Autor Tópico: Nietzsche  (Lida 10701 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Lordwar Maxwell

  • Nível 10
  • *
  • Mensagens: 126
  • Sexo: Masculino
Re: Nietzsche
« Resposta #75 Online: 22 de Outubro de 2006, 17:09:56 »
Citar
Eu sou um Super Homem e você? Razz

( Esse smile "Bleh!" é feio hein? )

Penso que ele passou toda vida tentando provar dentre outras coisas a inexistência de Deus e no fim o desespero existencial tomou conta do espaço dos tabus que ele próprio havia derrubado dentro de si. Depois disso não tinha mais o que fazer, de resto você já sabe o que aconteceu com ele. Talvez se ele "visse a luz" tivesse durado mais tempo lúcido.

Sobre suas idéias... bem daria para fazer uma lista de discordâncias. [quote/]

De forma alguma esse era o pensamento de Nietzsche

O que ele queria provar que o homem estava alienado em relação a igreja e que o homem poderia superar todas as diversidades sem recorrer ao sagrado.

Ele procura provar a desnecessidade de Deus no seu tempo, escrevendo assim falou zaratrusta, quando tenta encontrar o verdadeiro super-homem, dessa maneira chega a conclusão que os dogmas existente não responde as necessidade do seres humanos.

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re: Nietzsche
« Resposta #76 Online: 17 de Janeiro de 2007, 17:50:38 »
Alguém aqui leu "Espiritualidade Para Céticos" do Robert Solomon?  O que ele fala de Nietzche quase me faz pensar que há dois autores com o mesmo nome… nunca li Nietzsche diretamente, mas a perspectiva que Solomon apresenta dele é muito mais suave do que a habitual.

O que achou do livro, Dantas? Alguém mais leu?

http://www.submarino.com.br/books_productdetails.asp?Query=ProductPage&ProdTypeId=1&ProdId=210565&franq=134562

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Nietzsche
« Resposta #77 Online: 17 de Janeiro de 2007, 18:16:17 »
Gostei bastante.  É uma visão muito pragmática, realista e perspicaz da crença, da religião e da verdadeira utilidade das duas.
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

blue pill

  • Visitante
Sobre o Nietzsche
« Resposta #78 Online: 23 de Abril de 2007, 01:56:26 »
Estava lendo no wikipedia uns artigos dos livros do Nietzsche, uns aforismas e umas citações, e me surgiu uma dúvida dai… (Não li os livros dele ainda, mas pretendo ler em breve).

Resumidamente:
Parece que todo o esforço dele na explicação da falta de sentido para as coisas é únicamente para o torna-lo um grande filósofo, e parece que ele sabía disso.
Sendo assim, a sua própria vida seria uma grande farsa, uma artimanha para lhe colocar num lugar alto, pois sabia que tinha potêncial incrível para explicar as coisas, e de ter visão das coisas.
Se realmente não fizesse questão nenhuma, não tivesse uma profunda necessidade de sentido como ele diz, não haveria porque um profeta explicar algo, escrever um livro, que não seja por uma farsa, pelo contrário, um profeta destes deveria apenas entender as coisas por si só.
O ato de, nas entrelinhas, se considerar um profeta, por ser o melhor filósofo que ele mesmo ja tinha conhecido, lhe cegava e condizía os seus livros.

O que vocês tem a dizer sobre isso ?
« Última modificação: 23 de Abril de 2007, 02:01:48 por Blue Pill »

Offline Worf

  • Nível 26
  • *
  • Mensagens: 1.272
  • Sexo: Masculino
  • libertas
Re: Sobre o Nietzsche
« Resposta #79 Online: 23 de Abril de 2007, 05:07:14 »
Na verdade, ele foi o último Iluminista. Levando o racionalismo às últimas conseqüências, acabou tendo que duvidar da própria razão.

Além disso, visto que o cristianismo já ia caducando em seu tempo (como ele mesmo o diz), não haveria mais motivos para o homem crer na moralidade cristã. Em vez de simplesmente partir desse pressuposto e criar uma nova moralidade, primeiro ele aplica o método genealógico (que Heidegger vai amar [destruktion], Foucault vai copiar, e Derrida vai "ferramentar", depois) para destruir os "ídolos", ou as idéias morais e as crenças vigentes, baseando-se em estudos etimológicos, psicológicos e indagações céticas (ver, por exemplo, Além do Bem e do Mal e Genealogia da Moral). Não só isso: volta-se para a Grécia Antiga, uma sociedade em que não existia, até Sócrates (o “primeiro homem teórico”) e Platão (o “primeiro dualista”, “avô do cristianismo”), a visão de mundo influenciada pela cristandade. Com isso, tentou encontrar ideais mais "livres", do "homem forte" que faz a sua própria moral.

A parte profética (não é só uma profecia das entrelinhas) contida em Assim Falava Zaratustra ironiza, em muitas passagens, a bíblia. Se ele se achava ou não um profeta, ou quando ele começou a ficar louco, é algo a se conjecturar. Mas é, também, uma questão de estilo. Ele usou o livro para anunciar uma nova moralidade, e o fez, segundo diz logo no começo de Assim Falava Zaratustra, por “amor aos homens”, para tirar o peso de suas [dos homens] costas.

(Talvez a descrição do sol, que ilumina as trevas todos os dias, seja também uma descrição poetizada da atividade filosófica. Como diria Sócrates, viver uma vida sem exame [sem filosofia, sem "ceticismo"] não vale a pena ser vivida.)

Citação de: Preâmbulo de Zaratustra

(I) Pois bem: já estou tão enfastiado da minha sabedoria, como a abelha que acumulasse demasiado mel. Necessito mãos que se estendam para mim.

(…)

(II) Zaratustra mudou, Zaratustra tornou-se menino, Zaratustra está acordado. Que vais fazer agora entre os que dormem?
     Como no mar vivias, no isolamento, e o mar te levava. Desgraçado! Queres saltar em terra? Desgraçado! Queres tornar a arrastar tu mesmo o teu corpo?”
     Zaratustra respondeu: “Amo os homens”.
“Pois por que — disse o santo — vim eu para a solidão? Não foi por amar demasiadamente os homens?
     Agora, amo a Deus; não amo os homens.
     O homem é, para mim, coisa sobremaneira incompleta. O amor pelo homem matar-me-ia”.
     Zaratustra respondeu: “Falei de amor! Trago uma dádiva aos homens”.

(…)

     Quando, porém, Zaratustra se viu só, falou assim, ao seu coração: “Será possível que este santo ancião ainda não ouvisse no seu bosque que Deus já morreu?”

Na II parte, ele fala com um velho religioso, o típico santo iluminado que vê pecado nos homens. Zaratustra, pelo contrário, condena a idéia de pecado, por ser uma fraqueza, uma negação do espírito humano. Note, por exemplo, a Primeira Dissertação da Genealogia da Moral: no parágrafo 13 ele fala do corisco e faz uma relação com o homem forte. Ele fala do povo que "distingue o corisco do clarão" como se fosse possível fazer tal coisa, da mesma forma como distinguem a força do homem forte da ação dele, como se a força deste não fosse, em si, a própria ação,  emanando da essência dele. Após condenar a ação forte (como pecado), tratam de dizer que o homem é livre para ser fraco, impedindo-o de “ser o que se é”. Isso resume bem o pensamento dele: deseja fazer com que o homem, livre das inversões de sentido promovidas pelos fracos em sua rebelião contra os fortes - rebelião condensada na moralidade e no sentido dado a certas palavras e imputado a certas ações, por exemplo -, possa ser o que ele, absolutamente, é. Ou o que Nietzsche acha que ele deveria ser. :P

Isso tudo pra poder lhe dizer: não é que as coisas não tenham sentido, para ele. Trata-se de uma análise e destruição de certas idéias, a sugestão de sua substituição, e a investigação dos mecanismo de valoração.

Respondendo à sua pergunta, baseando-me no pouco que eu li dele: se Zaratustra não tivesse "descido da montanha", ficaria lá por ter se cansando dos homens, ou seja, estaria negando sua própria filosofia. Não passaria, portanto, de um religioso qualquer, vergonhoso de ser homem e condenador das atitudes alheias. Como eu prefiro ler antes de procurar pelas entrelinhas, isso é tudo que tenho a dizer a esse respeito, no momento.

« Última modificação: 23 de Abril de 2007, 07:03:13 por Worf »

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Sobre o Nietzsche
« Resposta #80 Online: 23 de Abril de 2007, 07:47:48 »
Vou unir este tópico com o que já existe sobre Nietzsche.  Aguardem.
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

blue pill

  • Visitante
Re: Nietzsche
« Resposta #81 Online: 23 de Abril de 2007, 11:11:08 »
Mais algumas coisa.

Quando Nietzsche escreve sobre o super homem, como ele poderia primeiro entender o super homem ?

Para isso seria necessário ser um, senão ele estaria falando de alguma coisa que não sabe, não completamente.

Ele tem apenas uma opinião do que seja um super homem e parte deste modelo (de super homem) para fazer sua crítica.

Por outro lado, se ele realmente não se considerasse um super homem como ele poderia ter entendido o super homem ? É analogo a um ser humano entender um deus.

Isso reforça a minha idéia de que ele se considerava um profeta, e isso que o torna contraditório.

Resumindo: Ou ele se acha um super homem, ou ele não pode saber exatamente o que é um super homem, e portanto, não poderia sustentar a sua crítica a partir da idéia de "espirito livre" do super homem.

Nietszche não tinha espírito livre, tinha espírito egocêntrico e queria se tornar um super homem.
« Última modificação: 23 de Abril de 2007, 11:14:31 por Blue Pill »

blue pill

  • Visitante
Re: Nietzsche
« Resposta #82 Online: 23 de Abril de 2007, 11:16:47 »
Nietsche não era tão livre assim, tinha ainda a vontade de ser um super homem, e isso é egocentrismo.

Offline Mussain!

  • Contas Excluídas
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.228
  • Sexo: Masculino
Re: Nietzsche
« Resposta #83 Online: 23 de Abril de 2007, 11:41:19 »
Algumas idéias dele são realmente extremas. Mas, em geral, gosto do modo como ele pensa.
Põe extremo nisso....

Citação de:  "O anticristo"
Lei contra o cristianismo
Datada do dia da Salvação: primeiro dia do ano Um (em 30 de Setembro de 1888, pelo falso
calendário).
Guerra de morte contra o vício: o vício é o cristianismo
Artigo Primeiro – Qualquer espécie de antinatureza é vício. O tipo de homem mais vicioso é o
padre: ele ensina a antinatureza. Contra o padre não há razões: há cadeia.
Artigo Segundo – Qualquer tipo de colaboração a um ofício divino é um atentado contra a moral
pública. Seremos mais ríspidos com protestantes que com católicos, e mais ríspidos com os protestantes
liberais que com os ortodoxos. Quanto mais próximo se está da ciência, maior o crime de ser cristão.
Conseqüentemente, o maior dos criminosos é filósofo.
Artigo Terceiro – O local amaldiçoado onde o cristianismo chocou seus ovos de basilisco deve ser
demolido e transformado no lugar mais infame da Terra, constituirá motivo de pavor para a
posteridade. Lá devem ser criadas cobras venenosas.
Artigo Quarto – Pregar a castidade é uma incitação pública à antinatureza. Qualquer desprezo à
vida sexual, qualquer tentativa de maculá−la através do conceito de “impureza” é o maior pecado
contra o Espírito Santo da Vida.
Artigo Quinto – Comer na mesma mesa que um padre é proibido: quem o fizer será excomungado
da sociedade honesta. O padre é o nosso chandala – ele será proscrito, lhe deixaremos morrer de fome,
jogá−lo−emos em qualquer espécie de deserto.
Artigo Sexto – A história “sagrada” será chamada pelo nome que merece: história maldita; as
palavras “Deus”, “salvador”, “redentor”, “santo” serão usadas como insultos, como alcunhas para
criminosos.
Artigo Sétimo – O resto nasce a partir daqui.

Eu acho que não ter se casado por sua doença e etc da vida dele resultou numa pessoa revoltada... Gosto apenas de partes do que ele escreve. E o que é que tem naquele assim falou zara de tãããããão legal? Conheci um cara que disse ser ateu por causa desse livro....

Offline Josef Babinski

  • Nível 17
  • *
  • Mensagens: 468
  • Sexo: Masculino
Re: Nietzsche
« Resposta #84 Online: 23 de Abril de 2007, 15:10:51 »
Algumas idéias dele são realmente extremas. Mas, em geral, gosto do modo como ele pensa.
Põe extremo nisso…

Citação de:  "O anticristo"
Lei contra o cristianismo
Datada do dia da Salvação: primeiro dia do ano Um (em 30 de Setembro de 1888, pelo falso
calendário).
Guerra de morte contra o vício: o vício é o cristianismo
Artigo Primeiro – Qualquer espécie de antinatureza é vício. O tipo de homem mais vicioso é o
padre: ele ensina a antinatureza. Contra o padre não há razões: há cadeia.
Artigo Segundo – Qualquer tipo de colaboração a um ofício divino é um atentado contra a moral
pública. Seremos mais ríspidos com protestantes que com católicos, e mais ríspidos com os protestantes
liberais que com os ortodoxos. Quanto mais próximo se está da ciência, maior o crime de ser cristão.
Conseqüentemente, o maior dos criminosos é filósofo.
Artigo Terceiro – O local amaldiçoado onde o cristianismo chocou seus ovos de basilisco deve ser
demolido e transformado no lugar mais infame da Terra, constituirá motivo de pavor para a
posteridade. Lá devem ser criadas cobras venenosas.
Artigo Quarto – Pregar a castidade é uma incitação pública à antinatureza. Qualquer desprezo à
vida sexual, qualquer tentativa de maculá−la através do conceito de “impureza” é o maior pecado
contra o Espírito Santo da Vida.
Artigo Quinto – Comer na mesma mesa que um padre é proibido: quem o fizer será excomungado
da sociedade honesta. O padre é o nosso chandala – ele será proscrito, lhe deixaremos morrer de fome,
jogá−lo−emos em qualquer espécie de deserto.
Artigo Sexto – A história “sagrada” será chamada pelo nome que merece: história maldita; as
palavras “Deus”, “salvador”, “redentor”, “santo” serão usadas como insultos, como alcunhas para
criminosos.
Artigo Sétimo – O resto nasce a partir daqui.

Eu acho que não ter se casado por sua doença e etc da vida dele resultou numa pessoa revoltada… Gosto apenas de partes do que ele escreve. E o que é que tem naquele assim falou zara de tãããããão legal? Conheci um cara que disse ser ateu por causa desse livro…

Quer dizer mesmo é que tal "cara" é um bobo emotivo que arrumou uma desculpa esfarrapada usando um ad hominem mascarado pra justificar seu pressuposto que é baseado naquilo que lhe é atraente. :)

Nietzsche é mera porcaria, o Amon sintetizou tudo que eu diria sobre..

Offline Brasília em Chamas

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 293
  • Antestor
Re: Nietzsche
« Resposta #85 Online: 24 de Abril de 2007, 14:22:53 »
Não entendi, qual foi meu erro?

Acho que a intenção dele foi dizer que o livro "Humano, demasiado humano" tem palavras difíceis, e que um dicionário ajudaria a entender.

Faz bastante tempo que estou como ele na cabeceira da cama, sempre que posso dou uma lida em algumas paginas. Não possuo o abito de ler obra inteira, só para não possuir um pensamento tendencioso.
Os que se perdem como vocês sobrevivem de uma fixação perfeccionista, ou de uma nostalgia culposa. Por hora, meu juízo absolutiza quase tudo para todos e relativiza quase tudo para mim mesmo, dependendo de onde eu estou como ser

Offline Spitfire

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.530
  • Sexo: Masculino
Re: Nietzsche
« Resposta #86 Online: 24 de Abril de 2007, 18:25:10 »
Não possuo o abito de ler obra inteira, só para não possuir um pensamento tendencioso.

Percebe-se claramente isto.  :ok: :hihi:

Tarcísio

  • Visitante
Re: Nietzsche
« Resposta #87 Online: 06 de Maio de 2007, 21:54:08 »
Não possuo o abito de ler obra inteira, só para não possuir um pensamento tendencioso.

Percebe-se claramente isto.  :ok: :hihi:

Homem mau. ¬¬

Eu não tenho o acervo completo do Nietzsche. Vocês sabem me relatar em quais obras ele fala do superhomem?

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Nietzsche
« Resposta #88 Online: 06 de Maio de 2007, 22:03:21 »
Não possuo o abito de ler obra inteira, só para não possuir um pensamento tendencioso.

Percebe-se claramente isto.  :ok: :hihi:

Homem mau. ¬¬

Eu não tenho o acervo completo do Nietzsche. Vocês sabem me relatar em quais obras ele fala do superhomem?
Em Assim falou Zaratustra ele fala do super-homem.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

blue pill

  • Visitante
Re: Nietzsche
« Resposta #89 Online: 06 de Maio de 2007, 22:34:54 »
[OFF-TOPIC]Eu tive uma idéia esses dias atras, fazer uma camiseta escrito Umbermensch.
Seria um pretexto pras abrir um dialogo sobre filosofia com menininhas que me perguntarem o que significa, eu sei mulher gosta de caras que parecem que sabe da verdade, então se eu pegar uma minazinha que não manja muito, é possível que eu ja tenha grandes pontos ludibriando a inocente virgem.

:histeria:

Offline ov3rl0rd

  • Nível 01
  • *
  • Mensagens: 10
Re: Nietzsche
« Resposta #90 Online: 14 de Maio de 2007, 23:37:06 »
Eu gosto particularmente da ferrenha crítica do Nietzsche ao Maniqueísmo. O quão inserido ele é na nossa sociedade impressiona, se pararmos para observar um pouco.
teste

Offline Tabacof

  • Nível 05
  • *
  • Mensagens: 54
Re: Nietzsche
« Resposta #91 Online: 15 de Maio de 2007, 19:08:13 »
[OFF-TOPIC]Eu tive uma idéia esses dias atras, fazer uma camiseta escrito Umbermensch.
Seria um pretexto pras abrir um dialogo sobre filosofia com menininhas que me perguntarem o que significa, eu sei mulher gosta de caras que parecem que sabe da verdade, então se eu pegar uma minazinha que não manja muito, é possível que eu ja tenha grandes pontos ludibriando a inocente virgem.

:histeria:

Hah, as chances de você ser chamado de nerd são grandes! E, no final, a mina vai procurar você para tirar algumas dúvidas antes de uma prova qualquer, mas vai passar a noite com o namorado que tem uma camisa com "playboy" estampado na frente.

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: Nietzsche
« Resposta #92 Online: 16 de Maio de 2007, 21:56:40 »
no colegial, sim, tabaco. mas depois dos vinte e poucos creio que a coisa comece a ficar um pouco diferente e deixa de ser pecado se interessar por temas que vão além do cotidiano (contanto, claro, que não se esqueça também do cotidiano, hehe).
"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline Shinigami-Ateu

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.666
  • Sexo: Masculino
  • "SILINCE, I KILL YOU!" Infidel
Re: Nietzsche
« Resposta #93 Online: 07 de Agosto de 2007, 18:55:32 »
Eu já li o anticristo, zaratustra e para além do bem e do mal e não gostei de nenhum, por isso desisti de ler o autor. Não gosto mesmo do estilo do autor, além do radicalismo exacerbado em vários pontos. Esta analogia com o tal super homem eu também acho meio idiota e segregacionista.

Não escutem Amon,  Amon está morto.

PS( mensagem psicografada, Nietzsche  mandou em Alemão, deu um trabalho danado para traduzir, rs..rs...rs..)



« Última modificação: 07 de Agosto de 2007, 18:59:03 por Shinigami-Ateu »
"Por que temer a morte? Enquanto eu sou, a morte não é; e, quando ela for, eu já não serei. Por que deveria temer o que não pode ser enquanto sou?”.

Rhyan

  • Visitante
Re:Nietzsche
« Resposta #94 Online: 11 de Junho de 2015, 15:14:43 »
Li 3 livros e ainda não entendi quase nada... onde ele queria chegar com esse papo de atropelar a moralidade?

Offline dqbertuzzi

  • Nível 02
  • *
  • Mensagens: 22
  • Sexo: Masculino
Re:Nietzsche
« Resposta #95 Online: 16 de Junho de 2015, 00:47:54 »
Libertário, recomendo que leia o artigo "A Morte de Deus e a Transvaloração dos Valores" da Scarlett Marton, dá pra achar fácil procurando no google. É curto e apresenta o básico das ideias do Nietzsche, pelo menos em relação ao "super-homem", a morte de Deus, niilismo, etc.

Rhyan

  • Visitante
Re:Nietzsche
« Resposta #96 Online: 16 de Junho de 2015, 18:17:56 »
Libertário, recomendo que leia o artigo "A Morte de Deus e a Transvaloração dos Valores" da Scarlett Marton, dá pra achar fácil procurando no google. É curto e apresenta o básico das ideias do Nietzsche, pelo menos em relação ao "super-homem", a morte de Deus, niilismo, etc.

Obrigado! Vou procurar!

Offline Terráqueo

  • Nível 16
  • *
  • Mensagens: 415
  • Sexo: Masculino
  • Não me acho um gênio, mas também não um jêneo.
Re:Nietzsche
« Resposta #97 Online: 16 de Junho de 2015, 18:28:27 »
Senhores, poderiam me esclarecer uma dúvida?
Vi certa vez uma frase atribuída a Nietzsche que era "não há nenhum fato, há apenas interpretações". O que seria isso? Pois se for o que entendi, e o que ele defendia, não consigo levar muito a sério. |(
"A Terra é o berço da humanidade, mas ninguém pode viver no berço para sempre" - Konstantin Tsiolkovsky.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Nietzsche
« Resposta #98 Online: 16 de Junho de 2015, 19:22:56 »
Senhores, poderiam me esclarecer uma dúvida?
Vi certa vez uma frase atribuída a Nietzsche que era "não há nenhum fato, há apenas interpretações". O que seria isso? Pois se for o que entendi, e o que ele defendia, não consigo levar muito a sério. |(
Na verdade há os fatos, porém, o que é apreendido deles é interpretação.

Offline Freya

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 283
  • Sexo: Feminino
Re:Nietzsche
« Resposta #99 Online: 17 de Novembro de 2016, 14:16:56 »
Li 3 livros e ainda não entendi quase nada... onde ele queria chegar com esse papo de atropelar a moralidade?

Não tente entender, Nietzsche era um irracional. Basta observar quem é a galera que ele influenciou no campo filosófico. rs
Acho que sua única contribuição positiva foram as críticas à religião, mais nada.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!