Mensagens Recentes

Páginas: [1] 2 3 4 5 ... 10
1
A "solução" não será dada com a extinção do estado ou abolição da iniciativa privada/capital/mercado. Ambos são fantasias utópicas, e não inerentemente livres de problemas análogos (seja em mera possibilidade teórica/fantasíaca, ou eventuais aproximações práticas), ainda que aqueles que gostem de fantasiar essas utopias imaginem de outra forma.

O problema fundamental é o ser humano, comum a ambos os sistemas.
2
Laicismo, Política e Economia / Re:Esquerda Caviar
« Última Mensagem: por Peter Joseph Online Hoje às 16:35:50 »
Não diz que a situação piorou nos anos 80?

E eu mostrei que sempre houve racionamento.

Sempre.

Arcanjo, o negócio é que chegou um ponto em que nem o racionamento dava mais conta de mascarar a situação. Acho que é disso que os nossos colegas estão tentando te informar. :ok:

Exatamente.

Já existia racionamento muito tempo antes do colapso.

É extamente o que digo, só que no fim dos anos 80 nem dava para esconder.

Foda é  explicar para os caras que se a situação fosse boa como dizem nunca teria acontecido qualquer racionamento.

No capitalismo também acontece racionamento. Acho que você viveu nos anos 80 no Brasil capitalista, todo mundo tinha carro e TV. Ah esqueci, capitalismo é só o escocês e o de uma duzia de países desenvolvidos  :biglol:

Eu não posso comprar um Porche mas isso não é racionamento já que a empresa produz o suficiente para atender a demanda dos consumidores.

Racionamento é  alguém impedir que eu compre mesmo que possa porque afinal a única fornecedora estatal não dá conta de produzir Porches para todos os habitantes do país.

Entendeu a diferença entre racionamento e poder aquisitivo?

Faz parte do mundo desde que alguém arrumou uma caverna melhor que a do vizinho.

Aqui eu usei a palavra errada, não é racionamento, quis dizer ESCASSEZ. Isto que ocorre em países capitalistas se chama ESCASSEZ ARTIFICIAL, pois não se trata de escassez de produção, mas escassez de renda/dinheiro. Grande problema do capitalismo, onde se pode produzir muito mais do que o necessário, porém muitos não tem acesso por falta de recursos financeiros. Agora os liberais falam que é por causa da moral individual (livre arbítrio - conto de fadas) e do socialismo que corrompe o sistema, porém quando se trata do "Comunismo" o problema era sempre o sistema, mas no caso do Capitalismo, o problema é tudo, menos a p.... do sistema "escocês" deles.... liberais são uma piada pronta em muitos casos  :biglol:
3
Bastava os santinhos da JBS ou da Odebrecht não irem lá corromper o aparato estatal. Estou errado?

Sei, pra você a questão é moral. São só pessoas feiozas, empresários malvados, ruins de nascença.  :histeria: Se não fossem eles seriam outros, acorda amigo. Assim funciona o capitalismo, sempre foi assim e sempre será.

Corromper o aparato estatal? Tem um mal entendido aqui, colega.

Foi um partido político que liberou verbas de um banco estatal para uma empresa corrupta em troca de dinheiro sujo para bancar campanhas políticas.

Sem banco estatal e sem Petrobrás, sem dinheiro.

Ou será que a Odebrecht conseguiria fazer um banco privado pagar dez vezes mais por uma refinaria sucateada? Dez vezes mais por um estadio de futebol?

Será que a Odebrecht conseguiria fazer a Volkswagem pagar dez vezes mais por uma planta industrial?

Interessante que a carteira de clientes dessa empresa praticamente é composta apenas de estatais.

E quanto tempo levaria para pressionarem o governo ou elegerem os que criem tais sistema estatais que lhes beneficiem diretamente? Amigo, muitos grandes nomes das finanças privadas e da industria privada são também políticos, fora os lobbystas das empresas. Ele fazem surgir o aparato necessário se ele não existir. É só questão de tempo, principalmente em economias dominadas como a nossa e com uma elite subserviente (vira lata). Novamente, acorde.

Lembrando que quem financiou os PT foram justamente a Odebrecht e a JBS, entre outras. Ou seja, eles elegem quem for necessário. Isto é capitalismo em ação.
4
Laicismo, Política e Economia / Re:Esquerda Caviar
« Última Mensagem: por Peter Joseph Online Hoje às 16:22:15 »
Até a década de 70, a URSS estava uma pouco acima da média da maioria dos países de terceiro mundo do ocidente capitalista. Mas por que não investiram no uso de TI para aprimorar seu sistema econômico (por questões políticas). Se tivessem feito isto desde o final da década de 60 (quando surgiram os primeiros transistores), certamente teriam chegado aos anos 90 com desempenho superior ou no mínimo igual aos dos países desenvolvidos do capitalismo ocidental. Leiam a respeito antes de escreverem sobre o que não sabem, baseados em senso comum e propaganda ideológica mesquinha. Parem de passar vergonha. Abraço  :ok:
5
Laicismo, Política e Economia / Re:Vídeos políticos
« Última Mensagem: por Buckaroo Banzai Online Hoje às 14:48:31 »
Eu não estou "impondo" qualquer moral; e é muito irônico terminar a mensagem com essa frase depois de ter começado tentando sugerir que aquilo que é apenas sua visão moral sobre o que é taxação aceitável como uma espécie de lei da física que evita o declive escorregadio da taxação absoluta, tentando apelativamente desqualificar qualquer divergência como "comunismo".
6
Laicismo, Política e Economia / Re:Vídeos políticos
« Última Mensagem: por pehojof Online Hoje às 14:05:50 »
Explique melhor antes de "dispensar". :ok:

Não faz sentido em tentar dar algum sentido a algo que, pelos seus axiomas, não pode ter sentido. Não tinha percebido ser uma pergunta ou afirmação retórica, não conseguir ver sentido em impostos sobre herança.

Não são meus axiomas. São as regras adotadas. E na verdade é mais que isso, é a razão para as regras adotadas. Se não são taxáveis apenas os valores transitando em atos transacionais de mercado, cai-se numa corrida tributária que tomará até o último centavo que qualquer um tiver a qualquer momento, uma vez que apenas possuir algo já é justificativa para taxação, donde não importará o valor que seja pois qualquer taxa de alíquota será continuamente aplicada até esgotar assintoticamente o valor inicial.

Mas se for adotada a retórica comunista do "rico pode dar o que tem", aí se limita isso apenas aos "ricos". Mas aí encontramos o paradoxo da limitação arbitrária, já que se é estabelecido um valor não total, se está reconhecendo o direito do herdeiro à propriedade, que continua "rico" mesmo com um percentual pequeno do que restar, permanecendo uma afronta à retórica da "igualização de oportunidades". :)





Citar
Citar
O JJ classificou como "espantalho" quando sugeri taxar mesadas,

Dependendo do volume, talvez se enquadre na taxação de presentes de alguns países.

E? :umm:

...é só "realidade".

Assim tipo... bandidos assaltando e matando pessoas por aí?... :? aaahhhh...gora..ainda não entendi seu "ponto" não! :)





Citar
Citar
Citar
Isso de forma alguma se as pessoas em maioria democrática concordarem com isso, dentro da "tecnicalidade da democracia", o que é bem esperável. E sem desproporções por riquezas diferenciadas, porque essa discriminação social contra ricos é exatamente a raiz conceitual do comunismo.

Eu não entendi o que quis dizer antes de afirmar que taxação progressiva é comunista. O que, bem, não é. E nem está nas bases disso a raiz conceitual do comunismo, originalmente de inspiração bíblica. Mesmo que uma aproximação de ideais igualitarianistas, é no lado técnico algo análogo à discriminação por preço do mercado, mas partindo do estado.

Mas entendeu agora? Ou... não ainda?

Não entendo o que está antes de "e sem desproporções".

Eu já tinha notado sua pequena dificuldade para entender democracia.






Citar
O que "bem, não é"?
Taxação progressiva não é e nem tem as mesmas raízes do comunismo.

Só vejo uma mera afirmação.





Citar
Qual a raiz conceitual do comunismo ("de inspiração original bíblica" que os cristãos conservadores do mundo combatem na pessoa do marxismo :o), então?

https://en.wikipedia.org/wiki/Christian_communism


Não esclarece minha questão.






Citar
Que "discriminação por preço de mercado" é essa,  que não parte do Estado mas "é tecnicamente equivalente"?

É a venda de produtos ou serviços minimamente diferenciados por preços substancialmente mais diferenciados de acordo com o que o negociante avalia ser a capacidade do cliente pagar. É economicamente visto como potencialmente proveitoso/ótimo para todos, já que maximiza o investimento possível no produto ou serviço.

https://en.wikipedia.org/wiki/Price_discrimination

Percebi que era do que falava, mas no contexto, por isso não violar a liberdade comercial, não é tecnicamente, nem de outra forma, equivalente a atuação estatal direta "no sentido".





Citar

Como da herança cumulativa ao longo das gerações vão se formando oligarquias, e isso em teoria é apenas algo desacelerado com base em impostos progressivos, ao mesmo tempo em que são praticamente por definição a retirada de impostos de onde menos faz falta, é bastante equivocada essa preocupação como prioridade em termos de injustiças sociais.

Vejo uma contradição em falar de "equívoco" nisso logo após "se justificar" pelo critério de "onde menos faz falta".

Vejo como auto-evidente que dinheiro faz objetivamente menos falta para quem mais tem.

Além de uma visão totalmente errada (as necessidades são diferenciadas), é uma que embasa exatamente as retóricas de "injustiça social".




Em economês amoral puro isso é utilidade marginal decrescente.

Em realês puro, isso é retórica tecnicalista para impor a própria moral sob vestes de falso cientificismo e tecnicalismo não demonstrados. :)
7
E ele diz que não é trolagem...
8
O JJ também nunca explicou porque ele não questiona que as Montanhas Rochosas foram criados por mecanismos evolutivos que geólogos nunca observaram diretamente em laboratório. Sabe o que ele vai fazer? Vai ignorar esse paradoxo, e vai deixar a discussão morrer, para meses depois voltar com a mesmas ladainhas de sempre sobre a teoria da evolução.
9
Laicismo, Política e Economia / Re:Vídeos políticos
« Última Mensagem: por Buckaroo Banzai Online Hoje às 13:37:54 »
Explique melhor antes de "dispensar". :ok:

Não faz sentido em tentar dar algum sentido a algo que, pelos seus axiomas, não pode ter sentido. Não tinha percebido ser uma pergunta ou afirmação retórica, não conseguir ver sentido em impostos sobre herança.





Citar
Citar
O JJ classificou como "espantalho" quando sugeri taxar mesadas,

Dependendo do volume, talvez se enquadre na taxação de presentes de alguns países.

E? :umm:

...é só "realidade".





Citar
Citar
Citar
Isso de forma alguma se as pessoas em maioria democrática concordarem com isso, dentro da "tecnicalidade da democracia", o que é bem esperável. E sem desproporções por riquezas diferenciadas, porque essa discriminação social contra ricos é exatamente a raiz conceitual do comunismo.

Eu não entendi o que quis dizer antes de afirmar que taxação progressiva é comunista. O que, bem, não é. E nem está nas bases disso a raiz conceitual do comunismo, originalmente de inspiração bíblica. Mesmo que uma aproximação de ideais igualitarianistas, é no lado técnico algo análogo à discriminação por preço do mercado, mas partindo do estado.

Mas entendeu agora? Ou... não ainda?

Não entendo o que está antes de "e sem desproporções".


Citar
O que "bem, não é"?
Taxação progressiva não é e nem tem as mesmas raízes do comunismo.


Citar
Qual a raiz conceitual do comunismo ("de inspiração original bíblica" que os cristãos conservadores do mundo combatem na pessoa do marxismo :o), então?

https://en.wikipedia.org/wiki/Christian_communism



Citar
Que "discriminação por preço de mercado" é essa,  que não parte do Estado mas "é tecnicamente equivalente"?

É a venda de produtos ou serviços minimamente diferenciados por preços substancialmente mais diferenciados de acordo com o que o negociante avalia ser a capacidade do cliente pagar. É economicamente visto como potencialmente proveitoso/ótimo para todos, já que maximiza o investimento possível no produto ou serviço.

https://en.wikipedia.org/wiki/Price_discrimination




Citar

Como da herança cumulativa ao longo das gerações vão se formando oligarquias, e isso em teoria é apenas algo desacelerado com base em impostos progressivos, ao mesmo tempo em que são praticamente por definição a retirada de impostos de onde menos faz falta, é bastante equivocada essa preocupação como prioridade em termos de injustiças sociais.

Vejo uma contradição em falar de "equívoco" nisso logo após "se justificar" pelo critério de "onde menos faz falta".

Vejo como auto-evidente que dinheiro faz objetivamente menos falta para quem mais tem. Em economês amoral puro isso é utilidade marginal decrescente.
10
Uma conclusão independente de diversos autores foi a seguinte. Em disciplinas conhecidas como hard-science, o poder preditivo é alto e há especialistas verdadeiros, tais como físicos e astrônomos. Já em diversos domínios complexos, o "especialista" típico é a coisa mais próxima que há de uma fraude; em certos casos, com um desempenho nada superior ao de um computador que usa uma única métrica.


Temos que:

(1) Teoria da Evolução não é uma teoria  de  uma  hard-science   (de forma semelhante a que história e teorias e  interpretações históricas também não são hard-science);

(2) Tanto para  Teoria  Evolutiva como para  história e teorias e  interpretações históricas não há o poder preditivo  alto;

(3) Teoria da evolução é um tipo de domínio complexo, e  deste modo temos que o "especialista" típico é a coisa mais próxima que há de uma fraude;




Isso é falso. Tem um artigo do Douglas Theobald no Talk Origins Archive que demonstra que a acurácia preditiva-quantitativa da árvore filogenética padrão da teoria da descendência comum universal chega a ser maior do que a acurácia preditiva-quantitativa da constante G da teoria da gravitação universal.



Ok.  Então,  gostaria de ver indicações de  artigos científicos com previsões verificáveis, falsificáveis,  precisas,  com bastante acurácia para a evolução, incluindo detalhadamente e precisamente quais mutações irão surgir, de  umas 10 ou mais espécies de mamíferos, para os próximos 500 anos,  ano a ano,  lembrando que a física, que é uma verdadeira hard-science consegue fazer previsões verdadeiramente  verificáveis, falsificáveis,  precisas,  com bastante acurácia. 




Existem dúvidas quanto ao alcance explicativo da seleção natural - mas quatro dos cinco pilares do paradigma darwinista  - evolução como tal, multiplicação de espécies, gradualismo, descendência comum universal -
são como as teorias da hard science. AS EVIDÊNCIAS EXISTEM. Quem quiser tapar os olhos e fechar os ovidos, fique à vontade. Faz um tempão que eu já indiquei o artigo "Evidências da Macroevolução: o caso científico para a descendência comum" do Douglas Theobald, onde estão lá quatro dos cinco pilares do Darwinismo com evidências que atendem o critério popperiano de demarcação e falsificação.

E, assim como um bom evolucionista, astrofísicos também tem dúvidas sobre o mecanismo que cria a gravidade e os detalhes da origem configuração fisica do Universo. O JJ já pôs em dúvida a Astrofísica como ciência por causa disso?
Páginas: [1] 2 3 4 5 ... 10
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!