Autor Tópico: depressão pós descrença  (Lida 3941 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:depressão pós descrença
« Resposta #100 Online: 20 de Julho de 2016, 07:48:06 »
É apenas impressão minha ou esse tópico, que era originalmente focaado em algo real, foi desviado para se debater se seres e fenômenos mágicos seriam reais?

Não é apenas impressão sua.

É, tenho a impressão de que o Thomas está encantado com os conselhos sobre seu problema. |(
tá nada ! eu fiz umas considerações ele nem se deu ao trabalho de responder, alias  eu acho que não esta deprimido nem descrente, apenas  "sutilmente" questiona a razão dos  céticos!  ::)
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Skeptikós

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.589
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:depressão pós descrença
« Resposta #101 Online: 20 de Julho de 2016, 21:22:01 »
não matar é uma lei absoluta ?
Como insinuou a Brienne, há exceções. Isso dependerá da cultura, do contexto, dos indivíduos envolvidos e etc. Em nossa cultura, é amplamente aceito matar em legítima defesa, em um confronto armado interestatal (não civis desarmados, soldados rendidos e etc.). Para algumas culturas tribais é permitido matar qualquer pessoa de fora da tribo. Em algumas culturas o soberano tem permissão para matar membros de sua sociedade sem muitas explicações, mas seus súditos (principalmente os de classes mais baixas) não. E por aí vai.

uma lei para ser absoluta tem que estar presente na consciência de todo ser humano de mente sã, voce conhece alguém de mente sã, que afirma ser correto matar indiscriminadamente?
Antes preciso perguntar o que seria um ser humano de mente sã.
alguem que não seja insano  :biglol:
E qual seria a definição de insano neste caso?
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:depressão pós descrença
« Resposta #102 Online: 20 de Julho de 2016, 21:51:39 »
insanidade é um conceito aceito legalmente quando formalizado por autoridades médicas especializadas na  psique humana.
a sanidade é um conceito relativo e só pode ser padronizado socialmente
aja diferente da maioria e sera considerado insano.  :tease:

por exemplo sair matando indiscriminadamente
« Última modificação: 20 de Julho de 2016, 21:56:02 por Criaturo »
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Skeptikós

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.589
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:depressão pós descrença
« Resposta #103 Online: 21 de Julho de 2016, 15:56:15 »
insanidade é um conceito aceito legalmente quando formalizado por autoridades médicas especializadas na  psique humana.
a sanidade é um conceito relativo e só pode ser padronizado socialmente
aja diferente da maioria e sera considerado insano.  :tease:

por exemplo sair matando indiscriminadamente
Se a definição é relativa a sociedade, então cai na mesma implição de que aquilo que é tido como norma não passa de um acordo entre as pessoas (onde a maioria dita as regras).

Sobre matar indiscriminadamente, não conheço ninguém que faça isso, pois até psicopatas possuem critérios discriminatórios para escolherem as suas vítimas. Pode ser que exista alguma patologia que leve a este comportamento, mas eu não me lembro de nenhuma.
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:depressão pós descrença
« Resposta #104 Online: 21 de Julho de 2016, 18:03:34 »
insanidade é um conceito aceito legalmente quando formalizado por autoridades médicas especializadas na  psique humana.
a sanidade é um conceito relativo e só pode ser padronizado socialmente
aja diferente da maioria e sera considerado insano.  :tease:

por exemplo sair matando indiscriminadamente
Se a definição é relativa a sociedade, então cai na mesma implição de que aquilo que é tido como norma não passa de um acordo entre as pessoas (onde a maioria dita as regras).

Sobre matar indiscriminadamente, não conheço ninguém que faça isso, pois até psicopatas possuem critérios discriminatórios para escolherem as suas vítimas. Pode ser que exista alguma patologia que leve a este comportamento, mas eu não me lembro de nenhuma.

argumento que a " lei não matarás" é absoluta e intrinsecada ao homem , fato observado ja no inicio da consciência infantil.
 pergunte a uma criança se ela pode sair matando e  ferindo os outros, a maioria responderá que não!
Ja nascemos sabendo que matar ou causar sofrimentos aos outros é errado,mas esta razão acaba perdendo-se em meio nossas  auto desculpas, querendo justificar o injustificado direito de poder matar!
« Última modificação: 22 de Julho de 2016, 23:04:33 por Criaturo »
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Spencer

  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.374
Re:depressão pós descrença
« Resposta #105 Online: 21 de Julho de 2016, 18:04:38 »
É apenas impressão minha ou esse tópico, que era originalmente focaado em algo real, foi desviado para se debater se seres e fenômenos mágicos seriam reais?

Não é apenas impressão sua.

É, tenho a impressão de que o Thomas está encantado com os conselhos sobre seu problema. |(
Alguns foristas, num tópico como esse, preferem atacar posicionamentos com os quais não concordam, que propriamente trazerem sua colaboração. Ultimamente isto tem se tornado um hábito.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:depressão pós descrença
« Resposta #106 Online: 21 de Julho de 2016, 18:07:38 »
É apenas impressão minha ou esse tópico, que era originalmente focaado em algo real, foi desviado para se debater se seres e fenômenos mágicos seriam reais?

Não é apenas impressão sua.

É, tenho a impressão de que o Thomas está encantado com os conselhos sobre seu problema. |(
Alguns foristas, num tópico como esse, preferem atacar posicionamentos com os quais não concordam, que propriamente trazerem sua colaboração. Ultimamente isto tem se tornado um hábito.
Verdade! eu chamo isso de criticas vazias:vergonha:
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Alquimista

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.724
Re:depressão pós descrença
« Resposta #107 Online: 21 de Julho de 2016, 20:39:58 »
Sobre matar indiscriminadamente, não conheço ninguém que faça isso, pois até psicopatas possuem critérios discriminatórios para escolherem as suas vítimas. Pode ser que exista alguma patologia que leve a este comportamento, mas eu não me lembro de nenhuma.

Caro Skeptikós, nem todo psicopata mata. A propósito, a minoria faz isso. Acho que você está a confundir psicopatas com serial killers, sendo que estes últimos, em sua maioria, sequer psicopatas foram. Pode ser uma esquizofrenia paranoide, ou um sádico-sexual (o mais comum), enfim... E nem todo matador em série possui ''critérios discriminatórios''. Alguns são do tipo ''desorganizados''. 


argumento que a " lei não matarás" é absoluta e intrinsecada ao homem , fato observado ja no inicio da consciência infantil.
Ora, se
90% do deus mosaico nada mais é do que a sua auto projeção.

e como a ''lei não matarás'' provém do Livro dos Mortos do Egito, ela não é absoluta, senão para os egípcios.  :hihi:


Citar
O pergunte a uma criança se ele pode sair matando e  ferindo os outros, a maioria responderá que não!

Se não fosse a moral cristã e as regras de conduta da nossa sociedade, bem como o medo de serem punidas pelo papai ou pela titia, essas crianças responderiam que SIM. Mas como não podem, devido às amarras, elas fazem isso com seus estilingues e arapucas, matando ino(sper)centes passarinhos, lagartixinhas e vários outros animaizinhos. E se ganham um Playstation 4 e jogam GTA, não resistem à sensação de sair matando INDISCRIMIDAMENTE todos os pobres seres virtuaizinhos que cruzam o seu caminho. Isso se chama ''sublimação''.  :ok:


Citar
Ja nascemos sabendo que matar ou causar sofrimentos aos outros é errado, mas esta razão acaba perdendo-se em meio nossas  auto desculpas, querendo justificar o injustificado direito de poder matar!

Mas Caim nasceu sem saber o que era matar porque nunca houve morte antes dele, e mesmo assim matou o Abel sem receio algum. Deveria ter ido para um reformatório (não você, o Caim, mas suspeito que você nunca ouviu falar em reformatórios), mas ao invés disso o EU SOU decidiu puni-lo a vagar pelo deserto. Caim, que descobriu APÓS A PUNIÇÃO que matar era errado, se encheu de temor de ser morto por alguém furioso que encontrasse em seu caminho, ao que o EU SOU lhe colocou uma marca para que ninguém ousasse feri-lo.
Engraçado, quem eram essas outras pessoas que Caim temia tanto, já que não eram filhos dos ''primeiros humanos'', e como elas já sabiam o que era matar se não viram Caim matando o irmão?  :o


Alguns foristas, num tópico como esse, preferem atacar posicionamentos com os quais não concordam, que propriamente trazerem sua colaboração. Ultimamente isto tem se tornado um hábito.
Verdade! eu chamo isso de criticas vazias:vergonha:

Cabeças vazias!  :smartass:
"O Alquimista é o supremo alquimista alfa e o ômega das transmutações aurintelectofilosofais."

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:depressão pós descrença
« Resposta #108 Online: 21 de Julho de 2016, 22:42:49 »
insanidade é um conceito aceito legalmente quando formalizado por autoridades médicas especializadas na  psique humana.
a sanidade é um conceito relativo e só pode ser padronizado socialmente
aja diferente da maioria e sera considerado insano.  :tease:

por exemplo sair matando indiscriminadamente

Numa sociedade onde todos matassem indiscriminadamente, isso seria socialmente aceito, e logo visto como saudável. Até porque é provável que quem objetasse a essa classificação aumentasse suas chances de ser morto discriminadamente.


Que bom que os tópicos mudam de temas inciais intelectualmente pífios como "depressão pós-descrença" para análises mais reveladoras.

Num mundo onde depressão fosse a normalidade, tal tópico inicial nem existiria; talvez as pessoas com felicidade adicional que comentassem sobre seu desconforto em se sentirem mais felizes que as demais. Talvez por, diferentemente delas, crerem em deuses.

Offline Skeptikós

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.589
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:depressão pós descrença
« Resposta #109 Online: 22 de Julho de 2016, 08:12:27 »
insanidade é um conceito aceito legalmente quando formalizado por autoridades médicas especializadas na  psique humana.
a sanidade é um conceito relativo e só pode ser padronizado socialmente
aja diferente da maioria e sera considerado insano.  :tease:

por exemplo sair matando indiscriminadamente
Se a definição é relativa a sociedade, então cai na mesma implição de que aquilo que é tido como norma não passa de um acordo entre as pessoas (onde a maioria dita as regras).

Sobre matar indiscriminadamente, não conheço ninguém que faça isso, pois até psicopatas possuem critérios discriminatórios para escolherem as suas vítimas. Pode ser que exista alguma patologia que leve a este comportamento, mas eu não me lembro de nenhuma.

argumento que a " lei não matarás" é absoluta e intrinsecada ao homem , fato observado ja no inicio da consciência infantil.
O pergunte a uma criança se ele pode sair matando e  ferindo os outros, a maioria responderá que não!
Ja nascemos sabendo que matar ou causar sofrimentos aos outros é errado,mas esta razão acaba perdendo-se em meio nossas  auto desculpas, querendo justificar o injustificado direito de poder matar!
Não matar alguém próximo a você (com parentesco genético, como um pai, um irmão e até mesmo um primo distante) pode até ser, pois isso traz a tona um fator evolutivo de perpetuação dos genes, mas quanto a matar um completo desconhecido (com o qual você compartilha muito menos genes) , disso eu já não tenho certeza.

Sobre matar indiscriminadamente, não conheço ninguém que faça isso, pois até psicopatas possuem critérios discriminatórios para escolherem as suas vítimas. Pode ser que exista alguma patologia que leve a este comportamento, mas eu não me lembro de nenhuma.

Caro Skeptikós, nem todo psicopata mata.
Eu sei disso, eu deveria ter escrito assassino psicopata.

nem todo matador em série possui ''critérios discriminatórios''. Alguns são do tipo ''desorganizados''.
É a primeira vez que eu leio isso, não conheço nenhum assassino em série que não seguisse um padrão na escolha de suas vítimas.
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:depressão pós descrença
« Resposta #110 Online: 22 de Julho de 2016, 09:36:47 »
nem todo matador em série possui ''critérios discriminatórios''. Alguns são do tipo ''desorganizados''.
É a primeira vez que eu leio isso, não conheço nenhum assassino em série que não seguisse um padrão na escolha de suas vítimas.

<a href="https://www.youtube.com/v/ahuPW6_t-z0" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/ahuPW6_t-z0</a>



Acho que aquela dupla de atiradores, ou, atirador + motorista, com atirador escondido dentro do bagageiro do carro, eram mais ou menos aleatórios. O padrão que deviam escolher deve ter sido mais do tipo de gente da área, movimentação, e facilidade de sair de lá.

Citar
https://en.wikipedia.org/wiki/Beltway_sniper_attacks

 [...] Motive[edit]
Investigators and the prosecution suggested during pre-trial motions that Muhammad intended to kill his second ex-wife Mildred, who had estranged him from his children. According to this theory, the other shootings were intended to cover up the motive for the crime, since Muhammad believed that the police would not focus on an estranged ex-husband as a suspect if she looked like a random victim of a serial killer. Muhammad frequented the neighborhood where she lived during the attacks, and some of the incidents occurred nearby. Additionally, he had earlier made threats against her. Mildred herself made the claim that she was his intended target. However, Judge LeRoy Millette, Jr. prevented prosecutors from presenting that theory during the trial, saying that a link had not been firmly established.

While imprisoned, Malvo wrote a number of erratic diatribes about what he termed "jihad" against the United States.[30] "I have been accused on my mission. Allah knows I'm gonna suffer now", he wrote.[30] Because his rants and drawings featured not only such figures as Osama Bin Laden and Saddam Hussein, but also characters from the film series The Matrix, these musings were dismissed as immaterial.[30] Some investigators reportedly said they had all but eliminated terrorist ties or political ideologies as a motive.[31][32][33] Nonetheless, in at least one of the ensuing murder trials, a Virginia court found Muhammad guilty of killing "pursuant to the direction or order" of terrorism.[34]


A series of trial exhibits suggested Malvo and Muhammad were motivated by an affinity for Islamist Jihad.[35][unreliable source]

Exhibit 65-006: A self-portrait of Malvo in the cross hairs of a gun scope shouting, "ALLAH AKBAR!" The word "SALAAM" scrawled vertically. A lyric from Bob Marley's Natural Mystic "Many more will have to suffer. Many more will have to die. Don't ask me why."
Exhibit 65-016: A portrait of Saddam Hussein with the words "INSHALLAH" and "The Protector," surrounded by rockets labeled "chem" and "nuk".
Exhibit 65-043: Father and son portrait of Malvo and Muhammad. "We will kill them all. Jihad."
Exhibit 65-056: A self-portrait of Malvo as sniper, lying in wait, with his rifle. "JIHAD" written in bold letters.
Exhibit 65-067: A suicide bomber labeled "Hamas" walking into a McDonald's restaurant. Another drawing of the Twin Towers burning captioned: "85 percent chance Zionists did this." More scrawls: "ALLAH AKBAR," "JIHAD," and "Islam will explode."
Exhibit 65-103: A lion accompanies chapter and verse from the Quran (Sura 2:190): "Fight in the cause of Allah those who fight you and slay them wherever ye catch them."
Exhibit 65-109: Portrait of Osama bin Laden, captioned "Servant of Allah."
Exhibit 65-117: The White House drawn in crosshairs, surrounded by missiles, with a warning: "Sep. 11 we will ensure will look like a picnic to you" and "you will bleed to death little by little."
Exhibit 65-101: Malvo's thought for the day: "Islam the only true guidance, the way of peace."
At the 2006 trial of Muhammad, Malvo testified that the aim of the killing spree was to kidnap children for the purpose of extorting money from the government and to "set up a camp to train children how to terrorize cities",[36] with the ultimate goal being to "shut things down" across the United States.[37]

 [...]


Acho que já vi isso, matar pessoas aleatórias para encobrir um assassinato em um ou outro fílme, talvez episódio de série. Não me recordo de outro caso ou suposto caso real.

Offline Alquimista

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.724
Re:depressão pós descrença
« Resposta #111 Online: 22 de Julho de 2016, 13:32:19 »
É a primeira vez que eu leio isso, não conheço nenhum assassino em série que não seguisse um padrão na escolha de suas vítimas.

Tiveram vários!!!! O Zodíaco, por exemplo, foi um deles.

Mas não vamos desviar o tópico para falar sobre Serial Killers.
"O Alquimista é o supremo alquimista alfa e o ômega das transmutações aurintelectofilosofais."

Offline Spencer

  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.374
Re:depressão pós descrença
« Resposta #112 Online: 22 de Julho de 2016, 18:36:54 »


Caro Skeptikós, nem todo psicopata mata. A propósito, a minoria faz isso. Acho que você está a confundir psicopatas com serial killers, sendo que estes últimos, em sua maioria, sequer psicopatas foram. Pode ser uma esquizofrenia paranoide, ou um sádico-sexual (o mais comum), enfim... E nem todo matador em série possui ''critérios discriminatórios''. Alguns são do tipo ''desorganizados''. 

Psicopatia trata dos distúrbios mentais de forma ampla; esquizos, sociopatas - (killers, sado-mazoquistas) - são psicopatas.


Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:depressão pós descrença
« Resposta #113 Online: 22 de Julho de 2016, 18:41:09 »
Psicopatia não é o mesmo que "psicopatologia", ainda que etimologicamente fosse ser. É ou sinônimo ou gradação mais extrema de sociopatia/personalidade antissocial, apenas.

Esquizofrenia, sadismo, masoquismo, ou ambos os últimos, não tem necessariamente nada a ver. É mais próximo de coisas como narcisismo e histrionismo.

Offline Alquimista

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.724
Re:depressão pós descrença
« Resposta #114 Online: 22 de Julho de 2016, 19:29:37 »


Caro Skeptikós, nem todo psicopata mata. A propósito, a minoria faz isso. Acho que você está a confundir psicopatas com serial killers, sendo que estes últimos, em sua maioria, sequer psicopatas foram. Pode ser uma esquizofrenia paranoide, ou um sádico-sexual (o mais comum), enfim... E nem todo matador em série possui ''critérios discriminatórios''. Alguns são do tipo ''desorganizados''. 

Psicopatia trata dos distúrbios mentais de forma ampla; esquizos, sociopatas - (killers, sado-mazoquistas) - são psicopatas.



 :histeria: :histeria: :histeria: :histeria: :histeria: :histeria: :histeria: :histeria: :histeria:
"O Alquimista é o supremo alquimista alfa e o ômega das transmutações aurintelectofilosofais."

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:depressão pós descrença
« Resposta #115 Online: 23 de Julho de 2016, 08:36:39 »
É a primeira vez que eu leio isso, não conheço nenhum assassino em série que não seguisse um padrão na escolha de suas vítimas.

Tiveram vários!!!! O Zodíaco, por exemplo, foi um deles.

Mas não vamos desviar o tópico para falar sobre Serial Killers.
os cavaleiros do Zodíaco ?
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:depressão pós descrença
« Resposta #116 Online: 23 de Julho de 2016, 09:03:20 »

e como a ''lei não matarás'' provém do Livro dos Mortos do Egito, ela não é absoluta, senão para os egípcios.  :hihi:


faz sentido ja que os mortos não mais podem se matar

O pergunte a uma criança se ele pode sair matando e  ferindo os outros, a maioria responderá que não!
Citar
Se não fosse a moral cristã e as regras de conduta da nossa sociedade, bem como o medo de serem punidas pelo papai ou pela titia, essas crianças responderiam que SIM.

Tens razão irmão Alquimistico, achei isto muito sincero da sua parte mistica, mas na  próxima vez seja mais discreto pra evitar ser punido por fazer proselitismo cristão!  :ok:

Citar
Mas como não podem, devido às amarras, elas fazem isso com seus estilingues e arapucas, matando ino(sper)centes passarinhos, lagartixinhas e vários outros animaizinhos. E se ganham um Playstation 4 e jogam GTA, não resistem à sensação de sair matando INDISCRIMIDAMENTE todos os pobres seres virtuaizinhos que cruzam o seu caminho. Isso se chama ''sublimação''.  :ok:
cai dentro do que falei, ha uma consciência nata de que  não deve matar, mas ha tambem um instinto irracional sadico matando essa razão.

"Ja nascemos sabendo que matar ou causar sofrimentos aos outros é errado, mas esta razão acaba perdendo-se em meio nossas  auto desculpas, querendo justificar o injustificado direito de poder matar!"

Citar
Mas Caim nasceu sem saber o que era matar porque nunca houve morte antes dele, e mesmo assim matou o Abel sem receio algum. Deveria ter ido para um reformatório (não você, o Caim, mas suspeito que você nunca ouviu falar em reformatórios), mas ao invés disso o EU SOU decidiu puni-lo a vagar pelo deserto. Caim, que descobriu APÓS A PUNIÇÃO que matar era errado, se encheu de temor de ser morto por alguém furioso que encontrasse em seu caminho, ao que o EU SOU lhe colocou uma marca para que ninguém ousasse feri-lo.
Engraçado, quem eram essas outras pessoas que Caim temia tanto, já que não eram filhos dos ''primeiros humanos'', e como elas já sabiam o que era matar se não viram Caim matando o irmão?  :o


incoerência biblicas , seus pais comeram do fruto do conhecimento então deve ter ensinados a eles agricultura e agropecuária,mas na verdade foi abel a cometer o primeiro assassinato contra uma inocente ovelha fruto da inveja de caim,
,matou e foi assassinado é a lei do carma,mas observe que foi a discriminação divina optando por ser carnívoro que causou toda essa tragédia bilblia, uma vergonha.
Caim foi expulso para as terras de Node onde teve filhos e filhas, ou foi anos de incesto familiar , ou então esta hitorinha ta muito mal contada por moisés.
 

« Última modificação: 23 de Julho de 2016, 09:05:26 por Criaturo »
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:depressão pós descrença
« Resposta #117 Online: 23 de Julho de 2016, 09:17:26 »

argumento que a " lei não matarás" é absoluta e intrinsecada ao homem , fato observado ja no inicio da consciência infantil.
O pergunte a uma criança se ele pode sair matando e  ferindo os outros, a maioria responderá que não!
Ja nascemos sabendo que matar ou causar sofrimentos aos outros é errado,mas esta razão acaba perdendo-se em meio nossas  auto desculpas, querendo justificar o injustificado direito de poder matar!
Não matar alguém próximo a você (com parentesco genético, como um pai, um irmão e até mesmo um primo distante) pode até ser, pois isso traz a tona um fator evolutivo de perpetuação dos genes, mas quanto a matar um completo desconhecido (com o qual você compartilha muito menos genes) , disso eu já não tenho certeza.

e quando foi que  o homem passou a questionar se poderia matar ?

Hoje sabemos que a semelhança entre os cromossomos humanos de 99,99% desmentem que traços de personalidades é de inteira  responsabilidade  genética, assim 0.01% apenas  disponibiliza uma pré disposição há hábitos comportamentais transmitidos.

https://religiaodeuslivre.wordpress.com/2016/07/18/ser-ou-nao-ser-eis-a-questao/
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.099
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:depressão pós descrença
« Resposta #118 Online: 23 de Julho de 2016, 10:11:35 »
...
Isso ainda não tem nada a ver com o tópico original, e a resposta tem muito pouco a ver com o comentário do Skeptikós, que mais concordava do que discordava de você, e não dizia nada sobre o comportamento ser largamente geneticamente determinado.

Em outras palavras, o que ele quis dizer é que sim, temos instintos sociais, altruístas, porém, isso normalmente não se generaliza "ao infinito". Também é natural que as pessoas se separem em grupos/tribos e não tenham as mesmas considerações com indivíduos de outros grupos, ou mesmo de violadores de regras dentro do próprio grupo ("criminosos"). Isso tem uma correlação superficial com parentesco biológico porque é mais provável que você seja "parente" mais próximo de qualquer um de sua "tribo" do que de alguém de outra tribo, mas o grau de afinidade genética real não importa realmente, é só uma coincidência, e não tem absolutamente nada a ver com determinismo genético desses vínculos sociais e comportamento.


 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!