Autor Tópico: Pelo direito de ser ateu  (Lida 6459 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.583
  • Sexo: Masculino
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #75 Online: 07 de Junho de 2014, 18:44:53 »
Qual foi a aposta?

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #76 Online: 07 de Junho de 2014, 22:25:28 »
Qual foi a aposta?

Olha a assinatura dele  :P
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Sofista

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 236
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #77 Online: 08 de Junho de 2014, 17:10:04 »
Os mais podres atos dos seres humanos são praticados quando eles encontram-se absolutamente sem observadores.
Eu gosto de pensar nos deuses ou em deus como algo estético. Não  moral. Eles estão nos observando como nossa vida fosse um filme ou uma obra de arte,e sendo o sentido último da existência como um espetaculo. E Eles não esperariam o cumprimento de suas regras, mas que proporcionemos uma boa obra de arte com nossa existência.
E sobre o artigo que deu origem a estes posts, para mim quando o Ateímos começa se fazendo de vítima é um passo pra se tornar um religião, já que ele tanto abomina ser igual a ela. Pois toda vítima, esta um passo de um guru para defende-la.

Mas se os deuses olham apenas para a estética porque temos tanta preocupação com a moral?
Eu creio que sem pensar muito a explicação Feurbach/Freudiana, seja a melhor, que simplificadamente seria assim: os homens criam as regras, e lhe atribuem um caracter divino,pq julgam q suas criações são superiores(o que melhor que dizer que são divinas, para dizer que são superiores). Veja que isso não é de todo um mal,pois toda a regra sem um caracter absoluto é muito ruim de seguir. Pense na ideia exposta em Irmãos karamazov,de dostoievski. Se Deus não existe, deveríamos cria-lo.E não pense esse absoluto,apenas como um deus, ele pode assumir outras formas metafísicas como a liberdade e igualdade nas sociedades seculares. O relativismo sofístico é muito bom para quem esta no poder, tanto q isso era um conhecimento de elites, mas pouco pratico para ser generalizado.
Quem sou eu?Entre os crente sou ateu, entre ateus sou um crente.

Offline Wowbagger, o Infinitamente Prolongado

  • Nível 29
  • *
  • Mensagens: 1.599
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #78 Online: 09 de Junho de 2014, 08:05:01 »
Algo estético, obra de arte... pode ser esse exemplo?:


Que doença é essa?

Defeito genético por radiação.

Ucraniano?

Eu vi um documentário sobre crianças iraquianas que nasceram após a guerra ao terror do Bush que foi extremamente chocante. Aquela guerra foi um crime contra a humanidade, o Bush seria enforcado se fôssemos um mundo minimamente decente.

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.583
  • Sexo: Masculino
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #79 Online: 09 de Junho de 2014, 08:18:43 »
Rampal, não estava descrito a nacionalidade dessa criança no site.


Offline Gabarito

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.566
  • Sexo: Masculino
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #80 Online: 09 de Junho de 2014, 09:20:36 »
Eu vi um documentário sobre crianças iraquianas que nasceram após a guerra ao terror do Bush que foi extremamente chocante. Aquela guerra foi um crime contra a humanidade, o Bush seria enforcado se fôssemos um mundo minimamente decente.

Concordo sobre crime contra a humanidade e com a inequívoca necessidade de julgamento e punição do ex-presidente Bush.
Quanto a isso, não resta dúvida nenhuma. O que ele fez ao Iraque, Afeganistão e outros países foi muito grave.

Mas não me consta que ele tenha feito uso de guerra química ou biológica. O que afetou essas crianças de que você fala e que documentário é esse?

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.067
  • Sexo: Masculino
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #81 Online: 09 de Junho de 2014, 10:17:41 »
Algo estético, obra de arte... pode ser esse exemplo?:


Que doença é essa?

Defeito genético por radiação.

Ucraniano?

Eu vi um documentário sobre crianças iraquianas que nasceram após a guerra ao terror do Bush que foi extremamente chocante. Aquela guerra foi um crime contra a humanidade, o Bush seria enforcado se fôssemos um mundo minimamente decente.

Qual é o documentário?

E, segundo o documentário supra, qual é a relação entre a campanha militar do EUA de Bush no Iraque e as crianças?
Foto USGS

Offline Wowbagger, o Infinitamente Prolongado

  • Nível 29
  • *
  • Mensagens: 1.599
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #82 Online: 09 de Junho de 2014, 11:18:05 »
Foi um documentário da Al-jazeera, não tô conseguindo encontrar agora no site, depois eu dô uma procurada melhor.

Segundo o documentário, após a invasão começou a ocorrer uma maior incidência de defeitos congênitos no pais, inclusive com defeitos nunca relatados na literatura médica. Possivelmente relacionados com o urânio empobrecido e "resíduos de guerra".

Offline Wowbagger, o Infinitamente Prolongado

  • Nível 29
  • *
  • Mensagens: 1.599
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #83 Online: 09 de Junho de 2014, 13:03:35 »

Não encontrei o documentário em si no site da al-Jazeera, mas encontrei isso do "Democracy Now" no youtube.


Offline Sofista

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 236
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #84 Online: 10 de Junho de 2014, 09:34:43 »
Algo estético, obra de arte... pode ser esse exemplo?:


E as artes trágicas? O filme Psicho não é arte por exemplo? E como fica a beleza sem a tensão com o feio. Teria espaço para a beleza num mundo perfeito ou puramente racional?
Quem sou eu?Entre os crente sou ateu, entre ateus sou um crente.

Offline Sofista

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 236
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #85 Online: 10 de Junho de 2014, 09:40:36 »
Caro Sofista. Aqui não é lugar para se pensar diferente. Sofra as consequências.
Sem estresse, Só uma mente estremamente grosseira não percebe que a necessidade de ter razão, não passa de vaidade. Não que eu seja contra a vaidade, apenas aquela vaidade enrustida.
Quem sou eu?Entre os crente sou ateu, entre ateus sou um crente.

Offline Mr. Mustard

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.918
  • Sexo: Masculino
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #86 Online: 14 de Junho de 2014, 14:06:49 »
Caro Sofista. Aqui não é lugar para se pensar diferente. Sofra as consequências.

Você gosta de sofrer? É isso?  :biglol:

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.234
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #87 Online: 14 de Junho de 2014, 16:15:53 »
Caro Sofista. Aqui não é lugar para se pensar diferente. Sofra as consequências.
Sem estresse, Só uma mente estremamente grosseira não percebe que a necessidade de ter razão, não passa de vaidade. Não que eu seja contra a vaidade, apenas aquela vaidade enrustida.
Eu também penso assim, porém retoricamente. Na verdade a nescessidade de ter razão e por conseguinte, ter razão mesmo que aparentemente, o popular "moral" do " o cara tem as moral, veio", o "é nois na fita, mano", ou o "quem pode manda, quem não pode obedece" é o grande mote das relações humanas no nível do inconsciente coletivo.

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #88 Online: 15 de Junho de 2014, 19:15:38 »
Caro Sofista. Aqui não é lugar para se pensar diferente. Sofra as consequências.
Sem estresse, Só uma mente estremamente grosseira não percebe que a necessidade de ter razão, não passa de vaidade.
Não é uma necessidade de sobrevivência ou de eficácia geral?

Ou... estaria querendo dizer... "necessidade de transformar em razão uma falta dela"? Entende o significado de ter razão? É estar certo a respeito de algo, obter os resultados profícuos a respeito de algo. Vaidade pode vir depois, mas é preciso acertar e sobreviver (de todas as formas) para, até, poder ter vaidade. É preciso ter razão para ter vaidade.

Deve haver algo mais a se dizer sobre "mente estremamente grosseira"...


Não que eu seja contra a vaidade, apenas aquela vaidade enrustida.
"Vaidade enrustida" sugere-se um bom substituto para 'roda quadrada'...  E não tem qualquer sentido em ligação a uma "razão" que não se mostra em efeitos.

Offline Skeptikós

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.180
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Pelo direito de ser ateu
« Resposta #89 Online: 16 de Junho de 2014, 13:01:23 »
Só uma mente estremamente grosseira não percebe que a necessidade de ter razão, não passa de vaidade.
É preciso ter razão para ter vaidade.
No seu mundo talvez. Pensar assim deve inclusive o envaidecer ainda mais né? visto a impressão que me fica é a de que você se apresenta em todos os tópicos como o dono da razão.

Mas no mundo das pessoas sensatas, me parece muito possível ter vaidade sem ter razão, inclusive você aparenta ser um perfeito exemplo disso.

O partido nazista também me parece um outro exemplo, com sua teoria racista que defendia a ideia de uma hierarquia racial, onde os alemães ocupavam o posto mais alto devido a sua suposta descendência ariana, que segundo eles, era a raça mais pura do mundo. Vaidade eles pareciam ter de sobra, e como para você, a vaidade necessita da razão, então é de se supor que para você, os nazistas tinham razão por terem vaidade. No entanto, a partir de estudos modernos no campo dos genomas humanos, comprovou-se que não existe diferenças suficientes entre as raças humanas existentes para se traçar uma superioridade racial entre uma raça e outra. Ou seja, é possível ser vaidoso e ainda sim estar errado.

Abraços!

"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!