Autor Tópico: Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo  (Lida 10598 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.794
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #50 Online: 01 de Dezembro de 2015, 16:00:20 »
"Proteger" já poderia ser visto como uma forma de subsídio (o que não valida por extensão toda e qualquer outra forma de subsídio).

Então, patrimônios históricos podem ser derrubados e transformados em salão de baile funk numa boa, se for o que o mercado mandar?



Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.554
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #51 Online: 01 de Dezembro de 2015, 16:14:14 »
"Proteger" já poderia ser visto como uma forma de subsídio (o que não valida por extensão toda e qualquer outra forma de subsídio).

Então, patrimônios históricos podem ser derrubados e transformados em salão de baile funk numa boa, se for o que o mercado mandar?

Se isto acontecesse não seria por imposição do mercado e sim uma ação decorrente da vontade soberana da parte mais basal e importante da nossa sociedade, o proletariado urbano, que é brutalmente reprimido pela cultura musical burguesa, com a música erudita, e pelo imperialismo, com o rock. #marxismolatinoamericano
Foto USGS

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.074
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #52 Online: 01 de Dezembro de 2015, 16:16:18 »
"Proteger" já poderia ser visto como uma forma de subsídio (o que não valida por extensão toda e qualquer outra forma de subsídio).

Então, patrimônios históricos podem ser derrubados e transformados em salão de baile funk numa boa, se for o que o mercado mandar?

Defina melhor "patrimônio histórico".

Mas na minha humilde opinião "patrimônio histórico", assim entendido com prédios históricos, entra mais ou menos como "educação", similar às bibliotecas públicas. Se o governo for dono deles, tem a responsabilidade de manter em bom estado, assim como tem que manter em bom estado os prédios públicos que não são patrimônio histórico também.
"Deus prefere os ateus"

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.794
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #53 Online: 01 de Dezembro de 2015, 16:29:05 »
"Proteger" já poderia ser visto como uma forma de subsídio (o que não valida por extensão toda e qualquer outra forma de subsídio).

Então, patrimônios históricos podem ser derrubados e transformados em salão de baile funk numa boa, se for o que o mercado mandar?

Se isto acontecesse não seria por imposição do mercado e sim uma ação decorrente da vontade soberana da parte mais basal e importante da nossa sociedade, o proletariado urbano, que é brutalmente reprimido pela cultura musical burguesa, com a música erudita, e pelo imperialismo, com o rock. #marxismolatinoamericano

Muito bem colocado. Ideais de "preservação cultural" nada mais são do que uma faceta (ou uma fachada) da limpeza étnica conduzida pela burguesia, do higienismo. O racismo está em seu âmago, determinando sempre como superior e digna a cultura das elites brancas, ou, no máximo, cultura de outros povos que os brancos decidiram roubar.





"Proteger" já poderia ser visto como uma forma de subsídio (o que não valida por extensão toda e qualquer outra forma de subsídio).

Então, patrimônios históricos podem ser derrubados e transformados em salão de baile funk numa boa, se for o que o mercado mandar?

Defina melhor "patrimônio histórico".

Mas na minha humilde opinião "patrimônio histórico", assim entendido com prédios históricos, entra mais ou menos como "educação", similar às bibliotecas públicas. Se o governo for dono deles, tem a responsabilidade de manter em bom estado, assim como tem que manter em bom estado os prédios públicos que não são patrimônio histórico também.

Bem, eu na verdade planejava maquiavelicamente que outras pessoas debatessem inclusive esse aspecto.

Citação de: WP
Patrimônio Histórico refere-se a um bem móvel, imóvel ou natural, que possua valor significativo para uma sociedade, podendo o valor ser de natureza estética, artística, documental, científica, social, espiritual, ecológica ou histórica.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Patrim%C3%B4nio_hist%C3%B3rico


http://www.nytimes.com/2015/11/30/business/tax-status-of-museums-questioned-by-senators.html?_r=1

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #54 Online: 01 de Dezembro de 2015, 17:51:50 »
Buckaroo, você tá comparando uma construção de milhares de anos com uma obra artística feita por uma pessoa de hoje?

A primeira o próprio tempo transformou em patrimônio cultural. A segunda é apenas uma expressão artística como qualquer outra das milhões existentes.

Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.794
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #55 Online: 01 de Dezembro de 2015, 18:12:03 »
Na verdade intencionava deixar tudo bem vago para as pessoas fazerem as comparações que derem nas suas respectivas telhas.

Mas é uma boa idéia. Não há algo de similar em o estado subsidiar uma filarmônica/orquestra sinfônica, e manter um edifício histórico?

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.074
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #56 Online: 01 de Dezembro de 2015, 18:35:29 »
Na verdade intencionava deixar tudo bem vago para as pessoas fazerem as comparações que derem nas suas respectivas telhas.

Mas é uma boa idéia. Não há algo de similar em o estado subsidiar uma filarmônica/orquestra sinfônica, e manter um edifício histórico?

Depende do edifício  :hihi:...

Um edifício histórico está lá de qualquer maneira, e é muitas vezes difícil de se auto-sustentar, dado que o interesse em visitá-lo pode não ser tão grande (a não ser que seja um museu, por exemplo).

Uma filarmônica/orquestra sinfônica pressupõe que existem pessoas interessadas em ouvir a música, e se elas tem interesse em ouvir a orquestra deveriam também estar dispostas a pagar por isso. Porque, se a disposição do ouvinte só vale se for de graça, então o interesse não é lá tão grande. Aí a maioria, que só quer na verdade ouvir pagode, funk e sertanejo  :lol:, tem que ficar financiando quem gosta de orquestra ou ópera. o que não me parece muito justo.
"Deus prefere os ateus"

Offline Rocky Joe

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.746
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #57 Online: 01 de Dezembro de 2015, 19:19:17 »
"Proteger" já poderia ser visto como uma forma de subsídio (o que não valida por extensão toda e qualquer outra forma de subsídio).

Então, patrimônios históricos podem ser derrubados e transformados em salão de baile funk numa boa, se for o que o mercado mandar?

Se isto acontecesse não seria por imposição do mercado e sim uma ação decorrente da vontade soberana da parte mais basal e importante da nossa sociedade, o proletariado urbano, que é brutalmente reprimido pela cultura musical burguesa, com a música erudita, e pelo imperialismo, com o rock. #marxismolatinoamericano

Você brinca, mas música popular pode ser uma forma de estabelecer identidade/recuperar orgulho, como no blues, no samba. E estabelecer identidade é importante para ser gente. A repressão, é claro, não é por parte da cultura erudita, nem da cultura pop exportada.

Citar
Um edifício histórico está lá de qualquer maneira, e é muitas vezes difícil de se auto-sustentar, dado que o interesse em visitá-lo pode não ser tão grande (a não ser que seja um museu, por exemplo).

O mesmo pode ser dito sobre música clássica, por exemplo. Que algo que "exista materialmente" seja considerada em uma categoria diferente de algo que existe "no mundo das idéias" é um pouco bizarro para mim nesse contexto [de pensar se o Estado deve financiar publicamente qualquer coisa de arte]. A importância de um edifício histórico não está nos tijolos que estão lá, digo.
« Última modificação: 01 de Dezembro de 2015, 19:26:34 por Rocky Joe »

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.554
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #58 Online: 01 de Dezembro de 2015, 20:18:34 »
Você brinca, mas música popular pode ser uma forma de estabelecer identidade/recuperar orgulho, como no blues, no samba. E estabelecer identidade é importante para ser gente. A repressão, é claro, não é por parte da cultura erudita, nem da cultura pop exportada.

Então eu nunca fui e não sou gente porque nunca precisei (e não preciso) nem estabelecer identidade e nem recuperar algum orgulho.


[...]
A importância de um edifício histórico não está nos tijolos que estão lá, digo.

Pode ser que não.

Mas ao menos eles são palpáveis e representam algo facilmente identificado, que é o estilo arquitetônico.
« Última modificação: 01 de Dezembro de 2015, 20:22:21 por Geotecton »
Foto USGS

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #59 Online: 01 de Dezembro de 2015, 20:20:20 »
[...]
A importância de um edifício histórico não está nos tijolos que estão lá, digo.

Pode ser que não.

Mas ao menos é palpável.
Olha o materialismo desse geólogo... sacrilégio!

Offline Rocky Joe

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.746
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #60 Online: 01 de Dezembro de 2015, 21:04:16 »
Citar
Então eu nunca fui e não sou gente porque nunca precisei (e não preciso) nem estabelecer identidade e nem recuperar algum orgulho.

Bem, me corrigindo, a coisa não é verdadeira para todos.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #61 Online: 01 de Dezembro de 2015, 21:25:26 »
Houve um tempo em que eu achava que devia haver coisas do tipo "tombamento cultural" de uma edificação por exemplo, validando a ideia de que  governos deveriam interferir na manutenção de patrimônios privados, mas é uma faca de dois legumes. Pode ser bacaninha e tudo ver prédios históricos mostrando a "alma" de uma época mas é ruim para o dono não poder dispor a contento de um patrimônio tombado. Aquela lixeira histórica de Salvador que o diga.
« Última modificação: 02 de Dezembro de 2015, 22:43:35 por Sergiomgbr »

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.144


Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #64 Online: 04 de Dezembro de 2015, 11:44:52 »
Se o estado quer financiar pornografia, que ao menos financie profissionais melhores, não acham?

Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.634
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #65 Online: 24 de Fevereiro de 2016, 19:43:04 »
<a href="https://www.youtube.com/v/qZN_MsWyD5o" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/qZN_MsWyD5o</a>
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Skorpios

  • Visitante
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #66 Online: 25 de Fevereiro de 2016, 07:06:46 »
Eu sou um completo analfabeto em termos de arte, mas só posso dizer: Perfeito!
Apesar de que não recusaria um Matisse, se alguém quiser me presentear. :biglol:

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.634
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #67 Online: 25 de Fevereiro de 2016, 08:01:31 »
Eu sou um completo analfabeto em termos de arte, mas só posso dizer: Perfeito!
Apesar de que não recusaria um Matisse, se alguém quiser me presentear. :biglol:

Vou enviar um quadro do Romero Britto pra você, se preferir.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Johnny Cash

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.892
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #68 Online: 25 de Fevereiro de 2016, 09:15:01 »
Eu sou um completo analfabeto em termos de arte, mas só posso dizer: Perfeito!
Apesar de que não recusaria um Matisse, se alguém quiser me presentear. :biglol:

Vou enviar um quadro do Romero Britto pra você, se preferir.

O caso do Romero Britto é um pouco distinto, porque ele não se encaixa bem nessa falta de propósito, estilo e nem mesmo chega a ser "ruim". O que pegou com ele foi a super-exposição que o trabalho dele recebeu, cansando o público que inclusive se deixou levar, eu acho, pela normalização da reclamação contra o cara. Virou moda dar bomba no trabalho dele.

O Matisse também é algo complicado, quando colocado nesses termos. Há que se considerar o contexto de produção, propósito do autor e até mesmo onde e quando as obras se encaixam.

Veja essa escultura do Matisse:



Embora não tenha o mesmo "acabamento" que o Davi, de Michelangelo, é ainda uma obra bonita/agradável para mim e pode ter exercido positiva influência na produção artística da época. Há sempre que se lembrar que a dificuldade de execução de uma obra não é sempre um indicativo de qualidade para "consumo" ou aplicabilidade dela.

Acho que temos que separar, na boa crítica sobre a arte-moderna, o que é bosta real do resto que se subdivide em diversas categorias de "qualidade".

Tirando os pontos mais afetados do vídeo, eu gosto da linha geral. E acho que não precisava da crítica ao esquerdismo ou enfiar algo sobre marxismo-cultural no meio, porque, imagino, deve ser bem capaz que boa parte da arte-moderna tosca deva ser financiada/apreciada/consumida por gente de estirpe bem direitista. Trazer o aspecto político bipolarizado pro discurso deixa sempre provável que a discussão descambará para níveis futebolísticos.

Offline homemcinza

  • Nível 22
  • *
  • Mensagens: 804
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #69 Online: 25 de Fevereiro de 2016, 13:19:55 »
Muito bom o video mas faço coro ao Johnny em alguns pontos. tem muita bobagem sendo produzida na arte por gente que parece não ter muito talento pro negócio. Mas isso parece ser uma tendência da "academia".
« Última modificação: 25 de Fevereiro de 2016, 13:43:28 por homemcinza »

Offline Onsigbare

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 282
  • Os crentes, não dizendo nada, explicam tudo.
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #70 Online: 25 de Fevereiro de 2016, 13:52:25 »
foi sempre assim, tadinho dos que ousaram a sair daquele oficial fazer, como impressionistas, etc.  acho que o vídeo é uma tremenda asneira.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.634
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #71 Online: 25 de Fevereiro de 2016, 17:07:57 »
foi sempre assim, tadinho dos que ousaram a sair daquele oficial fazer, como impressionistas, etc.  acho que o vídeo é uma tremenda asneira.


Os zeladores do museu confundiam as obras de arte com lixo e jogavam fora as obras de arte. Se você não consegue distinguir arte de lixo, ou arte de respingos aleatórios, não há motivo para expor.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.794
  • Sexo: Masculino
  • Guerreiros contra o Marxismo Cultural, uni-vos
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #72 Online: 25 de Fevereiro de 2016, 18:00:16 »
Tirando os pontos mais afetados do vídeo, eu gosto da linha geral. E acho que não precisava da crítica ao esquerdismo ou enfiar algo sobre marxismo-cultural no meio, porque, imagino, deve ser bem capaz que boa parte da arte-moderna tosca deva ser financiada/apreciada/consumida por gente de estirpe bem direitista. Trazer o aspecto político bipolarizado pro discurso deixa sempre provável que a discussão descambará para níveis futebolísticos.

Acho que já ouvi falar que as tradições artistas clássicas conseguiram sobreviver mais significativamente na Rússia do que nos EUA e Europa Ocidental, onde praticamente se extinguiram, durante o século XX.

http://www.independent.co.uk/news/world/modern-art-was-cia-weapon-1578808.html


foi sempre assim, tadinho dos que ousaram a sair daquele oficial fazer, como impressionistas, etc.  acho que o vídeo é uma tremenda asneira.


Impressionistas não se enquadram bem na mesma categoria de merda enlatada ou mesmo pingos de tinta cuidadosamente espalhados, estão mais dentro dos tradicionalistas, mesmo que em algum momento estivessem inovando (foi algo menos "radical" do que muitas vezes se ouve falar).


Documentário/apresentação de Scott Burdick sobre pintura contemporânea.


<a href="http://www.youtube.com/v/qGX0_0VL06U&amp;feature=player_embedded" target="_blank" class="new_win">http://www.youtube.com/v/qGX0_0VL06U&amp;feature=player_embedded</a>
feature=player_embedded

<a href="http://www.youtube.com/v/fIVaTCRyblM&amp;feature=related" target="_blank" class="new_win">http://www.youtube.com/v/fIVaTCRyblM&amp;feature=related</a>
feature=related

<a href="http://www.youtube.com/v/TMA1rn7q7t0&amp;feature=related" target="_blank" class="new_win">http://www.youtube.com/v/TMA1rn7q7t0&amp;feature=related</a>
feature=related

<a href="http://www.youtube.com/v/byRaMfoiJP4&amp;feature=related" target="_blank" class="new_win">http://www.youtube.com/v/byRaMfoiJP4&amp;feature=related</a>
feature=related



No youtube dá para assistir com resolução de até 1080p, e vale, ao menos por metade das pinturas que aparecem.  :oba:



Para um pouco mais de obrigatório balanço centrista, acho que coisas abstratas podem ser interessantes nos aspectos de "design" e cartum. Mas continua sendo tremendamente overrated, e acho que uns 99% dos defensores disso recusariam essas aproximações.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #73 Online: 25 de Fevereiro de 2016, 18:44:15 »
Esse vídeo ("A verdade sobre a arte moderna") é risível, segue a mesma linha do documentário "Why Beauty Matters": de que há um padrão fechado e unânime de beleza, de valor, de nobreza e que qualquer produção pretensamente artística deve seguir esse padrão. A arte é meramente uma "corrida armamentista" para ver quem consegue chegar ao maior nível de realismo e sofisticação técnica.

O outro absurdo é que arte de valor é apenas a arte que consegue se sustentar sem ajuda do Estado. Essa noção implicaria, por exemplo, que a música dos MC's brasileiros ou do Justin Bieber têm muito mais valor artístico que a maioria dos compositores eruditos, que só prosperaram graças ao mecenato de nobres que os financiavam com dinheiro público.

Tentar abarcar um campo subjetivo como a arte com padrões objetivos do mercado ou mesmo da técnica sempre será como tentar encaixar o cubo no buraco circular daquele brinquedo infantil.


Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.634
  • Sexo: Masculino
Re:Arte Contemporânea: dedada grupal no rabo
« Resposta #74 Online: 25 de Fevereiro de 2016, 18:51:57 »


Isso é arte. Parece um rosto mostrando a língua. E ainda não passa de um brinquedo. Comparar isso com sujeira de avental ou cocô enlatado não dá.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!