Autor Tópico: Gatófilos e cachorrófilos do CC  (Lida 119004 vezes)

0 Membros e 2 Visitantes estão vendo este tópico.

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Mudança de Nick ou Avatar
« Resposta #50 Online: 01 de Abril de 2007, 20:35:53 »
ui é esse mesmo, que medo…
http://www.biociencia.org/index.php?option=com_content&task=view&id=51&Itemid=85
Mas ele é fofo, talvez seja agressivo porque mora em apartamento ou não é castrado.

Pode ser... as raças derivadas do persa não costumam ser agressivas, pelo contrário. Ou tem um desvio comportamental... isso ocorre quando a criação (o gatil que cria os gatos) não leva em conta a personalidade. Gatos desviados não servem como reprodutores, mas acabam ficando pq características comportamentais são mais dificilmente avaliadas do que as morfológicas.
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #51 Online: 01 de Abril de 2007, 21:15:04 »
Nina, este gato é lindinho também, mas não me parece tão dócil assim como você falou. Você sabe realmente se eles são mansos, ou é sua intuição. Parecem com os siameses, no qual são brabos pra caramba.

Siameses bravos?? Eu não acho, pra mim é apenas uma raça hiperativa.

Acredite, tenho amigos que tem dois siameses castrados e mesmo assim eles são agressivos. Você tem gatos?

Acho que isso vem da raça mesmo.

Acho que não é da raça não.. a raça é ativa, mas não violenta...
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Danieli

  • Visitante
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #52 Online: 01 de Abril de 2007, 21:22:31 »
É siameses são ativos e brincalhões, mas violentos não.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.425
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #53 Online: 01 de Abril de 2007, 22:10:40 »
Parece que as raças de gatos tem personalidades próprias.  Eu tenho muito contato com persas e eles são umas verdadeiras crianças carentes, vivem de barriga para cima pedindo carinho.  Uma amiga tem uns siameses que são mais "esnobes".  E conheço uma sagrado-da-birmânia que é um tanto desconfiada.

Pro espanto dos anti-deterministas, personalidade tem também componente herdável... Cada raça costuma ter uma descrição das características da personalidade... :D
Eu fico imaginando se isso não poderia ser em muito fetichização dos gatófilos, já que o principal alvo da seleção são coisas meramente estéticas.

E dependendo do grau de variabilidade genética da raça, a coisa fica mais simples ou mais complicada. Algumas raças, de cães ou gatos, são bem geneticamente pobres, tem bastante endogamia para manter o padrão da raça. Nesses casos, até acho que pode ser meio significativo. Ainda que, ao mesmo tempo, como o mais visado para os padrões da raça são caracteres estéticos (ainda mais no caso dos gatos, que não são selecionados para trabalho, como os cães), e então possam haver variações mais ou menos drásticas em decorrência disso, seja por alguma associação inconspícua da determinação dum caractere estético com algo comportamental ou por deriva mesmo, priorização de algo estético em detrimento do comportamental.

Já tem ainda as "raças" como "brasileiro de pelo curto" e o americano também - "vira latas", que já teriam provavelmente variabilidade maior, por serem "naturais", sem falar nos cruzamentos de raças mais "específicas", que no entanto são feitos não por criadores mas por donos, algo apontado pelos criadores como algo que contribui também para perda de padrão...





... de qualquer forma... alguém saberia me dizer sobre precauções necessárias para se ter mais um gato, quando já se tem uma gata adulta em casa? Eu estava pensando em adotar mais algum, porque estou tentando fazer com que essa que tenho agora saia de casa o mínimo possível (só quando escapa numa vacilada de alguém), para evitar que vire churrasco ou simplesmente brinquedo de psicopatas mais tímidos por aí. Com mais um eles esperançosamente poderiam brincar pela casa quando quisessem, sem precisar de brincar com uma pessoa que não estivesse fazendo nada, e possivelmente também teriam menos vontade de sair.

Me pergunto se uma gata adulta não seria agressiva com um gato filhote que não fosse seu, sendo talvez preferível um já de mais idade, "semi-adulto", que talvez a intimidasse mais mas dificultasse dela matar mesmo, se houver esse risco. E também se seria melhor um macho ou fêmea, lembrando que é uma fêmea castrada.

Estava pensando em perguntar isso no orkut, mas poderiam vir com orkutismos idiotas então vai aqui mesmo.

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #54 Online: 01 de Abril de 2007, 22:22:21 »

Eu fico imaginando se isso não poderia ser em muito fetichização dos gatófilos, já que o principal alvo da seleção são coisas meramente estéticas.

Depende da raça, Danniel… Os ragdolls, por exemplo, têm um componente comportamental importante. Uma das características que distinguem a raça é o relaxamento muscular quando manipulados… devem ser EXTREMAMENTE dóceis. Um ragdoll sem este comportamento, está fora do padrão.

Já vi até mesmo Maine Coon serem desclassificados por falta de docilidade ao serem manipulados em exposições.

Citar
E dependendo do grau de variabilidade genética da raça, a coisa fica mais simples ou mais complicada. Algumas raças, de cães ou gatos, são bem geneticamente pobres, tem bastante endogamia para manter o padrão da raça. Nesses casos, até acho que pode ser meio significativo. Ainda que, ao mesmo tempo, como o mais visado para os padrões da raça são caracteres estéticos (ainda mais no caso dos gatos, que não são selecionados para trabalho, como os cães), e então possam haver variações mais ou menos drásticas em decorrência disso, seja por alguma associação inconspícua da determinação dum caractere estético com algo comportamental ou por deriva mesmo, priorização de algo estético em detrimento do comportamental.

Infelizmente isso ocorre mesmo. Por isso que escolher um filhote é um exercício… é preciso visitar o ambiente de criação e ver o comportamento dos pais. Os gatinhos devem ser manipulados desde muito cedo para não reclamarem de colo, por exemplo. Eles precisam ser socializados, pois seus instintos primitivos são mais ativos do que os dos cães.

Citar
Já tem ainda as "raças" como "brasileiro de pelo curto" e o americano também - "vira latas", que já teriam provavelmente variabilidade maior, por serem "naturais", sem falar nos cruzamentos de raças mais "específicas", que no entanto são feitos não por criadores mas por donos, algo apontado pelos criadores como algo que contribui também para perda de padrão…

Na verdade, nem todo SDR de pêlo curto é um pêlo curto brasileiro. No Brasil são criads por um dois criadores apenas… e nunca vi um exemplar sequer em exposições, pq apenas um clube dos vários que existem consideram a raça.

Mas o fato é que as pessoas que cruzam gatos indistintamente, sem estudar a raça, acabam contribuindo para a perda de padrão mesmo. Estas raças tendem a ser mais resistentes, e terem um padrão menos rígido. Variabilidade alta nem sempre é bom, e isso é verdade principalmente quando se fala de um tipo pré-determinado.

« Última modificação: 01 de Abril de 2007, 22:37:24 por Nina »
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Offline Fabi

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.801
  • Sexo: Feminino
  • que foi?
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #55 Online: 01 de Abril de 2007, 22:31:43 »
… de qualquer forma… alguém saberia me dizer sobre precauções necessárias para se ter mais um gato, quando já se tem uma gata adulta em casa? Eu estava pensando em adotar mais algum, porque estou tentando fazer com que essa que tenho agora saia de casa o mínimo possível (só quando escapa numa vacilada de alguém), para evitar que vire churrasco ou simplesmente brinquedo de psicopatas mais tímidos por aí. Com mais um eles esperançosamente poderiam brincar pela casa quando quisessem, sem precisar de brincar com uma pessoa que não estivesse fazendo nada, e possivelmente também teriam menos vontade de sair.

Me pergunto se uma gata adulta não seria agressiva com um gato filhote que não fosse seu, sendo talvez preferível um já de mais idade, "semi-adulto", que talvez a intimidasse mais mas dificultasse dela matar mesmo, se houver esse risco. E também se seria melhor um macho ou fêmea, lembrando que é uma fêmea castrada.

Estava pensando em perguntar isso no orkut, mas poderiam vir com orkutismos idiotas então vai aqui mesmo.
No começo os dois gatos se "estranham", bom, você tem uma gata e eu um gato, no final do ano passado eu cuidei de uma gatinha filhote e trouxe pro meu apartamento, no começo os dois se estranharam e muito, porque o meu gato é grande e quando a gatinha viu ele acho que se assustou com o tamanho (rsrs) mas depois de uns dias eles pararam de se "estranhar" e até brincavam juntos :lol:.
Difficulter reciduntur vitia quae nobiscum creverunt.

“Deus me dê a serenidadecapacidade para aceitar as coisas que não posso mudar, a coragem para mudar o que posso, e a sabedoria para saber a diferença” (Desconhecido)

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #56 Online: 01 de Abril de 2007, 22:36:52 »
Citar
… de qualquer forma… alguém saberia me dizer sobre precauções necessárias para se ter mais um gato, quando já se tem uma gata adulta em casa? Eu estava pensando em adotar mais algum, porque estou tentando fazer com que essa que tenho agora saia de casa o mínimo possível (só quando escapa numa vacilada de alguém), para evitar que vire churrasco ou simplesmente brinquedo de psicopatas mais tímidos por aí. Com mais um eles esperançosamente poderiam brincar pela casa quando quisessem, sem precisar de brincar com uma pessoa que não estivesse fazendo nada, e possivelmente também teriam menos vontade de sair.

Me pergunto se uma gata adulta não seria agressiva com um gato filhote que não fosse seu, sendo talvez preferível um já de mais idade, "semi-adulto", que talvez a intimidasse mais mas dificultasse dela matar mesmo, se houver esse risco. E também se seria melhor um macho ou fêmea, lembrando que é uma fêmea castrada.

Estava pensando em perguntar isso no orkut, mas poderiam vir com orkutismos idiotas então vai aqui mesmo.

Em geral é mais fácil a adaptação de um filhote do que um gato mais crescido. É mais fácil se estiverem castrados (isso também diminui a vontade de sair de casa). Caso sejam animais de raça e a pessoa queira criar, há possibilidade de controlar cios com anti-concepcionais, mas eles podem causar câncer e nem sempre dá tempo de ministrar o remédio antes da gata entrar no cio. Gatas entram no cio pelo estímulo da presença de machos. E ovulam apenas com o estímulo da cópula. Mas nesse intervalo, elas costumam fazer muito barulho, sobreduto se tem origem de raças orientais (mais tagarelas, por natureza).

Minha experiência mostra que é mais fácil a adaptação quando os recém chegados são filhotes. E também, como sua gata é castrada e fêmea, pode ser tanto macho quanto fêmea. Mas fêmeas são um pouco menos territorialistas...

Duvido muito que ela vá matar o filhote, Danniel. Eu tinha o Ozzy (SRD, castrado), que estava ficando deprimido pq não tínhamos tempo para ele. Então ganhei a Amy Lee (maine coon, não-castrada). Ela veio com 4 meses para casa. A adaptação demorou 3 dias. O que eu fiz foi não negligenciar o gato velho (a gente tende a dar mais atenção pro filhote, por questões evolutivas, até!  :P)... E também, dei banho em ambos com o mesmo shampoo (ter o mesmo cheiro facilita a aceitação). Depois, adotei uma SRD tigrada castrada, a Teka, que acabou mais tarde ficando com meus pais. A adaptação dela com a Amy foi mais fácil, e a Amy já era adulta e não está castrada (até porque tem pedigree, etc), e nunca brigou com a Teka (a não ser quando a Teka fez bafo para mim, aí ela levou um cacete da Amy). O Ozzy estranhou mais... mas é porque ele é medroso. Agora, chegaram a Rumba (do avatar) e a Nayara (adulta, com 3,5 anos, reprodutora), ambas coonies. Eles até fazem "bafo" para os outros, mas não brigaram. Rosnam um pouco, mas estão mostrando interesse. A adaptação já tem uma semana, e vai demorar um pouco mais no caso da Nayara, pq ela também é medrosa. A pequena, Rumba, que está só com 6 meses, encarou numa boa. Ela não mostra tanto medo, e já está adaptada. Na verdade, não dá a mínima pros velhos... e os dois velhos já voltaram a brincar... logo eles incluirão a bebê nas brincadeiras...

Acho que um gato acompanhado é mais feliz, viu?!!! Eles gostam da vida social, embora sejam independentes.
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Offline Flush

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 299
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #57 Online: 01 de Abril de 2007, 22:38:11 »
Aqui ficam algumas fotos da minha bichaninha Shakti.  :)








Offline Fabi

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.801
  • Sexo: Feminino
  • que foi?
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #58 Online: 01 de Abril de 2007, 22:39:24 »
Ai que fofinha :lol:
Difficulter reciduntur vitia quae nobiscum creverunt.

“Deus me dê a serenidadecapacidade para aceitar as coisas que não posso mudar, a coragem para mudar o que posso, e a sabedoria para saber a diferença” (Desconhecido)

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #59 Online: 01 de Abril de 2007, 22:41:34 »
Que graça a Shakti!!!  :D

Tirei estas fotos da Rumba este fim de semana. Na exposição da semana passada foi a quarta melhor filhote de pêlo longo (padrão TICA).

Ela está com 6 meses e 3,5kg. É um Maine Coon - Brown Classic Tabby.

"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Danieli

  • Visitante
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #60 Online: 01 de Abril de 2007, 22:47:23 »
shakti é fofa, parece carente  :feliz:
o temperamento dela é dos bons?

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #61 Online: 01 de Abril de 2007, 22:58:21 »
Esta é a Nayara. Veio para casa já com 3,5 anos. Ela é a mãe da Rumba.

É uma Maine Coon - Brown Patched Classic Tabby.

"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #62 Online: 01 de Abril de 2007, 23:05:22 »
Esta é a Amy Lee, a dengosa. Está com 2,5 anos e pesa uns 7kg.

Ela também é uma Maine Coon, Brown Patched Classic Tabby.

A segund a foto é dela com dois meses!
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.425
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #63 Online: 01 de Abril de 2007, 23:08:52 »

Em geral é mais fácil a adaptação de um filhote do que um gato mais crescido.

Eu não imaginava crescido-crescido mesmo, mas mais especificamente um que não só fosse um cotoquinho completamente indefeso que eu precisasse ficar de olho constantemente para não ser morto... qualquer coisa um pouco maior, que já pudesse correr sozinho com alguma velocidade ou ameaçar revidar de forma mais crível que um pirralhinho poderia... se fosse muito maior que um filhote, acho que o problema de adaptação seria "duplo", enquanto nesse caso atual acho que é praticamente unilateral, o filhote deve aceitar o adulto por default, cessando as agressões do adulto os dois devem estar em paz... acho...

Outra coisa que eu me pergunto é se o fato da adulta ser fêmea talvez não contribuiria para agressão, já que sabe que não é filhote dela. Como aquelas coisas de leoas matando filhotes das fêmeas de outros bandos, e cadelas de rua também ouvi dizer que fazem o mesmo.



Citar
Mas nesse intervalo, elas costumam fazer muito barulho, sobreduto se tem origem de raças orientais (mais tagarelas, por natureza).
Nem me diga! :D Eu, tonto, demorei para cogitar que estivesse entrando no primeiro cio... pensava que ela só queria brincar, porque ficava miando/uivando, mas se fosse lá brincar com ela ela parava por um tempo. Mas depois de um tempo isso praticamente não adiantava, e finalmente ela ficava se colocando numa posição de lordose por reflexo a qualquer pessoa que aparecesse falando num cômodo onde ela estivesse ou algum outro ruido qualquer... dava até dó... e quando finalmente levei para castrar, a veterinária disse que era princípio de cio...

Nesse interim ela aprendeu a abrir maçanetas para sair de casa (as maçanetas aqui não são daquelas redondas, mas barras de se abaixar, na qual ela pulava, baixando com uma pata e se segurando com a outra para que o peso dela pendurada fizesse a porta abrir), além de ter aprendido a escalar a porta que dá para a garagem, para sair pelo telhado...



Citar
Minha experiência mostra que é mais fácil a adaptação quando os recém chegados são filhotes. E também, como sua gata é castrada e fêmea, pode ser tanto macho quanto fêmea. Mas fêmeas são um pouco menos territorialistas...
E se for um acho, é aconselhavel que seja castrado de qualquer forma, não? Tanto para não querer sair, quanto para evitar "desentendimentos" com a fêmea...

Mas mesmo que for castrado, esse há esse territorialismo do macho? E a que ponto pode chegar? Porque da última vez, há uns dois anos, tive dois machos não castrados, até que um expulsou o outro de casa.... eu achava o banido pela vizinhança, e trazia de volta, e era novamente expulso pelo outro eventualmente :(

Eventualmente os dois sumiram.... nunca mais os vi :chorao:



Citar
Duvido muito que ela vá matar o filhote, Danniel. Eu tinha o Ozzy (SRD, castrado), que estava ficando deprimido pq não tínhamos tempo para ele. Então ganhei a Amy Lee (maine coon, não-castrada). Ela veio com 4 meses para casa. A adaptação demorou 3 dias. O que eu fiz foi não negligenciar o gato velho (a gente tende a dar mais atenção pro filhote, por questões evolutivas, até!  :P)...
Ah, então... 4 meses acho que é uma idade que já se enquadra naquilo que eu tinha dito antes, se não me engano... são "mini-gatinhos" (talvez já nem muito cabeçudos, quase na proporção adulta, mas menor, não lembro), que fazem quase tudo que os adultos fazem...

minha preocupação é mesmo se poderia ser menor (não que eu fosse procurar assim necessariamente) e com aquilo dela ser fêmea e saber que o filho não é dela...

Citar
Agora, chegaram a Rumba (do avatar) e a Nayara (adulta, com 3,5 anos, reprodutora), ambas coonies. Eles até fazem "bafo" para os outros, mas não brigaram. Rosnam um pouco, mas estão mostrando interesse. A adaptação já tem uma semana, e vai demorar um pouco mais no caso da Nayara, pq ela também é medrosa. A pequena, Rumba, que está só com 6 meses, encarou numa boa. Ela não mostra tanto medo, e já está adaptada. Na verdade, não dá a mínima pros velhos... e os dois velhos já voltaram a brincar... logo eles incluirão a bebê nas brincadeiras...

Nossa! Quantos gatos! :D


Citar
Acho que um gato acompanhado é mais feliz, viu?!!! Eles gostam da vida social, embora sejam independentes.

É essa é a minha principal motivação mesmo... ela fica algumas vezes olhando para a janela (que agora tem uma tela para ela não sair) ou mesmo para o vidro distorcido da porta que dá para a garagem... aí dá dó...

E além de outro gato ter muito mais tempo livre para brincar que o pessoal de casa poderia ter, acho que eles se entendem mais nas brincadeiras... eu por exemplo não gosto muito de mordidas nos pés...

Obrigado pelas dicas!  :hihi:

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #64 Online: 01 de Abril de 2007, 23:11:00 »
E finalmente, este é o Ozzy. Ele é o cara mais rabugento que existe...  ::)

Tem 4 anos e é vira-lata mesmo. É o menor também... adulto, pesa só 3,5kg (o mesmo da bebê de seis meses).

Bom, é bastante gato mesmo... eu vou começar a criar os coonies, por isso vieram a Nayara e Rumba. E a Rumba está fazendo exames, talvez não fique.  :'(
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Offline Fabi

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.801
  • Sexo: Feminino
  • que foi?
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #65 Online: 01 de Abril de 2007, 23:15:16 »
O seu gato preto é muito fofo :lol:
Olhe o meu na cama do quarto de hóspedes (???).
Difficulter reciduntur vitia quae nobiscum creverunt.

“Deus me dê a serenidadecapacidade para aceitar as coisas que não posso mudar, a coragem para mudar o que posso, e a sabedoria para saber a diferença” (Desconhecido)

Danieli

  • Visitante
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #66 Online: 01 de Abril de 2007, 23:17:41 »
Qual o problema da Rumba, Nina??

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #67 Online: 01 de Abril de 2007, 23:29:20 »

Em geral é mais fácil a adaptação de um filhote do que um gato mais crescido.

Eu não imaginava crescido-crescido mesmo, mas mais especificamente um que não só fosse um cotoquinho completamente indefeso que eu precisasse ficar de olho constantemente para não ser morto… qualquer coisa um pouco maior, que já pudesse correr sozinho com alguma velocidade ou ameaçar revidar de forma mais crível que um pirralhinho poderia… se fosse muito maior que um filhote, acho que o problema de adaptação seria "duplo", enquanto nesse caso atual acho que é praticamente unilateral, o filhote deve aceitar o adulto por default, cessando as agressões do adulto os dois devem estar em paz… acho…

Ele tende a aceitar o lugar dele, já que não é o dono da casa... Acho que um filhote de até 6 meses não terá problemas de adaptação. Menos de dois meses requer muitos cuidados, não recomendo. E também, não é bom castrar antes dos 3 meses no caso dos SRDs (este tempo pode ainda ser maior para raças diferentes).

Citar
Outra coisa que eu me pergunto é se o fato da adulta ser fêmea talvez não contribuiria para agressão, já que sabe que não é filhote dela. Como aquelas coisas de leoas matando filhotes das fêmeas de outros bandos, e cadelas de rua também ouvi dizer que fazem o mesmo.

Acho que não, Danniel. Nunca ouvi falar disso com gatos... Olha, a Amy chegou a adotar a Teka como filhota dela... dava banho nela, vistoriava se ela fazia tudo certo na caixinha de areia... Acho que não terá problemas com isso.


Citar
Citar
Mas nesse intervalo, elas costumam fazer muito barulho, sobreduto se tem origem de raças orientais (mais tagarelas, por natureza).
Nem me diga! :D Eu, tonto, demorei para cogitar que estivesse entrando no primeiro cio… pensava que ela só queria brincar, porque ficava miando/uivando, mas se fosse lá brincar com ela ela parava por um tempo. Mas depois de um tempo isso praticamente não adiantava, e finalmente ela ficava se colocando numa posição de lordose por reflexo a qualquer pessoa que aparecesse falando num cômodo onde ela estivesse ou algum outro ruido qualquer… dava até dó… e quando finalmente levei para castrar, a veterinária disse que era princípio de cio…

Algumas gatas sofrem bastante... A Amy entrou no cio apenas duas vezes, até porque não tenho macho inteiro em casa. E a vantagem dos coonies é que não fazem barulho... mas a posição de cópula elas assumem mesmo.

Sabia que os donos, dependendo dos afagos nas ancas podem deflagar o cio da gata? Louco, né?  :stunned:

Citar
Nesse interim ela aprendeu a abrir maçanetas para sair de casa (as maçanetas aqui não são daquelas redondas, mas barras de se abaixar, na qual ela pulava, baixando com uma pata e se segurando com a outra para que o peso dela pendurada fizesse a porta abrir), além de ter aprendido a escalar a porta que dá para a garagem, para sair pelo telhado…

Gatos são inteligentes mesmo!! Eles aprendem de tudo... os meus são mais sossegados, e também tenho trincos que facilitam. Mas os nossos famosos SRD pêlo longo constumam ser os campeões em esperteza... acho que meus coonies são meio burros para estas coisas! E o Ozzy, como é vira-lata meio persa, é lerdo também!


Citar
Citar
Minha experiência mostra que é mais fácil a adaptação quando os recém chegados são filhotes. E também, como sua gata é castrada e fêmea, pode ser tanto macho quanto fêmea. Mas fêmeas são um pouco menos territorialistas…

E se for um acho, é aconselhavel que seja castrado de qualquer forma, não? Tanto para não querer sair, quanto para evitar "desentendimentos" com a fêmea…

Mas mesmo que for castrado, esse há esse territorialismo do macho? E a que ponto pode chegar? Porque da última vez, há uns dois anos, tive dois machos não castrados, até que um expulsou o outro de casa… eu achava o banido pela vizinhança, e trazia de volta, e era novamente expulso pelo outro eventualmente :(

Eventualmente os dois sumiram… nunca mais os vi :chorao:

É, porque macho tende a esguichar urina para marcar território também, quando não são castrados. Podem entrar em conflito mais facilmente. Gatos castrados são sempre mais fáceis de lidar.

Eu acho que se o gato for castrado e chegar em casa filhote, vai aprender que a dominante é a gata mais velha.

Citar
Citar
Duvido muito que ela vá matar o filhote, Danniel. Eu tinha o Ozzy (SRD, castrado), que estava ficando deprimido pq não tínhamos tempo para ele. Então ganhei a Amy Lee (maine coon, não-castrada). Ela veio com 4 meses para casa. A adaptação demorou 3 dias. O que eu fiz foi não negligenciar o gato velho (a gente tende a dar mais atenção pro filhote, por questões evolutivas, até!  :P)…

Ah, então… 4 meses acho que é uma idade que já se enquadra naquilo que eu tinha dito antes, se não me engano… são "mini-gatinhos" (talvez já nem muito cabeçudos, quase na proporção adulta, mas menor, não lembro), que fazem quase tudo que os adultos fazem…

minha preocupação é mesmo se poderia ser menor (não que eu fosse procurar assim necessariamente) e com aquilo dela ser fêmea e saber que o filho não é dela…

Ah, com quatro meses ele já se vira sozinho... A partir de 3 meses, ele já deve saber usar a caixinha sozinho e estar completamente desmamado. É só dar ração de filhote (que é menorzinha) que ele encara numa boa.

Como eu disse lá em cima, se você pegar um filhote muito menor, vai ter dor de cabeça... pq ele ainda precisará de leite, e às vezes ainda não vai saber usar a caixinha.

A fêmea vai tender a aceitar mais facilmente se for menor... Lembro que uma vez levei a Amy no pet shop para dar banho (vc não imagina o que é dar banho numa gata de 7kg), e passei no centro de adoção da Cobasi para cumprimentar a protetora que me doou a Teka. Ela tinha recolhido um gatinho que largaram lá na frente, naquele momento. Ele ainda nem tinha comido. Era um "sialata" (siamês vira-lata) bem pequeno, com uns 1,5 a 2 meses, no máximo. Ele miou fininho, e a Amy ficou louca... queria de todo jeito ver o filhote, cuidar do filhote... Nós afastamos pq afinal, o bichinho podia ter de tudo (parasitas) e precisava passar pela triagem. Mas despertou o instinto materno dela. Com certeza, acho que ela não atacaria ele... mas ela é uma gata supermeiga. Nunca brigou com outro gato por território... ela até já está tentando brincar com a Rumba!

Isso varia muito, de gato para gato... assim, eu pegaria um gatinho que já fosse suficientemente independente.

Citar
Citar
Agora, chegaram a Rumba (do avatar) e a Nayara (adulta, com 3,5 anos, reprodutora), ambas coonies. Eles até fazem "bafo" para os outros, mas não brigaram. Rosnam um pouco, mas estão mostrando interesse. A adaptação já tem uma semana, e vai demorar um pouco mais no caso da Nayara, pq ela também é medrosa. A pequena, Rumba, que está só com 6 meses, encarou numa boa. Ela não mostra tanto medo, e já está adaptada. Na verdade, não dá a mínima pros velhos… e os dois velhos já voltaram a brincar… logo eles incluirão a bebê nas brincadeiras…

Nossa! Quantos gatos! :D

Em agosto acho que terei os primeiros filhotes da Nayara...   :D

Citar
Citar
Acho que um gato acompanhado é mais feliz, viu?!!! Eles gostam da vida social, embora sejam independentes.

É essa é a minha principal motivação mesmo… ela fica algumas vezes olhando para a janela (que agora tem uma tela para ela não sair) ou mesmo para o vidro distorcido da porta que dá para a garagem… aí dá dó…

E além de outro gato ter muito mais tempo livre para brincar que o pessoal de casa poderia ter, acho que eles se entendem mais nas brincadeiras… eu por exemplo não gosto muito de mordidas nos pés…

Obrigado pelas dicas!  :hihi:

 :lol:
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #68 Online: 01 de Abril de 2007, 23:37:44 »
Qual o problema da Rumba, Nina??
Na verdade nenhum...

É que recentemente foi isolado um gene que causa Cardiomiopatia Hipertrófica em coonies. É a principal doença da raça e muito comum nos gatos da linhagem brasileira...

Cada raça tem seus problemas, e no caso dos Maine Coons, é a HCM a vilã. Então, já que existe o teste, o ideal é poder comercializar filhotes negativos apenas. A Nayara é negativa para mutação, e por isso está comigo. No gatil antigo dela, havia 3 gatos (duas fêmeas e um macho). Era uma criação artesanal, como será a minha. Mas os outros gatos foram testados e são heterozigotos. Como um heterozigoto passa o gene mutado a 50% da prole, eles foram retirados da criação. O macho está castrado, e a fêmea, que é muito boa, como poucas no país (padrão top show), vai para uma exposição no RS e talvez entre numa plano de manejo (a criadora não decidiu ainda).

A Rumba é filha desse macho com a Nayara, portanto, pode ser heterozigota também. Se ela tiver a mutação, será doada (minha mãe quer ela :D). Senão, fica no meu plantel, porque é muito boa.

A Amy eu já testei e é heterozigota. Além disso, ela não tem um padrão tão bom quando aquela gata de quem falei acima... acho que vou castrá-la. Ainda não decidi... mas não tenho coragem de cruzá-la, nem que o macho fosse negativo... E caso o faça, seria para tirar um macho negativo para entrar na criação (não tenho macho ainda), e eu doaria os filhotes positivos.

Já que esperei tanto para começar (estudo a raça e tudo mais há 3 anos), que pelo menos comece certo, né? :D
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Offline Flush

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 299
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #69 Online: 01 de Abril de 2007, 23:39:05 »
Ai que fofinha :lol:

Fofinha quando num tem as unhas de fora. lol

Danieli

  • Visitante
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #70 Online: 01 de Abril de 2007, 23:41:30 »
A Rumba é bonita, eu não sabia que tinham tantos testes pra fazer criação. :ok:

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #71 Online: 01 de Abril de 2007, 23:43:19 »
A Rumba é bonita, eu não sabia que tinham tantos testes pra fazer criação. :ok:

Nem todos fazem... na verdade, tem gente que sabe que tem gato afetado e continua ponto para cruzar. :chorao:

Mas algumas pessoas acham que é sacanagem vender um gatinho que pode morrer de uma hora para outra, o que vá dar despesas em veterinário, sendo que poderia ser evitado...

Este tipo de conduta é bem pessoal. ;)
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Offline Flush

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 299
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #72 Online: 01 de Abril de 2007, 23:44:32 »
shakti é fofa, parece carente  :feliz:
o temperamento dela é dos bons?

Inda é muito pequerrucha, gosta de estar sempre à beira das pessoas.
Temperamento é de luas. lol. Anda a maioria das vezes de unhas de fora. É um monstrinho hiper-activo!!

Andou a ver fotos de leopardos que eu tinha numa revista na Natural Geographic e quer ser igual. lol


Offline Fabi

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.801
  • Sexo: Feminino
  • que foi?
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #73 Online: 01 de Abril de 2007, 23:46:14 »
Ai que fofinha :lol:
Fofinha quando num tem as unhas de fora. lol
É verdade... rs, o meu gato também é fofinho... com os outros...esses dias só porque eu não achei a ração que ele gosta ele ficou bravo....e ele não gosta de outra ração...
Alguém sabe se aquela ração Whyskas (em pasta, não com aqueles pedaços) saiu de linha? Eles não vendem mais? Como eu diferencio aquela em pasta da outra já que vem em lata também? :hein:
Difficulter reciduntur vitia quae nobiscum creverunt.

“Deus me dê a serenidadecapacidade para aceitar as coisas que não posso mudar, a coragem para mudar o que posso, e a sabedoria para saber a diferença” (Desconhecido)

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Gatos e gatófilos do CC
« Resposta #74 Online: 01 de Abril de 2007, 23:47:30 »
Ai que fofinha :lol:

Fofinha quando num tem as unhas de fora. :lol:

Ah, dá para cortar as pontas das unhas... é até bom acostumar a fazer pedicure desde pequena!

Só não pode cortar a parte branca, só a ponta, transparente. Isso não faz mal, e a unha continua crescendo, sem problemas.

É como limpar orelha ou escovar os dentes... falando nisso, tenho que ir escovar os dentes da Rumba!!!!
Ela ainda tá trocando a dentição de leite! :D
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!