Autor Tópico: Estatísticas Ateístas  (Lida 10336 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.822
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #75 Online: 09 de Setembro de 2014, 15:04:48 »
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Discordo, ateu é exatamente "sem deus/divindades".

Então você discorda concordando com o que eu falei? Posso viver com isso.
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #76 Online: 09 de Setembro de 2014, 15:09:50 »
O ateu sem "deus" não é aquele que disputa com um religioso a certeza sobre existirem ou não os deuses/divindades/unicórnios, mas aquele que não cogita explicar o mundo com a possibilidade de deuses/divindades/papagaios fantasmas...

Esta frase não faz sentido. O ateu sem deus? Há algum ateu com deus?
Sim, o ateu sem "deus"(o a teu) como ateu diferente do ateu que não acredita em deus, que leva à ideia de que tem uma crença na não existência de deuses.


ps: podes tentar "enfiar" os unicórnios, papagaios e duendes na conversa, mas nada disso tem algo que ver com ateísmo.
A coisa toda já foi explanada, só resta a você acatar ou não.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #77 Online: 09 de Setembro de 2014, 15:16:57 »
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Discordo, ateu é exatamente "sem deus/divindades".

Então você discorda concordando com o que eu falei? Posso viver com isso.
Não concordei com você, aliás, desde o paragrafo 1, mas você facilitou muito pra mim quando abriu o  paragrafo 2 aí acima, ao propor que deveria haver uma distinção para os deuses/divindades; espíritos, fadas, fantasmas, etc., etc....

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.701
  • Sexo: Masculino
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #78 Online: 09 de Setembro de 2014, 15:21:04 »
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Discordo, ateu é exatamente "sem deus/divindades".

Então você discorda concordando com o que eu falei? Posso viver com isso.
Não concordei com você, aliás, desde o paragrafo 1, mas você facilitou muito pra mim quando abriu o  paragrafo 2 aí acima, ao propor que deveria haver uma distinção para os deuses/divindades; espíritos, fadas, fantasmas, etc., etc....

E não há uma clara distinção entre aqueles que creem em entes sobrenaturais?

Deuses e divindades não ocupam o topo na hierarquia e então não são seguidos dos demais, entre eles os duendes, as fadas, os fantasmas, etc?
Foto USGS

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #79 Online: 09 de Setembro de 2014, 15:46:20 »
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Discordo, ateu é exatamente "sem deus/divindades".

Então você discorda concordando com o que eu falei? Posso viver com isso.
Não concordei com você, aliás, desde o paragrafo 1, mas você facilitou muito pra mim quando abriu o  paragrafo 2 aí acima, ao propor que deveria haver uma distinção para os deuses/divindades; espíritos, fadas, fantasmas, etc., etc....

E não há uma clara distinção entre aqueles que creem em entes sobrenaturais?

Deuses e divindades não ocupam o topo na hierarquia e então não são seguidos dos demais, entre eles os duendes, as fadas, os fantasmas, etc?
Nesse mesmo post já esta expresso o modo como eu vejo o misticismo.



Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.
O mesmo para fantasmas, fadas, duendes, lantejoulas espirituais...

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #80 Online: 09 de Setembro de 2014, 18:21:41 »
O prefixo "a-" de origem grega presente na palavra "ateu", pode significar também negação ou rejeição, e não somente privação e ausência.
Aaaah, "pode **também**"?!
Sim, segundo os dois principais dicionários da língua portuguesa (Houaiss e Aurélio) e outras fontes:

a-
elemento de composição
[...]
5) como pref. de orig. gr. com a acp. de 'privação, negação', ver a(n)- (Houaiss, V. 3.0.)

a-3
[Do gr. a- ou an-.]
Prefixo.
1.= ‘privação’, ‘negação’ (Aurélio, V. 5.0.)

Negação lexical
A negação lexical faz-se em português através do "morfema de negação". Este se materializa na fala através dos alomorfes a-, des-, i-, in- e não-. (Professor Paulo Hernandes, professor de língua portuguesa, linguística, semântica e lexicologia)

Detalhe sobre "ateísmo", palavra esta de origem grega, onde formada pelo prefixo "a-" com sentido de negação, e o radical "teu" com sentido de deus(es) e o sufixo "-ismo"com sentido de sistema de pensamento, significava a postura daquele que negava os deuses, onde podemos encontrar registros históricos (gregos) sobre a mesma nos seguintes exemplos:

Platão (filósofo grego) foi o primeiro a desenvolver uma teoria sobre os sentidos de "ateísmo", segundo ele, existiam dois tipos de ateísmo, aquele que negava a existência dos deuses, e aquele que admitia existência dos deuses, mas negava a influência/interesse destes pelas causas humanas. (Abbagnano, Dic. de Filosofia)

Sócrates foi condenado a morte pelo Estado, uma das acusações feitas a ele foi a de negar os deuses do Estado. (Sócrates, Enciclopédia Britânica)

Diante disso, acho sensato admitir que o ateísmo afinal se trata da negação dos deus(es) (de sua existência ou no mínimo da influência/interesses sobre as causas humanas).

E como esta negação é reconhecida por aquele que nega, como a verdade, acaba por consequência sendo também uma crença, como já explicado supra.

Sobre o restante do discurso verborrágico do Cientista, nem vale apena uma resposta, mais acusações infundamentadas e exemplos de infantilidade, como na sua atitude de papagaio ao repetir os posts dirigidos a ele. Uma lástima, um senhor se comportando como uma criança birrenta.  :P

Abraços!


Gostaria apenas de salientar que o grego "THEOS" não é apenas "deus", mas também pode ser "líder", "líderes".

Logo, ateísta não é apenas "sem deus", mas também "sem líderes", anarquista.

Me afasto novamente para continuar apenas observando o debate, à luz agora desse fato que vinha sendo negligenciado, mas que julgo ser de suma importância.

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #81 Online: 10 de Setembro de 2014, 05:18:58 »
E veio o outro jovem para "só assistir". Mas não sem antes dar seu 'pitaquinho'! hahahahahhahahaha...

Não, meu filho, não é ateísta que é " "sem deus" ", não... É ateu!





Agora... vamos à diversão da boa! Mas, antes, quero informar que incluí uma correção em meu post 67. Peço que atentem para ela.

Cientista, para onde vais, já eu de lá venho.
Hmmmmm... Será mesmo?...  Vejamos...  (É, vi aquela tua autoapresentação.)

Bom dia. Já fiz uns posts por aqui mas só agora é que vi este tópico.

Chamo-me Ricardo, tenho 28 anos, vivo no Porto (portugal) e sou ateu desde fevereiro deste ano.

Sou o primeiro ateu da minha família (pelo menos que eu tenha conhecido) e descobri há duas semanas que o meu irmão mais novo também é, apesar de frequentar ainda a igreja e ajudar no "louvor".

Frequentei uma "seita" que se chamava "Igreja Baptista de Carreiros" até aos meus 13/14 anos e depois os meus pais saíram com os meus avós e juntaram-se a uma igreja evangélica baptista.

Comecei a minha relação com a minha namorada há 6 anos e 4 meses e ela foi uma grande e boa influência para mim no meu caminho para a liberdade. Ela é ateia desde os 13 mas apesar disso nunca me criticou ou impediu de ir à igreja. Apenas a forma de ser dela me levou a questionar algumas coisas (como por exemplo, que os ateus eram "más pessoas" porque não acreditavam num deus).

E por agora é tudo.

Abraços.

Então, filho, dizes que vens da crença (e há tão pouco tempo!) e é para lá que pensas que vou, ou...  desejas (!) que eu vá?! Por que me desejas tanto mal, filho?! Não me rogues praga, imploro! Tenho meeeedo!  hahahahahahhahahahahaha...

Deixe ver...  agora, seriamente, seriamente...   28 anos... típicos pensamentos...    chegou à 'brilhante conclusão' tão tardiamente...   por outro lado, até que não explicita uma inteligência a se desconsiderar (ou o Cientista não estaria aqui agora  ...do meu lado hahahahahhahaha...), o que salva um tanto a situação (a média humana é uma tragédia e qualquer coisa acima dela é de se aplaudir)...    vejamos...         ...olha, filho, vais, com alguma possibilidade, migrar um pouquinho, bem muito pouquinho (muito mais pouquinho que aquele pouquinho que melhoraria aquela besteira do Hitchens) na direção, não exatamente vetorial, mas 'tensorial', onde está o Cientista. Mas não vai mudar muita coisa para ti não, lamento... O Cientista é, a ti, inalcançável. É que muito além do acima da média, há lá o topo, tá vendo? Está sob eterna nublação para os que olham de baixo, de fora, mas está lá, existe mesmo! hahahahahahahahahah...

Obs.: Esse "abraços" ao final...  Coincidência?... Conformização empático-instantânea?...  Muito estranho...   hahahahahahahahah...


Tu vens para aqui dar as tuas opiniões
Onde dei opiniões aqui, no que pertenceria à questão, filho?! Não vi!


e nem com as definições do dicionário tu concordas.
Qual delas? Tenho que concordar com todas, inclusive ao mesmo tempo?!

Não se pode discordar das definições de dicionários?

Dicionários são livros sagrados, religiosos?

Dicionários são inerrantes, não só gramatical-ortograficamente?

É... pelo visto, tens mais autotrabalho libertador a fazer... Desejo-te que não te demores outros 28 anos para cumpri-lo!   hahahahahahahha...


Nesse caso, só me resta deixar-te a conversar sozinho,
Ora, em relação a ti, já estava eu a "sozinho conversar", uma vez que até agora, tu não me disseste absolutamente nada! ...Ou, só me confirmou! Dizer para mim o que eu mesmo digo a ti e, óbvio, a mim mesmo, me é equivalente a eu conversar comigo mesmo!  hahahahahahahah...

Puxa, eu esperava quando tu fosses começar a conversar comigo...  Tô triste...


já que está visto que tu és daquelas pessoas "do contra" apenas "porque sim".
Está vendo?! Estou tentando falar com "alguém", mas esse "alguém" parece um chacoalhador simples de palavras.


Se queres "ensinar" alguém, coloca aqui as tuas fontes que contradigam as definições do dicionário.
Mas aí, não seria eu a "ensinar", seriam as (tais das) "fontes"...   ...hidrominerais, termais...? Ou o sistema linguístico grego de 2000+ anos atrás?...  hahahahahahhahahaha...  Se sou eu a "ensinar", deveria ser eu a "fonte", não achas? "Fonte" contra "fonte" não é "ensino/aprendizado", é, afora debate, remoeção do passado.

Mas... (re -- é que não deves saber, talvez...)esclareçamos...

Na verdade, não quero ensinar ninguém, não creio nisso, só em querer aprender   ...ou, nem nisso. Apre(e)nder dados é uma coisa; aprender modos diferentes de pensar, ainda está para confirmação.


Não te vou dar mais trela porque, sinceramente, não estou para perder tempo com alguém que escreve muito mas não diz nada.
Revoltou...   hahahahahahahah

Tá bem, tá bom, filho!


Tens de ir para escola de novo relembrar que os prefixos de negação (a/an/des/dis/...etc) não querem apenas dizer "sem". Podem indicar privação, negação, afastamento, separação, aproximação, junção...
E daí que *fosse*, à exatidão, realmente, o que dizes aí? Qual se deveria, em toda a confusão da língua, adotar? Quem decide? Tu não disseste que a língua evolui? Por que não pode, ao menos, melhorar, ter signos desambiguados?

Filho, não quero te deprimir, mas vejo que quem precisa dar uma recapitulada é tu. Tais prefixos são de origens várias e suas grafias não se deve confundir com seus conteúdos de significado. Estamos falando da palavra ateu. Não sabes qual o a é **este** que está nela, meu jovem? ...Nada bom...


Há uma coisa que se chama evolução.
(Que não deve ser entendida como melhoria, entendimento que muito frequentemente se dá, inclusive dicionarizado, e que já é, em si, como palavra, um exemplo de deturpação linguística, a causar grande confusão.)

E uma que se chama degeneração.


E a linguagem e as palavras também evoluem.
(Quer dizer que as tais "fontes" "evoluem"? Não são estáticas eternas divinamente imutáveis?! Oooora... que coisa...  hahahahahah... Só não pode o Cientista opor contestação?! Pobre Cientista proscrito segregado do mundo...  hahahahahahhaha)

Hahahahahahahahahahahah...

E também degeneram.


Se queres aplicar a palvara "ateu" com o significado com que nasceu, para designar os "ímpios", tudo bem.
Ôôôuuuuu, muito obrigado! Mas, na verdade, nem quero aplicar tal palavra. Prefiro abandoná-la, pois que o que ela significa é vazio de aplicabilidade. É palavra de um pleonasismo (hahahahaha pleonasmismo fica melhor, embora possa-se identificar similitude nazista nessa coisa... hahahahah) anulante. Para que chamar qualquer coisa de ateu, se tudo é? Poder-se-ia, talvez..., aplicá-la para nomear o universo de forma pitoresca, poética -- "o (todo) ateu"... --  ...mas é bobagem, já tem universo, que tá bastante bom, ...por enquanto. hahahahahah...


Mas isso foi há 2500 anos.
É de onde vem a etimologia, filho...  Aqueeela! Aquela a qual tu recorreste quando disseste "estou a aplicar no sentido etimológico..."  hahahahahahhahahahahahahha...


Estamos no ano 2014
Sério, filho?!!!! Ih... acho que devo calibrar a máquina melhor da próxima vez...  Obrigado pela informação!      hahahahahahhahahahaha


e em 2014 a palavra ateu tem o significado que está no dicionário e todo o mundo usa (não acreditar em divindades / negar existência de divindades).
Acho que...  o Cientista já disse isso...   Deve ser um dèja vu...  hahahahahahahahah

Mas, a língua "evolui", não? Só não pode ser por atos contestatórios iniciais do Cientista, certo?

"Cientista, tu não pode?!"   hahahahahahahahah


Se queres viver no século V a.C,
Isoooola! Tu não fazes ideia do que é só passar um tempinho lá... Jamais queiras, filho! Jamais!


tudo bem, mas não te admires de ninguém concordar contigo.
(É nestes momentos que me pergunto: de que adianta esse pessoal todo doutrinando-se por esses catálogos de recursos "anti"falácias prontos, se só o que aprendem é a proferi-las? hahahahahahahhahaha)

Assim como...  um descrente cheio de crentes em volta não se deve admirar da discordância dos crentes quanto à(o objeto da) crença em relação a ele?...     hummmmmmm...    hahahahahahahahaha...  Tu, neófito (hahahahah, não, neófito não...) novato na "descrença" ("ateísmo"), afora teus todos "amigos escolares-universitários descrentes", mais quem te comunique que seja "ateu", além de teus familiares os que são crentes, mais todos os crentes que conheceres de todos os "90%" dos teus "10%" avaliados, já experimentas a "(não) admiração em seres discordado"?  hahahahahahahahha...

Bom... vamos ao Cientista!

Não me admiro, me admiraria do contrário! Mas, qual o problema de não concordarem comigo, o mundo todo que seja, quando eu estou certo? É para tentar me intimidar essa falácia, filho? hahahahahahah Não funciona não...  te esqueças! Você, para ser "ateu" (descrente em 'deus' qualquer/todos), precisa de, pelo menos outro ateu no mundo para te oferecer 'força e confiança'? És fraco de 'espírito' assim, filho? O Cientista não; nem espírito o Cientista tem!  hahahahahahahhahahaha...


Em relação à frase do Hitchens, se és incapaz de compreender uma ideia transmitida não literalmente, então estás condenado a nunca conseguir compreender um poeta.
Serve... digamos...  compreender mas contestar? Será que o Cientista tem uma chancinha de salvação?!...   hahahahahahahahahahah...


Dizer que a religião envenena tudo é uma força de expressão,
Sim, mas o que importa é que é uma expressão sem força. Para mentes crentes, que acreditam na "força de expressão" de expressões sem força, acreditarão que podem combater o 'mal da crença' pela própria.


da mesma forma que dizer que as religiões são a raíz de grandes problemas no mundo o é.
...


Se és tão literalista, deverias ter dito que não faz sentido uma religião ser um veneno ou uma raíz.
Mas... eu disse!    ...Vejo que não leste o que o Cientista tão abnegadamente te postou, não, meu jovem?...    Que triste...   hahahahahahahahaha...


Fico por aqui.
Ficamos, cada qual, no seu "aqui", aqui. O Cientista, pelo menos, sempre fica em algum lugar que, para ele, é "aqui".  hahahahahahah...


Já deixei a minha opinião sobre o tema do tópico.
Chegou a tanto?! Nem vi...







O prefixo "a-" de origem grega presente na palavra "ateu", pode significar também negação ou rejeição, e não somente privação e ausência.
Aaaah, "pode **também**"?!
Sim, segundo os dois principais dicionários da língua portuguesa (Houaiss e Aurélio) e outras fontes:

a-
elemento de composição
[...]
5) como pref. de orig. gr. com a acp. de 'privação, negação', ver a(n)- (Houaiss, V. 3.0.)

a-3
[Do gr. a- ou an-.]
Prefixo.
1.= ‘privação’, ‘negação’ (Aurélio, V. 5.0.)

Negação lexical
A negação lexical faz-se em português através do "morfema de negação". Este se materializa na fala através dos alomorfes a-, des-, i-, in- e não-. (Professor Paulo Hernandes, professor de língua portuguesa, linguística, semântica e lexicologia)
Jovens, é negação ***de presença***! É o mesmo que privação; nada muda. É negação passiva, não ativa, não consciente, objetivada, direcionada intencionalmente. Como uma(/na aplicação da) negação lógica, em que um 1 é ausência de um 0, e vice-versa. Negação (também) é ausência, e é (só) por isso que a- tem "função de negação também". A própria palavra negação tem múltiplos sentidos, e é neste atoleiro linguístico que vocês todos se afundam e, sem o perceber, nem querem sair dele.

Ai, meu santo Proteus...  A gente sobrevive...  hahahahahahhaahah...

Que lamentável...

Me digam uma coisa, jovens, só por curiosidade... o sangue famigeradamente conhecido como de "tipo O" é O ou 0? Por quê?


Detalhe sobre "ateísmo", palavra esta de origem grega, onde formada pelo prefixo "a-" com sentido de negação, e o radical "teu" com sentido de deus(es) e o sufixo "-ismo"com sentido de sistema de pensamento, significava a postura daquele que negava os deuses, onde podemos encontrar registros históricos (gregos) sobre a mesma nos seguintes exemplos:

Platão (filósofo grego) foi o primeiro a desenvolver uma teoria sobre os sentidos de "ateísmo", segundo ele, existiam dois tipos de ateísmo, aquele que negava a existência dos deuses, e aquele que admitia existência dos deuses, mas negava a influência/interesse destes pelas causas humanas. (Abbagnano, Dic. de Filosofia)

Sócrates foi condenado a morte pelo Estado, uma das acusações feitas a ele foi a de negar os deuses do Estado. (Sócrates, Enciclopédia Britânica)

Diante disso, acho sensato admitir que o ateísmo afinal se trata da negação dos deus(es) (de sua existência ou no mínimo da influência/interesses sobre as causas humanas).
Mas...  DE NOOOOOOOVOOOOOOOOO!!!!!!!!  NÃÂÂÂÂOOOOOOOOOO!!!!!!!!! Vocês querem levar o Cientista à loucura, jovens?!!!!!!!  Ele vai..   ..gri. . .tAAAR..AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAH...

E o pior é que ele tá gritando é aqui do meu lado, no meu ouvido! hahahahahahhahahahahahhahahahahahhahahahahhahahahahahahhaha hahaha...

Calma, Cientista! Eles sabem que não estamos falando de ateísmo/ateísta, eles sabem...   sabem que é ateu a palavra em questão! É só que...  são jovens ainda... dê o desconto. Tu não foste jovem um tempo?   hehehehehehehhehe... É, no SEU caso, acho que nunca foi exatamente não... Esse Cientista...  Tu é superdemais, FE-DE-RAL SUPER-UNIVERSAL, cara!  hahahahahhahahahahahahahaha...


E como esta negação é reconhecida por aquele que nega, como a verdade, acaba por consequência sendo também uma crença, como já explicado supra.
Aleluia!!!!!!!! Enfim, uma coisa para concordarmos! (embora que... qual é mesmo "toda a importância" disso?...   ora, não importa, é motivo-desculpa para brinde!  hahahhahahah)

Também entendo que ateísta é crente!

VIVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!


Sobre o restante do discurso verborrágico do Cientista, nem vale apena uma resposta, mais acusações infundamentadas e exemplos de infantilidade, como na sua atitude de papagaio ao repetir os posts dirigidos a ele. Uma lástima, um senhor se comportando como uma criança birrenta.  :P

Abraços!
Sobre o restante do discurso verborrágico do jovem Skep, nem vale a pena uma resposta; são só mais acusações infundamentadas e exemplo de infantilidade, como na sua atitude de não entender que papagaios repetem, não devolvem os posts vazios dirigidos a eles. Uma lástima, um jovem se comportando como uma criança birrenta.

hahahahahhahahahahahhahahahahahahaha...






Obs: Quero deixar claro que ainda me divirto com as baboseiras que o Cientista escreve, e as vezes eu penso que ele só se porta desta maneira somente para me fazer rir.  :histeria: :histeria:
Quero deixar claro que ainda me divirto com as baboseiras que o jovem Skep escreve, mas, infelizmente, não penso nem nunca pensei que ele só se porta desta maneira somente para me fazer rir.   hahahahahahahahahahahahhahaa...








O ateu sem "deus" não é aquele que disputa com um religioso a certeza sobre existirem ou não os deuses/divindades/unicórnios, mas aquele que não cogita explicar o mundo com a possibilidade de deuses/divindades/papagaios fantasmas...

Esta frase não faz sentido. O ateu sem deus? Há algum ateu com deus?
Sim, o ateu sem "deus"(o a teu) como ateu diferente do ateu que não acredita em deus, que leva à ideia de que tem uma crença na não existência de deuses.
E aqui tu alvejas em cheio o alvo encoberto da dupla aleivosia contida na terminificação (nervosa hahahahahaha) contra a qual, muito procedentemente, postulo. Primeiro, o termo ateu foi pejorativamente cunhado, por quem não pode(ia) fazer a menor ideia do que seja uma mente descrente, para tais mentes descrentes. Submeter-se a isso seria como acatar um 'bullying histórico' contra si mesmo. Segundo, da perspectiva dos cunhadores, o que havia mesmo nos tais "ateus" era uma "ausência divina", mesma ideia dos congêneres do tal Datena que causou rebuliço por chamar os criminosos de "sem deus no coração (os corações dos criminosos seriam ateus)", equibidirecionalizando a ideia -- "todos que não têm (algum, ao menos) deus, não só no coração, mas em nenhuma parte do corpo/alma, são, por definição, criminosos". Em ignorância e coisa pior, não sabem que deuses não existem, tanto neles quanto em tudo mais. É este o pensamento que gerou a palavra ateu. Devo eu ser à toa ao ponto de sujeitar-me a isso? hahahahahhahaha... E só porque "o mundo quer assim"? Por mim, antes, que se explôda o mundo.   E...   hahahahahahhahahaha...


Mais ponto para ti, meu caro!

E, a propósito, não esqueci daquela promessa não. Alerto-te (é...  e alerta mesmo!  hahahahahah) que tentarei oferecer-te uma visão mais clara que a que demonstras ter sobre todas aquelas coisas. Por exemplo, aquela analogia das pedras nos pássaros ...puxa vida, foi feio aquilo! É maldade com os bichinhos...  hahahahahahah Brincadeira! É feio porque é um absurdo total de facetas tão várias que não exaurirei todas. Um aspecto do absurdo é que o sangue (que você parece entender como uma 'informação' ou, mesmo, suporte para ela) não é uma propriedade ou estado de uma propriedade da pedra (que você parece entender como, "cabidamente", um ente de propriedades quânticas 'totissistêmicas'). Também, a correlacionalização emaranhante não se faz num passe de mágica ou ato ritual ("oh, pedras pedras, agora, emaranhem-se e mandem ver lá nos pássaros!"  hahahahahahaha...). Não é assim. O emaranhamento e o respectivo comportamento não local são as exposições da superpropriedade natural, o determinismo. Não dê ouvidos ao que muitos dizem a respeito; não sabem do que falam, e não é porque "não sabem interpretar os experimentos"; é porque, exatamente, os interpretam! Então, tentemos lá mostrar os absurdos, ou que são em si mesmas, ou o que se, comumente, pensa/(não)entende/acredita sobre elas, coisas como emaranhamento/não-localidade, a idiotice do "experimento" gato de Schroedinger, *a proposição* de "experimento" para paradoxo EPR, colapso de função de onda, (des)coerência, onda-piloto...

Mas é que a diversão aqui com esses jovens foi tão boa que você ficou em segundo plano. hahahhahahahahahahahah...





ps: podes tentar "enfiar" os unicórnios, papagaios e duendes na conversa, mas nada disso tem algo que ver com ateísmo.
A coisa toda já foi explanada, só resta a você acatar ou não.
Pois é...

Pôs pé!

hahahahahahahahah...

Offline zzz_pt

  • Nível 03
  • *
  • Mensagens: 35
  • Sexo: Masculino
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #82 Online: 10 de Setembro de 2014, 07:26:36 »
Para além de apenas leres o que eu escrevo de forma literal ou aplicares um sentido que não está presente naquilo que escrevo, ainda tens essa atitude paternalista que não te ajuda nada. Não bastasse isso, e a forma como tu escreves é quase indecifrável. Para alguém tão "sábio", deverias saber expressar-te de forma rigorosa e inequívoca.

De tudo o que escreveste, nada faz sentido a não ser, e esse erro reconheço, quando apliquei "sentido etimológico" da palavra ateu. Tinha a ideia, errada, de que o prefixo "a" era derivado do latim, como é no caso da palavra "ateísmo". Mas ainda assim, "sem deus" serviria da mesma forma o meu caso, uma vez que estava a discutir se a palvra ateu dizia respeito a deus ou a tudo aquilo em que as pessoas não acreditam (no campo do sobrenatural), nomeadamente unicórnios, dragões, duendes, bruxas, fadas, magia, trolls, o pai natal, etc.

Em relação ás definições, tens todo o direito de discordar. Não disse o contrário. Mas é impossível discutir alguma coisa com alguém para quem o dicionário pode ou não estar correto, dependendo das circunstâncias. Ainda por cima levas tudo à letra. É, no mínimo, um pouco paradoxal.

Tirando isto, o teu post é um emaranhado de falácias.

Em relação à minha autoapresentação, se tens alguma dúvida, pergunta. Não te ponhas a deduzir a minha vida e aquilo que eu penso com base em meia dúzia de frases. Vais ficar mal na fotografia.
« Última modificação: 10 de Setembro de 2014, 07:28:56 por zzz_pt »
“The whole problem with the world is that fools and fanatics are always so certain of themselves, and wiser people so full of doubts.”
Bertrand Russel

“In our reasonings concerning matter of fact, there are all imaginable degrees of assurance, from the highest certainty to the lowest species of moral evidence. A wise man, therefore, proportions his belief to the evidence.”
David Hume

Offline Skeptikós

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.477
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #83 Online: 10 de Setembro de 2014, 11:57:09 »
Em relação ás definições, tens todo o direito de discordar. Não disse o contrário. Mas é impossível discutir alguma coisa com alguém para quem o dicionário pode ou não estar correto, dependendo das circunstâncias. Ainda por cima levas tudo à letra. É, no mínimo, um pouco paradoxal.
Como eu disse, ele escolhe as evidências que lhe convêm, e ainda por cima faz questão de distorce-las até elas dizerem aquilo que ele deseja.

Já que ele tinha tocado no assunto do sentido primevo de ateísmo, em sua origem grega (obs: sem apresentar nenhuma referência que sustentasse a suas colocações) nisso ele deu corda para se enforcar, pois eu fiz questão de apresentar referências que apontam que o ateísmo se tratava de fato da negação da existência de deuses, já na origem grega.

E ai o que ele fez? diante de referências que ele não pode refutar, ele fez mais de seus malabarismos com objetivo de distorcer o significado, disse que estávamos a tratar do significado de "ateu", e não de "ateísmo", como se mudasse muita coisa, já que um trata-se do individuo, e o outro do sistema de pensamento manifestado pelo individuo.

Ele tenta (mais uma vez sem apresentar nenhuma referência que sustente suas afirmações) a partir do argumento de que o termo ateísmo surgiu como de sentido pejorativo, e que por isso faz sentido a sua infundamentada alegação de que o ateu não nega deus(es) mas simplesmente reconhece a verdade de que não existem. Mas não importa se é verdade ou não a inexistência de deuses, o que importa é que o ateu se posiciona racionalmente e conscientemente de forma negativa ao rejeitar a ideia que prega a existência de deus(es).

É uma crença de negação, o ateu nega que existam deuses, acredita que deuses não existem.

Pode interpretar isso como ausência/privação, mas diante da postura assumida pelo ateu, é conclusivo a partir das inferências que ele nega/rejeita a existência de deuses.

No entanto, espero mais malabarismo do caro Cientista, ignorara as referências que não lhe convêm, e mais uma vez, distorcerá a história e o sentido da palavra ateu/ateísmo a seu bel prazer, e ainda por cima não apresentará nenhuma fonte/referência que sustente sua argumentação.

Espere e verá.

Abraços!

 :biglol: :biglol:
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

Offline Skeptikós

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.477
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #84 Online: 10 de Setembro de 2014, 12:04:23 »
O prefixo "a-" de origem grega presente na palavra "ateu", pode significar também negação ou rejeição, e não somente privação e ausência.
Aaaah, "pode **também**"?!
Sim, segundo os dois principais dicionários da língua portuguesa (Houaiss e Aurélio) e outras fontes:

a-
elemento de composição
[...]
5) como pref. de orig. gr. com a acp. de 'privação, negação', ver a(n)- (Houaiss, V. 3.0.)

a-3
[Do gr. a- ou an-.]
Prefixo.
1.= ‘privação’, ‘negação’ (Aurélio, V. 5.0.)

Negação lexical
A negação lexical faz-se em português através do "morfema de negação". Este se materializa na fala através dos alomorfes a-, des-, i-, in- e não-. (Professor Paulo Hernandes, professor de língua portuguesa, linguística, semântica e lexicologia)

Detalhe sobre "ateísmo", palavra esta de origem grega, onde formada pelo prefixo "a-" com sentido de negação, e o radical "teu" com sentido de deus(es) e o sufixo "-ismo"com sentido de sistema de pensamento, significava a postura daquele que negava os deuses, onde podemos encontrar registros históricos (gregos) sobre a mesma nos seguintes exemplos:

Platão (filósofo grego) foi o primeiro a desenvolver uma teoria sobre os sentidos de "ateísmo", segundo ele, existiam dois tipos de ateísmo, aquele que negava a existência dos deuses, e aquele que admitia existência dos deuses, mas negava a influência/interesse destes pelas causas humanas. (Abbagnano, Dic. de Filosofia)

Sócrates foi condenado a morte pelo Estado, uma das acusações feitas a ele foi a de negar os deuses do Estado. (Sócrates, Enciclopédia Britânica)

Diante disso, acho sensato admitir que o ateísmo afinal se trata da negação dos deus(es) (de sua existência ou no mínimo da influência/interesses sobre as causas humanas).

E como esta negação é reconhecida por aquele que nega, como a verdade, acaba por consequência sendo também uma crença, como já explicado supra.

Sobre o restante do discurso verborrágico do Cientista, nem vale apena uma resposta, mais acusações infundamentadas e exemplos de infantilidade, como na sua atitude de papagaio ao repetir os posts dirigidos a ele. Uma lástima, um senhor se comportando como uma criança birrenta.  :P

Abraços!


Gostaria apenas de salientar que o grego "THEOS" não é apenas "deus", mas também pode ser "líder", "líderes".

Logo, ateísta não é apenas "sem deus", mas também "sem líderes", anarquista.

Me afasto novamente para continuar apenas observando o debate, à luz agora desse fato que vinha sendo negligenciado, mas que julgo ser de suma importância.
O mesmo acontece com o sufixo "-ismo" e com o prefixo "a-", possuem sentidos diversos conforme a palavra em que são aplicados.

Mas o radical "teu" do grego "Theos", na palavra "ateu/ateísmo", apresenta de fato o sentido de "deus", assim como o prefixo "a-" entra com o sentido de negação/privação e o sufixo "-ismo" com sentido de sistema de pensamento/doutrina.

Abraços!
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #85 Online: 13 de Setembro de 2014, 19:32:09 »
Hahahahahahahahahaha... Mudaram até o tonzinho um pouquinho. Difícil continuar tentando empurrar tanta falácia pra cima do Cientista, não, jovens?

E nada, só para "variar" (hahahahahahahahahaha) de responderem às perguntas do Cientistão:

Existe saber que não seja crença, jovem Skep? Qual?

Por que, de todas as palavras que listei no post 67 e tantas outras mais, todas afixadas da mesma partícula prefixal grega, só ateu discrepa em norma de sentido?

Por que "todo mundo dizer que o sangue é O" não muda o fato de que há um sentido para o símbolo original, na originalidade não corrompida?

Iiiiiiiiiih, mas é pergunta demais do Cientista que ninguém responde!  hahahahahahahahahahaha

Nós si divirtimus muitcho!!!!

Offline Skeptikós

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.477
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #86 Online: 17 de Setembro de 2014, 12:28:03 »
Hahahahahahahahahaha... Mudaram até o tonzinho um pouquinho. Difícil continuar tentando empurrar tanta falácia pra cima do Cientista, não, jovens?

E nada, só para "variar" (hahahahahahahahahaha) de responderem às perguntas do Cientistão:

Existe saber que não seja crença, jovem Skep? Qual?
Isso já foi respondido mais de uma vez, neste e no outro tópico, agora, se você se recusa em entender, só lamento.

Citação de: Cientista
Por que, de todas as palavras que listei no post 67 e tantas outras mais, todas afixadas da mesma partícula prefixal grega, só ateu discrepa em norma de sentido?
Por que o ateísmo implica em uma posição racional, a pessoa precisa racionalmente se posicionar diante de uma questão: "Deus existe?", Resposta de um ateu: "Não!", que denota negação. É presumido a ausência de deus pelo fato do ateu negar a existência de Deus, segundo sua crença, ele inexiste, por isso acredita/vive como se deus(es) não existissem. Mas ele chega a esta conclusão após negar/rejeitar a existência de Deus. Já o teísta, sobre a mesma questão apresenta uma posição racional/crença de aceitação, "Deus existe!", é o oposto da negação/rejeição ateísta.
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #87 Online: 17 de Setembro de 2014, 13:39:55 »
Com "ateu" simplesmente ocorreu o mesmo que alguns tentam agora fazer com termos como "vadia", "slut", "nigger", e como ocorreu com "gay" (mas não com "alegre"), foi um termo "apropriado", "reclamado" pelo próprio grupo, e acabou assim tomando um significado em algo diferente, como ocorreram com diversas outras palavras. Provavelmente isso se deu até de forma mais natural/acidental do que como tentam fazer com alguns termos hoje em dia.

Mas podem continuar se descabelando em torno disso à vontade.

Offline Skeptikós

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.477
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #88 Online: 18 de Setembro de 2014, 16:32:54 »
Não é simples apropriação, é incoerência lógica mesmo, simples apropriação seguida de distorção de sentido seria o que foi feito com o significado de "machismo" por exemplo, um de seus sentidos (o mais primevo) significa simplesmente "características/qualidades de macho", o termo no entanto ganhou um novo sentido a partir de uma apropriação seguida de distorção, e passou a significar em sentido pejorativo (inclusive alcançando o status de sentido mais usual) "A atitude do homem oprimir, desfavorecer ou inferiorizar a mulher, em função única e exclusivamente de seu gênero, na medida que faz o inverso com o gênero masculino em relação ao feminino, considerando-o superior, digno de dominação sobre a mulher, e de privilégios em relação a ela".

Em ambos os sentidos, é possível exemplificar experiências congruentes com cada um dos sentidos. Segundo o primeiro, exaltar a força viril e a habilidade masculina em liderar como uma atitude machista. Segundo o segundo, acusar em sentido pejorativo,  de machismo, aquele homem que considera sua mulher inferior a ele simplesmente pelo fato dela ser uma mulher.

Em ambos os casos, inclusive no do sentido oriundo de uma apropriação, as definições são congruentes com as experiências usadas para exemplifica-las.

Não é o mesmo caso na definição de ateísmo que prega a completa ausência de crença sobre a existência de deus(es), inclusive a de negação, sendo que a postura daquele ateu que defende esta definição é justamente a de não aceitar (negar) que a preposição que afirma a existência de deus(es) seja verdadeira (crença de negação). A experiência que exemplifica a definição é contraditória com esta, a tornando simplesmente incoerente.

Segundo a postura ateísta tomada acima, a definição correta seria a de que o ateu é aquele que nega/rejeita a existência de deus(es), configurando um estado de crença de negação, segundo as definições já fixadas neste tópico sobre o que representa crença em sentido amplo, e o que representa negação também em sentido amplo.

Abraços!
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

Offline Baphomet

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 645
  • Sexo: Masculino
  • ATEU (Fisicismo Reducionista)
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #89 Online: 14 de Janeiro de 2015, 16:24:04 »
Estatística a confirmar ou a desmentir: +/- 85% dos cidadãos da Finlândia já se declaram ateus. Alguém aí teria alguma informação sobre isso?
"Não é suficiente ver que o jardim é belo sem ter que acreditar que há fadas morando nele também?"
(Douglas Adams)

"Quando uma pessoa tem uma insanidade, chama-se a isso 'delírio'; quando muitas pessoas sofrem de um delírio, chama-se a isso 'religião'."
(Robert Pirsig)

Offline EuSouOqueSou

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.732
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #90 Online: 14 de Janeiro de 2015, 23:06:50 »
Estatística a confirmar ou a desmentir: +/- 85% dos cidadãos da Finlândia já se declaram ateus. Alguém aí teria alguma informação sobre isso?

Falso, http://www.stat.fi/til/vaerak/2013/vaerak_2013_2014-03-21_tau_002_en.html
Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.

Offline Johnny Cash

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.891
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #91 Online: 12 de Maio de 2015, 19:35:20 »
Não que sejam ateus diretamente, mas, não achei outro tópico pra isso.


Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.852
  • Love it or Hate it
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #92 Online: 13 de Maio de 2015, 21:09:52 »

Offline Pedro Reis

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.910
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #93 Online: 14 de Maio de 2015, 22:40:16 »
Acho esses números muito altos.

16% de ateus nos EUA, 48% na Europa, 87% na Finlândia...

Offline EuSouOqueSou

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.732
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.


Offline vithor

  • Nível 04
  • *
  • Mensagens: 40
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #96 Online: 25 de Abril de 2016, 16:07:34 »
Não entendi como confundem os termos..

Ateu= Não crer em deuses
Pode haver um ateu supersticioso por mais que seja ilógico... 
A palavra para quem não crê em sopro de dados e Duendes etc é Cético
Pode haver um Ateu supersticioso  e um ateu Cético simples..

Quem quiser pode chamar ateus apenas os ateus céticos..
Mas saibam que em pesquisas isso não é levado em conta, Ateus em pesquisas é apenas o estado religioso e não se a pessoa crê em bicho-papão ou papai noel...  :wink:

Offline Skeptikós

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.477
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #97 Online: 27 de Abril de 2016, 21:35:35 »
Não entendi como confundem os termos..

Ateu= Não crer em deuses
Pode haver um ateu supersticioso por mais que seja ilógico... 
A palavra para quem não crê em sopro de dados e Duendes etc é Cético
Pode haver um Ateu supersticioso  e um ateu Cético simples..

Quem quiser pode chamar ateus apenas os ateus céticos..
Mas saibam que em pesquisas isso não é levado em conta, Ateus em pesquisas é apenas o estado religioso e não se a pessoa crê em bicho-papão ou papai noel...  :wink:
Enquanto ateu é aquele que nega a existência de deuses ou afirma a inexistência destes; cético é aquele que suspende o juízo sobre a questão em causa. Logo, um ateu cético seria uma contradição de conceitos. Não existem ateus céticos, pois assim que se acredita estar de posse de uma verdade, como o ateu em relação a existência ou não de deuses, deixa-se de ser cético.
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.721
  • Sexo: Masculino
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #98 Online: 28 de Abril de 2016, 09:16:01 »
Não entendi como confundem os termos..

Ateu= Não crer em deuses
Pode haver um ateu supersticioso por mais que seja ilógico... 
A palavra para quem não crê em sopro de dados e Duendes etc é Cético
Pode haver um Ateu supersticioso  e um ateu Cético simples..

Quem quiser pode chamar ateus apenas os ateus céticos..
Mas saibam que em pesquisas isso não é levado em conta, Ateus em pesquisas é apenas o estado religioso e não se a pessoa crê em bicho-papão ou papai noel...  :wink:
Enquanto ateu é aquele que nega a existência de deuses ou afirma a inexistência destes; cético é aquele que suspende o juízo sobre a questão em causa. Logo, um ateu cético seria uma contradição de conceitos. Não existem ateus céticos, pois assim que se acredita estar de posse de uma verdade, como o ateu em relação a existência ou não de deuses, deixa-se de ser cético.



E quem acha que seja muitíssimo improvável que  exista algum deus onipotente, mas que não afirme de forma peremptória  que não existe,  seria o que ? 

E quem afirma que não há evidências de  que  exista algum deus onipotente (e onipresente), mas que não afirme de forma peremptória  que não existe,  seria o que ? 

« Última modificação: 28 de Abril de 2016, 09:22:15 por JJ »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Estatísticas Ateístas
« Resposta #99 Online: 28 de Abril de 2016, 12:13:18 »
A "suspensão de juízo", se é realmente feita por alguém, não é pelos céticos em geral, mas especificamente pelos pirrônicos. E acho que nem se limitaria a coisas como super-homens criadores de universos, mas praticamente qualquer coisa irrefutável que se possa imaginar, como solipsismo.

Há mais significados comumente associados ao termo, como ceticismo científico, que deve ser compatível com ateísmo, mesmo ateísmo forte.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!