Forum Clube Cetico

Discussões => Ceticismo => Tópico iniciado por: Mauricio Rubio em 12 de Março de 2008, 11:32:58

Título: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 12 de Março de 2008, 11:32:58
Ultimamente ando pensando bastante, refletindo e pesquisando a cerca de qual é a verdadeira natureza do nosso Ser.

Muitos de nós temem a morte, achamos que a morte é o fim, e que com ela, a "nossa" consciência que é "gerada" pelo cerebro, simplesmente desaparece e isso é tudo.

Porém eu começo a compreender que nós vemos as coisas dessa maneira por estarmos vivendo em um nível muito superficial, mesmo entre nós aqui do forum, que são pessoas com um nivel de esclarecimento maior, que dirá a massa populacional.

Quando nos perguntamos, Quem sou eu?
Essa pergunta é respondida de muitas maneiras. Algumas pessoas acham que são o corpo, algumas pessoas acham que são a imagem que passam para os outros, alguns acham que são a personalidade, e alguns que conseguem enchergar mais profundamente veem que são o ego.

Sendo assim, e por não lembrarmos de eventos das nossas vidas passadas, vemos como um fato que a existência é essêncialmente materialista e que tudo o que eu sou é um resultado de interações com o mundo exterior. Portanto vemos a morte como o fim, já que ela dissolve todos os bens materiais conquistados, familia, amigos, emoções, sentimentos, personalidade. Tudo isso parece se dissolver no momento da morte junto com a nossa consciência.

Mas o que é realmente a consciência? A consciência não é o corpo, não são as emoções nem os sentimentos, e também não é a personalidade. Nós muitas vezes achamos que a consciência é uma dessas coisas porque estamos apegados a elas, e não conseguimos perceber a consciência pura, sem os ruidos dos outros elementos mentais e corporais.

Então eu penso que o que nós somos, realmente, e essêncialmente, é a consciência. Porém nossa sociedade nos faz adquirir certas caracteristicas desde que nascemos, nos impoe formas de agir, de ver o mundo, e a nossa consciência experimenta esse eventos e com isso a mente passa a funcionar. Gerando memórias, pensamentos, ansiedade, emoções e etc, tudo isso ruido que faz com que nós não vejamos o que realmente somos, e que nós pensemos que somos essa mascara que foi adquirida durante o tempo.

Pois bem, penso que a morte dissolve também todas essas experiencias externas que nós tivemos, e que o que sobra é a consciência, que não é nenhum desses ruidos. Se nós focamos toda a nossa vida nesses ruidos, buscando satisfazer os desejos, adquirindo bens, familia, amigos, ideias e teorias a respeito do mundo, tudo o que nós fizemos foi acumular mais e mais ruidos, e a morte vai dissolver todos eles, porque eles não são reais, eles são ilusórios.

Se nós não conseguimos perceber o ser interno mais profundo de nós mesmo, que é o que realmente somos. Nossa vida parece ser em vão, já que tudo o que lutamos para consquistar, vai ser tirado de nós com a nossa morte e porque perdemos a oportunidade de desenvolver aquilo que é real e que não é destruido com a morte corporal.

A cada dia que passa eu vejo como o mundo e a mente limitam nosso ser, esse Mauricio Rubio, que faz faculdade e trabalha, é só uma ilusão criada pelas minhas experiências passadas e eu estou preso a elas, não consigo enchergar além desse ego que está tão fortalecido pelos jogos da mente. Mas eu não sou a mente, nem os jogos dela apesar de estar preso a eles. Meu Ser real é outra coisa, muito menos limitada que essa mascara que nós adquirimos durante a vida. Como dizem os budistas e hindus. Esse corpo humano é uma oportunidade espetacular para se libertar de todas essas ilusões e perceber aquilo que realmente É. A REALIDADE sem esses véus de ignorância em que todos nós estamos mergulhados.

Então, porque não tentar e ver por si mesmo o que acontece?  :)

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: rizk em 12 de Março de 2008, 12:22:35
Faz sentido despir-se um véu de ignorância pra substitui-lo por um véu de mistificação?

Não entendo isso de "quem realmente somos?", "seja você mesmo", etc. Parece-me, na sinceridade, fórmulas vazias de conteúdo, jogos de palavras.

"Eu" foi o nome que se deu quando entenderam que existe diferença entre individual e coletivo, uai. E aí vêm os diversos filósofos escreverem sobre o "eu", baterem no "eu", glorificarem o "eu", quando ele é só uma palavra que, tudo indica, não tem muito correspondente aqui no mundo.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dimitri em 12 de Março de 2008, 12:31:50
Metafísica inútil.  :lol:

O que é o Eu?

Uai, pronome pessoal caso reto... 1ª pessoa no singular...  :P

...filósofos escreverem sobre o "eu", baterem no "eu", glorificarem o "eu", quando ele é só uma palavra que, tudo indica, não tem muito correspondente aqui no mundo.

amordaçaram o "eu", espancaram o "eu", violentaram o "eu". O "eu" morreu, o "eu" morreu...  :biglol:
Minhas piadas nunca são boas, acho que essa foi uma das piores paródias que eu já fiz
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dr. Manhattan em 12 de Março de 2008, 12:32:33
Maurício, em vez de ficar brincando com esses, como disse a colega, jogos de palavras e fórmulas vazias, porque
você não dá uma olhada nas pesquisas de verdade que tem sido feitas acerca da consciência?
Ó: http://en.wikipedia.org/wiki/Neural_correlate
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dimitri em 12 de Março de 2008, 12:41:10
E enXergar é com "x", porra!  :lol:
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Laura Demarchi em 12 de Março de 2008, 12:45:26
Apenas SOMOS então....divididos em "EU'S"....mas não há uma mente coletiva, uma soma de todos os desejos...então SOMOS cada UM...1....claro que encontramos no caminho quem curte o mesmo livro,o mesmo sabor, o mesmo odor...mas não é igual, apenas ÚNICO em experiências ou maneiras de processar todas as informações como  luz,som,cheiro,tato....
O EU é só uma palavra, como lembrou minha colega rizK, mas quem SOU?....aqui, para quem desligar seu micro, não sou mais, EU era....apenas bits gerados de forma ordenada para que possa existir, neste universo virtual...quando não mais haver também ordem no meu corpo físico, deixarei de ser neste universo material...O que é eu?...Algo que passa para virar lembrança de alguém em algum agora que agora não é!

Beijos
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 12 de Março de 2008, 13:35:03
Bom, não sei se vcs conseguiram chegar no ponto que eu pretendi colocar em discussão. Visto que nenhum de vcs falou a respeito do que eu disse.

Eu não acho que isso seja uma coisa fácil de compreender. Eu mesmo demorei muito tempo e apliquei esforço e energia nessa direção. Talvez pra quem lê tudo isso pareça um jogo de palavras inutil e sem sentido, até porque a compreensão não vem lendo um tópico no forum de internet.

Mas eu peço pra quem realmente estiver interessado em discutir sobre o que eu propus, que reflita e o faça, senão nem se dêem ao trabalho de postar.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dr. Manhattan em 12 de Março de 2008, 14:15:32
Bom, não sei se vcs conseguiram chegar no ponto que eu pretendi colocar em discussão. Visto que nenhum de vcs falou a respeito do que eu disse.

Falamos sim: que tudo o que você escreveu é apenas um jogo de palavras e fórmulas vazias. Eu poderia acrescentar também alguns
conceitos dogmáticos (vidas passadas, vida-após-a-morte) e especulações metafísicas. Não estou tentando ser agressivo, mas
apenas apontar que discutir "achologia" não vai nos levar a muito longe.

Citar
Eu não acho que isso seja uma coisa fácil de compreender. Eu mesmo demorei muito tempo e apliquei esforço e energia nessa direção.

É fácil sim: você decidiu acreditar que existe algo etéreo e sobrenatural acerca da consciência, e tenta ver as implicações disso.
Não é nem algo novo. Basta dar uma olhada no que o velho Platão escreveu (http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A9don ou, mais
detalhes em http://en.wikipedia.org/wiki/Phaedo).

Citar
Talvez pra quem lê tudo isso pareça um jogo de palavras inutil e sem sentido, até porque a compreensão não vem lendo um tópico no forum de internet.

Mas eu peço pra quem realmente estiver interessado em discutir sobre o que eu propus, que reflita e o faça, senão nem se dêem ao trabalho de postar.

Não é por "falta de compreensão" que consideramos o seu texto apenas um JPFV [1], mas pelo fato de ele ser DE FATO um JPFV.

[1] Jogo de Palavras e Fórmulas Vazias.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 12 de Março de 2008, 14:16:34
heheheh ok .... Só que eu não acredito em nada meu amiguinho, eu vejo as coisas por mim mesmo  :ok:
Mas se vc prefere nem pensar sobre o que eu falei, escolha sua, acho que vc pode se retirar do tópico e não voltar mais.

Acho que vcs não deram importância frase:
Então, porque não tentar e ver por si mesmo o que acontece?

As coisas não vem do nada, é muito mais fácil simplesmente acreditar ou negar e continuar ignorante, do que buscar e ver por si mesmo aquilo que é desconhecido.

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dr. Manhattan em 12 de Março de 2008, 14:25:41
Eu já pensei sobre o que você falou... quando li Platão, as epístolas de Paulo, o Bhaghavad Gita, etc. etc.

Você não diz nada de novo, enquanto existem pessoas atualmente que estão realmente fazendo Pesquisas, sobre
a consciência, com protocolos, peer-review e experiências replicáveis. Dê uma olhada naquele link dos correlatos neurais
da consciência. Você pode acabar elevando a sua.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 12 de Março de 2008, 14:28:15
Eu já pensei sobre o que você falou... quando li Platão, as epístolas de Paulo, o Bhaghavad Gita, etc. etc.

Você não diz nada de novo, enquanto existem pessoas atualmente que estão realmente fazendo Pesquisas, sobre
a consciência, com protocolos, peer-review e experiências replicáveis. Dê uma olhada naquele link dos correlatos neurais
da consciência. Você pode acabar elevando a sua.

A questão é que não é só lendo que nós vamos atingir alguma coisa. Conhecimento teórico qualquer um pode ter, é só estudar e pronto, fica tudo na mente, no nivel superficial. Agora conseguir ver são outros 500 ...
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dr. Manhattan em 12 de Março de 2008, 14:30:16
sez u
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Orbe em 12 de Março de 2008, 14:38:49
Muita tolice para um tópico só...
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 12 de Março de 2008, 14:45:49
Mesmo que tudo o que eu tenha dito seja só tolice, vcs deveriam argumentar de forma produtiva, isso proporcionaria uma discussão interessante. Nós estamos discutindo algo muito profundo, não que o que eu falei seja a verdade, mas é um tema que pode render muitas reflexões a respeito da vida para todos nós.
Agora falar "Muita tolice para um tópico só..." e pronto é fácil mesmo.

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dr. Manhattan em 12 de Março de 2008, 14:51:53
Ok. Primeiro, sugiro que este tópico seja transferido para a área de Filosofia. O ceticismo dos foristas já foi devidamente exercitado :).

Segundo: o que o leva a concluir que a consciência não seja um processo cerebral. Mais: o que o leva a concluir que a consciência
sobreviva à morte. E não venha com conversa de experiência pessoal, que sei que você está vivo.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Orbe em 12 de Março de 2008, 15:11:03
Mesmo que tudo o que eu tenha dito seja só tolice, vcs deveriam argumentar de forma produtiva, isso proporcionaria uma discussão interessante. Nós estamos discutindo algo muito profundo, não que o que eu falei seja a verdade, mas é um tema que pode render muitas reflexões a respeito da vida para todos nós.
Agora falar "Muita tolice para um tópico só..." e pronto é fácil mesmo.

Abraços.

Não vi nada que mereça ser (re)discutido.

Vida após a morte, espíritos, reencarnação e etc. já foram discutidos em outros tópicos.

Tudo que você disse aí não passa de uma versão resumida desses assuntos.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: rizk em 12 de Março de 2008, 15:35:53
Mais: o que o leva a concluir que a consciência
sobreviva à morte. E não venha com conversa de experiência pessoal, que sei que você está vivo.
:histeria:

Vou ler o artigo da wiki. Isso de "consciência" me perturba um pouco, também.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Gaúcho em 12 de Março de 2008, 15:43:26
Esse topico me fez lembrar a ultima parte da música Hallowed be thy Name do Iron Maiden:

When you know that your time is close at hand
Maybe then you'll begin to understand
Life down here is just a strange ILLUSION.

Alias, toda a letra dessa música é foda :)

PS: não eu não acredito...
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Nightstalker em 12 de Março de 2008, 18:06:17
Esse topico me fez lembrar a ultima parte da música Hallowed be thy Name do Iron Maiden:

When you know that your time is close at hand
Maybe then you'll begin to understand
Life down here is just a strange ILLUSION.

Alias, toda a letra dessa música é foda :)

Magnífica mesmo.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 12 de Março de 2008, 18:18:20
Mauríco,

A melhor abordagem científica do eu é do físiciso indiano Amit Goswami, no seu livro física da alma. Estou lendo o Universo autoconsciente dele também.

Popper também fez uma abordagem com um físico nobelista sobre a quântica neuronal. E como bem dizia Kant, a física é a base epistemológica do saber filosófico, mas ele se detinha na questão de tempo e espaço e a física quântica supera isso.

Um filósofo cético e imaterialista é Berkeley, que é cético quanto ao materialismo e questiona as bases dessa teoria.

E a crítica mais comum sobre a utilização da física quântica quanto ao embasamento de teorias diversas, é que existe o fenômenos da descoerência, que separa o mundo quântico do mundo da física clássica.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 12 de Março de 2008, 18:21:05
Ok. Primeiro, sugiro que este tópico seja transferido para a área de Filosofia. O ceticismo dos foristas já foi devidamente exercitado :).

Segundo: o que o leva a concluir que a consciência não seja um processo cerebral. Mais: o que o leva a concluir que a consciência
sobreviva à morte. E não venha com conversa de experiência pessoal, que sei que você está vivo.
Para projetores a experiência pessoal é válida para a comprovação de que a consciência não é o cérebro, já que é possível observar o próprio corpo durante uma projeção. Por isso é um grande diferencial do espiritismo, que lida apenas com mortos.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 12 de Março de 2008, 19:28:55
Ok. Primeiro, sugiro que este tópico seja transferido para a área de Filosofia. O ceticismo dos foristas já foi devidamente exercitado :).

Segundo: o que o leva a concluir que a consciência não seja um processo cerebral. Mais: o que o leva a concluir que a consciência
sobreviva à morte. E não venha com conversa de experiência pessoal, que sei que você está vivo.

Bom, primeiramente eu quero deixar bem claro que eu não conclui nada, a vida é aprendizado, portanto eu não estou fechado a nada. Coloquei um ponto de vista e estou aberto a ouvir tudo o que vcs tem a dizer a respeito dele.

Sobre a sua pergunta, acho que antes de afirmar que a consciência sobrevive a morte, devemos compreender o que é a consciência, correto? Para compreendermos o que é a consciência, nós temos que observa-la por nós mesmos, porque senão tudo o que criariamos seriam mais e mais teorias e ideias, que não são a coisa em si.
Portanto devemos observa-la, então como faremos isso? Nossa atual situação dificulta ( senão impossibilita ) esse procedimento por causa dos nossos apegos. Nossa mente está sempre cheia, cheia de pensamentos, emoções, ideias e está amarrada pelas experiências do passado que formaram nossa personalidade. Nós podemos perceber isso fácilmente, eu, vc e qualquer um desse forum que tiver o minimo de auto-conhecimento sabe disso.
Isso não é uma teoria, ou uma ideia, isso é um FATO que podemos observar por nós mesmos. Pois bem, então como vamos observar a consciência se ela está encoberta por diversas camadas de fumaça? Também não podemos, portanto não importa se vc leu o Bhagavad Gita, ou eu tenho lido, se vc leu Platão ou quem quer que seja, tudo isso não passa de conhecimento superficial, idéias, mais ruidos apenas.
Para perceber a consciência na sua plenitude é necessário outro tipo de atitude que não é intelectual, é necessário que nós esvaziemos completamente nosso ser, sem desejos, sem apego, sem personalidade, sem ego, e que só a consciência pura fique presente, ai então nós poderemos observa-la e compreender o que ela é por experiência DIRETA, e é isso que nos permitira obter o verdadeiro conhecimento.

Questão de crença? Duvido muito, isso é um fato que pode ser fácilmente constatado. Agora negar esse fato e falar: "Ah, isso é tudo besteira" e continuar na mesma vidinha mediocre. Não vai resolver nada, é por isso que eu disse. PORQUE NÃO TENTAR?
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: rizk em 12 de Março de 2008, 20:51:01
Gentes, estou TÃO CANSADA desses misticismos travestidos do Mauricio e Adriano... meninos! Wake up and smell the coffee!
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Fabulous em 12 de Março de 2008, 21:12:17
A resposta: http://desciclo.pedia.ws/wiki/Eu
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 12 de Março de 2008, 21:32:14
Gentes, estou TÃO CANSADA desses misticismos travestidos do Mauricio e Adriano... meninos! Wake up and smell the coffee!
Olha as rugas...

:lol:
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: rizk em 12 de Março de 2008, 21:56:01
Gentes, estou TÃO CANSADA desses misticismos travestidos do Mauricio e Adriano... meninos! Wake up and smell the coffee!
Olha as rugas...

:lol:
Não basta ter má-fé; tem que ser PLAGIADOR também.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 12 de Março de 2008, 22:13:32
Gentes, estou TÃO CANSADA desses misticismos travestidos do Mauricio e Adriano... meninos! Wake up and smell the coffee!
Olha as rugas...

:lol:
Não basta ter má-fé; tem que ser PLAGIADOR também.
Oras, é você quem diz que não deve se preocupar. Não fique cansada por nada, não dê tão valor assim aos meus comentários, tente ignorá-los. Não tem só você só fórum, e eu gostaria de de repente conversar com alguém que queira o mesmo comigo. Se não aparecer ninguém então simplesmente não me interago com ninguém.

O fórum é seu também, mas não é só seu. Não digo que seja meu, mas é de muitas outras pessoas que participam e o constróem com a mutua interação.

Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dimitri em 12 de Março de 2008, 23:11:04
Gentes, estou TÃO CANSADA desses misticismos travestidos do Mauricio e Adriano... meninos! Wake up and smell the coffee!
Hummmm... I like coffee, don't you?  :oba:

A resposta: http://desciclo.pedia.ws/wiki/Eu
Tu és sábio, Fabulous. Desciclopédia owns :louva:
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: rizk em 12 de Março de 2008, 23:47:54
Oras, é você quem diz que não deve se preocupar. Não fique cansada por nada, não dê tão valor assim aos meus comentários, tente ignorá-los. Não tem só você só fórum, e eu gostaria de de repente conversar com alguém que queira o mesmo comigo. Se não aparecer ninguém então simplesmente não me interago com ninguém.

O fórum é seu também, mas não é só seu. Não digo que seja meu, mas é de muitas outras pessoas que participam e o constróem com a mutua interação.
A interação com você, Adriano, se resume a:

Adriano - diz bobagens
Colega forista - corrige as bobagens, às vezes até ENFATICAMENTE
Adriano - "AH MAS EU DISCORDO".

Não vejo interação aí.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 13 de Março de 2008, 06:38:59
Oras, é você quem diz que não deve se preocupar. Não fique cansada por nada, não dê tão valor assim aos meus comentários, tente ignorá-los. Não tem só você só fórum, e eu gostaria de de repente conversar com alguém que queira o mesmo comigo. Se não aparecer ninguém então simplesmente não me interago com ninguém.

O fórum é seu também, mas não é só seu. Não digo que seja meu, mas é de muitas outras pessoas que participam e o constróem com a mutua interação.
A interação com você, Adriano, se resume a:

Adriano - diz bobagens
Colega forista - corrige as bobagens, às vezes até ENFATICAMENTE
Adriano - "AH MAS EU DISCORDO".

Não vejo interação aí.
Ok, aceito a sua crítica, mas me dê liberdade para não ficar restrito a sua opinião apenas. Não só agora, mas da outra vez, foi especificamente você e outro forista que me puzeram na parede. Vê se me erra, se me esquece por aqui. Já sei o que você pensa de mim e também você não é nenhum exemplo de forista para me dizer algo sobre interação, vide as suas picuinhas pessoais com uma outra forista.

Vai fazer a lição de casa primeiro.  :wink:
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 13 de Março de 2008, 08:53:11
Adriano, não foi uma nem duas vezes que a situação que Rizk descreve aconteceu.  Você pode ser sido "posto na parede" por um ou dois foristas apenas, mas isso não quer dizer nada.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dr. Manhattan em 13 de Março de 2008, 10:30:59
Sobre a sua pergunta, acho que antes de afirmar que a consciência sobrevive a morte, devemos compreender o que é a consciência, correto?
Errado. Basta que encontremos evidências dessa sobrevivência. Existem inúmeros exemplos de sistemas que podemos descrever, e prever,
mesmo que não saibamos os detalhes do seu funcionamento.

Para compreendermos o que é a consciência, nós temos que observa-la por nós mesmos, porque senão tudo o que criariamos seriam mais e mais teorias e ideias, que não são a coisa em si.
Errado. Podemos, por exemplo, descobrir quais regiões do cérebro são ativadas durante uma experiência consciente. Um exemplo é quando
observamos um cubo de Necker, e nossa interpretação de sua forma tridimensional flutua. Flutuações desse tipo podem e já foram observadas.

Portanto devemos observa-la, então como faremos isso? Nossa atual situação dificulta ( senão impossibilita ) esse procedimento por causa dos nossos apegos. Nossa mente está sempre cheia, cheia de pensamentos, emoções, ideias e está amarrada pelas experiências do passado que formaram nossa personalidade. Nós podemos perceber isso fácilmente, eu, vc e qualquer um desse forum que tiver o minimo de auto-conhecimento sabe disso.
Lamento, mas isso é retórica vazia. Consciência é sempre consciência DE ALGO. Você já parte do pressuposto que se trata de algo etéreo,
parecido com o conceito escolástico da essência, sem que haja evidência alguma a favor disso.

Isso não é uma teoria, ou uma ideia, isso é um FATO que podemos observar por nós mesmos.
Da mesma forma que a existência de fadas é um FATO para algumas pessoas.

Pois bem, então como vamos observar a consciência se ela está encoberta por diversas camadas de fumaça? Também não podemos, portanto não importa se vc leu o Bhagavad Gita, ou eu tenho lido, se vc leu Platão ou quem quer que seja, tudo isso não passa de conhecimento superficial, idéias, mais ruidos apenas.
Ah, entendi: o SEU conhecimento é profundo. O resto é ruído. Você atingiu uma percepção da realidade mais clara e bem definida que nós,
meros mortais. Da mesma forma que pessoas que tomam LSD por vezes acreditam tornar-se gigantes e assim poder esmagar carros com
seus pés...

Questão de crença? Duvido muito, isso é um fato que pode ser fácilmente constatado. Agora negar esse fato e falar: "Ah, isso é tudo besteira" e continuar na mesma vidinha mediocre. Não vai resolver nada, é por isso que eu disse. PORQUE NÃO TENTAR?

Já disse e repito: o místico é um onanista que se apaixonou pela própria mão. Espero que ela possa lhe retribuir tanto amor com frequência.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 13 de Março de 2008, 11:54:38
Puts que forunzinho chato para discutir esse tipo de coisa. O ego das pessoas aqui é tão grande que elas nem se dão ao trabalho de tentar discutir o que eu propus de forma impessoal.
Eu nunca disse que o MEU conhecimento é profundo Dr. Manhattan, o que eu disse é que eu posso perceber que a mente está impregnada, ISSO É UM FATO. E também posso perceber que é um grande bem esvazia-la, isso não tem nada a ver com teorias ou formulas, isso é um conhecimento que tem que ser VIVIDO como sábiamente diz nosso querido e iluminado Buda.

Além disso, não sou só eu que falo isso, são as pessoas mais sábias da humanidade ok?

Esperava outro tipo de reação do pessoal desse forum, eu achei que vcs tinham um pouquinho mais de conhecimento de si mesmos, mas pelo visto, vcs nem se interessam por isso, assim como a grande massa. É uma pena :)

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dr. Manhattan em 13 de Março de 2008, 12:01:06
Argumentum ad misericordiam
Argumentum ad populum

Se não aguenta o debate, então pede pra sair.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 13 de Março de 2008, 12:04:01
Discuto com quem tem algo relevante para adicionar a discussão, estou bem de boa de discutir com uma parede que ao inves de deixar a discussão penetrar, só rebate com coisas pouco construtivas.

Então a discussão com vc acabou :)
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dimitri em 13 de Março de 2008, 12:08:09
Mas, Maurício, o Dr. Manhattan está discutindo com você. Se não é o que você gostaria de ouvir dele: problema é seu. Quem está sendo arrogante aqui é você. Shows de falácia e tudo. Você quer que concordemos contigo, mas não concordamos: daí você apela? Sinceramente...
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Laura Demarchi em 13 de Março de 2008, 12:08:36
Puts que forunzinho chato para discutir esse tipo de coisa. O ego das pessoas aqui é tão grande que elas nem se dão ao trabalho de tentar discutir o que eu propus de forma impessoal.

Mas eu falei algo baseado no que você disse sem te cortar ou ofender, cheguei até sugerir  "eu's" coexistindo na internet, isto, nós todos aqui, informação binária ordenada da forma como entendemos! Mas você somente olhou para quem o atingiu! Não se deu o trabalho de ao menos falar algo do que achou sobre o que eu disse! Muito obrigada mesmo.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 13 de Março de 2008, 12:27:12
Mas, Maurício, o Dr. Manhattan está discutindo com você. Se não é o que você gostaria de ouvir dele: problema é seu. Quem está sendo arrogante aqui é você. Shows de falácia e tudo. Você quer que concordemos contigo, mas não concordamos: daí você apela? Sinceramente...

Ele não está falando da mesma coisa que eu ...

Citar
Apenas SOMOS então....divididos em "EU'S"....mas não há uma mente coletiva, uma soma de todos os desejos...então SOMOS cada UM...1....claro que encontramos no caminho quem curte o mesmo livro,o mesmo sabor, o mesmo odor...mas não é igual, apenas ÚNICO em experiências ou maneiras de processar todas as informações como  luz,som,cheiro,tato....
O EU é só uma palavra, como lembrou minha colega rizK, mas quem SOU?....aqui, para quem desligar seu micro, não sou mais, EU era....apenas bits gerados de forma ordenada para que possa existir, neste universo virtual...quando não mais haver também ordem no meu corpo físico, deixarei de ser neste universo material...O que é eu?...Algo que passa para virar lembrança de alguém em algum agora que agora não é!

Beijos

O que vc falou também é o que eu estava querendo dizer, desde que nós nascemos nós temos experiências e acumulamos conhecimento, memória etc. E com isso nós criamos a nossa personalidade, e nosso ego. Dizendo, gosto disso, não gosto daquilo, acredito nisso, naquilo não. A ciência é a unica forma de ver o mundo, o resto é lixo. E nossa mente fica sempre apegada a esses pensamentos e então nós nos limitamos a eles, achamos que nós somos realmente isso, a personalidade ou o ego, porque não conseguimos ver o que está além dessas coisas.

Eu até agora não vi um post de alguem falando sobre o que seria a plenitude do ser, é essa a proposta do post.
Então quem quiser discutir isso, eu vou achar interessante. Mas se alguem quiser discutir outra coisa, que crie outro tópico e discuta lá.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Dimitri em 13 de Março de 2008, 12:34:20
Mas, Maurício, o Dr. Manhattan está discutindo com você. Se não é o que você gostaria de ouvir dele: problema é seu. Quem está sendo arrogante aqui é você. Shows de falácia e tudo. Você quer que concordemos contigo, mas não concordamos: daí você apela? Sinceramente...

Ele não está falando da mesma coisa que eu ...

Cara, você realmente leu as postagens e o artigo que ele recomendou? Compreendeu a mensagem/ponto que ele colocou?
Você quer discutir a respeito do "eu" a partir de um ponto de vista místico, já o Dr. Manhattan usa o ponto de vista científico. Mais ainda, ele usa o ceticismo científico pra questionar esse misticismo seu. E, sinceramente, misticismo algum agüenta questionamento científico: ele é desconstruído, desmistificado. :)
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 13 de Março de 2008, 12:39:53
Mas, Maurício, o Dr. Manhattan está discutindo com você. Se não é o que você gostaria de ouvir dele: problema é seu. Quem está sendo arrogante aqui é você. Shows de falácia e tudo. Você quer que concordemos contigo, mas não concordamos: daí você apela? Sinceramente...

Ele não está falando da mesma coisa que eu ...

Cara, você realmente leu as postagens e o artigo que ele recomendou? Compreendeu a mensagem/ponto que ele colocou?
Você quer discutir a respeito do "eu" a partir de um ponto de vista místico, já o Dr. Manhattan usa o ponto de vista científico. Mais ainda, ele usa o ceticismo científico pra questionar esse misticismo seu. E, sinceramente, misticismo algum agüenta questionamento científico: ele é desconstruído, desmistificado. :)


Amigo, eu sei muito bem o que a ciência é capaz de explicar e o que não é. A ciência só cria teorias e formulas a respeito do mundo, que NÃO SÃO O MUNDO. Observar a mente de fora não é a mesma coisa que observar a mente de dentro. ISSO É OBVIO, então que discussão inutil heim? Eu falando de uma coisa, e ele falando de outra.

Isso não é misticismo, isso é observação, reflexão, intuição.

É tão dificil assim perceber sobre o que eu estou falando? Vcs não veem isso em si mesmos? Vcs não conseguem perceber o barulho e o ruido que a mente produz?

Eu quero uma discussão a nivel pessoal, quero uma opnião de cada um de vcs como SERES HUMANOS e não se limitando ao que a ciência diz. É dificil?
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Laura Demarchi em 13 de Março de 2008, 12:46:35
Então Mauricio, talvez não há uma plenitude para nós, como humanos. Somos tão comuns neste planeta como qualquer ser, ou melhor, alguns seres são bem raros, pode acreditar. Nós chegamos num ponto da evolução onde nosso programa busca formas cada vez melhores de sobreviver, seja aumentando o altruismo, seja com uma busca intensa de um "eu' para melhor interagir com o todo. Nosso programa nos informa que não devemos acabar e isto as vezes colapsa com a informação que temos do meio e então surgem fugas, ou erros de lógica, que nos fazem ver mais e além do todo. Daí os deuses, espíritos, estados alterados de conciência....
Minha teoria é essa e fique a vontade para destroça-la, estou aqui para aprender!

Beijo e obrigada
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 13 de Março de 2008, 12:48:57
Isso não é mais um conhecimento inutil que eu vou adicionar na minha mente e pronto, como é o conhecimento cientifico. Esse conhecimento TRANSFORMA completamente o ser em TODOS OS ASPECTOS da existência. Tudo o que nós fazemos é ditado pelos sentidos ou pela mente, vcs veem algo e automaticamente um pensamento ocorre baseado na sua memoria. Nós não temos controle sobre esse processo, nós não o compreendemos internamente e então somos subjulgados por ele, vcs não veem isso?

Alguns vivem buscando prazeres corporais ( comida, sexo por exemplo ) alguns vivem procurando prazeres intelectuais, essa é nossa vida, nossa busca, tudo isso está impregnado no nosso ser e nós vivemos com essa limitação.

Vc consegue perceber o que é a LIBERTAÇÃO e o que isso acarreta? Chamar isso de conhecimento inutil é simplesmente ignorância.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 13 de Março de 2008, 12:58:38
Então Mauricio, talvez não há uma plenitude para nós, como humanos. Somos tão comuns neste planeta como qualquer ser, ou melhor, alguns seres são bem raros, pode acreditar. Nós chegamos num ponto da evolução onde nosso programa busca formas cada vez melhores de sobreviver, seja aumentando o altruismo, seja com uma busca intensa de um "eu' para melhor interagir com o todo. Nosso programa nos informa que não devemos acabar e isto as vezes colapsa com a informação que temos do meio e então surgem fugas, ou erros de lógica, que nos fazem ver mais e além do todo. Daí os deuses, espíritos, estados alterados de conciência....
Minha teoria é essa e fique a vontade para destroça-la, estou aqui para aprender!

Beijo e obrigada

Pois é Lara, mas eu não estou falando de algo unicamente humano, a consciência NÃO É HUMANA. Alias, eu não sei nem se devo chamar isso que eu estou me referindo de consciência, porque esse termo está impregnado de conceitos, não sei se devo chamar de alma porque esse está mais impregnado ainda. Portanto o uso de palavras é também uma limitação.

Existe algo que nos anima, que é o nosso Eu verdadeiro, todos os SERES tem um Eu, porém quando esse Eu está em contato com o corpo material ele se ve limitado por ele, tanto pelos sentidos com que percebe o mundo externo, quanto pela mente e por outros aspectos mais sutis. Então esse ser pensa que é esse corpo, pensa que é humano, pensa que é a Lara ou o Mauricio, porque está apegado a todas essas coisas. É MUITO, mas MUITO dificil nós percebermos isso por nós mesmos.

Não é uma questão de crença, acreditar seria idiotisse, nós temos que verificar isso por nós mesmos. Agora experimentar não requer simplesmente o querer. Tem que haver esforço e energia nessa direção, temos que nos desapegar de tudo isso a que estamos limitados, e quando isso acontecer a experiência direta acontece e vemos por nós mesmos. Existem muitas e muitas pessoas que falam sobre a Iluminação, o Buda é uma delas. Vcs podem negar o quanto vcs quiserem, isso não muda absolutamente NADA. Porém espero que tenha alguem aqui com a cabeça aberta o suficiente pra buscar saber mais a respeito e ver por si mesmo, e não continuar com esse nhe nhe nhe inutil que rola por aqui.

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Laura Demarchi em 13 de Março de 2008, 13:14:59
Mas como ver o que não se sabe o que é? Mesmo não falando Mauricio, você quer dizer que há uma vontade ou coisa nos animando, algo que não nós, interagindo com o mundo.
Infelizmente estou treinada a rechaçar qualquer coisa que não possa ser reproduzida, testada ou que no minímo se enquadre em alguma equação lógica.
Porém, estou me oferecendo a testar a sua proposta, como começar?

Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 13 de Março de 2008, 14:06:02
Mas como ver o que não se sabe o que é? Mesmo não falando Mauricio, você quer dizer que há uma vontade ou coisa nos animando, algo que não nós, interagindo com o mundo.
Infelizmente estou treinada a rechaçar qualquer coisa que não possa ser reproduzida, testada ou que no minímo se enquadre em alguma equação lógica.
Porém, estou me oferecendo a testar a sua proposta, como começar?

Isso é tudo muito lógico Lara, e tudo se torna muito mais claro conforme vc vai avançando no caminho do auto-conhecimento. Porém existem muitas e muitas formas de conhecer o Si mesmo, isso varia conforme suas próprias tendência. Eu também estou no começo dessa longa jornada, por isso ainda especulo muito no nivel intelectual, como é o caso da nossa discussão aqui. Eu leio bastante também, pois embora os livros não mostrem a Verdade por si só ( porque essa tem que ser experimentada diretamente para ser conhecida ), eles nos ajudam e mostram alguns aspectos básicos que nós podemos começar percebendo aqui e agora para ganharmos confiança e mais tarde avançarmos por nós mesmos.

Eu não sei até onde ou quais foram as caracteristicas da minha vida que me levaram a pensar assim, porém de certa forma, isso é uma coisa que sempre esteve presente comigo, desde criança eu tinha o enorme desejo de conhecer a verdade absoluta. Sempre fui muito na minha, muito introspectivo e com certeza isso fez muita diferença nesse longo processo. Eu não te conheço, portanto tudo que eu estou falando está baseado na minha própria vida.

Eu sempre fui muito cético e sempre muito questionador, nunca aceitei argumentação de autoridade, por isso desde sempre tive em mim a liberdade de explorar as coisas por mim mesmo. Depois de muitos e muitos anos de instrospecção e reflexão eu comecei a ver que existiam varias coisas na minha vida que aconteciam e eu agia quase mecanicamente, eu não estava realmente consciente delas. E comecei a questionar tudo isso e comecei a compreender algumas dessas coisas.

Como vc pode ver, essa busca é algo extremamente pessoal, vc pode observar o mundo e dele tirar informações, mas a sabedoria é algo que vem de dentro de vc mesma. Isso é algo muito resumido, só pra te dar uma ideia das varias fases que a gente passa na vida para aprender, inclusive tirando proveito do proprio sofrimento para isso. Eu acho que a melhor coisa que eu posso te falar para vc começar a pesquisar a esse respeito, é para vc ler algumas coisas sobre o Budismo, sem acreditar nem desacreditar, só ver por si mesma e pensar em como aquilo se encaixa e se aquele conhecimento serve pra vc. Um site ótimo para isso é esse: http://www.acessoaoinsight.net
Eu aconselho muito mesmo, qualquer um que estiver interessado em auto-conhecimento dar uma olhadinha porque esse site é muito completo e foram pessoas muito dedicadas que fizeram de tudo para proporcionar esse conhecimento para nós.

Acho que é isso, qualquer coisa que vc tenha a falar a respeito eu estou aberto e podemos conversar e chegar a ideias em comum.

Bjos e abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 13 de Março de 2008, 17:54:59
Adriano, não foi uma nem duas vezes que a situação que Rizk descreve aconteceu.  Você pode ser sido "posto na parede" por um ou dois foristas apenas, mas isso não quer dizer nada.

Então é a terceira, não concordo com isso.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 13 de Março de 2008, 20:19:58
Você insiste em tentar reduzir a uma diferença de opinião o que é outra coisa bem diferente.

Não sei por que ainda perco meu tempo.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 13 de Março de 2008, 20:29:49
Se está perdendo o tempo está sendo bobo mesmo. Não faça isso, tem muitas coisas úteis para fazer com ele.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Barukam em 14 de Março de 2008, 00:06:06
hmm
oi oi.
Vou deixar aqui 2 links que talvez possam deixar um pouco mais claro o conceito do Eu que o Mauricio está propondo aqui.

sobre Meditação e Projeção Astral:
http://video.google.com/videoplay?docid=7939505976833408618&q=proje%C3%A7ao+astral&total=47&start=0&num=10&so=0&type=search&plindex=0 (http://video.google.com/videoplay?docid=7939505976833408618&q=proje%C3%A7ao+astral&total=47&start=0&num=10&so=0&type=search&plindex=0)
-> achei mto engraçado o sotaque do narrador, acho que é indiano :hihi:

texto de teosofia sobre Os sete princípios do homem
http://www.theosophy.ca/theosophical.ws/Portuguese/SetePrincipios.htm (http://www.theosophy.ca/theosophical.ws/Portuguese/SetePrincipios.htm)

Devo dizer que assistir o vídeo ou ler o texto  sugerido pode ser uma tarefa bastante penosa pra quem acredita que nada disso é possível.
De qualquer maneira, eu considero o conteúdo interessante, o difícil é a parte prática.
Se eu entendi direito o que o Maurício está dizendo( é mais ou menos o que mostra o vídeo também), uma maneira de obter essa percepção do Eu seria a meditação.
Maurício, quando eu me sentir disposto vou dar uma olhada na seção Iniciando a Meditação do site que voce recomendou.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: FZapp em 14 de Março de 2008, 08:08:50
Citar
Bom, não sei se vcs conseguiram chegar no ponto que eu pretendi colocar em discussão. Visto que nenhum de vcs falou a respeito do que eu disse.

Eu não acho que isso seja uma coisa fácil de compreender. Eu mesmo demorei muito tempo e apliquei esforço e energia nessa direção. Talvez pra quem lê tudo isso pareça um jogo de palavras inutil e sem sentido, até porque a compreensão não vem lendo um tópico no forum de internet.

Mas eu peço pra quem realmente estiver interessado em discutir sobre o que eu propus, que reflita e o faça, senão nem se dêem ao trabalho de postar.

Maurício, seu texto ficou incompleto, me parece que ficaria mais claro assim:

Bom, não sei se vcs conseguiram chegar [somente] no ponto que eu pretendi colocar em discussão. Visto que nenhum de vcs falou [o que eu quero ouvir] a respeito do que eu disse.

Eu não acho que isso seja uma coisa fácil de compreender[, afinal, estou falando de algo que existe somente nas nossas cacholas]. Eu mesmo demorei muito tempo e apliquei esforço e energia nessa direção. Talvez pra quem lê tudo isso pareça um jogo de palavras inutil e sem sentido, [talvez eu imagine que o foro do Clube Cético jamaaaaaais pensou nisso!] até porque a compreensão não vem lendo um tópico no forum de internet [e por isso mesmo eu deveria imaginar que a opinião dos foristas reflete muitas leituras prévias, inclusive porque muitos foristas já demonstraram bastante conhecimento nesta área].

Mas eu peço pra quem realmente estiver interessado em discutir sobre o que eu propus [e tiver as mesmas opiniões do que eu], que reflita e o faça, senão nem se dêem ao trabalho de postar [discordando de mim].
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 09:33:34
Citar
Bom, não sei se vcs conseguiram chegar no ponto que eu pretendi colocar em discussão. Visto que nenhum de vcs falou a respeito do que eu disse.

Eu não acho que isso seja uma coisa fácil de compreender. Eu mesmo demorei muito tempo e apliquei esforço e energia nessa direção. Talvez pra quem lê tudo isso pareça um jogo de palavras inutil e sem sentido, até porque a compreensão não vem lendo um tópico no forum de internet.

Mas eu peço pra quem realmente estiver interessado em discutir sobre o que eu propus, que reflita e o faça, senão nem se dêem ao trabalho de postar.

Maurício, seu texto ficou incompleto, me parece que ficaria mais claro assim:

Bom, não sei se vcs conseguiram chegar [somente] no ponto que eu pretendi colocar em discussão. Visto que nenhum de vcs falou [o que eu quero ouvir] a respeito do que eu disse.

Eu não acho que isso seja uma coisa fácil de compreender[, afinal, estou falando de algo que existe somente nas nossas cacholas]. Eu mesmo demorei muito tempo e apliquei esforço e energia nessa direção. Talvez pra quem lê tudo isso pareça um jogo de palavras inutil e sem sentido, [talvez eu imagine que o foro do Clube Cético jamaaaaaais pensou nisso!] até porque a compreensão não vem lendo um tópico no forum de internet [e por isso mesmo eu deveria imaginar que a opinião dos foristas reflete muitas leituras prévias, inclusive porque muitos foristas já demonstraram bastante conhecimento nesta área].

Mas eu peço pra quem realmente estiver interessado em discutir sobre o que eu propus [e tiver as mesmas opiniões do que eu], que reflita e o faça, senão nem se dêem ao trabalho de postar [discordando de mim].

Não é bem não ;)
Isso que eu estou querendo discutir não é um conceito meu, eu estou colocando o meu ponto de vista sobre um conceito que existe em varias areas do conhecimento humano, principalmente na filosofia e na religião. Só que como eu falei, estamos aqui tentando analisar a perspectiva do Eu a partir do próprio individuo, indo de dentro até a própria essência. Como vc pode ver a maioria das coisas que postaram não foi relevante a esse ponto. O Dr. Manhattan postou o ponto de vista cientifico, mas não é desse ponto que eu quero partir, como já falei. Isso é algo bastante subjetivo e pessoal, e os reinos internos estão longe do alcance da ciência, mas isso não faz deles inexistentes também.

O tópico está aberto para qualquer um postar o que acha, independe se concorda comigo ou não, o que importa é a relevancia com o tema proposto.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 09:38:06
hmm
oi oi.
Vou deixar aqui 2 links que talvez possam deixar um pouco mais claro o conceito do Eu que o Mauricio está propondo aqui.

sobre Meditação e Projeção Astral:
http://video.google.com/videoplay?docid=7939505976833408618&q=proje%C3%A7ao+astral&total=47&start=0&num=10&so=0&type=search&plindex=0 (http://video.google.com/videoplay?docid=7939505976833408618&q=proje%C3%A7ao+astral&total=47&start=0&num=10&so=0&type=search&plindex=0)
-> achei mto engraçado o sotaque do narrador, acho que é indiano :hihi:

texto de teosofia sobre Os sete princípios do homem
http://www.theosophy.ca/theosophical.ws/Portuguese/SetePrincipios.htm (http://www.theosophy.ca/theosophical.ws/Portuguese/SetePrincipios.htm)

Devo dizer que assistir o vídeo ou ler o texto  sugerido pode ser uma tarefa bastante penosa pra quem acredita que nada disso é possível.
De qualquer maneira, eu considero o conteúdo interessante, o difícil é a parte prática.
Se eu entendi direito o que o Maurício está dizendo( é mais ou menos o que mostra o vídeo também), uma maneira de obter essa percepção do Eu seria a meditação.
Maurício, quando eu me sentir disposto vou dar uma olhada na seção Iniciando a Meditação do site que voce recomendou.


Pois é amigo, o interessante é sempre olhar e analisar sem acreditar ou desacreditar, só observar o que está sendo discutido e refletir a respeito. Como eu falei antes, assistir videos, ler livros ou coisas do genero, ajudam a nos mostram o que alguns conseguiram ver por si mesmos, e que nós, por ignorância, não conseguimos ainda.

Mas como eu também falei antes, e que infelizmente alguns aqui ficaram ofendidos, é que só ler ou assistir videos não adianta nada, porque todo esse conhecimento vai ficar no nivel superficial, no nivel da mente. A pratica é MUITO mais importante que qualquer outra coisa, isso não é um conhecimento para vc ler e pronto, o grande lance é aplica-lo na sua ver e ver o que acontece, essa é a diferença entre conhecer de maneira intelectual e VIVER o conhecimento.

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Iconoclasta SP em 14 de Março de 2008, 12:41:48
Eu prefiro não saber o que é o EU do que "descobrir" isso com a cabeça cheia de Santo Daime.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 12:45:13
Eu prefiro não saber o que é o EU do que "descobrir" isso com a cabeça cheia de Santo Daime.


Nunca tomei Ayahuasca, mas morro de vontade :D :D
Bom, mas vc não precisar de enteogeno nenhum para descobrir o Eu. Os monges budistas que o digam.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Iconoclasta SP em 14 de Março de 2008, 12:46:48
Mas aí perde-se a melhor parte...

Eu prefiro não saber o que é o EU do que "descobrir" isso com a cabeça cheia de Santo Daime.


Nunca tomei Ayahuasca, mas morro de vontade :D :D
Bom, mas vc não precisar de enteogeno nenhum para descobrir o Eu. Os monges budistas que o digam.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 12:49:57
Mas aí perde-se a melhor parte...

Eu prefiro não saber o que é o EU do que "descobrir" isso com a cabeça cheia de Santo Daime.


Nunca tomei Ayahuasca, mas morro de vontade :D :D
Bom, mas vc não precisar de enteogeno nenhum para descobrir o Eu. Os monges budistas que o digam.

Acredito que no caso dos budistas seja "melhor" ainda ( como se isso fosse uma questão de melhor ou pior ). Porque eles atingem niveis muito mais profundos que usando qualquer substancia. A substância também limita, mas ela mostra coisas uteis que podem dar um impulso gigantesco para quem deseja se conhecer.
Mas sem meditação, não adianta tomar 10 litros de Daime por dia que não vai resolver nada.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 12:53:54
É muito fácil também papagaiar sobre o que não se conhece.
Vc não nunca tomou Daime, nem sabe o que rola.
Nunca entrou em estado de meditação profunda também, nem sabe o que rola.

Ficar nessa falação superficial não resolve nada.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 14 de Março de 2008, 19:49:25
Nunca tomei Ayahuasca, mas morro de vontade :D :D

Sério?  Eu não entendo o que poderia motivar alguém a fazer uma coisa dessas.

Citar
Bom, mas vc não precisar de enteogeno nenhum para descobrir o Eu. Os monges budistas que o digam.

Os monges que seguem a religião que tem como uma de suas premissas Anatta, ou seja, "Não-eu"? :)
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 19:58:06
Sério?  Eu não entendo o que poderia motivar alguém a fazer uma coisa dessas.

Serio ;) Nós somos diferentes né, eu tenho os motivos que me motivam a fazer uma coisa como essas.

Citar
Os monges que seguem a religião que tem como uma de suas premissas Anatta, ou seja, "Não-eu"? :)

Pois é, mas isso está muito além do Eu, esse conhecimento se dá em niveis. o Eu está em um nivel inferior, mas é até aonde minha imaginação consegue ir por enquanto. Talvez o Absoluto seja o Não-Eu. Mas não da para especular o inconcebivel, só experimentando mesmo.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 14 de Março de 2008, 20:01:01
Eu realmente não entendo.  E confesso que não vejo motivo para tentar.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 20:02:01
Eu realmente não entendo.  E confesso que não vejo motivo para tentar.

Mas você sabe do que se trata não?
Qual é o problema de experimentar e ver o que acontece?
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 14 de Março de 2008, 20:10:59
Não, não sei "do que se trata"; de fato, como eu disse, não vejo sentido algum nessa atração por enteógenos como o Daime.

PRINCIPALMENTE em um contexto budista; por um motivo os Preceitos incluem não nos intoxicarmos.

E isso de "descobrir o Eu", então, mal faz qualquer sentido.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 20:16:01
Não, não sei "do que se trata"; de fato, como eu disse, não vejo sentido algum nessa atração por enteógenos como o Daime.

PRINCIPALMENTE em um contexto budista; por um motivo os Preceitos incluem não nos intoxicarmos.

E isso de "descobrir o Eu", então, mal faz qualquer sentido.

Bom, eu nunca disse que era budista ;)
Além do mais, existe uma ENORME diferença entre enteogenos e "intoxicantes".

Até os Vedas falam sobre enteogenos, isso esteve muito presente na cultura oriental desde a antiguidade.

E quanto ao Eu, eu estou questionando para poder descobrir mais a respeito. Comparado aos sábios, a minha sabedoria está perto do zero. Mas eu busco o saber, só que eu faço do meu jeito, talvez eu entre em caminhos errados, mas é errando que se aprende.

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 14 de Março de 2008, 20:20:42
Bom, eu nunca disse que era budista ;)

Mas se dispõe a fazer declarações sobre o que eles experienciam e por que, o que é mais comprometedor ainda.

Citar
Além do mais, existe uma ENORME diferença entre enteogenos e "intoxicantes".

Sério?  E qual seria?  Não vejo nenhuma.

Citar
Até os Vedas falam sobre enteogenos, isso esteve muito presente na cultura oriental desde a antiguidade.

Sim, é antigo.  Não deixa de ser se drogar por isso.

Citar
E quanto ao Eu, eu estou questionando para poder descobrir mais a respeito. Comparado aos sábios, a minha sabedoria está perto do zero. Mas eu busco o saber, só que eu faço do meu jeito, talvez eu entre em caminhos errados, mas é errando que se aprende.

Só um tolo entra em um caminho que claramente é errado.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 20:31:57
Mas se dispõe a fazer declarações sobre o que eles experienciam e por que, o que é mais comprometedor ainda.

Faço sim, sempre deixando bem claro que é uma opinião minha.

Citar
Sério?  E qual seria?  Não vejo nenhuma.

Eu vejo, provavelmente porque estou mais em contato com esse mundo do que você.
Essa é uma opnião minha também, se vc pensa diferente eu aceito sua opnião.

Citar
Sim, é antigo.  Não deixa de ser se drogar por isso.
Se vc prefere jogar os enteogenos e as drogas tudo no mesmo saco o problema é seu, mas saiba que existe uma enorme diferença, mesmo que eles possam ser considerados "drogas" também.

Citar
Só um tolo entra em um caminho que claramente é errado.

Bom, pra mim não é claro. Se for tão claro assim tenho certeza que vou descobrir por mim mesmo, e além do mais, Daime não é algo que se utiliza sempre ou pela vida inteira. Talvez uma unica vez seja o suficiente.

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 14 de Março de 2008, 20:39:53
Alucinação é alucinação, Maurício.  Eu não vejo necessidade alguma de complicar algo tão simples e auto-evidente.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 20:42:06
Alucinação é alucinação, Maurício.  Eu não vejo necessidade alguma de complicar algo tão simples e auto-evidente.


O propósito do enteogeno não é alucinar Luis, é promover o insight ...
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 14 de Março de 2008, 20:43:11
O que não faz sentido algum, claramente.

Não vai ser uma substância que tornará alguém capaz de insight.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 20:44:19
O que não faz sentido algum, claramente.

Pra você né?

Desculpa Luis, mas eu posso te falar isso por experiência própria.

Além do que o uso de enteogenos é difundido em varias culturas, cada um tem sua forma de ver o mundo cara.
Esse pode não ser o melhor jeito, mas é o jeito de alguns.

Vc tb não pode criticar de fora, porque vc não sabe o que rola sem ter a experiência por si mesmo.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 14 de Março de 2008, 20:54:24
Citar
Pra você né?

Para mim também, sim.  Como para qualquer pessoa.

Citar
Desculpa Luis, mas eu posso te falar isso por experiência própria.

Você espera MESMO que eu - que ALGUÉM leve a sério a alegação de que uma substância te ajuda a "ter insights"?  E ainda por cima que isso é algo bem diferente de um alucinógeno?

Citar
Além do que o uso de enteogenos é difundido em varias culturas, cada um tem sua forma de ver o mundo cara.
Esse pode não ser o melhor jeito, mas é o jeito de alguns.

O que não quer dizer nada; muita gente se prejudica e se ilude de várias outras formas também.  Você fala como se "ser difundido em várias culturas" tivesse algum valor na defesa da sua alegação; não tem.

Citar
Vc tb não pode criticar de fora, porque vc não sabe o que rola sem ter a experiência por si mesmo.

Claro que posso.  Não é preciso "ter a experiência" para saber que o que eu ou você somos não muda de nenhuma forma significativa simplesmente porque fumei ou ingeri alguma coisa.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Março de 2008, 23:43:31
Citar
Para mim também, sim.  Como para qualquer pessoa.

Como assim para qualquer pessoa? As pessoas são diferentes Luis, e elas tem opniões diferentes sobre as coisas, se vc acha isso, ok, sem problemas, mas eu penso diferente.

Citar
Você espera MESMO que eu - que ALGUÉM leve a sério a alegação de que uma substância te ajuda a "ter insights"?  E ainda por cima que isso é algo bem diferente de um alucinógeno?
Na verdade eu não espero nada, eu só estou colocando o meu ponto de vista, que por sinal é de algum valor, visto eu tenho alguma experiência no assunto.
A questão principal é que não é só a substância em si que "ajuda" a ter insights. Os enteogenos são coisas muito pessoais, e a experiência vai depender totalmente da pessoa e do contexto no qual ela está sendo utilizada. Um cara que tomá chá de cogumelo só pra ficar doidão e pirar é diferente de alguem que busca alguma coisa e pratica no dia a dia, mas também tem curiosidade sobre essas experiencias.
Eu sei que essa não é a melhor maneira de se atingir um grau de consciência elevado, mas isso também não descarta a possibilidade de que pode ajudar em algum sentido. É dificil falar assim pra alguem que eu nem conheço, não dá pra mostrar o meu ponto de vista, mas eu acho que cada um tem seu caminho, e se nós conseguirmos aprender de algum jeito, já é valido. Tem pessoas que não usam droga nenhuma e vivem na mais completa ignorancia, por causa desses dogmas que nós colocamos como barreiras sobre o que nós desconhemos.

Citar
O que não quer dizer nada; muita gente se prejudica e se ilude de várias outras formas também.  Você fala como se "ser difundido em várias culturas" tivesse algum valor na defesa da sua alegação; não tem.
Não tem valor nenhum realmente, escrevi isso meio na pressa, mas existem culturas onde os enteogenos são parte essêncial como no xamanismo por exemplo, e com certeza eles tem muito mais conhecimento de Si do que essa cultura de consumo ridicula.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 15 de Março de 2008, 02:54:35
Não importa quantas vezes eu ouça essa conversa, ela continua me parecendo inacreditável; eu sei que existe quem veja sentido nela, mas não consigo imaginar que fenômeno poderia levar a esse estado de coisas.

E não, não tenho NENHUMA curiosidade; certas coisas não tem mistério nenhum, são simplesmente esquisitas. :)
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: FZapp em 16 de Março de 2008, 11:49:31
O que não faz sentido algum, claramente.

Não vai ser uma substância que tornará alguém capaz de insight.

Por quê não ?
Por quê as pitonisas exalavam os vapores (tóxicos) da montanha para faer as suas predições ?
Por quê associamos psicotrópicos com experiências religiosas ?

A falta de substância alguma também provoca estados similares, e por isso o jejum.

Então há sim uma conexão entre psicotrópicos, experiência pessoal a partir das alucinações provindas do fato de ter tomado a substância, e experiências religiosas.

Isso é imagino, mais velho que qualquer religião.

Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: FZapp em 16 de Março de 2008, 11:50:36
Não importa quantas vezes eu ouça essa conversa, ela continua me parecendo inacreditável; eu sei que existe quem veja sentido nela, mas não consigo imaginar que fenômeno poderia levar a esse estado de coisas.

E não, não tenho NENHUMA curiosidade; certas coisas não tem mistério nenhum, são simplesmente esquisitas. :)

Você não consegue, mas se há mais de uma pessoa que já te planteou isso, não é tão impensável assim.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: FZapp em 16 de Março de 2008, 11:51:53
Não é bem não ;)
(...)

Tá bom, desculpe a brincadeira. Vamos começar de novo ... deixe-me tentar de novo,... deixe-me tentar mais uma veeeeez, deixe-me tentar de nooooooooovooooooo (estou cantando).
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: FZapp em 16 de Março de 2008, 12:04:03
Ultimamente ando pensando bastante, refletindo e pesquisando a cerca de qual é a verdadeira natureza do nosso Ser.

Esta já é uma pergunta capciosa. Ser tem natureza ? O nosso 'Ser' deve ser escrito em maiúsculas ? Como 'nosso ser' está falando do ser humano, do ser vivo, do Mauricio Rubio ?


Muitos de nós temem a morte, achamos que a morte é o fim, e que com ela, a "nossa" consciência que é "gerada" pelo cerebro, simplesmente desaparece e isso é tudo.

Porém eu começo a compreender que nós vemos as coisas dessa maneira por estarmos vivendo em um nível muito superficial, mesmo entre nós aqui do forum, que são pessoas com um nivel de esclarecimento maior, que dirá a massa populacional.

Muito obrigado pela parte que me toca. Na verdade, o único neste foro REALMENTE inteligente é o cachorro do Luiz Souto :)
Só que nós somos muito 'involuídos' e não entendemos a verdadeira natureza do Ser dele, ... nem mesmo entendemos o que significa 'Wof!' ou quando diz 'wiiiiii' bem baixinho :)

Enfim, fora a brincadeira, queria que refletisse o resto dos seus parágrafos como se estivese escrevendo para um cachorrão bonachão ao seu lado (não, agora não estou brincando). Provavelmente no começo não faça sentido, mas experimente ;)


Quando nos perguntamos, Quem sou eu?
Essa pergunta é respondida de muitas maneiras. Algumas pessoas acham que são o corpo, algumas pessoas acham que são a imagem que passam para os outros, alguns acham que são a personalidade, e alguns que conseguem enchergar mais profundamente veem que são o ego.

E se o ego for mais uma barreira ?

Dica para se livrar de um Hare Krshna: diga para repetir o próximo verso do seguinte verso:

"Quando sua inteligência sobrepassar a densa floresta da ilusão"

que é

"torna-se-á indiferente a tudo que ouviu e tudo que há de ouvir"

Se ele não repetir, diga que está disposto a falar quando tenha lido de verdade sobre sua religião. Touchê.

Se ele repetir, tu tá lascado, mas ainda não encontrei nenhum que o faça, hihihi...

Bom, isso foi escrito faz tempo, nem sei quanto. Então a sua inteligência, ou 'achar que sabe quem é', ainda tem uma floresta de ilusão para sobrepassar.

Para o escritor, essa ilusão é a de achar que somos diferentes, diferentes por exemplo do cachorro do Luiz Souto ("Wof!", diria ele).

Citação de: Mauricio Rubio
Sendo assim, e por não lembrarmos de eventos das nossas vidas passadas, vemos como um fato que a existência é essêncialmente materialista e que tudo o que eu sou é um resultado de interações com o mundo exterior.(...)

Se é que existem vidas passadas, que é mais um conceito que vc pressupõe naturalmente, fato que originou essa rejeição toda dos foristas ao tópico.

Você tem conceitos demais para quem está perguntando, então como parece saber a resposta, foi refutado antes do tempo.

Wof!
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 16 de Março de 2008, 12:40:31
Olá JCatino ;)

Citar
Esta já é uma pergunta capsiosa. Ser tem natureza ? O nosso 'Ser' deve ser escrito em maiúsculas ? Como 'nosso ser' está falando do ser humano, do ser vivo, do Mauricio Rubio ?

Então, o que eu entendo pelo Ser ( com letras maiusculas ) não é esse ser chamado Mauricio Rubio. É o Ser que é a essência de todos os seres. Tanto os seres humanos quanto animais tem um corpo, isso já faz com que eles sejam muito diferentes, porque seus sentidos e sua mente fazem com que esse Ser essência, se manifeste de formas diferentes dentro de cada corpo. Os animais não podem perceber essa essência dentro deles mesmos porque o nivel de auto-conhecimento é praticamente nulo, visto as limitações fisicas que eles tem. Então eles agem quase unicamente pelos sentidos e por instinto ( mente de nivel inferior ). Já o ser humano tem um corpo fisico que permite perceber essa tal essência, porque diferentes dos animais que só olham para fora, nós temos a capacidade de olhar pra dentro de nós mesmos. Só que mesmos nós, somos compostos de varios niveis cada vez mais sutis e que são mais dificeis de serem percebidos. Por exemplo, todos percebemos o mundo externo facilmente, assim como os animais, e isso se dá pelos sentidos. Mas além disso podemos ter consciência das nossas proprias emoções, sentimentos, ideias que já estão em outro nivel, o qual provavelmente alguns animais também tem consciência, como Elefantes e Golfinhos acredito. Além desse nivel podemos perceber que cada um de nós tem uma personalidade distinta, um modo de agir perante o mundo que é influenciado tanto pelo mundo externo, quanto por algo que está dentro de nós desde que nascemos que faz com que ao recebermos as informações provindas dos sentidos e da mente, tomemos decisões diferentes um dos outros em uma situação similar. Eu acredito que nos dias atuais, o corpo e a personalidade são o que definem o eu das pessoas.

Nós construimos por meio dessas experiências externas e internas, um conjunto de caracteristicas que nos prendem a agir de determinada maneira. Por exemplo uma pessoa que sofreu algum trauma na infância, aquilo está presente com ela, limitando-a em determinada situação, que para alguns pode ser completamente normal, mas para essa pessoa não é. Além disso, cada um de nós tem os proprios desejos, as proprias metas que procuram alcançar, apegos, aversões e etc. Isso tudo eu diria que está entre a personalidade e o ego.

Acredito que o ego seja a ultima barreira pessoal de cada ser, chamo de ego o ser interno pessoal de cada um, que está longe do alcance total da consciencia e age num nivel muito sutil, fazendo com que ajamos de determinada maneira em determinada situação. Ao perceber isso, podemos dizer que nós temos um livre-arbitrio limitado. Apesar de termos a opções de escolhas, estamos condicionados por varias variaveis que influenciam na nossa escolha.

Então tudo isso não é o Ser, o Ser está num nivel MUITO mais sutil, é algo intriseco em todos os seres, mas é algo que não é limitado por eles, por exemplo, todos os seres humanos são dotados de uma capacidade extraordinária de desenvolvimento, porém a maioria age somente no nivel dos sentidos e da mente, não tendo consciência dos processos que as controlam, tanto internos, como externos, como no caso da sociedade por exemplo, que dita a maneira de agir, e as pessoas agem quase cegamente.

Então acredito, que quanto mais conscientes estamos dos processos que compoe nosso ser, mais estamos aptos a viver uma vida com maior liberdade e plenitude.

Citar
E se o ego for mais uma barreira ?

Portanto eu vejo que sim, o ego é uma barreira imensa para podermos exercer todo o nosso protencial intriseco, agindo conforme nossos sentidos, sentimentos, personalidade e ego, nós estamos nos limitando, porque o potencial do Ser pleno, é infinito, ele não é limitado por nenhuma das barreiras inferiores.

Citar
Dica para se livrar de um Hare Krshna: diga para repetir o próximo verso do seguinte verso:

"Quando sua inteligência sobrepassar a densa floresta da ilusão"

que é

"torna-se-á indiferente a tudo que ouviu e tudo que há de ouvir"

Se ele não repetir, diga que está disposto a falar quando tenha lido de verdade sobre sua religião. Touchê.

Se ele repetir, tu tá lascado, mas ainda não encontrei nenhum que o faça, hihihi...

Bom, isso foi escrito faz tempo, nem sei quanto. Então a sua inteligência, ou 'achar que sabe quem é', ainda tem uma floresta de ilusão para sobrepassar.

Eu conheço esse ditado também hehe, mas eu acho que nós temos que subir nivel por nivel, talvez alguns seres humanos já estejam num nivel de consciencia tão alto, que por si só conseguem ver o que os outros não veem e subir até os patamares mais altos da existencia sozinhos. Porém eu acredito que os ensinamentos, tanto pelos mestre, tanto por conversa e reflexão, tanto por leituras e outras inumeras formas de conhecimento são importantes sim, para podermos ver o caminho com mais clareza, mas como eu havia falado, só ler e ficar no nivel superficial não adianta nada, porque aquilo vai continuar sendo só mais uma teoria na sua cabeça. Mas a partir do momento em que vc tem a percepção direta, ai sim vc entende por si mesmos o significado de tudo aquilo que estava só em teoria e passa a perceber na pratica, acho que é isso que eles querem dizer com essa frase.

Citar
Para o escritor, essa ilusão é a de achar que somos diferentes, diferentes por exemplo do cachorro do Dodô ("Wof!", diria ele).

Pois é, visto que em essência somos todos iguais, achar que somos diferentes é só uma ilusão. O Absoluto é UM, porém nós não conseguimos perceber a Realidade, então por causa da nossa ignorância nós só percebemos Maya, que é a ilusão originada pela limitação dos sentidos e da mente.

Citar
Se é que existem vidas passadas, que é mais um conceito que vc pressupõe naturalmente, fato que originou essa rejeição toda dos foristas ao tópico.
Bom, mas que existem vidas passadas é um tanto óbvio, não que seja a vida passada desse Mauricio Rubio que está discutindo aqui, não é a vida passada da personalidade nem do ego. É a vida passada do Eu ( que pode ser impessoal ), que é essa essência que está em todos os seres. Porem as vidas passadas também influenciam nossas vidas presentes por meio da lei da causualidade. Nós podemos perceber isso em um ambito geral fácilmente, porém é dito pelos sábios que as ações individuais também influenciam a proxima vida do individuo que agiu. Porém como isso está fora da minha percepção, fica dificil eu opniar, mas também não me faz descartar a possibilidade.

Citar
Você tem conceitos demais para quem está perguntando, então como parece saber a resposta, foi refutado antes do tempo.
Concordo que tenho muitos conceitos :D porém essa é minha maneira de buscar as coisas, não é que eu já tenho as respostas, mas eu estou tentando colocar da forma mais clara possivel minha maneira pessoal de pensar. Mas o intuito do tópico é exatamente cada um colocar seu ponto de vista e analisarmos essa questão juntos, para chegar num nivel de compreensão maior.

Abraços :D
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: FZapp em 16 de Março de 2008, 12:47:37
Citar
Os animais não podem perceber essa essência dentro deles mesmos porque o nivel de auto-conhecimento é praticamente nulo, visto as limitações fisicas que eles tem. Então eles agem quase unicamente pelos sentidos e por instinto ( mente de nivel inferior ).

Wof !

Citar
Já o ser humano tem um corpo fisico que permite perceber essa tal essência, porque diferentes dos animais que só olham para fora, nós temos a capacidade de olhar pra dentro de nós mesmos.

Wof wof !

wiii...
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 16 de Março de 2008, 18:34:51
Esse é um dos cantos do Bhagavad Gita que eu mais gosto, esse sim é um livro que vale bastante a pena ser lido e refletido.

REVELAÇÃO DA VERDADE

Fala Sanjaya:

1. A ele, que estava repleto de amargura e com os olhos cheios de lágrimas, dirigiu-se Madhusudana e o consolou com as seguintes palavras:

Fala Krishna:

2. Neste momento decisivo, ó Arjuna, por que te entregas a semelhante desânimo, indigno de um Ariano e que te fecha os céus?

3. Não cedas à fraqueza, que de nada serve. Enche-te de coragem contra teus inimigos e sê o que realmente és!

Fala Arjuna:

4. Mas, como posso lutar, ó Madhusudana, e lançar flechas contra Bhisma e Drohna, que ambos merecem reverência e simpatia?

5. Bem melhor seria comer pão mendigado neste mundo do que trucidar esses grandes chefes. E, se os matasse, manchado de sangue, que seriam toda minha riqueza e os prazeres da Terra?

6. Melhor seria sucumbir às mãos deles, donde deriva gozo e felicidade, do que matá-los, a esses, sem os quais não teria fim o vácuo da minha vida.

7. Com a alma repleta de temor e compaixão, eu te suplico, Senhor, faze-me saber qual o caminho certo. Eu, teu discípulo, me refugio a Tí para saber o que devo fazer e deixar de fazer.

8. De que me serviria um reino próspero, se não me libertar da culpa? De que me serve possuir o mundo, se os que amo não mais existem?

Fala Sanjaya:

9. Assim falava Arjuna ao Senhor dos corações. "Não, não quero lutar!", suspirou - e calou-se.

10. Krishna, porém, sorrindo benevolamente, ali mesmo, em face dos dois exércitos, assim falou ao desanimado:

Fala Krishna:

11. Andas triste por algo que tristeza não merece - e tuas palavras carecem de sabedoria. O sábio, porém, não se entristece com nada, nem por causa dos mortos nem por causa dos vivos.

12. Nunca houve tempo em que eu não existisse, nem tu, nem algum desses príncipes - nem jamais haverá tempo em que algum de nós deixe de existir em seu Ser real.

13. O verdadeiro Ser vive sempre. Assim como a alma incorporada experimenta infância, maturidade e velhice dentro do mesmo corpo, assim passa também de corpo a corpo - sabem os iluminados e não se entristecem.

14. Quando os sentidos estão identificados com objetos sensórios, experimentam sensações de calor e de frio, de prazer e de sofrimento - estas coisas vêm e vão; são temporárias por sua própria natureza. Suporta-as com paciência!

15. Mas quem permanece sereno e imperturbável no meio do prazer e do sofrimento, somente esse é que atinge a imortalidade.

16. O que é irreal não existe, e o que é real nunca deixa de existir. Os videntes da Verdade compreendem a íntima natureza tanto disto como daquilo, a diferença entre o ser e o parecer.

17. Compreende como certo, ó Arjuna, que indestrutível é aquilo que permeia o Universo todo; ninguém pode destruir o que é imperecível, a Realidade.

18. Perecíveis são os corpos, esses templos do espírito - eterna, indestrutível, infinita é a alma que neles habita. Por isto, ó Arjuna, luta!

19. Quem pensa que a Alma, o Eu, que mata, ou o Eu que morre, não conhece a Verdade. O Eu não pode matar nem morrer.

20. O Eu nunca nasceu nem jamais morrerá. E uma vez que existe, nunca deixará de existir. Sem nascimento, sem morte, imutável, eterno - sempre ele mesmo é o Eu, a alma. Não é destruído com a destruição do corpo (material).

21. Quem sabe que a alma de tudo é indestrutível e eterna, sem nascimento nem morte, sabe que a essência não pode morrer, ainda que as formas pereçam.

22. Assim como o homem se despoja de uma roupa gasta e veste roupa nova, assim também a alma incorporada se despoja de corpos gastos e veste corpos novos.

23. Armas não ferem o Eu, fogo não o queima, águas não o molham, ventos não o ressecam.

24. O Eu não pode ser ferido nem queimado; não pode ser molhado nem ressecado - ele é imortal; não se move nem é movido, e permeia todas as coisas - o Eu é eterno.

25. Para além dos sentidos, para além da mente, para além dos efeitos da dualidade habita o Eu. Pelo que, sabendo que tal é o Eu, por que te entregas à tristeza ó Arjuna?

26. Se o ego está sujeito às vicissitudes de nascer e morrer, nem por isto deves entristecer-te, ó Arjuna.

27. Inevitável é a morte para os que nascem; todo morrer é um nascer - pelo que, não deves entristecer-te por causa do inevitável.

28. Imanifesto é o princípio dos sêres; manifesto o seu estado intermediário; e imanifesto é também o seu estado final. Por isto, ó Arjuna, que motivo há para a tristeza?

29. Alguns conhecem o Eu como glorioso; alguns falam dele como glorioso; outros ouvem falar dele como glorioso; e outros, embora ouçam, nada compreendem.

30. Eterno e indestrutível é o Eu, que está sempre presente em cada ser. Por isto, ó Arjuna, não te entristeças com coisa alguma.

31. De mais a mais, visando o teu próprio dever, não vaciles, porquanto, para um príncipe da classe dos guerreiros, nada é superior à uma guerra justa.

32. Felizes deveras são os guerreiros chamados a lutar numa batalha dessa natureza, que lhes vem espontaneamente como uma porta aberta para os céus.

33. Mas, se você se negar a cumprir o seu dever de combater nesta luta, incorrerá em pecado e perderá para sempre sua fama de guerreiro.

34. Todos irão comentar sua infame conduta e para quem se respeita, desonra é pior que a morte.

35. Todos estes generais que lhe têm em alta conta, por seu nome e sua fama, certamente irão pensar que foi somente por medo que você não quis lutar.

36. Todos seus inimigos falarão mal de você, demonstrando menosprêzo pelas suas qualidades. O que poderia ser mais doloroso que isso?

37. Ó bravo filho de Kunti, ou você morre na luta e vai viver outra vida nos mundos celestiais ou, se vencer, você vive para gozar nesta Terra. Por isso, lute com fé.

38. Lute apenas por lutar sem pensar em perda ou ganho, em alegria ou tristeza, em vitória ou em derrota, pois, agindo desse modo, você nunca pecará.

39. Até aqui Eu lhe falei do conhecimento obtido pelo estudo analítico da filosofia Sankhya. Ouça agora o que direi ó descendente de Bhárata, sobre o trabalho que é feito sem apego a resultados, que livra do cativeiro do trabalho mercenário.

40. Nesta via não há perda e nenhum esforço é em vão, e um pequeno avanço nela liberta do grande medo.

41. Amado filho dos kurus, quem segue por esta via de maneira resoluta possui a mente indivisa. Mas a mente do indeciso segue muitas direções.

42-43. Falsos adeptos dos Vedas desejosos de prazeres, de riqueza e de poder, faze ritos para entrar nos mundos celestiais. Eles ficam fascinados pelo linguajar florido dos antigos textos védicos, e só crêem no que existe para o gozo dos sentidos.

44. Na mente dos apegados aos prazeres dos sentidos e à riqueza material e que por isso se iludem, não ocorre a decisão de prestar serviço a Deus.

45. Os Vedas tratam das três qualidades da matéria. Eleve-se acima delas, livre-se das dualidades e do desejo de posse, Arjuna, e fixe-se no Eu.

46. O propósito cumprido pela pequena cisterna cumpre-se melhor ainda pela fonte abundante. Igualmente as intenções expressas nas escrituras cumprem-se completamente por quem conhece os propósitos que se ocultam por trás delas.

47. O direito que é devido é o de cumprir a missão e não o de reclamar o resultado da ação. Não considere a si mesmo o objetivo dos seus atos nem se prenda à inação.

48. Fixando a mente na yoga, abandonando o desejo de vitória ou de derrota, execute o seu trabalho sem apego ao resultado.

49. Ó ganhador de riquezas, liberte-se do trabalho motivado pelo lucro mantendo-se bem distante das ações abomináveis. Os míseros avarentos é que querem desfrutar dos resultados da ação. Quem é consciente de Mim serve-Me com devoção.

50. A pessoa que se ocupa em servir com devoção encontra-se liberada de todas as reações. Por isso pratique yoga que é fazer tudo com arte.

51. Os que fazem seu trabalho com inteira devoção, sem apego a resultados, conseguem se libertar do nascimento e da morte atingindo a perfeição.

52. Quando sua inteligência conseguir ultrapassar a floresta da ilusão, você então se tornará totalmente indiferente ao que se disse ou dirá.

53. Se sua mente resiste ao florido linguajar dos antigos textos védicos e permanece fixada em transe transcendental, então você realiza a consciência divina.

Arjuna fala:

54. Como se mostra a pessoa que atingiu a transcendência, em que língua ela se expressa, como se senta e caminha?

O Supremo Senhor fala:

55. Quando um homem renuncia aos desejos dos sentidos engendrados pela mente, obtendo contentamento unicamente no Eu, diz-se então que alcançou a consciência divina.

56. Quem está sempre tranquilo apesar das três misérias; quem não se deixa exaltar quando há felicidade; quem está livre do apego; quem não tem ódio nem medo; merece o nome de Sábio.

57. Neste mundo transitório quem não se deixa afetar pelo bem ou pelo mal que poderão sobrevir, sem louvá-lo ou maldizê-lo, já se encontra situado na consciência divina.

58. Aquele que for capaz de retirar os sentidos de todos os seus objetos assim como a tartaruga recolhe os membros no casco, deve ser considerado um ser auto-realizado.

59. A alma corporificada consegue renunciar aos prazeres dos sentidos muito embora ela não perca o sentido do prazer. Porque, depois de provar o gozo transcendental, ela fixa a consciência.

60. Os sentidos são tão fortes que conseguem arrastar mesmo a mente do homem sóbrio que se esforça por domá-los.

61. Quem controla os seus sentidos concentrando-se em Mim pode ser considerado um homem de mente estável.

62. Ao contemplar os objetos a eles nos apegamos, do apego vem a luxúria, e da luxúria a ira.

63. Da ira vem a ilusão, a ilusão turba a memória. A memória confundida desbarata a inteligência, e quando esta se destrói cai-se de novo no poço.

64. Quem controla os seus sentidos por praticar os princípios da liberdade regrada recebe misericórdia e então fica liberado da aversão e do desejo.

65. E para quem recebeu misericórdia divina já não existem misérias, e a inteligência fixa-se nessa condição feliz.

66. Sem consciência divina a mente não se controla nem se fixa a inteligência, sem o quê, não existe a paz. E onde não existe paz, pode haver felicidade?

67. Assim como um vento forte leva um barco mar afora, apenas um dos sentidos em que a mente se detenha pode levar para longe a inteligência do homem.

68. Arjuna de braços fortes, aquele cujos sentidos estão livre dos objetos, tem a inteligência firme.

69. O que é noite para todos é tempo de despertar para os autocontrolados. E o que é manhã para todos, para o pensativo é noite.

70. Quem não se deixa agitar pelo fluir dos desejos que entram qual rios no mar, que no entanto fica estável, é o único que tem paz; não aceite aquele que se esforça por saciar seus desejos.

71. A pessoa que abandona o sentimento de posse e os desejos dos sentidos, desprovida de egoísmo, alcança a paz verdadeira.

72. Eis o caminho da vida, divina e espiritual, onde não existe engano. Indo por este caminho, mesmo na hora da morte, chega-se ao Reino de Deus.

Para quem se interessar custa 10 reais o livro no submarino e também tem ele traduzido nesse site:
http://www.amorcosmico.com.br/hinduismo/bhagavad/gita.asp

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Orbe em 17 de Março de 2008, 01:20:47
Parei aqui:

REVELAÇÃO DA VERDADE
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: FZapp em 17 de Março de 2008, 08:55:52
Orbe, vc não precisa obedecer nem seguir tudo isso, mas é interessante, tanto do ponto de vista antropológico quanto humano mesmo, afinal é a nossa historia.

Também tem essas coisas como 'O Senhor Supremo fala' mas tem que relevar essas invocações de autoridade e se ater à mensagem.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 17 de Março de 2008, 09:57:17
Sobre drogas, Eduardo Pinheiro escrever este texto tempos atrás:

http://dantas.editme.com/files/textos/psicodelicos.1.htm
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 17 de Março de 2008, 16:35:01
Sobre drogas, Eduardo Pinheiro escrever este texto tempos atrás:

http://dantas.editme.com/files/textos/psicodelicos.1.htm

Dantas, eu parte eu concordo sim com o que o autor diz, que a partir do momento em que buscamos alguma coisa, somos levados para longe do que É. Mas eu também acho que ele exagera dizendo que os alucinogenos, ou seriam enteogenos? Não possam trazer nenhum beneficio.
Muitas vezes nós estamos muito presos em certas barreiras dentro de nós mesmos, principalmente vivendo numa sociedade como a nossa, e eu acho que esses estados alterados de consciencia ajudam a ter insights sobre nossas proprias barreiras e nos colocam acima dos nossos proprios egos, ajudando a dissolve-lo.

Mas é claro que essas substancias tambem limitam, isso é um fato. Eu mesmo tenho curiosidade de experimentar para ver como é, mas não gostaria de depender de nada disso, mas vivendo numa sociedade como a nossa algumas pessoas veem isso como um meio de se libertar, porque estamos tão presos que não vemos mais alternativas. Eu concordo também que isso seja ilusão. Mas nós estamos tão imersos nessa gigantesca ignorância que Ver qual o melhor caminho a seguir, e segui-lo talvez não seja tão simples assim.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 17 de Março de 2008, 18:35:51
Mas eu também acho que ele exagera dizendo que os alucinogenos, ou seriam enteogenos? Não possam trazer nenhum beneficio.

Ele não disse isso.  Disse que não faz sentido correr os riscos.

Citar
Muitas vezes nós estamos muito presos em certas barreiras dentro de nós mesmos, principalmente vivendo numa sociedade como a nossa, e eu acho que esses estados alterados de consciencia ajudam a ter insights sobre nossas proprias barreiras e nos colocam acima dos nossos proprios egos, ajudando a dissolve-lo.

O problema, Mauricio, é que depender de substâncias externas à sua bioquímica TEM efeito.  Mas não há como garantir que esses efeitos sejam saudáveis a médio prazo, principalmente por serem externas.

Citar
Mas é claro que essas substancias tambem limitam, isso é um fato. Eu mesmo tenho curiosidade de experimentar para ver como é, mas não gostaria de depender de nada disso, mas vivendo numa sociedade como a nossa algumas pessoas veem isso como um meio de se libertar, porque estamos tão presos que não vemos mais alternativas.

Por curiosidade: o que você acha que nossa sociedade tem de diferente das outras nesse particular?

Citar
Eu concordo também que isso seja ilusão. Mas nós estamos tão imersos nessa gigantesca ignorância que Ver qual o melhor caminho a seguir, e segui-lo talvez não seja tão simples assim.

Continuo sem entender qual é a sua dúvida.  Se não é "tão simples assim", não será com intoxicação que se tornará mais simples.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 17 de Março de 2008, 20:17:29

Ele não disse isso.  Disse que não faz sentido correr os riscos.

Ele disse também que não tráz nenhum beneficio real, só ilusão.

Citar
O problema, Mauricio, é que depender de substâncias externas à sua bioquímica TEM efeito.  Mas não há como garantir que esses efeitos sejam saudáveis a médio prazo, principalmente por serem externas.

Isso pra mim é o de menos, experimentar Daime algumas vezes na vida, é muito menos prejudicial e muito mais benéfico do que fumar ou beber por exemplo. E essas são praticas que são amplamente aceitas. Não querendo justificar um pelo outro, mas ja li sobre casos de culturas ( no norte do Brasil ) em que os individuos utilizam ayahuasca semanalmente, durante décadas e não há vestigios claros de danos permanentes no cerebro. Também não é justificativa, mas como vc disse, faltam estudos tanto por um lado, quanto pelo outro.

Citar
Por curiosidade: o que você acha que nossa sociedade tem de diferente das outras nesse particular?
A diferença é que nossa sociedade é focada em coisas completamente sem sentido e sem valor, talvez não só a nossa, mas a grande maioria. Só que eu vivo nessa e não consigo entender essa vida que nós levamos. Para mim esse esforço tremendo que nós temos que fazer para viver essa vida que não leva a lugar nenhum é que é loucura.

Citar
Continuo sem entender qual é a sua dúvida.  Se não é "tão simples assim", não será com intoxicação que se tornará mais simples.
Continuo afirmando que os enteogenos provocam insights, talvez não num nivel transcendental, mas insights que afetam nosso ser e nossa maneira de viver, e na grande maioria dos casos que eu conheço ( senão em TODOS ) as pessoas passam a dar mais valor para o que realmente vale a pena ser valorizado e criam um sentido mais verdadeiro para suas vidas, ficam mais conscientes de si mesmas e de suas atitudes perante os outros, e buscam sempre mudar pra melhor, e não ficar estagnado como a grande maioria.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 17 de Março de 2008, 20:40:53
Relato de uma experiência:
http://ivanlagunna.spaces.live.com/blog/cns%21766EF0F31F1EB501%21493.entry
Lembrando que os relatos e as palavras não são NADA comparados a experiência direta.

Ayahuasca não é brincadeira, não é droga, é auto-conhecimento.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 18 de Março de 2008, 09:00:43
Ele disse também que não tráz nenhum beneficio real, só ilusão.

HAVIA alguma dúvida a esse respeito?!? :)

Citar
Citar
O problema, Mauricio, é que depender de substâncias externas à sua bioquímica TEM efeito.  Mas não há como garantir que esses efeitos sejam saudáveis a médio prazo, principalmente por serem externas.

Isso pra mim é o de menos, experimentar Daime algumas vezes na vida, é muito menos prejudicial e muito mais benéfico do que fumar ou beber por exemplo. E essas são praticas que são amplamente aceitas. Não querendo justificar um pelo outro, mas ja li sobre casos de culturas ( no norte do Brasil ) em que os individuos utilizam ayahuasca semanalmente, durante décadas e não há vestigios claros de danos permanentes no cerebro.

E daí, Maurício?

Dano no cérebro é apenas um dos prejuízos decorrentes do uso de entorpecentes.  Um dos mais raros e extremos.

Citar
Também não é justificativa, mas como vc disse, faltam estudos tanto por um lado, quanto pelo outro.

O que eu digo é que não há necessidade de estudos; depender de química externa ao próprio organismo é furada mesmo, basta um pouco de raciocínio para perceber.

Citar
Citar
Por curiosidade: o que você acha que nossa sociedade tem de diferente das outras nesse particular?
A diferença é que nossa sociedade é focada em coisas completamente sem sentido e sem valor, talvez não só a nossa, mas a grande maioria. Só que eu vivo nessa e não consigo entender essa vida que nós levamos. Para mim esse esforço tremendo que nós temos que fazer para viver essa vida que não leva a lugar nenhum é que é loucura.

Então você não está buscando um substituto químico para um problema social?  Isso é perigoso, entre outros motivos porque você está combatendo a sensação, e não a causa da sensação.  Por isso corre um risco enorme de cair na dependência, no desequilíbrio bioquímico irreversível e no vício.

Citar
Citar
Continuo sem entender qual é a sua dúvida.  Se não é "tão simples assim", não será com intoxicação que se tornará mais simples.
Continuo afirmando que os enteogenos provocam insights, talvez não num nivel transcendental, mas insights que afetam nosso ser e nossa maneira de viver, e na grande maioria dos casos que eu conheço ( senão em TODOS ) as pessoas passam a dar mais valor para o que realmente vale a pena ser valorizado e criam um sentido mais verdadeiro para suas vidas, ficam mais conscientes de si mesmas e de suas atitudes perante os outros, e buscam sempre mudar pra melhor, e não ficar estagnado como a grande maioria.

Insights podem ser conseguidos de formas mais seguras; você deve ter percebido que todo bêbado jura que é mais inteligente do que os outros.  Não é muito diferente com a maconha ou o Daime.

O que acaba fazendo alguma diferença, muitas vezes, é a mudança de estrutura social que acompanha grupos de daime ou mesmo rodas de fumo; solidariedade CONTA.

Mas não é por isso que vou dar bola para essas histórias de "enteógenos"... :)
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 18 de Março de 2008, 09:02:35
Relato de uma experiência:
http://ivanlagunna.spaces.live.com/blog/cns%21766EF0F31F1EB501%21493.entry
Lembrando que os relatos e as palavras não são NADA comparados a experiência direta.

Ayahuasca não é brincadeira, não é droga, é auto-conhecimento.

Duas palavras: "evidência anedota".

Duas outras palavras: "auto-ilusão".

Uma frase completa: "apologia ao uso de drogas é ilegal".  Tudo bem que tecnicamente a Ayahuasca é legal (desgraçadamente), mas fique atento.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 18 de Março de 2008, 09:50:22
Bom Luis, nós temos opniões bem distintas a respeito do assunto. Eu respeito sua opnião, mas também acho que você se fecha demais a respeito desse assunto, então não adianta muito a gente ficar discutindo.
Mas fora esse pequeno desvio no tópico, se alguem tiver mais algo a adicionar sobre o que foi proposto, estou disposto a continuar a discussão.

Abraços.
Título: Quem? Eu?
Enviado por: Schopenhauer em 31 de Março de 2008, 13:06:16
Eu... eugoísmo, que faz do homem o inimigo do homem, advém da ilusão de vontades independentes que afirmam seus ímpetos individuais. A superação do egoísmo somente é possível mediante o conhecimento da natureza única universal da Vontade. E falta-me exatamente isto: vontade de falar sobre mim mesmo. Fui! :P
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Erivelton em 06 de Abril de 2008, 18:51:25
O Eu, nada mais é que uma fonte vital vinda de uma energia cósmica.
Este fôlego da vida está interligado a um super computador celestial.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 06 de Abril de 2008, 19:13:33
Eu... eugoísmo, que faz do homem o inimigo do homem, advém da ilusão de vontades independentes que afirmam seus ímpetos individuais. A superação do egoísmo somente é possível mediante o conhecimento da natureza única universal da Vontade. E falta-me exatamente isto: vontade de falar sobre mim mesmo. Fui! :P
Assino em baixo.

O Eu, nada mais é que uma fonte vital vinda de uma energia cósmica.
Este fôlego da vida está interligado a um super computador celestial.

O que torna desnecessária a nomenclatura teísta, com o uso de uma palavra e conceito que já não cabem mais nessa descrição.

O físico indiano Amit Goswami utilizada o termo Universo Autoconsciente e tem um livro com esse nome. Ele até usa como sinônimo de deus, mas é uma palavra que só prejudica a humanidade. Deve ser eliminada, devido as guerras religiosas que existem em torno deste conceito.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Erivelton em 06 de Abril de 2008, 19:48:28
Deus é uma ciência na qual ninguém entenderá
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 06 de Abril de 2008, 19:53:19
Ateísmo é uma ciência que os teísta não entendem  :wink:
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Alenônimo em 06 de Abril de 2008, 22:34:12
Deus é uma ciência na qual ninguém entenderá

Tens razão. Ninguém entende o nada.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 07 de Abril de 2008, 09:15:59
Nomes ..., palavras ..., eu sou ateu, eu acredito em deus, sou isso, sou aquilo. Enquanto o "eu sou" continuar existindo não poderemos compreender a verdade.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 07 de Abril de 2008, 09:20:21
Nesse caso, o que você quer compreender?
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 07 de Abril de 2008, 09:24:30
Nesse caso, o que você quer compreender?

Compreender os aspectos da existência, ou talvez uma palavra melhor seja Ver. Mas ver de uma maneira que não existam conceitos, ver e compreender pelo insight.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 07 de Abril de 2008, 09:26:26
Será que na prática isso não é simplesmente treinar a mente para não se impressionar tão facilmente?
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Jeanioz em 07 de Abril de 2008, 09:27:21
O que me deixa puto da cara é quando a busca pelo "Eu" faz o indivíduo virar um maconheiro. :umm:

Sinceramente, o "Eu" é o que você é e o que você faz. Não é o que Sanjaya, Krishna ou Arjuna disseram, nem o que uma ideologia define, ou o que você sente quando está chapado ( :umm: ), uma vez que a busca do "Eu" está na consciência de cada um e de uma auto-análise (em plena consciência) de seus pensamentos e suas ações SEM INTERVENÇÃO EXTERNA.

Se houver intervenção externa isso já não pode mas ser considerado de "busca pelo Eu" e sim de "busca pelo que os outros querem que seja o 'Eu'".
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 07 de Abril de 2008, 09:35:23
O que me deixa puto da cara é quando a busca pelo "Eu" faz o indivíduo virar um maconheiro. :umm:

Sinceramente, o "Eu" é o que você é e o que você faz. Não é o que Sanjaya, Krishna ou Arjuna disseram, nem o que uma ideologia define, ou o que você sente quando está chapado ( :umm: ), uma vez que a busca do "Eu" está na consciência de cada um e de uma auto-análise (em plena consciência) de seus pensamentos e suas ações SEM INTERVENÇÃO EXTERNA.

Se houver intervenção externa isso já não pode mas ser considerado de "busca pelo Eu" e sim de "busca pelo que os outros querem que seja o 'Eu'".

Quanto preconceito contra os maconheiros ... cada um faz o que quiser da própria vida, e que arque com as consequências.
O problema é que as pessoas só veem as coisas pelo lado da sociedade, encher o cú de alcool está ótimo, mas fumar um baseado é sempre associado com termos pejorativos, como "maconheiro".

Além disso, o Eu, a que eu me referi é a "consciência" ( Se é que é essa a palavra ) em sua plenitude, não é o que eu ou você fazemos, o Eu não é o ego. O Eu é igual em mim e em você, é igual em um cachorro ou um cavalo.

Realmente não existe isso de alcançar o Eu, porque o Eu já está aqui, sempre esteve e sempre estará. O que nós temos que fazer é conseguir percebe-lo, e para isso o ego tem que sair de cena.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Jeanioz em 07 de Abril de 2008, 09:43:30
Quanto preconceito contra os maconheiros ... cada um faz o que quiser da própria vida, e que arque com as consequências.
O problema é que as pessoas só veem as coisas pelo lado da sociedade, encher o cú de alcool está ótimo, mas fumar um baseado é sempre associado com termos pejorativos, como "maconheiro".

Além disso, o Eu, a que eu me referi é a "consciência" ( Se é que é essa a palavra ) em sua plenitude, não é o que eu ou você fazemos, o Eu não é o ego. O Eu é igual em mim e em você, é igual em um cachorro ou um cavalo.

Realmente não existe isso de alcançar o Eu, porque o Eu já está aqui, sempre esteve e sempre estará. O que nós temos que fazer é conseguir percebe-lo, e para isso o ego tem que sair de cena.

Também não gosto de cachaceiros. :hihi:

Sim, cada um faz o que quiser da própria vida, e que arque com as consequências. Mas que arquem sozinhos, o que nem sempre acontece...

E sobre o Eu: sim, o Eu está conosco, pelo menos até aqui concordamos. :hihi:

Porém, como pode o Eu ser igual para mim e ser igual para você, para um cachorro e um cavalo? O "Eu" sou eu, logo está relacionado apenas comigo e isso não é egoísmo. E percebe-lo é simples uma vez que é necessário apenas uma auto-análise sobre o que fazemos e o que pensamos e sentimos.

A menos que você tenha uma idéia diferente sobre o "Eu" que seja diferente de "indivíduo", como se o "Eu" fosse uma entidade ou um deus (lá vem ::) )...
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 07 de Abril de 2008, 09:57:25
Citação de: Jeanioz
Também não gosto de cachaceiros. :hihi:

Sim, cada um faz o que quiser da própria vida, e que arque com as consequências. Mas que arquem sozinhos, o que nem sempre acontece...

As pessoas fazem muitas coisas que prejudicam as outras, não somente quando estão "chapadas", ou bebadas ( embora a possibilidade seja maior ), mas as pessoas estão sempre prejudicando as outras, com palavras, com atitudes, em casa, no trabalho vc não acha?

Citação de: Jeanioz
E sobre o Eu: sim, o Eu está conosco, pelo menos até aqui concordamos. Hihi!

Porém, como pode o Eu ser igual para mim e ser igual para você, para um cachorro e um cavalo. O "Eu" sou eu, logo está relacionado apenas comigo e isso não é egoísmo. E percebe-lo é simples uma vez que é necessário apenas uma auto-análise sobre o que fazemos e o que pensamos e sentimos.

A menos que você tenha uma idéia diferente sobre o "Eu" que seja diferente de "indivíduo", como se o "Eu" fosse uma entidade ou um deus (lá vem Rolling Eyes )...

Se o Eu é a consciência plena, pura como ele pode ser diferente em mim e em você? Em um cachorro ou um cavalo? O Eu é igual, o que muda é aonde o Eu está presente, porque os sentidos, as percepções, a personalidade, o ego. Todas essas coisas mascaram o Eu, que está no mais profundo interior de todos os seres. Portanto para percebe-lo precisamos nos livrar de tudo que impede que o vejamos com clareza.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 07 de Abril de 2008, 10:16:42
Luis, depois que vc colocou alguns pontos nesse tópico, eu dei uma pesquisada no conceito de anatman, e pelo que eu li, o budismo diz que não existe o eu ou alma individual, mas que existe uma natureza búdica, ou um estado, ou coisa que está presente em todos os seres, ou em todas as coisas, pude entender que talvez isso seja o estado absoluto da realidade.

Porém o atman não é exatamente isso também? Pelo que eu entendo, o atman não é algo individual, diz-se que o atman é brahman, o atman é o absoluto, então qual é a grande diferença entre o atman e o anatman?
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Jeanioz em 07 de Abril de 2008, 10:17:18
As pessoas fazem muitas coisas que prejudicam as outras, não somente quando estão "chapadas", ou bebadas ( embora a possibilidade seja maior ), mas as pessoas estão sempre prejudicando as outras, com palavras, com atitudes, em casa, no trabalho vc não acha?

Acho sim, mas uma coisa não justifica a outra. Prejudicar outras pessoas é algo condenável e se esse tipo de ação é estimulada por drogas então as drogas também são condenáveis.

Se o Eu é a consciência plena, pura como ele pode ser diferente em mim e em você? Em um cachorro ou um cavalo? O Eu é igual, o que muda é aonde o Eu está presente, porque os sentidos, as percepções, a personalidade, o ego. Todas essas coisas mascaram o Eu, que está no mais profundo interior de todos os seres. Portanto para percebe-lo precisamos nos livrar de tudo que impede que o vejamos com clareza.

Eu li os outros posts do tópico. Então o que você chama de "Eu" na verdade é a tal "Iluminação", não é?

Pois bem, então falamos de "Iluminação": você pode citar o que significa, na prática e com exemplos, o que é de fato a Iluminação? O que significa, novamente na prática e com exemplos, livrar dos sentidos, das percepções, da personalidade e do ego?

E uma questão que muito me preocupa: não é realmente necessário eu usar alucinógenos, não é? ::)
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 07 de Abril de 2008, 10:31:44
Citar
Eu li os outros posts do tópico. Então o que você chama de "Eu" na verdade é a tal "Iluminação", não é?

Pois bem, então falamos de "Iluminação": você pode citar o que significa, na prática e com exemplos, o que é de fato a Iluminação? O que significa, novamente na prática e com exemplos, livrar dos sentidos, das percepções, da personalidade e do ego?

E uma questão que muito me preocupa: não é realmente necessário eu usar alucinógenos, não é? ::)

Não é que o Eu seja a Iluminação, a Iluminação é a percepção do Eu.

Não, não é necessário o uso de alucinógenos, alucinógenos são prejudiciais, porém existem drogas alucinógenas como o LSD por exemplo, e plantas enteógenas como a Ayahuasca ( Santo Daime ). Que são BEM diferentes. Mas nenhum dos dois é necessário, e acho que se o individuo não souber exatamente o que procura e não tiver discernimento, pode faze-lo continuar iludido, porém é um fato que os enteogenos provocaram insights imensos, principalmente nas pessoas que estão completamente ignorantes sobre a Realidade, e pode ajuda-las a encontrar uma luz para seguir um caminho melhor para si mesmo e para os outros.

Porém eu acho que precisar de enteogenos já é uma forma forte de apego, o que dificulta e muito a iluminação, então temos que ter muito cuidado, acho que não dá pra generalizar muito nesse ponto porque depende muito da própria pessoa.

Sobre os exemplos, o que eu posso te falar é o que eu acho. Como falei no começo do tópico, se eu penso:
Eu sou este corpo, eu me apego e não posso perceber minha real identidade porque minha mente é ignorante e eu não consigo perceber as coisas como elas são. Se eu penso, eu sou essas sensações, continuo ignorante, se eu penso, eu sou a mente, a personalidade, o ego, a consciência, eu continuo ignorante e não vejo as coisas como elas são.

A meditação sem duvida nenhuma é a ferramenta mais adequada para perceber essas coisas, quanto vc percebe que não é o corpo, nem os sentidos, nem a mente, você passa a não ser mais afetado por eles. O que acontece depois disso eu não sei, porque eu não cheguei lá, mas é algo como não ter conceitos, teorias ou idéias sobre as coisas, vc não ve as coisas segundo o seu ego, segundo suas experiências passadas, segundo sua memória, você ve as coisas no aqui e agora como elas são realmente.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Jeanioz em 07 de Abril de 2008, 10:51:49
A meditação sem duvida nenhuma é a ferramenta mais adequada para perceber essas coisas, quanto vc percebe que não é o corpo, nem os sentidos, nem a mente, você passa a não ser mais afetado por eles. O que acontece depois disso eu não sei, porque eu não cheguei lá, mas é algo como não ter conceitos, teorias ou idéias sobre as coisas, vc não ve as coisas segundo o seu ego, segundo suas experiências passadas, segundo sua memória, você ve as coisas no aqui e agora como elas são realmente.

Se não me engano, há estudos comprovando que a meditação é eficaz para relaxamente e alívio do stress. Não sei se é isso a "Iluminação" ou a "percepção do Eu". Ouvi dizer também que é como alguns pescadores definem pescar (não, isso não é uma ironia, por favor :hihi: ): quando você não pensa em nada e relaxa completamente.

Não sei se é realmente isso o que você chama de percepção do Eu: a calmaria, o alívio, a "paz de espírito".

Uma vez, quando eu servia no exército e estava de guarda, eu fui para meu posto de guarda, já de madrugada, e não sei por que, talvez a brisa estava boa,  e a japona estivesse muito comfortável, eu não senti sono e me senti incrivelmente bem durante as duas horas que fiquei de guarda, senti uma paz de espírito enorme. Foi estranho, nunca fiquei daquele jeito antes. E também foi a única vez. :o

Posso dizer que isso foi "um passo em direção a Iluminação" ou algo parecido?
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 07 de Abril de 2008, 12:11:41
Se não me engano, há estudos comprovando que a meditação é eficaz para relaxamente e alívio do stress. Não sei se é isso a "Iluminação" ou a "percepção do Eu". Ouvi dizer também que é como alguns pescadores definem pescar (não, isso não é uma ironia, por favor :hihi: ): quando você não pensa em nada e relaxa completamente.

Não sei se é realmente isso o que você chama de percepção do Eu: a calmaria, o alívio, a "paz de espírito".

Uma vez, quando eu servia no exército e estava de guarda, eu fui para meu posto de guarda, já de madrugada, e não sei por que, talvez a brisa estava boa,  e a japona estivesse muito comfortável, eu não senti sono e me senti incrivelmente bem durante as duas horas que fiquei de guarda, senti uma paz de espírito enorme. Foi estranho, nunca fiquei daquele jeito antes. E também foi a única vez. :o

Posso dizer que isso foi "um passo em direção a Iluminação" ou algo parecido?

Sim, há estudos, mas meditação não é isso, embora essa seja uma das suas consequências.

Percepção do Eu é a percepção do Eu, não é calmaria, nem alívio e nem paz de espirito.

A meditação é MUITO, mas MUITO mais do que a gente pode imaginar cara, meditar não significa só sentar num lugar e ficar parado repetindo Aum. Só você pode saber se deu algum passo em direção a iluminação, oq mudou na sua vida desde esse dia? Vc busca o auto-conhecimento? Não sou eu quem vai te falar isso, eu sou só um leigo, embora eu ache que a discussão e a reflexão são ferramentas poderosas para o discernimento.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 07 de Abril de 2008, 12:26:48
Vc busca o auto-conhecimento?
Auto-conhecimeto é fundamental. Como já dizia Sócrates, conhece-te a ti mesmo.  :ok:
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Skorpios em 07 de Abril de 2008, 18:17:21
Esse é o Eu .

http://clubecetico.org/forum/index.php?action=profile;u=927
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: FZapp em 08 de Abril de 2008, 12:53:58
Citar
Se não me engano, há estudos comprovando que a meditação é eficaz para relaxamente e alívio do stress. Não sei se é isso a "Iluminação" ou a "percepção do Eu".

Nem uma coisa nem outra.

Através de uma melhor percepção do seu corpo (esqueça isso de 'eu') é mais fácil entender suas reações emocionais assim como você pode ter um controle motor mais eficiente.

Exemplo prático: junto com a meditação há exercícios corporais que melhoram a postura de sua coluna. Ao mesmo tempo, ao fazer esses movimentos bem devagar e de forma repetitiva, você 'ensina' ao seu corpo (isto é, permite que o hipotálamo grave a postura correta).

A meditação não tem relação com 'iluminação' a menos que seja meditação trascendental, e, na boa, não conheço ninguém que faça isso hoje. :)

Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 08 de Abril de 2008, 13:06:21
Citar
Se não me engano, há estudos comprovando que a meditação é eficaz para relaxamente e alívio do stress. Não sei se é isso a "Iluminação" ou a "percepção do Eu".

Nem uma coisa nem outra.

Através de uma melhor percepção do seu corpo (esqueça isso de 'eu') é mais fácil entender suas reações emocionais assim como você pode ter um controle motor mais eficiente.

Exemplo prático: junto com a meditação há exercícios corporais que melhoram a postura de sua coluna. Ao mesmo tempo, ao fazer esses movimentos bem devagar e de forma repetitiva, você 'ensina' ao seu corpo (isto é, permite que o hipotálamo grave a postura correta).

A meditação não tem relação com 'iluminação' a menos que seja meditação trascendental, e, na boa, não conheço ninguém que faça isso hoje. :)

Isso também, meditação é atenção plena, não só na postura, mas em tudo que nós fazemos, a cada instante, a cada sensação, a cada percepção, a cada pensamento, etc.
Pelo que eu vejo, a iluminação é a atenção plena no agora sem distrações. E sendo assim, nós podemos perceber a Realidade como ela é, não segundo nossas crenças, segundo nossas opniões, segundo nossas experiência, ou seja, segundo o passado. E sendo assim nós vemos as coisas como elas realmente são. Ao meu ver é isso que constitui a meditação.

Agora qual a relação disso com o Eu que eu coloquei como ponto de discussão? Se nós chegamos em um estado que está além do passado, e além do futuro, um estado que se baseia unicamente no AGORA, nós não estamos mais ligados ao corpo, nem as sensações, nem as percepções, nem a personalidade e nem ao ego. Nós só percebemos essas coisas como corpo, sensações, percepções, personalidade e ego. Então sendo o Eu a consciência pura, ela é a essência que está em todos os seres, seja eu ou você, um humano ou um cachorro, porque a essência é a mesma em tudo, só o que muda são as formas, as sensações, as percepções, a personalidade e o ego.

É +ou- isso que eu penso.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 08 de Abril de 2008, 15:47:40
Luis, depois que vc colocou alguns pontos nesse tópico, eu dei uma pesquisada no conceito de anatman, e pelo que eu li, o budismo diz que não existe o eu ou alma individual, mas que existe uma natureza búdica, ou um estado, ou coisa que está presente em todos os seres, ou em todas as coisas, pude entender que talvez isso seja o estado absoluto da realidade.

Porém o atman não é exatamente isso também? Pelo que eu entendo, o atman não é algo individual, diz-se que o atman é brahman, o atman é o absoluto, então qual é a grande diferença entre o atman e o anatman?

Um outro exemplo que encontrei:

[SN 3.196] At one time in Savatthi, the venerable Radha seated himself
and asked of the Blessed Lord Buddha: "Anatta, anatta I hear said
venerable.
What pray tell does Anatta mean?"
"Just this Radha, form is not the Soul, sensations are not the
Soul, perceptions are not the Soul, assemblages are not the Soul,
consciousness is not the Soul. Seeing thusly, this is the
end of birth, the Brahman life has been fulfilled, what must be done
has been done"

Será que o Budismo não diz a mesma coisa que o Vedanta?
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Alenônimo em 08 de Abril de 2008, 19:37:25
/me caíndo de pára-quedas no tópico.

O Eu é o Mussolim Bucetê que mudou de nick.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 08 de Abril de 2008, 19:44:46
 :histeria:


Deixe-me dar a minha contribuição:

O eu é um pronome pessoal reto na primeira pessoa do singular  :)
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 08 de Abril de 2008, 20:04:40
Mas na boa Maurício, para fazer uma eliminação do eu como é socialmente conhecido o conceito, somente através da obra de Freud, da análise do ego, e dos mecanismos de defesa do ego. Só depois de dissecar esse pormenores da individualidade básica do ser humano é que podemos passar para uma fase um tanto mais transpessol do ser humano. É percorrer todas as escolas da psicologia. É como vejo o assunto, tem alguma lógica para você isso?  :?

É que penso que dessa maneira estariamos adentrando no pensamento ocidental da individualidade, podendo a partir disso fazer comparações e analogias com os conceitos orientais.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 08 de Abril de 2008, 22:42:06
Mas na boa Maurício, para fazer uma eliminação do eu como é socialmente conhecido o conceito, somente através da obra de Freud, da análise do ego, e dos mecanismos de defesa do ego. Só depois de dissecar esse pormenores da individualidade básica do ser humano é que podemos passar para uma fase um tanto mais transpessol do ser humano. É percorrer todas as escolas da psicologia. É como vejo o assunto, tem alguma lógica para você isso?  :?

É que penso que dessa maneira estariamos adentrando no pensamento ocidental da individualidade, podendo a partir disso fazer comparações e analogias com os conceitos orientais.

Não, não tem lógica porque eu não quero saber o que os psicologos acham, o auto-conhecimento é uma coisa individual e não externa.
Teorias não podem mostrar o que é o Eu. O Eu tem que ser percebido pelo próprio ser nele mesmo.

De que adiantam as teorias? De que adianta o conhecimento cientifico nesse caso? Todos esses conhecimentos são externos, parciais e limitados, o Eu não pode ser descrito por palavras, nem por idéias, nem pelo pensamento.

Portanto tudo isso é inútil e prejudicial.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 08 de Abril de 2008, 22:50:55
Mas na boa Maurício, para fazer uma eliminação do eu como é socialmente conhecido o conceito, somente através da obra de Freud, da análise do ego, e dos mecanismos de defesa do ego. Só depois de dissecar esse pormenores da individualidade básica do ser humano é que podemos passar para uma fase um tanto mais transpessol do ser humano. É percorrer todas as escolas da psicologia. É como vejo o assunto, tem alguma lógica para você isso?  :?

É que penso que dessa maneira estariamos adentrando no pensamento ocidental da individualidade, podendo a partir disso fazer comparações e analogias com os conceitos orientais.

Não, não tem lógica porque eu não quero saber o que os psicologos acham, o auto-conhecimento é uma coisa individual e não externa.
Teorias não podem mostrar o que é o Eu. O Eu tem que ser percebido pelo próprio ser nele mesmo.

De que adiantam as teorias? De que adianta o conhecimento cientifico nesse caso? Todos esses conhecimentos são externos, parciais e limitados, o Eu não pode ser descrito por palavras, nem por idéias, nem pelo pensamento.

Portanto tudo isso é inútil e prejudicial.
Está subestimando o desenvolvimento da psicologia. Mesmo as abordagens iniciais sendo mais externas, avançou-se cada vez mais para a interiorização do ser humano, como acontece na cultura oriental, que já tem isso ínsito em sua tradição.

Tanto é que, a psicologia transpessoal já ultrapassou os meandros das análises mais egoistas e já parte para a questão que a sociedade entende como necessidades espirituais, o que transcente o ego e o indivíduo.

E mesmo as experiências de estados alterados da consciência feitas por Grof, com o LSD, fazem parte desse desenvolvimento da psicologia moderna.

No meu entendimento você está abordando o mesmo tema, mas com ênfase no orientalismo, igorando o ocidentalismo, que tem o seu valor e uma ligação mais forte com o experimentalismo e racionalismo.

Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 08 de Abril de 2008, 22:56:02
Mas na boa Maurício, para fazer uma eliminação do eu como é socialmente conhecido o conceito, somente através da obra de Freud, da análise do ego, e dos mecanismos de defesa do ego. Só depois de dissecar esse pormenores da individualidade básica do ser humano é que podemos passar para uma fase um tanto mais transpessol do ser humano. É percorrer todas as escolas da psicologia. É como vejo o assunto, tem alguma lógica para você isso?  :?

É que penso que dessa maneira estariamos adentrando no pensamento ocidental da individualidade, podendo a partir disso fazer comparações e analogias com os conceitos orientais.

Não, não tem lógica porque eu não quero saber o que os psicologos acham, o auto-conhecimento é uma coisa individual e não externa.
Teorias não podem mostrar o que é o Eu. O Eu tem que ser percebido pelo próprio ser nele mesmo.

De que adiantam as teorias? De que adianta o conhecimento cientifico nesse caso? Todos esses conhecimentos são externos, parciais e limitados, o Eu não pode ser descrito por palavras, nem por idéias, nem pelo pensamento.

Portanto tudo isso é inútil e prejudicial.
Está subestimando o desenvolvimento da psicologia. Mesmo as abordagens iniciais sendo mais externas, avançou-se cada vez mais para a interiorização do ser humano, como acontece na cultura oriental, que já tem isso ínsito em sua tradição.

Tanto é que, a psicologia transpessoal já ultrapassou os meandros das análises mais egoistas e já parte para a questão que a sociedade entende como necessidades espirituais, o que transcente o ego e o indivíduo.

E mesmo as experiências de estados alterados da consciência feitas por Grof, com o LSD, fazem parte desse desenvolvimento da psicologia moderna.

No meu entendimento você está abordando o mesmo tema, mas com ênfase no orientalismo, igorando o ocidentalismo, que tem o seu valor e uma ligação mais forte com o experimentalismo e racionalismo.



Vc consegue ver qual é a diferença entre um teórico de psicologia ( Seja ela qual for ) e um Buda?

Não é que eu esteja puxando para o lado do orientalismo, não existe o ocidentalismo e o orientalismo para entender o Eu, o que existe é o auto-conhecimento, que independe de onde o individuo nasce.

A diferença é que no oriente o auto-conhecimento e a instrospecção foram sempre incentivados por questões culturais, e no ocidente o foco foi sempre exteriozirar as coisas, vide a própria ciência.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 08 de Abril de 2008, 23:05:32
Mas na boa Maurício, para fazer uma eliminação do eu como é socialmente conhecido o conceito, somente através da obra de Freud, da análise do ego, e dos mecanismos de defesa do ego. Só depois de dissecar esse pormenores da individualidade básica do ser humano é que podemos passar para uma fase um tanto mais transpessol do ser humano. É percorrer todas as escolas da psicologia. É como vejo o assunto, tem alguma lógica para você isso?  :?

É que penso que dessa maneira estariamos adentrando no pensamento ocidental da individualidade, podendo a partir disso fazer comparações e analogias com os conceitos orientais.

Não, não tem lógica porque eu não quero saber o que os psicologos acham, o auto-conhecimento é uma coisa individual e não externa.
Teorias não podem mostrar o que é o Eu. O Eu tem que ser percebido pelo próprio ser nele mesmo.

De que adiantam as teorias? De que adianta o conhecimento cientifico nesse caso? Todos esses conhecimentos são externos, parciais e limitados, o Eu não pode ser descrito por palavras, nem por idéias, nem pelo pensamento.

Portanto tudo isso é inútil e prejudicial.
Está subestimando o desenvolvimento da psicologia. Mesmo as abordagens iniciais sendo mais externas, avançou-se cada vez mais para a interiorização do ser humano, como acontece na cultura oriental, que já tem isso ínsito em sua tradição.

Tanto é que, a psicologia transpessoal já ultrapassou os meandros das análises mais egoistas e já parte para a questão que a sociedade entende como necessidades espirituais, o que transcente o ego e o indivíduo.

E mesmo as experiências de estados alterados da consciência feitas por Grof, com o LSD, fazem parte desse desenvolvimento da psicologia moderna.

No meu entendimento você está abordando o mesmo tema, mas com ênfase no orientalismo, igorando o ocidentalismo, que tem o seu valor e uma ligação mais forte com o experimentalismo e racionalismo.



Vc consegue ver qual é a diferença entre um teórico de psicologia ( Seja ela qual for ) e um Buda?
Eu consigo, tenho até uma nomenclatura tecnica para discriminar o fenômeno da iluminação, por exemplo.

O que disse da psicologia, é que ela faz um desenvolvimento que caminha na direção mais ampla do auto-conhecimento, como a psicologia integral, que avalia os diversos níveis de ética, nos mais diversos graus existente no mundo, com textes empíricos fazendo essa comprovação.

Não é que eu esteja puxando para o lado do orientalismo, não existe o ocidentalismo e o orientalismo para entender o Eu, o que existe é o auto-conhecimento, que independe de onde o individuo nasce.

A diferença é que no oriente o auto-conhecimento e a instrospecção foram sempre incentivados por questões culturais, e no ocidente o foco foi sempre exteriozirar as coisas, vide a própria ciência.
Concordo. Por isso que defendo uma proposta de programa de pesquisa científica que usa o auto-conhecimento como um de seus pilares metodológicos, o seu paradigma.

E nesse contexto existe um forte trabalho de integração entre este conhecimento brasileiro e o chinês, com intercâmbios e eventos em conjunto com universidades chinesas. Estão estudando Confúcio e outros temas orientais, com bastante profundidade.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 08 de Abril de 2008, 23:13:13
Adriano, o que eu quero dizer é as teorias continuam no campo do pensamento, por mais "profundas" que sejam, continuam sendo relativas.
É o INDIVIDUO que tem que perceber aquilo que É. O Eu é a Realidade, é o ABSOLUTO.

E como pode o Absoluto ser descrito por teorias?
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 08 de Abril de 2008, 23:30:24
A experimentação da expanção da consciência é uma realidade para muitos pesquisadores desta linha de pesquisa científica que estou em referindo.

Existe o fenômeno da cosmoconsciência, que se assemelha em muito com a iluminação, e devido a complexidade deste fenômeno, não dá para tecer as análises comparativas por esta ferramenta de comunicação que é o fórum.

A autoexperimentação é você ter as suas próprias experiências e no caso de citar o Buda, está caindo no erro do processo religioso, que é o de projetar em terceiros essas práticas de autoconhecimento. O exemplo dele serve para ilustrar, mas não para provar. A prova é algo pessoal, e só tem valor esse tipo de experiência tida como subjetiva, nesse novo campo de estudo do qual faço parte.

O absoluto já foge da questão do eu, que está sendo abordada. Tem muita coisa que é mateologia, discussões sem um resultado prático, pelo menos momentâneo. Acho que essa pergunta entra nesse caso, já que no meu entender foge muito do assunto.

Mas diga aí qual a relação que vê entre absoluto e o eu.

Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 09 de Abril de 2008, 06:57:42
A experimentação da expanção da consciência é uma realidade para muitos pesquisadores desta linha de pesquisa científica que estou em referindo.

Existe o fenômeno da cosmoconsciência, que se assemelha em muito com a iluminação, e devido a complexidade deste fenômeno, não dá para tecer as análises comparativas por esta ferramenta de comunicação que é o fórum.

A autoexperimentação é você ter as suas próprias experiências e no caso de citar o Buda, está caindo no erro do processo religioso, que é o de projetar em terceiros essas práticas de autoconhecimento. O exemplo dele serve para ilustrar, mas não para provar. A prova é algo pessoal, e só tem valor esse tipo de experiência tida como subjetiva, nesse novo campo de estudo do qual faço parte.

O absoluto já foge da questão do eu, que está sendo abordada. Tem muita coisa que é mateologia, discussões sem um resultado prático, pelo menos momentâneo. Acho que essa pergunta entra nesse caso, já que no meu entender foge muito do assunto.

Mas diga aí qual a relação que vê entre absoluto e o eu.

Sim, eu concordo que a prova é algo pessoal. A diferença que eu estava falando, é que por exemplo o Buda não diz apenas, isso é assim, aquilo é assado, etc etc. O que ele fala é para observarmos as coisas com atenção e sem apego, para descobrirmos por nós mesmos, é isso que no meu ponto de vista difere de um estudo cientifico, esse sim tenta provar ou mostrar para terceiros, algo que é o próprio individuo que tem que perceber.

Agora o ruim de nós ficarmos nomenado as coisas, é que eu tenho algumas idéias sobre as palavras e você tem outras, então fica realmente dificil a comunicação. Mas pelo que eu expus no tópico dá pra entender +ou- uma linha de raciocinio, o Eu é algo como a essência da Realidade, que fica mascarada e nós não percebemos, mas que está sempre presente. Só que também não adianta muito nós ficarmos expondo as idéias, porque não vamos chegar a lugar nenhum, só experimentando diretamente para ver o que realmente é isso.

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 09 de Abril de 2008, 07:17:41
Não, não é necessário o uso de alucinógenos, alucinógenos são prejudiciais, porém existem drogas alucinógenas como o LSD por exemplo, e plantas enteógenas como a Ayahuasca ( Santo Daime ). Que são BEM diferentes.

Em que?
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 09 de Abril de 2008, 07:23:43
Luis, depois que vc colocou alguns pontos nesse tópico, eu dei uma pesquisada no conceito de anatman, e pelo que eu li, o budismo diz que não existe o eu ou alma individual, mas que existe uma natureza búdica, ou um estado, ou coisa que está presente em todos os seres, ou em todas as coisas, pude entender que talvez isso seja o estado absoluto da realidade.

A idéia de que um ser humano possa entender o estado absoluto da realidade sempre me pareceu engraçada, crenças à parte.  Quem é esse tal absoluto para sentir tanta obrigação para conosco? :)

Citar
Porém o atman não é exatamente isso também? Pelo que eu entendo, o atman não é algo individual, diz-se que o atman é brahman, o atman é o absoluto, então qual é a grande diferença entre o atman e o anatman?

O Atman, etmologicamente pelo menos, é exatamente o que Anatta / Anatman NÃO é.

A grande diferença entre Atman e Anatman é que um nega a essência pessoal e outro a afirma :) - o que, como qualquer outro dualismo filosófico, é completamente artificial. 

Pode-se construir uma doutrina válida a partir de Atman, e é o que muito do Hinduísmo faz, assim como se pode perder o rumo a partir do ensinamento de Anatman.  Essa é uma das diferenças entre ciência e religião: mitologia urbana à parte, a ciência lida com fatos e verdades confiáveis porque questionados, enquanto que a religião muitas vezes falha em se questionar e não raro se perde em dogmatismos que só a desmerecem.

O que separa uma crença válida de outra inválida não são os conceitos básicos tanto quanto a forma como eles são desenvolvidos, com qual maturidade, lucidez e sabedoria.  Por isso que os literalistas e fundamentalistas são tão nocivos em qualquer religião; eles preservam exatamente o que não faz falta...
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Adriano em 09 de Abril de 2008, 07:27:52
A experimentação da expanção da consciência é uma realidade para muitos pesquisadores desta linha de pesquisa científica que estou em referindo.

Existe o fenômeno da cosmoconsciência, que se assemelha em muito com a iluminação, e devido a complexidade deste fenômeno, não dá para tecer as análises comparativas por esta ferramenta de comunicação que é o fórum.

A autoexperimentação é você ter as suas próprias experiências e no caso de citar o Buda, está caindo no erro do processo religioso, que é o de projetar em terceiros essas práticas de autoconhecimento. O exemplo dele serve para ilustrar, mas não para provar. A prova é algo pessoal, e só tem valor esse tipo de experiência tida como subjetiva, nesse novo campo de estudo do qual faço parte.

O absoluto já foge da questão do eu, que está sendo abordada. Tem muita coisa que é mateologia, discussões sem um resultado prático, pelo menos momentâneo. Acho que essa pergunta entra nesse caso, já que no meu entender foge muito do assunto.

Mas diga aí qual a relação que vê entre absoluto e o eu.

Sim, eu concordo que a prova é algo pessoal. A diferença que eu estava falando, é que por exemplo o Buda não diz apenas, isso é assim, aquilo é assado, etc etc. O que ele fala é para observarmos as coisas com atenção e sem apego, para descobrirmos por nós mesmos, é isso que no meu ponto de vista difere de um estudo cientifico, esse sim tenta provar ou mostrar para terceiros, algo que é o próprio individuo que tem que perceber.
Difere de um ponto de vista científico tradicional. Já temos uma linha científica que valoriza as questões íntimas e subjetivas do ser humano, no qual a auto-pesquisa tem um imenso valor, assim como na filosofia oriental.

E esta linha de pesquisa científica vem crescendo exponencialmente, pois como você sabe, as experimentações relativas ao universo interior do ser humano são muito ricas e incontestáveis depois de experimentadas e vividas.

Agora o ruim de nós ficarmos nomenado as coisas, é que eu tenho algumas idéias sobre as palavras e você tem outras, então fica realmente dificil a comunicação. Mas pelo que eu expus no tópico dá pra entender +ou- uma linha de raciocinio, o Eu é algo como a essência da Realidade, que fica mascarada e nós não percebemos, mas que está sempre presente. Só que também não adianta muito nós ficarmos expondo as idéias, porque não vamos chegar a lugar nenhum, só experimentando diretamente para ver o que realmente é isso.

Abraços.
A cientificidade da autopesquisa ajuda muito na padronização de termos, através do uso da neologistica, abandonando termos envilecidos pelo uso, com conotações já prostituidas.

Gosto também de abordar o eu como sinônimo de vida, da energia vital, da biologia terreste, já que toda vida biológica é um tipo de eu, um ser existente.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 09 de Abril de 2008, 09:43:19
A idéia de que um ser humano possa entender o estado absoluto da realidade sempre me pareceu engraçada, crenças à parte.  Quem é esse tal absoluto para sentir tanta obrigação para conosco? :)

Eu acho que para entender o Absoluto, o individuo tem que deixar de ser apenas humano.

O que é o ser humano? É um complexo de corpo, mente, sentidos, percepções, ego e consciência, e isso é o não-eu segundo o budismo certo?
Então o que é o Eu? Não é o corpo, nem as sensações, nem as percepções, nem o ego e nem a consciência.
Não é isso que o Buda ensina?

Citar
O Atman, etmologicamente pelo menos, é exatamente o que Anatta / Anatman NÃO é.

Isso, mas o Atman ser diferente do Anatman não nega a existência do Atman.

Citar
A grande diferença entre Atman e Anatman é que um nega a essência pessoal e outro a afirma :) - o que, como qualquer outro dualismo filosófico, é completamente artificial.

Mas que dualismo? O Vedanta afirma que a Realidade é não-dual, o Atman é Brahman, então continuo não vendo contradição alguma entre o budismo e o vedanta.

Exemplo:
The soul or the self (Atman) is identical with Brahman. It is not a part of Brahman that ultimately dissolves into Brahman, but the whole Brahman itself. Now the arguers ask how the individual soul, which is limited and one in each body, can be the same as Brahman? Adi Shankara explains that the Self is not an individual concept. Atman is only one and unique. Indeed Atman alone is {Ekaatma Vaadam}. It is a false concept that there are several Atmans {Anekaatma Vaadam}

O Atman único aparece como múltiplo devido à variedade de seus invólucros exteriores. Quando esses invólucros irreais se dissolvem, só o Atman existe. Que o homem sábio, pois, se devote à realização do nirvikalpa samadhi para que os invólucros possam dissipar-se de sua consciência.


Citar
O que separa uma crença válida de outra inválida não são os conceitos básicos tanto quanto a forma como eles são desenvolvidos, com qual maturidade, lucidez e sabedoria.  Por isso que os literalistas e fundamentalistas são tão nocivos em qualquer religião; eles preservam exatamente o que não faz falta...

Também concordo contigo, é por isso que se afirma que não se deve acreditar, e sim ver por si mesmo, embora eu ache que nós podemos sim, ouvindo os ensinamentos budistas por exemplo, verifica-los e aplica-los a nossa vida para que surja a sabedoria.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Luis Dantas em 11 de Abril de 2008, 23:18:44
Esses seus comentários são difíceis de entender, por isso vou me limitar a observar que

Citar
O Vedanta afirma que a Realidade é não-dual, o Atman é Brahman, então continuo não vendo contradição alguma entre o budismo e o vedanta.

rigorosamente falando, essa é uma generalização indevida; há muitas linhas filosóficas distintas dentro do Hinduísmo, e muitas são mutuamente incompatíveis.  Definitivamente nem todas são não-duais; talvez você esteja projetando para o Vedanda como um todo a filosofia do Advaita Vedanta (Advaita significa exatamente "não-dual").

Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Mauricio Rubio em 14 de Abril de 2008, 18:30:49
rigorosamente falando, essa é uma generalização indevida; há muitas linhas filosóficas distintas dentro do Hinduísmo, e muitas são mutuamente incompatíveis.  Definitivamente nem todas são não-duais; talvez você esteja projetando para o Vedanda como um todo a filosofia do Advaita Vedanta (Advaita significa exatamente "não-dual").

Verdade, mas eu me referia ao Advaita mesmo. Mas isso também não importa muito, o que eu quis dizer é que o budismo não nega a existência do Atman, mas sim diz que todos os fenomenos são Anatman, esse raciocinio é correto?

Abraços.
Título: Re: O que é o Eu?
Enviado por: Sergiomgbr em 09 de Novembro de 2018, 02:59:59
Bom, não sei se vcs conseguiram chegar no ponto que eu pretendi colocar em discussão. Visto que nenhum de vcs falou a respeito do que eu disse.

Eu não acho que isso seja uma coisa fácil de compreender. Eu mesmo demorei muito tempo e apliquei esforço e energia nessa direção. Talvez pra quem lê tudo isso pareça um jogo de palavras inutil e sem sentido, até porque a compreensão não vem lendo um tópico no forum de internet.

Mas eu peço pra quem realmente estiver interessado em discutir sobre o que eu propus, que reflita e o faça, senão nem se dêem ao trabalho de postar.
De certa forma uma resposta à seu questionamento, à sua pergunta talvez envolva conjecturar se:

Hipótese 1

uma entidade Fulano de Tal com idade arbitrária de 40 anos representando um Eu, aqui e agora, teria alguma semelhança(e tendo, quais seriam essa semelhanças) com um hipotético Fulano de Tal nesse mesmo aqui e agora, porém, sem os outros tantos bilhões de habitantes do mundo, os quais teriam sido suprimidos da existência um ano antes(ou seja, Fulano de tal teria a história de convivência com outros habitantes suprimidos do mundo uma ao antes).

Hipótese 2

Também incluiria fazer a mesma conjectura com a variante de que Fulano de Tal nunca conviveu com os outros habitantes do planeta(eles nunca existiram).

Esses é um dos experimentos que talvez possam dizer muito sobre o Eu, mas trata-se de uma hipótese  absolutamente não sondável, não aferível, uma vez não sendo posta em prática. Talvez um Fulano de tal que por alguma razão fosse enviado a um outro planeta habitável pudesse dar algum  testemunho , mas só no caso da hipótese 1.

Mas é da hipótese 2 a ironicamente de mais improvável elocubração, que talvez mais esclarecimentos se obtivesse sobre a real composição do Eu.