reservas quanto a bandeira do secularismo porque é um termo bastante indefinido, ocasionalmente parece ser usado para a laicité francesa, que é expressamente anti-religiosa em espaços públicos, ocasionalmente usando para o secularism anglo-saxão, que permite que religiões tenham espaço público relativamente igualitário e possam interferir com o Estado. De uma forma ou outra, no Brasil, o Secularismo é uma bandeira restrita a pequenos grupos, sendo basicamente mais uma imposição antipopular que por algum motivo estranho, liberais defendem.

Citar
A LIHS não é um grupo ateu. É um grupo secular que luta pelo secularismo. A ATEA milita pelo ateísmo e tenta impor a visão ateísta para a sociedade de forma não muito diferente dos religiosos. Está ai a diferença.

Secularismo também é  visão de mundo imposta pelo Estado e uma camarilha restrita de pessoas - não me parece ser uma bandeira remotamente popular e mesmo desejada pela população cristã daqui. Tentar colocá-lo como algo mais "benevolente e tolerante" do ateísmo é algo digno, mas ainda sim me soa falso.

Citar
Sim, concordo que os ideólogos são uma elite intelectual. Mas os militantes liberais e libertários literalmente cagam e andam para a religião ou irreligião alheia, é aquela história de Sociedade Aberta defendida pelos liberais e até mesmo por alguns sociais-democratas. Por isso discordei de você em relação a antipatia de tais pelo ateísmo ou pelos ateus.

Bom, defender uma sociedade aberta não impede alguém de ainda expressar antipatia ou oposição - mas é um detalhe menor, provavelmente concordamos aqui.  :)

Citar
Pode continuar utilizando, mas é como usar o termo neoliberal para definir os liberais modernos. Geralmente é usada de maneira pejorativa, por isso acho engraçado você usar de maneira não-pejorativa.

Sem problemas. :)

Citar
Talvez, mas acho que há mais progressistas/quase-progressistas do que liberais aqui. Talvez os liberais apenas façam mais barulho. E acredite, há bastante pluralidade de ideias entre os ateus sim. Há vários tipos de ateísmo, e o ateísmo antirreligião militante é só um deles, um movimento recente por assim dizer.

Eu tenho noção disso, eu sou fascinado pela história intelectual e demográfica do ateísmo - e não há nada de novo no militantismo entre ateus, é provavelmente a vertente mais antiga do ateísmo - Jean Meslier, o primeiro ateu de fato, era um - assim como alguns dos philosophes que foram base ou forneceram apoio à Revolução Francesa (de onde surgiu o bizarro Culto à Razão), e claro, a Komsonol e seu ramo antirreligioso militante que mencionei nesse tópico. Se há algo raro e incomum na história de movimentos ateus, é a tolerância religiosa (mas não necessariamente em ateus como indivíduos).

EDIT: Antes que tenha a impressão que eu tenho minhas rusgas com ateísmo militante, não tenho de fato -  os exemplos que citei vieram de sociedades onde a Religião Institucional era não apenas perigosamente ligadas com o Estado (França do Antigo Regime e Rússia Tzarista), quanto não tolerava críticas vindas mesmo de seus adeptos mais liberais. Em uma sociedade onde a religião é periogosamente repressora, não fique surpreso em encontrar ateus que se comportam de maneira similar.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 01 de Dezembro de 2016, 19:37:56
De uma forma ou outra, no Brasil, o Secularismo é uma bandeira restrita a pequenos grupos, sendo basicamente mais uma imposição antipopular que por algum motivo estranho, liberais defendem.

   Tem nada de estranho é totalmente normal e lógico (corente com pensamento liberal) defender isso. Anormal seria nao defender um estado livre, seja economico, social e ideologico (religião, filsofia, etc).


Secularismo também é  visão de mundo imposta pelo Estado e uma camarilha restrita de pessoas - não me parece ser uma bandeira remotamente popular e mesmo desejada pela população cristã daqui. Tentar colocá-lo como algo mais "benevolente e tolerante" do ateísmo é algo digno, mas ainda sim me soa falso.


   Não, não é! Há mais chance de liberdade num "estado ateu" (que você pôs dessa forma; a gente tava falando desatdo laico o que não é mesmo) com relação a crenças religiosas.

   No geral, há mais tolerancia por parte dum ateu em realação crenças como religiões "pagãs" (africanas, indigenas, etc), espiritismo, etc, do que por parte de judaico-cristaõs, onde somente deus deles seria o verdadeiro e o resto é falso e demoniaco. Até mesmo entre eles não se entendem. Nem preciso lembrar sobre Irlanda do norte, guerras de protestantes x católicos e até de protestantes e vários seitas entre si.

   E na verdade quem é ateu sabe que não dá pra destruir crenças na base de imposição, mas através de questionaembtos que pode levar ao ceticismo. Exceto se você tiver falando de antiteísmo ou antirreligiãoque é outra coisa.

Eu tenho noção disso, eu sou fascinado pela história intelectual e demográfica do ateísmo - e não há nada de novo no militantismo entre ateus, é provavelmente a vertente mais antiga do ateísmo -

   Por isso a expressão neo-ateísmo não tem sentido se não há algo de novo.

Jean Meslier, o primeiro ateu de fato,

   Carece de fontes. E os ateus do mundo greco-romano da  antiguidade?

Se há algo raro e incomum na história de movimentos ateus, é a tolerância religiosa (mas não necessariamente em ateus como indivíduos).

   Novamente sua opinião apenas. A intolerância religiosa por parte de ateus segundo tu apresentou foi exatemente atitude de INDIVIDUOS e não de ateus como todo, que nem possuiam (e ainda hoje não psosuem) um movimento unificado, ao contrário de igrejas, seitas que tem seguidores centralizados em ideias comuns do grupo de que pertencem.


Em uma sociedade onde a religião é periogosamente repressora, não fique surpreso em encontrar ateus que se comportam de maneira similar.

   E se se comportarem qual problema? Deveriam dar outra face (tarefa que cristãos sonegam frequentemente) e esperar atitudes boazinhas vindas de religiosos?

   Pode até dizer que seria Tu quoque mas ateus são seres humanos passiveis de ter raiva, vontade de revidar, paciencia limitada, etc. Os ateus tem que dar exemplo e religiosos ficam isentos disso?

   E se poar acaso alguém mencionar que ditaduras "atéias" (na verdade comunistas) mataram mais que guerras religiosas, aviso logo "Nem todo ateu é comunista, nem todo comunista é ateu".
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 01 de Dezembro de 2016, 20:57:35
Eu tenho minhas reservas quanto a bandeira do secularismo porque é um termo bastante indefinido, ocasionalmente parece ser usado para a laicité francesa, que é expressamente anti-religiosa em espaços públicos, ocasionalmente usando para o secularism anglo-saxão, que permite que religiões tenham espaço público relativamente igualitário e possam interferir com o Estado. De uma forma ou outra, no Brasil, o Secularismo é uma bandeira restrita a pequenos grupos, sendo basicamente mais uma imposição antipopular que por algum motivo estranho, liberais defendem.

A separação de igreja e estado é um dos pilares da ideologia liberal. Como assim "motivo estranho"? Fiquei intrigado agora.


Secularismo também é  visão de mundo imposta pelo Estado e uma camarilha restrita de pessoas - não me parece ser uma bandeira remotamente popular e mesmo desejada pela população cristã daqui. Tentar colocá-lo como algo mais "benevolente e tolerante" do ateísmo é algo digno, mas ainda sim me soa falso.
Secularismo não é um conceito ateu, mas é defendido por ateus em geral. O secularismo tem origens remotas, e ganhou relevância após a Revolução Americana, revolução esta posta em prática por protestantes. É algo "imposto" pelo estado somente em partições e órgãos públicos.

Eu tenho noção disso, eu sou fascinado pela história intelectual e demográfica do ateísmo - e não há nada de novo no militantismo entre ateus, é provavelmente a vertente mais antiga do ateísmo - Jean Meslier, o primeiro ateu de fato, era um - assim como alguns dos philosophes que foram base ou forneceram apoio à Revolução Francesa (de onde surgiu o bizarro Culto à Razão), e claro, a Komsonol e seu ramo antirreligioso militante que mencionei nesse tópico. Se há algo raro e incomum na história de movimentos ateus, é a tolerância religiosa (mas não necessariamente em ateus como indivíduos).
Komsonol praticava o  ateísmo marxista-leninista, algo que foge da realidade da maioria dos ateus.

Quanto a Meslier, temos que saber diferenciar o anticlericalismo do "antiteísmo infantil"***.


EDIT: Antes que tenha a impressão que eu tenho minhas rusgas com ateísmo militante, não tenho de fato -  os exemplos que citei vieram de sociedades onde a Religião Institucional era não apenas perigosamente ligadas com o Estado (França do Antigo Regime e Rússia Tzarista), quanto não tolerava críticas vindas mesmo de seus adeptos mais liberais. Em uma sociedade onde a religião é periogosamente repressora, não fique surpreso em encontrar ateus que se comportam de maneira similar.

É o efeito mola.




***Não estou me referindo ao antiteísmo tradicional, que se refere a negar a existência de divindades, e sim a esse tipo de coisa que a ATEA faz:
(https://lucianoayan.files.wordpress.com/2013/10/1384238_10202432513080488_1920732497_n1.jpg)
Já vi cristãos compactuando com esse tipo de "opinião" intolerante. Isso foge até da visão de justiciamento social da qual eu acusei a ATEA de fazer.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 01 de Dezembro de 2016, 21:44:39
Citação de: Gauss
A separação de igreja e estado é um dos pilares da ideologia liberal. Como assim "motivo estranho"? Fiquei intrigado agora.

Simples, a separação da Igreja e Estado não é tão estrita quanto defendida atualmente (exemplo americano, a Primeira Emenda era restrita à Esfera Federal - Estados poderiam ter seus credos confessionais, e até hoje tem algumas "letras mortas" quanto a não-contratação de Ateus ou quem não afirma a existência de um Criador) e da maneira como é defendida no Brasil (aos moldes da laicité francesa)) é mais uma imposição estatal sem apoio popular (pergunte às pessoas se elas não querem a Bíblia como fundamento de Direito no Brasil, a presença de cruzes em tribunais e repartições públicas, os capelões em meio a militares e bombeiros e o ensino religioso confessional em escolas pública, por exemplo) do que uma defesa de princípio do Liberalismo.

Citação de: Gauss
Komsonol praticava o  ateísmo marxista-leninista, algo que foge da realidade da maioria dos ateus.

Ainda é um exemplo claro de como uma sociedade ateia se comporta. Sem contar que a China Maoísta não foi muito melhor em sua perseguição e destruição de monastérios e templos, e até hoje tem restrições consideráveis à prática religiosa. Goste ou não, a história do Ateísmo é marcada por esses exemplos horrendos.

Citação de: Gauss
Quanto a Meslier, temos que saber diferenciar o anticlericalismo do "antiteísmo infantil"***

Não nego, como coloquei anteriormente.  :)

Citação de: Gauss
***Não estou me referindo ao antiteísmo tradicional, que se refere a negar a existência de divindades, e sim a esse tipo de coisa que a ATEA faz:

Incrível como a ATEA me convence cada dia mais a manter minha identidade de Católico Secular.  :P

Citação de: Agnoscetico
No geral, há mais tolerancia por parte dum ateu em realação crenças como religiões "pagãs" (africanas, indigenas, etc), espiritismo, etc, do que por parte de judaico-cristaõs, onde somente deus deles seria o verdadeiro e o resto é falso e demoniaco. Até mesmo entre eles não se entendem. Nem preciso lembrar sobre Irlanda do norte, guerras de protestantes x católicos e até de protestantes e vários seitas entre si.

Fale isso para a Albânia de Hoxha, China Maoísta, União Soviética, França Revolucionária e Comuna de Paris. Nenhum exemplo de "Estado Ateu" (a Albânia é a única que foi estritamente ateia, mas todos estes perseguiram abertamente a crença religiosa) foi remotamente tolerante com práticas religiosas diversas - quem é tolerante são os ateus que vivem em sociedades secularizadas de matriz cristã - ou preciso lembrar que entre diversas nações onde o ateísmo orgânico floresce, ainda existem Igrejas Nacionais?

Citação de: Agnoscetico
   Carece de fontes. E os ateus do mundo greco-romano da  antiguidade?

Eu posso citar tanto o Michel Onfray na Contra-História da Filosofia quanto Nick Spencer em Atheism - Origins of the Species como fontes que o Padre Ateu é a primeira pessoa que pode ser identificada sem ambiguidade alguma como Ateu - e os "ateus" da Antiguidade Clássica eram em geral apateístas, cristãos (que eram chamados de Ateus por não reconhecerem a divindade do Panteão e/ou do Imperador) ou pagãos (que eram chamados de Ateus por não reconhecerem a divindade de Jesus e/ou Deus Cristão). Entretanto, eu concedo que é um ponto ainda em debate, porque o Ateísmo da Antiguidade Clássica pode ou não ser distinto da forma como nós encaramos hoje.

E da relação entre Ateísmo e Comunismo, já discuti isso contigo em outro tópico. Não tenho motivos para reiterar o que escrevi outrora.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Buckaroo Banzai em 01 de Dezembro de 2016, 21:55:42
pergunte às pessoas se elas não querem a Bíblia como fundamento de Direito no Brasil

Majoritariamente, acho que só se for uma edição seletiva bem "light", do tipo "bíblia para crianças". :biglol:


Fora disso, só se as pessoas estiverem pensando de maneira também bem superficial, mais num verniz bíblico seletivo, e não em todas possíveis implicações da teocracia. Ou uma quantidade consideravelmente pequena de religiosos bem estritos mesmo, do naipe de TJs e daqueles que não comem algumas frutas porque acham que pode estar um pouco fermentada e assim ter álcool.


Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 01 de Dezembro de 2016, 22:57:46
pergunte às pessoas se elas não querem a Bíblia como fundamento de Direito no Brasil


Acho difícil que majoritariamente queiram viver assim. Há uma diferença entre o Conservadorismo religioso e o  Conservadorismo popular comum.


Ainda é um exemplo claro de como uma sociedade ateia se comporta. Sem contar que a China Maoísta não foi muito melhor em sua perseguição e destruição de monastérios e templos, e até hoje tem restrições consideráveis à prática religiosa. Goste ou não, a história do Ateísmo é marcada por esses exemplos horrendos.

Falso. As perseguições perpetuadas por esses grupos se davam muito mais por um motivo ideológico, em nome do Marxismo, do que pelo Ateísmo. E as sociedades em países comunistas não eram ateias, o estado que era ateu(voltando a lembrar: na forma de um Ateísmo Marxista-Leninista (https://en.wikipedia.org/wiki/Marxist%E2%80%93Leninist_atheism)), perseguindo religiões em nome da ideologia do estado, mas as pessoas continuaram de alguma forma crendo em alguma coisa, porém, fazendo isso de uma forma mais reservada e reprimida. Você não é daqueles que acha que o ateísmo matou  100 milhões de pessoas através do comunismo, certo?
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 02 de Dezembro de 2016, 02:52:13
Citação de:  Buckaroo e Gauss
Majoritariamente, acho que só se for uma edição seletiva bem "light", do tipo "bíblia para crianças".
...
Acho difícil que majoritariamente queiram viver assim. Há uma diferença entre o Conservadorismo religioso e o  Conservadorismo popular comum.

Sim, felizmente o Catolicismo Romano presente aqui é relativamente liberal quanto aos costumes e tanto a já longa separação formal entre Estado e Igreja (desde a primeira Constituição Republicana, se me lembro bem) quanto a ascensão do Protestantes tem minado consideravelmente qualquer pretensão teocráticas nele, mas sim que mesmo o Conservadorismo Popular brasileiro tem fortes elementos derivados do Catolicismo Romano e um deles é aproximar mais o Estado da Igreja, não necessariamente como uma Teocracia, mas a ideia de uma "Nação Cristã".

Citar
Falso. As perseguições perpetuadas por esses grupos se davam muito mais por um motivo ideológico, em nome do Marxismo, do que pelo Ateísmo. E as sociedades em países comunistas não eram ateias, o estado que era ateu(voltando a lembrar: na forma de um Ateísmo Marxista-Leninista), perseguindo religiões em nome da ideologia do estado, mas as pessoas continuaram de alguma forma crendo em alguma coisa, porém, fazendo isso de uma forma mais reservada e reprimida.

Mas eu não estou negando que o componente marxista seja o preponderante - apenas que o marxismo soviético teve um forte componente ateu militante, anticlericalista e antirreligioso que colaborou com a supressão ativa e perseguição de religiosos profissionais, além de impedir/restringir a prática religiosa pública - e que por boa parte da história recente, ateus ocidentais não apenas não se incomodavam com isso, como apoiavam ou expressavam simpatias a isso (em larga medida, devido à história inclinação ateia à esquerda em geral).

Aceito a correção quanto a "sociedade ateia", de fato foi um deslize meu. ;)

Citar
Você não é daqueles que acha que o ateísmo matou  100 milhões de pessoas através do comunismo, certo?

Não - minha ênfase é no componente ateu do marxismo-leninismo soviético (e maoísta - e em menor parte, no anticlericalismo dos philosophes da Rev. Francesa) na perseguição e supressão da atividade religiosa apenas. Outros fenômenos como dekulakização, descamponeizização, russificação, perseguição de minorias não-russas, supressão ativa de dissidentes políticos, restrição de liberdades civis e comerciais não tem relação alguma com ateísmo.

Vulgo - não, eu não sou o Olavo de Carvalho, nem o Orlando Fedeli e menos ainda o João Scognamiglio Dias. Numa comparação bem fraca, estou mais para o Católico Romano Liberal que reconhece que a Igreja cometeu erros sérios durante a Inquisição Espanhola (enquanto tenta citar o trabalho do Kramer para dizer que também não foi algo ao nível da "Leyenda negra"), o que faz que ele seja alvo de críticas de ateus e católicos ao mesmo tempo. :sorriso:
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Buckaroo Banzai em 02 de Dezembro de 2016, 12:12:49

Ainda é um exemplo claro de como uma sociedade ateia se comporta. Sem contar que a China Maoísta não foi muito melhor em sua perseguição e destruição de monastérios e templos, e até hoje tem restrições consideráveis à prática religiosa. Goste ou não, a história do Ateísmo é marcada por esses exemplos horrendos.

Falso. As perseguições perpetuadas por esses grupos se davam muito mais por um motivo ideológico, em nome do Marxismo, do que pelo Ateísmo. E as sociedades em países comunistas não eram ateias, o estado que era ateu(voltando a lembrar: na forma de um Ateísmo Marxista-Leninista (https://en.wikipedia.org/wiki/Marxist%E2%80%93Leninist_atheism)), perseguindo religiões em nome da ideologia do estado, mas as pessoas continuaram de alguma forma crendo em alguma coisa, porém, fazendo isso de uma forma mais reservada e reprimida. Você não é daqueles que acha que o ateísmo matou  100 milhões de pessoas através do comunismo, certo?

Até mais do que marxismo especificamente, em autoritarismo. As declarações marxistas/leninistas sobre religião, ainda que taxativas em condená-las como superstição/ópio, também têm uma certa leniência com elas pelo mesmo motivo:

Citação de: Lenine
[...] Mas ao fazê-lo não devemos em caso nenhum cair num modo abstracto e idealista de colocar a questão religiosa «a partir da razão», fora da luta de classes, como não poucas vezes é feito pelos democratas radicais pertencentes à burguesia. Seria um absurdo pensar que, numa sociedade baseada na opressão e embrutecimento infindáveis das massas operárias, se pode, puramente por meio da propaganda, dissipar os preconceitos religiosos. Seria estreiteza burguesa esquecer que o jugo da religião sobre a humanidade é apenas produto e reflexo do jugo económico que existe dentro da sociedade. Não é com nenhuns livros nem com nenhuma propaganda que se pode esclarecer o proletariado se não o esclarecer a sua própria luta contra as forças negras do capitalismo. A unidade desta luta realmente revolucionária da classe oprimida pela criação do paraíso na terra é mais importante para nós do que a unidade de opiniões dos proletários sobre o paraíso no céu.

É por isso que não declaramos nem devemos declarar o nosso ateísmo no nosso programa; é por isso que não proibimos nem devemos proibir aos proletários que conservaram estes ou aqueles vestígios dos velhos preconceitos que se aproximem do nosso partido. Sempre defenderemos a concepção do mundo científica, é-nos necessário lutar contra a inconsequência de quaisquer «cristãos», mas isto não significa de modo nenhum que se deva avançar a questão religiosa para primeiro lugar, que de maneira nenhuma lhe pertence, que se deva admitir a dispersão das forças da luta realmente revolucionária, económica e política, por causa de opiniões ou delírios de terceira ordem que perdem rapidamente todo o significado político e são rapidamente deitados para a arrecadação dos trastes velhos pelo próprio curso do desenvolvimento económico. [...]


https://www.marxists.org/portugues/lenin/1905/12/03.htm




E alguns até enxergam uma origem teísta/cristã nas políticas stalinistas. A tradição continua a mesma, apenas se trocam os líderes:

Citar

[...] STALIN

Of these three characters, Stalin was the only confirmed atheist, yet Hitchens thoroughly dealt with the religious nature of Stalin’s dictatorship in a manner that has left religious apologists without sufficient reply.  Notwithstanding the fact that Stalin was raised as a Christian under the religious influence of his mother, who enrolled him in seminary school, and that Stalin later took it upon himself to study for the priesthood, as Hitchens and others have pointed out, Stalin merely stepped into a ready-made religious tyranny, constructed by the Russian Orthodox Church and paved with the teachings of St. Paul.

Citação de: Romans 13:1-2
Let every soul be subject to the governing authorities. For there is no authority except from God, and the authorities that exist are appointed by God. Therefore whoever resists the authority resists the ordinance of God, and those who resist will bring judgment on themselves.                                           

Such teachings were the inspirational well from which the Russian Orthodox Church drew their justifications to support this new Tsar, causing the more sensible fringe of the Church to flee to the United States in contravention of St. Paul’s teachings.

Here then, the central premise of Hitchens’ argument is worthy of reiteration.  Had Stalin inherited a purely rational secular edifice, one established upon the ethos espoused by the likes of Lucretius, Thomas Jefferson, Thomas Paine, Einstein and other free thinking and rational secularists, then the apologist’s argument would hold slightly more weight, but such wasn’t the case.  Stalin merely tore the existing religious labels off the Christian Inquisition, the enforcement of Christian orthodoxy, the Crusades, the praising of the priesthood, messianism, and Edenic ideas of a terrestrial religious-styled utopia, and re-branded them with the red of communism.  Had this Christian machine not been in place, then it is more than likely Stalin wouldn’t have had the vehicle he needed to succeed in causing so much suffering in the name of his godless religion, Communism. [...]

https://michaelsherlockauthor.wordpress.com/2014/10/21/the-atheist-atrocities-fallacy-hitler-stalin-pol-pot-in-memory-of-christopher-hitchens/
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Gauss em 02 de Dezembro de 2016, 12:58:25
Mas eu não estou negando que o componente marxista seja o preponderante - apenas que o marxismo soviético teve um forte componente ateu militante, anticlericalista e antirreligioso que colaborou com a supressão ativa e perseguição de religiosos profissionais, além de impedir/restringir a prática religiosa pública - e que por boa parte da história recente, ateus ocidentais não apenas não se incomodavam com isso, como apoiavam ou expressavam simpatias a isso (em larga medida, devido à história inclinação ateia à esquerda em geral).

Tenho dúvidas quanto a veracidade dessa afirmação. Quem eram esses ateus?
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Buckaroo Banzai em 02 de Dezembro de 2016, 16:09:50
A coisa mais sovieticóide que me lembro foi uma proposta dum autor da STR de que religião fosse proibida para crianças, acho que era argumentado ser compatível com outros esquemas de apropriação etária, como para conteúdo escolar.

Também me recordo de alguém, não lembro quem, ter dito algo como que o islamismo deveria ser considerado como ideologia de ódio e proibido, assim como o nazismo.

Deve haver uma porção de outras sugestões nessas linhas ao longo das décadas, mas não me parece serem posições majoritárias, que sempre me pareceram tender a ser mais o "stephenjaygouldianas" ou "carlsaganianas" (recentemente rotuladas de "acomodacionistas" pelos "neo-ateus"), e mesmo as samharris-dawkininianas, acho que geralmente apenas se aproximam disso, talvez flertem com essas idéias, mas sem ser a defesa disso com todas as letras.

A citação indireta de Hitchens também sugere que esse deve ter sido o padrão histórico, se ele estiver correto.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 03 de Dezembro de 2016, 02:35:28

Simples, a separação da Igreja e Estado não é tão estrita quanto defendida atualmente (exemplo americano, a Primeira Emenda era restrita à Esfera Federal - Estados poderiam ter seus credos confessionais, e até hoje tem algumas "letras mortas" quanto a não-contratação de Ateus ou quem não afirma a existência de um Criador) e da maneira como é defendida no Brasil (aos moldes da laicité francesa)) é mais uma imposição estatal sem apoio popular (pergunte às pessoas se elas não querem a Bíblia como fundamento de Direito no Brasil, a presença de cruzes em tribunais e repartições públicas, os capelões em meio a militares e bombeiros e o ensino religioso confessional em escolas pública, por exemplo) do que uma defesa de princípio do Liberalismo.


   A presença de símbolos religioso como cruzes é uma questão menor. Mas que não tem sentido sem manter eles não tem. Além da questão da parcialidade, já que não se vê símbolos de outras religiões como

   E isso não é visto como um problema grave pros ateus como um todo; claros que tem os que implicam com isso. Até porque há símbolos de origem mística ou pagã em cédulas. A implicância se demonstra ser maior entre religiosos de crenças judaico-cristãs.

Implicância contra símbolos esotéricos em cédulas e estátuas:

(http://www.elevados.com.br/imagem_fck/031%20-%20Olho%20da%20pir%C3%A2mide%20.jpg)

(https://cachoeiradourada.files.wordpress.com/2011/01/olho-de-horus-na-nota-de-100.jpg)

Deusa Temis simbolizando a justiça:

(http://www.blogdacidadania.com.br/wp-content/uploads/2015/09/stf.jpg)

Estátua da liberdade seria uma deusa pagã, Libertas. Tem religioso que implique com isso:

https://www.youtube.com/v/9GxS7UmqlYE

Implicância contra violação a laicidade em cédulas:

(http://3.bp.blogspot.com/-gtPAuJYgZqI/ULAq8q_UtaI/AAAAAAAAAMI/IM04yqiNdYI/s1600/389992_458775480841001_1594968860_n.jpg)
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 03 de Dezembro de 2016, 02:39:00

Ainda é um exemplo claro de como uma sociedade ateia se comporta. Sem contar que a China Maoísta não foi muito melhor em sua perseguição e destruição de monastérios e templos, e até hoje tem restrições consideráveis à prática religiosa. Goste ou não, a história do Ateísmo é marcada por esses exemplos horrendos.

[...]

Fale isso para a Albânia de Hoxha, China Maoísta, União Soviética, França Revolucionária e Comuna de Paris. Nenhum exemplo de "Estado Ateu" (a Albânia é a única que foi estritamente ateia, mas todos estes perseguiram abertamente a crença religiosa) foi remotamente tolerante com práticas religiosas diversas - quem é tolerante são os ateus que vivem em sociedades secularizadas de matriz cristã - ou preciso lembrar que entre diversas nações onde o ateísmo orgânico floresce, ainda existem Igrejas Nacionais?



   Sociedade atéia uma vírgula.
E mesmo assim até parece que essas sociedades comunistas, maoistas, etc, mesmo com aparelhagem e poderio militar mais avançados que da época da Inquisição, não conseguiu acabar com crenças e filosofias tradicionais nos países asiáticos comunistas (Budismo, Confucionismo, Taoísmo, culto aos ancestrais, etc) e nos países da ex-URSS (igreja ortodoxa). Já sobre religiões pagãs na Europa e em muitos locais de países islâmicos não se pode dizer o mesmo; onde foi mantido a crença gregco-romana, celta, germânica, escandinava, etc? [Não vale citar o neopaganismo, que é uma revisão descontextualizada das religiões].

   Não seria esses religiosos perseguidos por serem contra o regime e não por serem religiões em si? Assim como católicos e protestantes que foram perseguidos especificamente por se oporem a Hitler e não o Catolicismo ou Protestantismo em si e os simpatizantes do regime.
E os ateus que eram contra regime comunista e teriam sido perseguidos?
Levou isso em consideração? Hoje o "neocomunismo" de Putin anda tendo relações com igreja ortodoxa contra gays, "decadência moral" americana, etc.

   Tem que ver que muitas perseguições comunistas a religiões deve ter particularidades de cada regime em si e não do comunismo como todo. Hugo Chavez e Evo Morales, entre outros comunistas já até afirmaram que Jesus tinha características mais pro comunismo do que capitalismo, coisas tipo dividir bens, etc. Hugo Chavez fez até sinal da cruz contra Bush.

   Dalai lama teria se declarado marxista, mas não leninista. Apesar do Tibete ter dominação da China (que tem mais haver com centralização e aumento de territórios do que comunismo em si):

http://www.paraiba.com.br/2013/05/12/65106-contraditorio-sou-marxista-diz-dalai-lama-a-estudantes-chineses (http://www.paraiba.com.br/2013/05/12/65106-contraditorio-sou-marxista-diz-dalai-lama-a-estudantes-chineses)


Contraditório? 'Sou marxista', diz Dalai Lama a estudantes chineses

Dalai Lama, o líder espiritual dos tibetanos, afirma ser marxista. O quê? Isso mesmo, meu caro. O monge budista confirmou sua inclinação política durante conversa com 150 estudantes chineses, neste mês, na Universidade americana de Minnesota.
Durante conversa com os estudantes, Dalai Lama, para surpresa de muitos, disse:  "Em relação às questões sócio-políticas, eu me considero um marxista. Mas não sou leninista", esclareceu.
A voz espiritual Lama também foi questionado se sua declaração política não contradiz a filosofia budista, ele respondeu: "Marx não era contra a religião ou filosofia religiosa em si, mas contra as instituições religiosas aliadas a classe dirigente européia".
Ele relatou sua experiência com ex-presidente chinês Mao Tsé-Tung. O monge disse que durante uma reunião em Pequim, o líder chinês o chamou e disse: "Sua mente é científica!". Uma avaliação que se seguiu à famosa frase, "a religião é veneno".


https://www.youtube.com/v/DhvlnC-oKEw

Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 03 de Dezembro de 2016, 02:41:47

Entretanto, eu concedo que é um ponto ainda em debate, porque o Ateísmo da Antiguidade Clássica pode ou não ser distinto da forma como nós encaramos hoje.


   E tem que levar em consideração o ceticismo, ateísmo agnóstico, ateísmo fraco, presente em alguns filósofos Antiguidade clássica. O fato deles não assumirem publicamente uma posição clara.

   Ateísmo é uma coisa muito vaga. Tem seitas budistas, jainistas atéias. Quando falo ateu falo do sentido maior que ele acabou ganhando, que inclui descrença ou ceticismo em relação a coisas extra-físicas.

   Diágoras de Melos, considerado ateu e Pirro de Élis era um cético; só pra citar alguns exemplos.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pirro_de_%C3%89lis (https://pt.wikipedia.org/wiki/Pirro_de_%C3%89lis)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Acatalepsia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Acatalepsia)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pirronismo (https://pt.wikipedia.org/wiki/Pirronismo)
 

   A bíblia cita passagens como Salmos 53:1 "Disse o néscio no seu coração: Não há Deus. Têm-se corrompido, e cometido abominável iniqüidade; não há ninguém que faça o bem." Ainda que que se diga que o conceito judaico de ateu seja diferente do que se conhece hoje (como se hoje ainda não tivesse gente que não confundisse) tem que levar isso em conta. Um ateu na epóca antiga poderia ser descrente em relação a seres sobrenaturais (inckuindo deuses) mas crer em coisas pseudo-científicas e isso ser considerado crença supersticiosa sem ser. A crença na existência do éter existia até o século 19; crença na cura através de florais de Bach; etc, etc, etc. 

   O tal Jean Meslier poderia ser um ateu da boca pra fora e ou ter afirmado ser um em certo momento de decepção, desilusão, etc. Quem vai saber? Não se tem prova como ler pensamentos ou coisa assim.

   O historiador Georges Minois, autor do livro “História do Ateísmo”, conta que os ateus, pela sua quantidade crescente, começaram a preocupar os crentes mais devotos a partir da primeira metade do século IV antes de nossa era. E a perseguição aos ateus foi inaugurada em grande estilo por Platão (427 a.C. – 347 a.C.). Perseguição que se prolonga até hoje, mais de 2.000 anos depois.

Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 03 de Dezembro de 2016, 03:02:50

Sim, felizmente o Catolicismo Romano presente aqui é relativamente liberal quanto aos costumes e tanto a já longa separação formal entre Estado e Igreja (desde a primeira Constituição Republicana, se me lembro bem) quanto a ascensão do Protestantes tem minado consideravelmente qualquer pretensão teocráticas nele, mas sim que mesmo o Conservadorismo Popular brasileiro tem fortes elementos derivados do Catolicismo Romano e um deles é aproximar mais o Estado da Igreja, não necessariamente como uma Teocracia, mas a ideia de uma "Nação Cristã".


   Os católicos tem (ou tinham) uma vantagem em relação ao protestantismo, o não-proselitismo (eploe menos na atualidade, não se faz mais isso como se fazia durante o início da colonização aqui) como era aqui antes da avalanche evangélica e como parece ser na Itália, França, Portugal, etc, onde ninguém fica te importunando nas ruas com gritos histéricos de pregadores anunciando o fim do mundo ou impertinência constante no pé de ateus, pagãos, etc., na ânsia de querer convereter eles com apelos, chantagens emocionais , etc.

   Mas tem uns católicos como Conde Loppeux  que são favor de estado confessional católico. E apesar de alguma coisinha ou outra, ele adora dizer que estado laico não é netruo, etc. Ele é contra o Satanismo mas a favor do Catolicismo (curiosamente também critica muito o Protestantismo). Ou seja, ele Satanismo é provocação, mas detonar a paganismo não é (dois pesos duas medidas):

https://www.youtube.com/v/8QrRJB0UNXw

Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 03 de Dezembro de 2016, 03:14:28

Sobre a perseguição religiosa, especificamente contra a Budista em países comunistas da Ásia (cada regime teve ações específicas, qye também dependiam da época):

http://studybuddhism.com/pt/budismo-tibetano/sobre-o-budismo/o-mundo-do-budismo/budismo-no-mundo-contemporaneo (http://studybuddhism.com/pt/budismo-tibetano/sobre-o-budismo/o-mundo-do-budismo/budismo-no-mundo-contemporaneo)

Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 03 de Dezembro de 2016, 03:16:19

Mas eu não estou negando que o componente marxista seja o preponderante - apenas que o marxismo soviético teve um forte componente ateu militante, anticlericalista e antirreligioso que colaborou com a supressão ativa e perseguição de religiosos profissionais, além de impedir/restringir a prática religiosa pública - e que por boa parte da história recente, ateus ocidentais não apenas não se incomodavam com isso, como apoiavam ou expressavam simpatias a isso (em larga medida, devido à história inclinação ateia à esquerda em geral).


   Esquerda é um conceito relativo. Um conservador pode coniderar um liberal um esquerdista fabiano (já perdi conta de ver esse termo por aí), mas esse mesmo "esquerdista fabiano" pode considerar que esqurdista são os comunistas e elesmesmos como direitistas.

   Não sei de evidências e não apenas opiniões vagas de que ateus tem inclinação histórica pra esquerda ou se foram empurrados por não terem opção. Tipo "o inimigo do meu inimigo é meu amigo (pelo menos até o inimigo comum ser tirado de cena)"

Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 03 de Dezembro de 2016, 03:36:33
Perseguição católica ao Budismo na Ásia feita por um ditador:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Ngo_Dinh_Diem (https://pt.wikipedia.org/wiki/Ngo_Dinh_Diem)

Ngô Đình Diệm Jean Baptiste (Hué, 3 de janeiro de 1901 – Saigon, 2 de novembro de 1963) foi o primeiro presidente do Vietnam do Sul após a independência e divisão do Vietnam, governando o país entre 1955 e 1963, quando foi deposto e executado.[1]

Os ancestrais de sua família foram convertidos ao catolicismo por missionários portugueses ainda no século XVII, o que lhe deu também o sobrenome católico de Jean Baptiste e seu pai, abrindo mão dos planos traçados pela família de que abraçasse a carreira eclesiástica, tornou-se um mandarim e conselheiro do Imperador da Indochina durante a colonização francesa, dando um status à família que fazia Diem apregoar ser descendente e integrante de uma nobreza real de sangue-azul.

Governo[editar | editar código-fonte]
Sua presidência, após a proclamação da República do Vietnam, foi marcada por autoritarismo, perseguição religiosa, nepotismo e corrupção. Dois de seus irmãos comandavam politicamente regiões no interior do país através de exércitos privados e policias secretas, enquanto outro era designado embaixador do Vietnam nos Estados Unidos e o mais velho empossado como Arcebispo de Hué. Seu irmão mais novo Ngo Dinh Nhu, era conhecido por contrabandear arroz, explorar resultados de loterias, extorquir dinheiro dos homens de negócio de Saigon e possuir a maior fortuna pessoal do país. A mulher deste, Madame Nhu, era oficialmente a primeira-dama – Diem era solteiro - e comandou os programas sociais, ideólogicos e religiosos de Diem, a fim de reformar a sociedade de acordo com os valores estabelecidos pelo presidente.


1957: O Presidente Ngô Đình Diệm desembarca em Washington D.C. e é recebido pelo Presidente Dwight Eisenhower.
Anti-comunista convicto, seu governo se notabilizou por torturar e matar suspeitos de simpatia pela doutrina, perfazendo um total aproximado de 50 mil mortos e 75 mil prisioneiros durante seus oito anos no poder.

À medida que a oposição a seu governo crescia, um insurgência subeterrânea começou a aparecer no país. Em 1959, o comando central do partido comunista em Hanói, no Vietnam do Norte, autorizou secretamente a utilização de operações armadas no sul. Em 20 de dezembro de 1960, sob instruções e apoio de Ho Chi Minh, surgia a Frente Nacional de Libertação do Vietnam do Sul, depois conhecida simplesmente como Vietcong. Era basicamente formada por dois grupos ideologicamente distintos: intelectuais que se opunham ao governo e eram nacionalistas e comunistas que continuaram estabelecidos no sul após a divisão do país em dois em 1954; a estes juntaram-se estudantes e simples cidadãos comuns desgostosos com a situação política e econômica e com as perseguições religiosas que começavam a aflorar no país.

Protestos budistas[editar | editar código-fonte]
As relações do regime de Diem com o governo dos Estados Unidos pioraram cada vez mais até o ano de 1963, assim como o descontentamento religioso da maioria budista do povo sul-vietnamita e dos monges do país, provocada pelas restrições do presidente católico à suas idéias e pregações e da crescente corrupção no tecido da burguesia vietnamita ligada à Diem seu governo. Em maio, em Hué, onde seu irmão era arcebispo, ele proibiu os budistas de portarem suas bandeiras durante as comemorações do aniversário de nascimento de Gautama Buddha, mas alguns dias depois permitiu que os católicos hasteassem bandeiras religiosas, causando um protesto do líder budista local contra o governo, que terminou com a repressão de tropas e a morte de nove civis desarmados.

Os monges budistas propuseram um acordo ao governo de Diem, pedindo liberdade religiosa, igualdade entre as religiões, uso de bandeiras religiosas em demonstrações e compensações pelas vítimas de Hué, assim com a prisão dos oficiais responsáveis pelo massacre. Receberam de volta a indiferença de Diem, que proibiu manifestações e ordenou à sua polícia que prendesse qualquer cidadão envolvido em atos de desobediência civil. O ponto mais baixo desta relação entre o governo e os budistas veio em junho de 1963, quando o monge Thich Quang Duc imolou-se em chamas no meio de um importante cruzamento de Saigon e as fotos deste acontecimento correram o mundo, seguidas de outras imolações, alertando para o que acontecia no Vietnam.

Estes fatos apenas faziam crescer a impopularidade de Diem no Vietnam e no resto do mundo, causando profunda preocupação ao governo do então presidente John Kennedy. Diem continuava apenas a justificar seus atos como ações anti-comunistas e descrevendo todos seus opositores e dissidentes do regime como controlados pelo comunismo do norte.

[...]
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Agnoscetico em 03 de Dezembro de 2016, 03:48:46

http://iehouah.blogspot.com/2015/04/email-falso-sobre-extremistas-budistas.html (http://iehouah.blogspot.com/2015/04/email-falso-sobre-extremistas-budistas.html)

Email falso sobre extremistas budistas serve a finalidades piores.

Uma corrente de e-mails circula pela internet entre cristãos de todo o mundo, e espalha boatos de que cristãos estariam sendo perseguidos na Índia, por budistas de orientação extremista.

O texto do e-mail que circula entre cristãos brasileiros, pede que os fiéis orem pelos irmãos missionários e afirma que igrejas foram destruídas e outras igrejas fariam parte dos alvos estabelecidos pelos extremistas:


Orai pela Igreja na Índia. Extremistas budistas na Índia incendiaram 20 igrejas na noite passada. Esta noite querem destruir, mais 200 igrejas na província de Olisabang. Eles querem matar 200 missionários, nas próximas 24 horas. Todos os cristãos estão escondidos em aldeias. Ore por eles e envie esta mensagem a todos os cristãos que você conhece. Peça a Deus para ter misericórdia de nossos irmãos e irmãs da Índia

Porém, o pastor adventista Bill Cork, publicou em seu blog “Advent Hope”, informações que desmentem o e-mail. Segundo Cork, na Índia não há províncias, e sim, estados, e não há nenhuma região chamada de Olisabang: “Essa informação é falsa. Que eu saiba, não existem grupos extremistas budistas na Índia, embora existam alguns em Sri Lanka”, afirma o pastor.

O site Mission Network News entrevistou o reverendo Samuel Stephens, líder da India Gospel Leagues, organização missionária dedicada a levar o evangelho à região. Stephens afirmou que o e-mail, na verdade, é falso: “Se isso fosse verdade, eu teria sido um dos primeiros a receber tais informações por causa da presença de nossa extensa rede de pastores e plantadores de igrejas espalhados por boa parte do país. Além disso, não existem províncias na Índia. Temos estados e distritos. Não há estado ou distrito chamado Olisabang”, observa.

O e-mail circula entre cristãos de todo o mundo há pelo menos dois anos, e em vários países, veículos de imprensa especializados já desmentiram o boato.

O reverendo Samuel Stephens ressalta que o relacionamento entre cristãos e budistas na Índia é amistoso e pacífico: “Sou levado a crer que essa mensagem é uma tentativa deliberada e planejada por extremistas hindus a danificar o bom relacionamento entre budistas e cristãos. É intencionalmente enviada para criar animosidade entre estes dois grupos”, afirma.

Apesar de um certo achismo, destaquei esse comentário aqui por ter mais haver com a realidade religiosa:

Budistas, no geral, são aversos a qualquer tipo de confronto, mesmo porque a essência de sua doutrina prega a não violência e a paz como base de seus valores e regras comportamentais.E na Índia, berço do budismo, essa filosofia espiritual é mais presente na região do Himalaia.Não faz sentido esse tipo de notícia.Budistas não interferem na prática missionária de outras religiões, muito menos tomam atitudes violentas contra comunidades que professam outras religiões.No Sri Lanka e no Tibete o contexto político e social é a força motora de atitudes mais drásticas por parte de seguidores do budismo, e nesses países não existem uma motivação religiosa.Cristãos geralmente sofrem da síndrome da perseguição na Ásia, e facilmente esquecem os séculos de violência e perseguição que promoveram contra culturas que expressavam uma doutrina espiritual diferente da sua.
Responder Comentar
Paulo Agnóstico disse:
19 de julho de 2012 ás 11:39 pm




Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 03 de Dezembro de 2016, 23:43:33
Citação de: Agnoscético
   A presença de símbolos religioso como cruzes é uma questão menor. Mas que não tem sentido sem manter eles não tem. Além da questão da parcialidade, já que não se vê símbolos de outras religiões como    E isso não é visto como um problema grave pros ateus como um todo; claros que tem os que implicam com isso. Até porque há símbolos de origem mística ou pagã em cédulas. A implicância se demonstra ser maior entre religiosos de crenças judaico-cristãs.

Certo - o que é um ponto menor e nós concordamos.

Citação de: Agnoscetico
   Sociedade atéia uma vírgula.
E mesmo assim até parece que essas sociedades comunistas, maoistas, etc, mesmo com aparelhagem e poderio militar mais avançados que da época da Inquisição, não conseguiu acabar com crenças e filosofias tradicionais nos países asiáticos comunistas (Budismo, Confucionismo, Taoísmo, culto aos ancestrais, etc) e nos países da ex-URSS (igreja ortodoxa). Já sobre religiões pagãs na Europa e em muitos locais de países islâmicos não se pode dizer o mesmo; onde foi mantido a crença gregco-romana, celta, germânica, escandinava, etc? [Não vale citar o neopaganismo, que é uma revisão descontextualizada das religiões].

Como eu já coloque antes (e essa não será a primeira vez que reclamarei por não ler o que escrevi de antemão) - sociedade ateia foi um deslize meu. O ateísmo estatal em nações socialistas eurasiáticas era um fenômeno de elite, imposto a uma maioria de pessoas religiosas.

Citação de: Agnoscetico
Não seria esses religiosos perseguidos por serem contra o regime e não por serem religiões em si? Assim como católicos e protestantes que foram perseguidos especificamente por se oporem a Hitler e não o Catolicismo ou Protestantismo em si e os simpatizantes do regime.

Sim - também foram perseguidos por representarem um sinal de oposição política ao Regime - raramente um grupo é perseguido apenas por um motivo.

Entretanto, você está usando a mesma desculpa que Católicos usam para dizer que a Inquisição Espanhola (e estou me restringindo a ela por ser a que conheço melhor) era um fenômeno político, devido a participação e apoio dos monarcas de Castela e Aragão ao seu estabelecimento, da percepção de risco que os conversos, mudejares e moriscos representavam à unidade religiosa-politica pretendida pela Coroa e do fato que diversas execuções eram feitas por agentes da Coroa, não da Igreja. E claro, que não era a Igreja como um todo que apoiava isso, além da maioria dos investigados não serem punidos (geralmente eram chamados de relapsos e se indicava melhor educação religosa) e que havia oposição dentro da própria Igreja. Todos argumentos acima são verdadeiros (e valem também para ateus russos não-socialistas), mas não negam o fato trivial - o ateísmo militante foi elemento que motivou a ação repressiva na URSS.

Citar
E os ateus que eram contra regime comunista e teriam sido perseguidos? Levou isso em consideração?

Sim, levei. Mas para que seu argumento faça sentido, você precisa encontrar um equivalente da Liga dos Ateus Militantes (https://en.wikipedia.org/wiki/League_of_Militant_Atheists), só que dedicada a perseguir especificamente ateus/agnósticos na URSS (ou nação equivalente).

Citação de: Agnoscetico
Hoje o "neocomunismo" de Putin anda tendo relações com igreja ortodoxa contra gays, "decadência moral" americana, etc.

Não apenas hoje - a URSS também tem um histórico incrivelmente complexo com movimento LGBT, oscilando entre períodos de abertura (Lênin e Krushev) com severa opressão e perseguição (Stálin). A China não é dissimilar nisso, e Cuba até hoje tem cláusulas constitucionais que proíbem a união civil homossexual (algo que deve dar inveja à certos ultra-conservadores pelo mundo  :P)

Citar
Tem que ver que muitas perseguições comunistas a religiões deve ter particularidades de cada regime em si e não do comunismo como todo. Hugo Chavez e Evo Morales, entre outros comunistas já até afirmaram que Jesus tinha características mais pro comunismo do que capitalismo, coisas tipo dividir bens, etc. Hugo Chavez fez até sinal da cruz contra Bush.

Certo - mas isso em nada muda meu argumento.  :)

Citação de: Agnoscetico
Não sei de evidências e não apenas opiniões vagas de que ateus tem inclinação histórica pra esquerda ou se foram empurrados por não terem opção. Tipo "o inimigo do meu inimigo é meu amigo (pelo menos até o inimigo comum ser tirado de cena)"

Lembra-se que reclamei que não lê o que escrevo? Hora de me repetir - há evidências da inclinação de ateus/agnósticos à Esquerda e eu já coloquei nessa discussão, vide aqui (http://www.pewforum.org/2012/10/09/nones-on-the-rise-social-and-political-views/).
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: Geotecton em 04 de Dezembro de 2016, 00:55:18
[...]
Não apenas hoje - a URSS também tem um histórico incrivelmente complexo com movimento LGBT, oscilando entre períodos de abertura (Lênin e Krushev) com severa opressão e perseguição (Stálin). A China não é dissimilar nisso, e Cuba até hoje tem cláusulas constitucionais que proíbem a união civil homossexual (algo que deve dar inveja à certos ultra-conservadores pelo mundo  :P)
[...]

Os bolcheviques eram contra o homossexualismo. A tolerância ocorria apenas com membros importantes do PC, desde que estes não se expusessem.

Para os demais, todos inferiores na hierarquia, o comportamento homossexual explícito era punido com repreensão, deportação ou fuzilamento.
Título: Re:Tempos ruins para o ceticismo/ateismo no Brasil
Enviado por: El Elyon em 04 de Dezembro de 2016, 01:27:18
Citação de: Geotecton
Os bolcheviques eram contra o homossexualismo. A tolerância ocorria apenas com membros importantes do PC, desde que estes não se expusessem.

Para os demais, todos inferiores na hierarquia, o comportamento homossexual explícito era punido com repreensão, deportação ou fuzilamento.

Não exatamente - se considerar que os bolcheviques foram os principais responsáveis pela Revolução Russa (embora a segunda revolução foi mais um pustch contra os Brancos seguido de quase uma década de guerra civil), eles tinham posição razoavelmente liberais durante esse período, já que ela não era criminalizada nos códices legais de 1917 (na Rússia - a situação em outras regiões era distinta) e há indícios ambíguos que essa seria a postura a ser seguida de acordo com o ramo Internacionalista do PC (embora a homossexualidade ainda era vista como uma patologia em compêndios médicos - algo que perdurou até os anos 70 no DSM, por exemplo). A mudança de postura ocorreu com a ascensão de Stalin e do maior foco em supressão em atividades anticomunistas, onde convenientemente homossexuais foram igualizados à pederastas e fascistas/capitalistas decadentes. E como a URSS era o modelo para outras nações socialistas, a mesma atitude foi encontrada na Albânia, China e Cuba.

E respondo algo que só notei agora:

Citação de: Gauss
Tenho dúvidas quanto a veracidade dessa afirmação. Quem eram esses ateus?

Majoritariamente, aqueles ocidentais com simpatias (mas que não são necessariamente apoiadores explícitos) ao Socialismo, especialmente antes da Invasão Húngara de 56 - como o casal Beauvoir e Sartre, Merleau-Ponty e Ernst Bloch, além de alguns dos Frankfurtianos (embora eu deixo esses para alguém que os compreenda melhor, eu sou influenciado demais por anglo-saxões para querer entendê-los a fundo).

Dito isso, admito a escassez de evidência de larga escala para o passado (estudos sobre secularistas/não-religiosos/ateus/agnósticas são bastante recentes) e que basicamente estou assumindo que as simpatias com a esquerda vistas atualmente são válidas para tal período.