Mensagens Recentes

Páginas: [1] 2 3 4 5 ... 10
1
Ceticismo / Re:Cientista explica porque a vida após a morte é impossível
« Última Mensagem: por Saint-Martin Online Hoje às 01:42:50 »
Não é que exista vida após a morte. É que simplesmente não existe "morte".
2
Laicismo, Política e Economia / Re:Eleições 2018
« Última Mensagem: por pehojof Online Hoje às 01:17:13 »
O que você afirma é contrário ao que é o conhecimento científico atual, relatado em minhas citações. Esse posicionamento contrarianista, nesse contexto, comumente será parte de teorias conspiratórias, nunca dando uma dentro, contra o estabelecimento científico, eventualmente provado equivocado.

E o que é que "eu afirmo", segundo seu entendimento? :umm:
3
Laicismo, Política e Economia / Re:Eleições 2018
« Última Mensagem: por pehojof Online Hoje às 01:15:40 »
Gente, mas vocês gostam de acompridar os assuntos, hein! :sleepy: Ufa... E tudo por teimosias... :chorao:

Sim, por causa dos 'desenvolvimentos' e das 'teimosias'.  ::)


E qual é a sua opinião sobre estes atos do Trump?
Desculpe, na pressa não tinha notado que a pergunta era para mim. Eu esperava alguma resposta do Muad'Dib e sua citação está errada, veja aí. :ok:
Certo.

Já corrigi e mencionei o erro.

Muito obrigado.
Mas vamos lá! À exceção dos dois últimos, os que forem atos de fato por ele realizados são todos ótimos atos. Aprovo tudo e faria melhor! Sou quase ou bastante a "mesma gente".

:wink:
Certo.

Continuemos então...
:ok:

Esclarecido e encerrado.
Esclarecido o resto todo também já está (por mim). 8-) Mas para a ideologia, nenhum esclarecimento jamais encerra nenhuma questão. ::)

Então não temos mais o que discutir, certo?

Está evidente que nunca tivemos. ::) Só o que temos, se temos algo a fazer aqui, é eu tentar te esclarecer. :P :)

Mas se você estiver sentindo necessidade de se render, renda-se, por mim tudo bem... :twisted: :biglol: :ok:


Mas, apenas para constar, você acha que não tem ideologia?

Tenho ideologia, da boa! Já devia estar mais que claro! :hihi:



Com "TTP" creio que ele quis se referir a TPP, o tratado ridículo como qualquer acordo de bloco semiglobalista com regras internas mais longamente fixas (que as de negociações avulsas de um mercado realmente livre) e que vão além de estabelecer negociações, mas obrigações mútuas que violam princípios de soberania nacional. :no: Trump deve ser um nacionalista, não um bloquista. :idea:
'Bloco semiglobalista'?
Sim. Bom... talvez esse não chegue a semi, mas é parcial-globalista e vai na direção e sentido do internacionalismo, globalismo, comunismo mundial..., como queira chamar. :)
Você está pondo um 'globalismo' derivado do intercâmbio comercial, em boa parte feito por empresas multinacionais, no mesmo conceito de um (suposto) comunismo mundial?
Quem me dera ter todo esse poder... :( Eu o usaria para impedir esse comunismo mundial de acontecer. Longe de mim pôr isso como está!

"Mêda" do comunismo! :medo:

Tá vendo só?! Se até você próprio tem mÊdA! :wink: :biglol:



Formação de blocos com entes comprometidos com mais que negócios comerciais não é "intercâmbio comercial". Se fossem só "empresas multinacionais", não precisariam envolver seus países e os líderes de seus Estados para os fechamentos dos acordos.

É óbvio que não é só intercâmbio comercial. Passa também por uma tentativa de integração entre diferentes países com povos, línguas e culturas distintas.

Qual é o problema nisto?

Você já perguntou isso e já respondi! :sleepy: Comunização internacional e todas as decorrentes mazelas. :olheira:

Mas nem é só isso "inocentinho", e que já é uma tragédia, assim não. :nao3:



Sua dificuldade é claramente não estar familiarizado com alguns aspectos apenas aparentemente mais ambíguos da realidade.

Talvez.

Vou lhe dar o benefício da dúvida e ver o que sai disto.


Mas creio (ou quero crer...) que você pode ter chance de ampliar o horizonte do seu entendimento pela posição correta do foco temático, também pelas definições e caracterizações corretas de alguns conceitos.

Tudo bem.

Vamos em frente...


Comunismo caracteriza-se por comunização de bens, não importa se entre indivíduos numa sociedade ou país, ou entre empresas ou entre países. O foco não deve ser posto em atos comerciais, mas nas "regras deles". Se elas são estipuladas por um super Estado, restringindo as liberdades dos negociadores privados negociarem livremente entre si a qualquer momento o que lhes for do melhor entendimento a cada momento, estão sob jugo de controle estatal, e no caso de blocos, um controle estatal internacional, onde se observa claro objetivo expansionista dos agentes nos bastidores desse processo. É um evidente Estado internacional indo para um Estado global ditando as relações comerciais. Comunismo internacional global finalmente caracterizado pelo compromisso exigido entre as nações de se apoiarem e compartilharem em vez de negociarem e competirem. É que você está influennciado por ideologia comunista. Daí você crer ser...:

Não, meu caro.

O comunismo (do tipo marxista e dos demais) se carateriza pela ausência de estados, classes sociais e de propriedades privadas, em especial as dos meios de produção. Ou seja, é apenas uma utopia.

A sua ante-sala, o socialismo, permite que as limitações supra existam em diferentes graus, sendo a mais conspícua uma forte presença do estado em todas as áreas da sociedade. Portanto, não é uma utopia e é, sem dúvida, uma área fértil para autoritarismos se a população submetida ao processo for ignorante e ou alienada.

Sim, meu caro, você só está (agora) confirmando o que eu já disse. :ok:



Isto é bizarro.
Algo simples e óbvio. :) É a ferradura que se fecha em círculo. As duas "pontas" são a mesma coisa. Dê uma olhada na escandalosa abjeção :nojo: :enjoo: :no: aos 8 minutos desse vídeo:

Os extremos ideológicos tendem a se aproximar em termos comportamentais. Nada de novo porquê isto afeta a todos, incluindo os nacionalistas.

Para você parece algo que você só descobriu agora... :|



Apenas para constar: As ferraduras tem, no geral, forma bidimensional de 'elipse aberta'.

E daí que sejam algumas?! :hein: Os extremos não se contentam com nenhuma separação, eles fecham a ferradura e a calçam assim mesmo! :histeria:





 :stunned: :nojo: :olheira: :enjoo: :x

Nele pode-se ver o comunista entreguista internacionalista Bolsonaro elogiando a aberração criminosa de "como o mundo todo parasita o Brasil" e parabeniza a hediondidade! :stunned: |(

Agora o Bolsonaro é um "comunista entreguista internacionalista"?

Sempre foi. Agora ele só está tentando muito mal se disfarçar, o que só tapeia trouxa. :biglol:



Quem diria...  ::)

Quem diria não, ele mesmo já disse! :|




Objetivamente quem, pelo vídeo, está 'parasitando' o Brasil?

Pela quantidade de bandeiras, o mundo todo. :histeria: :'( :no: :x |( :stunned: :nojo: :olheira: :enjoo:




Vê aquela acintosa interminável fileira de bandeiras (que inclui a do Canadá! Você, como "geólogo experiente cientificamente formado" deve poder pescar o que quero dizer... ::) )? São símbolos empresariais?... Não vejo um logo de empresa, só bandeiras nacionais. Quem está sugando o nióbio do Brasil?... Quem são as entidades envolvidas nesse "grande negócio capitalista"? ::)

Sim, são bandeiras nacionais, das empresas e ou dos países

Não são das empresas. :nao3: Cadê?! São só dos países.



com quem a CBBM faz negócios.

Se fizessem só "negócios" não precisariam ter uma presença simbólica ostensiva na entrada. Todas as empresas do mundo fazem negócios com outras e elas não têm bandeiras umas das outras nas suas entradas. Isso seria bom se fosse só ridículo, só que é muito pior que isso. :no:

E que "negócios" especificamente o Canadá está fazendo ali?



Causa-me espanto que um nacionalista como você, não entenda que a 'primeira camada' de negócios entre diferentes países se faz com a presença dos respectivos governos.

É que você ainda está me julgando como o "nacionalista" que você pintou ou comprou a pintura falsa. Não tenho que entender absurdos cretinos. Não é só "a primeira camada" e nem teria que ser. A função do Estado deve ser defender a soberania do mesmo, não fazer negócios internacionais. :no:



E isto é assim desde o início da segunda revolução industrial.

E daí que seja?! :hein:

Isso é "argumento"?! :o



Volto a repetir: quem está 'parasitando' o Brasil no caso do nióbio?

O mundo todo, oras! Você não viu?! :o



As transações internacionais de bens, serviços e dinheiro ocorrem há muito tempo, apenas o que se vê é uma grande intensificação, em especial nos últimos 500 anos. Relacionar isto com 'comunismo' é um erro conceitual crasso.

E não precisam de acordos de blocos.

Talvez.

Com certeza não precisam, se forem livres. :!: :idea:



Mas nunca vi as empresas em geral se manifestando contrariamente de forma sistêmica.

Como podemos explicar isto?

Dominação estatal, já está explícito! Modalidade de empresariado de compadrio, variedade de implementação socialista. :no:

É a ferradura que se fecha, eu já disse. Dizem que são empresas negociando, mas são Estados, se aglomerando e se tornando super Estados. :nojo: :enjoo: :wink:



Sim, relacionar o comércio internacional do tempo remoto que você foi buscar sem qualquer sentido pertinente com o comunismo que caracteriza não mera intensificação mas alteração morfológica extrema é crasso erro conceitual... seu! :P :lol:

É você que está equivocado no uso do conceito de comunismo.

Não não! É você! É você! :histeria:




Você também acredita nas bobagens ditas por idiotas de extrema-direita, que veem complô em tudo?
Não sei o que essa pergunta tem de relação :|, mas já que perguntou, não, não acredito em bobagens, nem em idiotas. :wink:
Ótimo.

Então ignore qualquer fonte que use no seu jargão palavras como 'globalismo', 'internacionalismo', 'nova ordem mundial', 'george soros' e outras bobagens.
Desculpe mas não ignoro intencionalmente nada. :nao3: Não duvido que você faça isso... ::)

Eu ignoro as tolices e seus autores quando estes tentam chamar de 'comunismo', ao conjunto de relações entre países e suas principais empresas.

Continue alienado, é seu direito! :)



Um dos motivos em formar 'blocos' comerciais e culturais é o de promover algum tipo de integração entre estados, que auxiliaria no relacionamento diplomático, promovendo uma certa distensão.
Péssimo! :no: Só comunistas acham isso bom. Gente normal quer competição, as nações devem competir entre si, no máximo em princípios hipotéticos de lealdade na competição, e formar "nações unidas" já é a maior deslealdade para começar. :enjoo:
Claro, claro.

Só falta você escrever que as nações devem fechar as fronteiras e serem contra as transações de bens e serviços; contra o deslocamento de pessoas; contra as importações 'que quebram a indústria local', etc; e que elas não devem (não podem!) cooperar.
Estou mais interessado em quais falácias mais falta você tentar usar contra mim... :histeria:

Nenhuma, na verdade, mesmo porquê não o acusei de ter usado alguma falácia.

E como poderia?! :o Não usei e não uso falácias. 8-) :P




Senão, vejamos.

Nesta frase

[...]
Só falta você escrever que as nações devem fechar as fronteiras e serem contra as transações de bens e serviços; contra o deslocamento de pessoas; contra as importações 'que quebram a indústria local', etc; e que elas não devem (não podem!) cooperar.

repare que a parte só falta você escrever que... denota uma condicionante. Se fosse uma afirmação, aí sim você poderia me acusar.

Que "condicionante" o que?! :biglol: Isso aí é uma ladeira inteira muito íngreme e engraxada com um boneco de palha brincando de tobogã nela! :histeria:

Você fala como se o que eu "prego" fosse uma parte de uma totalidade que se completa com "o que falta". Não falta nada! Eu já disse o que disse! :P




Na verdade não falta mais nada eu dizer. Já esclareci tudo.

Volto a repetir: Então não temos mais o que discutir, certo?

Tá doido pra jogar a toalha, né?! :biglol:

Já disse que compreenderei! :ok:



Só estou aqui insistindo em lhe explicar mais e melhor a realidade por ver que você está conceitualmente deficiente e quero lhe ajudar. :ok:

Obrigado pela sua intenção mas, humildemente, discordo do seu diagnóstico.

É só o que te resta mesmo... :twisted: :) :ok:



Continuo depois...

Cê que sabe... De repente, eu repito tudo depois... ::)
4
É claro que "as coisas podem dar errado", mas apenas dar aval ao que quer que seja conveniente aos maiores poderes financeiros, também. O que poderá ou deverá incluir exatamente os mesmos problemas que se conceba ou que empiricamente derivem de regulação. Ao menos não sendo partidário da crença de mercado auto-regulante perfeito, que deve ser algo bem exótico e desprezado pela vasta maior parte dos economistas e mesmo pelos maiores entes do mercado.

Novamente não é tocado nesse caso específico. Talvez haja até alguém molhando as mãos de alguém na UE para isso, mas isso não diz nada quanto ao efeito dessas regulações do caso.


Que é o cerne do tópico, e não "mais mercado, menos/nenhum estado", generalizado, de novo.
5
Ceticismo / Re:Cientista explica porque a vida após a morte é impossível
« Última Mensagem: por Gigaview Online Hoje às 01:10:22 »
https://vivabem.uol.com.br/noticias/redacao/2018/07/05/mesmo-com-anestesia-geral-cerebro-ainda-pode-ficar-parcialmente-consciente.htm

Perguntas que seriam feitas por uma criança cética... Como nós podemos detectar a inexistência de consciência subjetiva, se ela não pode ser "vivenciada" em método de primeira pessoa? Como podemos saber que um paciente em anestesia geral apenas não se lembra de suas experiências parcialmente conscientes (se essas existirem)?

Impossível saber mas padrões de ondas cerebrais podem indicar estados de consciência.

http://www.hirnwellen-und-bewusstsein.de/brainwaves_1.html
6
Laicismo, Política e Economia / Re:Eleições 2018
« Última Mensagem: por Buckaroo Banzai Online Hoje às 01:04:07 »
O que você afirma é contrário ao que é o conhecimento científico atual, relatado em minhas citações. Esse posicionamento contrarianista, nesse contexto, comumente será parte de teorias conspiratórias, nunca dando uma dentro, contra o estabelecimento científico, eventualmente provado equivocado.
7
Laicismo, Política e Economia / Re:Imagens políticas
« Última Mensagem: por Buckaroo Banzai Online Hoje às 00:55:46 »


https://www.marxists.org/archive/lenin/works/1920/lwc/

Citação de: wikipedia
"Left-Wing" Communism: An Infantile Disorder (Russian: Детская болезнь "левизны" в коммунизме, Detskaya Bolezn' "Levizny" v Kommunizme) is a work by Vladimir Lenin attacking assorted critics of the Bolsheviks who claimed positions to their left. Most of these critics were proponents of ideologies later described as left communism.

[...]

https://en.wikipedia.org/wiki/%22Left-Wing%22_Communism:_An_Infantile_Disorder
8
Ceticismo / Re:Cientista explica porque a vida após a morte é impossível
« Última Mensagem: por -Huxley- Online Hoje às 00:41:35 »
https://vivabem.uol.com.br/noticias/redacao/2018/07/05/mesmo-com-anestesia-geral-cerebro-ainda-pode-ficar-parcialmente-consciente.htm

Perguntas que seriam feitas por uma criança cética... Como nós podemos detectar a inexistência de consciência subjetiva, se ela não pode ser "vivenciada" em método de primeira pessoa? Como podemos saber que um paciente em anestesia geral apenas não se lembra de suas experiências parcialmente conscientes (se essas existirem)?
9
Laicismo, Política e Economia / Re:Eleições 2018
« Última Mensagem: por pehojof Online Hoje às 00:21:26 »
A redução de emissão de carbono por todos os meios, se for um objetivo em si, é de consequências só imprevisíveis quanto à extensão dos danos.

Mas a questão do aquecimento global, seja ou não essencialmente antropocêntrico, não é a própria agenda de conservacionismo. Esta é muito mais ampla.

Você também tem objeções?

Antropogênico? :)

Estávamos falando do Acordo de Paris, não estávamos? :umm:

De qualquer forma, sim, tenho objeções a toda "agenda ambientalista", da qual só saem imbecilidades e danos. Veja o caso estúpido na nojenta "diretriz" europeia RoHS que já virou norma, a proibição do tetróxido de chumbo para a proteção anticorrosão de ferragens.  :no:

Praticamente não há uma determinação do tipo que não seja mais danosa que os "objetivos". :nao3:


Isso na verdade deve ser o mais raro, argumento feito apenas por teóricos de conspiração globalista-marxista-capitalista.

 :hein:

"Isso mais raro" o que, exatamente?! :umm:

"Argumento de teóricos de conspiração globalista-marxista-capitalista", como assim?! :hein: :stunned: :olheira:




Citar
https://www.paho.org/hq/index.php?option=com_content&view=article&id=8206&Itemid=39800&lang=fr

[...] Burden of Disease

DALYS, or disability-adjusted life years, are the metric used by the WHO to assess the global burden of disease; they are defined by the sum of years of life lost due to death and to disability as a result of a particular disease or condition — in this case: lead exposure. The total burden of disease attributable to lead amounts to about 9 million DALYs (disability-adjusted life years)! This DALY estimate stems primarily from mental retardation (measured by IQ); however, raised blood pressure (which also increases the risk of ischemic heart disease), stroke, hypertensive disease, as well as other cardiovascular diseases also contributed to this DALY estimate (WHO). Additionally, in 2004, it was estimated that lead exposure was responsible for 143,000 deaths and 0.6% of the global burden of disease. These estimates appear to be on the lower end of the spectrum, and since their publication, there has been considerable evidence indicating that these figures actually underestimate the burden of disease and costs attributable to low-level lead toxicity. This may be the case because in addition to the apparent IQ deficits and cardiovascular impediments accounted for in the DALY estimate, there are various subclinical neurotoxic health effects resulting from lead exposure. These effects mainly manifest in subtle intellectual impairments that may not result in a decrease large enough to warrant the "mental retardation" label; however, many individuals may not experience their full potential as a result of lead exposure (and may never come to know it). Due to this phenomenon, lead exposure/toxicity is not as high of a priority in terms of public perception (thus governmental intervention) in many countries — especially those that are low-income. Collectively, a population exposed to lead may depict a lower level of IQ than a population that is not.

Since the phase-out of leaded petrol, lead paint has been one of the largest sources of exposure to lead in children causing approximately 600, 000 new cases of intellectual disability among children every year. Blood lead levels vary widely from country to country and region to region, but continuously the highest blood lead levels (also attributable to the largest burden of disease) from lead exposures are found in low-income countries. In 2004, it was estimated that of the children with elevated blood lead levels (BLLs), approximately 90% came from low-income regions. While the numbers presented are undoubtedly alarming, it is imperative to note that cases across the globe have alluded that with proper regulation of leaded entities, BLL in the respective populations decreases; thus it can be deduced that negative neurotoxicological impacts are most likely also decreased in that population. An example of this phenomenon is the regulation of lead use in gasoline in the United States. Upon the implementation of regulations prohibiting leaded gasoline in 1974, the mean BLL of the US residents have dropped approximately 78%, from 12.8 µg/dl to 3.2 µg/dl (Pirkle, et al).

[...]



Citar
https://en.wikipedia.org/wiki/Lead_poisoning

[...] The effect of lead on children's cognitive abilities takes place at very low levels.[43][62][66] There is apparently no lower threshold to the dose-response relationship (unlike other heavy metals such as mercury).[67] Reduced academic performance has been associated with lead exposure even at blood lead levels lower than 5 μg/dL.[68][69] Blood lead levels below 10 μg/dL have been reported to be associated with lower IQ and behavior problems such as aggression, in proportion with blood lead levels.[12] Between the blood lead levels of 5 and 35 μg/dL, an IQ decrease of 2–4 points for each μg/dL increase is reported in children.[32] However, studies that show associations between low-level lead exposure and health effects in children may be affected by confounding and overestimate the effects of low-level lead exposure.[70]

High blood lead levels in adults are also associated with decreases in cognitive performance and with psychiatric symptoms such as depression and anxiety.[71] It was found in a large group of current and former inorganic lead workers in Korea that blood lead levels in the range of 20–50 μg/dL were correlated with neuro-cognitive defects.[72] Increases in blood lead levels from about 50 to about 100 μg/dL in adults have been found to be associated with persistent, and possibly permanent, impairment of central nervous system function.[53]

Lead exposure in children is also correlated with neuropsychiatric disorders such as attention deficit hyperactivity disorder and anti-social behaviour.[66] Elevated lead levels in children are correlated with higher scores on aggression and delinquency measures.[5] A correlation has also been found between prenatal and early childhood lead exposure and violent crime in adulthood.[62] Countries with the highest air lead levels have also been found to have the highest murder rates, after adjusting for confounding factors.[5] A May 2000 study by economic consultant Rick Nevin theorizes that lead exposure explains 65% to 90% of the variation in violent crime rates in the US.[73][74] A 2007 paper by the same author claims to show a strong association between preschool blood lead and subsequent crime rate trends over several decades across nine countries.[75][76] Lead exposure in childhood appears to increase school suspensions and juvenile detention among boys.[77] It is believed that the U.S. ban on lead paint in buildings in the late 1970s, as well as the phaseout of leaded gasoline in the 1970s and 1980s, partially helped contribute to the decline of violent crime in the United States since the early 1990s.[76]

[...]

"Estimativas"... Já está mais que evidenciado que o ser humano não precisa de chumbo para ser imbecil. O chumbo não tem culpa. :histeria:

Sério, o que você deseja ou crê que pode"contra-argumentar" a mim, ao que estou dizendo, com essas leituras? :?

Mas enquanto você esclarece sei lá o que, deixe eu esclarecer que na pressa para ser breve, porque já era um desvio da pauta, o que escrevi ficou parecendo que o caso do tetróxido de chumbo seria um particular da RoHS. Embora RoHS envolva também o utilíssimo chumbo demonizado e proscrito, o caso do tetróxido é independente, tratando-se da substância (que era) usada na tinta protetora antiferrugem conhecida como zarcão, substituída por um engodo preparado de esmalte sintético com corante ou pigmento imitando a cor do tetróxido e até cores alternativas. Nos dois casos, como em inumeráveis outros, só contraproducência se obtém da "protenção ambiental e/ou à saúde". :no:

E chumbo em aditivos de combustível e outras aplicações são outras questões.
10
Quer exemplos de como a iatrogenia dos intervencionismos positivos de "defesa da concorrência" pode operar? As grandes corporações podem contratar ex-funcionários do governo para driblar suas regulamentações com mais eficácia do que as outras companhias e crescerem mais por causa disso. As grandes corporações podem usar a desculpa da "defesa de concorrência" para atrapalhar seus concorrentes mais eficientes por meio de captura regulatória, etc.

Intervenção negativa (subtração de coisas) pode gerar volatilidade, mas é mais estável no longo prazo. A UE poderia diminuir o protecionismo, poderia diminuir às barreiras de entradas no setor, etc. Ou poderia se auto-extinguir em tudo que não envolvesse livre comércio e incentivar o federalismo extremo em seus países-membros.
Páginas: [1] 2 3 4 5 ... 10
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!