Enquete

O racismo reverso existe?

Sim
9 (60%)
Não
6 (40%)

Votos Totais: 15

Autor Tópico: Racismo reverso, ele existe?  (Lida 1428 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Skeptikós

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.180
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Racismo reverso, ele existe?
« Online: 11 de Abril de 2015, 12:05:53 »
Racismo reverso, ele existe?

<a href="https://www.youtube.com/v/crCCQIWSx68" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/crCCQIWSx68</a>

Hehe, o cara foi engraçado, concordo, mas, isso justifica o por que se pode fazer piadas sobre brancos mas não se pode fazer sobre negros?

Eu acho que não, todos nós aqui já devemos saber que a linha argumentativa que tenta justificar discriminações raciais com base em reparação ou divida histórica não se sustenta e já foi abandonada inclusive pelos próprios militantes alto-declarados defensores de minorias raciais. No entanto acho que ele esta sim no direito de fazer piadas sobre brancos, assim como piadas sobre negros também deveriam serem permitidas (não todo tipo de piada, é claro, assim como no caso inverso). Acho ainda que evidentes discursos de ódio ou incitação ao crime com base em discursos racistas deveriam serem evitados por algum meio.

E vocês, o que acham, o racismo reverso existe (negros ou brancos podem serem racistas em relação aos brancos?), e se não existe, que argumentos você tem para defender sua opinião?

Abraços!
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #1 Online: 11 de Abril de 2015, 12:45:42 »
Racismo contra brancos é ainda "racismo", o termo não traz implícita qualquer direção ou especificidade. Racismo "reverso" acho que talvez pudesse ser achar que as raças que não são a da própria pessoa é que são superiores... deve ser meio incomum.



De modo geral acho que "racismo contra brancos" em países de maioria branca histórica vão ser choradeira/hiper-sensibilidade igual ou pior que as que eu questionava no outro tópico (e acho que é algo em que é natural haver pesos e medidas diferentes, com brancos podendo aguentar algo um pouco "pior"). Mas pode haver racismo/racismo reverso/transracismo contra brancos "de verdade", também. Já ouvi diretamente de uns caras um ou outro exemplo. "Branco é uma merda", "pelo menos meu pai é negro". Não acho que esse tipo de coisa seja lá muito significativa, como se fosse ser comum algo meio análogo a skinheads negros que saem por aí só para bater em brancos e talvez japoneses. Pode até ter, mas não acho que seja lá algo sério e característico o bastante a ponto de precisar de qualquer medida especial da polícia ou novas leis. Mas talvez campanhas anti-racismo devam ter mais cuidado em colocar racismo contra o branco como "possibilidade" implícita, bem como não colocar brancos como conspiradores racistas que dominam a sociedade.

Mais sérias talvez sejam coisas como, em sistemas de cotas, a cota para brancos/não-negros/mulatos/índios ser insuficientemente pequena e então haver uma lacuna (ou quase) entre cotistas brancos e não-brancos, com brancos que ficam de fora por esgotar a cota enquanto outros com nota de corte menor ainda entram. E dentro de coisas políticas ainda acho que pode haver um certo interesse em não se ter a ênfase/ressalva de racismo não ser só de brancos contra outros em campanhas, já que o foco no branco como vilão deve ajudar a aceitação de mais políticas pretensamente anti-racistas, ou a continuidade delas, não dando tanta margem a se considerar que tais políticas podem ser racistas contra brancos, mesmo sem necessariamente haver uma ideologia racista equivalente por trás, apenas pela discriminação racial em si.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.234
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #2 Online: 11 de Abril de 2015, 14:10:34 »
Acho que tendo o racismo como correspondendo a uma desconfiança de um indivíduo quanto ao que o outro representa em relação ao que o que ele considera que a si e os seus representam, logo, se insinuando como o contrário disso, ou seja, racismo ao contrário, ou racismo reverso, confiar num indivíduo por ele representar(se presumir que ele represente) algo em relação ao que ele vê com desconfiança em si mesmo e nos seus é natural.


Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #3 Online: 12 de Abril de 2015, 05:00:19 »
Acho que tendo o racismo como correspondendo a uma desconfiança de um indivíduo quanto ao que o outro representa em relação ao que o que ele considera que a si e os seus representam, logo, se insinuando como o contrário disso, ou seja, racismo ao contrário, ou racismo reverso, confiar num indivíduo por ele representar(se presumir que ele represente) algo em relação ao que ele vê com desconfiança em si mesmo e nos seus é natural.
Hein?!   hahahahahaha   Não, não... captei vossa mensagem, meu caro. Mas, não deve ser tão mais simples que isso? Não deve ser só o culto, o louvor apreciativo ao que se define como própria raça em relação a eventuais demais? Nem mesmo sendo necessária a premissa de superioridade?

Qualquer raça "tem o direito potencial" de ser racista. Tá o 'orgulho negro' aí a exemplificar. O grande problema é transformarem isso em conflito.

Offline Pedro Reis

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.893
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #4 Online: 12 de Abril de 2015, 05:32:45 »
Há um tipo de racismo reverso que é o da minoria sectária.

Aquela pessoa que é negra, mas torce o nariz quando um negro ascende socialmente mas não casa com uma negra. Ela diz: " O próprio negro é racista. Se sobe na vida não quer ficar com uma  crioula."

Mas se ele pertence a um meio social aonde a maioria das pessoas não são negras, nada mais natural e provável que esse negro namore e case com uma "branca". Escolher um relacionamento não por afinidade e sentimento, mas por raça, isso sim seria racismo.

Racismo reverso.

Invertamos, por hipótese, esta situação. Digamos que eu, alguém equivocadamente considerado "branco", venha a falir miseravelmente ( algo que não está longe de acontecer ) e tenha que morar em uma agora chamada "comunidade", aonde muitos de meus novos vizinhos e amigos serão "negros" ou "mulatos". Porém se eu seletivamente procuro me relacionar afetivamente apenas com pessoas "brancas" qualquer um poderia justificadamente me tachar de racista.

Mas o racista reverso acha que o certo é como nos filmes e séries americanos. Papai negro, mamãe negra, os filhos negros, os amigos são negros, tudo separadinho, quem nem a família Obama. O cara se formou em Harvard, é podre de rico, 99 por cento dos colegas não eram negros, mas ele só podia casar com uma negra. É um racismo asqueroso.

Offline Donatello

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.814
  • Sexo: Masculino
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #5 Online: 12 de Abril de 2015, 10:09:35 »
O começo da minha resposta é o mesmo começo da resposta do Buck. A expressão "racismo reverso" dá a noção de que racismo tem direção predefinida. A pergunta é se existe racismo de negro contra branco? Sim, de negro contra branco, de branco contra amarelo, de japonês contra chinês, de inuit contra escandinavo, de hutu contra benguela... deve haver racismo com todas as combinações possíveis.

Eu diria que em coerência com o "somos todos macacos", nós, em alguma medida, "somos todos racistas". Dia destes o Manhattan tava falando da antipatia que tem pelos holandeses que o receberam para um programa acadêmico recentemente, de como são antipáticos, arrogantes e neuróticos e que não gostaria de voltar a trabalhar com eles. Imaginando alguém falando da antipatia que tem por negros: de como são preguiçosos ou têm dificuldade de aprender, baseado numa experiência em alguma escola pública... Noutro tópico lá estava o japonês Barata destilando um monte de afirmações que podiam ser (e foram) interpretadas como racistas por muita gente.

Não estou nem dizendo que holandeses não sejam isso nem que negros sejam aquilo nem atacando a postura do Dr Manhattan. Estou dizendo que de algum modo todos nós acabamos criando estereótipos mentais (baseado na observação de um grupo ou no aprendizado escolar/familiar, sei lá...) sobre determinados grupos étnicos e a partir daí tratando os membros destes grupos com uma espécie de "a priori".

O Manhattan, faz isso com holandeses; o Barata faz isso com brancos... por aí vai.

O que existe de diferente no racismo contra negros (acredito) é que alguns movimentos históricos acabaram deixando sequelas mais demograficamente, economicamente... visíveis neste caso, somente :)
« Última modificação: 12 de Abril de 2015, 10:12:10 por Donatello van Dijck »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #6 Online: 12 de Abril de 2015, 13:45:26 »
Mas o racista reverso acha que o certo é como nos filmes e séries americanos. Papai negro, mamãe negra, os filhos negros, os amigos são negros, tudo separadinho, quem nem a família Obama. O cara se formou em Harvard, é podre de rico, 99 por cento dos colegas não eram negros, mas ele só podia casar com uma negra. É um racismo asqueroso.

Não acho que isso seja necessariamente racismo, nem sei se é algo que deva sugerir "desconfiança" disso. No mínimo é tão "suspeito" quanto seria suspeito de um "auto-racismo" quando a pessoa se casa com alguém da raça socialmente "superior". Suspeição essa que talvez seja até um dos fatores que leva a uma preferência endorracial um pouco maior do que seria esperado apenas por probabilidades. Não é incomum essa acusação de racismo quando as pessoas se casam com alguém de outra raça, é coisa que as pessoas falam na TV com a maior naturalidade e praticamente não é questionado. E até citam exemplos de que seria real como pessoas que teriam dito que era bom mesmo "embranquecer" a família.

O que me lembra de um relato que me deixou bastante surpreso. Era de um americano que a vida toda havia se considerado "negro". Por qualquer motivo, fez um teste de DNA para ancestralidade. E o teste deu para ele simplesmente "0% negro". Ele pareceu bem chocado com isso, e em algum momento na entrevista/relato mencionou que nem sabe se teria se casado com sua atual esposa se "soubesse que não era negro".

Acho que é uma das coisas que ouvi com que mais tenho dificuldade em me colocar no lugar do que a pessoa pensava antes, essa coisa de "bem, eu sou X, logo, só posso me casar com uma X também, mesmo que não seja a melhor opção, pessoalmente". Acho que só pode ser explicado por esse medo de ser taxado como "auto-racista".

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #7 Online: 15 de Setembro de 2016, 23:28:25 »
Não tem muito tempo que vi, acho que no site do MBL ou algo do gênero, um vídeo em que uns universitários queriam limpar pichações de outros universitários, e isso acabou dando em bate-boca/semi-briga, talvez agressão física.

Outra coisa que ocorreu foi um do lado dos defensores das pixações/contra a limpeza declarar, algo como "sou racista contra brancos sim", "tenho racismo reverso sim, não gosto de brancos".

Eu achava que, adentrando no espectro patológico do esquerdismo, houvesse apenas uma minimização de racismo contra brancos como fenômeno real, dado como algo isolado e insignificante. Mas essa admissão aberta me faz imaginar que já possa estar também havendo uma racionalização disso como algo politicamente correto e plenamente aceitável. Um pouco nas linhas de que já ouvi, sempre sob efeito de lei de Poe, com relação a misandria, partindo de mulheres e feministas. No caso mais extremo (e que gosto de acreditar que possa ser mentira), terem dito que um homem não tem direito a auto-defesa mesmo que seja atacado por uma mulher armada de uma faca; mas também tem figuras relativamente pop como a Anita Sarkeesian falando que é impossível que mulheres oprimam a homens, porque "os homens" que são o gênero dominante.

Me recordo de já ter lido uma vez ou outra algo sobre admissibilidade do racismo dirigido a brancos, em discussões/comentários em inglês, pela net. Mas mesmo lá fora ainda não me parece algo exatamente já incorporado no discurso esquerdo-babaca médio, mas ainda algo mais extremo. A impressão que tenho é que a "misandria politicamente correta" leva uma ligeira vantagem, mas ainda sendo preponderante umas tentativas de dizer que isso não existe/é desprezível, mescladas com tu-quoques confusos.


Ah, por coincidência agora me lembrei, a ministra/secretária da igualdade racial em 2007, Matilde Ribeiro, por acaso tinha dito algo bem parecido com essa versão do argumento que vi em inglês: "não é racismo quando um negro se insurge contra um branco"; "a reação de um negro de não querer conviver com um branco, eu acho uma reação natural. Quem foi açoitado a vida inteira não tem obrigação de gostar de quem o açoitou”.

http://www.bbc.com/portuguese/reporterbbc/story/2007/03/070326_ministramatildedb.shtml

De lá para cá isso já virou cânone ou o que?

Offline Gauss

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.104
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #8 Online: 15 de Setembro de 2016, 23:34:37 »
Não existe. Existe racismo, independente contra qual raça for direcionado, pois racismo não é algo exclusivo contra negros.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.920
  • Sexo: Masculino
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #9 Online: 15 de Setembro de 2016, 23:43:44 »
Racismo "reverso" acho que talvez pudesse ser achar que as raças que não são a da própria pessoa é que são superiores... deve ser meio incomum.

Eu já conheci uma pessoa assim. Ela dizia "eu sou negra, mas negros são mal educados, cheiram mal, não sabem se comportar" etc.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #10 Online: 15 de Setembro de 2016, 23:51:39 »
Esse amigo seu é bastante "famoso" na internet, ao menos uma foto:




Acho que isso não é necessariamente "racismo", da mesma forma que não acho que admitir o que o brasileiro de qualquer cor (ou vizinhos do bairro/cidade/estado) faça de ruim ou que deixe a desejar seja "síndrome de vira latas", ou xenofobia reversa "misopatria".

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.920
  • Sexo: Masculino
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #11 Online: 16 de Setembro de 2016, 00:18:56 »
Acho que isso não é necessariamente "racismo", da mesma forma que não acho que admitir o que o brasileiro de qualquer cor (ou vizinhos do bairro/cidade/estado) faça de ruim ou que deixe a desejar seja "síndrome de vira latas", ou xenofobia reversa "misopatria".

Acho que aí vai variar de caso a caso. Dizer, por exemplo, "o brasileiro se preocupa muito com futebol" parece menos incorreto, à medida que mais embasado na realidade, do que dizer, por exemplo, "o brasileiro é desonesto por natureza" que aí já seria algo relacionável a esses termos que você descreveu.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #12 Online: 16 de Setembro de 2016, 00:22:25 »
Dizer que "o principal responsável pelo racismo e pela opressão sexual é o homem branco heterossexual" seria auto-racismo/sexismo/heterofobia?  (partindo de alguém dentro de tal descrição, evidentemente)

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.920
  • Sexo: Masculino
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #13 Online: 16 de Setembro de 2016, 00:28:37 »
Dizer que "o principal responsável pelo racismo e pela opressão sexual é o homem branco heterossexual" seria auto-racismo/sexismo/heterofobia?  (partindo de alguém dentro de tal descrição, evidentemente)

Deve ser difícil isolar uma causa como "principal responsável". Pelo menos no que depender das pessoas que eu conheço que repetem esse tipo de frase, é só autodepreciação mesmo, para ganhar reconhecimento de grupos de ativistas.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #14 Online: 16 de Setembro de 2016, 00:31:40 »
A chamada "culpa branca".

Mas acho que deve dar para expressar alguma coisa com sentido parecido sem qualquer implicação auto-depreciativa, um pouco como talvez possa se dizer que a Europa historicamente fodeu com a África e etc e tal, novamente em termos algo mais elaborados que esses, e sem vilanizar todo e qualquer europeu pela eternidade e tudo mais, mas ainda assim, expressando a assimetria de benefícios e malefícios dessas relações... (com espaço até para parêntese para benefícios e para dizer que não significa que sem isso tudo seria um mar de rosas na África, no passado ou no presente decorrente de um passado alternativo)

Geralmente acho estranho essa "aversão" que comumente as pessoas tem a elementos de "culpa" em discursos. Algumas vezes acho que é algo presente e exagerado/dramalhão/emo que seria melhor não ter, mas também me parece haver em alguns casos uma certa hiper-sensibilidade. Lembro de já ter visto um bocado de negação/ceticismo de aquecimento global que parecia uma forma de rejeição a um sentimento de culpa, que ou se tentava imputar, ou que as pessoas sentiam que era tentado imputar.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.920
  • Sexo: Masculino
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #15 Online: 16 de Setembro de 2016, 00:45:20 »
No caso da questão racial, a negação da culpa provavelmente vem de algum medo de com isso justificar medidas de "reparação histórica". Também é o jeito de limpar a reputação dos próprios antepassados, vontade de acreditar que a família onde o indivíduo nasceu tem boa condição social por méritos próprios, e não por exploração de trabalho alheio séculos atrás.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #16 Online: 16 de Setembro de 2016, 01:12:15 »
...

Eu acho que nem faz muito sentido falar em "culpa". Quem está vivo hoje, não tem culpa de nada, a menos que tenha ele mesmo escravizado alguém, o que praticamente foge do assunto.

Mas isso não impede de algumas pessoas sentirem (e/ou sentirem conflito com) essa culpa, e de outros tentarem imputá-la (e nem só aos descendentes de donos de escravos, mas generalizadamente até aos que nem descendentes dos que poderiam ser ditos culpados são).


De qualquer forma, deve (ou deveria) ser algo do qual se pudesse falar em alguma linguagem sem esse elemento de culpa, mas que ainda assim preservasse essa noção de "dívida histórica", ou uma talvez uma "ausência de herança",  "decorrente de maior proximidade genealógica a indivíduos escravizdos devido a  sua destituição de liberdade e direitos a propriedade e discriminação racial que era bem mais pervasiva e etc e tal", já que até "dívida histórica" é meio polêmico.



Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.920
  • Sexo: Masculino
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #17 Online: 16 de Setembro de 2016, 01:41:19 »
Culpa não é um bom termo, talvez o melhor seria "responsabilidade", não no sentido de ter agido como elemento causador, mas de ter algum ônus em relação a corrigi-lo. Embora ambos os lados acabem caindo nessa confusão semântica quando o tema está em discussão.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #18 Online: 16 de Setembro de 2016, 15:42:05 »
Acho que não chegaria nem a responsabilidade individual, também. Responsabilidade seria do estado, se mantemos que ele tem os deveres e funções tais e tais de propiciar a melhora de vida das pessoas ou mesmo corrigir seqüelas causadas por administrações passadas.

Porém, de fato a coisa chegou ao pondo de haver uma responsabilização (ou penalização) "coletiva-individual" atrelada praticamente apenas à cor de pele, na medida em que fica implícita a necessidade de aceitação de leis de admissão preferencial.

O que talvez conclua uma forma muito prolongada de chegar de volta naquilo que você havia mencionado antes, de ser contra cotas como reparações e tudo mais.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #19 Online: 21 de Fevereiro de 2017, 17:39:05 »
<a href="https://www.youtube.com/v/aRW0ISEOD3Q" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/aRW0ISEOD3Q</a>

Não tomem o vídeo postado como recomendação da extensão, sobre a qual a segurança eu não posso depor.




PS.: quem acha que racismo contra brancos é ainda racismo e não racismo "reverso", votou em "não", ou todos que votaram "não" acham que apenas os brancos são racistas? (ou ainda, todos são racistas, mas nunca contra brancos, dos quais todo mundo gosta?)

Offline Gauss

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.104
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #20 Online: 21 de Fevereiro de 2017, 17:45:19 »
Racismo é racismo, independente de quem perpetra e quem é vítima. Por isso votei "não". Não por achar que não exista racismo contra branco, mas por racismo ser racismo independente de qualquer tentativa de definição ideológica.

Citação de: Dicionário de Português
[...]
3. preconceito extremado contra indivíduos pertencentes a uma raça ou etnia diferente, ger. considerada inferior.
[...]
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #21 Online: 21 de Fevereiro de 2017, 17:49:51 »
Ah, sim.

Tal como quem trai o cônjuge é quem tem chifres, não o chifrado/traído, pois "chifrar", ou "colocar chifres em" não é transplantá-los ou implantá-los em outrem, mas atingir com os chifres que se tem.

Ainda assim o mal-entendido popular praticamente sagra o sentido de que o cornudo é o traído, não o(s) traidor(es). Coisa parecida acontece com "racismo invertido", e talvez também com "sexismo invertido".

Offline Gauss

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.104
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #22 Online: 21 de Fevereiro de 2017, 18:02:57 »
Eu não entendi se você foi sarcástico ou quis falar alguma coisa séria.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 32.366
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #23 Online: 21 de Fevereiro de 2017, 18:18:06 »
Apenas tão "sério" quanto é afirmar que responder com o significado argumentavelmente "tecnicamente correto", mas contra a definição dada na enquete, acabou deixando a enquete com um resultado ambiguo.

Offline Skeptikós

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.180
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Racismo reverso, ele existe?
« Resposta #24 Online: 21 de Fevereiro de 2017, 18:56:53 »
A pergunta na época foi mal formulada por ter se baseado no discurso do movimento negro que considera racismo apenas a discriminação racial contra negros, e não contra brancos, chamando a última por tanto de racismo reverso como uma tentativa de minimizar ou negar a existência de racismo contra brancos. O correto mesmo seria chamar de racismo contra brancos. Eu acredito que existe sim brancos que sofrem racismo principalmente por serem brancos, e chamar isso de racismo reverso seria mesmo incorreto, enquanto chamar apenas de racismo estaria certo.
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!