Autor Tópico: EUA x Russia (Guerra Fria Revival)  (Lida 2109 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Enjolras

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.685
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Online: 30 de Dezembro de 2016, 10:47:02 »
Pra fechar o ano!

Citar
EUA anunciam sanções à Rússia e expulsam agentes de inteligência por atividade hacker em eleição
Obama responsabilizou agentes por roubo de dados e disse que diplomatas americanos foram assediados na Rússia; Putin diz que vai considerar retaliação.
http://g1.globo.com/mundo/noticia/eua-expulsam-diplomatas-russos-por-ataque-hacker-em-eleicao.ghtml

Citar
Rússia expulsará 35 diplomatas americanos em resposta a sanções dos EUA
EUA anunciaram sanções por 'sabotagem a processos e instituições eleitorais.'
http://g1.globo.com/mundo/noticia/russia-expulsara-35-diplomatas-americanos-em-resposta-a-sancoes-dos-eua.ghtml

* Um adendo para a 1a notícia. Conforme esse link, foram 35 diplomatas russos expulsos dos EUA e não 35 agentes de inteligência.

O apoio à decisão de Obama parece ser unânime, Trump não terá escolha senão continuar com as sanções. 2017 vai começar tenso.
Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.047
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #1 Online: 30 de Dezembro de 2016, 10:49:11 »
É só protesto contra o vazamento das informações para manipular a eleição. Quando o Trump assumir as coisas tendem a se estabilizar.

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.900
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #2 Online: 30 de Dezembro de 2016, 11:12:17 »
Eu li que tem quatro senadores, dois republicanos (John Mccain é um deles) e dois democratas que pretendem levar o caso adiante.

Offline Enjolras

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.685
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #3 Online: 30 de Dezembro de 2016, 11:16:56 »
Atualizando: Putin não compra a briga, diz que não vai expulsar diplomatas americanos e que vai esperar quais serão as açoes de Trump.

http://www.npr.org/sections/thetwo-way/2016/12/30/507525510/russia-plans-to-expel-u-s-diplomats-in-response-to-u-s-sanctions
Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.900
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #4 Online: 30 de Dezembro de 2016, 11:26:42 »
Vamos ter muitas emoções com esse governo Trump!

Offline Peter Joseph

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 755
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #5 Online: 02 de Janeiro de 2017, 15:44:55 »
Não se faz mais guerra fria como antigamente...

"Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente."

Offline Peter Joseph

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 755
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #6 Online: 02 de Janeiro de 2017, 15:47:19 »
Obama anunciou novas sanções à Rússia com base em acusações não comprovadas da CIA de que o governo russo influenciou o resultado da eleição presidencial dos EUA com "actividades maliciosas ciber activadas".

O Departamento de Segurança Interna dos EUA (US Department of Homeland Security, DHS) emitiu um relatório "relativo à declaração de 35 responsáveis russos como persona no grata por ciber actividade maliciosa e assédio".

O relatório é uma descrição de "ferramentas e infraestruturas utilizadas pelos serviços de inteligência russos para comprometer e explorar redes e infraestrutura associada à recente eleição nos EUA, bem como um conjunto de entidades do governo e do sector político e privado".

O relatório não apresenta qualquer evidência de que as ferramentas e infraestruturas foram utilizadas para influenciar o resultado da eleição presidencial. O relatório é simplesmente uma descrição do que se diz serem capacidades russas. diplopundit.net/2016/12/29/...
Além disso, o relatório começa com esta ressalva: "RESSALVA: Este relatório é apresentado 'tal qual' só para propósitos informativos. O Departamento de Segurança Interna (DHS) não dá quaisquer garantias de qualquer espécie respeitante a qualquer informação nele contido". diplopundit.files.wordpress.com/2016/12/jar_16-20296.pdf
Por outras palavras, o relatório não só não apresenta evidência da utilização das ferramentas e infraestrutura russa a fim de influenciar a eleição presidencial dos EUA, como nem mesmo garante a exactidão do que descreve como capacidades russas.

Portanto o relatório DHS torna completamente claro que o regime Obama não tem bases evidenciais para as suas alegações com base nas quais ele impôs mais sanções à Rússia.

O que está a acontecer aqui?

Primeiro há a questão da legalidade das sanções, ainda que houvesse evidência. Não estou certo, mas penso que sanções exigem a actuação de um organismo, tal como o Conselho de Segurança da ONU, e não podem legalmente serem impostas unilateralmente por um país. Além disso, não está claro porque Obama está a chamar de "sanções" a expulsão de diplomatas russos. Nenhum outro país fez algo assim. Durante a Guerra Fria, quando diplomatas eram expulsos por espionagem, isto não era chamado de "sanções". Sanções implicam mais do que expulsões unilaterais ou bilaterais de diplomatas.

Segundo, está claro que Obama, a CIA e o New York Times estão plenamente conscientes de que a alegação é falsa. Também está claro que se a CIA realmente acredita na alegação, a agência de inteligência é totalmente incompetente e não se pode acreditar nela sobre qualquer assunto.

Terceiro, o presidente Trump pode revogar as sanções dentro de 21 dias, uma terceira razão porque as sanções são ridículas.

Então por que o presidente Obama, a CIA e o New York Times estão a fazer acusações que sabem serem falsas e para as quais não produziram nem um fragmento e evidência? www.nytimes.com/2016/12/29/...
Uma resposta óbvia é que o neoconizado regime Obama está desesperado por arruinar as relações EUA-Rússia até passar o ponto em que Trump já não possa repará-las. Como coloca o New York Times: "As acções do sr. Obama criam claramente um problema para o sr. Trump". A questão que o New York Times levanta é se Trump "alinha-se com seus aliados democráticos no Capital Hill ou seu amigo autoritário no Kremlin".

Pode a política externa de Trump ser controlada por alegações falsas? Segundo o New York Times, Trump abrandou e concordou em ser informado pela CIA acerca do hacking russo agora quando republicanos tais como Paul Ryan, John McCain e Lindsay Graham alinharam-se com Obama e a CIA na aceitação de acusações para as quais nenhuma evidência foi apresentada. Contudo, uma informação sem evidência pareceria simplesmente promover o descrédito da CIA aos olhos de Trump.

Como tenho enfatizado nos meus textos, os factos já não têm mais qualquer papel nos Estados Unidos e seu império. Bastam apenas alegações, quer em processos de tribunais, centros de interrogatório, políticas externa e interna ou salas de aula. Os EUA baseiam mesmo suas invasões militares sobre alegações falsas – "armas de destruição em massa". Na verdade, toda a política externa dos EUA desde o regime Clinton tem sido baseada sobre nada mais do que alegações falsas.

O governo russo já deveria ter aprendido isto nesta altura, mas talvez Moscovo ainda pense que os factos importam nas decisões de Washington.

Possivelmente deveríamos considerar que há mais em andamento do que se pode avistar. Talvez a propaganda acerca da ciber ameaça russa à democracia esteja a ser utilizada para preparar populações americana e/ou europeias para um incidente. A CIA transmutou-se num "estado profundo" que utiliza desinformação e propaganda para alinhar decisões do Congresso, do ramo executivo e de governos estrangeiros com agendas secretas nos bastidores. Muitos livros, tais como The Brothers de Stephen Kinzer e CIA As Organized Crime de Douglas Valentine descreveram algumas destas agendas secretas.

A fim de impedir Trump de restaurar relações normais com a Rússia, um incidente teria de ser grave e irreversível. Ao invés de aceitar a derrota para a sua agenda de hegemonia mundial estado-unidense, os neoconservadores preparam-se para assumir altos riscos. A disposição para tomar riscos é demonstrada pelo esforço público do director da CIA para desacreditar o presidente eleito.

Tal como esperado, a resposta de Putin à provocação mais recente é contida pois as "sanções" parecem superficialmente de pouco significado. Contudo, no caso de alguma coisa perigosa estar abaixo da superfície, o governo russo pode querer considerar colocar suas forças militares em alerta.


http://resistir.info/eua/roberts_30dez16.html
"Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente."

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.421
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #7 Online: 02 de Janeiro de 2017, 21:56:39 »
Como tenho enfatizado nos meus textos, os factos já não têm mais qualquer papel nos Estados Unidos e seu império. Bastam apenas alegações, quer em processos de tribunais, centros de interrogatório, políticas externa e interna ou salas de aula. Os EUA baseiam mesmo suas invasões militares sobre alegações falsas – "armas de destruição em massa". Na verdade, toda a política externa dos EUA desde o regime Clinton tem sido baseada sobre nada mais do que alegações falsas.

O governo russo já deveria ter aprendido isto nesta altura, mas talvez Moscovo ainda pense que os factos importam nas decisões de Washington.

Possivelmente deveríamos considerar que há mais em andamento do que se pode avistar. Talvez a propaganda acerca da ciber ameaça russa à democracia esteja a ser utilizada para preparar populações americana e/ou europeias para um incidente. A CIA transmutou-se num "estado profundo" que utiliza desinformação e propaganda para alinhar decisões do Congresso, do ramo executivo e de governos estrangeiros com agendas secretas nos bastidores. Muitos livros, tais como The Brothers de Stephen Kinzer e CIA As Organized Crime de Douglas Valentine descreveram algumas destas agendas secretas.

A fim de impedir Trump de restaurar relações normais com a Rússia, um incidente teria de ser grave e irreversível. Ao invés de aceitar a derrota para a sua agenda de hegemonia mundial estado-unidense, os neoconservadores preparam-se para assumir altos riscos. A disposição para tomar riscos é demonstrada pelo esforço público do director da CIA para desacreditar o presidente eleito.

Tal como esperado, a resposta de Putin à provocação mais recente é contida pois as "sanções" parecem superficialmente de pouco significado. Contudo, no caso de alguma coisa perigosa estar abaixo da superfície, o governo russo pode querer considerar colocar suas forças militares em alerta.


http://resistir.info/eua/roberts_30dez16.html


Excelente texto,  Peter .  Espelha bem o que está acontecendo lá.   Essa gente é muito perigosa,  a  derrota  da   Rainha do Caos  foi um  percalço, mas os planos  vão continuar  mesmo sem ela.  Talvez sofram algum atraso, mas certamente não serão detidos  por causa disso.

 



Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.526
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #8 Online: 02 de Janeiro de 2017, 22:07:19 »
Bullshit de neocon.
Foto USGS

Offline Enjolras

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.685
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #9 Online: 02 de Janeiro de 2017, 22:40:42 »
Bullshit de neocon.

Pesquisando sobre o autor do texto, Paul Craig Roberts:

A strong believer in Conspiracy Theories, Roberts writes articles describing various groups with hidden agendas such as a "vast neoconservative conspiracy."[12] He believes the Sandy Hook shootings had "doctored" photographs.[13] Roberts characterized the official explanation for the events on September 11th, 2001 as a “scientific impossibility”.[14] He also believes Osama Bin Laden's responsibility in 9/11 is a myth.[15]
https://en.wikipedia.org/wiki/Paul_Craig_Roberts

Vou compartilhar da sua opiniao :D

Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.526
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #10 Online: 02 de Janeiro de 2017, 22:46:29 »
Bullshit de neocon.

Pesquisando sobre o autor do texto, Paul Craig Roberts:

A strong believer in Conspiracy Theories, Roberts writes articles describing various groups with hidden agendas such as a "vast neoconservative conspiracy."[12] He believes the Sandy Hook shootings had "doctored" photographs.[13] Roberts characterized the official explanation for the events on September 11th, 2001 as a “scientific impossibility”.[14] He also believes Osama Bin Laden's responsibility in 9/11 is a myth.[15]
https://en.wikipedia.org/wiki/Paul_Craig_Roberts

Vou compartilhar da sua opiniao :D



O pior é ler o texto e constatar que o autor acha o FDPutin uma pessoa séria e moralmente responsável.
Foto USGS

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.329
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #11 Online: 02 de Janeiro de 2017, 22:49:41 »
Acho que é uma simplificação tremenda dizer que o a invasão do Iraque se deu por "alegações falsas". Isso é puro viés de retrospectiva, talvez combinado a anti-americanismo.

Citar
https://en.wikipedia.org/wiki/Iraq_and_weapons_of_mass_destruction

...

After the Persian Gulf War, the United Nations located and destroyed large quantities of Iraqi chemical weapons and related equipment and materials throughout the early 1990s, with varying degrees of Iraqi cooperation and obstruction.[2]

...

In 2015 it was learned that Iraq's weapons of mass destruction had not been fully accounted for by UN inspections.[13] Ten years after its inception, Operation Avarice  was declassified and it was learned that there were stockpiles of warheads and rockets containing degraded chemical agents similar to those used in the Iran-Iraq War. From 2005 through 2006 military intelligence discovered that the weapons—many in poor condition, some empty or containing nonlethal liquid, but others containing sarin with unexpectedly high purity—were in the possession of one Iraqi individual who remained anonymous. Operation Avarice, headed by army intelligence and the CIA, involved the discreet purchase of the weapons from the unidentified individual to keep them off the black market.[13]

...

Intelligence shortly before the 2003 invasion of Iraq was heavily used as support arguments in favor of military intervention, with the October 2002 C.I.A. report on Iraqi WMDs considered to be the most reliable one available at that time.[83]

"According to the CIA's report, all U.S. intelligence experts agree that Iraq is seeking nuclear weapons. There is little question that Saddam Hussein wants to develop nuclear weapons." Senator John Kerry (D-Mass.) - Congressional Record, October 9, 2002[84]

...

On September 30, 2004, the U.S. Iraq Survey Group issued its Final Report.[89] Among its key findings were:

  • "Saddam wanted to recreate Iraq's WMD capability—which was essentially destroyed in 1991—after sanctions were removed and Iraq's economy stabilized, but probably with a different mix of capabilities to that which previously existed. Saddam aspired to develop a nuclear capability—in an incremental fashion, irrespective of international pressure and the resulting economic risks—but he intended to focus on ballistic missile and tactical chemical warfare (CW) capabilities;"[90]
  • Concealment of nuclear program in its entirety, as with Iraq's BW program. Aggressive UN inspections after Desert Storm forced Saddam to admit the existence of the program and destroy or surrender components of the program;

After Desert Storm, Iraq concealed key elements of its program and preserved what it could of the professional capabilities of its nuclear scientific community;
  • "Saddam's primary goal from 1991 to 2003 was to have UN sanctions lifted, while maintaining the security of the Regime. He sought to balance the need to cooperate with UN inspections—to gain support for lifting sanctions—with his intention to preserve Iraq's intellectual capital for WMD with a minimum of foreign intrusiveness and loss of face. Indeed, this remained the goal to the end of the Regime, as the starting of any WMD program, conspicuous or otherwise, risked undoing the progress achieved in eroding sanctions and jeopardizing a political end to the embargo and international monitoring;"[90]
  • A limited number of post-1995 activities would have aided the reconstitution of the nuclear weapons program once sanctions were lifted.


...

In June 2004, the United States removed 2 tons of low-enriched uranium from Iraq, sufficient raw material for a single nuclear weapon.[94]

...

Since the 2003 invasion of Iraq, several reported finds of chemical weapons were announced, including half a dozen incidents during the invasion itself.

In April 2003, US Marines stumbled across a number of buildings which emitted unusual levels of radiation. Upon close inspection the troops uncovered "many, many drums" containing low-grade uranium, also known as yellowcake. According to an expert familiar with UN nuclear inspections, US troops had arrived at the Tuwaitha Nuclear Research Center and the material under investigation had been documented, stored in sealed containers and subject to supervision by the International Atomic Energy Agency since 1991.[99][100] The material was transported out of Iraq in July 2008 and sold to Canadian uranium producer Cameco Corp., in a transaction described as worth "tens of millions of dollars."[101][102]

A post-war case occurred on January 9, 2004, when Icelandic munitions experts and Danish military engineers discovered 36 120-mm mortar rounds containing liquid buried in Southern Iraq. While initial tests suggested that the rounds contained a blister agent, subsequent analysis by American and Danish experts showed that no chemical agent was present.[103]

On May 2, 2004, a shell containing mustard gas was found in the middle of a street west of Baghdad. The Iraq Survey Group investigation reported that it had been previously "stored improperly", and thus the gas was "ineffective" as a useful chemical agent. Officials from the Defense Department commented that they were not certain if use was to be made of the device as a bomb.[104]

On May 16, 2004, a 152 mm artillery shell was used as an improvised bomb.[105] The shell exploded and two U.S. soldiers were treated for minor exposure to a nerve agent (nausea and dilated pupils).

...

On June 21, 2006 the United States House Permanent Select Committee on Intelligence released key points from a classified report provided to them by the National Ground Intelligence Center on the recovery of chemical weapons in Iraq.[110] The declassified summary stated that "Since 2003, coalition forces have recovered approximately 500 weapons munitions which contain degraded mustard or sarin nerve agent", that chemical munitions "are assessed to still exist" and that they "could be sold on the black market".[111]


...

Offline Enjolras

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.685
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #12 Online: 02 de Janeiro de 2017, 22:50:31 »
Obama anunciou novas sanções à Rússia com base em acusações não comprovadas da CIA de que o governo russo influenciou o resultado da eleição presidencial dos EUA com "actividades maliciosas ciber activadas".

... blablabla, etc e tal ...

http://resistir.info/eua/roberts_30dez16.html

Respondendo a esse texto (tradução Google):

http://www.npr.org/sections/parallels/2016/12/12/505272992/the-russian-hacking-kerfuffle-what-we-do-and-dont-know
Citar
O controverso caso de hacking pela Russia: o que sabemos e o que nao sabemos

Washington se sentiu como um salão de espelhos na segunda-feira.

A CIA concluiu que a Rússia interferiu nas eleições presidenciais dos EUA para ajudar Donald Trump a ganhar. Mas Trump diz que não acredita nisso. E o FBI não acha que há provas suficientes.

A comunidade de inteligência americana alertou sobre a intromissão russa durante a campanha. O que há de novo é que a CIA diz que está confiante de que os russos estavam agindo com um objetivo específico em mente - para ajudar Trump a vencer.

Todo o país agora está enredado em uma história que parece corresponder perfeitamente com o estado da política e do humor nacional: tensa, paranóica, de soma zero e subjetiva. É uma narrativa com muito poucos fatos sólidos para ser definitiva, mas apenas o suficiente para que qualquer um pode se sentir justificado em tirar suas conclusões preferidas.

Aqui está um olhar para o que é conhecido até agora sobre a história da eleição-hacking - eo que não é.

1. O governo dos EUA diz que a Rússia se meteu na eleição presidencial

A história explodiu pela primeira vez em julho, quando o site anti-sigilo WikiLeaks publicou uma parcela de e-mails conectados à liderança do Comitê Nacional Democrata.

As mensagens revelaram o vigoroso funcionamento interno da elite do partido e mostraram sua preferência por Hillary Clinton sobre o senador de Vermont, Bernie Sanders. Os partidários de Sanders ficaram indignados; O embaraço provocou a renúncia da presidente da DNC, Debbie Wasserman Schultz.

Mais tarde, WikiLeaks lançou e-mails do presidente da campanha de Clinton, John Podesta, que descreveu ela e os laços da campanha com banqueiros poderosos, piadas internas sobre a investigação de Benghazi e outras trocas desse tipo.

Combinado com histórias paralelas sobre a investigação do FBI sobre o servidor de e-mail privado que Clinton usou no Departamento de Estado, a imagem era de um corretor de influência distante que jogava por suas próprias regras - uma impressão que Clinton nunca abalou.

Mas os e-mails internos lançados pelo WikiLeaks, um site chamado "DCLeaks" e outros não eram "vazamentos" no sentido tradicional - informação que foi informada aos repórteres por um informante.

Eles foram roubados por hackers que trabalhavam para agências de inteligência russas, concluiu a comunidade de inteligência dos EUA. Depois que funcionários do governo disseram isso de maneira anônima em relatórios da imprensa, o Departamento de Segurança Interna e o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional afirmaram isso abertamente, no registro.

Isso se seguiu a um relatório on-line da empresa de segurança cibernética CrowdStrike, que documentou em junho as evidências que ligavam o compromisso do DNC com o serviço de inteligência doméstico da Rússia, o FSB e seu serviço de inteligência militar, o GRU.

2. A comunidade de inteligência dos EUA disse aos candidatos presidenciais e ao Congresso sobre o cybermischief durante a campanha

Trump e Clinton começaram a receber briefings de inteligência após suas respectivas convenções partidárias, de acordo com uma longa tradição de preparar potenciais futuros presidentes para o que eles poderiam enfrentar no cargo.

Funcionários de inteligência disseram aos candidatos e suas campanhas sobre as provas para o russo hacking então, e mais tarde, durante um dos debates presidenciais Clinton bateu Trump sobre o que ela chamou o apoio da Rússia.

Trump, então como agora, disse que não sabia se os russos estavam tentando ajudá-lo, ou que ele não acreditava que fossem, e que ninguém poderia realmente saber o que estava acontecendo no ciberespaço.

"Talvez não haja hacking", ele disse na época. Desde então, ele perguntou no Twitter por que a história de hackers não surgiu antes do Dia da Eleição. Na verdade, a história de hackers surgiu mais de uma dúzia de vezes durante a campanha.

Na Fox News Sunday, ele culpou o que ele chamou as uvas verdes dos democratas que ainda estão amargos com a perda de Clinton.

Mas Trump também disse ao apresentador da Fox News, Chris Wallace, que ele estaria aberto à investigação que Obama ordenou e que os membros do Congresso também dizem que vão conduzir a intromissão russa.

"O presidente Obama tem sido ótimo", disse Trump. "Eu não quero que ninguém nos corte, e eu não estou falando apenas de países, estou falando sobre qualquer pessoa, mas se você vai fazer isso, eu acho que você não deveria apenas dizer a Rússia, você deveria Dizem outros países também, e talvez outros indivíduos.

3. A Rússia fez mais durante a temporada eleitoral do que a publicação de e-mails

Comentaristas ligados ao Kremlin falaram abertamente sobre por que apoiaram Trump e por que eles acreditavam que ele era um melhor candidato para a Rússia eo mundo.

A mídia estatal russa saudou a eleição de Trump e elogiou a idéia de que ele poderia nomear o CEO da Exxon Mobil, Rex Tillerson, que tem muitos laços na Rússia, como secretário de Estado. O Kremlin também subscreve uma equipe de trolls chamados para postar no Twitter e em outros lugares na mídia social.
*comentario: coincidencia o Trump ter nomeado esse mesmo cara como secretario de Estado? Nooooott!

Putin e Trump também se elogiaram mutuamente. Mas os diplomatas russos também chegaram ao campo de Trump nos bastidores, e os membros da equipe da campanha Trump também tiveram seus próprios contatos prévios com a Rússia.

No entanto, Trump negou que ele poderia ser influenciado por contatos de negócios potenciais lá e observou que ele nunca conheceu Putin.

- Não conheço Putin - disse ele. E Trump lançou seu desejo de um melhor relacionamento com Moscou como uma diplomacia inteligente que ajudaria ambos os lados, especialmente na luta contra o Estado Islâmico na Síria.

Obama tentou durante meses concluir um acordo com a Rússia para unir forças na Síria, uma que não se uniu. E a Rússia continuou a ajudar o presidente sírio, Bashar Assad, a esmagar as forças anti-governo em seu último grande protesto contra Aleppo.

4. Não sabemos exatamente por que razão a inteligência dos EUA acredita no que faz ou porque algumas agências discordam

A comunidade de inteligência é unida por lei sob a liderança central do Diretor de Inteligência Nacional James Clapper, mas não é um monólito. Cada agência tem seu próprio ponto de vista e cultura.

A CIA, acusada desde a Segunda Guerra Mundial de espionar no exterior e realizar operações clandestinas, dirige agentes humanos em capitais estrangeiros e monta o que os agentes de inteligência chamam de "mosaico" de informações que conseguem formar um quadro completo.

O FBI, como um braço de aplicação da lei do Departamento de Justiça, começou o seu início a construção de processos judiciais contra grandes criminosos. Isso poderia ser o motivo pelo qual as duas agências discordam sobre a última nuance da história da Rússia: se é possível provar que Putin ou outros líderes russos interferiram na eleição para ajudar Trump.

É uma questão de intenção. Será que Moscou simplesmente queria semear o caos nos Estados Unidos, ou queria produzir o resultado específico que a eleição produziu? A CIA acredita que o caso está lá; O FBI não.

O maior serviço de inteligência do país, no entanto, parece estar no acampamento da CIA. O almirante Mike Rogers, diretor da Agência de Segurança Nacional, disse em 15 de novembro que acredita que os russos sabiam o que estavam fazendo.

"Não deve haver qualquer dúvida na mente de ninguém", disse Rogers no Conselho de CEO do Wall Street Journal. "Isto não foi algo que foi feito de forma casual, não foi algo que foi feito por acaso, mas que não foi um alvo que foi escolhido de forma arbitrária, foi um esforço consciente de um Estado-nação para tentar atingir um efeito específico".

Muita da evidência permanece secreta. Enquanto a história cresce, a pressão está aumentando na administração de Obama e no congresso para liberar mais. O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, disse na segunda-feira que está confiante na CIA e que o Comitê de Inteligência do Senado e os Comitês de Serviços Armados do Senado estão investigando o assunto.

5. Não sabemos se os russos também comprometeram os republicanos - e se eles estão aferrando-se ao que eles tomaram como alavancagem

O presidente do Comitê de Segurança Interna da Câmara, Michael McCaul, disse em setembro que o Comitê Nacional Republicano também foi hackeado durante a campanha.

Então altos funcionários do RNC disseram que não era assim. McCaul divulgou uma declaração explicando que ele tinha "falado". Na sexta-feira, o The New York Times informou que os funcionários de inteligência dos EUA informaram o Congresso que a Rússia de fato roubou informações do RNC.

Isso pode ser uma questão de semântica - se os e-mails republicanos individuais foram comprometidos ou se os hackers podem ter violado as redes do RNC. Dadas as declarações públicas conflitantes e a falta de informações do governo, isso poderia criar um novo fio para a história - o Kremlin está segurando o que os agentes da campanha chamariam um "arquivo oppo" no Trump ou outros republicanos?

O mestre de xadrez russo Garry Kasparov, que passou a se tornar um crítico franco de Putin, sugere que Moscou quer armas que pode usar contra a administração Trump, se necessário.

As I said would be the case six months ago. Hack both, help Trump, keep leverage. - Garry Kasparov

Fico com o Kasparov.
« Última modificação: 03 de Janeiro de 2017, 12:02:18 por Enjolras »
Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.


Offline Enjolras

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.685
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #14 Online: 02 de Janeiro de 2017, 23:06:48 »
Citar
site anti-sigilo WikiLeaks

Site anti-sigilo estratégico seletivo.

Citar
Mas os e-mails internos lançados pelo WikiLeaks, um site chamado "DCLeaks" e outros não eram "vazamentos" no sentido tradicional - informação que foi informada aos repórteres por um informante.

Eles foram roubados por hackers que trabalhavam para agências de inteligência russas, concluiu a comunidade de inteligência dos EUA. Depois que funcionários do governo disseram isso de maneira anônima em relatórios da imprensa, o Departamento de Segurança Interna e o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional afirmaram isso abertamente, no registro.
Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.421
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #15 Online: 03 de Janeiro de 2017, 08:55:15 »

Assange comenta ataques dos EUA contra Rússia e suas fontes


O fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, partilhou a sua opinião sobre as razões para os Estados Unidos acusarem a Rússia de influenciar as eleições presidenciais americanas.

© AP PHOTO/ MEL EVANS Giuliani: Obama está estragando relações com a Rússia para atingir Trump


Segundo Assange, a razão para as acusações feitas pela administração de Barack Obama é somente uma tentativa de privar o futuro presidente Donald Trump de legitimidade, divulgou o jornal Hill.

"Eles só tentam privar de legitimidade a administração de Trump, que em breve ocupará a Casa Branca", citou Hill as palavras de Assange ditas no ar do canal de TV Fox News.

Além disso o fundador de WikiLeaks negou também qualquer cooperação com a Rússia ou qualquer outro Estado.

 "A nossa fonte não é um Estado, por isso a resposta à questão sobre a cooperação [com o governo russo] é não", sublinhou.

 Ao mesmo tempo Assange não respondeu diretamente à questão se as publicações do seu site, inclusive a revelação dos e-mails de John Podesta, chefe da campanha eleitoral da candidata democrata Hillary Clinton, afetaram o resultado das eleições presidenciais nos Estados Unidos.

Ele só notou que, de fato, foram as declarações da própria candidata e do seu chefe da campanha eleitoral que mudaram os resultados das eleições.

Assange continua a residir atualmente na Embaixada do Equador em Londres, onde está desde 2012, por receio de ser extraditado à Suécia, onde é acusado de abuso sexual. O fundador do WikiLeaks nega as acusações de estupro, dizendo que são uma parte dos esforços de Washington para que ele seja extraditado para os EUA, onde deverá responder pelo vazamento de mil documentos muito secretos.


O Tribunal de Relação sueco manteve o mandado de detenção de Assange em setembro, embora um grupo de trabalho da ONU tenha decidido que seu encarceramento de fato foi arbitrário. Após a eleição presidencial nos EUA, uma petição através do site Change.org foi lançada pedindo ao presidente eleito para perdoar Assange. A petição tem atualmente mais de 20 mil assinaturas.


Mostrar mais: https://br.sputniknews.com/mundo/201701037341258-assange-eua-fontes-russia-eleicoes/



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.421
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #16 Online: 03 de Janeiro de 2017, 08:58:00 »

Giuliani: Obama está estragando relações com a Rússia para atingir Trump



O presidente dos EUA, Barack Obama, está tentando criar no fim do seu mandato problemas para o futuro chefe de Estado norte-americano, Donald Trump, ao adotar sanções contra a Rússia, disse o conselheiro de presidente eleito, ex-prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani.


Segundo ele, Trump não deve acreditar de forma incondicional em informações de inteligência que estão sendo fornecidas pela administração de Obama. “Sem dúvida, as informações de inteligência recebidas pelo presidente Obama ou são incompetentes, ou são politizadas”, disse o conselheiro do presidente eleito. Ele recomendou ao Trump realizar uma investigação independente da atividade dos hackers e punir os culpados.


Na quinta-feira (29), os EUA adotaram sanções em relação aos serviços de inteligência e um número de indivíduos da Rússia por suposta "intervenção nas eleições", e anunciaram a deportação do país de 35 diplomatas russos que foram considerados por Obama como "agentes da inteligência russa".


O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, disse que a Rússia discorda categoricamente das acusações infundadas dos EUA contra Moscou. Às sanções de Washington, disse ele, será dada uma resposta adequada no sentido definido pelo chefe de Estado.


Mostrar mais: https://br.sputniknews.com/opiniao/201612307325322-Giuliani-Obama-Russia-Trump-sancoes/

Offline Peter Joseph

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 755
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #17 Online: 03 de Janeiro de 2017, 14:40:56 »
o FBI não acha que há provas suficientes.

Citar
Mas os e-mails internos lançados pelo WikiLeaks, um site chamado "DCLeaks" e outros não eram "vazamentos" no sentido tradicional - informação que foi informada aos repórteres por um informante.

Informação informada por um informante?! Que informante? Baseado em que?

Citar
Eles foram roubados por hackers que trabalhavam para agências de inteligência russas, concluiu a comunidade de inteligência dos EUA. Depois que funcionários do governo disseram isso de maneira anônima em relatórios da imprensa, o Departamento de Segurança Interna e o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional afirmaram isso abertamente, no registro.

Sobre quais evidências são feitas tais alegações?

Citar
Isso se seguiu a um relatório on-line da empresa de segurança cibernética CrowdStrike, que documentou em junho as EVIDÊNCIAS que ligavam o compromisso do DNC com o serviço de inteligência doméstico da Rússia, o FSB e seu serviço de inteligência militar, o GRU.

Onde estão as tais evidências? Quais são exatamente?


Deixando o blá blá blá de lado, o fato é que até o momento não existem tais evidências. Somente alegações sem fatos que as comprovem.

E se tais evidências surgirem, o que os EUA vão fazer, expulsar mais russos? Acho que o mais provável é que não vão fazer grande coisa, mas talvez alguns lá sejam loucos o suficiente para querer uma guerra, vai saber.
« Última modificação: 03 de Janeiro de 2017, 15:01:06 por Peter Joseph »
"Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente."

Offline Peter Joseph

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 755
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #18 Online: 03 de Janeiro de 2017, 14:47:48 »
Como tenho enfatizado nos meus textos, os factos já não têm mais qualquer papel nos Estados Unidos e seu império. Bastam apenas alegações, quer em processos de tribunais, centros de interrogatório, políticas externa e interna ou salas de aula. Os EUA baseiam mesmo suas invasões militares sobre alegações falsas – "armas de destruição em massa". Na verdade, toda a política externa dos EUA desde o regime Clinton tem sido baseada sobre nada mais do que alegações falsas.

O governo russo já deveria ter aprendido isto nesta altura, mas talvez Moscovo ainda pense que os factos importam nas decisões de Washington.

Possivelmente deveríamos considerar que há mais em andamento do que se pode avistar. Talvez a propaganda acerca da ciber ameaça russa à democracia esteja a ser utilizada para preparar populações americana e/ou europeias para um incidente. A CIA transmutou-se num "estado profundo" que utiliza desinformação e propaganda para alinhar decisões do Congresso, do ramo executivo e de governos estrangeiros com agendas secretas nos bastidores. Muitos livros, tais como The Brothers de Stephen Kinzer e CIA As Organized Crime de Douglas Valentine descreveram algumas destas agendas secretas.

A fim de impedir Trump de restaurar relações normais com a Rússia, um incidente teria de ser grave e irreversível. Ao invés de aceitar a derrota para a sua agenda de hegemonia mundial estado-unidense, os neoconservadores preparam-se para assumir altos riscos. A disposição para tomar riscos é demonstrada pelo esforço público do director da CIA para desacreditar o presidente eleito.

Tal como esperado, a resposta de Putin à provocação mais recente é contida pois as "sanções" parecem superficialmente de pouco significado. Contudo, no caso de alguma coisa perigosa estar abaixo da superfície, o governo russo pode querer considerar colocar suas forças militares em alerta.


http://resistir.info/eua/roberts_30dez16.html


Excelente texto,  Peter .  Espelha bem o que está acontecendo lá.   Essa gente é muito perigosa,  a  derrota  da   Rainha do Caos  foi um  percalço, mas os planos  vão continuar  mesmo sem ela.  Talvez sofram algum atraso, mas certamente não serão detidos  por causa disso.

Como previsto, o establishment está batendo no Trump. Não que ele tenha muito a oferecer para os EUA ou o mundo, o problema é que destoa da atual ordem. Ele vai acabar cedendo, se é que já não fez e vão parar de pegar tanto no pé dele. Ou é isto, ou ele vai acabar morrendo ou sendo impedido. Não creio que tenha poder suficiente para passar por cima e fazer tudo o que dizia que vai.
« Última modificação: 03 de Janeiro de 2017, 15:09:25 por Peter Joseph »
"Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente."

Offline Enjolras

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.685
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #19 Online: 03 de Janeiro de 2017, 20:23:00 »
Vamos aplicar um pouco mais de ceticismo aqui. JJ, sério que essa é sua linha de argumentação?


Assange comenta ataques dos EUA contra Rússia e suas fontes

....

Mostrar mais: https://br.sputniknews.com/mundo/201701037341258-assange-eua-fontes-russia-eleicoes/

Uma declaração de Julian Assange, dono da Wikileaks, negando qualquer relação com a Rússsia. É análogo ao dono de uma empresa qualquer negar irregularidades na mesma. Aliás, como é que o Wikileaks sabe quem são as fontes? Alguém vazando documentos secretos confiaria sua identidade a Assange? (isso é uma pergunta retórica, caso não perceba)


Giuliani: Obama está estragando relações com a Rússia para atingir Trump

...

Mostrar mais: https://br.sputniknews.com/opiniao/201612307325322-Giuliani-Obama-Russia-Trump-sancoes/


Nada mais que a opinião  de Rudy Giuliani, republicano defendendo seu presidente de mesmo partido. Isso é pra levar a sério? É análogo a Lula defender a Dilma.

Releia (se tiver lido) a notícia que eu postei: O controverso caso de hacking pela Russia: o que sabemos e o que nao sabemos

Dá pra notar a diferença?
« Última modificação: 03 de Janeiro de 2017, 20:25:56 por Enjolras »
Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.

Offline Enjolras

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.685
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #20 Online: 03 de Janeiro de 2017, 20:36:31 »
o FBI não acha que há provas suficientes.

Citar
Mas os e-mails internos lançados pelo WikiLeaks, um site chamado "DCLeaks" e outros não eram "vazamentos" no sentido tradicional - informação que foi informada aos repórteres por um informante.

Informação informada por um informante?! Que informante? Baseado em que?

Citar
Eles foram roubados por hackers que trabalhavam para agências de inteligência russas, concluiu a comunidade de inteligência dos EUA. Depois que funcionários do governo disseram isso de maneira anônima em relatórios da imprensa, o Departamento de Segurança Interna e o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional afirmaram isso abertamente, no registro.

Sobre quais evidências são feitas tais alegações?

Citar
Isso se seguiu a um relatório on-line da empresa de segurança cibernética CrowdStrike, que documentou em junho as EVIDÊNCIAS que ligavam o compromisso do DNC com o serviço de inteligência doméstico da Rússia, o FSB e seu serviço de inteligência militar, o GRU.

Onde estão as tais evidências? Quais são exatamente?


Deixando o blá blá blá de lado, o fato é que até o momento não existem tais evidências. Somente alegações sem fatos que as comprovem.

E se tais evidências surgirem, o que os EUA vão fazer, expulsar mais russos? Acho que o mais provável é que não vão fazer grande coisa, mas talvez alguns lá sejam loucos o suficiente para querer uma guerra, vai saber.

Peter, percebo uma certa seletividade da sua parte. Não quer acrescentar nada sobre o que eu destaquei em vermelho?

Citar
A mídia estatal russa saudou a eleição de Trump e elogiou a idéia de que ele poderia nomear o CEO da Exxon Mobil, Rex Tillerson, que tem muitos laços na Rússia,

E sobre o FBI, vc "esqueceu" esse trecho:

Citar
É uma questão de intenção. Será que Moscou simplesmente queria semear o caos nos Estados Unidos, ou queria produzir o resultado específico que a eleição produziu? A CIA acredita que o caso está lá; O FBI não.

Note bem que o FBI não nega que houve alguma influência Russa. O FBI questiona apenas a finalidade do hacking.

Sobre as evidências:

Citar
Cybersecurity analysis[edit]
A self-styled hacker going by the moniker "Guccifer 2.0" claimed to be the source of the leaks;[38][39] WikiLeaks did not reveal its source.[20] Cybersecurity experts and firms, including CrowdStrike, Fidelis Cybersecurity, Mandiant, SecureWorks, and ThreatConnect, and the editor for Ars Technica, stated the leak was part of a series of cyberattacks on the DNC committed by two Russian intelligence groups.[40][41][42][43][44][45] U.S. intelligence agencies also stated (with "high confidence"[46]) that the Russian government was behind the theft of emails and documents from the DNC, according to reports in the New York Times and the Washington Post.[46][47][48][49][50]
https://en.wikipedia.org/wiki/2016_Democratic_National_Committee_email_leak#Cybersecurity_analysis

Relaório da CrowdStrike: https://www.crowdstrike.com/blog/bears-midst-intrusion-democratic-national-committee/
Citar
Whether or not this posting is part of a Russian Intelligence disinformation campaign, we are exploring the documents’ authenticity and origin. Regardless, these claims do nothing to lessen our findings relating to the Russian government’s involvement, portions of which we have documented for the public and the greater security community.

Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.

Offline Enjolras

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.685
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #21 Online: 03 de Janeiro de 2017, 20:48:30 »
Como previsto, o establishment está batendo no Trump. Não que ele tenha muito a oferecer para os EUA ou o mundo, o problema é que destoa da atual ordem. Ele vai acabar cedendo, se é que já não fez e vão parar de pegar tanto no pé dele. Ou é isto, ou ele vai acabar morrendo ou sendo impedido. Não creio que tenha poder suficiente para passar por cima e fazer tudo o que dizia que vai.

É claro que ele não fazer nem metade das merdas que falou nas eleições, apenas fale o que o povo quer e será eleito. Trump nunca teve apoio nem dos próprios republicanos nas eleições. Mas no momento atual, o partido Republicano esta gostando do cenário, eles tem o congresso e a presidência nas mãos, só não gostaram da equipe que o Trump está montando, a começar pelo CEO da Exxon como Secretário de Estado.

Acho que vão pressionar com a investigação e fazé-lo acompanhar as decisões do partido, caso contrário, a investigação pode levantar evidências (sejam elas forjadas ou reais) e criar um grande escandalo para que Trump renuncie. Há precedentes, Watergate.
Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.

Offline Peter Joseph

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 755
  • Sexo: Masculino
a
« Resposta #22 Online: 04 de Janeiro de 2017, 14:30:48 »
Peter, percebo uma certa seletividade da sua parte. Não quer acrescentar nada sobre o que eu destaquei em vermelho?

Citar
A mídia estatal russa saudou a eleição de Trump e elogiou a idéia de que ele poderia nomear o CEO da Exxon Mobil, Rex Tillerson, que tem muitos laços na Rússia,

Não esqueci, apenas achei desnecessário falar o obvio: isto aí demonstra no máximo o que ocorre em todas as transações políticas: grandes jogos de interesses entre o privado e o público, Brasil que o diga. Mas não prova nada quanto a um ataque hacker.

Citar
E sobre o FBI, vc "esqueceu" esse trecho:

Citar
É uma questão de intenção. Será que Moscou simplesmente queria semear o caos nos Estados Unidos, ou queria produzir o resultado específico que a eleição produziu? A CIA acredita que o caso está lá; O FBI não.

Note bem que o FBI não nega que houve alguma influência Russa. O FBI questiona apenas a finalidade do hacking.

O fato é que nem os próprios órgãos internos estão de acordo sobre o caso.

Citar
Sobre as evidências:

Citar
Cybersecurity analysis[edit]
A self-styled hacker going by the moniker "Guccifer 2.0" claimed to be the source of the leaks;[38][39] WikiLeaks did not reveal its source.[20] Cybersecurity experts and firms, including CrowdStrike, Fidelis Cybersecurity, Mandiant, SecureWorks, and ThreatConnect, and the editor for Ars Technica, stated the leak was part of a series of cyberattacks on the DNC committed by two Russian intelligence groups.[40][41][42][43][44][45] U.S. intelligence agencies also stated (with "high confidence"[46]) that the Russian government was behind the theft of emails and documents from the DNC, according to reports in the New York Times and the Washington Post.[46][47][48][49][50]
https://en.wikipedia.org/wiki/2016_Democratic_National_Committee_email_leak#Cybersecurity_analysis

Relaório da CrowdStrike: https://www.crowdstrike.com/blog/bears-midst-intrusion-democratic-national-committee/
Citar
Whether or not this posting is part of a Russian Intelligence disinformation campaign, we are exploring the documents’ authenticity and origin. Regardless, these claims do nothing to lessen our findings relating to the Russian government’s involvement, portions of which we have documented for the public and the greater security community.

Acho que deveriam ser consultadas outras instituições independentes e não somente empresas privadas e órgãos governamentais dos EUA ou instituições ligadas a eles. Organismos como ONU, ONGs e governos de outros países também deveriam ser consultados.

Pelos antecedentes dos EUA em forjarem "provas" ou de se "enganarem" totalmente, pode ser o caso novamente, por isto deve haver ceticismo nesta questão. Lembro que eles tinham até fotos de satélites mostrando a imagem de "armas de destruição em massa" no Iraque, que na verdade nunca foram encontradas.

Mas continua a questão: e se for verdade ou os EUA ao menos acharem/inventarem que é, o que farão? Vão declarar guerra? Continuarão com sanções irrelevantes para atingir o governo russo?
« Última modificação: 04 de Janeiro de 2017, 14:33:18 por Peter Joseph »
"Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente."

Offline Peter Joseph

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 755
  • Sexo: Masculino
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #23 Online: 04 de Janeiro de 2017, 14:37:46 »
Como previsto, o establishment está batendo no Trump. Não que ele tenha muito a oferecer para os EUA ou o mundo, o problema é que destoa da atual ordem. Ele vai acabar cedendo, se é que já não fez e vão parar de pegar tanto no pé dele. Ou é isto, ou ele vai acabar morrendo ou sendo impedido. Não creio que tenha poder suficiente para passar por cima e fazer tudo o que dizia que vai.

É claro que ele não fazer nem metade das merdas que falou nas eleições, apenas fale o que o povo quer e será eleito. Trump nunca teve apoio nem dos próprios republicanos nas eleições. Mas no momento atual, o partido Republicano esta gostando do cenário, eles tem o congresso e a presidência nas mãos, só não gostaram da equipe que o Trump está montando, a começar pelo CEO da Exxon como Secretário de Estado.

Acho que vão pressionar com a investigação e fazé-lo acompanhar as decisões do partido, caso contrário, a investigação pode levantar evidências (sejam elas forjadas ou reais) e criar um grande escandalo para que Trump renuncie. Há precedentes, Watergate.

Exatamente: já montaram a arapuca pro Trump, pra que fique obediente e não faça o que disse, principalmente em relação a Russia/Oriente Médio e aos tratados internacionais. Se não vai ser impedido. Se criar muito caso pode até ser morto, também há precedentes nisto.
"Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente."

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.329
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:EUA x Russia (Guerra Fria Revival)
« Resposta #24 Online: 04 de Janeiro de 2017, 15:03:04 »
Pelos antecedentes dos EUA em forjarem "provas" ou de se "enganarem" totalmente, pode ser o caso novamente, por isto deve haver ceticismo nesta questão. Lembro que eles tinham até fotos de satélites mostrando a imagem de "armas de destruição em massa" no Iraque, que na verdade nunca foram encontradas.

Novamente, uma análise não-antiamericanista/imparcial dos fatos mostra que não é simples questão de forjarem provas ou de um engano patético, sem um pingo de evidência. Inclusive, armas FORAM encontradas. Aquém do que seria "ideal", aquém dos planos de expansão armamentista de Saddam, mas foram.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!