Autor Tópico: Salazar: "Orgulhosamente Sós"  (Lida 268 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Pagão

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.310
  • Sexo: Masculino
Salazar: "Orgulhosamente Sós"
« Online: 13 de Dezembro de 2016, 18:18:15 »
Pagão, você acredita na balela do "Orgulhosamente Sós" do louco Salazar? - Gaus -
Estou disposto a discutir em outro tópico, e aprender um pouco também.



A frase é dita num contexto de guerra (em 1965) e em crítica aos oposicionistas a viver e agir no estrangeiro.

Quando você pergunta se eu acredito na frase, eu não sei bem o que você quer dizer... Julgo que ela tem uma essência verdadeira na medida em que não havia aliados manifestos da política africana do Estado Novo... Todos queriam a saída de África  e nesse aspeto não era uma afirmação falsa... O que não impedia que alguns países negociassem armamento, mas bem pago claro...

« Última modificação: 13 de Dezembro de 2016, 18:27:27 por Pagão »
Nenhuma argumentação racional exerce efeitos racionais sobre um indivíduo que não deseje adotar uma atitude racional. - K.Popper

Offline Gauss

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.104
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Salazar: "Orgulhosamente Sós"
« Resposta #1 Online: 14 de Dezembro de 2016, 15:40:59 »
Mas quanto a esse dilema, Portugal estava nessa situação por opção própria? Quero dizer, ele não estava nessa posição por escolha do próprio Salazar? No sentido de querer manter Portugal como um país fechado e rural? Talvez por uma questão de um "falacioso" orgulho nacional.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Pagão

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.310
  • Sexo: Masculino
Re:Salazar: "Orgulhosamente Sós"
« Resposta #2 Online: 14 de Dezembro de 2016, 16:12:30 »
Mas quanto a esse dilema, Portugal estava nessa situação por opção própria? Quero dizer, ele não estava nessa posição por escolha do próprio Salazar? No sentido de querer manter Portugal como um país fechado e rural? Talvez por uma questão de um "falacioso" orgulho nacional.

Sim, por opção própria mas não por mera vontade de um homem... As forças armadas eram o elemento determinante e o regime um prolongamento da sua tomada do poder em 1926 derrubando uma 1ª República anárquica responsável pela sua própria ruína. A alternativa ao "orgulhosamente sós" acarretaria uma opção por não combater em África, o que estava muito longe de ser reconhecida como a solução adequada...
Nenhuma argumentação racional exerce efeitos racionais sobre um indivíduo que não deseje adotar uma atitude racional. - K.Popper

Offline Gauss

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.104
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Salazar: "Orgulhosamente Sós"
« Resposta #3 Online: 14 de Dezembro de 2016, 22:58:56 »
Então a queda do Regime causada pela revolta dos Capitães em 25 de Abril de 1974 certamente foi ocasionada pelo descontentamento das Forças Armadas(e de civis, certamente). Esse descontentamento foi gerado pela derrota na Guerra Colonial, principalmente? Ou haviam outros fatores dentro das FA's?
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Pagão

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.310
  • Sexo: Masculino
Re:Salazar: "Orgulhosamente Sós"
« Resposta #4 Online: 15 de Dezembro de 2016, 09:36:10 »
Então a queda do Regime causada pela revolta dos Capitães em 25 de Abril de 1974 certamente foi ocasionada pelo descontentamento das Forças Armadas(e de civis, certamente). Esse descontentamento foi gerado pela derrota na Guerra Colonial, principalmente? Ou haviam outros fatores dentro das FA's?

Não havia derrota na Guerra Colonial, as enormes Angola e Moçambique não registavam êxitos dos guerrilheiros que também pareciam algo cansados com a guerra. Caso muito diferente era o da Guiné-Bissau onde já havia ocupação de parte do território de muito difícil recuperação (as forças especiais iam a todo o lado mas não era possível recuperar de facto o território). Já muitos pensavam que a Guiné estaria perdida num prazo ainda indeterminado.

Mas as forças armadas começavam a exigir uma solução política para todo o conflito onde se batiam há longos 13 anos e perceberam claramente que o governo não podia oferecer mais nada do que a continuação permanente da guerra até surgir uma eventual derrota militar algures no tempo (talvez até imposta pelas grandes potências com algum tipo de ultimato via ONU). Ora, as forças armadas tinham sido maltratadas e injustamente responsabilizadas pela ocupação militar da denominada Índia Portuguesa pelas forças armadas da Índia (contra o direito internacional, mas isso é outra questão). Havia o fantasma de outra derrota mesmo que imposta de fora do território (ONU?).

O descontentamento subiu e um grupo de militares organizou-se e fez o golpe do 25 Abril (pouco antes outra tentativa falhara).  A população urbana de Lisboa apoiou o movimento nas ruas e tudo acabou só com 4 mortes (radicais maoistas que tentaram invadir a sede da polícia política contra as ordens dos fuzileiros que a cercavam).

As forças armadas perceberam que nunca haveria qualquer solução política (para o governo, solução política era o mesmo que rendição) e muitos achavam que a guerra contínua não era a resposta... Outros fatores dentro das forças armadas foram a sua infiltração por setores anti-regime (especialmente, o partido comunista dava indicações para o seus simpatizantes fazerem o serviço militar e até entraram nas academias militares)... e um fator fundamental, mas apenas conjuntural, foi que os jovens oficiais do quadro começaram a ser ultrapassados por milicianos que queriam continuar nas forças armadas devido a uma lei que o governo fez na fase final... Os oficiais oriundos das academias ficaram muito descontentes.
« Última modificação: 15 de Dezembro de 2016, 09:43:11 por Pagão »
Nenhuma argumentação racional exerce efeitos racionais sobre um indivíduo que não deseje adotar uma atitude racional. - K.Popper

Offline Gauss

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.104
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Salazar: "Orgulhosamente Sós"
« Resposta #5 Online: 15 de Dezembro de 2016, 20:26:15 »
Interessante, tinha um conhecimento superficial sobre o assunto.

Eu considero uma derrota a Guerra Colonial pois Portugal não conseguiu seus objetivos (que seriam a manutenção das colônias sob o jugo português). Mas do ponto de vista militar seria uma vitória. Muito semelhante à situação dos EUA na Guerra do Vietnã. Na mesma época inclusive.


Quanto a infiltração dos socialistas, o quanto de Socialismo havia na nova Constituição de 1976, e o quanto isso prejudicou Portugal? Pois, se não me engano, várias emendas foram feitas para corrigir os erros constitucionais em épocas futuras.
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Pagão

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.310
  • Sexo: Masculino
Re:Salazar: "Orgulhosamente Sós"
« Resposta #6 Online: 16 de Dezembro de 2016, 05:43:39 »
Quanto a infiltração dos socialistas, o quanto de Socialismo havia na nova Constituição de 1976, e o quanto isso prejudicou Portugal? Pois, se não me engano, várias emendas foram feitas para corrigir os erros constitucionais em épocas futuras.

Há quem recorra à Constituição de 1976 (a original antes das revisões) para alegar esse prejuízo para o país. Mas eu julgo que o descalabro económico (taxas de crescimento antes do 25 Abril era das mais elevadas apesar da guerra) não se deve à constituição mas sim ao período revolucionário de orientação marxista e até marxista-leninista que durou desde pouco depois do 25 Abril 1974 até 25 de Novembro de 1975 (nacionalização da banca e seguros em Março de 1975 e várias empresas). Nesse período, o PCP e militares a ele ligados e outros de extrema esquerda estiveram em vias de afastar todos os outros... Todavia, um conflito armado a 25 de Novembro de 1975 permitiu eliminar a influência militar da extrema esquerda e chegar a um acordo com o PCP em que este aceitava uma democracia ocidental (o que o SG Álvaro Cunhal chegou a declarar que nunca haveria em Portugal).

O PCP percebeu que acabaria por perder uma guerra civil que iniciasse, e talvez tivesse recebido ordens da URSS para recuar, até porque o que interessava a Moscovo eram as antigas possessões africanas e isso estava assegurado (há quem julgue houve um acordo com os EUA com estes a imporem que a África do Sul recuasse em Angola já às portas de Luanda). A partir do 25 de Novembro decorre um lento processo e evolução para a democracia e subsequente entrada na CEE/UE, embora muito estrago já estivesse feito... Mais tarde, o processo de reprivatização também foi mal feito.
« Última modificação: 16 de Dezembro de 2016, 05:53:24 por Pagão »
Nenhuma argumentação racional exerce efeitos racionais sobre um indivíduo que não deseje adotar uma atitude racional. - K.Popper

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!