Autor Tópico: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos  (Lida 8276 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #50 Online: 27 de Junho de 2006, 10:04:55 »
Veja bem, ele tem que ter a liberdade de cobrar quanto ele quiser. Se as pessoas acham caro, eis uma grande oportunidade para vocês desenvolverem outros programas e sistemas operacionais melhores que os dele, cobrarem mais barato e ficarem ricos.

E nós temos todo o direito de piratear os softs dele. heauheuaeahhea  :histeria:

Não, não tem.

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #51 Online: 27 de Junho de 2006, 10:06:24 »
Cara, se os preços fossem mais em conta, eu mesmo preferiria comprar os originais. Veja o valor da renovação do Norton Anti virus(o mais básico deles): U$59,90. Isso porque vale por apenas 1 ano. O windows é ainda pior. São preços da faixa de centenas de reais cada windows. Não vejo como posso comprar isso. Gastei bem mais que isso no meu PC, mas não sobrou grana pros originais de cada programa. Se, algum dia, eu ganhar na mega sena acumulada eu monto um PC 100% original.

Edit: eu tinha feito um pequeno discurso totalemente off topic. :P

10 reais por mês por um bom antivírus? não é tão caro.


Pagar pra ter um anti virús como o Norton, podendo ter muitos outros tão bons quanto totalmente de graça? Ou até o próprio Norton, com 5 minutos de busca no Google tu encontra um jeito de crackear ou baixar versão já crackeada do Norton. Eu já tive um Norton com liscença até 2050.

Pra que trabalhar honestamente se posso ganhar muito mais dinheiro sendo desonesto?

Afinal, o trabalho de quem criou o software é o menos importante nesse debate, não? O que vale é a "lei de Gerson".

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #52 Online: 27 de Junho de 2006, 10:06:47 »
Citação de: Floko
Cara, se os preços fossem mais em conta, eu mesmo preferiria comprar os originais. Veja o valor da renovação do Norton Anti virus(o mais básico deles): U$59,90. Isso porque vale por apenas 1 ano. O windows é ainda pior. São preços da faixa de centenas de reais cada windows. Não vejo como posso comprar isso. Gastei bem mais que isso no meu PC, mas não sobrou grana pros originais de cada programa. Se, algum dia, eu ganhar na mega sena acumulada eu monto um PC 100% original.

Idem.

:-)


Esse tipo de argumento pode ser usado por ladrões tb.Se um dia eles ganharem na mega sena , eles param de roubar.....

Cara, os produtos são estupidamente caros, em alguns casos, são até monopólios. A empresa é única referencia conhecida dos leigos sobre determinado tipo de softwere(Norton, Windows, pra exemplificar). Eles se aproveitam disso cobrando preços que, pra mim, são realmente abusivos. Se fosse mais barato com certeza eu preferiria comprar o original. Mas posso ter um AVG, um Avir, Linux, Comprar por R$5,00 reais um windows com todas as qualidade e defeitos do original... A única coisa que o original oferece é tirar o peso da consciência. Mas minha consciência não pesa tanto quando 60 dolares.

Se fossemos vizinhos e encontrasse a minha carteira em frente à porta do meu apartamento, recheada com 60 dólares, não devolveria, certo?

Offline Floko

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 663
  • Sexo: Masculino
  • I'll be back!
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #53 Online: 27 de Junho de 2006, 10:19:58 »
Citação de: Floko
Cara, se os preços fossem mais em conta, eu mesmo preferiria comprar os originais. Veja o valor da renovação do Norton Anti virus(o mais básico deles): U$59,90. Isso porque vale por apenas 1 ano. O windows é ainda pior. São preços da faixa de centenas de reais cada windows. Não vejo como posso comprar isso. Gastei bem mais que isso no meu PC, mas não sobrou grana pros originais de cada programa. Se, algum dia, eu ganhar na mega sena acumulada eu monto um PC 100% original.

Idem.

:-)


Esse tipo de argumento pode ser usado por ladrões tb.Se um dia eles ganharem na mega sena , eles param de roubar.....

Cara, os produtos são estupidamente caros, em alguns casos, são até monopólios. A empresa é única referencia conhecida dos leigos sobre determinado tipo de softwere(Norton, Windows, pra exemplificar). Eles se aproveitam disso cobrando preços que, pra mim, são realmente abusivos. Se fosse mais barato com certeza eu preferiria comprar o original. Mas posso ter um AVG, um Avir, Linux, Comprar por R$5,00 reais um windows com todas as qualidade e defeitos do original... A única coisa que o original oferece é tirar o peso da consciência. Mas minha consciência não pesa tanto quando 60 dolares.

Se fossemos vizinhos e encontrasse a minha carteira em frente à porta do meu apartamento, recheada com 60 dólares, não devolveria, certo?

Provavelmente devolveria sim, já que você não é dono de uma multinacional. E se fosse, devolveria assim mesmo. Eu vejo diferença entre roubo, furto e softweres pirateados. Posso estar, segundo a lei, errado. Ou até moralmente errado nesse ponto. Porém, sou capaz de apostar que tanto você quanto o Lord tem alguma coisa pirata, ou baixada de graça na net, nem que seja uma música, em casa. Se acham isso tão errado, por que compactuam?

Se fosse mesmo possível comprar tudo de original, eu compraria. Mas não sou rico. Se os preços fossem mais ascessíveis eu compraria. Não são só os juros que emcaressem o produto(é, eles quase dobram o preço) mas as próprias empresas poderiam baixar os preços pra competir com produtos piratas. No caso de CDs de música, sou muito mais os originais, em caixinha, capinha com as letras, midia de qualidade... Mas acho abusivo pagar 40 reais num CD, pelo menos para o meu poder aquisitivo. Tenho até CDs originais aqui em casa de algumas bandas que eu curto, mas apenas porque os preços eram acessíveis.

Em caso de produtos piratas, creio que a velha máxima de Jesus: "quem nunca pecou, que atire a primeira pedra", se encaixe perfeitamente. Quem nunca baixou uma música, comprou alguma coisa em camelô que atire a primeira pedra. Quem já comprou alguma coisa e não pediu nota fiscal para provar a originalidade do produto não pode dizer nada, já que não pode ter certeza da autenticidade do produto.

Offline Floko

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 663
  • Sexo: Masculino
  • I'll be back!
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #54 Online: 27 de Junho de 2006, 10:31:05 »
Cara, os produtos são estupidamente caros, em alguns casos, são até monopólios. A empresa é única referencia conhecida dos leigos sobre determinado tipo de softwere(Norton, Windows, pra exemplificar). Eles se aproveitam disso cobrando preços que, pra mim, são realmente abusivos. Se fosse mais barato com certeza eu preferiria comprar o original. Mas posso ter um AVG, um Avir, Linux, Comprar por R$5,00 reais um windows com todas as qualidade e defeitos do original... A única coisa que o original oferece é tirar o peso da consciência. Mas minha consciência não pesa tanto quando 60 dolares.

É fácil dizer que os preços são abusivos em levar em consideração (e sem conhecer) o investimento e as despesas para produção, manutenção, suporte e atendimento do produto.
Não é nada barato manter uma equipe de pesquisadores, gerentes, analistas, programadores, vendedores, auxiliares, atendentes e etc trabalhando com infra-estrutura adequada, bons salários e benefícios.

Talvez eu realmente não saiba tudo por traz da produçãod e um CD, mas sei que as empresas buscam lucros altos(tudo bem, capitalismo), mas as vezes eles exageram. Talvez para cobrir o prejuizo com a pirataria, mas eu posso garantir que se eles abaixassem um pouco essa margem de lucro, eles venderiam muito mais coisas originais. Pelo menos no meu circulo de conhecidos, com certeza. A produção de um softwere pode ser realmente cara, mas a empresa tem que dar uma forma de lucrar, sem fazer um rombo no nosso bolso.

Como disse no post acima: posso estar legalmente e moralmente errado. Admito que piratear prejudica as empresas, mas creio que em parte seja culpa delas esse número altíssimo de produtos piratas vendidos. Não tenho condições para contra argumentar sobre coisas que não sei, já que não conheço os gastos de uma empresa como a Microsoft ou a Norton. Mas tenho para mim que muito provavelmente o produto poderia vir a ser mais barato. Não fosse assim, Bill Gates não seria o homem mais rico do mundo, indepenente da quantidade de Windows "genérico" que se encontra por ai.

Offline Felius

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.746
  • Sexo: Masculino
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #55 Online: 27 de Junho de 2006, 15:31:23 »
A sim, por favor note que pirateando, você não diminui nada que alguem tem, como no roubo, apenas faz alguem deixar de ganhar. É menos mal. E principalmente que se você não comprar no camelo e sim fazer download, não podem nem te acusar de estar financiando o tráfico, a violência, nem nada.
"The patient refused an autopsy."

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #56 Online: 27 de Junho de 2006, 16:15:39 »
Eu uso software pirata porque nem sempre tenho dinheiro (ou estou disposto a gastá-lo) pra comprar o original. Basicamente, só tenho o Windows e alguns jogos piratas aqui.

Não, isso não justifica. Sim, estou errado e cometendo algo criminoso. Para tentar abrandar isso, sempre procuro alternativas gratuitas... Ou não procuro alternativas! Não uso anti-virus, por exemplo. Meu firewall e meu browser são freeware, não uso editores de texto WYSIWYG (também não preciso, o latex supre minhas necessidades), minha IDE de programação, tal como os compiladores e as ferramentas contidas nele são de código aberto e gratuitas. Nem chego a gravar cds e dvds no windows, uso o K3B no linux (que aliás é melhor que o Nero).

Eu ainda pirateio, como 90% do pessoal daqui, mas em bem menos quantidade do que fazia. E a tendência é diminuir.

Offline Ernane

  • Nível 14
  • *
  • Mensagens: 325
  • Sexo: Masculino
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #57 Online: 27 de Junho de 2006, 18:18:42 »
É foda! Faz 3 anos e meio que uso Linux, até hoje só usei Slackware de distribuição, é a minha paixão. Gentoo também é muito bom. Às vezes uso FreeBSD, porém na maior parte do tempo estou no Linux.
Tanto Linux como qualquer outro unix-like free ou não é muito superior em desempenho à sisteminhas lixo da M$, o problema é que as empresas ainda na maioria das vezes só fazem software para windows :(
Photoshop? A galera tenta usar GIMP quando precisa do mesmo, ou "emula" usando Wine. Word? Temos o OpenOffice, que na minha opinião não perde em nada pro Office da M$.
Eu, por questões de ética sou contra software microsoft, porém estou ciente da nessecidade de usar sistemas window$ as vezes, principalmente para jogos: Gunbound, Fifa, etc.. etc..
Caso alguém nunca tenha usado sistemas Linux, FreeBSD, Unix em gerais, recomendo. Vocês verão de perto um sistema que não tem DOS como Kernel, essa herança ridícula herdada por sistemas windows, mas sim um sistema que possui macrokernel (na maioria das vezes) totalmente flexível para suas necessidades, sistemas que possuem excelente gerenciamento de memória, o desempenho da internet é melhor devido a pilha tcp/ip ser imbutida no próprio kernel, terão a liberdade de ter o código fonte dos programas em mãos, etc.. etc.. O único problema é o interesse das empresas que fazem software em lucrar, sendo assim, só fazem para Windows na maioria das vezes.
O realplayer para linux funciona bem, porém é pobre em visual, Winamp também.. ecat! XMMS é bem melhor!
Ou seja, quando as empresas fazem software pra linux, fazem com pouca vontade :(
Quem paga mais de 350 reais numa licença de um Ruindows XP nos dias de hoje? Pagar tudo isto num sistema que herdou DOS como kernel? Num sistema que sempre deu telinha azul e trava nas horas de necessidade? Um sistema que não tem um sistema de arquivos seguro e por isto vemos vírus e spywares vagando pelo mesmo todos os dias? Um sistema que de robustez não tem nada? Um sistema pesado que só roda em máquinas específicas? Linux com kernel 2.2 eu faço rodar num 386 com 8mb de ram. Pagar caro num sistema operacional lixo que pede para reiniciar o pc toda hora? Bah! Fuck Micro$oft! Viva o software livre!
Migrar para sistemas unix-like nem sempre é fácil, pois 99% de usuários de windows são newbies por causa dos sistemas microsoft serem muito fáceis de usar. Consequencia? Por serem tão fáceis de usarem, um usuário de windows muitas vezes nem sabe o pc que usa, normalmente não sabe nada sobre tcp/ip, não sabe compilar um simples código fonte feito em C pois os programas no sistema lixo já vem compilados (.exe), não sabe usar nenhum shell de unix (pois nunca usou um), e se falar em compilar um kernel para ele é um pesadelo! Claro, o windows é um sistema fechado, não permite modificações :~~ . Tudo isto porque sistemas Windows escondem o que é a verdadeira informática para que seja colocado em prática a plena facilidade..
Gastar dinheiro com software? Nunca! Monopólio de software: isto sim é pecado!
A verdade é única. O fato de desconhê-la é a explicação para tanta ignorância e para tantas "verdades" atualmente. Só o conhecimento científico nos leva à liberdade. E quando seremos livres? Somente quando conhecermos a verdade.

Offline Floko

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 663
  • Sexo: Masculino
  • I'll be back!
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #58 Online: 28 de Junho de 2006, 02:38:06 »
É foda! Faz 3 anos e meio que uso Linux, até hoje só usei Slackware de distribuição, é a minha paixão. Gentoo também é muito bom. Às vezes uso FreeBSD, porém na maior parte do tempo estou no Linux.
Tanto Linux como qualquer outro unix-like free ou não é muito superior em desempenho à sisteminhas lixo da M$, o problema é que as empresas ainda na maioria das vezes só fazem software para windows :(
Photoshop? A galera tenta usar GIMP quando precisa do mesmo, ou "emula" usando Wine. Word? Temos o OpenOffice, que na minha opinião não perde em nada pro Office da M$.
Eu, por questões de ética sou contra software microsoft, porém estou ciente da nessecidade de usar sistemas window$ as vezes, principalmente para jogos: Gunbound, Fifa, etc.. etc..
Caso alguém nunca tenha usado sistemas Linux, FreeBSD, Unix em gerais, recomendo. Vocês verão de perto um sistema que não tem DOS como Kernel, essa herança ridícula herdada por sistemas windows, mas sim um sistema que possui macrokernel (na maioria das vezes) totalmente flexível para suas necessidades, sistemas que possuem excelente gerenciamento de memória, o desempenho da internet é melhor devido a pilha tcp/ip ser imbutida no próprio kernel, terão a liberdade de ter o código fonte dos programas em mãos, etc.. etc.. O único problema é o interesse das empresas que fazem software em lucrar, sendo assim, só fazem para Windows na maioria das vezes.
O realplayer para linux funciona bem, porém é pobre em visual, Winamp também.. ecat! XMMS é bem melhor!
Ou seja, quando as empresas fazem software pra linux, fazem com pouca vontade :(
Quem paga mais de 350 reais numa licença de um Ruindows XP nos dias de hoje? Pagar tudo isto num sistema que herdou DOS como kernel? Num sistema que sempre deu telinha azul e trava nas horas de necessidade? Um sistema que não tem um sistema de arquivos seguro e por isto vemos vírus e spywares vagando pelo mesmo todos os dias? Um sistema que de robustez não tem nada? Um sistema pesado que só roda em máquinas específicas? Linux com kernel 2.2 eu faço rodar num 386 com 8mb de ram. Pagar caro num sistema operacional lixo que pede para reiniciar o pc toda hora? Bah! Fuck Micro$oft! Viva o software livre!
Migrar para sistemas unix-like nem sempre é fácil, pois 99% de usuários de windows são newbies por causa dos sistemas microsoft serem muito fáceis de usar. Consequencia? Por serem tão fáceis de usarem, um usuário de windows muitas vezes nem sabe o pc que usa, normalmente não sabe nada sobre tcp/ip, não sabe compilar um simples código fonte feito em C pois os programas no sistema lixo já vem compilados (.exe), não sabe usar nenhum shell de unix (pois nunca usou um), e se falar em compilar um kernel para ele é um pesadelo! Claro, o windows é um sistema fechado, não permite modificações :~~ . Tudo isto porque sistemas Windows escondem o que é a verdadeira informática para que seja colocado em prática a plena facilidade..
Gastar dinheiro com software? Nunca! Monopólio de software: isto sim é pecado!

Eu pensei que teria parado com minhas participação no debate antes, mas depois dessa mensagem, só posso dizer uma coisa: Microsoft é FODA!

Não uso Linux em casa por que o computador é da familha, e duvido que meus pais conseguissem usar o linux sem eu ter que ficar de baba aqui o dia inteiro explicando cada coisa(muitas eu teria que aprender, já que mechi muito pouco com linux).

Quanto a parte que tomei a liberdade de deixar em negrito, apoio em 100%. Se criar um Softwere é tão caro assim, como o Linux sobrevive? Doações extraterrestres? :ok:

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #59 Online: 28 de Junho de 2006, 09:37:36 »
Citação de: Floko
Cara, se os preços fossem mais em conta, eu mesmo preferiria comprar os originais. Veja o valor da renovação do Norton Anti virus(o mais básico deles): U$59,90. Isso porque vale por apenas 1 ano. O windows é ainda pior. São preços da faixa de centenas de reais cada windows. Não vejo como posso comprar isso. Gastei bem mais que isso no meu PC, mas não sobrou grana pros originais de cada programa. Se, algum dia, eu ganhar na mega sena acumulada eu monto um PC 100% original.

Idem.

:-)


Esse tipo de argumento pode ser usado por ladrões tb.Se um dia eles ganharem na mega sena , eles param de roubar.....

Cara, os produtos são estupidamente caros, em alguns casos, são até monopólios. A empresa é única referencia conhecida dos leigos sobre determinado tipo de softwere(Norton, Windows, pra exemplificar). Eles se aproveitam disso cobrando preços que, pra mim, são realmente abusivos. Se fosse mais barato com certeza eu preferiria comprar o original. Mas posso ter um AVG, um Avir, Linux, Comprar por R$5,00 reais um windows com todas as qualidade e defeitos do original... A única coisa que o original oferece é tirar o peso da consciência. Mas minha consciência não pesa tanto quando 60 dolares.

Se fossemos vizinhos e encontrasse a minha carteira em frente à porta do meu apartamento, recheada com 60 dólares, não devolveria, certo?

Provavelmente devolveria sim, já que você não é dono de uma multinacional. E se fosse, devolveria assim mesmo. Eu vejo diferença entre roubo, furto e softweres pirateados. Posso estar, segundo a lei, errado. Ou até moralmente errado nesse ponto. Porém, sou capaz de apostar que tanto você quanto o Lord tem alguma coisa pirata, ou baixada de graça na net, nem que seja uma música, em casa. Se acham isso tão errado, por que compactuam?

Se fosse mesmo possível comprar tudo de original, eu compraria. Mas não sou rico. Se os preços fossem mais ascessíveis eu compraria. Não são só os juros que emcaressem o produto(é, eles quase dobram o preço) mas as próprias empresas poderiam baixar os preços pra competir com produtos piratas. No caso de CDs de música, sou muito mais os originais, em caixinha, capinha com as letras, midia de qualidade... Mas acho abusivo pagar 40 reais num CD, pelo menos para o meu poder aquisitivo. Tenho até CDs originais aqui em casa de algumas bandas que eu curto, mas apenas porque os preços eram acessíveis.

Em caso de produtos piratas, creio que a velha máxima de Jesus: "quem nunca pecou, que atire a primeira pedra", se encaixe perfeitamente. Quem nunca baixou uma música, comprou alguma coisa em camelô que atire a primeira pedra. Quem já comprou alguma coisa e não pediu nota fiscal para provar a originalidade do produto não pode dizer nada, já que não pode ter certeza da autenticidade do produto.

Tu quoque........
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #60 Online: 28 de Junho de 2006, 09:40:35 »
A sim, por favor note que pirateando, você não diminui nada que alguem tem, como no roubo, apenas faz alguem deixar de ganhar. É menos mal. E principalmente que se você não comprar no camelo e sim fazer download, não podem nem te acusar de estar financiando o tráfico, a violência, nem nada.

Deixar de ganhar, as vezes pode tão ruim quanto perder....
Imagine que vc é faxineiro de uma loja de CDs originais.... Quem vc acha que será o primeiro a perder o emprego por causa da perda de lucro com a concorrencia com os piratas?
E o vendedor de uma loja de soft?
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Offline Agnostic

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.049
  • Sexo: Masculino
  • simply agnostic
    • Para Além da Loucura e da Razão
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #61 Online: 28 de Junho de 2006, 15:00:11 »
Citação de: Floko
Cara, se os preços fossem mais em conta, eu mesmo preferiria comprar os originais. Veja o valor da renovação do Norton Anti virus(o mais básico deles): U$59,90. Isso porque vale por apenas 1 ano. O windows é ainda pior. São preços da faixa de centenas de reais cada windows. Não vejo como posso comprar isso. Gastei bem mais que isso no meu PC, mas não sobrou grana pros originais de cada programa. Se, algum dia, eu ganhar na mega sena acumulada eu monto um PC 100% original.

Idem.

:-)


Esse tipo de argumento pode ser usado por ladrões tb.Se um dia eles ganharem na mega sena , eles param de roubar.....

Duvido muito. Roubo é exigir cerca de R$ 800,00 por uma cópia de um sistema operacional extremamente vulnerável e praticamente monopolizarem o comércio de software. Isso sim é um crime, como aliás já sofreram ações devido a problemas dessa espécie. E o dinheiro da MS, cujo capital é centenas de vezes superior ao de qualquer mega-sena, parece nunca ser o suficiente para eles pararem.

Não precisamos apoiar a utilização de software comerciais de maneira inescrupulosa, mas isso não significa que temos que aceitar cegamente os preços que nos são impostos.
Who cares?

Offline Agnostic

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.049
  • Sexo: Masculino
  • simply agnostic
    • Para Além da Loucura e da Razão
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #62 Online: 28 de Junho de 2006, 16:41:24 »
A sim, por favor note que pirateando, você não diminui nada que alguem tem, como no roubo, apenas faz alguem deixar de ganhar. É menos mal. E principalmente que se você não comprar no camelo e sim fazer download, não podem nem te acusar de estar financiando o tráfico, a violência, nem nada.

Deixar de ganhar, as vezes pode tão ruim quanto perder....
Imagine que vc é faxineiro de uma loja de CDs originais.... Quem vc acha que será o primeiro a perder o emprego por causa da perda de lucro com a concorrencia com os piratas?
E o vendedor de uma loja de soft?

Há capitalistas e capitalistas. :-)

Vou pegar o exemplo do Lord Barata, no qual ele citou o aspecto social do comércio.
Quem será o primeiro a perder o emprego por causa da perda de lucro da iniciativa dos empresários com o monopólio de um setor por uma empresa transnacional? Milhões de pessoas.
Ninguém precisa se entregar cegamente ao capital, ou seja, crer ingenuamente que todos os preços são justos e merecedores por si mesmos, ou ainda pior, crer que apenas por estarmos num sistema de livre mercado devamos aceitar todos os sistemas comerciais. Até em um capitalismo neoliberal, que não é nosso caso, se pode exigir menor preço no sentido consumidor final - > produtos, e também se manifestar contra monopólios, por se tratar de um sistema com sérias conseqüências sociais. Neste caso, embora legalmente condenável, a pirataria pode ser uma conseqüência desse monopólio e prática de preços abusivos, denotando haver problemas na estratégia econômica adotada pela empresa que sofre com a mesma. E às vezes a solução para a própria lucratividade da empresa não consiste em apenas se associar ao Estado para coibir a pirataria, mas também (e principalmente) reformular sua política econômica de acordo com o contexto vigente.

O mais interessante sobre o comércio "pirata" é o fato do mercado e o fomento do capital continuarem existindo, embora de forma menos centralizada, mas não significando em hipótese alguma uma depreciação do capitalismo em si mesmo. Analisando por uma ótica puramente econômica, desconsiderando as implicações legais, o ato de se comprar um produto pirata pode apenas significar que "quero esse produto, mas acho mais justo pagar R$ 20,00 ao invés dos exigidos R$ 100,00", por exemplo. Em outras palavras, se a empresa fornecesse o produto a um preço que fosse acessível ao consumidor final, este optaria pelo produto "original". Por este motivo não vejo a pirataria como um "roubo", sendo uma coisa amplamente diferente. Poderia falar muito sobre isso, mas para ilustrar vou citar apenas o exemplo da indústria de peças automotivas: há uma série de marcas paralelas, que fabricam os mesmos componentes mecânicos, idênticos aos originais. São cópias dos "originais" das grandes montadoras, porém oferecidos geralmente com um preço menor, e às vezes muito menor, que o dos "originais". Por convenção e tradição isso não é considerado pirataria. É legalmente válido se fazer uma cópia de uma peça automotiva, mesmo que idêntica ao "original" e vendê-la como uma substituta válida para a original, mesmo tendo esta sido projetada e produzida originalmente pela montadora do respectivo veículo, mas ironicamente isso não se aplica à indústria de software. :-)

[editado para corrigir erros ortográficos]
« Última modificação: 28 de Junho de 2006, 16:45:49 por Agnostic »
Who cares?

Offline L. Duran

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.077
  • Sexo: Masculino
    • Falando de Autismo
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #63 Online: 29 de Junho de 2006, 10:00:44 »
Poderia falar muito sobre isso, mas para ilustrar vou citar apenas o exemplo da indústria de peças automotivas: há uma série de marcas paralelas, que fabricam os mesmos componentes mecânicos, idênticos aos originais. São cópias dos "originais" das grandes montadoras, porém oferecidos geralmente com um preço menor, e às vezes muito menor, que o dos "originais". Por convenção e tradição isso não é considerado pirataria. É legalmente válido se fazer uma cópia de uma peça automotiva, mesmo que idêntica ao "original" e vendê-la como uma substituta válida para a original, mesmo tendo esta sido projetada e produzida originalmente pela montadora do respectivo veículo, mas ironicamente isso não se aplica à indústria de software. :-)

Agnostic,

Fabricar uma marca paralela de uma peça automotiva é diferente de fazer uma cópia de um produto de software.
Quando eu fabrico, por exemplo um paralama genérico de um gol,  eu tenho um processo produtivo composto por máquinas e funcionários semelhante ao do fabricante original.

Na cópia de um software não há nenhum processo produtivo equivalente. Eu não contrato uma equipe de programadores para programar um sistema igual. Nem uma equipe de suporte para dar assistência, não tenho compromisso com defeitos, nem tenho ferramentas de desenvolvimento ou compiladores. Eu apenas e tão somente cópio os dados gravados em uma mídia e vendo.

A analogia que se aplica melhor ao software é do mercado literário. A cópia de software é como tirar xerox de um livro.

[]´s
"O mundo necessita de todos os tipos de mente trabalhando juntas." - Temple Grandin

http://falandodeautismo.com.br

Offline Ernane

  • Nível 14
  • *
  • Mensagens: 325
  • Sexo: Masculino
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #64 Online: 29 de Junho de 2006, 15:58:23 »
Software livre no coração!
A verdade é única. O fato de desconhê-la é a explicação para tanta ignorância e para tantas "verdades" atualmente. Só o conhecimento científico nos leva à liberdade. E quando seremos livres? Somente quando conhecermos a verdade.

Offline Agnostic

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.049
  • Sexo: Masculino
  • simply agnostic
    • Para Além da Loucura e da Razão
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #65 Online: 29 de Junho de 2006, 16:25:22 »
Poderia falar muito sobre isso, mas para ilustrar vou citar apenas o exemplo da indústria de peças automotivas: há uma série de marcas paralelas, que fabricam os mesmos componentes mecânicos, idênticos aos originais. São cópias dos "originais" das grandes montadoras, porém oferecidos geralmente com um preço menor, e às vezes muito menor, que o dos "originais". Por convenção e tradição isso não é considerado pirataria. É legalmente válido se fazer uma cópia de uma peça automotiva, mesmo que idêntica ao "original" e vendê-la como uma substituta válida para a original, mesmo tendo esta sido projetada e produzida originalmente pela montadora do respectivo veículo, mas ironicamente isso não se aplica à indústria de software. :-)

Agnostic,

Fabricar uma marca paralela de uma peça automotiva é diferente de fazer uma cópia de um produto de software.
Quando eu fabrico, por exemplo um paralama genérico de um gol, eu tenho um processo produtivo composto por máquinas e funcionários semelhante ao do fabricante original.

Na cópia de um software não há nenhum processo produtivo equivalente. Eu não contrato uma equipe de programadores para programar um sistema igual. Nem uma equipe de suporte para dar assistência, não tenho compromisso com defeitos, nem tenho ferramentas de desenvolvimento ou compiladores. Eu apenas e tão somente cópio os dados gravados em uma mídia e vendo.

Bom, geralmente não é assim que funciona em indústrias de peças automativas, ou seja, não há suporte para a peça paralela, inclusive veículos podem perder a garantia de fábrica se não usarem componentes originais da mesma, e em vários casos as paralelas tratam-se de meras cópias das originais, onde os "projetistas" vão apenas procurar fazer uma cópia da original, que no caso da analogia do software seria a pessoa que saberia quais os procedimentos para realizar tal feito com determinado programa. Obviamente se você compra uma peça paralela e ela dá defeito, você pode trocá-la, mas isso também ocorre quando se compra uma "cópia pirata" de software. Veja que estou enfatizando unicamente o "mercado pirata" como um possível indício de falha na política econômica da empresa, desde a mensagem anterior. Inclusive isso também pode ser usado na analogia das peças automotivas: o fato de existir o mercado paralelo pode significar um "não, não posso (ou não quero) pagar a quantia X que me é exigida pela peça original", apenas substituindo o termo "peça" por "programa". Assim, a diferença básica é justamente o fato das peças serem coisas físicas e o software não.

A analogia que se aplica melhor ao software é do mercado literário. A cópia de software é como tirar xerox de um livro.

Não diante do que expus acima. :-)

[]'s
Who cares?

Offline L. Duran

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.077
  • Sexo: Masculino
    • Falando de Autismo
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #66 Online: 29 de Junho de 2006, 16:40:11 »
O fabricante dará suporte como fabricante de peça paralela. Veja se a Dana não troca as suas peças com defeito e mantém um SAC para atender o seu consumidor. Além disso ele é uma empresa legal que paga impostos e participa do mercado formal.
O que eu expus é que, mesmo copiando o molde, para fabricar uma peça há produção. Você precisa injetar plásticos, usar tornos, ter mão de obra capaz de produzir aquela peça.
Para copiar um software não. É uma simples cópia de dados.

E há alternativa para a maioria dos softwares mais utilizados. Não quer comprar Windows? Use uma distribuição Linux. Não quer usar o Office? Use o Open Office ou o Star Office?  Outlook? Use o Firebird. Autocad? Também há opções...
Ou seja, o mercado de software fornece alternativas a pirataria. O problema é que essas alternativas, por uma série de razões (inclusive culturais), ainda não tem apelo junto ao consumidor.

Até porque alguns fabricantes não fazem muito esforço para coibi-la já que ganham dinheiro com outras coisas...;)




"O mundo necessita de todos os tipos de mente trabalhando juntas." - Temple Grandin

http://falandodeautismo.com.br

Offline Agnostic

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.049
  • Sexo: Masculino
  • simply agnostic
    • Para Além da Loucura e da Razão
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #67 Online: 29 de Junho de 2006, 17:11:31 »
Mas nesse caso é justamente pelo fato do software ser o que é, ou seja "... a diferença básica é justamente o fato das peças serem coisas físicas e o software não."

Citação de: L. Duran
O que eu expus é que, mesmo copiando o molde, para fabricar uma peça há produção. Você precisa injetar plásticos, usar tornos, ter mão de obra capaz de produzir aquela peça.

Embora de outra maneira, para piratear também.
Se as peças automotivas fossem "software" ao invés de "hardware", seu comércio provavelmente seria considerado pirata também. ;-)

Quanto aos impostos aqui caberia uma longa discussão, mas resumidamente a pessoa que faz a cópia também está pagando impostos. :-)
Who cares?

Offline L. Duran

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.077
  • Sexo: Masculino
    • Falando de Autismo
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #68 Online: 29 de Junho de 2006, 17:28:35 »
Mas nesse caso é justamente pelo fato do software ser o que é, ou seja "... a diferença básica é justamente o fato das peças serem coisas físicas e o software não."

Embora de outra maneira, para piratear também.
Se as peças automotivas fossem "software" ao invés de "hardware", seu comércio provavelmente seria considerado pirata também. ;-)

Não.
A diferença é que a peça original foi produzida e a peça "alternativa" também.
O software foi programado. Um pirata não programa um software novamente, ele copia o que já foi feito.

Quanto aos impostos aqui caberia uma longa discussão, mas resumidamente a pessoa que faz a cópia também está pagando impostos. :-)

Não os mesmos que que produz o software.
"O mundo necessita de todos os tipos de mente trabalhando juntas." - Temple Grandin

http://falandodeautismo.com.br

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #69 Online: 30 de Junho de 2006, 10:30:18 »
Nw me interessa se é caro , ou barato, é crime e ponto final.Se nw tem dinheiro, nw usa.Vou roubar uma
 S600 só pq a Mercedez cobra muito caro pelo produto, o que justifica o meu roubo tb.Ridiculo....Nw tem dinheiro pra comprar mercedes, compra um Fusca ou nada de ônibus.Quer o melhor mas nw quer pagar por isso ficam com relativismo moral..... É por isso que o Brasil nw vai pra frente....
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Offline Floko

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 663
  • Sexo: Masculino
  • I'll be back!
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #70 Online: 30 de Junho de 2006, 13:23:07 »
Nw me interessa se é caro , ou barato, é crime e ponto final.Se nw tem dinheiro, nw usa.Vou roubar uma
 S600 só pq a Mercedez cobra muito caro pelo produto, o que justifica o meu roubo tb.Ridiculo....Nw tem dinheiro pra comprar mercedes, compra um Fusca ou nada de ônibus.Quer o melhor mas nw quer pagar por isso ficam com relativismo moral..... É por isso que o Brasil nw vai pra frente....

Eu não queria voltar ao tópico, mas vamos lá.

QUer comparar o monopólio das empresas de softwere com industria de carros? Você tem uma variedade enorme em modelos, preços, marcas de carros. Pode comprar um usado. Já um softwere há uma quantidade realmente limitada de empresas, e muitas vezes há um monopolio de assessórios, como jogos e programas, que só rodam em determinado Sistema Operacional, de determinada marca. Você só pode comrpar o original deles. É só um modelo e preço. Não há como comprar um windows semi-novo. Não existe modelo popular de windows. Existe apenas um.

Não há como comparar nenhum outro tipo de mercado com o de softweres. Se você tem grana pra comprar tudo 100% original, meus mais sinceros parabéns. Mas não pode simplesmente proibir um povo inteiro de ter acesso ao sistema mais popular nas empresas onde, muito provavelmente, este povo vai procurar emprego e vai precisar saber noções básicas do SO.

Cara, pra ter uma idéia dos preços do Windows, digamos que seja 800 reais(ouvi este valor por aqui, não tenho certeza) o Winxp Home. Meu computador inteiro, que não é super top de linha, mas é muito bom(ainda não encontrei nada que não rode aqui), custou no total 1700 reais(se não me engano). Comprei as peças avulsas, pesquisando de loja em loja, e consegui este valor. Veja a relação hard e soft. Um terço do preço do meu computador seria só do windows. Mais um anti-vírus original, jogos diversos(cada um uma base de 100 reais), eu teria dinheiro para montar outro computador inteiro. Isto porque softweres dão uma quantidade quase infinitamente maior de problemas que o hardwere.

Eu reafirmo: não acho que eu esteja sento legalmente idoneo. Mas creio que estas empresas também não estão. Cobram preços abusivos por um protudo que não pode ter tanta qualidade assim. E que muitas vezes terei de pagar de novo para poder atualizar devidamente. Mas eu garanto que a pirataria não vai causar a falência de uma empresa do tamanho da Microsoft ou da que atualisa o Norton. Bill Gates encabeça a lista dos homens mais ricos do mundo, e seu softwere, muito provavelmente, é o mais pirateado do mundo.

Já falei de mais pra quem não queria participar mais da discução.

Offline Agnostic

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.049
  • Sexo: Masculino
  • simply agnostic
    • Para Além da Loucura e da Razão
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #71 Online: 30 de Junho de 2006, 14:54:40 »
Mas nesse caso é justamente pelo fato do software ser o que é, ou seja "... a diferença básica é justamente o fato das peças serem coisas físicas e o software não."

Embora de outra maneira, para piratear também.
Se as peças automotivas fossem "software" ao invés de "hardware", seu comércio provavelmente seria considerado pirata também. ;-)

Não.
A diferença é que a peça original foi produzida e a peça "alternativa" também.
O software foi programado. Um pirata não programa um software novamente, ele copia o que já foi feito.

Mas é o que eu disse, pela trigésima vez. :-)
Um pirata não programa novamente, da mesma forma que um fabricante de uma peça copiada da original não precisa projetá-la novamente, e mesmo assim existe um processo no ato de copiar, não sendo, muitas vezes, tão simples quanto uma simples cópia reprográfica.

Quanto aos impostos aqui caberia uma longa discussão, mas resumidamente a pessoa que faz a cópia também está pagando impostos. :-)

Não os mesmos que que produz o software.

Mas também pagam, e sem a possibilidade de sonegá-los na fonte, ao contrário dos grandes fornecedores. ;-)
Who cares?

Offline L. Duran

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.077
  • Sexo: Masculino
    • Falando de Autismo
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #72 Online: 30 de Junho de 2006, 15:08:03 »
Mas é o que eu disse, pela trigésima vez. :-)
Um pirata não programa novamente, da mesma forma que um fabricante de uma peça copiada da original não precisa projetá-la novamente, e mesmo assim existe um processo no ato de copiar, não sendo, muitas vezes, tão simples quanto uma simples cópia reprográfica.

Cara, nós não estamos nos entendendo!
O fabricante não projeta, mas fabrica a peça. Há um processo produtivo semelhante ao da peça original.
Fabricar um software é programa-lo. Isso um pirata não faz. É aí que está a diferença.

Quanto aos impostos aqui caberia uma longa discussão, mas resumidamente a pessoa que faz a cópia também está pagando impostos. :-)

Não os mesmos que que produz o software.

Mas também pagam, e sem a possibilidade de sonegá-los na fonte, ao contrário dos grandes fornecedores. ;-)

Aí é um problema de legislação e fiscalização. Se sonegam que estejam na cadeia.
Além disso, um software vendido na banquinha não tem nota fiscal...
Não recolhe INSS, Fundo de garantia...
"O mundo necessita de todos os tipos de mente trabalhando juntas." - Temple Grandin

http://falandodeautismo.com.br

Offline Agnostic

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.049
  • Sexo: Masculino
  • simply agnostic
    • Para Além da Loucura e da Razão
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #73 Online: 30 de Junho de 2006, 15:42:45 »
Mas é o que eu disse, pela trigésima vez. :-)
Um pirata não programa novamente, da mesma forma que um fabricante de uma peça copiada da original não precisa projetá-la novamente, e mesmo assim existe um processo no ato de copiar, não sendo, muitas vezes, tão simples quanto uma simples cópia reprográfica.

Cara, nós não estamos nos entendendo!
O fabricante não projeta, mas fabrica a peça. Há um processo produtivo semelhante ao da peça original.
Fabricar um software é programa-lo. Isso um pirata não faz. É aí que está a diferença.

Realmente não estamos. :-P

Não há o processo de projetar a peça quando se trata de uma réplica dela. Não serão feitos estudos para se saber qual será o melhor desenho para uma peça paralela, por se tratar apenas de uma cópia do projeto original. Como eu disse, a diferença é apenas devido ao fato da peça ser "hardware" e o software não, obviamente. Se fabricar for programá-lo, então deve ser programado todas as vezes em que uma unidade for vendida.

Quanto aos impostos aqui caberia uma longa discussão, mas resumidamente a pessoa que faz a cópia também está pagando impostos. :-)

Não os mesmos que que produz o software.

Mas também pagam, e sem a possibilidade de sonegá-los na fonte, ao contrário dos grandes fornecedores. ;-)

Aí é um problema de legislação e fiscalização. Se sonegam que estejam na cadeia.
Além disso, um software vendido na banquinha não tem nota fiscal...


Não disse que sonegam, mas que podem sonegar na fonte, enquanto o consumidor final não, pois mesmo não tendo a nota fiscal pressupõe-se que houve vários impostos, seja no fornecimento da matéria-prima para fabricação das mídias, sejam os impostos de importação, e por aí vai. Quando você compra um CD, seja numa grande loja de departamentos ou na banquinha da esquina, sendo um consumidor final, não tem como você optar assim: "Quero pagar 30% a menos no seu CD, pois não quero pagar pelo IPI que já está incluso no preço".

Não recolhe INSS, Fundo de garantia...

Não tem como recolher INSS ou FGTS se não existir empregado pelo regime da CLT. Isso não tem a ver com o assunto em questão. Creio que você quis dizer que não recolhe ICMS, sim? :-)
Who cares?

Offline L. Duran

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.077
  • Sexo: Masculino
    • Falando de Autismo
Re: Piratear software é pecado, segundo católicos e evangélicos
« Resposta #74 Online: 30 de Junho de 2006, 16:03:43 »
Mas é o que eu disse, pela trigésima vez. :-)
Um pirata não programa novamente, da mesma forma que um fabricante de uma peça copiada da original não precisa projetá-la novamente, e mesmo assim existe um processo no ato de copiar, não sendo, muitas vezes, tão simples quanto uma simples cópia reprográfica.

Cara, nós não estamos nos entendendo!
O fabricante não projeta, mas fabrica a peça. Há um processo produtivo semelhante ao da peça original.
Fabricar um software é programa-lo. Isso um pirata não faz. É aí que está a diferença.

Realmente não estamos. :-P

Não há o processo de projetar a peça quando se trata de uma réplica dela. Não serão feitos estudos para se saber qual será o melhor desenho para uma peça paralela, por se tratar apenas de uma cópia do projeto original. Como eu disse, a diferença é apenas devido ao fato da peça ser "hardware" e o software não, obviamente. Se fabricar for programá-lo, então deve ser programado todas as vezes em que uma unidade for vendida.

É uma cópia do projeto, mas cada uma das peças é fabricada.

Por isso que eu disse que é mais parecido com a indústria literária. Um software é como um livro. Faz-se uma vez e vende-se as cópias.
Um pirata não faz um software alternativo, memso copiando o projeto. Ele só vende uma cópia.


Não disse que sonegam, mas que podem sonegar na fonte, enquanto o consumidor final não, pois mesmo não tendo a nota fiscal pressupõe-se que houve vários impostos, seja no fornecimento da matéria-prima para fabricação das mídias, sejam os impostos de importação, e por aí vai. Quando você compra um CD, seja numa grande loja de departamentos ou na banquinha da esquina, sendo um consumidor final, não tem como você optar assim: "Quero pagar 30% a menos no seu CD, pois não quero pagar pelo IPI que já está incluso no preço".

O consumidor final não. Mas o pirata sim, sonega.
E o fabricante de software tem que pagar ISS, PIS, Cofins, CSLL...

Não recolhe INSS, Fundo de garantia...

Não tem como recolher INSS ou FGTS se não existir empregado pelo regime da CLT. Isso não tem a ver com o assunto em questão. Creio que você quis dizer que não recolhe ICMS, sim? :-)

Eu quis dizer que o fabricante de software tem empregados no regime CLT (nem sempre!). O pirata não.
"O mundo necessita de todos os tipos de mente trabalhando juntas." - Temple Grandin

http://falandodeautismo.com.br

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!