Autor Tópico: Reforma da Previdência  (Lida 6888 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.595
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #225 Online: 26 de Dezembro de 2017, 10:10:37 »
Parece que lá a aprovação precisava de maioria simples e aqui dois terços...

Sim.
Aqui, terá que ser uma Emenda à Constituição, por isso essa exigência de quórum alto.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.890
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #226 Online: 26 de Dezembro de 2017, 10:35:18 »
Parece que lá a aprovação precisava de maioria simples e aqui dois terços...

Sim.
Aqui, terá que ser uma Emenda à Constituição, por isso essa exigência de quórum alto.



E justamente este é um problema mais fundamental que deveria ser  atacado e resolvido,  qual seja  o excesso  de  questões que são  constitucionais.  Isto faz com que um problema que poderia ser resolvido com maioria simples (50% + 1) acabe precisando de 60%, e quando a mudança pretendida é impopular, apesar de ser racionalmente econômica, este alto quórum para aprovação  exacerba o tradicional toma lá dá cá que já existe no Brasil.

Enxugar a constituição para algo semelhante a constituição americana deveria ser uma ação prioritária de um governo que pretenda diminuir o impacto do populismo e do fisiologismo crônico que impera no Brasil.





Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.309
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #227 Online: 26 de Dezembro de 2017, 11:19:33 »
[...]
Enxugar a constituição para algo semelhante a constituição americana deveria ser uma ação prioritária de um governo que pretenda diminuir o impacto do populismo e do fisiologismo crônico que impera no Brasil.

Isto não interessa a nenhum grupo de 'parasitas' do estado.
Foto USGS

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.890
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #228 Online: 26 de Dezembro de 2017, 12:05:50 »
[...]
Enxugar a constituição para algo semelhante a constituição americana deveria ser uma ação prioritária de um governo que pretenda diminuir o impacto do populismo e do fisiologismo crônico que impera no Brasil.
Isto não interessa a nenhum grupo de 'parasitas' do estado.


Sim, grupos que conseguiram transformar privilégios em  "direitos" constitucionais realmente não teriam interesse, pois isto facilitaria tirar os "direitos" deles.  Mas, um presidente que estivesse determinado a fazer isso e que conseguisse o apoio político necessário para isso (número de deputados e senadores suficientes) poderia conseguir essa redução.




« Última modificação: 26 de Dezembro de 2017, 13:59:55 por JJ »

Offline Gauss

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.468
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #229 Online: 26 de Dezembro de 2017, 14:45:17 »
[...]
Enxugar a constituição para algo semelhante a constituição americana deveria ser uma ação prioritária de um governo que pretenda diminuir o impacto do populismo e do fisiologismo crônico que impera no Brasil.
Isto não interessa a nenhum grupo de 'parasitas' do estado.


Sim, grupos que conseguiram transformar privilégios em  "direitos" constitucionais realmente não teriam interesse, pois isto facilitaria tirar os "direitos" deles.  Mas, um presidente que estivesse determinado a fazer isso e que conseguisse o apoio político necessário para isso (número de deputados e senadores suficientes) poderia conseguir essa redução.
Olha, para isso acontecer com os partidos que temos hoje? Talvez só se o NOVO passasse a dominar com maioria absoluta todas as esferas legislativas (Câmara dos Deputados, Senado, Presidência e parlamentos estaduais).
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.890
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #230 Online: 26 de Dezembro de 2017, 15:07:01 »
[...]
Enxugar a constituição para algo semelhante a constituição americana deveria ser uma ação prioritária de um governo que pretenda diminuir o impacto do populismo e do fisiologismo crônico que impera no Brasil.
Isto não interessa a nenhum grupo de 'parasitas' do estado.


Sim, grupos que conseguiram transformar privilégios em  "direitos" constitucionais realmente não teriam interesse, pois isto facilitaria tirar os "direitos" deles.  Mas, um presidente que estivesse determinado a fazer isso e que conseguisse o apoio político necessário para isso (número de deputados e senadores suficientes) poderia conseguir essa redução.
Olha, para isso acontecer com os partidos que temos hoje? Talvez só se o NOVO passasse a dominar com maioria absoluta todas as esferas legislativas (Câmara dos Deputados, Senado, Presidência e parlamentos estaduais).


Com muito menos do que isso eu considero que já seria possível passar tal mudança.  Veja que em 2009 (numa época em que ideias liberais ainda engatinhavam em termos de divulgação) já foi proposta uma PEC nesse sentido, se naquele época o Presidente da República fosse um cara realmente interessado em fazer tal mudança teria havido uma grande chance disso ocorrer.  No Brasil, normalmente um Presidente da República consegue aprovar a maioria das coisas nas quais ele realmente se empenha. A maior parte da mudanças legislativas que são aprovadas são de iniciativa do executivo (e uma pequena minoria é de iniciativa de algum deputado ou senador) .





« Última modificação: 26 de Dezembro de 2017, 15:11:29 por JJ »

Offline Gauss

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.468
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #231 Online: 26 de Dezembro de 2017, 15:10:54 »
[...]
Enxugar a constituição para algo semelhante a constituição americana deveria ser uma ação prioritária de um governo que pretenda diminuir o impacto do populismo e do fisiologismo crônico que impera no Brasil.
Isto não interessa a nenhum grupo de 'parasitas' do estado.


Sim, grupos que conseguiram transformar privilégios em  "direitos" constitucionais realmente não teriam interesse, pois isto facilitaria tirar os "direitos" deles.  Mas, um presidente que estivesse determinado a fazer isso e que conseguisse o apoio político necessário para isso (número de deputados e senadores suficientes) poderia conseguir essa redução.
Olha, para isso acontecer com os partidos que temos hoje? Talvez só se o NOVO passasse a dominar com maioria absoluta todas as esferas legislativas (Câmara dos Deputados, Senado, Presidência e parlamentos estaduais).


Com muito menos do que isso eu considero que já seria possível passar tal mudança.  Veja que em 2009 (numa época em que ideias liberais ainda engatinhavam em termos de divulgação) já foi proposta uma PEC nesse sentido, se naquele época o Presidente da República fosse um cara realmente interessado em fazer tal mudança teria havido uma grande chance disso ocorrer.  No Brasil, normalmente um Presidente da República consegue aprovar a maioria das coisas nas quais ele realmente se empenha. A maior parte da mudanças legislativas que são aprovadas são de iniciativa do executivo.
O problema é o custo para aprovar tudo isso. Ele teria que comprar muita gente. O nosso Executivo sempre foi um balcão de negócios.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Horacio

  • Nível 03
  • *
  • Mensagens: 33
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #232 Online: 08 de Fevereiro de 2018, 00:49:16 »
Teto de 5 salarios minimos para todos. Quem quiser uma aposentadoria maior, complementa com a previdencia privada.

Do jeito que estão propondo continuarão os privilegios,  e a conta será paga pelos mais pobres, aumentando ainda mais o exercito de "excluidos" na sociedade.

Lembrando que os gastos do Estado com os mais pobres retornam ao bolso do Estado, pois eles gastam tudo em consumo, gerando aumento da arrecadação, ao contrario das pensões mais altas que podem ser entesouradas.

Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.914
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #233 Online: 08 de Fevereiro de 2018, 14:24:06 »
Esta reforma realmente do jeito que la vai sendo modificada só vai aumentar os privilégios de servidores públicos em relação aos funcionários da rede privada, e de fato, virá a aumentar a desigualdade econômica, pois os mais pobres de fato serão os que mais sofrerão com toda esta mudança seletiva.
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.556
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #234 Online: 08 de Fevereiro de 2018, 15:17:11 »
"Mas a culpa não é dos aposentados, mimimi"

O mundo precisava de uns populistas que conseguissem angariar apoio generalizado para as coisas certas, em vez de dividir a população em torno de idiotices e atrasos.

E/ou anarquia.

Offline Horacio

  • Nível 03
  • *
  • Mensagens: 33
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #235 Online: 08 de Fevereiro de 2018, 20:57:35 »
Falando em dividir a sociedade, uma das maiores falacias desse debate é a demonização dos servidores publicos como se se tratasse de uma classe homogenea. Jogar no mesmo balaio Sarney, Gilmar, a juizada toda e o exercito de professores, enfermeiros, e demais funcionarios que passam o diabo para tentar prestar um serviço essencial com um minimo de qualidade é o fim da picada.

Se o foco fosse no topo da piramide essa reforma passaria fácil e teria um impacto fiscal muito maior.

Em vez disso ficamos seguindo a mitologia criada pela midia, pela Fazenda e pelos deformadores de opinião de sempre.




Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.556
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #236 Online: 08 de Fevereiro de 2018, 22:39:50 »
É parte do argumento de "estado enxuto", "estado mínimo", etc, que muito raramente faz as ressalvas análogas, que se tem um gasto absurdo onde não deveria haver, e um estado já sub-mínimo onde deveria haver maior investimento.

Citar
http://epoca.globo.com/ideias/noticia/2014/10/brasil-gasta-demais-com-bfuncionarios-publicosb.html
...
Falta professor, mas sobra chofer e assessor tem de sobra

[...] Cada deputado federal pode ter até 25 assessores, número alto demais diante de comparações internacionais. O jornal O Globo revelou que, no início deste ano, o Senado deu a sete garçons cargos de confiança, com atribuições de fachada, para permitir que eles recebessem salários mais altos. No escalão mais alto do governo federal, 39 ministros respondem diretamente à presidente da República, cada um deles com seu séquito de assessores. O normal, em nações desenvolvidas, é haver de 15 a 20 ministros (qualquer executivo de empresa de porte médio sabe que é impossível gerenciar bem 40 subordinados diretos, com funções complexas). Todos os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) têm direito a motorista particular. Isso não ocorre na Suprema Corte dos Estados Unidos. Nos Tribunais de Justiça, nos Estados, a gastança se repete. Em São Paulo, há 311 motoristas à disposição dos juízes. A Câmara Municipal de São Paulo tem 26 motoristas, 13 garçons, sete auxiliares de cozinha e ainda auxiliares de serviços odontológicos, cirurgiões-dentistas, barbeiros, oftalmologistas, lavador e lubrificador de veículos e vidraceiro, segundo o Portal da Transparência. Os casos revelam uma lógica de trabalho que dá prioridade ao luxo, ao privilégio, ao desperdício e à concessão de favores e boquinhas. Essa lógica se estabelece, nos gabinetes, em detrimento daquela com que a maioria dos mortais tem de lidar no dia a dia – a economia de recursos e o esforço para trabalhar melhor.

Casos como esses reforçam a impressão de que há excesso de servidores públicos. Eles são ao todo 11,1 milhões. Um em cada dez brasileiros em idade de trabalhar está empregado em algum governo. Essa fatia é normal entre países emergentes e fica abaixo da usual entre países desenvolvidos. Um relatório de 2013 da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE, grupo que inclui as nações mais desenvolvidas do mundo) informa que o número de funcionários públicos no Brasil “é bastante limitado” em comparação com o dos países-membros da entidade, mas também que é “mais caro”. O problema, portanto, não está na quantidade de funcionários públicos, mas na qualidade deles – e dos serviços que prestam.

[...]



Modesto Carvalhosa menciona isso brevemente neste trecho selecionado da entrevista:

<a href="https://www.youtube.com/v/hDscfx2wFQw?start=252&amp;end=352" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/hDscfx2wFQw?start=252&amp;end=352</a>


Sem esse foco, só está se disputando uma alternância de oligarquias.

Offline Muad'Dib

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.245
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #237 Online: 08 de Fevereiro de 2018, 22:52:19 »
O funcionalismo do Estado sub-mínimo é o elo fraco desse sistema. Qualquer tentativa de enxugar o estado vai focar nesse elo e não onde realmente está o problema.

Offline Horacio

  • Nível 03
  • *
  • Mensagens: 33
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #238 Online: 08 de Fevereiro de 2018, 23:52:19 »
Essa matéria da Època é um exemplo perfeito de indução ao erro. Conclui com generalização dos servidores publicos como se fosse uma categoria homogênea, cara e prestando um serviço de má qualidade.

No miolo, uma enxurrada de exemplos absurdos que comprovam a tese que querem demonstrar.

A informação essencial de que para os padrões internacionais o numero é baixo fica tão descontextualizada que não consegue interferir na impressão final retida pelo leitor.

Um algoritmo muito sofisticado o que produziu o texto.
« Última modificação: 08 de Fevereiro de 2018, 23:57:02 por Horacio »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.556
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #239 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 00:19:17 »
Poderia discorrer mais? Faz tempo que li a matéria integral e só tenho fresco na memória esse trecho que citei, que me parece bastante razoável, e distante disso que você descreve, discriminando entre funcionários públicos de fato úteis e aqueles que ajudam a compor uma casta de privilegiados sem comparação em países decentes.

<a href="https://www.youtube.com/v/uIo-_xRsjis&amp;list=PLmJ2lebZPkH0UrO9Z_Bitm-bDwWiTdH7D" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/uIo-_xRsjis&amp;list=PLmJ2lebZPkH0UrO9Z_Bitm-bDwWiTdH7D</a>

Queria que um CQC da vida viralizasse uma série de reportagens contrastando essas com a situação brasileira, poderiam chamar de "Brasil: país dos políticos sem vergonha".


Citar
[...] Alguns dos serviços que se transformaram em alvos principais das críticas durante as manifestações do ano passado sofrem com falta de profissionais. É o caso da saúde. Mesmo após o início do Mais Médicos, que contratou 14 mil profissionais, uma auditoria feita em março pelo Tribunal de Contas da União (TCU) apontou falta de médicos e enfermeiros em 81% dos hospitais visitados do Sistema Único de Saúde. Faltam também policiais federais, fiscais ambientais, analistas tributários e professores. Outro levantamento do TCU mostra que, só no ensino médio da rede pública, há 32 mil vagas a preencher.

“A perspectiva não pode ser contra ou a favor de funcionário público. Tem de ser a favor do cidadão e da melhoria dos serviços”, afirma Regina Pacheco, especialista em gestão de políticas públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV). “E, para aumentar a força de trabalho, teremos de segurar os custos.” O cidadão só contará com serviços melhores se o governo parar de fazer contratações e promoções inúteis, para se concentrar nas que realmente importam [...]



http://epoca.globo.com/ideias/noticia/2014/10/brasil-gasta-demais-com-bfuncionarios-publicosb.html

Offline Horacio

  • Nível 03
  • *
  • Mensagens: 33
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #240 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 00:42:57 »
Sem a materia completa fica dificil realmente avaliar mais satisfatoriamente. O que eu quero chamar a atenção é para o fato que as matérias da mídia levam em conta que a impressão final no leitor é provocada pela manchete, infograficos, conclusão e trechos de maior impacto emocional. E isso tudo hoje em dia é algoritmizável.

Cabe a nós identificar e fugir dessas armadilhas e montar nossas proprias narrativas. O que eu vejo é que, pelo contrario, a narrativa da midia, ou a impressão produzida por ela, ecoa sem muita dificuldade na opinião publica, e se multiplica nas redes sociais  dificultando a percepção do problema central e provocando sectarismos, preconceitos... Isso mantem as oligarquias e as gangues impunes realmente, ou simplesmente se alternando.

Complementando, o dado fundamental que os gastos previdenciarios com os aposentados de menor renda, que gastam tudo com consumo, vão voltar ao orçamento via aumento da arrecadação de impostos é totalmente ignorado, como se estivessemos tratando de um fenomeno contabil, e não economico, em que um gasto em T1 vira receita em T2 e assim o correto seria computar e efeito líquido.

A mesma armadilha das politicas de austeridade, que ao tentarem ajustar o orçamento via corte de gastos apenas aprofundam a recessão, gerando perdas na receita e aumento do déficit.
« Última modificação: 09 de Fevereiro de 2018, 00:53:43 por Horacio »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.556
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #241 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 00:47:44 »
Isso de "algoritmo" para causar uma impressão distorcida parece teoria da conspiração.

Tentei ler por cima para ver se encontrava algo que passava uma impressão mais generalizadora, mas não consegui encontrar "acidentalmente" um trecho que desse essa impressão. Ficaria surpreso se mais pessoas tivessem essa interpretação do texto.


Citar
Sou servidora pública concursada e concordo com praticamente todos os pontos levantados. É necessário perceber que quando se fala do peso do funcionalismo público, a maior parte desse peso não é causada pela maioria do funcionalismo, que é o cara que ganha pouco e rala muito. É causada por esses comissionados, esse monte de assessores inúteis, por esse sistema que pune o bom servidor (que não recebe nenhum tipo de incentivo para trabalhar melhor) e é o paraíso para o mau servidor (que raramente recebe sanções por trabalhar mal), um sistema que é um convite à estagnação.
Citar
Mas é justamente o ponto que esta discussão deve chegar: não é a massa do funcionalismo público que onera os governos. São estritamente os cargos de confiança, criados por gestões que entram e arrastam seus bandos de puxa-sacos para levarem suas recompensas, que fazem as contas públicas oscilarem de gestão para gestão. As chefias dentro do sistema público são todas ocupadas por indicação de políticos. São pagos salários astronômicos para pessoas que nem aparecem ou nem entendem da rotina na qual foram inseridos. Já os salários dos reais funcionários públicos concursados são baixos,vergonhosos


Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.445

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.556
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #244 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 01:16:56 »
Isso de "algoritmos" é praticamente parece ser algo mais como "templates", esqueletos, formatos gerais de matérias jornalísticas (tal como existe para ficção ou mesmo livros-texto de diversas categorias), e não todo um esquema que cientificamente conduza o leitor a uma dada opinião, muito menos a de discordar do artigo em si, se fixando em alguns trechos que serviriam como "mensagens subliminares" que se sobrepoem ao que seria uma sinopse.


Offline Horacio

  • Nível 03
  • *
  • Mensagens: 33
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #245 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 01:47:42 »
Acessei agora a matéria completa. É pior do que eu imaginava. Veja a manchete:

Brasil gasta demais com funcionários públicos
Um levantamento inédito sobre o tamanho do funcionalismo revela por que o Estado brasileiro funciona mal. Só cargos de confiança, há 600 mil.

Isso em letras garrafais, complementadas com a imagem uma pata monstruosa pronta para esmagar o leitor.

Conclusão obvia a que o leitor é induzido: As causa principal do mau funcionamento do Estado é o tamanho e o custo do funcionalismo publico. Mais generalizador e superficial impossivel. Oligarquias? Isso é de comer?
« Última modificação: 09 de Fevereiro de 2018, 01:55:05 por Horacio »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.556
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #246 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 02:05:55 »
Mais do que "óbvia" conclusão do leitor ser induzido a isso, parece um tremendo esforço em tentativa de, de alguma forma, depreciar o texto.

Talvez pensando nas pessoas tenderem a ler apenas manchetes e tweets se pudesse dar maior atenção a uma introdução que se esforçasse ao máximo para evitar alguma conclusão errônea de quem nem se dê ao trabalho de ler o texto. Mas se a intenção é de fato a de causar interpretação oposta ao que o texto integral argumenta, é no mínimo uma maneira muito contraproducente de conseguir fazê-lo, quando se poderia muito bem defender a conclusão "secretamente" desejada, e não argumentar contra ela na maior parte do tempo.









Citar

[...]

http://porque.uol.com.br/existe-desigualdade-entre-funcionarios-publicos-e-privados/













[...]

Conclusão

Há um duplo desafio em jogo: reduzir os privilégios do setor público na comparação com o trabalhador do setor privado, e também os privilégios existentes dentro do setor público,entre as diversas profissões.

Ao mesmo tempo, é necessário um Estado eficiente para propiciar o desenvolvimento econômico. Dessa forma, é essencial estabelecermos mecanismos que alinhem os salários do setor público com a produtividade dos trabalhadores. As idéias de bônus para professores, já tratadas aqui no site, são um bom exemplo.

Além disso, não podemos olhar para os privilégios do setor público e afirmar todo servidor como um sanguessuga do Estado. Existem funcionários que têm um verdadeiro senso de comprometimento com o Brasil e se esforçam para realizar seu trabalho da melhor maneira possível.

Nós do Por Quê? incentivamos o debate pautado nas ideias e nos fatos, e não nos preconceitos.




Um elemento que teoricamente poderia ajudar a justificar alguma disparidade é a de se poupar custos de repor funcionários perdidos para o setor privado, mas isso tem que ser acompanhado de cobrança por desempenho e etc.



Citar

http://mercadopopular.org/2017/11/funcionarios-publicos-ganham-mais-do-que-trabalhadores-do-setor-privado-veja-dados/

http://www.brasil-economia-governo.org.br/2017/11/21/monteiro-lobato-e-a-diferenca-salarial-publico-privada/












Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.445
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #247 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 12:13:11 »
Servidor público salarialmente privilegiado? Está maluco?! Já não viu as notícias dos servidores que estão há anos sem reajuste no salário? Ademais, o neoliberal que persegue funcionários públicos se esquece o quanto esses salários ajudam milhares de trabalhadores a escaparem das condições exploratórias que tipicamente ocorrem no setor privado.
« Última modificação: 09 de Fevereiro de 2018, 12:15:19 por -Huxley- »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.556
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #248 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 14:17:44 »
Nos governos municipais, ao menos até 2015, os salários estão de fato abaixo daqueles do setor privado.

Fico curioso se em prefeituras petistas isso era diferente, durante o regime petista.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.309
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #249 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 15:33:23 »
Falando em dividir a sociedade, uma das maiores falacias desse debate é a demonização dos servidores publicos como se se tratasse de uma classe homogenea. Jogar no mesmo balaio Sarney, Gilmar, a juizada toda e o exercito de professores, enfermeiros, e demais funcionarios que passam o diabo para tentar prestar um serviço essencial com um minimo de qualidade é o fim da picada.

Se o foco fosse no topo da piramide essa reforma passaria fácil e teria um impacto fiscal muito maior.

Em vez disso ficamos seguindo a mitologia criada pela midia, pela Fazenda e pelos deformadores de opinião de sempre.

É mesmo?

Então não há nenhum impacto econômico-financeiro na massa salarial de centenas de milhares de funcionários públicos?

E nem dos encargos legais dela decorrentes?
Foto USGS

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!