Autor Tópico: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec  (Lida 63296 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Sklogw

  • Nível 19
  • *
  • Mensagens: 589
  • Sexo: Masculino
  • Campanha Anti-Bullshit Científico
Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Online: 14 de Janeiro de 2008, 19:10:59 »
Do site http://montfort.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=religiao&artigo=kardec&lang=bra, uma coleção de textos racistas de Allan Kardec pinçados de suas obras e escritos. Alguns deles já foram debatidos "ad nauseam" nesse e outros fóruns. Nestes textos o "codificador" aparece como ele realmente é: um burguês etnocentrista e preconceituoso da França do século XIX.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------
“Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;" (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
---------------------------------------------------------------------------------------------------------
“Sob o mesmo envoltório, quer dizer, com os mesmos instrumentos de manifestação do pensamento, as raças não são perfectíveis senão em limites estreitos, pelas razões que desenvolvemos. Eis por que a raça negra, enquanto raça negra, corporeamente falando, jamais alcançará o nível das raças caucásicas; mas, enquanto Espíritos, é outra coisa; ela pode se tornar, e se tornará, o que somos; somente ser-lhe-á preciso tempo e melhores instrumentos. Eis porque as raças selvagens, mesmo em contato com a civilização, permanecem sempre selvagens; mas, à medida que as raças civilizadas se ampliam, as raças selvagens diminuem, até que desapareçam completamente, como desapareceram as raças dos Caraíbas, dos Guanches, e outras. Os corpos desapareceram, mas em se tornaram os Espíritos? Mais de um, talvez, esteja entre nós”. (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
 
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
"O progresso não foi, pois, uniforme em toda a espécie humana; as raças mais inteligentes naturalmente progrediram mais que as outras, sem contar que os Espíritos, recentemente nascidos na vida espiritual, vindo a se encarnar sobre a Terra desde que chegaram em primeiro lugar, tornam mais sensíveis a diferença do progresso Com efeito, seria impossível atribuir a mesma antiguidade de criação aos selvagens que mal se distinguem dos macacos, que aos chineses, e ainda menos aos europeus civilizados"
(Allan Kardec, A Gênese, ed. LAKE  p. 187).
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
"Em relação à sexta questão, dir-se-á, sem dúvida, que o Hotentote é de uma raça inferior; então, perguntaremos se o Hotentote é um homem ou não. Se é um homem, por que Deus o fez, e à sua raça, deserdado dos privilégios concedidos à raça caucásica? Se não é um homem, porque procurar fazê-lo cristão ?" (Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, Instituto de Difusão Espírita, Araras, São Paulo, sem data, capítulo V, p. 127).
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
"Esses Espíritos dos selvagens, entretanto pertencem à humanidade; atingirão um dia o nível de seus irmãos mais velhos, mas certamente isso não se dará no corpo da mesma raça física, impróprio a certo desenvolvimento intelectual e moral. Quando o instrumento não estiver mais em relação ao desenvolvimento, emigrarão de tal ambiente para se encarnar num grau superior, e assim por diante, até que hajam conquistado todos os graus terrestres, depois do que deixarão a Terra para passar a mundos mais e mais adiantados" (Revue Spirite, abril de 1863, pág. 97: Perfectibilidade da raça negra, in Allan Kardec, A Gênese, Lake _ Livraria Allan Kardec editora, São Paulo, p. 187).
----------------------------------------------------------------------------------------------------------
“Mas, então, porque nós, civilizados, esclarecidos, nascemos na Europa antes que na Oceania? Em corpos brancos antes que em corpos negros? Por que um ponto de partida tão diferente, se não se progride senão como Espírito? Por que Deus nos isentou do longo caminho que o selvagem deve percorrer? Nossas almas seriam de uma outra natureza que a sua? Por que, então, procurar fazê-lo cristão? Se o fazeis cristão, é que o olhais como vosso igual diante de Deus; se é vosso igual diante de Deus, porque Deus vos concede privilégios? Agiríeis inutilmente, não chegaríeis a nenhuma solução senão admitindo, para nós um progresso anterior, para o selvagem um progresso ulterior; se a alma do selvagem deve progredir ulteriormente, é que ela nos alcançará; se progredimos anteriormente, é que fomos selvagens, porque, se o ponto de partida for diferente, não há mais justiça, e se Deus não é justo, não é Deus. Eis, pois, forçosamente, duas existências extremas: a do selvagem e a do homem mais civilizado.” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
O exame frenológico dos povos pouco inteligentes constata a predominância das faculdades instintivas, e a atrofia dos órgãos da inteligência. O que é excepcional nos povos avançados, é a regra em certas raças. Por que isto? É um injusta preferência? Não, é a sabedoria. A natureza é sempre previdente; nada faz de inútil; ora, seria uma coisa inútil dar um instrumento completo a quem não tem meios de se servir dele. Os Espíritos selvagens são Espíritos de crianças, podendo assim se exprimir; entre eles, muitas faculdades ainda estão latentes. Que faria, pois, o Espírito de um Hotentote no corpo de um Arago? Seria como aquele que não sabe a música diante de um excelente piano. Por um razão inversa, que faria o Espírito de Arago no corpo de um Hotentote? Seria como Liszt diante de um piano que não teria senão algumas más cordas falsas, às quais seu talento jamais chegaria a dar sons harmoniosos.” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
---------------------------------------------------------------------------------------------------------

"The most ordinary things are to philosophy a source of insoluble puzzles." [Ludwig Boltzmann]

"I venture to think that the people who talk most about it are the people who do least about it. Scientific method is what working scientists do, not what other people or even they themselves may say about it." [Percy W. Bridgman, "Reflections of a Physicist"]

"Ich habe einen Drachen in meiner Garage" [A. Einstein, psicografado por sklogw]

Nigh†mare

  • Visitante
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #1 Online: 14 de Janeiro de 2008, 19:31:02 »
Nojento...

Offline Sklogw

  • Nível 19
  • *
  • Mensagens: 589
  • Sexo: Masculino
  • Campanha Anti-Bullshit Científico
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #2 Online: 14 de Janeiro de 2008, 20:16:21 »
Nojento...

Com certeza. É tão evidente o racismo de Kardec que causa enorme desconforto entre os espíritas, que se vêem obrigados a justificar essas besteiras (como já vimos nesse fórum). Como dizia o próprio Kardec, se é preferível abandonar 99 verdades a aceitar uma mentira, então o espiritismo como um todo é uma bosta.
"The most ordinary things are to philosophy a source of insoluble puzzles." [Ludwig Boltzmann]

"I venture to think that the people who talk most about it are the people who do least about it. Scientific method is what working scientists do, not what other people or even they themselves may say about it." [Percy W. Bridgman, "Reflections of a Physicist"]

"Ich habe einen Drachen in meiner Garage" [A. Einstein, psicografado por sklogw]

Offline Raphael

  • Contas Excluídas
  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.367
  • Sexo: Masculino
  • Neo-anarquista, livre-pensador, utópico.
    • Orkut
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #3 Online: 14 de Janeiro de 2008, 21:37:48 »
Isso quer dizer que não há negros espíritas?

Se há negros nazistas, por que não negros espíritas? :lol:



E sim, o texto é nojento.
"I’ve got an F and a C and I got a K too, and the only thing missing is a bitch like U"

Offline Contini

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.610
  • Sexo: Masculino
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #4 Online: 14 de Janeiro de 2008, 22:18:31 »
conclusões infantis, ingenuas, estupidas mesmo...Isso seria um "espirito evoluido?"
"A idade não diminui a decepção que a gente sente quando o sorvete cai da casquinha"  - anonimo

"Eu não tenho medo de morrer, só não quero estar lá quando isso acontecer"  - Wood Allen

    “O escopo da ciência é limitado? Sim, sem dúvida: limitado a tratar daquilo que existe, não daquilo que gostaríamos que existisse.” - André Cancian

Offline Syl

  • Nível 14
  • *
  • Mensagens: 337
  • Sexo: Feminino
    • http://www.imageshack.us/
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #5 Online: 15 de Janeiro de 2008, 03:21:39 »
Perdoem-me se dou risada com isso.
Não tenho preconceitos(quer dizer, devo ter, mas até agora não sei qual)
No entanto, entrando no terreno da hipótese, vamos analisar uma coisa:SE alguém perguntasse a alan Kardek
o porque da diferença das raças, o que ele diria?Não teria o que dizer. Então, fez uma tese.E é essa.
Existe também um livro espírita que dizem ser psicografado, se não me engano, "Os exilados de Capella" que é interessantíssimo.E onde se descreve todas as raças, e as características de cada uma delas.
A Sexta raça, é a que vem para a purificação.
Todos somos discriminados por Kardek , não se aborreçam. Todos, mesmo.
"A Vida é aquilo que acontece enquanto fazemos planos planos para o futuro" John Lennon


“A ciência sem a religião é manca; a religião sem a ciência é cega”. Einstein

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #6 Online: 15 de Janeiro de 2008, 03:31:56 »
Isso quer dizer que não há negros espíritas?

De fato não.  Conheço casos de espíritas negros que juram que não o são.
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline Sklogw

  • Nível 19
  • *
  • Mensagens: 589
  • Sexo: Masculino
  • Campanha Anti-Bullshit Científico
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #7 Online: 15 de Janeiro de 2008, 21:10:43 »
Existe também um livro espírita que dizem ser psicografado, se não me engano, "Os exilados de Capella" que é interessantíssimo.E onde se descreve todas as raças, e as características de cada uma delas.

Os "Exilados da Capela" é um dos maiores besteiróis já escritos sob o manto da DE. Eu o li em 1977 e, mesmo naquela época, já parecia um monte de chutações históricas. De fato, é um livro tão absurdo que a DE o considera com ressalvas, assim como os análogos besteiróis psicografados por Hercílio Maes (Ramatis).
"The most ordinary things are to philosophy a source of insoluble puzzles." [Ludwig Boltzmann]

"I venture to think that the people who talk most about it are the people who do least about it. Scientific method is what working scientists do, not what other people or even they themselves may say about it." [Percy W. Bridgman, "Reflections of a Physicist"]

"Ich habe einen Drachen in meiner Garage" [A. Einstein, psicografado por sklogw]

Suyndara

  • Visitante
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #8 Online: 15 de Janeiro de 2008, 23:31:18 »
Citar
A Sexta raça, é a que vem para a purificação.
Todos somos discriminados por Kardek , não se aborreçam. Todos, mesmo.

É o grande mal de líderes religiosos, gostam de ser prepotentes e megalomaníacos  :D

A pior coisa do universo são pessoas que justificam seus preconceitos na fé, ainda mais em um besteirol como os livros de Kardec  |(

Qdo li o evangelho dele a primeira vez eu quase vomitei, coisa mais tosca, parece que estava escrevendo para um bando de retardados babantes  |(  ("meus filhinhos amados"  :nojo:)

[]s

APODman

  • Visitante
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #9 Online: 15 de Janeiro de 2008, 23:40:41 »
Perdoem-me se dou risada com isso.
Não tenho preconceitos(quer dizer, devo ter, mas até agora não sei qual)
No entanto, entrando no terreno da hipótese, vamos analisar uma coisa:SE alguém perguntasse a alan Kardek
o porque da diferença das raças, o que ele diria?Não teria o que dizer.

Kardec neste ponto das raças se baseou nas teorias infantis de Blavatsky que por sua vez se baseou nas teorias indianas que justificam a abjeta divisão de castas.

A Sociedade de Thule ( o embrião da filosofia nazi ) tb bebeu da mesma fonte de lardec, por isto as similariedades de opiniões.

Tal sectarismo foi facilmente acolhido no ocidente culturalmente afeito as idéias judaico-critã de povos e individuos "escolhidos".

Citar
Existe também um livro espírita que dizem ser psicografado, se não me engano, "Os exilados de Capella" que é interessantíssimo.E onde se descreve todas as raças, e as características de cada uma delas.

Exilados de Capela é um besteirol do começo aofim, a ignorância cinetífica de Armond é totalemnte manifestada nesta obra ( profundamentamente fundamentada em idéias teósoficas muito mais do que espíritas )

Citar
A Sexta raça, é a que vem para a purificação.
Todos somos discriminados por Kardek , não se aborreçam. Todos, mesmo.

Não, o eurocentrismo de Kardec exclui os povos caucasianos do rebaixamento ao qual lança todas as outras raças.

[ ]´s

APODman

  • Visitante
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #10 Online: 15 de Janeiro de 2008, 23:51:54 »
O racismo e sectarismo nas obras de Kardec não se resumiram a Kardec e um Armond esotérico ( espírtas quando confrontados com os absurdos de Exilados de Capela sempre tentam se safr dizendo que sua obra não é espírita )

O "espírito" de Emmanuel tb contribuiu com sua parcela para perpetuar a discriminação racista e sectaria dentro da DE.

Armond não elaborou seu infame livro "do nada", ele teve como base o livro "A Caminho da Luz" "de" Emmanuel.


Neste livro "Emmanuel" explica que os espíritos exilados de um planeta da estrela Capela ( durante a "transição planetária" naquele mundo ) foram expurgados a Terra. Apesar de não possuirem os mesmos atributos morais e intelectuais "superiores" dos habitantes "pós-transição" do planeta de Capela eles eram superiores aos espíritos encarnados na Terra naquela época.

Estes espíritos primitivos "nativos" da Terra constituiam as raças negra e amarelas.

A raça branca surgiu APENAS com a chegada destes espíritos capelinos.

Apesar de que alguns reencarnaram entre individuos de outras raças "nativas e inferiores" para auxilia-los em seu progresso a grande maioria veio a constituir a raça branca o que justificaria sua "superioridade" comparativamente a outras raças.



Ele começa falando sobre o surgimento da "raça humana" de antropóides primitivos (observem que ele faz uma sutil referência ao "o que é elegante e belo é evoluido"):



Citar

A GRANDE TRANSIÇÃO

Os antropóides das cavernas espalharam-se, então, aos grupos, pela superfície do globo, no curso vagaroso dos séculos, sofrendo as influências do meio e formando os pródromos das raças futuras em seus tipos diversificados; a realidade, porém, é que as entidades espirituais auxiliaram o homem do sílex, imprimindo-lhe novas expressões biológicas.

Extraordinárias experiências foram realizadas pelos mensageiros do invisível. As pesquisas recentes da Ciência sobre o tipo de Neanderthal, reconhecendo nele uma espécie de homem bestializado, e outras descobertas interessantes da paleontologia, quanto ao homem fóssil, são um atestado dos experimentos biológicos a que procederam os prepostos
de Jesus, até fixarem no "primata" os característicos aproximados do homem futuro.

Os séculos correram o seu velário de experiências penosas sobre a fronte dessas criaturas de braços alongados e de pelos densos, até que um dia as hostes do invisível operaram uma definitiva transição no corpo perispiritual preexistente, dos homens primitivos, nas regiões siderais e em certos intervalos de suas reencarnações.

Surgem os primeiros selvagens de compleição melhorada, tendendo à elegância dos tempos do porvir.

Uma transformação visceral verificara-se na estrutura dos
antepassados das raças humanas.

Como poderia operar-se semelhante transição? Perguntará o vosso critério científico.

Muito naturalmente.

Também as crianças têm os defeitos da infância corrigidos pelos
pais, que as preparam em face da vida, sem que, na maioridade, elas se lembrem disso.


fonte: Emmanuel, "A Caminho da Luz", 22ª ed., 1938, p.31


Em seguida ele deixa claro que os chineses e negros são os descendentes diretos destes primatas melhorados, mas a raça branca surgiu ( como ele não especifica e eu tenho medo de pensar no que ele falria se resolvesse especificar  ) DEPOIS sendo constituida majoritariamente de espíritos capelinos superiores aos que aqui existiam:


Citar

ORIGEM DAS RAÇAS BRANCAS

Aquelas almas aflitas e atormentadas reencarnaram,proporcionalmente, nas regiões mais importantes, onde se haviam localizado as tribos e famílias primitivas, descendentes dos "primatas", a que nos referimos ainda há pouco. Com a sua reencarnação no mundo terreno, estabeleciam-se fatores definitivos na história etnológica dos seres.

Um grande acontecimento se verificara no planeta. É que, com essas entidades, nasceram no orbe os ascendentes das raças brancas.

Em sua maioria, estabeleceram-se na Ásia, de onde travessaram o istmo de Suez para a África, na região do Egito, encaminhando-se igualmente para a longínqua Atlântida, de que várias regiões da América guardam assinalados vestígios.

Não obstante as lições recebidas da palavra sábia e mansa do Cristo, os homens brancos olvidaram os seus sagrados compromissos.

Grande percentagem daqueles Espíritos rebeldes, com muitas
exceções, só puderam voltar ao país da luz e da verdade depois de muitos séculos de sofrimentos expiatórios; outros, porém, infelizes e retrógrados, permanecem ainda na Terra, nos dias que correm, contrariando a regra geral, em virtude do seu elevado passivo de débitos clamorosos.

QUATRO GRANDES POVOS

As raças adâmicas guardavam vaga lembrança da sua situação pregressa, tecendo o hino sagrado das reminiscências.

As tradições do paraíso perdido passaram de gerações a gerações, até que ficassem arquivadas nas páginas da Bíblia.

Aqueles seres decaídos e degradados, a maneira de suas vidas
passadas no mundo distante da Capela, com o transcurso dos anos reuniram-se em quatro grandes grupos que se fixaram depois nos povos mais antigos, obedecendo às afinidades sentimentais e lingüísticas que os associavam na constelação do Cocheiro. Unidos, novamente, na esteira do Tempo, formaram desse modo o grupo dos árias, a civilização do Egito, o povo de Israel e as castas da Índia.

Dos árias descende a maioria dos povos brancos da família indoeuropéia nessa descendência, porém, é necessário incluir os latinos, os celtas e os gregos, além dos germanos e dos eslavos.

As quatro grandes massas de degredados formaram os pródromos de toda a organização das civilizações futuras, introduzindo os mais largos benefícios no seio da raça amarela e da raça negra, que já existiam.

É de grande interesse o estudo de sua movimentação no curso da História. Através dessa análise, é possível examinarem-se os defeitos e virtudes que trouxeram do seu paraíso longínquo, bem como os antagonismos e idiossincrasias peculiares a cada qual.


Fonte: Emmanuel, "A Caminho da Luz", 22ª ed., 1938, p. 36, 37 e 38.


Assim a raça branca, adâmica, ariana, é o "top" da evolução criada exclusivamente para abrigar os espíritos superiores expurgados de Capela.


[ ]´s

Offline Sklogw

  • Nível 19
  • *
  • Mensagens: 589
  • Sexo: Masculino
  • Campanha Anti-Bullshit Científico
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #11 Online: 18 de Janeiro de 2008, 10:00:47 »
O "espírito" de Emmanuel tb contribuiu com sua parcela para perpetuar a discriminação racista e sectaria dentro da DE.

Acho que na época em que CX escreveu "O Caminho da Luz" ele devia estar lendo essa sub-literatura pseudo-científica sobre Atlântida, Lemúria e uma boa dose de história natural de almanaque Sadol, pra escrever as coisas que escreveu nesse livro. Minha teoria é que a evolução das obras de CX acompanha os seus interesses literários: de poesia (na década de 30) para história e ciência de almanaque (década de 40) e para obras tipo Nelson Rodrigues (décadas de 40 e 50). Como ele foi ficando idoso e possivelmente um leitor menos prolífico, a partir da década de 60 (e com a defecção do seu fiel escudeiro Waldo Vieira) ele passou a escrever apenas mensagens curtas e de fundo moral. É incrível como os espíritas de modo geral ignoram esse fato.
"The most ordinary things are to philosophy a source of insoluble puzzles." [Ludwig Boltzmann]

"I venture to think that the people who talk most about it are the people who do least about it. Scientific method is what working scientists do, not what other people or even they themselves may say about it." [Percy W. Bridgman, "Reflections of a Physicist"]

"Ich habe einen Drachen in meiner Garage" [A. Einstein, psicografado por sklogw]

Offline Mancha Negra

  • Nível 16
  • *
  • Mensagens: 409
  • Sexo: Masculino
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #12 Online: 18 de Janeiro de 2008, 11:26:43 »
Naquela época todo mundo era meio racista. (Henry Ford, Walt Disney, Monteiro Lobato...)
Todos influenciados por este sujeito: Conde de Gobineau.
Os conceitos científicos do Espiritismo no Século XIX só foram "bolas foras". Não teve aquele exemplo, no livro da Gêneses, o que acontece quando um cometa se chocasse contra um planeta? Achava-se que era a constituição dos cometas eram de gás.(!) Nós sabemos o que aconteceu com Jupiter depois de se chocar com um deles... Tudo influência do meio...
"Quod tibi non vis, alteri ne facias."
Deísmo - Razão & Filosofia.

Suyndara

  • Visitante
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #13 Online: 18 de Janeiro de 2008, 13:47:54 »
Naquela época todo mundo era meio racista. (Henry Ford, Walt Disney, Monteiro Lobato...)
Todos influenciados por este sujeito: Conde de Gobineau.
Os conceitos científicos do Espiritismo no Século XIX só foram "bolas foras". Não teve aquele exemplo, no livro da Gêneses, o que acontece quando um cometa se chocasse contra um planeta? Achava-se que era a constituição dos cometas eram de gás.(!) Nós sabemos o que aconteceu com Jupiter depois de se chocar com um deles... Tudo influência do meio...

Mas os espíritos superiores também estavam sob essa influência?

Esquisito.

Offline Mancha Negra

  • Nível 16
  • *
  • Mensagens: 409
  • Sexo: Masculino
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #14 Online: 18 de Janeiro de 2008, 14:03:56 »
Mas os espíritos superiores também estavam sob essa influência?
Esquisito.
Deve ser o modismo... Ou influência dos médiuns, no "Livro dos Médiuns" tem algo a respeito.
"Quod tibi non vis, alteri ne facias."
Deísmo - Razão & Filosofia.

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #15 Online: 18 de Janeiro de 2008, 15:49:45 »
Pois é, o Kardec era um homem do seu tempo. Naquela época, mesmo as pessoas ditas liberais eram, para os nossos padrões,
horrivelmente racistas. O curioso é que os tais "espíritos" superiores pareciam ser bastante racistas também :).

Ah, e foi esse tal livro de Capella que peguei emprestado do meu avô quando eu tinha 14 anos. As gargalhadas que dei enquanto lia
ajudaram a me inocular contra a DE.

Hmm... É interessante notar uma estranha semelhança com certas idéias da Cientologia.
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

APODman

  • Visitante
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #16 Online: 20 de Janeiro de 2008, 09:56:12 »
Naquela época todo mundo era meio racista. (Henry Ford, Walt Disney, Monteiro Lobato...)
Todos influenciados por este sujeito: Conde de Gobineau.
Os conceitos científicos do Espiritismo no Século XIX só foram "bolas foras". Não teve aquele exemplo, no livro da Gêneses, o que acontece quando um cometa se chocasse contra um planeta? Achava-se que era a constituição dos cometas eram de gás.(!) Nós sabemos o que aconteceu com Jupiter depois de se chocar com um deles... Tudo influência do meio...

Mas a questão não se encerrou com Kardec, como visto no texto "de" Emannuel e nas obras de Armond racismo e sectarismo continuaram muito tempo além de Kardec.

[ ]´s




APODman

  • Visitante
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #17 Online: 20 de Janeiro de 2008, 09:57:57 »
Mas os espíritos superiores também estavam sob essa influência?
Esquisito.
Deve ser o modismo... Ou influência dos médiuns, no "Livro dos Médiuns" tem algo a respeito.

Esta seleção parcial espírita é miseravel: "o que é bom e correto é do "espírito", o que é ruim e errado é do medium."


 []´s





APODman

  • Visitante
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #18 Online: 20 de Janeiro de 2008, 09:59:14 »
O "espírito" de Emmanuel tb contribuiu com sua parcela para perpetuar a discriminação racista e sectaria dentro da DE.

Acho que na época em que CX escreveu "O Caminho da Luz" ele devia estar lendo essa sub-literatura pseudo-científica sobre Atlântida, Lemúria e uma boa dose de história natural de almanaque Sadol, pra escrever as coisas que escreveu nesse livro. Minha teoria é que a evolução das obras de CX acompanha os seus interesses literários: de poesia (na década de 30) para história e ciência de almanaque (década de 40) e para obras tipo Nelson Rodrigues (décadas de 40 e 50). Como ele foi ficando idoso e possivelmente um leitor menos prolífico, a partir da década de 60 (e com a defecção do seu fiel escudeiro Waldo Vieira) ele passou a escrever apenas mensagens curtas e de fundo moral. É incrível como os espíritas de modo geral ignoram esse fato.

ISto é patente porém espírtas querem ver algo além de suas próprias crenças ?

Sua fé raciocinada pára no momento em que está pode abalar a estrutura e sua fé.

[ ]´s

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #19 Online: 20 de Janeiro de 2008, 10:27:36 »
Esta seleção parcial espírita é miseravel: "o que é bom e correto é do "espírito", o que é ruim e errado é do medium."

Eis a prova definitiva: a confissão de que ESPÍRITOS NÃO EXISTEM! :)
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #20 Online: 20 de Janeiro de 2008, 10:29:25 »
De fato é interessante notar como não havia NENHUM discernimento mais notável entre os supostos espíritos superiores, nem quanto ao equívoco que era o racismo na época, nem quanto ao dano que a homofobia causa hoje.  Pelo contrário até, o Espiritismo é uma das religiões mais atrasadas nesse sentido.
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline Sklogw

  • Nível 19
  • *
  • Mensagens: 589
  • Sexo: Masculino
  • Campanha Anti-Bullshit Científico
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #21 Online: 25 de Janeiro de 2008, 09:36:22 »
De fato é interessante notar como não havia NENHUM discernimento mais notável entre os supostos espíritos superiores, nem quanto ao equívoco que era o racismo na época, nem quanto ao dano que a homofobia causa hoje.  Pelo contrário até, o Espiritismo é uma das religiões mais atrasadas nesse sentido.

A homofobia do Espiritismo é um interessante "case study" para esse fórum. Para mim existe alguma correlação entre o fato de muitos médiuns famosos terem sidos ou serem solteiros (e aparentemente infensos ao sexo) e a sua repulsa ao homossexualismo, que sugere um tipo de negação-sublimação Freudiana. Vou recolher algum material se possível, mas minha área não é a psiquiatria, então acho que não vou conseguir sustentar uma discussão mais profunda. Fica o meu convite aos foristas da área.
"The most ordinary things are to philosophy a source of insoluble puzzles." [Ludwig Boltzmann]

"I venture to think that the people who talk most about it are the people who do least about it. Scientific method is what working scientists do, not what other people or even they themselves may say about it." [Percy W. Bridgman, "Reflections of a Physicist"]

"Ich habe einen Drachen in meiner Garage" [A. Einstein, psicografado por sklogw]

Offline Contini

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.610
  • Sexo: Masculino
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #22 Online: 25 de Janeiro de 2008, 09:45:16 »
Sklogw , desculpe a ignorancia, mas seu avatar não seria uma "materialização" da famigerada irmã Josefa??
"A idade não diminui a decepção que a gente sente quando o sorvete cai da casquinha"  - anonimo

"Eu não tenho medo de morrer, só não quero estar lá quando isso acontecer"  - Wood Allen

    “O escopo da ciência é limitado? Sim, sem dúvida: limitado a tratar daquilo que existe, não daquilo que gostaríamos que existisse.” - André Cancian

Offline darkshi

  • Nível 17
  • *
  • Mensagens: 461
  • Sexo: Masculino
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #23 Online: 25 de Janeiro de 2008, 14:17:41 »
Perdoem-me se dou risada com isso.
Não tenho preconceitos(quer dizer, devo ter, mas até agora não sei qual)
No entanto, entrando no terreno da hipótese, vamos analisar uma coisa:SE alguém perguntasse a alan Kardek
o porque da diferença das raças, o que ele diria?Não teria o que dizer. Então, fez uma tese.E é essa.
Existe também um livro espírita que dizem ser psicografado, se não me engano, "Os exilados de Capella" que é interessantíssimo.E onde se descreve todas as raças, e as características de cada uma delas.
A Sexta raça, é a que vem para a purificação.
Todos somos discriminados por Kardek , não se aborreçam. Todos, mesmo.

Mas essa historia de raças não são do livros da HPB? Acho que ela descreve essas baboseiras todas de raças, atlantes e lemuria em sua "obra prima" Doutrina Secreta.

edit: Não tinha lido que o APODman já havia explicado (e bem) sobre as fontes das teorias raciais. Para não ficar na inutilidade esse post, irei colocar trechos de livros da  Alice Bailey mostrando o anti-semitismo em sua literatura.

Citar

1. "I would point out that the fourth energy, focused in the Jewish problem, is definitely producing cleavage as a part of the divine plan. The Jews are instruments in the working out of the Plan for the production of certain synthesis and to bring humanity to certain realisations and decisions …… it expresses the present situation in the interim period between the old Piscean age which is passing and the new Aquarian age which is coming in ….. I wonder whether you can grasp the implications of this paragraph. When the mind aspect (the third aspect of the personality) is more fully developed, then the focus of the effort of the Dark Forces will change and the problem of the Jews will disappear." (The Externalisation of the Hierarchy, p.88)

2. "Down the ages, the Jew has been wandering, producing much of beauty in the world and giving to humanity many of its greatest men, but he has (at the same time) been hated and persecuted, betrayed and hounded. He embodies in himself, symbolically, the history of humanity. The ancient tendency of the Jews is to grasp and hold, and also to preserve their racial and national integrity, are their outstanding national characteristics. They cannot be absorbed, and yet no nation in the world.... had advanced so far that all its foremost people stood upon the path of discipleship." (Esoteric Psychology 1, p.399. NB Here, discipleship refers to discipleship in the New Age Movement)

3. "The Jews hang on to a religion which is basically obsolete. I asked myself a few days ago what part of the Old Testament was worth preserving. Much of it is dreadful, cruel and only because the literature is found in the Bible does it pass the post-office regulations. I decided that the ten commandments must be preserved, one or two of the Bible stories such as the love of David and Jonathan, the 23rd Psalm and the 91st Psalm with a few others and about four chapters in the Book of Isaiah. All the rest was largely useless or undesirable, and much that was left fed pride and nationalism of the people. That which stands between the orthodox Jew and the mass of the Gentiles are his religious taboos, for the Jewish faith is largely a religion of "Thou shalt not." That which conditions Gentile thinking concerning the unorthodox and younger Jew is his materialism, of which Shylock is the symbol.

“As I write these words I am conscious of their inadequacy and lack of complete fairness and yet from the standpoint of a broad generalisation, they are absolutely true - although from the standpoint of an individual Jew they are in many, many cases grossly unfair. There is much in the Jew and the German which is alike. The German regards himself as a member of the 'super race' whilst the orthodox Jew regards himself as the Chosen People. The German emphasises 'racial purity' and so have the Jews down the ages. The Jew never seems to assimilate." (The Unfinished Autobiography, pp. 120-121)

4. "The Jews are a group of people in whom the principle of separation is pronouncedly present. For ages they have, with determination and in obedience to the injunctions in the Old Testament, insisted on regarding themselves as a people set apart. For ages they have held themselves separated off from all other peoples in the world. The result is that they are now evoking from the races among whom they are scattered a corresponding desire to force that very separation upon them." (Esoteric Psychology 2, p.580)

5. "These factors demonstrate the complexity of the problem from the Jewish angle and its irritating and frictional nature to the Gentile. This irritating factor is something which the Jew seldom if ever recognises. The Gentile today neither remembers nor cares that the Jews were instrumental in having Christ put to death (according to The New Testament); he is more apt to remember that Christ was a Jew and to wonder why the Jew was not the first to claim and love Him. He remembers far more acutely Jewish business methods, the fact that the Jew, if orthodox, regards Gentile food as impure for him and that the Jew considers his citizenship as secondary to his racial obligations. He regards the Jew as a follower of an obsolete religion; he intensely dislikes the cruel and jealous Jehovah of the Jews and looks upon The Old Testament as the history of a cruel and aggressive people - apart from the Psalms of David, which all men love.

“These are the points to which the Jew at no time seems to pay attention and yet it is these things in their aggregate which have set the Jew apart from the world in which he wants to live and be happy and in which he is the victim of an inheritance which could with profit be modernised. Nowhere is the emergence of a new world religion more greatly needed than in the case of the Jew in the modern world." (Problems of Humanity, pp. 100-101)

6. "The great experiences upon the various mountain tops as related in the Bible have all to do with Capricorn. Moses, the Lawgiver on Mount Sinai, is Saturn in Capricorn imposing the law of karma upon the people. A clue to the significance of the Jewish people as 'a karmic clearing house.' The Mount of Transfiguration in the New Testament is Venus in Capricorn when love and mind and will meet in the person of Christ, and 'He was transfigured' before all men. At the same time, He received the vision of the Father and of what He had to do as He 'went up to Jerusalem,' the place of death and likewise the city of peace. This Jerusalem is Pisces. In Aquarius, Christ put his disciples in touch with the 'man, bearing a pitcher of water,' Aquarius, and in the upper room introduced them to union and unity under the symbolism of the communion feast. For that feast, humanity is today preparing, as we saw when studying the last constellation. The astrological significance of the New Testament is as yet little understood. Christ was born in Capricorn, fulfilled the law under Saturn, initiated the era of intelligent brotherhood under Venus and is the perfect example of the Capricornian initiate who becomes the World Server in Aquarius, and the world Saviour in Pisces, thus completing the round of the Zodiac and able to say triumphantly in Pisces 'It is finished.' "(Esoteric Astrology, pp.167-168)

7. "The Jewish problem will not be solved by taking possession of Palestine, by plaint demand and by financial manipulations. That would be but the prolongation of ancient wrong and material possessiveness. The problem will be solved by the willingness of the Jew to conform to the civilisation, the cultural background and the standards of living of the nation to which - by the fact of birth and education - he is related and with which he should assimilate. It will come by the relinquishment of pride of race and the concept of selectivity; it will come by renouncing dogmas and customs which are intrinsically obsolete and which create points of constant irritation to the matrix within which the Jew finds himself; it will come when selfishness in business relations and the pronounced manipulative tendencies of the Hebrew people are exchanged for more selfless and honest forms of activity. The Jewish problem will be solved by intermarriage." (Esoteric Healing, pp.266-267)

8. "Four problems will be solved in the next two centuries:

1. The problem of territorial possessions …..
2. The problem of sex …..
3. The problem of death ….
4. The problem of the Jews which is symbolically the problem of humanity as a whole…..The Jew made this mistake and, as an Oriental race, the Jews have failed to hold before the Orient the divine nature of mankind as a whole, for all are equally divine and all are the Lord's elect. Calvin and all who followed his lead made the same mistake and instead of holding before the people of the Occident the realisation that those who recognised their essential divinity did so symbolically on behalf of all the developing, incarnating sons of God, they regarded themselves as the Chosen People and all who did not think as they did are regarded as lost. When the Jew and the narrow-minded religious devotees recognise their identity with all other people and express this identity through right relationship, we shall see a very different world. The world problem is essentially a religious problem and behind all strife in every department of world thought today is to be found the religious element." (The Destiny of the Nations, pp.34-35)

9. "The Jews, by their illegal and terroristic activities; have laid a foundation of great difficulty for those who are seeking to promote world peace. As a Jewish member of my Ashram pointed out (and I commend him on his soul vision), the Jews have partially again opened the door to the Forces of Evil, which worked originally through Hitler and his evil gang. The 'sealing' of that door had not been successfully accomplished, and it is the part of wisdom to discover this in time. These Forces of Evil work through a triangle of evil, one point of which is to be found in the Zionist Movement in the United States, another in central Europe, and a third in Palestine. Palestine is no longer a Holy Land and should not be so regarded." (The Rays and the Initiations, pp. 429-430)

10. "The Jews are governed by the third Ray of Active Intelligence, the energy which permeates and controls matter or substance. They were also, during the years immediately following the war, under the control of a glamour imposed by the Zionist Dictators, who were attempting (somewhat unsuccessfully) to be to the Jewish people what Stalin and his group, and Hitler and his gang, have been to their people. They worked through the same methods - terrorising, withholding information, browbeating their opponents, making false claims and bribing and corrupting. They were and are a minority, but a powerful minority because of their great wealth and their being in positions of power. They are claiming a land to which they have no possible right and which the Jews have ignored for two thousand years. Their attitude is perhaps the culminating aggressive action of the age and marks a climaxing point; it has produced a serious world tension, but out of this good may come and a 'point of emergence for mankind' be reached." (The Rays and the Initiations, p.634)

11. "The Messiah ... will be one of Christ's senior disciples, but it will not be, as originally intended, the Christ. Symbolically, the Jews represent (from the point of view of the Hierarchy) that from which all Masters of Wisdom and Lords of Compassion emerge: materialism, cruelty and a spiritual conservatism, so that today they live in Old Testament times and are under the domination of the separative, selfish, lower concrete mind.

“But their opportunity will come again, and they may change when the fires of suffering at last succeed in purifying them and burning away their ancient crystallisation, thus liberating them to the extent that they can recognise their Messiah, Who will not, however, be the world Messiah." (The Rays and the Initiations, pp. 705-706)

12. "Both the Germans and the Jews merit our impersonal love, particularly as they are both guilty (if I may use such a term) of the same basic errors and faults. The German is powerfully race conscious; so is the Jew. The German is separative in his attitude to the world; so is the Jew. The German insists on racial purity, a thing upon which the Jew has insisted for centuries. A small group of Germans are anti-Christian; so are an equally small number of Jews. I could continue piling up these resemblances but the above will suffice. Therefore, your dislike of one group is not more warranted than your refusal to recognise any justification for the activities and attitudes of the other." (Glamour. A World Problem, p.147)


« Última modificação: 25 de Janeiro de 2008, 14:38:26 por darkshi »

Offline Sklogw

  • Nível 19
  • *
  • Mensagens: 589
  • Sexo: Masculino
  • Campanha Anti-Bullshit Científico
Re: Coletânea de textos racistas de Allan Kardec
« Resposta #24 Online: 25 de Janeiro de 2008, 15:40:49 »
Sklogw , desculpe a ignorancia, mas seu avatar não seria uma "materialização" da famigerada irmã Josefa??

Com toda a certeza.... a Irmã Josefa é a síntese do Espiritismo versão Brasileira: a credulidade a serviço da desinformação, da confusão ideológica e da falta de senso crítico.
"The most ordinary things are to philosophy a source of insoluble puzzles." [Ludwig Boltzmann]

"I venture to think that the people who talk most about it are the people who do least about it. Scientific method is what working scientists do, not what other people or even they themselves may say about it." [Percy W. Bridgman, "Reflections of a Physicist"]

"Ich habe einen Drachen in meiner Garage" [A. Einstein, psicografado por sklogw]

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!