Autor Tópico: VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!  (Lida 4137 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #25 Online: 11 de Agosto de 2017, 23:15:33 »
Criso, desencana. Ninguem vê as coisas como essas pessoas acreditam que estão vendo. Você é tão normal quanto qualquer de nós.
O Excepcional aqui é só o Alienígena. Memória espacial e fotográfica invejáveis.  :hihi:
Pior que não, frater! Existe sim essa habilidade, e pode ser desenvolvida e utilizada de forma ativa e controlada!
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.028
  • Sexo: Masculino
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #26 Online: 11 de Agosto de 2017, 23:20:25 »
Buck, uma pessoa pode criar imagens,digamos, de um rosto, e não saber desenhá-lo.
Aliás, principalmente de um rosto porque é uma das transcrições gráficas que exige o maior nível de nuances para distinguir um rosto de outro. Semente artistas ou pessoas com treinamento.

Não faz sentido o que diz.

Se alguém consegue fechar os olhos e "ver" um rosto tão realista quanto um diante de seus olhos abertos, não tem como não conseguir tracejá-lo, de olhos fechados, tal como qualquer um faria sobre uma foto, sem qualquer problema. Nunca precisa ter desenhado, só precisa saber usar uma caneta e passar por cima do que vê.

Se acha que um rosto seria complicado demais, o que na verdade não é desculpa como não seria com uam foto, OK, pode então ser um desenho do Mickey. A pessoa "não-afantasiosa" olharia para ele por alguns instantes, e então fecharia os olhos, e continuaria o visualizando, como se fosse um "screen capture" da própria visão. E então, por propriocepção, poderia desenhar por cima do que supostamente vê.

Mas acho que ninguém é capaz de fazer isso, e portanto o que chamam de visualização, imaginação, está muito longe de ser tão "rico", de ter todas as propriedades descritas, como se fosse de fato essa "alucinação voluntária", sendo incomparavelmente mais "ralo".

Deve ser mais próximo, como cogitei antes, de "memórias falsas". Ou talvez da própria ilusão constante de termos uma visão acurada em todo campo visual, quando na verdade, na maior parte do campo visual, somos "legalmente cegos", ilusão essa que é algo mais "instantâneo", no presente.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.028
  • Sexo: Masculino
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #27 Online: 12 de Agosto de 2017, 00:01:05 »
Citação de: Buckaroo Banzai
Se coisas como sonhos lúcidos e hipnose que causa alucinações são reais, talvez algumas pessoas possam ter "sonhos lúcidos acordadas", ou ter auto-alucinações hipnóticas.
Perfeito, Buckaroo. Todos nós sonhamos, logo, temos essa capacidade natural de produzir imagens vívidas... o que algumas pessoas são capazes de fazer (e, nisso, se diferem da maioria) é se transportar para seu próprio campo imaginário e sobrepor o sentido psíquico ao sentido físico. Apesar da habilidade parecer excepcional, ela é citada em muitos livros de proeminentes ocultistas como Bardon, Blavatsky, Atkinson, etc. A habilidade em si existe, nos resta descobrir como acessá-la!

Relatar qualquer um relata, provar são outros quinhentos.

Não dá para só acreditar que quem disse ter essa faculdade, de fato tinha.

Senão, existe tudo. Jesus voltou dos mortos e etc e tal. Se alguém escreveu, é verdade.


Palpito que provavelmente não é o que ocorre nem com pessoas com memória extraordinária, como aquele garoto autista que consegue desenhar detalhadamente prédios da cidade após sobrevoá-la. Os detalhes são "nominalmente" ou "descritivamente" corretos (como número de janelas), mas o desenho não é como uma reprodução "fotográfica" ou um desenho que alguém faz por observação, tem distorções diversas.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.028
  • Sexo: Masculino
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #28 Online: 12 de Agosto de 2017, 00:08:00 »
Eu sempre ouço coisas como "imagine o som de uma buzina de carro, ou a sensação do fogo da lareira aquecendo sua pele."

Segundo a Wikipédia, "Imaginação é uma capacidade mental que permite a representação de objetos segundo aquelas qualidades dos mesmos que são dadas à mente através dos sentidos" (https://pt.wikipedia.org/wiki/Imaginação). Ou seja, sons e sensações cinestésicas incluídos.

Mas reconheço que "imaginar" possa ter origem em "imagem" e seu sentido esteja mais ligado a construção de pensamentos no sentido visual. Mas que outra palavra você usaria quando quisesse que uma pessoa construísse mentalmente um som ou sensação de tato, olfato ou paladar?

Reconheço que talvez haja um uso mais abrangente, estava só alertando para o problema de definições vagas e díspares que devem praguejar esses temas.

(Existe mesmo o uso de termos como "imagem olfativa": https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17283935 )

Acho que uma descrição técnica talvez pudesse ser "alucinação deliberada/voluntária" (implicitamente sem uso de alucinógenos, talvez explicitado por "espontânea", "natural", "não-medicamentosa"), ou "mentalização sensorial" em vez de "alucinação".

Alucinações que poderiam ser então sonoras, táteis, olfativas, etc.


"Mentalização" tem outros significados técnicos bem diferentes desse, alucinação parece melhor.






Possivelmente relacionado ao tema:


Citar
https://en.wikipedia.org/wiki/Hypnagogia

Hypnagogia is the experience of the transitional state from wakefulness to sleep: the hypnagogic state of consciousness, during the onset of sleep. Mental phenomena that occur during this "threshold consciousness" phase include lucid thought, lucid dreaming, hallucinations, and sleep paralysis.




http://www.iep.utm.edu/imagery

https://plato.stanford.edu/entries/mental-imagery/

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.782
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #29 Online: 12 de Agosto de 2017, 00:58:11 »

O Excepcional aqui é só o Alienígena. Memória espacial e fotográfica invejáveis.  :hihi:

Se pareceu excepcional foi só impressão. Tudo que tenho são muitas e muitas horas de treino, gosto de desenhar acho que desde que aprendi a segurar um lápis. Posso passar dias inteiros desenhando, sem mal sentir nem fome. Com frequência, quando posso, faço isso. Mas tenho uma péssima memória fotográfica ou assim me parece. Não consigo sequer visualizar direito rostos familiares. Comecei copiando desenhos de rostos, centenas deles, só depois de muito treino consegui reproduzir parte dessas cópias sem ter que olhar, um olho, um nariz, uma boca, isoladamente. A partir daí foi só combinar partes diferentes dessas cópias aprendidas. Sequer faço um esboço mental, apenas vou desenhando, um olho, depois o outro, sobrancelhas, nariz, boca, formato do rosto, cabelos, sem saber por antecedência que resultado vai dar. Copiar rostos, primeiro a partir de fotos, depois olhando para a pessoa, só bem mais tarde, por volta dos trinta anos foi que arrisquei, por causa da minha filha. Ela vivia pedindo para eu desenhá-la. Devo der consumido uma floresta inteira até conseguir fazer uma cópia fiel do seu rosto, nas proporções certas. Daí para frente foi treino. Hoje consigo fazer retratos de pessoas com relativa facilidade. Nem sempre sai muito fiel, mas quase sempre fica bem parecido. Por causa desse treino de uma vida inteira desenvolvi uma boa visão espacial e tridimensional, o que, por sua vez, permitiu que eu tivesse facilidade de projetar coisas ou assim acredito.

Ao mesmo tempo me identifiquei com o que escreveu o Wowbagger na página anterior - acho impossível descrever um rosto qualquer, sobretudo de um desconhecido, visto apenas uma vez, para alguém fazer um retrato falado. Já o oposto, fazer um retrato falado, dependendo de uma capacidade extraordinária de descrição, talvez até conseguisse, mas não tenho muita convicção disso.

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.782
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #30 Online: 12 de Agosto de 2017, 01:08:01 »
Palpito que provavelmente não é o que ocorre nem com pessoas com memória extraordinária, como aquele garoto autista que consegue desenhar detalhadamente prédios da cidade após sobrevoá-la. Os detalhes são "nominalmente" ou "descritivamente" corretos (como número de janelas), mas o desenho não é como uma reprodução "fotográfica" ou um desenho que alguém faz por observação, tem distorções diversas.

Você está muito exigente! Para mim qualquer tipo de visualização que se assemelhe a uma imagem real vista, mesmo que vaga, distorcida, como nos sonhos, já parece impossível. Eu mal consigo compreender como é que eu sei que vejo imagens em sonhos. Estou até em dúvida se vejo mesmo ou apenas imagino que vejo.

Meu cérebro está derretendo com esse tópico...  :stunned:  passei o dia todo numa agitação mental, sem conseguir concentrar em nada, tentando imaginar o que significa vizualizar...   :chorao:

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.028
  • Sexo: Masculino
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #31 Online: 12 de Agosto de 2017, 08:49:41 »
Não estou sendo "exigente", apenas declarando o FATO de que as pessoas usam "visualização" e "imaginação" de maneira bem menos literal, não são normalmente, talvez nem excepcionalmente, alucinações voluntárias controladas.

O mesmo vale para memórias de rostos e coisas assim. As pessoas normalmente não tem "memória fotográfica" do rosto nem nada, como se pudessem "acessar" todos os detalhes, tal como se vissem uma foto.

É justamente por isso que a polícia (ao menos em países desenvolvidos e mais cientificamente inclinados) está abandonando retratos falados normais e usando sistemas que geram variações aleatórias de rostos apenas grossamente montados a partir de uma descrição mais geral (magro, narigudo, cabelo curto) a que as pessoas tem que clicar numa reação de frações de segundo, alimentando o sistema para criar a próxima "geração" de retratos falados até que se tenha algo que faz a pessoa realmente "reconhecer" a pessoa, algo que ela mesma não conseguiria reproduzir a partir de descrições acessando conscientemente a memória.

<a href="https://www.youtube.com/v/h81SuD2pltM" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/h81SuD2pltM</a>

Não achei notícia falando sobre a metodologia similar de reação instantânea para reconhecimento, mas esse também já vai nessa linha de que a memória não é bem o que as pessoas descrevem.



<a href="https://www.youtube.com/v/PB2OegI6wvI" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/PB2OegI6wvI</a>



Citar
http://www.iep.utm.edu/imagery/#SH1c

Finally, Dennett (1969) presents two examples that seem to cause trouble for pictorialism and provide support for descriptionalism. The first example involves a striped tiger. (See also Armstrong 1968 for a related example involving a speckled hen.) Form a mental image of a tiger and then try to answer the following question: How many stripes does that tiger have? Invariably, the question cannot be answered; the mental images that we form typically do not contain that information. However, just as all tigers have a definite number of stripes, so too do all pictures of tigers. Thus, if mental images were pictorial, a mental image of a tiger should reveal a definite number of stripes. More formally, the objection to pictorialism that the striped tiger example poses can be stated as follows:

Mental images can be indeterminate with respect to visual properties (e.g., the number of stripes on a tiger).
Pictorial representations cannot be indeterminate with respect to visual properties.
So, mental images are not pictorial representations.


Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.070
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #32 Online: 12 de Agosto de 2017, 11:51:15 »
Penso como o Buck, não tem como a gente (sem nenhum recurso mais avançado) saber se essas pessoas que dizem conseguir criar imagens mentais tão nítidas quanto a realidade estão dizendo a verdade, elas podem estar enganadas ou simplesmente mentindo. Nos casos de afantasia documentados, as pessoas tiveram o cérebro analisado, nos casos aqui contados, temos apenas evidência anedótica.
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #33 Online: 12 de Agosto de 2017, 12:22:13 »
Penso como o Buck, não tem como a gente (sem nenhum recurso mais avançado) saber se essas pessoas que dizem conseguir criar imagens mentais tão nítidas quanto a realidade estão dizendo a verdade, elas podem estar enganadas ou simplesmente mentindo. Nos casos de afantasia documentados, as pessoas tiveram o cérebro analisado, nos casos aqui contados, temos apenas evidência anedótica.
Skeptikós, não estão mentindo. Se você tem experiências oníricas, ou pelo menos lembra de seus sonhos, então sabe que temos todos essa habilidade natural latente de invocar imagens mentais nítidas. O que tenho me perguntado é - o que diferencia o estado de vigília destes outros estados em que isso é possível? Como alternar livremente e voluntariamente entre esses estados alterados de consciência? Pelo que me parece, a chave deve estar na capacidade de colocar a si próprio em transe hipnótico. Será possível entrar e sair de um estado desses por meio da Vontade?
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.070
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #34 Online: 12 de Agosto de 2017, 21:33:02 »
Existe algo chamado auto-hipnose, mas é preciso método, força de vontade somente seria difícil de imaginar (Para a quantidade de pessoas do seu circulo social que você deu como exemplo de que seriam capazes deste feito).

Você citou o caso de seu pai, aquilo que ele fazia, fechando os olhos e imaginando coisas para facilitar sua compreensão de fenômenos físicos e as experiências mentais (de imaginação) dos seus colegas membros da Rosa Cruz como exemplos disso, só que isso a maioria das pessoas fazem. No entanto a imagem que criamos em nossa mente quando realizamos experiências mentais como essas é distinta daquilo que nossos sentidos nos mostram diretamente. Você usou essas pessoas inicialmente como evidência desta tal visualização nítida como a realidade, mas o que essas pessoas fazem (provavelmente) está longe disso. E pelo que me lembro, você afirmou não conseguir fazer nem mesmo isso (imaginar como os seus colegas da Rosa Cruz faziam ou entender o motivo de seu pai fechar os olhos para imaginar coisas). Por isso acho que ou você está confundindo a narrativa dessas pessoas sobre essas experiências de imaginação ou elas estão mentindo ou exagerando sobre elas para você.

Você pelo jeito não consegue imaginar um copo de leite sobre a mesa, ou imaginar-se num campo aberto, gramado, com o céu claro, e modificar essa experiência da maneira que desejar. Eu consigo, mas o copo sobre a mesa que imagino não é tão nítido quanto as coisas reais ao redor dele, e a imagem que faço de mim mesmo num campo não se parece real como se eu estivesse mesmo lá. Sei que em um transe hipnótico ou em uma alucinação a realidade se confunde com a imaginação, mas estes fenômenos não são tão comuns como você fez parecer (A maioria das pessoas não conseguem deliberadamente se colocarem em transe ou alucinarem).

Agora me responda, você consegue imaginar um copo sobre a mesa mais próxima de você? Você consegue imaginar-se num campo aberto e gramado, com o céu claro e azul, e enquanto faz isso, consegue andar pelo local e modificar o ambiente ao seu redor?
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
PODER DA VISUALIZAÇÃO?
« Resposta #35 Online: 12 de Agosto de 2017, 22:02:19 »
Skeptikós, para você ter noção este tipo de pergunta me soa um nível de abstração tão grande que fico até confuso sobre o que você quer dizer com "conseguir imaginar". Pedi para minha namorada me mostrar, com algum exemplo, como filme, a maneira como essas visualizações ocorrem para ela. Ela me mostrou um desenho animado chamado Juanito Jones, de um menino com imaginação muito fértil, e disse que costumava assistir este desenho quando criança. No desenho, quando o garoto imagina algo, o ambiente ao redor se transforma conforme sua imaginação! Ela disse que quando viu o desenho, muito pequena, aquilo incentivou ela a tentar visualizar suas imaginações, coisa que começou a fazer naturalmente desde a mais tenra idade e aos poucos foi adquirindo maior controle, e que sempre lhe veio como algo natural. Sobre sua pergunta do copo, acho que eu diria sim para "consigo imaginar", mas diria não sobre "conseguir visualizar". Eu consigo imaginar, no sentido de que consigo pensar sobre como seria a possibilidade de ter um copo ali, mas nada muda em minha visão, nem nítido nem apagado. Consigo lembrar da forma de um copo, afinal já vi um, mas não consigo fazer com que apareça na minha frente por meio da imaginação. Nem de olhos abertos, nem de olhos fechados. Se eu fechar olhos, é simplesmente escuridão total. Eu consigo "pensar sobre" um copo (imaginação, correto?) mas isso não faz com que um copo apareça meio à escuridão de meus olhos fechados, e é exatamente esta a experiência destes meus conhecidos capazes de visualizar. Eles conseguem trazer imagens mentais diante de si, especialmente com os olhos fechados, transportando sua imaginação para sua visão. Estou convencido da realidade deste fenômeno e pesquisando bastante sobre métodos práticos para adquirir esta habilidade.
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.070
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #36 Online: 12 de Agosto de 2017, 22:35:23 »
Talvez você sofra deste fenômeno de afantasia afinal. Você pode saber de que material é feito e que formato e cor um copo tem (ele é feito de vidro, sua forma é cilíndrica e sua cor é âmbar) mas não consegue visualizar este copo na sua mente (Você acha que poderia criar um novo modelo de copo, e ter uma imagem na mente de como este copo seria depois de acabado (e não digo uma descrição conceitual do copo, mas uma imagem de fato, de como seria este copo) antes mesmo de você começar o projeto? Se não, você pode ter essa tal de afantasia mesmo).

Quando as pessoas (em geral) dizem que podem imaginar as coisas, a maioria delas não cria imagens tão nítidas quanto a realidade (a gente não imagina de forma tão nítida como é mostrada em filmes e desenhos animados, e talvez pelo fato das pessoas estarem dando a você exemplos assim é que causou essa confusão de que elas conseguiam imaginar objetos tão nítidos quanto a realidade), um copo imaginado não é tão nítido quanto um copo real (a não ser que você esteja alucinando ou coisa parecida).

Mas ainda estou em dúvida sobre isso:

Estou curioso, quando você pensa em experiências do passado você não experimenta nenhuma imagem mental? Você não consegue visualizar o rosto de seu pai, por exemplo?
Experimento minha memória, mas não uma imaginação vívida que surge diante de meus olhos!
Quando você pensa no rosto do seu pai não lhe vem a imagem do rosto dele a sua mente? só ideias? Tipo, o nariz é grande e os olhos claros (é só um exemplo), mas você pensa nisso sem ter uma imagem do nariz e olhos dele na sua mente?

Em um dos artigos que postei lá atrás diziam isso, as pessoas conseguiam dizer qual era a cor dos olhos de alguém conhecido, mas sem ver os olhos dessa pessoa conhecida na sua mente. O cérebro e a mente delas davam um jeito distinto de tornar essa informação disponível.

Já eu quando penso nos olhos de alguém, eu os vejo mentalmente. Se me pedirem para dizer por quantos semáforos eu passei antes de chegar ao meu destino, eu teria uma imagem de cada um destes semáforos na mente para me auxiliar a dar essa resposta (pessoas com afantasia pelo jeito fazem isso de outra forma).
« Última modificação: 12 de Agosto de 2017, 22:39:18 por Skeptikós »
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #37 Online: 15 de Agosto de 2017, 00:17:48 »
Galera, me aprofundei mais e acredito que eu possa ter feito uma pequena confusão com os termos e conceitos aqui apresentados. Descobri que o fenômeno excepcional que eu apresentei não se chama exatamente de "visualização", mas "alucinações visuais internas". De qualquer jeito, ele existe e nos últimos dias me dediquei intensivamente a técnicas e métodos para o desbloqueio dessa faculdade e cheguei a obter alguns resultados bem modestos!! Estarei colocando aqui, em breve, o que funcionou para mim. Vou transformar esse tópico aqui em um tutorial para a manifestação de alucinações visuais internas.
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.070
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #38 Online: 15 de Agosto de 2017, 02:32:02 »
Eu pensei que você não conseguisse se quer criar imagens na mente, já que disse não entender seu pai e seus colegas da ordem quando esses diziam estar imaginando. Você por acaso agora consegue imaginar como seu pai e amigos fazem?
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #39 Online: 15 de Agosto de 2017, 20:31:59 »
Eu pensei que você não conseguisse se quer criar imagens na mente, já que disse não entender seu pai e seus colegas da ordem quando esses diziam estar imaginando. Você por acaso agora consegue imaginar como seu pai e amigos fazem?
Acho que está sendo difícil para mim conceituar o que é exatamente uma "imagem mental", mas o que eles fazem é provocar alucinações visuais internas...
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.070
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #40 Online: 15 de Agosto de 2017, 20:39:21 »
Eu ainda acho que você não consegue criar imagens mentais simples como a maioria das pessoas, então eu acredito que será ainda mais difícil conseguir essa tal de alucinação interna (que eu não me lembro de já ter ouvido falar, mas que pelo você descreveu seria mais realista do que uma simples imaginação).
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.782
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #41 Online: 18 de Agosto de 2017, 10:12:29 »
Não estou sendo "exigente", apenas declarando o FATO de que as pessoas usam "visualização" e "imaginação" de maneira bem menos literal, não são normalmente, talvez nem excepcionalmente, alucinações voluntárias controladas.

Não sei. Cérebro é um troço surpreendente. Talvez algumas pessoas tenham uma habilidade natural auto hipinótica de visualizar imagens mentalmente, algo próximo de uma alucinação ou talvez uma capacidade de concentração que torna o que recordam/imaginam mais vívido em suas mentes. Só me parece que se algo parecido for realmente possível não é a regra, como sugere o tópico, mas a exceção.

Ao ler o tópico recordei de relatos que parecem confirmar a capacidade de visualização - o que, como eu disse, sempre interpretei como um erro de interpretação das pessoas. Mas me identifiquei, por exemplo, com os relatos de estranhamento do conselho de contar carneirinhos para pegar no sono. Lembro que quando minha irmã disse isso lá na minha infância perdi o sono de vez tentando encontrar uma forma de fazer aquilo. Ela, inclusive, é dessas pessoas que diz ver um filme passando na sua frente quando fecha os olhos. Tempos atrás, nosso pai já havia falecido, eu estava rabiscando um papel enquanto conversávamos, ela pediu que eu fizesse um desenho do rosto dele. Quando eu disse que não conseguia, ela ficou muito surpresa, com uma expressão meio confusa, desconfiada talvez que eu não quisesse fazer o desenho e estivesse dando uma desculpa. Ainda não tive a oportunidade de encontrá-la, mas algumas pessoas com quem estive conversando sobre o assunto esses dias, reagiram como o criso descreveu, relatando dificuldade de enxergar a escuridão, pedindo um tempo para se concentrarem. O que elas me relataram foi que não visualizam exatamente como nos sonhos, mas algo mais próximo disso do que daquela escuridão que tinham acabado de experimentar, aparentemente, pela primeira vez. Elas, inclusive, não conseguiram experimentar o efeito que produz o negativo das imagens, porque segundo elas, automaticamente começavam a visualizar o que estavam pensando ao fechar os olhos.

Tudo isso me parece estranho (*), porque sempre recordo/imagino as coisas de olhos abertos, as imagens aleatórias que se formam na minha visão me distraem de tal forma que atrapalham a concentração. Mesmo no escuro costumo abrir os olhos para evitar isso. O que só atenua num estado sonolento e então consigo me concentrar de olhos fechados. O que notei foi que quando recordo/imagino as coisas meus sentidos, não só a visão, parecem estar num outro plano, fora de mim. Uma sensação meio que de mergulhar num universo paralelo, como num transe hipinótico suponho, mas sem alucinações visuais, auditivas, olfativas, gustativas ou táteis, o mundo real parece virtual por instantes, enquanto viajo num vazio quântico, parece que tudo que há é uma flutuação de energia. Entro com facilidade nesse estado, mas não consigo me manter nele quando estou prestando atenção nisso, fico "indo e voltando". Noto até uma sensação física, uma leve contração no estômago quando "aterrizo", recobrando a concentração.

(*) e muito estressante. É um alívio poder fechar os olhos e ficar viajando nos traços e pontos que surgem e desaparecem na escuridão, com o pensamento e demais sentidos meio anestesiados. É como esvaziar a cabeça. Ao menos, para mim, funciona como uma faxina mental, aliviando a tensão, aumentando até a disposição física.

No caso do garoto autista, só consigo imaginar duas formas dele reproduzir paisagens urbanas com quase fidelidade e numa proporção tão próxima da realidade (minha maior dificuldade ao desenhar é achar a proporção, tenho que comparar, tipo "a distância entre os olhos é de aproximadamente a de um olho", não consigo fazer o cálculo instintivamente como aparentemente alguns desenhistas fazem): uma memória excepcional, o que me parece mais provável - ele contabilizaria os detalhes, número de prédios, de andares e janelas, calcularia a proporção, posição, sobreposição para depois recordar ou uma capacidade de visualização excepcional, conseguindo reproduzir mentalmente a cena como numa alucinação visual, contabilizando e fazendo os cálculos ali no momento em que desenha. Já li que autistas costumam experimentar sensações físicas de forma intensa como se fossem reais, tipo alucinações sensitivas, auditivas, táteis, mas não sei se também visuais.

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #42 Online: 18 de Agosto de 2017, 12:57:06 »
Me identifico COMPLETAMENTE com o comentário do AlienígenA e penso que ele conseguiu expressar com exatidão a minha intenção com este tópico. Tenho me dedicado a diversos exercícios e métodos que encontrei e comecei a obter alguns RESULTADOS! Vou organizar e compartilhar com todos em breve!!
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Rafael_SG

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 230
  • Sexo: Masculino
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #43 Online: 18 de Agosto de 2017, 17:26:27 »
Para mim visualizar é lembrar de algo ja visto e controlar essas memorias.

Se você é capaz de lembrar de algo, com certeza se fizer um esforço você vai conseguir interagir com a cena.
Quando eu faço isso, a imagem não é perfeitamente claro e as cenas as vezes parecem "cortadas"... como se fossem flashes.

Acho que imaginar algo e interagir com isso, é uma questão de exercicios.

Veja, quando somos crianças nohs temos uma mente ampla em visualização. Imaginamos que somos super-herois e etc... quando eu brincava com um pedaço de papelão, se eu estivesse bem empolgado com a brincadeira, o papelão virava até o homem-aranha !
Eu não sei porque perdemos essa capacidade quando adultos... mas de fato não a perdemos totalmente.
Quem aqui não se imaginou fazendo um teste dificil, participando de um campeonato, ou de como seria a noite com aquela menina que você queria tanto sair...

Pelo menos para mim, muitas e muitas vezes eu visualizei cenas muito muito reais. Soh que elas são reais num sentido abstrato... pois quando imaginamos e visualizamos a cena, mas sabemos se fomos os não capazes de notar detalhes... Apenas sabemos que imaginamos a cena de maneira bem real.


Outra coisa que ajuda na visualização é pegar objetos simples, se concentrar neles, fechar os olhos e imagina-los.
Depois, fazer a mesma coisa, soh que trocando a cor desses objetos.
Depois você imagina esse objeto sobre alguma superficie. Depois ele se mexendo. Depois uma mão o apanhando. Depois sua mão o apanhando....

E você vai aumentando a complexidade do objeto até que este vire uma cena... e você repete os mesmos passos.

É uma ginastica mental no fim das contas !

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.782
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #44 Online: 18 de Agosto de 2017, 18:40:09 »
Para mim visualizar é lembrar de algo ja visto e controlar essas memorias.

Se você é capaz de lembrar de algo, com certeza se fizer um esforço você vai conseguir interagir com a cena.
Quando eu faço isso, a imagem não é perfeitamente claro e as cenas as vezes parecem "cortadas"... como se fossem flashes.

Eu sou capaz de lembrar, controlar e interagir com minhas memórias, mas não há cenas nem flashes, nem sons, nem cheiros, nem sabores. Para dar um exemplo que usei aqui, adoro bacon, eu consigo imaginar fatias de bacon na chapa quente, o som da fritura, o cheiro, o gosto, a textura, mas não ver a cena, escutar o som, sentir o cheiro, o sabor, a textura. Algumas pessoas, quando descrevi essa cena, fecharam os olhos e reagiram como se a estivessem vivenciando. Fizeram comentários como "sinto até o cheiro ou o gosto" e pela expressão e gestos, parece que realmente estavam "sentido". Achei fantástico. Eu não consigo vivenciar minhas memórias. No máximo "mergulhar" nas ideias "desconectando" temporariamente os sentidos - isto é, me distrair, deixar de prestar atenção nos estímulos externos.

E, bem, eu nunca parei de brincar, só mudei a forma, os interesses, os tipos de brincadeiras. Bom, nem todas. Ainda brinco de super herói, por exemplo, o tempo todo, aliás. Tudo para mim vira motivo. Tenho até que controlar meus impulsos, às vezes, com clientes, em situações mais sérias. Como assim perdemos essa capacidade?  :hein:

Offline Spencer

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.409
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #45 Online: 19 de Agosto de 2017, 14:24:53 »
Citação de: Alienígena
Eu sou capaz de lembrar, controlar e interagir com minhas memórias, mas não há cenas nem flashes, nem sons, nem cheiros, nem sabores. Para dar um exemplo que usei aqui, adoro bacon, eu consigo imaginar fatias de bacon na chapa quente, o som da fritura, o cheiro, o gosto, a textura, mas não ver a cena, escutar o som, sentir o cheiro, o sabor, a textura. Algumas pessoas, quando descrevi essa cena, fecharam os olhos e reagiram como se a estivessem vivenciando. Fizeram comentários como "sinto até o cheiro ou o gosto" e pela expressão e gestos, parece que realmente estavam "sentido". Achei fantástico. Eu não consigo vivenciar minhas memórias. No máximo "mergulhar" nas ideias "desconectando" temporariamente os sentidos - isto é, me distrair, deixar de prestar atenção nos estímulos externos. 

Agora fiquei confuso. O que é imaginar, para você?
As imagens que surgem quando imaginamos algo provém da memória, são lembranças às quais damos o sentido que queremos... isto é imaginar.
Se não houver a imagem não consigo interagir.
Então, Alienígena, quando você se lembra de um episódio qualquer, não tem imagens?

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #46 Online: 19 de Agosto de 2017, 19:23:32 »
Para mim visualizar é lembrar de algo ja visto e controlar essas memorias.

Se você é capaz de lembrar de algo, com certeza se fizer um esforço você vai conseguir interagir com a cena.
Quando eu faço isso, a imagem não é perfeitamente claro e as cenas as vezes parecem "cortadas"... como se fossem flashes.

Acho que imaginar algo e interagir com isso, é uma questão de exercicios.

Veja, quando somos crianças nohs temos uma mente ampla em visualização. Imaginamos que somos super-herois e etc... quando eu brincava com um pedaço de papelão, se eu estivesse bem empolgado com a brincadeira, o papelão virava até o homem-aranha !
Eu não sei porque perdemos essa capacidade quando adultos... mas de fato não a perdemos totalmente.
Quem aqui não se imaginou fazendo um teste dificil, participando de um campeonato, ou de como seria a noite com aquela menina que você queria tanto sair...

Pelo menos para mim, muitas e muitas vezes eu visualizei cenas muito muito reais. Soh que elas são reais num sentido abstrato... pois quando imaginamos e visualizamos a cena, mas sabemos se fomos os não capazes de notar detalhes... Apenas sabemos que imaginamos a cena de maneira bem real.


Outra coisa que ajuda na visualização é pegar objetos simples, se concentrar neles, fechar os olhos e imagina-los.
Depois, fazer a mesma coisa, soh que trocando a cor desses objetos.
Depois você imagina esse objeto sobre alguma superficie. Depois ele se mexendo. Depois uma mão o apanhando. Depois sua mão o apanhando....

E você vai aumentando a complexidade do objeto até que este vire uma cena... e você repete os mesmos passos.

É uma ginastica mental no fim das contas !

PELO AMOR DO DEMIURGO

EXPLICA COMO VOCÊ CHEGOU LÁ!!!
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Xabéu

  • Nível 05
  • *
  • Mensagens: 51
  • Sexo: Feminino
  • So young in years probably end in tears
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #47 Online: 19 de Agosto de 2017, 19:27:10 »
O grande mago e pesquisador das ciências ocultas, Marcelo Deldebbio, ensina alguns exercícios de visualização.

http://www.deldebbio.com.br/2010/09/20/exercicio-de-visualizacao/


Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
VISUALIZAÇÃO DO DEMIURGO
« Resposta #48 Online: 19 de Agosto de 2017, 19:27:34 »
Citar
quando eu brincava com um pedaço de papelão, se eu estivesse bem empolgado com a brincadeira, o papelão virava até o homem-aranha
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:VISUALIZAR é possível? COMO? ME AJUDA!!!
« Resposta #49 Online: 20 de Agosto de 2017, 21:32:36 »
Citar
Eu não sei porque perdemos essa capacidade quando adultos... mas de fato não a perdemos totalmente.
como eu vou perder o que nunca tive...  :'( :'( :'(
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!