Autor Tópico: Causas da desigualdade de renda entre as pessoas  (Lida 1821 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Online: 13 de Abril de 2016, 21:11:02 »
Além da óbvia e principal, que são as diferenças naturais entre as pessoas (personalidade, perfil de consumo, disciplina, capacidade de adiar satisfações, inteligência, força de vontade, cultura e costumes herdados, etc) e eventos fortuitos, quais os outros fatores que influenciam nas diferenças de renda e riqueza entre as pessoas?

Eu pensei inicialmente em 3 fatores, mas a lista poderá ser ampliada mais tarde por eu mesmo ou os demais foristas:

1- Inflação;

2- Diferenças de fecundidade;

3- Excesso de regulação ou burocracia nas relações trabalhistas;




O item 1 transfere renda dos assalariados (ou beneficiários de pensões, aposentadorias ou qualquer rendimento fixo) para os que vivem de negócios.

O item 2 transfere renda dos grupos ou famílias mais fecundos para os menos fecundos, ou dos menos qualificados para os mais qualificados.

O item 3 transfere renda dos desempregados e subempregados para os empregados formais, e dos jovens e idosos para pessoas de idade mediana.



Fiquem à vontade para aumentar a lista.

Eu pessoalmente (e a maioria da população, ao que parece) não me importo com a desigualdade per si, mas apenas com a pobreza e miséria. O tópico é para fins de curiosidade e aprendizado.


« Última modificação: 13 de Abril de 2016, 21:16:04 por DDV »
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #1 Online: 13 de Abril de 2016, 21:15:08 »
A inflação também transfere renda de todos (dos assalariados principalmente)  para o estado (o chamado 'imposto inflacionário').

O excesso de regulação trabalhista também facilita o surgimento de diferenças de rendimento entre mulheres e homens (podendo empregar menos, algumas empresas podem preferir homens).



 
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.643
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #2 Online: 13 de Abril de 2016, 22:59:32 »
Outra causa da desigualdade de renda no Brasil: programas sociais...

Numa reportagem sobre a miséria publicado em 2002 (Veja, 23 de janeiro), o economista José Márcio de Camargo da PUC mostrou o dado de que só 7% do dinheiro gasto com aposentadorias fica com os 20% mais pobres. Os 20% mais ricos ficam com 30% do total. E até hoje servidor público, diferentemente dos outros beneficiários, tem aposentadoria integral como direito. Até recentemente, eu tinha a informação que a previdência consome incríveis 12% do PIB, então veja o estrago que a má focalização recursos nela faz em boa parte do orçamento público.

Por outro lado, o economista Ricardo Paes de Barros já disse:

"A grande atenção concedida aos trabalhadores do setor formal em detrimento daqueles presentes no setor informal é outro viés reconhecidamente presente na política social brasileira (Barros, Foguel & Coersul 2000). O fato de boa parte da política estar voltada para o segmento formal do mercado de trabalho ilustra o favorecimento da classe média, em detrimento das camadas mais pobres. Um dos grandes exemplos dessa tendência é a universidade pública, cujos benefícios diretos para os mais pobres são extremamente limitados e para os não-pobres, evidentes."

http://www.columbia.edu/~js3317/JASfiles/AgendaPerdida.pdf

O Guia Politicamente Incorreto da Economia Brasileira de Leandro Narloch tem um capítulo dedicado ao tema desse tópico. Destaque para análise do Bolsa BNDES na contribuição da desigualdade de renda.

Da minha parte, eu ainda cito o protecionismo comercial brasileiro e grande parte daquilo que chamam de "política industrial".
« Última modificação: 14 de Abril de 2016, 09:33:19 por -Huxley- »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #3 Online: 13 de Abril de 2016, 23:24:50 »
O excesso de regulação trabalhista

Não tanto "entre pessoas", mas acho que conta:

Citar


While East Asia has embraced large numbers of sweatshops, sub-Saharan Africa has not. This graph shows that the percentage of the population living on less than $1 per day (adjusted for inflation) has fallen substantially in East Asia, while remaining relatively unchanged in sub-Saharan Africa. The graph shows the 1981–2001 period. Data source: "How Have the World's Poorest Fared Since the Early 1980s?" by Shaohua Chen and Martin Ravallion.[35] Table 3, p. 28

https://en.wikipedia.org/wiki/Sweatshop#Criticisms_of_anti-globalization


Rhyan

  • Visitante
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #4 Online: 14 de Abril de 2016, 22:25:19 »
Falta de liberdade econômica:



Less Economic Freedom Equals More Income Inequality
http://reason.com/archives/2015/02/20/less-economic-freedom-equals-more-income

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #5 Online: 15 de Abril de 2016, 11:42:26 »
Sem ler o texto, pelo que já vi antes, parece que é mais complicado (o que não seria inesperado pelo "princípio" de que o socialismo "redistribui a pobreza"):


Citar


The linear fit gives us an R-squared value of 0.4728; the correlation is not extremely strong, but still exists and is statistically significant. If we remove just three outliers (Venezuela, Angola, and Chile), our R-squared value goes up to 0.5329:





With these data, we have established that in general, a freer market is correlated with a higher standard of living and vice-versa. But is improving the standard of living the only motivation behind most economic systems? Not at all, income equality is on the agenda of politicians and economists alike; one of the criticisms of capitalism is that creates inequality, and concentrates power and capital in the hands of the few. Is there a way to assess this using statistics? We would need to find a metric for evaluating the distribution of income in a country.

The Gini coefficient, also published by the United Nations, fits the bill perfectly. Based on the Lorenz curve, Gini ranges from zero (perfect equality: everyone has the exact same wealth) to one (perfect inequality: one person owns everything). In the data that we use2, the index is multiplied by 100 to range from 0 to 100. Comparing the Gini coefficient to the Economic Freedom of the World Index:




Now admittedly, I did not expect this result: there is no statistically significant correlation between economic freedom and equality4. What does this mean? Apparently, the data seem to imply that it is possible to have any kind of economic system, and still achieve equality or inequality; perhaps it is culture, politics, or an infinite number of possible other third factors at play that lead to the distribution of income in a country.

So what does this all mean? It would be easy to make sweeping generalizations, but we need to keep in mind that all we have done is proven correlation--and correlation does not imply causation. Drawing from what we've found, we can say to a certain degree of certainty that the misconception that capitalism creates inequality can be laid to rest, as implied by the data comparing economic freedom with Gini.

[...]

http://blog.kortaggio.com/2010/08/statistical-politics-systems-of.html





O post original não está mais no ar, nem as imagens. Essas versões toscas são miniaturas do google.

O texto integral ainda está no web.archive.org, mas ńão tem os gráficos:

http://web.archive.org/web/20110812153025/http://blog.kortaggio.com/2010/08/statistical-politics-systems-of.html



Me parece que a correlação de liberdade econômica com GINI meio que começa a ser levemente inversa. É tudo bem "espalhado", mas tem um "núcleo" mais denso que desenha essa correlação inversa.



É:

Citar


The relationship between economic freedom and income equality is interesting. We measure inequality based on the conventional Gini coefficient of inequality. The overall correlation is negative (-.33). That means freer countries, on average, are more equal. Many of the countries with the highest levels of economic freedom are also among those with the highest levels of economic equality – Sweden, Denmark, Japan, and Finland. The most unequal countries – Bolivia, Brazil, Ecuador, and Argentina – on the other hand, have relatively low levels of economic freedom. The United States is one of several countries, along with the United Kingdom and Singapore, that have high levels of economic freedom alongside relatively high levels of inequality.

http://www.creativeclass.com/_v3/creative_class/2010/04/20/free-tolerant-and-happy/

Offline Onsigbare

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 282
  • Os crentes, não dizendo nada, explicam tudo.
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #6 Online: 15 de Abril de 2016, 18:18:03 »
Citar
Além da óbvia e principal, que são as diferenças naturais entre as pessoas (personalidade, perfil de consumo, disciplina, capacidade de adiar satisfações, inteligência, força de vontade, cultura e costumes herdados, etc) e eventos fortuitos, quais os outros fatores que influenciam nas diferenças de renda e riqueza entre as pessoas?

Eu pensei inicialmente em 3 fatores, mas a lista poderá ser ampliada mais tarde por eu mesmo ou os demais foristas:

1- Inflação;

2- Diferenças de fecundidade;

3- Excesso de regulação ou burocracia nas relações trabalhistas;

Acho que isso vale para uma mesma região, país.  Mas se considerarmos o mundo todo, outros fatores poderão ser observados, como o clima, e a localização. Seria coincidência as diferenças sociais dos povos acima e abaixo do equador?

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #7 Online: 15 de Abril de 2016, 19:13:42 »
Citar
Além da óbvia e principal, que são as diferenças naturais entre as pessoas (personalidade, perfil de consumo, disciplina, capacidade de adiar satisfações, inteligência, força de vontade, cultura e costumes herdados, etc) e eventos fortuitos, quais os outros fatores que influenciam nas diferenças de renda e riqueza entre as pessoas?

Eu pensei inicialmente em 3 fatores, mas a lista poderá ser ampliada mais tarde por eu mesmo ou os demais foristas:

1- Inflação;

2- Diferenças de fecundidade;

3- Excesso de regulação ou burocracia nas relações trabalhistas;

Acho que isso vale para uma mesma região, país.  Mas se considerarmos o mundo todo, outros fatores poderão ser observados, como o clima, e a localização. Seria coincidência as diferenças sociais dos povos acima e abaixo do equador?

Tem a ver mais com a cultura.

Em locais onde o território foi completamente tomado e a cultura local (ou a população...) completamente substituída pela européia, houve desenvolvimento. Em locais onde não houve essa substituição, há atraso. O Japão e Tigres Asiáticos são as únicas exceções a essa regra, pois possuem cultura própria favorável ao desenvolvimento (em parte copiada do Ocidente).




Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #8 Online: 15 de Abril de 2016, 20:37:38 »
América Latina está sendo considerada como "desenvolvida", ou o não-desenvolvimento atribuído todo à influência/remanescência das populações nativas ou das pessoas escravizadas e trazidas da África? :hein:

Talvez seja melhor dizer que tem mais a ver com "história"/história da economia, embora isso não seja nem de longe exatamente isolar um "fator".

Se for para separar um "fator cultural" abrangente assim talvez ficasse ainda um pouco melhor falar em cultura saxônica versus latina/ibérica, em vez de "européia".

Rhyan

  • Visitante
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #9 Online: 15 de Abril de 2016, 20:50:14 »
Gini é um índice sem muita conclusão mesmo, você tem países ricos e pobres com alto índice e ricos e pobres com baixo índice. É muito mais interessante medir o nível de pobreza de um país do que a igualdade geral.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #10 Online: 16 de Abril de 2016, 00:51:49 »
Causas da desigualdade de renda entre as pessoas

As que eu tinha listado antes eram mais "macro", para efeito individual, vai uma "contrair dívida médica em alguns países":

<a href="https://www.youtube.com/v/R_o9On2WaVc" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/R_o9On2WaVc</a>

Rhyan

  • Visitante
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #11 Online: 16 de Abril de 2016, 18:51:29 »
O básico sobre criação de riqueza e desigualdade de renda - e o que alguns seguem sem entender
por Walter Williams, sexta-feira, 15 de abril de 2016

Suponha que Paulo, Pedro e João se reúnam semanalmente para jogar pôquer.  E, em 75% das vezes, Paulo vence.  Pedro e João vencem, respectivamente, 15% e 10% das vezes.

Simplesmente conhecer estes resultados dos jogos não nos permite dizer absolutamente nada sobre se houve ou não justiça e sensatez nos jogos.  As desproporcionais vitórias de Paulo podem ser o resultado de ele ser um jogador astuto ou de ser um vigarista esperto.

Para determinar se houve justiça nos jogos é necessário perguntar sobre o processo do jogo.  Houve desobediência às regras neutras do jogo?  Havia cartas marcadas?  Houve trapaça no embaralhamento das cartas?  Houve algum jogador que foi coagido a jogar?

Se as respostas forem negativas, então houve justiça nos resultados, independentemente de qual tenha sido os resultados.  O fato de Paulo ter vencido 75% das vezes é um fato que tem de ser aceito. 

Assim como no exemplo acima, qualquer discussão inteligente sobre justiça social e igualdade econômica tem de reconhecer que os resultados observados de um processo não servem para determinar se houve ou não justiça e sensatez.

Saber que a renda anual de uma pessoa é de $ 500.000 e que a renda de outra pessoa é de $ 12.000 é algo que não nos diz absolutamente nada sobre justiça econômica e social.  Para determinar se realmente houve injustiça econômica e social é necessário fazer perguntas sobre o processo de enriquecimento.

A maioria das pessoas que faz pontificações altivas sobre desigualdade econômica — inclusive economistas, para vergonha geral — simplesmente não reconhece, ou não deixa explícito, que a renda de uma pessoa é resultado de algo que ela fez. Sendo assim, apenas observar um determinado resultado não pode ser utilizado para determinar se houve justiça, isonomia e sensatez.

Para determinar se houve justiça, isonomia e sensatez é necessário ir além dos resultados e examinar o processo econômico como um todo.

Comecemos pelo básico.

A criatividade, a engenhosidade e a inteligência estão ausentes do debate

Em primeiro lugar, é necessário entender o que cria a riqueza.

Por que as pessoas do século XIX não se comunicavam por meio de telefones celulares?  Por que elas não utilizavam computadores?  Ou mesmo, por que as guerras da antiguidade não utilizavam mísseis teleguiados? Todos os recursos físicos necessários para fazer mísseis, celulares e computadores já existiam naquela época.  Aliás, esses recursos físicos já existiam desde a época do homem das cavernas.  Por que o homem das cavernas não tinha um computador portátil para interagir com seus semelhantes via Facebook?

A resposta é que, embora os recursos físicos já existissem, a mente humana ainda não era engenhosa e criativa o bastante para saber como transformá-los em celulares, mísseis, computadores e internet.

Criatividade, engenhosidade e inteligência são as características que transformam recursos brutos em recursos valorosos e geradores de riqueza.

Uma concepção errônea, mas extremamente popular, é a de que o estudo da ciência econômica serve para capacitar alguém a prever os rumos da bolsa de valores ou a fazer investimentos rentáveis.  Errado.  A economia é um estudo sistemático sobre causa e efeito, e serve para você entender as relações de causa e efeito.  O estudo da economia ajuda a entender o que acontece quando você faz coisas específicas de maneiras específicas.

O caminho para entender resultados econômicos é examinar as consequências das decisões tomadas e quais foram os incentivos que levaram a essas decisões.

E isso nos permite entender como a riqueza é criada.

O que é riqueza?

Riqueza é tudo aquilo que gera uma fonte de renda futura.

Não é a riqueza que dá valor à renda, mas sim a renda que dá valor à riqueza.  O valor de um terreno não depende do terreno em si mesmo, mas sim do valor de todos os serviços que ele permite.  Um pedaço de terra em uma cidade inglesa tem mais valor que um pedaço de terra no Zimbábue porque suas possíveis utilizações na Inglaterra (residenciais, industriais, comerciais etc.) são mais úteis para o conjunto da sociedade do que no Zimbábue.

Por outro lado, se a Inglaterra for devastada por uma guerra e Zimbábue se tornar um centro internacional de negócios, as terras do Zimbábue passarão a ser muito mais valiosas do que as da Inglaterra, ainda que, fisicamente, não tenha havido alteração nenhuma na composição destas terras.

É por isso que o preço do metro quadrado hoje em Hong Kong ou Cingapura é infinitamente superior ao valor de 50 anos atrás.  As terras são as mesmas, mas a utilidade da terra melhorou (aliás, a qualidade da terra em si pode até ter se degradado), pois o valor que subjetivamente se atribui às utilizações que o terreno proporciona se multiplicou.

Em uma sociedade formada por bilhões de pessoas, onde os recursos físicos possuem variados usos alternativos, a imensa maioria das rendas não advém automaticamente dos recursos materiais, mas sim do uso que se faz destes recursos materiais.  Isso significa que a capacidade de geração de renda depende muito mais da organização inteligente destes recursos do que da disponibilidade dos mesmos.

É exatamente por isso que a Google (e tantas outras empresas) conseguiu crescer e enriquecer mesmo tendo sido criada em uma garagem e utilizando apenas recursos próprios; e também é exatamente por isso que os governos — mesmo tendo à sua disposição muitos mais recursos (confiscados) do que qualquer empresa — não conseguem gerar nada de proveitoso.

Um poço de petróleo hoje é o mesmo poço que já existia há 100 anos.  No entanto, seu dono hoje será incomparavelmente mais rico do que o dono de 100 anos atrás, pois o petróleo hoje é utilizado em processos produtivos que geram muito mais renda do que gerava há 100 anos.

O que se pode dizer com certeza é que, em ordens sociais livres e complexas, a maior parte da riqueza de uma sociedade estará na forma de sistemas organizacionais geradores de bens e serviços (renda), isto é, de empresas que produzam bens e serviços valiosos para os consumidores; e continuará nesta forma apenas enquanto estes sistemas empresariais seguirem gerando valor para o consumidor.

Sendo assim, por que as pessoas que enriquecem desta forma estariam cometendo alguma injustiça social?

Por outro lado, são famosos os casos de megaempresas que se tornaram totalmente descapitalizadas em decorrência do simples fato de que seus bens e serviços deixaram de ter valor para o consumidor (o recente ocaso da Kodak é o mais famoso de todos).  Ninguém irá derramar lagrimas por seus executivos?

O real causador das desigualdades segue sendo visto como o salvador

Um debate que desconsidere coisas simples como o que realmente é riqueza, como ela é gerada, como ela é distribuída, e o que define uma distribuição injusta é um debate meramente emotivo, e não racional.

Por outro lado, é fato que há várias pessoas que enriqueceram em decorrência de fartos subsídios governamentais, de tarifas protecionistas e de onerosas regulamentações que impediram o surgimento de concorrência e garantiram uma renda exclusiva para esses plutocratas.

É também fato que a maneira como funciona o atual sistema monetário e bancário é propícia a uma distribuição desigual de riqueza.

Sendo assim, é irônico notar que, quando a distribuição de renda é realmente injusta, isso ocorre por causa das interferências, das regulamentações e dos gastos governamentais.  No entanto, o que os defensores da redistribuição de renda sugerem para corrigir essa injustiça gerada pelas intervenções do governo é justamente mais interferências, mais gastos e mais regulamentações governamentais.

Conclui-se que essas pessoas simplesmente não entendem nem como a riqueza é criada, nem como ela é justa e injustamente distribuída, e nem como ela é destruída.

Walter Williams é professor honorário de economia da George Mason University e autor de sete livros.  Suas colunas semanais são publicadas em mais de 140 jornais americanos.

Fonte: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2387

Offline Gauss

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.924
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #12 Online: 25 de Novembro de 2016, 22:34:52 »
Fiquem tranquilos, a desigualdade caiu no Brasil com o PT nos últimos anos. Todo mundo ficou mais pobre.

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/11/1835437-desigualdade-cai-no-brasil-com-todas-as-classes-sociais-ficando-mais-pobres.shtml?mobile
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #13 Online: 28 de Novembro de 2016, 18:35:16 »
Fiquem tranquilos, a desigualdade caiu no Brasil com o PT nos últimos anos. Todo mundo ficou mais pobre.

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/11/1835437-desigualdade-cai-no-brasil-com-todas-as-classes-sociais-ficando-mais-pobres.shtml?mobile

Leia a matéria inteira:

Citar
É a primeira queda na renda em 11 anos.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.873
  • Sexo: Masculino
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #14 Online: 28 de Novembro de 2016, 18:47:53 »
Fiquem tranquilos, a desigualdade caiu no Brasil com o PT nos últimos anos. Todo mundo ficou mais pobre.

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/11/1835437-desigualdade-cai-no-brasil-com-todas-as-classes-sociais-ficando-mais-pobres.shtml?mobile

Leia a matéria inteira:

Citar
É a primeira queda na renda em 11 anos.

A miragem se desfez.
Foto USGS

Offline Gauss

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.924
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #15 Online: 28 de Novembro de 2016, 18:54:57 »
Leia a matéria inteira:

Citar
É a primeira queda na renda em 11 anos.

Lakatos, o que você acha da confusão que os progressistas fazem entre Desigualdade e Pobreza?
« Última modificação: 28 de Novembro de 2016, 18:58:44 por Gauss »
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #16 Online: 28 de Novembro de 2016, 20:40:32 »
Acho que não é bem uma "confusão", ou, nem sempre.

De modo geral está implícito que não importaria tanto uma "desigualdade" com a margem inferior numa classe média-alta, mesmo que no outro extremo se tivesse obscenilionários. Não precisa dizer que o problema é pobreza.

Então falar em "desigualdade" é uma forma de enfatizar políticas redistributivas como uma solução parcial (porém possivelmente não apenas paliativa), porém acessível. Enquanto que o foco apenas em "pobreza" deixa estrategicamente omisso haver riqueza extrema no outro lado do espectro, enviesando a pensar em soluções apenas em termos de maior produção de riquezas, em vez de em melhor aproveitamento delas, tanto no aspecto humanitário/moral quanto econômico.

Offline Gauss

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.924
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #17 Online: 28 de Novembro de 2016, 23:29:49 »
Acho que não é bem uma "confusão", ou, nem sempre.
É sim, na maioria das vezes. Leia qualquer artigo da Carta Capital que fale sobre o assunto que você verá. Ou não é confusão,  é desonestidade mesmo.

De modo geral está implícito que não importaria tanto uma "desigualdade" com a margem inferior numa classe média-alta, mesmo que no outro extremo se tivesse obscenilionários. Não precisa dizer que o problema é pobreza.
Desigualdade é qualquer coisa que é desigual(duh). Um bilionário comparado a um milionário tem uma renda muito desigual entre ambos. A pobreza está relacionada a desigualdade, mas não é a mesma coisa.

Então falar em "desigualdade" é uma forma de enfatizar políticas redistributivas como uma solução parcial (porém possivelmente não apenas paliativa), porém acessível.
É uma forma de certo modo desonesta de enfatizar políticas redistributivas.

Enquanto que o foco apenas em "pobreza" deixa estrategicamente omisso haver riqueza extrema no outro lado do espectro,
Como se fosse um problema pessoas que enriqueceram por méritos próprios ficarem cada vez mais ricas só porque ainda existem pobres... Talvez o problema é os progressistas pensarem que a pobreza de uns só existe devido a riqueza de outros.

enviesando a pensar em soluções apenas em termos de maior produção de riquezas, em vez de em melhor aproveitamento delas, tanto no aspecto humanitário/moral quanto econômico.
Pensar em maior criação de riqueza e redistribuição de renda com menos liberdade econômica?

Só se os progressistas passaram a ler Friedman, o que não duvido, visto que o Bolsa Família é inspirado no neoliberalismo do Imposto de Renda Negativo.


Antes que criem espantalhos ou coisas parecidas, gostaria que lessem esses artigos para entender meu ponto:
http://liberalismoeconomico.org/como-o-livre-mercado-atua-sobre-a-pobreza/  (o mais importante)

http://liberalismoeconomico.org/a-liberdade-economica-prejudica-os-mais-pobres-heritage-2013/

http://liberalismoeconomico.org/o-liberalismo-economico-prejudica-os-mais-pobres-heritage-2014/


E também deixo claro que condeno a miséria, antes que venham espantalhar com a pseudociência preconceituosa do Darwinismo Social. E não estou criticando políticas de Welfare nórdicas também.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #18 Online: 29 de Novembro de 2016, 00:23:10 »
Leia a matéria inteira:

Citar
É a primeira queda na renda em 11 anos.

Lakatos, o que você acha da confusão que os progressistas fazem entre Desigualdade e Pobreza?

Poderia citar exemplos para que eu discorra sobre?

Offline Gauss

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.924
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #19 Online: 29 de Novembro de 2016, 00:32:09 »
Poderia citar exemplos para que eu discorra sobre?

Claro. Fiquei intrigado ao ler a análise abaixo.

http://www.cartacapital.com.br/economia/brasil-um-dos-paises-mais-desiguais-do-mundo

Como alguém pode achar que a solução para resolver a pobreza é tirar dos mais ricos, ao invés de dar mais liberdade aos mais pobres? E porque achar que a desigualdade deve ser combatida, ao invés de simplesmente combater a miséria? Recomendo que leia o primeiro link do artigo que postei no post anterior, para entender melhor meu ponto também.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #20 Online: 29 de Novembro de 2016, 00:46:34 »
Sobre o ranking da Heritage Foundation, é sempre bom relembrar, como citei mais detalhadamente em outras ocasiões, que ele se baseia em um índice muito mais relacionado à eficiência do Estado do que ao seu tamanho. Tanto é que países com estatismo colossal, como os nórdicos, não têm problemas para aparecerem bem colocados, pois são modelos de eficiência e são bem sucedidos em garantir os direitos de propriedade, coibir a corrupção, operar sob uma burocracia enxuta, garantir moeda estável etc.

É evidente para qualquer um que um país que se saia bem nessas características irá apresentar melhores resultados quanto à geração de riqueza e prosperidade.

Logo, liberdade econômica é uma coisa, Estado pequeno é outra não necessariamente correlata. É sempre preciso ser cuidadoso com material que tenta usar os resultados desse ranking para estabelecer a correlação entre a prosperidade e o baixo nível de gastos estatais, por exemplo (que também são um dos fatores de cálculo). Boa parte das vezes é mera manipulação do índice.

Funciona mais ou menos da seguinte forma: imagine que eu crie um ranking chamado "índice de corinthianismo", calculado para os países a partir dos seguintes dados de peso equitativo:

a) porcentagem de corinthianos na população;
b) número de prêmios Nobel conquistados pelo país;
c) número de patentes registradas nos últimos 10 anos;
d) proporção da população com pós-graduação;
e) proporção da população com domínio de três ou mais idiomas;
f) número de universidades entre as top 500 do mundo.

E aí eu descubro, convenientemente, que o "índice de corinthianismo" se correlaciona de forma muito clara com boas pontuações no teste Pisa, que nos países "mais corinthianos" as crianças são mais bem educadas, a mão de obra possui maior nível de qualificação e maior renda que a média, e passo a propagar que a solução para nosso país é aumentar o número de corinthianos.

Exemplo exagerado de propósito para maior clareza, óbvio.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #21 Online: 29 de Novembro de 2016, 01:05:18 »
Poderia citar exemplos para que eu discorra sobre?

Claro. Fiquei intrigado ao ler a análise abaixo.

http://www.cartacapital.com.br/economia/brasil-um-dos-paises-mais-desiguais-do-mundo

Como alguém pode achar que a solução para resolver a pobreza é tirar dos mais ricos, ao invés de dar mais liberdade aos mais pobres? E porque achar que a desigualdade deve ser combatida, ao invés de simplesmente combater a miséria? Recomendo que leia o primeiro link do artigo que postei no post anterior, para entender melhor meu ponto também.

O texto não aparenta estar defendendo que a solução seja tirar dos mais ricos ao invés de dar mais liberdade aos mais pobres. Parece que uma parte basilar do argumento é a informação que ele cita no oitavo parágrafo:

Citar
Outra constatação da pesquisa de Milá foi de que há uma paradoxo no Brasil entre concentração de renda e investimentos. Durante o período pesquisado, quando havia maior concentração da renda no topo, observava-se uma queda dos investimentos, demonstrando que o aumento deles pode estar associado a uma melhor distribuição de renda [...]

Não faço ideia de se esse dado é real ou não. Se for, pode ser um indício de que, apesar de a existência de uma camada de renda superior ser essencial para a manutenção de investimentos (afinal, para investir é preciso primeiro acumular), por outro lado haveria um nível crítico de concentração de renda a partir do qual o nível de investimento passaria a cair em vez de aumentar, porque passaria a limitar a possibilidade de o mercado consumidor funcionar como clientela para esses investimentos. Grosso modo, não pode existir uma fábrica se ninguém tiver dinheiro para abrir uma, mas ela também não pode existir se apenas o proprietário e sua família tiverem dinheiro para adquirir o produtos. Há um meio ideal entre esses extremos.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #22 Online: 29 de Novembro de 2016, 01:23:17 »
O primeiro texto que você me pediu para ler tem um cherry picking bisonho. Ele simplesmente não cita a correlação entre desigualdade e riqueza de uma nação, limita-se a pegar um exemplo de país que é muito pobre e muito igual e um que é rico e desigual, ignorando deliberadamente a totalidade dos dados disponíveis.



Depois ele cita Nova Zelândia, Austrália e Canadá (!) como exemplos de países desiguais.



Parei de ler aí, desculpe.

Offline AlienígenA

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.333
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #23 Online: 29 de Novembro de 2016, 09:55:51 »
Poderia citar exemplos para que eu discorra sobre?

Claro. Fiquei intrigado ao ler a análise abaixo.

http://www.cartacapital.com.br/economia/brasil-um-dos-paises-mais-desiguais-do-mundo

Como alguém pode achar que a solução para resolver a pobreza é tirar dos mais ricos, ao invés de dar mais liberdade aos mais pobres? E porque achar que a desigualdade deve ser combatida, ao invés de simplesmente combater a miséria? Recomendo que leia o primeiro link do artigo que postei no post anterior, para entender melhor meu ponto também.

O texto não aparenta estar defendendo que a solução seja tirar dos mais ricos ao invés de dar mais liberdade aos mais pobres. Parece que uma parte basilar do argumento é a informação que ele cita no oitavo parágrafo:

Citar
Outra constatação da pesquisa de Milá foi de que há uma paradoxo no Brasil entre concentração de renda e investimentos. Durante o período pesquisado, quando havia maior concentração da renda no topo, observava-se uma queda dos investimentos, demonstrando que o aumento deles pode estar associado a uma melhor distribuição de renda [...]

Não faço ideia de se esse dado é real ou não. Se for, pode ser um indício de que, apesar de a existência de uma camada de renda superior ser essencial para a manutenção de investimentos (afinal, para investir é preciso primeiro acumular), por outro lado haveria um nível crítico de concentração de renda a partir do qual o nível de investimento passaria a cair em vez de aumentar, porque passaria a limitar a possibilidade de o mercado consumidor funcionar como clientela para esses investimentos. Grosso modo, não pode existir uma fábrica se ninguém tiver dinheiro para abrir uma, mas ela também não pode existir se apenas o proprietário e sua família tiverem dinheiro para adquirir o produtos. Há um meio ideal entre esses extremos.

Mas isso é causa ou consequência do problema? Quedas no nível de investimento decorrem de um alto nível de concentração ou antes este decorre de períodos de instabilidade que desencadeiam quedas no nível de investimento e, consequentemente, em alto nível de concentração? Seja como for, a solução não estaria em medidas que promovam maior segurança e estabilidade tornando o investimento mais atraente?

Offline Gauss

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.924
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Causas da desigualdade de renda entre as pessoas
« Resposta #24 Online: 29 de Novembro de 2016, 11:03:41 »
Sobre o ranking da Heritage Foundation, é sempre bom relembrar, como citei mais detalhadamente em outras ocasiões, que ele se baseia em um índice muito mais relacionado à eficiência do Estado do que ao seu tamanho. Tanto é que países com estatismo colossal, como os nórdicos, não têm problemas para aparecerem bem colocados, pois são modelos de eficiência e são bem sucedidos em garantir os direitos de propriedade, coibir a corrupção, operar sob uma burocracia enxuta, garantir moeda estável etc.
Ele se baseia em eficiência E tamanho do Estado. E é justamente pelo estado dos países nórdicos serem muito grandes que acaba atirando eles um pouco para baixo no ranking. Vou destacar os ícones de estado enxuto

Citar
A Heritage Foundation considera que a liberdade econômica de cada um dos 178 países que estão em seu relatório (edição de 2015) é maior quanto:

*mais bem definidos forem os direitos de propriedade;
*menor for a percepção de corrupção da população;
*menos o governo arrecadar em impostos;
*menos o governo gastar;

*menor forem as burocracias exigidas para se ter negócios;
*mais livres de regulação forem as relações trabalhistas;
*mais estável for a moeda;
*menor forem as barreiras à entrada de importados;
*menor forem as restrições a investimentos produtivos; e
*menor for a atuação do governo no mercado financeiro.

O nórdico melhor colocado é a Dinamarca, em 12º lugar com apenas 75,3 de média. O item governo limitado é o que põe o país mais para baixo.
http://www.heritage.org/index/country/denmark

Comparado a Hong Kong(1º colocado), verás que o item Governo Limitado ajuda a elevar para cima o índice médio.
http://www.heritage.org/index/country/hongkong

É evidente para qualquer um que um país que se saia bem nessas características irá apresentar melhores resultados quanto à geração de riqueza e prosperidade.
Sim, sem dúvidas. Mas nenhum dos links que eu postei dizia que o  anarco-capitalismo (que eu considero uma piada) ou o minarquismo está em vigor nos países nórdicos.

Logo, liberdade econômica é uma coisa, Estado pequeno é outra não necessariamente correlata.
Na verdade são correlatas. Temos que ter em mente que os países, para atingir um índice perto do perfeito no ranking Heritage devem ter bons índices em tudo. Inclusive em Governo Limitado. E é isso que põe os nórdicos para baixo. Mas meus links não falam sobre os nórdicos necessariamente.

É sempre preciso ser cuidadoso com material que tenta usar os resultados desse ranking para estabelecer a correlação entre a prosperidade e o baixo nível de gastos estatais, por exemplo (que também são um dos fatores de cálculo). Boa parte das vezes é mera manipulação do índice.
Pode ser. Mas creio que não seja o caso, há várias referências que dão lógica às relações que o texto fez.

Funciona mais ou menos da seguinte forma: imagine que eu crie um ranking chamado "índice de corinthianismo", calculado para os países a partir dos seguintes dados de peso equitativo:

a) porcentagem de corinthianos na população;
b) número de prêmios Nobel conquistados pelo país;
c) número de patentes registradas nos últimos 10 anos;
d) proporção da população com pós-graduação;
e) proporção da população com domínio de três ou mais idiomas;
f) número de universidades entre as top 500 do mundo.

E aí eu descubro, convenientemente, que o "índice de corinthianismo" se correlaciona de forma muito clara com boas pontuações no teste Pisa, que nos países "mais corinthianos" as crianças são mais bem educadas, a mão de obra possui maior nível de qualificação e maior renda que a média, e passo a propagar que a solução para nosso país é aumentar o número de corinthianos.

Exemplo exagerado de propósito para maior clareza, óbvio.

Exagerado e nada a ver. Você quis passar a impressão que liberdade econômica é irrelevante para tirar pessoas da pobreza?
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!