Autor Tópico: Olimpíadas 2016  (Lida 20906 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.


Offline Pedro Reis

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.905
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #576 Online: 24 de Agosto de 2016, 20:36:13 »
Geo, o Zika é uma doença sazonal. O fato de haver uma diminuição grande do número de casos no período se deve aos períodos chuvosos. Ele segue o mesmo padrão epidemiológico da Dengue.

Claro. O vetor da dengue é o mesmo da zika.

Por isso a histeria em torno dessa história de zika era completamente sem fundamento, fomentada - se quisermos ser condescendentes -, por um tipo de jornalismo péssimo. Conquanto é facílimo ter acesso aos dados, fica difícil entender porque as pessoas são tão mal informadas pela mídia.

O Rio de Janeiro infelizmente já convive com a dengue há décadas, mas até as pessoas comuns, a população em geral, têm conhecimento que nos meses de julho e agosto o número de casos cai a índices inexpressivos.

Citar

Casos de dengue no Brasil apresentam queda antecipada

Historicamente, a redução no número de casos acontece a partir do mês de junho. Também houve queda nos casos de zika

Publicado: 30/06/2016 15h52

Até 28 de maio, foram registrados 161.241 casos prováveis de zika.

Os casos de dengue deste ano no Brasil apresentaram queda antecipada em relação aos anos anteriores. Historicamente, a redução no número de casos era observada a partir do mês de junho.

Levantamento do Ministério da Saúde aponta que, a partir do mês de março, o País começou a mostrar tendência de redução, demonstrando um comportamento diferente do habitual neste ano.

Os números dos casos de dengue estão em declínio e já apresentaram redução de 99,2% no comparativo entre fevereiro e maio deste ano. O pico da doença, quando é percebida maior incidência de casos notificados, também ocorreu antes do previsto, em fevereiro, com 106.210 casos registrados na última semana do mês.

Em anos anteriores, a maior incidência de casos ocorria nos meses de abril ou maio. Já na última semana de maio, os números caíram para 779 casos da doença em todo o País.

Os números reforçam que os resultados das ações de enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti, intensificadas pelo governo federal desde o final do ano passado, contribuíram para antecipação da curva de sazonalidade da doença.

Olimpíada

Nas cidades onde haverá os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, os números apresentam comportamento semelhante ao nacional, com pico da doença entre fevereiro, março ou abril e queda expressiva nos meses seguintes.

O município do Rio de Janeiro, por exemplo, teve o maior registro de casos prováveis de dengue na última semana de fevereiro, com 2.420 casos. Nas semanas posteriores, os dados caíram, chegando a 12 casos notificados na última semana de maio, o que representa uma redução de 99,5%.

Zika

Os casos de zika continuam apresentando tendência de redução. Neste ano, o pico de maior incidência de notificações da doença foi registrado na terceira semana de fevereiro, com 16.059 casos. Na última semana de maio, os registros despencaram para 12, uma queda de 99,9%


http://www.brasil.gov.br/saude/2016/06/casos-de-dengue-no-brasil-apresentam-queda-antecipada

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.288
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #577 Online: 24 de Agosto de 2016, 21:46:48 »
Não, era uma preocupação bem fundamentada de epidemiologistas de diversos países. Havia, e há, a possibilidade de zika e dengue se proliferarem para outros países de clima similar, especialmente os mais pobres. A estimativa dos brasileiros, como contra-argumentação à preocupação dos epidemiologistas estrangeiros, era de 15 infecções para 500 mil turistas. Ainda próximo a essa, "confirmando-a" há uma estimativa de até 80 infecções.

Se ter tido SORTE do clima nesse ano ter reduzido as chances não é motivo para desqualificar essas preocupações, no ano passado a situação foi bem diferente:

Citar
Agosto tem 87% a mais de casos de dengue e zika no estado do Rio
Aumento é relativo ao mesmo mês do ano passado.
Tempo quente e chuvas são propícios para proliferação do Aedes aegypti.


O número de casos de dengue e zika vírus foi 87% maior em agosto de 2015 do que no mesmo mês do ano passado. E, como mostrou o Bom Dia Rio desta terça-feira (1), as autoridades estão se preparando para um mês de setembro com ainda mais casos. A variação climática pode antecipar a tendência de circulação das doenças mesmo fora de época.
...

De acordo com a Superintendência de Vigilância Epidemiológica, até o dia 15 de agosto desse ano, foram notificados 51.215 casos suspeitos de dengue no estado do Rio de Janeiro, com 13 óbitos: Miracema (1), Campos dos Goytacazes (1), Barra Mansa (1), Piraí (1), Paraty (1), Volta Redonda (1), Quatis (1) e Resende (6). No momento, nenhum município registra epidemia da doença.

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/09/agosto-tem-87-mais-de-casos-de-dengue-e-zika-no-estado-do-rio.html


"Meu Deus! Fez calor no Rio! Quem poderia imaginar?"

Offline Pedro Reis

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.905
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #578 Online: 24 de Agosto de 2016, 22:28:23 »
Qual o número absoluto de casos registrados em agosto de 2015 no Rio de Janeiro?

Qual a fonte desta estimativa de 15 infecções para 500 mil turistas?

Que epidemiologistas estrangeiros expressaram esse tipo de preocupação? Fontes...

A própria OMS ( Organização Mundial de Saúde ), em nota oficial, emitida após reunião de seu Comitê de Emergência, declarou expressamente que eram infundadas as preocupações concernentes a uma possível propagação do vírus zika como resultado da realização das Olimpíadas e Paraolimpíadas no Rio.

Citar

OMS reafirma segurança para a realização das Olimpíadas no Brasil

Agência Saúde

15/06/2016

 A Organização Mundial da Saúde (OMS) ressaltou, nesta terça-feira (14), durante a terceira reunião do Comitê de Emergência, em Genebra, de que é muito baixo o risco de propagação internacional do vírus Zika como resultado dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos no Brasil. Na reunião, membros do Comitê de Emergência reafirmaram que durante as competições o país estará no período do inverno, quando histórica e epidemiologicamente os índices das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti estão em declínio e atingem seu menor índice. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, apresentou na sexta-feira (10/06), em coletiva de imprensa, que os índices do Zika caíram 87% no país no comparativo entre fevereiro e maio deste ano.


http://www.riocontradengue.com.br/zika/site/conteudo/na-midia-interna.php?C=3544

A presença do vírus zika já é confirmada em mais de 70 países, incluindo os Estados Unidos.

A dengue já está presente em mais de 100 países, incluindo os Estados Unidos. 390 milhões de pessoas em TODO O MUNDO contraem a doença todos os anos.

Possivelmente ( e infelizmente ) em quase todos os lugares em que esta doença pode ocorrer, ela já ocorre. Portanto parece estranho que epidemiologistas acreditassem que as Olimpíadas no Rio poderiam ser um foco de propagação.

Especialmente considerando, como ressalta a própria OMS e não o nosso Ministério da Saúde, que no mês de agosto a incidência está em declínio e atinge o seu menor índice.

Para qual país pobre, exatamente, haveria o risco de "exportação" do vírus? ( Fontes... )

Offline Pedro Reis

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.905
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #579 Online: 24 de Agosto de 2016, 22:43:13 »
Aumento de 87% pode não significar, em si mesmo, muita coisa.

Se na última semana de maio ( quando o número de registros é sempre bem maior que em julho ), você já tem APENAS 12 casos registrados, então poderíamos projetar como um teto para agosto, estimando por cima, menos de 50 casos.

( Sendo que na semana anterior a abertura dos Jogos apenas um único caso foi confirmado ).

Isto já torna algebricamente incompatível com uma estimativa de 15 infecções para cada meio milhão de turistas no Rio.

Os números não batem.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.288
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #580 Online: 24 de Agosto de 2016, 22:55:58 »
Os casos confirmados não são o total de casos, e eventos turísticos devem atrair mais casos das vizinhanças.




Citar
http://revistapesquisa.fapesp.br/2016/06/01/risco-de-contrair-zika-durante-as-olimpiadas-divide-especialistas/

...

Para Massad, no entanto, a afirmação não tem base em evidências científicas. “Nós calculamos o risco individual de infecção pelo vírus da dengue durante as Olimpíadas, que é de 0,0005 [5 casos a cada 10 mil pessoas]. O risco individual de contrair zika é cerca de 15 vezes menor, ou seja, 0,00003 – algo em torno de 3 casos a cada 100 mil visitantes. Se são aguardados em torno de 500 mil turistas, teríamos aproximadamente 15 pessoas infectadas, sendo 10 casos assintomáticos e 5 com sintomas”, afirmou o pesquisador em entrevista à Agência FAPESP.

...

“Claro que tudo isso são estimativas muito cruas e, embora o risco seja muito baixo, nós recomendamos que as grávidas não venham para os jogos. Mas não é o caso de adiar ou transferir o evento”, opinou Massad.

Outra visão
Procurada pela Agência FAPESP, Diniz disse ver com “espanto” a segurança com que o texto enviado à The Lancet apresenta números para prever o risco de infecção por um vírus sobre o qual ainda se sabe pouco. “Não sabemos sequer a taxa de ataque do zika na população, por exemplo. Como a notificação compulsória dos casos de infecção pelo vírus só passou a existir em janeiro de 2016 no Brasil, tampouco sabemos a história da doença, crucial para poder traçar estimativa de risco futuro. Ou seja, esses números precisam ser acompanhados do alerta da dúvida”, avaliou a professora da UnB.

Diniz disse ainda que não são apenas as gestantes que estão em risco, mas todas as mulheres em idade reprodutiva, os homens que se relacionam com essas mulheres e seus planos reprodutivos conjuntos.

“A mais nova recomendação da OMS, por exemplo, sugere que homens com sintomas de zika aguardem seis meses antes de planejar uma gravidez com uma parceira. É sobre a reprodução de uma população que estamos falando. Infelizmente, nos parecem vários bons motivos para decidir evitar os Jogos Olímpicos do Rio”, concluiu.



Citar

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/olimpiadas/rio2016/noticia/2016/07/virus-da-zika-deve-atingir-ate-80-turistas-na-olimpiada-calcula-estudo.html

Vírus da zika deve atingir até 80 turistas na Olimpíada, calcula estudo
Pesquisa norte-americana reitera risco pequeno de contágio no Rio.
Dados confirmam avaliação da OMS e de pesquisadores brasileiros.






Essas estimativas ainda levam em conta só a transmissão através do mosquito.

http://www.expressomt.com.br/variedades/quase-50-das-mulheres-nao-sabe-que-zika-e-transmitido-no-sex-161581.html

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/06/1777011-oms-recomenda-oito-semanas-de-sexo-seguro-apos-visitar-areas-com-zika.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/esporte/olimpiada-no-rio/2016/05/1772334-rio-vai-distribuir-450-mil-camisinhas-na-vila-dos-atletas-e-bate-recorde-olimpico.shtml




Offline Pedro Reis

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.905
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #581 Online: 25 de Agosto de 2016, 00:20:21 »
Bom, você deve ter percebido que, mesmo fazendo uma citação seletiva dos textos, os dois links contestam positivamente a hipótese de que os Jogos pudessem representar qualquer risco epidemiológico a nível global, ou mesmo algum risco significativo de saúde para os próprios visitantes e/ou competidores.

Citar
“Se você não estiver grávida e decidir evitar os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro por medo de contrair zika, pode encontrar um motivo melhor; há muitos outros.”

É o que afirma o próprio pesquisador Eduardo Massad.

Também não é exata a sugestão/afirmação que houvesse duas posições em contraposição: epidemiologistas brasileiros em contraposição à epidemiologistas estrangeiros.

Vamos ser mais específicos: o que houve foi um documento ( carta aberta ) endereçado a OMS, cujos signatários eram um grupo de epidemiologistas de alguns países ( incluindo o Brasil ), expressando uma preocupação que era CONTRÁRIA a opinião da grande maioria dos pesquisadores, tanto brasileiros quanto estrangeiros.

Inclusive contrária até a própria posição oficial da Organização Mundial de Saúde.

E portanto, é menos exato ainda, sugerir que esta fosse uma posição unânime ou mesmo majoritária entre epidemiologistas estrangeiros. O oposto é que é verdadeiro.

Eu não posso avaliar as alegações técnicas, específicas, desse documento ( ou suas motivações ) mas, dentre outras coisas, o documento alega que houve no inicio de 2016 um aumento de 320% e 1150% dos casos registrados de dengue no Rio de Janeiro, em relação aos dois anos anteriores...  indicando um crescente da epidemia.

E de fato houve, sim, um aumento. Mas foi de apenas 100%.

( ????? )
« Última modificação: 25 de Agosto de 2016, 00:42:49 por Pedro Reis »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.288
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #582 Online: 25 de Agosto de 2016, 01:28:49 »
Não pretendi sugerir que fosse o consenso ignorado a noção de que as olimpíadas devessem ser adiadas. De qualquer forma, não há por parte de ninguém a eliminação de qualquer risco; ele é abertamente admitido, sendo até previsto um número "tolerável" de infecções, mas, acho, considerando ainda apenas a transmissão pelo mosquito. O fato é então que a zika poderá acabar indo parar em outros países em decorrência disso, mesmo que numa incidência que supostamente não ofereça dificuldade de controle a "qualquer país".

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.288
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #583 Online: 29 de Agosto de 2016, 16:25:49 »
28 graus no RJ. Aumentando as chances de disseminação de zika pelo mundo, com turistas que tiverem esticado.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.020
  • Sexo: Masculino
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #584 Online: 29 de Agosto de 2016, 16:36:11 »
O perigo já  acabou, as balas perdidas mataram todos os mosquitos .

Offline Johnny Cash

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.890
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #585 Online: 29 de Agosto de 2016, 19:55:02 »
Numa boa mesmo, dando que toda má notícia foi dada com destaque, o evento ocorreu mesmo muito bem.

Pode ainda se argumentar que era possível organizar melhor, com menos dinheiro, com mais plano para aplicação do dinheiro pós-evento ou até mesmo que o ideal seria não tê-lo realizado. MAS, eu pelo menos mordi a língua. Estava esperando que fosse absolutamente constrangedor, e acabou sendo bem legal.

Diria até que os organizadores, além de tudo, deram sorte.

Offline Skorpios

  • Tesoureiro
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.997
  • Sexo: Masculino
  • Homenagem a mais um amigo morto.
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #586 Online: 21 de Setembro de 2016, 07:45:37 »
Não terminou... :twisted:

Citar
Justiça do Trabalho bloqueia bens e contas de emissora oficial dos Jogos Olímpicos

A juíza Alba Valéria Guedes Fernandes da Silva, da 80ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, determinou na sexta-feira (16/09) o bloqueio de contas e indisponibilidade de bens da Olympic Broadcasting Service (OBS) no Brasil no valor de R$ 5 milhões.

A OBS é uma empresa criada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) para distribuição das imagens e sons dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos para todas as organizações que compraram os direitos de transmitir as competições. Trata-se de uma empresa com sede em Madri, na Espanha.

Segundo uma ação civil pública do Ministério Público do Trabalho (MPT), assinada pela procuradora do trabalho Viviann Brito Mattos, a OBS afirmou que contratou no Brasil: 10 empresas como prestadoras de serviço, 1.520 Microempresários individuais – MEI, 62 pessoas jurídicas individuais e 458 trabalhadores autônomos.

Os MEIs teriam de trabalhar 10 horas diárias, mas na prática estavam trabalhando muito mais, segundo trabalhadores ouvidos por uma auditoria do MPT.

Na ação, a procuradora afirma que a conduta da OBS “precariza as relações de trabalho, ora com a contratação de profissionais autônomos e MEI, ora por empresa terceirizadas, vinculados a ela de forma não eventual, subordinados à tomadora de serviços e integrados à atividade-fim”.

Como a empresa estava prestes a deixar o país com o fim das Paralimpíadas, foi requisitado liminarmente o “o bloqueio de valores mantidos pela em instituições financeiras brasileiras” e “a indisponibilidade dos bens da empresa em tela, especialmente os veículos de transmissão, com placa da EU e tudo que neles há, inclusive móveis e equipamentos de transmissão, que se encontram nas arenas olímpicas, notadamente no Parque Olímpico em frente a arena HSBC”.

Segundo a juíza, “da análise dos elementos trazidos nos autos reconhece este juízo que de fato existem indícios de que a empresa ré vem descumprimento preceitos legais trabalhistas, fazendo tábula rasa dos mesmos”.

A juíza deferiu a liminar pretendida pelo MPT “não somente pela eminência do término dos trabalhos no Brasil”, mas também “visando assegurar possíveis demandas, pela conduta ilícita da ré, as quais sem a presente medida poderiam se tornar inócuas”.

A OBS impetrou mandado de segurança (MS) contra a decisão na noite de sábado (17/09). A desembargadora Marcia Leite Nery deferiu parcialmente o pedido “tão somente para autorizar a circulação dos bens da impetrante na cidade do Rio de Janeiro, por período que lhe permita concluir os trabalhos de transmissão dos jogos paralímpicos”.
Se você agir sempre com dignidade pode não melhorar o mundo, mas uma coisa é certa: haverá na Terra um canalha a menos.

Millôr Fernandes

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.288
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #587 Online: 21 de Setembro de 2016, 16:10:39 »
Numa boa mesmo, dando que toda má notícia foi dada com destaque, o evento ocorreu mesmo muito bem.

Pode ainda se argumentar que era possível organizar melhor, com menos dinheiro, com mais plano para aplicação do dinheiro pós-evento ou até mesmo que o ideal seria não tê-lo realizado. MAS, eu pelo menos mordi a língua. Estava esperando que fosse absolutamente constrangedor, e acabou sendo bem legal.

Diria até que os organizadores, além de tudo, deram sorte.

E, ainda assim, em quanto se estima ser o prejuízo?

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.950
  • Sexo: Masculino
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #588 Online: 21 de Setembro de 2016, 23:15:27 »
Vocês viram que os equipamentos eletrônicos e demais itens comprados para as Olimpíadas podem acabar indo pro lixo porque não podem ser vendidos nem doados?

Citar
http://www.oantagonista.com/posts/exclusivo-mobilia-celulares-e-ambulancias-da-rio-2016-vao-para-o-lixo

Exclusivo: Mobília, celulares e ambulâncias da Rio 2016 podem ir para o lixo

Sociedade 21.09.16 16:31
O Comitê dos Jogos Olímpicos de 2016 está com uma batata quentíssima na mão. Os quase 30 milhões de itens adquiridos para equipar a Vila Olímpica, como 22 mil camas e 10 mil televisores, não podem ser doados por causa de restrições legais impostas pela Receita Federal.

Além do mobiliário, há centenas de computadores, ambulâncias e 20 mil smartphones Samsung que foram entregues aos atletas como parte do pacote de merchandising.

O Antagonista descobriu que o Comitê não tem mais dinheiro para bancar a armazenagem desse material em depósitos no Rio, ao custo mensal de R$ 2,5 milhões.

Se o imbróglio não for resolvido, o destino desses itens será o lixo.

Mais um recorde para o Brasil.


http://www.oantagonista.com/posts/exportacao-de-itens-da-rio-2016-poderia-render-milhoes

"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Skorpios

  • Tesoureiro
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.997
  • Sexo: Masculino
  • Homenagem a mais um amigo morto.
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #589 Online: 22 de Setembro de 2016, 07:28:23 »
Alguma coisa vem para cá. Porque o resto não poderia?

Citar
Presídios de Santa Catarina vão receber detectores de metal usados nas Olimpíada do Rio

O Ministério da Justiça anunciou nesta terça-feira a distribuição dos equipamentos de inspeção eletrônica usados nas Olimpíadas do Rio de Janeiro para as unidades prisionais de todo o país. Para Santa Catarina serão enviados 27 raios-x, 18 portais e 17 detectores manuais.

O valor total dos materiais a serem instalados no Estado é de R$ 1.514.732,52. Segundo o Ministério da Justiça e Cidadania, aparelhos de raio-X, portais de detecção de metal e detectores manuais devem substituir "a prática da revista vexatória nos presídios", que servem para evitar a entrada de armas e celulares nas prisões.

O órgão afirma que os contratos de compra dos equipamentos feitos pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen) para a Olimpíada já previam a entrega e a instalação dos mecanismos pelas empresas fornecedoras diretamente às penitenciárias, logo após o evento esportivo. A catarinense Valdirene Daufemback, diretora de Políticas Penitenciárias do Depen, afirma que os equipamentos terão dupla função:

— Ao mesmo tempo em que aumentam a segurança, impedindo que objetos não permitidos entrem nas unidades, como armas e celulares, os equipamentos vão permitir que os visitantes de pessoas presas não sejam submetidos a tratamentos que violem sua integridade.


A diretora de Ações Penitenciárias do Departamento de Administração Prisional de Santa Catarina (Deap), Talita Martins, afirma que os equipamentos devem chegar ao Estado na próxima semana. Depois disso serão levados para os presídios e penitenciárias que ainda não possuem a estrutura.

Hoje há raio-x em apenas quatro unidades: São Pedro de Alcântara, Criciúma, Florianópolis e Chapecó. Com a nova remessa, serão 31 presídios e penitenciárias do Estado com os materiais.

Veja abaixo o que são os equipamento que serão enviados a Santa Catarina:

Detector de metal manual - O detector de metal manual possui alta sensibilidade, sendo capaz de detectar pequenos objetos metálicos, lâminas e material não-ferroso.

Portal detector de metais - O portal detector de metal possui sensibilidade personalizável em oito zonas de detecção para maior adequação a diversos padrões de segurança. Além de ampla gama de objetos metálicos, é capaz de detectar pequenas lâminas de material ferroso e não ferroso em diversas orientações.

Raio-x - Equipamento de alta tecnologia para inspeção de volumes e objetos. Recursos avançados para detecção de drogas, explosivos, chips de celular e armas. Sistema de identificação de diferentes tipos de matérias através do número atômico. Funções de treinamento do operador com banco de imagens de diversos tipos de ameaças.
Se você agir sempre com dignidade pode não melhorar o mundo, mas uma coisa é certa: haverá na Terra um canalha a menos.

Millôr Fernandes

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.578
  • Love it or Hate it
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #590 Online: 22 de Setembro de 2016, 07:59:00 »
A Olimpíada foi um enorme fiasco, tão grande que fica até difîcil apontar evidências disso, que continuam escondidas numa maracutaia muito bem articulada.

Offline Skorpios

  • Tesoureiro
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.997
  • Sexo: Masculino
  • Homenagem a mais um amigo morto.
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #591 Online: 23 de Outubro de 2016, 14:47:25 »
Qualidade total. Alguém sabe se medalhas conquistadas em olimpíadas em outros países também "descascaram"?

Citar
Atletas reclamam de medalhas da Rio-2016 descascadas; Comitê oferece recall

Atletas que subiram ao pódio durante a Olimpíada Rio-2016 se decepcionaram poucas semanas após os Jogos ao constatar que suas medalhas começaram a ''descascar'', perdendo a película de tinta que as cobriam.

Medalhistas relataram o problema ao blog e encaminharam fotos das suas medalhas. A cor da medalha não importou, já que as coberturas de ouro, prata e bronze descascaram.

Um medalhista se mostrou chateado.

Outra, apesar de insatisfeita, afirmou que não pretende pedir para trocar, por motivos sentimentais.

A amigos e pessoas próximas que a aconselharam a pedir uma medalha nova porque a sua já estava ''zoada'', argumentou que foi aquela a medalha que recebeu no pódio e que tem as ''marcas de guerra'', pois esteve em contato direto com seu suor e lágrimas durante a Rio-2016.

O Comitê Rio-2016, ao ser questionado sobre o assunto, explicou que isso se deve ao mau uso e excessos cometidos com as medalhas. Deixá-las cair no chão ou pendurar três medalhas no pescoço de uma só vez, o que favorece uma situação em que uma fica raspando na outra, podem provocar danos, adverte.

O comitê explicou que há três opções para o atleta cuja medalha descascou ou apresentou algum outro problema, como amassados. Ele pode ficar com a medalha como está, pedir uma nova, ou verificar se a Casa da Moeda, que as cunhou, pode realizar reparos.

No caso de querer reparar ou trocar a medalha, o atleta tem que acionar sua confederação, que deverá entrar em contato com o COB (Comitê Olímpico do Brasil), que por sua vez levará o caso ao Comitê Rio-2016, que por fim encaminhará a medalha para a Casa da Moeda.

Segundo o Comitê Rio-2016, menos de 3% do número total de medalhas distribuídas (2.700) foram devolvidos, eliminando a necessidade de um recall total.
Se você agir sempre com dignidade pode não melhorar o mundo, mas uma coisa é certa: haverá na Terra um canalha a menos.

Millôr Fernandes

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.020
  • Sexo: Masculino
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #592 Online: 23 de Outubro de 2016, 18:01:12 »
Deve ser a maresia. :)

Ou mais um serviço  porco, como sempre.

Caraí, os caras vieram para cá e ficaram hospedados em um prédio novo que estava caindo aos pedaços,  competiram em uma piscina imunda de água verde e receberam uma merda de medalha que descasca antes de completar um ano.

Essa merda de olimpíada nunca acaba.


Offline Gabarito

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.787
  • Sexo: Masculino
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #593 Online: 19 de Maio de 2017, 10:08:08 »
Vamos puxar esse tópico para deixar mais claro o "legado" que a farra que Lula, Sérgio Cabral e Eduardo Paes fizeram quando comemoraram as Olimpíadas no Rio.
A conta ainda está chegando:

Citar
Engodo olímpico

O mesmo documento que aponta o rombo de R$ 132 milhões, almejando que o dinheiro público brasileiro seja usado para cobrir o déficit, faz menção aos pagamentos de oito diretores executivos do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos. Entre 2011 e 2016, eles receberam, entre salários e pagamentos adicionais, R$ 33,2 milhões

O Estado de S.Paulo
19 Maio 2017 | 03h01

Quando a cidade do Rio de Janeiro foi escolhida para sediar os Jogos Olímpicos de 2016, vendeu-se a ideia de que a população podia ficar tranquila. O evento esportivo seria custeado com dinheiro privado, cabendo ao poder público tão somente os investimentos em infraestrutura, especialmente no setor de transportes. Depois, dizia o discurso oficial, todo esse conjunto de investimentos seria convertido em inúmeros benefícios para a população. Não haveria apenas uma grande festa esportiva. A cidade do Rio de Janeiro receberia um proveitoso legado olímpico, diziam os otimistas organizadores.

Agora, menos de um ano após a realização dos jogos, a bonita história da Olimpíada como evento privado foi abandonada e os executivos da empresa organizadora tentam amealhar dinheiro público para cobrir suas dívidas, relata o repórter Jamil Chade, do Estado. As informações baseiam-se num documento da entidade, aprovado por seus diretores em fevereiro de 2017.

Segundo o informe, o evento no Rio foi deficitário, constando, em 31 de dezembro de 2016, um rombo de R$ 132 milhões. Em vez de assumirem o prejuízo, os executivos querem ajuda pública para cobrir o rombo, alegando que o déficit gerado é culpa da prefeitura do Rio de Janeiro e do governo federal.

Numa completa mudança de discurso, a entidade diz que os “subsídios” dos três níveis de governo eram “essenciais para o equilíbrio orçamentário da entidade (Comitê Rio-2016) e principalmente para garantir a inexistência de déficit, uma vez que desde a candidatura do Rio já se estimava que as receitas próprias do Rio-2016 não seriam suficientes para suportar todas as despesas necessárias para a organização dos Jogos”.

Alegam ainda que, em 10 de fevereiro de 2015, foi assinado entre o Comitê Rio-2016 e a prefeitura carioca um acordo que estabelecia a “obrigação de adquirir bens e serviços de infraestrutura necessários para o funcionamento do Centro Internacional de Transmissão (CIT), em contrapartida à transferência para a prefeitura de parte dos custos com energia temporários, em igual valor”, o que não teria sido cumprido pela administração da cidade.

Além do alegado descumprimento das obrigações por parte do poder público, obrigações estas nunca claramente reveladas – era sempre dito que se tratava de um evento privado e que haveria dinheiro público apenas para as obras externas –, o documento relata ainda outras causas para a situação deficitária do evento. “No primeiro semestre do ano passado, diversos fatores externos começaram a impactar diretamente na venda de ingressos, acomodações, hospitalidade, patrocínios entre outras fontes de receitas do comitê”, aponta o informe. “Os principais fatores que afetaram a receita foram: crise econômica do País, instabilidade política e surto de zika. Ademais, havia uma baixa procura de ingressos paralímpicos e patrocínios”, dizem agora os organizadores.

Ora, tudo isso faz parte do risco inerente a qualquer atividade empresarial, que pode resultar em lucro ou prejuízo. Foram inúmeras as ocasiões em que o Comitê Rio-2016 afirmou se tratar de um evento privado. Menos de um ano antes da Olimpíada, por exemplo, a organização alardeava que iria movimentar R$ 1 bilhão com produtos licenciados e que o seu orçamento de R$ 7,4 bilhões era composto exclusivamente de recursos privados. É bem estranha, portanto, a tentativa de dizer agora que o contribuinte brasileiro precisa cobrir o rombo do evento.

Nem todas as contas da Olimpíada, porém, foram negativas. O mesmo documento que aponta o rombo de R$ 132 milhões, almejando que o dinheiro público brasileiro seja usado para cobrir o déficit, faz menção aos pagamentos de oito diretores executivos do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos. Entre 2011 e 2016, eles receberam, entre salários e pagamentos adicionais, R$ 33,2 milhões, diz o documento. Certamente, legado não faltou para essa gente.


Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.516
  • Sexo: Masculino
Re:Olimpíadas 2016
« Resposta #594 Online: 19 de Maio de 2017, 10:11:49 »
Citar


Cadeia para os três vagabundos da foto.

Já!!!!
Foto USGS

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!