Autor Tópico: Paleodieta  (Lida 8071 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Südenbauer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.297
  • Sexo: Masculino
Paleodieta
« Online: 22 de Agosto de 2012, 00:57:20 »
Não achei nenhum tópico sobre o assunto no fórum, então achei bom ter um registro aqui do assunto.

É um hábito alimentar que consiste basicamente em reproduzir a dieta do homem primitivo, isto é, comer majoritariamente carne, acompanhada de salada e frutas. Essa dieta apresenta pouquíssimos níveis de carboidratos, já que são cortados da alimentação pães, arroz, massas. Também é vetado o consumo de lacticíneos.

Os praticantes dessa alimentação têm uns argumentos bem dignos de pseudociências para justificá-la, como dizer que o homem primitivo não tinha câncer ou doenças do coração (ignorando outros fatores como eles morrerem bem precocemente).

Pelo que tenho visto é uma prática que está crescendo, ainda mais aliada com o treinamento crossfit. O artigo da Wikipédia é bem informativo a respeito:
http://en.wikipedia.org/wiki/Paleo_diet

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.425
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Paleodieta
« Resposta #1 Online: 28 de Agosto de 2012, 09:50:12 »
É o que chamam de "dieta da moda" ou "fad diet". E junto vem com todo um "paleo-lifestyle", de fazer tudo paleo. Devem estar logo vendendo paleo-workshops de paleo-auto-ajuda onde os homens passam uns dias num "paleo spa" onde realizam paleo-atividades e aprendem como é ser realmente um homem das cavernas, com rituais de entrada no grupo, caçada (exceto de ursos, onde é apenas simbolizado com alguns dos instrutores se fantasiando de urso), e etc.

http://rationalwiki.org/wiki/Fad_diet

Postei em algum tópico um link para um documentário do Ben Goldacre, "the rise of lifestyle nutritionists", que não aborda especificamente isso, mas dá uma visão geral desse tipo de coisa.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.360
  • Love it or Hate it
Re:Paleodieta
« Resposta #2 Online: 28 de Agosto de 2012, 20:42:50 »
Tem tudo para ser paleo-bullshit.

Offline Pellicer

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 703
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #3 Online: 30 de Agosto de 2012, 11:45:37 »
Os adeptos dessa dieta também comem apenas o que eles mesmo caçaram ou coletaram, ou ir no supermercado conta como caça?

Offline Contini

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.610
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #4 Online: 30 de Agosto de 2012, 11:54:48 »
 
Tem tudo para ser paleo-bullshit.
Discordo... acho que é um new-bullshit.... :biglol:
"A idade não diminui a decepção que a gente sente quando o sorvete cai da casquinha"  - anonimo

"Eu não tenho medo de morrer, só não quero estar lá quando isso acontecer"  - Wood Allen

    “O escopo da ciência é limitado? Sim, sem dúvida: limitado a tratar daquilo que existe, não daquilo que gostaríamos que existisse.” - André Cancian

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.681
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #5 Online: 03 de Setembro de 2012, 18:22:57 »
Os adeptos dessa dieta também comem apenas o que eles mesmo caçaram ou coletaram, ou ir no supermercado conta como caça?

Ida no supermercado conta como caça, na feira é coleta. Pode ser invertido se trouxer carne da feira ou vegetais do supermercado. O dia que o cara chega em casa com um pernil congelado ele é reverenciado como o grande caçador selvagem.
"Deus prefere os ateus"

Offline Laura

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 958
Re:Paleodieta
« Resposta #6 Online: 20 de Setembro de 2012, 00:06:33 »
Parcialmente bullshit...

Dieta primal, paleolítica, low-carb, keto e a dieta do Dr. Atkins são pequenas variações do mesmo tipo de dieta, que consiste basicamente em cortar (ou reduzir ao máximo) carboidratos e açúcares e consumir proteínas e gorduras.

Pessoas que sofrem de diabetes, epilepsia e candidíase sistêmica podem se beneficiar desse tipo de dieta, pelo nível muito baixo ou quase inexistente (nos casos mais radicais, a maioria das frutas também não é permitida) de carboidratos e açúcares.

Além disso, cortar carboidratos pode ser útil em uma dieta para promover o emagrecimento rapidamente (prepare-se para o mau humor, porque ele virá). Nesse caso, é mais eficaz ficar só com as proteínas e esquecer as gorduras. Dietas muito restritivas, devem ser feitas apenas por um curto período de tempo, já que a taxa metabólica tende a cair e emagrecer se tornará mais difícil.

Como dieta para a saúde de pessoas que não se encaixam em nenhum desses casos, é bullshit, tem efeitos colaterais a longo prazo, além de ser muito chata. 

http://en.wikipedia.org/wiki/Robert_Atkins_(nutritionist)
http://en.wikipedia.org/wiki/Ketogenic_diet
http://en.wikipedia.org/wiki/Low-carbohydrate_diet

Offline Canopus

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 762
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #7 Online: 22 de Setembro de 2012, 12:05:06 »
Essa coisa de dieta é mesmo modismo. São inúmeras e todo ano aparecem outras novas.

Para perder peso se consegue fechando a boca. Basta reduzir a quantidade de alimentos ingeridos e manter um rotina que inclua atividades físicas.
Adotar novas dietas que surgem a cada verão não vai necessariamente fazer perder peso, mas vai manter o nível de emprego dos profissionais da área.

Vejam esses exemplos:
Dona de casa perdeu 76 quilos sem remédio nem cirurgia

Estudante perde 70 quilos em dois anos

Um artigo muito bom da Super Interessante.

Desculpem o humor negro, mas é fato:
Alguém já viu gordo ou obeso nos campos de concentração nazistas?
Ou nas regiões da África em que há carência de alimentos?

Pois...
A capacidade de transgredir é o que nos torna sujeitos da transformação.
_____________________________
Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente.
J.krisnamurti

Offline Südenbauer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.297
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #8 Online: 23 de Setembro de 2012, 23:32:38 »
Cara, no caso dessa paleodieta, o "dieta" no nome se deve à prática alimentar constante, ou seja, é uma reeducação alimentar mesmo. Não como o caso de algumas soluções em que se decide cortar algum determinado tipo de nutriente só para "emagrecer magicamente" e depois poder voltar à rotina normal. Enfim, não queria defender a prática, mas é que não dá pra colocar no mesmo pacote do que Dieta de South Beach, é bem mais sério que isso. Não é uma "dieta do verão".

Existe uma diminuição de carboidratos bem maior do que uma alimentação padrão recomendável pelos nutricionistas, mas não é nada absurdo.



Eu não acho legal essa dica de "fechar a boca", "comer menos". Mas gastar mais calorias do que consumir. Isso porque muita gente acaba tentando emagrecer passando fome, tomando hábitos como comer poucas refeições ao dia. Um cara me perguntou uma vez: "Cara, tu era mais cheinho, como tu fez para emagrecer, fechou a boca?". Eu respondi que não, muito pelo contrário. Quando eu sinto fome, eu simplesmente como. A questão é que eu adotei práticas esportivas diárias além de fazer uma reeducação alimentar, que me permitem ter um controle sobre o meu corpo.
« Última modificação: 23 de Setembro de 2012, 23:37:44 por Dr. Strangelove »

Offline Canopus

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 762
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #9 Online: 24 de Setembro de 2012, 11:44:12 »
Cara, no caso dessa paleodieta, o "dieta" no nome se deve à prática alimentar constante, ou seja, é uma reeducação alimentar mesmo. Não como o caso de algumas soluções em que se decide cortar algum determinado tipo de nutriente só para "emagrecer magicamente" e depois poder voltar à rotina normal. Enfim, não queria defender a prática, mas é que não dá pra colocar no mesmo pacote do que Dieta de South Beach, é bem mais sério que isso. Não é uma "dieta do verão".

Existe uma diminuição de carboidratos bem maior do que uma alimentação padrão recomendável pelos nutricionistas, mas não é nada absurdo.

Desculpe, se acabei jogando tudo no mesmo saco. Mas as outras dietas também falam em reeducação alimentar e mudança de hábitos, além do corte de determinados itens da alimentação e a introdução do suco A e da sopinha B. Atualmente acho que todas elas são assim. Concordo que a ideia que se tinha de dieta no passado era mais como você falou, como essas primas da South Beach.
Mas hoje em dia, com a importância que se dá mais a atividades físicas e mudanças alimentares, todas as dietas da moda não diferem muito da Paleodieta. Acho que está bem legível o nome. A junção dele com algo que lembra a ciência, paleolítico e tudo o mais, não exime esse nome de não pertencer à classe das dietas que, como todas, são no fundo uma receita de procedimentos a serem adotados, inclusive os da moda, atividade física e hábitos alimentares. O fato desses últimos serem da moda não os condena a serem maus procedimentos. Pelo contrário.

Eu não acho legal essa dica de "fechar a boca", "comer menos". Mas gastar mais calorias do que consumir. Isso porque muita gente acaba tentando emagrecer passando fome, tomando hábitos como comer poucas refeições ao dia. Um cara me perguntou uma vez: "Cara, tu era mais cheinho, como tu fez para emagrecer, fechou a boca?". Eu respondi que não, muito pelo contrário. Quando eu sinto fome, eu simplesmente como. A questão é que eu adotei práticas esportivas diárias além de fazer uma reeducação alimentar, que me permitem ter um controle sobre o meu corpo.

Nesse ponto, tudo se assemelha a balanceamento de equações.

O governo costuma alegar muitas vezes, e nesse ponto com razão, que não se pode gastar mais do que arrecada. Não tem de onde tirar dinheiro para gastos que não constavam de  previsão orçamentária.

Pessoas que gastam e consomem mais do que seus vencimentos acabam desequilibrando a equação e entram no vermelho, com dívidas, etc.

No caso do corpo humano, a energia que entrou, e que vai ser assimilada por esse organismo, precisa ser gasta, eliminada e/ou acumulada. A menos que se tenha um metabolismo acelerado, toda a energia que entrou precisa de uma destinação. Ou se gasta tudo com exercícios físicos, com a própria manutenção do corpo, com as demandas do cérebro e tudo o mais ou a energia remanescente não tem outra escolha a não ser se depositar no próprio corpo. Num organismo com metabolismo acelerado, não dá tempo para se extrair tudo do alimento e ele acaba sendo eliminado (resíduos, fezes, não eliminado em forma de energia) prematuramente.

É o caso de pessoas magras que, apesar de comerem muito, não possuem tendência a ganho de peso. Mesmo essas pessoas, precisam de hábitos saudáveis, pois podem estar deixando depositar no corpo as "más" gorduras, as saturadas, colesterol LDL e muitas outras coisas.

Num organismo que não tem o metabolismo tão acelerado, o quadro é mais desfavorável. Se aquela energia que entrou não for toda gasta na manutenção do corpo e nos exercícios físicos, não tem mais para onde ela ir, uma vez que já passou o momento da eliminação. Ela só tem um caminho: se acumular nas laterais do quadril, na região abdominal e em várias outras partes do corpo em forma de gordura. Não tem mágica. É a equação que falei no começo, é o equilíbrio orçamentário, só que ao contrário. Se a "arrecadação" for maior que a "despesa", vai ter poupança (e aqui, literalmente).

Se comer muito e não gastar tudo em exercícios, vai ter depósitos de gordura se acumulando em todo lugar. A energia que sobra não vai desaparecer como mágica. É matemática bem básica que os conselheiros financeiros estão dando aos pais de família e donas de casa para não se endividarem, só que ao contrário.

Por isso, acho que é aquilo que falei: "fechar a boca" e adotar hábitos e alimentação saudável. O "fechar a boca" aqui não é ao pé da letra, claro. Mas é reduzir a entrada de alimentos de forma a se obter um bom equilíbrio na equação. Se entrar muito, a matemática diz que, se não sair pela rapidez do metabolismo ou por ações que consumam aquela energia, ela vai "pipocar" em forma de pneus e excesso de peso. Não se pode gastar mais do que ganha, o governo não pode gastar mais do que arrecada.

Em empo:
Atualmente, a recomendação das dietas é se comer várias vezes ao dia e evitar passar fome.

Vale aqui uma frase já muito sovada:
"Não existe almoço grátis".

Trocadilho maroto, num assunto sobre comida...
 :)
A capacidade de transgredir é o que nos torna sujeitos da transformação.
_____________________________
Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente.
J.krisnamurti

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.410
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Paleodieta
« Resposta #10 Online: 24 de Setembro de 2012, 16:08:45 »
O melhor é comer de 3 em 3 horas, sempre. Se você quer ganhar peso, suas refeições terão mais calorias e proteínas. Se quer perder peso, suas refeições vão ser mais leves e com menos calorias. Mas sempre de 3 em 3 horas ou algo próximo a isso. Passar fome não é a solução.
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Canopus

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 762
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #11 Online: 24 de Setembro de 2012, 18:48:25 »
Esqueci de acrescentar:

(O que entra) = (O que se queima) + (O que se elimina) + (O que se acumula)

* Entrar = Comer
* Queimar = Gasto calórico com manutenção do corpo ou atividades físicas
* Eliminar = Fezes
* Acumular = Ganho de peso

Quanto mais se come, mais tem-se que compensar a equação com a queima (atividade física), já que os outros itens são mais ou menos constantes (manutenção e fezes), para não incrementar a última parcela (Acumular).

Ressalva:
Indivíduos com metabolismo rápido eliminam muito mais e por isso podem ingerir muito sem ganhar peso.

Não é muito complicado, não. Nem tem malabarismo. Só não existe mágica de comer muito e não engordar, tendo-se um metabolismo gradual.
Foi nesse sentido que eu falei "fechar a boca". Equivale a reduzir a entrada e ter uma equação mais sob controle.

Ingerindo alimentos de 3 em 3 horas como Gaúcho falou é o mais recomendável, pois o cérebro estará sempre "pensando" que está saciado. Mas em pequenas porções, bem entendido. E sempre, sempre manter uma rotina que envolva atividades físicas.
A capacidade de transgredir é o que nos torna sujeitos da transformação.
_____________________________
Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente.
J.krisnamurti

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.360
  • Love it or Hate it
Re:Paleodieta
« Resposta #12 Online: 24 de Setembro de 2012, 20:45:29 »
Teoricamente, tudo parece muito simples num cenário sem fome, ou com controle absoluto da vontade de comer. Na prática as coisas são muito diferentes, tem inclusive um fator importantíssimo que convive com todo gordo: o auto-engano.

Offline Canopus

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 762
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #13 Online: 24 de Setembro de 2012, 20:46:56 »
[...] Na prática as coisas são muito diferentes, tem inclusive um fator importantíssimo que convive com todo gordo: o auto-engano.

LOL
A capacidade de transgredir é o que nos torna sujeitos da transformação.
_____________________________
Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente.
J.krisnamurti

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.410
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Paleodieta
« Resposta #14 Online: 24 de Setembro de 2012, 21:13:41 »
Teoricamente, tudo parece muito simples num cenário sem fome, ou com controle absoluto da vontade de comer. Na prática as coisas são muito diferentes, tem inclusive um fator importantíssimo que convive com todo gordo: o auto-engano.

Sei lá. Há algumas semanas, eu li sobre uma menina que havia perdido perto de 50kg, e quando perguntado sobre o processo, ela falou que nem foi tão difícil, que o problema dela era preguiça, mesmo.
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.425
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Paleodieta
« Resposta #15 Online: 25 de Setembro de 2012, 12:06:13 »
O melhor é comer de 3 em 3 horas, sempre. Se você quer ganhar peso, suas refeições terão mais calorias e proteínas. Se quer perder peso, suas refeições vão ser mais leves e com menos calorias. Mas sempre de 3 em 3 horas ou algo próximo a isso. Passar fome não é a solução.

Por que "sempre"?

Pelo pouco que já li/ouvi o embasamento disso é que faria com que o metabolismo se acelerasse, isso é, o corpo consumiria mais energia. Mas fora a situação de se querer perder peso, existe alguma razão para que seja desejável se ter o metabolismo mais acelerado do que poderia ser? A mim parece que a única "vantagem" é "poder" comer mais/sentir fome mais vezes do que de outra forma. Mas olhando por outro lado/se a pessoa não é tão interessada em comer várias vezes ao dia desnecessariamente, é só desperdício de energia, meio como ter um carro que beba mais gasolina por km porque se goste de ir fazer compra nas lojinhas de conveniência dos postos.

E outra: há evidência de que comer a cada três horas de fato desengatilhe essa aceleração metabólica em qualquer pessoa saudável? Desconfio que seja algo que valha apenas para uma fração, que outras possam só se ferrar porque, por qualquer razão (seja genética particular ou algo do desenvolvimento, como "thrift genotype"), não têm essa aceleração, então acabam só comendo mais do que precisariam.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.425
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Paleodieta
« Resposta #16 Online: 25 de Setembro de 2012, 12:11:45 »
Teoricamente, tudo parece muito simples num cenário sem fome, ou com controle absoluto da vontade de comer. Na prática as coisas são muito diferentes, tem inclusive um fator importantíssimo que convive com todo gordo: o auto-engano.

Eu já li umas coisas interessantes sobre psicologia desse tipo de coisa, como que as recomendações técnicas acabam sendo em 90% do tempo inúteis, porque não se traduzem facilmente em práticas/regras simples concretas, mas deixam em aberto muitas possiblilidades de ação, ao mesmo tempo em que tem o "lado" vagabundo/procrastinador da personalidade. A idéia que passam é meio como aquela que se suspeita ser a diferença entre as crianças que não comiam um marshmellow para ganhar dois depois: a pessoa se "auto enganar" mas numa forma positiva, enganar "a si mesma" do futuro.

<a href="http://www.youtube.com/v/6X3XhmTvYrw" target="_blank" class="new_win">http://www.youtube.com/v/6X3XhmTvYrw</a>

Offline Canopus

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 762
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #17 Online: 25 de Setembro de 2012, 12:16:41 »
E outra: há evidência de que comer a cada três horas de fato desengatilhe essa aceleração metabólica em qualquer pessoa saudável? Desconfio que seja algo que valha apenas para uma fração, que outras possam só se ferrar porque, por qualquer razão (seja genética particular ou algo do desenvolvimento, como "thrift genotype"), não têm essa aceleração, então acabam só comendo mais do que precisariam.

Não tenho dados, mas pelo que entendo, sendo leigo, parece que esse comportamento "acalma" a ânsia de comer muito quando chega a hora das refeições-padrão, como café, almoço e jantar. Não sei se está ligado à velocidade do metabolismo, pois essa é determinada por fatores genéticos. Medicamentos que promovem essa aceleração ou que camuflem artificialmente a fome natural podem trazer graves consequências colaterais a longo prazo.

O ato de comer em intervalos menores engana o cérebro pela necessidade de comer muito (para compensar) na hora do almoço. Uma prova de que é meio psicológico, perceba que se você perder o almoço por um pneu furado ou outro imprevisto, aquela fome de leão da hora do almoço passa poucos minutos depois da hora que o relógio biológico estipulou como sendo de comer [muito].

Basta comer duas uvas de 3 em 3 horas.
:)

Exagero.
« Última modificação: 25 de Setembro de 2012, 12:37:23 por Canopus »
A capacidade de transgredir é o que nos torna sujeitos da transformação.
_____________________________
Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente.
J.krisnamurti

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.425
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Paleodieta
« Resposta #18 Online: 25 de Setembro de 2012, 12:23:04 »
Sei não. Minha percepção pessoal é de que fome durante o dia, se você ignora por um tempo, passa. Só de madrugada que é um saco mesmo, tem que comer preventivamente antes. :/

Também que comer só um aperitivo dá vontade de continuar e comer mais...

E como outro fator de complicação, já li que as pessoas pensam que estão comendo apenas o necessário para suas necessidades metabólicas, e se contar pelas principais refeições, estão certos, o que faz a diferença "a mais" é justamente pequenas mordiscadas ao longo do dia, que poderiam muito bem ser até justificadas com isso de comer a cada três horas...



Essa coisa de comer a cada três horas sempre ouvi dizer que fosse para acelerar o metabolismo, nunca para "tapear a fome". Nesse sentido de "tapear" a própria pessoa já vi algo um pouco parecido no sentido de comer mais lentamente (sendo especificamente eficiente a pessoa começar a comer na velocidade normal e ir desacelerando ao longo da refeição) e ter um espelho diante de si, onde estiver comendo. :biglol:

Offline Canopus

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 762
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #19 Online: 25 de Setembro de 2012, 12:31:24 »
Buckaroo, eu confesso que pensava também como você. No início sempre impliquei com essa máxima de comer mais vezes durante o dia. Não fazia sentido.

Mas fui bombardeado por zilhões de artigos de profissionais (nutricionistas) falando a mesma coisa e comecei a tentar raciocinar da maneira deles. Também tenho minhas dúvidas sobre isso, mas a minha balança já vai mais inclinada para o lado deles do que do lado em que eu estava antes.

Umas dicas que sempre repito:
Sempre procure se levantar da mesa achando que devia ter comido um pouco mais.
Fuja da saciedade completa.

Um pensamento que sempre procuro me lembrar:
A alimentação possui dois gumes bem afiados: propicia a vida através da energia que oferece e, paradoxalmente, trabalha contra a vida pela produção de radicais livres e outras toxinas inerentes aos alimentos.

Resumo "resumido" (extremado e meio non-sense):
Quem menos come, mais vive.
« Última modificação: 25 de Setembro de 2012, 12:34:39 por Canopus »
A capacidade de transgredir é o que nos torna sujeitos da transformação.
_____________________________
Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente.
J.krisnamurti

Offline Südenbauer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.297
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #20 Online: 25 de Setembro de 2012, 14:29:01 »
Acho que é porque a proteína só fica três horas no corpo, e não pode ser estocada. Então se tu não comer, o corpo ao invés de usar o alimento de energia, vai usar a massa magra.

Por isso, acho que é aquilo que falei: "fechar a boca" e adotar hábitos e alimentação saudável. O "fechar a boca" aqui não é ao pé da letra, claro.
Por isso mesmo que eu comentei que, quando falar com uma pessoa, não acho uma boa dica usar essas expressões: "fechar a boca", "comer menos". Muita gente interpreta isso como comer menos mesmo. Morei com gurias, elas literalmente passavam fome para perder peso. Não precisa comer muito, mas comer o suficiente para não ficar com fome, comer MELHOR e com menores intervalos.

Offline Canopus

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 762
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #21 Online: 25 de Setembro de 2012, 14:38:03 »
[...] mas comer o suficiente para não ficar com fome, comer MELHOR e com menores intervalos.

Estamos de acordo.
 :ok:

A propósito, essa mudança de nick e avatar foram extremos.
 :)

Sabia que por aqui se mudava de avatar e assinatura, mas nick é a primeira vez que vejo.
"Bem-vindo, Herr Kaleun"

Quem é a figura?
A capacidade de transgredir é o que nos torna sujeitos da transformação.
_____________________________
Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente.
J.krisnamurti

Offline Laura

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 958
Re:Paleodieta
« Resposta #22 Online: 25 de Setembro de 2012, 17:11:18 »
O melhor é comer de 3 em 3 horas, sempre. Se você quer ganhar peso, suas refeições terão mais calorias e proteínas. Se quer perder peso, suas refeições vão ser mais leves e com menos calorias. Mas sempre de 3 em 3 horas ou algo próximo a isso. Passar fome não é a solução.

Por que "sempre"?

Pelo pouco que já li/ouvi o embasamento disso é que faria com que o metabolismo se acelerasse, isso é, o corpo consumiria mais energia. Mas fora a situação de se querer perder peso, existe alguma razão para que seja desejável se ter o metabolismo mais acelerado do que poderia ser?

Não. A única razão de acelerar o metabolismo de que se tem notícia é o possível auxílio na perda de peso. Lembrando ainda que o metabolismo pode acelerar e mesmo assim a pessoa pode não emagrecer, caso ela aumente a quantidade de calorias ingeridas, proporcionalmente ao gasto energético que o corpo terá com um metabolismo mais rápido. 

Há anos frequento uma nutricionista, especializada em nutrição esportiva e ela não indica para todas as pessoas comer de 3 em 3 horas. Ela avalia a rotina da pessoa, o treino esportivo e cruza essas informações com uma avaliação física, exames de sangue e densitometria óssea, para montar uma dieta específica para cada indivíduo. No meu caso, o que e quanto devo ou não comer está relacionado ao que eu fiz antes e vou fazer depois da refeição, não tendo nenhuma relação em manter intervalos regulares de alimentação. Ela também me ajudou a entender o que é realmente bom em um alimento e a não cair (tanto) nos engodos das propagandas. Para mim, funciona muito bem. Por isso não concordo com esse "sempre", os corpos não tem todos as mesmas necessidades.

Mas de forma geral, para uma pessoa que não vá a um nutricionista, comer refeições leves a cada 3 horas é uma boa estratégia e talvez por isso, essa prática seja tão conhecida.   

Offline Canopus

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 762
  • Sexo: Masculino
Re:Paleodieta
« Resposta #23 Online: 25 de Setembro de 2012, 19:03:55 »
Há anos frequento uma nutricionista, especializada em nutrição esportiva e ela não indica para todas as pessoas comer de 3 em 3 horas. Ela avalia a rotina da pessoa, o treino esportivo e cruza essas informações com uma avaliação física, exames de sangue e densitometria óssea, para montar uma dieta específica para cada indivíduo. No meu caso, o que e quanto devo ou não comer está relacionado ao que eu fiz antes e vou fazer depois da refeição, não tendo nenhuma relação em manter intervalos regulares de alimentação. Ela também me ajudou a entender o que é realmente bom em um alimento e a não cair (tanto) nos engodos das propagandas. Para mim, funciona muito bem. Por isso não concordo com esse "sempre", os corpos não tem todos as mesmas necessidades.

Laura, essas informações que você trouxe ajudaram em muito a fechar o quadro que eu desenhava na minha cabeça. Como já disse antes, eu também tinha reservas sobre essa afirmação de intervalos pequenos. Eu resistia a aceitá-la integralmente, tal como Gaúcho questionou. E também a importância do que se fez antes e o que se vai fazer depois daquela refeição era algo que eu ainda não tinha parado para encaixar essa informação nesse quadro que falei. E agora entendo melhor quando se fala sobre comer pouco à noite. Durante o sono, o corpo não terá muito como gastar aquela energia que entrou.

Ficou mais claro.
A capacidade de transgredir é o que nos torna sujeitos da transformação.
_____________________________
Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente.
J.krisnamurti

Offline Laura

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 958
Re:Paleodieta
« Resposta #24 Online: 25 de Setembro de 2012, 20:42:30 »

Laura, essas informações que você trouxe ajudaram em muito a fechar o quadro que eu desenhava na minha cabeça. Como já disse antes, eu também tinha reservas sobre essa afirmação de intervalos pequenos. Eu resistia a aceitá-la integralmente, tal como Gaúcho questionou. E também a importância do que se fez antes e o que se vai fazer depois daquela refeição era algo que eu ainda não tinha parado para encaixar essa informação nesse quadro que falei. E agora entendo melhor quando se fala sobre comer pouco à noite. Durante o sono, o corpo não terá muito como gastar aquela energia que entrou.

Ficou mais claro.

Pois é, Canopus... durante uma noite de sono, como você citou, o corpo não precisará de energia, vinda principalmente dos carboidratos, mas é um momento muito oportuno para consumir proteínas, que são indispensáveis para a renovação dos tecidos que acontece, principalmente, enquanto dormimos. Além disso, proteína é o que mais dá a sensação de saciedade, o que evita que a pessoa acorde de madrugada para assaltar a geladeira. E por aí vai...  :)

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!