Forum Clube Cetico

Discussões => Ateísmo e Agnosticismo => Tópico iniciado por: Moro em 12 de Julho de 2008, 23:41:38

Título: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 12 de Julho de 2008, 23:41:38
Bom, para quem ainda acha que os Ateístas são malvados

1- Nos EUA, os ateístas correspondem a no máximo 16% da população, e representam 0,21% dos presos. Cristãos, sendo 75% da população, representam 75% dos presos
2- Taxa de Divórcio - EUA
-- Judeus 30%
-- Evangélicos 27%
-- Outros Cristãos 24%
-- Ateístas e Agnósticos 21%
3- Europa
-- 48% dos Europeus não acreditam em deus
-- 58% dos Europeus com idade entre 15-24 não acreditam em deus
-- 74% dos britânicos não acreditam em um deus pessoal
4- Altos níveis de ateísmo são fortemente correlacionáveis à:
-- Maior riqueza
-- Maior educação
-- Menor distinção econômica entre os sexos
-- Menor taxa de homicídios
-- Menor mortalidade infantil.
-- Menor analfabetismo
5- No National Academy of Sciences, 93% não acreditam em deus
6- No critério educação (EUA)
-- 65% das pessoas que terminam seus estudos com 15 anos acreditam em deus
-- 16-19 anos, 49% acreditam em deus
-- + 20 anos de educação, 45%

As fontes dos estudos estão aqui   

feature=related
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: uiliníli em 12 de Julho de 2008, 23:58:39
Várias das estatísticas apresentadas carecem de fontes... Mas a musiquinha é bem legal :P
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 13 de Julho de 2008, 00:18:49
Bom, não sei a qualidade das fontes, mas ele as citou em cada informação. Não citou o estudo específico.
Alguns são conhecidos, como o crescimento do ateísmo na Europa. O dos EUA me surpreendeu.


As fontes que ele citou
Pew Forum on Religion & Public life, Cambridge Companion to Atheism, Journal Nature (Larson & Whitham), Paul Bell para o Mensa Magazine, Tearfund Organization, e por aí vai...

Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: uiliníli em 13 de Julho de 2008, 00:27:58
As afirmações dos 20 primeiros segundos não têm suas fontes citadas e a fonte "Cambridge Companion to Atheism" por motivos óbvios parece suspeita e também faltam as fontes para as estatísticas de divórcios.
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 13 de Julho de 2008, 00:32:18
Vê só, os 20 primeiros segundos ele mostra a agenda do que vai falar, Uilinili.

E sim, teríamos que averiguar como foram feitos o estudo do "Cambridge..."

Vc achou muito dissonante de suas expectativas?

Moficado: Aqui um post que reafirma a associação QI x Ateismo, já devidamente criticado :-)
http://clubecetico.org/forum/index.php/topic,16697.msg339477/topicseen.html#msg339477
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: uiliníli em 13 de Julho de 2008, 00:52:42
Não, eu não achei nem um pouco dissonante das minhas expectativas... e esse é o problema ;)  O vídeo diz aquilo que a gente quer ouvir, por isso a atenção com o que ele diz deve ser redobrada.
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Donatello em 13 de Julho de 2008, 09:37:06
Eu não ví este vídeo (minha internet é discada e para assistir a um vídeo no Youtube eu tenho que esperar cerca de 20 minutos carregando :vergonha:, mas quanto à fonte sobre os divórcios tem um outro videozinho destes que cita. Segundo o tal vídeo a pesquisa foi liderada por um cristão inclusive (ah, e a musiquinha também é muito legal).

Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 13 de Julho de 2008, 10:07:09
Legal, nesse seu link ví que o estudo do espectro religioso nas prisões dos EUA é do próprio Federal Bureau of Prisions. E vc tem razão, o estudo do divórcio foi conduzido por um sociólogo cristão, George Barna.

Não, eu não achei nem um pouco dissonante das minhas expectativas... e esse é o problema ;)  O vídeo diz aquilo que a gente quer ouvir, por isso a atenção com o que ele diz deve ser redobrada.

E Uilinili, as vezes, só as vezes, as coisas são o que parecem ser.
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: VideoMaker em 13 de Julho de 2008, 14:32:17
1- Nos EUA, os ateístas correspondem a no máximo 16% da população, e representam 0,21% dos presos. Cristãos, sendo 75% da população, representam 75% dos presos.


Só resta saber quanto destes já eram cristão antes de ir parar na cadeia.
Sabe como é que é né, as igrejas pentecostais tem arebanhado muita gente.
Tens estes dados ai?
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: uiliníli em 13 de Julho de 2008, 15:48:54
Isso é verdade, pode haver duas explicações alternativas para esse fenômeno:

1) Os não religiosos são arrebanhados dentro dos presídios.
2) Os não religiosos, como sugere a outra pesquisa, têm nível educacional e renda maiores do que a média - restaria ver se religiosos com igual renda e escolaridade média têm representação proporcional ou não na população carcerária antes de se concluir que os ateus cometem menos crimes.
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Fernando Silva em 13 de Julho de 2008, 17:02:19
Isso é verdade, pode haver duas explicações alternativas para esse fenômeno:

1) Os não religiosos são arrebanhados dentro dos presídios.
2) Os não religiosos, como sugere a outra pesquisa, têm nível educacional e renda maiores do que a média - restaria ver se religiosos com igual renda e escolaridade média têm representação proporcional ou não na população carcerária antes de se concluir que os ateus cometem menos crimes.
"Não religioso" significa apenas "sem religião definida". Pode englobar ateus e também os crentes que dizem que "seguem a Jesus e à Bíblia" mas não se consideram membros de uma denominação.
Também inclui aqueles que nunca pensaram no assunto (o que é diferente de alguém que pensou e decidiu que não há motivos para ter uma crença).
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Gigaview em 13 de Julho de 2008, 17:13:37
(http://www.mybloop.com/get/1936616/churchbodies.gif)
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: uiliníli em 13 de Julho de 2008, 17:19:28
Engraçado o quanto tem católicos nas regiões mais populosas (Califórnia e Nordeste) e mesmo assim eles são minoria no país...
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 13 de Julho de 2008, 17:26:03
Isso é verdade, pode haver duas explicações alternativas para esse fenômeno:

1) Os não religiosos são arrebanhados dentro dos presídios.
2) Os não religiosos, como sugere a outra pesquisa, têm nível educacional e renda maiores do que a média - restaria ver se religiosos com igual renda e escolaridade média têm representação proporcional ou não na população carcerária antes de se concluir que os ateus cometem menos crimes.

Sim, em estatísticas nunca vemos algo que sem "dúvida alguma" quer dizer alguma coisa. O que existem são correlações, não relação de causa efeito.

Todavia, temos algumas fortes correlações.

O que existe são correlações: Ateismo e nível de educação, ateismo e quantidade de presos - este último com diferença de ordem de grandeza -  e outras que em conjunto e vindo de fontes distintas, fortalecem essas correlações.


Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: uiliníli em 13 de Julho de 2008, 17:30:07
Sim. Isso tudo é batom no colarinho, não é batom na cueca :P
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 13 de Julho de 2008, 20:32:10
Sim. Isso tudo é batom no colarinho, não é batom na cueca :P

Isso  :biglol:
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Tash em 13 de Julho de 2008, 23:10:17
Isso é verdade, pode haver duas explicações alternativas para esse fenômeno:

1) Os não religiosos são arrebanhados dentro dos presídios.
2) Os não religiosos, como sugere a outra pesquisa, têm nível educacional e renda maiores do que a média - restaria ver se religiosos com igual renda e escolaridade média têm representação proporcional ou não na população carcerária antes de se concluir que os ateus cometem menos crimes.

Os ateus podem mentir também, dizer que são cristãos. Se você tá preso e diz que não crê em deus, isso pode complicar sua vida em análises psicológicas e tudo mais. É apenas um palpite...
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Felius em 13 de Julho de 2008, 23:24:40
Isso é verdade, pode haver duas explicações alternativas para esse fenômeno:

1) Os não religiosos são arrebanhados dentro dos presídios.
2) Os não religiosos, como sugere a outra pesquisa, têm nível educacional e renda maiores do que a média - restaria ver se religiosos com igual renda e escolaridade média têm representação proporcional ou não na população carcerária antes de se concluir que os ateus cometem menos crimes.

Os ateus podem mentir também, dizer que são cristãos. Se você tá preso e diz que não crê em deus, isso pode complicar sua vida em análises psicológicas e tudo mais. É apenas um palpite...
E complicar sua vida com o negao de dois por um e meio (e voce deseja de todo coracao que a outra medida dele continue desconhecida) que vive na cela com voce... :roll: :P
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Fernando Silva em 14 de Julho de 2008, 06:52:17
Engraçado o quanto tem católicos nas regiões mais populosas (Califórnia e Nordeste) e mesmo assim eles são minoria no país...
Engraçado como a distribuição de cada igreja se concentra numa área, em vez de estarem todas misturadas por todo o país.
Reforça a tese de que religião não se escolhe, se herda. É uma contaminação cultural.
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Dr. Manhattan em 14 de Julho de 2008, 13:44:06
Engraçado o quanto tem católicos nas regiões mais populosas (Califórnia e Nordeste) e mesmo assim eles são minoria no país...
Engraçado como a distribuição de cada igreja se concentra numa área, em vez de estarem todas misturadas por todo o país.
Reforça a tese de que religião não se escolhe, se herda. É uma contaminação cultural.

Pois é. Quando vi esse mapa, a primeira coisa que pensei foi: parece o mapa de evolução de epidemias.
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 14 de Julho de 2008, 14:52:00
Engraçado o quanto tem católicos nas regiões mais populosas (Califórnia e Nordeste) e mesmo assim eles são minoria no país...
Engraçado como a distribuição de cada igreja se concentra numa área, em vez de estarem todas misturadas por todo o país.
Reforça a tese de que religião não se escolhe, se herda. É uma contaminação cultural.

Contaminação é um termo bem apropriado.
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: uiliníli em 14 de Julho de 2008, 21:13:14
Mas a disseminação de uma religião (ou uma ideologia ou algo do gênero) não difere mesmo da disseminação de uma epidemia, é preciso haver contato entre pessoas para haver troca de informações. Bom, hoje em dia com a Internet nem tanto, mas considerando-se que as religiões predominantes atualmente nos EUA levaram décadas para se firmarem não se poderia esperar outra coisa.
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 10 de Agosto de 2008, 16:03:10
Segue um post link passado pelo Fenrir no tópico http://clubecetico.org/forum/index.php/topic,16697.0.html

http://kspark.kaist.ac.kr/jesus/intelligence%20&%20religion.htm

A conclusão abaixo:

Conclusion

The consensus here is clear: more intelligent people tend not to believe in religion. And this observation is given added force when you consider that the above studies span a broad range of time, subjects and methodologies, and yet arrive at the same conclusion.

This is the result even when the researchers are Christian conservatives themselves. One such researcher is George Gallup. Here are the results of a Fall 1995 Gallup poll:

Percentage of respondents who agreed with the following statements:

                     Religion is        Religion can
                     "very important    "answer all or most
Respondents          in their life"     of today's problems"
------------------------------------------------------------
Attended college         53 percent         58 percent
No college               63                 65

Income over $50,000      48                 56
$30,000 - $50,000        56                 62
$20,000 - $30,000        56                 60
Under $20,000            66                 66


Why does this correlation exist? The first answer that comes to mind is that religious beliefs tend to be more illogical or incoherent than secular beliefs, and intelligent people tend to recognize that more quickly. But this explanation will surely be rejected by religious people, who will seek other explanations and rationalizations.

A possible counter-argument is that intelligent people tend to be more successful than others. The lure of worldly success and materialism draws many of these intellectually gifted individuals away from God. After all, who needs God when you (apparently) are making it on your own?

However, this argument does not withstand closer scrutiny. Most of the studies outlined above describe the religious attitudes of students, who have yet to enter the working world, much less succeed in it. Some might then argue that the most intelligent students are nonetheless succeeding in school. But "success" in school (for those who may have forgotten!) is more measured in terms of popularity, sports, physical attractiveness, personality, clothes, etc. Grades are but one of many measures of success in a young person's life -- one that is increasingly becoming less important, as many social critics point out.

The simplest and most parsimonious explanation is that religion is a set of logical and factual claims, and those with the most logic and facts at their disposal are rejecting it largely on those grounds.
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 18 de Janeiro de 2009, 23:17:49
Para centralizar, coloco links fornecidos pelo Lord

Países menos religiosos são os mais generosos
http://www.mwglobal.org/ipsbrasil.net/nota.php?idnews=923

Países menos religiosos são mais justos, diz estudioso
http://www.e-paulopes.blogspot.com/2009/01/pases-menos-religiosos-so-mais-justos.html

Sociedades sem Deus: por que os países menos religiosos são os mais satisfeitos socialmente.
http://luishipolito.wordpress.com/2008/12/24/sociedades-sem-deus-por-que-os-paises-menos-religiosos-sao-os-mais-satisfeitos-socialmente-entrevista-especial-com-o-sociologo-phil-zuckerman/

Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Eremita em 18 de Janeiro de 2009, 23:54:05
Para centralizar, coloco links fornecidos pelo Lord

Países menos religiosos são os mais generosos
http://www.mwglobal.org/ipsbrasil.net/nota.php?idnews=923

Países menos religiosos são mais justos, diz estudioso
http://www.e-paulopes.blogspot.com/2009/01/pases-menos-religiosos-so-mais-justos.html

Sociedades sem Deus: por que os países menos religiosos são os mais satisfeitos socialmente.
http://luishipolito.wordpress.com/2008/12/24/sociedades-sem-deus-por-que-os-paises-menos-religiosos-sao-os-mais-satisfeitos-socialmente-entrevista-especial-com-o-sociologo-phil-zuckerman/
Precisava colocar cor-de-rosa também???? :histeria:
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 19 de Janeiro de 2009, 00:08:45
 :P
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: uiliníli em 19 de Janeiro de 2009, 00:28:21
É preparativo para o carnaval. Deu para perceber que ele é chegado na Mangueira :lol:
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Eremita em 19 de Janeiro de 2009, 02:09:04
É preparativo para o carnaval. Deu para perceber que ele é chegado na Mangueira :lol:
Manguueeeeeeeeeeeeeeira... estou aqui na plataforma da estação... huahauahuah
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 08 de Maio de 2009, 00:13:40
Mais outra coisa relevante quanto a assinatura do JLM:

Citar
7,3 % da população do Brasil não declaram sua religião,destes apenas 45% se dizem ateus, ou seja apenas aprox, 3,5% dos brasileiros são ateus!
fonte::censo 2000 IBGE
fonte:http://www.espacoacademico.com.br/094/94rodrigues.htm
fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Religi%C3%B5es_no_Brasil#N.C3.A3o-religiosos
11,4% dos presos são ateus.
Ateus tem maior potencialidade para serem criminosos!<>
fonte:censo 2000-IBGE.
fonte:www.fgv.br/cps/simulador/impacto_2006/ic175.pdf.

Os jovens "sem religião": ventos secularizantes, "espírito de época" e novos sincretismos. Notas preliminares


Regina Novaes[/b]

RESUMO

O NÚMERO de brasileiros "sem religião", sobretudo jovens de 15 a 24 anos, tem chamado a atenção dos estudiosos. O artigo aponta para a conjugação e a convivência entre: ideário secularizante (presente entre ateus e agnósticos); o "espírito do tempo" (presente entre aqueles que acreditam em Deus mas rejeitam instituições religiosas ou transitam entre pertencimentos institucionais) e, finalmente, as novas modalidades sincréticas (favorecidas pela perda de hegemonia do catolicismo e pela globalização do campo religioso).

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142004000300020&lng=en&nrm=iso&tlng=pt



Citar
... E foram 10% os jovens "sem religião", sendo que 9% declararam "acreditar em Deus mas não ter religião" enquanto apenas 1% identificaram-se como ateus e agnósticos.

... E, o que mais interessa neste artigo, os jovens que se autoclassificaram como "sem religião" afirmaram acreditar praticamente em todos os itens do elenco oferecido: "energia", astrologia, orixás, duendes e gnomos...
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 03 de Agosto de 2014, 23:46:13
(http://qph.is.quoracdn.net/main-qimg-b9f45c661d9430d465695b0b4ccc6b0f?convert_to_webp=true)

Aqui US é outlier
(http://qph.is.quoracdn.net/main-qimg-683e4ab447da1eceb0d4d3292d3bfc4d?convert_to_webp=true)

Normalizado com desigualdade US não é mais outlier
(http://qph.is.quoracdn.net/main-qimg-9a2a43bdb8dea9e39bc55e9f3cafec50?convert_to_webp=true)


boa discussão aqui
http://www.quora.com/Religion/Is-there-a-reason-why-it-seems-religion-is-less-of-a-hot-button-issue-in-the-UK-vs-the-US
Título: Re: Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 04 de Agosto de 2014, 10:55:52
Engraçado o quanto tem católicos nas regiões mais populosas (Califórnia e Nordeste) e mesmo assim eles são minoria no país...
Engraçado como a distribuição de cada igreja se concentra numa área, em vez de estarem todas misturadas por todo o país.
Reforça a tese de que religião não se escolhe, se herda. É uma contaminação cultural.

Pois é. Quando vi esse mapa, a primeira coisa que pensei foi: parece o mapa de evolução de epidemias.

Mas a disseminação de uma religião (ou uma ideologia ou algo do gênero) não difere mesmo da disseminação de uma epidemia, é preciso haver contato entre pessoas para haver troca de informações. Bom, hoje em dia com a Internet nem tanto, mas considerando-se que as religiões predominantes atualmente nos EUA levaram décadas para se firmarem não se poderia esperar outra coisa.

Concordo, pois o mesmo fenômeno parece acontecer também com o ateísmo:

Proportion of atheists and agnostics around the world:
(http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/e/ec/Atheists_Agnostics_Zuckerman_en.svg/940px-Atheists_Agnostics_Zuckerman_en.svg.png)
Phrood/Wikipedia (http://en.wikipedia.org/wiki/Atheism#mediaviewer/File:Atheists_Agnostics_Zuckerman_en.svg)
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 04 de Agosto de 2014, 15:45:02
A china deveria estar entre 40-50% mínimo
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Barata Tenno em 04 de Agosto de 2014, 16:11:22
A china deveria estar entre 40-50% mínimo

Chineses são ateístas no sentido de não acreditarem num deus pessoal, mas são muito supersticiosos e a proporção de budistas é bem alta.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Moro em 04 de Agosto de 2014, 18:43:52
verdade, exatamente essa a descrição que vi em um debate, um dos povos mais supersticiosos. Coitado dos tubarões e outros animais que são caçados para virar pó de ereção e outras quimeras.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 04 de Agosto de 2014, 18:58:49
Poutzzzzzzzzzzzzzz! mais essa agora. Ou um cara é ateu, logo,não acredita em coisas sobrenaturais, supertições, unicórnios, deuses incluso, ou é um crente e não é ateu de modíssimo nenhum!!!!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 03 de Setembro de 2014, 22:40:01
Os ateus são menos honestos em algumas situações, e também contribuem menos para a caridade.[citation needed]
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 04 de Setembro de 2014, 11:40:34
Poutzzzzzzzzzzzzzz! mais essa agora. Ou um cara é ateu, logo,não acredita em coisas sobrenaturais, supertições, unicórnios, deuses incluso, ou é um crente e não é ateu de modíssimo nenhum!!!!
Ateu em sentido estrito é simplesmente aquele que não crê na existência de divindades, atribuir também a negação da existência de quaisquer fenômenos sobrenaturais e/ou metafísicos seria uma extensão de sentido moderna. Ambas as formas estão certas, e como alguns se baseiam apenas no primeiro sentido de "ateísmo" aqui apresentado, é possível sim, segundo esta definição, um ateu negar a ideia de que divindades existam, e porém, acreditar em fenômenos sobrenaturais.

Além do mais, Crente é aquele que crer, crer vem de crença, crença é um estado mental onde uma preposição é intimamente aceita/negada como verdadeira. Logo, o ateu também é um crente, no sentido de acreditar na sua negação de que divindades e/ou fenômenos sobrenaturais-metafísicos não existem.

O que acontece é que o termo "crente" foi por eras exaustivamente associado a fé religiosa, no sentido de aceitar  como verdades os (acreditar nos) dogmas das religiões, como por exemplo, na existência de uma divindade.

A fé religiosa geralmente dispensa a razão e as evidências para se sustentar, baseando-se somente na vontade de crer, na confiança em uma autoridade (líderes religiosos), nas palavras sagradas (como a Bíblia) e nos testemunhos de outras pessoas de fé.

No entanto a fé religiosa é somente uma entre muitos outros tipos de crença. Até mesmo as "verdades" científicas aceitas como tais são exemplos de crenças sendo postas em ação, pois basta que uma preposição seja intimamente aceita ou rejeitada como verdadeira para que exista crença. No entanto, no caso das "verdades" científicas e em alguns casos, "verdades" filosóficas, estas crenças são sustentadas por evidências e lógica, diferentemente da crença religiosa (a fé religiosa).

Segundo Platão, uma crença verdadeira (que condiz com a realidade) e justificada (por evidências e pela razão) conduz ao conhecimento.

Abraços!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 04 de Setembro de 2014, 17:15:12
Poutzzzzzzzzzzzzzz! mais essa agora. Ou um cara é ateu, logo,não acredita em coisas sobrenaturais, supertições, unicórnios, deuses incluso, ou é um crente e não é ateu de modíssimo nenhum!!!!
Ateu em sentido estrito é simplesmente aquele que não crê na existência de divindades, atribuir também a negação da existência de quaisquer fenômenos sobrenaturais e/ou metafísicos seria uma extensão de sentido moderna. Ambas as formas estão certas, e como alguns se baseiam apenas no primeiro sentido de "ateísmo" aqui apresentado, é possível sim, segundo esta definição, um ateu negar a ideia de que divindades existam, e porém, acreditar em fenômenos sobrenaturais.

Além do mais, Crente é aquele que crer, crer vem de crença, crença é um estado mental onde uma preposição é intimamente aceita/negada como verdadeira. Logo, o ateu também é um crente, no sentido de acreditar na sua negação de que divindades e/ou fenômenos sobrenaturais-metafísicos não existem.

O que acontece é que o termo "crente" foi por eras exaustivamente associado a fé religiosa, no sentido de aceitar  como verdades os (acreditar nos) dogmas das religiões, como por exemplo, na existência de uma divindade.

A fé religiosa geralmente dispensa a razão e as evidências para se sustentar, baseando-se somente na vontade de crer, na confiança em uma autoridade (líderes religiosos), nas palavras sagradas (como a Bíblia) e nos testemunhos de outras pessoas de fé.

No entanto a fé religiosa é somente uma entre muitos outros tipos de crença. Até mesmo as "verdades" científicas aceitas como tais são exemplos de crenças sendo postas em ação, pois basta que uma preposição seja intimamente aceita ou rejeitada como verdadeira para que exista crença. No entanto, no caso das "verdades" científicas e em alguns casos, "verdades" filosóficas, estas crenças são sustentadas por evidências e lógica, diferentemente da crença religiosa (a fé religiosa).

Segundo Platão, uma crença verdadeira (que condiz com a realidade) e justificada (por evidências e pela razão) conduz ao conhecimento.

Abraços!
O mimimi é sem fim. Crente disso por causa disso e daquilo metafísico idiosincrático burlesco filosófico e blablablas contextuais, mas ateus em contra partida a crentes(e ponto final!!!) mesmo, existem poucos.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 06 de Setembro de 2014, 16:17:43
Poutzzzzzzzzzzzzzz! mais essa agora. Ou um cara é ateu, logo,não acredita em coisas sobrenaturais, supertições, unicórnios, deuses incluso, ou é um crente e não é ateu de modíssimo nenhum!!!!
Ateu em sentido estrito é simplesmente aquele que não crê na existência de divindades, atribuir também a negação da existência de quaisquer fenômenos sobrenaturais e/ou metafísicos seria uma extensão de sentido moderna. Ambas as formas estão certas, e como alguns se baseiam apenas no primeiro sentido de "ateísmo" aqui apresentado, é possível sim, segundo esta definição, um ateu negar a ideia de que divindades existam, e porém, acreditar em fenômenos sobrenaturais.

Além do mais, Crente é aquele que crer, crer vem de crença, crença é um estado mental onde uma preposição é intimamente aceita/negada como verdadeira. Logo, o ateu também é um crente, no sentido de acreditar na sua negação de que divindades e/ou fenômenos sobrenaturais-metafísicos não existem.

O que acontece é que o termo "crente" foi por eras exaustivamente associado a fé religiosa, no sentido de aceitar  como verdades os (acreditar nos) dogmas das religiões, como por exemplo, na existência de uma divindade.

A fé religiosa geralmente dispensa a razão e as evidências para se sustentar, baseando-se somente na vontade de crer, na confiança em uma autoridade (líderes religiosos), nas palavras sagradas (como a Bíblia) e nos testemunhos de outras pessoas de fé.

No entanto a fé religiosa é somente uma entre muitos outros tipos de crença. Até mesmo as "verdades" científicas aceitas como tais são exemplos de crenças sendo postas em ação, pois basta que uma preposição seja intimamente aceita ou rejeitada como verdadeira para que exista crença. No entanto, no caso das "verdades" científicas e em alguns casos, "verdades" filosóficas, estas crenças são sustentadas por evidências e lógica, diferentemente da crença religiosa (a fé religiosa).

Segundo Platão, uma crença verdadeira (que condiz com a realidade) e justificada (por evidências e pela razão) conduz ao conhecimento.

Abraços!
O mimimi é sem fim. Crente disso por causa disso e daquilo metafísico idiosincrático burlesco filosófico e blablablas contextuais, mas ateus em contra partida a crentes(e ponto final!!!) mesmo, existem poucos.
:hein:

Porra cara, você quase sempre não fala nada com nada, deste jeito fica difícil debater contigo, sempre que tu fica sem argumentos é assim que tu reage, com frases desconexas e sem sentido?

Assim não dá, PQP, tem que rir pra não chorar, sério mesmo. 

:histeria: :histeria: :histeria: :histeria:
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: zzz_pt em 06 de Setembro de 2014, 17:03:44
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 06 de Setembro de 2014, 17:13:53
A china deveria estar entre 40-50% mínimo

Relacionado, ouvi falarem meio recentemente sobre uma contestação, de um argumento de que ateísmo se correlacionaria com "infelicidade", mas que isso se desfaz se tirarem os países que tiveram "ateísmo de estado" das contas.

Mas não me lembro se era algo "verificado" ou apenas especulado. Bem, acho que daria certo, mas ainda há o problema talvez desses países serem piores nesse aspecto até independentemente disso.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 06 de Setembro de 2014, 17:15:26
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: zzz_pt em 06 de Setembro de 2014, 17:38:16
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 06 de Setembro de 2014, 18:36:26
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Cientista em 06 de Setembro de 2014, 19:50:02
Poutzzzzzzzzzzzzzz! mais essa agora. Ou um cara é ateu, logo,não acredita em coisas sobrenaturais, supertições, unicórnios, deuses incluso, ou é um crente e não é ateu de modíssimo nenhum!!!!
Ateu em sentido estrito é simplesmente aquele que não crê na existência de divindades, atribuir também a negação da existência de quaisquer fenômenos sobrenaturais e/ou metafísicos seria uma extensão de sentido moderna. Ambas as formas estão certas, e como alguns se baseiam apenas no primeiro sentido de "ateísmo" aqui apresentado, é possível sim, segundo esta definição, um ateu negar a ideia de que divindades existam, e porém, acreditar em fenômenos sobrenaturais.

Além do mais, Crente é aquele que crer, crer vem de crença, crença é um estado mental onde uma preposição é intimamente aceita/negada como verdadeira. Logo, o ateu também é um crente, no sentido de acreditar na sua negação de que divindades e/ou fenômenos sobrenaturais-metafísicos não existem.

O que acontece é que o termo "crente" foi por eras exaustivamente associado a fé religiosa, no sentido de aceitar  como verdades os (acreditar nos) dogmas das religiões, como por exemplo, na existência de uma divindade.

A fé religiosa geralmente dispensa a razão e as evidências para se sustentar, baseando-se somente na vontade de crer, na confiança em uma autoridade (líderes religiosos), nas palavras sagradas (como a Bíblia) e nos testemunhos de outras pessoas de fé.

No entanto a fé religiosa é somente uma entre muitos outros tipos de crença. Até mesmo as "verdades" científicas aceitas como tais são exemplos de crenças sendo postas em ação, pois basta que uma preposição seja intimamente aceita ou rejeitada como verdadeira para que exista crença. No entanto, no caso das "verdades" científicas e em alguns casos, "verdades" filosóficas, estas crenças são sustentadas por evidências e lógica, diferentemente da crença religiosa (a fé religiosa).

Segundo Platão, uma crença verdadeira (que condiz com a realidade) e justificada (por evidências e pela razão) conduz ao conhecimento.

Abraços!
Eita verborragia braba (...por acaso, só para confirmar, o tal do Cientista não postou nesse tópico aqui antes não, né?; para dar pé àquela desculpa de que "é o -- malvadão desencaminhador do -- Cientista que me força/induz/alicia a postar essas verborragices todas..." hahahahhahahahahah...) só para, mais uma vez, "para variar", se contradizer todo! Quer dizer que, mais uma vez, "segundo Platão", o 'prata da casa'(ca--da revirante), existe, AGORA(!), alguma coisa que "condiga com a realidade"?! Que "realidade", sob qual "critério"? Aquela mesma pergunta tão difícil do jovem responder ao Cientista outrora, hahahahahhahahaha Esse jovem Skeptikós...   Gosto pra caramba desse garoto!


Poutzzzzzzzzzzzzzz! mais essa agora. Ou um cara é ateu, logo,não acredita em coisas sobrenaturais, supertições, unicórnios, deuses incluso, ou é um crente e não é ateu de modíssimo nenhum!!!!
Ateu em sentido estrito é simplesmente aquele que não crê na existência de divindades, atribuir também a negação da existência de quaisquer fenômenos sobrenaturais e/ou metafísicos seria uma extensão de sentido moderna. Ambas as formas estão certas, e como alguns se baseiam apenas no primeiro sentido de "ateísmo" aqui apresentado, é possível sim, segundo esta definição, um ateu negar a ideia de que divindades existam, e porém, acreditar em fenômenos sobrenaturais.

Além do mais, Crente é aquele que crer, crer vem de crença, crença é um estado mental onde uma preposição é intimamente aceita/negada como verdadeira. Logo, o ateu também é um crente, no sentido de acreditar na sua negação de que divindades e/ou fenômenos sobrenaturais-metafísicos não existem.

O que acontece é que o termo "crente" foi por eras exaustivamente associado a fé religiosa, no sentido de aceitar  como verdades os (acreditar nos) dogmas das religiões, como por exemplo, na existência de uma divindade.

A fé religiosa geralmente dispensa a razão e as evidências para se sustentar, baseando-se somente na vontade de crer, na confiança em uma autoridade (líderes religiosos), nas palavras sagradas (como a Bíblia) e nos testemunhos de outras pessoas de fé.

No entanto a fé religiosa é somente uma entre muitos outros tipos de crença. Até mesmo as "verdades" científicas aceitas como tais são exemplos de crenças sendo postas em ação, pois basta que uma preposição seja intimamente aceita ou rejeitada como verdadeira para que exista crença. No entanto, no caso das "verdades" científicas e em alguns casos, "verdades" filosóficas, estas crenças são sustentadas por evidências e lógica, diferentemente da crença religiosa (a fé religiosa).

Segundo Platão, uma crença verdadeira (que condiz com a realidade) e justificada (por evidências e pela razão) conduz ao conhecimento.

Abraços!
O mimimi é sem fim. Crente disso por causa disso e daquilo metafísico idiosincrático burlesco filosófico e blablablas contextuais, mas ateus em contra partida a crentes(e ponto final!!!) mesmo, existem poucos.
:hein:

Porra cara, você quase sempre não fala nada com nada, deste jeito fica difícil debater contigo, sempre que tu fica sem argumentos é assim que tu reage, com frases desconexas e sem sentido?

Assim não dá, PQP, tem que rir pra não chorar, sério mesmo. 

:histeria: :histeria: :histeria: :histeria:
Talvez, meu jovem, se dissesses, volta e meia, alguma 'coisinha com coisinha', para... ...assim... dar uma variadinha, tu ajudasses nosso camarada sergiomgbr a saber melhor o que seria "coisa com coisa" na tua concepção, se é que há..., para poder te explicar melhor o que seria "coisa com coisa" que corrigisse tua visão de "coisa sem coisa"...    hahahahahahahahah...


Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.
E eu duvido muito mais ainda elevado a menos um! 100% dos portugueses são ateus. Se 10 (não %, só 10 mesmo) deles forem realmente descrentes, Portugal está em destaque e de parabéns nos índices. A pior crença que existe é a do crente que se convenceu de que é descrente. E é uma religião que está em preocupante franca ascensão, haja vista tantos frenquentadores desse forum, a exemplo! Que o divino Proteus nos proteja!


Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.
Exatamente! Ô coisa biita de se ler, meu Proteus! Uma retornadinha à "carga normal", meu caro? Por que não mais, mais frequentemente?...  Crença é crença, descrença é descrença, e assunto encerrado. O resto é enrolação desculposa para não se dizer crente sozinho -- "se sou crente, tu também é; pode ser um crente diferente de ieu, 'justificado', mas é crente". Tá... vou crer nisso, só por você...   hahahahahhahahahahahahah...
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 06 de Setembro de 2014, 20:57:29
Cientista, me mostre onde houve contradição, e me mostre com citações que eu tenha feito, pois enquanto você continuar com suas acusações sem fundamentos, em meio a sua verborragia característica, não mais me reportarei a você.

Abraços!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: zzz_pt em 07 de Setembro de 2014, 08:45:40
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.


Cientista, és português? Eu vivo por cá e pela minha experiência, pelo menos a grande maioria da população que está dos 35 anos para baixo não acredita em deuses. Como somos ainda uma população envelhecida, muita gente é católica. Mas dentro de 2 gerações, o panorama será muito diferente... assim espero.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 07 de Setembro de 2014, 13:25:10
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Cientista em 07 de Setembro de 2014, 14:10:26
Cientista, me mostre onde houve contradição, e me mostre com citações que eu tenha feito, pois enquanto você continuar com suas acusações sem fundamentos, em meio a sua verborragia característica, não mais me reportarei a você.

Abraços!
Meu jooooooovem... Não és obrigado a reportar-se ao Cientista, ele não está nem mais te pedindo ou exigindo isso. Ele não espera mais que respondas a ele todas aquelas inumeríssimas questões que ele te formulou e das quais fugiste, inclusive algumas citações que te pediu de acusações que fizeste ao Cientista, para as (acusações contra ele) sustentar. Mas, não tem problema, já disseste antes que não "se reportaria" ao Cientista e, pelo visto, não cumpriste. Não acho isso condenável, não... Inclusive, se quiseres tal progresso, embora claro seja que é facílimo (ainda que dê algum trabalho) ir em quase qualquer de suas postagens e encontrar suas contradições, podemos encerrar isso aqui agora mesmo: Então, admites que exista 'conhecimento', aquela coisa que, "seguin..gundo (tá bão, hahahahaha...) Platão", é alcançada por uma "crença verdadeira" ("necessariamente inicial"?) e "justificada" por "evidências e pela razão"? Seria esse "conhecimento", finalmente ao menos, "saber que não é crença"? É isso? estás admitindo que exista saber que não seja crença? Podes fornecer um só, ao menos, que seja, exemplo? (Mas por VO-CÊ, meu jovem. Não quero saber o que Platão ou qualquer outro pó achava. Não faças como o exemplo do Padilha naquele video postado aí para trás, quando perguntado o que Cuba seria, tá OK? A pergunta é para VO-CÊ responder!)

Cuidado porque o escreveste lá atrás deve permanecer lá por tempo...

E... ansioso está o Cientista à espera das esquivas!  hahahahahahhahaha...






Cientista, és português? Eu vivo por cá e pela minha experiência, pelo menos a grande maioria da população que está dos 35 anos para baixo não acredita em deuses. Como somos ainda uma população envelhecida, muita gente é católica. Mas dentro de 2 gerações, o panorama será muito diferente... assim espero.
Não sou português, minha descendência já está na bisnetice, mas tenho alguns laços, mais que a bisnetice, com Portugal.

Devo esclarecer que o termo "ateu" é por mim entendido da forma como expus. É preciso tal esclarecimento porque o termo foi corrompido para "descrente em deus" e é como é quase mundialmente usado, eu sei. De qualquer forma, tudo o que me importa é a descrença pura e simples, aquela que ocorre quando não se crê mais no "eu", única real crença, geradora de todas as outras. O resto, para mim, é tudo crente meis, filho. Pouco me importa em que. hahahahahahahaha...

E aí? Quantos desses há em Portugal?






Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?
Quase isso, ou... até é exatamente, mas é preciso fazer uma 'minimização booleana' para sair da armadilha linguística. A distinção entre o que é divino (de deuses) e o que é mágico é de pura artificialidade e arbitrariedade linguística -- aquele tipo de coisa que tem rédeas soltas quando não se é linguisticamente rigoroso... Observe o detalhe de como a linguagem é traiçoeira e sedutoramente destruidora. Muitíssimas vezes, parece estar(e -se) enriquecendo de definições e, portanto, de "poderes" sobre (e de) a verbalização da realidade, quando, o que está ocorrendo é que está-se redundando, nada mais. Tudo o que é mágico é a mesma coisa (conquanto está só na ideação), e perceber e entender isso é tudo o que importa à mente descrente. Desse entendimento, pode-se sim, dizer que a natureza das coisas sobrenaturais, todas, é sim, divina, porque o que é divino é nada mais que humano(izado), aquilo de que eu já falara lá atrás no início, que o pensamento mágico é a projeção da mente (das características da mente) nas coisas externas à ela.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 07 de Setembro de 2014, 17:02:30
Eu nunca neguei a existência/possibilidade de se alcançar conhecimento, você provavelmente deve estar aludindo para a minha descrição do ceticismo, que toca no assunto da verdade, veja bem, o ceticismo pirrônico não nega a existência da verdade, só não admite que ela já tenha sido alcançada.

E como eu coloquei, tenha alcançado a verdade ou não, seja conhecimento ou não, aquilo que se aceita como verdadeiro, é por si só uma atitude de crença (acreditar). Qualquer conhecimento (se for possível alcança-lo), por este motivo, se alcançado e aceito como tal, será também crença. Por isso todo aquele que sabe ou acha que sabe, acredita nisso, e seu estado de "saber" é também uma crença.

Abraços!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: zzz_pt em 07 de Setembro de 2014, 17:10:50
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Eu estou a aplicar a palavra ateu no sentido etimológico. Se me perguntarem se acredito em unicórnios, não vou dizer que sou ateu. Vou dizer que não acredito. Não se inventaram palavras para a recusa da crença em unicórnios, dragões, trolls, doendes, etc, porque não são coisas que nos causem problemas (na sociedade) como fazem as religiões.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 07 de Setembro de 2014, 17:28:14
aquele que sabe ou acha que sabe, acredita nisso, e seu estado de "saber" é também uma crença.

Abraços!
Isso é de uma hipérbole tamanha!

Saber é condição resultante de um sistema como resposta a estímulos dos sensores do sistema.

Se eu pego um isqueiro e ponho sob a palma da sua mão, você reage ao calor de forma indubitável. Uma reação a um estímulo de calor, é um saber e corresponde à apreensão da Realidade e isso é impossível de ser igualado a uma crença. Você sabe que o isqueiro esquentou sua mão. Já ter crença de que está quente não corresponde necessariamente à Realidade.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 07 de Setembro de 2014, 17:31:20
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Eu estou a aplicar a palavra ateu no sentido etimológico. Se me perguntarem se acredito em unicórnios, não vou dizer que sou ateu. Vou dizer que não acredito. Não se inventaram palavras para a recusa da crença em unicórnios, dragões, trolls, doendes, etc, porque não são coisas que nos causem problemas (na sociedade) como fazem as religiões.
Na verdade, não são as religiões que causam o que quer que seja, e sim os religiosos.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 07 de Setembro de 2014, 17:48:20
Assim como não é a violência que faz suas próprias vítimas, mas sim as pessoas violentas.

Pensem nisso, antes de se apressar em culpar a violência.

Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: zzz_pt em 07 de Setembro de 2014, 17:55:52
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Eu estou a aplicar a palavra ateu no sentido etimológico. Se me perguntarem se acredito em unicórnios, não vou dizer que sou ateu. Vou dizer que não acredito. Não se inventaram palavras para a recusa da crença em unicórnios, dragões, trolls, doendes, etc, porque não são coisas que nos causem problemas (na sociedade) como fazem as religiões.
Na verdade, não são as religiões que causam o que quer que seja, e sim os religiosos.

red herring...
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 07 de Setembro de 2014, 18:54:59
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Eu estou a aplicar a palavra ateu no sentido etimológico. Se me perguntarem se acredito em unicórnios, não vou dizer que sou ateu. Vou dizer que não acredito. Não se inventaram palavras para a recusa da crença em unicórnios, dragões, trolls, doendes, etc, porque não são coisas que nos causem problemas (na sociedade) como fazem as religiões.
Na verdade, não são as religiões que causam o que quer que seja, e sim os religiosos.

red herring...
Não vejo como. Na verdade, irrelevante e fugidio é culpar "as religiões" pra livrar os religiosos, que é o que você está fazendo.

Se você tem uma crença que não seja fundamento de uma religião específica, tipo, os anabatistas reformados que creem na sacralidade do berimbau laranja, mas em tudo se parece com um anabatista reformado que crê na sacralidade de um berimbau  apenas com a diferença que você crê na sacralidade  do berimbau roxo, então você não faz parte de nenhuma religião ainda que na verdade seja um  religioso.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: zzz_pt em 07 de Setembro de 2014, 19:04:19
Não estou "fazendo" nada. Apenas acho que não estou a lidar com crianças e não preciso de explicar o óbvio (de que as pessoas é que agem consoante as suas convicções e não as convicções por si próprias).

Perguntaste-me acerca da palavra "ateu" e eu respondi dando um exemplo. Depois decidiste pegar numa frase, interpretar da forma que querias, ignorar o principal (que era a resposta aquilo que me tinhas perguntado) e ainda dizer que o red herring vem da minha parte.

Fico-me por aqui.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 07 de Setembro de 2014, 19:10:19
[...]Já ter crença de que está quente não corresponde necessariamente à Realidade.
Eu nunca disse que a crença deva corresponder necessariamente à realidade.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 07 de Setembro de 2014, 19:34:00
[...]Já ter crença de que está quente não corresponde necessariamente à Realidade.
Eu nunca disse que a crença deva corresponder necessariamente à realidade.
Nem sempre estou comentando só sobre o que você fala, reitero.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Cientista em 08 de Setembro de 2014, 01:45:20
Eu nunca neguei a existência/possibilidade de se alcançar conhecimento, você provavelmente deve estar aludindo para a minha descrição do ceticismo, que toca no assunto da verdade, veja bem, o ceticismo pirrônico não nega a existência da verdade, só não admite que ela já tenha sido alcançada.

E como eu coloquei, tenha alcançado a verdade ou não, seja conhecimento ou não, aquilo que se aceita como verdadeiro, é por si só uma atitude de crença (acreditar). Qualquer conhecimento (se for possível alcança-lo), por este motivo, se alcançado e aceito como tal, **será também crença**. Por isso todo aquele que sabe ou acha que sabe, acredita nisso, e seu **estado de "saber" é também uma crença**.

Abraços!
Está vendo? O Cientista agradece por tê-lo poupado de ir buscar tua contradição. Você a expôs bem aqui mesmo: "não existe saber, só crença", em suma. Então, segundo tua crença, tudo é crença.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 08 de Setembro de 2014, 01:54:34
Eu nunca neguei a existência/possibilidade de se alcançar conhecimento, você provavelmente deve estar aludindo para a minha descrição do ceticismo, que toca no assunto da verdade, veja bem, o ceticismo pirrônico não nega a existência da verdade, só não admite que ela já tenha sido alcançada.

E como eu coloquei, tenha alcançado a verdade ou não, seja conhecimento ou não, aquilo que se aceita como verdadeiro, é por si só uma atitude de crença (acreditar). Qualquer conhecimento (se for possível alcança-lo), por este motivo, se alcançado e aceito como tal, **será também crença**. Por isso todo aquele que sabe ou acha que sabe, acredita nisso, e seu **estado de "saber" é também uma crença**.

Abraços!
Está vendo? O Cientista agradece por tê-lo poupado de ir buscar tua contradição. Você a expôs bem aqui mesmo: "não existe saber, só crença", em suma. Então, segundo tua crença, tudo é crença.
Não sei como você conseguiu deduzir do texto ai de cima que eu tenha dito que não existe saber, mas somente crença, pois me parece que simplesmente nada parecido com isso tenha sido dito. Para constar, também não é dito acima que tudo seja crença.

Boa tentativa Cientista, mas não foi desta vez.

Abraços!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Cientista em 08 de Setembro de 2014, 02:15:20
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?
Eu estou a aplicar a palavra ateu no sentido etimológico.
Não, não está. Por sua etimologia, a palavra ateu significa SEM deus/divindade. Não é 'antiteu' ou outra compilação ativamente negadora de nada, assim como acéfalo não é alguém que não acredita ou nega o cérebro, mesmo porque não tem um cérebro para permitir negar qualquer coisa. Infelizmente, o ser humano é uma máquina facilmente tolhida pela deturpação e muito dificilmente resgatável dela, além de tendentemente doutrinável pelos 'trends' do mundo, não querendo 'piar sozinha'. O jovem Skeptikós aí ao lado, munido de toda a crença subserviente, concordante e incorrigível a tudo isso, já fez todo o malabarismo que pôde para negar o fato, o que não o muda em nada.


Se me perguntarem se acredito em unicórnios, não vou dizer que sou ateu. Vou dizer que não acredito. Não se inventaram palavras para a recusa da crença em unicórnios, dragões, trolls, doendes, etc, porque não são coisas que nos causem problemas (na sociedade) como fazem as religiões.
E, no entanto, o que menos ...menos não..., nada importa é *no que* você (des)acredita. Só o que importa é seu modo fundamental de pensar, se crente ou não; se é máquina pensadora mágica ou científica.



...Mas, e a propósito, zzz_pt (pt... de Portugal, claro!), quantos daqueles que descrevi avalias que haja em Portugal?! Não respondeste! É destas máquinas que mencionei logo acima que estou a falar. Quantas?







aquele que sabe ou acha que sabe, acredita nisso, e seu estado de "saber" é também uma crença.

Abraços!
Isso é de uma hipérbole tamanha!

Saber é condição resultante de um sistema como resposta a estímulos dos sensores do sistema.

Se eu pego um isqueiro e ponho sob a palma da sua mão, você reage ao calor de forma indubitável. Uma reação a um estímulo de calor, é um saber e corresponde à apreensão da Realidade e isso é impossível de ser igualado a uma crença. Você sabe que o isqueiro esquentou sua mão. Já ter crença de que está quente não corresponde necessariamente à Realidade.
Cara! Isso ficou ótimo! Tu tava me deixando meio desanimado em anterioridades, fio! Animou mais o veio Cientista agora!  hahahahahaha...





Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Eu estou a aplicar a palavra ateu no sentido etimológico. Se me perguntarem se acredito em unicórnios, não vou dizer que sou ateu. Vou dizer que não acredito. Não se inventaram palavras para a recusa da crença em unicórnios, dragões, trolls, doendes, etc, porque não são coisas que nos causem problemas (na sociedade) como fazem as religiões.
Na verdade, não são as religiões que causam o que quer que seja, e sim os religiosos.
Exatamente! E, como já adverti bem mais lá atrás por aí(aqui), quando se diz "devemos combater o crime; o combate ao crime..." se está, simplesmente, dizendo que nada se vai fazer.





Assim como não é a violência que faz suas próprias vítimas, mas sim as pessoas violentas.

Pensem nisso, antes de se apressar em culpar a violência.
Aprendeu. Que bom!





Não estou "fazendo" nada. Apenas acho que não estou a lidar com crianças e não preciso de explicar o óbvio (de que as pessoas é que agem consoante as suas convicções e não as convicções por si próprias).
Então, se não somos crianças a cá, não deve ser necessário também explicar que não são as convicções o problema, mas as pessoas, não "por suas convicções", mas por elas mesmas, que as convicções não são as culpadas nem por "agirem através das pessoas".

...Ih! Acabei explicando mesmo assim...





[...]Já ter crença de que está quente não corresponde necessariamente à Realidade.
Eu nunca disse que a crença deva corresponder necessariamente à realidade.
Claro que não! O que dizes é exatamente o contrário!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Cientista em 08 de Setembro de 2014, 02:17:45
Eu nunca neguei a existência/possibilidade de se alcançar conhecimento, você provavelmente deve estar aludindo para a minha descrição do ceticismo, que toca no assunto da verdade, veja bem, o ceticismo pirrônico não nega a existência da verdade, só não admite que ela já tenha sido alcançada.

E como eu coloquei, tenha alcançado a verdade ou não, seja conhecimento ou não, aquilo que se aceita como verdadeiro, é por si só uma atitude de crença (acreditar). Qualquer conhecimento (se for possível alcança-lo), por este motivo, se alcançado e aceito como tal, **será também crença**. Por isso todo aquele que sabe ou acha que sabe, acredita nisso, e seu **estado de "saber" é também uma crença**.

Abraços!
Está vendo? O Cientista agradece por tê-lo poupado de ir buscar tua contradição. Você a expôs bem aqui mesmo: "não existe saber, só crença", em suma. Então, segundo tua crença, tudo é crença.
Não sei como você conseguiu deduzir do texto ai de cima que eu tenha dito que não existe saber, mas somente crença, pois me parece que simplesmente nada parecido com isso tenha sido dito. Para constar, também não é dito acima que tudo seja crença.

Boa tentativa Cientista, mas não foi desta vez.

Abraços!
O Cientista acaba de me dizer aqui que não sabe é de onde o jovem Skep tirou que isto aí teria sido uma "tentativa" (seja lá do que for) dele...

Por mim, meu jovem Skep, podes seguir com tua crença em paz.  hahahahahahahhaah...
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: zzz_pt em 08 de Setembro de 2014, 07:22:45
Cientista, deixa-te de brincadeiras. ;)

Teísmo1
nome masculino
FILOSOFIA, RELIGIÃO doutrina filosófica e religiosa que admite a existência de um deus único, pessoal, criador do mundo e distinto dele
(Do grego théos, «Deus» +-ismo, ou do francês théisme, «idem»)


Ateísmo
nome masculino
1.   atitude ou doutrina que nega a existência de um Deus, valorizando a humanidade e a vida terrestre como um bem natural da qual o fenómeno divino está alheio; negação da existência de Deus
2.   doutrina que não se apoia na existência de uma causa primeira para justificar o Universo
(De ateu+-ismo, ou do francês athéisme, «idem»)



negação
nome feminino
1.   ato ou efeito de afirmar que algo não é verdadeiro ou não existe
2.   recusa; rejeição
3.   o que contradiz ou é contrário a algo
4.   incapacidade; inaptidão
5.   falta; carência
6.   LÓGICA, MATEMÁTICA relação entre proposições pela qual x é verdadeira senão y é falsa, e x é falsa senão y é verdadeira
7.   MILITAR ação levada a efeito através de destruições e obstruções com o fim de negar ou dificultar o progresso do inimigo
(Do latim negatiōne-, «idem»)


(dicionário da língua portuguesa com acordo ortográfico - Infopédia, Porto Editora)


Depois ainda há o antiteísmo, que não se trata da simples rejeição do teísmo (ateísmo) mas de uma posição de oposição ou antipatia para com crenças religiosas.


Não pensei que chegaria ao ponto de colocar definições do dicionário neste tópico. Mas aí está. Se "sem deus" é muito diferente para ti de negar que deus existe, tudo bem. Mas não me venhas dizer que não estou a usar as palavras corretamente.

Quanto à tua pergunta, não faço ideia. Não te vou dar nenhum número. Eu disse que em portugal devemos ser mais de 10% de ateus. Não tenho dados para te mostrar. É um palpite baseado na minha experiência e no que me rodeia. Durante o meu tempo de escola e universidade, por exemplo, nenhum dos meus amigos acreditava em deus ou frequentava a igreja. Vale o que vale. Mas se me vai pedir números, é óbvio que não te posso dar.


Também achas que dizer que a religião é um virus (como Hitchens disse) está incorreto? Ou é incompreensível compreender o que ele quer dizer com esta frase? Eu disse que as religiões causam (ou são a raíz de muitos) problemas no mundo. Em que é que isso é diferente do que o Hitchens diz "religion poisons everything"? O Hitchens também não sabia o que dizia? Deveria ter colocado como sub-título do livro "fanatic religious people poisons everything"... Será? Ou nós compreendemos o que ele queria dizer? Da mesma forma, quando eu disse que as religiões são um problema, estou obviamente a referir-me aquilo que os religiosos fanáticos fazem em nome do seu deus ou da sua religião.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 08 de Setembro de 2014, 12:22:20
[...] Por sua etimologia, a palavra ateu significa SEM deus/divindade. Não é 'antiteu' ou outra compilação ativamente negadora de nada,
O prefixo "a-" de origem grega presente na palavra "ateu", pode significar também negação ou rejeição, e não somente privação e ausência.

Citação de: Cientista
Infelizmente, o ser humano é uma máquina facilmente tolhida pela deturpação e muito dificilmente resgatável dela, além de tendentemente doutrinável pelos 'trends' do mundo, não querendo 'piar sozinha'. O jovem Skeptikós aí ao lado, munido de toda a crença subserviente, concordante e incorrigível a tudo isso, já fez todo o malabarismo que pôde para negar o fato, o que não o muda em nada.
É muito irônico ver o Cientista me acusando daquilo que ele justamente faz. Mas acho que nem preciso me defender, pois deve ter ficado claro para todo mundo que leu o debate, que quem esta tentando deturpar e distorcer os fatos para conseguir que eles digam aquilo que se deseja, é o pobre Cientista, e pela reação de desespero e ataques infundamentados acima, nos deixa evidente que ele não obteve sucesso na sua tentativa.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 08 de Setembro de 2014, 12:25:57
zzz_pt, você esta perdendo tempo em apresentar referências de definições da palavra "ateu", "teísmo" e "negação". O cientista só escolhe as "evidências" que lhe convêm, e ainda por cima faz questão de distorce-las até elas dizerem exatamente aquilo que ele quer.

Espere e verá.

Abraços!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 08 de Setembro de 2014, 12:29:30
Esse tópico e os dramas relacionados me lembram em algo esse vídeo:

https://www.youtube.com/v/JMvMzQ4Vu-8
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Cientista em 09 de Setembro de 2014, 04:11:22
Cientista, deixa-te de brincadeiras. ;)
Ah, não! Isso não! Como seria possível suportar o fardo de tantas falácias rasas que vocês jogam sobre o Cientista, sem elas, as brincadeiras?! NÃO! Não te atenderei!   hahahahahahahhahahahaha...


Teísmo1
nome masculino
FILOSOFIA, RELIGIÃO doutrina filosófica e religiosa que admite a existência de um deus único, pessoal, criador do mundo e distinto dele
(Do grego théos, «Deus» +-ismo, ou do francês théisme, «idem»)


Ateísmo
nome masculino
1.   atitude ou doutrina que nega a existência de um Deus, valorizando a humanidade e a vida terrestre como um bem natural da qual o fenómeno divino está alheio; negação da existência de Deus
2.   doutrina que não se apoia na existência de uma causa primeira para justificar o Universo
(De ateu+-ismo, ou do francês athéisme, «idem»)
Meu jovem, já me vieram com esse mesmo "argumento". E eu já disse que o pequenininho probleminha com ele é que ateísmo é derivado, não raiz. Não se justifica a etimologia de ateu pela análise de um derivado corrompido. A etimologia vem dos constituintes primevos da composição. Ateísmo é entendido como isso que aí está porque ateu já foi deturpado, não o contrário. Negar fatos dá nisso...


negação
nome feminino
1.   ato ou efeito de afirmar que algo não é verdadeiro ou não existe
2.   recusa; rejeição
3.   o que contradiz ou é contrário a algo
4.   incapacidade; inaptidão
5.   falta; carência
6.   LÓGICA, MATEMÁTICA relação entre proposições pela qual x é verdadeira senão y é falsa, e x é falsa senão y é verdadeira
7.   MILITAR ação levada a efeito através de destruições e obstruções com o fim de negar ou dificultar o progresso do inimigo
(Do latim negatione-, «idem»)


(dicionário da língua portuguesa com acordo ortográfico - Infopédia, Porto Editora)
Nada isso aqui diz para, muito menos contesta, o que está em questão aqui. É só para ocupar mais espaço ainda, jovem?


Depois ainda há o antiteísmo, que não se trata da simples rejeição do teísmo (ateísmo) mas de uma posição de oposição ou antipatia para com crenças religiosas.
E, com essa observação, você corrobora a mim e contesta a si próprio, pelo que devo te agradecer! Viu, meu jovem? Se quiseres, podes encontrar o acerto, e por ti mesmo! hahahahahhahahahahaha...


Não pensei que chegaria ao ponto de colocar definições do dicionário neste tópico.
O que??? Num tópico onde participa um jovem nickado Skep, definições de dicionário é o que não faltará! Nem brinques com isso!  hahahahahahah... Mas, não penses também que aquele jovem seja rigoroso com isso. Quando o convém, ele deturpa o que no dicionário está ao sabor das necessidades, ou mesmo nem olha para o dicionário.

Para finalizar esse trechinho e mostrar o quão desperdicioso foi mesmo teres te ocupado a 'dicionarizar' o tópico, o que achas do que o Cientista já havia dito aqui?:

Devo esclarecer que o termo "ateu" é por mim entendido da forma como expus. É preciso tal esclarecimento porque o termo foi corrompido para "descrente em deus" e é como é quase mundialmente usado, ***eu sei***. De qualquer forma, tudo o que me importa é a descrença pura e simples, aquela que ocorre quando não se crê mais no "eu", única real crença, geradora de todas as outras. O resto, para mim, é tudo crente meis, filho. Pouco me importa em que. hahahahahahahaha...

E aí? Quantos desses há em Portugal?

Tente deixar de lado suas preconcepções apressadas, fique mais atento ao que o Cientista diz, analisando com calma, sem pressa e mais de uma, várias vezes. Não dói nada (muito o contrário, o que dói é confrontá-lo), te enriquece e poupa muito tempo, seu e dele. Experimente que vais ver, meu jovem. Não dê 'ouvidos' (olhos) a vários outros que estão por aqui; eles não sabem de nada; não podem te oferecer um bilionésimo do que o que o Cientista pode. Não compactue da mesma inveja de tantos. Mas, se quiseres fechar os olhos para tudo o que acabo de dizer, fique à vontade que serás mais um de tantos a divertir o Cientista! hahahhahahahahahahahahah...


Mas aí está.
É... vai ficar ocupando inutilmente mais espacinho aqui...


Se "sem deus" é muito diferente para ti de negar que deus existe,
Não é para ti?!!!!!


tudo bem. Mas não me venhas dizer que não estou a usar as palavras corretamente.
"Corretamente" em etimologia, "corretamente" em definições (várias, a adotar qual) de dicionário, "corretamente" em vulgo, "corretamente" em...   qual?  hahahahahahhahaha...   Tu mesmo, ó meu de além-mar, especificaste logo ali que fazias uso ("aplicavas") do sentido etimológico, deixando claro saber das diversificações de sentidos após a origem, a etimologia. Querias se declarar usuário do sentido no estado mais puro, na fonte. Sabes bem que os dicionários não têm compromisso obrigatório com isso, não sabes, meu jovem? Muito o contrário, tendem a deformarem-se com o ambiente. Então, como tu me trazes aqui o que está no dicionário?!  hahahahahahhaha...


Quanto à tua pergunta, não faço ideia.
Quando fizeres, respondas.   ...Ou não, se não quiseres...  hahahhahaha...


Não te vou dar nenhum número. Eu disse que em portugal devemos ser mais de 10% de ateus.
São 100%, pois como ateu é sem deus e deuses não existem, todos são sem deus.


Não tenho dados para te mostrar. É um palpite baseado na minha experiência e no que me rodeia.
Expõe-se-me baseado em crenças tuas.


Durante o meu tempo de escola e universidade, por exemplo, nenhum dos meus amigos acreditava em deus ou frequentava a igreja.
Conheço fervorosos religiosos, em declaração e comportamento, que não frequentam qualquer igreja. Quanto a "não acreditar", deves entender a diferença entre dizer que não acredita, acreditar mesmo até que não acredita, não acreditar mesmo e outras variações mais até. Tomo em meu entendimento que seus amigos **diziam** não acreditar em deus (qual/quais?...). Daí a concluir (você, eles mesmo ou quem mais "quiser") que eles não acreditavam mesmo, é com você. Se não frequenta(va)m igreja, nada muda. Comportamentos e pensamentos podem ajudar na análise mas não é coisa fácil (sempre lembro daquele teste feito em Blade Runner -- o caçador de andróides --
pois a dificuldade é bem analogizável àquilo). Tente instigá-los a proferir terríveis blasfêmias. Não é eliminatório por um lado, mas por outro pode ser: se começarem a ter receios pascalianos...   hahahahahahahahahahahaha...


Vale o que vale.
Sem dúvida! Sempre brilhante e simples tal afirmativa! hahahahahahaha...


Mas se me vai pedir números, é óbvio que não te posso dar.
Não vou, já pedi. Tudo bem... Continuo apostando que se tiver 10 daqueles aí, Portugal está em destaque.


Também achas que dizer que a religião é um virus (como Hitchens disse) está incorreto?
Sim. Mas... o que tem que ver?...   ...bom, vamos adiante!


Ou é incompreensível compreender o que ele quer dizer com esta frase?
Não me parece... Parece bem claro  ...e errado!  hahahahhaah...


Eu disse que as religiões causam (ou são a raíz de muitos) problemas no mundo.
Não causam; não são.


Em que é que isso é diferente do que o Hitchens diz "religion poisons everything"?
(Ah, sim... agora entendi aonde pretendes chegar...)

Em nada significativo. As duas coisas estão erradas.


O Hitchens também não sabia o que dizia?
Óbvio que não. Ou... sabia, mas dizia a besteira mesmo assim. Vender livros é bom. Pense bem, se o Cientista escrevesse um livro dizendo as coisas que ele diz, faria sucesso? A descrença REAL é desinteressante mesmo para os autoalegados ('neo')"ateus". É preciso dizer o que os outros são receptivos a ouvir, normalmente coisas que são falsas, não fatos.


Deveria ter colocado como sub-título do livro "fanatic religious people poisons everything"... Será?
Não salvaria, mas ficaria um pouquinho, bem pouquinho, melhor. Porque é exatamente o que acontece  ...até no sentido figurado!  hahahahahahahahahaha...


Ou nós compreendemos o que ele queria dizer?
Eu compreendo -- uma besteira sem mais tamanho.


Da mesma forma, quando eu disse que as religiões são um problema, estou obviamente a referir-me aquilo que os religiosos fanáticos fazem em nome do seu deus ou da sua religião.
Sei perfeitamente bem do que está falando. Ocorre que estás errado. Os religiosos fanáticos fazem o que eles são.








[...] Por sua etimologia, a palavra ateu significa SEM deus/divindade. Não é 'antiteu' ou outra compilação ativamente negadora de nada,
O prefixo "a-" de origem grega presente na palavra "ateu", pode significar também negação ou rejeição, e não somente privação e ausência.
Aaaah, "pode **também**"?! Uma concessãozinha se abrindo, meu jovem?! Hahahahahahahahahahaha... Como tu és generoso!  hahahahahahahha...

Vou dar-te uma ajudinha para seres mais generoso ainda    ...contigo mesmo!  hahahahhahahahahahahaha

Vou ampliar aquela 'listinha' (de um item só, hahahahahha) contendo acéfalo, a qual tu pulaste escamoteosisticamente, para tu me dizeres até onde pode ir tua generosidade, filho.

(Mesmo as palavras proparoxítonas não acentuarei, para uniformizar melhor, além de até porque a regra dessas composições deveria ser torná-las todas não proparoxítonas.)

acéfalo
ataraxia (hahahahahahahahahahaha...)
aptero
atomo
atono
afono
afasia
anuro
apatia
apático
azoto
azimo

'abio' (bem poderia ser a palavra para... estéril  ...mas, certamente não para "o que não crê na/nega a vida"  hahahahahahahahaha...)

abiose
abiótico
abiogênese
acracia
anarquia
acrania
...

Já deu pra minha memória imediata!

Porém, ateu destoa...  O que será que há de tão "especial" com 'ateu'?...

Um doce de mandiocão bravo para quem acertar!  hahahahahhahahahahaha...



Citação de: Cientista
Infelizmente, o ser humano é uma máquina facilmente tolhida pela deturpação e muito dificilmente resgatável dela, além de tendentemente doutrinável pelos 'trends' do mundo, não querendo 'piar sozinha'. O jovem Skeptikós aí ao lado, munido de toda a crença subserviente, concordante e incorrigível a tudo isso, já fez todo o malabarismo que pôde para negar o fato, o que não o muda em nada.
É muito irônico ver o Cientista me acusando daquilo que ele justamente faz. Mas acho que nem preciso me defender, pois deve ter ficado claro para todo mundo que leu o debate, que quem esta tentando deturpar e distorcer os fatos para conseguir que eles digam aquilo que se deseja, é o pobre Cientista, e pela reação de desespero e ataques infundamentados acima, nos deixa evidente que ele não obteve sucesso na sua tentativa.
É muito irônico ver o Skeptikós acusando o Cientista daquilo que ele justamente faz. Mas acho que nem preciso me defender, pois deve ter ficado claro para todo mundo que leu o debate, que quem esta tentando deturpar e distorcer os fatos para conseguir que eles digam aquilo que se deseja, é o pobre Skeptikós, e pela reação de desespero e ataques infundamentados acima, nos deixa evidente que ele não obteve sucesso na sua tentativa.

Também pode um não falido deitar-se na cama da conveniência dos falidos, só para tripudiar!

Hahahahahahhahahahahahahahahahahahahahaahah...








zzz_pt, você esta perdendo tempo em apresentar referências de definições da palavra "ateu", "teísmo" e "negação". O cientista só escolhe as "evidências" que lhe convêm, e ainda por cima faz questão de distorce-las até elas dizerem exatamente aquilo que ele quer.

Espere e verá.

Abraços!
Cientista, você esta perdendo tempo em contestar as referências de definições da palavra "ateu", "teísmo" e "negação". O zzz_pt/Skeptikós só escolhe as "evidências" que lhe convêm, e ainda por cima faz questão de distorce-las até elas dizerem exatamente aquilo que ele quer.

Não precisa esperar, é só olhar bem e verá.

Hahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah...



É muito engraçado ver religiosos ao ponto da cegueira fanática irreversível. Como aqueles advogados que não conseguem mais (*des*)racionalizar os princípios mais fundamentais: você pergunta a eles o que ELES PENSAM (coisa que não são mais capazes de fazer...) sobre (o absurdo de) determinada lei e o que se recebe como "resposta"? A reapresentação do texto da lei junto a uma explícita penalizante, para não dizer criminosa, incapacidade de apresentar uma resposta por eles mesmos!

Lamentável...   porém engraçado, porquanto patético!  hahahahahahahhahahahaha...









Correção: Devo corrigir que, quando disse "(Mesmo as palavras proparoxítonas não acentuarei, para uniformizar melhor, além de até porque a regra dessas composições deveria ser torná-las todas não proparoxítonas.)" eu queria me referir às palavras trissílabas e não antevi o feio erro que cometeria ao incluir palavras polissílabas na enumeração. Retrato-me perante todos os leitores sérios e respeitáveis.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: zzz_pt em 09 de Setembro de 2014, 10:26:16
Cientista, para onde vais, já eu de lá venho.

Tu vens para aqui dar as tuas opiniões e nem com as definições do dicionário tu concordas. Nesse caso, só me resta deixar-te a conversar sozinho, já que está visto que tu és daquelas pessoas "do contra" apenas "porque sim". Se queres "ensinar" alguém, coloca aqui as tuas fontes que contradigam as definições do dicionário.

Não te vou dar mais trela porque, sinceramente, não estou para perder tempo com alguém que escreve muito mas não diz nada.

Tens de ir para escola de novo relembrar que os prefixos de negação (a/an/des/dis/...etc) não querem apenas dizer "sem". Podem indicar privação, negação, afastamento, separação, aproximação, junção...

Há uma coisa que se chama evolução. E a linguagem e as palavras também evoluem. Se queres aplicar a palvara "ateu" com o significado com que nasceu, para designar os "ímpios", tudo bem. Mas isso foi há 2500 anos. Estamos no ano 2014 e em 2014 a palavra ateu tem o significado que está no dicionário e todo o mundo usa (não acreditar em divindades / negar existência de divindades). Se queres viver no século V a.C, tudo bem, mas não te admires de ninguém concordar contigo.

Em relação à frase do Hitchens, se és incapaz de compreender uma ideia transmitida não literalmente, então estás condenado a nunca conseguir compreender um poeta. Dizer que a religião envenena tudo é uma força de expressão, da mesma forma que dizer que as religiões são a raíz de grandes problemas no mundo o é. Se és tão literalista, deverias ter dito que não faz sentido uma religião ser um veneno ou uma raíz.

Fico por aqui. Já deixei a minha opinião sobre o tema do tópico.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 09 de Setembro de 2014, 13:38:00
O prefixo "a-" de origem grega presente na palavra "ateu", pode significar também negação ou rejeição, e não somente privação e ausência.
Aaaah, "pode **também**"?!
Sim, segundo os dois principais dicionários da língua portuguesa (Houaiss e Aurélio) e outras fontes:

a-
elemento de composição
[...]
5) como pref. de orig. gr. com a acp. de 'privação, negação', ver a(n)- (Houaiss, V. 3.0.)

a-3
[Do gr. a- ou an-.]
Prefixo.
1.= ‘privação’, ‘negação’ (Aurélio, V. 5.0.)

Negação lexical
A negação lexical faz-se em português através do "morfema de negação". Este se materializa na fala através dos alomorfes a-, des-, i-, in- e não-. (Professor Paulo Hernandes, professor de língua portuguesa, linguística, semântica e lexicologia)

Detalhe sobre "ateísmo", palavra esta de origem grega, onde formada pelo prefixo "a-" com sentido de negação, e o radical "teu" com sentido de deus(es) e o sufixo "-ismo"com sentido de sistema de pensamento, significava a postura daquele que negava os deuses, onde podemos encontrar registros históricos (gregos) sobre a mesma nos seguintes exemplos:

Platão (filósofo grego) foi o primeiro a desenvolver uma teoria sobre os sentidos de "ateísmo", segundo ele, existiam dois tipos de ateísmo, aquele que negava a existência dos deuses, e aquele que admitia existência dos deuses, mas negava a influência/interesse destes pelas causas humanas. (Abbagnano, Dic. de Filosofia)

Sócrates foi condenado a morte pelo Estado, uma das acusações feitas a ele foi a de negar os deuses do Estado. (Sócrates, Enciclopédia Britânica)

Diante disso, acho sensato admitir que o ateísmo afinal se trata da negação dos deus(es) (de sua existência ou no mínimo da influência/interesses sobre as causas humanas).

E como esta negação é reconhecida por aquele que nega, como a verdade, acaba por consequência sendo também uma crença, como já explicado supra.

Sobre o restante do discurso verborrágico do Cientista, nem vale apena uma resposta, mais acusações infundamentadas e exemplos de infantilidade, como na sua atitude de papagaio ao repetir os posts dirigidos a ele. Uma lástima, um senhor se comportando como uma criança birrenta.  :P

Abraços!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 09 de Setembro de 2014, 13:47:11
Obs: Quero deixar claro que ainda me divirto com as baboseiras que o Cientista escreve, e as vezes eu penso que ele só se porta desta maneira somente para me fazer rir.  :histeria: :histeria:
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Gaúcho em 09 de Setembro de 2014, 13:53:07
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 09 de Setembro de 2014, 14:25:35
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Discordo, ateu é exatamente "sem deus/divindades".
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 09 de Setembro de 2014, 14:38:16
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Discordo, ateu é exatamente "sem deus/divindades".
O ateu sem "deus" não é aquele que disputa com um religioso a certeza sobre existirem ou não os deuses/divindades/unicórnios, mas aquele que não cogita explicar o mundo com a possibilidade de deuses/divindades/papagaios fantasmas...
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: zzz_pt em 09 de Setembro de 2014, 14:53:08
O ateu sem "deus" não é aquele que disputa com um religioso a certeza sobre existirem ou não os deuses/divindades/unicórnios, mas aquele que não cogita explicar o mundo com a possibilidade de deuses/divindades/papagaios fantasmas...

Esta frase não faz sentido. O ateu sem deus? Há algum ateu com deus?

Não disputa com um religioso a certeza sobre existirem ou não deuses/divindades/ "unicórnios" ??? mas aquele que não cogita em explicar o mundo com a possibilidade de deuses/divindades/ "papagaios fantasmas"???

Os ateus não têm nenhuma visão do mundo decorrente da hipótese deus/deuses, é verdade. Mas também não disputam com religiosos certezas. Quem admite certezas acerca de existências, são os religiosos. Am maioria dos ateus suspendem o juízo sobre deus até terem provas de que ele/eles existem. Não vejo os ateus envolvidos em disputas com religiosos. Se me perguntarem, eu explico a minha posição, mas não ando a tocar às campainhas das pessoas a divulgar o ateísmo, a enviar missionários para "pregar" o ateísmo, a imprimir livros sobre ateísmo para colocar nas mesas de cabeceira dos hoteis, etc. E não conheço ninguém que o faça.

ps: podes tentar "enfiar" os unicórnios, papagaios e duendes na conversa, mas nada disso tem algo que ver com ateísmo.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Gaúcho em 09 de Setembro de 2014, 15:04:48
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Discordo, ateu é exatamente "sem deus/divindades".

Então você discorda concordando com o que eu falei? Posso viver com isso.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 09 de Setembro de 2014, 15:09:50
O ateu sem "deus" não é aquele que disputa com um religioso a certeza sobre existirem ou não os deuses/divindades/unicórnios, mas aquele que não cogita explicar o mundo com a possibilidade de deuses/divindades/papagaios fantasmas...

Esta frase não faz sentido. O ateu sem deus? Há algum ateu com deus?
Sim, o ateu sem "deus"(o a teu) como ateu diferente do ateu que não acredita em deus, que leva à ideia de que tem uma crença na não existência de deuses.


ps: podes tentar "enfiar" os unicórnios, papagaios e duendes na conversa, mas nada disso tem algo que ver com ateísmo.
A coisa toda já foi explanada, só resta a você acatar ou não.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 09 de Setembro de 2014, 15:16:57
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Discordo, ateu é exatamente "sem deus/divindades".

Então você discorda concordando com o que eu falei? Posso viver com isso.
Não concordei com você, aliás, desde o paragrafo 1, mas você facilitou muito pra mim quando abriu o  paragrafo 2 aí acima, ao propor que deveria haver uma distinção para os deuses/divindades; espíritos, fadas, fantasmas, etc., etc....
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Geotecton em 09 de Setembro de 2014, 15:21:04
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Discordo, ateu é exatamente "sem deus/divindades".

Então você discorda concordando com o que eu falei? Posso viver com isso.
Não concordei com você, aliás, desde o paragrafo 1, mas você facilitou muito pra mim quando abriu o  paragrafo 2 aí acima, ao propor que deveria haver uma distinção para os deuses/divindades; espíritos, fadas, fantasmas, etc., etc....

E não há uma clara distinção entre aqueles que creem em entes sobrenaturais?

Deuses e divindades não ocupam o topo na hierarquia e então não são seguidos dos demais, entre eles os duendes, as fadas, os fantasmas, etc?
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Sergiomgbr em 09 de Setembro de 2014, 15:46:20
Acho que em Portugal há muito mais ateus do que 10%... mas pronto. :)
Duvido muito.

Pra mim, ser ateu é negar pura e simplesmente a crença em coisas inexplicáveis, dito isto, se um indivíduo é supersticioso do tipo que sopra dados para ter sorte, não é ateu.

Ateu é uma posição apenas perante o tópico "deus". Há quem não acredite em deus e tenha outras suprestições.
Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.

Respeito a tua opinião, mas a palavra "ateu" diz respeito apenas a "deus/deuses/divindades". Há quem não acredite em deuses e acredite noutras coisas sobrenaturais.

Bom, fiquei curioso. Como você chamaria então, quem não acredita, além de em "deus/deuses/divindades", também noutras coisas sobrenaturais?

Qual seria a natureza das coisas sobrenaturais, se não divina?

Ateu é um adjetivo/substantivo que classifica o sujeito que não acredita na existência de deuses. Qualquer outro sentido é errado.

Quem não acredita em outras coisas sobrenaturais, como, por exemplo, fantasmas, é cético sobre o assunto. Se achar que tem necessidade de um adjetivo para isso, invente um. De repente, aspiritus, ou algo assim para quem não acredita em fantasmas, afadum para quem não acredita em fadas, etc.
Discordo, ateu é exatamente "sem deus/divindades".

Então você discorda concordando com o que eu falei? Posso viver com isso.
Não concordei com você, aliás, desde o paragrafo 1, mas você facilitou muito pra mim quando abriu o  paragrafo 2 aí acima, ao propor que deveria haver uma distinção para os deuses/divindades; espíritos, fadas, fantasmas, etc., etc....

E não há uma clara distinção entre aqueles que creem em entes sobrenaturais?

Deuses e divindades não ocupam o topo na hierarquia e então não são seguidos dos demais, entre eles os duendes, as fadas, os fantasmas, etc?
Nesse mesmo post já esta expresso o modo como eu vejo o misticismo.



Discordo. "Deus" é apenas a condição sublimada do misticismo. Uma assoprada superticiosa  nos dados assim como a crença no design inteligente ou o "deus"spinoziano são da mesma natureza.
O mesmo para fantasmas, fadas, duendes, lantejoulas espirituais...
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 09 de Setembro de 2014, 18:21:41
O prefixo "a-" de origem grega presente na palavra "ateu", pode significar também negação ou rejeição, e não somente privação e ausência.
Aaaah, "pode **também**"?!
Sim, segundo os dois principais dicionários da língua portuguesa (Houaiss e Aurélio) e outras fontes:

a-
elemento de composição
[...]
5) como pref. de orig. gr. com a acp. de 'privação, negação', ver a(n)- (Houaiss, V. 3.0.)

a-3
[Do gr. a- ou an-.]
Prefixo.
1.= ‘privação’, ‘negação’ (Aurélio, V. 5.0.)

Negação lexical
A negação lexical faz-se em português através do "morfema de negação". Este se materializa na fala através dos alomorfes a-, des-, i-, in- e não-. (Professor Paulo Hernandes, professor de língua portuguesa, linguística, semântica e lexicologia)

Detalhe sobre "ateísmo", palavra esta de origem grega, onde formada pelo prefixo "a-" com sentido de negação, e o radical "teu" com sentido de deus(es) e o sufixo "-ismo"com sentido de sistema de pensamento, significava a postura daquele que negava os deuses, onde podemos encontrar registros históricos (gregos) sobre a mesma nos seguintes exemplos:

Platão (filósofo grego) foi o primeiro a desenvolver uma teoria sobre os sentidos de "ateísmo", segundo ele, existiam dois tipos de ateísmo, aquele que negava a existência dos deuses, e aquele que admitia existência dos deuses, mas negava a influência/interesse destes pelas causas humanas. (Abbagnano, Dic. de Filosofia)

Sócrates foi condenado a morte pelo Estado, uma das acusações feitas a ele foi a de negar os deuses do Estado. (Sócrates, Enciclopédia Britânica)

Diante disso, acho sensato admitir que o ateísmo afinal se trata da negação dos deus(es) (de sua existência ou no mínimo da influência/interesses sobre as causas humanas).

E como esta negação é reconhecida por aquele que nega, como a verdade, acaba por consequência sendo também uma crença, como já explicado supra.

Sobre o restante do discurso verborrágico do Cientista, nem vale apena uma resposta, mais acusações infundamentadas e exemplos de infantilidade, como na sua atitude de papagaio ao repetir os posts dirigidos a ele. Uma lástima, um senhor se comportando como uma criança birrenta.  :P

Abraços!


Gostaria apenas de salientar que o grego "THEOS" não é apenas "deus", mas também pode ser "líder", "líderes".

Logo, ateísta não é apenas "sem deus", mas também "sem líderes", anarquista.

Me afasto novamente para continuar apenas observando o debate, à luz agora desse fato que vinha sendo negligenciado, mas que julgo ser de suma importância.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Cientista em 10 de Setembro de 2014, 05:18:58
E veio o outro jovem para "só assistir". Mas não sem antes dar seu 'pitaquinho'! hahahahahhahahaha...

Não, meu filho, não é ateísta que é " "sem deus" ", não... É ateu!





Agora... vamos à diversão da boa! Mas, antes, quero informar que incluí uma correção em meu post 67. Peço que atentem para ela.

Cientista, para onde vais, já eu de lá venho.
Hmmmmm... Será mesmo?...  Vejamos...  (É, vi aquela tua autoapresentação.)

Bom dia. Já fiz uns posts por aqui mas só agora é que vi este tópico.

Chamo-me Ricardo, tenho 28 anos, vivo no Porto (portugal) e sou ateu desde fevereiro deste ano.

Sou o primeiro ateu da minha família (pelo menos que eu tenha conhecido) e descobri há duas semanas que o meu irmão mais novo também é, apesar de frequentar ainda a igreja e ajudar no "louvor".

Frequentei uma "seita" que se chamava "Igreja Baptista de Carreiros" até aos meus 13/14 anos e depois os meus pais saíram com os meus avós e juntaram-se a uma igreja evangélica baptista.

Comecei a minha relação com a minha namorada há 6 anos e 4 meses e ela foi uma grande e boa influência para mim no meu caminho para a liberdade. Ela é ateia desde os 13 mas apesar disso nunca me criticou ou impediu de ir à igreja. Apenas a forma de ser dela me levou a questionar algumas coisas (como por exemplo, que os ateus eram "más pessoas" porque não acreditavam num deus).

E por agora é tudo.

Abraços.

Então, filho, dizes que vens da crença (e há tão pouco tempo!) e é para lá que pensas que vou, ou...  desejas (!) que eu vá?! Por que me desejas tanto mal, filho?! Não me rogues praga, imploro! Tenho meeeedo!  hahahahahahhahahahahaha...

Deixe ver...  agora, seriamente, seriamente...   28 anos... típicos pensamentos...    chegou à 'brilhante conclusão' tão tardiamente...   por outro lado, até que não explicita uma inteligência a se desconsiderar (ou o Cientista não estaria aqui agora  ...do meu lado hahahahahhahaha...), o que salva um tanto a situação (a média humana é uma tragédia e qualquer coisa acima dela é de se aplaudir)...    vejamos...         ...olha, filho, vais, com alguma possibilidade, migrar um pouquinho, bem muito pouquinho (muito mais pouquinho que aquele pouquinho que melhoraria aquela besteira do Hitchens) na direção, não exatamente vetorial, mas 'tensorial', onde está o Cientista. Mas não vai mudar muita coisa para ti não, lamento... O Cientista é, a ti, inalcançável. É que muito além do acima da média, há lá o topo, tá vendo? Está sob eterna nublação para os que olham de baixo, de fora, mas está lá, existe mesmo! hahahahahahahahahah...

Obs.: Esse "abraços" ao final...  Coincidência?... Conformização empático-instantânea?...  Muito estranho...   hahahahahahahahah...


Tu vens para aqui dar as tuas opiniões
Onde dei opiniões aqui, no que pertenceria à questão, filho?! Não vi!


e nem com as definições do dicionário tu concordas.
Qual delas? Tenho que concordar com todas, inclusive ao mesmo tempo?!

Não se pode discordar das definições de dicionários?

Dicionários são livros sagrados, religiosos?

Dicionários são inerrantes, não só gramatical-ortograficamente?

É... pelo visto, tens mais autotrabalho libertador a fazer... Desejo-te que não te demores outros 28 anos para cumpri-lo!   hahahahahahahha...


Nesse caso, só me resta deixar-te a conversar sozinho,
Ora, em relação a ti, já estava eu a "sozinho conversar", uma vez que até agora, tu não me disseste absolutamente nada! ...Ou, só me confirmou! Dizer para mim o que eu mesmo digo a ti e, óbvio, a mim mesmo, me é equivalente a eu conversar comigo mesmo!  hahahahahahahah...

Puxa, eu esperava quando tu fosses começar a conversar comigo...  Tô triste...


já que está visto que tu és daquelas pessoas "do contra" apenas "porque sim".
Está vendo?! Estou tentando falar com "alguém", mas esse "alguém" parece um chacoalhador simples de palavras.


Se queres "ensinar" alguém, coloca aqui as tuas fontes que contradigam as definições do dicionário.
Mas aí, não seria eu a "ensinar", seriam as (tais das) "fontes"...   ...hidrominerais, termais...? Ou o sistema linguístico grego de 2000+ anos atrás?...  hahahahahahhahahaha...  Se sou eu a "ensinar", deveria ser eu a "fonte", não achas? "Fonte" contra "fonte" não é "ensino/aprendizado", é, afora debate, remoeção do passado.

Mas... (re -- é que não deves saber, talvez...)esclareçamos...

Na verdade, não quero ensinar ninguém, não creio nisso, só em querer aprender   ...ou, nem nisso. Apre(e)nder dados é uma coisa; aprender modos diferentes de pensar, ainda está para confirmação.


Não te vou dar mais trela porque, sinceramente, não estou para perder tempo com alguém que escreve muito mas não diz nada.
Revoltou...   hahahahahahahah

Tá bem, tá bom, filho!


Tens de ir para escola de novo relembrar que os prefixos de negação (a/an/des/dis/...etc) não querem apenas dizer "sem". Podem indicar privação, negação, afastamento, separação, aproximação, junção...
E daí que *fosse*, à exatidão, realmente, o que dizes aí? Qual se deveria, em toda a confusão da língua, adotar? Quem decide? Tu não disseste que a língua evolui? Por que não pode, ao menos, melhorar, ter signos desambiguados?

Filho, não quero te deprimir, mas vejo que quem precisa dar uma recapitulada é tu. Tais prefixos são de origens várias e suas grafias não se deve confundir com seus conteúdos de significado. Estamos falando da palavra ateu. Não sabes qual o a é **este** que está nela, meu jovem? ...Nada bom...


Há uma coisa que se chama evolução.
(Que não deve ser entendida como melhoria, entendimento que muito frequentemente se dá, inclusive dicionarizado, e que já é, em si, como palavra, um exemplo de deturpação linguística, a causar grande confusão.)

E uma que se chama degeneração.


E a linguagem e as palavras também evoluem.
(Quer dizer que as tais "fontes" "evoluem"? Não são estáticas eternas divinamente imutáveis?! Oooora... que coisa...  hahahahahah... Só não pode o Cientista opor contestação?! Pobre Cientista proscrito segregado do mundo...  hahahahahahhaha)

Hahahahahahahahahahahah...

E também degeneram.


Se queres aplicar a palvara "ateu" com o significado com que nasceu, para designar os "ímpios", tudo bem.
Ôôôuuuuu, muito obrigado! Mas, na verdade, nem quero aplicar tal palavra. Prefiro abandoná-la, pois que o que ela significa é vazio de aplicabilidade. É palavra de um pleonasismo (hahahahaha pleonasmismo fica melhor, embora possa-se identificar similitude nazista nessa coisa... hahahahah) anulante. Para que chamar qualquer coisa de ateu, se tudo é? Poder-se-ia, talvez..., aplicá-la para nomear o universo de forma pitoresca, poética -- "o (todo) ateu"... --  ...mas é bobagem, já tem universo, que tá bastante bom, ...por enquanto. hahahahahah...


Mas isso foi há 2500 anos.
É de onde vem a etimologia, filho...  Aqueeela! Aquela a qual tu recorreste quando disseste "estou a aplicar no sentido etimológico..."  hahahahahahhahahahahahahha...


Estamos no ano 2014
Sério, filho?!!!! Ih... acho que devo calibrar a máquina melhor da próxima vez...  Obrigado pela informação!      hahahahahahhahahahaha


e em 2014 a palavra ateu tem o significado que está no dicionário e todo o mundo usa (não acreditar em divindades / negar existência de divindades).
Acho que...  o Cientista já disse isso...   Deve ser um dèja vu...  hahahahahahahahah

Mas, a língua "evolui", não? Só não pode ser por atos contestatórios iniciais do Cientista, certo?

"Cientista, tu não pode?!"   hahahahahahahahah


Se queres viver no século V a.C,
Isoooola! Tu não fazes ideia do que é só passar um tempinho lá... Jamais queiras, filho! Jamais!


tudo bem, mas não te admires de ninguém concordar contigo.
(É nestes momentos que me pergunto: de que adianta esse pessoal todo doutrinando-se por esses catálogos de recursos "anti"falácias prontos, se só o que aprendem é a proferi-las? hahahahahahahhahaha)

Assim como...  um descrente cheio de crentes em volta não se deve admirar da discordância dos crentes quanto à(o objeto da) crença em relação a ele?...     hummmmmmm...    hahahahahahahahaha...  Tu, neófito (hahahahah, não, neófito não...) novato na "descrença" ("ateísmo"), afora teus todos "amigos escolares-universitários descrentes", mais quem te comunique que seja "ateu", além de teus familiares os que são crentes, mais todos os crentes que conheceres de todos os "90%" dos teus "10%" avaliados, já experimentas a "(não) admiração em seres discordado"?  hahahahahahahahha...

Bom... vamos ao Cientista!

Não me admiro, me admiraria do contrário! Mas, qual o problema de não concordarem comigo, o mundo todo que seja, quando eu estou certo? É para tentar me intimidar essa falácia, filho? hahahahahahah Não funciona não...  te esqueças! Você, para ser "ateu" (descrente em 'deus' qualquer/todos), precisa de, pelo menos outro ateu no mundo para te oferecer 'força e confiança'? És fraco de 'espírito' assim, filho? O Cientista não; nem espírito o Cientista tem!  hahahahahahahhahahaha...


Em relação à frase do Hitchens, se és incapaz de compreender uma ideia transmitida não literalmente, então estás condenado a nunca conseguir compreender um poeta.
Serve... digamos...  compreender mas contestar? Será que o Cientista tem uma chancinha de salvação?!...   hahahahahahahahahahah...


Dizer que a religião envenena tudo é uma força de expressão,
Sim, mas o que importa é que é uma expressão sem força. Para mentes crentes, que acreditam na "força de expressão" de expressões sem força, acreditarão que podem combater o 'mal da crença' pela própria.


da mesma forma que dizer que as religiões são a raíz de grandes problemas no mundo o é.
...


Se és tão literalista, deverias ter dito que não faz sentido uma religião ser um veneno ou uma raíz.
Mas... eu disse!    ...Vejo que não leste o que o Cientista tão abnegadamente te postou, não, meu jovem?...    Que triste...   hahahahahahahahaha...


Fico por aqui.
Ficamos, cada qual, no seu "aqui", aqui. O Cientista, pelo menos, sempre fica em algum lugar que, para ele, é "aqui".  hahahahahahah...


Já deixei a minha opinião sobre o tema do tópico.
Chegou a tanto?! Nem vi...







O prefixo "a-" de origem grega presente na palavra "ateu", pode significar também negação ou rejeição, e não somente privação e ausência.
Aaaah, "pode **também**"?!
Sim, segundo os dois principais dicionários da língua portuguesa (Houaiss e Aurélio) e outras fontes:

a-
elemento de composição
[...]
5) como pref. de orig. gr. com a acp. de 'privação, negação', ver a(n)- (Houaiss, V. 3.0.)

a-3
[Do gr. a- ou an-.]
Prefixo.
1.= ‘privação’, ‘negação’ (Aurélio, V. 5.0.)

Negação lexical
A negação lexical faz-se em português através do "morfema de negação". Este se materializa na fala através dos alomorfes a-, des-, i-, in- e não-. (Professor Paulo Hernandes, professor de língua portuguesa, linguística, semântica e lexicologia)
Jovens, é negação ***de presença***! É o mesmo que privação; nada muda. É negação passiva, não ativa, não consciente, objetivada, direcionada intencionalmente. Como uma(/na aplicação da) negação lógica, em que um 1 é ausência de um 0, e vice-versa. Negação (também) é ausência, e é (só) por isso que a- tem "função de negação também". A própria palavra negação tem múltiplos sentidos, e é neste atoleiro linguístico que vocês todos se afundam e, sem o perceber, nem querem sair dele.

Ai, meu santo Proteus...  A gente sobrevive...  hahahahahahhaahah...

Que lamentável...

Me digam uma coisa, jovens, só por curiosidade... o sangue famigeradamente conhecido como de "tipo O" é O ou 0? Por quê?


Detalhe sobre "ateísmo", palavra esta de origem grega, onde formada pelo prefixo "a-" com sentido de negação, e o radical "teu" com sentido de deus(es) e o sufixo "-ismo"com sentido de sistema de pensamento, significava a postura daquele que negava os deuses, onde podemos encontrar registros históricos (gregos) sobre a mesma nos seguintes exemplos:

Platão (filósofo grego) foi o primeiro a desenvolver uma teoria sobre os sentidos de "ateísmo", segundo ele, existiam dois tipos de ateísmo, aquele que negava a existência dos deuses, e aquele que admitia existência dos deuses, mas negava a influência/interesse destes pelas causas humanas. (Abbagnano, Dic. de Filosofia)

Sócrates foi condenado a morte pelo Estado, uma das acusações feitas a ele foi a de negar os deuses do Estado. (Sócrates, Enciclopédia Britânica)

Diante disso, acho sensato admitir que o ateísmo afinal se trata da negação dos deus(es) (de sua existência ou no mínimo da influência/interesses sobre as causas humanas).
Mas...  DE NOOOOOOOVOOOOOOOOO!!!!!!!!  NÃÂÂÂÂOOOOOOOOOO!!!!!!!!! Vocês querem levar o Cientista à loucura, jovens?!!!!!!!  Ele vai..   ..gri. . .tAAAR..AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAH...

E o pior é que ele tá gritando é aqui do meu lado, no meu ouvido! hahahahahahhahahahahahhahahahahahhahahahahhahahahahahahhaha hahaha...

Calma, Cientista! Eles sabem que não estamos falando de ateísmo/ateísta, eles sabem...   sabem que é ateu a palavra em questão! É só que...  são jovens ainda... dê o desconto. Tu não foste jovem um tempo?   hehehehehehehhehe... É, no SEU caso, acho que nunca foi exatamente não... Esse Cientista...  Tu é superdemais, FE-DE-RAL SUPER-UNIVERSAL, cara!  hahahahahhahahahahahahahaha...


E como esta negação é reconhecida por aquele que nega, como a verdade, acaba por consequência sendo também uma crença, como já explicado supra.
Aleluia!!!!!!!! Enfim, uma coisa para concordarmos! (embora que... qual é mesmo "toda a importância" disso?...   ora, não importa, é motivo-desculpa para brinde!  hahahhahahah)

Também entendo que ateísta é crente!

VIVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!


Sobre o restante do discurso verborrágico do Cientista, nem vale apena uma resposta, mais acusações infundamentadas e exemplos de infantilidade, como na sua atitude de papagaio ao repetir os posts dirigidos a ele. Uma lástima, um senhor se comportando como uma criança birrenta.  :P

Abraços!
Sobre o restante do discurso verborrágico do jovem Skep, nem vale a pena uma resposta; são só mais acusações infundamentadas e exemplo de infantilidade, como na sua atitude de não entender que papagaios repetem, não devolvem os posts vazios dirigidos a eles. Uma lástima, um jovem se comportando como uma criança birrenta.

hahahahahhahahahahahhahahahahahahaha...






Obs: Quero deixar claro que ainda me divirto com as baboseiras que o Cientista escreve, e as vezes eu penso que ele só se porta desta maneira somente para me fazer rir.  :histeria: :histeria:
Quero deixar claro que ainda me divirto com as baboseiras que o jovem Skep escreve, mas, infelizmente, não penso nem nunca pensei que ele só se porta desta maneira somente para me fazer rir.   hahahahahahahahahahahahhahaa...








O ateu sem "deus" não é aquele que disputa com um religioso a certeza sobre existirem ou não os deuses/divindades/unicórnios, mas aquele que não cogita explicar o mundo com a possibilidade de deuses/divindades/papagaios fantasmas...

Esta frase não faz sentido. O ateu sem deus? Há algum ateu com deus?
Sim, o ateu sem "deus"(o a teu) como ateu diferente do ateu que não acredita em deus, que leva à ideia de que tem uma crença na não existência de deuses.
E aqui tu alvejas em cheio o alvo encoberto da dupla aleivosia contida na terminificação (nervosa hahahahahaha) contra a qual, muito procedentemente, postulo. Primeiro, o termo ateu foi pejorativamente cunhado, por quem não pode(ia) fazer a menor ideia do que seja uma mente descrente, para tais mentes descrentes. Submeter-se a isso seria como acatar um 'bullying histórico' contra si mesmo. Segundo, da perspectiva dos cunhadores, o que havia mesmo nos tais "ateus" era uma "ausência divina", mesma ideia dos congêneres do tal Datena que causou rebuliço por chamar os criminosos de "sem deus no coração (os corações dos criminosos seriam ateus)", equibidirecionalizando a ideia -- "todos que não têm (algum, ao menos) deus, não só no coração, mas em nenhuma parte do corpo/alma, são, por definição, criminosos". Em ignorância e coisa pior, não sabem que deuses não existem, tanto neles quanto em tudo mais. É este o pensamento que gerou a palavra ateu. Devo eu ser à toa ao ponto de sujeitar-me a isso? hahahahahhahaha... E só porque "o mundo quer assim"? Por mim, antes, que se explôda o mundo.   E...   hahahahahahhahahaha...


Mais ponto para ti, meu caro!

E, a propósito, não esqueci daquela promessa não. Alerto-te (é...  e alerta mesmo!  hahahahahah) que tentarei oferecer-te uma visão mais clara que a que demonstras ter sobre todas aquelas coisas. Por exemplo, aquela analogia das pedras nos pássaros ...puxa vida, foi feio aquilo! É maldade com os bichinhos...  hahahahahahah Brincadeira! É feio porque é um absurdo total de facetas tão várias que não exaurirei todas. Um aspecto do absurdo é que o sangue (que você parece entender como uma 'informação' ou, mesmo, suporte para ela) não é uma propriedade ou estado de uma propriedade da pedra (que você parece entender como, "cabidamente", um ente de propriedades quânticas 'totissistêmicas'). Também, a correlacionalização emaranhante não se faz num passe de mágica ou ato ritual ("oh, pedras pedras, agora, emaranhem-se e mandem ver lá nos pássaros!"  hahahahahahaha...). Não é assim. O emaranhamento e o respectivo comportamento não local são as exposições da superpropriedade natural, o determinismo. Não dê ouvidos ao que muitos dizem a respeito; não sabem do que falam, e não é porque "não sabem interpretar os experimentos"; é porque, exatamente, os interpretam! Então, tentemos lá mostrar os absurdos, ou que são em si mesmas, ou o que se, comumente, pensa/(não)entende/acredita sobre elas, coisas como emaranhamento/não-localidade, a idiotice do "experimento" gato de Schroedinger, *a proposição* de "experimento" para paradoxo EPR, colapso de função de onda, (des)coerência, onda-piloto...

Mas é que a diversão aqui com esses jovens foi tão boa que você ficou em segundo plano. hahahhahahahahahahahah...





ps: podes tentar "enfiar" os unicórnios, papagaios e duendes na conversa, mas nada disso tem algo que ver com ateísmo.
A coisa toda já foi explanada, só resta a você acatar ou não.
Pois é...

Pôs pé!

hahahahahahahahah...
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: zzz_pt em 10 de Setembro de 2014, 07:26:36
Para além de apenas leres o que eu escrevo de forma literal ou aplicares um sentido que não está presente naquilo que escrevo, ainda tens essa atitude paternalista que não te ajuda nada. Não bastasse isso, e a forma como tu escreves é quase indecifrável. Para alguém tão "sábio", deverias saber expressar-te de forma rigorosa e inequívoca.

De tudo o que escreveste, nada faz sentido a não ser, e esse erro reconheço, quando apliquei "sentido etimológico" da palavra ateu. Tinha a ideia, errada, de que o prefixo "a" era derivado do latim, como é no caso da palavra "ateísmo". Mas ainda assim, "sem deus" serviria da mesma forma o meu caso, uma vez que estava a discutir se a palvra ateu dizia respeito a deus ou a tudo aquilo em que as pessoas não acreditam (no campo do sobrenatural), nomeadamente unicórnios, dragões, duendes, bruxas, fadas, magia, trolls, o pai natal, etc.

Em relação ás definições, tens todo o direito de discordar. Não disse o contrário. Mas é impossível discutir alguma coisa com alguém para quem o dicionário pode ou não estar correto, dependendo das circunstâncias. Ainda por cima levas tudo à letra. É, no mínimo, um pouco paradoxal.

Tirando isto, o teu post é um emaranhado de falácias.

Em relação à minha autoapresentação, se tens alguma dúvida, pergunta. Não te ponhas a deduzir a minha vida e aquilo que eu penso com base em meia dúzia de frases. Vais ficar mal na fotografia.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 10 de Setembro de 2014, 11:57:09
Em relação ás definições, tens todo o direito de discordar. Não disse o contrário. Mas é impossível discutir alguma coisa com alguém para quem o dicionário pode ou não estar correto, dependendo das circunstâncias. Ainda por cima levas tudo à letra. É, no mínimo, um pouco paradoxal.
Como eu disse, ele escolhe as evidências que lhe convêm, e ainda por cima faz questão de distorce-las até elas dizerem aquilo que ele deseja.

Já que ele tinha tocado no assunto do sentido primevo de ateísmo, em sua origem grega (obs: sem apresentar nenhuma referência que sustentasse a suas colocações) nisso ele deu corda para se enforcar, pois eu fiz questão de apresentar referências que apontam que o ateísmo se tratava de fato da negação da existência de deuses, já na origem grega.

E ai o que ele fez? diante de referências que ele não pode refutar, ele fez mais de seus malabarismos com objetivo de distorcer o significado, disse que estávamos a tratar do significado de "ateu", e não de "ateísmo", como se mudasse muita coisa, já que um trata-se do individuo, e o outro do sistema de pensamento manifestado pelo individuo.

Ele tenta (mais uma vez sem apresentar nenhuma referência que sustente suas afirmações) a partir do argumento de que o termo ateísmo surgiu como de sentido pejorativo, e que por isso faz sentido a sua infundamentada alegação de que o ateu não nega deus(es) mas simplesmente reconhece a verdade de que não existem. Mas não importa se é verdade ou não a inexistência de deuses, o que importa é que o ateu se posiciona racionalmente e conscientemente de forma negativa ao rejeitar a ideia que prega a existência de deus(es).

É uma crença de negação, o ateu nega que existam deuses, acredita que deuses não existem.

Pode interpretar isso como ausência/privação, mas diante da postura assumida pelo ateu, é conclusivo a partir das inferências que ele nega/rejeita a existência de deuses.

No entanto, espero mais malabarismo do caro Cientista, ignorara as referências que não lhe convêm, e mais uma vez, distorcerá a história e o sentido da palavra ateu/ateísmo a seu bel prazer, e ainda por cima não apresentará nenhuma fonte/referência que sustente sua argumentação.

Espere e verá.

Abraços!

 :biglol: :biglol:
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 10 de Setembro de 2014, 12:04:23
O prefixo "a-" de origem grega presente na palavra "ateu", pode significar também negação ou rejeição, e não somente privação e ausência.
Aaaah, "pode **também**"?!
Sim, segundo os dois principais dicionários da língua portuguesa (Houaiss e Aurélio) e outras fontes:

a-
elemento de composição
[...]
5) como pref. de orig. gr. com a acp. de 'privação, negação', ver a(n)- (Houaiss, V. 3.0.)

a-3
[Do gr. a- ou an-.]
Prefixo.
1.= ‘privação’, ‘negação’ (Aurélio, V. 5.0.)

Negação lexical
A negação lexical faz-se em português através do "morfema de negação". Este se materializa na fala através dos alomorfes a-, des-, i-, in- e não-. (Professor Paulo Hernandes, professor de língua portuguesa, linguística, semântica e lexicologia)

Detalhe sobre "ateísmo", palavra esta de origem grega, onde formada pelo prefixo "a-" com sentido de negação, e o radical "teu" com sentido de deus(es) e o sufixo "-ismo"com sentido de sistema de pensamento, significava a postura daquele que negava os deuses, onde podemos encontrar registros históricos (gregos) sobre a mesma nos seguintes exemplos:

Platão (filósofo grego) foi o primeiro a desenvolver uma teoria sobre os sentidos de "ateísmo", segundo ele, existiam dois tipos de ateísmo, aquele que negava a existência dos deuses, e aquele que admitia existência dos deuses, mas negava a influência/interesse destes pelas causas humanas. (Abbagnano, Dic. de Filosofia)

Sócrates foi condenado a morte pelo Estado, uma das acusações feitas a ele foi a de negar os deuses do Estado. (Sócrates, Enciclopédia Britânica)

Diante disso, acho sensato admitir que o ateísmo afinal se trata da negação dos deus(es) (de sua existência ou no mínimo da influência/interesses sobre as causas humanas).

E como esta negação é reconhecida por aquele que nega, como a verdade, acaba por consequência sendo também uma crença, como já explicado supra.

Sobre o restante do discurso verborrágico do Cientista, nem vale apena uma resposta, mais acusações infundamentadas e exemplos de infantilidade, como na sua atitude de papagaio ao repetir os posts dirigidos a ele. Uma lástima, um senhor se comportando como uma criança birrenta.  :P

Abraços!


Gostaria apenas de salientar que o grego "THEOS" não é apenas "deus", mas também pode ser "líder", "líderes".

Logo, ateísta não é apenas "sem deus", mas também "sem líderes", anarquista.

Me afasto novamente para continuar apenas observando o debate, à luz agora desse fato que vinha sendo negligenciado, mas que julgo ser de suma importância.
O mesmo acontece com o sufixo "-ismo" e com o prefixo "a-", possuem sentidos diversos conforme a palavra em que são aplicados.

Mas o radical "teu" do grego "Theos", na palavra "ateu/ateísmo", apresenta de fato o sentido de "deus", assim como o prefixo "a-" entra com o sentido de negação/privação e o sufixo "-ismo" com sentido de sistema de pensamento/doutrina.

Abraços!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Cientista em 13 de Setembro de 2014, 19:32:09
Hahahahahahahahahaha... Mudaram até o tonzinho um pouquinho. Difícil continuar tentando empurrar tanta falácia pra cima do Cientista, não, jovens?

E nada, só para "variar" (hahahahahahahahahaha) de responderem às perguntas do Cientistão:

Existe saber que não seja crença, jovem Skep? Qual?

Por que, de todas as palavras que listei no post 67 e tantas outras mais, todas afixadas da mesma partícula prefixal grega, só ateu discrepa em norma de sentido?

Por que "todo mundo dizer que o sangue é O" não muda o fato de que há um sentido para o símbolo original, na originalidade não corrompida?

Iiiiiiiiiih, mas é pergunta demais do Cientista que ninguém responde!  hahahahahahahahahahaha

Nós si divirtimus muitcho!!!!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 17 de Setembro de 2014, 12:28:03
Hahahahahahahahahaha... Mudaram até o tonzinho um pouquinho. Difícil continuar tentando empurrar tanta falácia pra cima do Cientista, não, jovens?

E nada, só para "variar" (hahahahahahahahahaha) de responderem às perguntas do Cientistão:

Existe saber que não seja crença, jovem Skep? Qual?
Isso já foi respondido mais de uma vez, neste e no outro tópico, agora, se você se recusa em entender, só lamento.

Citação de: Cientista
Por que, de todas as palavras que listei no post 67 e tantas outras mais, todas afixadas da mesma partícula prefixal grega, só ateu discrepa em norma de sentido?
Por que o ateísmo implica em uma posição racional, a pessoa precisa racionalmente se posicionar diante de uma questão: "Deus existe?", Resposta de um ateu: "Não!", que denota negação. É presumido a ausência de deus pelo fato do ateu negar a existência de Deus, segundo sua crença, ele inexiste, por isso acredita/vive como se deus(es) não existissem. Mas ele chega a esta conclusão após negar/rejeitar a existência de Deus. Já o teísta, sobre a mesma questão apresenta uma posição racional/crença de aceitação, "Deus existe!", é o oposto da negação/rejeição ateísta.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 17 de Setembro de 2014, 13:39:55
Com "ateu" simplesmente ocorreu o mesmo que alguns tentam agora fazer com termos como "vadia", "slut", "nigger", e como ocorreu com "gay" (mas não com "alegre"), foi um termo "apropriado", "reclamado" pelo próprio grupo, e acabou assim tomando um significado em algo diferente, como ocorreram com diversas outras palavras. Provavelmente isso se deu até de forma mais natural/acidental do que como tentam fazer com alguns termos hoje em dia.

Mas podem continuar se descabelando em torno disso à vontade.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 18 de Setembro de 2014, 16:32:54
Não é simples apropriação, é incoerência lógica mesmo, simples apropriação seguida de distorção de sentido seria o que foi feito com o significado de "machismo" por exemplo, um de seus sentidos (o mais primevo) significa simplesmente "características/qualidades de macho", o termo no entanto ganhou um novo sentido a partir de uma apropriação seguida de distorção, e passou a significar em sentido pejorativo (inclusive alcançando o status de sentido mais usual) "A atitude do homem oprimir, desfavorecer ou inferiorizar a mulher, em função única e exclusivamente de seu gênero, na medida que faz o inverso com o gênero masculino em relação ao feminino, considerando-o superior, digno de dominação sobre a mulher, e de privilégios em relação a ela".

Em ambos os sentidos, é possível exemplificar experiências congruentes com cada um dos sentidos. Segundo o primeiro, exaltar a força viril e a habilidade masculina em liderar como uma atitude machista. Segundo o segundo, acusar em sentido pejorativo,  de machismo, aquele homem que considera sua mulher inferior a ele simplesmente pelo fato dela ser uma mulher.

Em ambos os casos, inclusive no do sentido oriundo de uma apropriação, as definições são congruentes com as experiências usadas para exemplifica-las.

Não é o mesmo caso na definição de ateísmo que prega a completa ausência de crença sobre a existência de deus(es), inclusive a de negação, sendo que a postura daquele ateu que defende esta definição é justamente a de não aceitar (negar) que a preposição que afirma a existência de deus(es) seja verdadeira (crença de negação). A experiência que exemplifica a definição é contraditória com esta, a tornando simplesmente incoerente.

Segundo a postura ateísta tomada acima, a definição correta seria a de que o ateu é aquele que nega/rejeita a existência de deus(es), configurando um estado de crença de negação, segundo as definições já fixadas neste tópico sobre o que representa crença em sentido amplo, e o que representa negação também em sentido amplo.

Abraços!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Baphomet em 14 de Janeiro de 2015, 16:24:04
Estatística a confirmar ou a desmentir: +/- 85% dos cidadãos da Finlândia já se declaram ateus. Alguém aí teria alguma informação sobre isso?
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: EuSouOqueSou em 14 de Janeiro de 2015, 23:06:50
Estatística a confirmar ou a desmentir: +/- 85% dos cidadãos da Finlândia já se declaram ateus. Alguém aí teria alguma informação sobre isso?

Falso, http://www.stat.fi/til/vaerak/2013/vaerak_2013_2014-03-21_tau_002_en.html
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Johnny Cash em 12 de Maio de 2015, 19:35:20
Não que sejam ateus diretamente, mas, não achei outro tópico pra isso.

(http://static6.businessinsider.com/image/55526680ecad04ac07fbd880-1200-900/godless-millennials.png)
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Gigaview em 13 de Maio de 2015, 21:09:52
(http://www.pewforum.org/files/2015/05/PF_15.05.05_RLS2_1_310px.png)
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Pedro Reis em 14 de Maio de 2015, 22:40:16
Acho esses números muito altos.

16% de ateus nos EUA, 48% na Europa, 87% na Finlândia...
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: EuSouOqueSou em 24 de Abril de 2016, 15:01:45
(http://news.nationalgeographic.com/content/dam/news/rights-exempt/nat-geo-staff-maps/2016/04/religion/2nd_religion_3.ngsversion.1461422621992.png)
http://news.nationalgeographic.com/2016/04/160422-atheism-agnostic-secular-nones-rising-religion/?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_content=link_fbp20160424news-sogmap&utm_campaign=Content&sf24864108=1
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 24 de Abril de 2016, 18:34:06
Projeção cartográfica racista.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Vithor em 25 de Abril de 2016, 16:07:34
Não entendi como confundem os termos..

Ateu= Não crer em deuses
Pode haver um ateu supersticioso por mais que seja ilógico... 
A palavra para quem não crê em sopro de dados e Duendes etc é Cético
Pode haver um Ateu supersticioso  e um ateu Cético simples..

Quem quiser pode chamar ateus apenas os ateus céticos..
Mas saibam que em pesquisas isso não é levado em conta, Ateus em pesquisas é apenas o estado religioso e não se a pessoa crê em bicho-papão ou papai noel...  :wink:
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 27 de Abril de 2016, 21:35:35
Não entendi como confundem os termos..

Ateu= Não crer em deuses
Pode haver um ateu supersticioso por mais que seja ilógico... 
A palavra para quem não crê em sopro de dados e Duendes etc é Cético
Pode haver um Ateu supersticioso  e um ateu Cético simples..

Quem quiser pode chamar ateus apenas os ateus céticos..
Mas saibam que em pesquisas isso não é levado em conta, Ateus em pesquisas é apenas o estado religioso e não se a pessoa crê em bicho-papão ou papai noel...  :wink:
Enquanto ateu é aquele que nega a existência de deuses ou afirma a inexistência destes; cético é aquele que suspende o juízo sobre a questão em causa. Logo, um ateu cético seria uma contradição de conceitos. Não existem ateus céticos, pois assim que se acredita estar de posse de uma verdade, como o ateu em relação a existência ou não de deuses, deixa-se de ser cético.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: JJ em 28 de Abril de 2016, 09:16:01
Não entendi como confundem os termos..

Ateu= Não crer em deuses
Pode haver um ateu supersticioso por mais que seja ilógico... 
A palavra para quem não crê em sopro de dados e Duendes etc é Cético
Pode haver um Ateu supersticioso  e um ateu Cético simples..

Quem quiser pode chamar ateus apenas os ateus céticos..
Mas saibam que em pesquisas isso não é levado em conta, Ateus em pesquisas é apenas o estado religioso e não se a pessoa crê em bicho-papão ou papai noel...  :wink:
Enquanto ateu é aquele que nega a existência de deuses ou afirma a inexistência destes; cético é aquele que suspende o juízo sobre a questão em causa. Logo, um ateu cético seria uma contradição de conceitos. Não existem ateus céticos, pois assim que se acredita estar de posse de uma verdade, como o ateu em relação a existência ou não de deuses, deixa-se de ser cético.



E quem acha que seja muitíssimo improvável que  exista algum deus onipotente, mas que não afirme de forma peremptória  que não existe,  seria o que ? 

E quem afirma que não há evidências de  que  exista algum deus onipotente (e onipresente), mas que não afirme de forma peremptória  que não existe,  seria o que ? 

Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 28 de Abril de 2016, 12:13:18
A "suspensão de juízo", se é realmente feita por alguém, não é pelos céticos em geral, mas especificamente pelos pirrônicos. E acho que nem se limitaria a coisas como super-homens criadores de universos, mas praticamente qualquer coisa irrefutável que se possa imaginar, como solipsismo.

Há mais significados comumente associados ao termo, como ceticismo científico, que deve ser compatível com ateísmo, mesmo ateísmo forte.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Onsigbare em 28 de Abril de 2016, 17:20:35
Eu não nego a existência de deus.
eu apenas acho que deus essa invenção marota dos humanos não merece nem negação
Se alguém me perguntar se eu acredito em deus, eu direi   __  o que é deus?
Dependendo do lugar do mundo, e com quem estiver falando, a explicação vai ser bem diferente.
Por fim vou chegar a conclusão que é preciso acreditar mesmo, pois ninguém jamais me dará nenhuma evidência.

Acho que ateu é uma palavra que só cabe para quem acredita em deus. Esses podem apontar e dizer aquele é um ateu, pois não acredita no que acredito.
Então eu posso dizer que para esses eu sou um ateu, mas para outro ateu não. Como também não chamaria ninguém de ateu.
sempre que nos referimos à palavra ateu, estamos ligando-aos que criaram esta palavra.
Um americano que é chamado no méxico como gringo, não chama outro americano de gringo. Ele pode até dizer lá no méxico você é um gringo.

Então com certeza já sabemos que se alguém nos chama de ateu, ele é um crente.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Vithor em 28 de Abril de 2016, 17:24:53
Não entendi como confundem os termos..

Ateu= Não crer em deuses
Pode haver um ateu supersticioso por mais que seja ilógico... 
A palavra para quem não crê em sopro de dados e Duendes etc é Cético
Pode haver um Ateu supersticioso  e um ateu Cético simples..

Quem quiser pode chamar ateus apenas os ateus céticos..
Mas saibam que em pesquisas isso não é levado em conta, Ateus
em pesquisas é apenas o estado religioso e não se a pessoa crê em bicho-papão ou papai noel...  :wink:
Enquanto ateu é aquele que nega a existência de deuses ou afirma a inexistência destes; cético é aquele que suspende o juízo sobre a questão em causa. Logo, um ateu cético seria uma contradição de conceitos. Não existem ateus céticos, pois assim que se acredita estar de posse de uma verdade, como o ateu em relação a existência ou não de deuses, deixa-se de ser cético.

Mas entenda ateu é só uma postura religiosa.. Cético de uma forma leiga é o que duvida do inexplicável sobrenatural...
Você ser ateu não significa que  você não acredita em  superstição
Você pode ser um Ateu cético, Você não é cético diante Deus, Mas continua sendo cético as outras coisas como "sopro de dados".
E Você pode ser um Ateu supersticioso que crê em sopro de dados..
Esse é meu ponto de vista...

 
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Gigaview em 28 de Abril de 2016, 18:48:02
Deve ser difícil para os crentes admitirem que Deus é ateu. Logo o maior de todos.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 28 de Abril de 2016, 19:56:59
Não entendi como confundem os termos..

Ateu= Não crer em deuses
Pode haver um ateu supersticioso por mais que seja ilógico... 
A palavra para quem não crê em sopro de dados e Duendes etc é Cético
Pode haver um Ateu supersticioso  e um ateu Cético simples..

Quem quiser pode chamar ateus apenas os ateus céticos..
Mas saibam que em pesquisas isso não é levado em conta, Ateus em pesquisas é apenas o estado religioso e não se a pessoa crê em bicho-papão ou papai noel...  :wink:
Enquanto ateu é aquele que nega a existência de deuses ou afirma a inexistência destes; cético é aquele que suspende o juízo sobre a questão em causa. Logo, um ateu cético seria uma contradição de conceitos. Não existem ateus céticos, pois assim que se acredita estar de posse de uma verdade, como o ateu em relação a existência ou não de deuses, deixa-se de ser cético.



E quem acha que seja muitíssimo improvável que  exista algum deus onipotente, mas que não afirme de forma peremptória  que não existe,  seria o que ? 

E quem afirma que não há evidências de  que  exista algum deus onipotente (e onipresente), mas que não afirme de forma peremptória  que não existe,  seria o que ?
Se a dúvida permanece, ele pode ser considerado cético.

A "suspensão de juízo", se é realmente feita por alguém, não é pelos céticos em geral, mas especificamente pelos pirrônicos. E acho que nem se limitaria a coisas como super-homens criadores de universos, mas praticamente qualquer coisa irrefutável que se possa imaginar, como solipsismo.

Há mais significados comumente associados ao termo, como ceticismo científico, que deve ser compatível com ateísmo, mesmo ateísmo forte.
Tanto no ceticismo pirrônico, quanto no acadêmico ou científico, existe a dúvida e a suspensão do juízo. A diferença entre o ceticismo acadêmico e o pirrônico, é que aquele considera a verdade inapreensível, e este continua a investigar. No ceticismo científico, a dúvida é pautada pela metodologia científica. Se algo não pode ser cientificamente comprovado, o cético mantém uma atitude de neutralidade agnóstica. Em ambos os casos, existe ceticismo enquanto existe dúvida e neutralidade. Todo aquele que toma uma posição negativa em relação a alegações sobre metafísica ou sobrenaturalidade (alegações que em geral são cientificamente não-falseaveis) e se diz cético, é na verdade um pseudo cético.

Sobre pseudo-ceticismo (http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=12311.msg226646#msg226646)
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 28 de Abril de 2016, 20:13:16
Acho que o ceticismo não requer essa neutralidade agnóstica. Aquele que tem crenças negativas quanto a fadas, gnomos, solipsismo, deuses, zumbis, lobisomens, é apenas pragmático (mais qualquer que seja o termo filosófico para alguém que crê na realidade aparente a uma combinação de conhecimento científico e mesmo mero "bom senso"), e pode ser ainda "cético"*, apenas não um "cético fundamentalista", que não afirmaria nem mesmo que ele próprio existe, pois é nesse nível que se chegaria para ter consistência com o "ceticismo".


* Talvez apenas num sentido corrente, não histórica/literalmente correto, que requereria dúvida absoluta acerca de tudo, exceto talvez da semântica de "ceticismo", mas não sei se mesmo isso escaparia.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 28 de Abril de 2016, 22:10:16
Você pode ser cético em relação a alguns assuntos, mas não em relação a todos. É assim que eu me vejo atualmente. Ou você pode simplesmente manter-se cético sobre tudo, e para evitar a inação completa , agir com base naquilo que lhe parece, sem assumir que suas impressões sobre a realidade estejam corretas, como sugere alguns céticos.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Fernando Silva em 29 de Abril de 2016, 09:18:30
Ceticismo é apenas não acreditar sem provas.
Se há provas, o cético não precisa "acreditar". Ele apenas "sabe".

E nem por isso passa a ter fé cega naquilo que "sabe".
Se surgirem novos fatos, pode ser necessário abandonar essa "verdade" e aceitar outra.

Já o religioso não precisa de provas e continua acreditando até diante de evidências em contrário.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Johnny Cash em 29 de Abril de 2016, 09:49:17
Você pode ser cético em relação a alguns assuntos, mas não em relação a todos. É assim que eu me vejo atualmente. Ou você pode simplesmente manter-se cético sobre tudo, e para evitar a inação completa , agir com base naquilo que lhe parece, sem assumir que suas impressões sobre a realidade estejam corretas, como sugere alguns céticos.

A postura do Ceticismo Pirrônico Hardcore é impossível na prática.

Essas definições, recorrentemente debatidas por aqui, deveriam ser fixadas em alguma das seções do fórum, com uma lista delas e antes de cada definição sempre ter um "de acordo com o que disse Fulano o ateísmo é...", "de acordo com linha de pensamento B ceticismo é...".
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 29 de Abril de 2016, 12:01:40
Ceticismo é apenas não acreditar sem provas.
Se há provas, o cético não precisa "acreditar". Ele apenas "sabe".
Mas para saber é preciso acreditar, já que conhecimento é crença verdadeira e justificada. E acreditar e/ou saber é diferente de duvidar, que é a caracteristica principal do ceticismo. A partir do momento em que se assume ter encontrado a verdade sobre determinado assunto, deixa-se de ser cético sobre este assunto em específico.

E nem por isso passa a ter fé cega naquilo que "sabe".
Se surgirem novos fatos, pode ser necessário abandonar essa "verdade" e aceitar outra.
Não precisa ter fé, mas mesmo uma crença justificada e sustentada por evidências e argumentação lógica, ainda sim é uma crença. E mesmo que a conclusao não seja inquestionável, ainda sim acredita-se pelo menos até o momento estar de posse da verdade, algo incompatível com a postura cética.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Johnny Cash em 29 de Abril de 2016, 12:09:14
Ceticismo é apenas não acreditar sem provas.
Se há provas, o cético não precisa "acreditar". Ele apenas "sabe".
Mas para saber é preciso acreditar, já que conhecimento é crença verdadeira e justificada. E acreditar e/ou saber é diferente de duvidar, que é a caracteristica principal do ceticismo. A partir do momento em que se assume ter encontrado a verdade sobre determinado assunto, deixa-se de ser cético sobre este assunto em específico.

Você trouxe apenas a definição platônica de conhecimento, dessa forma, seria bom a utilização de "de acordo com platão, conhecimento é...", de outra forma ficamos sempre nessas discussões de "é num é".
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 29 de Abril de 2016, 12:15:49
Você pode ser cético em relação a alguns assuntos, mas não em relação a todos. É assim que eu me vejo atualmente. Ou você pode simplesmente manter-se cético sobre tudo, e para evitar a inação completa , agir com base naquilo que lhe parece, sem assumir que suas impressões sobre a realidade estejam corretas, como sugere alguns céticos.

A postura do Ceticismo Pirrônico Hardcore é impossível na prática.
Também acho, inclusive reza a lenda de que Pirro morreu em decorrência de seu ceticismo extremo. Após ser avisado por seus discípulos de que se aproximava de um abismo, não acreditou neles e nem em seus próprios sentidos, e terminou por caminhar para a morte.

A parte da teoria cética que inclui agir com base naquilo que lhe parece, sem assumir que esteja de posse da verdade, a fim de evitar a inação ou a imprudência, só foi adicionada posteriormente.

Essas definições, recorrentemente debatidas por aqui, deveriam ser fixadas em alguma das seções do fórum, com uma lista delas e antes de cada definição sempre ter um "de acordo com o que disse Fulano o ateísmo é...", "de acordo com linha de pensamento B ceticismo é...".
Uma característica de todas as doutrinas céticas é a dúvida ao invés da negação ou aceitação, isso basta para saber se uma pessoa está ou não agindo de maneira cética. Um ateu não é cético em relação a existência de deuses, por ele se posicionar de maneira negativa ao invés de agnóstica em relação a esta questão. Pode ser que ele seja cético em relação a outros assuntos, mas definitivamente não o é em relação a existência de deuses.

Ceticismo é apenas não acreditar sem provas.
Se há provas, o cético não precisa "acreditar". Ele apenas "sabe".
Mas para saber é preciso acreditar, já que conhecimento é crença verdadeira e justificada. E acreditar e/ou saber é diferente de duvidar, que é a caracteristica principal do ceticismo. A partir do momento em que se assume ter encontrado a verdade sobre determinado assunto, deixa-se de ser cético sobre este assunto em específico.

Você trouxe apenas a definição platônica de conhecimento, dessa forma, seria bom a utilização de "de acordo com platão, conhecimento é...", de outra forma ficamos sempre nessas discussões de "é num é".
Concordo, sei que esta definição de conhecimento já foi pertinentemente questionada. Mas você conhece alguma definição de conhecimento que negue a necessidade de crença, quando crença é definido como compreendendo o estado mental acompanhado de uma postulação que foi determinada como verdadeira ou falsa?
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 29 de Abril de 2016, 12:51:48
É bom lembrar que a teoria de conhecimento de Platão como sendo suficiente e necessário para se ter conhecimento: crença, verdade e justificação, foi questionada no sentido de estas três condições não serem suficientes,  mas é amplamente aceito pelos estudiosos do assunto que estas três condições são necessárias. Fonte (http://criticanarede.com/fil_conhecimento.html)
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Johnny Cash em 29 de Abril de 2016, 12:54:48
Você pode ser cético em relação a alguns assuntos, mas não em relação a todos. É assim que eu me vejo atualmente. Ou você pode simplesmente manter-se cético sobre tudo, e para evitar a inação completa , agir com base naquilo que lhe parece, sem assumir que suas impressões sobre a realidade estejam corretas, como sugere alguns céticos.

A postura do Ceticismo Pirrônico Hardcore é impossível na prática.
Também acho, inclusive reza a lenda de que Pirro morreu em decorrência de seu ceticismo extremo. Após ser avisado por seus discípulos de que se aproximava de um abismo, não acreditou neles e nem em seus próprios sentidos, e terminou por caminhar para a morte.

 :lol:

Exatamente por isso eu acho sempre uma bobeira semântica ficar dizendo aos outros que "Ah, mas se você então evitar abismos, não adianta vir me falar em cetiticismo, seu pseudo-cético".

A parte da teoria cética que inclui agir com base naquilo que lhe parece, sem assumir que esteja de posse da verdade, a fim de evitar a inação ou a imprudência, só foi adicionada posteriormente.

É nessas que eu bóio.

Qual "teoria cética"? Existe essa "teoria cética" central e acordada?

Eu acho que não existe, e só de haver ainda essa discussão bruta sobre o tema, talvez seja evidência de que o consenso ainda está longe e citar os "de acordo com..." seria benéfico.

Essas definições, recorrentemente debatidas por aqui, deveriam ser fixadas em alguma das seções do fórum, com uma lista delas e antes de cada definição sempre ter um "de acordo com o que disse Fulano o ateísmo é...", "de acordo com linha de pensamento B ceticismo é...".
Uma característica de todas as doutrinas céticas é a dúvida ao invés da negação ou aceitação, isso basta para saber se uma pessoa está ou não agindo de maneira cética. Um ateu não é cético em relação a existência de deuses, por ele se posicionar de maneira negativa ao invés de agnóstica. Pode ser que ele seja cético em relação a outros assuntos, mas definitivamente não o é em relação a existência de deuses.

Ta bom, se continuamos com a definição de que ser cético é suspender o juízo.

Mas ja que eu acho que essa definição tem aplicação praticamente virtual, não acho ela útil pra se definir conceitos do dia a dia.

Ceticismo é apenas não acreditar sem provas.
Se há provas, o cético não precisa "acreditar". Ele apenas "sabe".
Mas para saber é preciso acreditar, já que conhecimento é crença verdadeira e justificada. E acreditar e/ou saber é diferente de duvidar, que é a caracteristica principal do ceticismo. A partir do momento em que se assume ter encontrado a verdade sobre determinado assunto, deixa-se de ser cético sobre este assunto em específico.

Você trouxe apenas a definição platônica de conhecimento, dessa forma, seria bom a utilização de "de acordo com platão, conhecimento é...", de outra forma ficamos sempre nessas discussões de "é num é".
Concordo, sei que esta definição de conhecimento já foi eficiente questionada. Mas você conhece alguma definição de conhecimento que negue a necessidade de crença, quando crença é definido como compreendendo o estado mental acompanhado de uma postulação que foi determinada como verdadeira ou falsa?


Observando meu quote, podemos ter crença justifica de que é verdade eu não estar contestando a definição de conhecimento, apenas dizendo que é bom, ao invés de dizer apenas que "deus é amor" é melhor trazer para o debate as referências, para que a discussão não seja apenas semanticoide e ganhe mais corpo/valor.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 29 de Abril de 2016, 13:38:48
Ceticismo é apenas não acreditar sem provas.
Se há provas, o cético não precisa "acreditar". Ele apenas "sabe".

Mas você acredita naquilo sabe, ou, no que julga saber. Acreditar é apenas "ter como verdade", não "crer cegamente", "crer sem provas", "crer apesar de provas contrárias", "crer porque tem algo no fundo do seu coração que te diz que aquilo é Verdade", etc.



Citar
Já o religioso não precisa de provas e continua acreditando até diante de evidências em contrário.

Não é só o religioso. Todo não-solipsista não tem provas do não-solipsismo, nem por isso comparamos isso com religião. Há ainda a crença com confiança (fé) na credibilidade (se isso não for pleonasmo, acho que é) de um corpo de conhecimentos, como a ciência. Você pode acreditar em proposições científias em geral sem conhecer as provas para cada uma, o que é o mais comum para os não-hiper-polímatas, e não se costuma dizer que isso é equivalente à fé religiosa.











Ta bom, se continuamos com a definição de que ser cético é suspender o juízo.

Mas ja que eu acho que essa definição tem aplicação praticamente virtual, não acho ela útil pra se definir conceitos do dia a dia.

Acho que "ser cético" no sentido mais elementar é duvidar. Céticos = "duvidantes". Você pode duvidar de uma proposição e acreditar em outra da mesma "área". Duvido que deuses existam, creio que deuses não existem.

No sentido que o termo acabou tomando para grupos/"tribos" que se rotulam assim como parte de sua identidade, geralmente será uma "dúvida" acerca desses temas relacionados a religião e "sobrenatural". Enquanto criacionistas, diversos outros subgrupos religiosos, e "céticos do aquecimento global [antropogênico]" duvidam daquilo que é tido como conhecimento estabelecido pela ciência.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Criaturo em 30 de Abril de 2016, 11:25:33
Deve ser difícil para os crentes admitirem que Deus é ateu. Logo o maior de todos.
justifique!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Criaturo em 30 de Abril de 2016, 11:27:32
sem nenhuma fé não damos nem o próximo passo, pois a fé é o que nos move
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Fernando Silva em 30 de Abril de 2016, 11:45:04
Ceticismo é apenas não acreditar sem provas.
Se há provas, o cético não precisa "acreditar". Ele apenas "sabe".
Mas você acredita naquilo sabe, ou, no que julga saber. Acreditar é apenas "ter como verdade", não "crer cegamente", "crer sem provas", "crer apesar de provas contrárias", "crer porque tem algo no fundo do seu coração que te diz que aquilo é Verdade", etc.
Considero a força da gravidade como uma verdade comprovada. Planejo minha vida o tempo todo em função dela. Até agora, não vi motivos para mudar de ideia.

Por outro lado, embora esteja convicto de que é a Terra que gira em torno do Sol e não o contrário, caso eu descubra que estou errado, minha vida não mudará em nada. Apenas ficarei surpreso.

Acontece que adotar uma religião implica em mudar de vida: tem que fazer isto, não pode fazer aquilo etc.
Ninguém muda nada em sua vida ao aceitar que houve um Big Bang, mas seria um terremoto se ficasse provado que Jesus nunca foi Deus.

Portanto, minha "crença" nas afirmações da ciência, ao contrário da crença numa religião, não afeta minha vida.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 30 de Abril de 2016, 11:57:50
Ceticismo é apenas não acreditar sem provas.
Se há provas, o cético não precisa "acreditar". Ele apenas "sabe".
Mas você acredita naquilo sabe, ou, no que julga saber. Acreditar é apenas "ter como verdade", não "crer cegamente", "crer sem provas", "crer apesar de provas contrárias", "crer porque tem algo no fundo do seu coração que te diz que aquilo é Verdade", etc.
Considero a força da gravidade como uma verdade comprovada. Planejo minha vida o tempo todo em função dela. Até agora, não vi motivos para mudar de ideia.

Por outro lado, embora esteja convicto de que é a Terra que gira em torno do Sol e não o contrário, caso eu descubra que estou errado, minha vida não mudará em nada. Apenas ficarei surpreso.

Acontece que adotar uma religião implica em mudar de vida: tem que fazer isto, não pode fazer aquilo etc.
Ninguém muda nada em sua vida ao aceitar que houve um Big Bang, mas seria um terremoto se ficasse provado que Jesus nunca foi Deus.

Portanto, minha "crença" nas afirmações da ciência, ao contrário da crença numa religião, não afeta minha vida.
Como não? Você aceita tomar uma vacina contendo a doença que procura evitar, por acreditar na ciência por trás da teoria que diz que isso irá lhe imunizar contra a tal doença. Quando a vacina foi inventada, está crença era completamente contra-intuitiva, a maioria das pessoas não a aceitavam, e no entanto, hoje isso é uma crença amplamente aceita. Neste caso, a simples crença na eficácia da vacina afetou a vida de bilhões de pessoas.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Fernando Silva em 30 de Abril de 2016, 12:13:52
Portanto, minha "crença" nas afirmações da ciência, ao contrário da crença numa religião, não afeta minha vida.
Como não? Você aceita tomar uma vacina contendo a doença que procura evitar, por acreditar na ciência por trás da teoria que diz que isso irá lhe imunizar contra a tal doença. Quando a vacina foi inventada, está crença era completamente contra-intuitiva, a maioria das pessoas não a aceitavam, e no entanto, hoje isso é uma crença amplamente aceita. Neste caso, a simples crença na eficácia da vacina afetou a vida de bilhões de pessoas.
Assim como no caso da força da gravidade, baseio minha decisão no fato de que a vacina parece funcionar.
Entendo o mecanismo da imunização, tenho estatísticas que confirmam minha convicção.
É uma aposta, sim, já que pode ser apenas uma incrível coincidência, mas as evidências são bastante convincentes.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 30 de Abril de 2016, 12:39:55
O que não deixa de ser uma crença que afeta a sua vida em decorrência das decisões que você toma com base nesta crença. Mas independente disso, a conclusão a que chegamos é a de que aceitar uma proposição científica como verdadeira, independente das suas razões para isso, constitui uma crença. Não digo porém que a fé religiosas se equipara a crença justificada por evidências científicas, pois certamente que não se equiparam, a não ser na conclusão de que ambas são em essência, crenças.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Fernando Silva em 30 de Abril de 2016, 13:08:53
Não digo porém que a fé religiosas se equipara a crença justificada por evidências científicas, pois certamente que não se equiparam, a não ser na conclusão de que ambas são em essência, crenças.
Pelo menos, na ciência, ninguém diz que é virtude acreditar sem ter visto.

Sem falar em que a ciência avança ao questionar as teorias aceitas, enquanto que é heresia e apostasia duvidar de uma doutrina religiosa.

Mesmo porque a ciência tenta entender as coisas, enquanto que a religião manda aceitar mesmo sem entender.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Johnny Cash em 02 de Maio de 2016, 09:25:05

Ta bom, se continuamos com a definição de que ser cético é suspender o juízo.

Mas ja que eu acho que essa definição tem aplicação praticamente virtual, não acho ela útil pra se definir conceitos do dia a dia.

Acho que "ser cético" no sentido mais elementar é duvidar. Céticos = "duvidantes". Você pode duvidar de uma proposição e acreditar em outra da mesma "área". Duvido que deuses existam, creio que deuses não existem.

No sentido que o termo acabou tomando para grupos/"tribos" que se rotulam assim como parte de sua identidade, geralmente será uma "dúvida" acerca desses temas relacionados a religião e "sobrenatural". Enquanto criacionistas, diversos outros subgrupos religiosos, e "céticos do aquecimento global [antropogênico]" duvidam daquilo que é tido como conhecimento estabelecido pela ciência.

Absolutamente de acordo.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 02 de Maio de 2016, 11:49:19

Ta bom, se continuamos com a definição de que ser cético é suspender o juízo.

Mas ja que eu acho que essa definição tem aplicação praticamente virtual, não acho ela útil pra se definir conceitos do dia a dia.

Acho que "ser cético" no sentido mais elementar é duvidar. Céticos = "duvidantes". Você pode duvidar de uma proposição e acreditar em outra da mesma "área". Duvido que deuses existam, creio que deuses não existem.
(...)
Na verdade existe uma contradição aí, se a dúvida é a ausência de crença, não é possível duvidar e acreditar respectivamente ao mesmo tempo em duas proposições que levam a mesma conclusão sobre o mesmo assunto (deuses existem ou deuses não existem). A não ser que você admita o uso comum,  mas incorreto dos termos "duvidar" e " cético" como significando negação.

No sentido que o termo acabou tomando para grupos/"tribos" que se rotulam assim como parte de sua identidade, geralmente será uma "dúvida" acerca desses temas relacionados a religião e "sobrenatural". Enquanto criacionistas, diversos outros subgrupos religiosos, e "céticos do aquecimento global [antropogênico]" duvidam daquilo que é tido como conhecimento estabelecido pela ciência.
Absolutamente de acordo.
Essas pessoas podem até se chamarem céticas, mas usurpam indevidamente deste rótulo, como apontado por Marcelo Truzzi no artigo sobre o pseudo-ceticismo já indicado aqui por mim. Qualquer pessoa que apresente uma posição negativa ao invés de agnóstica sobre determinada questão, não esta manifestando dúvida ou uma posição cética sobre a questão. E é isso que estes críticos do aquecimento global e criacionistas costumam fazer com as teorias cientificamente estabelecidas, fontes de suas críticas.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 02 de Maio de 2016, 15:50:15
Bem, eu estou falando mais do uso aceitável da palavra do que do Verdadeiro Ceticismo Correto Com Cê Maiúsculo.

Cético é quem duvida. Você pode duvidar de algo e acreditar em algo "oposto", pode duvidar de algo irrefutável e acreditar em algo que dá conta de explicar os mesmos fatos e que seja no entanto plenamente embasado em fatos. Não são posições absurdas ou extraordinárias de se ter, e me parece que na prática é a posição da maior parte dos que se rotulam e são rotulados céticos, ainda que talvez não sejam os "Verdadeiros Céticos", apenas os céticos "reais", que de fato existem, ou, vastamente mais comuns.



Citar
Na verdade existe uma contradição aí, se a dúvida é a ausência de crença, não é possível duvidar e acreditar respectivamente ao mesmo tempo em duas proposições que levam a mesma conclusão sobre o mesmo assunto (deuses existem ou deuses não existem). A não ser que você admita o uso comum,  mas incorreto dos termos "duvidar" e " cético" como significando negação.

A e B fazem alegações sobre C, você pode duvidar de A, não crer em A, mas pode crer em B, que não tem nada a ver com A a não ser explicar C.

Duvidar de/não crer em alegações de que uma doença seja causada por demônios ou uma conspiração de dominação mundial, e acreditar que seja causada naturalmente por algum vírus ao mesmo tempo.

Duvidar de/não crer em Jeová, Zeus ou num "Ser Mágico Inteligente Criador Universal Apenas Tão Minimamente Antropomórfico Quanto Necessário Para Não Considerar Ridículo", mas acreditar no Big Bang ou no Estado Estacionário.




"Ceticismo" geralmente tenta ser promovido como uma "dúvida racional" (independentemente do raciocínio deixar coisas relevantes de fora), e não como sinônimo de "agnosticismo radical"/pirronismo/em-cima-do-murismo-permanente. Nesse "Ceticismo Verdadeiro" a pessoa não pode nem acreditar em nada, nem em ciência, o que for, já que não dá para refutar solipsismo, que somos o sonho de uma borboleta, ou qualquer outra coisa irrefutável. Deve ter havido umas sete pessoas com essa postura ao longo da história, e umas três ou quatro internadas em manicômios pela maior parte da vida.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 03 de Maio de 2016, 20:26:44
Bem, eu estou falando mais do uso aceitável da palavra do que do Verdadeiro Ceticismo Correto Com Cê Maiúsculo.

Cético é quem duvida. Você pode duvidar de algo e acreditar em algo "oposto", pode duvidar de algo irrefutável e acreditar em algo que dá conta de explicar os mesmos fatos e que seja no entanto plenamente embasado em fatos. Não são posições absurdas ou extraordinárias de se ter, e me parece que na prática é a posição da maior parte dos que se rotulam e são rotulados céticos, ainda que talvez não sejam os "Verdadeiros Céticos", apenas os céticos "reais", que de fato existem, ou, vastamente mais comuns.



Citar
Na verdade existe uma contradição aí, se a dúvida é a ausência de crença, não é possível duvidar e acreditar respectivamente ao mesmo tempo em duas proposições que levam a mesma conclusão sobre o mesmo assunto (deuses existem ou deuses não existem). A não ser que você admita o uso comum,  mas incorreto dos termos "duvidar" e " cético" como significando negação.

A e B fazem alegações sobre C, você pode duvidar de A, não crer em A, mas pode crer em B, que não tem nada a ver com A a não ser explicar C.

Duvidar de/não crer em alegações de que uma doença seja causada por demônios ou uma conspiração de dominação mundial, e acreditar que seja causada naturalmente por algum vírus ao mesmo tempo.

Duvidar de/não crer em Jeová, Zeus ou num "Ser Mágico Inteligente Criador Universal Apenas Tão Minimamente Antropomórfico Quanto Necessário Para Não Considerar Ridículo", mas acreditar no Big Bang ou no Estado Estacionário.
Mas estes exemplos são muito diferentes daquele dado por você incialmente:

(...)
Duvido que deuses existam, creio que deuses não existem.
(...)
Enquanto nos últimos exemplos as proposições defendiam posições sobre assuntos completamente diferentes (Deus não existe; o big bang realmente ocorreu), neste caso, a conclusão é a mesma, se dúvida for entendida no sentido errôneo de negação (Deus não existe). E contraditória, se dúvida for corretamente entendida como ausência de crença (Não sei se Deus existe; sei que Deus não existe).

"Ceticismo" geralmente tenta ser promovido como uma "dúvida racional" (independentemente do raciocínio deixar coisas relevantes de fora), e não como sinônimo de "agnosticismo radical"/pirronismo/em-cima-do-murismo-permanente. Nesse "Ceticismo Verdadeiro" a pessoa não pode nem acreditar em nada, nem em ciência, o que for, já que não dá para refutar solipsismo, que somos o sonho de uma borboleta, ou qualquer outra coisa irrefutável. Deve ter havido umas sete pessoas com essa postura ao longo da história, e umas três ou quatro internadas em manicômios pela maior parte da vida.
Você ignora uma parte importante da definição de cético. Primeiro, uma pessoa pode ser cética em relação a alguns assuntos, mas não em relação a todos. Segundo, o cético dúvida de tudo que se pretende real, mas suspende seu juízo somente em relação a questões teóricas, enquanto na prática vive conforme as coisas lhe parecem. Ele bebe água quando sente sede, porque lhe parece que a cede cessa quando faz isso. Ele come quando tem fome, foge ou luta quando se sente ameaçado e etc. pelos mesmos motivos. Mas não pretende assumir que as coisas como lhe parecem sejam de fato como ele as percebe, isto é real ou verdadeiro.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Johnny Cash em 04 de Maio de 2016, 09:34:48
Um verdadeiro cético não pode nem mesmo dizer que é cético, pois não tem como saber se é ou não é. Pois, se sabe que é cético, faz juízo aí e perde a condição de verdadeiro cético.

Bom, essa definição não é útil já que ela não tem aplicação qualquer na vida real.

O modo com que se usa mesmo o termo/título Cético, com alguma praticidade, é o inerente realmente ao da dúvida ou, até, ao de adotar sempre a prática de "investigar" em algum nível de detalhe as propostas que se apresentam como inicialmente verdadeiras. Normalmente investigando contra parâmetros/padrões que se julgam respaldados por algum método ou coisa similar levado adiante por "instituição" notoriamente confiável (embora se exija crença nos pareceres não reproduzíveis por pessoas comuns dessas instituições e todo o mais que "sabemos").
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 04 de Maio de 2016, 10:07:55
Mas estes exemplos são muito diferentes daquele dado por você incialmente:

(...)
Duvido que deuses existam, creio que deuses não existem.
(...)
Enquanto nos últimos exemplos as proposições defendiam posições sobre assuntos completamente diferentes (Deus não existe; o big bang realmente ocorreu), neste caso, a conclusão é a mesma, se dúvida for entendida no sentido errôneo de negação (Deus não existe). E contraditória, se dúvida for corretamente entendida como ausência de crença (Não sei se Deus existe; sei que Deus não existe).

Está meio que implícito, ou "sugestivo", em big-bang ou estado estacionário, a ausência de deuses.

"Acreditar" não é necessariamente "acreditar saber", pode ser admitidamente uma "aposta".

"Não sei se deus(es) existe(m) (são geralmente absolutamente irrefutáveis, o "agnosticismo" é então "necessário"); todas as explicações alternativas, científicas, para o que quer que seja, me parecem muito mais críveis".

OU

"Não sei se deus(es) existe(m); por tudo em que posso crer, deuses não existem".



Citar
"Ceticismo" geralmente tenta ser promovido como uma "dúvida racional" (independentemente do raciocínio deixar coisas relevantes de fora), e não como sinônimo de "agnosticismo radical"/pirronismo/em-cima-do-murismo-permanente. Nesse "Ceticismo Verdadeiro" a pessoa não pode nem acreditar em nada, nem em ciência, o que for, já que não dá para refutar solipsismo, que somos o sonho de uma borboleta, ou qualquer outra coisa irrefutável. Deve ter havido umas sete pessoas com essa postura ao longo da história, e umas três ou quatro internadas em manicômios pela maior parte da vida.
Você ignora uma parte importante da definição de cético. Primeiro, uma pessoa pode ser cética em relação a alguns assuntos, mas não em relação a todos.

Bem, isso estava implícito em outras coisas que eu disse (criacionistas como céticos da ciência). E acho que isso seria mais para o uso cotidiano de "cético" do que esse Cético Histórico Verdadeiro Com Carteirinha...



Citar
Segundo, o cético dúvida de tudo que se pretende real, mas suspende seu juízo somente em relação a questões teóricas, enquanto na prática vive conforme as coisas lhe parecem. Ele bebe água quando sente sede, porque lhe parece que a cede cessa quando faz isso. Ele come quando tem fome, foge ou luta quando se sente ameaçado e etc. pelos mesmos motivos. Mas não pretende assumir que as coisas como lhe parecem sejam de fato como ele as percebe, isto é real ou verdadeiro.

Duvido. Acho que na maior parte do tempo acabam acreditando naquilo que parece ser. :P



Mas... seja lá como for, tanto faz. Nem me importo com isso e etc e tal. Estou me incluindo fora dessa discussão semântica, que não acho tremendamente interessante e muito menos útil. Algumas vezes entro nelas meio acidentalmente, impulsivamente. :/
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 04 de Maio de 2016, 23:06:26
Não é impossível se comportar como cético na prática, basta manter uma postura agnóstica de inquisição, e entender que assim que se afirma algo com a pretensão de que seja real, deixa-se de ser cético. Ao se deparar com uma afirmação fantástica e sem embasamento, como no caso onde pessoas carbonizadas quase que instantaneamente, sem que nenhum dos objetos ao seu redor tenham sido afetados, incluindo objetos inflamáveis, e que essas pessoas tenham sido vitimas de combustão espontânea, aponte a falta de evidências para suportar tal teoria, ao invés de supor que o efeito pavil é o responsável pelo fenômeno. Quando você questiona neste caso, não tem nenhum ônus de provar nada, mas quando faz afirmações, o ônus da prova recai sobre você, e agora você  também tem uma afirmação sem sustentação para defender. É isso que o Marcelo Truzzi crítica em seu artigo. Esses críticos de anomalias contrapõem afirmações fantásticas sobre eventos com anomalias com torias científicamente reconhecidas,  que no entanto não dão conta de explicar as anomalias observadas nestes fenômenos. Eles não só não são céticos, como apresentam eles mesmos teorias que não dão conta de explicar aquilo que pretendem.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Cinzu em 05 de Maio de 2016, 02:19:42
Por isso que o mais correto deveria ser o probabilismo. Muitas vezes, teorias científicas possuem tantas evidências que acabamos tomando aquilo como verdade, mesmo estando cientes que possui uma chance ínfima de estar errado. Neste caso, não estaríamos necessariamente acreditando em algo, mas sim descartando explicações incoerentes.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Johnny Cash em 12 de Maio de 2016, 08:03:44
Não é impossível se comportar como cético na prática, basta manter uma postura agnóstica de inquisição, e entender que assim que se afirma algo com a pretensão de que seja real, deixa-se de ser cético. Ao se deparar com uma afirmação fantástica e sem embasamento, como no caso onde pessoas carbonizadas quase que instantaneamente, sem que nenhum dos objetos ao seu redor tenham sido afetados, incluindo objetos inflamáveis, e que essas pessoas tenham sido vitimas de combustão espontânea, aponte a falta de evidências para suportar tal teoria, ao invés de supor que o efeito pavil é o responsável pelo fenômeno. Quando você questiona neste caso, não tem nenhum ônus de provar nada, mas quando faz afirmações, o ônus da prova recai sobre você, e agora você  também tem uma afirmação sem sustentação para defender. É isso que o Marcelo Truzzi crítica em seu artigo. Esses críticos de anomalias contrapõem afirmações fantásticas sobre eventos com anomalias com torias científicamente reconhecidas,  que no entanto não dão conta de explicar as anomalias observadas nestes fenômenos. Eles não só não são céticos, como apresentam eles mesmos teorias que não dão conta de explicar aquilo que pretendem.

Me parece que isso, no final das contas e de modo geral, se alinha ao que vem sendo defendido enquanto ceticismo ser, na prática, uma postura de investigação permanente "mas fazendo concessões práticas e tolerando algumas afirmações plausíveis para o dia a dia".

O que não exatamente se encaixa com essa parte aqui:

[...] e entender que assim que se afirma algo com a pretensão de que seja real, deixa-se de ser cético[/...]


Um cético de verdade pode saber que pensa?
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Skeptikós em 12 de Maio de 2016, 15:18:43
Não é impossível se comportar como cético na prática, basta manter uma postura agnóstica de inquisição, e entender que assim que se afirma algo com a pretensão de que seja real, deixa-se de ser cético. Ao se deparar com uma afirmação fantástica e sem embasamento, como no caso onde pessoas carbonizadas quase que instantaneamente, sem que nenhum dos objetos ao seu redor tenham sido afetados, incluindo objetos inflamáveis, e que essas pessoas tenham sido vitimas de combustão espontânea, aponte a falta de evidências para suportar tal teoria, ao invés de supor que o efeito pavil é o responsável pelo fenômeno. Quando você questiona neste caso, não tem nenhum ônus de provar nada, mas quando faz afirmações, o ônus da prova recai sobre você, e agora você  também tem uma afirmação sem sustentação para defender. É isso que o Marcelo Truzzi crítica em seu artigo. Esses críticos de anomalias contrapõem afirmações fantásticas sobre eventos com anomalias com torias científicamente reconhecidas,  que no entanto não dão conta de explicar as anomalias observadas nestes fenômenos. Eles não só não são céticos, como apresentam eles mesmos teorias que não dão conta de explicar aquilo que pretendem.

Me parece que isso, no final das contas e de modo geral, se alinha ao que vem sendo defendido enquanto ceticismo ser, na prática, uma postura de investigação permanente "mas fazendo concessões práticas e tolerando algumas afirmações plausíveis para o dia a dia".
Esta é uma postura defendida em todos os livros e artigos de ceticismo que li. O cético questiona e suspende o juízo nas questões teóricas e afirmações sobre como as coisas são de fato, mas na prática ou na vida cotidiana, vive conforme as coisas lhe parecem, sem no entanto defender que as suas impressões das coisas reprentem de fato como elas são em si mesmas.

O que não exatamente se encaixa com essa parte aqui:

[...] e entender que assim que se afirma algo com a pretensão de que seja real, deixa-se de ser cético[/...]
Na vida cotidiana o cético toma varias atitudes e faz várias afirmações baseadas na maneira como as coisas lhe parecem. No entanto, sem a pretensão de que elas representem de fato como as coisas são em si mesmas, isto é, como são de fato, independentes do observador.

Um cético de verdade pode saber que pensa?
Descartes, fundador do método cartesiano chegou a esta conclusão, se penso, logo existo. Mesmo que eu seja apenas um cérebro numa cuba, está conclusão parece irrefutável.

Os céticos apresentam vários cenários e questionamentos problemáticos que põem em dúvida as nossas pretensões de conhecimento, mas não me lembro deles terem levantado alguma dúvida capaz de abalar minimamente esta aparentemente simples, mas profunda conclusão de Descartes.

Eu confesso que no momento não sei responder bem esta sua pergunta, pelo que me lembro esta conclusão não foi refutada, mas não sei ao certo como o ceticismo lidou com ela.

Abraços!
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Johnny Cash em 12 de Maio de 2016, 17:03:19
Show de bola!  :ok:
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Gigaview em 10 de Julho de 2016, 12:37:54
Religiosity and Intelligence, By Country

http://www.samuelwbennett.com/religiosity-and-intelligence-by-country/
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Johnny Cash em 15 de Julho de 2016, 11:23:16
Muito curioso o posicionamento de Israel. Eu não sabia que eram tão pouco religiosos.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Gauss em 15 de Julho de 2016, 13:34:36
Muito curioso o posicionamento de Israel. Eu não sabia que eram tão pouco religiosos.

Judeus estão entre os povos mais ateus.

https://en.wikipedia.org/wiki/Jewish_atheism
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Fernando Silva em 16 de Julho de 2016, 09:04:13
Muito curioso o posicionamento de Israel. Eu não sabia que eram tão pouco religiosos.
O Estado de Israel foi fundado por ateus.
Até hoje os ortodoxos não aceitam sua existência e dizem que é preciso esperar pela vinda do Messias.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Buckaroo Banzai em 16 de Julho de 2016, 11:34:51
Talvez no futuro então uma nova diáspora gradual faça Israel desaparecer via migração para países onde estão mais protegidos do antissemitismo, deixando as quinquilharias religiosas sagradas para quem se importa com isso.
Título: Re:Estatísticas Ateístas
Enviado por: Gigaview em 16 de Julho de 2016, 12:19:04
Talvez no futuro então uma nova diáspora gradual faça Israel desaparecer via migração para países onde estão mais protegidos do antissemitismo, deixando as quinquilharias religiosas sagradas para quem se importa com isso.

No futuro o Messias chegará.