Autor Tópico: MBL - Movimento Brasil Livre  (Lida 15957 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.538
  • Sexo: Masculino
MBL - Movimento Brasil Livre
« Online: 10 de Novembro de 2016, 10:25:14 »
Já é tempo de criar um tópico para um dos movimentos mais importantes na história política do país.
O MBL surgiu desacreditado e até boicotado pelos veículos de imprensa nos seus primeiros dias.
Poucos deram ouvidos às suas pautas, entre elas talvez a mais importante para todos os cidadãos até hoje, o impeachment de Dilma Rousseff.

Ao contrário do que muitos apregoavam, de que o movimento desapareceria após o impeachment, o MBL tem se consolidado ainda mais no ambiente político, sendo força influenciadora em muitos debates nacionais como a Operação Lava-Jato, a PEC-241, a Reforma da Previdência e a Reforma Trabalhista.

Isso tudo tem incomodado demais os que antes se julgavam donos das ruas. Não são poucos os ataques de que o movimento se vendeu à política partidária. Ataques esses que partem daqueles que também se julgam donos do espaço político e só nele podem entrar os que são autorizados por esses donos. Para participar da política do país, para defender as melhores ideias, a democracia possui o instituto de partidos políticos para isso. O MBL não defende nenhum partido em particular, mas faz questão de participar do debate político. Para isso, há membros de diversos partidos em suas fileiras.

O movimento já organizou um Congresso no ano passado.
Haverá outro nos próximos dias.



Citar
Petistas surtam ao ver lista de palestrantes do 2º Congresso do MBL

O melhor indicador para avaliar se você acertou o alvo na guerra política é a reação de seu oponente. Assim, quando os petistas e seus aliados – do PSOL e PCdoB, considerando os políticos e demais influenciadores – reclamam muito de uma iniciativa sua, é sinal de que você está no caminho correto.

Não surpreende que a extrema-esquerda petista tenha perdido completamente a cabeça diante do Segundo Congresso do MBL, que acontecerá nos dias 19 e 20 de novembro em São Paulo (clique aqui para maiores informações). Várias reações destemperadas dos membros do partido e de seus aliados estão aparecendo por vários cantos.

Veja a lista de palestrantes confirmados:
  • Mendonça Filho
  • Janaína Paschoal
  • Francisco Razzo
  • Alexandre Borges
  • Flávio Morgenstern
  • Cláudio Manoel
  • Bruno Garschagen
  • Pedro D’eyrot
  • Reinaldo Azevedo
  • Tiago Pavinatto
  • Darcísio Perondi
  • Marek Troczinski
  • Paulo Martins
  • Gilmar Mendes

Leia a mensagem de divulgação do evento:

Citar
    “Quem diria. O grupo desacreditado de pessoas que liderou a revolta contra o PT, ainda em 2014, venceu. Tiramos Dilma Rousseff do poder e derrotamos, com muita garra, o mainstream midiático brasileiro. De um país que rumava para destino similar a de seus vizinhos, temos agora uma nação fiscalmente responsável que debate reforma da previdência, teto de gastos e reforma trabalhista. Uma nação que não tem medo de encarar de frente uma agenda liberal e que continua alerta e vigilante no combate à corrupção.

    Mas como chegamos até aqui? O primeiro congresso nacional do MBL, em 29 de dezembro de 2015, dispôs sobre a agenda política defendida pelo grupo e oficializou a estratégia de pulverização partidária de candidatos do movimento. Fomos, assim, a iniciativa liberal mais exitosa nestas eleições, elegendo 9 vereadores e 6 suplentes. Destes, 3 venceram em capitais: São Paulo, Porto Alegre e Aracajú. Ademais, o movimento venceu o estigma de que “desapareceria” após a queda de Dilma e vem pautando o debate político nacional como o fez nos embates acerca PEC 241 – onde foi a principal organização a apoiar tal medida. Com audiência web superior a 13 milhões de pessoas por dia – incluindo aí rede de páginas de Facebook, twitter, instagram blogs e canais de Youtube – , além de ampla penetração midiática, o movimento pode ser considerado hoje a mais inovadora e influente força da nova política brasileira.

    Para 2017, os desafios são outros. Neste evento, traremos convidados que debaterão o cenário futuro e ajudarão a formular estratégias para que o MBL continue levando a frente sua luta por liberdade. Uma agenda municipalista agressiva deve se mesclar com uma poderosa interação em nível nacional através de linguagem jovem e dinâmica. Políticos, ativistas, intelectuais, empresários e artistas debaterão este novo Brasil e MBL que surgem para 2017. Queremos que você faça parte disso.”

Neste “live” abaixo, vemos Renan Santos, coordenador-geral do MBL, explicar o surto atual da extrema-esquerda diante do evento:

[Porque a esquerda está puta com o congresso do MBL? Confira quem vem palestrar - Vídeo]

« Última modificação: 10 de Novembro de 2016, 10:35:23 por Gabarito »

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.538
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #1 Online: 10 de Novembro de 2016, 10:30:21 »
Citar
VÍDEO OFICIAL DO II CONGRESSO NACIONAL DO MBL - Movimento Brasil Livre

A se realizar na cidade de São Paulo, nos dias 19 e 20 de Novembro, contará com a presença de grandes lideranças nacionais, como o Ministro do STF Gilmar Mendes, o jornalista Reinaldo Azevedo, o relator da PEC241, Darcísio Perondi, o especialista em política internacional Marek Troczinski, o humorista Manoel Cláudio, a advogada Janaína Paschoal entre outros!

INGRESSOS LIMITADOS. COMPRE AQUI!


Vídeo da história do movimento:

<a href="http://vimeo.com/moogaloop.swf?clip_id=148156834" target="_blank" class="new_win">http://vimeo.com/moogaloop.swf?clip_id=148156834</a>

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.221
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #2 Online: 10 de Novembro de 2016, 10:49:19 »
Esses caras do MBL são uns interesseiros e são apoiados pelos tucanos kkkkkkkk

A esquerda acha que eles são de direita neoliberal porque querem acabar com as conquistas super modernas da era Vargas.
A direita conservadora acha que eles são comunistas porque não apoiam abertamente as igrejas e o Olavo.
Os ancaps acham que eles são estatólatras porque querem mudar o Estado pela política (pfff, que inocentes).
Os liberais acham que eles são conservadores porque ousam trocar ideias com a família Bolsonaro.
E os Antagonistas tem certeza que eles estão lá só pela boquinha, que no futuro serão todos Lindberghs.

E agora Gabarito, a casa caiu kkkkkkkkk
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline MarceliNNNN

  • Nível 16
  • *
  • Mensagens: 431
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #3 Online: 10 de Novembro de 2016, 11:05:58 »
Hum, tenho uma pulga atrás da orelha com o MBL. Surgiu como um movimento apartidário, mas nessas eleições o  movimento apoiou diversos candidatos do PSDB. Sei lá, nada contra isso, mas o discurso deles pelo jeito tem mudado nesses últimos tempos.

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.964
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #4 Online: 10 de Novembro de 2016, 11:17:26 »
Hum, tenho uma pulga atrás da orelha com o MBL. Surgiu como um movimento apartidário, mas nessas eleições o  movimento apoiou diversos candidatos do PSDB. Sei lá, nada contra isso, mas o discurso deles pelo jeito tem mudado nesses últimos tempos.

É difícil, senão praticamente impossível, que um movimento deste tipo continue eternamente apartidário. Acho natural que eles busquem o apoio e apoiem partidos que tenham bandeiras como as que eles defendem.

Existe logicamente o risco de que eles acabem "se contaminando" com a safadeza da política nacional.

Mas a princípio o MBL é um movimento que eu olho com simpatia.
"Deus prefere os ateus"

Offline MarceliNNNN

  • Nível 16
  • *
  • Mensagens: 431
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #5 Online: 10 de Novembro de 2016, 11:27:41 »
Hum, tenho uma pulga atrás da orelha com o MBL. Surgiu como um movimento apartidário, mas nessas eleições o  movimento apoiou diversos candidatos do PSDB. Sei lá, nada contra isso, mas o discurso deles pelo jeito tem mudado nesses últimos tempos.

É difícil, senão praticamente impossível, que um movimento deste tipo continue eternamente apartidário. Acho natural que eles busquem o apoio e apoiem partidos que tenham bandeiras como as que eles defendem.

Existe logicamente o risco de que eles acabem "se contaminando" com a safadeza da política nacional.

Mas a princípio o MBL é um movimento que eu olho com simpatia.
Concordo, isso é natural mesmo e também acho que existe esse risco de se contaminarem. É um movimento que tem se mostrado importante, mas prefiro continuar com o meu pé atrás para não acabar me iludindo com eles.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.221
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #6 Online: 10 de Novembro de 2016, 12:00:16 »
Hum, tenho uma pulga atrás da orelha com o MBL. Surgiu como um movimento apartidário, mas nessas eleições o  movimento apoiou diversos candidatos do PSDB. Sei lá, nada contra isso, mas o discurso deles pelo jeito tem mudado nesses últimos tempos.

É difícil, senão praticamente impossível, que um movimento deste tipo continue eternamente apartidário. Acho natural que eles busquem o apoio e apoiem partidos que tenham bandeiras como as que eles defendem.

Existe logicamente o risco de que eles acabem "se contaminando" com a safadeza da política nacional.

Mas a princípio o MBL é um movimento que eu olho com simpatia.
Concordo, isso é natural mesmo e também acho que existe esse risco de se contaminarem. É um movimento que tem se mostrado importante, mas prefiro continuar com o meu pé atrás para não acabar me iludindo com eles.

Fala que são todos uns vendidos. E depois solte um kkkkkkkkkk
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.538
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #7 Online: 10 de Novembro de 2016, 12:58:22 »
Bons comentários, bons pontos.
Eu não ganho um centavo para divulgar o MBL.
Tenho simpatia pelo movimento desde o seu início, só isso.
E vejo com muitíssimos bons olhos Fernando Holiday, novo vereador.
Acho que podemos contribuir de alguma maneira dando visibilidade e divulgando o que achamos certo.

Não existe isso de fazer política e ser apartidário.
Podemos entender o MBL como apartidário apenas no fato de não vestir a camisa de nenhum partido, mas os seus membros individuais podem se filiar a alguma agremiação.
É normal, lícito, legítimo e a coisa certa a fazer para participar inteiramente do processo político.

Por isso que eles também lançaram o Caras Novas:


Mas e aí, podemos dizer que com o resultado dessas eleições, o gigante acordou?
Parece que vencemos aquele discurso antiquado das esquerdas latino-americanas.


Se acordou ou não, pode ser que tenha aberto um olho, pelo menos.
Mas um novo horizonte surge, caras novas chegam, se apresentam e ganham espaço, uma grande esperança de melhoras é a realidade atual:



Citar


STORY

O projeto Caras Novas é feito por brasileiros que estão preocupados com o futuro do país e querem fazer a diferença auxiliando pessoas qualificadas que estejam dispostas a atuar na política institucional. Administradores, economistas, jornalistas, analistas, enfim, profissionais das mais diversas áreas que se comprometeram a contribuir com a mudança de rumos do país.

A ideia é fazer uma seleção rigorosa entre os candidatos das eleições de 2016 e trabalhar junto com os selecionados para que eles defendam plataformas sérias, eficientes e profissionais. Após o período eleitoral, o projeto Caras Novas estará pronto para assessorar e monitorar os candidatos vencedores, auxiliando-os na implementação de propostas defendidas em campanha.
Como inspiração, temos iniciativas como a da Comunitas, organização da sociedade civil que possui diversos projetos com o fim de promover boas práticas na administração pública em conjunto com lideranças empresariais e com o cidadão comum. Exemplos de parcerias de sucesso serão nosso norte para levar inovação e eficiência às prefeituras e câmaras municipais.

A iniciativa conta com o apoio do MBL (Movimento Brasil Livre), e é coordenada por Kim Kataguiri.


INFORMAÇÕES DE CONTATO
@pcarasnovas
contato@carasnovas.com.br
http://www.carasnovas.com.br/
 



O país não tem vocação vermelha.
Tivemos um crédito de confiança de 13 anos numa turma que se revelou desonesta ao extremo.
O país volta aos trilhos com uma boa lição aprendida. Com o crescimento constante da informação e comunicação, cada vez mais ficará mais difícil enganar o eleitor.
Aqueles que defendem ideias incompatíveis com a realidade serão escanteados e esquecidos.
Novos tempos.




Fala que são todos uns vendidos. E depois solte um kkkkkkkkkk

Então tá: tudo vendido!!!onze    kkkkkkkkkkk

É assim que se faz?   8-)

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.221
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #8 Online: 10 de Novembro de 2016, 13:29:16 »


Fala que são todos uns vendidos. E depois solte um kkkkkkkkkk

Então tá: tudo vendido!!!onze    kkkkkkkkkkk

É assim que se faz?   8-)

Perfeito!

Agora você já pode se considerar um comentarista de política de portal de internet nível 1.

Você já está apto a comentar no Antagonista pra falar que "PSDB = PT" e que "FHC é comunista", ou mesmo que "Kim é um vendido". Ah, e "Bolsonaro 2018"
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.435
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #9 Online: 10 de Novembro de 2016, 13:41:09 »
Hum, tenho uma pulga atrás da orelha com o MBL. Surgiu como um movimento apartidário, mas nessas eleições o  movimento apoiou diversos candidatos do PSDB. Sei lá, nada contra isso, mas o discurso deles pelo jeito tem mudado nesses últimos tempos.

Também não são algo que me deixe tremendamente empolgado. Parece cada vez mais apenas a "torcida organizada" do outro lado, apenas com sorte de torcer para o time menos ruim. Mas os bordões como "não temos corrupto de estimação" não convencem.

Essa campanha de marketing dos "caras "novas"" é particularmente decepcionante.



Infelizmente, dos movimentos políticos populares, ou mais ou menos populares, ainda devem ser o melhor. Torço para serem razoavelmente melhores do que a torcida bolsonarete, os olavetes e etc. Mas rolam umas trocas de olhares. Talvez pegação em algum lugar mais escondido.

Offline Gauss

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.231
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #10 Online: 10 de Novembro de 2016, 14:58:06 »
Simpatizo com algumas pautas do MBL e de algumas pessoas que já fizeram ou ainda fazem parte do Movimento. Mas tenho um olhar bem agnóstico em relação a eles.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.221
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #11 Online: 10 de Novembro de 2016, 15:17:21 »
Simpatizo com algumas pautas do MBL e de algumas pessoas que já fizeram ou ainda fazem parte do Movimento. Mas tenho um olhar bem agnóstico em relação a eles.

Seria um olhar extremamente neutro?
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Gauss

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.231
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #12 Online: 10 de Novembro de 2016, 15:26:31 »
Simpatizo com algumas pautas do MBL e de algumas pessoas que já fizeram ou ainda fazem parte do Movimento. Mas tenho um olhar bem agnóstico em relação a eles.

Seria um olhar extremamente neutro?

No sentido de eles correrem o risco de se corromper e manchar-se de corrupção um dia? Sim. Não ponho minha mão no fogo. Por enquanto, ainda vejo com bons olhos o movimento deles, e considero importante eles colocarem em prática suas pautas.

Também acho bom eles entrarem na política e tentarem mudar os partidos.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.221
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #13 Online: 10 de Novembro de 2016, 18:58:09 »
Acho que não entendeu a piada.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Online JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.150
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #14 Online: 11 de Novembro de 2016, 08:34:52 »
Aqui tem a visão de uma pessoa  que podemos classificar como sendo de uma esquerda  radical  (e ligado a um partido que é considerado como sendo esquerda radical).



MBL, os grupos de direita neoliberais e as ocupações


08/11/2016 2841


Share on Facebook Tweet on Twitter 


Lideranças do MBL se reúnem com o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha


Em várias universidades, grupos de direita neoliberais e governistas apareceram para tentar lutar contra as ocupações e as greves. No Paraná, o MBL (Movimento Brasil Livre) chegou a convocar um contra-ato no último dia 4 mesmo após a assembleia estudantil decretar a ocupação da universidade. O MBL também é responsável por organizar atos e manifestações exigindo o cumprimento da reintegração de posse das centenas de escolas ocupadas no mesmo estado. Várias “visitas” do MBL terminaram em agressões físicas e intimidações por parte de seus membros.


Na UFRJ, durante a assembleia que definiu a ocupação, iniciou-se uma pancadaria durante a fala da UFRJ-Livre, depois do protesto feito por um estudante contra a posição deste grupo em relação a morte do estudante Diego, vítima de LGBTobia. Na UERJ, numa plenária estudantil que visava organizar a luta, integrantes de um grupo de direita foram lá para causar confusão.


No primeiro semestre, assistimos também no Rio de Janeiro um movimento de desocupação das escolas ocupadas que foi instrumentalizado e apoiado diretamente pelo governo do estado através de seus perfis nas redes sociais. Enfim, há relatos por todos o país, de grupos governistas neoliberais de direita que vem tentando enfrentar a mobilização dos estudantes. Mas a luta segue firme enfrentando não só tais grupos, mas também a repressão da polícia e dos governos.


Grupos como o MBL defendem a PEC 241 e outras medidas do governo Temer, como a reforma da Previdência. Apoiam ainda Rodrigo Maia (DEM) e Eduardo Cunha (PMDB), e tudo que há de pior na política brasileira. São grupos que se dizem liberais e que se colocam como tarefa enfrentar o comunismo. Defendem o capitalismo e o imperialismo. Tem um programa em defesa dos setores mais ricos da população.


A polarização social e política que toma conta do país vem se expressando também no movimento estudantil. Em todos os momentos de crise e acirramento da luta de classes, os pólos em luta se fortalecem. E hoje, ao mesmo tempo em que assistimos o maior levante estudantil em décadas, somos obrigados a nos deparar com as cenas lamentáveis desses defensores do governo.


A luta dos estudantes é mais forte do que as provocações desses grupelhos. Não podemos permitir que ações desses grupos de agressões físicas e intimidações com a intenção de derrotar as lutas e destruir o movimento, sejam aceitos. Por isso é tão importante a luta implacável desde já contra tais grupelhos neoliberais, reacionários e conservadores que atuam como cachorrinhos do governo Temer e demais governos estaduais. Fora a direita e os governistas do movimento estudantil!

escolanossa



Uma resposta às acusações do MBL!


Esses grupos acusam as mobilizações de serem partidárias, hegemonizadas pelo PT e ter fins políticos. As mobilizações são fruto da indignação de toda uma geração de jovens que está vendo a educação e seus direitos serem destruídos. Tanto não é hegemonizada pelo PT que a mobilização dos estudantes não começou hoje. Durante o governo Dilma, e inclusive Lula, o movimento estudantil não parou de lutar. Assim como em junho de 2013, a luta foi contra os governos municipais, estaduais e também o governo de Dilma. Os estudantes hoje não se veem representados pelo PT, principalmente porque sabem que o PT governou para os ricos e poderosos.


As ocupações não são partidárias, já que não são controladas por um partido. Os militantes dos partidos têm sim o direito de participar das lutas. Mas qualquer tentativa de burocratizar ou controlar a luta é logo rechaçada pelos estudantes. Nas ocupações estamos vendo uma aula de democracia de base, com assembleias democráticas controlando toda a vida das ocupações. E apoiamos todas as iniciativas dos estudantes para combater e rechaçar os métodos burocráticos e pelegos do PT e PCdoB. Estes inclusive já foram expulsos de várias ocupações pelos próprios estudantes por conta disso isso.


Sobre a acusação de que as ocupações têm fins políticos só podemos rir. Afinal, todo movimento reivindicatório tem fins políticos. O MBL e demais grupos deste tipo tem fins políticos. Hoje no Brasil só se discute política. Então para a direita, o MEC e o governo, só os ricos e poderosos tem direito de fazer política. Aos trabalhadores e estudantes, eles querem reduzir nossa atuação política a apenas votar de 2 em 2 anos. Quando nos levantamos em luta e questionamos seus planos políticos, somos acusados de “fazer política”.


Fazer política para nós não é votar de 2 em 2 anos, afinal as eleições não resolvem nossos problemas. O que os estudantes estão fazendo nas ocupações é demonstrar que, com luta, é possível derrotar os projetos do governo que atacam a educação e os trabalhadores. Que é possível outro caminho para o país sair da crise, com os ricos pagando por ela. Mas o mais importante é que demonstram a falência desse regime político e desse sistema capitalista que condena os trabalhadores e jovens a uma vida miserável.


A burguesia teme as ocupações porque sabe que a luta pode se alastrar e, assim como os estudantes questionam quem controla as escolas e as universidades, os trabalhadores podem questionar quem controla as fábricas e o país. Se a partir daí os trabalhadores, com o apoio dos estudantes, resolverem controlar o país e tomar o governo em suas mãos, a burguesia veria seus interesses reduzidos a pó.


Por Júlio Anselmo, da Juventude do PSTU



http://www.pstu.org.br/mbl-os-grupos-de-direita-neoliberais-e-as-ocupacoes/




« Última modificação: 11 de Novembro de 2016, 09:02:52 por JJ »

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.538
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #15 Online: 11 de Novembro de 2016, 09:35:31 »

MBL, os grupos de direita neoliberais e as ocupações
08/11/2016 2841

Lideranças do MBL se reúnem com o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha


O artigo acima, da página do PSTU (logo quem!), abre com a foto de parlamentares e membros do MBL na ocasição da entrega do pedido de impeachment a Eduardo Cunha.
As esquerdas tentam aproveitar essa foto como uma aliança ou apoio que o MBL fez com Cunha.
Mas é só desonestidade mesmo, não se preocupem. :)

A foto foi em 27 de maio, logo após a marcha de São Paulo a Brasília, a pé, debaixo de chuva e sem dinheiro ou conforto que tinham os sindicalistas e peões do MST quando se movimentam, para protocolar o pedido de impeachment.
A mesma marcha em que os defensores da Rainha da Mandioca diziam que os membros do MBL eram palhaços, um bando de malucos, e que o impeachment não ia dar em nada mesmo.
O pedido de impeachment precisava ser protocolado com Eduardo Cunha, simplesmente porque ele era o único presidente da Câmara, e o trâmite do processo exigia isso.
Se Lula fosse o presidente da Câmara, o MBL teria ido, do mesmo jeito, bater na porta de Lula para protocolar o pedido de impeachment.
Se Batman fosse o presidente da Câmara, o MBL teria ido, também, bater na porta de Batman para protocolar o pedido de impeachment.
Porque é uma prerrogativa única e exclusiva do presidente da Câmara.
Não tinha, nem tem, como protocolar um pedido de impeachment com outra entidade no mundo dos vivos que não tivesse sido com Eduardo Cunha.

Nunca em momento algum o MBL gritava "somos todos milhões de Cunha" ou "Cunha, herói do povo brasileiro".
Existe sempre o desafio no movimento para que alguém traga uma prova, um vídeo, uma declaração, uma entrevista de algum membro defendendo Cunha.
Ou que apareça uma (unidade, 1, one) declaração de "ficaremos com Cunha até o final" (como sempre fazem com Lula).

A hipocrisia é da base petista do antigo e finado governo de que NUNCA (never, em tempo algum, jamé) reclamou de Eduardo Cunha quando ele era aliado.
Em 2010, Eduardo Cunha ia de igreja em igreja, levando DuChefe pelo braço, dizendo que ela era uma pessoa de Deus, que era contra as drogas, que era contra o aborto, que não era ateia, só pra engabelar os votos dos fiéis.
Mesmo na eleição de 2014, com Petrolão rolando, com Cunha apoiando a reeleição, a petezada em peso: "é isso aí, Cunha, tamo junto".
Nunca teve problema com Cunha quando ele era aliado.
PT sempre tem seus bandidos de estimação.

Quando Cunha estava sob fogo cerrado no Conselho de Ética, NUNCA o MBL saiu em sua defesa ou fez campanha para que ele fosse inocentado.
Pelo contrário, a página do movimento pedia sua cassação.


Vamos a mais mentiras do texto:


Em várias universidades, grupos de direita neoliberais e governistas apareceram para tentar lutar contra as ocupações e as greves. No Paraná, o MBL (Movimento Brasil Livre) chegou a convocar um contra-ato no último dia 4 mesmo após a assembleia estudantil decretar a ocupação da universidade. O MBL também é responsável por organizar atos e manifestações exigindo o cumprimento da reintegração de posse das centenas de escolas ocupadas no mesmo estado. Várias “visitas” do MBL terminaram em agressões físicas e intimidações por parte de seus membros.


Realmente, houve muita violência e agressão.
Mas fica aqui outro desafio:
Apresentem qualquer vídeo ou áudio, alguma prova de que os membros do MBL usaram alguma vez de violência contra os invasores.
Uma só prova, umazinha.

O que se viu foi justamente o contrário.
São dezenas de vídeos em que os membros são agredidos fisicamente, perseguidos e linchados.
Os coordenadores do movimento sempre alertam de que se algum membro, alguma vez, usar de violência contra os invasores, esse membro será denunciado e entregue à Polícia pela própria coordenação do movimento. O MBL sempre pregou a resistência pacífica, desde lá do acampamento do gramado do Congresso Nacional, que foi vítima de peões do MST, que apanhou calado e resistiu sem revidar agressões. Quando eu até comparei com a Resistência Pacífica de Ghandi, frente aos ingleses.

Mas esse pessoal do PSTU e derivados são especialistas na mentira. Normal.


Esses grupos acusam as mobilizações de serem partidárias, hegemonizadas pelo PT e ter fins políticos. As mobilizações são fruto da indignação de toda uma geração de jovens que está vendo a educação e seus direitos serem destruídos. Tanto não é hegemonizada pelo PT que a mobilização dos estudantes não começou hoje. Durante o governo Dilma, e inclusive Lula, o movimento estudantil não parou de lutar. Assim como em junho de 2013, a luta foi contra os governos municipais, estaduais e também o governo de Dilma. Os estudantes hoje não se veem representados pelo PT, principalmente porque sabem que o PT governou para os ricos e poderosos.


Será que não são partidárias essas invasões?
O estudante que participa dessas invasões nem sabem o que é a PEC, nem leram a proposta de Reforma do Ensino Fundamental, nem sabem o que defendem.
O PT, que tomou uma surra de urna, está agora usando menores de idade como bucha de canhão, como escudo humano para trazer caos e confusão ao país, apostando na estratégia do quanto pior melhor. São sindicalistas e políticos petistas que têm trânsito livre para entrar nas escolas invadidas. Vão lá para doutrinar e reforçar o cabresto dos infantes, usados como buchas.

Hoje de manhã, fecharam vários pontos de São Paulo, queimando pneus e interditando vias urbanas de alto fluxo.
O que eles querem é confusão, o que eles querem é baderna, o que eles querem é prejudicar e infernizar o cidadão.

Perderam muitas boquinhas e tetas.
Mas, no fim, é muito divertido ver adultos em birra de criança, esperneando, se torcendo de raiva porque não têm mais o que tinham, que era a botija de impostos e o poder do governo.

   

Restou uma triste realidade para os petebas e associados: chorem e esperneiem. Com isso, trazem um pouco de diversão para quem assiste.

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.538
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #16 Online: 11 de Novembro de 2016, 09:42:27 »
Adendo: apesar das citações acima darem JJ como autor, na verdade são excertos do artigo do PSTU. A crítica vai para a página do PSTU e não para o nosso querido JJ. :)

Que ele, na próxima, faça citações apropriadas dentro de seu texto para evitar essa confusão.
 :ok:

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.221
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #17 Online: 11 de Novembro de 2016, 10:00:21 »
Eu acho que deveria ser uma obrigação de qualquer cidadão exigir a definição desses termos caricatos aplicados pela extrema esquerda.

O PSTU chamou o MBL de neoliberal, então defina "neoliberal".

Chamou de fascista, defina "fascista".

Em poucos meses a gente destroi esses caras.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Gauss

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.231
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #18 Online: 11 de Novembro de 2016, 10:06:19 »
Esse texto do PSTU é muito caricato da esquerda. Que show de desonestidade.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Online JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.150
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #19 Online: 11 de Novembro de 2016, 10:29:17 »
Adendo: apesar das citações acima darem JJ como autor, na verdade são excertos do artigo do PSTU. A crítica vai para a página do PSTU e não para o nosso querido JJ. :)

Que ele, na próxima, faça citações apropriadas dentro de seu texto para evitar essa confusão.
 :ok:


Valeu aí pelo adendo,  :ok:    pois quem lesse com pressa o quote  poderia pensar que é eu que teria escrito.   :umm:



 

Online JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.150
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #20 Online: 11 de Novembro de 2016, 10:40:02 »
Eu acho que deveria ser uma obrigação de qualquer cidadão exigir a definição desses termos caricatos aplicados pela extrema esquerda.

O PSTU chamou o MBL de neoliberal, então defina "neoliberal".



Só com que com relação a  esta classificação,  pode até ser que esteja correta.  O problema que eu vejo aqui é que , em geral,  no Brasil,  o sentido (ou entendimento)   da palavra  "neoliberal"  está  associado já logo de cara com coisas negativas. 


Penso que uma das tarefas dos liberais ou neoliberais é justamente a de  mudar esse entendimento (mais comum)  e associação negativas à palavra "neoliberal", "neoliberalismo", liberalismo, liberal, etc.  Mostrar que liberalismo ou neoliberalismo não é necessariamente algo ruim.   De modo que quando chamarem alguém de liberal ou neoliberal isso não seja mais visto como uma coisa que denigre. 





 

« Última modificação: 11 de Novembro de 2016, 10:43:35 por JJ »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.435
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #21 Online: 11 de Novembro de 2016, 11:23:07 »
A esquerda tapada praticamente está fazendo isso por conta própria.

Na verdade, se alguém bem historicamente ignorante é apresentado aos fatos atuais e aos esses discursos-bordões de esquerda, vai acabar tendo a impressão de que "fascista" é algo muito bom também.

Online JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.150
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #22 Online: 11 de Novembro de 2016, 11:28:59 »


Talvez  os liberais e/ou neoliberais devesse fazer uma campanha com os dizeres:


   
                              "Neoliberal, SIM,   e com orgulho"   

 :P





 

Online JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.150
  • Sexo: Masculino
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #23 Online: 11 de Novembro de 2016, 11:33:38 »

Ou


                                          "Neoliberal ?   Hong Kong é " 


Só não sei se o povo iria entender...


 :(




Offline Gauss

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.231
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Resposta #24 Online: 11 de Novembro de 2016, 11:34:37 »

Ou


                                          "Neoliberal ?   Hong Kong é " 


Só não sei se o povo iria entender...


 :(

Melhor:

"Neoliberal? A Nova Zelândia é..."
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!