Autor Tópico: Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo  (Lida 485 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.861
  • Sexo: Masculino
Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Online: 16 de Dezembro de 2017, 20:27:42 »
Se você já ouviu o ditado popular que diz que "De dois erros não se faz um acerto" talvez mude de ideia ao ler este texto.

A página 'Quem a homotransfobia não matou hoje?' teve como razão inicial revelar as manipulações contidas no Relatório Anual de Assassinatos de LGBT do Grupo Gay da Bahia.

Venho mostrando há semanas que tal relatório - divulgado por jornalistas, ativistas e políticos como sendo uma lista de mortes violentas com motivação homofóbica - na verdade trata-se de um apanhado de mortes naturais, acidentes, suicídios, assassinatos onde o autor era homossexual e a vítima heterossexual ou ambos eram homossexuais e mortes com motivação não elucidada misturados a poucos casos de morte com conhecida motivação homofóbica.

Desde o começo da página, entretanto, prometi que iria abordar outros assuntos relacionados ao ativismo de 'minorias'.

Sou contra toda e qualquer lei que trate cidadãos de modo diferenciado com base em raça, sexualidade e sexo.

Infelizmente, inúmeras leis que fazem exatamente isto (determinam o tratamento desigual do Estado aos seus cidadãos com base em raça, sexo e sexualidade) têm surgido na legislação brasileira, devido a uma forte influência da esquerda pós-marxista, sobretudo na figura do pensador frankfurtiano Junger Habermas [Ref. 1], sobre o legislativo e o judiciário.

A Ordem dos Advogados do Brasil acaba de enviar ao congresso um anteprojeto de Estatuto da Diversidade Sexual [Ref. 2].

A proposta é difusa e a sua aprovação alteraria uma série de tópicos do ordenamento jurídico brasileiro, mas um detalhe eu gostaria de trazer à discussão.

Um dos trechos que mais me chamou a atenção na proposta foi o que trata da mudança em todos os documentos das informações sobre sexo (feminino ou masculino):

"Art. 39 - É reconhecido aos transgêneros e intersexuais o direito à retificação do nome e da identidade sexual, independentemente de realização da cirurgia de readequação sexual, apresentação de perícias ou laudos médicos ou psicológicos.

Art. 40 - A alteração do nome e da identidade sexual pode ser requerida diretamente junto ao Cartório do Registro Civil, sem a necessidade de ação judicial ou a representação por advogado, garantida a gratuidade do procedimento.
§ 1º - A alteração será averbada no Livro de Registro Civil de Pessoas Naturais.
§ 2º - Nas certidões não podem constar quaisquer referências à
mudança levada a efeito, a não ser a requerimento da parte ou por determinação judicial.
§ 3º - No caso de crianças e adolescentes, o pedido de retificação deve ser feito pelos pais ou responsáveis, ouvido o Ministério Público.
§ 4º - A falta de consentimento dos pais ou responsáveis pode ser suprimida judicialmente.

Art. 41 - Procedida a alteração registral, é assegurada a retificação em todos os outros registros e documentos, sem qualquer referência à causa da mudança."

Ou seja: a qualquer momento, qualquer pessoa do sexo masculino poderá alterar todos os seus documentos pessoais indicando que pertence ao sexo feminino, tendo o direito de que não haja qualquer menção ao sexo "anterior" da pessoa exceto se a mesma desejar. (Art 40 e 41)

Para isso não será preciso que a pessoa tenha feito cirurgia nem que tenha passado por avaliação psicológica ou psiquiátrica nem que tenha tomado hormônio, nada disso poderá ser exigido. (Art 39)

Não existe qualquer menção explícita à aposentadoria na proposta da OAB, e a questão da aposentadoria de travestis/transexuais ainda é nebulosa, todavia as indicações dadas pela mais recente jurisprudência e pela tendência de tratamento dos órgãos estatais sobre o assunto, bem como diversas avaliações feitas por juristas indica que realmente deverá prevalecer a identidade de gênero para este fim. [Ref 3, 4, 5, 6, 9]

Se o estatuto for aprovado da maneira que foi redigido pelos magníficos juristas da OAB, deverá ser instaurada a mesma situação surreal que já existe quanto ao sistema de cotas raciais (que eu também sou contra, apesar de ser negro).

Primeiro foi inventado um sistema que privilegiaria os negros em função de sua condição racial (seguindo o conceito inóspito de Junger Habermas sobre igualdade, conceito este que rege a cabeça de boa parte dos juristas e legisladores brasileiros e em todo o Ocidente).

Depois aprovou-se um estatuto (o Estatuto da Igualdade Racial) que define que é a própria pessoa quem define sua etnia.
Estava armado o circo. E o que vimos a partir daí?

Pessoas loiras de olhos azuis, com sobrenomes poloneses e alemães, passando mais fácil em vestibulares e concursos por "terem se declarado pardas ou negras" na inscrição [Ref 7, 8].

O sistema de cotas raciais que foi criado para privilegiar cidadãos com base em critérios étnicos (erro #1) acaba sendo corrigido (ou piorado) pelo fato de que raça passou a ser condição auto-definida (erro #2) mostrando que, ao contrário do que diz o ditado, dois erros podem sim fazer um acerto (ou um erro maior ainda).

O mesmo cenário surreal está prestes ser desenhado para a questão de gênero:

Primeiro se criou uma série de privilégios legais para quem nasceu mulher.

Agora está se propondo a aprovação de um estatuto que determina que basta você desejar ser mulher que você será mulher: para todos os efeitos legais, de papel passado, a hora que você quiser, sem precisar comprovar nada nem tomar hormônio nem fazer cirurgia nem apresentar atestado psiquiátrico... e quem discordar pode ser até preso, por crime de ódio.

Tem como um negócio destes dar mais certo?

Responda pra mim nos comentários.

~~ Daniel Reynaldo
_________________________________________
Referências:
1 https://goo.gl/DTRUsc
2 https://goo.gl/kjnv7z
3 https://goo.gl/ARVDAK
4 https://goo.gl/ksZyrs
5 https://goo.gl/DK6wQ3
6 https://goo.gl/LHFwGY
7 https://goo.gl/g7g8gV
8 https://goo.gl/2SpNSr
9 https://goo.gl/c5uYsP


facebook.com/naomatouhoje
« Última modificação: 16 de Dezembro de 2017, 20:29:52 por Donatello »

Offline Brienne of Tarth

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.155
  • Sexo: Feminino
  • Ave, Entropia, morituri te salutant
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #1 Online: 18 de Dezembro de 2017, 12:26:35 »
Primeiro se criou uma série de privilégios legais para quem nasceu mulher.

Donatello,

Concordo com tudo o que você disse aí em cima, mas fiquei curiosa com essa frase, gostaria de saber o que você chama exatamente de "privilégios legais".  :o
GNOSE

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.861
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #2 Online: 20 de Dezembro de 2017, 06:28:09 »
Lei Maria da Penha (estabelece regras diferentes para o processo e penas diferentes para crimes idênticos a depender do sexo da vítima), lei do feminicidio (idem), regras diferentes em programas sociais do Governo (como a regulamentação dada pela Dilma sobre quem fica com a casa em caso de compra familiar de apartamento pelo Minha Casa Minha Vida e posterior separação), vagão feminino (Como diz a moça no serviço de sonorização dos trens cariocas: "Senhores passageiros: o vagão branco é um direito das pessoas de etnia caucasiana, nos dias de semana de 7 às 10 e das 17 às 19 horas o segundo vagão a partir da cabine do maquinista é destinado exclusivamente às pessoas brancas.

Respeitar a lei é respeitar os brancos, respeito é bom e eles merecem")

Offline Muad'Dib

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.118
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #3 Online: 20 de Dezembro de 2017, 11:01:56 »
Essa comparação com vagão para brancos é absurda. Falsa equivalência.

Quanto ao feminicídio, não dá para colocar qualquer caso de mulher assassinada por homens como feminicídio, mas negar que há diversos casos (muitos mesmo, que justificam uma tentativa legal de controlá-los) de mulheres que morrem pelo fato de serem mulheres é absurdo.

Eu já li que, em agressões domésticas, as partes do corpo mais atacadas na mulher são o rosto, seios e vagina. Se isso não é um ataque ao fato de ser mulher, eu não sei o que é.

Não dá para ficar de mimimi na internet contra coisas que são de fato um problema só porque os esquerdinhas idiotas sequestraram o direito de defender as vítimas destes problemas.

Offline Muad'Dib

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.118
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #4 Online: 20 de Dezembro de 2017, 11:16:19 »
Eu não entendo qual é o grande problema de reservar vagões específicos para mulheres nos horários de pico.

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.861
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #5 Online: 20 de Dezembro de 2017, 17:01:49 »
Pergunta retórica (eu tenho quase certeza de que sei o que vai mencionar, mas quero ter certeza). Qual o problema que torna a equivalência falsa?

Que elemento justificaria o vagão feminino que não está presente no caso do vagão de brancos e que torna imprópria a analogia.

Lembre, a pergunta é retórica. Eu estou convencido de que sei qual elemento você irá mencionar.

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.861
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #6 Online: 20 de Dezembro de 2017, 21:21:09 »
A propósito

Citação de: Quem a homotransfobia não matou hoje?
Vou propor um exercício de imaginação.

Coloque-se no lugar de um juiz criminal:

Caso A: Maria descobre que está sendo traída por João com a vizinha, Roberta.

Espera João dormir e esquenta uma panela de óleo fervente. Quando o óleo começa a ficar escuro na panela, de tão quente, ela leva o líquido até o quarto e despeja todo sobre o corpo de João, que sobrevive, mas sofre sequelas estéticas

Caso B: Maria não planeja sozinha a vingança, ela e seu vizinho, Marcelo, descobrem juntos a traição que seus conjugues estão cometendo e decidem que enquanto Maria unta o corpo de João com óleo fervendo, Roberta sofrerá o mesmo tipo de castigo.

Roberta também sobrevive, com sequelas de tipo e extensão semelhantes.

Que penas você decidiria pra cada um dos crimes? Você permitiria que Maria continuasse tendo acesso a seus filhos? E Marcelo?

E se João, arrependido da traição cometida contra Maria, resolvesse perdoá-la da agressão, se decidisse até voltar a se relacionar com ela, passando ambos uma borracha sobre os erros dos dois? E se Roberta, fizesse o mesmo? Você consideraria o perdão dado pelas vítimas como razão para encerrar o caso?

Neste momento você é o juiz. Julgue aplicando o seu melhor senso de justiça.

Talvez, a depender de a quantas anda seu senso de justiça, você não conseguisse dormir bem enquanto estivesse com estes casos nas mãos. Talvez se sentisse angustiado com as limitações da sua profissão.

Isso porque embora o caso A e o caso B sejam idênticos em motivação, danos, circunstâncias, possibilidade de defesa da vítima, atenuantes e agravantes, eles possuem uma pequena grande diferença: o gênero da vítima.

Para algumas pessoas, que seguem um conceito de justiça mais afinado com os ideais da extrema-esquerda progressista (o grande guru deste modelo é o pensador pós-marxista alemão Junger Habermas) mulheres e homens devem ser submetidos a tratamentos diferentes por parte da legislação, assim como negros e brancos, LGBTs e heterossexuais.

Estes seres humanos acreditam que a justiça deve ser feita tendo em mente se o indivíduo julgado pertence a um grupo "oprimido" ou a um grupo "opressor" (não entrarei nos detalhes sobre as motivações que apontam, nem sobre as estratégias que usam para reforçar no imaginário popular estas divisões, faço isso em outros posts).

Para outras pessoas, geralmente mais alinhadas com o pensamento de direita, a justiça seria feita se ambos os agressores recebessem a exata mesma punição: para estas pessoas não deve ser relevante o sexo, a raça, a renda, a sexualidade, o time de futebol, o gosto musical ou o bairro de moradia das pessoas envolvidas, mas sim as circunstâncias objetivas do crime.

Qual foi a motivação? Qual a extensão e gravidade da lesão? A vitima sobreviveu? Ficou com sequelas? Teve alguma chance de se defender?

A Lei Maria da Penha e a Lei do Feminicídio estabelecem normas processuais, penas e restrições diferentes para crimes idênticos a depender do sexo da vítima e do acusado.

A jurisprudência têm equiparado aos homens transexuais e travestis o tratamento dado às mulheres.

Mas se você for homem heterossexual, as agressões cometidas contra você valem necessariamente menos, são necessariamente dignas de menor proteção por parte da justiça, e o juiz pouco poderá fazer contra isso, ou estará agindo contra a lei e contra a jurisprudência bem estabelecida..

Se você fosse um um juiz criminalista experiente, tendo visto muitos casos parecidos com os acima, talvez você sentisse vontade de escrever um livro, baseado nas suas experiências profissionais, defendendo que a criação de tais normas desiguais criou algumas distorções e apontando suas considerações sobre como tornar a lei mais equânime.

Um juiz brasileiro está neste momento fazendo isso: lançando um livro pondo em pauta questões sobre como a aplicação de leis desiguais para crimes idênticos a depender do sexo da vítima tornou-se um óbice à prática da justiça no Brasil.

X senhorx Luciana Genro, aquelx famosx ex-candidatx a presidentx do PSOL, já emitiu o seu repúdio nas redes sociais, o evento precisou ser trocado de lugar depois de ameaças de protesto violento e deve estar acontecendo neste exato momento na Livraria Praça de Casa Forte em Recife, caso as feministas radicais da extrema-esquerda não tenham aparecido pra fazer alguma balbúrdia.

Eu comprarei minha edição em breve, e emito aqui minha nota de apoio ao juiz Gilvan Macêdo dos Santos.

~~ Daniel Reynaldo

==Editado: a livraria que iria sediar o lançamento do livro rendeu-se à histeria da extrema-esquerda e cancelou o evento==

Offline André Luiz

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.486
  • Sexo: Masculino
    • Forum base militar
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #7 Online: 20 de Dezembro de 2017, 23:31:51 »
Leis que protegem mais as mulheres que por n fatores estão mais vulneráveis, ok e daí?

Como isso faz do mundo um lugar horrível para os homens viverem?

Ah, é porque mulheres são maquiavélicas mesmo entre elas, pois gostam de ver sofrer, de ver o inimigo ou a inimiga definhar,  tudo vilã de novela mexicana,  os homens pelo menos resolvem na bala ou na porrada  :hihi:  ::)

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.861
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #8 Online: 20 de Dezembro de 2017, 23:43:52 »
Leis que protegem mais as mulheres que por n fatores estão mais vulneráveis, ok e daí?

Como isso faz do mundo um lugar horrível para os homens viverem?

Ah, é porque mulheres são maquiavélicas mesmo entre elas, pois gostam de ver sofrer, de ver o inimigo ou a inimiga definhar,  tudo vilã de novela mexicana,  os homens pelo menos resolvem na bala ou na porrada  :hihi:  ::)

André Luiz.

As leis em geral são estabelecidas por homens. Somos nós a maioria nos congressos e senados, lembra?

E como você bem sabe há muitas mulheres que as criticam: Camille Paglia, Christina Hoff Sommers, Erin Pizzey (criadora do primeiro abrigo pra vítimas de violência doméstica do mundo e que hoje é odiada pelos feministas por bater na tecla de que o tratamento dado à violência doméstica como se fosse problema apenas sofrido por mulheres é sexista), Thais Azevedo.

Não é a primeira vez que você tenta desvirtuar minha fala contra leis desiguais baseadas em sexo, raça (lembrando que eu sou negro e sempre me posicionei contra cotas raciais) e sexualidade como se fosse uma posição de ataque às mulheres quando na verdade é uma posição de ataque a uma maneira específica de ver a sociedade como sendo formada entre homens héteros brancos cristãos opressores e gays mulheres negros não cristãos oprimidos vendida pela extrema-esquerda progressista aos quatro ventos.
« Última modificação: 21 de Dezembro de 2017, 01:39:53 por Geotecton »

Offline Brienne of Tarth

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.155
  • Sexo: Feminino
  • Ave, Entropia, morituri te salutant
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #9 Online: 21 de Dezembro de 2017, 12:51:49 »
Que elemento justificaria o vagão feminino que não está presente no caso do vagão de brancos e que torna imprópria a analogia.

Agora você me pegou...eu não sei se brancos eram assediados sexualmente por negros em vagões...você está colocando a coisa como "apenas" violência, per se?
GNOSE

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.861
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #10 Online: 21 de Dezembro de 2017, 22:09:06 »
Que elemento justificaria o vagão feminino que não está presente no caso do vagão de brancos e que torna imprópria a analogia.

Agora você me pegou...eu não sei se brancos eram assediados sexualmente por negros em vagões...você está colocando a coisa como "apenas" violência, per se?


Batedores de carteira comumente agem em transporte público nos horários de pico, Brienne.

E, eu não tenho dúvidas (e tenho certeza de que você também não) de que uma pesquisa sobre o assunto indicaria uma prevalência de negros e pardos no cometimento deste tipo de crime. Possivelmente indicaria vítimas de pele mais clara como sendo mais comuns (não estou tão convencido desta parte, mas não me surpreenderia).

Obviamente não há no Brasil e nem no mundo presente uma histeria generalizada - difundida por ativistas, políticos e meios de comunicação - sobre os altos índices de brancos vítimas de negros que entram nos trens lotados apenas para furtarem e roubarem.

Hoje é socialmente aceito criar uma restrição baseada em sexo em função de uma (discutibilíssima) vitimização frequente de mulheres por assédio no transporte público (digo discutibilíssima porque qualquer pessoa acostumada a pegar transporte público, e honesta, sabe que é imensamente difícil distinguir o que é contato físico proposital com intenção de assédio sexual ou esbarrão inevitável ou mesmo falta de noção de espaço sem intenção sexual*) e não é socialmente aceito criar uma restrição semelhante ante uma muito menos discutível prevalência de negros como agentes de crimes urbanos contra o patrimônio (furtos e assaltos).

Da mesma forma é socialmente aceito fazer propaganda generalizante sobre como indivíduos de um sexo são vitimas frequentes de crimes cometidos por indivíduos do outro (mesmo que se precise de usar de estatísticas fraudulentas nesta propaganda) mas não é socialmente aceito fazer propaganda generalizante sobre como indivíduos de uma raça são frequentemente vítimas de crimes cometidos por indivíduos de outra (mesmo que se baseia a propaganda em estatísticas verdadeiras)

No passado já foi o contrário.

Aliás, sem colar no Google, você sabe me explicar o contexto destes olhares arregalados na foto?



* Hoje mesmo, agora há pouco, eu vim com uma porra de uma velha espaçosa esbarrando em mim o tempo todo. Dois outros passageiros bateram boca com ela porque ela não dava espaço pra eles passarem. A porra da velha conseguia estar de pé virada de costas pra mim e esbarrava em mim sentado (e não era gorda), do outro lado do corredor. Em nenhum momento pensei, contudo, que ela tivesse me assediando. Apenas que era uma sem noção retardada mesmo.
« Última modificação: 21 de Dezembro de 2017, 22:23:45 por Donatello »

Offline Pedro Reis

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.164
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #11 Online: 22 de Dezembro de 2017, 05:15:34 »
O Donnatello é um cara com ótima retórica e talvez mesmo por isso acabe forçando um pouco a barra, confiante demais na própria capacidade de construir um discurso convincente respaldando argumentos absolutamente insustentáveis.

Essa comparação entre punguistas e tarados no transporte público não vai muito longe. O batedor de carteira não é necessariamente negro ou pardo, e ele também não procura necessariamente uma vítima "branca". Ele procura alguém com algo para ser roubado.

Vamos esquecer por um momento a indignação generalizada que acarretaria uma medida da Supervia de criar vagões segregados para brancos alegando-se que estes seriam vítimas de malfeitores negros e mulatos. Imaginenos por um momento que estamos não no Brasil, mas na África do Sul nos tempos do apartheid, onde uma barbaridade dessas não fosse algo impensável.

Qual seria a vantagem prática dessa medida? Como isso poderia proteger usuários de furtos?

1 - Não haveria nenhum critério aplicável para discernir quem é branco ou não branco ( no Brasil ) e portanto com direito a usar o vagão segregado.

2 - Os passageiros nos vagões segregados não estariam livres de punguistas que pudessem embarcar
nestes mesmos vagões.

3 - Os punguistas que fossem barrados nos vagões seletivos não se importariam de furtar outras vítimas em qualquer outro vagão.

Ou seja, mesmo que não fosse chocante criar uma norma partindo do pressuposto que branco é vítima e preto é ladrão, uma medida desse tipo não surtiria efeito nenhum.

No entanto mulheres são constrangidas no transporte público por pessoas que eu acredito que sejam doentes mentais, mas isso não importa porque perturbado ou não é alguém necessariamente do sexo masculino procurando exclusivamente uma vítima do sexo feminino.

Portanto uma mulher que opte por embarcar no vagão seletivo não está segura em relação aos seus pertences, mas tem 100% de garantia que vai conseguir chegar no seu local de trabalho sem que nenhum tarado babão tenha ejaculado nela. Pelo menos isso.

Para quem já passou por esse tipo de situação talvez mais de uma vez e por isso já fica estressada só de entrar no trem ou metrô, o vagão seletivo é um alívio. Uma ideia simples, prática, que não transtorna os outros passageiros, e efetivamente garante a tranquilidade da mulher que conseguir embarcar no vagão exclusivo. Porque também não tem lugar pra todas.

Então qual o problema? Pra quê ideologizar uma coisa dessas?

Ele quase faz parecer que é análogo, mas na verdade é totalmente diferente da discussão sobre cotas raciais. De fato seria mais parecido com implicar com caixas preferenciais para gestantes e vagas de estacionamento exclusivas para deficientes e idosos.

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.967
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #12 Online: 22 de Dezembro de 2017, 08:53:52 »
Donatello, sou seu fã, aprendi muito com seus posts e mudei meu ponto de vista em muitas coisas devido a eles, mas essa analogia de vagões exclusivos para mulheres com vagões exclusivos para brancos é muito forçada. Concordo plenamente com o Pedro e o André.

"Deus prefere os ateus"

Offline Brienne of Tarth

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.155
  • Sexo: Feminino
  • Ave, Entropia, morituri te salutant
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #13 Online: 22 de Dezembro de 2017, 13:01:55 »
Eu acho que chamam isso que o Donatello falou de espantalho ou derrapagem, eu também gosto muito do que e de como ele escreve, mas eu teria que manter o clima com uma falácia também, a evidência anedótica, pois quando andava em coletivos já tive até que fazer "barraco" pra impedir assédio.

Homens que sentados abrem as pernas como se tivessem testículos de elefante, forçando contato físico com a mulher ao lado, homens em pé que esfregam as partes íntimas nos ombros das mulheres sentadas, homens que se esfregam, apertam e ejaculam em mulheres.

Minha solução? Comprar um carro.
GNOSE

Offline Muad'Dib

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.118
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #14 Online: 22 de Dezembro de 2017, 13:30:03 »
Eu acho que sentar com as pernonas abertas não é para forçar contato físico, é ser folgado para caralho mesmo. Eu já cansei de ter esse problema em ônibus e metrô. Não só os que ficam com as pernonas abertas, mas também os animais que botam metade do braço para o outro lado da divisória dos assentos de ônibus intermunicipais/interestaduais.


Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.861
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #15 Online: 22 de Dezembro de 2017, 20:07:12 »
Rapidinho porque estou com pressa, juro que volto, só respondendo algumas ressalvas que eram mais tranquilas, nem tive tempo de ler tudo:

Citar
Essa comparação entre punguistas e tarados no transporte público não vai muito longe. O batedor de carteira não é necessariamente negro ou pardo, e ele também não procura necessariamente uma vítima "branca". Ele procura alguém com algo para ser roubado.

Carecia de fonte a sua alegação implícita de que froteurismo é uma parafilia exclusiva de homens contra mulheres. Corrigi pra você :
Citar
Usually, a frotteur is a male and the victims are female, although female on male, female on female and male on male frotteurs exist.
http://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/0025802412474813

Citar
1 - Não haveria nenhum critério aplicável para discernir quem é branco ou não branco ( no Brasil ) e portanto com direito a usar o vagão segregado.

2 - Os passageiros nos vagões segregados não estariam livres de punguistas que pudessem embarcar
nestes mesmos vagões.

3 - Os punguistas que fossem barrados nos vagões seletivos não se importariam de furtar outras vítimas em qualquer outro vagão.

1. Você ainda tem razão, leia o post de abertura deste tópico, e perceba que não sabemos até quando.

2. Você tem toda a razão, releia pausadamente, e encontre o seu erro.

3. Você também tem razão, releia, com muita calma, e ache seu outro erro.

Viu só como você não está fazendo o devido exercício de checar as analogias?

Tanto quer refutar a "falsa analogia" (seria essa a falácia, Brienne, e não espantalho, se eu tivesse cometido alguma falácia teria sido a de apresentar como análogas situações que não fossem), tanto está convencido da falsidade dela que não está nem fazendo o trabalho de checar mentalmente as suas alegações.

Potenciais vítimas (de ambos os sexos) que não embarcarem nos vagãos comuns não estão livres de ser vítimas de frottage, o seu item 2 usado para refutar minha analogia pode ser usado a favor dela, obrigado; os fotteuristas (de ambos os sexos) não se importariam em assediar os passageiros dos vagões comuns, seu item 3 também contribuiu pra reforçar minha analogia, obrigado de novo.

Em suma, Pedro: você atacou minha analogia com base em quatro argumentos (a exclusividade do gênero do autor e da vítima desse tipo de crime e os 3 seguintes que enumerou). Falhou no primeiro, terceiro e quarto argumento, e se não prestarmos atenção ao post de abertura do tópico e deixarmos o projeto da OAB passar na íntegra, em breve você errará no segundo também.

Ahhh, quatro evidências anedóticas (olha uma falácia, lembrando que falácia não falseia conclusão, uma conclusão pode ser correta mesmo que atingida por meio de falácias ).

1. Eu já fui vítima de frotteurismo: uma vez no Camarista Meier - Copacaba, enquanto voltava da antiga sede da Rádio Manchete, na praia do Flamengo, um maluco tirou o pau pra fora. Estava sentado do meu lado. Percebi que o cara era louco, fiquei puto da vida, mas me dei conta de que não fazia sentido fazer escândalo nem sair na porrada com o doido (possivelmente eu iria apanhar e passar vergonha, sou ruim de briga pra caralho) e apenas mudei de banco.

2. As duas últimas vezes que vi mulheres fazendo escândalo dentro de trem/metrô porque estavam sendo "assediadas" elas foram esculhambadas por todos os presentes, homens e mulheres.

3. Eu sempre entro em trem/metrô com muito receio quando está lotado. Ônibus é mais tranquilo porque sempre, por mais cheio que esteja, consigo me acomodar. Mas trem e metrô geralmente tem poucos apoios e muitos solavancos, é difícil encontrar um lugar para ficar bem acomodado. Sempre tenho receio de que alguma vagabunda histérica comece a gritar que estou sarrando ela: nunca aconteceu, mas já aconteceu de eu viajar boa parte do trajeto levando cotoveladas porque a única maneira de eu me apoiar era esticar o braço por trás da mulher para pegar a barra de ferro e ela cismou que eu a estava bulinando.

4 Já perdi vários trens na estação de Deodoro por conta do vagão feminino. É uma das poucas estações do Rio que tem fiscalização, é uma estação de partida de um dos ramais, e o vagão feminino calha de ficar exatamente na base da escadaria. Se as portas estiverem fechando os homens perdem o trem e têm que pegar o próximo, mas ahhhh, que se f... (não posso falar palavrão, já tomei advertência porque xinguei um pombo enxadrista do fórum uns dois dias atrás de um monte de nome feio) os pretos. 

« Última modificação: 22 de Dezembro de 2017, 20:33:29 por Donatello »

Offline André Luiz

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.486
  • Sexo: Masculino
    • Forum base militar
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #16 Online: 22 de Dezembro de 2017, 23:30:15 »
A vida é dura, injusta e brutal com os homens, não nego isso.

Mas com as mulheres a coisa tende a ser pior, por Isso que me incomodo com  lacração da machosfera,  (real, búfalo, direito dos homens...) é muita falta de um terreno pra capinar.

Resolve a barra delas primeiro,  o homen já tem uns cinco mil anos de civilização que ajeitam as coisas pra ele, conseguem segurar a onda tranquilamente

Como diria a minha avó, mulher só se fode mesmo

 :hihi:


Offline Pedro Reis

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.164
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #17 Online: 23 de Dezembro de 2017, 02:00:36 »
A vida é dura, injusta e brutal com os homens, não nego isso.



É dura e eu sei bem. Mas o Donatello continua forçando a barra.

Donatello, você acha mesmo que o que me passava pela cabeça era que nenhum homem, em tempo algum, em lugar algum, já sofreu esse mesmo tipo de embaraço: o froutteirismo?

( Nem conhecia esse termo... )

Então vou explicar, como se houvesse necessidade, que estes casos são tão pouco significantes, tanto em número quanto em relação à enorme diferença no nível de incômodo que um homem experimenta sendo alvo desse tipo de comportamento, em comparação a uma mulher, que nós podemos e devemos desprezar eventuais ocorrências como essa que você relatou. Ou, pelo menos, considerar que casos mais ou menos isolados como estes não se constituem problema suficiente para que se tomem medidas de prevenção equivalentes às que se fazem necessárias para coibir o assédio masculino ( ao sexo feminino ).

E faria muito menos sentido ainda o argumento de que, se homens assediam outros homens de forma inconveniente, e ainda que eventualmente ( muito raramente ) existam mulheres froutteiristas, isso justificaria que não se tome nenhuma medida na prevenção de um problema que é uma queixa recorrente de milhares de usuários do transporte público.

E qualquer medida de prevenção, se pretende ser efetiva, deve levar em consideração o dado de realidade que a maioria esmagadora dessas queixas são provenientes de usuários do sexo feminino.

Porque essencialmente o que você parece estar defendendo é que nada deva ser feito: pois seria "privilégio", seria "tratamento diferenciado".

Meu caro, note que se, digamos, 10 mil mulheres/dia são constrangidas por tarados nos trens da Grande São Paulo, enquanto uns 5 homens passam pelo que você passou e tiram de letra como você tirou, então já se pode dizer que elas estão recebendo um "tratamento diferenciado".

Só não se poderia chamar isso de privilégio.

O problema existe mesmo, ele é real, não é uma mentira inventada por feministas histéricas ou ideólogos de uma nova esquerda. E pra quem está sendo vítima deste transtorno não importa o que determinados grupos queiram fazer com isso, o que inclui também os grupos de direita que no fundo estão incomodados mesmo apenas com os possíveis dividendos políticos que seus antagonistas possam obter ao levantar bandeiras de minorias.

Os passageiros, ou melhor as passageiras, não querem tomar parte nesse jogo. Elas só reivindicam ( elas!, não o Junger Habermas ) o direito de uma viagem mais tranquila da casa pro trabalho, do trabalho pra casa.

Agora podemos voltar àquela questão da falsa ( ou não ) equivalência.

Sabe o que seria uma analogia perfeita e honesta? Imagine que as estatísticas indicassem que 99,9% das vítimas de furto na Supervia são pessoas idosas: você acharia um absurdo que a empresa reservasse um vagão para estas pessoas viajarem em segurança?

Mas a sua analogia não tem equivalência nenhuma:

1 - Se for verdade que a maioria desses meliantes são negros ou pardos, isso se deverá apenas ao fato de que isso reflete a distribuição e frequência racial nas diferentes classes sociais. Um preto pobre da periferia não tem mais chance de ser um trombadinha só porque é preto, suas chances de infortúnios sãos as mesmas de qualquer garoto branco pobre da periferia. Raça ( se tal coisa existisse ) não tem nenhuma relação com delinquência.

Porém ter nascido do sexo masculino não é condição suficiente MAS PRATICAMENTE NECESSÁRIA para que o indivíduo seja um froutteirista. E na imensa maioria dos casos essa pessoa procura uma presa do sexo feminino. Pra não aceitar fato tão óbvio e evidente só mesmo forçando a barra e apelando para aquelas raras exceções de praxe de contrariam qualquer regra.

Não sei se encontramos a explicação para isso na Biologia ou na Cultura, ou em uma combinação qualquer de fatores. Eu estou apenas constatando um fato.

2 - Se também fosse verdade que a maioria das vítimas de furto são pessoas socialmente qualificadas como "brancas", então novamente isto não teria nenhuma relação intrínseca com elas serem brancas. O punguista não escolhe a vítima pela cor, ao contrário do tarado que escolhe a vítima pelo sexo.

No entanto essa foi só mais uma "forçada" para inventar analogia entre exemplos que não se equivalem.

Se a maioria dos passageiros da Supervia são moradores do subúrbio, e se eu for aceitar sua presunção de que a maioria dos batedores de carteira são negros ou pardos porque também são gente da periferia, então isso deveria ser verdadeiro também para a maioria das vítimas.

E é. Quanto mais baixa a renda maior a chance de alguém ser vítima da criminalidade no Rio de Janeiro, é o que mostram os números.

Mas o item 3 precisa ser melhor explicado: o vagão exclusivo obviamente não impede que quem embarcar no vagão comum seja vítima desse tipo de constrangimento. Contudo só querendo forçar muito a barra pra achar que tem um monte de mulher se esfregando sem consentimento em outras no vagão feminino... ( porque um caso foi registrado no Recife em 1977  :biglol: )

Então separar vagões para mulheres não acaba com o problema, mas essa medida é uma demanda de mulheres que já passaram por isso e agora se sentem muito desconfortáveis e inseguras usando o transporte público. Então quem não pode fazer como a Brienne e comprar um carro ( nem uma
bicicleta, um patinete... ) pode usar a opção do vagão seletivo.

Outras que acham que saberiam lidar com esse tipo de situação não se importam e viajam nos vagões comuns mesmo.

Uma medida que infelizmente não extingue o problema mas é muito bem-vinda por quem se beneficia dela. Haja visto o número de passageiras que só viajam nos vagões femininos.

Agora, se você acha que o problema não existe, ou que estão exagerando muito, então se pergunte por quê tantas mulheres procuram e se acotovelam no vagão feminino?

Por outro lado imagine se homens teriam alguma necessidade ou fariam questão de usar um vagão
exclusivo para homens...

Tratar diferentes necessidades de forma diferenciada não é favorecimento, é justiça.

Offline Pedro Reis

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.164
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #18 Online: 23 de Dezembro de 2017, 02:02:50 »
E convenhamos, essa de que uma enxurrada de homens vai agora trocar de sexo para ganhar uns aninhos de uma merreca de aposentadoria também é mó viagem na maionese.

Seu Durval, casado, pai de 5 filhos, 8 netos, certamente não vai perder a oportunidade de aproveitar essa brecha na lei e já foi correndo pro cartório mudar o nome pra Ludmilla.

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.861
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #19 Online: 23 de Dezembro de 2017, 08:34:28 »
Mas em momento algum eu disse que uma legião de homens vá se transformar mulher. Isso seria até desejável ao meu ver. Se todo homem se transformasse mulher (assim como se todo loiro de olhos azuis se tornasse negro) o problema moral da desigualdade no tempo de aposentadoria (ou nas cotas) estaria resolvido. Seria o tal dos dois erros fazendo um acerto.

Eu particularmente prevejo que todo gay afeminado e parte dos homens heterossexuais se tornarão mulheres para receber os benefícios.

De fato isto já tem acontecido entre os gays afeminados, jogue o termo transtender no Google.

Quanto os homens até sofrerem um pouquinho, mas o sofrimento feminino ser o tão significativo que justifica qualquer tratamento realmente eu estou sem tempo e paciência. A vontade que dá é baixar o eleitor do PSOL e mandar estudar história (e a síntese dos indicadores sociais da PNAD a fundo, e as estatísticas de prevalência de abandono familiar e moradia de rua, e as estatísticas de prevalência de violência doméstica a fundo (comparando os métodos, os estudos de diversas origens geográficas e acadêmicas, não é catar um monte de estudo de maconheiro do IFCS feito em porta de delegacia de mulheres que mostram que mais de 95% das vitimas são mulheres e mais de 99% dos agressores são homens não).

Mas talvez começando a ver vídeos da Janice Fiamengo, da Karen Straughan, da Camille Paglia, da Erin Pizzey e da Christina Hoff Sommers no Google já ajude.

Quanto ao resto, respondo depois do natal. Boas festas a todos.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 19.452
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #20 Online: 24 de Dezembro de 2017, 11:33:56 »
Eu não entendo qual é o grande problema de reservar vagões específicos para mulheres nos horários de pico.

Não evitaria assédio do mesmo modo.

Por assédio vc imagina um cara se esfregando em uma mulher no trem lotado mas boa parte dos casos de assédio tb acontecem nos wcs públicos entre lésbicas assediando mulheres no wc feminino e homens assediando homens.

O segundo caso normalmente é resolvido na porrada mesmo mas do primeiro caso vc pouco ouve falar porque o ocorrido fica restrito entre as partes envolvidas e a segurança da estação de trem.

E acontece com frequência.


Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 19.452
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #21 Online: 24 de Dezembro de 2017, 11:50:01 »
Citar
Eu particularmente prevejo que todo gay afeminado e parte dos homens heterossexuais se tornarão mulheres para receber os benefícios.

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/mundo-insolito/2017-12-23/casamento-melhores-amigos-irlanda.html

Citar
Dois homens héteros se casam para poupar R$ 200 mil em impostos na Irlanda
Fonte: Último Segundo - iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/mundo-insolito/2017-12-23/casamento-melhores-amigos-irlanda.html

Por isso sou contra esse negócio de cotas por raça ou preferência sexual dando privilégios a certos grupos.

Cotas tem que existir para garantir vagas para gente pobre ou com deficiência física, seja lá quem for.

Pronto, podem chamar o velho Lúcifer de nazista novamente.

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.861
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #22 Online: 02 de Janeiro de 2018, 15:56:24 »
Eu tive um pouco de dificuldade em escrever este post para www.facebook.com/naomatouhoje .

Fiquei tremendo de raiva após ver este vídeo .

#######

Em 01 de dezembro de 1955 Rosa Sparks provocou uma grande revolução nos Estados Unidos da América. Se negou a ceder o lugar em que estava sentada num ônibus para um branco.

Naquele tempo, na cidade de Montgomery, era proibido que negros se sentassem nos bancos dos ônibus públicos. Muita gente achava esta uma boa lei, e os que discordavam, brancos e negros, não tinham coragem de enfrentar a repressão.

Rosa se opôs, preferiu ir presa a ceder a uma lei dava a ela menos direitos em função de sua raça. Do ato de coragem dela nasceu um dos capítulos mais marcantes da história do EUA.

Hoje ninguém pensaria mais em fazer uma lei segregacionista contra negros. Os grupos odiados, tratados como inferiores pela lei e por boa parte da sociedade são outros. No Brasil e no mundo algumas cidades possuem leis semelhantes contra os homens.

E assim como nos Estados Unidos dos anos 50, muita gente acha normal e bom que exista este tipo de lei preconceituosa.

E quem não acha, homens e mulheres, dificilmente se manifesta. Eu mesmo já perdi diversas vezes o trem na estação carioca de Deodoro, porque o vagão feminino fica bem na descida da escada, e quando a porta já está fechando eu não consigo correr até o outro vagão e os seguranças da estação me impedem de entrar neste, por conta de uma lei que estabeleceu que eu sou estuprador em potencial com base no meu sexo (em outros tempos uma lei poderia estabelecer que eu sou ladrão a priori com base na minha raça, com a mesma aceitação coletiva).

Como negro e homem eu digo, sem nenhum medo de errar, que não é ser negro que me faz me sentir vítima de preconceito institucional e tratamento desigual na sociedade contemporânea. É ser homem.

É ser homem que faz com que eventuais crimes de agressão e assassinato cometidos contra mim tenham penas menores, é por ser homem que minha vida vale literalmente menos, pela lei..

Este ainda anônimo senhor idoso e negro se opôs, num ato de bravura semelhante ao de Rosa Parks, ele enfrentou os berros e as agressões e as cusparadas de jovens mulheres sexistas, jovens mulheres que vêm aprendendo que por conta de seu sexo elas devem ter mais direitos e menos deveres.

Assim como o racismo estatal contra os negros não foi destruído em um dia, o sexismo estatal contra os homens não o será. Assim como o racismo institucional contra os negros foi construído ao longo de anos de ideologia maciça, o sexismo institucional contra homens tem sido construído durante anos e anos de domínio da ideologia de extrema-esquerda progressista nas universidades e na mídia.

O mesmo tipo de ideologia que o Grupo Gay da Bahia vende, e que é o alvo central da crítica desta página (que sempre se propôs a abordar outros temas, como racismo e sexismo).

Este senhor não era um estuprador de mulheres, este senhor era apenas um ser humano que exige, corretamente, não ter nem um direito a menos em função do sexo com o qual nasceu.

É um senhor, que diante de mulheres agressivas e de uma lei desigual e preconceituosa agiu de forma pacífica, apenas porque achava que não devia ser vítima de um ato de discriminação baseado numa generalização de senso comum estabelecida por conta de uma característica inata sua.

~~ Daniel Reynaldo

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.145
  • Sexo: Masculino
Re:Anteprojeto da OAB permitirá que homens se aposentem mais cedo
« Resposta #23 Online: 02 de Janeiro de 2018, 17:08:34 »
Como vi o vídeo mas sem o áudio, não posso avaliar completamente o contexto.

Mas salta aos olhos o fato que a discussão contra o senhor negro idoso foi capitaneada por duas jovens com menos de 25 anos.

Sim, não posso desprezar que existe uma determinação interna que faz a separação de vagões por sexo, e o senhor negro aparentemente não a seguiu. Mas o comportamento das jovens, ambas bem mal-educadas, sugere que ou elas são 'ativistas feministas extremas' ou são simpatizantes.
Foto USGS

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!