Autor Tópico: A Falácia da Liberação das Armas de Fogo  (Lida 32952 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Eu

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 375
A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Online: 11 de Dezembro de 2014, 12:27:40 »
Todos contra todos

SÃO PAULO - Não creio que faça muito sentido, como sustenta a bancada da bala, rever o Estatuto do Desarmamento, que estabeleceu regras razoavelmente rígidas para a aquisição e porte de armas de fogo. Ainda que um ou outro detalhe da regulamentação possa ser revisto, a ideia geral de dificultar o acesso a revólveres e espingardas é correta.

Não se trata, é óbvio, de uma panaceia. A inexistência de armas de fogo até o século 15 não impediu nossos ancestrais de ser muito mais violentos que nós. Estima-se que a taxa média de homicídios em sociedades sem Estado chegue a 15%, o que representa 517 vezes mais que os 29 por 100 mil registrados no Brasil hoje.

É claro que criminosos não deixam de carregar e usar armas porque fazê-lo é ilegal. Uma das definições de bandido é justamente não respeitar as leis. O que a menor disponibilidade de armas faz é prevenir um tipo muito específico de assassinato, que é aquele que tem como motivação conflitos interpessoais como brigas de trânsito, desavenças matrimoniais etc. Aqui, a presença da arma de fogo pode fazer a diferença entre os hematomas e escoriações típicos de quem "sai no braço" e a morte.

É difícil calcular o peso desses conflitos no total de assassinatos, já que as investigações deixam muito a desejar. Na cidade de São Paulo, 17% dos homicídios dolosos resultam de discussões ou brigas de casal, podendo ser mais já que não há informação sobre 43% dos óbitos.

Deixando de lado as vicissitudes do aqui e agora para adotar visões de longo prazo, pode-se afirmar que os ganhos civilizacionais da humanidade no controle da violência ocorreram quando delegamos a terceiros a tarefa de punir. O ponto máximo desse processo foi a criação de Estados com suas polícias. O desarmamento se inscreve nessa lógica. Embora a proteção oferecida pelo poder público seja das mais imperfeitas, não me parece que seja o caso de retroceder à justiça com as próprias mãos.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/helioschwartsman/2014/12/1559535-todos-contra-todos.shtml

Offline Luiz F.

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.735
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #1 Online: 11 de Dezembro de 2014, 15:29:53 »


 ::)
"Você realmente não entende algo se não consegue explicá-lo para sua avó."
Albert Einstein

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.862
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #2 Online: 11 de Dezembro de 2014, 16:15:08 »

Estou querendo crer que esta imagem foi postada no sentido de advogar por um maior controle sobre o porte de armas, porque olhando assim por alto (eu não fiz as contas) me parece que ela mostra uma razoável correlação positiva entre o número de armas por habitantes e a taxa de homicíidios (a não ser que você considere este ponto fora da curva aí, o que não faz o menor sentido dado o método que se usou pra definir a amostra, faz?) ::)

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.120
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #3 Online: 11 de Dezembro de 2014, 17:13:31 »

Estou querendo crer que esta imagem foi postada no sentido de advogar por um maior controle sobre o porte de armas, porque olhando assim por alto (eu não fiz as contas) me parece que ela mostra uma razoável correlação positiva entre o número de armas por habitantes e a taxa de homicíidios (a não ser que você considere este ponto fora da curva aí, o que não faz o menor sentido dado o método que se usou pra definir a amostra, faz?) ::)

O Páe Dodó  :lol: está corretíssimo, esse gráfico aí me parece um fortíssimo argumento a favor do desarmamento... se foi esta a intenção, beleza!
"Deus prefere os ateus"

Offline Lou

  • Nível 10
  • *
  • Mensagens: 108
  • Sexo: Feminino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #4 Online: 11 de Dezembro de 2014, 17:29:26 »


Deixando de lado as vicissitudes do aqui e agora para adotar visões de longo prazo, pode-se afirmar que os ganhos civilizacionais da humanidade no controle da violência ocorreram quando delegamos a terceiros a tarefa de punir. O ponto máximo desse processo foi a criação de Estados com suas polícias.

Quanta besteira, em especial esse último paragrafo. O Estado não defende ninguém, apenas a si mesmo. O cidadão tem que viver com a ideia de que pode ser oprimido tanto pelo bandido quando pelo Estado, que é o maior dos bandidos, a maior das mafias. E mesmo que ele de fato servisse pra punir algo ou alguém e fosse eficaz em prover segurança, os meios privados sempre vão realizar esses trabalhos melhor!

Não me importa nem um pouco se fulano vai usar a arma de fogo pra matar alguém num dia de estresse. O problema é dele e desse alguém, não meu. Tornar-se-á meu se ele vir a me afligir, mas neste caso eu estaria bem preparada pra uma situação dessas. Sem contar, claro, que se fosse uma briga de trânsito, por exemplo, deve-se levar em consideração também todas as outras pessoas armadas na rua que não vão permitir uma situação de conflito dessas. O babaca do post ainda chegou a citar as brigas de casal, mostrando um dado alarmante... Ué, se as armas são proibidas/dificultadas e a situação já tá deplorável assim, que mal faz liberar totalmente? Capaz até de melhorar essa situação, já que o agredido vai ter outro meio (muitíssimo eficaz, aliás) de defesa!
Oi, eu sou a Luh!

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.389
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #5 Online: 11 de Dezembro de 2014, 17:51:43 »


Deixando de lado as vicissitudes do aqui e agora para adotar visões de longo prazo, pode-se afirmar que os ganhos civilizacionais da humanidade no controle da violência ocorreram quando delegamos a terceiros a tarefa de punir. O ponto máximo desse processo foi a criação de Estados com suas polícias.

Quanta besteira, em especial esse último paragrafo. O Estado não defende ninguém, apenas a si mesmo. O cidadão tem que viver com a ideia de que pode ser oprimido tanto pelo bandido quando pelo Estado, que é o maior dos bandidos, a maior das mafias. E mesmo que ele de fato servisse pra punir algo ou alguém e fosse eficaz em prover segurança, os meios privados sempre vão realizar esses trabalhos melhor!

Não me importa nem um pouco se fulano vai usar a arma de fogo pra matar alguém num dia de estresse. O problema é dele e desse alguém, não meu. Tornar-se-á meu se ele vir a me afligir, mas neste caso eu estaria bem preparada pra uma situação dessas. Sem contar, claro, que se fosse uma briga de trânsito, por exemplo, deve-se levar em consideração também todas as outras pessoas armadas na rua que não vão permitir uma situação de conflito dessas. O babaca do post ainda chegou a citar as brigas de casal, mostrando um dado alarmante... Ué, se as armas são proibidas/dificultadas e a situação já tá deplorável assim, que mal faz liberar totalmente? Capaz até de melhorar essa situação, já que o agredido vai ter outro meio (muitíssimo eficaz, aliás) de defesa!

Cadê o Barata e suas passagens aéreas de graça pra Somália? 

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.120
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #6 Online: 11 de Dezembro de 2014, 17:52:16 »
Citação de: Lou
O Estado não defende ninguém, apenas a si mesmo

Ué, uma vez roubaram a minha carteira no meu carro, eu dei queixa e a polícia recuperou, o Estado não me defendeu neste caso? E quando o Estado liberta pessoas sequestradas, por exemplo?

Citação de: Lou
O cidadão tem que viver com a ideia de que pode ser oprimido tanto pelo bandido quando pelo Estado, que é o maior dos bandidos, a maior das mafias

Quanto exagero, cara Lou...

Citação de: Lou
E mesmo que ele de fato servisse pra punir algo ou alguém e fosse eficaz em prover segurança, os meios privados sempre vão realizar esses trabalhos melhor!

Existe algum exemplo de meios privados garantindo a segurança de um país, estado, ou mesmo uma cidade? Fiquei curioso.

Citação de: Lou
Não me importa nem um pouco se fulano vai usar a arma de fogo pra matar alguém num dia de estresse. O problema é dele e desse alguém, não meu.

Desde que não seja você o alguém morto, é claro  :hihi:.

Citação de: Lou
Tornar-se-á meu se ele vir a me afligir, mas neste caso eu estaria bem preparada pra uma situação dessas.

É geralmente o que os defuntos armados pensam  :lol:.

Citação de: Lou
Sem contar, claro, que se fosse uma briga de trânsito, por exemplo, deve-se levar em consideração também todas as outras pessoas armadas na rua que não vão permitir uma situação de conflito dessas.

Claro, todo mundo está super disposto a entrar em um tiroteio para defender um completo estranho ou apartar brigas de estranhos.

Citar
O babaca do post ainda chegou a citar as brigas de casal, mostrando um dado alarmante... Ué, se as armas são proibidas/dificultadas e a situação já tá deplorável assim, que mal faz liberar totalmente?

Se tantos acidentes já são causados por motoristas bêbados e a situação já é deplorável, que mal faz liberar totalmente?

Esses libertários...   :hihi:

"Deus prefere os ateus"

Offline Luiz F.

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.735
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #7 Online: 11 de Dezembro de 2014, 18:00:46 »
"Você realmente não entende algo se não consegue explicá-lo para sua avó."
Albert Einstein

Offline Lou

  • Nível 10
  • *
  • Mensagens: 108
  • Sexo: Feminino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #8 Online: 11 de Dezembro de 2014, 18:43:28 »
Cadê o Barata e suas passagens aéreas de graça pra Somália?

A Somália tem Estado, e mesmo quando não tinha, existia vários pequenos grupos querendo criar um novo Estado. Sem contar o histórico de socialismo que todo mundo ignora.

Citação de: Lou
O Estado não defende ninguém, apenas a si mesmo

Ué, uma vez roubaram a minha carteira no meu carro, eu dei queixa e a polícia recuperou, o Estado não me defendeu neste caso? E quando o Estado liberta pessoas sequestradas, por exemplo?


Seu caso singular não é exemplo de eficiência de Estado. Se você estivesse armado, as chances de ser roubado seriam mínimas — e se fosse, ainda teria como revidar em caso de você saber quem o roubou/presenciar o ato.


Citação de: Lou
E mesmo que ele de fato servisse pra punir algo ou alguém e fosse eficaz em prover segurança, os meios privados sempre vão realizar esses trabalhos melhor!

Existe algum exemplo de meios privados garantindo a segurança de um país, estado, ou mesmo uma cidade? Fiquei curioso.


Vou deixar lá em baixo um link que cita alguns exemplos desses.

Anyway, baseio essa minha opinião no fato do meio privado sempre trazer um serviço melhor que o público. Não vou repetir aqui o discurso libertário de concorrência (que sempre é bom pro mercado). Mas o básico é: o Estado tendo monopólio de algum serviço = sem concorrência = menor eficiência nos serviços prestados. Empresa privada tendo monopólio numa sociedade de livre mercado = preferência do consumidor = serviços eficientes, já que sempre surgirão novas pequenas empresas pra competir.


Citação de: Lou
Não me importa nem um pouco se fulano vai usar a arma de fogo pra matar alguém num dia de estresse. O problema é dele e desse alguém, não meu.

Desde que não seja você o alguém morto, é claro  :hihi:.


Você não tá nem um pouco preocupado com o Estado abusando dos cidadãos diariamente. Por que eu me preocuparia com alguém que é morto?  |(
E esse seu discursinho de que as pessoas vão sair matando umas as outras só por possuírem armas de fogo é falho. Estatísticas, já até mostradas aqui, mostram o contrário. Ademais, se alguém realmente quer fazer isso, ela tem outros meios além das armas para fazê-lo. Com o Estado dificultando o acesso às armas, só acaba prejudicando a vítima que não vai ter um meio de defesa eficaz.

Citação de: Lou
Sem contar, claro, que se fosse uma briga de trânsito, por exemplo, deve-se levar em consideração também todas as outras pessoas armadas na rua que não vão permitir uma situação de conflito dessas.

Claro, todo mundo está super disposto a entrar em um tiroteio para defender um completo estranho ou apartar brigas de estranhos.

Eu estou, pois o bandido ameaçaria a minha segurança TAMBÉM. As pessoas não são monstros que vão aceitar alguém cometendo homicídio na frente delas e ignorar o acontecido. Pelo menos a maioria não é.

Citar
O babaca do post ainda chegou a citar as brigas de casal, mostrando um dado alarmante... Ué, se as armas são proibidas/dificultadas e a situação já tá deplorável assim, que mal faz liberar totalmente?

Se tantos acidentes já são causados por motoristas bêbados e a situação já é deplorável, que mal faz liberar totalmente?



Concordo, que mal faz liberar? Proibir nunca é a solução. Vai querer proibir o que mais? As bebidas alcoólicas? Que genial! (nope)
Antes, claro, tem que desestatizar as ruas/estadas. Eu não ia aceitar ninguém dirigindo bêbado na minha propriedade!

Esses libertários...   :hihi:

Esses estadólatras... :hihi:

O seguinte link esclarece algumas dúvidas comuns em relação à uma sociedade ancap, sem Estado: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=174

E esse vídeo também é bem interessante:

<a href="https://www.youtube.com/v/M8xSCzggWe8" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/M8xSCzggWe8</a>
Oi, eu sou a Luh!

Rhyan

  • Visitante
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #9 Online: 11 de Dezembro de 2014, 19:33:39 »
O Brasil já é o campeão absoluto de homicídios no mundo, dar mais facilidades para um cidadão se defender é sempre melhor. Quanto mais regulada forem as armas, mas tendem a ser reguladas e mais arriscada se torna a possibilidade de um desarmamento completo.

Esqueci agora qual genocídio começou com regulamentação de armas, aos poucos, depois todos que tinham armas registras foram obrigados a dar suas armas numa nova política de desarmamento. No final houve um genocídio.

Rhyan

  • Visitante
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #10 Online: 11 de Dezembro de 2014, 19:37:05 »
Cadê o Barata e suas passagens aéreas de graça pra Somália?

A Somália tem Estado, e mesmo quando não tinha, existia vários pequenos grupos querendo criar um novo Estado. Sem contar o histórico de socialismo que todo mundo ignora.

E lá vem o espantalho da Somália...

A ideologia se chama "anarcocapitalismo", eles colocam como exemplo um país em guerra onde o governo foi abolido por uns 9 anos se não me engano por causa de conflitos e concluem que anarcocapitalismo é uma porcaria. Anarcocapitalismo se baseia em propriedades privadas e livre mercado. Nada a ver com Somália.

Rhyan

  • Visitante
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #11 Online: 11 de Dezembro de 2014, 19:38:31 »
O estado nos defende nos roubando e nos oferecendo serviços obrigatórios monopolísticos, que maravilha que é o estado.

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.389
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #12 Online: 11 de Dezembro de 2014, 20:07:31 »
O Brasil já é o campeão absoluto de homicídios no mundo, dar mais facilidades para um cidadão se defender é sempre melhor. Quanto mais regulada forem as armas, mas tendem a ser reguladas e mais arriscada se torna a possibilidade de um desarmamento completo.

Esqueci agora qual genocídio começou com regulamentação de armas, aos poucos, depois todos que tinham armas registras foram obrigados a dar suas armas numa nova política de desarmamento. No final houve um genocídio.

Tem países com cidadãos armados e países com cidadãos desarmados onde ambos a violência é pequena. O Brasil é um dos países mais violentos do mundo, e mais armas são só mais armas nas mãos de uma das populações mias violentas do mundo, não sei onde essa sua lógica se encaixa.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.202
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #13 Online: 11 de Dezembro de 2014, 21:47:42 »
O Brasil já é o campeão absoluto de homicídios no mundo, dar mais facilidades para um cidadão se defender é sempre melhor. Quanto mais regulada forem as armas, mas tendem a ser reguladas e mais arriscada se torna a possibilidade de um desarmamento completo.

Esqueci agora qual genocídio começou com regulamentação de armas, aos poucos, depois todos que tinham armas registras foram obrigados a dar suas armas numa nova política de desarmamento. No final houve um genocídio.

Tem países com cidadãos armados e países com cidadãos desarmados onde ambos a violência é pequena. O Brasil é um dos países mais violentos do mundo, e mais armas são só mais armas nas mãos de uma das populações mias violentas do mundo, não sei onde essa sua lógica se encaixa.
Dois porcos-espinho não se furam.

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.862
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #14 Online: 11 de Dezembro de 2014, 22:00:29 »

Cara, novamente você postou dados estatísticos que não dizem o que parece que você entendeu, e curiosamente você cometeu erros inversos na mesma direção.

No primeiro caso você apresentou dados (internacionais, por país) que apontavam para a existência de uma correlação positiva entre o número de armas por habitantes e o número de homicídios (ou seja: quanto mais armas, mais homicídios), parecia ali que você tinha entendido que os dados demonstravam a ausência desta correlação.

Agora você posta dados (nacionais por região) que se lidos secamente apontam para a ausência de correlação entre as duas variáveis, mas parece que você foi enganado pela maneira que o gráfico foi montado e está vendo uma forte correlação negativa (ou seja: quanto mais armas menos homicídios).

Errou nos dois casos (se eu estou correto ao entender que você defende a posse livre de armas e entende que ela é um caminho para a redução da violência e que postou estes gráficos como meio de sustentar sua tese).

Quanto ao tópico em si, comento depois :)
« Última modificação: 11 de Dezembro de 2014, 22:04:46 por Páe Dodó de Akorokô »

Offline Luiz F.

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.735
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #15 Online: 11 de Dezembro de 2014, 22:32:58 »
Errou feio. Na verdade postei os gráficos como meras curiosidades, (ou como iscas, sei lá) pois, depois de alguns anos sendo bombardeado por diversas informações a respeito do assunto, aqui inclusive, eu estou cada vez mais inclinado a achar que a correlação entre numero de armas e homicídios por arma de fogo são, na melhor das hipóteses, fracamente correlacionados.

O gráfico acima inclusive eu postei como uma tentativa de demonstrar exatamente que a correlação é fraca.

Pra mim tanto quem diz que tirar as armas dos cidadãos é solução, quanto quem diz que liberar geral é solução estão igualmente errados.

P.S. Agora que você falou, nem tinha me passado pela cabeça que o gráfico podia ser lido como favorável à liberação geral. Ele é claro quanto a isso, enquanto a taxa de homicídios é bastante homogênea entre as regiões, com pequenas variações, o índice de armas varia enormemente, não demonstrando correlação aparente. O Centro-Oeste é um bom exemplo disso. :/
"Você realmente não entende algo se não consegue explicá-lo para sua avó."
Albert Einstein

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.389
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #16 Online: 11 de Dezembro de 2014, 23:49:15 »
O Brasil já é o campeão absoluto de homicídios no mundo, dar mais facilidades para um cidadão se defender é sempre melhor. Quanto mais regulada forem as armas, mas tendem a ser reguladas e mais arriscada se torna a possibilidade de um desarmamento completo.

Esqueci agora qual genocídio começou com regulamentação de armas, aos poucos, depois todos que tinham armas registras foram obrigados a dar suas armas numa nova política de desarmamento. No final houve um genocídio.

Tem países com cidadãos armados e países com cidadãos desarmados onde ambos a violência é pequena. O Brasil é um dos países mais violentos do mundo, e mais armas são só mais armas nas mãos de uma das populações mias violentas do mundo, não sei onde essa sua lógica se encaixa.
Dois porcos-espinho não se furam.

Porque? A pele do porco espinho é impenetrável?

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.202
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #17 Online: 12 de Dezembro de 2014, 00:52:44 »
O Brasil já é o campeão absoluto de homicídios no mundo, dar mais facilidades para um cidadão se defender é sempre melhor. Quanto mais regulada forem as armas, mas tendem a ser reguladas e mais arriscada se torna a possibilidade de um desarmamento completo.

Esqueci agora qual genocídio começou com regulamentação de armas, aos poucos, depois todos que tinham armas registras foram obrigados a dar suas armas numa nova política de desarmamento. No final houve um genocídio.

Tem países com cidadãos armados e países com cidadãos desarmados onde ambos a violência é pequena. O Brasil é um dos países mais violentos do mundo, e mais armas são só mais armas nas mãos de uma das populações mias violentas do mundo, não sei onde essa sua lógica se encaixa.
Dois porcos-espinho não se furam.

Porque? A pele do porco espinho é impenetrável?
Digamos que têm uma camada protetora poderosa chamada "respeito".

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.389
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #18 Online: 12 de Dezembro de 2014, 09:18:47 »
O Brasil já é o campeão absoluto de homicídios no mundo, dar mais facilidades para um cidadão se defender é sempre melhor. Quanto mais regulada forem as armas, mas tendem a ser reguladas e mais arriscada se torna a possibilidade de um desarmamento completo.

Esqueci agora qual genocídio começou com regulamentação de armas, aos poucos, depois todos que tinham armas registras foram obrigados a dar suas armas numa nova política de desarmamento. No final houve um genocídio.

Tem países com cidadãos armados e países com cidadãos desarmados onde ambos a violência é pequena. O Brasil é um dos países mais violentos do mundo, e mais armas são só mais armas nas mãos de uma das populações mias violentas do mundo, não sei onde essa sua lógica se encaixa.
Dois porcos-espinho não se furam.

Porque? A pele do porco espinho é impenetrável?
Digamos que têm uma camada protetora poderosa chamada "respeito".

Ô !
http://globotv.globo.com/tv-sergipe/bom-dia-sergipe/v/briga-entre-homens-armados-termina-em-morte-na-zona-norte-de-aracaju/2384782/

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.120
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #19 Online: 12 de Dezembro de 2014, 09:22:24 »
Citação de: Lou
Seu caso singular não é exemplo de eficiência de Estado

Não? Vamos analisar: minha carteira foi roubada, a polícia recuperou e me devolveu... parece bem eficiente para mim, pelo menos neste caso.

Citação de: Lou
Se você estivesse armado, as chances de ser roubado seriam mínimas — e se fosse, ainda teria como revidar em caso de você saber quem o roubou/presenciar o ato.

Eu nem vi o ladrão, se estivesse armado seria mesma coisa. E mesmo armado, arriscar minha vida e das pessoas ao redor por causa de documentos e alguns trocados? Não, obrigado.

Citação de: Lou
Vou deixar lá em baixo um link que cita alguns exemplos desses.

Seu link leva a um texto que, confesso, não tive paciência nem tempo para ler todo, mas que é nada mais do que a teoria do que o cara ACHA que seria a segurança  privada. Ele parte de exageros como esse:

Citar
Considere a área de Times Square, na cidade de Nova York. Trata-se de uma área notoriamente dominada pela criminalidade, onde a proteção policial oferecida pelas autoridades é mínima. Cada cidadão nova-iorquino de fato sabe que ele praticamente vive e anda pelas ruas — e não apenas na região de Times Square — em um estado de completa "anarquia", dependendo unicamente da serenidade e da boa vontade de seus concidadãos

E chega a conclusões cor de rosa:

Citar
Os comerciantes saberiam perfeitamente bem que se a criminalidade na sua região fosse desenfreada, se os furtos e os assaltos a mão armada fossem constantes, seus clientes iriam inevitavelmente desaparecer e iriam passar a freqüentar as áreas vizinhas, suas concorrentes. Assim, seria do interesse econômico dessa associação comercial ofertar uma proteção policial eficiente e abundante, de forma que os clientes se sentissem atraídos — ao invés de repelidos — por essa região. A iniciativa privada, afinal, está sempre tentando atrair e manter seus clientes. Assim sendo, qual seria a vantagem de ser servido por lojas de visual atraente, iluminação agradável e serviço cortês se os clientes podem ser assaltados ao andarem pela região?

Além do mais, a associação comercial seria induzida — por causa do seu desejo de lucrar e de evitar prejuízos — a fornecer não apenas uma proteção policial suficiente, mas também uma proteção cortês e aprazível. Uma polícia estatal não só não tem qualquer incentivo para ser eficiente ou para se preocupar com os desejos dos seus "clientes", como também está constantemente tentada a exercer seu poder de força de maneira brutal e coerciva. A "brutalidade policial" é uma característica bem conhecida do sistema policial estatal, e a única oposição prática a ela são algumas queixas remotas de alguns cidadãos molestados. Agora, se a polícia privada da associação comercial acaso caísse na tentação de brutalizar os clientes dos comerciantes, esses clientes rapidamente desapareceriam e iriam para outro lugar. Assim, a associação dos comerciantes teria de garantir que a sua polícia fosse cortês e eficiente.

Ele só esqueceu de dizer que os comerciantes também incentivariam todas as pessoas a ficar de mãos dada e cantar "We are the World" ao pôr do sol  :hihi:.

O liberarianismo cada vez mais me parece com o socialismo. Na teoria é lindo, mas na prática...

Citação de: Lou
Anyway, baseio essa minha opinião no fato do meio privado sempre trazer um serviço melhor que o público. Não vou repetir aqui o discurso libertário de concorrência (que sempre é bom pro mercado). Mas o básico é: o Estado tendo monopólio de algum serviço = sem concorrência = menor eficiência nos serviços prestados. Empresa privada tendo monopólio numa sociedade de livre mercado = preferência do consumidor = serviços eficientes, já que sempre surgirão novas pequenas empresas pra competir.

Concordo com você que a iniciativa privada é mais eficiente que o Estado em quase tudo, mas não vejo como poderia funcionar na segurança pública, para citar um exemplo, a não ser no mundo rosa dos libertários onde todos são bonzinhos e o deus Mercado olha por nós.

Citação de: Lou
Você não tá nem um pouco preocupado com o Estado abusando dos cidadãos diariamente.

Claro que estou, detesto pagar imposto e receber pouco em troca.

Citação de: Lou
Por que eu me preocuparia com alguém que é morto

Empatia? Ser alguém da sua família? E não entendi a relação entre não se preocupar com a suposta exploração pelo Estado com não se preocupar com a morte de alguém.

Citação de: Lou
E esse seu discursinho de que as pessoas vão sair matando umas as outras só por possuírem armas de fogo é falho. Estatísticas, já até mostradas aqui, mostram o contrário. Ademais, se alguém realmente quer fazer isso, ela tem outros meios além das armas para fazê-lo. Com o Estado dificultando o acesso às armas, só acaba prejudicando a vítima que não vai ter um meio de defesa eficaz.

Os gráficos mostrados aqui, como o Pae Dodo demonstrou, na verdade mostram uma clara correlação entre armas e homicídios. Nem estou dizendo que sou contra o camarada ter arma em casa, mas acreditar que uma população como a brasileira mais armada será mais pacífica é muita forçação de barra.

Citação de: Lou
Eu estou, pois o bandido ameaçaria a minha segurança TAMBÉM. As pessoas não são monstros que vão aceitar alguém cometendo homicídio na frente delas e ignorar o acontecido. Pelo menos a maioria não é.

Claro, no mundo mágico todos estão super dispostos a arriscar suas vidas pelo bem comum.

Citação de: Lou
Concordo, que mal faz liberar? Proibir nunca é a solução. Vai querer proibir o que mais? As bebidas alcoólicas? Que genial! (nope)

Não me entenda mal, por mim deveriam liberar geral as drogas e bebidas. Não sou contra ninguém beber, eu mesmo bebo, sou contra alguém beber, dirigir e passar por cima de mim. Só isso. Não quero que as bebidas sejam proibidas, só quero que os motoristas não possam dirigir bêbados. Ou atropelar outro cidadão também é um direito inalienável do ser humano?

Citação de: Lou
Esses estadólatras... :hihi:

Desculpe se passei essa impressão, não tenho grande apreço pelo Estado. Principalmente o brasileiro, que é notoriamente ineficiente, corrupto, caro e mal gerido. Concordo que o Estado deve se ater ao que é essencialmente uma função de Estado, e no meu entender a área mais óbvia onde o Estado deve atuar é na segurança pública.


"Deus prefere os ateus"

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #20 Online: 12 de Dezembro de 2014, 17:47:10 »
Citar
Além do mais, a associação comercial seria induzida — por causa do seu desejo de lucrar e de evitar prejuízos — a fornecer não apenas uma proteção policial suficiente, mas também uma proteção cortês e aprazível. Uma polícia estatal não só não tem qualquer incentivo para ser eficiente ou para se preocupar com os desejos dos seus "clientes", como também está constantemente tentada a exercer seu poder de força de maneira brutal e coerciva. A "brutalidade policial" é uma característica bem conhecida do sistema policial estatal, e a única oposição prática a ela são algumas queixas remotas de alguns cidadãos molestados. Agora, se a polícia privada da associação comercial acaso caísse na tentação de brutalizar os clientes dos comerciantes, esses clientes rapidamente desapareceriam e iriam para outro lugar. Assim, a associação dos comerciantes teria de garantir que a sua polícia fosse cortês e eficiente.

:histeria:

Pois é, pelo visto não existe o problema de justiceiros e gangues de favelas; e não por ação do estado, mas porque as pessoas sempre podem se mudar logo que surgem as práticas abusivas deles, e eles então ou perdem sua clientela protegendo uma vizinhança-fantasma, ou ficam bonzinhos. Logo, quem mora ainda nesses locais é vagabundo sem-vergonha que compactua com isso! :bravo:


Parece que os dois lados do espectro político tem "bogus-espantalhos" que ficam competindo secretamente em tentar inventar a coisa mais ridícula possível para o "outro" lado, fingindo ser o próprio.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #21 Online: 12 de Dezembro de 2014, 17:50:48 »
O estado nos defende nos roubando e nos oferecendo serviços obrigatórios monopolísticos, que maravilha que é o estado.

Sem o estado, isso acabaria, e ninguém seria forçado a nada, porque todos fariam o que é certo, uma vez que há só desincentivos econômicos para fazer o errado. Que maravilha é o anarco-capitalismo.

Offline Lou

  • Nível 10
  • *
  • Mensagens: 108
  • Sexo: Feminino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #22 Online: 12 de Dezembro de 2014, 18:06:36 »
Fabrício, você tem um discurso minarquista e mesmo assim ataca o liberalismo. Não acha contraditório?
Oi, eu sou a Luh!

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.120
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #23 Online: 12 de Dezembro de 2014, 18:12:34 »
Fabrício, você tem um discurso minarquista e mesmo assim ataca o liberalismo. Não acha contraditório?

Lou, se eu soubesse o que é "minarquista" e conhecesse a fundo o liberalismo, talvez achasse...  :lol:

Na verdade eu simpatizo com idéias liberais, só não acho que o Estado seja a raiz de todos os males como os libertário parecem acreditar.

Gosto da idéia de um Estado pequeno, enxuto, e de respeito à propriedade privada e liberdades individuais, mas daí a acreditar que tudo pode ser resolvido magicamente  pelo mercado e concorrência é ir longe demais pra mim.
"Deus prefere os ateus"

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.120
  • Sexo: Masculino
Re:A Falácia da Liberação das Armas de Fogo
« Resposta #24 Online: 12 de Dezembro de 2014, 18:16:40 »
Acabei de descobrir o que é minarquismo, valeu Lou.   :lol:.

Citar
Minarquismo ou minarquia é uma teoria política que prega que a função do Estado é assegurar os direitos básicos da população. Ou seja, estão entre as funções do Estado a promoção da segurança, da justiça e do poder de polícia, além da criação de legislação necessária para assegurar o cumprimento destas funções. Um Estado com estas funções teria de taxar o povo em 3% ou 6% no máximo. Um exemplo disso foi o que ocorreu nos Estados Unidos durante o século XIX, quando a carga tributária girou em torno de 3%, embora este país não fosse exatamente minarquista na época.

Os defensores do minarquismo são contrários a Estados com grande peso na economia e defendem o livre-mercado.

Realmente me identifico com o minarquismo, e na própria definição dele fala no Estado assegurando a segurança pública, o que concordo. Na verdade esta é uma das poucas áreas onde o Estado não pode ser substituído pela iniciativa privada, a meu ver. Tenho dúvidas se o Estado pode ser totalmente excluído da saúde, educação e assistência social também.

Mas gosto da idéia de um Estado "enxuto", sem dúvida.
« Última modificação: 12 de Dezembro de 2014, 18:19:15 por Fabrício »
"Deus prefere os ateus"

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!