Mensagens Recentes

Páginas: [1] 2 3 4 5 ... 10
1
Religiões, Crenças e Mitos / Re:CABALA (judaica, cristã, hermética...)
« Última Mensagem: por André Luiz Online Hoje às 13:32:34 »
Uma vez falaram pra mim que cabala é uma linguagem pra trocar ideia diretamente com Deus ou entender a mente dele

Tipo uma linguagem de programação ultra foda que só meia duzia de nerds conhecem  :?
2
Laicismo, Política e Economia / Re:Ideologia de Gênero
« Última Mensagem: por Brienne of Tarth Online Hoje às 12:26:11 »
A Internet está uma terra sem lei total, os discursos de ódio estão se multiplicando, como diria Álvares de Azevedo, como "vermes no esterco"; é impressionante a quantidade de pessoas que caem nessas "ratoeiras virtuais" e saem misturando homoafetividade com pedofilia, Bolsonaro com Hitler e demais associações absurdas, mas que levam multidões a aderir a "causas", como se disso dependessem suas vidas ou a civilização judaico-cristã-ocidental... 

Eu tenho o "péssimo" hábito de ler muito sobre determinado assunto antes de emitir uma opinião, e às vezes bnem opinião eu dou, pois na maioria das vezes as "causas" são tão polarizadas que ou você é contra ou a favor, não existe nem meio-termo e nem acordo possível, ou eu sou fascista ou esquerdopata... :umm:
3
Religiões, Crenças e Mitos / Re:CABALA (judaica, cristã, hermética...)
« Última Mensagem: por Gigaview Online Hoje às 11:32:00 »
Cabala é para rabinos.
4
Ceticismo / Re:Ateus estão CONDENADOS
« Última Mensagem: por Gigaview Online Hoje às 11:08:21 »
Uma descrição objetiva de um fenômeno subjetivo.
Você descreveu fatores objetivos da experiência (pensamentos e imagens). Quais vão ser esses pensamentos e quais vão ser essas imagens? Aí sim é subjetivo. Vai depender do background, da psiquê, das memórias etc. Não acredito que em todos estes séculos de ceticismo você não tenha parado para estudar ou experimentar os sonhos lúcidos. São uma forma de refutar o espiritismo dentro de sua própria premissa, que é - o sonho como experiência no mundo espiritual.

O malabarismo semântico continua...lamentável.

Vou repetir pela 3a. vez que sonhos lúcidos não refutam coisa alguma, isso é bobagem. Quem sonha, mesmo lucidamente, está exposto ao risco do autoengano porque é o agente e o controle da sua própria experiência. Portanto, o sonho não vale para si mesmo como evidência e nem para os outros porque, mesmo supostamente verdadeira, é uma experiência pessoal que não pode ser plenamente comunicada e compartilhada.

Sonhos lúcidos são exercícios pessoais de imaginação que também se submetem a sistemas de crenças e de valores. Da mesma forma que você se autoengana a ponto de considerá-los para refutar o espiritismo, os espíritas também se autoenganam a ponto de considerá-los evidências do mundo espiritual. Por que a sua palavra vale mais do que a palavra dos espíritas?

Se mesmo assim você continua insistindo nessa bobagem, peço que apresente a prova convincente que refuta o espiritismo, mas sem pedir para que acreditemos na sua palavra.
5
Laicismo, Política e Economia / Re:Bolsonaro
« Última Mensagem: por 3libras Online Hoje às 10:41:33 »
O presidente é como se fosse o CEO do estado. 

Em grandes empresas alguns CEOs não entendem muito de economia, mas é algo que certamente conta contra eles.

Independente da formação um presidente tem que ter uma visão clara de todas as áreas de atuação do estado.
6
Ceticismo / Re:Ateus estão CONDENADOS
« Última Mensagem: por Gigaview Online Hoje às 10:39:42 »
"Aquele que me a transmitiu não é um ser inspirado interiormente, nem um magnetizador privilegiado, nem um ser versado nas iniciações antigas, que conhece muito menos que nós. É um ser que goza de todos os sentidos ao escrever, que escreve quando lhe fazem pegar na pena (caneta), sem saber nada do que escreverá, nem a quem escreverá. Uma potência invisível, que não se manifesta a ele senão por diversas partes de seu corpo, toma a mão (psicografia) como se toma a mão de uma criança de três anos, para lhe fazer escrever o que se deseja. Ele não pode conduzir a ação, mas pode resisti-la por ato de sua vontade, que então para de escrever; ele lê então o que sua mão escreveu e é o primeiro admirador do que vê, muitas vezes nada compreende de que escreveu, foi prevenido, desde o tempo que esse dom extraordinário começou a se manifestar nele, que escreveria coisas que não deveria compreender porque não foram escritas para si, mas para aqueles a quem elas se destinavam."
JEAN-BAPTISTE DE WILLERMOZ

Cogitei a possibilidade de estar sendo trollado, mas refleti melhor e lembrei que poucas pessoas estão dispostas a perder muito tempo fuçando coisas como o background do espiritualismo francês. Pessoalmente, me importei muito com isso enquanto era espírita porque sempre me incomodou muito que as pessoas não saibam a origem nem o desenvolvimento daquilo que elas próprias decidem seguir e defender.

Desabafo que não me empolga muito discorrer sobre este tema, primeiro porque já não partilho destas crenças, segundo porque não pensei que este episódio fosse chamar tanta atenção (tem algo mais previsível do que a conexão martinismo-espiritismo de Kardec, que nasceu e cresceu em Lyon, onde havia uma euforia de mesmerismo e sonambulismo magnético, e que por sua vez sempre foi o centro de todo o martinismo e espiritualismo francês, onde nasceu e morreu JEAN-BAPTISTE WILLERMOZ, que foi o sucessor direto de MARTINEZ DE PASQUALLY e responsável por fundar o RITO ESCOCÊS RETIFICADO que é o suprassumo da maçonaria mística?) e terceiro porque só abordei esse fato para demonstrar que o espiritismo, desde seu fundamento, nasceu de bases desprovidas de consistência objetiva e racional, ou seja, se o espiritismo nasceu das visões, descrições e experiências oníricas dos transes e sonhos de seus médiuns, e, ao mesmo tempo, estes mesmos estados de consciência são completamente subjetivos e distorcíveis, então o espiritismo inteiro foi construído sobre areia e palha. Mas enfim, como insistiram no ponto do desenvolvimento do espiritualismo francês, vou fazer este único post a respeito, no qual citarei muitos NOMES, LIVROS e deixarei LINKS, de forma que qualquer um que tenha REAL INTERESSE possa sair pesquisando e se aprofundando, apesar de que já aviso de antemão que não há nada muito misterioso ou empolgante com estas conexões. São simplesmente ligações históricas, geográficas e institucionais um tanto quanto previsíveis.

O termo "espiritismo" não se resume à Kardec e sua codificação, mas abrange também a "corrente de pensamento espírita" e seu desenvolvimento, seus influenciadores e seus sucessores (tanto teóricos quanto líderes). Por isso, é essencial compreender quais foram os predecessores do pensamento espírita, como o ESPIRITUALISMO, SWEDENBORG e MESMER, bem como críticos e sucessores como PAPUS, DENIS e FLAMMARION. Dos últimos nomes por mim citados, todos foram maçons e martinistas, com exceção de Swedenborg, que nasceu antes de Saint-Martin, e que desenvolveu o RITO DE SWEDENBORG, no qual MARTINEZ DE PASQUALLY (iniciador de Saint-Martin) foi iniciado, e, portanto, também está completamente conectado, ainda que indiretamente, ao martinismo e ao espiritismo.

Citei Papus e Denis porque, apesar de terem vindo depois, são peças importantes para compreender este quebra-cabeça que foi o surgimento do espiritismo. Aqui no Brasil foi lançado um livro que tem tudo para explicar o tema - o "Léon Denis e a Maçonaria". Com Léon, a associação entre as tradições é mais evidente e explícita, já que ele era abertamente espírita, maçom e martinista, diferente de Kardec, que manteve suas fontes mais reservadas:

"A organização Martinista em grupos proporcionou-lhe grande dinamismo; ela foi efetuada por um modesto ocultista, fiel à conservação da tradição iniciática do Espiritualismo[...] São essas as características do Incógnito a quem foi confiado o depósito sagrado: Henri Delaage, que preferiu ficar fiel à sua iniciação do que fundar uma nova seita não tradicional como fez Rivail."
Palavras de Papus em seu livro MARTINEZISMO, WILLERMOSISMO, MARTINISMO E FRANCO-MAÇONARIA
(Kardec é o nome iniciático de Rivail)

A maçonaria, desde antes da Revolução Francesa, abrigava em seu seio duas facções. Os maçons liberais-burgueses, que estiveram diretamente ligados aos jacobinos e à revolução, e os maçons místicos-espiritualistas, que estiveram ligados aos girondinos e à Restauração, como JOSEPH DE MAISTRE.

Todo o Espiritualismo se desenvolveu no seio da maçonaria. SWEDENBORG (ler SWEDENBORG - CÉU E INFERNO) foi maçom, e suas visões e experiências se tornaram, para muitos maçons místicos, descrições e revelações precisas da realidade espiritual. Um homem chamado MARTINEZ DE PASQUALLY (ler PASQUALLY - TRATADO DE REINTEGRAÇÃO DOS SERES), iniciado no RITO DE SWEDENBORG, sistematizou teorias, práticas e rituais por meio dos quais o homem poderia se colocar em comunicação com supostas POTÊNCIAS ANGÉLICAS e ESPÍRITOS DE OUTROS PLANETAS. Um homem chamado LOUIS CLAUDE DE SAINT-MARTIN, iniciado no RITO DE MARTINEZ, despiu-o das parafernálias ritualísticas (objetos, sigilos, pentagramas, gestos, etc) e teorizou que o homem só precisa do silêncio, da meditação e da oração para se colocar em contato com os ANJOS e o MUNDO INVISÍVEL (ler SAINT-MARTIN - O NOVO HOMEM). SIMULTANEAMENTE, o maçom FRANZ ANTON MESMER estava lançando as sementes do que viria a ser a HIPNOSE, mas para ele se tratava da interação com fluidos etéricos universais (ler MESMER - A CIÊNCIA NEGADA). Todo esse caldeirão místico foi o ESPIRITUALISMO FRANCÊS daquela época, sendo LYON o grande centro disso tudo.

Da mistureba das ideias de MESMER sobre o magnetismo com as ideias de SAINT-MARTIN sobre as hierarquias invisíveis com as quais podemos nos comunicar, tornaram-se muito comuns toda sorte de experimentos de natureza mediúnica e mesmerista dentro destes círculos e sociedades. Especialmente inspirador era o fato do livro DOS ERROS E A VERDADE ter sido psicografado por SAINT-MARTIN, ditado por uma entidade que eles se referiam como LA CHOSE, que eles acreditavam estar trazendo as orientações diretas dos mundos invisíveis.

A relação entre estas sociedades e o desenvolvimento do espiritualismo francês era tão grande que quando o célebre ocultista Papus convocou uma reunião com os líderes e sociedades em Paris, esta foi chamada CONFERÊNCIA MAÇÔNICA E ESPIRITUALISTA INTERNACIONAL. Houve também o CONGRESSO ESPIRITUALISTA INTERNACIONAL, no qual um dos presidentes foi Léon Denis. Neste congresso estavam reunidos os maçons, martinistas, rosacruzes, mesmeristas, swedenborgistas, etc, da época. Neste congresso, eles decidiram lançar um livro que sintetizasse e conciliasse as doutrinas ali representadas, e assim foi escrita uma das maiores obras do espiritualismo e do espiritismo, o livro DEPOIS DA MORTE de LÉON DENIS, especialmente interessante por suas constantes referências ao gnosticismo, hermetismo, pitagorismo, platonismo, bramanismo, helenismo, etc, o que deixava clara a profunda conexão entre o espiritismo da época e as tradições iniciáticas. Aliás, até mesmo os livros de Kardec são repletos de terminologia maçônica, e o início do EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO tem um trecho sobre Platão e Sócrates que deixa bem claro que, para Kardec, ele estava trazendo a público uma doutrina que pertencia a um saber muito antigo e seleto, a mesma postura mantida pelas sociedades maçônicas e rosacrucianas.

Eu não aguento mais ficar lendo, escrevendo, ou falando deste assunto, tendo em vista alguns anos de minha vida que já dediquei e, por isso, peço para não me pedirem mais detalhes. Já resumi tudo aí em cima e vou estar deixando aí embaixo um monte de links para quem quiser se aprofundar.

https://books.google.com.br/books?id=8U6EOBjlCXMC
http://principo.org/gaston-luce-lon-denis-o-apstolo-do-espiritismo-sua-vida-sua-ob.html?page=10
https://books.google.com.br/books?id=bB8Q8oDE534C
http://www.cetj.org.br/leon-denis/
https://books.google.com.br/books?id=8U6EOBjlCXMC
https://archive.org/details/60220500R.nlm.nih.gov
https://books.google.com.br/books?id=xnrT97nXzgQC
https://drive.google.com/file/d/0ByTKqrIFG9TeY0twQ1VYRWc4M1k/view
https://books.google.com.br/books?id=B8aHAAgk1JkC
https://drive.google.com/file/d/0ByTKqrIFG9TeWllZSlA4WDhqNFE/view
https://books.google.com.br/books?id=orD2XGtdXO8C
https://books.google.com.br/books?id=o7AwDAAAQBAJ
https://books.google.com.br/books?id=Jrl9BgAAQBAJ
https://books.google.com.br/books?id=CsFbaq9ysOIC
https://drive.google.com/file/d/0ByTKqrIFG9TeVVZsUGlHQ2lqM0E/view

A seleção de livros é interessante. Obrigado.

Fiz uma busca por martinismo nos livros sobre Kardec e por Kardec nos livros sobre o martinismo e não achei resultado algum. Baseado no material que você forneceu, primeira conclusão é que, se verdadeira, a relação entre o martinismo e o espiritismo não é tão óbvia e explícita. A sua argumentação também faz uma salada que mistura "espiritualismo", "espíritos" e "espiritismo". É evidente que o trabalho de Kardec, além de tosco, não foi inédito e é possível verificar influências de algumas correntes espiritualistas populares na sua época mas daí dizer que o espiritismo surgiu da "empolgação de círculos martinistas com o sonambulismo"  parece um exagero.
7
Laicismo, Política e Economia / Re:MBL - Movimento Brasil Livre
« Última Mensagem: por 3libras Online Hoje às 10:31:46 »
Vi uma notícia na internet de que o Caetano Veloso está processando o pessoal do MBL por ser chamado de pedófilo.

Mas se a mulher dele diz que transaram quando ela tinha 13 anos e ele tinha 40, qual a possibilidade de ganhar o processo se a lei considera relações de menores de 14 anos como estupro mesmo com consentimento?

A entrevista que ela deu e foi documentada não vale como prova a favor do MBL?

Pedofilia não é crime. A conjunção carnal ou conduta semelhante diversa com menor de 14 anos é estupro de vulnerável, não pedofilia. Pedofilia é uma denominação pra alguma condição mental, coisa da psicologia/psiquiatria, não sei bem.

No caso do Caetano, a conduta criminosa dele já prescreveu. O povo do MBL, se o acusou de pedofilia, não comete crime de calúnia, mas sim de injúria e/ou difamação. Eles devem ter que pagar normalmente.



Não só isso, na época do caetano e da paula não existia ainda  o estupro presumido, se a menina tivesse menos de 14 o juiz avaliava a situação.
8
Ok, supondo que o mundo vire vegano, quem iria iria ser o predador natural das vacas e frangos depois que eles forem entregues a tutela da piedosa natureza/mãe terra /Gaia?

Teriam tempo para se readaptarem ou acabariam extintos?
Supondo-se que abolíssemos até mesmo leite e ovos, perderiam a utilidade e o espaço destinado a eles seria muito pequeno, já que a terra seria toda utilizada para reflorestamento ou plantações. Não sobrariam muitos.

Provavelmente tenderiam a viver em reservas e zoológicos, no final

O que seria irônico de certa forma.

9
Ceticismo / Re:Ateus estão CONDENADOS
« Última Mensagem: por dcmoreira1 Online Hoje às 09:17:55 »
“O fenômeno da mediunidade é real para aquele que o experimenta subjetivamente em primeira pessoa.”
Ou seja, não existe. Posso falar de tudo, mas nem tudo que falo é fato.
Foi exatamente isso que eu quis dizer. O médium espírita pode estar interpretando como comunicação o que um ateu-materialista interpretaria como sonho ou imaginação, apesar de ambos estarem passando em primeira pessoa pelo mesmo fenômeno objetivo.
“a interpretação só depende do sistema de crenças.”
Ciência não é crença.
Também foi exatamente isso que eu quis dizer. Ou seja, interpretações não podem ser tomadas como algo científico. Só os fenômenos objetivos podem ser analisados cientificamente.
“mas nem por isso é inexistente.”
Nope, se não pode ser provado não existe, igual a papai noel.
Você está equivocado. Gravidade não existia enquanto não podia ser provada? Evolução não existia enquanto não podia ser provada? Big Bang não existia enquanto não podia ser provado? Essas coisas sempre existiram antes do homem conhecê-las ou prová-las, e, da mesma forma, há muito ainda a ser descoberto e provado, muito mais do que supõe nossa vã filosofia. Já começou dizendo uma grande besteira com esse papo de "não pode ser provado = não existe"
“imaginação, por acaso, deixa de existir só por não ter forma-matéria-objetividade?”
Errado novamente, a imaginação é um conjunto de sinapses no cérebro.
Segue pesquisa da Brigham Young University Publicado no jornal Cognitive Neuroscience.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24967816
Equivocado novamente. Quando você lê poesia, há um conjunto de sinapses no cérebro. Então "ler poesia" se resume a um conjunto de sinapses no cérebro? Quando você come, há um conjunto de sinapses no cérebro. Então "comer" = conjunto de sinapses no cérebro? Quando você sonha, há um conjunto de sinapses no cérebro. Quando acorda, trabalha, vive, há um conjunto de sinapses no cérebro. Se for assim, sua experiência inteira da realidade é um conjunto de sinapses. Uma coisa são as sinapses em si, outra é a experiência subjetiva em primeira pessoa de um determinado fenômeno (cuja reação físico-química cerebral simultânea é uma sinapse). Você, por exemplo, neste momento, está lendo isso, está pensando, possui identidade de si, tem ideias e raciocínio. Toda essa atividade que eu descrevi são "sinapses" no seu cérebro, incluindo seu senso de identidade, memória e individualidade. E aí? vai jogar tudo isso fora também? Ou só o que convém ao seu sentimento antirreligioso?
“Há mais coisas entre e o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia.”
Prove?
Pela sua lógica, VOCÊ não passa de uma sinapse no cérebro. Pensando assim, como você espera que eu te prove algo?
Reflita um pouco e depois conversamos. A propósito, sabe o que é uma sinapse? Eletricidade. ENERGIA. Pense sobre isso também.

Sim, somos fruto do funcionamento do nosso corpo.
Eu vivo bem com isso, você tem problema?
10
Laicismo, Política e Economia / Re:Legislação trabalhista
« Última Mensagem: por Geotecton Online Hoje às 09:17:25 »
Tudo bem, evidência anedótica, mas trabalhando 10 anos no interior de Goiás eu vi coisas de arrepiar, até trabalhador amontoado alojado em curral abandonado tinha.

Eu também vi casos assim em diversos estados, incluindo na área de mineração.


Nestes casos esdrúxulos citados, a empresa não pode recorrer? Porque, por mais que a justiça do trabalho seja pró-trabalhador, me parecem casos tão obviamente exagerados que não quero crer que a empresa seja punida.

Sim, pode. E frequentemente recorre. Mas o problema é a perda de tempo e o custo financeiro.

Mas infelizmente não livra-a de passar por situações absurdas. Conheci um caso de uma cliente que se não tivesse presenciado, acharia que era um mito trágico, dado o absurdo.

Uma médica veterinária constituiu uma pessoa jurídica para trabalhar no seu ramo. Com menos de seis meses de atividade, ela contratou uma funcionária, muito simpática e solícita, que praticamente assumiu toda a área administrativa, incluindo a parte de recebimentos e pagamentos. E assim procedeu por mais de cinco anos. Pouco depois de completar o quinto ano, ela quis sair, alegando questões familiares. A rescisão foi feita e homologada no sindicato.

Menos de 2 meses depois da saída dela a minha cliente recebeu uma notificação, relativa a ação trabalhista daquela ex-funcionária, na qual ela alegava que ficou mais de 4 anos sem receber seus salários completos, somente alguns adiantamentos, mas que era obrigada a assinar os recibos de holerites enviados pela minha empresa, incluindo os de férias e do décimo terceiro. Além disto, ela alegou que fazia muitas horas extras, o que a prejudicou no ambiente familiar.

Quando a minha cliente fez o levantamento, constatou que após o sétimo mês de trabalho, não existiam mais os recibos de pagamento de salários. Somente recibos de adiantamentos, daquele modelo adquirido em papelarias, alguns acompanhados de comprovantes de transferências bancárias para a conta corrente dela.

Com habilidade e dentro de uma estratégia previamente definida, a funcionária certamente recebeu as 'diferenças' retirando dinheiro do caixa. E lançou esta diferença como 'retirada da sócia', em espécie. E a maioria das 'horas extras' eram feitas mas realizando trabalhos para as disciplinas da faculdade que cursava.

A empresa perdeu em primeira instância. E no começo deste ano, em segunda instância.

Não há a menor dúvida que a minha cliente foi administrativamente incompetente, gerencialmente desleixada e, até certo ponto, ingênua e certamente muito tola. A responsabilidade é totalmente dela.

Mas ela não tem culpa. Isto é do mau-caratismo da funcionária e também do Judiciário, que se apegou ao que diz a lei e ignorou por completo o contexto de uma situação para lá de absurda.


Não sei como funciona no caso de fiscalização do trabalho, mas no caso de fiscalização do ICMS, pelo menos aqui no ES, funciona assim: se a empresa é autuada, ela pode recorrer administrativamente. Existe uma comissão de 3 auditores, que não fizeram parte da autuação, que vão julgar se o auto de infração é procedente. E muitos autos (estimo uns 30 - 40%) já caem logo nessa primeira instância, porque a lei é bem subjetiva e muitas vezes o entendimento da comissão de julgamento é o mesmo da empresa e contrário ao do fiscal. Depois ainda existe um Conselho, formado por pessoas que não fazem parte diretamente da fiscalização (não são auditores). E por fim, o empresário ainda pode entrar na Justiça.

Até onde eu conheço, não existe nada parecido na área do trabalho.
Páginas: [1] 2 3 4 5 ... 10
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!