Autor Tópico: O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?  (Lida 56515 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Gorducho

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 170
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #825 Online: 18 de Janeiro de 2017, 21:10:01 »
Na minha opinião, esses cursos de desenvolvimento de médiuns são apenas um recurso para criar "malucos beleza" e tentar mantê-los sob controle para que não cruzem o borderline da loucura, o que certamente muitas vezes acontece.
O oficialismo FEB não quer escândalos...
A "psicografia" no padrão FEB, FEESP &c. é um rito formalizado. Então os cursos ensinam o que deve ser escrito e como, i.e., o estilo de textos.
Citar
No meio kardecista é comum relatos de médium que não encontram mais paz, com "visões" e "audições" muito frequentes, inconvenientes e incontroláveis de espíritos que fazem pedidos, contam problemas e se intrometem na vida pessoal.
CX levou um tiro no ombro dum espírito.
E o Emmânuel ameaçou de morte se CX não obedecesse-o:
A instrução a que me refiro é semelhante a um decreto de desapropriação, quando lançado por autoridade na Terra. Se você recusar o serviço a que me reporto, os orientadores dessa obra de nos dedicarmos ao cristianismo redivivo terão autoridade bastante para retirar você de seu atual corpo físico.

Offline Gauss

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.101
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #826 Online: 18 de Janeiro de 2017, 23:12:50 »
Ver o que ninguém mais vê e ouvir o que ninguém mais ouve não são sintomas de Esquizofrenia Paranoide?
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Gorducho

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 170
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #827 Online: 18 de Janeiro de 2017, 23:34:57 »
RESPOSTA DE LEIGO
Pra que algo seja considerado moléstia tem que preencher os requisitos formais. Basicamente além das alucinações tem que afetar significativamente o desempenho profissional e/ou relacionamentos interpessoais, asseio, &c.
Se não são simples alucinações sem ser considerado distúrbio (moléstia).

B. Social/occupational dysfunction: For a significant portion of the time since the onset of the disturbance, one or more major areas of functioning such as work, interpersonal relations, or self-care are markedly below the level achieved prior to the onset (or when the onset is in childhood or adolescence, failure to achieve expected level of interpersonal, academic, or occupational achievement).

« Última modificação: 18 de Janeiro de 2017, 23:37:09 por Gorducho »

Offline invalid name

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.293
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #828 Online: 18 de Janeiro de 2017, 23:36:35 »
Ver o que ninguém mais vê e ouvir o que ninguém mais ouve não são sintomas de Esquizofrenia Paranoide?

Podem ser sintomas de uma porção de coisas, inclusive de esquizofrenia. Oliver Sachs mostra que até pessoas normais podem ter essas experiências, como a Síndrome de Charles Bonnet, por exemplo.

https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_Charles_Bonnet

Offline Gauss

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.101
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #829 Online: 18 de Janeiro de 2017, 23:44:59 »
RESPOSTA DE LEIGO
Pra que algo seja considerado moléstia tem que preencher os requisitos formais. Basicamente além das alucinações tem que afetar significativamente o desempenho profissional e/ou relacionamentos interpessoais, asseio, &c.
Se não são simples alucinações sem ser considerado distúrbio (moléstia).

B. Social/occupational dysfunction: For a significant portion of the time since the onset of the disturbance, one or more major areas of functioning such as work, interpersonal relations, or self-care are markedly below the level achieved prior to the onset (or when the onset is in childhood or adolescence, failure to achieve expected level of interpersonal, academic, or occupational achievement).

Mas se você começa a ter alucinações, dificilmente isso não lhe afetará no dia-a-dia. Seja na vida profissional ou em relacionamentos interpessoais. E o fato de afetar ou não, não tira o  fato de alucinações serem sintomas de doenças que devem ser tratadas.

Ver o que ninguém mais vê e ouvir o que ninguém mais ouve não são sintomas de Esquizofrenia Paranoide?

Podem ser sintomas de uma porção de coisas, inclusive de esquizofrenia. Oliver Sachs mostra que até pessoas normais podem ter essas experiências, como a Síndrome de Charles Bonnet, por exemplo.

https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_Charles_Bonnet

Pois é, até mesmo estresse excessivo causa alucinações.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Gorducho

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 170
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #830 Online: 19 de Janeiro de 2017, 08:40:56 »
Mas se você começa a ter alucinações, dificilmente isso não lhe afetará no dia-a-dia.
Ele conseguiu lidar com isso graças ao apoio dos espíritas que "normalizaram" a coisa. Grande besteria da ICAR porque ele sempre foi e nunca deixou de ser um devoto católico e se a ICAR tivesse aproveitado ele seria um visionário que muito teria  contribuído pro devocionalismo católico e, claro, consequentemente pro market share deles cá no Brasil.
Citar
Seja na vida profissional ou em relacionamentos interpessoais.
Não! Ele foi excelente funcionário em todos empregos: a fábrica (de tecidos se bem me lembro); o bolicho; e o ministério.
E pessoalmente era bem humorado, contador de causos. Depois com o tempo é que os fanáticos Devotos passaram a considerar tudo que ele falava como sagrado,  profecia... e então deduzo que os assuntos que ele abordava eram só nessa linha devocional por exig~encia do mercado ouvinte.
Veja que aquela da turbulência é genial. Faria sucesso em qualquer show cômico.
Citar
não tira o  fato de alucinações serem sintomas de doenças que devem ser tratadas.
Pra ser "doença" tem que perfazer os requisitos formais do CID, DSM ou o que seja.
No caso dele claramente não como lhe mostrei em "B".

RMK: papo internetiano de leigo, bien entendu. Profissionalmente "sou" MechEng e não tenho em casa profissionais da saúde, nem particular predileção amadorística pelo tema. .
« Última modificação: 19 de Janeiro de 2017, 08:46:08 por Gorducho »

Offline Gauss

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.101
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #831 Online: 19 de Janeiro de 2017, 11:51:43 »
Mas se você começa a ter alucinações, dificilmente isso não lhe afetará no dia-a-dia.
Ele conseguiu lidar com isso graças ao apoio dos espíritas que "normalizaram" a coisa. Grande besteria da ICAR porque ele sempre foi e nunca deixou de ser um devoto católico e se a ICAR tivesse aproveitado ele seria um visionário que muito teria  contribuído pro devocionalismo católico e, claro, consequentemente pro market share deles cá no Brasil.
Citar
Seja na vida profissional ou em relacionamentos interpessoais.
Não! Ele foi excelente funcionário em todos empregos: a fábrica (de tecidos se bem me lembro); o bolicho; e o ministério.
E pessoalmente era bem humorado, contador de causos. Depois com o tempo é que os fanáticos Devotos passaram a considerar tudo que ele falava como sagrado,  profecia... e então deduzo que os assuntos que ele abordava eram só nessa linha devocional por exig~encia do mercado ouvinte.
Veja que aquela da turbulência é genial. Faria sucesso em qualquer show cômico.
Citar
não tira o  fato de alucinações serem sintomas de doenças que devem ser tratadas.
Pra ser "doença" tem que perfazer os requisitos formais do CID, DSM ou o que seja.
No caso dele claramente não como lhe mostrei em "B".

RMK: papo internetiano de leigo, bien entendu. Profissionalmente "sou" MechEng e não tenho em casa profissionais da saúde, nem particular predileção amadorística pelo tema. .

Também não sou especialista da área de saúde. Mas usando essa lógica, se alguém tem câncer, ele só será considerado doença quando passar perturbar a pessoa no dia-a-dia dela? Ou a definição de doença é diferente para cada área da Medicina? Algum médico/profissional da saúde do CC poderia esclarecer?
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Gorducho

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 170
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #832 Online: 19 de Janeiro de 2017, 12:38:32 »
Ou a definição de doença é diferente para cada área da Medicina?
:'( CLARO que a definição de cada "doença" é diferente!
No DSM-5 Paranoide foi extinta. Tem é genericamente esquizofrenia, e onde ele passaria com louvor pela parte B toda.
Veja que de A ele só tinha 1 (alucinações) e as vozes não ficavam continuamente atormentando ele, pra então só sim poder ser requerido só 1. E "bizarro" não seria considerado porque a cultura terrícola - inclusive a católica, bom que se sublinhe...- não considera crenças religiosas como tal.

A.  Characteristics of Symptoms:   TWO OR MORE  of the following, each present for a significant portion of time during a one month period (or less if successfully treated):

Delusions
Hallucinations
Disorganised speech (e.g.  frequent derailment or incoherence)
Grossly disorganised or catatonic behaviour
Negative symptoms, ie  affective flattening, alogia or avolition
(Note:  Only one "A" symptom is required if delusions are bizarre or hallucinations consist of a voice keeping up a running commentary on the person's behaviour or thoughts, or two or more voices conversing with each other)
.
« Última modificação: 19 de Janeiro de 2017, 17:23:41 por Gorducho »

Offline Gauss

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.101
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #833 Online: 19 de Janeiro de 2017, 18:34:11 »
Ou a definição de doença é diferente para cada área da Medicina?
:'( CLARO que a definição de cada "doença" é diferente!
No DSM-5 Paranoide foi extinta. Tem é genericamente esquizofrenia, e onde ele passaria com louvor pela parte B toda.
Veja que de A ele só tinha 1 (alucinações) e as vozes não ficavam continuamente atormentando ele, pra então só sim poder ser requerido só 1. E "bizarro" não seria considerado porque a cultura terrícola - inclusive a católica, bom que se sublinhe...- não considera crenças religiosas como tal.

A.  Characteristics of Symptoms:   TWO OR MORE  of the following, each present for a significant portion of time during a one month period (or less if successfully treated):

Delusions
Hallucinations
Disorganised speech (e.g.  frequent derailment or incoherence)
Grossly disorganised or catatonic behaviour
Negative symptoms, ie  affective flattening, alogia or avolition
(Note:  Only one "A" symptom is required if delusions are bizarre or hallucinations consist of a voice keeping up a running commentary on the person's behaviour or thoughts, or two or more voices conversing with each other)
.

Eu quis dizer a definição de "doença" literalmente. Não a de cada doença. O que é doença?
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.346
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #834 Online: 19 de Janeiro de 2017, 18:51:02 »
RESPOSTA DE LEIGO
Pra que algo seja considerado moléstia tem que preencher os requisitos formais. Basicamente além das alucinações tem que afetar significativamente o desempenho profissional e/ou relacionamentos interpessoais, asseio, &c.
Se não são simples alucinações sem ser considerado distúrbio (moléstia).

B. Social/occupational dysfunction: For a significant portion of the time since the onset of the disturbance, one or more major areas of functioning such as work, interpersonal relations, or self-care are markedly below the level achieved prior to the onset (or when the onset is in childhood or adolescence, failure to achieve expected level of interpersonal, academic, or occupational achievement).

Mas se você começa a ter alucinações, dificilmente isso não lhe afetará no dia-a-dia. Seja na vida profissional ou em relacionamentos interpessoais. E o fato de afetar ou não, não tira o  fato de alucinações serem sintomas de doenças que devem ser tratadas.

No caso dessas "alucinações benignas"*, além de talvez não haver tratamento concebido, ele provavelmente será mais custoso e arriscado do que a pessoa apenas saber que nem sempre as pessoas (ou formas geométricas) que ela vê são de verdade, e agir de acordo. Possivelmente desqualfica a pessoa para dirigir, mas ainda assim, não acaba sendo uma invalidez total ou algo que vá compensar o risco de um eventual tratamento ainda a ser hipotetizado.


* termo que estou dando para o único efeito dessa "desorganização" cerebral, em contraste com alucinação em conjunto com outros sintomas que compõem um diagnóstico de algo mais grave, que requeira tratamento.



Sacks [comentou] um caso de um homem que certo dia viu a neta, adulta ou adolescente, chegando em casa acompanhada de dois rapazes. Ele imaginou que talvez algum deles fosse namorado dela, ou algo assim, perguntou quem eram os dois, meio como quem naturalmente convida a uma apresentação de uma pessoa por outra. A neta não entendeu bem, respondeu que que ela estava sozinha, não tinha ninguém com ela. Os rapazes desapareceram.

Me parece simplesmente natural que as pessoas que acreditem em fantasmas tenham a interpretação de serem médiuns/estarem vendo fantasmas, numa situação assim. Ou até mesmo pessoas que não acreditassem tanto assim, mas fossem "agnósticas" de uma tendência não muito "científica".

Se os rostos produzidos talvez tenham qualquer tendência ou possibilidade de "usar" memórias de rostos de conhecidos, em vez de serem completas invenções, então a pessoa pode acabar até se encontrando com fantasmas de conhecidos.

Offline Gorducho

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 170
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #835 Online: 19 de Janeiro de 2017, 19:09:27 »
Eu quis dizer a definição de "doença" literalmente. Não a de cada doença. O que é doença?
Acredito que nós cá devêssemos tomar como um conceito primitivo - tipo ponto reta...
Mas tem uma discussão técnico-filosófica cá - PDF na parte superior direita:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1299105/

Offline criso

  • Nível 02
  • *
  • Mensagens: 24
  • Sexo: Masculino
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #836 Online: 22 de Janeiro de 2017, 19:38:51 »
As perspectivas culturais e históricas humanas são realmente muito interessantes. O ateísmo, por exemplo, já foi considerado porta para loucura... Diríamos nós que, por causa de Nietzsche, que em colapso mental dizia coisas macabras e até assinava como Dionísio, que o ateísmo é uma porta para doenças mentais? Ou por Marx, cuja família morria de fome e cometia suicídios enquanto o mesmo acreditava fervorosamente na construção de um formigueiro humano coletivista e utópico por meio de ferro, fogo e sangue? Ou por Sócrates que, considerado o "pai da filosofia", era justamente um médium, mas que foi condenado à morte por corromper a juventude e desacreditar nos deuses? ou por Comte, que após a morte de sua mulher se considerou o papa da igreja positivista pelo bem de toda a humanidade? e Mao? Stalin? Deveríamos considerar o ateísmo risco para a consciência e sanidade humanas?

Escutar vozes, receber inspirações, intuições, visões, tudo isso não é nem sequer exclusividade da religiosidade - visto que também pode acontecer com ateus e agnósticos - , muito menos do espiritismo - visto que todas as religiões já tiveram seus místicos, visionários, e outros que se tornaram conhecidos por receberem uns "toques do além". Não deveríamos, pois, julgar mais pelos frutos e resultados do que pelo processo em si?

Sócrates, ateu e médium, o utilizava para questionar os dogmas de sua época e inspirar o pensamento crítico. Fernando Pessoa, da mesma forma, se servia de seus "dons" para a escrita e poesia. A tabela periódica foi recebida por Mendeleev em um sonho revelador. A canção Yesterday foi soprada nos ouvidos de McCartney. Watson concebeu o formato de dupla hélice de DNA em um sonho.

Infelizmente, se as consequências destes fenômenos são, para um indivíduo, debilidade e desorientação, além de delírio e crises, que tal cogitar a possibilidade DESTE INDIVÍDUO, POR SI, ser INCLINADO à psicose, ao invés de atribuir universalmente um teor de doença à atributos que podem ser tão bem usados e gerar tão belas obras e frutos?

Que as rosas floresçam em vossa cruz!
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

Offline Gorducho

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 170
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #837 Online: 22 de Janeiro de 2017, 20:10:56 »
invés de atribuir universalmente um teor de doença à atributos que podem ser tão bem usados e gerar tão belas obras e frutos?
Justo não é (atribuído). Como procurei mostrar aqui - na condição de leigo, bien sûr...- pra ser classificado como "doença" ou "distúrbio" tem que afetar significativamente a vida pessoal e/ou profissional da pessoa.
Tanto no DSM quanto no CID-10.
É o que entendo, como leigo e sem ter nenhum interesse hobbístico pela medicina. 

Offline invalid name

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.293
Re:O Espiritismo e a Mediunidade são Portas para Doenças Mentais ?
« Resposta #838 Online: 22 de Janeiro de 2017, 22:05:27 »
As perspectivas culturais e históricas humanas são realmente muito interessantes. O ateísmo, por exemplo, já foi considerado porta para loucura...

De fato, já vimos muitas portas para a loucura mas não podemos ignorar os diferentes contextos históricos e culturais em que elas foram abertas, tampouco usá-las levianamente fora desses contextos com o propósitos de amparar convenientemente outras loucuras.

Citar
Escutar vozes, receber inspirações, intuições, visões, tudo isso não é nem sequer exclusividade da religiosidade - visto que também pode acontecer com ateus e agnósticos - , muito menos do espiritismo - visto que todas as religiões já tiveram seus místicos, visionários, e outros que se tornaram conhecidos por receberem uns "toques do além".

Não é exclusividade de ninguém, nem dos loucos. Já comentamos aqui que pessoas mentalmente equilibradas podem ter alucinações, o que não significa que pessoas mentalmente desequilibradas que alucinam possam ser convenientemente consideradas excêntricas para escapar de um diagnóstico de algum tipo de loucura. O "toque do além" não tem significado médico e tampouco científico para ser utilizado como argumento sério nesse tipo de discussão e do ponto de vista cético é apenas mais uma expressão sem sentido.

Citar
Não deveríamos, pois, julgar mais pelos frutos e resultados do que pelo processo em si?

Sem dúvida. John Nash concebeu toda a Teoria dos Jogos convivendo com a esquizofrenia e ninguém pode negar o brilhantismo de seu trabalho que lhe conferiu um prêmio Nobel, por outro lado, nenhuma das conspirações ou personagens imaginários descritos por Nash foram levados a sério porque estava claro que eram criações de uma mente esquizofrênica.

Citar
Sócrates, ateu e médium, o utilizava para questionar os dogmas de sua época e inspirar o pensamento crítico. Fernando Pessoa, da mesma forma, se servia de seus "dons" para a escrita e poesia. A tabela periódica foi recebida por Mendeleev em um sonho revelador. A canção Yesterday foi soprada nos ouvidos de McCartney. Watson concebeu o formato de dupla hélice de DNA em um sonho.

Existem mil técnicas de criatividade que são distorcidas para agregar conteúdo místico/espiritual. Por exemplo, muitos escritores e pensadores utilizam a "escrita automática" como técnica de criatividade.  Existem diversos sites, como este que ensinam a técnica sem associá-la ao misticismo.

http://www.point-to-creativity.com/automatic-writing.html
http://www.meldstudios.com.au/2015/03/10/automatic-writing-exercise-help-efficient-writer/
http://binauralbrains.com/automatic-writing-binaural-beats/

O espiritismo transformou a técnica em instrumento mediúnico para a comunicação com os mortos - a psicografia. Curioso de os médiuns utilizarem uma ferramenta consagrada de criatividade. De qualquer forma, a discussão aqui é sobre os comportamentos doentios de alguns médiuns .

Citar
Infelizmente, se as consequências destes fenômenos são, para um indivíduo, debilidade e desorientação, além de delírio e crises, que tal cogitar a possibilidade DESTE INDIVÍDUO, POR SI, ser INCLINADO à psicose, ao invés de atribuir universalmente um teor de doença à atributos que podem ser tão bem usados e gerar tão belas obras e frutos?

Que as rosas floresçam em vossa cruz!

Acho que é um pouco das duas coisas. Existem indivíduos inclinados à psicose que são alimentados em suas fantasias com conteúdos místicos/religiosos que podem agravar quadros de transtornos mentais. A discussão da qualidade do conteúdo produzido é outra estória.
« Última modificação: 22 de Janeiro de 2017, 22:21:23 por Gigaview »

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!