Forum Clube Cetico

Discussões => História, Sociedade, Comportamento e Filosofia => Tópico iniciado por: Jovem Cético em 19 de Setembro de 2013, 03:52:08

Título: Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Jovem Cético em 19 de Setembro de 2013, 03:52:08
Eu estava pesquisando sobre a origem do povo Anglo-saxão,e acabei encontrando este fórum:

http://www.stormfront.org/forum/t993581/ (http://www.stormfront.org/forum/t993581/)

E pelo que vi nos comentários muitos falam do orgulho de ser branco,e na minha opinião muitos usam isso para disfarçar o racismo.

A pergunta é: Brancos podem ter orgulho de sua "raça" ou isso é racismo?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: ReVo em 19 de Setembro de 2013, 04:52:47
Só gostaria de ressaltar que o conteúdo exposto demonstra claramente o perfil "white power" do fórum storm front. Então a ideia dominante não é um simples orgulho da cor de pele, mas a crença de que deve haver separação étnica e supremacia branca. Basta uma leitura rápida para notar afirmações comuns de neonazistas e pretensos arianos que ignoram o que é ser ariano. []'s
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Fabrício em 19 de Setembro de 2013, 07:12:45
Por que alguém tem orgulho de ser branco, negro, amarelo, cor de abóbora, roxo, etc? Por que se orgulhar de uma característica inata?

Até entendo que alguém se orgulhe de algo que conquistou com esforço, dedicação, trabalho. Mas acho uma tremenda bobagem se orgulhar de coisas como ser branco, ser brasileiro (ou de outro nacionalidade qualquer) ser alto, ser baixo, etc.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Derfel em 19 de Setembro de 2013, 07:27:12
No caso de orgulho de ser brasileiro ou de outra nacionalidade tem a ver com orgulho social e dos antepassados.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Fabrício em 19 de Setembro de 2013, 07:45:14
No caso de orgulho de ser brasileiro ou de outra nacionalidade tem a ver com orgulho social e dos antepassados.

Pode até ser, mas é um orgulho bem besta. Meus antepassados fizeram grandes coisas, então só porque eu sou da mesma nacionalidade automaticamente devo me sentir orgulhoso de mim mesmo, sendo que não fiz merda nenhuma  :hihi:.

Mas entendo que é assim que o mundo funciona, e até vejo fundamento no orgulho (ou vergonha) de ser de uma determinada nacionalidade. Só não entendo como tem gente tão preocupada com isso a ponto de ficar pregando ódio na Internet, se achando a última bolacha do pacote só por ser branco (ou negro, ou heterossexual, ou homossexual, etc)
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Lion em 19 de Setembro de 2013, 09:12:37
Na opinião de vocês esse lance de racismo é algo exclusivamente cultural ou tem algum mecanismo biológico atuando na pessoa e dizendo para ela acabar com o diferente, vendo nele um inimigo?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: _Juca_ em 19 de Setembro de 2013, 09:41:40
Por que alguém tem orgulho de ser branco, negro, amarelo, cor de abóbora, roxo, etc? Por que se orgulhar de uma característica inata?

Até entendo que alguém se orgulhe de algo que conquistou com esforço, dedicação, trabalho. Mas acho uma tremenda bobagem se orgulhar de coisas como ser branco, ser brasileiro (ou de outro nacionalidade qualquer) ser alto, ser baixo, etc.

No caso do negro, tem haver com a dominação histórica dos brancos sobre os negros, primeiramente através da escravidão, e posteriormente com a dominação econômica-social. "Orgulho de ser negro", é marcar uma posição numa sociedade que sempre discriminou o negro, é uma afirmação positiva. Pode até descambar para algum tipo de preconceito mesmo, mas não é isso que se subentende quando se houve essa frase. Ao contrário do "orgulho de se branco", que devido ao descaso histórico dos brancos europeus com todas as outras etnias mundo afora, que culminou no Nazismo-facismo, é subentendido como claramente uma afirmação de superioridade e tentativa de dominação sobre outros que não sejam iguais.

Quanto ao orgulho de nacionalidade eu acho mais complicado analisar porque ao mesmo tempo que pode conter uma linha de sentimento pelo que é bom no seu país e de unidade nacional, também pode haver sentimentos de xenofobia envolvidos.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Fabrício em 19 de Setembro de 2013, 10:08:29
Por que alguém tem orgulho de ser branco, negro, amarelo, cor de abóbora, roxo, etc? Por que se orgulhar de uma característica inata?

Até entendo que alguém se orgulhe de algo que conquistou com esforço, dedicação, trabalho. Mas acho uma tremenda bobagem se orgulhar de coisas como ser branco, ser brasileiro (ou de outro nacionalidade qualquer) ser alto, ser baixo, etc.

No caso do negro, tem haver com a dominação histórica dos brancos sobre os negros, primeiramente através da escravidão, e posteriormente com a dominação econômica-social. "Orgulho de ser negro", é marcar uma posição numa sociedade que sempre discriminou o negro, é uma afirmação positiva. Pode até descambar para algum tipo de preconceito mesmo, mas não é isso que se subentende quando se houve essa frase. Ao contrário do "orgulho de se branco", que devido ao descaso histórico dos brancos europeus com todas as outras etnias mundo afora, que culminou no Nazismo-facismo, é subentendido como claramente uma afirmação de superioridade e tentativa de dominação sobre outros que não sejam iguais.

Quanto ao orgulho de nacionalidade eu acho mais complicado analisar porque ao mesmo tempo que pode conter uma linha de sentimento pelo que é bom no seu país e de unidade nacional, também pode haver sentimentos de xenofobia envolvidos.

É bem por aí mesmo, na verdade o orgulho de pertencer a uma "minoria" discriminada (negros, homossexuais, e outras) me parece muito mais uma forma de auto-afirmação e defesa daquela minoria. Talvez a humanidade chegue no futuro a um ponto em que todos estes "orgulhos" sejam desnecessários (não custa nada sonhar  :hihi:).
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Dr. Manhattan em 19 de Setembro de 2013, 10:17:17
Esse stormfront é um site racista, pura e simplesmente.

O problema é essa apropriação da palavra "orgulho". O mais correto, embora não seja eufônico, seria dizer: "não ter vergonha de ser ____". Como o Juca falou, "orgulho negro", "orgulho gay", etc. surgiram como uma reação à uma atitude de menosprezo a esses grupos. Que eu saiba, não costuma haver menosprezo a pessoas por serem brancas*, por isso não há motivo para se sair por aí declarando que não se tem vergonha de ser branco - ou que se tem orgulho de ser branco. A pessoa que faz isso provavelmente vive sob a ilusão de que sua "identidade racial", seja lá o que isso signifique, está ameaçada por outras "raças". Isso é uma atitude típica de um racista convicto.

Meio off-topic: o curioso é que na Inglaterra muita gente tem preconceito... contra ruivos. Bizarro, como qualquer tipo de preconceito racial. Lembro de ter lido uns anos atrás no The Guardian sobre uma família de ruivos que teve de se mudar de cidade, por causa do assédio que sofriam. Humanos às vezes são uns bostas mesmo...


*Sei lá, exceto quem sabe em times de basquete da NBA. :lol:
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Diegojaf em 19 de Setembro de 2013, 11:41:01
Citar
O Facebook, empresa pública S/A de capital negociado na Bolsa de valores Nasdaq (NYSE) é de propriedade de um dos mais famosos judeus do mundo contemporâneo, Mark Zukerberg, que além de casar com uma asiática quer destruir a raça branca nos EUA, com seu programa de imigração em massa de africanos para o Noroeste dos EUA, Vale do Silício (Silicon Valley) sob o falso pretesto de estar trazendo "mão de obra barata e qualificada de países do terceiro mundo" AKA negros, indianos e muçulmanos.

:histeria:

Cacete, quanta idiotice.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 19 de Setembro de 2013, 11:42:15
Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?

Praticamente desde o momento inicial. Se de alguma forma consegue existir sem ser racista (o que é difícil, por definição), é só idiotice. Meio como "orgulho umbigo," "orgulho cinco dedos," etc.





O mais correto, embora não seja eufônico, seria dizer: "não ter vergonha de ser ____". Como o Juca falou, "orgulho negro", "orgulho gay", etc. surgiram como uma reação à uma atitude de menosprezo a esses grupos. Que eu saiba, não costuma haver menosprezo a pessoas por serem brancas*

Eu tenho a impressão de que isso é bem menos incomum do que seria ideal. Parece haver o mesmo senso de superioridade, muitas vezes. Inclusive existem os que se enquadram mesmo em "supremacistas", embora talvez na maior parte do tempo se rotulem apenas como afrocentristas (não sendo todos "afrocentristas", supremacistas; é um termo abrangente).





No caso de orgulho de ser brasileiro ou de outra nacionalidade tem a ver com orgulho social e dos antepassados.

O que já é meio questionável de qualquer forma. É muito mais lógico ter admiração pelo quer que haja de admirável em qualquer povo ou cultura, sem achar que, por ter alguma conexão, bem ínfima, se é "racial", de alguma forma te faz compartilhar os créditos.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Lion em 19 de Setembro de 2013, 13:19:24
Citar
O Facebook, empresa pública S/A de capital negociado na Bolsa de valores Nasdaq (NYSE) é de propriedade de um dos mais famosos judeus do mundo contemporâneo, Mark Zukerberg, que além de casar com uma asiática quer destruir a raça branca nos EUA, com seu programa de imigração em massa de africanos para o Noroeste dos EUA, Vale do Silício (Silicon Valley) sob o falso pretesto de estar trazendo "mão de obra barata e qualificada de países do terceiro mundo" AKA negros, indianos e muçulmanos.

:histeria:

Cacete, quanta idiotice.

Alguns anos atrás baixei um fanzine chamado "O Martelo" em um link deste site.  Achei muito engraçado um "churrasco racialista" que estava sendo anunciado no mesmo. Fiquei pensando se o churrasco seria feito apenas com gado nelore.  :lol:
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gabarito em 19 de Setembro de 2013, 16:35:35
Seja qual orgulho for, está sempre confirmando uma necessidade de afirmação de quem o proclama.
Estou muito em sintonia com as ideias de Fabrício. Todo orgulho é besta.

Orgulho está apitando no ouvido do interlocutor "Eu sou feliz, e não me interessa se você é", ou algo como "Eu estou por cima com as condições que possuo", ou ainda "Vejam como estou bem e calem-se para sempre".

Mesmo o que se alega a respeito de social e antepassados, ou dominação sobre cor de pele e que agora esta parcela da população que sofreu discriminação se afirma e marca território com o Orgulho Negro, ou o Orgulho Gay, tudo isso ainda é uma forma de agressão, como uma reação à agressão anteriormente sofrida.

Quem é de fato feliz, não precisa propagar orgulho, não sente necessidade de arrotar "tenho orgulho disso", "tenho orgulho daquilo". Não tem essa vontade.
Mas tem essa vontade, e passa a ser enorme vontade, aquele que ainda não está com o fiel de sua balança em zero, aquele que ainda não é plenamente feliz, aquele que ainda está incompleto na sua bem aventurança e quer, de algum modo, propalar esse inconformismo.

Mesmo aquele orgulho de pai, cujo filho passou no vestibular, tira boas notas, é bem encaminhado e com bons valores, mesmo esse orgulho é indevido. Aliás, a nossa sociedade trata desse sentimento orgulho como virtude. Não é.

Orgulho é indicação de superioridade, mesmo velada. Não devemos nos sentir superiores a ninguém. O que eu tenho de melhor sobre meu semelhante, ele tem outras coisas melhores que eu.

Lembra-me aquela fábula onde o acadêmico atravessa o rio num barquinho conduzido por um caipira. Ao que vai declamando, ao longo da travessia, os conhecimentos adquiridos no seminário, na universidade. "- Conhece lógica?. Não? Pois perdeu 1/5 da sua vida". "- Sabe de filosofia? Não? Pois perdeu 1/3 da sua existência". Quando ocorre uma onda maior e o barquinho vira, o caipira pergunta: "- Sabe nadar? Não? Pois vai perder a vida inteira".

Não há virtude em se achar melhor que outra pessoa. Não há bons valores em subir em pedestal por isso ou por aquilo, se achando superior, olhando de cima, delirando com uma suposta superioridade e enxergando Narciso no espelho das comparações com os semelhantes.

Orgulho não é virtude. Pena que nossa cultura não enxergue verdade tão cristalina e estimule a propagação desse mal.
Virtude é a humildade, a que nunca agride, a que nunca fere, coisa que não ocorre com o orgulho, seja ele até mesmo de reação a agressões sofridas.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Barata Tenno em 19 de Setembro de 2013, 16:46:24
No caso de negros e homossexuais, eles não usam a palavra orgulho para se achar melhor que alguém, eles usam para afirmar que são iguais a todos e não piores como foram tratatos por séculos. Tem que se levar em conta o contexto em que a palavra orgulho esta sendo usada e não apenas o significado literal da mesma.

Seria como ouvir a vida inteira que "voce é um bosta, voce é lixo, voce é inferior, voce não vale nada" e  derepente querer gritar: "Não, eu tenho valor, eu sou um ser humano normal, eu não preciso ter vergonha de quem eu sou, eu tenho 'orgulho' de ser quem eu sou." A quem isso agride? Como uma afirmação de valor de um ser que sempre foi inferiorizado pode ser agressiva? Só se sente agredido nesse caso quem continua com o pensamento de superioridade. Um hétero não se afronta com a parada gay e exige uma parada hétero a menos que se incomode com gays, a menos que seja homofóbico.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gaúcho em 19 de Setembro de 2013, 17:44:49
Sei lá, quando eu vejo alguém falando em orgulho negro, eu sinto como se a pessoa estivesse sendo racista consigo mesma. Sempre me soa como "tenho orgulho de quem sou, mesmo sendo negro!".

Velho, somos todos pessoas. Fim. Cor da pele faz tanta diferença entre as pessoas quanto a cor de cabelo, se é destro ou canhoto, cor dos olhos...

Pra mim, atualmente, orgulho negro faz tanto sentido quanto orgulho cabelo crespo. Dizer ter orgulho de ser negro só faria sentido na época em que as pessoas acreditavam, literalmente, que pessoas negras eram inferiores a pessoas de pele clara.

Hoje em dia, fazer essa declaração de orgulho, só me faz pensar que a pessoa tem um complexo de inferioridade infundado baseado na concentração de melanina em sua pele.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 19 de Setembro de 2013, 18:00:24
[...]
Hoje em dia, fazer essa declaração de orgulho, só me faz pensar que a pessoa tem um complexo de inferioridade infundado baseado na concentração de melanina em sua pele.

Você está desconsiderando a hipótese de que as pessoas que proclamam o seu 'orgulho' fazem isto de maneira planejada, talvez já visando alguma vantagem privada.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 19 de Setembro de 2013, 18:06:28
As pessoas (não só negros, mas qualquer um sob alguma condição de estereótipo, como mulheres, em várias situações onde seriam estereotipicamente menos qualificadas) muito comumente têm um pouco de complexo de inferioridade.

http://en.wikipedia.org/wiki/Stereotype_threat
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Barata Tenno em 19 de Setembro de 2013, 18:39:22
Sei lá, quando eu vejo alguém falando em orgulho negro, eu sinto como se a pessoa estivesse sendo racista consigo mesma. Sempre me soa como "tenho orgulho de quem sou, mesmo sendo negro!".

Velho, somos todos pessoas. Fim. Cor da pele faz tanta diferença entre as pessoas quanto a cor de cabelo, se é destro ou canhoto, cor dos olhos...

Pra mim, atualmente, orgulho negro faz tanto sentido quanto orgulho cabelo crespo. Dizer ter orgulho de ser negro só faria sentido na época em que as pessoas acreditavam, literalmente, que pessoas negras eram inferiores a pessoas de pele clara.

Hoje em dia, fazer essa declaração de orgulho, só me faz pensar que a pessoa tem um complexo de inferioridade infundado baseado na concentração de melanina em sua pele.

O racismo acabou e ninguém me avisa?

Voce achar que " somos todos pessoas. Fim." é lindo, mas o racismo continua aí, a discriminação, a inferiorização, continuam presentes. Não faz nem um mes uma jornalista disse que as médicas cubanas tinham cara de empregada, que nem deveriam ser médicas.... Porque será que ela fez essa comparação?

Não é porque voce não ve e não sente o racismo que ele acabou, que ações afirmativas perderam seu propósito.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Barata Tenno em 19 de Setembro de 2013, 18:40:00
[...]
Hoje em dia, fazer essa declaração de orgulho, só me faz pensar que a pessoa tem um complexo de inferioridade infundado baseado na concentração de melanina em sua pele.

Você está desconsiderando a hipótese de que as pessoas que proclamam o seu 'orgulho' fazem isto de maneira planejada, talvez já visando alguma vantagem privada.


Que vantagem uma camiseta vai trazer? E quão leviana é essa acusação?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 19 de Setembro de 2013, 18:43:15
Acho que ele está pensando em grupos que exigem direitos/privilégios, por haver alguma sobreposição entre eles e essas manifestações de orgulho.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Barata Tenno em 19 de Setembro de 2013, 18:46:02
Acho que ele está pensando em grupos que exigem direitos/privilégios, por haver alguma sobreposição entre eles e essas manifestações de orgulho.



Isso é tão sem sentido quanto eu dizer que quando ele defende empresários e diz que eles contribuem com o país, ele esta "de maneira planejada, talvez já visando alguma vantagem privada."
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gaúcho em 19 de Setembro de 2013, 21:39:50
Sei lá, quando eu vejo alguém falando em orgulho negro, eu sinto como se a pessoa estivesse sendo racista consigo mesma. Sempre me soa como "tenho orgulho de quem sou, mesmo sendo negro!".

Velho, somos todos pessoas. Fim. Cor da pele faz tanta diferença entre as pessoas quanto a cor de cabelo, se é destro ou canhoto, cor dos olhos...

Pra mim, atualmente, orgulho negro faz tanto sentido quanto orgulho cabelo crespo. Dizer ter orgulho de ser negro só faria sentido na época em que as pessoas acreditavam, literalmente, que pessoas negras eram inferiores a pessoas de pele clara.

Hoje em dia, fazer essa declaração de orgulho, só me faz pensar que a pessoa tem um complexo de inferioridade infundado baseado na concentração de melanina em sua pele.

O racismo acabou e ninguém me avisa?

Voce achar que " somos todos pessoas. Fim." é lindo, mas o racismo continua aí, a discriminação, a inferiorização, continuam presentes. Não faz nem um mes uma jornalista disse que as médicas cubanas tinham cara de empregada, que nem deveriam ser médicas.... Porque será que ela fez essa comparação?

Não é porque voce não ve e não sente o racismo que ele acabou, que ações afirmativas perderam seu propósito.

Grande parcela da população mundial ainda acham que negros são seres inferiores e ninguém me avisa?

Por favor, né. Racismo era o que acontecia entre os séculos XVI até mais da metade do século XX, em especial nos EUA, com suas leis segregacionistas. Hoje o racismo não é mais tolerado, é visto com repúdio por quase todo mundo.

Idiotas para discriminar e inferiorizar sempre existirão, e a cor de pele não é o alvo exclusivo. Tem idiota que discrimina nordestino, idiota que discrimina índio, idiota que discrimina homossexual, idiota que discrimina gente pobre, etc.

E aí? Só porque existe uma minoria discriminatória, deixa de ser idiota expressões como "Orgulho Nordestino" ou usar uma camisa escrito "100% Pobre"?

EDIT: Alias,

(http://ricardobraida.files.wordpress.com/2008/01/vocevotaria2.jpg?w=497)

Bora fazer nossas camisas de "100% Ateu" e discutir sobre o orgulho ateísta?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Diegojaf em 19 de Setembro de 2013, 21:41:54
Minoria discriminatória? :hein:

É... falou.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gaúcho em 19 de Setembro de 2013, 21:49:30
Bom, conversem com os fatos.

Citar
Uma pesquisa feita pelo Instituto Gallup em 1999 comprova que 95% dos estadunidenses votaria em uma mulher para presidente, 92% votaria em um judeu ou negro, 79% em um homossexual mas apenas 49% votaria em um ateu.1 A revista Newsweek estima uma porcentagem ainda menor: 37%2 Uma pesquisa de 2007 encomendada pela CNT/Sensus revela que 84% dos brasileiros votariam em um negro para Presidente da República, 57% em uma mulher, 32% em um homossexual mas apenas 13% votaria em um ateu.

Sempre existe a possibilidade de eu ser ruim de matemática ou de vocês morarem na Alabama do século XVIII.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Barata Tenno em 19 de Setembro de 2013, 22:21:11
Legal, vamos discutir racismo nos EUA.

Vamos aos números:

Apesar de os usuários de maconha serem maioria (uma pequena vantagem sobre negros), negros vão preso por posse de maconha numa proporção de 8:1, ou seja brancos fumam mais, negros vão presos 8 vezes mais!!! Mas hey, isso não é racismo.

http://www.washingtonpost.com/blogs/wonkblog/wp/2013/06/04/the-blackwhite-marijuana-arrest-gap-in-nine-charts/

Video de dois jovens da mesma idade, um negro e um branco, mesma idade, vestidos da mesma maneira, roubando uma bicicleta. Adivinhem quem foi denunciado para a polícia? Racismo? Imagina....


Video de jovens depredando um carro, um grupo branco e outro negro. Adivinhem quem foi denunciado? Racismo? Acabou no século passado


Estudo sobre a diferença de tratamento no sistema judiciário americano entre negros e brancos, como negros são condenados 5 vezes mais pelos mesmos crimes cometidos por brancos, nas mesmas situações.

https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=22&ved=0CDcQFjABOBQ&url=http%3A%2F%2Fdigitalcommons.calpoly.edu%2Fcgi%2Fviewcontent.cgi%3Farticle%3D1080%26context%3Dsocssp&ei=5587Uq2DB4WG9QTvqIA4&usg=AFQjCNEqSpkB745qoqITa8fji7XiAsWhHg&sig2=nqVc9A4nZW8DE0zmnObclA&cad=rja

Negros são 13% dos usuários de drogas, mas são 38% dos presos e 59% dos condenados por uso de drogas.


Negros são vítimas de 80% das agressões policiais registradas nos EUA

Um estudo de uma universidade mostra que até em vendas online, onde aparece a foto do vendedor, negros recebem quase 30% menos ofertas que vendedores brancos no mesmo produto, com o mesmo preço.



Interessante é que são sempre brancos que dizem que o racismo acabou.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Diegojaf em 19 de Setembro de 2013, 22:28:02
Interessante é que são sempre brancos que dizem que o racismo acabou.

Normal.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Dr. Manhattan em 19 de Setembro de 2013, 22:42:15
Interessante é que são sempre brancos que dizem que o racismo acabou.

Normal.

Uma coisa é acabar com racismo institucionalizado. Outra, mais difícil, é acabar com o racismo arraigado no dia-a-dia. E que fica mais difícil quando se acredita que ele não existe.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 19 de Setembro de 2013, 22:51:38
[...]
Hoje em dia, fazer essa declaração de orgulho, só me faz pensar que a pessoa tem um complexo de inferioridade infundado baseado na concentração de melanina em sua pele.
Você está desconsiderando a hipótese de que as pessoas que proclamam o seu 'orgulho' fazem isto de maneira planejada, talvez já visando alguma vantagem privada.
Que vantagem uma camiseta vai trazer?

Camiseta?

Onde foi que eu escrevi sobre camiseta?


E quão leviana é essa acusação?

É tão leviana quanto constatar o fato de que por uma simples declaração é possível desfrutar de privilégios. Com a palavra, um especialista:

Citação de: Max Kolbe
[...]
Não obstante, nos termos do art. 4º, da Lei 14.147/2012, do Estado do Rio Grande do Sul, considerar-se-ão negros e pardos aqueles que assim se declararem expressamente. Resumindo: basta declarar ser pardo ou negro para fazer jus aos benefícios da lei de cotas em concursos públicos.

Fonte (http://concursos.correioweb.com.br/htmls2/consultoria_internafaq/id_pergunta=6500/consultoria_internafaq.shtml)

O trecho que eu errei foi não deixar claro que a minha afirmação não era válida para todas as pessoas em tela.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pasteur em 19 de Setembro de 2013, 22:54:14
Bom post, verdade Barata, mas este quadro triste está lentamente melhorando porque há alguns anos ninguém imaginaria que um presidente negro seria eleito.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Barata Tenno em 19 de Setembro de 2013, 22:59:14
[...]
Hoje em dia, fazer essa declaração de orgulho, só me faz pensar que a pessoa tem um complexo de inferioridade infundado baseado na concentração de melanina em sua pele.
Você está desconsiderando a hipótese de que as pessoas que proclamam o seu 'orgulho' fazem isto de maneira planejada, talvez já visando alguma vantagem privada.
Que vantagem uma camiseta vai trazer?

Camiseta?

Onde foi que eu escrevi sobre camiseta?


Adivinha sobre o que era o post que voce citou?



E quão leviana é essa acusação?

É tão leviana quanto constatar o fato de que por uma simples declaração é possível desfrutar de privilégios. Com a palavra, um especialista:

Citação de: Max Kolbe
[...]
Não obstante, nos termos do art. 4º, da Lei 14.147/2012, do Estado do Rio Grande do Sul, considerar-se-ão negros e pardos aqueles que assim se declararem expressamente. Resumindo: basta declarar ser pardo ou negro para fazer jus aos benefícios da lei de cotas em concursos públicos.

Fonte (http://concursos.correioweb.com.br/htmls2/consultoria_internafaq/id_pergunta=6500/consultoria_internafaq.shtml)

O trecho que eu errei foi não deixar claro que a minha afirmação não era válida para todas as pessoas em tela.


Coloquei em negrito a parte da sua afirmação que da a entender que quem diz que tem orgulho de sua raça quer automaticamente um privilégio. Isso é uma acusação leviana, do mesmo tipo de quem acusa todos os empresários de serem desonestos, e que voce ficou bem irritadinho quando foi dito.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 19 de Setembro de 2013, 23:11:57
[...]
Hoje em dia, fazer essa declaração de orgulho, só me faz pensar que a pessoa tem um complexo de inferioridade infundado baseado na concentração de melanina em sua pele.
Você está desconsiderando a hipótese de que as pessoas que proclamam o seu 'orgulho' fazem isto de maneira planejada, talvez já visando alguma vantagem privada.
Que vantagem uma camiseta vai trazer?
Camiseta?

Onde foi que eu escrevi sobre camiseta?
Adivinha sobre o que era o post que voce citou?

Eu não o citei. Apenas fiz um comentário acessório, ao que o Gaúcho tinha escrito.


E quão leviana é essa acusação?
É tão leviana quanto constatar o fato de que por uma simples declaração é possível desfrutar de privilégios. Com a palavra, um especialista:

Citação de: Max Kolbe
[...]
Não obstante, nos termos do art. 4º, da Lei 14.147/2012, do Estado do Rio Grande do Sul, considerar-se-ão negros e pardos aqueles que assim se declararem expressamente. Resumindo: basta declarar ser pardo ou negro para fazer jus aos benefícios da lei de cotas em concursos públicos.

Fonte (http://concursos.correioweb.com.br/htmls2/consultoria_internafaq/id_pergunta=6500/consultoria_internafaq.shtml)

O trecho que eu errei foi não deixar claro que a minha afirmação não era válida para todas as pessoas em tela.
Coloquei em negrito a parte da sua afirmação que da a entender que quem diz que tem orgulho de sua raça quer automaticamente um privilégio. Isso é uma acusação leviana, do mesmo tipo de quem acusa todos os empresários de serem desonestos, e que voce ficou bem irritadinho quando foi dito.

Já fiz o meu mea culpa.

[...]
O trecho que eu errei foi não deixar claro que a minha afirmação não era válida para todas as pessoas em tela.

Você não percebeu?

Ou apenas está se esforçando para parecer um patrulheiro moral?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Barata Tenno em 19 de Setembro de 2013, 23:23:13
Guess what, o Gaucho também estava falando sobre uma camiseta. Voce entrou no meio de um assunto sobre camisetas e não estava falando sobre camisetas..... Joinha.

E o mais legal é que brancos se doem por causa das cotas e chamam de privilégios, mas esquecem que o simples fato de se nascer branco ja te da o privilégio de não ser discriminado pela sua cor, não precisa se preocupar em ver um documento oficial discriminando os negros e pardos. Mas hey, negros tem privilégios.


http://abordagempolicial.com/2013/01/pm-determina-que-policiais-abordem-individuos-de-cor-parda-e-negra/
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 19 de Setembro de 2013, 23:34:58
Guess what, o Gaucho também estava falando sobre uma camiseta. Voce entrou no meio de um assunto sobre camisetas e não estava falando sobre camisetas..... Joinha.

Vou repetir:

O meu comentário foi genérico (não foquei sobre camisetas) e o meu erro na generalização já foi declarado.

Você precisa de mais alguma coisa ou ainda vai insistir na sua patrulha?


E o mais legal é que brancos se doem por causa das cotas e chamam de privilégios, mas esquecem que o simples fato de se nascer branco ja te da o privilégio de não ser discriminado pela sua cor, não precisa se preocupar em ver um documento oficial discriminando os negros e pardos. Mas hey, negros tem privilégios.

http://abordagempolicial.com/2013/01/pm-determina-que-policiais-abordem-individuos-de-cor-parda-e-negra/

O fato inegável dos negros terem sido prejudicados ao longo da história não deveria justificar políticas públicas que prejudicam, por exemplo, o acesso de pessoas pobres (sejam 'brancas', 'amarelas', 'vermelhas', 'verdes', etc) a um curso superior em escolas públicas por causa da cor (declarada, em alguns casos) de sua pele.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Barata Tenno em 19 de Setembro de 2013, 23:39:35
Guess what, o Gaucho também estava falando sobre uma camiseta. Voce entrou no meio de um assunto sobre camisetas e não estava falando sobre camisetas..... Joinha.

Vou repetir:

O meu comentário foi genérico (não foquei sobre camisetas) e o meu erro na generalização já foi declarado.

Você precisa de mais alguma coisa ou ainda vai insistir na sua patrulha?


E o mais legal é que brancos se doem por causa das cotas e chamam de privilégios, mas esquecem que o simples fato de se nascer branco ja te da o privilégio de não ser discriminado pela sua cor, não precisa se preocupar em ver um documento oficial discriminando os negros e pardos. Mas hey, negros tem privilégios.

http://abordagempolicial.com/2013/01/pm-determina-que-policiais-abordem-individuos-de-cor-parda-e-negra/

O fato inegável dos negros terem sido prejudicados ao longo da história não deveria justificar políticas públicas que prejudicam, por exemplo, o acesso de pessoas pobres (sejam 'brancas', 'amarelas', 'vermelhas', 'verdes', etc) a um curso superior em escolas públicas por causa da cor (declarada, em alguns casos) de sua pele.

Negros ainda são prejudicados, como disse e repito, o racismo ainda não acabou, como alguns brancois insistem em acreditar, acabei de postar um documento mostrando que a PM é racista. E pobres de outras "raças" tem suas cotas também,  diferentes das dos negros, logo, não são prejudicados. Esse argumento não cola. Só quem perde é a classe média alta e alta, que estudaram em colégios particulares.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: _Juca_ em 20 de Setembro de 2013, 10:05:49
Interessante é que são sempre brancos que dizem que o racismo acabou.

Normal.

Triste. :(
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 20 de Setembro de 2013, 17:39:46
Essa pergunta que dá título ao tópico soa um pouco como "quando dar uma boa surra nos filhos, vira abuso?"

Talvez seria melhor perguntar pela exceção, "quando 'orgulho racial' não é racismo?"





Video de dois jovens da mesma idade, um negro e um branco, mesma idade, vestidos da mesma maneira, roubando uma bicicleta. Adivinhem quem foi denunciado para a polícia? Racismo? Imagina....


No vídeo completo, também colocam uma garota branca, de uns 16-20 anos, roubando a bicicleta. Todo mundo pára para ajudar. :biglol:

http://www.youtube.com/v/ge7i60GuNRg

Acho que deveriam ter tido o cuidado de usar inclusive roupas das mesmas cores. Não acho que deva ter um efeito tão grande quanto a cor da pele, mas tem uns resultados bem curiosos quanto aos efeitos psicológicos de vermelho e azul. Coisas como juízes de caratê/judô avaliando os lutadores de vermelho como vencedores/ganhando mais pontos, mesmo quando antes eles eram lutadores de azul, com as cores alteradas digitalmente.


(Morro de rir vendo o último senhor tentando impedir o garoto negro, nessa versão que postei. O garoto fala, "mas essa bicicleta está aqui há um tempão, ninguém veio buscar", e o senhor responde, "mas isso não faz dela sua propriedade", "bem, tecnicamente, faz sim", "NÃO, NÃO FAZ, TECNICAMENTE!!!!11!!111" :biglol: Ele também foi bem corajoso em tomar as ferramentas dele.)
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Dr. Manhattan em 20 de Setembro de 2013, 17:59:06
O racismo ainda é prevalente e se manifesta até de formas bizarras: conheço uma senhora (casa dos 60) que é separada e tem um namorado. Ele é negro. Ela é racista (!) Daí que ela esconde o namorado da sua própria família. Eu já a vi tentando impedir sua neta de brincar com uma boneca negra, no entando...

Citação de: Geotecton
O fato inegável dos negros terem sido prejudicados ao longo da história não deveria justificar políticas públicas que prejudicam, por exemplo, o acesso de pessoas pobres (sejam 'brancas', 'amarelas', 'vermelhas', 'verdes', etc) a um curso superior em escolas públicas por causa da cor (declarada, em alguns casos) de sua pele.

Concordo. Acho as cotas raciais uma solução ruim e simplista para um problema complicado. Cotas sociais seriam mais justas.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 20 de Setembro de 2013, 18:20:48
Interessante é que são sempre brancos que dizem que o racismo acabou.

Normal.

Não é bem assim, muitos dizem que o racismo contra negros, judeus, árabes, e asiáticos acabou. Ou é insignificante e deve ser só ignorado. "Não seja fresco". O racismo contra os brancos, não. E "esse sim, é sério."
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Temma em 20 de Setembro de 2013, 18:50:05
Bom mesmo era até a década de noventa, quando todo mundo poderia discutir sobre racismo contemporâneo sem que sentissem estar endossando políticas afirmativas. Agora só mesmo negando-o.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Barata Tenno em 12 de Novembro de 2013, 14:52:06
http://www.youtube.com/v/-pv8mCHbOrs


http://www.youtube.com/v/neEVoFODQOE
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Novembro de 2013, 15:11:15
Vi há algum tempo umas críticas que me pareceram bastante razoáveis/sérias a esse "experimento" e coisas nessa linha. Mas não lembro de nada.

Acho que talvez tenha a ver com simplesmente não funcionar, ou as suas tentativas de replicação como "curso", que podem até ter efeito contrário, se não me engano. Ao menos é o que acontece com alguns programas que tentam fazer as pessoas serem menos discriminatórias, por raça ou sexo.


Na wikipedia tem alguma coisa, mas acho que não foi de lá que vi, me lembro de ser algo mais enfático nos possíveis problemas.

Citar
[...] Academic research into Elliott’s exercise is inconclusive about whether it reduces long-term prejudice or if the possible psychological harm outweighs the potential benefits. She has been accused of scaring people, breaking the school rules, humiliating children, being domineering, angry and brainwashing. Two professors of education in England, Ivor F. Goodson and Pat Sikes, claim that what Elliott did was unethical, calling the exercise psychologically and emotionally damaging. They also stated ethical concerns connected to the fact that the children were not told of the purpose of the exercise beforehand.[1] Long term results of the diversity training for adults are also unknown. One program evaluation in the Journal of Applied Social Psychology showed that White students got significantly more positive attitudes toward Asian American and Latino/Latina individuals, but only marginally more positive attitudes toward African American individuals.[14] In some courses, participants can feel frustrated about "their inability to change" and instead begin to feel anger against the very groups they are supposed to be more sensitive to. It can also lead to anxiety because people become hyper-sensitive about being offensive or being offended.[6][14] [...]

http://en.wikipedia.org/wiki/Jane_Elliott#Criticism_of_Elliott-inspired_diversity_training


Outro "treinamento de diversidade" que já vi ser descrito essencialmente consistia em reafirmar os estereótipos racistas, mas dizer que se deve ser tolerante a essas diferenças. Os "europeus são impessoais, materialistas, querem sucesso material; já os negros e latinos, são sociais, para eles o mais importante é o convívio social, e não a escalada ao topo; os asiáticos são zen [...]. Então, quando um negro ou um latino se atrasar, não se estresse, é assim que eles são; e se o seu chefe branco te parecer muito exigente, lembre-se também que é assim que eles são, não leve para o lado pessoal. [...]"
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: EuSouOqueSou em 14 de Novembro de 2013, 01:20:02
Orgulho de ser branco = orgulho de ser deficiente em produzir melanina, tornando-se mais propenso a desenvolver um cancer de pele. :)
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: caerus em 14 de Novembro de 2013, 01:54:16
Orgulho de ser branco = orgulho de ser deficiente em produzir melanina, tornando-se mais propenso a desenvolver um cancer de pele. :)

Isso, clamar a superioridade de sua raça é mesmo o melhor jeito de acabar com o racismo.  :ok:
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Barata Tenno em 28 de Novembro de 2013, 01:24:56
http://mais.uol.com.br/view/14759414
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 28 de Novembro de 2013, 17:37:37
Orgulho de ser branco = orgulho de ser deficiente em produzir melanina, tornando-se mais propenso a desenvolver um cancer de pele. :)

Isso, clamar a superioridade de sua raça é mesmo o melhor jeito de acabar com o racismo.  :ok:

 :hein:
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Dr. Manhattan em 28 de Novembro de 2013, 17:58:02
Só uma perspectiva: sempre acho um tanto esquisitas essas discussões sobre o racismo contra negros no Brasil. Não porque não ache que exista. O racismo ainda é muito presente sim, aqui no Brasil. Acho estranho porque moro em um lugar (CE) onde quase todo mundo é visivelmente de raça mista, principalmente caboclos, e um pouco de mulatos. Não se vê muitos negros por aqui, devido à nossa história de colonização, nem tampouco brancos de olhos azuis.* Por isso falar de cotas raciais para negros, consciência negra ou orgulho negro, soa para mim (exagerando um pouco, claro) como soaria para alguns cotas raciais para ruivos, consciência ruiva ou orgulho ruivo.

A moral é que o Brasil é mais heterogêneo do que muitos querem lembrar.


*Mas o racismo ainda assim mostra sua cara. O que chega a ser bizarro, dada a composição étnica da população.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: AlienígenA em 28 de Novembro de 2013, 18:05:53
Orgulho de ser branco = orgulho de ser deficiente em produzir melanina, tornando-se mais propenso a desenvolver um cancer de pele. :)

Isso, clamar a superioridade de sua raça é mesmo o melhor jeito de acabar com o racismo.  :ok:

 :hein:

Suponho que ele deduziu que o Enjolras é um eficiente produtor de melanina, que se acha superior por causa disso.  :?

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 28 de Novembro de 2013, 18:22:30
Orgulho de ser branco = orgulho de ser deficiente em produzir melanina, tornando-se mais propenso a desenvolver um cancer de pele. :)
Isso, clamar a superioridade de sua raça é mesmo o melhor jeito de acabar com o racismo.  :ok:
:hein:
Suponho que ele deduziu que o Enjolras é um eficiente produtor de melanina, que se acha superior por causa disso.  :?

Está claro que o Enjolras foi irônico com a "raça branca" ao afirmar que esta pode se orgulhar da ausência de melanina mas ao mesmo tempo é a que é mais propensa a desenvolver câncer de pele.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 28 de Novembro de 2013, 18:38:47
E o orgulho negro deve ser orgulho de hiper-produção de melanina que torna a pessoa mais propensa a deficiência de vitamina D, respectivamente.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: AlienígenA em 28 de Novembro de 2013, 19:10:02
Orgulho de ser branco = orgulho de ser deficiente em produzir melanina, tornando-se mais propenso a desenvolver um cancer de pele. :)
Isso, clamar a superioridade de sua raça é mesmo o melhor jeito de acabar com o racismo.  :ok:
:hein:
Suponho que ele deduziu que o Enjolras é um eficiente produtor de melanina, que se acha superior por causa disso.  :?

Está claro que o Enjolras foi irônico com a "raça branca" ao afirmar que esta pode se orgulhar da ausência de melanina mas ao mesmo tempo é a que é mais propensa a desenvolver câncer de pele.

Acho que não ficou claro que eu também estava.  :(  Isso me dá uma tristeza.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 28 de Novembro de 2013, 19:37:41
Orgulho de ser branco = orgulho de ser deficiente em produzir melanina, tornando-se mais propenso a desenvolver um cancer de pele. :)
Isso, clamar a superioridade de sua raça é mesmo o melhor jeito de acabar com o racismo.  :ok:
:hein:
Suponho que ele deduziu que o Enjolras é um eficiente produtor de melanina, que se acha superior por causa disso.  :?

Está claro que o Enjolras foi irônico com a "raça branca" ao afirmar que esta pode se orgulhar da ausência de melanina mas ao mesmo tempo é a que é mais propensa a desenvolver câncer de pele.

Acho que não ficou claro que eu também estava.  :(  Isso me dá uma tristeza.

Não se lamente. O problema está comigo.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 28 de Novembro de 2013, 20:00:30
Eu tinha feito a mesma suposição de Doubt, só que "de verdade". Mal consigo entender quem não entendeu o que.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: AlienígenA em 29 de Novembro de 2013, 00:05:33
Eu tinha feito a mesma suposição de Doubt, só que "de verdade". Mal consigo entender quem não entendeu o que.

O que eu supus de verdade é que o Caerus só podia estar sendo irônico, embora de forma que tenha me escapado à compreensão, porque o óbvio pareceu meio absurdo para ser verdade, mas depois do que você disse também já não sei.  :P
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Donatello em 30 de Novembro de 2013, 02:41:48
E o orgulho negro deve ser orgulho de hiper-produção de melanina que torna a pessoa mais propensa a deficiência de vitamina D, respectivamente.
Sorte a minha que sou chocolate e tenho o perfeito equilíbrio entre a capacidade de produção de vitamina D e a proteção contra raios UVB :eba: desde que viva em uma ambiente também intermediário quanto à incidência de raios solares e não em qualquer dos extremos para os quais os "brancos puros" e os "negros puros" são melhor adaptados.  :umm:
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 30 de Novembro de 2013, 14:02:41
O orgulho mestiço é de ter menores chances de compatibilidade se precisar de transplante de medula.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: EuSouOqueSou em 01 de Dezembro de 2013, 06:21:04
Orgulho de ser branco = orgulho de ser deficiente em produzir melanina, tornando-se mais propenso a desenvolver um cancer de pele. :)
Isso, clamar a superioridade de sua raça é mesmo o melhor jeito de acabar com o racismo.  :ok:
:hein:
Suponho que ele deduziu que o Enjolras é um eficiente produtor de melanina, que se acha superior por causa disso.  :?

Está claro que o Enjolras foi irônico com a "raça branca" ao afirmar que esta pode se orgulhar da ausência de melanina mas ao mesmo tempo é a que é mais propensa a desenvolver câncer de pele.

Exato. A minha intencao nao foi "clamar a superioridade de 'minha raca' ". Foi mais sarcasmo com o tal "orgulho branco" mesmo. Orgulho de que mesmo? De ser um "aleijado molecular" que nao produz melanina? :P

P.S.: Nao sou negro, nem branco, sou mestico de negro, indio e portugues.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: AlienígenA em 01 de Dezembro de 2013, 09:59:29
Orgulho de ser branco = orgulho de ser deficiente em produzir melanina, tornando-se mais propenso a desenvolver um cancer de pele. :)
Isso, clamar a superioridade de sua raça é mesmo o melhor jeito de acabar com o racismo.  :ok:
:hein:
Suponho que ele deduziu que o Enjolras é um eficiente produtor de melanina, que se acha superior por causa disso.  :?

Está claro que o Enjolras foi irônico com a "raça branca" ao afirmar que esta pode se orgulhar da ausência de melanina mas ao mesmo tempo é a que é mais propensa a desenvolver câncer de pele.

Exato. A minha intencao nao foi "clamar a superioridade de 'minha raca' ". Foi mais sarcasmo com o tal "orgulho branco" mesmo. Orgulho de que mesmo? De ser um "aleijado molecular" que nao produz melanina? :P

P.S.: Nao sou negro, nem branco, sou mestico de negro, indio e portugues.

Sua intenção ficou clara. A do Poe Caerus é que não.  :)
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 01 de Dezembro de 2013, 18:41:33

Exato. A minha intencao nao foi "clamar a superioridade de 'minha raca' ". Foi mais sarcasmo com o tal "orgulho branco" mesmo. Orgulho de que mesmo? De ser um "aleijado molecular" que nao produz melanina? :P

P.S.: Nao sou negro, nem branco, sou mestico de negro, indio e portugues.

O problema desse tipo de "refutação"/alfinetada é que, bem, simplesmente não é a melanina a questão. Mas sim que "homem branco" é praticamente sinônimo de "homem civilizado". O que crêem ser mais do que um acidente histórico, mas derivado da biologia -- e que a diferença de melanina teve um papel praticamente insignificante nisso, apesar de talvez ser possível mesmo argumentar ser o principal fator biológico, e o mais importante é geografia/história (Jared Diamond, David Landes).
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: EuSouOqueSou em 02 de Dezembro de 2013, 23:02:50

Exato. A minha intencao nao foi "clamar a superioridade de 'minha raca' ". Foi mais sarcasmo com o tal "orgulho branco" mesmo. Orgulho de que mesmo? De ser um "aleijado molecular" que nao produz melanina? :P

P.S.: Nao sou negro, nem branco, sou mestico de negro, indio e portugues.

O problema desse tipo de "refutação"/alfinetada é que, bem, simplesmente não é a melanina a questão. Mas sim que "homem branco" é praticamente sinônimo de "homem civilizado". O que crêem ser mais do que um acidente histórico, mas derivado da biologia -- e que a diferença de melanina teve um papel praticamente insignificante nisso, apesar de talvez ser possível mesmo argumentar ser o principal fator biológico, e o mais importante é geografia/história (Jared Diamond, David Landes).

Sim sim. Eu sei que o que chamamos de "branco" ou "negro" nao se restringe apenas a cor da pele, existem mais caracteristicas biologicas envolvidas. Nao tive intencao de mostrar nenhuma refutacao, apenas tirar sarro mesmo. Como vc bem apontou, o que falei pode ser usado a favor dessa besteirada de "orgulho branco". Eles podem dizer que perderam melanina pq sao mais civilizados. Mas mesmo assim, se esquecem que essa mudanca evolutiva levou milhoes de anos e que foi apenas o acaso de ancestrais sem melanina se darem melhor em lugares menos ensolarados. E naquela epoca nao eram nem mais nem menos civlizados.

Enfim, esquecam isso, a gente num pode mais nem fazer uma piadinha que o povo ja leva pra discussao, haha :P
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 03 de Dezembro de 2013, 01:27:51
A evolução de pele clara aparentemente levou apenas milhares de anos, talvez nem uma dezena (e se deu independentemente nos ancestrais dos "brancos", e asiáticos de pele clara).

Nenhuma população humana esteve separada há milhões de anos, até os neandertais se separaram apenas por algo em torno de meio milhão.


Nada contra algumas pegadinhas, o problema é se podem ser facilmente "refutadas" e depois repetidas entre eles como "exemplo da ignorância esquerdista liberal racista anti-brancos", "dos evolucionistas", etc.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 04 de Janeiro de 2017, 22:44:16
Não sei o quanto isso é notícia velha, mas esbarrei agora com algo que remete ao caso do filho do criacionista Michael Behe ter acabado virando evolucionista: o filho do supremacista/nacionalista branco Don Black, que dentre o currículo de vida tinha até planos de tomar o poder na Domínica para instaurar um estado branco, foi gradualmente se dissociando da ideologia até efetivamente renunciá-la publicamente, recentemente. Sua mãe foi ex-mulher/namorada do líder do KKK, que acabou sendo seu padrinho.

Citar
https://www.washingtonpost.com/national/the-white-flight-of-derek-black/2016/10/15/ed5f906a-8f3b-11e6-a6a3-d50061aa9fae_story.html

...

He left the house that night and went to a bar. He took out his computer and began writing a statement.

“A large section of the community I grew up in believes strongly in white nationalism, and members of my family whom I respect greatly, particularly my father, have long been resolute advocates for that cause. I was not prepared to risk driving a wedge in those relationships.

“After a great deal of thought since then, I have resolved that it is in the best interests of everyone involved to be honest about my slow but steady disaffiliation from white nationalism. I can’t support a movement that tells me I can’t be a friend to whomever I wish or that other people’s races require me to think of them in a certain way or be suspicious at their advancements.

“The things I have said as well as my actions have been harmful to people of color, people of Jewish descent, activists striving for opportunity and fairness for all. I am sorry for the damage done.”

He continued to write for several more paragraphs before addressing an email to the SPLC, the group his father had considered a primary adversary for 40 years.

“Publish in full,” Derek instructed. Then he attached the letter and hit “send.”

...



Acho curioso isso, inicialmente até fico meio cético quanto a esses casos (outro que me lembrava era o das meninas do "prussian blue"), achando ser fingimento, mas parece que ele até sofreu alguma ostracização da própria família, embora não tenham mesmo cortado relações completamente. Se é uma farsa, no mínimo tem-se que reconhecer uma elaboração admirável.


Curioso isso aparentemente vir a tona quando o movimento racista/racistóide nos EUA deve ter alcançado seu maior impulso em décadas, em parte, graças a ele.


Parte dessa história parece ter se dado de forma que me lembrou do narrado aqui:

http://liberalconspiracy.org/2009/05/13/a-different-approach-to-the-bnp/

Onde é dito que foi através de maior interação com racistas e racistóides que liberais/progressistas conseguiram dissuadí-los dessas idéias. 
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 27 de Janeiro de 2017, 10:59:27
Não sei se já debateram aqui sobre isso, mas nos últimos dias, após a divulgação de um vídeo da posse de Trump em que um supremacista branco é agredido por um manifestante, os internautas lançaram um debate questionando se seria ético agredir fisicamente um fascista; os contra defendem a liberdade de expressão como um dos pilares da democracia, não importando que seja discurso de ódio. Já os que são a favor, advogam que não pode haver tolerância para com os intolerantes sob pena de ameaçar a própria tolerância.


Pois bem, o que os senhores pensam em termos éticos, morais, sociológicos, cosmológicos (rs)?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Shadow em 27 de Janeiro de 2017, 11:25:01
Não sei se já debateram aqui sobre isso, mas nos últimos dias, após a divulgação de um vídeo da posse de Trump em que um supremacista branco é agredido por um manifestante, os internautas lançaram um debate questionando se seria ético agredir fisicamente um fascista; os contra defendem a liberdade de expressão como um dos pilares da democracia, não importando que seja discurso de ódio. Já os que são a favor, advogam que não pode haver tolerância para com os intolerantes sob pena de ameaçar a própria tolerância.


Pois bem, o que os senhores pensam em termos éticos, morais, sociológicos, cosmológicos (rs)?

Deixa eu ver se entendi: O supremacista branco é fascista. O negro, herói da liberdade?

Na minha opinião os dois são uns grandes imbecis.

Orgulho de ser branco? Orgulho de ser negro?  Ou no meu caso "semi-amarelo-esbranquiçado-de-olhos-amendoados" ou sei lá que cor tem os originados do leste europeu?

 É a quantidade de melanina na minha pele que me define?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 27 de Janeiro de 2017, 15:25:33
Já os que são a favor, advogam que não pode haver tolerância para com os intolerantes sob pena de ameaçar a própria tolerância.

Talvez a frase original seja de Karl Popper, mas, pela descrição da situação, acho que estão distorcendo a idéia, pois penso que falava de uma intolerância ainda civilizada. Como "o governo não pode tolerar crimes", e não "vamos sair linchando por aí, seremos o KKK do bem".

E ainda tem todo o aspecto dessa intolerância civilizada se dar já contra a promoção de uma ideologia intolerante, versus crimes com vítimas mais diretas.

Não sei se é mesmo a melhor abordagem, mas é ainda argumentável que, contra a promoção ideológica de intolerância ainda apenas como propaganda, seja preferível um combate também apenas na forma de promoção de idéias contrárias/ataque as idéias intolerantes, em vez de censura legal.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Entropia em 27 de Janeiro de 2017, 20:45:48
Se um comunista do PCO resolver sair dizendo por aí que tem que haver conflito armado e fuzilar a classe média e alta, e portanto a burguesia. Esse cara tem que sair levando socos por aí? Um dia desses saiu um video do Mamae falei onde era comum o povo de lá dizer que a contra "facista"(qualquer um que discordasse deles) era apenas o conflito físico e que o diálogo era só na "ponta do fuzil". É razoável quando alguém vir essas pessoas na rua partir pra cima delas? Deixe falar, servem como alívio cômico para as coisas, se realmente tiverem a intencao de agirem, entao serao punidos.

É fácil ver que esse negócio de Discurso de ódio nao tem uma linha muito bem definida, e qualquer um mais sensível pode usar qualquer coisa que o ofenda para pretexto de censura.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 27 de Janeiro de 2017, 21:22:31
Primeira Emenda resolve tudo.

Pune-se apenas apologia ao crime e crimes contra a honra pessoal.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 27 de Janeiro de 2017, 21:27:17
O perigo de achar que um extremista que protesta pacificamente deva apanhar por suas ideias, pode abrir espaço para que as pessoas passem a agredir qualquer um que tenha uma ideia diferente da de determinado grupo. É o caminho para o autoritarismo.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 27 de Janeiro de 2017, 21:28:47
O perigo de achar que um extremista que protesta pacificamente deva apanhar por suas ideias, pode abrir espaço para que as pessoas passem a agredir qualquer um que tenha uma ideia diferente da de determinado grupo. É o caminho para o autoritarismo.

Exato.

Se ele cometer apologia ao crime, injúria, difamação ou calúnia, já há leis para puni-lo.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 27 de Janeiro de 2017, 21:33:12
Foi essa (tentativa de) ditadura do politicamente correto que permitiu a ascensão de políticos como Trump e dá ibope a Bolsonaro.

A idéia por trás do PC é "censurar", ou "proibir" algumas idéias, transformando-as em tabus, impedindo assim que haja um debate livre entre os diferentes proponentes, fazendo com que um dos lados seja o correto ou verdadeiro à priori. É uma tentativa de banir certos posicionamentos do debate sem sequer tentar debatê-los e derrotá-los nos argumentos. Cria-se rótulos, e estes rótulos são usados para se obter uma 'vitória instantânea' nos debates quando aplicados em quem pensa diferente.

A reação não tarda a aparecer.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: JJ em 28 de Janeiro de 2017, 10:01:02

O supremacista branco defende coisas abomináveis, mas não é correto dar um soco nele por causa disso...   


Talvez jogar um ovo possa até ser.  :biglol:





Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 28 de Janeiro de 2017, 16:30:08
Foi essa (tentativa de) ditadura do politicamente correto que permitiu a ascensão de políticos como Trump e dá ibope a Bolsonaro.

A idéia por trás do PC é "censurar", ou "proibir" algumas idéias, transformando-as em tabus, impedindo assim que haja um debate livre entre os diferentes proponentes, fazendo com que um dos lados seja o correto ou verdadeiro à priori. É uma tentativa de banir certos posicionamentos do debate sem sequer tentar debatê-los e derrotá-los nos argumentos. Cria-se rótulos, e estes rótulos são usados para se obter uma 'vitória instantânea' nos debates quando aplicados em quem pensa diferente.

A reação não tarda a aparecer.

Ostracização e indisposição a consideração (além da caricatura) do que é considerado imoral deve ser algo praticamente inevitável. Não é único do "politicamente correto".

O problema do PC é ser um extremo histérico disso, que pode acabar acidentalmente favorecendo aquilo a que se opõe.

Outro "polo" disso é o "conservadoramente correto" pregando abstinência e sexo após o casamento como política contra DSTs e etc. Só torna mais fácil para alguns darem risada disso e defenderem a bacanalização geral.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 29 de Janeiro de 2017, 10:58:28
Que alívio saber que os senhores são contra a violência, pois nos últimos dias foi assustador ler pela internet relatos até mesmo de pessoas que eu julgava sensatas advogando pela justiça privada e fazendo malabarismos éticos para sustentá-la, não diferindo em nada dos bolsonetes que apregoam que bandido bom é bandido morto.

Sim, concordo que repressão por meio de violência só pode gerar um efeito mola, vitimizando o agressor lhe dando razão para agir em reação que, certamente, também será violenta. A depender da forma como se reage com um nazista, por mais que suas ideias sejam repudiáveis ele pode acabar se tornando um mártir, além de que não há motivos racionais para se atacar uma pessoa fisicamente sem que ela esteja oferecendo perigo à integridade física de outrem (ou até a sim mesma) naquele momento.
O desejo de vingança é natural no ser humano, é o que leva a defender linchamentos e até mesmo a pena de morte, mas como nem tudo que é natural é bom ou moral, esse instinto deve ser reprimido.

Entretanto, também vi algumas pessoas defendendo o nazista não pelas razões que expus acima, e sim em nome da defesa da liberdade de expressão irrestrita, e disso eu discordo completamente.
Sim, a liberdade de expressão é um dos pilares da democracia e o diálogo na sociedade deve ser estimulado, mas assim como qualquer direito ela acaba no momento em que começa o direito do outro, de forma que as pessoas são livres para se expressarem desde que não estejam atentando contra a dignidade e os direitos dos outros. E um discurso sobre supremacia branca é um discurso claramente racista e, portanto, atentatório aos direitos humanos; racismo é crime e como tal deve ser tratado nos rigores da lei, até porque, normalmente, quem prega discurso de ódio não quer dialogar/argumentar, quer tão somente se impor na marra. (também me surpreendi com a postagem do Buckaroo, sobre o nazi recuperado, é algo bem raro de acontecer)

Resta, portanto, estarmos abertos ao diálogo com quem quer que seja, mas é preciso também punir os excessos da liberdade de expressão quando esta deixa de ser simplesmente a livre manifestação do pensamento para fazer apologia a crimes repudiáveis por toda a humanidade. O problema que fica, como muito bem levantou o Entropia, é definir objetivamente algo que pode ser muito subjetivo: o que seria um "discurso de ódio"? Em algumas situações, como essa, o discurso está bem definidos e de fácil identificação, mas existem situações que habitam a zona grise e, a depender da utilização desse conceito, o "discurso de ódio" pode servir de pretexto para autoritarismo e censura.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 29 de Janeiro de 2017, 11:01:49
O problema do PC é ser um extremo histérico disso, que pode acabar acidentalmente favorecendo aquilo a que se opõe.

Favorece porque se iguala àquilo que diz combater, ainda que esteja na ponta extremo oposta do discurso (o efeito ferradura).
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Muad'Dib em 29 de Janeiro de 2017, 12:05:26
O perigo de achar que um extremista que protesta pacificamente deva apanhar por suas ideias, pode abrir espaço para que as pessoas passem a agredir qualquer um que tenha uma ideia diferente da de determinado grupo. É o caminho para o autoritarismo.

Exato.

Se ele cometer apologia ao crime, injúria, difamação ou calúnia, já há leis para puni-lo.

Eu também sou favorável a liberdade de se fale e pense o que cada um bem entende e se houver apologia ao crime, injúria, difamação, calúnia que haja punição.

Mas tem um limbo nesta história, tem muito discurso por ai que não faz DIRETAMENTE apologia ao crime, injúria, difamação ou calúnia, mas a mensagem implícita nele é totalmente clara. É um pouco mais do que aquela história do "não sou racista\homofóbico\antisemita, mas...". Essa mensagem implícita incita, de forma proposital e cínica, atos criminosos em terceiros. E também tem o fato de que não é possível refutar esse novo movimento de direita (o mesmo vale para a esquerda), simplesmente porque eles não têm o minimo de compromisso com fatos e realidade. Não dá para argumentar racionalmente com quem despreza lógica, fatos e realidade.

Curiosamente a tentativa de censurar opiniões alheias do PCismo esquerdista possui um irmão gêmeos na direita atual. Basta que você argumente, refute apenas chame de idiota uma opinião idiota para que esse argumento, refutação ou o "chamar de idiota um argumento idiota" seja tachado de tentativa de censura politicamente correta esquerdista pelos defensores dessa nova direita. A pessoa é livre para dizer o que quer e terceiros são livres para atacar a ideia expressada.

Meter a porrado no nazistinha de merda foi errado, mas o fato é que é complicadíssimo lidar com os extremismos da nossa época. O povo não sabe muito como agir sem se radicalizar.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 29 de Janeiro de 2017, 14:11:12
Eu defendo que bandido bom é bandido morto com base no fato deles estarem plenamente dispostos a tirar a vida de uma pessoa que nunca viram antes por causa de 100, 200, 500 ou 1000 reais.

Para mim, isso é mais do que suficiente para se matar bandidos.



Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 29 de Janeiro de 2017, 14:42:50
A impressão que passa é que os PCs colocaram em prática o Crime de Pensamento do livro 1984. Os PCs são uma espécie de Polícia do Pensamento, qualquer pensamento que não vai de acordo com a narrativa progressista é automaticamente adjetivada como fascista, racista, misógina, homofóbica, neoliberal etc. e deve ser abominada.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Muad'Dib em 29 de Janeiro de 2017, 15:30:21
Eu defendo que bandido bom é bandido morto com base no fato deles estarem plenamente dispostos a tirar a vida de uma pessoa que nunca viram antes por causa de 100, 200, 500 ou 1000 reais.

Para mim, isso é mais do que suficiente para se matar bandidos.

Para colocar de forma delicada eu diria que não é uma opinião muito boa.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 29 de Janeiro de 2017, 17:15:11
Eu defendo que bandido bom é bandido morto com base no fato deles estarem plenamente dispostos a tirar a vida de uma pessoa que nunca viram antes por causa de 100, 200, 500 ou 1000 reais.

Para mim, isso é mais do que suficiente para se matar bandidos.

Para colocar de forma delicada eu diria que não é uma opinião muito boa.

Eu acho boa e coerente.

Obviamente, sou contra linchamentos e execuções extra-judiciais (exceto nos raros casos emergenciais onde a justiça falha).

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 29 de Janeiro de 2017, 17:17:15
A impressão que passa é que os PCs colocaram em prática o Crime de Pensamento do livro 1984. Os PCs são uma espécie de Polícia do Pensamento, qualquer pensamento que não vai de acordo com a narrativa progressista é automaticamente adjetivada como fascista, racista, misógina, homofóbica, neoliberal etc. e deve ser abominada.

O PC é parecido com a Novilíngua usada em 1984.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 29 de Janeiro de 2017, 17:48:51
É apenas parte do plano gramscista de subordinação da sociedade ao marxismo cultural. Esses porcos comunistas, SJWs, feminazis, veadinhos, enablers, drogados, terroristas, abortistas/infanticidas, defensores de bandidos, etc, em outros tempos, antes dessa decadência esquerdista em que nos encontramos, seriam presos por esses crimes contra a ordem moral, e a sociedade estaria segura de toda a degeneração desses degenerados, câncer da sociedade.


BOLSONARO 2018 #PeloFimDoMarxismoCultural #GloboGramscianista
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: JJ em 29 de Janeiro de 2017, 17:57:39
Eu defendo que bandido bom é bandido morto com base no fato deles estarem plenamente dispostos a tirar a vida de uma pessoa que nunca viram antes por causa de 100, 200, 500 ou 1000 reais.

Para mim, isso é mais do que suficiente para se matar bandidos.

Para colocar de forma delicada eu diria que não é uma opinião muito boa.



Será que o DDV também defende a execução de criminosos de colarinho branco ?  Será que ele defende a execução do ex governador do Rio de Janeiro ? 

Será que ele defende a execução dos chefões da Odebrecht ?
 
Será que ele defende a execução dos chefões da OAS  ?


Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 30 de Janeiro de 2017, 01:40:42
Defendo a execução pelo estado de condenados por homicídio doloso premeditado qualificado.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Shadow em 30 de Janeiro de 2017, 07:46:36
Eu defendo que bandido bom é bandido morto com base no fato deles estarem plenamente dispostos a tirar a vida de uma pessoa que nunca viram antes por causa de 100, 200, 500 ou 1000 reais.

Para mim, isso é mais do que suficiente para se matar bandidos.

Para colocar de forma delicada eu diria que não é uma opinião muito boa.



Será que o DDV também defende a execução de criminosos de colarinho branco ?  Será que ele defende a execução do ex governador do Rio de Janeiro ? 

Será que ele defende a execução dos chefões da Odebrecht ?
 
Será que ele defende a execução dos chefões da OAS  ?

Essa é a cartilha do PT, que nos trouxe onde estamos. Misturar alhos com bugalhos e deixar tudo como está.

Pena de morte me parece uma temeridade. Mas prisão perpétua para homicidas, em presídios federais com 23 horas por dia trancado em cela individual seria bem adequado.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Lorentz em 30 de Janeiro de 2017, 11:30:03
Eu defendo que bandido bom é bandido morto com base no fato deles estarem plenamente dispostos a tirar a vida de uma pessoa que nunca viram antes por causa de 100, 200, 500 ou 1000 reais.

Para mim, isso é mais do que suficiente para se matar bandidos.

Para colocar de forma delicada eu diria que não é uma opinião muito boa.



Será que o DDV também defende a execução de criminosos de colarinho branco ?  Será que ele defende a execução do ex governador do Rio de Janeiro ? 

Será que ele defende a execução dos chefões da Odebrecht ?
 
Será que ele defende a execução dos chefões da OAS  ?

Essa é a cartilha do PT, que nos trouxe onde estamos. Misturar alhos com bugalhos e deixar tudo como está.

Pena de morte me parece uma temeridade. Mas prisão perpétua para homicidas, em presídios federais com 23 horas por dia trancado em cela individual seria bem adequado.

Eu não quero pagar pra manter indivíduos presos.

Ainda acho que todos os presos deveriam trabalhar para financiar o presídio. Bons trabalhadores ganham redução de pena. Quem ler livros e estudar também.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 30 de Janeiro de 2017, 12:26:46
O problema é a indústria de neo-escravidão, escravidão de verdade, não "análogo a escravidão".

Ao mesmo tempo em que isso provavelmente não representa ausência de custos para o estado, que ainda deve ter que pagar por contratos com os presídios (no caso dos privados), sendo então para eles uma dupla fonte de lucro, o contrato estatal garantindo a base, e a escravidão como bônus.

Mas claro que a preocupação em ser pessoalmente vítima inocente disso (inocente, ou "quase") atingirá diferentemente aos diversos estratos sociais.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 30 de Janeiro de 2017, 13:04:11
A CF proíbe trabalhos forçados em suas cláusulas pétreas.

O que pode ser feito é fornecer "de graça" ao preso apenas um colchão por ano (se ele queimar, fica sem), uniforme e comida básica, e qualquer outra regalia que ele quiser lhe ser "vendida" em troca de trabalho.

Ele não seria obrigado a trabalhar, trabalharia para obter as regalias.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Lorentz em 30 de Janeiro de 2017, 13:09:13
A CF proíbe trabalhos forçados em suas cláusulas pétreas.

O que pode ser feito é fornecer "de graça" ao preso apenas um colchão por ano (se ele queimar, fica sem), uniforme e comida básica, e qualquer outra regalia que ele quiser lhe ser "vendida" em troca de trabalho.

Ele não seria obrigado a trabalhar, trabalharia para obter as regalias.



Mas o que significa "trabalho forçado"? É trabalhar demais, de maneira desumana, ou simplesmente forçar alguém a trabalhar? Eu não defendo trabalho forçado/desumano. defendo um trabalho digno, de 8 horas diárias, estudos, esporte e várias coisas que acredito não só ajudar com os custos do presídio como de fato dar alguma melhorada na mente do preso.

Aprender que trabalhar gera benefícios (como a diminuição da pena), e que estudar também, é um reforço psicológico melhor que deixar mofar na cadeia, torcendo que o sujeito saia de lá melhor de como entrou.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Shadow em 30 de Janeiro de 2017, 13:11:28
A CF proíbe trabalhos forçados em suas cláusulas pétreas.

O que pode ser feito é fornecer "de graça" ao preso apenas um colchão por ano (se ele queimar, fica sem), uniforme e comida básica, e qualquer outra regalia que ele quiser lhe ser "vendida" em troca de trabalho.

Ele não seria obrigado a trabalhar, trabalharia para obter as regalias.



Mas o que significa "trabalho forçado"? É trabalhar demais, de maneira desumana, ou simplesmente forçar alguém a trabalhar? Eu não defendo trabalho forçado/desumano. defendo um trabalho digno, de 8 horas diárias, estudos, esporte e várias coisas que acredito não só ajudar com os custos do presídio como de fato dar alguma melhorada na mente do preso.

Aprender que trabalhar gera benefícios (como a diminuição da pena), e que estudar também, é um reforço psicológico melhor que deixar mofar na cadeia, torcendo que o sujeito saia de lá melhor de como entrou.

No caso da CF/88 simplesmente obrigado a trabalhar. Nenhum tipo de trabalho. nem mesmo cortar a grama da própria penitenciária pode ser obrigatório.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Lorentz em 30 de Janeiro de 2017, 13:30:42
A CF proíbe trabalhos forçados em suas cláusulas pétreas.

O que pode ser feito é fornecer "de graça" ao preso apenas um colchão por ano (se ele queimar, fica sem), uniforme e comida básica, e qualquer outra regalia que ele quiser lhe ser "vendida" em troca de trabalho.

Ele não seria obrigado a trabalhar, trabalharia para obter as regalias.



Mas o que significa "trabalho forçado"? É trabalhar demais, de maneira desumana, ou simplesmente forçar alguém a trabalhar? Eu não defendo trabalho forçado/desumano. defendo um trabalho digno, de 8 horas diárias, estudos, esporte e várias coisas que acredito não só ajudar com os custos do presídio como de fato dar alguma melhorada na mente do preso.

Aprender que trabalhar gera benefícios (como a diminuição da pena), e que estudar também, é um reforço psicológico melhor que deixar mofar na cadeia, torcendo que o sujeito saia de lá melhor de como entrou.

No caso da CF/88 simplesmente obrigado a trabalhar. Nenhum tipo de trabalho. nem mesmo cortar a grama da própria penitenciária pode ser obrigatório.

Está mais do que na hora de mudar isso.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: JJ em 30 de Janeiro de 2017, 15:01:04
Defendo a execução pelo estado de condenados por homicídio doloso premeditado qualificado.


Latrocínio é considerado crime de homicídio premeditado ? Porque se não for já fica de fora.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: JJ em 30 de Janeiro de 2017, 15:02:04
Eu defendo que bandido bom é bandido morto com base no fato deles estarem plenamente dispostos a tirar a vida de uma pessoa que nunca viram antes por causa de 100, 200, 500 ou 1000 reais.

Para mim, isso é mais do que suficiente para se matar bandidos.

Para colocar de forma delicada eu diria que não é uma opinião muito boa.
Será que o DDV também defende a execução de criminosos de colarinho branco ?  Será que ele defende a execução do ex governador do Rio de Janeiro ? 

Será que ele defende a execução dos chefões da Odebrecht ?
 
Será que ele defende a execução dos chefões da OAS  ?

Essa é a cartilha do PT, que nos trouxe onde estamos. Misturar alhos com bugalhos e deixar tudo como está.

Pena de morte me parece uma temeridade. Mas prisão perpétua para homicidas, em presídios federais com 23 horas por dia trancado em cela individual seria bem adequado.

O DDV apenas utilizou (originalmente) a palavra genérica "bandido".   Somente depois é que ele especificou  melhor.





Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 30 de Janeiro de 2017, 15:53:39
(https://image.slidesharecdn.com/stereotypeandracisminads-150506145759-conversion-gate01/95/stereotype-and-racism-in-ads-5-638.jpg?cb=1430924353)

A afirmação de um orgulho de ser negro surge como uma reação necessária a coisas como essa. Conscientizar os negros que esse tipo de imagem era apenas uma construção cultural.

Já "orgulho branco" é apenas retórica para disfarçar o discurso racista: "Óh, que tem de diferente? Se os negros podem ter orgulho da raça deles, por que eu não posso ter da minha, seus hipócritas?!"

Esse tipo de coisa só engana àqueles que já querem ser enganados.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Shadow em 30 de Janeiro de 2017, 15:59:54
(https://image.slidesharecdn.com/stereotypeandracisminads-150506145759-conversion-gate01/95/stereotype-and-racism-in-ads-5-638.jpg?cb=1430924353)

A afirmação de um orgulho de ser negro surge como uma reação necessária a coisas como essa. Conscientizar os negros que esse tipo de imagem era apenas uma construção cultural.

Já "orgulho branco" é apenas retórica para disfarçar o discurso racista: "Óh, que tem de diferente? Se os negros podem ter orgulho da raça deles, por que eu não posso ter da minha, seus hipócritas?!"

Esse tipo de coisa só engana àqueles que já querem ser enganados.

Depois o "Infinitamente Prolongado" reclama quando eu falo da teoria do 100% bonzinho e do 100% malvado....
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Entropia em 30 de Janeiro de 2017, 16:17:39
E a frase de se dizer Orgulhoso do seu país ou do seu time de futebol é uma reacao a que? Ou é Xenofobia e clubismo, discriminacao também?  :hein:
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Shadow em 30 de Janeiro de 2017, 16:25:24
E a frase de se dizer Orgulhoso do seu país ou do seu time de futebol é uma reacao a que? Ou é Xenofobia e clubismo, discriminacao também?  :hein:

E quando eu tenho orgulho de ser um capiau com mestrado e falar "Porcu", Leiti", "Nóóórte"? Seria um resgate da capiauzice nativa, da brasilidade de Monteiro Lobato? Uma valorização do Jeca? Ou preconceito contra os doutos doutores cultores do idioma culto pátrio?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 30 de Janeiro de 2017, 16:37:10
E a frase de se dizer Orgulhoso do seu país ou do seu time de futebol é uma reacao a que? Ou é Xenofobia e clubismo, discriminacao também?  :hein:

São coisas diferentes, Entrópico. Você está usando exatamente a mesma retórica do "orgulho branco", que é a retórica da falsa analogia com o objetivo de disfarçar um discurso racista, que já não pode mais ser feito abertamente, como no passado.

A minha camisa ( se eu tivesse uma ) "orgulho de ser alvinegro" é uma afirmação do valor do meu time desafiando a gozação de rubronegros, tricolores e vascaínos. Existe uma rivalidade, ainda que amistosa ( às vezes nem tanto ), entre clubes de futebol e nações que motivam a reafirmação do orgulho clubístico ou nacional.

Mas "orgulho de ser branco" é a mesma coisa que "orgulho de ser homem". Você imaginaria um muçulmano, no Irã, uma cultura absolutamente misógina, tendo alguma razão para usar uma camiseta com estes dizeres?

Porém ler em uma burca  "women´s power" passaria uma mensagem pertinente.

Por outro lado, tente imaginar, a última coisa que passaria pela cabeça de um terrorista do estado islâmico seria comprar uma camisa escrito "men´s power".
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 30 de Janeiro de 2017, 16:42:01
A analogia honesta seria "orgulho de ser branco" é como "orgulho de ser terráqueo". Ainda não vi nenhum terráqueo usando.

Ou, orgulho de ser humano, expressando a necessidade que temos de afirmar nossos valores e qualidades para todas as outras espécies animais.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 30 de Janeiro de 2017, 16:46:11
E a frase de se dizer Orgulhoso do seu país ou do seu time de futebol é uma reacao a que? Ou é Xenofobia e clubismo, discriminacao também?  :hein:

E quando eu tenho orgulho de ser um capiau com mestrado e falar "Porcu", Leiti", "Nóóórte"? Seria um resgate da capiauzice nativa, da brasilidade de Monteiro Lobato? Uma valorização do Jeca? Ou preconceito contra os doutos doutores cultores do idioma culto pátrio?

Mas isso faria o maior sentido.

Se as pessoas consideram arbitrariamente ( ARBITRARIAMENTE, esse é o ponto! ) que falar pooorrrta em vez de porta é algo pejorativo, e quando uma maioria repete muitas vezes algo absolutamente sem sentido por alguma razão parece fazer sentido e todos acreditam, então você tem boas razões para usar uma camiseta escrito "Pooorrrrrtaaa" para lembrar às demais pessoas que elas fazem parte da maioria burra.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 30 de Janeiro de 2017, 17:16:20
Isso agora me lembrou uma das inúmeras estultícias do Olavo de Carvalho.

Este parvo profissional tem se dedicado ultimamente a refutar Isaac Newton. Depois de ter percebido as falhas intrínsecas da 1ª Lei de Newton e demonstrado nada menos que inércia não existe, Olavão se animou.

Newton era mesmo uma besta por ter definido os absurdos "espaço absoluto" e "tempo absoluto". Isso porque espaço absoluto é o "espaço sem nada dentro" e tempo absoluto é o "tempo sem ocorrência de eventos"... Será que Olavo está apto para fazer o Enem?

Espaço absoluto, alguém precisa contar a ele, é apenas o antônimo de espaço relativo, ou seja, quando a medida dessa grandeza não depende o referencial. O mesmo para "tempo absoluto", a ideia de que um intervalo de tempo é  sempre o mesmo para qualquer observador.

Mas até o século 17 já havia passado pela cabeça de algum ser humano que tempo e espaço pudessem não ser grandezas absolutas?

Foi exatamente por isso que, ao contrário do delírio olaviano, Newton não definiu tempo absoluto nem espaço absoluto.

Se algo aparentemente absoluto é sempre percebido como absoluto não precisa ser afirmado.  Mas o oposto é necessário: explicar porque tempo e espaço, contrariando o senso comum, são relativos.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 30 de Janeiro de 2017, 17:23:40
Essa diferenciação que vocês colocam entre os dois casos (orgulho negro versus orgulho branco) é complicada e subjetiva demais. Não serve para criar dispositivos legais, onde a objetividade, isonomia e imparcialidade deve ser a regra.

Socialmente podemos ver diferenças e nuances, e impôr punições informais, mas legalmente não pode haver privilégios: um branco idiota que use uma camisa com os dizeres "orgulho branco" não deveria ser punido (legalmente) por isso, idem com o negro idiota que usar a camisa estampada com "orgulho negro".
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 30 de Janeiro de 2017, 17:34:26
Eu acho que o "overreaction" a ofensas cuja gravidade do teor não é algo unânime acaba por incentivar mais ofensas, com o objetivo de zoar, trollar, fazer bullying.

Em jogos online, quase toda vez que um brasileiro é identificado, recebe um "nigga" ou "negro" no chat, porque eles sabem como esse assunto é sensível para nós e como os alvos reagem (se forem negros), aí deitam e rolam na trollagem.

Os judeus adotavam uma abordagem oposta: ignorar as ofensas. Marx recebeu várias ofensas faladas e escritas contra os judeus, mas ignorava solenemente as mesmas.

Eu acredito que a incorporação silenciosa de minorias em grupos, eventos ou atividades de alta visibilidade ou prestígio, sem fazer comentários sobre isso, mas tratando como algo banal, teria um efeito melhor no combate à discriminação.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 30 de Janeiro de 2017, 17:45:57
Essa diferenciação que vocês colocam entre os dois casos (orgulho negro versus orgulho branco) é complicada e subjetiva demais. Não serve para criar dispositivos legais, onde a objetividade, isonomia e imparcialidade deve ser a regra.

Socialmente podemos ver diferenças e nuances, e impôr punições informais, mas legalmente não pode haver privilégios: um branco idiota que use uma camisa com os dizeres "orgulho branco" não deveria ser punido (legalmente) por isso, idem com o negro idiota que usar a camisa estampada com "orgulho negro".

Ninguém está falando em "criminalizar" o orgulho branco. Eu pelo menos não estou.

Só estou dizendo que eu não caio nessa: se vejo um americano com uma camisa White Power eu sei que é um racista. Já um negro com uma camiseta onde se lê Black Power não seria necessariamente um racista.

Especialmente se ele estivesse usando esta camisa nos anos 70 do século passado.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 30 de Janeiro de 2017, 17:56:30


Pra mim esse vídeo é tão "autêntico" quanto uma pegadinha do João Kléber.

Putz, se eu vejo um cara serrando um cadeado com um esmeril elétrico ( onde ele arranjou a tomada? ) em um parque público, em plena luz do dia, eu simplesmente passo direto e nem pergunto nada. Não importa se o cara é branco, azul, verde, preto, rosa ou amarelo. Poderia até estar vestido com uniforme de presidiário, ninguém falaria nada!

Isso é óbvio! Só poderia ser o próprio dono da bicicleta que perdeu a chave. Ninguém nem perguntaria nada simplesmente porque ladrão nenhum estaria, em um lugar super movimentado, roubando uma bicicleta com um esmeril elétrico, dando marretadas no cadeado...

Podem estar certos que todas estas pessoas são atores. Com exceção talvez daqueles que passaram e nem olharam.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 30 de Janeiro de 2017, 18:26:23
Mas falando sério, o esmeril não tem tomada. Mas olha a quantidade de câmeras... Caraca, é muito fake.

Câmeras "escondidas" filmando de todos os ângulos no parque. Quando o cara  (branco) pega o esmeril em 1:30 o câmera está junto dele, e se movimentando nitidamente  junto com o ator.

Os produtores podiam fazer menos pior. Me lembra aqueles "realities" que tem uma externa, e o câmera acompanhando as pessoas que sempre conversam descontraidamente sem nunca olhar para a câmera.

Se há uma câmera te filmando a dois passos de distância, e você continua agindo naturalmente como se não houvesse câmera, então isso é tudo menos agir naturalmente.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 30 de Janeiro de 2017, 18:47:00
É esse tipo de pensamento relativista que leva algumas pessoas a pensar que Supremacismo Negro é compreensível e aceitável, pois teoricamente seria uma reação dos oprimidos ao Supremacismo Branco, esse sim malvado e deve ser combatido. Ambos estão errados e devem ser combatidos.


Orgulho Negro e Orgulho Branco estão "errados". Ninguém deve ter vergonha de sua cor, mas é idiotice ter orgulho e se achar superior por isso.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 30 de Janeiro de 2017, 19:44:21
É esse tipo de pensamento relativista que leva algumas pessoas a pensar que Supremacismo Negro é compreensível e aceitável, pois teoricamente seria uma reação dos oprimidos ao Supremacismo Branco, esse sim malvado e deve ser combatido. Ambos estão errados e devem ser combatidos.


Orgulho Negro e Orgulho Branco estão "errados". Ninguém deve ter vergonha de sua cor, mas é idiotice ter orgulho e se achar superior por isso.

Discordo muito. Esta é uma análise desatenta e superficial.

A começar pela equivalência em "supremacia negra" e "orgulho negro". Esta equivalência existe entre "supremacia branca" e "orgulho branco", pois "orgulho branco" nada mais é do que um eufemismo para quem não quer usar explicitamente a expressão "supremacia branca".

Ora, nós concordamos que qualquer ideia de supremacia racial é idiota. Raça é o mesmo que sub-espécie, e especialmente depois do sequenciamento do genoma humano ninguém mais pode postular que a espécie Homo Sapiens Sapiens possua sub-espécies. Quer dizer, de um ponto de vista biológico não existem diversas raças humanas. Sem mencionar o absurdo ainda maior de terem tentado fazer esta classificação baseada na cor da pele, segundo a qual guerreiros gigantes Mazai pertenceriam à mesma raça dos pigmeus africanos.

Mas é preciso entender essa coisa do "black power" de um ponto de vista histórico, porque coisa alguma nasce do nada e nem pra nada. Na década de 60, quando começaram os grandes movimentos pelos direitos civis nos EUA, os negros americanos estavam marginalmente inseridos em uma sociedade cujos valores forjavam uma visão extremamente negativa, pejorativa até, destes mesmos negros.

Isto se refletia não só na maneira como os brancos viam os negros, mas também na forma como os próprios negros viam a si próprios. Por exemplo: no Alabama os negros não estavam proibidos de votar ( alguém me corrija se estiver errado ) porém os negros NÃO VOTAVAM. Era como se os próprios negros se vissem como cidadãos de segunda categoria, que não tivessem os mesmos direitos básicos de cidadania que os brancos.

Esse tipo de situação não se altera apenas com leis que garantam igualdade, porque como se vê, a lei garantia voto tanto a brancos como a negros, e no entanto a população negra não tinha o hábito de votar. A discriminação vai além dos aspectos legais, de política de Estado, porque a forma mais opressora de discriminação ainda são os valores preconceituosos culturalmente arraigados.

E estes valores, a experiência mostra, são absorvidos como verdades tanto por opressores como por
oprimidos.

Então as primeiras pessoas que pensaram e entenderam estes problemas, souberam que não  bastaria um movimento de direitos civis que fomentasse leis mais justas para homens e mulheres, negros e brancos... mas também trabalhar estes valores, mostrar que o relativo era tido como absoluto, que o conjuntural estava sendo visto como intrínseco.

É preciso transformar também a cabeça das pessoas, não apenas as leis. Por isso a necessidade de um resgate positivo da herança negra, das virtudes da cultura negra, das qualidades da arte negra e da importância de sua influência na própria arte ocidental, etc... Porque o próprio negro precisava criar uma percepção positiva da sua identidade.

Daí surgiram expressões como "black power", "black is beautiful"... tudo na esteira desse movimento. Da mesma forma que as feministas foram buscar na História exemplos importantes de contribuições de mulheres para a humanidade.

Nada disso tinha a ver com supremacismo. Não se pode fazer nenhuma relação com a propaganda de Joseph Goebells na Alemanha Nazista. Se tratava apenas de trabalhar a auto-estima destes grupos, porque estas pessoas já nasciam em um meio que introjetava inconscientemente uma crença limitante de auto-incapacidade.

Agora, se ocorrem e ocorreram distorções e exageros, isso é outra história. "Supremacia negra" já é uma bobagem, mas é preciso dar valor às palavras porque as palavras de fato têm muita força. Um simples palavra como "nigger" se já assumiu uma conotação pejorativa, então já não é mais uma simples palavra: cada vez que é usada ela reforça e substitui todo um discurso racista, porque cada vez que é usada esta palavra reforça nos outros, e até na própria pessoa, uma visão desqualificada e pejorativa de quem está sendo designado por esse termo.

Todas estas nuances do problema são reais e objetivas, mas como sempre acontece, acaba-se perdendo de vista porque determinadas coisas surgiram e pra quê surgiram, e muitos começam a fazer um uso "xiita" e sem muita reflexão de determinadas propostas, como acontece com o caso do Politicamente Correto.

Mas se você souber como e por quê surgiram expressões como "orgulho negro" e "orgulho branco" não tem como não ver que na verdade não existe uma equivalência semântica, porque as intenções não declaradas são totalmente diferentes. É um pouco ingênuo ( e é essa ingenuidade que os neo-racistas exploram ) achar que simplesmente se trocou "negro" por "branco" e é hipocrisia de quem diz o contrário.

Simplesmente:
 
"orgulho negro" <> "supremacia negra"

"orgulho branco" = "supremacia branca" = "não quero que não-brancos tenham os mesmos direitos"
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Lorentz em 30 de Janeiro de 2017, 20:00:55
Putz, se eu vejo um cara serrando um cadeado com um esmeril elétrico ( onde ele arranjou a tomada? )

Bateria. Sim, isso existe.

Câmeras "escondidas" filmando de todos os ângulos no parque. Quando o cara  (branco) pega o esmeril em 1:30 o câmera está junto dele, e se movimentando nitidamente  junto com o ator.

Sim, a câmera está junto dele naquele momento, para ilustrar a situação, mas logo depois usam as tomadas mais distantes. Graças a edição, você não fica vendo os vários minutos dos caras focando, ajustando, se afastando e etc.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 30 de Janeiro de 2017, 20:17:37
Duvido muito, Lorentz. Há mais de uma tomada como aquela, como por exemplo quando ele pega o alicate.

Há outras como onde o câmera em pé, em uma posição mais alta que o ator, e portanto se vê que não é zoom. Uma outra tomada reveladora é quando a câmera está pegando saída da família que tem a garotinha de patinete, e o ator nem a bicicleta estão no quadro da imagem. Por que o diretor iria posicionar a câmera em um ponto em que a câmera não pega o ator?

E olha a quantidade de câmeras, em vários pontos do parque... E ninguém percebendo nada, a movimentação dos câmeras que vão até o local e depois voltam, para fazer estas edições como você diz, as inúmeras câmeras por toda a parte...

Do que eu já vi de câmeras "camufláveis" elas não fazem imagens com essa qualidade de tv.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 30 de Janeiro de 2017, 20:57:03
[...]
Só estou dizendo que eu não caio nessa: se vejo um americano com uma camisa White Power eu sei que é um racista. Já um negro com uma camiseta onde se lê Black Power não seria necessariamente um racista.
[...]

Até o momento que você descobre que nem todos os cisnes são brancos.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 30 de Janeiro de 2017, 21:42:03
Eu defendo que bandido bom é bandido morto com base no fato deles estarem plenamente dispostos a tirar a vida de uma pessoa que nunca viram antes por causa de 100, 200, 500 ou 1000 reais.

Para mim, isso é mais do que suficiente para se matar bandidos.

Só seria coerente se você estivesse querendo vingança ao invés de justiça. Olho por olho e dente por dente é vingança, e não justiça.

Já fui a favor da pena de morte para alguns casos específicos, mas hoje penso que violência só pode ser admissível em legítima defesa, e explico o porquê: uma pessoa que representa ameaça à segurança da sociedade ou a si mesma deve ser contida, e sempre que possível ressocializada, mas senão pelo menos deve ser perpetuamente afastada do convívio social caso se mostre incapaz de viver harmonicamente em sociedade. Se a questão é neutralizar a ameaça, prender perpetuamente um irrecuperável cumpre a função sem a necessidade de tirar a vida. Mas quem pensa que o criminoso merece morrer, na verdade não está preocupado primeiramente em neutralizar a ameaça, mas sim em retribuir tratamento na exata mesma moeda, ou seja, vingar-se. Não preciso nem dizer que a pena de morte não inibe a delinquência.

Sobre o alto custo da população carcerária para o estado, é justamente (ou deveria ser) um estímulo para que o estado que investisse, de verdade, na redução da criminalidade através políticas públicas, descriminalizasse condutas que não necessitam ser tipificadas como delito, que  instituísse o trabalho forçado (que é "forçado no sentido de ser obrigatório) para que o apenado banque pelo menos a maior parte da sua estadia na prisão; e quando falo em trabalho forçado não me refiro a quebrar pedra com uma bola de ferro acorrentada ao pé, mas a trabalhos comuns, serviços que seriam prestados pelos condenados para custear sua pena.

Não é preciso matar de forma institucionalizada para manter a ordem, se a justiça privada é errada e ninguém pode sair por aí linchando os outros, o estado também não deveria poder, deve dar o exemplo de cima pra baixo: se nem o estado pode matar (fora de guerra), ninguém vai matar, e vamos todos resolver as coisas com organização, seriedade e racionalidade sob pena de rigorosa punição, em vez de se deixar levar pela emoção dos instintos mais primitivos e irracionais.

Os "cidadãos de bem", eleitores do "Bolsomito", muitas vezes têm discursos tão racistas, criminosos, discriminatórios, odiosos e repudiáveis quanto os de um nazista, e curiosamente não diferem muito dos marxistas pós modernos em termos de autoritarismo, relativismo, preconceito e irracionalidade, e nem dos fanáticos religiosos.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 30 de Janeiro de 2017, 21:45:27
Só seria coerente se você estivesse querendo vingança ao invés de justiça.

É a mesma coisa, na prática.

O que chamamos de "justiça" é a vingança oficial do estado contra determinados atos indesejados.

Ex: se você sonegar impostos, o estado se vinga cobrando-lhe multa ou lhe aprisionando.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 30 de Janeiro de 2017, 21:50:27
Só seria coerente se você estivesse querendo vingança ao invés de justiça.

É a mesma coisa, na prática.

O que chamamos de "justiça" é a vingança oficial do estado contra determinados atos indesejados.

Ex: se você sonegar impostos, o estado se vinga cobrando-lhe multa ou lhe aprisionando.

Não é vingança, é organização, e muitas medidas punitivas são educativas (ex. multa).

Se a intenção é neutralizar uma ameaça e, claramente há maneiras de se fazer isso sem precisar tirar a vida do delinquente, matar passa a ser uma mera questão de vingança. Nada além.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 30 de Janeiro de 2017, 21:57:58
uma pessoa que representa ameaça à segurança da sociedade ou a si mesma deve ser contida, e sempre que possível ressocializada, mas senão pelo menos deve ser perpetuamente afastada do convívio social caso se mostre incapaz de viver harmonicamente em sociedade. Se a questão é neutralizar a ameaça, prender perpetuamente um irrecuperável cumpre a função sem a necessidade de tirar a vida.

A prisão não é feita apenas para conter a ameaça: se assim fosse, homicidas não sistemáticos (como o marido que mata a mulher por ciúme) não seriam presos, pois não são uma ameaça à todos, como um assaltante latrocida ou sequestrador. Seu crime é singular, pontual e circunstancial.

A prisão é feita primariamente (mas não unicamente) para intimidar o criminoso e demais pessoas, para que evitem cometer o crime. É um reforço comportamental negativo (em linguagem pavloviana). O criminoso fica preso não apenas porque é perigoso, mas para "pagar uma prenda" (por assim dizer) pelo crime cometido. Mesmo se ele não for perigoso é punido do mesmo jeito com prisão, na falta de punição melhor, dado que o aprisionamento é o máximo que se pode aplicar como pena a um indivíduo pela nossa constituição.

Em resumo, o objetivo da prisão não é apenas conter bandidos perigosos, é principalmente criar um reforço comportamental negativo, ou seja, punir (em sentido pavloviano), retribuir, intimidar. E isso é feito mesmo com criminosos não-sistemáticos (como o que mata por ciúme) ou inofensivos (como o que comete peculato).

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 30 de Janeiro de 2017, 22:02:05
Em resumo, o objetivo da prisão não é apenas conter bandidos perigosos, é principalmente criar um reforço comportamental negativo, ou seja, punir (em sentido pavloviano), retribuir, intimidar. E isso é feito mesmo com criminosos não-sistemáticos (como o que mata por ciúme) ou inofensivos (como o que comete peculato).

Sim, isso é óbvio, faz parte do sistema de organização social. Uma pessoa só pode agir em conformidade a uma regra que está posta, com todas as consequências cabíveis previstas e que deverão ser aplicadas em caso de descumprimento. A questão é que esse reforço negativo não necessita ser a morte de outra pessoa, não importa o que ela tenha feito, sob pena deste "reforço negativo" ser apenas vingança disfarçada de norma legal de controle social. E, como eu já disse, pena de morte não intimida mais ou reduz a criminalidade do que se não houvesse previsão desta penalidade.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 30 de Janeiro de 2017, 22:21:46
Discordo muito. Esta é uma análise desatenta e superficial.
:ok:

Citar
A começar pela equivalência em "supremacia negra" e "orgulho negro". Esta equivalência existe entre "supremacia branca" e "orgulho branco", pois "orgulho branco" nada mais é do que um eufemismo para quem não quer usar explicitamente a expressão "supremacia branca".
Entendo seu ponto. Mas "Orgulho Racial" é tudo balela, ninguém deve se orgulhar por ter mais ou menos melanina. Ao menso para mim, não vejo diferença nenhuma entre uma raça ou outra para aceitar que alguém se orgulhe por isso.

Citar
Ora, nós concordamos que qualquer ideia de supremacia racial é idiota. Raça é o mesmo que sub-espécie, e especialmente depois do sequenciamento do genoma humano ninguém mais pode postular que a espécie Homo Sapiens Sapiens possua sub-espécies.Quer dizer, de um ponto de vista biológico não existem diversas raças humanas. Sem mencionar o absurdo ainda maior de terem tentado fazer esta classificação baseada na cor da pele, segundo a qual guerreiros gigantes Mazai pertenceriam à mesma raça dos pigmeus africanos.
Exatamente!

Citar
Mas é preciso entender essa coisa do "black power" de um ponto de vista histórico, porque coisa alguma nasce do nada e nem pra nada. Na década de 60, quando começaram os grandes movimentos pelos direitos civis nos EUA, os negros americanos estavam marginalmente inseridos em uma sociedade cujos valores forjavam uma visão extremamente negativa, pejorativa até, destes mesmos negros.
Sim!

Citar
Isto se refletia não só na maneira como os brancos viam os negros, mas também na forma como os próprios negros viam a si próprios. Por exemplo: no Alabama os negros não estavam proibidos de votar ( alguém me corrija se estiver errado ) porém os negros NÃO VOTAVAM. Era como se os próprios negros se vissem como cidadãos de segunda categoria, que não tivessem os mesmos direitos básicos de cidadania que os brancos.
Não sei se ABSOLUTAMENTE TODOS os negros não votavam nessa época, mas a participação deste grupo é pífia até hoje nas eleições americanas. Assim como a de pessoas de baixa renda de outras origens étnicas, inclusive brancos.

Citar
Esse tipo de situação não se altera apenas com leis que garantam igualdade, porque como se vê, a lei garantia voto tanto a brancos como a negros, e no entanto a população negra não tinha o hábito de votar. A discriminação vai além dos aspectos legais, de política de Estado, porque a forma mais opressora de discriminação ainda são os valores preconceituosos culturalmente arraigados.
Com o tempo se alteram. Sempre se alteram. Os valores culturais são coisas que sempre se alteram com o passar dos tempos. O racismo moderno é """mais brando""" que o de 100 anos atrás por exemplo, reflexo de uma mudança cultural. A humanidade sempre passou por mudanças culturais.

Citar
E estes valores, a experiência mostra, são absorvidos como verdades tanto por opressores como por
oprimidos.
Há um sério  problema quando separamos as pessoas em grupo de "opressores" e "oprimidos" em uma discussão. Soa como vitimização.

Citar
Então as primeiras pessoas que pensaram e entenderam estes problemas, souberam que não  bastaria um movimento de direitos civis que fomentasse leis mais justas para homens e mulheres, negros e brancos... mas também trabalhar estes valores, mostrar que o relativo era tido como absoluto, que o conjuntural estava sendo visto como intrínseco.
Martin Luther King Jr. discorda. Ele foi muito mais relevante para a luta pelos direitos civis que qualquer movimento marxista nacionalista negro.

Citar
É preciso transformar também a cabeça das pessoas, não apenas as leis. Por isso a necessidade de um resgate positivo da herança negra, das virtudes da cultura negra, das qualidades da arte negra e da importância de sua influência na própria arte ocidental, etc... Porque o próprio negro precisava criar uma percepção positiva da sua identidade.
Não há problemas nisso. Mas não sei se isso é muito efetivo. Saber sobre cultura africana e valorizá-la não vai convencer um negro a ir para as urnas, me desculpe. Mas é bom que as pessoas tenham conhecimento sobre as mais variadas culturas.

Citar
Agora, se ocorrem e ocorreram distorções e exageros, isso é outra história. "Supremacia negra" já é uma bobagem, mas é preciso dar valor às palavras porque as palavras de fato têm muita força. Um simples palavra como "nigger" se já assumiu uma conotação pejorativa, então já não é mais uma simples palavra: cada vez que é usada ela reforça e substitui todo um discurso racista, porque cada vez que é usada esta palavra reforça nos outros, e até na própria pessoa, uma visão desqualificada e pejorativa de quem está sendo designado por esse termo.
"Nigger" é tão ofensivo quanto "crioulo" no Brasil. O que você acha quando movimentos negros chamam  negros que namoram brancas de "palmiteiros"? Ou quando chamam brancos de "palmitos"? Não é uma forma de segregação? Ou é justificável só porque partiu dos "oprimidos" e "vitimas da cultura racista"?

Citar
Mas se você souber como e por quê surgiram expressões como "orgulho negro" e "orgulho branco" não tem como não ver que na verdade não existe uma equivalência semântica, porque as intenções não declaradas são totalmente diferentes. É um pouco ingênuo ( e é essa ingenuidade que os neo-racistas exploram ) achar que simplesmente se trocou "negro" por "branco" e é hipocrisia de quem diz o contrário.
Neo-racistas usam isso para justificar o racismo contra negros. Eles estão fazendo a mesma coisa que eles dizem que os negros estão fazendo.

Citar
Simplesmente:
 
"orgulho negro" <> "supremacia negra"

"orgulho branco" = "supremacia branca" = "não quero que não-brancos tenham os mesmos direitos"
Concordo quanto a orgulho e supremacia branca. E parcialmente quanto a "Orgulho negro".

"orgulho negro (no sentido de se orgulhar por ter mais melanina, e não pela cultura ancestral ou seja lá o que for)"="besteira".

"supremacia negra"=imbecilidade.

"orgulho branco"=besteria e disfarce racista="supremacia branca"=imbecilidade.

"orgulho negro"≠"orgulho branco".

"orgulho negro"≠"supremacia negra".
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 30 de Janeiro de 2017, 22:31:29
. A questão é que esse reforço negativo não necessita ser a morte de outra pessoa,

É a sua opinião.

Na minha opinião, qualquer pena menor que a morte ou prisão perpétua para homicídio doloso premeditado desvaloriza a vida das pessoas em geral, passando a idéia de que uma vida se "paga" com alguns anos na cadeia. Considero o homicídio um crime tão grave que deve ser usado a maior dissuasão possível contra o mesmo. Mas é minha opinião.

Citação de: Freya
não importa o que ela tenha feito, sob pena deste "reforço negativo" ser apenas vingança disfarçada de norma legal de controle social.

É a mesma coisa, e deixar de fazer algo supostamente bom apenas pra não "parecer" outro algo supostamente ruim é ilógico.

Citação de: Freya
E, como eu já disse, pena de morte não intimida mais ou reduz a criminalidade do que se não houvesse previsão desta penalidade.

Minhas leituras dizem o contrário, embora não possam diferenciar a eficácia entre pena de morte e prisão perpétua.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Lorentz em 30 de Janeiro de 2017, 22:40:14
Não deveríamos confiar ao Estado essa responsabilidade de matar pessoas. Ele já mata muita gente mesmo sem ter a intenção.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 30 de Janeiro de 2017, 23:55:26
. A questão é que esse reforço negativo não necessita ser a morte de outra pessoa,

É a sua opinião.

Na minha opinião, qualquer pena menor que a morte ou prisão perpétua para homicídio doloso premeditado desvaloriza a vida das pessoas em geral, passando a idéia de que uma vida se "paga" com alguns anos na cadeia. Considero o homicídio um crime tão grave que deve ser usado a maior dissuasão possível contra o mesmo. Mas é minha opinião.

Citação de: Freya
não importa o que ela tenha feito, sob pena deste "reforço negativo" ser apenas vingança disfarçada de norma legal de controle social.

É a mesma coisa, e deixar de fazer algo supostamente bom apenas pra não "parecer" outro algo supostamente ruim é ilógico.

Citação de: Freya
E, como eu já disse, pena de morte não intimida mais ou reduz a criminalidade do que se não houvesse previsão desta penalidade.

Minhas leituras dizem o contrário, embora não possam diferenciar a eficácia entre pena de morte e prisão perpétua.

Não, não é uma questão de opinião.
É objetivamente verificável que a adoção de pena de morte não reduz a criminalidade. Logo, é incoerente àqueles que dizem valorizar tanto a vida, advogar pela adoção institucionalizada pelo estado de uma reprimenda que consiste em ceifar vidas (quando existem outros meios de reprimir e punir a criminalidade), a não ser que esse alguém valorize algumas vidas humanas mais do que outras. E nem vou entrando no mérito da falibilidade do estado e seu sistema de julgamento que mata inocentes.

https://vestibular.uol.com.br/resumo-das-disciplinas/atualidades/pena-de-morte-em-vigor-em-mais-de-50-paises-medida-nao-reduziu-criminalidade.htm
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/01/150115_penademorte_pai_jf
https://anistia.org.br/e-hora-de-acabar-com-o-mito-de-que-pena-de-morte-reduz-criminalidade/

Mas é uma tentação ceder ao desejo de vingança, não é mesmo? rs
Somos seres humanos, reagimos agressivamente às mais diversas situações revoltantes; é natural e compreensível, porém não justificável dentro dos objetivos éticos que se buscamos atingir enquanto evolução da civilização.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 02:53:19
Já não existe um tópico em algum lugar aí sobre a pena de morte?

Que eu me lembre, tudo isso já foi discutido anteriormente. Aliás, os argumentos utilizados são sempre os mesmos. Os argumentos contra e os argumentos a favor.

Parece também que, para as partes discordantes nessa discussão, nenhum dos argumentos contrários aos seus são convincentes. De forma que esta discussão parece ter chegado a um beco sem saída.

Pelo menos aqui.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 31 de Janeiro de 2017, 10:55:46
Já não existe um tópico em algum lugar aí sobre a pena de morte?

Que eu me lembre, tudo isso já foi discutido anteriormente. Aliás, os argumentos utilizados são sempre os mesmos. Os argumentos contra e os argumentos a favor.

Parece também que, para as partes discordantes nessa discussão, nenhum dos argumentos contrários aos seus são convincentes. De forma que esta discussão parece ter chegado a um beco sem saída.

Pelo menos aqui.

Desculpe, minha intenção não era desvirtuar o tópico. É que racismo atenta contra direitos humanos, e por isso acabamos entrando em outros assuntos correlatos aos direitos universais, como a pena de morte.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Entropia em 31 de Janeiro de 2017, 16:33:33
E a frase de se dizer Orgulhoso do seu país ou do seu time de futebol é uma reacao a que? Ou é Xenofobia e clubismo, discriminacao também?  :hein:

São coisas diferentes, Entrópico. Você está usando exatamente a mesma retórica do "orgulho branco", que é a retórica da falsa analogia com o objetivo de disfarçar um discurso racista, que já não pode mais ser feito abertamente, como no passado.

A minha camisa ( se eu tivesse uma ) "orgulho de ser alvinegro" é uma afirmação do valor do meu time desafiando a gozação de rubronegros, tricolores e vascaínos. Existe uma rivalidade, ainda que amistosa ( às vezes nem tanto ), entre clubes de futebol e nações que motivam a reafirmação do orgulho clubístico ou nacional.

Mas "orgulho de ser branco" é a mesma coisa que "orgulho de ser homem". Você imaginaria um muçulmano, no Irã, uma cultura absolutamente misógina, tendo alguma razão para usar uma camiseta com estes dizeres?

Porém ler em uma burca  "women´s power" passaria uma mensagem pertinente.

Por outro lado, tente imaginar, a última coisa que passaria pela cabeça de um terrorista do estado islâmico seria comprar uma camisa escrito "men´s power".

Existem pessoas que usam o orgulho branco pra disfarcar racismo, e daí? Isso nao torna o que eu disse errado. Se uma pessoa disser que tem orgulho de ser branco, em primeira instância a única coisa que podemos supor é só isso. É besta? Sim, e daí? Pode ser disfarce pra racismo? Pode, mas vamos fazer o que? Censurar?

Sobre a camisa de futebol, isso é só sua opniao. Eu terei orgulho do meu time independentemente dos outros, se eles vao fazer gozacao ou nao. Eu posso ter orgulho do meu timeco de bairro mesmo que eles nao facam parte de nenhuma competicao.

Seu exemplo do islâmico foi interessante. O que significa alguém dizer "Orgulho de ser muculmano?" Apologia a terrorismo? Misoginia? Morte a gays?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 16:35:46

"orgulho negro" <> "supremacia negra"

"orgulho branco" = "supremacia branca" = "não quero que não-brancos tenham os mesmos direitos"

Devo concordar com algo perto de 90% do que foi dito ou maior, porém, acho que ainda é interessante acrescentar que apesar dessas equações e inequações aí, "de vez em quando" a ideologia de supremacia negra pode se ramificar da de orgulho negro. Ou, talvez ela sempre derive dele. (E talvez seja bastante análoga a essa a origem do "orgulho alemão" nazista, assim como a opressão branca/judaica)

Ao mesmo tempo em que também pode haver ideologias bem mais amenas de "orgulho branco", sendo talvez mais um uso inapropriado de palavras para algo como "orgulho de alguma cultura/tradição branca específica", ou mesmo apenas para a negação da vilanização branca.






Existem pessoas que usam o orgulho branco pra disfarcar racismo, e daí? Isso nao torna o que eu disse errado. Se uma pessoa disser que tem orgulho de ser branco, em primeira instância a única coisa que podemos supor é só isso. É besta? Sim, e daí? Pode ser disfarce pra racismo? Pode, mas vamos fazer o que? Censurar?

"Censura" pode ser a censura legal, proibição, ou apenas a "moral", social. Não vejo problema algum com a última, essa censura parece melhor do que a inocência de fazer de conta que não existe uma correlação óbvia. A pessoa pode até ter um orgulho não-racista, idiota ou não, mas a censura deve encorajá-la a expressá-lo de forma que não seja tão indistinta de racismo camuflado, seja lá como for.

O mesmo vale para qualquer coisa que defenda ou se orgulhe que não seja imoral ou criminosa, mas cuja defesa possa ser facilmente confundida com uma apologia ao criminoso ou imoral. Negar isso é bem suspeito, de no mínimo estar só querendo "causar".
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Muad'Dib em 31 de Janeiro de 2017, 16:49:00
https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_do_Orgulho_H%C3%A9tero
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 17:12:35
Consegue ser pior do que aquelas de "dia do orgulho ninja".

Que "direitos" que os homossexuais ganharam que ele pretende garantir também aos heterossexuais? Casamento gay? :biglol:
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Dr. Manhattan em 31 de Janeiro de 2017, 17:19:30
A analogia honesta seria "orgulho de ser branco" é como "orgulho de ser terráqueo". Ainda não vi nenhum terráqueo usando.

Ou, orgulho de ser humano, expressando a necessidade que temos de afirmar nossos valores e qualidades para todas as outras espécies animais.

(Posso me materializar nesta discussão?)

Isso tem a ver com algo que escrevi aqui uns tempos atrás: a confusão surge a partir de uma simples questão semântica: os (inserir classe oprimida) geralmente passam a vida inteira tendo seu estilo de vida/ cor da pele / aparência etc. menosprezado, tratado como inferior e motivo de vergonha. Nesse contexto, o uso da palavra Orgulho de ser (inserir característica X) na verdade não tem o significado da palavra orgulho tal como a usamos normalmente (satisfação, emoção positiva associada à conquista de alguma coisa ou a uma realização). O signicado que ela adquire aí é "Não tenho motivos para ter vergonha de ser X" . Só que, no momento de se fabricar um slogan, fica muito mais fácil usar "orgulho de ser X" do que "não tenho motivos etc..."

Olhando assim, fica claro porque não faz sentido defender um "Orgulho Hétero" ou "Orgulho Branco": não se tratam de características que são menosprezadas ou consideradas motivos para vergonha. Como você disse, seriam equivalentes a "orgulho terráqueo". E há o fato também de que as pessoas que defendem esses tais movimentos na verdade os usem como uma expressão do seu desejo de continuar a menosprezar aqueles que já são menosprezados. A sociedade (apesar do que insistem em dizer alguns chorões) não oprime o branco, ou o hétero.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 17:42:06
Olhando assim, fica claro porque não faz sentido defender um "Orgulho Hétero" ou "Orgulho Branco": não se tratam de características que são menosprezadas ou consideradas motivos para vergonha.

Exceto pela vilanização PC de ambos, e de algumas outras coisas mais amenas contra brancos, como a própria cor "branquela" ser indesejável, não saber dançar, cantar, ser muito "certinho", ser playboy, etc. Daí não é de se estranhar que parte do "orgulho branco" possa ser sim, ao menos inicialmente, uma resposta análoga ao orgulho negro, mas acabar descambando em racismo mesmo. Da mesma forma que o negro.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 17:46:12
A analogia honesta seria "orgulho de ser branco" é como "orgulho de ser terráqueo". Ainda não vi nenhum terráqueo usando.

Ou, orgulho de ser humano, expressando a necessidade que temos de afirmar nossos valores e qualidades para todas as outras espécies animais.

(Posso me materializar nesta discussão?)

Isso tem a ver com algo que escrevi aqui uns tempos atrás: a confusão surge a partir de uma simples questão semântica: os (inserir classe oprimida) geralmente passam a vida inteira tendo seu estilo de vida/ cor da pele / aparência etc. menosprezado, tratado como inferior e motivo de vergonha. Nesse contexto, o uso da palavra Orgulho de ser (inserir característica X) na verdade não tem o significado da palavra orgulho tal como a usamos normalmente (satisfação, emoção positiva associada à conquista de alguma coisa ou a uma realização). O signicado que ela adquire aí é "Não tenho motivos para ter vergonha de ser X" . Só que, no momento de se fabricar um slogan, fica muito mais fácil usar "orgulho de ser X" do que "não tenho motivos etc..."

Olhando assim, fica claro porque não faz sentido defender um "Orgulho Hétero" ou "Orgulho Branco": não se tratam de características que são menosprezadas ou consideradas motivos para vergonha. Como você disse, seriam equivalentes a "orgulho terráqueo". E há o fato também de que as pessoas que defendem esses tais movimentos na verdade os usem como uma expressão do seu desejo de continuar a menosprezar aqueles que já são menosprezados. A sociedade (apesar do que insistem em dizer alguns chorões) não oprime o branco, ou o hétero.

Isso praticamente sintetiza tudo que eu escrevi ao longo de 6 ou 7 "posts".  E eu creio que seja algo tão óbvio que não carece de ser tão explicado.

Nem sei como não lembrei também do exemplo do patético "orgulho hétero"... Este sim, uma analogia perfeita com o "orgulho branco." Me lembra também a retórica hipócrita da bancada evangélica, pedindo votos para "a defesa da família", como se a família estivesse sob forte ameaça. Meu deus, as pessoas que querem se casar com alguém do sexo oposto e ter filhos além de não terem esse tipo de união reconhecido por lei, ainda sofrem, coitadas, todo tipo de constrangimento social e preconceito. Precisamos mesmo de parlamentares e leis para defender estas pessoas oprimidas.

E passeatas, claro. Pela visibilidade da heterossexualidade.

Olha, pessoal, nada do que eu disse aqui é minha opinião. São fatos!

"White Power" foi uma expressão usada pela 1ª vez no livro de George Lincoln Rockwell, o fundador do Partido Nazista Americano.

http://www.americannaziparty.com/White_Power_html/White_Power/Chapter_16.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Skinhead_white_power

Vejam também de onde vem a expressão orgulho branco, quem a usa e pra quê.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Orgulho_branco

Da mesma forma, tudo que afirmei sobre "orgulho negro" não é subjetividade minha, são fatos relacionados com a origem dessa expressão remontando aos famosos movimentos pelos direitos civis que agitaram a sociedade americana na década de 60.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Muad'Dib em 31 de Janeiro de 2017, 17:54:10
O maldito conceito de cristofobia.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 17:57:07
Como se encaixa o "orgulho judeu" nisso? É análogo ao positivo orgulho negro, ou ao negativo orgulho branco, numa defesa supremacista do zionismo?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 17:58:25
Não passa de retórica rasteira. Um Malafaia da vida destes daí não quer dizer explicitamente "sou contra gays, sou contra que gays tenham os mesmos direitos de cidadãos não gays", porque fica evidente demais a insustentabilidade ( até moral ) dessa posição. Então, no lugar, usa-se o eufemismo desprovido de real sentido "defesa da família", que sempre parece algo nobre e bonitinho, em vez de preconceito e discriminação explícita.

Mas de defesa das famílias mesmo não há nada, até porque as famílias não precisam ser defendidas.

Assim como a cultura branca, a "raça" branca, o que menos precisam é de alguém que as defenda.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 31 de Janeiro de 2017, 18:01:12
[...]
Nada disso tinha a ver com supremacismo.
[...]

Malcom X não concordaria integralmente com você.

Nem a maioria dos membros da Nação do Islã e nem muitos da OAAU.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 31 de Janeiro de 2017, 18:04:51
Olhando assim, fica claro porque não faz sentido defender um "Orgulho Hétero" ou "Orgulho Branco": não se tratam de características que são menosprezadas ou consideradas motivos para vergonha.

Exceto pela vilanização PC de ambos, e de algumas outras coisas mais amenas contra brancos, como a própria cor "branquela" ser indesejável, não saber dançar, cantar, ser muito "certinho", ser playboy, etc. Daí não é de se estranhar que parte do "orgulho branco" possa ser sim, ao menos inicialmente, uma resposta análoga ao orgulho negro, mas acabar descambando em racismo mesmo. Da mesma forma que o negro.
Exatamente! Por isso eu acho besta ter orgulho de ter mais ou menos melanina na pele. Não interessa muito o valor cultural que queiram dar, pois é puro relativismo.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 18:33:06
[...]
Nada disso tinha a ver com supremacismo.
[...]




Malcom X não concordaria integralmente com você.

Nem a maioria dos membros da Nação do Islã e nem muitos da OAAU.

Malcon X foi membro da Nação do Islã. O que eu sei de Malcon X é que ele pregava um tipo de reação violenta contra a opressão, e foi um movimento minoritário. A Nação do Islã nunca chegou a ter nem 50 mil membros, e surgiu em um país onde a KKK chegou a ter 6 milhões de associados. O que talvez não justifique ( ou talvez até justifique sim ) mas certamente explica o surgimento de algo como a Nação do Islã na década de 30.

Agora, até onde eu sei não foi nem a Nação do Islã e muito menos os Panteras Negras que cunharam expressões como "black pride", "black power", "black is beautiful"... Porém os Panteras Negras nunca lideraram ou representaram a luta contra o racismo nos EUA.

Mas usar um movimento extremista minoritário para caracterizar a exceção como regra é tão retórica quanto, um tipo de discurso enviesado que tenta desqualificar a necessidade real de grupos socialmente marginalizados de construírem uma identidade apoiada em uma auto-imagem positiva, como parte importante e indissociável no processo de inclusão da população negra, com uma distorção que descreve aspirações justas e legítimas como impulsos supremacistas e sectários.

É aquele tipo de retórica que, como eu já disse, só acredita quem já está predisposto a aceitar.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 31 de Janeiro de 2017, 18:37:52
[...]
Mas usar um movimento extremista minoritário para caracterizar a exceção como regra é tão retórica quanto, um tipo de discurso enviesado que tenta desqualificar a necessidade real de grupos socialmente marginalizados de construírem uma identidade apoiada em uma auto-imagem positiva, como parte importante e indissociável no processo de inclusão da população negra, com uma distorção que descreve aspirações justas e legítimas como impulsos supremacistas e sectários.

É aquele tipo de retórica que, como eu já disse, só acredita quem já está predisposto a aceitar.
Martin Luther King Jr. apregoava o "Orgulho negro"? Ele é a ponta da lança do Movimento de Direitos Civis nos anos 1960 e nunca li nada a respeito dele defender algum tipo de "Orgulho Negro" ou "volta às origens africanas" dos afro-americanos.

A não ser que "Orgulho Negro" seja sinônimo de luta contra o racismo, o que eu parcialmente discordo.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 18:41:55
Olhando assim, fica claro porque não faz sentido defender um "Orgulho Hétero" ou "Orgulho Branco": não se tratam de características que são menosprezadas ou consideradas motivos para vergonha.

Exceto pela vilanização PC de ambos, e de algumas outras coisas mais amenas contra brancos, como a própria cor "branquela" ser indesejável, não saber dançar, cantar, ser muito "certinho", ser playboy, etc. Daí não é de se estranhar que parte do "orgulho branco" possa ser sim, ao menos inicialmente, uma resposta análoga ao orgulho negro, mas acabar descambando em racismo mesmo. Da mesma forma que o negro.
Exatamente! Por isso eu acho besta ter orgulho de ter mais ou menos melanina na pele. Não interessa muito o valor cultural que queiram dar, pois é puro relativismo.

Mas não se trata nem nunca se tratou do orgulho de ter mais ou menos melanina. Se fosse isso seria realmente besta.

Mas esta simplificação é ingênua e não corresponde ao que se discute aqui.

Não deveria ser a coisa mais difícil do mundo entender que "orgulho de ser negro" foi um slogan que precisou ser repetido um milhão de vezes em uma cultura que simplesmente definiu que era uma vergonha ser negro.

Uma verdade que as imagens abaixo não permitem que seja negada.

(https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/5d/03/35/5d03354d34365ada9b725b9ef8bbdf46.jpg)

(https://thoughtcatalog.files.wordpress.com/2013/09/kaufmann-mercantile-com.jpeg?w=1140&h=835)

(http://img3.rnkr-static.com/user_node_img/50040/1000788984/870/they-don-t-call-it-white-washing-for-nothing-photo-u1.jpg)

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Muad'Dib em 31 de Janeiro de 2017, 18:51:36
Malcolm X, no fim de sua vida, renegou toda a retórica extremista que ele pregava na Nação do Islã. Ele continuou sim, até o fim, a pregar que negros deveriam se armar para se defender de agressões raciais dos brancos, que, afinal, eram rotineiras, mas após voltar da peregrinação à Meca e do tour pela África, o discurso segregacionista que ele pregava foi totalmente abandonado. Chegou até a afirmar que casamentos entre brancos e negros nada mais eram que casamento entre duas pessoas.

O radicalismo dele no tempo da Nação do Islã foi uma resposta natural de um ser humano que cresceu sendo oprimido. Malcolm X era um ser humano tão grande que, quando estava por cima na Nação do Islã, não se aproveitou para enriquecer ou conquistar poder e depois, quando ficou insustentável defender o radicalismo, ele simplesmente abandonou o erro, declarou que estava errado e fez o que pode para se redimir.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 18:54:27
Mas usar um movimento extremista minoritário para caracterizar a exceção como regra é tão retórica quanto, um tipo de discurso enviesado que tenta desqualificar a necessidade real de grupos socialmente marginalizados de construírem uma identidade apoiada em uma auto-imagem positiva, como parte importante e indissociável no processo de inclusão da população negra, com uma distorção que descreve aspirações justas e legítimas como impulsos supremacistas e sectários.

Não sei se o Geotecton pretendeu caracterizar a exceção como regra. Eu penso que seja mais chamar atenção a haver uma continuidade, gradação.

Em que difere a "auto-imagem positiva" do orgulho negro e a da supremacia negra? E a narrativa sobre os brancos/opressores/privilegiados?


Não deverá haver uma distinção clara, com os supremacistas sempre falando algo que não pudesse ser tomado como mero discurso de "orgulho benigno", e os não-supremacistas sempre falando algo que jamais poderia ser confundido com algo que vem de um discurso supremacista. Na verdade, na maior parte do tempo isso deverá ser algo que os defensores do "orgulho benigno" precisam de algum esforço extra para enfatizar. Mas os defensores de supremacismo/separatismo também devem ao mesmo tempo argumentar que suas posições é que são as inocentes, benignas.


Não penso que a Matilde Ribeiro, ex-ministra da igualdade racial, fosse exatamente supremacista negra, mas ela fez umas colocações que mostram como a distinção pode ser turva. "A reação de um negro de não querer conviver com um branco, eu acho uma reação natural. Quem foi açoitado a vida inteira não tem obrigação de gostar de quem o açoitou”.

Se isso é aceitável como "nada demais" do ponto de vista que está aí, seria no mínimo tão aceitável quanto na defesa de algo que um "racismo light" para colocações análogas sobre brancos evitando conviver com negros, com base em associações estatísticas ou experiência pessoal.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 31 de Janeiro de 2017, 18:56:46
Mas não se trata nem nunca se tratou do orgulho de ter mais ou menos melanina. Se fosse isso seria realmente besta.

Mas esta simplificação é ingênua e não corresponde ao que se discute aqui.

Não deveria ser a coisa mais difícil do mundo entender que "orgulho de ser negro" foi um slogan que precisou ser repetido um milhão de vezes em uma cultura que simplesmente definiu que era uma vergonha ser negro.

Uma verdade que as imagens abaixo não permitem que seja negada.
[imagens]
Não estou me referindo a este tipo de "orgulho negro". Você já viu o que os movimentos negros fazem hoje em dia? Negralismo e tudo o mais?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Dr. Manhattan em 31 de Janeiro de 2017, 19:02:45
Olhando assim, fica claro porque não faz sentido defender um "Orgulho Hétero" ou "Orgulho Branco": não se tratam de características que são menosprezadas ou consideradas motivos para vergonha.

Exceto pela vilanização PC de ambos, e de algumas outras coisas mais amenas contra brancos, como a própria cor "branquela" ser indesejável, não saber dançar, cantar, ser muito "certinho", ser playboy, etc. Daí não é de se estranhar que parte do "orgulho branco" possa ser sim, ao menos inicialmente, uma resposta análoga ao orgulho negro, mas acabar descambando em racismo mesmo. Da mesma forma que o negro.
Exatamente! Por isso eu acho besta ter orgulho de ter mais ou menos melanina na pele. Não interessa muito o valor cultural que queiram dar, pois é puro relativismo.

(Escrevi o post antes da última resposta do Gauss, fiz algumas modificações então)

Bem, como foi explicado uns posts acima, esse "orgulho" negro na verdade não é exatamente orgulho como se costuma pensar, mas uma reação contra o status quo. E francamente, falando como um privilegiado* que nunca sofreu com isso**, simplesmente não dá para comparar a pressão social contra os "branquelos" com aquilo que os negros sofrem todos os dias, desde criança. Essa é uma pressão que as crianças recebem na escola, na rua, nos outdoors, na TV, no cinema, enfim, em todos os lugares. Se for comparar com algo que atinge os brancos, seria o caso da pressão que as mulheres recebem para ser magras.

Isso não quer dizer que não existam excessos, como gente querendo que as escolas ensinem a história dos reinos africanos em pé de igualdade com a história européia, mas isso não invalida as questões levantadas por esses movimentos.

*Geralmente sou confundido por aí com israelense/palestino, o que, se não é "branco" pelos padrões americanos, o é pelos padrões brasileiros :).

**Meu pai é mulato, e até hoje lembra com amargura das piadas e provocações que ouvia quando criança.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 31 de Janeiro de 2017, 19:08:24
(Escrevi o post antes da última resposta do Gauss, fiz algumas modificações então)

Bem, como foi explicado uns posts acima, esse "orgulho" negro na verdade não é exatamente orgulho como se costuma pensar, mas uma reação contra o status quo. E francamente, falando como um privilegiado* que nunca sofreu com isso**, simplesmente não dá para comparar a pressão social contra os "branquelos" com aquilo que os negros sofrem todos os dias, desde criança. Essa é uma pressão que as crianças recebem na escola, na rua, nos outdoors, na TV, no cinema, enfim, em todos os lugares. Se for comparar com algo que atinge os brancos, seria o caso da pressão que as mulheres recebem para ser magras.

Isso não quer dizer que não existam excessos, como gente querendo que as escolas ensinem a história dos reinos africanos em pé de igualdade com a história européia, mas isso não invalida as questões levantadas por esses movimentos.

*Geralmente sou confundido por aí com israelense/palestino, o que, se não é "branco" pelos padrões americanos, o é pelos padrões brasileiros :).

**Meu pai é mulato, e até hoje lembra com amargura das piadas e provocações que ouvia quando criança.

Como disse, não me refiro ao "orgulho negro" num sentido de não ter vergonha por ser o que é. E sim pelos excessos que é comum surgir dentro desses movimentos, que estão cada vez mais polarizados e comuns de ocorrer.



Acho errado tentar colocar um grupo  como privilegiado, pode estragar o diálogo, pois dá a entender que um branco/hétero/cisgênero/patrão/burguês não possa dar opinião sobre algo por não fazer parte de determinado grupo.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 19:11:30
Olhando assim, fica claro porque não faz sentido defender um "Orgulho Hétero" ou "Orgulho Branco": não se tratam de características que são menosprezadas ou consideradas motivos para vergonha.

Exceto pela vilanização PC de ambos, e de algumas outras coisas mais amenas contra brancos, como a própria cor "branquela" ser indesejável, não saber dançar, cantar, ser muito "certinho", ser playboy, etc. Daí não é de se estranhar que parte do "orgulho branco" possa ser sim, ao menos inicialmente, uma resposta análoga ao orgulho negro, mas acabar descambando em racismo mesmo. Da mesma forma que o negro.
Exatamente! Por isso eu acho besta ter orgulho de ter mais ou menos melanina na pele. Não interessa muito o valor cultural que queiram dar, pois é puro relativismo.

(Escrevi o post antes da última resposta do Gauss, fiz algumas modificações então)

Bem, como foi explicado uns posts acima, esse "orgulho" negro na verdade não é exatamente orgulho como se costuma pensar, mas uma reação contra o status quo. E francamente, falando como um privilegiado* que nunca sofreu com isso**, simplesmente não dá para comparar a pressão social contra os "branquelos" com aquilo que os negros sofrem todos os dias, desde criança. Essa é uma pressão que as crianças recebem na escola, na rua, nos outdoors, na TV, no cinema, enfim, em todos os lugares. Se for comparar com algo que atinge os brancos, seria o caso da pressão que as mulheres recebem para ser magras.

Isso não quer dizer que não existam excessos, como gente querendo que as escolas ensinem a história dos reinos africanos em pé de igualdade com a história européia, mas isso não invalida as questões levantadas por esses movimentos.

*Geralmente sou confundido por aí com israelense/palestino, o que, se não é "branco" pelos padrões americanos, o é pelos padrões brasileiros :).

**Meu pai é mulato, e até hoje lembra com amargura das piadas e provocações que ouvia quando criança.

Não pretendi sugerir que seja equiparável, mas é sim comparável.

Uma pessoa negra bonita pode sofrer bem menos do que uma branca feia.

(http://kick-a-ginger-day.com/kick-a-ginger-day-victim.jpg)

Nome de estudo real: "Hair Color and Courtship: Blond Women Received More Courtship Solicitations and Redhead Men Received More Refusals". Além de menos atraentes, os branquelos são vistos como menos competentes:

Citar
Does Tanness Mean Goodness? Perceptions of Tan Skin in Hiring Decisions

Abstract
In US culture, tan skin is portrayed as attractive and healthy. In turn, people tend to rate tan people more positively along these dimensions. In the current investigation, we examined whether tan individuals would be rated more favorably than non-tan individuals in a hiring context. Using Mechanical Turk, an online data collection system, we presented adult participants with an original photo of a job applicant or a digitally manipulated tanned photo (Study 1: N = 121, Study 2: N = 268). In both studies, participants in the tan conditions rated the applicant more favorably than those in the non-tan conditions. Study 2 demonstrated that more positive evaluations of tan applicants were mediated by perceptions of increased attractiveness among these individuals. Results support the “what is beautiful is good” hypothesis, and suggest that employers be made aware of the “tan bias” and that future research examine this bias in contexts beyond the workplace.



http://www.dailymail.co.uk/news/article-443754/Ugly-defendants-likely-guilty-attractive-ones.html

http://www.telegraph.co.uk/news/newstopics/howaboutthat/10187407/Ugly-people-are-more-bullied-at-work-study-finds.html

http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-1265949/Mixed-race-people-attractive-finds-British-study.html


Então para esses indivíduos, um "orgulho branco" pode ser inicialmente benigno como o orgulho negro benigno. Havendo também o risco, maior, de ligação com racismo propriamente dito.



Mas mais significativo que a depreciação apenas por aparência talvez seja a vilanização generalizada dos brancos, como eternos opressores privilegiados. Bem como a "carta branca" para se descer a lenha no white trash. (Algo análogo ocorrerá contra homens e heterossexuais)

Repetindo, não é proporcional, 1:1, ao fenômeno na outra direção, mas tem a mesma essência fundamental. E se alimentam mutuamente.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Entropia em 31 de Janeiro de 2017, 19:19:26
Dizer "Orgulho de ser caucasiano/Europeu". É mais apropriado que orgulho branco? Ou ainda é falsa analogia por nao se ter nenhuma dificuldade em ser?

Será sempre óbvio perceber quando alguém estiver usando uma narrativa de "Orgulho" no caso de meramente gostar de ter ancestralidade tal, ou fazer parte de cultura tal. Tal como tem gente aí que estranhamente se orgulha de ter "descendência viking", com o orgulho usado apenas como narrativa racista. Nos dois casos tanto do lado "Orgulho negro" de forma a caracterizacao do "Branco cristao eterno opressor" Quando orgulho branco na forma "Pela defesa dos valores ocidentais! Negros e islâmicos estao querendo destruir nossa cultura!!! Negros cometem mais crimes!!!11".

Acho que fazer perseguicao com uma palavra nao vai levar muito a algum lugar.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 19:23:16
Acho que a única escapatória para um "orgulho branco" mais neutro é ter uma especificidade tão grande quanto for possível, "orgulho francês", "orgulho italiano", "orgulho galego", sei lá. Talvez com designações étnicas ancestrais, como "orgulho celta", "orgulho saxão".

Por que senão é algo meio como falar em orgulho "euroasiatico-americano", "orgulho do hemisfério norte".



De outra forma, será muito difícil dissociar o termo nesse contexto, de racismo. Queira ou não, a associação existe, tal como poderá haver para outras coisas, como roupas em estilo gangsta e criminalidade.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 31 de Janeiro de 2017, 19:31:07
Acho que a única escapatória para um "orgulho branco" mais neutro é ter uma especificidade tão grande quanto for possível, "orgulho francês", "orgulho italiano", "orgulho galego", sei lá. Talvez com designações étnicas ancestrais, como "orgulho celta", "orgulho saxão".

Mas "orgulho alemão" é nazismo. Rs.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 19:33:19
Mas orgulho bavário, não.

(http://s2.glbimg.com/MPNRlFgv1t5JzAJGF-VukFysxYw=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2016/09/17/oktoberfest.jpg)

(http://www.destination-munich.com/image-files/munich-oktoberfest-2013-lederhosen-marching-band.jpg)



Contraste com "orgulho branco":

(http://www.inkst.ink/wp-content/uploads/2015/07/White-Pride-Supremacist-R-0021.jpg)

É essa a associação...
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 31 de Janeiro de 2017, 19:48:04
Nem o "orgulho saxão", que é outra identidade cultural dentro da Alemanha, concentrado no Noroeste, nas regiões da Vestfália e Baixa-Saxônia.
https://en.wikipedia.org/wiki/Northern_Germany

https://en.wikipedia.org/wiki/Low_German

https://en.wikipedia.org/wiki/Low_German_house
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 19:57:32
Mas esses parecem menos divertidos. E para evitar qualquer ambigüidade, poderia se falar em "orgulho de pontualidade e disciplina".
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 31 de Janeiro de 2017, 20:06:11
Mas esses parecem menos divertidos. E para evitar qualquer ambigüidade, poderia se falar em "orgulho de pontualidade e disciplina".

A Prússia era muito militarista e disciplinada(Virtudes prussianas (https://pt.wikipedia.org/wiki/Virtudes_prussianas#Exemplos_de_virtudes_prussianas)), além de ser uma região protestante luterana, ao  contrário da católica Baviera, mas isso favoreceu para essa região  ser o centro financeiro da região, onde se concentraram muitos cientistas e artistas alemães.

Mas os bávaros são insuperáveis, nos deram de presente o mito Franzl Lang.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 31 de Janeiro de 2017, 20:07:31
Uma pessoa negra bonita pode sofrer bem menos do que uma branca feia.
[...]

Exatamente.

Mesmo que seja (e É!) muito menos comum.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 20:28:54
Vocês desvirtuaram e bifurcaram completamente o assunto.

Vamos lembrar que a pergunta que abre o tópico é : "Quando o orgulho de ser branco se torna racismo".

Só para saber do que estamos falando, porque parece que isso já ficou meio perdido pelo meio do caminho.

Quando? É o que se pergunta.

Resposta: O "orgulho branco" já nasceu racista. Esta foi uma expressão cunhada por George Lincoln Rockwell, um racista norte-americano, supremacista branco, e foi usada justamente como um eufemismo para o termo "superioridade branca". A intenção foi se apropriar de um slogan do movimento pelos direitos das minorias negras para justificar o que na verdade era um discurso racista, defendendo a manutenção e até ampliação dos privilégios de uma certa parcela étnica, como sendo algo equivalente à luta das minorias negras por igualdade.

Como ninguém aqui é retardado é desnecessário explicar porque essa retórica é absurda. Essa retórica é idêntica à do parlamentar bobalhão que está querendo instituir o "Dia do Orgulho Hétero". Mas para os evanjegues parece fazer muito sentido.

Que existam ou tenham existido movimentos negros radicais, sectários, que existam pessoas usando o movimento negro para alavancar uma carreira política, que existam até pessoas desse tipo interessadas mesmo em fomentar o racismo porque isso favorece a plataforma e eles oportunamente se apresentam como representantes para possíveis milhões de votos, que possam existir dez mil milhões de variações sobre o tema, isso é natural da diversidade humana e da complexidade das relações sociais norteadas, no fundo, sempre por interesses pessoais.

Interesses que podem ser legítimos ou ilegítimos, morais ou imorais.

Só que não é o que se propôs discutir aqui. Implicitamente a questão colocada é se a ideia de estimular a população negra a construir uma auto-imagem positiva, como contraposição a velhos esteriótipos culturalmente arraigados, tão nefastos que chegam a minar em muitas pessoas negras a confiança na sua própria capacidade de atingir os mesmos objetivos que pessoas brancas são capazes, pode ser considerado uma forma de racismo. E também, claro, como esse entendimento implica no entendimento da falta de propósito de ser declarar o orgulho branco, um genérico orgulho de pertencer a uma "raça branca". A menos que se admita o verdadeiro propósito por trás desse tipo de declaração.

Mas o "orgulho negro" representava a mesma coisa? Definitivamente não. É o oposto do racismo, foi uma das armas usadas na luta contra o racismo.

E se alguém por acaso desvirtuar e corromper este objetivo e real intenção, é outra história. É outra discussão.

Deem uma boa olhada nas 3 imagens de anúncios que eu postei ali em cima. Os 3 anúncios são idênticos: os "negrinhos" são retradados felizes e sorridentes depois de terem sido pintados de branco. Há uma mensagem muito clara aí, expressando os valores da cultura que criou esse tipo de propaganda. " Ser negro é uma condição inferior, é ruim, é algo referenciado de forma pejorativa, é motivo de vergonha, é algo que não se deva querer ser."

E como se confronta séculos desse tipo de programação cultural, crenças já profundamente introjetadas não só por brancos mas até pelos próprios negros?

É evidente que é preciso uma re-programação. O Obama ter ocupado a Casa Branca, não tenham dúvida que é uma "re-programação", mas ele também só chegou lá depois de décadas de reprogramação.

Com certeza não bastou dar acesso às universidades, em uma cultura onde a publicidade pinta de branco negrinhos para que eles fiquem felizes, ninguém votaria em um negro para presidente. Nem os próprios negros.

Esse discurso do movimento negro, como o Manhattan aí já explicou, originalmente era nada mais nada menos que um discurso necessário de desconstrução de uma crença de identidade para reconstruir outra.
Uma identidade positiva, virtuosa, confiante.

Originalmente. E continua sendo sempre que usado com essa intenção.

Mas meu deus do céu, quem é que vai rotular de nazista, racista, ou o que valha, uma pessoa que diz ter orgulho de ser de origem alemã?

Fala sério! Aqui perto há uma cidade chamada Friburgo, de colonização predominantemente suíça e alemã. O orgulho da herança alemã está estampado por toda a cidade, até nos telhados em ângulos agudos das casas, esperando uma neve que nunca irá cair. Não tem como confundir uma coisa com outra, isso é viagem de vocês. Não dá pra confundir Oktober Fest com um branco, de cabeça raspada, usando uma camiseta com "White Power" estampado na frente.

São mensagens! Tanto a pessoa construir no Brasil uma casa com telhado de neve, e usar uma camisa White Pride, são mensagens. A primeira é uma mensagem de orgulho, a segunda é uma mensagem racista. E quem não tiver dois neurônios com um quebra-molas no meio vai saber a diferença.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 31 de Janeiro de 2017, 20:48:35
Malcon X foi membro da Nação do Islã. O que eu sei de Malcon X é que ele pregava um tipo de reação violenta contra a opressão, e foi um movimento minoritário.

Foi um movimento minoritário mas importante no EUA de meados dos anos 50 ao final dos anos 60, influenciando o grupo Panteras Negras, sendo que a base ideológica deles, no ápice do extremismo, era que "os brancos eram todos pérfidos e traidores e que tinham de ser, primeiramente confinados e, se necessário, extintos". Depois abrandaram muito o discurso quando se tornaram um partido político.


A Nação do Islã nunca chegou a ter nem 50 mil membros, e surgiu em um país onde a KKK chegou a ter 6 milhões de associados.

O que era de se esperar porque os brancos são em quantidade muito maior e com mais estrutura econômico-financeira.


O que talvez não justifique ( ou talvez até justifique sim ) mas certamente explica o surgimento de algo como a Nação do Islã na década de 30.

Sim.


Agora, até onde eu sei não foi nem a Nação do Islã e muito menos os Panteras Negras que cunharam expressões como "black pride", "black power", "black is beautiful"...

E isto não afeta o cerne da discussão de meu ponto, qual seja, o de que há negros que usam a expressão 'orgulho negro' como instrumento racista e de exclusão.


Porém os Panteras Negras nunca lideraram ou representaram a luta contra o racismo nos EUA.

Eles não lideraram o movimento com faceta pacífica, mas tiveram forte influência em vários dos grandes distúrbios e revoltas desde Watts, em Los Angeles, em 1965.


Mas usar um movimento extremista minoritário para caracterizar a exceção como regra
[...]

Em momento algum eu quis impor algo como regra. Apenas demonstrei que a sua análise tem alguns 'furos', ainda que eu concorde em boa medida com ela.


é tão retórica quanto,

Não mais do que você apresentou até agora.


um tipo de discurso enviesado que tenta desqualificar a necessidade real de grupos socialmente marginalizados de construírem uma identidade apoiada em uma auto-imagem positiva, como parte importante e indissociável no processo de inclusão da população negra,

É um belo discurso, sem dúvida. Mas muito vago.

Ora, os brancos pobres também constituem um grupo socialmente marginalizado. Qual tipo de identidade eles devem procurar?

E os próprios negros o que devem buscar para melhorar a auto-estima?


com uma distorção que descreve aspirações justas e legítimas como impulsos supremacistas e sectários.

Em momento algum alguém negou aspectos idiossincráticos negativos daquela (e da nossa) sociedade e que incluem uma forte e arraigada discriminação racial.


É aquele tipo de retórica que, como eu já disse, só acredita quem já está predisposto a aceitar.

Não meu caro.

É apenas o espanto de ver alguém que ainda não percebeu que, imerso no movimento negro, há uma corrente supremacista com viés racista, manifestada inclusive no meio religioso. Minoritária, não tenho dúvida. Mas presente.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Geotecton em 31 de Janeiro de 2017, 20:50:30
[...]
Como ninguém aqui é retardado é desnecessário explicar porque essa retórica é absurda. Essa retórica é idêntica à do parlamentar bobalhão que está querendo instituir o "Dia do Orgulho Hétero". Mas para os evanjegues parece fazer muito sentido.
[...]

Talvez eu tenha um certo grau de disfunção cognitiva.

Obrigado pela sua preocupação.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 20:58:23
Deem uma boa olhada nas 3 imagens de anúncios que eu postei ali em cima. Os 3 anúncios são idênticos: os "negrinhos" são retradados felizes e sorridentes depois de terem sido pintados de branco. Há uma mensagem muito clara aí, expressando os valores da cultura que criou esse tipo de propaganda. " Ser negro é uma condição inferior, é ruim, é algo referenciado de forma pejorativa, é motivo de vergonha, é algo que não se deva querer ser."

Essas imagens não são inerentemente racistas, muito embora tenham origem num contexto histórico racista, do qual são praticamente indissociáveis.

Ninguém acharia racista a mesma piadinha de limpar um animal ou objeto preto e ele ficar branco. Ou um objeto branco e ele ficar preto. É por causa do diferente valor que as pessoas davam a pessoas brancas e negras que a piada é racista, não pelo que acontece nelas.

Similarmente, hoje não são muitos que vão achar racista uma propaganda de sabão em pó para roupas coloridas onde uma mulher enfia à força um branquelo magro na máquina de lavar roupas, e sai dela um negro musculoso. Mas vão achar racista uma chinesa colocar um negro sujo na máquina e sair dela um chinês de pele clara.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 31 de Janeiro de 2017, 21:01:09
Entendo tudo o que você disse, Pedro Reis. Mas o fato de o orgulho negro ter se originado num contexto de discriminação em que os negros precisaram explicitar que não há motivos para se envergonhar de sua etnia, não modifica o fato de que isso pode, sim, por meio de um 'efeito mola', desencadear uma contra-reação tão racista, discriminatória e preconceituosa como a supremacia branca, e talvez tenha sido isso que o Buckaroo falou sobre processos que se retroalimentam; talvez esse orgulho negro, essa necessidade de afirmar uma auto-imagem positiva, contribua para uma frequente ocorrência de inversão dos papéis de "opressores X oprimidos". Quando, ao invés de acabar com a opressão, essas correntes supremacistas negras invertem os papéis de opressores X oprimidos, surge do lado branco algumas correntes com a necessidade de, também, afirmar-se positivamente, e dessas derivam as correntes supremacistas e assim por diante, numa guerra racial infindável.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 21:21:57

É aquele tipo de retórica que, como eu já disse, só acredita quem já está predisposto a aceitar.

Não meu caro.

É apenas o espanto de ver alguém que ainda não percebeu que, imerso no movimento negro, há uma corrente supremacista com viés racista, manifestada inclusive no meio religioso. Minoritária, não tenho dúvida. Mas presente.


Sinceramente não sei o que o espanta, porque eu não neguei que existam correntes sectárias em movimentos negros. O seu "post" parece até ter sido escrito antes do meu, exatamente anterior a este, onde eu afirma ser muito plausível que existam até pessoas ( negras ) que têm interesse pessoal em acirrar o racismo no Brasil e fazer disso escada para uma carreira política.

Aliás, nesse mesmo post expliquei que esses casos nada têm a ver com o que se discute aqui.

E quanto a fazer este tipo de relação com a minha observação de que só é possível aceitar a retórica do "orgulho branco" ( um sofisma risível ) quem já estiver predisposto a isso, nesse caso quem fica espantado e intrigado sou eu.

Mesmo que eu não tivesse "percebido" o que você acha que eu não percebo, que relação lógica você encontra entre eu mostrar que "orgulho branco" é um eufemismo ( pura retórica ) para "supremacia branca", e não ser capaz de ver que existem também movimentos ( numericamente desprezíveis ) de supremacistas negros?

Isso é que é espantoso: como a partir de uma coisa, você concluiu esta outra.

Quer dizer que todos que sabem que George Lincoln Rockwell forjou esse eufemismo, e entendem com que intenção, não "percebem" que possam existir também sectários negros?

Se há alguma coisa espantosa, é o quanto essa conclusão é ilógica.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 21:25:28

Essas imagens não são inerentemente racistas, muito embora tenham origem num contexto histórico racista, do qual são praticamente indissociáveis.


Então tá bom, ilustra sua crença com uma publicidade de um homem branco ficando todo feliz, com um sorriso de orelha a orelha, por estar sendo pintado de preto.

Eu escolhi três no meio de várias que apareceram. Mas acho muito difícil que você encontre uma só em que se veja o contrário.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 31 de Janeiro de 2017, 21:33:12
Não é crença minha, mas apenas relato de fato. Não tem nada de inerentemente racista em uma coisa ser de uma cor e parecer outra, ou em pintar uma coisa de outra cor (como zebra de cavalo ou vice-versa). Só é racista pelos valores racistas.

Também é um fato que qualquer propaganda para o qual fosse por algum motivo útil um branco se pintar de negro seria vista como racista porque isso é reflexivamente associado ao "black face", logo, não existirão.

De qualquer forma, a propaganda que falei do branco magrelo que lavado vira negro musculoso já seria exemplo.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 31 de Janeiro de 2017, 21:40:49
O dia do orgulho hétero surgiu em um contexto onde o PC estava querendo impôr censura e privilégios aos gays (como o direito de não poder receber nenhuma crítica), tratando-os como judeus recém-saídos de um campo de concentração, como se todo branco heterossexual devesse oferecer a cara pra eles peidarem e ainda ficar feliz. Surgiu mais como algo jocoso, devido à crescente 'heterofobia' dominante em determinados setores da política e entre alguns acadêmicos.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 21:41:10
Entendo tudo o que você disse, Pedro Reis. Mas o fato de o orgulho negro ter se originado num contexto de discriminação em que os negros precisaram explicitar que não há motivos para se envergonhar de sua etnia, não modifica o fato de que isso pode, sim, por meio de um 'efeito mola', desencadear uma contra-reação tão racista, discriminatória e preconceituosa como a supremacia branca, e talvez tenha sido isso que o Buckaroo falou sobre processos que se retroalimentam; talvez esse orgulho negro, essa necessidade de afirmar uma auto-imagem positiva, contribua para uma frequente ocorrência de inversão dos papéis de "opressores X oprimidos". Quando, ao invés de acabar com a opressão, essas correntes supremacistas negras invertem os papéis de opressores X oprimidos, surge do lado branco algumas correntes com a necessidade de, também, afirmar-se positivamente, e dessas derivam as correntes supremacistas e assim por diante, numa guerra racial infindável.

Bom, eu não acredito que seja exatamente isso que esteja acontecendo. Pelo menos aqui no Brasil.

Recentemente postaram aqui um vídeo de uma menina negra interrompendo uma aula na USP para fazer um discurso bastante agressivo, defendendo o sistema de cotas e ao mesmo tempo culpando uma suposta raça branca por todas as mazelas dos negros.

Me lembro até que em certo momento ela disse: " Pra vocês estarem aqui minha mãe teve que lavar muito chão de banheiro!"

Pouco depois se descobriu que essa moça é de classe média alta, que viaja com frequência ao exterior, que estudou toda vida em boas escolas particulares, e, claro, sua mãe jamais lavou banheiro algum.

Pareceu muito hipócrita. Porque foi muito hipócrita.

Mas o que levam estas pessoas a fazerem estas encenações ( lembro até que ela estava de sandálias de borracha, meio fantasiada de pobre )? Eu sei muito bem porque também já estudei em faculdade pública, especialmente estudei em uma onde o DA era um dos mais ativos e influentes entre as federais no Brasil, e vi bem como funciona essa coisa.

Todo, ou quase todo o movimento estudantil, é marionetado por partidos políticos. São braços de partidos políticos infiltrados nas universidades. Existem até os chamados "alunos profissionais", caras que ficam mais de uma década na universidade sem se formar ( é pública, não estão pagando mesmo ) fazendo política estudantil. Política esta que o menos que se interesse são por questões relacionadas com o interesse dos alunos.

Estas pessoas, que deve ser o caso também dessa menina, usam o movimento estudantil como um trampolim para uma futura carreira política. Um exemplo que todo mundo conhece é o Lindenberg Farias.

Como quase tudo que se relaciona com política raramente algo é verdadeiro. Ela não é realmente sectária, supremacista negra, ou coisa semelhante, isso muito mais provavelmente não passa de um comportamento oportunista.

Se você começar a defender o absurdo de que negros devem ser indenizados pelo Estado porque há mais de cem anos houve escravidão no Brasil, possivelmente, se você for negra, consiga fisgar aí um mandatozinho de vereadora, quem sabe até de deputada... porque vai estar apelando para uma faixa do eleitorado que simplesmente não acharia ruim receber uma graninha extra inesperada.

Na minha análise, é isto que parece estar por trás desses discursos mais radicais que se vê em postulantes de líderes de movimentos negros no Brasil: mera e tão somente oportunismo político.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 21:45:08
O dia do orgulho hétero surgiu em um contexto onde o PC estava querendo impôr censura e privilégios aos gays (como o direito de não poder receber nenhuma crítica), tratando-os como judeus recém-saídos de um campo de concentração, como se todo branco heterossexual devesse oferecer a cara pra eles peidarem e ainda ficar feliz. Surgiu mais como algo jocoso, devido à crescente 'heterofobia' dominante em determinados setores da política e entre alguns acadêmicos.

Não, não foi jocoso não. Você acha que foi piada porque realmente parece piada, mas não é.

O Dia do Orgulho Hetero é um projeto de Lei do Carlos Apolinário. Do DEM.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pedro Reis em 31 de Janeiro de 2017, 21:59:01
Não é crença minha, mas apenas relato de fato. Não tem nada de inerentemente racista em uma coisa ser de uma cor e parecer outra, ou em pintar uma coisa de outra cor (como zebra de cavalo ou vice-versa). Só é racista pelos valores racistas.

Também é um fato que qualquer propaganda para o qual fosse por algum motivo útil um branco se pintar de negro seria vista como racista porque isso é reflexivamente associado ao "black face", logo, não existirão.

De qualquer forma, a propaganda que falei do branco magrelo que lavado vira negro musculoso já seria exemplo.

Olha essa!

Improving the complexion...

(http://ichef.bbci.co.uk/news/624/cpsprodpb/A691/production/_89814624_pears.png)

Hahahaha! Os caras não tinham muita imaginação... quantos milhões de anúncios iguais a estes será que foram publicados?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Shadow em 01 de Fevereiro de 2017, 08:09:10
Não é crença minha, mas apenas relato de fato. Não tem nada de inerentemente racista em uma coisa ser de uma cor e parecer outra, ou em pintar uma coisa de outra cor (como zebra de cavalo ou vice-versa). Só é racista pelos valores racistas.

Também é um fato que qualquer propaganda para o qual fosse por algum motivo útil um branco se pintar de negro seria vista como racista porque isso é reflexivamente associado ao "black face", logo, não existirão.

De qualquer forma, a propaganda que falei do branco magrelo que lavado vira negro musculoso já seria exemplo.

Olha essa!

Improving the complexion...

(http://ichef.bbci.co.uk/news/624/cpsprodpb/A691/production/_89814624_pears.png)

Hahahaha! Os caras não tinham muita imaginação... quantos milhões de anúncios iguais a estes será que foram publicados?

Mas vem cá...essa propaganda é de 2017 ou de 2016 ainda?
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Muad'Dib em 01 de Fevereiro de 2017, 09:58:17
O dia do orgulho hétero surgiu em um contexto onde o PC estava querendo impôr censura e privilégios aos gays (como o direito de não poder receber nenhuma crítica), tratando-os como judeus recém-saídos de um campo de concentração, como se todo branco heterossexual devesse oferecer a cara pra eles peidarem e ainda ficar feliz. Surgiu mais como algo jocoso, devido à crescente 'heterofobia' dominante em determinados setores da política e entre alguns acadêmicos.

A desculpa usada pelos proponentes do dia do orgulho hétero foi que a criação dele era para contrabalancear supostos privilégios que os gays estavam impondo na sociedade via politicamente correto.

A estupidez do PCismo está, há muito, sendo usada como desculpa para grupos desta estirpe para justificar sua pŕopria ignorância. O dia do orgulho hétero é um exemplo de homofobia descarado onde os homofóbicos nem coragem têm para assumir suas crenças, precisam deixar subentendido. E ai de quem tenta argumentar contra. É logo tachado de PC esquerdista.

Quais exatamente são, na sua opinião, esses supostos privilégios gays e preconceitos contra héteros?

Em outro tópico recente você argumentou que a lei áurea não podia ser usada no seu sentido positivo porque gays iriam sair agarrando todo mundo. E você é obviamente uma pessoa instruída, imagina o que a massa evangélica ou o povão que mal sabe ler pensa e faz.

Movimentos como Parada Gay e Orgulho Gay servem para combater esse tipo de "mal entendido"
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 01 de Fevereiro de 2017, 11:22:56
Quais exatamente são, na sua opinião, esses supostos privilégios gays e preconceitos contra héteros?

Sei que a pergunta não foi direcionada a mim, nem quero desviar o foco do tópico, mas permita-me colocar a minha visão.

Os grupos LGBTs não têm e não almejam privilégios, eles querem apenas igualdade de direitos como qualquer cidadão, o que está corretíssimo. Ocorre que políticos retardados como Jean Wyllys, sob o pretexto de corrigir essas desigualdades civis e, principalmente, a fim de cooptar eleitores militantes em movimentos sociais, acabam inventando projetos de lei ridículos e/ou proferindo discursos irracionais que, além de não corrigirem os problemas, ainda criam antipatia na população à respeito da causa LGBT, que é legítima e busca apenas a conquista de direitos civis. Um exemplo disso é o programa "transcidadania" instituído pelo Haddad em SP (que inclusive deve estar acabando, pois tinha prazo de 2 anos), que paga um valor "x" para que travestis possam estudar, já que a vida toda foram excluídos dos estudos por preconceito. HÃ?? Quando foi que travestis foram impedidos de fazer vestibular?

Entendo tudo o que você disse, Pedro Reis. Mas o fato de o orgulho negro ter se originado num contexto de discriminação em que os negros precisaram explicitar que não há motivos para se envergonhar de sua etnia, não modifica o fato de que isso pode, sim, por meio de um 'efeito mola', desencadear uma contra-reação tão racista, discriminatória e preconceituosa como a supremacia branca, e talvez tenha sido isso que o Buckaroo falou sobre processos que se retroalimentam; talvez esse orgulho negro, essa necessidade de afirmar uma auto-imagem positiva, contribua para uma frequente ocorrência de inversão dos papéis de "opressores X oprimidos". Quando, ao invés de acabar com a opressão, essas correntes supremacistas negras invertem os papéis de opressores X oprimidos, surge do lado branco algumas correntes com a necessidade de, também, afirmar-se positivamente, e dessas derivam as correntes supremacistas e assim por diante, numa guerra racial infindável.

Bom, eu não acredito que seja exatamente isso que esteja acontecendo. Pelo menos aqui no Brasil.

Recentemente postaram aqui um vídeo de uma menina negra interrompendo uma aula na USP para fazer um discurso bastante agressivo, defendendo o sistema de cotas e ao mesmo tempo culpando uma suposta raça branca por todas as mazelas dos negros.

Me lembro até que em certo momento ela disse: " Pra vocês estarem aqui minha mãe teve que lavar muito chão de banheiro!"

Pouco depois se descobriu que essa moça é de classe média alta, que viaja com frequência ao exterior, que estudou toda vida em boas escolas particulares, e, claro, sua mãe jamais lavou banheiro algum.

Pareceu muito hipócrita. Porque foi muito hipócrita.

Mas o que levam estas pessoas a fazerem estas encenações ( lembro até que ela estava de sandálias de borracha, meio fantasiada de pobre )? Eu sei muito bem porque também já estudei em faculdade pública, especialmente estudei em uma onde o DA era um dos mais ativos e influentes entre as federais no Brasil, e vi bem como funciona essa coisa.

Todo, ou quase todo o movimento estudantil, é marionetado por partidos políticos. São braços de partidos políticos infiltrados nas universidades. Existem até os chamados "alunos profissionais", caras que ficam mais de uma década na universidade sem se formar ( é pública, não estão pagando mesmo ) fazendo política estudantil. Política esta que o menos que se interesse são por questões relacionadas com o interesse dos alunos.

Estas pessoas, que deve ser o caso também dessa menina, usam o movimento estudantil como um trampolim para uma futura carreira política. Um exemplo que todo mundo conhece é o Lindenberg Farias.

Como quase tudo que se relaciona com política raramente algo é verdadeiro. Ela não é realmente sectária, supremacista negra, ou coisa semelhante, isso muito mais provavelmente não passa de um comportamento oportunista.

Se você começar a defender o absurdo de que negros devem ser indenizados pelo Estado porque há mais de cem anos houve escravidão no Brasil, possivelmente, se você for negra, consiga fisgar aí um mandatozinho de vereadora, quem sabe até de deputada... porque vai estar apelando para uma faixa do eleitorado que simplesmente não acharia ruim receber uma graninha extra inesperada.

Na minha análise, é isto que parece estar por trás desses discursos mais radicais que se vê em postulantes de líderes de movimentos negros no Brasil: mera e tão somente oportunismo político.

É, de fato não vejo um grupo como os Panteras Negras surgindo no Brasil, mas acho que só não o temos porque, embora o Brasil tenha sido um dos últimos países a abolir a escravidão, o racismo aqui sempre foi mais brando do que nos EUA, que chegou a ter uma guerra de secessão e apartheid. Mas não acho que as correntes mais radicais dentro do movimento negro brasileiro sejam inofensivas e não mereçam a devida atenção e reprovação pelo seu desvirtuamento, pois nos últimos anos passaram a, em nome do "orgulho negro", discriminar outras pessoas simplesmente pela raça (algo até bem difícil de categorizar num país de mestiços), cerceando a liberdade de expressão porque essas pessoas, em virtude de sua cor, supostamente não têm "lugar de fala", porque são "privilegiados", porque não passam de "colonizadores escravagistas opressores que se apropriam da cultura alheia" e que devem pagar, individualmente e pessoalmente, por uma dívida histórica da qual não são devedores.

Neste sentido, não vejo razões para se afirmar positivamente um "orgulho" negro, branco, amarelo, azul ou rosa, basta que as leis tratem todos os seres humanos com equanimidade e punam, severamente, o racismo e o preconceito, venha ele de quem vier.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 01 de Fevereiro de 2017, 16:49:33
, embora o Brasil tenha sido um dos últimos países a abolir a escravidão,

O Brasil foi o último país americano a abolir a escravidão, mas no mundo o último país a abolir foi a Mauritânia em 1980.

Boa parte dos países africanos e islâmicos tinham escravidão legalizada durante o século 20.


(Off Topic com propósito informativo).
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 01 de Fevereiro de 2017, 16:52:28
Não é crença minha, mas apenas relato de fato. Não tem nada de inerentemente racista em uma coisa ser de uma cor e parecer outra, ou em pintar uma coisa de outra cor (como zebra de cavalo ou vice-versa). Só é racista pelos valores racistas.

Também é um fato que qualquer propaganda para o qual fosse por algum motivo útil um branco se pintar de negro seria vista como racista porque isso é reflexivamente associado ao "black face", logo, não existirão.

De qualquer forma, a propaganda que falei do branco magrelo que lavado vira negro musculoso já seria exemplo.

Olha essa!

Improving the complexion...

(http://ichef.bbci.co.uk/news/624/cpsprodpb/A691/production/_89814624_pears.png)

Hahahaha! Os caras não tinham muita imaginação... quantos milhões de anúncios iguais a estes será que foram publicados?

Mas vem cá...essa propaganda é de 2017 ou de 2016 ainda?

Se usarem aquelas gravuras egípcias de 5000 anos pra mostrarem que racismo existe, eu não ficaria surpreso.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 01 de Fevereiro de 2017, 17:04:40
O dia do orgulho hétero surgiu em um contexto onde o PC estava querendo impôr censura e privilégios aos gays (como o direito de não poder receber nenhuma crítica), tratando-os como judeus recém-saídos de um campo de concentração, como se todo branco heterossexual devesse oferecer a cara pra eles peidarem e ainda ficar feliz. Surgiu mais como algo jocoso, devido à crescente 'heterofobia' dominante em determinados setores da política e entre alguns acadêmicos.

A desculpa usada pelos proponentes do dia do orgulho hétero foi que a criação dele era para contrabalancear supostos privilégios que os gays estavam impondo na sociedade via politicamente correto.

A estupidez do PCismo está, há muito, sendo usada como desculpa para grupos desta estirpe para justificar sua pŕopria ignorância. O dia do orgulho hétero é um exemplo de homofobia descarado onde os homofóbicos nem coragem têm para assumir suas crenças, precisam deixar subentendido. E ai de quem tenta argumentar contra. É logo tachado de PC esquerdista.

Pergunta oportuna: as pessoas são obrigadas a gostarem da prática homossexual?

Não vejo nada de errado em fazer uma farra exibindo o orgulho de ser homem e gostar de mulher, ou vice versa. Daria uma ótima deixa pra umas orgias posteriores.  :wink:

Citar
Quais exatamente são, na sua opinião, esses supostos privilégios gays e preconceitos contra héteros?

Censurar e criminalizar declarações de desaprovação a práticas homossexuais, inclusive dentro de liturgias religiosas.

Há pessoas que chegam a censurar a própria prática sexual!!! Há feministas que querem censurar rituais sociais de corte entre homem e mulher!!! São idiotas? Claro que são, mas não advogo a censura ou criminalização de suas declarações por isso.

Gosto é igual a cu, cada um tem o seu.

Agressões físicas ou morais contra homossexuais ou qualquer pessoa já são protegidas pela legislação.

Citar
Em outro tópico recente você argumentou que a lei áurea não podia ser usada no seu sentido positivo porque gays iriam sair agarrando todo mundo. E você é obviamente uma pessoa instruída, imagina o que a massa evangélica ou o povão que mal sabe ler pensa e faz.

Eu disse que a versão positiva da lei (fazer aos demais o que gostaria que fizessem contigo) é inadequada porque as pessoas têm gostos diferentes, e usei os homossexuais como exemplo: um homossexual gostaria de receber cantada de um homem, logo ele deveria sair cantando os homens.

Foi só um exemplo. Mantenho a afirmação.

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 01 de Fevereiro de 2017, 17:29:14
O dia do orgulho hétero surgiu em um contexto onde o PC estava querendo impôr censura e privilégios aos gays (como o direito de não poder receber nenhuma crítica), tratando-os como judeus recém-saídos de um campo de concentração, como se todo branco heterossexual devesse oferecer a cara pra eles peidarem e ainda ficar feliz. Surgiu mais como algo jocoso, devido à crescente 'heterofobia' dominante em determinados setores da política e entre alguns acadêmicos.

A desculpa usada pelos proponentes do dia do orgulho hétero foi que a criação dele era para contrabalancear supostos privilégios que os gays estavam impondo na sociedade via politicamente correto.

A estupidez do PCismo está, há muito, sendo usada como desculpa para grupos desta estirpe para justificar sua pŕopria ignorância. O dia do orgulho hétero é um exemplo de homofobia descarado onde os homofóbicos nem coragem têm para assumir suas crenças, precisam deixar subentendido. E ai de quem tenta argumentar contra. É logo tachado de PC esquerdista.

Pergunta oportuna: as pessoas são obrigadas a gostarem da prática homossexual?

Por que essa pergunta é "oportuna", o que tem a ver com o assunto?

Soa meio como perguntar "as pessoas são obrigadas a gostar de 'carrinho de mão'", ou "as pessoas são obrigadas a gostar de negros".

Citar
Citar
Quais exatamente são, na sua opinião, esses supostos privilégios gays e preconceitos contra héteros?

Censurar e criminalizar declarações de desaprovação a práticas homossexuais, inclusive dentro de liturgias religiosas.

Seria também "privilégio" dos negros censurar e criminalizar declarações de inferioridade racial dentro de liturgias religiosas?

Não há diferença, exceto por ser negro não ser definido por uma prática, que, em tese, poderia ser evitada.



Citar
Há pessoas que chegam a censurar a própria prática sexual!!! Há feministas que querem censurar rituais sociais de corte entre homem e mulher!!! São idiotas? Claro que são, mas não advogo a censura ou criminalização de suas declarações por isso.

Admitindo a possibilidade de haver exagero de alguns (talvez de muitos), me parece que se trata mais de censurarem também o que já é teoricamente "censurado" por lei, não "rituais sociais de corte entre homem e mulher", mas mais molestação/importunação de cunho sexual.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Lucks em 01 de Fevereiro de 2017, 19:04:08
De modo  geral, qualquer tipo de diferenciação racial, religiosa, sexual, etc é totalmente idiota.
contudo, eu apoio a ideia de que o "esforço" deve ser empregado no sentido de "enfiar guela abaixo de todos" a igualdade de todos o seres humanos...e só.
A partir do momento que existe um "orgulho gay", abre-se um precedente pra que seja aceitável um "orgulho hétero", o mesmo para cores de pele e demais idiotices. Caso contrário, você está sim discriminando a "não minoria".

Como exemplo vamos pegar a cota pra negros nas universidades: Se há conta para negros, porque não para deficiente físicos? E assim...porque não para descendentes indígenas? E porque não para gays? etc..etc...etc.. Se incluir todas as minorias, o que vai sobrar será uma "minoria" que não se enquadrou em nenhuma das outras minorias e por isso está sendo discriminada com um menor acesso  universidade.

Ou seja, o único caminho válido(a meu ver) é impor a igualdade em todos os aspectos, qualquer beneficio de qualquer tipo pra qualquer grupo é em ultima análise discriminatório.   
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 01 de Fevereiro de 2017, 19:38:08
Isso é meio como dizer, "se pode ter greve de empregados por seus direitos, pode também ter greve de patrões", "se as mulheres podem protestar por serem vítimas de violências, os homens podem protestar pelo direito de serem violentos". Uma pseudo-equivalência entre as coisas.

Aliás, algum desses grupos humorísticos bem poderia fazer uma "reportagem" sobre casos como de uma pessoa hétero, filho de um casal gay, de uma família toda gay, e a dificuldade em sair do armário como hétero, tendo que se fingir de gay a vida toda, no trabalho até, na escola, etc.


Como alguém colocou em algum momento, esses "orgulhos" dessas minorias são só forma mais resumida de se dizer "não há motivo para ter vergonha de ser X", e não um orgulho "puro", que se diz de alguém "orgulhoso". Assim sendo, não se aplica a grupos majoritários/não historicamente ostracizados. Como se bem pudesse ter sido, "parada do orgulho loiro", de gente que simplesmente era convencida por ter cabelo visto como bonito por muitos, e resolvessem celebrar isso numa parada.

E há cotas para deficientes físicos e para índios, em muitos casos, diga-se de passagem. Talvez haja quem proponha também para gays, ainda que acho que talvez não haja nem o motivo estatístico para isso, de uma desproporção, a qual comumente assumem automaticamente se dever a discriminação indevida. Na verdade, talvez seja até um pouco o oposto, ao menos é assim no que concerne a riqueza, e como isso tem alguma correlação com estudo, então talvez também haja essa correlação.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Lucks em 01 de Fevereiro de 2017, 20:10:37
Citar
Isso é meio como dizer, "se pode ter greve de empregados por seus direitos, pode também ter greve de patrões",
Greve de patrões é perfeitamente viável, embora normalmente não faça sentido, chegou-se mesmo a cogitar-se essa possibilidade a pouco tempo atrás durante o desenrolar dos problemas do planalto.
Citar
"se as mulheres podem protestar por serem vítimas de violências, os homens podem protestar pelo direito de serem violentos"
Não...mas os homens poderiam protestar por serem vitimas de  mulheres violentas.

Citar
Aliás, algum desses grupos humorísticos bem poderia fazer uma "reportagem" sobre casos como de uma pessoa hétero, filho de um casal gay, de uma família toda gay, e a dificuldade em sair do armário como hétero, tendo que se fingir de gay a vida toda, no trabalho até, na escola, etc.
O caso do hétero filho de um casal gay também é perfeitamente válido se for um situação real. Mas acredito que em geral, homossexuais tendem  ser mais flexíveis quanto a isso e aceitariam a heterossexualidade de seus filhos.

Citar
Como alguém colocou em algum momento, esses "orgulhos" dessas minorias são só forma mais resumida de se dizer "não há motivo para ter vergonha de ser X", e não um orgulho "puro", que se diz de alguém "orgulhoso". Assim sendo, não se aplica a grupos majoritários/não historicamente ostracizados. Como se bem pudesse ter sido, "parada do orgulho loiro", de gente que simplesmente era convencida por ter cabelo visto como bonito por muitos, e resolvessem celebrar isso numa parada.
A questão é que não vejo uma maneira infalível de delimitar quando "orgulho" refere-se a "orgulho mesmo" ou "não ter vergonha". Logo...sob uma análise fria, ou pode para todos ou para ninguém.
Citar
E há cotas para deficientes físicos e para índios, em muitos casos, diga-se de passagem. Talvez haja quem proponha também para gays, ainda que acho que talvez não haja nem o motivo estatístico para isso, de uma desproporção, à qual comumente assumem automaticamente se dever a discriminação indevida. Na verdade, talvez seja até um pouco o oposto, ao menos é assim no que concerne a riqueza, e como isso tem alguma correlação com estudo, então talvez também haja essa correlação.
Confesso que me perdí na interpretação desse texto...mas até onde acompanhei...não invalida o que sugeri sobre como beneficiar alguns é discriminar os demais.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Shadow em 02 de Fevereiro de 2017, 08:06:04
Citar
Isso é meio como dizer, "se pode ter greve de empregados por seus direitos, pode também ter greve de patrões",
Greve de patrões é perfeitamente viável, embora normalmente não faça sentido, chegou-se mesmo a cogitar-se essa possibilidade a pouco tempo atrás durante o desenrolar dos problemas do planalto.
Citar
"se as mulheres podem protestar por serem vítimas de violências, os homens podem protestar pelo direito de serem violentos"
Não...mas os homens poderiam protestar por serem vitimas de  mulheres violentas.

Citar
Aliás, algum desses grupos humorísticos bem poderia fazer uma "reportagem" sobre casos como de uma pessoa hétero, filho de um casal gay, de uma família toda gay, e a dificuldade em sair do armário como hétero, tendo que se fingir de gay a vida toda, no trabalho até, na escola, etc.
O caso do hétero filho de um casal gay também é perfeitamente válido se for um situação real. Mas acredito que em geral, homossexuais tendem  ser mais flexíveis quanto a isso e aceitariam a heterossexualidade de seus filhos.

Citar
Como alguém colocou em algum momento, esses "orgulhos" dessas minorias são só forma mais resumida de se dizer "não há motivo para ter vergonha de ser X", e não um orgulho "puro", que se diz de alguém "orgulhoso". Assim sendo, não se aplica a grupos majoritários/não historicamente ostracizados. Como se bem pudesse ter sido, "parada do orgulho loiro", de gente que simplesmente era convencida por ter cabelo visto como bonito por muitos, e resolvessem celebrar isso numa parada.
A questão é que não vejo uma maneira infalível de delimitar quando "orgulho" refere-se a "orgulho mesmo" ou "não ter vergonha". Logo...sob uma análise fria, ou pode para todos ou para ninguém.
Citar
E há cotas para deficientes físicos e para índios, em muitos casos, diga-se de passagem. Talvez haja quem proponha também para gays, ainda que acho que talvez não haja nem o motivo estatístico para isso, de uma desproporção, à qual comumente assumem automaticamente se dever a discriminação indevida. Na verdade, talvez seja até um pouco o oposto, ao menos é assim no que concerne a riqueza, e como isso tem alguma correlação com estudo, então talvez também haja essa correlação.
Confesso que me perdí na interpretação desse texto...mas até onde acompanhei...não invalida o que sugeri sobre como beneficiar alguns é discriminar os demais.

Veja, no frigir dos ovos o preceito constitucional busca IGUALAR o jogo e, para isso, exige-se, por pura necessidade, tratamento dessemelhado entre cidadãos. A igualdade pura e simples é o liberalismo em estado puro, e a coisa não vira desse jeito, como nossa história já demonstra com muitos exemplos.

O problema começa quando determinado grupo, seja ele qual for, resolve que deve ser PRIVILEGIADO por conta de determinada situação, apenas pelo fato de supostamente integrar determinado grupo. Basta ver o desserviço que o Jean Willlys presta à causa que supostamente defende. Tomemos o exemplo do  Buck quando ele cita com acerto as cotas. Cursei graduação (privada). Duas pós (privadas) e mestrado (privado). Nessa trajetória toda tive UM colega de sala negro. Aliás, na antiga denominação, e não sei se ainda é politicamente correta, "cafuzo" (Hendrix também era!!!), pois descendente de índios e negros. Esse meu grande amigo chegou lá por esforço pessoal puro, é servidor público de nível superior e um excepcional advogado público, e muito bem estabelecido. Mas não há como negar um certo desequilíbrio ai. Veja, em mais de uma década de academia, UM colega negro. Assim, políticas que combatam essa desigualdade, em meu entender, fazem sentido.

Talvez, porém, as cotas gerasse menor discussão se outros aspectos fossem observados, como condição socioeconômica e histórico escolar. Não faz sentido algum um beneficiado de alto poder aquisitivo e boa formação acadêmica obter tal benefício, mesmo porque irá suprimir a vaga destinada a outro cidadão que seria verdadeiramente o objeto da política.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 02 de Fevereiro de 2017, 11:25:18
Esse meu grande amigo chegou lá por esforço pessoal puro, é servidor público de nível superior e um excepcional advogado público, e muito bem estabelecido. Mas não há como negar um certo desequilíbrio ai. Veja, em mais de uma década de academia, UM colega negro. Assim, políticas que combatam essa desigualdade, em meu entender, fazem sentido.

Talvez, porém, as cotas gerasse menor discussão se outros aspectos fossem observados, como condição socioeconômica e histórico escolar. Não faz sentido algum um beneficiado de alto poder aquisitivo e boa formação acadêmica obter tal benefício, mesmo porque irá suprimir a vaga destinada a outro cidadão que seria verdadeiramente o objeto da política.

Você estudou em instituições privadas, é natural que tenha menos negros já que a população negra é mais pobre por conta da dívida histórica, mas a questão é que os brancos de hoje não são devedores e não merecem ser discriminados nesse processo de correção. É necessário reequilibrar as coisas, mas acho difícil que isso ocorra por meio de cotas em instituições públicas, que ainda é um dos poucos lugares onde um processo seletivo pode ser mais meritório, diferentemente da iniciativa privada em que um negro não é contratado, mesmo tendo maior qualificação, simplesmente pelo seu fenótipo. Seria o caso de se pensar, então, em cotas nas empresas privadas, assim como ocorre com as cotas de deficientes cujo preenchimento é obrigatório para empresas com mais de 100 empregados, se não me engano.

Cotas sociais fazem muito mais sentido em processos seletivos (universidades, concursos) do que as raciais, pois não faz distinção de raça e cumpre a mesma função de buscar reduzir a desigualdade e incluir socialmente os negros, principalmente se pensarmos que 70% da população pobre é comporta de negros e pardos.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 02 de Fevereiro de 2017, 12:30:18
Acredito que aqui no Brasil, as pessoas de fenótipo negro nunca terão uma renda média igual as de fenótipo branco, por mais políticas racialistas que sejam feitas e por mais esforçados que eles sejam.

Mesmo que todas as demais condições se igualem, ainda sobrará uma diferença importante decorrente do fenômeno social de "embranquecimento" das famílias de negros que ficam ricos.





http://lugardemulher.com.br/a-solidao-da-mulher-negra-e-o-racismo-cotidiano/

"Talvez eu novamente não tenha ficado satisfeita com o resultado, e, percebendo que eu seguia poucos famosos no instagram, resolvi dar um breve passeio pelas contas de algumas “celebridades”, pelo bem da observação. Dessa vez observei apenas os homens negros – cantores pop, atores, atletas. Eu gostaria que vocês chutassem o resultado dessa busca. Podia ter um, pra fechar certinho minha curva descendente, mas não. Dez, dos dez homens negros pesquisados, namoram ou estão casados com mulheres brancas."

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 02 de Fevereiro de 2017, 13:44:54
Essa lógica parece assumir dominância do fenótipo branco, quando o contrário é mais próximo da verdade. Ainda assim, mestiços poderão ter filhos com ambos os fenótipos, algumas vezes até gêmeos:

(http://www.blogcdn.com/www.parentdish.co.uk/media/2012/03/black-and-white-twins-4.jpg)

(https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/e3/b3/0c/e3b30c437030a29ab0a0c1b2a85b5bee.jpg)

Então, mesmo que o enriquecimento de negros seja correlato a "empardecimento", o fenótipo negro não deverá ser completamente extinto junto com uma ascenção social "total" e exogamia racial generalizada. Na verdade, como a tendência é o fenótipo negro ser mais dominante, isso de certa forma "acelera" a ascenção relativa da renda de pessoas com fenótipo negro. Até por também do outro lado, haver alguma correlação também a empobrecimento de brancos e miscigenação, assim também branqueando os pobres, aproximando gradualmente as médias.


Mas mais significativo que isso, acho que o raciocínio tem simplesmente como assunção a própria conclusão. Já que um "vazamento" racial de riqueza em última instância não impediria a eventual nivelação de renda sozinha, apenas a atrasaria.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 02 de Fevereiro de 2017, 14:12:14
Mas mais significativo que isso, acho que o raciocínio tem simplesmente como assunção a própria conclusão. Já que um "vazamento" racial de riqueza em última instância não impediria a eventual nivelação de renda sozinha, apenas a atrasaria.

Impede o nivelamento se houver maior exogamia entre os negros ricos do que os pobres. Se a exogamia for igual, aí sim igualaria em algum momento.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 02 de Fevereiro de 2017, 15:04:56
Acho que só impede se a taxa de "vazamento" de renda por branqueamento for maior ou igual do que a taxa de crescimento de renda, nivelando pela a renda branca como se fosse "fixa".

Sem contar a possibilidade do "empardecimento"/"enegrecimento" dos ricos, pela dominância desse fenótipo, ser um efeito na direção contrária mais significativo, o que deve ser mais provável. Ao menos é mais "forte" em nível individual, embora isso se enfraqueça em nível populacional, já que a maioria dos ricos é branca, então os negros que enriquecem tenderão a diluir, inicialmente, sua descendência num número maior de brancos.

Alguém pode ser "70% branco", geneticamente, mas ser "100% negro", fenotipicamente. Parte dessa miscigenação branca podendo ser correlata a àscenção econômica, o que é em outras palavras um "enegrecimento dos brancos/ricos".

(http://cdn.ofuxico.com.br/img/upload/noticias/2010/01/28/84951_36.jpg)

"Eu vou pela cor da pele. Se eu disser que sou 67% europeu, nego vai achar que estou de gozação" - Afrodescendentinho da Beija-flor

http://www.bbc.com/portuguese/reporterbbc/story/2007/05/070424_dna_neguinho_cg.shtml

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 02 de Fevereiro de 2017, 15:11:23
http://lugardemulher.com.br/a-solidao-da-mulher-negra-e-o-racismo-cotidiano/

"Talvez eu novamente não tenha ficado satisfeita com o resultado, e, percebendo que eu seguia poucos famosos no instagram, resolvi dar um breve passeio pelas contas de algumas “celebridades”, pelo bem da observação. Dessa vez observei apenas os homens negros – cantores pop, atores, atletas. Eu gostaria que vocês chutassem o resultado dessa busca. Podia ter um, pra fechar certinho minha curva descendente, mas não. Dez, dos dez homens negros pesquisados, namoram ou estão casados com mulheres brancas."


Lembrando que o movimento negralista chama esses negros de "palmiteiros", pois eles deveriam estar se relacionando com a "sua gente", e não com branquinhas "sendo seu escravo particular" rebaixando a mulher negra para o "uso mundano". Certamente isso é uma defesa descarada de racismo e segregação, mas como é feito por "oprimidos" é algo totalmente aceitável.

http://www.almapreta.com/o-quilombo/tu-palmitas-e-nos-preteridas

http://blogueirasnegras.org/2016/08/22/o-incrivel-caso-do-homem-negro-palmiteiro/
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 02 de Fevereiro de 2017, 15:43:12
O engraçado é que essa acusação de "rejeição racial" vem dos dois lados, os homens negros também acusando negras de "palmiteiras", apenas dissociado desse discurso feministóide.

Será que as pessoas não percebem que pode ser que, se considerando aleatoriedade total, não-discriminação total, haveria maiores chances de pessoas negras se relacionarem com uma maioria de pessoas brancas? Mas precisam de qualquer forma enxergar discriminação em tudo.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 02 de Fevereiro de 2017, 20:05:21
O engraçado é que essa acusação de "rejeição racial" vem dos dois lados, os homens negros também acusando negras de "palmiteiras", apenas dissociado desse discurso feministóide.

Será que as pessoas não percebem que pode ser que, se considerando aleatoriedade total, não-discriminação total, haveria maiores chances de pessoas negras se relacionarem com uma maioria de pessoas brancas? Mas precisam de qualquer forma enxergar discriminação em tudo.

Textos e queixas de mulheres negras alegando serem preteridas pelos homens bem-sucedidos (negros inclusos) abundam na internet.

O problema é pior com as mulheres negras bem-sucedidas, que não ficam satisfeitas com homens de condição econômica inferior: os seus alvos bem-sucedidos (sejam negros ou brancos) preferem as brancas.

Já vi várias reportagens e artigos falando disso.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 02 de Fevereiro de 2017, 20:18:27
Como é comum no mimimizismo feministóide em geral, não deve ter muita preocupação com uma exame criterioso e muito menos matemático da coisa.

"Sou solteira, e negra, logo, racismo". Podendo se substituir "negra" por qualquer coisa que julguem que a sociedade largamente considera indesejável, feminista, independente/bem-sucedida, inteligente, "fácil", etc. No discurso de "negra" acho que mais comumente misturam com "fácil" do que com "bem sucedida".

Podem ter algum nível de verdade várias dessas coisas, mas não é proporcional ao escarcéu e não vai bater sempre com as "teorias" (de qualquer lado). E vai ter em alguns casos a contribuição das próprias mulheres no fenômeno, como preferirem homens que ganhem mais do que elas, também.

https://hbr.org/2016/04/even-the-thought-of-earning-less-than-their-wives-changes-how-men-behave
http://www.slate.com/articles/business/the_dismal_science/2012/12/women_who_earn_more_than_men_men_don_t_like_it.html
http://www.livescience.com/7483-beautiful-women-marry-attractive-men.html (LESS attractive men)
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: DDV em 02 de Fevereiro de 2017, 20:27:06
E vai ter em alguns casos a contribuição das próprias mulheres no fenômeno, como preferirem homens que ganhem mais do que elas, também.

As mulheres consideram a forma "correta" de relacionamento terem um homem que ganhe mais, pensam nisso quase como um direito natural* delas, algo tão óbvio e pressuposto que nem é citado. As mulheres bem-sucedidas, fiéis a esse instinto, se vêem com menos "opções", e se forem negras, se sentem indesejadas.

*Assim como todos os homens acham que é seu 'direito natural' terem uma mulher bonita, mesmo o mais ralé e esquisito deles... e sem estarem na Suécia, onde praticamente toda mulher é bonita.  :D
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 02 de Fevereiro de 2017, 20:46:15
De foruns:


Citar
Black Female Celebrities who date White men

.....

SELL outs, more sell outs, white washed, brain washed, groupies, no rings on their fingers.

sleeping with white men to try and boost up their self esteem. SAD SAD SAD black females.




Citar
Sunflower are you saying that maybe those black women were driven away by black men?

....

I certainly think so. Halle Berry was abused by black men over and over again. She said she tried black men. She tried. But still, they mistreated her. Just like so many others have said. So yes, I think black men drive black women away. Just look at some of the comments made by black men who date outside thier race. I've heard/read some of the most crueliest and harsh things said about black women from black men all to appease non black women. Its sicken. And very ignorant, rude and disrespectful. So no, I'm not gonna hate on black women who find love and acceptance from another race. And don't get mad when you see a sista strutten down the street with her non black husband/boyfriend either.



Twitter: "Se sou palmiteira a palmitagem me escolheu por motivos de sempre ter sido rejeitada por todas as pessoas negras que tentei me relacionar."
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 10 de Fevereiro de 2017, 19:50:50
Agora os patrulheiros SJWs que pregam a segregação racial estão incomodando uma moça branca com câncer por ela estar usando um turbante na cabeça, e isso seria "Apropriação Cultural".

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1929800533906839&set=a.1380696852150546.1073741829.100006307320692&type=3&theater
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Lorentz em 10 de Fevereiro de 2017, 21:01:33
O Cardoso escreveu dois ótimos texto sobre militância feminista e quadrinhos. Os patrulheiros exigem  quadrinhos lacradores mas não gastam um único centavo comprando eles, forçando as editoras a voltar com a fórmula padrão:

http://contraditorium.com/2017/02/08/sutileza-cueca/

http://contraditorium.com/2017/02/10/militar-e-preciso-mas-tirar-escorpiao-bolso-tambem-ajuda-floquinho/
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 10 de Fevereiro de 2017, 22:22:40
O Cardoso escreveu dois ótimos texto sobre militância feminista e quadrinhos. Os patrulheiros exigem  quadrinhos lacradores mas não gastam um único centavo comprando eles, forçando as editoras a voltar com a fórmula padrão:

http://contraditorium.com/2017/02/08/sutileza-cueca/

http://contraditorium.com/2017/02/10/militar-e-preciso-mas-tirar-escorpiao-bolso-tambem-ajuda-floquinho/
Praticamente tudo hoje deve agradas aos patrulheiros progressistas. É só analisar o marketing das grandes marcas, também. Lembro que nesses dias "x Pepsi pxstxu algx nesse nível" e as pessoas caíram em cima.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Gauss em 10 de Fevereiro de 2017, 22:59:54
Finalmente os brancos deixarão os negros usarem cabelos crespos na Bahia. Ufa! Xô escravidão!

(https://pbs.twimg.com/media/C4V8hKWWMAAS6QR.jpg)
http://www.correio24horas.com.br/detalhe/salvador/noticia/lei-institui-dia-do-empoderamento-do-cabelo-crespo-em-salvador/?cHash=797ee18434dae134fa2c0a1ed7562816
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 10 de Fevereiro de 2017, 23:00:36
De novo essa revolta contra turbantes? Da outra vez tinha a ver com câncer, também?


Comentário em um dos textos:

Citar

Muito bom o texto.

Eu sou mulher e gorda. Não, não estou falando de "gordinha", e sim de gorda mesmo. Já sofri de baixa autoestima e bullying, então podia muito bem ficar aqui chorando as minhas pitangas, mas apreendi na dureza que sentir pena de si mesmo só te coloca para baixo (Tumblr, bora apreender essa lição). E sabia o que eu sinto quando olho um título como esse Faith?

Vergonha alheia.. e um pouco de tédio.

Os SJW falam tanto de igualdade e respeito, mas no final das contas são os que mais separam as pessoas em categorias, e esses heróis "empoderados" e "diversificado" tornam-se chatos. Afinal na cabeça dessas pessoas mulheres só podem ter problemas por serem mulheres, negros só podem ter problemas por serem negros, gordos só podem reclamar de ser gordos. E o personagem nunca pode verdadeiramente sofrer com isso. Não! De acordo com os SJW, os personagens tem que sempre terminar vencendo o opressor a cada edição com uma frase politicamente correta que parece q foi retirada diretamente do Tumblr. Tornam-se histórias insuportáveis de personagens que facilmente podem ser substituídos por um igualzinho, já que tudo que importa é uma característica física.

E como o texto bem abordou, não é que você tem que retirar políticas e questões sociais das histórias. Não! Olha o Arqueiro verde por exemplo. Quando retiraram esse lado dele nos N52 o personagem flopou. Agora no Rebirth esse lado está voltando com tudo, e as histórias estão ótimas. Pois não são só apenas isso! É isso que parece que a Marvel não está entendendo (e o resto da mídia no geral). As pessoas só querem boas histórias e bons personagens.

É simples.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 11 de Fevereiro de 2017, 12:44:06
Se tem uma coisa que eu nunca vou entender é a tal da "apropriação cultural".

Primeiro que não existe uma cultura pura, os seres humanos assimilam hábitos culturais uns dos outros, de modo que com o passar do tempo algumas tradições se fundem e tornam-se indissociáveis. O próprio sincretismo religioso, que faz surgir novas religiões da junção de outras, denota isso. Cultura não tem dono, tem vida própria.

Até hoje nenhum militante da "apropriação cultural" conseguiu me explicar, racionalmente, de que forma o fato de uma pessoa branca usar um adereço da suposta cultura negra, poderia, objetivamente, "esvaziar o significado" do símbolo de luta contra o preconceito e a pela emancipação negra. Por que seria uma opressão ou um esvaziamento de significado da luta negra usar um adereço porque é moda, porque gosta ou acha bonito, ou porque quer esconder a falta de cabelo da quimioterapia. Aliás, apesar de ser redundante dizer isso, é verdade que uma cultura só existe se for cultivada, praticada, lembrada. Logo, o fato de brancos aderirem à hábitos ou objetos que remetem à dita "cultura negra", só valoriza a mesma. Usar um símbolo de luta não é lembrar da referida luta? Se um branco (que representa o opressor de outrora) usa um símbolo de luta do negro (oprimido), não seria isso, simbolicamente falando, um reconhecimento dos erros dos antepassados que fizeram uma aculturação violenta, vilipendiando a cultura de negros e índios da época?

Em alguns textos mais ressentidos pode-se perceber a real intenção por trás do combate à "apropriação cultural", que nada mais é do que desejo de vingança: se outrora brancos nos apontaram o dedo na cara e nos proibiram certas coisas, hoje os negros, por vingança, farão o mesmo com os brancos, olho por olho. São pessoas que deveriam tratar seus traumas (sejam decorrentes de racismo, sexismo ou homofobia) com profissionais adequados, e não em militâncias sociais.

http://blogueirasnegras.org/2017/01/17/pessoas-brancas-nem-tudo-e-sobre-voces/

Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 11 de Fevereiro de 2017, 13:12:27
Eu acho que mais do que o objetivo aparente nesses textos e argumentações, há o desejo de ser politicamente correto/guerreiro da justiça social. Então estão sempre em busca de criar problemas de plaboyzinhos privilegiados de primeiro mundo sobre os quais choramingar histericamente. Conseguem assim admiração social como guerreirxs, e sentem-se bem consigo mesmos, por mais pífia que seja sua "causa".

Em algum ponto na hierarquia, isso também rende dinheiro a alguém (os donos dos sites/redes de sites), ainda que a maioria dos SJWs em si deva ser voluntário ou mal pago.

(Muito disso também se aplica à versão "mundo bizarro" do fenômeno, os Politically Incorrect Warriors, Man's Rights Warriors, White Genocide Savior Warriors, etc, com a diferença principal de menor popularidade e logo um nicho mais restrito para quem lucra com a coisa no fim das contas)



Também tem similaridade e talvez até psicologia em comum com os defensores de valores e bons costumes tradicionais/conservadores "clássicos", um pouco análogos a esses do "mundo bizarro", mas sem racismo, e sem parecer que têm sérios traumas e ressentimentos por relações frustradas com mulheres.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Freya em 12 de Fevereiro de 2017, 10:02:57
Em algum ponto na hierarquia, isso também rende dinheiro a alguém (os donos dos sites/redes de sites), ainda que a maioria dos SJWs em si deva ser voluntário ou mal pago.

Certamente.
E a Avon, por exemplo, não perdeu tempo:



Só acho curioso que as "manas" enxergam a Globeleza como símbolo de objetificação da mulher negra, mas adoram essa tal de Karol Conka. Coerência zero.


Também tem similaridade e talvez até psicologia em comum com os defensores de valores e bons costumes tradicionais/conservadores "clássicos", um pouco análogos a esses do "mundo bizarro", mas sem racismo, e sem parecer que têm sérios traumas e ressentimentos por relações frustradas com mulheres.

Sim, SJWs se encostam nos conservadores fanáticos cristãos nas extremidades da ferradura. E a frase sublinhada define bem os "masculinistas da real", rs.
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pagão em 12 de Fevereiro de 2017, 11:50:13
A pergunta é: Brancos podem ter orgulho de sua "raça" ou isso é racismo?

Por que razão você coloca "raça" entre aspas e já não o faz com racismo?

Parece que agora é moda declarar que só há uma raça, a raça humana, o que, pela mesma  lógica, implica que não pode haver racismo nem discriminação racial... Arranjem outros termos...

O oportunismo político na definição de raça tem implicações que esse mesmo oportunismo procura ignorar, porque não lhe convém...
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Fevereiro de 2017, 12:49:53
Em algum ponto na hierarquia, isso também rende dinheiro a alguém (os donos dos sites/redes de sites), ainda que a maioria dos SJWs em si deva ser voluntário ou mal pago.

Certamente.
E a Avon, por exemplo, não perdeu tempo:

Não falava tanto disso, de tentar associar a imagem ao visto como positivo, mas mais o outro lado da coisa, os sites terem audiência e anunciantes e etc.

Citar
https://clairelehmann.net/2014/02/17/wp-mep3lulk-3j/

PSEUDO-FEMINIST PLATFORMS PUT WOMEN IN HARM’S WAY

....

It seems that media companies have played a trick on female writers. Inexperienced writers feel privileged just to be published – to have a “voice” – and that exercising this “voice” is a political, feminist act. It isn’t. Women have been writers forever. Receiving slave wages from a corporate employer, while suffering abuse from deranged trolls is not empowerment, it is exploitation. As Baird’s op-ed illustrates, it puts some writers’ mental health at risk.

The essay Hate Sinks, about a young woman employed to moderate comments for an unnamed newspaper’s site, describes the subtle exploitation. She says she feels “lucky” to have job in the current media climate, where journalists are now laid-off en masse

...

In Australia and the US, media companies are mostly run by men. Jezebel is owned by Gawker media, which is owned by Nick Denton. DailyLife is a Fairfax publication whose chairman and CEO are both men. Say Media (which runs xoJane) is owned by Matt Sanchez. It is ironic, but not surprising that so-called feminist media can all be traced back to male owners, CEOs and chairmen. It is these executives and their shareholders who profit, not the writers receiving abuse.

If pseudo-feminist platforms were as “pro-woman” as they declare themselves to be, they would pay women decent salaries, not pitiful freelancer rates. And we would see writing of depth and quality with a mixture of new writers as well as old. Until that happens, they will continue to use these vulnerable women to court outrage, in their constant search for clicks and cash.












A pergunta é: Brancos podem ter orgulho de sua "raça" ou isso é racismo?

Por que razão você coloca "raça" entre aspas e já não o faz com racismo?

Parece que agora é moda declarar que só há uma raça, a raça humana, o que, pela mesma  lógica, implica que não pode haver racismo nem discriminação racial... Arranjem outros termos...

O oportunismo político na definição de raça tem implicações que esse mesmo oportunismo procura ignorar, porque não lhe convém...

Suponha, pelo argumento, que de fato se pode dizer que "não existem raças". Isso não impede automaticamente das pessoas terem posições racistas baseadas em divisões raciais inexistentes (que do que obviamente os racistas discordariam). Então falaríamos de "raça" entre aspas, e racismo sem.

Mas de fato existe o problema que, parece que em 99% do tempo, existe a assunção de que constatação de que "existem raças"  teria como conseqüência lógica "então racismo é correto".

Então racistas vão logicamente defender a existência de raças, e anti-racistas, a inexistência. Embora a princípio a última posição possa parecer uma ingenuidade gritante, é também em parte resultado de uma "evolução", polarização, de argumentos com maior nuances, "pode se dizer existirem raças, porém, elas não têm toda essa diferença que racistas atribuem a elas". Que, para todos os efeitos, aquilo que os racistas dizem ser raças, não existe.









https://www.youtube.com/v/H19AMpELMew

https://www.youtube.com/v/6RUEtN-QRa0


Me lembrou desse texto:

http://liberalconspiracy.org/2009/05/13/a-different-approach-to-the-bnp/



No segundo vídeo eles mencionam alguns pontos em comum sobre o discurso trumpista e o que o KKK usa para atrair membros. É interessante que não é uma vilanização, foge compleamente da linha de "racistas ignorantes estúpidos", indo pela rota de empatia.


Em um vídeo mencionado, em entrevista com ex-neonazi, eles mencionam que enquanto termos como "globalistas", "elites", podem soar para a maioria de forma tão literal quanto possível, isso soa para outros como um eufemismo para "judeus que controlam tudo". O discurso tem a mesma linguagem, faz os mesmos pontos, apenas fazendo essa substituição. É a tática de "apito de chamar cachorro", referente a diferentes pessoas "não ouvirem" esse aspecto do discurso, da mesma forma que para as pessoas o apito de chamar cachorro é "silencioso" para muitas pessoas.


https://www.youtube.com/v/pESEJNy_gYQ

"I have more respect for this black men than for all you white niggers" :histeria:
Título: Re:Quando o orgulho de ser branco,vira racismo?
Enviado por: Pagão em 24 de Fevereiro de 2017, 18:30:42
http://expresso.sapo.pt/internacional/2017-02-23-Protesto-estudantil-contra-violencia-policial-bloqueia-varios-liceus-em-Paris

Vejam a primeira linha do 2º parágrafo... e o mesmo ouvi da boca de uma locutora no Telejornal... "jovem de RAÇA NEGRA!"... Quando convém ao seu objetivo logo os "bem pensantes" se esquecem de que não há raças... ou apenas há a raça humana!... Como gostam de alegar sob pretensa cobertura científica... Mas o oportunismo está-lhes na massa do sangue... nem lhes basta violência sobre jovem de pele escura, tem de ser jovem de raça negra... pura manipulação... Há deliberadamente a tónica na "raça". :enjoo:

Neste caso, o canal televisivo que vi e o jornal Expresso que li são do mesmo magnata da comunicação social... Coincidência? A raça é mesmo apenas uma arma para utilização política... ninguém está realmente preocupado com conclusões científicas... :idea: