Autor Tópico: Psicologia é ciência?  (Lida 2087 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #25 Online: 02 de Janeiro de 2017, 10:13:33 »
Se a psicologia focar mais em Skinner e esquecer Freud, certamente avançará bastante.

Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.226
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #26 Online: 02 de Janeiro de 2017, 11:51:49 »
Acho que behaviorismo talvez tenha sido algo meio como uma das tentativas mais preliminares de "cientifizar" melhor a psicologia, talvez meio como uma "resposta" à psicanálise (ou não, acho que já li/ouvi sobre coisas mais cientificamente sustentáveis de pioneiros menos famosos no Brasil, como William James, então essa parte "histórica" talvez não tenha nada a ver). Mas outras abordagens surgiram e hoje em dia chega a ser algo perto de descartado considerado grandemente incompleto, no mínimo:

Citar
https://plato.stanford.edu/entries/behaviorism

[...] Another stumbling block, in the case of analytical behaviorism, is the fact that the behavioral sentences that are intended to offer the behavioral paraphrases of mental terms almost always use mental terms themselves (see Chisholm 1957). In the example of my belief that I have a 2pm dental appointment, one must also speak of my desire to arrive at 2pm, otherwise the behavior of arriving at 2pm could not count as believing that I have a 2pm appointment. The term “desire” is a mental term. Critics have charged that we can never escape from using mental terms in the characterization of the meaning of mental terms. [...]

7. Why be Anti-Behaviorist
Behaviorism has lost strength and influence. It is dismissed by cognitive scientists developing intricate internal information processing models of cognition. Its laboratory routines are neglected by cognitive ethologists and ecological psychologists convinced that its methods are irrelevant to studying how animals and persons behave in their natural and social environment. Its traditional relative indifference towards neuroscience and deference to environmental contingencies is rejected by neuroscientists sure that direct study of the brain is the only way to understand the truly proximate causes of behavior.

But by no means has behaviorism disappeared. Robust elements of behaviorism survive in both behavior therapy and laboratory-based animal learning theory (of which more below).

[...]

A second reason for rejecting behaviorism is that some features of mentality—some elements in the inner processing of persons—have characteristic ‘qualia’ or presentationally immediate or phenomenal qualities. To be in pain, for example, is not merely to produce appropriate pain behavior under the right environmental circumstances, but it is to experience a ‘like-thisness’ to the pain (as something dull or sharp, perhaps). A purely behaviorist creature, a ‘zombie’, as it were, may engage in pain behavior, including beneath the skin pain responses, yet completely lack whatever is qualitatively distinctive of and proper to pain (its painfulness).

[...]

The third reason for rejecting behaviorism is connected with Noam Chomsky. Chomsky has been one of behaviorism's most successful and damaging critics. In a review of Skinner's book on verbal behavior (see above), Chomsky (1959) charged that behaviorist models of language learning cannot explain various facts about language acquisition, such as the rapid acquisition of language by young children, which is sometimes referred to as the phenomenon of “lexical explosion.” A child's linguistic abilities appear to be radically underdetermined by the evidence of verbal behavior offered to the child in the short period in which he or she expresses those abilities.

[...]

Contemporary psychology and philosophy largely share Hempel's conviction that the explanation of behavior cannot omit invoking a creature's representation of its world. Psychology must use psychological terms. Behavior without cognition is blind. Psychological theorizing without reference to internal cognitive processing is explanatorily impaired. To say this, of course, is not to a priori preclude that behaviorism will recover some of its prominence. Just how to conceive of cognitive processing (even where to locate it) remains a heated subject of debate (see Melser 2004; see also Levy 2007, pp. 29–64). But if behaviorism is to recover some of its prominence, this recovery may require a reformulation of its doctrines that is attune to developments (like that of neuroeconomics) in neuroscience as well as in novel therapeutic orientations. [...]


Offline Cárita Santos

  • Nível 00
  • *
  • Mensagens: 2
  • Sexo: Feminino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #27 Online: 02 de Janeiro de 2017, 14:08:35 »
          Mais uma vez agradeço a participação de todos. Faz algum tempo que venho procurando essa discussão com pessoas mais críticas como vocês, acredito que este fórum se encaixou perfeitamente neste meu objetivo. Muitas fontes apresentadas e muitos pontos ressaltados, os quais vou ler e pensar melhor a respeito, e trazer ao tópico dúvidas e/ou conclusões sempre que essas surgirem.

          Ademais, gostaria que este tópico não morresse aqui e que outros questionamentos referentes ao tema fossem sempre trazidos.

Offline José H.

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 254
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #28 Online: 02 de Janeiro de 2017, 16:52:56 »
Ok, então aproveitando: o inconsciente existe?

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.556
  • Love it or Hate it
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #29 Online: 02 de Janeiro de 2017, 18:13:17 »
Ok, então aproveitando: o inconsciente existe?

Na minha opinião o "inconsciente" é um constructo para designar a atividade neural cognitiva autônoma e periférica.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.226
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #30 Online: 02 de Janeiro de 2017, 18:27:42 »
Ok, então aproveitando: o inconsciente existe?

Acho que dificilmente não existiria (não necessariamente se referindo a algum conceito freudiano específico do termo, mas algo mais abrangente), sendo ainda possível que um bocado do que temos como "consciente" seja apenas confabulação a partir de processos/decisões inconscientes. O quanto quer que for possível generalizar dos experimentos com pessoas que passaram por corpo-calosotomia, e talvez também do experimento de Libet sobre "livre-arbítrio". Além disso também tem aquele negócio de sermos em boa parte do tempo, "zumbis".

https://www.edge.org/response-detail/11513

https://www.caltech.edu/news/zombie-behaviors-are-part-everyday-life-according-neurobiologists-801

https://en.wikipedia.org/wiki/Benjamin_Libet#Implications_of_Libet.27s_experiments

Talvez eu tenha feito alguma mistureba de conceitos, mas acho que é por aí.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.504
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #31 Online: 02 de Janeiro de 2017, 22:56:19 »
Já chega. Tópico trancado.

A Moderação vai analisar todas as denúncias o mais rápido possível, visto que a imensa maioria dos moderadores está viajando.

Alerto aos envolvidos para que PAREM de se cutucar imediatamente, inclusive em outros tópicos.
« Última modificação: 02 de Janeiro de 2017, 23:03:58 por Geotecton »
Foto USGS

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.504
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #32 Online: 02 de Janeiro de 2017, 23:02:36 »
          Sou graduanda, indo para o segundo período do curso de psicologia e atualmente estou tendo uma certa crise de ceticismo sobre este. Isto é, sempre fui bastante cética desde a adolescência, mas comecei o curso com uma mentalidade menos crítica, talvez até por ignorância quanto ao método científico. Agora, no entanto, após conhecer melhor a própria metodologia científica, não consigo mais ver as teorias psicanalíticas como algo empírico ou científico, por mais que os professores afirmem isso o tempo todo.

          Sendo este um fórum composto por uma maioria de pessoas que adotam uma abordagem mais cética sobre as coisas, gostaria de saber a opinião dos membros (e gostaria que esta fosse exposta da forma mais direta e objetiva possível) quanto às seguintes questões:

1. Psicologia é ou não é ciência? Por que?
2. Se não é ciência, seria então uma pseudociência oficializada dentro do campo acadêmico?


          Desde já, agradeço pela participação.

Cara forista Cárita Santos

O seu tópico ficará trancado por algum tempo para serenar os ânimos de alguns dos participantes.
Foto USGS

Offline Diegojaf

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 23.823
  • Sexo: Masculino
  • Bu...
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #33 Online: 03 de Janeiro de 2017, 14:30:22 »
As mensagens sobre PNL foram movidas para este tópico.

O tópico será destrancado. Contamos com a colaboração dos foristas para que, em caso de desvio de algum dos participantes, QUE NÃO RESPONDAM A MENSAGEM, que se limitem a denunciar à moderação a mensagem problemática e que ignorem o post até que a moderação dê alguma resposta.

Estaremos acompanhando de perto este tópico e outras medidas vão ser adotadas assim que tivermos um quórum mínimo entre a moderação.
"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto." - Rui Barbosa

http://umzumbipordia.blogspot.com - Porque a natureza te odeia e a epidemia zumbi é só a cereja no topo do delicioso sundae de horror que é a vida.

Offline Sdelareza

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 178
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #34 Online: 03 de Janeiro de 2017, 22:38:55 »
Karl Popper viu a psícanalise como não científica por ser não falseável, de mesmo que o marxismo
 e a psicologia de Alfred Adler.

Outro filosofo da ciência, Thomas Kuhn, que portanto possui um visão muito crítica da falseabilidade,
também concorda que a psícanalise não pode ser considerada ciência.

Copiei aqui um texto meu de um outro tópico igualmente meu ("Paradigmas de Kuhn")
http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=29587.msg881235#msg881235

"Como Popper, Kuhn concorda que marxismo, psicanálise e astrologia não são ciências, mas ele
chega a essa conclusão por outro caminho que a falseabilidade.

No caso da astrologia, ele considera que a astrologia não pode ser excluída da ciência da forma
como suas previsões foram elaboradas (pois várias de suas previsões podem ser testáveis).

Para ele, há a presença nessas áreas de uma teoria compartilhada e plausível e regras fundamentadas para controlar a prática.

Se elas apresentam falhas, os argumentos usados pelos seus adeptos seriam similares à aqueles que explicam falhas na
medicina e meteorologia.

Porque então são considerados pseudociências? Pelo fato de não terem que lidar com desafios ou quebra-cabeças.
Coisa que ocorre com os físicos e astrônomos, que devem realizar atividades de medição, cálculo e
correções de erro.

Para Kuhn, a medicina e a engenharia de um século e meio atrás (como a psicanálise hoje em dia) podiam se encaixar na mesma situação (ausência de desafios). Mas não fazia sentido rejeita-los, pois não havia outra alternativa.

http://www.ibamendes.com/2010/11/dialogo-entre-popper-e-kuhn-acerca-da.html

Então o que é ciência pode depender do contexto da época? Na Idade Média, fazia plenamente sentido considerar
a astrologia como uma ciência na ausência de uma melhor alternativa."

Kuhn é mal compreendido, por isso é geralmente citado por psicanalistas ou outros adeptos de pseudociências para "validar"  suas crenças (nem precisa dizer que Popper sequer é citado).

Jung esperava que um dia a ciência poderia validar sua teoria do inconsciente coletivo. Infelizmente, ainda continua hoje
como não falseável.



Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.333
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #35 Online: 04 de Janeiro de 2017, 00:00:22 »
Embora a Psicologia seja uma ciência, o que mais ajuda a um profissional que está na universidade é saber se as teorias científicas da disciplina são de grande ajuda na tomada de decisão na pesquisa aplicada do campo de sua profissão. Pelo menos nos EUA, a maioria dos psicólogos escolhem o campo da Psicologia Clínica para trabalhar. Mas, infelizmente, já existiram estudos de psicólogos que demonstraram que essa é uma área em que "especialistas" tendem a ser não especialistas. Exemplos desses psicólogos? James Shanteau e Paul Meehl:

Shanteau, J. (1992). Competence in experts: The role of task 1. characteristics. Organizational Behavior and Human Decision Processes, 53, 252-266. 

"Os psicólogos clínicos de Meehl não eram ineptos e seu fracasso não se deveu a falta de talento. Eles tiveram um desempenho fraco porque estavam incumbidos de tarefas que não tinham uma solução simples. O dilema desses profissionais era menos extremo que o ambiente de validade zero da previsão política de longo prazo, mas eles operavam em situação de baixa validade que não permitiam precisão elevada. Sabemos ser o caso porque os melhores algoritmos estatísticos, embora mais precisos que julgamento humano, nunca foram muito precisos". (Nota minha: no estudo do psicólogo mencionado, algoritmos estatísticos superam de longe o desempenho de julgamento humano em ambientes de muito ruído).

Daniel Kahneman, 2012. Rápido e devagar: duas formas de pensar. Editora Objetiva, p.299,300.

Mas talvez a forista Cárita Santos atue em outra área que não seja a Psicologia Clínica, então espero que esses dados não a desanimem.
« Última modificação: 04 de Janeiro de 2017, 00:10:08 por -Huxley- »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.226
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #36 Online: 04 de Janeiro de 2017, 15:20:16 »
Esse blog, nessa tag, deve ter coisa interessante sobre o tema.

https://sciencebasedmedicine.org/tag/psychology/

Um dos que tocam (e fundador) esse projeto é o Steven Novella, médico cético que não chega a ser tão pop quanto o Dawkins ou o Shermer, mas que não fica devendo nada em qualidade do que publica no tema. Participa também do podcast "skeptic's guide to the universe"* e é autor do blog "neurologica".





* que, apesar de ter tido quase sempre a presença da Rebecca Watson, não sofria a contaminação ideológica e efeitos colaterais disso que se poderia prever.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.938
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #37 Online: 04 de Janeiro de 2017, 15:33:15 »
Esse blog, nessa tag, deve ter coisa interessante sobre o tema.

https://sciencebasedmedicine.org/tag/psychology/

Um dos que tocam (e fundador) esse projeto é o Steven Novella, médico cético que não chega a ser tão pop quanto o Dawkins ou o Shermer, mas que não fica devendo nada em qualidade do que publica no tema. Participa também do podcast "skeptic's guide to the universe"* e é autor do blog "neurologica".





* que, apesar de ter tido quase sempre a presença da Rebecca Watson, não sofria a contaminação ideológica e efeitos colaterais disso que se poderia prever.

Este é meu podcast internacional preferido, e acho o Steve Novella um excelente divulgador da ciência, além de ser extremamente nerd.

A Rebecca Watson atraía muitas críticas ao podcast de anti-feministas. Alguns diziam que ela dava muito mais ênfase a cientistas mulheres num quadro dela sobre cientistas esquecidos. Diziam que a maioria dos cientistas antigos homenageados eram mulheres, e numa época em que haviam pouquíssimas cientistas mulheres, isso se caracterizava como um claro viés feminista. Aí Steve leu a carta do anti-feminista e contou quantos cientistas homens e quantas mulheres haviam sido apresentados, e foi algo como apenas 1/4 de mulheres.

Ou seja, muitos críticos dela distorcem os fatos, ou enxergam o mundo de forma distorcida mesmo só pra criticar.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.938
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #38 Online: 04 de Janeiro de 2017, 15:41:07 »
Karl Popper viu a psícanalise como não científica por ser não falseável, de mesmo que o marxismo
 e a psicologia de Alfred Adler.

Outro filosofo da ciência, Thomas Kuhn, que portanto possui um visão muito crítica da falseabilidade,
também concorda que a psícanalise não pode ser considerada ciência.

Copiei aqui um texto meu de um outro tópico igualmente meu ("Paradigmas de Kuhn")
http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=29587.msg881235#msg881235

"Como Popper, Kuhn concorda que marxismo, psicanálise e astrologia não são ciências, mas ele
chega a essa conclusão por outro caminho que a falseabilidade.

No caso da astrologia, ele considera que a astrologia não pode ser excluída da ciência da forma
como suas previsões foram elaboradas (pois várias de suas previsões podem ser testáveis).

Para ele, há a presença nessas áreas de uma teoria compartilhada e plausível e regras fundamentadas para controlar a prática.

Se elas apresentam falhas, os argumentos usados pelos seus adeptos seriam similares à aqueles que explicam falhas na
medicina e meteorologia.

Porque então são considerados pseudociências? Pelo fato de não terem que lidar com desafios ou quebra-cabeças.
Coisa que ocorre com os físicos e astrônomos, que devem realizar atividades de medição, cálculo e
correções de erro.

Para Kuhn, a medicina e a engenharia de um século e meio atrás (como a psicanálise hoje em dia) podiam se encaixar na mesma situação (ausência de desafios). Mas não fazia sentido rejeita-los, pois não havia outra alternativa.

http://www.ibamendes.com/2010/11/dialogo-entre-popper-e-kuhn-acerca-da.html

Então o que é ciência pode depender do contexto da época? Na Idade Média, fazia plenamente sentido considerar
a astrologia como uma ciência na ausência de uma melhor alternativa."

Kuhn é mal compreendido, por isso é geralmente citado por psicanalistas ou outros adeptos de pseudociências para "validar"  suas crenças (nem precisa dizer que Popper sequer é citado).

Jung esperava que um dia a ciência poderia validar sua teoria do inconsciente coletivo. Infelizmente, ainda continua hoje
como não falseável.




É interessante ouvir cientistas discutindo sobre o que é ou não é ciência. Gosto das críticas que o Lawrence Krauss faz aos filósofos em geral, e aos filósofos da ciência, porque ele alega que nenhum cientista precisou esperar um filósofo da ciência definir o que é Ciência para ele enfim começar a produzir conhecimento. O cientista geralmente é mais pragmático e trabalha com aquilo que produz resultados, com o que funciona, segundo ele. No fundo isso faz sentido. Se a gente pegar uma pseudo-ciência qualquer, a gente vê que quase nunca gera resultados concretos.  O conhecimento não progride.

Na opinião dele, os filósofos da ciência estão tentando somente entender o que o cientista já fazia, e fazia bem.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.226
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #39 Online: 04 de Janeiro de 2017, 16:07:38 »
Esse blog, nessa tag, deve ter coisa interessante sobre o tema.

https://sciencebasedmedicine.org/tag/psychology/

Um dos que tocam (e fundador) esse projeto é o Steven Novella, médico cético que não chega a ser tão pop quanto o Dawkins ou o Shermer, mas que não fica devendo nada em qualidade do que publica no tema. Participa também do podcast "skeptic's guide to the universe"* e é autor do blog "neurologica".





* que, apesar de ter tido quase sempre a presença da Rebecca Watson, não sofria a contaminação ideológica e efeitos colaterais disso que se poderia prever.

Este é meu podcast internacional preferido, e acho o Steve Novella um excelente divulgador da ciência, além de ser extremamente nerd.

A Rebecca Watson atraía muitas críticas ao podcast de anti-feministas. Alguns diziam que ela dava muito mais ênfase a cientistas mulheres num quadro dela sobre cientistas esquecidos. Diziam que a maioria dos cientistas antigos homenageados eram mulheres, e numa época em que haviam pouquíssimas cientistas mulheres, isso se caracterizava como um claro viés feminista. Aí Steve leu a carta do anti-feminista e contou quantos cientistas homens e quantas mulheres haviam sido apresentados, e foi algo como apenas 1/4 de mulheres.

Ou seja, muitos críticos dela distorcem os fatos, ou enxergam o mundo de forma distorcida mesmo só pra criticar.


Eu ouvia, por coincidência, mais esse podcast antes do caso todo do "elevatorgate". Mal cheguei a notar qualquer viés feminista, nem mesmo um feminismo "light". Na verdade mais "memorável" achava a aversão pessoal de um dos apresentadores a pássaros ou a macacos, não lembro bem agora. Meio brincando, mas não muito, ele mencionava seu "ceticismo" quanto a notícias sobre inteligência de pássaros (acho que era pássaros), acho que até acabavam aumentando a oportunidade dele fazer isso naqueles quadros de notícias falsas.


Mas quanto a esse quadro de cientistas esquecidos (do qual eu nem me lembrava, ironicamente), acho que é bem provável que, se fosse de alguma forma pesada a contribuição científica de todos cientistas esquecidos não-mencionados, haveria uma quantidade considerável de cientistas homens* que continuaram esquecidos em nome desse valor de diversidade-por-diversidade. O que não acho exatamente o fim do mundo, de qualquer forma, é menos ruim que o dramalhão de "vítimas de uma cruzada contra homens brancos heterossexuais" e etc, que isso deve ter motivado.


* acho que é previsível apenas por estatística, de forma análoga à vantagem masculina no xadrez; qualquer grupo arbitrário maior deve ter tido indivíduos que deram maior contribuição/com maior desempenho.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.226
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #40 Online: 04 de Janeiro de 2017, 16:21:16 »
É interessante ouvir cientistas discutindo sobre o que é ou não é ciência. Gosto das críticas que o Lawrence Krauss faz aos filósofos em geral, e aos filósofos da ciência, porque ele alega que nenhum cientista precisou esperar um filósofo da ciência definir o que é Ciência para ele enfim começar a produzir conhecimento. O cientista geralmente é mais pragmático e trabalha com aquilo que produz resultados, com o que funciona, segundo ele. No fundo isso faz sentido. Se a gente pegar uma pseudo-ciência qualquer, a gente vê que quase nunca gera resultados concretos.  O conhecimento não progride.

Na opinião dele, os filósofos da ciência estão tentando somente entender o que o cientista já fazia, e fazia bem.

Acho isso muito caricatural.

Não só a ciência não irá necessariamente sempre "produzir resultados", como, se sua epistemologia é bem vagabunda, pseudociência vai sim "produzir resultados". Daí a "produtividade" de colchões com magnética-quântica-vibracional e etc, e a falta de resultado da ciência em produzir resultados comparáveis em redução da dor nas costas e cansaço.

https://blogs.scientificamerican.com/cross-check/is-lawrence-krauss-a-physicist-or-just-a-bad-philosopher/


Sem falar que, a ciência é desenvolvimento gradual da "filosofia natural", não algo que alguém simplesmente "faz", do nada, como um método auto-evidente e distinto de algo que conduzirá a erro.


http://www.alchemylab.com/history_of_alchemy.htm

"A volta da astrologia", Olavo de Carvalho

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.938
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #41 Online: 04 de Janeiro de 2017, 16:35:05 »
Eu ouvia, por coincidência, mais esse podcast antes do caso todo do "elevatorgate". Mal cheguei a notar qualquer viés feminista, nem mesmo um feminismo "light". Na verdade mais "memorável" achava a aversão pessoal de um dos apresentadores a pássaros ou a macacos, não lembro bem agora. Meio brincando, mas não muito, ele mencionava seu "ceticismo" quanto a notícias sobre inteligência de pássaros (acho que era pássaros), acho que até acabavam aumentando a oportunidade dele fazer isso naqueles quadros de notícias falsas.


Mas quanto a esse quadro de cientistas esquecidos (do qual eu nem me lembrava, ironicamente),

Então, Buck. Você ouvia os episódios bem antigos. Quem defendia os macacos era o falecido Perry DeAngelis, que morreu ainda em 2007. Esse quadro da Rebecca já é a partir de 2012, mais ou menos.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.938
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #42 Online: 04 de Janeiro de 2017, 16:37:24 »
É interessante ouvir cientistas discutindo sobre o que é ou não é ciência. Gosto das críticas que o Lawrence Krauss faz aos filósofos em geral, e aos filósofos da ciência, porque ele alega que nenhum cientista precisou esperar um filósofo da ciência definir o que é Ciência para ele enfim começar a produzir conhecimento. O cientista geralmente é mais pragmático e trabalha com aquilo que produz resultados, com o que funciona, segundo ele. No fundo isso faz sentido. Se a gente pegar uma pseudo-ciência qualquer, a gente vê que quase nunca gera resultados concretos.  O conhecimento não progride.

Na opinião dele, os filósofos da ciência estão tentando somente entender o que o cientista já fazia, e fazia bem.

Acho isso muito caricatural.

Não só a ciência não irá necessariamente sempre "produzir resultados", como, se sua epistemologia é bem vagabunda, pseudociência vai sim "produzir resultados". Daí a "produtividade" de colchões com magnética-quântica-vibracional e etc, e a falta de resultado da ciência em produzir resultados comparáveis em redução da dor nas costas e cansaço.

Qual é a produtividade dos colchões com magnética-quântica-vibracional?

Compare os avanços da medicina científica, como vacinas e cura do cancer com homeopatia, por exemplo. Não é preciso entender o que é Ciência para perceber qual dos dois lados progrediu concretamente.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.226
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #43 Online: 04 de Janeiro de 2017, 16:42:09 »
Então quem é enganado pelos avanços quântico-vibracionais-ortopédicos está só fingindo, ou é meio débil mental?

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.938
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #44 Online: 04 de Janeiro de 2017, 16:42:38 »
https://blogs.scientificamerican.com/cross-check/is-lawrence-krauss-a-physicist-or-just-a-bad-philosopher/

Isso é apenas um link com um texto gigante que não conclui nada em específico. Se puder colar o trecho que você considera relevante e comentar, seria melhor. Posso ler com mais calma em casa o texto depois.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.938
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #45 Online: 04 de Janeiro de 2017, 16:47:04 »
Então quem é enganado pelos avanços quântico-vibracionais-ortopédicos está só fingindo, ou é meio débil mental?

Os  avanços quântico-vibracionais-ortopédicos não existem. Não funciona. Não importa o que as pessoas dizem. Sabemos que não funciona não por causa de uma série de teorias e filosofias da ciência, mas por causa de uma metodologia de eliminação de variáveis que precede Popper, Kuhn, etc.

Claro que eles tem suas contribuições, mas Newton fez avanços sem eles, e a pseudo-ciência ainda existe já com eles. Talvez facilite um pouco usar Popper para separar o joio do trigo e trabalhar com pesquisas fringe, mas talvez não seja altamente necessário.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.226
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #46 Online: 04 de Janeiro de 2017, 16:47:33 »
Citar
The fundamental laws of nature generally take the form of rules concerning which arrangements of that stuff are physically possible and which aren’t, or rules connecting the arrangements of that elementary stuff at later times to its arrangement at earlier times, or something like that. But the laws have no bearing whatsoever on questions of where the elementary stuff came from, or of why the world should have consisted of the particular elementary stuff it does, as opposed to something else, or to nothing at all.
The fundamental physical laws that Krauss is talking about in A Universe From Nothing--the laws of relativistic quantum field theories--are no exception to this.

A afirmação de "um universo do nada" de Krauss é simplesmente má-filosofia. Não é "do nada", mas de um conjunto definido de leis e de um estado cujas origens são desconhecidas. Incidentalmente, o jornalista argumenta que a física não fez muito progresso nisso nos últimos vinte anos, em vez de, agora, ter se dado uma resposta definitiva, como filosofam Dawkins e Krauss. 




Então quem é enganado pelos avanços quântico-vibracionais-ortopédicos está só fingindo, ou é meio débil mental?

Os  avanços quântico-vibracionais-ortopédicos não existem. Não funciona. Não importa o que as pessoas dizem. Sabemos que não funciona não por causa de uma série de teorias e filosofias da ciência, mas por causa de uma metodologia de eliminação de variáveis que precede Popper, Kuhn, etc.

E que "metodologia" é essa? É uma só, para qualquer coisa que se deseje estudar? :hein:

É algo que uma pessoa qualquer pode fazer, é só você dizer, "faz ciência aí, e não pseudo-ciência, então tá beleza"?




Claro que eles tem suas contribuições, mas Newton fez avanços sem eles, e a pseudo-ciência ainda existe já com eles. Talvez facilite um pouco usar Popper para separar o joio do trigo e trabalhar com pesquisas fringe, mas talvez não seja altamente necessário.

Porque você não precisa orientar as pessoas sobre essas metodologias, esmiuçar pontos de falha, elas são uma coisa inerente ao "ser" do Verdadeiro Cientista, que não precisa se preocupar, pois sua mente funciona cientificamente de maneira inata?

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.938
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #47 Online: 04 de Janeiro de 2017, 16:53:11 »
E que "metodologia" é essa? É uma só, para qualquer coisa que se deseje estudar? :hein:

É algo que uma pessoa qualquer pode fazer, é só você dizer, "faz ciência aí, e não pseudo-ciência, então tá beleza"?

O Newton praticava tanto ciência quanto pseudo-ciência, sem saber exatamente o que era cada uma. Uma delas progrediu. Adivinha qual?
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.226
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #48 Online: 04 de Janeiro de 2017, 17:06:28 »
E?

Qual o ponto com isso? Que então as facudades devem "liberar geral", parar de pensar em "metodologia", e abrir para disciplinas e abordagens mais "livres", não tidas como "científicas", para ver se são descobertas novas ciências ao longo do tempo? :hein:

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.938
  • Sexo: Masculino
Re:Psicologia é ciência?
« Resposta #49 Online: 04 de Janeiro de 2017, 17:08:08 »
Citar
The fundamental laws of nature generally take the form of rules concerning which arrangements of that stuff are physically possible and which aren’t, or rules connecting the arrangements of that elementary stuff at later times to its arrangement at earlier times, or something like that. But the laws have no bearing whatsoever on questions of where the elementary stuff came from, or of why the world should have consisted of the particular elementary stuff it does, as opposed to something else, or to nothing at all.
The fundamental physical laws that Krauss is talking about in A Universe From Nothing--the laws of relativistic quantum field theories--are no exception to this.

A afirmação de "um universo do nada" de Krauss é simplesmente má-filosofia. Não é "do nada", mas de um conjunto definido de leis e de um estado cujas origens são desconhecidas. Incidentalmente, o jornalista argumenta que a física não fez muito progresso nisso nos últimos vinte anos, em vez de, agora, ter se dado uma resposta definitiva, como filosofam Dawkins e Krauss. 

Ok.

Como diria o Geo: E?
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!