Forum Clube Cetico

Discussões => História, Sociedade, Comportamento e Filosofia => Tópico iniciado por: Eleitor de Mário Oliveira em 05 de Outubro de 2006, 02:45:09

Título: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Eleitor de Mário Oliveira em 05 de Outubro de 2006, 02:45:09
É impressionante como profissionais da educação adoram Paulo Freire e sua teoria de uma educação que leve em conta o universo socio-cultural do aluno. O fato é que estes chamam qualquer ignorância ou deficiência cognitiva de diferenças sócio-culturais que devem ser respeitadas.
Por exemplo, um pedagogo entrevista um professorzinho de matemática de uma escola na zona rural, pede para ele definir "área". Este responde que é a medição da terra. Eles então escrevem artigos defendendo que em zonas rurais, o ensino de geometria deve ser voltada para a agrimensura. Mas custava simplesmente dizer ao cara: "área é o quanto uma figura ocupa uma superfície"?

Eu estava a ler um artigo de uma edição especial da Scientific American: Etnomatemática. Em meio a ótimos artigos como o sistema numérico maia e a resolução de problemas geométricos no Japão medieval, havia um escrito por um brasileiro: Eduardo Sebastiani Ferreira (pesquisador colaborador do Núcleo Interdisciplinar de Matemática da Unicamp), no qual ele descrevia sua experiência em aldeias indígenas. Ele descreve que uma vez ficou impressionado com um índio que pescava com arco e flecha, levando em conta a refração da água: o peixe parecia estar em um lugar e o índio disparava em outro. Ao perguntar ao índio sobre como ele sabia onde atirar, este respondeu "os olhos da gente estão errados". Por algum motivo o Eduardo achou o caso digno de nota, e levou a discussão para um grupo de estudos no Instituto de Artes. O que segue depois é uma das coisas mais ridículas que já vi um relativista dizer.

Citação de: Eduardo Sebastiani Ferreira
...a análise que fizemos para mim foi conclusiva. Somos de uma cultura judaico-cristã, na qual existe a crença de que fomos feitos à imagem e semelhança de Deus - ser perfeito -, portanto não admitimos que podemos ter algo errado com o corpo. Para responder ao fenômeno da refração inventamos uma lei física, e com este pressuposto criamos toda nossa ciência.


Chamar a análise de "conclusiva" foi a cereja do bolo. Para esta gente tudo é relativo, menos suas elocubrações falaciosas.
O mínimo que poderia se esperar de alguém que seja pesquisador colaborador do Núcleo Interdisciplinar de Matemática é que conheça um pouco sobre a História da disciplina, incluindo alguns fatos tais como que Euclides e Arquimedes já estudavam o fenômeno da refração séculos antes de cristo. Talvez seja muito esperar que alguém em um grupo do Instituto de Artes saiba algum fato da história da filosofia, tal como que cristãos como Descartes admitiam as falhas nos sentidos e as estudavam.
Certamente é muito esperar que alguém cujo o cérebro atrofiou de tanto ler Paulo Freire lembre que o conhecimento do fenômeno da refração nos permite construir desde microscópios e telescópios até os óculos que o Paulo Freire usava.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Alenônimo em 05 de Outubro de 2006, 03:17:32
Essa do Eduardo Sebastiani Ferreira doeu nos meus ovos! Quer dizer que ele achava que o corpo humano era perfeito e feito á semelhança de Deus? Por que mais ele ficaria surpreso com a descoberta do contrário?
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Luis Dantas em 05 de Outubro de 2006, 07:17:10
Caramba.  Como é possível um pesquisador da Unicamp falar uma bobagem "conclusiva" tão sem nexo?

"Inventamos" uma lei física?  Todo mundo pensa que é o Lanterna Verde hoje em dia.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Rodion em 05 de Outubro de 2006, 09:51:46
Citar
Caramba.  Como é possível um pesquisador da Unicamp falar uma bobagem "conclusiva" tão sem nexo?
como não seria? coisa sem nexo abunda nas universidades.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dbohr em 05 de Outubro de 2006, 09:54:12
Eu li a revista e lamentei do mesmo jeito. Quanto à sua pergunta, Luís, repare só: ele levou a discussão para o IA da Unicamp.

Agora, não tenho nada contra estudantes de Artes, ou contra a Unicamp (estudei lá um tempo e freqüentava o IA), mas exatamente qual é a qualificação deles para dizer que leis físicas são "inventadas"? E se um físico ou engenheiro fosse criticar os rabiscos do Juan Miró, dizendo que aquilo não é arte? Uma e outra crítica simplesmente carecem de substância.

Sinto pena do índio, que teve que agüentar as esquisitices do grande professor se curvando ante sua sabedoria.


Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dr. Manhattan em 05 de Outubro de 2006, 10:16:14
Será que esse pesquisador não pensou na real possibilidade de o índio estar tirando onda com a cara dele?
(ref.: Margareth Mead).

Sem falar que a observação em si não se referia a uma atividade cultural (ok, claro que existe um aspecto cultural, mas isso não vai influenciar a lei de Snell). Alguem devia avisar a esse pesquisador sobre as gerações incontáveis de arqueiros, de todos os backgrounds culturais diferentes, que tinham que mirar à frente de um alvo em movimento para poder acertar a flecha...

Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dbohr em 05 de Outubro de 2006, 10:20:59
Manhattan, o que me dói mais é que o cara é Matemático. MATEMÁTICO! Da Unicamp, ainda por cima... princípio de menor ação, alô?
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Südenbauer em 05 de Outubro de 2006, 12:22:14
Como assim? Isso saiu na Sciam?

Me desculpem a linguagem, mas: PUTA QUE PARIU!
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dr. Manhattan em 05 de Outubro de 2006, 14:11:06
Ah ele é matemático?!!

E olha que, além de ele ter tido essa postura pós-modernista estúpida, o argumento dele é baseado num enorme
non sequitur!
Ora bolas, o que é que a afirmação do índio tem a ver com a "cultura judaico-cristã"?!!  |(

(sem falar que esse negócio de se referir à cultura "judaico-cristã" sempre me parece coisa de gente com preguiça mental: é querer colocar, por exemplo, os cristãos filipinos no mesmo saco cultural que os judeus ortodoxos de NY)

Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Oceanos em 05 de Outubro de 2006, 15:17:53
Triste não é o cara falar uma idiotice dessas, triste é alguem achar que ele está certo. :(
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Nina em 05 de Outubro de 2006, 19:40:57
Alguém escreveu para a revista reclamando da reportagem?

:oops:
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Südenbauer em 05 de Outubro de 2006, 20:24:46
Brilhante idéia, Nina!
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Luis Dantas em 05 de Outubro de 2006, 20:47:48
Bateu uma imagem de arqueiros errando o alvo por ser cristãos...
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Luz em 05 de Outubro de 2006, 21:23:52
Bateu uma imagem de arqueiros errando o alvo por ser cristãos...

É próprio da "visão" cristã, mirar no que vê e acertar no que não vê.

Isso estar numa revista científica não seria indício de que o argumento de "autoridade", infelizmente, tem alguma autoridade?
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Eleitor de Mário Oliveira em 05 de Outubro de 2006, 22:23:22
Ah ele é matemático?!!

E olha que, além de ele ter tido essa postura pós-modernista estúpida, o argumento dele é baseado num enorme non sequitur!

Certamente ele deve pensar que validade lógica seja algo socialmente construído.

Ora bolas, o que é que a afirmação do índio tem a ver com a "cultura judaico-cristã"?!! |(

(sem falar que esse negócio de se referir à cultura "judaico-cristã" sempre me parece coisa de gente com preguiça mental: é querer colocar, por exemplo, os cristãos filipinos no mesmo saco cultural que os judeus ortodoxos de NY)

Se os caras duvidam da refração, por que deveriam ter o que os anglófonos chamam de "accuracy" acerca das questões sociais? O que vale é fazer malabarismos retóricos e chamá-los depois de "análise conclusiva".
Se fosse o contrário, se os amerídios tivessem desenvolvido uma óptica que trata da refração enquanto os "judaico-cristãos" atribuíssem o fenômeno a um problema da visão, seria porque estes carregam a culpa do pecado original ou coisa do tipo...
Se bem que o lance deles mesmo é sempre passar a idéia de sociedade judaico-cristão como um bando de arrogantes.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Luis Dantas em 05 de Outubro de 2006, 22:25:32
Certamente ele deve pensar que validade lógica seja algo socialmente construído.

Não duvido nada.  Apesar de absurda, a idéia de que "até mesmo os delírios de um louco tem lógica" é muito difundida.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Eleitor de Mário Oliveira em 05 de Outubro de 2006, 22:31:46
Como assim? Isso saiu na Sciam?

Bem... a maioria das reportagens eram traduzidas. Algumas tratavam de questões bem interessantes sobre como algumas culturas lidavam com a matemática, enquanto outras analisavam matemáticamente expressões culturais como música e arquitetura.
O editor deve ter achado que eles precisavam de algum artigo de um brasileiro sobre o assunto, convidou o cara e na última hora receberam esta porcaria.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Eleitor de Mário Oliveira em 05 de Outubro de 2006, 22:37:03
Caramba.  Como é possível um pesquisador da Unicamp falar uma bobagem "conclusiva" tão sem nexo?

"Inventamos" uma lei física? Todo mundo pensa que é o Lanterna Verde hoje em dia.

Este pessoal ficou tão impressionado com o papel do sujeito na construção do conhecimento que esqueceu que o mundo independe das nossas crenças.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: rizk em 06 de Outubro de 2006, 07:42:37
Este pessoal ficou tão impressionado com o papel do sujeito na construção do conhecimento que esqueceu que o mundo independe das nossas crenças.
Fechou. Mas, sério, o que o pobre do Paulo Freire tem que ver com isso?

Qual a chance de o cara estar fazendo uma extrapolação? Afinal, a FORMULAÇÃO da lei é nossa, apesar de ela existir com ou sem a gente - e é possível que outra CULTURA formulasse ela de maneira diferente, mesmo que com resultados menos precisos.
Até onde me recordo, aconteceu assim na astronomia: apesar de uma percepção de "universo" que tinha a terra no centro e Deus na "superfície" da esfera, com anjos no meio do caminho e número de corpos celestes finitos, os resultados dos cálculos de órbita e mudança das estações e previsão de eclipse e taltatal eram semelhantes aos nossos.

Enfim. Não tive acesso à matéria inteira, mas acontece mutas vezes de o escritor querer inventar uma frase de impacto que no fim não tem muito a ver com os resultados dele. Bobeando o que ele pretende dizer é que o "índio" e o "europeu" dão ênfase a coisas diferentes: um assume que a disparidade é fruto de uma falha do corpo em perceber a realidade como ela é, o outro dá ênfase a uma natureza externa a ele que se rege por leis próprias - ou seja, este fala em "fenômeno de refração" enquanto o outro fala simplesmente em olhos tortos.

Nesse sentido, é até possível que escrevam que "sobre este pressuposto construímos a nossa ciência". O índio em questão "parou" naquilo, e naquilo ficou. Se o membro da cultura judaico-cristã  se "conformasse" com a natureza como ela é, não tinha ciência porra nenhuma, hm.

Agora, se é pra botar juízo de valor nisso... eu não acho que o índio seja legal não. Mas o autor aparentemente acha. Então ok.

De todo modo sou contra escrever pra SciAm. Vocês é que não estão acostumados a ler essas coisas :lol:
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: rizk em 06 de Outubro de 2006, 07:47:27
Uh, e sem falar da mania ocidental de correspondência entre o micro e o macrocosmos. A gente desistiu de ensinar estudante de medicina a usar astrolábio, mas vai falar de dualidade onda-partícula pra uma pessoa normal e vê se ela não ri da sua cara.

Ou vê se ela não vai achar que, se existe tal coisa como relatividade na CIÊNCIA (que ninguém sabe direito o que é mas resolveu que "é tudo relativo"), existe possibilidade de dimensões diferentes em que vivam espíritos e outros seres iluminados.

 |(

Volto depois.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Alenônimo em 06 de Outubro de 2006, 07:54:07
E aí? Reclamaram com a revista?
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dbohr em 06 de Outubro de 2006, 10:31:50
Eu escrevi quando a matéria saiu, e escrevi quando eles publicaram anúncios de livros de auto-ajuda espiritual.

Tô esperando resposta até agora.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Südenbauer em 06 de Outubro de 2006, 12:26:41
Este pessoal ficou tão impressionado com o papel do sujeito na construção do conhecimento que esqueceu que o mundo independe das nossas crenças.
Fechou. Mas, sério, o que o pobre do Paulo Freire tem que ver com isso?
Pedagogia da autonomia.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dr. Manhattan em 06 de Outubro de 2006, 12:38:04
Qual a chance de o cara estar fazendo uma extrapolação? Afinal, a FORMULAÇÃO da lei é nossa, apesar de ela existir com ou sem a gente - e é possível que outra CULTURA formulasse ela de maneira diferente, mesmo que com resultados menos precisos.

A questão não é essa. É que existem estudiosos chamados "pós-modernista" que resolveram questionar o próprio conceito de verdade científica. Isto é, eles não contestavam a formulação, mas a própria idéia de que exista uma verdade independente do contexto social, o que obviamente é uma tremenda bobagem. Isso inclusive gerou uma controvérsia enorme nos anos 90, principalmente do famoso artigo falso do Alan Sokal, que ficou conhecida como as "Guerras da Ciência". O que acontece é que o autor desse texto da SciAm parece acreditar nessas bobagens pós-modernistas.
Não conheço nenhum cientista que questione o papel do contexto social para explicar o impacto de uma teoria, ou a motivação de um cientista ou mesmo a formulação de uma teoria. Mas isso não quer dizer que, por exemplo, a validade da teoria da gravitação dependa do ambiente cultural
(claro, isso ficaria aberto a questionamentos se alguem um dia encontrasse uma tribo de índios levitadores :-) ).
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dbohr em 06 de Outubro de 2006, 15:23:34
Heh. A Radiação Cósmica de Fundo é isotrópica -- menos nas salas de aula dos pós-modernos...
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Eleitor de Mário Oliveira em 06 de Outubro de 2006, 20:34:20
Enfim. Não tive acesso à matéria inteira, mas acontece mutas vezes de o escritor querer inventar uma frase de impacto que no fim não tem muito a ver com os resultados dele. Bobeando o que ele pretende dizer é que o "índio" e o "europeu" dão ênfase a coisas diferentes: um assume que a disparidade é fruto de uma falha do corpo em perceber a realidade como ela é, o outro dá ênfase a uma natureza externa a ele que se rege por leis próprias - ou seja, este fala em "fenômeno de refração" enquanto o outro fala simplesmente em olhos tortos.

Mesmo que fosse o caso, o "judaico-cristianismo" tem nada a ver com isto. O que tem a ver é que nossa civilização pretende controlar a natureza e para tal precisamos compreender como ela funciona, enquanto para o índio a única coisa que importa é que o peixe não está onde parece estar.

Nesse sentido, é até possível que escrevam que "sobre este pressuposto construímos a nossa ciência". O índio em questão "parou" naquilo, e naquilo ficou. Se o membro da cultura judaico-cristã se "conformasse" com a natureza como ela é, não tinha ciência porra nenhuma, hm.

Como eu disse acima, o único pressuposto social da ciência é o desejo de uma sociedade investigar e controlar a natureza. Isto que os pós-modernos passam batido. Eles afirmam que a ciência é tão válida quanto mitologia, como se a primeira não fosse o fruto de uma sociedade inquisitiva que erradicou doenças e lançou-se ao espaço.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: RickRJ em 12 de Outubro de 2006, 13:44:15
Essa fez doer meu peito! Quase infartei!
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: rizk em 12 de Outubro de 2006, 22:08:35
Eu sei, eu sei, eu estava TENTANDO. Não deu. Se uma pessoa consegue fazer essa caca num parágrafo, a tendência é que o texto seja inteiro assim. Ignorem-me-me-me.

Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: RickRJ em 14 de Outubro de 2006, 15:46:36
Não, eu quis dizer o assunto do tópico.O relativismo,às vezes,incomoda.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Luis Dantas em 15 de Outubro de 2006, 04:21:49
Desta feita, Rick, o problema nem é que incomode.  É que distorce e traz confusão inútil mesmo.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: RickRJ em 16 de Outubro de 2006, 11:11:27
Isso é verdade. Até mesmo em áreas,como exatas,estão utilizando o famoso "depende do ponto-de-vista","opinião:cada um tem a sua" e blabla,que não se deve aplicar à ciência.
Na área de saúde vê-se muito disso.Esse relativismo prejudica até o relacionamento dos profissionais de saúde com os pacientes,pois  aqueles são vistos como "frios","insensíveis" e as pessoas acabam procurando alternativas que muitas vezes são de,certa forma,duvidosas. Até!
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Emperor em 24 de Novembro de 2006, 03:47:44
O Dante está certo. Os departamentos de humanas estão tomados por esssa escória pós-modernista.
Falando nisso, outro dia na aula de História da Ciência na FFLCH - USP, uma menina da "Ciências" Sociais ou História soltou essas pérolas:

"Não existe gênero. Não existe feminino e masculino. Tudo isso não passa de construções sociais! Em outras sociedades os papéis são trocados."

Quando questionada se um homem poderia engravidar, soltou essa:

"Claro que poderia!!!!O problema é que foram condicionados em uma sociedade opressora e machista".

Outras pérolas, que ouvi nessas aulas:

"A Ciência é um instrumento de opressão do capitalismo"
"A idéia de que há progresso na ciência é positivismo"
etc.
 :nojo:
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: O Grande Capanga em 24 de Novembro de 2006, 03:56:50
Falando nisso, outro dia na aula de História da Ciência na FFLCH - USP, uma menina da "Ciências" Sociais ou História soltou essas pérolas:

"Não existe gênero. Não existe feminino e masculino. Tudo isso não passa de construções sociais! Em outras sociedades os papéis são trocados."

Quando questionada se um homem poderia engravidar, soltou essa:

"Claro que poderia!!!!O problema é que foram condicionados em uma sociedade opressora e machista".

E é claro que vocês deram muita risada na cara dela, certo? Ela virou motivo de chacota a ponto de largar o curso por não agüentar o bullying que recebia? 
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Rodion em 24 de Novembro de 2006, 03:57:46
O Dante está certo. Os departamentos de humanas estão tomados por esssa escória pós-modernista.
Falando nisso, outro dia na aula de História da Ciência na FFLCH - USP, uma menina da "Ciências" Sociais ou História soltou essas pérolas:

"Não existe gênero. Não existe feminino e masculino. Tudo isso não passa de construções sociais! Em outras sociedades os papéis são trocados."

Quando questionada se um homem poderia engravidar, soltou essa:

"Claro que poderia!!!!O problema é que foram condicionados em uma sociedade opressora e machista".

Outras pérolas, que ouvi nessas aulas:

"A Ciência é um instrumento de opressão do capitalismo"
"A idéia de que há progresso na ciência é positivismo"
etc.
 :nojo:

aaarre, por essas e outras que passo longe da fflch. mandaram uma fflchenta pra nos dar aulas de sociologia, a moça já falou de mais-valia, já chamou os economistas de alienados e já até nos culpou por impedir a revolução do proletariado. é, é.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Rodion em 24 de Novembro de 2006, 03:58:04
Falando nisso, outro dia na aula de História da Ciência na FFLCH - USP, uma menina da "Ciências" Sociais ou História soltou essas pérolas:

"Não existe gênero. Não existe feminino e masculino. Tudo isso não passa de construções sociais! Em outras sociedades os papéis são trocados."

Quando questionada se um homem poderia engravidar, soltou essa:

"Claro que poderia!!!!O problema é que foram condicionados em uma sociedade opressora e machista".

E é claro que vocês deram muita risada na cara dela, certo? Ela virou motivo de chacota a ponto de largar o curso por não agüentar o bullying que recebia? 

não na fflch, moisés, não lá...
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Emperor em 24 de Novembro de 2006, 04:09:48
E é claro que vocês deram muita risada na cara dela, certo? Ela virou motivo de chacota a ponto de largar o curso por não agüentar o bullying que recebia?

O pior é que ninguém deu risada. Eu saí da sala depois dessa, simplesmente não dá para levar à sério essa gente.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: O Grande Capanga em 24 de Novembro de 2006, 04:12:22
O Dante está certo. Os departamentos de humanas estão tomados por esssa escória pós-modernista.
Falando nisso, outro dia na aula de História da Ciência na FFLCH - USP, uma menina da "Ciências" Sociais ou História soltou essas pérolas:

"Não existe gênero. Não existe feminino e masculino. Tudo isso não passa de construções sociais! Em outras sociedades os papéis são trocados."

Quando questionada se um homem poderia engravidar, soltou essa:

"Claro que poderia!!!!O problema é que foram condicionados em uma sociedade opressora e machista".

Outras pérolas, que ouvi nessas aulas:

"A Ciência é um instrumento de opressão do capitalismo"
"A idéia de que há progresso na ciência é positivismo"
etc.
 :nojo:

aaarre, por essas e outras que passo longe da fflch. mandaram uma fflchenta pra nos dar aulas de sociologia, a moça já falou de mais-valia, já chamou os economistas de alienados e já até nos culpou por impedir a revolução do proletariado. é, é.

Caralho... Achava que essas bizarrices sobre a Fefeleche fossem lendas!

[pergunta retórica] Essa fflchenta votou e/ou fez campanha pró-Lula? [/pergunta retória]
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Emperor em 24 de Novembro de 2006, 04:24:07
Citar
Caralho... Achava que essas bizarrices sobre a Fefeleche fossem lendas!

Eu também pensava.
Para você ter uma idéia, logo no primeiro dia uns malucos com broches da Heloísa Helena e camiseta do Che, entraram no meio da aula interrompendo o professor e distribuindo panfletos sobre o perigo do imperialismo norte-americano, os massacres que Israel vem fazendo, etc.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Emperor em 24 de Novembro de 2006, 04:30:14
O pior são as contradições...
Por exemplo, no pátio central tinha um banner onde estava escrito: Boicotem o McCâncer.
Mas, se o câncer é apenas uma construção social, por que o medo? por que o boicote?  :twisted:
 
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Rodion em 24 de Novembro de 2006, 04:36:02
Citar
Caralho... Achava que essas bizarrices sobre a Fefeleche fossem lendas!

Eu também pensava.
Para você ter uma idéia, logo no primeiro dia uns malucos com broches da Heloísa Helena e camiseta do Che, entraram no meio da aula interrompendo o professor e distribuindo panfletos sobre o perigo do imperialismo norte-americano, os massacres que Israel vem fazendo, etc.

note no início do ano que vai começar, a metamorfose. como os calouros, que chegam com os pais pra fazer a matrícula, mudam no curto espaço de 6 meses. logo ficam barbudos e sujos.

(só esperando a mimi vir fazer objeções...)
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dr. Manhattan em 24 de Novembro de 2006, 10:30:00
Citar
Caralho... Achava que essas bizarrices sobre a Fefeleche fossem lendas!

Eu também pensava.
Para você ter uma idéia, logo no primeiro dia uns malucos com broches da Heloísa Helena e camiseta do Che, entraram no meio da aula interrompendo o professor e distribuindo panfletos sobre o perigo do imperialismo norte-americano, os massacres que Israel vem fazendo, etc.

Isso é culpa também do professor. Na minha sala de aula só entrava quem pedia permissão.
Quanto à menina, você devia ter perguntado quando foi a última vez que ela foi ao dentista,
e se o dentista usou anestesia. Pergunte também se ela acha o telefone celular um "símbolo
da opressão da socieda burguesa tecnocrática". :)
Que mania que essas pessoas têm de achar que as-coisas-eram-melhores-no-passado...

Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: rizk em 24 de Novembro de 2006, 11:06:40
Eu não tenho mais CARA de defender os fefelechentos. Tem um pessoal que passa ANIMAL dos limites.
Aaaah. Este semestre eu fiz um curso com um professor italiano, e ele ainda não pegou muito as manhas do português, então inventa diversas palavras, né? E faz construções esquisitas e tudo o mais. Não foram poucas as vezes que eu vi colega REPETINDO termos como "sociedade idolátrica".
E professor que não deixa os comuniiiistas entrarem com os papeizinhos deles fica com má fama. Uma vez deu até briga, acho que foi na greve do ano passado.

Mas não é verdade que essas pessoas passam incólumes, não. Pelo menos apelidinho maldoso a pessoa pega :lol:

Citar
note no início do ano que vai começar, a metamorfose. como os calouros, que chegam com os pais pra fazer a matrícula, mudam no curto espaço de 6 meses. logo ficam barbudos e sujos.
É verdade, é verdade. Eu vejo isso há anos, é muito triste. Até maio, junho, a gente consegue pescar na faculdade: depois fica zoado e a pessoa tem que recorrer aos franciscanos e feanos e politécnicos da vida, que em sua maioria são chatíssimos mas continuam bonitinhos.

Mas a maioria das meninas continua gostosinha, viu. Esse papo das peludas é lenda. A sociedade burguesa tecnocrata e a identidade de gênero exigem :lol:

Hehe que maldaaaade. Não fui eu quem disse isso, DISSERAM-ME, olhem lá.



Pra cartaz mais louco do pátio, eu voto em: PRECISAMOS DE FLORES. :wink:
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dbohr em 24 de Novembro de 2006, 11:08:58
Eu costumava achar que essas histórias de estudantes de Filosofia e Ciências Humanas eram exageradas - e aí resolvi fazer um curso no instituto deles...

... bem. Nem todos são bichos-grilo, e nem todos são delirantes como a menina citada acima. Muitos são pessoas bastante razoáveis. Na minha experiência, são os membros de DCE e outras agremiações partidárias que costumam ter esse tipo de atitude.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Rodion em 24 de Novembro de 2006, 13:02:03
Eu não tenho mais CARA de defender os fefelechentos. Tem um pessoal que passa ANIMAL dos limites.
Aaaah. Este semestre eu fiz um curso com um professor italiano, e ele ainda não pegou muito as manhas do português, então inventa diversas palavras, né? E faz construções esquisitas e tudo o mais. Não foram poucas as vezes que eu vi colega REPETINDO termos como "sociedade idolátrica".
E professor que não deixa os comuniiiistas entrarem com os papeizinhos deles fica com má fama. Uma vez deu até briga, acho que foi na greve do ano passado.

Mas não é verdade que essas pessoas passam incólumes, não. Pelo menos apelidinho maldoso a pessoa pega :lol:

Citar
note no início do ano que vai começar, a metamorfose. como os calouros, que chegam com os pais pra fazer a matrícula, mudam no curto espaço de 6 meses. logo ficam barbudos e sujos.
É verdade, é verdade. Eu vejo isso há anos, é muito triste. Até maio, junho, a gente consegue pescar na faculdade: depois fica zoado e a pessoa tem que recorrer aos franciscanos e feanos e politécnicos da vida, que em sua maioria são chatíssimos mas continuam bonitinhos.

Mas a maioria das meninas continua gostosinha, viu. Esse papo das peludas é lenda. A sociedade burguesa tecnocrata e a identidade de gênero exigem :lol:

Hehe que maldaaaade. Não fui eu quem disse isso, DISSERAM-ME, olhem lá.



Pra cartaz mais louco do pátio, eu voto em: PRECISAMOS DE FLORES. :wink:

então as moças da fflch dão mole? nunca conheci uma, mas, QUE EU SAIBA, é só falar sanfran e elas torcem o nariz.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Partiti em 24 de Novembro de 2006, 14:48:44
Ser politécnico nunca me atrapalhou, na verdade conheço vários que ficaram ou ficam com fflchentas e afins. Por isso que é bom estudar no campus, da pra ir nas festas e "ampliar os horizontes", cês da sanfran sabem de nada, hehehe...
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Emperor em 24 de Novembro de 2006, 16:35:55
... bem. Nem todos são bichos-grilo, e nem todos são delirantes como a menina citada acima. Muitos são pessoas bastante razoáveis.

Sim. A grande maioria é absolutamente normal. O problema é a turma dos pós-modernistas e dos comunistas fundamentalistas.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dbohr em 24 de Novembro de 2006, 18:57:34
Arre, tinha me esquecido dos pós-modernistas!! Basta começar a falar em Deleuze ou Guatarri que começo a ter engulhos.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Rodion em 24 de Novembro de 2006, 19:45:50
Ser politécnico nunca me atrapalhou, na verdade conheço vários que ficaram ou ficam com fflchentas e afins. Por isso que é bom estudar no campus, da pra ir nas festas e "ampliar os horizontes", cês da sanfran sabem de nada, hehehe...

mas hoje eu até fiquei grato por isso. tava conversando com um sujeto da RI que estuda lá, e ele estava me falando da pentelhice do dce no campus. felizmente dce aqui é lenda, hehe
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Partiti em 24 de Novembro de 2006, 19:49:35
Ah, faz parte... mas até que eu acho isso divertido, sabe? Dá um "colorido" especial à USP, USP sem comuna num é USP... :lol:
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dr. Manhattan em 24 de Novembro de 2006, 20:04:28
De chatice em chatice, esse pessoal de dce acaba conseguindo o que eles mais anseiam: poder.
É só ver quantos políticos profissionais de hoje começaram a carreira no movimento estudantil.

Cá entre nós...
A atual prefeita de GrandeCapitalNordestina era a presidente do dce, na época em que eu era calouro.
Ela era, digamos assim, figurinha fácil entre os alunos da física...  :twisted:
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dbohr em 24 de Novembro de 2006, 20:14:35
Nomes, Camarada Manhattan. Nomes!
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Rodion em 24 de Novembro de 2006, 20:15:38
De chatice em chatice, esse pessoal de dce acaba conseguindo o que eles mais anseiam: poder.
É só ver quantos políticos profissionais de hoje começaram a carreira no movimento estudantil.

Cá entre nós...
A atual prefeita de GrandeCapitalNordestina era a presidente do dce, na época em que eu era calouro.
Ela era, digamos assim, figurinha fácil entre os alunos da física...  :twisted:

ô. a moça lá, a musa comunista do rio grande do sul, veio de dce. e, pelo que ouvi, uns 4 ex-membros do partido de esquerda(ruptura) que já esteve na gestão do XI de agosto trabalham hoje no gabinete do deputado paulo teixeira-ptsp. não é só dce. política estudantil ainda coloca o pessoal neste meio...
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dbohr em 24 de Novembro de 2006, 20:26:56
Brincadeiras à parte, é no movimento estudantil que a maior parte dos políticos -- de todo o espectro -- se forma. Não acho que poderia ser muito diferente.

Triste é quando o camarada fica eternamente no dce e não sai do movimento estudantil.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dr. Manhattan em 24 de Novembro de 2006, 20:33:40
Nomes, Camarada Manhattan. Nomes!

Tá louco! Ainda não tenho emprego com estabilidade.  :D Mas assim que o PT sair do governo eu dou mais
detalhes.  :hihi:

Mas falando sério, o movimento estudantil é realmente uma aula de política. O único problema é que entre os
estudantes de dce parece só existir duas ideologias: a da Esquerda Exaltada e a da Esquerda Psicótica.
Muitos parecem se preocupar mais com a Revolução do que com os problemas concretos dos estudantes.

Pérola: meu irmão estudou em uma grande universidade particular. Um dia uma menina do dce de lá fez um discurso
em que dizia: "companheiros, se batalharmos juntos, um dia ainda conseguiremos transformar esta universidade
em uma universidade pública!" 
Vai sonhando... :lol:
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: rizk em 25 de Novembro de 2006, 00:01:30
Teve eleição hoje, né? Estava falando com a coleguinha, e ela dizendo que o DCE hoje não é presente entre nós, eles nunca passam, nunca falam nada...  :o
Não quero o DCE mais presente, não da maneira como ele se organiza, nem com as propostas que têm. DCE era pra fazer festa, integrar as unidades, arrumar moradia e bolsas e todas as coisas que os estudantes precisam, não pra ser o celeiro de futuros políticos do PCO. Eu acho.


Bruno e Pedro, eu falei mal dos COLEGAS de vocês por conta própria. Endosso as colegas quanto aos feanos burros e aos politécnicos workaholics. PORÉM em cada canto do largo eu largo meu coração TOTAL. Todos tão bonitinhos com o latim porco e as gravatinhas deles, eu passo mal :D

De todo modo, tudo indica que a geral feminina fefelechenta não mais crê no amor livre nem anda peluda. Aparentemente, também, as fefelechentas não estão mais lá esperando marido, então torce-se o nariz mesmo pra vocês. Talvez algumas mocinhas, tais quais a Argentina, pudessem se casar... e ir embora logo. Out, out :D
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Zizou em 26 de Novembro de 2006, 04:02:32
Gostei muito do tópico...desde as descrições sobre o pessoal do movimento estudantil (eles são iguais em todos os lugares! :hihi:), até a parte principal sobre o relativismo, tanto que gostaria de saber mais sobre esse assunto, dei uma olhada na wikipedia, mas não têm muita coisa. Fiquei interessado, pois estudo com muitas pessoas que trabalham em educação ambiental, e elas sempre enfatizam e insistem com essa idéia da cultura local, de sua importância, etc...tanto que peguei o tal do livro do Paulo Freire para dar uma lida (Pedagogia da Autonomia), mas hoje lendo a discussão, vejo que essas idéias podem ser inúteis e atravancar o crescimento da ciência. Se alguém puder indicar mais alguma coisa para ler, agradeço desde já...
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Rodion em 26 de Novembro de 2006, 04:28:53
Gostei muito do tópico...desde as descrições sobre o pessoal do movimento estudantil (eles são iguais em todos os lugares! :hihi:), até a parte principal sobre o relativismo, tanto que gostaria de saber mais sobre esse assunto, dei uma olhada na wikipedia, mas não têm muita coisa. Fiquei interessado, pois estudo com muitas pessoas que trabalham em educação ambiental, e elas sempre enfatizam e insistem com essa idéia da cultura local, de sua importância, etc...tanto que peguei o tal do livro do Paulo Freire para dar uma lida (Pedagogia da Autonomia), mas hoje lendo a discussão, vejo que essas idéias podem ser inúteis e atravancar o crescimento da ciência. Se alguém puder indicar mais alguma coisa para ler, agradeço desde já...

eu também gostaria de conhecer algum pedagogo "de oposição", se é que há. algum entendido...?
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Eleitor de Mário Oliveira em 26 de Novembro de 2006, 11:49:46
Acredito que o que acomete os estudantes de ciências humanas seja o seguinte:

1) Descomprometimento com a ciência: Vocês acham que boa parte dos que se matriculam num curso de ciências humanas tem interesse em fazer ciência, com experimentos, analises estatísticas etc.? A maioria ou quer ficar sentado numa mesa da cantina discutindo o homem pós-moderno, ou simplesmente querem obter o máximo de informação e habilidade retórica para defender suas ideologias furadas.

2) Inveja das outras ciências: Aparentemente os pseudo-cientistas das humanas morrem de inveja dos resultados obtidos pelas outras ciências e do determinismo inferido destas. Então eles querem trocar as bolas dizendo que tudo é construção social. Quantos textos já não vi argumentando que a sexualidade humana é completamente construção social. Claro... a perpetuação da espécie é construção social, Assim como a gravitação universal.  ::)
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dbohr em 26 de Novembro de 2006, 12:54:15
Discordo da parte do descomprometimento com a ciência. Talvez o que ocorra é que as Ciências Humanas, a Filosofia em particular, eram o que mais avançado existia antigamente. A partir do momento em que a dita Filosofia Natural se divorciou da Filosofia simples e começou um estudo mais sistemático do mundo e suas relações matemáticas, as Humanas foram perdendo muito espaço.

Vejo o trabalho de gente como Guattari e Deleuze um pouco como uma tentativa de recuperar esse espaço e de mostrar que a Filosofia ainda pode ser relevante. O que é uma besteira total. A Filosofia sempre será importante para a Humanidade; e será muito mais relevante do que é hoje em dia se conseguir se soltar de impostores como eles.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Eleitor de Mário Oliveira em 26 de Novembro de 2006, 13:24:50
Discordo da parte do descomprometimento com a ciência. Talvez o que ocorra é que as Ciências Humanas, a Filosofia em particular, eram o que mais avançado existia antigamente. A partir do momento em que a dita Filosofia Natural se divorciou da Filosofia simples e começou um estudo mais sistemático do mundo e suas relações matemáticas, as Humanas foram perdendo muito espaço.

Ah... é que você não vê de perto as figuras. Os estudantes de C.H. carecem de tato com a realidade. Tudo o que fazem é sustentar seus castelos de cartas com ad hocs.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Res Cogitans em 26 de Novembro de 2006, 13:29:00
O Dante está certo. Os departamentos de humanas estão tomados por esssa escória pós-modernista.
Falando nisso, outro dia na aula de História da Ciência na FFLCH - USP, uma menina da "Ciências" Sociais ou História soltou essas pérolas:

"Não existe gênero. Não existe feminino e masculino. Tudo isso não passa de construções sociais! Em outras sociedades os papéis são trocados."

Quando questionada se um homem poderia engravidar, soltou essa:

"Claro que poderia!!!!O problema é que foram condicionados em uma sociedade opressora e machista".

Outras pérolas, que ouvi nessas aulas:

"A Ciência é um instrumento de opressão do capitalismo"
"A idéia de que há progresso na ciência é positivismo"
etc.
 :nojo:

Tem sociólogos que defedem que o gênero é construido socialmente e outros que não só o gênero mas o sexo é contruído socialmente. Mas nenhum deles chegará a este absurdo que homens podem engravidar. Eu tenho o livro Iventando o Sexo de Thomas Laqueur, mas ainda não tive saco e coragem de lê-lo.

O historiador Thomas Laqueur é professor na Universidade de Berkeley, Califórnia, e é especialista em História Social e da Medicina. Em 1992, publicou o livro Inventando o Sexo - Corpo e Gênero dos Gregos a Freud, lançado pela Relume-Dumará. Seu livro mais recente publicado no Brasil é Sexo Solitário - Uma História Sexual da Masturbação (Editora Zone Books, 2003). Sobre esse livro, confira uma resenha publicada na 173ª edição da revista IHU On-Line, de 27 de março de 2006.
Laqueur é formado em Filosofia pelo Swarthmore College, mestre pela Princeton University, e obteve seu Ph.D. na Princeton University. Ele aceitou conceder uma entrevista com exclusividade para a revista IHU On-Line sobre a sexualidade na sociedade contemporânea, marcada pelo individualismo e pela autonomia dos sujeitos sociais. Confira.

 
IHU On-Line - O senhor afirma que o sexo é “situacional” e só pode ser entendido no campo das relações entre gênero e poder. Pode explicar melhor essa afirmação?
Thomas Laqueur - Por situacional, entendo que quase tudo de importante que queremos dizer sobre sexo e sexualidade, afora questões de produção e reprodução, tem a ver com o enraizamento cultural de homens e mulheres em relação entre si: se faz nascer ou desaparecer com a diferença sexual, se aumentam ou diminuem as barreiras entre os sexos e com um “sexo” que se comporte como um projeto cultural ou político. Não nego a existência da biologia. Eu apenas quero reivindicar que, no que se refere ao sexo e à sexualidade, sua existência é sentida em nossas vidas pela grande rede de significado que enreda o pensar sobre sexo.

IHU On-Line - O que podemos entender por “sexo solitário”?
Thomas Laqueur - Eu chamei a masturbação de sexo solitário porque não estava muito interessado no ato físico de alcançar o orgasmo, mas em sua natureza psíquica. Então não lido com a assim chamada “masturbação mútua” ou masturbação e exibicionismo. Eu penso que sejam relacionadas ao meu tópico principal, mas que são atos sociais. Eu escrevo sobre a idéia de criar um mundo erótico em nossas próprias imaginações. Alguns argumentarão que todo sexo é solitário, mas isso é um assunto mais abrangente.

IHU On-Line - Qual a relação entre a masturbação e a sociedade caracterizada pela autonomia do sujeito?
Thomas Laqueur - Meu ponto é que a masturbação vem a ser vista como moralmente suspeita quando a cultura mais geral começa a se preocupar com a autonomia do sujeito. É o lado negro do individualismo e assim como se torna assunto de escrutínio moral, também se torna um prazer culpado antes inexistente. Culpa – na afirmação da privacidade, da autonomia, do segredo – é então constitutivo da pessoa.

IHU On-Line - O que constitui a moralidade sexual contemporânea? Há uma moralidade sexual hoje em dia?
Thomas Laqueur - Minha idéia é de que no Ocidente burguês – não em outra parte – as velhas questões sobre com quem e quando é certo ter sexo – antes do casamento, por exemplo – tornaram-se menos exigentes. As novas questões são mais éticas que morais: como o sexo figura em viver uma vida de virtude. Na verdade, eu não tenho idéia de o quão seriamente a juventude reflete nesse sentido.

IHU On-Line - Em que sentido a sexualidade representa a forma de relação entre o indivíduo e a sociedade, e entre o indivíduo e a natureza?
Thomas Laqueur - Falando grosso modo, as relações sexuais estiveram e estão no cerne da produção da cultura. Pode-se começar com a famosa idéia de Lévi-Strauss de que o tabu do incesto define a intersecção entre natureza e cultura.

IHU On-Line - Qual é o papel da religião em uma sociedade de sujeitos autônomos e autoconstituídos?
Thomas Laqueur - Eu também estaria interessado em saber. Nos Estados Unidos, hoje, a abstinência sexual antes do casamento tornou-se uma maneira para os jovens ligarem-se às visões religiosas conservadoras das suas famílias e para declararem-se à parte do que tomaram por ser a cultura popular hedonista e individualista da sociedade secular. Por sua vez, eu penso que os ensinamentos católicos sobre questões como aborto e controle de natalidade têm quase nenhum impacto nos Estados Unidos ou na Europa. Claramente essa questão seria respondida de maneira diferente para comunidades muçulmanas em diáspora ou em vários países do Oriente Médio, na Indonésia ou na Índia.


Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Dbohr em 26 de Novembro de 2006, 13:33:58
Ah... é que você não vê de perto as figuras. Os estudantes de C.H. carecem de tato com a realidade. Tudo o que fazem é sustentar seus castelos de cartas com ad hocs.

É que tem muita gente de exatas que não é nenhum modelo de estudante sério... tem muita gente que presta vestibular para Física porque tem menos concorrência, por exemplo. Claro que esses geralmente abandonam o curso antes do primeiro ano terminar, mas muitos seguem adiante e viram aqueles professores menos do que inspirados que a gente vê nos colégios por aí...
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: rizk em 26 de Novembro de 2006, 16:42:11
Ouço muito que não existe tal coisa como "CIÊNCIAS humanas" - aí eu não sei em que altura do campeonato resolveram que, pra ser ciência, precisa de laboratório e frasquinhos. Uma investigação relacionada às vidas das pessoas exige muito MAIS que isso.

Sempre tem uma turma que viaja, mesmo entre os Doutores. Como em qualquer especialidade. O fato é que, pra quem estuda as coisas do homem, não dá pra ter RESPOSTAS. A gente chega a conclusões mais ou menos adequadas - e nada mais adequado que isso, se estivermos falando de "ciência".

E eu duvido da sinceridade de quem quer privilegiar um lado da dicotomia (que é besta, convenhamos) "natureza x cultura". É corporativismo, pura e simplesmente.
Tanto dos meus coleguinhas comunistóides quanto da molecada daqui, que está fazendo espantalhos por toda essa página. Cadê os cientistas comprometidos com a lógica, hein?
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Rodion em 26 de Novembro de 2006, 18:04:28
mas eu não estou comprometido com a ciência mesmo, admito :)
não faz sentido falar, como falam, em ciência do direito.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: FxF em 27 de Novembro de 2006, 01:44:16
Citação de: Eduardo Sebastiani Ferreira
...a análise que fizemos para mim foi conclusiva. Somos de uma cultura judaico-cristã, na qual existe a crença de que fomos feitos à imagem e semelhança de Deus - ser perfeito -, portanto não admitimos que podemos ter algo errado com o corpo. Para responder ao fenômeno da refração inventamos uma lei física, e com este pressuposto criamos toda nossa ciência.
Chamar a análise de "conclusiva" foi a cereja do bolo. Para esta gente tudo é relativo, menos suas elocubrações falaciosas.
Isso se chama fé. Com ela você remove montanhas... e põe bem na frente de seus olhos.
Trata como se essa lei da física tivesse sido inventada e não observada, além de deixar a entender que é boba e leviana. Mas trata uma crença irracional de que um ser superior criador do universo tem nariz mesmo não respirando e pênis mesmo sendo único (...).

Infelizmente, a crença, a idéia de "eu preferiria que fosse assim ou assado por isso vou fingir que é" jamais deveria ser levada quando se analisa algo e está em uma comunidade científica. E enquanto se respeitar a crença religiosa, isso não pode ser contestável. A coisa é assim.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Emperor em 30 de Novembro de 2006, 23:04:46

Citar
Quantos textos já não vi argumentando que a sexualidade humana é completamente construção social.

Imagino que você deve ter sofrido bastante com essa corja relativista durante o curso de Filosofia.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Eleitor de Mário Oliveira em 24 de Abril de 2010, 03:20:08

Citar
Quantos textos já não vi argumentando que a sexualidade humana é completamente construção social.

Imagino que você deve ter sofrido bastante com essa corja relativista durante o curso de Filosofia.
  a perpetuação da espécie é uma construção social.:/
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Zeichner em 24 de Abril de 2010, 12:53:36
Nomes, Camarada Manhattan. Nomes!

Tá louco! Ainda não tenho emprego com estabilidade.  :D Mas assim que o PT sair do governo eu dou mais
detalhes.  :hihi:

Mas falando sério, o movimento estudantil é realmente uma aula de política. O único problema é que entre os
estudantes de dce parece só existir duas ideologias: a da Esquerda Exaltada e a da Esquerda Psicótica.
Muitos parecem se preocupar mais com a Revolução do que com os problemas concretos dos estudantes.

Pérola: meu irmão estudou em uma grande universidade particular. Um dia uma menina do dce de lá fez um discurso
em que dizia: "companheiros, se batalharmos juntos, um dia ainda conseguiremos transformar esta universidade
em uma universidade pública!" 
Vai sonhando... :lol:

Neste ano, na Universidade onde trabalho, apareceu um palestrante destes, cheios de PUCUSP Unicamp no currículo, junto com uma centena de livros e artigos escritos, para fazer uma palestra aos Educadores sobre o desafio da Universidade nos tempos atuais.

Além de dar uma aula chata pra carai, que meus alunos me tocariam de sala se fizesse algo parecido de ficar lendo planilhas em Datashow, apresentou dados estatísticos que fizeram matemáticos como Newton se revirar no túmulo e o cidadão do índio pescando num exemplo de rigor científico, para quê?

para dizer que o ensino brasileiro estava ruim porque existiam muitas universidades particulares e poucas do governo!

Mas ele estava dentro de uma Universidade Particular!!!! A popularização do Ensino através de Universidades particulares eram merda pra ele, porque só o dinheiro do governo prestava.

Tiveram que cancelar as perguntas no final porque eu e mais um grupo já estávamos nos coçando pra dizer algumas coisinhas para ele. Se isto é o máximo que existe de intelectual no Brasil, estamos mal.

Na boa, fiquei com um nojo das Universidades Públicas depois dessa que nem fazem idéia.
Título: Re: Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Buckaroo Banzai em 24 de Abril de 2010, 14:51:40
O Dante está certo. Os departamentos de humanas estão tomados por esssa escória pós-modernista.
Falando nisso, outro dia na aula de História da Ciência na FFLCH - USP, uma menina da "Ciências" Sociais ou História soltou essas pérolas:

"Não existe gênero. Não existe feminino e masculino. Tudo isso não passa de construções sociais! Em outras sociedades os papéis são trocados."

Quando questionada se um homem poderia engravidar, soltou essa:

"Claro que poderia!!!!O problema é que foram condicionados em uma sociedade opressora e machista".

Outras pérolas, que ouvi nessas aulas:

"A Ciência é um instrumento de opressão do capitalismo"
"A idéia de que há progresso na ciência é positivismo"
etc.
 :nojo:

Esse tipo de coisa chega a parecer trabalho de agente duplo infiltrado, bogus-espantalho da vida real.
Título: Re:Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: JJ em 12 de Dezembro de 2016, 08:59:55
Nomes, Camarada Manhattan. Nomes!

Tá louco! Ainda não tenho emprego com estabilidade.  :D Mas assim que o PT sair do governo eu dou mais
detalhes.  :hihi:





O PT  já saiu do governo.   :D



Título: Re:Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: João da Ega em 12 de Dezembro de 2016, 09:29:03
Nomes, Camarada Manhattan. Nomes!

Tá louco! Ainda não tenho emprego com estabilidade.  :D Mas assim que o PT sair do governo eu dou mais
detalhes.  :hihi:





O PT  já saiu do governo.   :D

Emoticon "comendo pipoca e aguardando".
Título: Re:Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Lakatos em 12 de Dezembro de 2016, 10:20:27
Caramba, tiraram o tópico lá do pré-sal. Povo curioso...  :lol:
Título: Re:Educação empesteada de relativistas anencéfalos
Enviado por: Spencer em 04 de Março de 2017, 22:15:34
Apenas para reativar o tópico, que merece ainda outras considerações destes bons foristas.


"As vezes olho para trás e reflito sobre as coisas que já me aconteceram.
Cada uma delas, de algum modo,  construíram o homem que sou hoje.
Isto não pode ser casual e percebo que existe uma conexão entre todos aqueles fatos.
Servimos a uma causa muito maior e não nos damos conta disto.
Destino, é a palavra que usamos.
Nos intricados meandros do subconsciente jaz um conhecimento que se expande lentamente, embora quase sempre relutemos em reconhecê-lo.
Conforta-nos a percepção de  que, humílimos seres sencientes, não somos ignorados ante a infinita e silenciosa imensidão do espaço, e sim alvos de meticulosa e continuada evolução.
Cada um, pela peculiar inteligência ou sensibilidade, por certo tempo servirá como peça delicada em máquina de altíssima complexidade e funcionamento.
Apenas que, com o passar dos séculos, em vez de meras engrenagens sinergéticas, conscientizamos de nossa responsabilidade e deixamos de ser componentes funcionais e nos tornarmos operadores no grande sistema cósmico."