Mensagens Recentes

Páginas: [1] 2 3 4 5 ... 10
1
Laicismo, Política e Economia / Re:A Maior Crise Econômica da Historia da Humanidade
« Última Mensagem: por pehojof Online Hoje às 00:55:51 »
Citar
Deixe eu ver se estou entendendo: você crê na possibilidade de um "mundo sem bandidos" e é (ou inclui) isso a sua "proposta não fantasiosa"?

Onde eu disse que existe perfeição? Só podemos evoluir muito o que existe hoje. Isto acho que ajuda, ou não? Perfeição existe só na bíblia dos conservadores liberais, quando forem por paraíso bíblico.  :biglol:

AH, que bom que o mundo continua então o mesmo de todos os séculos e milênios anteriores :!: :ok: :ok: :histeria:


O que o Peter certamente quis comunicar é que é possível  diminuir de forma significativa vários comportamentos considerados como desviantes ao se atuar  nas suas causas fundamentais.

Ótimo então! Vocês podem começar consertando esses tais que vocês parecem considerar os "sumos maus da humanidade - os liberais malvadões". :ok: Parece que "eles são todo o problema do mundo"...

O problema é o próprio sistema ineficiente em si, amigo. Não um defeito inerente a uma natureza humana fantasmagórica e não desvendável (alma).

Mas você não afirma que a ineficiência do sistema jaz na escassez de recursos, mais precisamente nos "efeitos" que ela causa nos privados de recursos :!: :?: Então, esses que você condena por estarem exatamente com todos os recursos não sofrem esses "efeitos". Por que eles não se "socializam"?! Por que os outros, desprovidos, não serão como eles quando estiverem providos?! :|
2
Laicismo, Política e Economia / Re:A Maior Crise Econômica da Historia da Humanidade
« Última Mensagem: por pehojof Online Hoje às 00:47:41 »
Tem alguém aqui que entenda de Ciência de Dados (IA + BIG DATA), minha área, para conversar comigo? Duvido... vamos ver.
Isso é absolutamente irrelevante aqui, mas se você quiser, podemos pelo menos discutir aqui sobre automação industrial, assunto esse bastante interessante para o teu tecno-comunismo e do qual você, provavelmente, não deve intender nada, já que crês, apesar de desconhecer toda a limitação mecânica que as máquinas têm, que o trabalho humano pode ser substituído por elas, o que não é verdade (O uso de máquinas e robôs se dá, hoje, em uma quantidade limitadíssima de tarefas: aquelas que são ou repetitivas ou que podem ter sua rotina programada de antemão).

Perfeita e precisamente! É como se "discutir a construção de um moto-contínuo em detalhes técnicos de mecânica" fosse o que importasse à revelia da termodinâmica ou como crer que falar sobre detalhes de geradores é tudo o que importa antes de se saber se o recurso hídrico para a hidrelétrica atende aos requisitos. Uma proposta audaciosa do maior megaprojeto da humanidade, ou seja, ela própria num "novo mundo", como essa do Peter não passaria em testes de risco de investimento. Não sem antes uma avaliação geral das chances de sucesso.

Mas sabemos que o que assistimos aqui é um tipo de empolgação muito comum numa fase da vida... :)

O resto também nota 10! Parabéns, Euler1707! :ok:
3
Laicismo, Política e Economia / Re:A Maior Crise Econômica da Historia da Humanidade
« Última Mensagem: por pehojof Online Hoje às 00:34:54 »
Acho que a solução é o comunismo CRISTÃO.

Porque tem o NÃO ROUBARÁS, e todos os valores cristãos que tornam a pessoa boa.

E depois tem todo o compartilhamento de tudo de acordo com as necessidades, o que reduz ainda mais a tentação. Resolvido.

Pronto. Oremos, irmãos.

As leis devem ser um sincretismo dos 10 Mandamentos com a Lei Soviética.

Claro que não. Devem estar de acordo com a ciência e a democracia direta. Isto tem que ser moldado culturalmente. Os Soviéticos deixaram de lado muitas coisas, como já disse, por isto também definharam como o capitalismo está definhando.

Está?! :susto:






Tem alguém aqui que entenda de Ciência de Dados (IA + BIG DATA), minha área, para conversar comigo? Duvido... vamos ver.

Pelo que noto, você não ficará satisfeito com o que se tem por aqui... Mas já que "é sua área" e você "sabe tanto dela", poderia tentar ensinar mais, a partir dos fundamentos que conduzam ao tal "isto". :ok:








Não faz sentido falar no que "temos" que fazer; não temos livre-arbítrio, portanto, apenas "temos" que fazer o que inevitavelmente faremos, seja lá o que for. Mesmo que seja maior consolidação do neoliberalismo, ou legislações ainda mais falhas. Será isso o que temos que fazer, se assim for. O futuro não pode ser mudado, já é determinado, desde o big-bang.

Pois é, se assim formos e não tivermos a sorte de nem ter a capacidade por algum motivo de mudar racionalmente o sistema socieconômico (pelo menos), se não pudermos interferir nem nisto (sistema econômico), como é bem possível, concordo com você, só nos resta aceitar então e definhar até a degradação ambiental e morte maciça num futuro não muito longe (aquecimento global, guerra nuclear ou outra coisa que é bem provável ao meu ver se continuarmos neste mesmo caminho atual de tendencias)  :wink:
E só me resta fazer o que estou direcionado a fazer: querer mudar, sendo possível ou não  :biglol:

E aparentemente há um paradoxo no que acabo de  testemunhar!: Pode ser que nem tudo esteja perdido! :) :ok:







Citar
Deixe eu ver se estou entendendo: você crê na possibilidade de um "mundo sem bandidos" e é (ou inclui) isso a sua "proposta não fantasiosa"?

Onde eu disse que existe perfeição? Só podemos evoluir muito o que existe hoje. Isto acho que ajuda, ou não? Perfeição existe só na bíblia dos conservadores liberais, quando forem por paraíso bíblico.  :biglol:

AH, que bom que o mundo continua então o mesmo de todos os séculos e milênios anteriores :!: :ok: :ok: :histeria:

Carl Sagan nos avisou dos dias atuais, onde um vasto poder estaria nas mão de líderes patéticos que nada entendem de ciência e a negam ainda por cima. E você simplesmente é o liberaleco que ajuda a apoiar ideologicamente eles a destruir o mundo. Boa sorte na sua missão patética.

O profeta Carl Sagan...? Mas eu posso fazer melhor! Posso prever que o passado também será todo assim desse jeitinho aí descrito assim como todos os futuros e todos os presentes! E acertei! Sou mais que o Carl! 8-) :lol:







[...]
As pessoas são fruto da realidade material natural, temos que entender as leis naturais e aplicar a nosso favor... assim que funciona, e não tentar aboli-las no papel com palavrinhas bonitas e ideologias baseadas em tradição e senso comum como livre arbitrio ou meritocracia.

Na natureza há competição e predação.

Posso atribuir o supra descrito como 'lei natural' ou a falácia do naturalismo só pode ser usada por você?

Não devemos seguir a natureza. Devemos estuda-la bem de perto para podermos nos adaptar a ela da melhor forma possível e mais eficiente. Somos apenas um subsistema dela.

Isso não implica nas "leis artificiais humanas" que você já condenou?! :o :?

Isso não é o que já se faz?! :umm:

Mas a "proposta" não é sermos TODO o sistema (ou como seremos "os senhores dele" sem nem nos "artificializarmos"?)?! :hein:
4
Laicismo, Política e Economia / Re:A Maior Crise Econômica da Historia da Humanidade
« Última Mensagem: por pehojof Online Hoje às 00:13:41 »
Eu particularmente acho hilário o pessoal que fala de TI como se fosse uma panaceia. Dá pra ver de longe que não fazem ideia do que estão falando, não sabem quais são as limitações da área e nem quais as possibilidades reais que a tecnologia pode oferecer.

É mais ou menos igual o pessoal que adora dar pitaco na área médica. Todo mundo tem aquela receita infalível pra gripe ou para aquela dor nas costas. :biglol:

Eu sou da área, pode me perguntar amigo. Qual a questão técnica que torna isto inviável ao seu ver.

O problema é que o "isto" não está bem definido. Como pode haver um diretriz de "projeto" se não se sabe bem o que projetar? É que o seu suposto "isto" até agora tem todas as caracterizações de uma localidade mítica chamada paraíso, e fica difícil imaginar como projetar um sistema mítico para um mundo real. Creio que é você quem ainda tem demonstrações deliberadas a fazer :ok:
5
Não sei se entendi. Tinha entendido a coisa toda como um apelo a autoridade "razoável", inferir pelo andar da carruagem dum tema científico (ou não) quais são mais provavelmente as autoridades mais confiáveis, versus eventuais falastrões ou termo mais generoso para quem estiver falando alguma besteira. E não de fato ter a noção de que o apelo a autoridade em si é uma coisa epistemologicamente válida... ou algo assim... :hein:

Inferir quais são mais provavelmente as autoridades mais confiáveis não deixa de ser uma postura epistemológica. A epistemologia é o estudo do nosso direito às crenças que temos. E aí que está o problema: por que temos o direito à crença de que as autoridades são mais provavelmente confiáveis só por estarem localizadas próximas do consenso acadêmico? Ciência e academia são coisas distintas.
6
Laicismo, Política e Economia / Re:A Maior Crise Econômica da Historia da Humanidade
« Última Mensagem: por Euler1707 Online Ontem às 23:53:16 »
Em última instância, as pessoas são computadores e tudo que fazemos, os computadores poderão fazer, mais eficientemente
Em "ultima instância", somos mamíferos, mas não é por isso que somos iguais ao restante dos mamíferos. Isso não significa nada, nossa estrutura cerebral, com bilhões de neurônios, é fundamentalmente diferente de uma CPU de um computador, e embora seja possível simular os processos computacionais de qualquer computador, ainda não conhecemos direito o funcionamento do nosso cérebro, e sendo as IA algoritmos heurísticos, não podemos classificá-las como aquilo além de uma aproximação (imitação) para o intelecto humano, portanto, computadores não podem mimetizar o cérebro humano (pelo menos, ainda não). Dizer que tudo o que fazemos, computadores poderão fazer melhor, não passa de um exercício de futurologia seu, e não dá para refutar isso sem "cometer" outro exercício de futurologia, mas vale lembrar que todo computador tem seu funcionamento delimitado por um programa que define suas funções de maneira ordenada como uma máquina de Turing, o cérebro não possui esse tipo de delimitação:

Citar
But looking at the workings of the brain in more detail reveal some more fundamental flaws with computational theory. For one thing, the brain itself isn't structured like a Turing machine. It's a parallel processing network of neural nodes - but not just any network.  It's a plastic neural network that can in some ways be actively changed through influences by will or environment. For example, so long as some crucial portions of the brain aren't injured, it's possible for the brain to compensate for injury by actively rewriting its own network.  Or, as you might notice in your own life, its possible to improve your own cognition just by getting enough sleep and exercise.

fonte



7
Não sei se entendi. Tinha entendido a coisa toda como um apelo a autoridade "razoável", inferir pelo andar da carruagem dum tema científico (ou não) quais são mais provavelmente as autoridades mais confiáveis, versus eventuais falastrões ou termo mais generoso para quem estiver falando alguma besteira. E não de fato ter a noção de que o apelo a autoridade em si é uma coisa epistemologicamente válida... ou algo assim... :hein:
8
Bem, a ciência "funciona" estabelecendo consensos, que resistem aos testes ao longo do tempo (ou são assim em algo lapidados).

Em qualquer dado momento pode ser que esteja se refutando o que era antes estabelecido, mas as chances devem tender a ser de que não, se ciência presta para alguma coisa, não sendo equivalente a qualquer chute aleatório.

No contexto da discussão deste tópico, dizer que a ciência funciona resistindo a testes ao longo do tempo é o mesmo que argumentar que sabemos quem são os especialistas examinando diretamente as evidências. Apelar a essa epistemologia da ciência não faz sentido para quem apela à autoridade, pois a primeira pressupõe o objetivismo: uma crença pode ser científica embora ninguém acredite nela e uma crença pode ser não-científica apesar de todos acreditarem nela. Segundo essa visão, o conhecimento estaria sujeito a regras estritas, mas não à autoridade institucional.
9
Bem, a ciência "funciona" estabelecendo consensos, que resistem aos testes ao longo do tempo (ou são assim em algo lapidados).

Em qualquer dado momento pode ser que esteja se refutando o que era antes estabelecido, mas as chances devem tender a ser de que não, se ciência presta para alguma coisa, não sendo equivalente a qualquer chute aleatório.
10
De acordo com uma análise estatística feita por um grupo de pesquisadores liderados por Matthew Jackson, parece que o comércio internacional ajuda a prevenir conflitos armados entre países.

A visão que predomina é que o comércio internacional representa uma fonte segura de lucros financeiros e a guerra algo muito arriscado que certamente traria muito custos.   

O estudo destaca que não se trata somente das relações comerciais entre dois países (afinal países que lutaram entre si
nas duas guerras mundiais tinham algum tipo de comércio), mas o fato que agora os países costumam ter muito mais parceiros
comerciais do que antes
.

Eis alguns trechos do artigo (como ele é protegido contra copia, reescrevi aqueles mais relevantes):
- A incidência de conflitos entre 1820 e 1949 foi dez vezes maior do que entre 1950 e 2000. (Essa comparação, mesmo relevante, deve ser vista com cautela pois o primeiro período é maior que o segundo)
- Em 1850, os países tinham em média cinco parceiros comerciais relevantes. Hoje, são mais de 30. Além disso, existiam antes poucas alianças comerciais, bilaterais ou multilaterais. Hoje, são dezenas destas e centenas daquelas.

Quase todos os conflitos atuais são obviamente localizados em regiões com ausência de alianças multilaterais.

https://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2015/12/1719596-cientistas-apontam-correlacao-entre-mais-comercio-e-menos-guerras.shtml

Páginas: [1] 2 3 4 5 ... 10
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!