Forum Clube Cetico

Discussões => História, Sociedade, Comportamento e Filosofia => Tópico iniciado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 04:45:40

Título: 'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 04:45:40
(http://revistaimoveis.zap.com.br/imoveis/wp-content/uploads/2014/05/bandeira.jpg)

Em honra aos ingleses..., da parte de alguém  a quem, no seu país, os líderes partidários nunca permitiram votar em referendo pela entrada, permanência, ou saída, tanto da União Europeia quanto do Euro.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pasteur em 24 de Junho de 2016, 06:29:58
http://veja.abril.com.br/noticia/mundo/entenda-as-consequencias-politicas-da-saida-do-reino-unido-da-ue
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pasteur em 24 de Junho de 2016, 06:49:27
Bolsas de valores ao redor do mundo derretendo...
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pasteur em 24 de Junho de 2016, 06:50:26
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/primeiro-ministro-britanico-renuncia-apos-resultado-do-referendo.html
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 08:47:15
Nessas horas de crise, discurso de medo e promessas de protecionismo sempre falam mais alto do que a racionalidade.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 09:23:27
(https://aoleme.files.wordpress.com/2014/09/scottish-flag_2109121b.jpg)

O discurso do medo funcionou em 2014..., mas não funcionará mais.

E possam as NAÇÕES livres da Europa entender-se sem o deixarem de ser... Federalismo não obrigado.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Geotecton em 24 de Junho de 2016, 09:30:59
Com o nacionalismo e imperialismo russo em forte ascensão, o que o Putin mais queria era ver a desintegração da Europa.

Tirando 3 ou 4 países, o resto não passa de um conjunto de players insignificantes nas áreas política, econômica e militar.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 09:32:42
Com o nacionalismo e imperialismo russo em forte ascensão, o que o Putin mais queria era ver a desintegração da Europa.

Tirando 3 ou 4 países, o resto não passa de um conjunto de players insignificantes na áreas política, econômica e militar.

Insignificante é deixar de ser livre...
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Geotecton em 24 de Junho de 2016, 09:34:56
Com o nacionalismo e imperialismo russo em forte ascensão, o que o Putin mais queria era ver a desintegração da Europa.

Tirando 3 ou 4 países, o resto não passa de um conjunto de players insignificantes na áreas política, econômica e militar.

Insignificante é deixar de ser livre...

Recite isto quando as tropas russas estiverem na fronteira com a Espanha.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 09:43:25
Com o nacionalismo e imperialismo russo em forte ascensão, o que o Putin mais queria era ver a desintegração da Europa.

Tirando 3 ou 4 países, o resto não passa de um conjunto de players insignificantes na áreas política, econômica e militar.

Insignificante é deixar de ser livre...

Recite isto quando as tropas russas estiverem na fronteira com a Espanha.

Nações soberanas são muito mais conscientes dos deveres de defesa nacional do que a União Europeia como um todo que nem um braço armado conseguia organizar... A OTAN irá ficar mais forte e não mais fraca.

E talvez venha a ser possível uma forma de confederação de nações europeias livres em vez do federalismo apátrida...
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 09:46:16
(https://aoleme.files.wordpress.com/2014/09/scottish-flag_2109121b.jpg)
E possam as NAÇÕES livres da Europa entender-se sem o deixarem de ser... Federalismo não obrigado.

Em pleno séc. XXI e a Europa requenta os mesmos discursos excepcionalistas e isolacionistas do séc. XIX... vai dar certo dessa vez. :lol:
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Geotecton em 24 de Junho de 2016, 09:49:23
Com o nacionalismo e imperialismo russo em forte ascensão, o que o Putin mais queria era ver a desintegração da Europa.

Tirando 3 ou 4 países, o resto não passa de um conjunto de players insignificantes na áreas política, econômica e militar.
Insignificante é deixar de ser livre...
Recite isto quando as tropas russas estiverem na fronteira com a Espanha.
Nações soberanas são muito mais conscientes dos deveres de defesa nacional do que a União Europeia como um todo que nem um braço armado conseguia organizar... A OTAN irá ficar mais forte e não mais fraca.

Em qual momento que, tomando como exemplo o seu país, Portugal deixou de ser soberano?

Ou a França? A Itália? A Alemanha? Ou até mesmo Luxemburgo?

Me parece óbvio que um exército comum da UE era e é completamente desnecessário por causa da OTAN.


E talvez venha a ser possível uma forma de confederação de nações europeias livres em vez do federalismo apátrida...

Com exceção da moeda, que agora se tornou comum para 19 países, o que mais Portugal abandonou em termos de Estado Nacional?

A sua bandeira? O seu hino? O seu idioma? A sua capital? O poder central? As suas forças armadas?

Resposta: Nada! Absolutamente nada!!
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 09:51:01
Com o nacionalismo e imperialismo russo em forte ascensão, o que o Putin mais queria era ver a desintegração da Europa.

Tirando 3 ou 4 países, o resto não passa de um conjunto de players insignificantes na áreas política, econômica e militar.

Insignificante é deixar de ser livre...

Recite isto quando as tropas russas estiverem na fronteira com a Espanha.

Nações soberanas são muito mais conscientes dos deveres de defesa nacional do que a União Europeia como um todo que nem um braço armado conseguia organizar... A OTAN irá ficar mais forte e não mais fraca.

E talvez venha a ser possível uma forma de confederação de nações europeias livres em vez do federalismo apátrida...
A OTAN que agiu com dureza inédita durante a tomada russa da Criméia? Essa OTAN?

Nos próximos meses, nós vamos ver em quem a economia vai apostar. No reino nostálgico dos tempos em que mandava no mundo ou nos mercados comuns.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Geotecton em 24 de Junho de 2016, 09:52:32
(https://aoleme.files.wordpress.com/2014/09/scottish-flag_2109121b.jpg)
E possam as NAÇÕES livres da Europa entender-se sem o deixarem de ser... Federalismo não obrigado.

Em pleno séc. XXI e a Europa requenta os mesmos discursos excepcionalistas e isolacionistas do séc. XIX... vai dar certo dessa vez. :lol:

E, o que é pior, fornece 'combustível' para as aspirações separatistas e ultra-nacionalistas, que são, por sua vez, o ponto de apoio preferido de idiotas cultuadores de totalitarismos de extrema direita.

Isto só encontra similaridade na idiotice criminosa dos 'internacionalistas' de esquerda, que ainda sonham com uma 'ditadura do proletariado'.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 09:54:28
E talvez venha a ser possível uma forma de confederação de nações europeias livres em vez do federalismo apátrida...

Com exceção da moeda, que agora se tornou comum para 19 países, o que mais Portugal abandonou em termos de Estado Nacional?

A sua bandeira? O seu hino? O seu idioma? A sua capital? O poder central? As suas forças armadas?

Resposta: Nada! Absolutamente nada!!

É a velha história do inimigo externo. O problema da UE não ter uma política fiscal conjunta é que quando um país sabe administrar a sua economia (Alemanha) se dá muito melhor que um país que continua com os mesmos métodos atrasados de sempre, a culpa é que a UE é predatória e injusta. Depois dos bilhões recebidos por países que não tinham a menor condição de competir com os principais membros da UE, agora que a bonança passou, é hora de apontar o dedo pra UE.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 10:00:18
Isto só encontra similaridade na idiotice criminosa dos 'internacionalistas' de esquerda, que ainda sonham com uma 'ditadura do proletariado'.

O fato é que não existe mais uma "nação-base" para o discurso marxista revolucionário. Isso por si só limita a atuação das esquerdas em questões sociais e trabalhistas.

O problema é o discurso populista em um momento de crise de identidade, que atrai os mais velhos e os mais vulneráveis.

 Quem decidiu pela saída da Grã-Bretanha da UE não foram as pessoas que estarão vivas pra colher os frutos dessas decisões e nem aqueles que vivem em um dos maiores centros financeiros do mundo. Foram pessoas que se sentem "marginalizadas" e com seus "ways of life" ameaçados.

Marginalização => mágoa/medo => extremismo => radicalismo (o extremismo em ações).
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Geotecton em 24 de Junho de 2016, 10:02:05
E talvez venha a ser possível uma forma de confederação de nações europeias livres em vez do federalismo apátrida...

Com exceção da moeda, que agora se tornou comum para 19 países, o que mais Portugal abandonou em termos de Estado Nacional?

A sua bandeira? O seu hino? O seu idioma? A sua capital? O poder central? As suas forças armadas?

Resposta: Nada! Absolutamente nada!!

É a velha história do inimigo externo. O problema da UE não ter uma política fiscal conjunta é que quando um país sabe administrar a sua economia (Alemanha) se dá muito melhor que um país que continua com os mesmos métodos atrasados de sempre, a culpa é que a UE é predatória e injusta. Depois dos bilhões recebidos por países que não tinham a menor condição de competir com os principais membros da UE, agora que a bonança passou, é hora de apontar o dedo pra UE.

Exatamente.

Países como Portugal, Espanha, Grécia e Itália, que torraram bilhões de dólares com aumentos irresponsáveis de salários e de benesses para o setor público e entregaram outros tantos bilhões para empresários fazerem obras 'deslumbrantes', agora querem jogar a sua culpa em outros países, que são mais bem gerenciados financeiramente.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Geotecton em 24 de Junho de 2016, 10:07:52
[...]
Quem decidiu pela saída da Grã-Bretanha da UE não foram as pessoas que estarão vivas pra colher os frutos dessas decisões e nem aqueles que vivem em um dos maiores centros financeiros do mundo. Foram pessoas que se sentem "marginalizadas" e com seus "ways of life" ameaçados.
[...]

Bingo, Diego.

Atendi, na semana passada, um casal (ele, britânico; ela, brasileira naturalizada) que pretende constituir uma empresa para gerir uma pousada que será construída em uma área comprada na planície litorânea paranaense.

Eles manifestaram o temor pelo resultado do referendo e afirmaram que a imensa maioria dos mais jovens e daqueles com maior escolaridade desejavam a permanência na UE. Os que não queriam eram pessoas as pessoas de classe média baixa das cidades menores e os moradores do campo, que sempre tiveram uma tendência a um maior 'nacionalismo arcaico'.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 10:30:32
Os orçamentos nacionais têm de receber o acordo de Bruxelas. As leis laborais, as decisões sobre privatizações, os acordos económicos e financeiros com países fora da União Europeia, o salário mínimo, a reestruturação da banca..., pouco importa em que se vota, pois Bruxelas cada vez mais impõe o que considera melhor... O voto e o parlamento são cada vez menos relevantes... Um moeda como o euro é introduzida em economias que não aguentam uma moeda forte em troca de "apoios" que apenas escondem uma ocupação económica por terceiros que adquirem tudo o que podem...
Os grandes não têm de cumprir as mesmas normas (Jean Claude Juncker diz que a França não é penalizada por ser a França) e não há nem se procura desenvolver qualquer tipo de "espírito nacional" europeu que possa integrar  todos os europeus de modo igual...

Este caminho não serve... retoma da soberania e repensar a Europa é necessário.

As ideias de Estado Nacional Soberano não são sinónimo de totalitarismo de extrema direita... É até curioso que isso nunca seja alegado quando se trata ou se tratou de territórios não-europeus que se querem ou quiseram "libertar"... Aí o "nacionalismo" sem raízes verdadeiras e copiado da Europa é de aplicar, haja ou não efetivamente nações...
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 11:05:48
É até curioso que isso nunca seja alegado quando se trata ou se tratou de territórios não-europeus que se querem ou quiseram "libertar"...

"Libertar" entre aspas?

O seu tom de nostalgia colonialista é quase tangível... :lol:
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: DDV em 24 de Junho de 2016, 11:21:39
Eu sempre achei que a UE deveria focar inicialmente apenas no 'core' dos países mais industrializados e com finanças saudáveis.

Depois que começou a entrar 'qualquer um', começou esses problemas.

Os países europeus são muito heterogêneos do ponto de vista econômico e fiscal. Deveriam criar um critério rígido e universal de 'saúde financeira' e 'adequação à zona do euro' antes de admitirem novos países.

Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: DDV em 24 de Junho de 2016, 11:24:18
A tese libertária de que a circulação irrestrita de bens/serviços/pessoas e uma moeda única são sempre vantajosos pra qualquer país em qualquer circunstância fica um pouco arranhada, mas nem tanto porque os problemas quase sempre se originam em estados gastadores.

 
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gigaview em 24 de Junho de 2016, 11:35:50
[...]
Quem decidiu pela saída da Grã-Bretanha da UE não foram as pessoas que estarão vivas pra colher os frutos dessas decisões e nem aqueles que vivem em um dos maiores centros financeiros do mundo. Foram pessoas que se sentem "marginalizadas" e com seus "ways of life" ameaçados.
[...]

Bingo, Diego.

Atendi, na semana passada, um casal (ele, britânico; ela, brasileira naturalizada) que pretende constituir uma empresa para gerir uma pousada que será construída em uma área comprada na planície litorânea paranaense.

Eles manifestaram o temor pelo resultado do referendo e afirmaram que a imensa maioria dos mais jovens e daqueles com maior escolaridade desejavam a permanência na UE. Os que não queriam eram pessoas as pessoas de classe média baixa das cidades menores e os moradores do campo, que sempre tiveram uma tendência a um maior 'nacionalismo arcaico'.

Assisti alguns debates em que sempre aparecia um medo irracional da Turquia entre os defensores do Brexit. Algo próximo ao nosso medo de ter um quarto da casa invadido por um "sem teto".
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gigaview em 24 de Junho de 2016, 11:46:34
Importante lembrar que o Reino Unido manifestou o desejo de sair mas ainda não saiu, o que vai envolver muita negociação com pelo menos uns 2 anos pela frente. Pode ser que nem saia diante da possível separação da Escócia e da Irlanda no Norte que já manifestaram o desejo de permanecer na EU. No final vai sair mais caro do que ficar.

Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 11:48:02
Os países europeus são muito heterogêneos do ponto de vista econômico e fiscal. Deveriam criar um critério rígido e universal de 'saúde financeira' e 'adequação à zona do euro' antes de admitirem novos países.

Essa cláusula sempre esteve clara antes que um país se candidatasse a fazer parte da UE. É uma das razões pelas quais alguns países (como Portugal e Espanha) levaram anos até serem admitidos. Até mesmo a Inglaterra foi rejeitada primeiramente, justamente por manter essa ideia isolacionista.

Mas o fato de a UE não impôr essas medidas é a principal fraqueza segundo a grande parte dos analistas. O Pagão reclama de uma suposta ingerência administrativa da UE, mas a mitigação da soberania é pressuposto básico de se participar de uma organização desse tipo e fazem parte da equação quando se somam os ônus e bônus de fazer parte de um grupo assim.


A tese libertária de que a circulação irrestrita de bens/serviços/pessoas e uma moeda única são sempre vantajosos pra qualquer país em qualquer circunstância fica um pouco arranhada, mas nem tanto porque os problemas quase sempre se originam em estados gastadores.

O problema é que em crises, a primeira medida que países adotam é o protecionismo e ele nem sempre se dá através de medidas tarifárias. O Brasil sofreu e sofre com esse tipo de medida do tipo "se o tomate não tiver 15,222222cm de diâmetro, não pode ser aceito" ou "se o animal não tiver sido vacinado contra uma doença que só existe no Centro-Oeste da Sibéria, não pode ser exportado para cá".

O que vamos ver na Europa é o mesmo efeito que vemos acontecer nas vacinas. Se toma uma medida que dá certo (a Europa poucas vezes passou por um período tão extenso de paz e estabilidade entre as potências) e depois de algumas gerações, ninguém se lembra da merda que era antes e isso aquece o discurso de saudosismo e nostalgia de "quando a gente não precisava de todos esses imigrantes para trabalhar e uma entrada para o baile custava $5 cents".

O Pagão está pedindo a "volta de um tempo em que a Europa era dos europeus e que a soberania era respeitada". Me ajuda aí, Portugal passou os últimos 500 anos sendo a vadia de Espanha, Inglaterra, França e até o Império Otomano tirou casquinha ali. Quando Portugal teve uma política externa que não pedisse primeiro autorização a alguma grande potência?
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 11:52:13
Importante lembrar que o Reino Unido manifestou o desejo de sair mas ainda não saiu, o que vai envolver muita negociação com pelo menos uns 2 anos pela frente. Pode ser que nem saia diante da possível separação da Escócia e da Irlanda no Norte que já manifestaram o desejo de permanecer na EU. No final vai sair mais caro do que ficar.

Eles têm dois anos, mas a economia já está antecipando essa decisão. A verdade é que o Reino Unido sempre foi um "estranho no ninho" na UE e quando os bancos europeus saírem de Londres e começarem a optar por Alemanha e França, veremos o verdadeiro efeito disso tudo.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gigaview em 24 de Junho de 2016, 11:54:30
E Portugal manteve em boa parte do sec XX a sua soberania "européia" sob a ditadura de Salazar.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 12:07:21
Considerando as jogadas de medo dos "Brexiters", essa imagem é bem conveniente:

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13512043_1359095820768059_8751818690644986852_n.jpg?oh=97f801b4086e135f1d43c13ecdf7ec73&oe=580FC801)

A resposta mais comum dos ingleses é de que "não foi só por uma questão de imigração". Talvez, mas nas últimas 3 semanas que o assunto virou unanimidade em todos os podcasts que ouço, a palavra "imigrante" era dita pelo menos umas 20x pelo pessoal pró-saída.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Lorentz em 24 de Junho de 2016, 12:14:36
Um colega de trabalho falou que os jogadores britânicos de um game online que ele também joga comentaram num chat que acharam positivo a saída, principalmente porque não terão um imposto específico para importar produtos do Japão, por exemplo.

Talvez pro cidadão comum isso será benéfico.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 12:53:39
Quando Portugal teve uma política externa que não pedisse primeiro autorização a alguma grande potência?

Para não ir mais longe, você parece esquecer que Portugal combateu sozinho uma guerra de 13 anos (1961-1974) num território muito mais vasto do que o Vietname em defesa de uma noção país (pluricontinental e plurirracial) contra a vontade de todo o mundo... os escassos apoios vinham de países que também queriam que Portugal deixasse de lutar, mas se conformavam.

Também foi o último a sair da Índia e saiu com mortos e feridos em combate. E foi o último a sair da China até depois do poderoso Reino Unido.

Foi um poder significativo no contexto da África Austral só superado pela África do Sul, até 1974-

Também teve um regime político até 1974 que ninguém queria que existisse aqui (exceto Espanha).

Ou seja, não pedia autorização a "alguma potência".... Independentemente do juízo de cada um sobre a natureza do regime e das suas políticas internas e externas.

Hoje "pede autorização"..., sem dúvida.

PS: também durante a 2ª Guerra Mundial a política externa de Portugal não resultou de "pedidos de autorização" a nenhuma potência.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 14:04:06

Para não ir mais longe, você parece esquecer que Portugal combateu sozinho uma guerra de 13 anos (1961-1974) [...] em defesa de uma noção país [...]

É isso que ensinam nas escolas aí? Que o nobre Portugal tentou levar aos africanos teimosos e arredios um pouco de civilidade?
:histeria:

Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 24 de Junho de 2016, 14:21:32
https://www.youtube.com/v/VqMMiOv3z6s

(http://cdn2.img.sputniknews.com/images/104187/53/1041875393.jpg)
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 24 de Junho de 2016, 14:24:52

Para não ir mais longe, você parece esquecer que Portugal combateu sozinho uma guerra de 13 anos (1961-1974) [...] em defesa de uma noção país [...]

É isso que ensinam nas escolas aí? Que o nobre Portugal tentou levar aos africanos teimosos e arredios um pouco de civilidade?
:histeria:



Os brasileiros contra separatismo o são por tentarem levar aos outros brasileiros teimosos e arredios um pouco de civilidade? :hein:


(PS.: onde o Pagão escreveu "noção" eu entendi "nação", pelo contexto. Talvez essa colocação se deva a interpretação literal em vez dessa "auto-correção")
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 14:32:11

Para não ir mais longe, você parece esquecer que Portugal combateu sozinho uma guerra de 13 anos (1961-1974) [...] em defesa de uma noção país [...]

É isso que ensinam nas escolas aí? Que o nobre Portugal tentou levar aos africanos teimosos e arredios um pouco de civilidade?
:histeria:



Você levantou uma questão sobre "pedir autorização a grandes potências" e julgo que respondi... O resto é desvio da questão...

PS. os "africanos teimosos" ficaram com dois grandes países na África Austral onde antes só existiam tribos em conflito... Julgo que não estão desagradados...
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 15:09:44

Para não ir mais longe, você parece esquecer que Portugal combateu sozinho uma guerra de 13 anos (1961-1974) [...] em defesa de uma noção país [...]

É isso que ensinam nas escolas aí? Que o nobre Portugal tentou levar aos africanos teimosos e arredios um pouco de civilidade?
:histeria:



Os brasileiros contra separatismo o são por tentarem levar aos outros brasileiros teimosos e arredios um pouco de civilidade? :hein:

Você realmente quer comparar a relação Portugal e colônias, que não tem qualquer tipo de integridade cultural, social ou étnica e a formação do Brasil como Estado único, que envolveu vários momentos que serviram para sedimentar a noção de Brasil como um único país?

Você compara o desejo de autonomia de várias colônias que foram usadas com benefício único e exclusivo da metrópole, sem qualquer contrapartida ou qualquer poder decisório nas questões próprias ou da metrópoles com o sistema que temos no Brasil como Estado-Nação?

Sério?
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 15:10:25

PS. os "africanos teimosos" ficaram com dois grandes países na África Austral onde antes só existiam tribos em conflito... Julgo que não estão desagradados...

"Ficaram"? Nossa... quanta bondade de Portugal.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 15:36:48

PS. os "africanos teimosos" ficaram com dois grandes países na África Austral onde antes só existiam tribos em conflito... Julgo que não estão desagradados...

"Ficaram"? Nossa... quanta bondade de Portugal.

Desvio da questão... Desde que reconheça o absurdo de "500 anos de política externa autorizada por alguma grande potência" o resto é outra conversa.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 24 de Junho de 2016, 15:47:12
Crítica liberal à UE.

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2040958846129591&id=1614894922069321

Nigel Farage após o Referendo:
https://www.youtube.com/v/sLCb1cGROAw
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Skorpios em 24 de Junho de 2016, 15:50:50
Acho que a Inglaterra fez um mau negócio. Vamos ver o desenrolar da história.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 24 de Junho de 2016, 16:30:40

Para não ir mais longe, você parece esquecer que Portugal combateu sozinho uma guerra de 13 anos (1961-1974) [...] em defesa de uma noção país [...]

É isso que ensinam nas escolas aí? Que o nobre Portugal tentou levar aos africanos teimosos e arredios um pouco de civilidade?
:histeria:



Os brasileiros contra separatismo o são por tentarem levar aos outros brasileiros teimosos e arredios um pouco de civilidade? :hein:

Você realmente quer comparar a relação Portugal e colônias, que não tem qualquer tipo de integridade cultural, social ou étnica e a formação do Brasil como Estado único, que envolveu vários momentos que serviram para sedimentar a noção de Brasil como um único país?

Você compara o desejo de autonomia de várias colônias que foram usadas com benefício único e exclusivo da metrópole, sem qualquer contrapartida ou qualquer poder decisório nas questões próprias ou da metrópoles com o sistema que temos no Brasil como Estado-Nação?

Sério?

Não, perguntei se o desejo de não-separatismo/independência teria necessariamente essa motivação de estarem "levando aos teimosos e arredios um pouco de civilidade".

Talvez os defensores de saparatismo (ou não) coloquem a condição de estados ou regiões brasileiros ante à união como bastante análoga a de colônias injustamente subordinadas, de qualquer forma.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 18:40:41

Não, perguntei se o desejo de não-separatismo/independência teria necessariamente essa motivação de estarem "levando aos teimosos e arredios um pouco de civilidade".

No caso europeu, é o motivo declarado nas conferências de Berlim de 1884-85 (https://en.wikipedia.org/wiki/Berlin_Conference). Não entendi como o caso brasileiro tem qualquer coisa a ver com isso.


Talvez os defensores de saparatismo (ou não) coloquem a condição de estados ou regiões brasileiros ante à união como bastante análoga a de colônias injustamente subordinadas, de qualquer forma.

Até onde eu sei, uma parte bem considerável dos defensores do separatismo brasileiro são um bando de neo-nazistas que acham que o "resto" do Brasil, mestiço, é inferior ao sul "puro-sangue-europeu". Eu já tiraria esses indivíduos, colocaria em um cantinho denominado: "idiotas".

Então, sobream os demais. Você tem números para demonstrar quantos restam depois da separação do grupo e me dizer se eles são estatisticamente mais relevantes do que os malucos que querem inundar o ES e dar uma praia pra MG?
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: El Elyon em 24 de Junho de 2016, 19:24:05
Citar
Talvez os defensores de saparatismo (ou não) coloquem a condição de estados ou regiões brasileiros ante à união como bastante análoga a de colônias injustamente subordinadas, de qualquer forma.

Eu já ouvi (evidência completamente anedótica) termos como "Império de Brasília" ou "Feudos Unidos de Brasília" serem utilizados por secessionistas. Então, baseado em um espaço amostral ínfimo e enviesado, eu posso dizer que são sentimentos ao menos similares.

Citar
Até onde eu sei, uma parte bem considerável dos defensores do separatismo brasileiro são um bando de neo-nazistas que acham que o "resto" do Brasil, mestiço, é inferior ao sul "puro-sangue-europeu". Eu já tiraria esses indivíduos, colocaria em um cantinho denominado: "idiotas".

Como um "sulista" e com simpatias a governos mais auditáveis e em menor escala (seja por via federalista ou secessionista), o melhor argumento existente contra a "Independência da Nação Sulista" são seus próprios representantes e defensores.

Citar
Você tem números para demonstrar quantos restam depois da separação do grupo e me dizer se eles são estatisticamente mais relevantes do que os malucos que querem inundar o ES e dar uma praia pra MG?

Por outro lado, eu fico curioso como seria um Plebiscito ao moldes do realizado pela Escócia/Reino Unido no Brasil - o que creio ser impossível devido a cláusulas pétreas constitucionais.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Geotecton em 24 de Junho de 2016, 19:39:40
A proibição separatista, constante em uma das cláusulas pétreas, já é, no meu entender, uma forte evidência que existe um forte sentimento de fragmentação, ainda que em estado latente.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gigaview em 24 de Junho de 2016, 19:51:51
Bairrismo é sub produto do nacionalismo.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 20:02:44
Bairrismo é sub produto do nacionalismo.

Vejo o nacionalismo como uma superação do bairrismo, julgo que assim terá sido com a sua eclosão na Revolução Francesa... Justificou a centralização parisiense, a uniformização linguística e cultural e do ensino, a construção de um verdadeiro Estado-Nação.
O bairrismo não será mais antigo do que o nacionalismo? Julgo que sim...
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 24 de Junho de 2016, 20:31:57
http://www.rtp.pt/noticias/mundo/merkel-e-hollande-tentam-evitar-efeito-domino-do-brexit_v928929

Convocada reunião entre 6 países da UE..., quando há mais 21... Depois admiram-se... 
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 24 de Junho de 2016, 20:37:10
Bairrismo é subproduto do municipalismo, este do estadismo, este do nacionalis

Não, perguntei se o desejo de não-separatismo/independência teria necessariamente essa motivação de estarem "levando aos teimosos e arredios um pouco de civilidade".

No caso europeu, é o motivo declarado nas conferências de Berlim de 1884-85 (https://en.wikipedia.org/wiki/Berlin_Conference). Não entendi como o caso brasileiro tem qualquer coisa a ver com isso.

Essas guerras de independência mencionadas já são do meio para a segunda metade do século XX, não do XIX. A motivação "nacional" pode já não ser exatamente a mesma.

Não tem bem "um caso" brasileiro, só coloquei que poderia ser que a preferência por união nacional não terá necessariamente como motivação "levar civilidade aos teimosos e arredios".


Citar
Talvez os defensores de saparatismo (ou não) coloquem a condição de estados ou regiões brasileiros ante à união como bastante análoga a de colônias injustamente subordinadas, de qualquer forma.

Até onde eu sei, uma parte bem considerável dos defensores do separatismo brasileiro são um bando de neo-nazistas que acham que o "resto" do Brasil, mestiço, é inferior ao sul "puro-sangue-europeu". Eu já tiraria esses indivíduos, colocaria em um cantinho denominado: "idiotas".

Então, sobream os demais. Você tem números para demonstrar quantos restam depois da separação do grupo e me dizer se eles são estatisticamente mais relevantes do que os malucos que querem inundar o ES e dar uma praia pra MG?

:hein: ...não... e mal consigo entender com por que isso importaria para o que eu disse. Resumindo: ser contra independência/separatismo não seria necessariamente com a motivação de "levar civilidade aos teimosos e arredios", pode-se perfeitamente contestar as motivações separatistas, seja por insignificância numérica, comunismo, racismo, ou o que for.

Pode até ser por desejar "levar civilidade", também, que não acho que dá para dizer serem más intenções, ainda que possa bem ser uma máscara para elas.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 24 de Junho de 2016, 20:57:23
Bairrismo é subproduto do municipalismo, este do estadismo, este do nacionalis

Não, perguntei se o desejo de não-separatismo/independência teria necessariamente essa motivação de estarem "levando aos teimosos e arredios um pouco de civilidade".

No caso europeu, é o motivo declarado nas conferências de Berlim de 1884-85 (https://en.wikipedia.org/wiki/Berlin_Conference). Não entendi como o caso brasileiro tem qualquer coisa a ver com isso.

Essas guerras de independência mencionadas já são do meio para a segunda metade do século XX, não do XIX. A motivação "nacional" pode já não ser exatamente a mesma.

Não tem bem "um caso" brasileiro, só coloquei que poderia ser que a preferência por união nacional não terá necessariamente como motivação "levar civilidade aos teimosos e arredios".


As independências começam a ocorrer imediatamente após o fim da II GM, já que alguns países foram arrastados para a guerra por suas colônias com promessas de autonomia. Após o término do conflito e com a criação da ONU, que restaurou o discurso Wilsoniano, em especial quanto à autodeterminação dos povos, os processos de independência começaram, nem todos foram violentos, mas os que foram se deram exatamente porque as metrópoles se recusavam a admitir a capacidade destes povos de se autogovernar ou de não receberem nada por "tudo o que haviam feito nas colônias". Isso é um reflexo direto do pensamento vigente durante a reunião em Berlim.

O caso português é ainda mais emblemático quanto a essa ideia de que eles sabiam o que era melhor pras colônias do que elas próprias. O resultado foi uma guerra longa, burra e que só serviu para terminar de queimar o filme de Portugal.

Citar
Talvez os defensores de saparatismo (ou não) coloquem a condição de estados ou regiões brasileiros ante à união como bastante análoga a de colônias injustamente subordinadas, de qualquer forma.

Até onde eu sei, uma parte bem considerável dos defensores do separatismo brasileiro são um bando de neo-nazistas que acham que o "resto" do Brasil, mestiço, é inferior ao sul "puro-sangue-europeu". Eu já tiraria esses indivíduos, colocaria em um cantinho denominado: "idiotas".

Então, sobream os demais. Você tem números para demonstrar quantos restam depois da separação do grupo e me dizer se eles são estatisticamente mais relevantes do que os malucos que querem inundar o ES e dar uma praia pra MG?

:hein: ...não... e mal consigo entender com por que isso importaria para o que eu disse. Resumindo: ser contra independência/separatismo não seria necessariamente com a motivação de "levar civilidade aos teimosos e arredios", pode-se perfeitamente contestar as motivações separatistas, seja por insignificância numérica, comunismo, racismo, ou o que for.

Pode até ser por desejar "levar civilidade", também, que não acho que dá para dizer serem más intenções, ainda que possa bem ser uma máscara para elas.
[/quote]

Um grupo tão pequeno e tão mal motivado é irrelevante para o assunto.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: DDV em 24 de Junho de 2016, 22:52:58
A proibição separatista, constante em uma das cláusulas pétreas, já é, no meu entender, uma forte evidência que existe um forte sentimento de fragmentação, ainda que em estado latente.

Não é evidência de "sentimento separatista", é coisa de praxe mesmo. Nenhum estado no mundo, em nenhuma época, permite ou permitiu a separação ou secessão por vias legais.

A integridade territorial e soberania do estado é tratada como a mais alta das prioridades do poder político e militar.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Sdelareza em 24 de Junho de 2016, 22:55:43
Deve-se lembrar que a relação do Reino Unido com a União Europeia sempre foi meio conturbada e não foi um verdadeiro
romance.

O Reino Unido não aderiu:
- ao euro ou a qualquer política monetária da UE.
- ao espaço Schengen (que previa a eliminação dos controles de fronteira entre os estados membros)

Também não aderiu completamente a política agrícola da UE. Sob Margaret Tatcher, o Reino Unido exigiu e obteve uma diminuição de sua contribuição ao orçamento da UE, sob pretexto que boa parte desse orçamento é destinada a política agrícola da UE, que não a beneficiava.

Penso que o fato de ser uma "ilha" incentivou muitos dos seus cidadãos a manter o "esplêndido isolamento" da Grã-Bretanha.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: DDV em 24 de Junho de 2016, 22:59:16
Eu já disse aqui que podemos apenas invejar a Primeira Emenda. Repito o mesmo em relação ao Federalismo.

Acho muito interessante como até mesmo os sistemas e métodos eleitorais variam de estado para estado lá.

Os EUA se aproximam muito de uma confederação, enquanto o Brasil me parece ser um estado unitário na prática (seus estados na prática são apenas províncias).
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Lorentz em 24 de Junho de 2016, 23:07:05
Eu estava até agora achando que era vantajoso para a Inglaterra ter saído da UE, e quem sabe seria melhor para todos extinguir o bloco, mas o Mario Sabino escreveu a newsletter de hoje mostrando que foi péssimo:

Citar
Populistas são idiotas
Por Mario Sabino
O populismo de esquerda e direita é capaz de infectar até mesmo países altamente civilizados, caso do Reino Unido. O Brexit representou uma vitória do populismo de direita, cujo rosto é Nigel Farage, chefe do Independence Party.
Os motores do Brexit foram principalmente a crise migratória e a xenofobia dos mais velhos -- os britânicos com menos de 24 anos votaram maciçamente pela permanência do Reino Unido na União Europeia. O excesso de regulação dos burocratas de Bruxelas contou para o “Leave”, mas serviu como força auxiliar para a decisão que causou um terremoto nas bolsas de todo o mundo e lançou uma sombra sobre o processo de globalização.
O populismo é o exato oposto da racionalidade, demonstra o Brexit. Como escreveu David Cassidy, da “New Yorker”, os seus partidários não ouviram a City, o ministro das Finanças, o Banco da Inglaterra, o FMI, o governo americano e uma infinidade de grandes economistas e empresários. Ao contrário do que diz toda essa gente respeitável, os adeptos do “Leave” acreditam que o Reino Unido poderá se tornar uma Noruega ou uma Suíça, países que rejeitaram a integração com o bloco, mas se beneficiam de um status especial com as nações da UE.
É um engano. A economia do Reino Unido, além de ser bem maior do que a norueguesa e suíça, é baseada na exportação de manufaturados que perderão o acesso sem barreiras ao maior mercado do planeta. Mercado, aliás, que está para integrar-se ao americano. UE e Estados Unidos negociam a criação da maior zona de livre comércio do mundo -- e o Reino Unido ficará fora dela. Muito inteligente.
A massa ignara que votou pela saída do bloco europeu deixou-se levar pelo discurso estúpido de Nigel Farage e asnos do Partido Conservador, sem se dar conta de que a integração à UE foi determinante para tirar o país da recessão na década de 80 e empurrar ladeira acima a economia britânica nos anos que se seguiram. O thatcherismo não teria dado resultados tão espetaculares sem a adesão ao bloco, apesar de todas as bravatas da Dama de Ferro.
A burocracia da UE é exasperante? Sim. A adoção do euro, sem união fiscal, foi desastrosa? Sim. A crise iniciada em 2008 continua a bater forte, em especial no Sul do continente? Sim. Os tropeços, contudo, não apagam o fato de que o bloco europeu é um sucesso político -- amalgamou nações historicamente inimigas -- e econômico. Não há um país que tenha empobrecido por causa da UE. Ela propiciou e acelerou o enriquecimento de todos, absolutamente todos, que a integram. O Reino Unido não ficará pobre, mas enriquecerá menos no seu esplêndido isolamento. A queda do valor da libra é o sinal mais evidente do futuro britânico.
A saída da UE também causará um problemão interno. Escócia e Irlanda do Norte votaram majoritariamente na permanência do Reino Unido no bloco. Em 2014, no plebiscito que definiu que os escoceses continuariam ligados à Inglaterra, um forte argumento utilizado nesse sentido foi dado pela UE. Os principais líderes europeus afirmaram que, se a Escócia saísse do Reino Unido, ela dificilmente seguiria no bloco. Agora, a Escócia está fora da UE, por causa do atrelamento à Inglaterra. Escoceses já recomeçam a falar em independência, dessa vez para voltarem ao bloco. Na Irlanda do Norte, por seu turno, o Sinn Fein, o partido nacionalista, quer um referendo para uni-la à Irlanda, que ficou rica graças à UE.
A ironia, nota David Cassidy, é que o Reino Unido corre o risco de se esfacelar do ponto de vista político antes de se desligar do bloco europeu, processo que deve demorar alguns anos para completar-se.
Populistas são, acima de tudo, idiotas.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Agnoscetico em 25 de Junho de 2016, 02:51:27
   E agora aula de politica conservadora com eles Os mestres impagáveis da politica e conservadorismo do Youtube

   Segundo eles os globalistas (comunistas, illuminatis, qualquer coisa) perderam a batalha pros nacionalistas conservadores britanicos.

https://www.youtube.com/v/SDk1TCr4Mvg

https://www.youtube.com/v/Q0_DCe-VcOk


   E agora noticias serias (bocejo) de um certo canal chamado Euronews (em português) que não dá audiencia por serem mais profissionais e dão menos tretas, por isso tem menos comentarios (e os que tem muitos são comentarios de pessoas com "muita noção" e "sabedoria"):

https://www.youtube.com/v/I2VXPA18Fuk

https://www.youtube.com/v/5b0C8-vo0QM

https://www.youtube.com/v/pDb107zEhBY

   Apoio de um mulher maravilhosa nenhum pouco extremista (e os comentarios? Só "gente boa"):

https://www.youtube.com/v/IGLLU5ie8qg

   Mas tem problema não, agora Espanha quer briguinha por sua ex-colonia que Inglaterra tomou; acho que espanhois ficaram magoados (quem mandou tia Inglaterra sair da brincadeira?):

https://www.youtube.com/v/OWd1QYS5iQ4

   Ah e teve um francesa num dos videos (nao sei se um desses) com comentario indiferente, que disse que saida do RU nao muda porcaria nenhuma, pois antes tinha que usar identidade pra entra no RU e agora também.

Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gigaview em 25 de Junho de 2016, 02:56:35
Não há prazo para invocar o artigo 50 e nem a EU pode forçar o Reino Unido a fazer isso. O prazo de 2 anos começa a partir de pressionado o botão vermelho para a saída. Segundo as leis inglesas, o referendum é apenas consultivo. O parlamento é soberano na decisão e o botão vermelho só pode ser pressionado pelo Primeiro Ministro ou outro representante do governo. Portanto, não existe pressa nem obrigação de sair. Pessoalmente acho que devem esperar até cair a ficha da burrada feita e convocar outro plebiscito daqui a um ou dois anos. A Europa será salva pelos ingleses e isso será incorporado na arrogância britânica para ficar na história.

Artigo publicado no FT na semana passada analisando essa situação:


Citar
Can the United Kingdom government legally disregard a vote for Brexit?
David Allen Green
 | Jun 14 11:26 |

What follows any referendum vote next week for the United Kingdom to leave the EU? From a legal perspective, the immediate consequence is simple: nothing will happen.

The relevant legislation did not provide for the referendum result to have any formal trigger effect. The referendum is advisory rather than mandatory. The 2011 referendum on electoral reform did have an obligation on the government to legislate in the event of a “yes” vote (the vote was “no” so this did not matter). But no such provision was included in the EU referendum legislation.

What happens next in the event of a vote to leave is therefore a matter of politics not law. It will come down to what is politically expedient and practicable. The UK government could seek to ignore such a vote; to explain it away and characterise it in terms that it has no credibility or binding effect (low turnout may be such an excuse). Or they could say it is now a matter for parliament, and then endeavour to win the parliamentary vote. Or ministers could try to re-negotiate another deal and put that to another referendum. There is, after all, a tradition of EU member states repeating referendums on EU-related matters until voters eventually vote the “right” way.

What matters in law is when and whether the government invokes Article 50 of the Lisbon Treaty. This is the significant “red button”. Once the Article 50 process is commenced then Brexit does become a matter of law, and quite an urgent one. It would appear this process is (and is intended to be) irreversible and irrevocable once it starts. But invoking Article 50 is a legally distinct step from the referendum result — it is not an obligation.

Citar
Article 50 in full contains the following provisions:

1. Any Member State may decide to withdraw from the Union in accordance with its own constitutional requirements.

2. A Member State which decides to withdraw shall notify the European Council of its intention. In the light of the guidelines provided by the European Council, the Union shall negotiate and conclude an agreement with that State, setting out the arrangements for its withdrawal, taking account of the framework for its future relationship with the Union. That agreement shall be negotiated in accordance with Article 218(3) of the Treaty on the Functioning of the European Union. It shall be concluded on behalf of the Union by the Council, acting by a qualified majority, after obtaining the consent of the European Parliament.

3. The Treaties shall cease to apply to the State in question from the date of entry into force of the withdrawal agreement or, failing that, two years after the notification referred to in paragraph 2, unless the European Council, in agreement with the Member State concerned, unanimously decides to extend this period.

4. For the purposes of paragraphs 2 and 3, the member of the European Council or of the Council representing the withdrawing Member State shall not participate in the discussions of the European Council or Council or in decisions concerning it.

A qualified majority shall be defined in accordance with Article 238(3)(b) of the Treaty on the Functioning of the European Union.

5. If a State which has withdrawn from the Union asks to rejoin, its request shall be subject to the procedure referred to in Article 49.


There are three points of interest here in respect of any withdrawal from the EU by the UK.

First, it is a matter for a member state’s “own constitutional requirements” as to how it decides to withdraw. The manner is not prescribed: so it can be a referendum, or a parliamentary vote, or some other means. In the UK, it would seem that some form of parliamentary approval would be required — perhaps a motion or resolution rather than a statute. The position, however, is not clear and the UK government has so far been coy about being specific.

Second, the crucial act is the notification by the member state under Article 50(2). That is the event which commences the formal process, which is then intended to be effected by negotiation and agreement. There is no (express) provision for a member state to withdraw from the process or revoke the notification. Once the notification is given, the member state and the EU are stuck with it.

And third, there is a hard deadline of two years. This is what gives real force to Article 50. The alternative would be the prospect of a never ending story of rounds of discussions and negotiations. Once notification is given, then the member state is out in two years, unless this period is extended by unanimous agreement. It is possible that such unanimity may be forthcoming – but this would be outside of the power of the member state. Once the button is pushed, the countdown cannot just be switched off by a member state saying it has changed its mind, or by claiming that the Article 50 notification was just a negotiation tactic all along. That will not wash.

This said, what is created by international agreement can be undone by international agreement. Practical politicians in Brussels may come up with some muddling fudge which holds off the two year deadline. Or there could be some new treaty amendment. These conveniences cannot, however, be counted on. The assumption must be that once the Article 50 notification is given, the UK will be out of the EU in two years or less.

What happens between a Leave vote and any Article 50 notification will be driven by politics. The conventional wisdom is that, of course, a vote for Brexit would have to be respected. (This is the same conventional wisdom which told us that, of course, Jeremy Corbyn would not be elected Labour leader and that, of course, Donald Trump would not be the Republican nominee.) To not do so would be “unthinkable” and “political suicide” and so on.

And if there is a parliamentary vote before any Article 50 notification then there is the potential irony of those seeking to defend parliamentary sovereignty demanding that an extra-parliamentary referendum be treated as binding. But it must be right that the final decision is made by parliament, regardless of what the supposed defenders of parliamentary sovereignty say.

One suspects that no great thought went into the practical and legal consequences of a Leave vote because it was expected that the vote would be, of course, for the UK to remain. That may well be the result: nobody knows what will happen next week, and only a fool relies on opinion polls. And referendums do tend to support the status quo (though not always). It could turn out that worrying about what happens if there is a vote for Brexit is misplaced.

What is certain is that if there an Article 50 notification then there will be immense legal work to be done. Over 40 years of law-making — tens of thousands of legal instruments — will have to be unpicked and either placed on some fresh basis or discarded with thought as to the consequences. The UK government has depended since 1972 — indeed it has over-depended — on it being easy to implement law derived from the EU. The task of repeal and replacement will take years to complete, if it is ever completed. Even if the key legislation — especially the European Communities Act 1972 — is repealed there will have to be holding and saving legislation for at least a political generation.

A vote for Brexit will not be determinative of whether the UK will leave the EU. That potential outcome comes down to the political decisions which then follow before the Article 50 notification. The policy of the government (if not of all of its ministers) is to remain in the EU. The UK government may thereby seek to put off the Article 50 notification, regardless of political pressure and conventional wisdom.

There may already be plans in place to slow things down and to put off any substantive decision until after summer. In turn, those supporting Brexit cannot simply celebrate a vote for leave as a job done — for them the real political work begins in getting the government to make the Article 50 notification as soon as possible with no further preconditions.

On the day after a vote for Brexit, the UK will still be a member state of the EU. All the legislation which gives effect to EU law will still be in place. Nothing as a matter of law changes in any way just because of a vote to Leave. What will make all the legal difference is not a decision to leave by UK voters in a non-binding advisory vote, but the decision of the prime minister on making any Article 50 notification.

And what the prime minister will do politically after a referendum vote for Brexit is, at the moment, as unknown as the result of the referendum itself.

http://blogs.ft.com/david-allen-green/2016/06/14/can-the-united-kingdom-government-legally-disregard-a-vote-for-brexit/?siteedition=uk
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 25 de Junho de 2016, 18:00:54
Esse documentário explica bem os motivos que levaram à decisão majoritária da saída:
https://www.youtube.com/v/QbjYi1QrTWY



O carinha liberal:
https://www.youtube.com/v/5lq1WdtSeW0
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gabarito em 25 de Junho de 2016, 18:13:22
Para pensar: se tivesse sido vitoriosa a tese da permanência, como seriam as manchetes?

Citar
Democracia e plebiscito só são bons quando resultado agrada a esquerda (http://rodrigoconstantino.com/artigos/democracia-e-plebiscito-so-sao-bons-quando-resultado-agrada-esquerda/)
25 de junho de 2016

(http://rodrigoconstantino.com/assets/jpg/blog-808-768x480.jpg)

Como seria a reação da grande imprensa e da elite intelectual e financeira se o resultado do plebiscito no Reino Unido tivesse sido diferente, ainda que por menos de 1%? Sabemos a resposta: todos estariam enaltecendo a “voz das ruas”, a “decisão popular”, a “democracia”. Estariam elogiando a “sabedoria” do povo. E estariam celebrando mais um passo relevante em direção ao governo mundial. Mas o resultado foi outro. Deu Brexit.

E aí o que acontece? Automaticamente o povo passa a ser ignorante, o Reino Unido está dividido, os pobres e sem educação votaram pelo medo, pelas emoções, a classe média é obtusa, xenófoba, preconceituosa. Talvez até seja necessário um novo plebiscito, para ver se esse povo idiota acerta dessa vez. A democracia plebiscitária só é boa quando o resultado agrada a esquerda, eis o recado.

Em qualquer tema complexo como este, há sempre argumentos legítimos de ambos os lados. Venho tentando apresentar aqueles do lado do Brexit, que, após muita reflexão, seria minha escolha caso fosse britânico. Não se trata de decisão trivial. Não devemos adotar visão simplista, como faz o lado de lá: votar pela saída é defender a liberdade e permanecer na União Europeia é escolher a escravidão. Não é bem assim.

Em primeiro lugar, podemos conceder isso aos “progressistas”: de fato, muita gente ignorante, xenófoba e preconceituosa votou pela saída com base no medo. É um fato. Nigel Farage, líder do Ukip, que encabeçou a campanha pela retirada, tem viés demagogo, como tem Donald Trump nos Estados Unidos. Mas daí a ignorar que vários apoiaram a saída ou apoiam tais líderes com base em sólidos argumentos vai uma longa distância.

A esquerda prefere ignorar essa complexa realidade. É mais confortante repetir que todos são uns idiotas, que uma cambada de ignorantes escolheu, por medo, o caminho populista. Mais confortante, mas uma visão equivocada e um tanto arrogante. Há muita vida inteligente do outro lado, apoiando a saída por motivos bastante convincentes. Ignorar essa gente toda, fingir que não existe, é apenas uma tática dos “progressistas” para continuar se sentindo os únicos racionais em campo.

Então Margaret Thatcher, a maior estadista que o Reino Unido já teve, que literalmente salvou a Grã Bretanha do socialismo, era apenas uma idiota? Pois ela era uma das vozes mais estridentes, em seu tempo, contra a união forçada com o restante da Europa e a consequente perda de soberania de seu país. Vejam nesse breve discurso editado como ela diz “não, não e não” a essa mentalidade globalista que moldou a União Europeia:

https://www.youtube.com/v/tVt_1ByddUQ

“Ah, mas Thatcher disse isso em outra época, e hoje tudo é muito diferente”, pode alegar o “progressista”. Ok, então vamos ver o que pensa um dos maiores filósofos conservadores da atualidade, que acaba de se tornar cavalheiro, Sir Roger Scruton, que ninguém terá a coragem de definir como idiota, tacanho, obscuro, ignorante:

https://www.youtube.com/v/Bvlg8YK3iSU

Não estão satisfeitos ainda? É uma só pessoa, e uma andorinha só não faz verão? Tudo bem. Vejam então o filme que fizeram em defesa do Brexit, repleto de argumentos sólidos, embasamento, explicação racional para a tomada de decisão:

https://www.youtube.com/v/QbjYi1QrTWY

Eis o que penso disso: a elite intelectual e financeira, os jornalistas da grande imprensa, todos eles vivem numa espécie de bolha, cada vez mais afastados da realidade do “povão”, que eles juram defender. Se para um jornalista que vive em Nova York o imigrante muçulmano é uma abstração, uma espécie de mascote que ele defende em jantares inteligentes, para o sujeito pobre ele é o vizinho do gueto, cada vez mais dominado por uma cultura estranha, diferente, autoritária.

Enquanto o banqueiro comenta sobre livre imigração dos mexicanos na conversa do iate, o trabalhador humilde vê um imigrante ilegal tentando roubar seu emprego, e depois enfrenta o aumento da criminalidade nos bairros pobres por conta das leis “progressistas” que protegem tais imigrantes, como as “sanctuary cities” americanas. Para essa turma do andar de baixo, tais questões não são filosóficas ou abstratas, mas reais e concretas.

Se o estado concentra cada vez mais poder e recursos e controla mais e mais a economia, isso pode representar um fardo extra para o profissional liberal rico, talvez até algumas oportunidades para o advogado, mas para o trabalhador simples pode ser mortal: uma escola pública terrível, um hospital público que não funciona, um transporte público decadente.

Enfim, a tese de Charles Murray em Coming Apart se aplica bem aqui: há um gradual afastamento entre a elite na bolha e o povo. Ler os livros do psiquiatra britânico Theodore Dalrymple sobre o assunto também ajuda a elucidar muitas questões: é o povo que paga o preço das bandeiras imorais da esquerda caviar. E esse povo está indignado, revoltado, não se sente representado, e agora tem mais voz. A elite “progressista” ainda não entendeu isso!

Não são idiotas aqueles que compreendem tais riscos, que enxergam no “governo mundial” um obstáculo à liberdade, que cansaram da concentração de poder em burocratas “ungidos”. Não são xenófobos aqueles que não consideram desejável a perda completa de sua identidade nacional. Não agem apenas por medo aqueles que veem na União Europeia não um bloco de livre comércio, mas um aparato cada vez mais regulador do mercado. Não são ignorantes os que pretendem resgatar a soberania nacional perdida.

Ao ignorar tudo isso para repetir que o povo que votou pela saída é idiota, a esquerda “progressista” demonstra apenas sua própria ignorância, fomentada pela extrema arrogância dos que se consideram os únicos seres racionais do planeta. E como isso é irracional…
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 25 de Junho de 2016, 19:26:26
Esse documentário explica bem os motivos que levaram à decisão majoritária da saída:

A decisão não foi assim algo que se diga, "minha nossa, mas como foi majoritária essa decisão":

(http://ichef.bbci.co.uk/news/624/cpsprodpb/E7B6/production/_90081395_eu_ref_uk_regions_leave_remain_gra624.png)
http://www.bbc.com/news/uk-politics-36616028

London calling...


Não vi o filme, mas parece que uma explicação mais breve foi terem caído em lorotas populistas* de quinta categoria:

https://www.youtube.com/v/iAgKHSNqxa8

Ao que parece, os britânicos são batshit crazies.


* uma pitada de apelo racista também colaborou.



E como ficam agora os países reinunidenses não-ingleses que votaram para continuar? Mais um referendo para sair do Reinunido?


https://www.youtube.com/v/YNmbg9_CQPE
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gigaview em 25 de Junho de 2016, 19:35:30
Citar
Não são idiotas aqueles que compreendem tais riscos, que enxergam no “governo mundial” um obstáculo à liberdade, que cansaram da concentração de poder em burocratas “ungidos”. Não são xenófobos aqueles que não consideram desejável a perda completa de sua identidade nacional. Não agem apenas por medo aqueles que veem na União Europeia não um bloco de livre comércio, mas um aparato cada vez mais regulador do mercado. Não são ignorantes os que pretendem resgatar a soberania nacional perdida.

A maioria não é idiota, é desinformada. A campanha do Brexit enfatizou o "take back control" sem considerar os riscos da decisão de sair apesar da opinião de todos os especialistas.

Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 25 de Junho de 2016, 21:01:15
A decisão não foi assim algo que se diga, "minha nossa, mas como foi majoritária essa decisão":
Eu sei, foi uma decisão apertada. Mas fazer o quê agora, outro? Vira bagunça. Na Grécia o 'OXI' venceu, mas o governo, por pressão externa, cedeu contrariando o referendo.
Nem sei o RU vai mesmo sair, mas o clima de desentendimento interno em toda a UE aumentou. Tem países que saíram da toca depois de ontem e querem saber também como seu povo pensa.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 25 de Junho de 2016, 21:41:39
Com sorte se importando mais com o que os especialistas mais gabaritados em análise econômica/relevante pensam, em vez de cair nessas de "estamos cansados de especialistas qualificados nos dizerem o que acham que é melhor segundo sua avaliação técnica! Nós também temos o direito de agir de acordo com as concepções rudimentares que nos parecem mais agradáveis! Não toleraremos mais sermos compelidos a ter uma opinião informada para votarmos em questões vitais!"
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gigaview em 25 de Junho de 2016, 21:59:46
Acho que essa argumentação mais elaborada nem passou pela cabeça dessa maioria que votou no Brexit. Parece que estavam mais incomodados com a fila de imigrantes no correio ou com as pessoas que discutem em árabe nos ônibus do que com os possíveis impactos de suas decisões.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 25 de Junho de 2016, 22:18:00
E, segundo o John Oliver, isso nem necessariamente mudará essa situação.


O que, com agravamento da situação econômica decorrente, também tenderá a aumentar ainda mais a xenofobia/racismo.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Diegojaf em 26 de Junho de 2016, 09:31:55
Eu sei que ontem a opinião do pessoal especializado passou de "o que vai ser da UE" para ”a grã-Bretanha se fudeu imensamente".

Estão entrevistando pessoas que votaram pela saída e que estão dizendo que não sabiam que a decisão deles ia obrigar o governo a sair.

O podcast Xadrez Verbal disse que teve gente que votou como voto de protesto, achando que era uma eleição de vereador e que não faria diferença.

Não somos só nós os analfabetos políticos.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Geotecton em 26 de Junho de 2016, 09:39:20
Eu sei que ontem a opinião do pessoal especializado passou de "o que vai ser da UE" para ”a grã-Bretanha se fudeu imensamente".

Estão entrevistando pessoas que votaram pela saída e que estão dizendo que não sabiam que a decisão deles ia obrigar o governo a sair.

O podcast Xadrez Verbal disse que teve gente que votou como voto de protesto, achando que era uma eleição de vereador e que não faria diferença.

Não somos só nós os analfabetos políticos.

Isto é ótimo porque pode resultar, daqui a poucos meses, em outro referendum para reavaliar a decisão.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 26 de Junho de 2016, 09:51:33
Curioso como parece não haver analfabetos políticos entre os votantes do ficar...  ::)... Só devemos aceitar referendos democráticos quando houver garantia de que os resultados serão aqueles que nos agradam! 

Azar... O referendo foi na mais antiga democracia do mundo. :ok:

Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pasteur em 26 de Junho de 2016, 09:52:32
Enquanto isso a Escócia pensa em outro referendum com intenção de se divorciar da UK.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pasteur em 26 de Junho de 2016, 09:53:28
Se ficar assim a Inglaterra vai ficar menor e menos poderosa.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 26 de Junho de 2016, 10:01:12
http://www.dn.pt/mundo/interior/primeira-ministra-diz-que-parlamento-da-escocia-podera-vetar-o-brexit-5249945.html

Escócia em ação.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pasteur em 26 de Junho de 2016, 11:50:03
(http://imguol.com/c/noticias/36/2016/06/25/a-raiva-dos-jovens-pela-braxit-perdemos-o-direito-de-viver-em-27-paises-1466882517611_615x300.jpg)
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 26 de Junho de 2016, 13:24:24
(http://imguol.com/c/noticias/36/2016/06/25/a-raiva-dos-jovens-pela-braxit-perdemos-o-direito-de-viver-em-27-paises-1466882517611_615x300.jpg)

Em democracia, o voto é universal... Esses garotos ao não perceberem isso mostram que não têm maturidade para escolher... Cresçam primeiro.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pasteur em 26 de Junho de 2016, 13:44:27
(http://imguol.com/c/noticias/36/2016/06/25/a-raiva-dos-jovens-pela-braxit-perdemos-o-direito-de-viver-em-27-paises-1466882517611_615x300.jpg)

Em democracia, o voto é universal... Esses garotos ao não perceberem isso mostram que não têm maturidade para escolher... Cresçam primeiro.

Minha leitura foi que os mais velhos foram mais xenófobos e menos preocupados com o futuro da economia.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Sdelareza em 26 de Junho de 2016, 14:37:24
Pouco depois da entrada do Reino Unido na União Europeia em 1973, um referendo foi organizado em 1975
e obteve cerca de 67% de votos favoráveis a permanência do país na UE.

Como a maioria dos eleitores que votaram nesse ultimo referendo contra a permanência na UE eram de uma faixa que compreende os
quarentões aos mais idosos, aquilo mostra que, com o tempo, as pessoas ao envelhecer ficam mais conservadoras ou caem
mais no conforto do populismo.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pagão em 26 de Junho de 2016, 14:52:27
Pouco depois da entrada do Reino Unido na União Europeia em 1973, um referendo foi organizado em 1975
e obteve cerca de 67% de votos favoráveis a permanência do país na UE.

Como a maioria dos eleitores que votaram nesse ultimo referendo contra a permanência na UE eram de uma faixa que compreende os
quarentões aos mais idosos, aquilo mostra que, com o tempo, as pessoas ao envelhecer ficam mais conservadoras ou caem
mais no conforto do populismo.

Ou será antes que mostra que a UE não está a funcionar segundo a expetativas existentes em 1975? As pessoas mudaram com a idade, mas não será que foi a UE que mudou muito mais e, provavelmente, para pior?
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pasteur em 26 de Junho de 2016, 15:11:50
(http://ichef-1.bbci.co.uk/news/624/cpsprodpb/167D6/production/_90081129_eu_ref_uk_regions_leave_remain_gra624_by_age.png)
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Lakatos em 26 de Junho de 2016, 15:33:10
É mais complicado do que parece:

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/13528769_10157031257650591_6037754410967166073_n.jpg?oh=13ca18260db7a1e8a90dffb3f97a87d7&oe=57EB3089&__gda__=1472325340_73b841e4e5ebea3e5b86f6a32fe913fb)
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 19:10:50
Impressionante como até aqui a discussão sobre o Brexit  parece se resumir a xenofobia e racismo......e sim, controle das fronteiras é um tema pertinente, seja aqui, ou lá.


Em tempo, os mesmos "especialistas" que preveem a ruina da Inglaterra hoje, previram que se a Inglaterra não adotasse o Euro, seria o fim da Libra.

Assistam ao documentário Brexit. A questão de controle de fronteiras é apenas um dos motivos do Brexit, e lá também é abordada a questão econômica, que no decorrer da campanha, foi usada pela Midia como meio de se causar terror contra o Brexit.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Agnoscetico em 26 de Junho de 2016, 19:15:27
   Quem quer ver mais sobre Globalistas x Nacionalistas (alguem ai lembra de nazistas?). Mais outra aulas de terorias de conspiração feita pelos descedentes de alemães - e o comentarios só maravilha, o que tem de separatista xenófobo querendo separação de estados do sul dos resto do Brasil. Depois muitos ficam pensando porque os pobres, negros em maioria ainda tem preferencia pela esquerda e comunismo. Até quem não é comunista pode até virar um de tanto nojo que conservadores tão causando.

https://www.youtube.com/v/iRbVr_UOoZM

   Opiniões de separatistas sulistas:

(https://s02.justpaste.it/files/justpaste/d315/a12072891/file13.png)

   E as opiniões revisionismo (ou melhor reinvencionismo) historico que me convencem cada vez mais que humanidade em vão tenta adquirir conhecimento. Quanto mais tem acesso a informação mais reinventam histproria, chegando ao ponto de dizer que classe artistica foi motivo da 2a guerra mundial (seria comico se não fose tragico):

(https://s04.justpaste.it/files/justpaste/d315/a12072891/file15.png)

   E os que mais reclamam da educação "marxista" no Brasil, os conservadores, são os que mais são ignorantes. Não entendem nem desse país aqui vão falar de Europa.

   Mas nem tudo tá perdido, nesse mar de estupidez tem algum ou outro comentário sensato.

(https://s04.justpaste.it/files/justpaste/d315/a12072891/file16.png)

   Mas logo em seguida perco esperança de novo: comentários a favor de intervenção militar (que se não me engano é crime, mas no Youtube com comentários anonimos, parece que qulauer um pode comentar o que quiser e ficar impune)

(https://s04.justpaste.it/files/justpaste/d315/a12072891/file17.png)

(https://s02.justpaste.it/files/justpaste/d315/a12072891/file18.png)

   E pra piorar tem uns que se dizem ser centrista e sócio-democracia mas é favor da volta da intervenção militar de direita. "Centristas" que em tese eram pra ser mais moderados, agora tem tipos extremistas, centro-extremistas [FACEPALM x 1000 + COMBO]

(https://s02.justpaste.it/files/justpaste/d315/a12072891/file111.png)

   E ainda por cima metem conservadorismo cristão como solução pro Ocidente. Como disse alguem na internet, ai que vontade que o Brasil fosse colonizado por budistas, o Japão vai muito bem (tirando terremeotos e poluição) obrigado. Nesses momentos dá vergonha alheia de ser ocidental de predomínio cristão. Até paganismo (em certos pontos) deve ser melhor que isso.

https://www.youtube.com/v/ZVD1aziiZPQ

   Se essa é juventude "direitista" que vai dominar o Brasil (ou o que sobrar dele depois do separatismo) no futuro, esse país tá ferrado. Depois não se deve culpar os comunistas, PT, etc. se pelo lado deles se radicalizarem também. Extremismo chama extremismo. Mas nem tenho esperança, teimosia de reacionários é duro de mudar.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 26 de Junho de 2016, 19:22:35
   Se essa é juventude "direitista" que vai dominar o Brasil (ou o que sobrar dele depois do separatismo) no futuro, esse país tá ferrado.

Não vai ter separatismo, nem esses aí "dominarão o Brasil" no futuro.




Impressionante como até aqui a discussão sobre o Brexit  parece se resumir a xenofobia e racismo......e sim, controle das fronteiras é um tema pertinente, seja aqui, ou lá.

Parece porque é uma das motivações principais, com pessoas por trás do movimento sendo racistas e xenofóbicas ao ponto do ridículo, onde gente nascida na Inglaterra "não é britânica o suficiente".

E não, imigração, parece ser impertinente, a entrada de imigrantes (ou deportação dos atuais) não é diretamente afetado por Brexit, teria que ser uma saída da EEA, se fechando para o mercado europeu.

Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 19:26:05
Te agarantio que é facílimo fazer uma coletânea de bullshits (apesar de ser desnecessário) que são faladas na internet por esquerdistas, acusá-los de ignorância (o que normalmente é fato, dado que só leem autores dessa linha) e criar um "caso" contra a esquerda brasileira, ou até mesmo mundial (é só ver o que está ocorrendo nas universidades americanas, na propria suécia com relação ao politicamente correto e movimentos de "minorias"), falar sobre o "nojo" que toda essa esquerda está causando por ter reescrito a história, redefinido conceitos e deturpado a linguagem!

Esse tipo de construção não é uma boa argumentação!
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 19:37:51
Parece porque é uma das motivações principais, com pessoas por trás do movimento sendo racistas e xenofóbicas ao ponto do ridículo, onde gente nascida na Inglaterra "não é britânica o suficiente".

E não, imigração, parece ser impertinente, a entrada de imigrantes (ou deportação dos atuais) não é diretamente afetado por Brexit, teria que ser uma saída da EEA, se fechando para o mercado europeu.

Essa é a motivação que é falada na mídia. Porque você não assiste ao documentário feito pelos que querem a separação, para entender suas posições, e não o que a mídia fala ?

O fato da saida da união européia ser um ponto comum entre extremistas nazi-fascistas (por serem nacionalistas) e os defensores do Brext, não transforma o movimento em si, um movimento nazi-fascista. É o mesmo que falar que a passeata pro impeachment era uma passeata em prol do golpe militar somente porque pessoas que apoiavam a entrada dos militares também apoiavam a saida da Dilma. Ou então, que todos os que votaram pela permanência na União Européia fossem socialistas, que priorizam, em sua maioria, projetos globais ao invés de nacionais.

E sim, o Brexit representa a retomada do controle das fronteiras por parte da Inglaterra. E não é necessário se fechar ao mercado Europeu para se ter uma politica imigratória própria. Porém, é necessário sair da influência política da União Européia.

Edit : como se o nacionalismo fosse, per se, uma coisa abominável e o "globalismo" fosse a cereja do bolo.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 26 de Junho de 2016, 19:43:04
Citar
[...] The catch is, staying in the EEA means Britain would have to keep free movement of labor -- so immigration wouldn't change at all.
If it pulls out of the EEA, some economists say trade deals would need to be renegotiated and that European nations scorned by Britain's departure may not be forgiving. They could make immigration demands in return for free or favorable trade. [...]

http://edition.cnn.com/2016/06/16/europe/brexit-britain-immigration-referendum/

Bem, só que são informações "da mídia" e não de fontes confiáveis como Olavo de Carvalho, então pode ainda ser que não tenha nada a ver.


(E sim, a esquerda não está seguramente menos repleta de idiotas, e bem poderiam acabar conseguindo promover referendos imbecis também, que, seus simpatizantes, diriam não ser, etc e tal, apontando para documentários do Michael Moore e etc e tal)
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 19:47:25
Citar
[...] The catch is, staying in the EEA means Britain would have to keep free movement of labor -- so immigration wouldn't change at all.
If it pulls out of the EEA, some economists say trade deals would need to be renegotiated and that European nations scorned by Britain's departure may not be forgiving. They could make immigration demands in return for free or favorable trade. [...]

http://edition.cnn.com/2016/06/16/europe/brexit-britain-immigration-referendum/

Bem, só que são informações "da mídia" e não de fontes confiáveis como Olavo de Carvalho, então pode ainda ser que não tenha nada a ver.


(E sim, a esquerda não está seguramente menos repleta de idiotas, e bem poderiam acabar conseguindo promover referendos imbecis também, que, seus simpatizantes, diriam não ser, etc e tal, apontando para documentários do Michael Moore e etc e tal)

Voce viu o documentário, para concluir que o referendo é imbecil ? E não precisa ser Olavo de Caralho. Basta que você busque a informação naqueles que estão propondo a ação.

E sim. Muita coisa terá de ser renegociada.

Edit - Os EUA comercializam com a União Européia ? A China, a Coréia? Existe alguma obrigação imigratória nos acordos comerciais?
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 26 de Junho de 2016, 19:50:14
Vi o trecho exposto pelo John Oliver mostrando as mentiras escabrosas sobre as regulações de mercado da EU, e por isso, por enquanto, avalio que não valha a pena ver o resto da peça de propaganda.

Você viu alguma crítica que se propusesse a analisar a veracidade das afirmações do documentário?
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 19:52:21
Vi o trecho exposto pelo John Oliver mostrando as mentiras escabrosas sobre as regulações de mercado da EU, e por isso, por enquanto, avalio que não valha a pena ver o resto da peça de propaganda.

Você viu alguma crítica que se propusesse a analisar a veracidade das afirmações do documentário?

Quais mentiras sobre regulação?

O que tenho visto de crítica sobre o referendo é o que está na mídia.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Agnoscetico em 26 de Junho de 2016, 20:06:42
O fato da saida da união européia ser um ponto comum entre extremistas nazi-fascistas (por serem nacionalistas) e os defensores do Brext, não transforma o movimento em si, um movimento nazi-fascista. É o mesmo que falar que a passeata pro impeachment era uma passeata em prol do golpe militar somente porque pessoas que apoiavam a entrada dos militares também apoiavam a saída da Dilma. Ou então, que todos os que votaram pela permanência na União Européia fossem socialistas, que priorizam, em sua maioria, projetos globais ao invés de nacionais.

Ta certo. Mas uma coisa chama outra. Melhor que os que votaram pela saída façam um movimento desvinculando de extremistas nazistas (tipo, por exemplo, crira leis mais rigidas de xenofobia, etc.).


Sobre o nacionalismo, a idolatria (idolatrada, salva salve) onde um estado-nação é considerado superior as outras nações já pode ser uma fomentadora de movimentos de xenofobia sim. O nacionalismo por nacionalismo, que não seja por ser um ambiente com pessoas com lingua comum, gerenciamento poilitico mais melhor (já que um estado mundial parece ainda inviável e não sei se compensaria muito) não tem menor sentido de ser (a não ser pra que pessoas de uma nação se acham melhor que outras).


Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 26 de Junho de 2016, 20:15:12
Vi o trecho exposto pelo John Oliver mostrando as mentiras escabrosas sobre as regulações de mercado da EU, e por isso, por enquanto, avalio que não valha a pena ver o resto da peça de propaganda.

Você viu alguma crítica que se propusesse a analisar a veracidade das afirmações do documentário?

Quais mentiras sobre regulação?

No quadro sobre "o homem regulado", fala que o travesseiro está sujeito a centenas de regulações. Mas na verdade, eles só "googlaram" coisas legais com a palavra travesseiro e enfiaram lá, mesmo que não tivessem nada a ver, estão falando de cereais, de bombas de ar, etc, etc. Não se preocuparam em dar informação honesta, a intenção é inflar o quanto parecem exageradas as regulações.

Citar
(http://www.sbs.com.au/news/sites/sbs.com.au.news/files/styles/feature/public/brexit_movie.jpg?itok=-NTQl-QW&mtime=1466653753)
The EU Regulated Man
A recent feature length film by ‘Vote Leave’ campaigners – Brexit: The Movie – claimed that the standard ‘EU regulated man’ wakes up from sleeping on an EU regulated pillow (five EU laws about pillowcases, 109 for the pillow inside) to turn off his EU regulated alarm clock (11 laws) enter his EU regulated bathroom (65 laws) and use his EU regulated toothbrush (31 laws).

The figures are pretty dodgy, however: film-makers appear to have taken these numbers through doing a simple search of the EU’s legal database, then using the number of hits as their figures. Many of the results have nothing to do with regulations about those particular products, they just mention the search term.

http://www.sbs.com.au/news/thefeed/article/2016/06/23/wackiest-eu-laws-and-myths-and-truth-behind-them


Sobre esse e outros pontos:

https://www.youtube.com/v/33BDDAUV8vg

https://www.youtube.com/v/gm1xZh5fqY8
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 20:16:34
O fato da saida da união européia ser um ponto comum entre extremistas nazi-fascistas (por serem nacionalistas) e os defensores do Brext, não transforma o movimento em si, um movimento nazi-fascista. É o mesmo que falar que a passeata pro impeachment era uma passeata em prol do golpe militar somente porque pessoas que apoiavam a entrada dos militares também apoiavam a saída da Dilma. Ou então, que todos os que votaram pela permanência na União Européia fossem socialistas, que priorizam, em sua maioria, projetos globais ao invés de nacionais.

Ta certo. Mas uma coisa chama outra. Melhor que os que votaram pela saída façam um movimento desvinculando de extremistas nazistas (tipo, por exemplo, crira leis mais rigidas de xenofobia, etc.).


Sobre o nacionalismo, a idolatria (idolatrada, salva salve) onde um estado-nação é considerado superior as outras nações já pode ser uma fomentadora de movimentos de xenofobia sim. O nacionalismo por nacionalismo, que não seja por ser um ambiente com pessoas com lingua comum, gerenciamento poilitico mais melhor (já que um estado mundial parece ainda inviável e não sei se compensaria muito) não tem menor sentido de ser (a não ser pra que pessoas de uma nação se acham melhor que outras).

Se formos seguir essa linha, podemos afirmar que Internacionalismo chama marxistas, responsáveis pelos maiores genocídios da história!   

O que parece fomentar xenofobia é cultura e economia problemática! E pode ser entre estados de um mesmo país! E repare que o que se quer com o Brexit não é acabar com a migração, mas sim um maior gerenciamento, pois deixar as fronteiras abertas não é sequer, inteligente.

Mas o que trás mais problemas são essas tentativas ridículas da esquerda de homogenizar o ser humano, de se estabelecer controles centrais, planejar a sociedade. Isso sempre deu e sempre vai dar merda! O mundo não é perfeito, e NUNCA será.

Edit : Como o próprio documentário fala : olhe para o desempenho da Suíça!
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 20:56:07
Vi o trecho exposto pelo John Oliver mostrando as mentiras escabrosas sobre as regulações de mercado da EU, e por isso, por enquanto, avalio que não valha a pena ver o resto da peça de propaganda.

Você viu alguma crítica que se propusesse a analisar a veracidade das afirmações do documentário?

Quais mentiras sobre regulação?

No quadro sobre "o homem regulado", fala que o travesseiro está sujeito a centenas de regulações. Mas na verdade, eles só "googlaram" coisas legais com a palavra travesseiro e enfiaram lá, mesmo que não tivessem nada a ver, estão falando de cereais, de bombas de ar, etc, etc. Não se preocuparam em dar informação honesta, a intenção é inflar o quanto parecem exageradas as regulações.

Citar
(http://www.sbs.com.au/news/sites/sbs.com.au.news/files/styles/feature/public/brexit_movie.jpg?itok=-NTQl-QW&mtime=1466653753)
The EU Regulated Man
A recent feature length film by ‘Vote Leave’ campaigners – Brexit: The Movie – claimed that the standard ‘EU regulated man’ wakes up from sleeping on an EU regulated pillow (five EU laws about pillowcases, 109 for the pillow inside) to turn off his EU regulated alarm clock (11 laws) enter his EU regulated bathroom (65 laws) and use his EU regulated toothbrush (31 laws).

The figures are pretty dodgy, however: film-makers appear to have taken these numbers through doing a simple search of the EU’s legal database, then using the number of hits as their figures. Many of the results have nothing to do with regulations about those particular products, they just mention the search term.

http://www.sbs.com.au/news/thefeed/article/2016/06/23/wackiest-eu-laws-and-myths-and-truth-behind-them


Sobre esse e outros pontos:

https://www.youtube.com/v/gm1xZh5fqY8

Vi o vídeo. Se eu fosse fazer como você fez com relação ao vídeo do Brexit, pararia de ver logo no início, quando ele faz ironia sobre ter entrado e agora querendo sair e  quando compara a questão monarquica (um traço CULTURAL do UK) com a questão dos membros não eleitos da UE. Depois ele continua fazendo algumas comparações que também considero descabidas, como a dos servidores publicos vinculados a coroa, com os legisladores da UE que não são eleitos.

Com relação a questão da regulação, não vi nada nesse vídeo (tem certeza que é nele mesmo?). Mas um ponto a se considerar é que, quando se fala em regulações num produto final, deve-se considerar TODA a regulação na cadeia produtiva, e não somente nos "fabricantes" de "travesseiros". Estamos falando em regulações que vão "da terra" ao cliente.

Edit - só agora vi a reportagem. vou ler!
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 26 de Junho de 2016, 21:02:01
Um dos vídeos do Thunderfoot sobre o tema tem só aquele trecho do vídeo do John Oliver, não lembro qual. Acrescentei mais um numa edição após a sua resposta, mas também teve esse, além de discussões de mais de duas horas com defensores:

https://www.youtube.com/v/HUm36PYvvzw


Essas comparações não são descabidas, a lógica por trás da oposição às regulações da EU é a mesma.


Essa aderência ao movimento e a forma como engolem qualquer coisa chega a ser um pouco surpreendente vinda dos ingleses, tinha deles uma imagem melhor do que a dos americanos, mas era algo meio preconceituoso e não pensado, só "impressão", talvez até pelo sotaque mesmo.



Fui ver agora e o Trump suporta o "make the UK great again". :biglol:

(http://static1.squarespace.com/static/55efd193e4b0fe570119ac34/55fa6329e4b0af27e34abc19/56cc38b91bbee05e52d9227b/1456378783829/?format=1000w)
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 26 de Junho de 2016, 21:05:21
https://www.youtube.com/v/ZVD1aziiZPQ
Ele falou bem quando deu a entender que o Brexit pode ser a tendência na UE pelos motivos rapidamente explicados. Foi feliz.

Num outro vídeo, do Rafael(Idéias Radicais), ele abordou de forma brilhante como os políticos tendem a levar a população como se fossem crianças, e que elas não sabem decidir nada de suas próprias vidas, que os globalistas sempre tem que dar a palavra final, não importa as decisões eleitorais ou referendos do seu povo adulto, podendo contrariá-los. Enfim, os referendos parecem mais como modelos consultivos mesmo.

Eu suspeito que o que está vindo cada vez mais à tona é a centralização do poder no CE, isso talvez esteja incomodando o parlamento de alguns países.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 26 de Junho de 2016, 21:13:51
Num outro vídeo, do Rafael(Idéias Radicais), ele abordou de forma brilhante como os políticos tendem a levar a população como se fossem crianças, e que elas não sabem decidir nada de suas próprias vidas, que os globalistas sempre tem que dar a palavra final,

De novo essas conspirações de "globalistas". A UE é um acordo de MERCADO, GLOBALIZÇÃO ECONÔMICA, que não vem sem ACORDOS de MERCADO, seus nacional-anti-capitalistas.

A propaganda do Brexit é uma mentira atrás da outra e os que votaram pró-brexit que acreditam em tudo feito criancinhas ingênuas (apesar de serem os mais velhos), engolindo a toda ideologia nacionalista pseudo-libertária de se importar até com um 1% dos impostos que vai para a UE e não ligar para todo o resto nacional, ignorando ainda toda a vantagem disso representar um retorno em transações comerciais!
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 21:22:18

Essas comparações não são descabidas, a lógica por trás da oposição às regulações da EU é a mesma.


Essa aderência ao movimento e a forma como engolem qualquer coisa chega a ser um pouco surpreendente vinda dos ingleses, tinha deles uma imagem melhor do que a dos americanos, mas era algo meio preconceituoso e não pensado, só "impressão", talvez até pelo sotaque mesmo.



Fui ver agora e o Trump suporta o "make the UK great again". :biglol:

(http://static1.squarespace.com/static/55efd193e4b0fe570119ac34/55fa6329e4b0af27e34abc19/56cc38b91bbee05e52d9227b/1456378783829/?format=1000w)


Não só o Trump. Os liberais (economicamente) e libertários também suportam o Brexit (está cheio de artigos, esses um pouco mais técnicos explicando o porque da saída ser a melhor opção).

Com relação às comparações, são descabidas sim, pois são situações diferentes, apesar de ambas terem a "mesma" lógica (só seria válido se as situações fossem a mesma). Ele desconsidera completamente as variáveis culturais (no caso da Monarquia que, aliás, é uma opção do povo Ingles - ou seja, o povo decidiu dar esse poder a Rainha) e de soberania, em termos de outros legislando sobre o país, sem terem sido eleitos.

Com relação a regulação, a crítica é tão superficial quanto a afirmação feita. Porém, novamente, esse tipo de levantamento deve considerar toda a cadeia produtiva, pois é isso, que no final das contas irá encarecer o produto, tornar a indústria menos competitivas, etc. Eles dão um exemplo no filme, da questão da industria do aço, cuja proteção via regulação, torna outras industrias pouco competitivas.

Edit - ele só fala que eles aparentemente pesquisaram no google leis e produtos, considerando coisas até não associadas como regulação.

Novamente, veja todo o filme.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 21:24:21
Num outro vídeo, do Rafael(Idéias Radicais), ele abordou de forma brilhante como os políticos tendem a levar a população como se fossem crianças, e que elas não sabem decidir nada de suas próprias vidas, que os globalistas sempre tem que dar a palavra final,

De novo essas conspirações de "globalistas". A UE é um acordo de MERCADO, GLOBALIZÇÃO ECONÔMICA, que não vem sem ACORDOS de MERCADO, seus nacional-anti-capitalistas.

A propaganda do Brexit é uma mentira atrás da outra e os que votaram pró-brexit que acreditam em tudo feito criancinhas ingênuas (apesar de serem os mais velhos), engolindo a toda ideologia nacionalista pseudo-libertária de se importar até com um 1% dos impostos que vai para a UE e não ligar para todo o resto nacional, ignorando ainda toda a vantagem disso representar um retorno em transações comerciais!

Você só está acusando a propaganda de mentirosa, mas seus links não contém nada mais que considerações/críticas vagas e algumas totalmente incabíveis.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 21:27:23
Num outro vídeo, do Rafael(Idéias Radicais), ele abordou de forma brilhante como os políticos tendem a levar a população como se fossem crianças, e que elas não sabem decidir nada de suas próprias vidas, que os globalistas sempre tem que dar a palavra final,

De novo essas conspirações de "globalistas". A UE é um acordo de MERCADO, GLOBALIZÇÃO ECONÔMICA, que não vem sem ACORDOS de MERCADO, seus nacional-anti-capitalistas.

A propaganda do Brexit é uma mentira atrás da outra e os que votaram pró-brexit que acreditam em tudo feito criancinhas ingênuas (apesar de serem os mais velhos), engolindo a toda ideologia nacionalista pseudo-libertária de se importar até com um 1% dos impostos que vai para a UE e não ligar para todo o resto nacional, ignorando ainda toda a vantagem disso representar um retorno em transações comerciais!

A UE é muito mais que um acordo de mercado. É uma integração política-econômica. E nada mais anti-capitalista (liberal) do que a formação desses "blocos", pois estão sempre lotados de regulações e protecionismos.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Agnoscetico em 26 de Junho de 2016, 21:27:42
Se formos seguir essa linha, podemos afirmar que Internacionalismo chama marxistas, responsáveis pelos maiores genocídios da história!   

O que parece fomentar xenofobia é cultura e economia problemática! E pode ser entre estados de um mesmo país! E repare que o que se quer com o Brexit não é acabar com a migração, mas sim um maior gerenciamento, pois deixar as fronteiras abertas não é sequer, inteligente.

Mas o que trás mais problemas são essas tentativas ridículas da esquerda de homogenizar o ser humano, de se estabelecer controles centrais, planejar a sociedade. Isso sempre deu e sempre vai dar merda! O mundo não é perfeito, e NUNCA será.

Edit : Como o próprio documentário fala : olhe para o desempenho da Suíça!


Se formos seguir essa linha, podemos afirmar que Internacionalismo chama marxistas, responsáveis pelos maiores genocídios da história! 

Nada a ver hein. Nem todas ditaduras ditas comunistas mataram tanto (considerando quadro geral dos países comunistas). Disseram que comunistas mataram mais religiosos que todos extermínios religiosos feito nas Cruzadas, Inquisição, etc. Mas por que ainda há muitos religiosos nesse países onde houve esses massacres comunistas? SE a máquina comunistas era muito mais eficiente que as da época da Inquisição, etc. por que eles não mataram com mais eficiência?

Se for assim poderiam dizer que Republica é ditatorial por natureza, já que no Brasil ela não foi estabelecida por eleição mas por Proclamação. Mas nos EUA não foi assim (o que invalidaria a generalização).

O que parece fomentar xenofobia é cultura e economia problemática!

E o racismo, nacionalismo exarcebado, etc.
Curiosamente não foram os mais jovens, cujo os empregos estariam ameaçados, já que forma maioria da mão-de-obra ativa, mas o mais velhos, que querem suas aposentadorias mantidas.

Mas o que trás mais problemas são essas tentativas ridículas da esquerda de homogenizar o ser humano

Sempre que tem um problema e aí vem um direitista, sempre tem que meter esquerda no meio.
Conservadores fazem mesma coisa quando alguem não se adequa ao padrão conservador, são taxados, de seuqrdistas, liberiais, abortistas, gayzistas.




Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 26 de Junho de 2016, 21:51:05
Nada a ver hein. Nem todas ditaduras ditas comunistas mataram tanto (considerando quadro geral dos países comunistas). Disseram que comunistas mataram mais religiosos que todos extermínios religiosos feito nas Cruzadas, Inquisição, etc. Mas por que ainda há muitos religiosos nesse países onde houve esses massacres comunistas? SE a máquina comunistas era muito mais eficiente que as da época da Inquisição, etc. por que eles não mataram com mais eficiência?

Vocês iniciou com a Falácia do Escocês - ditas comunistas (na verdade socialistas)! Todas eram, e Todas elas mataram, e muito! Acho que Cuba foi a que menos matou, e chegou perto dos 100 mil. Sério, não dá nem para comparar as mortes por motivos religiosos com o que houve com os movimentos revolucionários (eu não sei como se deu essa estratificação, mas com certeza muitos religiosos forma mortos, dado que o objetivo era a construção do estado ateu e eliminação completa da religião e de deus).

E mais, as Cruzadas ocorrem como uma reação a centenas de anos de invasão de dominação Islâmica na Europa, e as mortes são consequências dessa guerra. Já o Genocídio Marxista ocorre através da ação do Estado contra sua própria população em tempos de paz!

Outra coisa, a própria Inquisição é, na verdade, uma evolução dentro do catolicismo, pois estabelece um rito de julgamento, ao que antes era uma execução sumária. (e muitos que confessaram "crimes" se safaram - antes eram executados sem julgamento.

Sobre as Cruzadas :

Citar
Se for assim poderiam dizer que Republica é ditatorial por natureza, já que no Brasil ela não foi estabelecida por eleição mas por Proclamação. Mas nos EUA não foi assim (o que invalidaria a generalização).

Não entendi o seu ponto. A questão de ditadura e democracia tem mais a ver com a preservação ou não da liberdade do indivíduo, com eleições, etc.

Citar
E o racismo, nacionalismo exarcebado, etc.
Curiosamente não foram os mais jovens, cujo os empregos estariam ameaçados, já que forma maioria da mão-de-obra ativa, mas o mais velhos, que querem suas aposentadorias mantidas.

Essas questões também estão dentro da cultura de uma população. O problema é concluir que querer sair da UE é sgnificado de nacionalismo exacerbado. O que falar da Suiça, que nem entrou?

Acho que os mais velhos votaram, pois aparentemente eram os que tinham mais a perder com a imigração, na disputa de emprego. `Porque a aposentadoria deles estaria em risco na UE?

Citar
Sempre que tem um problema e aí vem um direitista, sempre tem que meter esquerda no meio.
Conservadores fazem mesma coisa quando alguem não se adequa ao padrão conservador, são taxados, de seuqrdistas, liberiais, abortistas, gayzistas.

Ué, mas foi você que no seu post falou m direita nojenta, etc. Aliás, quem tem PHD em rotular (sem argumentar) é a esquerda!

Outra coisa, quem defende aborto não é abortista? Quem defende o coletivismo e o planejamento central não e´esquerdista por definição?  Conservador não é um rótulo?

Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 26 de Junho de 2016, 21:55:02
Num outro vídeo, do Rafael(Idéias Radicais), ele abordou de forma brilhante como os políticos tendem a levar a população como se fossem crianças, e que elas não sabem decidir nada de suas próprias vidas, que os globalistas sempre tem que dar a palavra final,

De novo essas conspirações de "globalistas". A UE é um acordo de MERCADO, GLOBALIZÇÃO ECONÔMICA, que não vem sem ACORDOS de MERCADO, seus nacional-anti-capitalistas.

A propaganda do Brexit é uma mentira atrás da outra e os que votaram pró-brexit que acreditam em tudo feito criancinhas ingênuas (apesar de serem os mais velhos), engolindo a toda ideologia nacionalista pseudo-libertária de se importar até com um 1% dos impostos que vai para a UE e não ligar para todo o resto nacional, ignorando ainda toda a vantagem disso representar um retorno em transações comerciais!

A UE é muito mais que um acordo de mercado. É uma integração política-econômica. E nada mais anti-capitalista (liberal) do que a formação desses "blocos", pois estão sempre lotados de regulações e protecionismos.

Acho que acaba sendo bem mais mercado porque a Inglaterra já não era bem 100% dentro da UE, tendo maior autonomia que outros membros. E as regulações são exigências do mercado, inevitável então para participar dele e assim participar de seus benefícios, diferentemente das distorções deliberdadas da propaganda nacionalista/isolacionista pseudo-libertária irracional.

Se fosse verdade que o travesseiro tem 111 regulações na UE (e não é), e a Inglaterra não as aceitasse, isso então fecharia a porta dos países que as exigem à produção inglesa. Não fica "livre" delas e podendo "assim" lucrar mais; fechou as portas para os principais parceiros comerciais.

Mas de qualquer forma, política e economia estão sempre emaranhadas, e para "piorar", ou "neutralizar", como disse antes, outros acordos econômicos ainda também tem aspectos políticos vigentes, mesmo centrais/principais como esse de imigração.


Isso tudo parece mais do que qualquer coisa, a exploração de um nicho político-eleitoral para ganhos pessoais dos políticos/ideólogos, uma versão direitista do coitadismo esquerdistas que defende cotas e etc.

 
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 26 de Junho de 2016, 22:04:11
Rolou uma 'meia-treta' da Polônia com o CE recentemente. Nada relacionado a mercado.

http://br.sputniknews.com/mundo/20160529/4819925/polonia-critica-uniao-europeia.html

http://www.dw.com/pt/comiss%C3%A3o-europeia-abre-processo-contra-a-pol%C3%B4nia/a-18975771
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 26 de Junho de 2016, 22:44:07
Treta pela UE defender posições mais libertárias do que as da Polônia, mas os pseudo-libertários nacionalistas preferem ver pela ótica de "dominação globalista mundial".
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 26 de Junho de 2016, 23:45:50
Aí é que tá: um indício de poder de interferência sobre as leis regionais. Se um país deseja ser menos liberal no âmbito social, os eleitores daquela nação suportou diretamente. Se um outro país deseja ser mais liberal no âmbito comercial(regulações) e conservador no social, que não seja pressionado contra. São essas fagulhas que podem fragilizar a UE.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 26 de Junho de 2016, 23:57:16
Não é "indício de poder de interferência", é poder de interferência mesmo, ou, tentativa de, que ainda pode ser vetada por simpatizantes de políticas nacionais mais autoritárias e anti-democráticas, na UE mesmo.

Os eleitores de cada país não necessariamente estão de acordo com tudo que está sendo posto em prática pelo governo -- é como achar que "os brasileiros são dilmistas". Especialmente se forem medidas enfraquecendo a democracia e liberdade de imprensa.

Mas vai ver olavetes e alex-jonesetes agora são a favor do "controle "social" da imprensa" e outros petismos, e eu nem fiquei sabendo.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 27 de Junho de 2016, 00:11:30
Acho que acaba sendo bem mais mercado porque a Inglaterra já não era bem 100% dentro da UE, tendo maior autonomia que outros membros. E as regulações são exigências do mercado, inevitável então para participar dele e assim participar de seus benefícios, diferentemente das distorções deliberdadas da propaganda nacionalista/isolacionista pseudo-libertária irracional.

Se não me engano, a única coisa que o UK manteve foi sua moeda. Diferentemente, se não me engano também,  da Noruega que ficou "parcialmente" na UE e da Suiça, que decidiu não aderir.

Quanto às regulações, elas não são exigências do mercado. São imposições de burocratas, normalmente associados às grandes indústrias (teoria da captura),que protegem determinadas indústrias, prejudicam outras e, no fim, quem paga a conta são os consumidores! A possibilidade de que a crítica a regulação tenha sido exagerada, não evita que a regulação distorça o mercado. E, levando-se em conta os efeitos "cumulativos", ao longo da cadeia produtiva, essa distorção é sempre amplificada!

Citar
Se fosse verdade que o travesseiro tem 111 regulações na UE (e não é), e a Inglaterra não as aceitasse, isso então fecharia a porta dos países que as exigem à produção inglesa. Não fica "livre" delas e podendo "assim" lucrar mais; fechou as portas para os principais parceiros comerciais.

Essas regulações se aplicam aos países participantes. Se a China for exportar para a UE, duvido muito que ela siga a regulação que as empresas da UE seguem.

Citar
Mas de qualquer forma, política e economia estão sempre emaranhadas, e para "piorar", ou "neutralizar", como disse antes, outros acordos econômicos ainda também tem aspectos políticos vigentes, mesmo centrais/principais como esse de imigração.


Isso tudo parece mais do que qualquer coisa, a exploração de um nicho político-eleitoral para ganhos pessoais dos políticos/ideólogos, uma versão direitista do coitadismo esquerdistas que defende cotas e etc.

Isso não é uma "picuinha". É uma questão política-econômica importante, pois com essa decisão o UK definiu que sua economia e suas politicas irão seguir rumos separados da UE, como o fizeram Suiça e Noruega (repare que não estou falando que não haja interdependência entre as economias, mas a forma que ambas estarão organizadas, serão conduzidas, serão fundamentalmente diferentes).
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 27 de Junho de 2016, 00:30:15
Não é "indício de poder de interferência", é poder de interferência mesmo, ou, tentativa de, que ainda pode ser vetada por simpatizantes de políticas nacionais mais autoritárias e anti-democráticas, na UE mesmo.

Os eleitores de cada país não necessariamente estão de acordo com tudo que está sendo posto em prática pelo governo -- é como achar que "os brasileiros são dilmistas". Especialmente se forem medidas enfraquecendo a democracia e liberdade de imprensa.

Mas vai ver olavetes e alex-jonesetes agora são a favor do "controle "social" da imprensa" e outros petismos, e eu nem fiquei sabendo.
Daí vem uma mão mais "democrática"(não eleita pelo povo local) pra ditar o q deve ou não ser feito lá. Até onde vai? Na crise imigratória que ainda rola, teve países se queixando de estar recebendo mais imigrantes que outros. É disso q tô falando.
Até onde sei, nem Olavo, nem AJ comentaram sobre esse caso da Polônia, mas sei que ambos são contrários ao aborto.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 27 de Junho de 2016, 00:35:09
Rapaz...
https://www.youtube.com/v/JJ3alXFQS1A
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 27 de Junho de 2016, 00:45:22
Esquerda e direita radicais cada vez mais impaciente com a UE:

http://www.bbc.com/portuguese/brasil-36627046

Citar
Portugal: Bloco de Esquerda pedirá referendo se Bruxelas impuser sanções
Deputada e porta-voz do BE, Catarina Martins fez anúncio ao término da convenção do partido, neste domingo.


Com o Brexit confirmado na última quinta-feira, quando os eleitores britânicos votaram para que o Reino Unido deixe de fazer parte da União Europeia, vários países já repensam sua participação no bloco. Em Portugal, o Bloco de Esquerda deixou clara sua posição neste domingo, quando sua porta-voz foi incisiva:

“A União Europeia não nos vai continuar a pisar. No próximo Conselho Europeu, o Governo português deve ter uma prioridade: a recusa das sanções com que a Comissão Europeia ameaça Portugal”, disse, segundo o Público.

Catarina Martins também enfatizou que se a Comissão Europeia tomar a iniciativa “gravíssima de aplicar uma sanção inédita e inaceitável e provocatória a Portugal, pelo mau desempenho das contas de Passos Coelho e Maria Luís Albuquerque, entre 2013 e 2015, [está a declarar] guerra a Portugal”.

No sábado, o Partido Popular Monárquico (PPM) defendeu a realização de um referendo em Portugal no estilo Brexit.

"A integração de Portugal à União Europeia nunca foi aprovada diretamente pelo povo português. Portugal constitui exceção chocante no contexto de uma Europa em que quase todos os povos europeus já foram chamados a se pronunciar sobre o processo de integração dos seus países", destacou, em nota, o presidente da comissão política nacional do PPM, Paulo Estêvão, citado pela Agência Lusa.

http://br.sputniknews.com/mundo/20160626/5298531/portugal-referendo-bloco-de-esquerda.html
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 27 de Junho de 2016, 01:02:50
Curiosa essa união de esquerda e direita não-centrais no assunto...
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Agnoscetico em 27 de Junho de 2016, 01:16:20
Nada a ver hein. Nem todas ditaduras ditas comunistas mataram tanto (considerando quadro geral dos países comunistas). Disseram que comunistas mataram mais religiosos que todos extermínios religiosos feito nas Cruzadas, Inquisição, etc. Mas por que ainda há muitos religiosos nesse países onde houve esses massacres comunistas? SE a máquina comunistas era muito mais eficiente que as da época da Inquisição, etc. por que eles não mataram com mais eficiência?

Vocês iniciou com a Falácia do Escocês - ditas comunistas (na verdade socialistas)! Todas eram, e Todas elas mataram, e muito! Acho que Cuba foi a que menos matou, e chegou perto dos 100 mil. Sério, não dá nem para comparar as mortes por motivos religiosos com o que houve com os movimentos revolucionários (eu não sei como se deu essa estratificação, mas com certeza muitos religiosos forma mortos, dado que o objetivo era a construção do estado ateu e eliminação completa da religião e de deus).

E mais, as Cruzadas ocorrem como uma reação a centenas de anos de invasão de dominação Islâmica na Europa, e as mortes são consequências dessa guerra. Já o Genocídio Marxista ocorre através da ação do Estado contra sua própria população em tempos de paz!

Outra coisa, a própria Inquisição é, na verdade, uma evolução dentro do catolicismo, pois estabelece um rito de julgamento, ao que antes era uma execução sumária. (e muitos que confessaram "crimes" se safaram - antes eram executados sem julgamento.

Sobre as Cruzadas :

Citar
Se for assim poderiam dizer que Republica é ditatorial por natureza, já que no Brasil ela não foi estabelecida por eleição mas por Proclamação. Mas nos EUA não foi assim (o que invalidaria a generalização).

Não entendi o seu ponto. A questão de ditadura e democracia tem mais a ver com a preservação ou não da liberdade do indivíduo, com eleições, etc.

Citar
E o racismo, nacionalismo exarcebado, etc.
Curiosamente não foram os mais jovens, cujo os empregos estariam ameaçados, já que forma maioria da mão-de-obra ativa, mas o mais velhos, que querem suas aposentadorias mantidas.

Essas questões também estão dentro da cultura de uma população. O problema é concluir que querer sair da UE é sgnificado de nacionalismo exacerbado. O que falar da Suiça, que nem entrou?

Acho que os mais velhos votaram, pois aparentemente eram os que tinham mais a perder com a imigração, na disputa de emprego. `Porque a aposentadoria deles estaria em risco na UE?

Citar
Sempre que tem um problema e aí vem um direitista, sempre tem que meter esquerda no meio.
Conservadores fazem mesma coisa quando alguem não se adequa ao padrão conservador, são taxados, de seuqrdistas, liberiais, abortistas, gayzistas.

Ué, mas foi você que no seu post falou m direita nojenta, etc. Aliás, quem tem PHD em rotular (sem argumentar) é a esquerda!

Outra coisa, quem defende aborto não é abortista? Quem defende o coletivismo e o planejamento central não e´esquerdista por definição?  Conservador não é um rótulo?


Vocês iniciou com a Falácia do Escocês - ditas comunistas (na verdade socialistas)! Todas eram, e Todas elas mataram, e muito! Acho que Cuba foi a que menos matou, e chegou perto dos 100 mil. Sério, não dá nem para comparar as mortes por motivos religiosos com o que houve com os movimentos revolucionários (eu não sei como se deu essa estratificação, mas com certeza muitos religiosos forma mortos, dado que o objetivo era a construção do estado ateu e eliminação completa da religião e de deus).


   Falando em escoceses, uma coisa que não é falácia: Mias a frente vou postar a opinião nacionalista de muitos escoceses , irlandeses e até de londrinos  (alguns até cogitaram seprar Londres do resto do RU) que queriam ficar na UE...

   Mas respondendo: Você não considerou apenas as matanças feitas nas Cruzadas e Inquisição (catolica) né?
Inquisição contra cátaros, albingneses. Não esqueça a Inquisição protestante (Miguel Servet, etc.). Guerras de luteranos contra Thomas Munzer e os anabatistas. Epiósdio das Bruxas de Salém (que não foram tantas vitimas, mas deve ser contado também). Guerra dos 30 anos. Noite de São Bartolomeu, etc. Muita coisa que você talvez cdesconheça ou não lembra.

   Você considerou a proporção de pessoas que vivia em epocas pessadas com que havia no seculo 20? Se tiver morrido menos pessoas por motivos religiosos, tem que considerar que na Idade media e Renascimento havia menos gente. Deve-se considera porcentagem e não quantidade.

   O fato de mortes que por acaso acontecessem em regimes comunistas são mais fáceis de ser computados, eles surgiram no seculo 20, quando se havia mais meios de se fazer censo de pessoas mortas. Coisa que na Idade Media e Renascimento era mais complicado.O numero de mortos pode ser bem maior.

   Muitos religiosos foram mortos por motivos religiosos ou por motivos politicos? Afinal se for assim pôe mais na conta de guerras religiosas o caso Irlanda (catolica) x Inglaterra (protestante); apesar de muita gente dizer que motivação é politica, a religião ta no meio.

   Põe aí na conta também o extermínio de milhões judeus do Nazismo e dos pogroms, que tiveram componente etnico-religioso (antissemitismo vem desde epoca antigas do cristianismo onde judeus seriam culpados pela morte de Jesus e somaram questões etnicas).

   As Cruzadas ocorreram por vários motivos, um deles teria sido o avanço turco em direção a Europa, mas precisa estudar mais sobre os antecedentes disso:

- Em muitos locais do Oriente Medio (acho que na Siria ou LIbano) sob influencia do Cristianismo Ortodoxo, muitos se sentiam oprimidos por essa igreja ortodoxa, tanto que quando islamicos chegaram foram recebidos como libertadores. Em muitos casos não houve resistencia se abrindo as cidades pra eles.

- Muitos peregrinavam da Europa pra Terra santa. E os arabes islamicos eram tolerantes. Começou a mudar isso com os turcos.

- O mundo islamico não era centralizado; tinha califas que eram rivais de outros. Ex: Um califa de Cordoba (Espanha) poderia ser rival do do Egito, da Siria, de Bagdá, etc. A centralização islamica, através de Saladino, foi consequencia quando cristãos unificados foram pras Cruzadas.

- O papa Urbano 2 convocou os cristaos catolicos ocidentais. Para a Igreja católica as Cruzadas se apresentaram como uma oportunidade de reconquistar a Terra Santa e fortalecer o poder do papa. Ele viu nisso oportunidade de talvez reunificar a Igrejas cristãs ocidental e oriental sob poder dele.

- Judeus viviam relativamente em paz com islamicos. Muitos foram mortos por cruzados por não quererm se converter ao cristianismo. Primeiro na proprio Europa, depois no Oriente Medio.
Todavia, em pouco tempo, o objetivo das cruzadas deixou de ser apenas a libertação de Jerusalém e começaram a atacar tudo aquilo que não fosse cristão dentro da Europa (“Pra que ir até Jerusalém atacar os infiéis muçulmanos, se os judeus estão aqui entre nós?”). Nessas cruzadas de 1096, os judeus que foram mais atacados foram os da região da atual França e Alemanha.    Em 1144, foi convocada uma nova cruzada e os judeus voltaram a ser alvo de perseguição dos cruzados. Nessa época, o ódio religioso aos judeus já havia se tornado parte da mente de muitas pessoas. Felizmente, surgiu um defensor dentro da própria igreja que conseguiu, ao menos, tornar os ataques aos judeus mais moderados. Foi o Abade Bernard que denunciou os monges e padres que incentivavam o assassinato de judeus.
    Na época da terceira cruzada (em 1189), ataques aos judeus da França e da Alemanha já haviam se tornado comuns e não era necessário uma cerimônia especial para se iniciarem os ataques. Assim, os que mais sofreram durante essa cruzada foram os judeus ingleses. O recém coroado rei inglês, Ricardo Coração de Leão, parte numa cruzada. Ainda antes de partir, espalha-se o boato de que ele havia ordenado uma perseguição aos judeus. O povo atacou ferozmente os judeus e o exército de Ricardo teve muitas dificuldades para parar a perseguição. Sendo que três dos comandantes dos ataques foram mortos. Após sua partida, novamente começaram ataques aos judeus. Primeiro os cruzados das cidades do interior até alcançar grandes proporções. Cerca de 500 judeus refugiaram-se no castelo do rei e, após serem sitiados por um longo tempo, acabaram passando fome e, no fim, decidiram-se pelo suicídio. Cabe notar que os líderes dos ataques aos judeus na Inglaterra deviam grandes somas de dinheiro aos judeus e, logo após a morte destes, foram às catedrais onde estavam os contratos de empréstimo e os queimaram.



- Entre os nobres, a grande parte via nas Cruzadas uma possibilidade de aumentar sua fortuna, já que a região da Palestina era considerada de grande riqueza. Muitos jovens pertencentes à nobreza viam uma oportunidade de conquistar algo para si, já que, por não serem filhos primogênitos, não herdariam feudos.

- Algumas cruzadas foram movidas por interesse comerciais, até cidades cristãs foram saquedas pelos mesmo que deveriam defender elas.
O caráter econômico das Cruzadas se evidencia na Quarta Cruzada (1202-1204). Desta vez, Dândolo, o Doge de Veneza, fez com que os exércitos cristãos se desviassem de sua rota e atacassem Constantinopla e Zara (cidades cristãs). As duas cidades foram saqueadas. Com isto, os comerciantes venezianos assumiam controle do estreito de Bósforo, que lhes dava controle sobre o Mar Negro e, portanto, sobre o comércio que circulava nos países ao redor do Mar Negro.


   Curioso que pra defender Cruzadas pra defender territorios "cristãos" aí conservadores usam varias desculpas mas quando é sobre indios reagirem a dominação do colonizador, costumam se calar e fazer vista grossa e alguns até elogiam o exterminio dos "selvagens". Hipocrisia pura!


Ué, mas foi você que no seu post falou m direita nojenta, etc. Aliás, quem tem PHD em rotular (sem argumentar) é a esquerda!


   Onde falei direita nojenta? Falei conservadores:

pode até virar um de tanto nojo que conservadores tão causando.


   Distorcendo o que escrevo! Uma (ou mais) palavra mal colocada pode fazer alguem parecer ter idot o que não disse.

   Muitos conservadores nem se consideram de direita, se consideram algo a parte. Muitos deles pra mim são extrema-direita mesmo, ainda que não se considerem tal. Mas no geral se classificama eles como direita; só que não lembro de ter citado direta nojenta.

Outra coisa, quem defende aborto não é abortista? Quem defende o coletivismo e o planejamento central não e´esquerdista por definição?  Conservador não é um rótulo?



   Mas você parece não ter entendido a coisa: Muitos conservadores costumam taxar esquerdistas pondo no pacote abortista, gayzista, etc. tudo junto - uma visão binaria e como se tudo tivesse num pacote de bombons, onde quem segue certa ideia (bombom) já se posiciona de forma absoluta (caixa) ao estereotipo Direta x Esquerda.
Eles praticamente excluem esquerdistas anti-abortistas, cristãos que são pró-aborto (ou seja nesse ponto eles seriam esquerdistas, mas eles veem isso como incompativel), ateus conservadores (por mais estranho que pareça, tem uns ai que afirmam isso, mas não sao aceitos porque conservadores cristaos acham que só se pode ser conservador se for cristão), etc.

   Ou seja: nem todo esquerdista é necessariamente um abortista, gayzista (expressão totalmente pejorativa fazendo gays parecerem tiranos e heteros as vitimas coitadinhas), coletivista. O que dizer dos judeus conservadores que moram nos kibutz (são coletivistas esquerdistas?)



Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Agnoscetico em 27 de Junho de 2016, 01:50:51
   Tem uns ai defendendo direito nacional do Reino Unido sair da UE.
Será que defenderiam também o direito dos escoceses, irlandeses e até londrinos (é estranho, mas é) de sair o RU pra reentrar na UE?
Afinal um povo tem direito a autonomia né? Escoceses, irlandeses, etc.

Após Brexit: Circula petição pela independência de Londres

Publicado em 25 de jun de 2016
Sarah Chapppel, enviada da euronews a Londres:
"Em todo o Reino Unido, os britânicos começaram a realizar que o futuro do país reside fora da União Europeia. Aqui em Londres houve um choque e uma grande deceção. Enquanto o país como um todo votou a saída, aqui a capital quer manter-se na UE".

A votação foi apertada e há uma parcela enorme de eleitores que não concordou com o resultado — e já se mobiliza.

Uma petição foi aberta solicitando a realização de um segundo referendo. Petição para a i...


https://www.youtube.com/v/QAOr0jD9pyM

   Tem quem queira novo referendo. Alguns comentarios dizem que tem gente que não sabe perder, só aceitam quando eles ganham - no caso seriam os "esquerdistas" (toda vez que alguém é contra algo dito nacionalista e/ou conservador é taxado logo de esquerdista):

Brexit: petição por novo referendo já com perto de 3 milhões de assinaturas

Publicado em 26 de jun de 2016
Mais de dois milhões e setecentas mil assinaturas: o número elevado de britânicos que já subscreveram "a petição no site do Parlamento de Westminster":https://petition.parliament.uk/petiti... que reclama a realização de um segundo referendo demonstra o estado profundamente dividido em que se encontra o Reino Unido, depois da vitória do "Brexit".

Em Londres, onde o campo pró-europeu conquistou 60 por cento dos votos na consulta popular de quinta-feira, sucedem-se as manifestações contra a...


https://www.youtube.com/v/3JDg31sFxDY

Reino Unido: petição recolhe mais de milhão e meio de assinaturas para segundo referendo

Publicado em 25 de jun de 2016
Cerca de duas dezenas de estudantes manifestaram-se este sábado no exterior do parlamento britânico contra a saída do Reino Unido da União Europeia.

O protesto coincide com uma "petição"https://petition.parliament.uk/petiti... que reclama a realização de um segundo referendo e que já recolheu mais de um milhão e meio de assinaturas.

O líder do principal partido da oposição, Jeremy Corbyn, rejeitou apelos no sentido da sua demissão. Corbyn foi acusado de não ter conseguido convencer milh...


https://www.youtube.com/v/aPQZWESb4Hg

Brexit: protestos em Edimburgo e Londres

Publicado em 25 de jun de 2016
O exterior do Parlamento escocês, em Edimburgo, foi esta sexta-feira palco de um protesto contra o "Brexit" e o que os manifestantes diziam ter sido uma campanha dominada pelo racismo. Na Escócia, o campo a favor da permanência na União Europeia obteve 62 por cento dos votos.

Um valor próximo do registado na capital britânica, Londres, onde o "Brexit" apenas recolheu 40 por cento de apoios.

Num protesto junto ao edifício icónico do Shard, uma manifestante diz que "é possível imaginar que o 'Br...


https://www.youtube.com/v/c3bE-uQHtI8






Publicado em 26 de jun de 2016
A primeira-ministra escocesa afirma que está disposta a recorrer a todos os meios para contestar o "Brexit".

Nicola Sturgeon não excluiu a possibilidade de vetar a saída da UE no parlamento escocês, durante uma entrevista ao canal BBC.

Um gesto ineficaz e puramente simbólico para os conservadores escoceses.

Segundo Sturgeon, "esta saída poderá não acontecer imediatamente mas será a experiência mais destruídora para o Reino Unido desde o início da II Guerra e como sabem, eu não quero que a Es...


https://www.youtube.com/v/4fDEYkM-Qk8

Publicado em 24 de jun de 2016
A influência do resultado do referendo do chamado _Brexit_ não se fez esperar na política interna britânica. A Escócia admite voltar a pedir um referendo sobre a independência do Reino Unido e o vice primeiro ministro da Irlanda do Norte fala num referendo sobre uma possível união com a República da Irlanda.


https://www.youtube.com/v/AJVDvxZPyJk
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pasteur em 28 de Junho de 2016, 13:06:12
Impressionante como até aqui a discussão sobre o Brexit  parece se resumir a xenofobia e racismo......e sim, controle das fronteiras é um tema pertinente, seja aqui, ou lá.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/reino-unido-registra-episodios-de-xenofobia-pos-brexit.html
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gabarito em 28 de Junho de 2016, 13:53:09
   Tem uns ai defendendo direito nacional do Reino Unido sair da UE.
Será que defenderiam também o direito dos escoceses, irlandeses e até londrinos (é estranho, mas é) de sair o RU pra reentrar na UE?
Afinal um povo tem direito a autonomia né? Escoceses, irlandeses, etc.

Brexit: petição por novo referendo já com perto de 3 milhões de assinaturas



FAKE!


Citar
Petição com 3 milhões de assinaturas para anular Brexit é FALSA! (http://www.modoespartano.com.br/2016/06/peticao-com-3-milhoes-de-assinaturas.html)
segunda-feira, 27 de junho de 2016

Diversos jornais, brasileiros e estrangeiros, têm publicado desde sexta-feira a notícia de que há uma petição com mais de 3 milhões de assinaturas solicitando um novo plebiscito sobre o BREXIT, algo que é inconstitucional e completamente incomum na história britânica. No entanto, diversas informações concluem que a tal petição é uma fraude cometida por hackers e bots do 4Chan (https://heatst.com/uk/exclusive-brexit-2nd-referendum-petition-a-4-chan-prank-bbc-report-it-as-real/).

(https://1.bp.blogspot.com/-f_BexZ9ieTg/V3HgQFURonI/AAAAAAAAE1c/a-JXYMHjRlAvCJ1uVSNmFuLBuCxmDg29QCLcB/s640/David-Cameron.jpg)

A BBC, um dos maiores veículos de comunicação do mundo, publicou a matéria como verdadeira, sem nenhuma preocupação em averiguar os fatos. Outros veículos de imprensa aqui no Brasil, ávidos para seguir a agenda política da esquerda europeia, simplesmente republicaram a matéria inúmeras vezes. Este foi o caso do UOL (http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2016/06/25/peticao-por-segundo-referendo-sobre-a-ue-supera-1-milhao-de-assinaturas.htm) e do jornal Valor Econômico (http://www.valor.com.br/internacional/4614305/brexit-peticao-para-cancelar-votacao-tem-3-milhoes-de-assinaturas). Obviamente a Folha de São Paulo (http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2016/06/1785859-peticao-para-novo-plebiscito-sobre-ue-reune-mais-de-3-milhoes-de-britanicos.shtml), empresa que faz publicidade para o PT e movimentos de esquerda, também publicou.

Tudo mentira!

Algumas fontes, inclusive muitas das que publicaram a notícia como verdade, já reconheceram a fraude. Ao que tudo indica a petição foi "sequestrada" por pessoas que defendem a permanência na UE, só que muitas delas nem mesmo são britânicas e nem vivem lá. Que haja uma fraude nessa petição já é certeza, ainda estão a investigar como ela aconteceu. O site Heat Street (https://heatst.com/uk/exclusive-brexit-2nd-referendum-petition-a-4-chan-prank-bbc-report-it-as-real/) publicou uma matéria sobre o caso levantando a questão do uso de bots e scripts por hackers do 4Chan.

Para quem não entende do assunto (como eu), uma explicação leiga para como isso funciona é que os tais bots são "programas" projetados para reproduzir uma ação repetidas vezes em uma velocidade maior do que um humano conseguiria operando a máquina. Bots são usados largamente na internet, seja em jogos online ou mesmo em divulgação de páginas de Facebook. Os scripts, por sua vez, são códigos simples desenvolvidos para operacionalizar a ação de modo eficiente. A suspeita foi levantada porque as assinaturas subiram em velocidade recorde em pouquíssimos dias, e há mai de 24 mil assinaturas da petição que sugerem IPs da Coreia do Norte, um país que sequer tem acesso a internet livre.

A BBC e o UOL já voltaram atrás e reconheceram que a petição é fraudulenta, mas ainda assim isso levanta, novamente, uma importante questão sobre o jornalismo dos tempos atuais. Aparentemente, no ímpeto inglório de publicar aquilo que interessa às suas agendas políticas, os jornalistas têm deixado completamente de lado a averiguação dos fatos.

Vamos pensar um pouquinho:

O Reino Unido tem cerca de 64 milhões de habitantes, sendo que a votação do plebiscito contou com 14,7 milhões de votos pela permanência. Ninguém achou realmente estranho que as assinaturas da petição tenham subido em velocidade recorde, atingido a marca de 3 milhões em tão poucos dias? Esses 3 milhões seriam praticamente 21% dos que votaram no dia do plebiscito.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Pregador em 28 de Junho de 2016, 14:40:19
Acho que a Escócia e a Irlanda do Norte vão acabar deixando o RU. Será que a Escócia voltará a ter um rei ou vão continuar reconhecedo a Elizabeth?
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Jack Carver em 28 de Junho de 2016, 15:24:19
   Tem uns ai defendendo direito nacional do Reino Unido sair da UE.
Será que defenderiam também o direito dos escoceses, irlandeses e até londrinos (é estranho, mas é) de sair o RU pra reentrar na UE?
Afinal um povo tem direito a autonomia né? Escoceses, irlandeses, etc.
Eu não veria problema nem se começassem a elaborar um referendo de libertação de Londres(que votou a favor da permanência na UE) do resto da Inglaterra.
...E nem do Texas.
(http://hwcdn.net/t3r3e5a7/cds/wp-content/uploads/2016/05/texas-seccession.jpg) (http://www.infowars.com/first-the-uk-then-scotland-then-texas/)hehe.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 28 de Junho de 2016, 15:49:04
Acho que acaba sendo bem mais mercado porque a Inglaterra já não era bem 100% dentro da UE, tendo maior autonomia que outros membros. E as regulações são exigências do mercado, inevitável então para participar dele e assim participar de seus benefícios, diferentemente das distorções deliberdadas da propaganda nacionalista/isolacionista pseudo-libertária irracional.

Se não me engano, a única coisa que o UK manteve foi sua moeda. Diferentemente, se não me engano também,  da Noruega que ficou "parcialmente" na UE e da Suiça, que decidiu não aderir.


Citar
https://www.bloomberg.com/view/articles/2016-02-20/the-u-k-wasn-t-a-real-eu-member-anyway

...

In reality, the U.K. was, and remains, about as much of an EU member as Switzerland -- which is not formally part of the union -- and, arguably, even less. The U.K. doesn't subscribe to the EU's common-borders policy or borderless free movement, described by the Schengen agreement. Meanwhile, Switzerland has borderless travel with EU countries.

The U.K. is also not part of the euro. "For the first time, the EU has explicitly acknowledged it has more than one currency," Cameron said. That's not true. The U.K. has had a permanent opt-out of the common currency since 1992, and that is as official as it gets: It's spelled out in a special protocol of the Maastricht Treaty.

Since 2007, the U.K. has had an opt-out of Europe's Charter of Fundamental Rights, allowing U.K. courts to define basic human rights without reference to European law. Well, Switzerland also defines these rights at its own discretion.

Switzerland has a tougher regime for migrant workers from the EU than the U.K. does. It allows most of them to accept employment offers, but it kicks out everyone who applies for benefits. The U.K. would like to do the same, and Friday's agreement is a small step along this path. I guess the somewhat more lenient work-immigration rules the U.K. still has compared with Switzerland can be seen as a trade-off for wanting no part of Schengen.

...

Quanto às regulações, elas não são exigências do mercado.

Ok, são exigências do "mercado não-negro", do mercado legal.

Não necessariamente teriam emergido de um mercado completamente desregulado (que inexiste, exceto em ilegalidade), mas na prática existem, e portanto são exigências do mercado na prática.


Citar
São imposições de burocratas, normalmente associados às grandes indústrias (teoria da captura),que protegem determinadas indústrias, prejudicam outras e, no fim, quem paga a conta são os consumidores! A possibilidade de que a crítica a regulação tenha sido exagerada, não evita que a regulação distorça o mercado. E, levando-se em conta os efeitos "cumulativos", ao longo da cadeia produtiva, essa distorção é sempre amplificada!

O Brexit não elimina as regulações do mercado no UK, nem em futuras eventuais transações internacionais. Terão que ser renegociadas, e provavelmente serão re-feitas sem diferenças muito significativas das que existem dentro da UE. É conversa para boi dormir.




Citar
Citar
Se fosse verdade que o travesseiro tem 111 regulações na UE (e não é), e a Inglaterra não as aceitasse, isso então fecharia a porta dos países que as exigem à produção inglesa. Não fica "livre" delas e podendo "assim" lucrar mais; fechou as portas para os principais parceiros comerciais.

Essas regulações se aplicam aos países participantes. Se a China for exportar para a UE, duvido muito que ela siga a regulação que as empresas da UE seguem.

Acho que para importarem também requerem padrões, seja lá quais forem os reais padrões, não as fabricações da propaganda Brexista. Aqui que está o protecionismo, acho que já ouvi, haver coisas como exigir que carne de gado ou aves tenha tido vacinação que não faz sentido nos países de origem. Talvez o RU consiga afrouxar a coisa para alguns outros mercados, ou baixar a qualidade exigida para produtos produzidos na Europa mesmo (que devem continuar seus principais parceiros comerciais, com regulações não muito diferentes daquelas dentro da UE), para importação própria. Vamos ver se no RU tem mesmo toda essa demanda para produtos de terceira.




Citar
Citar
Mas de qualquer forma, política e economia estão sempre emaranhadas, e para "piorar", ou "neutralizar", como disse antes, outros acordos econômicos ainda também tem aspectos políticos vigentes, mesmo centrais/principais como esse de imigração.


Isso tudo parece mais do que qualquer coisa, a exploração de um nicho político-eleitoral para ganhos pessoais dos políticos/ideólogos, uma versão direitista do coitadismo esquerdistas que defende cotas e etc.

Isso não é uma "picuinha". É uma questão política-econômica importante, pois com essa decisão o UK definiu que sua economia e suas politicas irão seguir rumos separados da UE, como o fizeram Suiça e Noruega (repare que não estou falando que não haja interdependência entre as economias, mas a forma que ambas estarão organizadas, serão conduzidas, serão fundamentalmente diferentes).

Tenho a impressão de que o UK, até mais que os outros membros, que não são também "fantoches", já tinha bastante autonomia, não tendo sido forçado a concessões significativas e prejudiciais. Ao mesmo tempo, sair da UE não livra o UK de eventuais sanções pelos países membros em caso de políticas muito discordantes.

Mas só é necessário criar a impressão de que isso está ocorrendo e da saída ser a salvação, para que políticos populistas impulsionem suas carreiras.




http://blogs.spectator.co.uk/2016/04/boris-and-the-brexiteers-are-talking-nonsense-about-britains-trade-policies/
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 28 de Junho de 2016, 21:41:00
Rapaz...
https://www.youtube.com/v/JJ3alXFQS1A

Nesse aqui ele faz o discurso da vitória, citando casos de países que votaram não para a UE e foram ignorados (e não me surpreenderá caso consigam anular esse resultado, como feito antes) :

https://www.youtube.com/v/Y1ewRNSfyiI
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 28 de Junho de 2016, 21:58:09

Ok, são exigências do "mercado não-negro", do mercado legal.

Não necessariamente teriam emergido de um mercado completamente desregulado (que inexiste, exceto em ilegalidade), mas na prática existem, e portanto são exigências do mercado na prática.

Sim. Atualmente o mundo caminha para regulações cada vez mais intensas e absurdas, contraproducentes e favorecedoras de grandes corporações. E sim, já houve mercado desregulado; e a Europa era muito menos regulada antes da UE do que é atualmente. A regulação surge de intervenções do estado no mercado; são exigências de burocratas(normalmente influenciado pelas grandes indústrias), não do mercado.

Citar
O Brexit não elimina as regulações do mercado no UK, nem em futuras eventuais transações internacionais. Terão que ser renegociadas, e provavelmente serão re-feitas sem diferenças muito significativas das que existem dentro da UE. É conversa para boi dormir.

Com certeza não elimina. Aliás, um segundo passo para o UK aumentar sua produtividade e prosperidade, será reduzir suas próprias regulações.

E isso Não é conversa para boi dormir! É só vocês perceber que a Europa não comercializa somente entre ela. China, EUA, Austrális, etc comercializam com a Europa. Mas seus mercados e empresas não estão sujeitas às regulações da UE!

Citar
Tenho a impressão de que o UK, até mais que os outros membros, que não são também "fantoches", já tinha bastante autonomia, não tendo sido forçado a concessões significativas e prejudiciais. Ao mesmo tempo, sair da UE não livra o UK de eventuais sanções pelos países membros em caso de políticas muito discordantes.

Mas só é necessário criar a impressão de que isso está ocorrendo e da saída ser a salvação, para que políticos populistas impulsionem suas carreiras.

Sim foram. Uma delas é ceder seus mares à indústria de pesca alemã, por exemplo. E isso está no documentário que voce não assisitiu.

Porque a saída do UK te preocupa tanto assim? Porque você acha que a UE é uma organização "superior" à Europa com países independentes, sem estarem submetidos à Bruxelas?

https://mises.org/blog/why-all-post-brexit-hysteria

E você está colocando a situação como se só os políticos e a "extrema" direita do UK estivessem vendo benefícios. Não, a posição dos Liberais , Libertários (defendidos por sólida teoria politico-econômica) é que o Brexit é o correto!

Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Geotecton em 28 de Junho de 2016, 21:59:45
Rapaz...
https://www.youtube.com/v/JJ3alXFQS1A

Um aspecto que não se pode concordar com ele, de maneira alguma, é o desprezo manifestado contra a Bélgica.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 28 de Junho de 2016, 22:03:03
Curiosa essa união de esquerda e direita não-centrais no assunto...

Bem compreensível, nesse caso. A UE está forçando políticas de Austeridade, o que põe a Esquerda mais radical contrária a UE. Já a Direita "radical", apóia pelas questões levantadas no Brexit.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 28 de Junho de 2016, 22:04:30
Rapaz...
https://www.youtube.com/v/JJ3alXFQS1A

Um aspecto que não se pode concordar com ele, de maneira alguma, é o desprezo manifestado contra a Bélgica.

Lembre-se também que isso é um trecho. Provavelmente houve troca mútua de insultos (nessa ou em outras ocasiões) : pessoais e "nacionais""
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 28 de Junho de 2016, 22:20:54
Outra coisa :

Vi alguns, e realmente não lembro quem foi, falando em "teorias da conspiração globalistas". Bom, o projeto globalista é OBJETIVO declarado da ONU : um governo mundial, moeda mundial, etc. Então, não sei o que pode haver de teoria (é um fato) nem de conspiração (não é realizada "às escondidas"). Sua origem remonta o socialismo fabiano inglês.

Acho que é o 3o. parágrafo desse texto de 2003, onde ele cita a referência (e já nesse artigo, alertava para a questão de soberania):

http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/cultura/olavo-de-carvalho-avisou-em-2003-sobre-brexit/
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Geotecton em 28 de Junho de 2016, 23:01:38
Outra coisa :

Vi alguns, e realmente não lembro quem foi, falando em "teorias da conspiração globalistas". Bom, o projeto globalista é OBJETIVO declarado da ONU : um governo mundial, moeda mundial, etc. Então, não sei o que pode haver de teoria (é um fato) nem de conspiração (não é realizada "às escondidas"). Sua origem remonta o socialismo fabiano inglês.

Acho que é o 3o. parágrafo desse texto de 2003, onde ele cita a referência (e já nesse artigo, alertava para a questão de soberania):

http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/cultura/olavo-de-carvalho-avisou-em-2003-sobre-brexit/

A ONU nada mais é do que a materialização de vários burocratas de todo o espectro político e suas ações não são, de maneira alguma, sempre nefastas.

A bobagem beira a paranoia completa ao propor que o socialismo fabiano teria a primazia em um suposto projeto de implantar um governo mundial. Toda ideologia visa ter, senão o controle, ao menos o predomínio sobre uma sociedade ou até mesmo um conjunto de sociedades. Aí estão as religiões, os partidos políticos, os militares e as grandes corporações transnacionais como exemplos conspícuos.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gauss em 28 de Junho de 2016, 23:24:49
É inacreditável como que para o Olavão e sua turma tudo se reduz a um plano socialista global.

Os EUA eram/são fabianistas para deixar uma organização que quer supostamente implantar o socialismo dentro de seu próprio quintal? Qual o embasamento para afirmar uma ideia fabiana na organização? A ONU quer tornar a classe operária apta a tomar o controle dos meios de produção global?

Analisem a carta da ONU: https://nacoesunidas.org/carta/

Não vejo nada fabiano aí. O mais importante é analisar o motivo da criação da Organização.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Buckaroo Banzai em 28 de Junho de 2016, 23:34:40
É inacreditável como que para o Olavão e sua turma tudo se reduz a um plano socialista global.

Os EUA eram/são fabianistas para deixar uma organização que quer supostamente implantar o socialismo dentro de seu próprio quintal? Qual o embasamento para afirmar uma ideia fabiana na organização? A ONU quer tornar a classe operária apta a tomar o controle dos meios de produção global?

Analisem a carta da ONU: https://nacoesunidas.org/carta/

Não vejo nada fabiano aí. O mais importante é analisar o motivo da criação da Organização.

(https://buelahman.files.wordpress.com/2014/03/unitedsocialiststatesofamericaflagfdr.jpeg)

http://www.conservapedia.com/New_Deal#Communists_in_the_New_Deal

http://www.historytoday.com/james-williamson/british-socialism-and-marshall-plan




(http://www.lepantoinstitute.org/wp-content/uploads/2015/08/Communist-UN-01.jpg)

E agora, comunas?







Putz, eu ainda achava que o Felipe Moura Brasil podia de vez em quando ter algo que prestasse para ler, apesar daquela interpretação tosca de texto da lei (https://clubecetico.org/forum/index.php?topic=29542.msg878288#msg878288), mas então ele é Olavete? Assim as esperanças são levadas a níveis de Mariana Felinto e etc. Nem o Reinaldo Azevedo é...
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 29 de Junho de 2016, 01:38:28
Outra coisa :

Vi alguns, e realmente não lembro quem foi, falando em "teorias da conspiração globalistas". Bom, o projeto globalista é OBJETIVO declarado da ONU : um governo mundial, moeda mundial, etc. Então, não sei o que pode haver de teoria (é um fato) nem de conspiração (não é realizada "às escondidas"). Sua origem remonta o socialismo fabiano inglês.

Acho que é o 3o. parágrafo desse texto de 2003, onde ele cita a referência (e já nesse artigo, alertava para a questão de soberania):

http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/cultura/olavo-de-carvalho-avisou-em-2003-sobre-brexit/

A ONU nada mais é do que a materialização de vários burocratas de todo o espectro político e suas ações não são, de maneira alguma, sempre nefastas.

A bobagem beira a paranoia completa ao propor que o socialismo fabiano teria a primazia em um suposto projeto de implantar um governo mundial. Toda ideologia visa ter, senão o controle, ao menos o predomínio sobre uma sociedade ou até mesmo um conjunto de sociedades. Aí estão as religiões, os partidos políticos, os militares e as grandes corporações transnacionais como exemplos conspícuos.

Cite, por favor, uma política conservadora ou liberal /libertária que tenha saído da ONU.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Feliperj em 29 de Junho de 2016, 02:08:51
É inacreditável como que para o Olavão e sua turma tudo se reduz a um plano socialista global.

Os EUA eram/são fabianistas para deixar uma organização que quer supostamente implantar o socialismo dentro de seu próprio quintal? Qual o embasamento para afirmar uma ideia fabiana na organização? A ONU quer tornar a classe operária apta a tomar o controle dos meios de produção global?

Analisem a carta da ONU: https://nacoesunidas.org/carta/

Não vejo nada fabiano aí. O mais importante é analisar o motivo da criação da Organização.

Os EUA eram Liberais. Atualmente, o número de adeptos do socialismo, principalmente entre os mais Jovens, é impensável. Tudo isso, graças as ocupações de espaços, que a esquerda fabiana (e radical) americana fez nas universidades - dos anos 40 para cá. Pesquise um pouco sobre o que está ocorrendo nas universidades americanas!

Os Fabianos acreditam na transformação gradual da sociedade (seu símbolo é uma tartaruga, justamente por isso), e assim como os sociais democratas, não acreditam mais na planificação da economia, mas sim no agigantamento do estado e controle do mercado (regulação) para dar a população um estado de bem estar social - ou seja, fascimo :

https://pt.wikipedia.org/wiki/Socialismo_fabiano


Isso posto, assim como um país, uma instituição não necessariamente se mantém a mesma ao longo do tempo, muito menos se mantém fiel ao seu propósito original. O que eu falei foi : o projeto globalista é inspirado no socialismo fabiano, como colocado no Texto do Olavo.

"Os planos do governo mundial estão expostos desde 1995 no documento “Our Global Neighborhood,” publicado por uma “Comissão de Governança Global”, que prega abertamente “a subordinação da soberania nacional ao transnacionalismo democrático”. Esses planos incluem: 1. Imposto mundial. 2. Exército mundial sob o comando do secretário-geral da ONU. 3. Legislações uniformes sobre direitos humanos, imigração, armas, drogas etc. (sendo previsível a proibição dos cigarros e a liberação da maconha). 4. Tribunal Penal Internacional, com jurisdição sobre os governos de todos os países. 5. Assembléia mundial, eleita por voto direto, passando por cima de todos os Estados Nacionais. 6. Código penal cultural, punindo as culturas nacionais que não se enquadrem na uniformidade planetária “politicamente correta”."

"The Commission consists of 28 individuals, carefully selected because of
their prominence, influence, and their ability to effect the implementation of
the recommendations. The Commission is not an official body of the United
Nations. It was, however, endorsed by the UN Secretary General and funded
through two trust funds of the United Nations Development Program
(UNDP), nine national governments, and several foundations, including the
MacArthur Foundation, the Ford Foundation, and the Carnegie Corporation
"

http://ruby.fgcu.edu/courses/twimberley/EnviroPhilo/OurGlobalNeighborhood.pdf

Alguém pode me falar onde encontramos aqui propostas conservadoras, de direita ou liberal/libertária? E que coincidência, olhem as fundações que estão apoiando esse plano!! Então, SIM, os socialistas fabianos SÃO GLOBALISTAS. Por ideologia! Assim como a ONU.

Quem quiser se informar um pouco mais sobre a ONU leia : Maquiavel Pedagogo 

Sobre a questão politica americana : The New Leviathan.

O autor é ex comunista, que participava ativamente de movimentos da esquerda radical americana. É esse aqui do vídeo abaixo :

https://www.youtube.com/v/lQkLp-D4A0o
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Skorpios em 29 de Junho de 2016, 07:48:58
Gostei do artigo a seguir:

Citar
O Reino Unido deixará a União Europeia. E você e o seu emprego com isso?  (https://www.linkedin.com/pulse/o-reino-unido-deixar%C3%A1-uni%C3%A3o-europeia-e-voc%C3%AA-seu-emprego-amorim)

Em uma decisão histórica, o Reino Unido decidiu em um plebiscito deixar a União Europeia. Talvez, você esteja se perguntando o que você, no Brasil ou em qualquer outro lugar fora do Reino Unido, tem a ver com isso. Muito mais do que você imagina.

Para começo de conversa, as Bolsas despencaram em todo o mundo, sinalizando que as expectativas para os resultados das empresas e a economia mundial pioraram, mas por quê?

Razões não faltam. A decisão vai reforçar um movimento anti-establishment, nacionalista e populista na Europa e nos EUA, aumentando a incerteza sobre o futuro. Isto leva empresas a serem mais cautelosas em seus investimentos e, por consequência, reduz a geração de empregos e o crescimento da economia mundial.

Desde a virada do milênio, o ritmo de crescimento médio dos países desenvolvidos foi apenas a metade do que era nas três décadas anteriores. Ainda mais grave, ele favoreceu quase que exclusivamente os detentores de capital, à medida que um movimento em direção a taxas de juros negativas – já há mais de US$9 trilhões em títulos pagando taxas de juros negativas nos países desenvolvidos – gerou bolhas de ativos financeiros, mas o fraco desempenho econômico fez os salários subirem menos do que a inflação, isto é, caírem em termos reais. O resultado é que mesmo nos EUA, o país desenvolvido de melhor desempenho econômico neste milênio, a renda mediana é hoje menor do que há 30 anos em termos reais. Em outras palavras, pela primeira vez na história dos EUA, o americano médio está pior de vida do que estavam seus pais com a mesma idade. Isto está gerando muito ressentimento e, como infelizmente é comum nestes casos, um forte movimento de caçar as bruxas e culpar imigrantes e estrangeiros.

Nas últimas eleições na Europa, populistas e nacionalistas avançaram de forma significativa em praticamente todos os países. Os exemplos mais marcantes foram o SYRIZA e o Amanhecer Dourado na Grécia, o Partido do Povo Suíço na Suíça, o Movimento das Cinco Estrelas e a Liga do Norte na Itália, o Partido do Povo Dinamarquês na Dinamarca, o Podemos e o Cidadãos na Espanha, o Jobbik na Hungria, o Finlandeses na Finlândia, a Frente Nacional na Franca e o UKIP no Reino Unido. Na atual campanha presidencial americana não é diferente, com Donald Trump e Bernie Sanders tendo desempenhos muito mais fortes do que ninguém de bom senso poderia imaginar até recentemente.

A saída do Reino Unido da União Europeia reforçará movimentos anti-imigrantes e o separatismo, o que não só reduz o crescimento global por enfraquecer o comércio internacional, mas abre espaço para tensões mais graves, inclusive bélicas. É bom lembrar que o projeto de interdependência entre os países europeus por meio da União Europeia tinha dois objetivos: acelerar o crescimento econômico e reduzir o risco de conflitos bélicos em uma região que deu à luz duas guerras mundiais no século XX. Ambos saem agora enfraquecidos.

Para piorar, o choque econômico negativo vem em um momento em que a economia mundial já estava cambaleante e onde há ao menos duas grandes bolhas de ativos que podem representar riscos para a economia mundial.

Olhando a economia mundial, Europa e Japão já tinham desempenho muito fraco e, provavelmente agora serão jogadas em novas recessões. Entre os BRICS, Brasil e Rússia já estão em recessão e a China crescendo menos do que crescia até recentemente; só a Índia ainda ia bem. Os EUA vivem desde 2009, a recuperação econômica mais lenta desde o pós-guerra e a incerteza eleitoral e a possibilidade de alta da juros pelo Fed – ainda que cada vez mais remota – também não colaboram. Em resumo, passou a haver um risco real de uma nova recessão global.

(https://media.licdn.com/mpr/mpr/shrinknp_800_800/AAEAAQAAAAAAAAl6AAAAJDQzMDc1ZGQxLTIxOWEtNDk0Yy1iNDQ2LWZmMTQ1YjcxOGEwMw.png)

No lado financeiro, a situação é ainda mais grave. Entre as muitas bolhas financeiras infladas pela injeção de dezenas de trilhões de dólares na economia mundial pelos bancos centrais dos países desenvolvidos após a crise financeira global de 2008, há ao menos duas que podem funcionar como gatilho para uma nova crise financeira global.

A primeira vem dos EUA. Enquanto a recuperação econômica pós-2009 foi a mais fraca desde o pós-guerra, a alta da Bolsa nos EUA foi a mais forte desde então, em função de lucratividade recorde das empresas. Isto foi possível por vários fatores que já não estão se sustentando:

 1 - Em 2008 e 2009, a crise financeira global fez o desemprego atingir o nível mais alto em mais de 30 anos nos EUA, derrubando salários, colaborando para aumentar a lucratividade das empresas americanas. Desde então, o desemprego vem caindo e hoje já é menor do que 5%, o que sugere que os salários devem subir, reduzindo os lucros das empresas;
 2 - A exploração do gás de xisto fez a produção de energia nos EUA dobrar desde 2008, tornando a energia nos EUA mais barata do que no resto do mundo, enquanto o preço do petróleo estava elevado nos mercados internacionais. Quando, recentemente, o preço do petróleo caiu de mais de US$100 por barril para a faixa de US$50 ou menos, esta vantagem competitiva das empresas americanas foi perdida porque o custo de extração americano é relativamente elevado;

(https://media.licdn.com/mpr/mpr/shrinknp_800_800/AAEAAQAAAAAAAAmFAAAAJDNmMGVlNjg4LTdkMjItNDk5My1iODU3LTdiY2RjNjBiYzA0ZA.png)

 3 - Em 2010, o dólar estava bastante desvalorizado em relação à maioria das outras moedas mundiais – incluindo o Real - tornando as exportações americanas baratas em quase todo o mundo, o que ajudou muito nas vendas das empresas americanas. Entre 2010 e 2015, o dólar foi se valorizando cada vez mais – o que deve ser reforçado pela saída da do Reino Unido da União Europeia – e as exportações de produtos americanos, que antes chegavam baratas ao resto do mundo, hoje chegam caras, reduzindo suas vendas;
 4 - Com juros baixíssimos e mais recentemente até negativos, as empresas americanas conseguiram reduzir seus custos financeiros, aumentando lucros e ainda aproveitaram para emitir dívida e usar os recursos para recomprar ações. Assim, mesmo nos casos em que os lucros das empresas não cresceram, os lucros por ações aumentaram porque o número de ações – o denominador da equação – diminuiu. Com isso, as dívidas das empresas cresceram bastante, tornando-as vulneráveis a eventuais altas dos juros. Quando a taxa de juros sobre de 5% a.a. para 6% a.a., o custo financeiro de uma empresa aumenta 20%. Quando ela sobre de 0,1% a.a. para 1,1%, para a mesma elevação de 1 p.p., o custo financeiro aumenta 1000%.

Para completar, a concentração de renda no país é a mais elevada desde 1900. Todas as vezes que ela chegou a níveis próximos aos atuais  - em 1929, em 2000 e em 2008 – tivemos estouros de bolhas acionárias. Isto acontece porque quando há muita concentração de renda e, portanto, muitos têm renda muito baixa, a única forma que eles têm de aumentar o consumo é endividando-se cada vez mais. Este grande endividamento acaba causando uma crise de inadimplência quando a taxa de juros ou o desemprego sobem. Está aí o Brasil, que não me deixa mentir.

(https://media.licdn.com/mpr/mpr/shrinknp_800_800/AAEAAQAAAAAAAAd4AAAAJGIzZjg1YTM3LTRmY2YtNGRkMS1hNTU3LTRjZmFmOTA5OTVkNw.png)

Por fim, não só os lucros das empresas americanas já estão em queda há quase dois anos e devem continuar caindo, mas a razão Preço/Lucro das ações americanas está no segundo nível mais elevado desde 1870, quando considerado o lucro médio de todo um ciclo econômico – ou o CAPE para os aficionados dos jargões financeiros. Apenas na Bolha da Nasdaq as ações americanas estiveram mais caras. Quanto mais cara a Bolsa fica por este indicador, maior costuma ser a queda quando ela começa a cair.

(https://media.licdn.com/mpr/mpr/shrinknp_800_800/AAEAAQAAAAAAAAiHAAAAJDViNWQ1MzFhLWVhYzktNGJiZC05ZGVhLWQ3MTQ3OGJjMjQzOQ.png)

(https://media.licdn.com/mpr/mpr/shrinknp_800_800/AAEAAQAAAAAAAAfvAAAAJDdhMTk0OTM4LWM2NWYtNDFhNS05YTU3LWFlMjM0MGVlZWZhYQ.png)

Com todos estes ingredientes, uma queda súbita do S&P500, o principal índice da Bolsa nos EUA, de cerca de 50%, como aconteceu em 2008/2009, não será nenhuma surpresa, mas se ocorrer, jogará o mundo em uma nova crise financeira global.

(https://media.licdn.com/mpr/mpr/shrinknp_800_800/AAEAAQAAAAAAAAd1AAAAJDRmZWE1ZGJjLTBiMWYtNGY1MC05N2RlLWUxNDZkY2UwMzUxYQ.png)

Se os problemas econômicos globais e financeiros americanos não fossem o bastante, há ainda uma enorme bolha de crédito e imobiliária na China que pode vir a estourar em função de uma recessão global e/ou estouro de bolha acionária nos EUA.

Começando pela bolha imobiliária, ela é a maior já vista no planeta ao menos desde 1900 – período para o qual eu consegui dados para analisar. Só para dar uma ideia, o pico de lançamento de casas e apartamentos no Brasil atingiu, em 2013, 200 mil unidades; nos EUA, em 2005 – no auge da bolha imobiliária - chegou a 2,2 milhões de unidades e na China chegou a 22 milhões de unidades no ano passado.

Por outro parâmetro, o consumo anual per capita de cimento, o pico na bolha imobiliária americana de 2008 mal passou de 400kg. Na mais inflada bolha imobiliária que já estourou – ao menos comparando este indicador – a coreana de 1997 – ele chegou a 1.550 kg. Na China, atualmente, ele supera 1.700Kg. Lembrando que o dado é por habitante. Se há uma coisa que não falta na China é habitante.

Quando bolhas imobiliárias estouram, compradores de imóveis e construtores não conseguem honrar suas dívidas com o setor financeiro, causando grandes perdas ao setor financeiro e fazendo bolhas de crédito estourar.

Quando, em setembro de 2008, este mecanismo fez a Lehman Brothers quebrar, dando início à crise financeira global, o total de ativos no sistema financeiro americano era de US$ 6 trilhões. No sistema financeiro chinês, havia pouco mais de US$3 trilhões. Desde então, a China inflou uma bolha de crédito em um ritmo nunca antes visto. Hoje, o total de ativos no sistema financeiro chinês é de mais de 15 trilhões – duas vezes e meia o que era nos EUA quando quebrou a Lehman Brothers – a maior parte direta ou indiretamente relacionada ao financiamento da bolha imobiliária. E isto sem nem considerar o enorme sistema de financiamentos extrabancários – shadow banking – e o grande volume de financiamento a empresas chinesas de construção através do mercado de capitais internacional. Em resumo, é difícil de imaginar que quando a bolha imobiliária chinesa estourar, não tenhamos uma nova crise financeira global, talvez a mais séria que a geração atualmente viva já viu.

Ainda é cedo demais para saber se a saída do Reino Unido Unido da União Europeia será apenas a queda de um dominó isolado – tomara – ou o primeiro de uma sequência de dominós cada vez maiores e mais conectados a outros dominós, com o potencial de impactar a vida de todos no planeta de forma significativa nos próximos anos.

Para nós no Brasil, em particular, isto é muito importante porque, como venho salientando, o Brasil isoladamente tem hoje todas as condições de retomar o crescimento econômico de forma mais rápida e forte do que quase ninguém imagina se retomar a confiança de investidores, empresários e consumidores, colocando as contas públicas em ordem com a aprovação das reformas de limite de gastos públicos e Previdência. Minha convicção com relação a isto é tão grande que me dei ao trabalho de escrever o livro Depois da Tempestade para explicar as razões em detalhes.

No entanto, o Brasil não é uma ilha. O que acontece no resto do mundo nos impacta, às vezes de forma determinante. Logo quando a tempestade brasileira dá os primeiros sinais de que pode passar, formam-se as nuvens do que pode vir a ser uma grande tempestade global.
Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Muad'Dib em 29 de Junho de 2016, 08:12:22
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/ah-agora-dizem-que-virei-socialista-ohhh-seria-um-encontro-com-meu-passado-velho-cabio/

Citar
Por: Reinaldo Azevedo 29/06/2016 às 5:23


Ah, agora dizem que virei socialista… Ohhh!!! Seria um encontro com meu passado, Velho Çábio?

Minhas caras, meus caros! Conservadores de verdade não contam histórias do futuro; têm um compromisso com os fatos

 

Que delícia!

Na conversa que mantive com Caio Blinder, nos Pingos nos Is, ele me informa que fui chamado no Twitter por algumas pessoas que o acompanham de “socialista tupiniquim” — também sou acusado de  “socialista fabiano” etc. Entendi que a gentileza parte dos sectários — ou sicários? — do Velho Çábio. E por que eu seria, na verdade, de esquerda, ainda que tente desesperadamente esconder tal condição?

Já respondo.

Fico me perguntando, já que sou esquerdista, se a hora de me revelar não teria sido no auge do governo petista, quando parecia que os companheiros ficariam cem anos no poder…

Não tente ser lógico com reacionários místicos. Quanto mais eles erram nas suas antevisões, mais convictos se tornam. Vejam o caso da queda de Dilma: quebraram a cara. Apostaram que ela iria ficar, ainda que demonizando-a. Só que ela caiu. Sigamos.

A causa
Eu seria esquerdista porque teria aderido ao governo globalista, que estaria sendo tramado pelas esquerdas desde sempre nooo… Naaa… Ehhh… Onde mesmo fica a sede da conspiração? Ah, é verdade: a sua natureza é não ter sede, né?, é ser um valor, é ser uma abstração, cujo conteúdo só é plenamente conhecido pelo Velho Çábio. Se você comprar todo o seu curso de filosofia pela Internet, ele o vai iniciando nos arcanos… Que picareta!

Eu seria socialista porque observei que a população do Reino Unido só tomaria na cabeça ao sair da União Europeia. Eu seria socialista porque acho que haverá uma piora objetiva das condições de vida dos cidadãos com o rompimento. Eu seria socialista porque observei o óbvio: quem corre o risco de se desfazer é o Reino Unido, não a União Europeia, que tende, ao contrário, a se fortalecer, ainda que sem a por enquanto quinta economia do mundo. E já há alguns sinais disso.

No caso, eu me alinhei com notórios socialistas europeus como David Cameron e Angela Merkel… Santo Deus! Como é fácil enganar trouxas e ainda ganhar uns trocados com isso! Eu seria socialista porque, enfim, chamei de conversa mole essa história de que a “Burocracia de Bruxelas” esmagava a liberdade.

Li com prazer artigos de quem pensa o contrário do que penso nesse particular. Um deles é de autoria do brilhante João Pereira Coutinho, na Folha, talvez o melhor texto na imprensa brasileira hoje. Não me convenceu pelo argumento, mas me seduziu pelo estilo e por um fecho de ouro, a saber: “A Inglaterra sempre foi decisiva para salvar os europeus deles próprios”.

Obviamente, considero possível ser inteligente pensando o contrário do que penso sobre quase todos os assuntos. Não tenho esse grau de intolerância nem estou permanentemente perscrutando sentidos secretos no que dizem as pessoas.

A minha questão em relação à permanência do Reino Unido na União Europeia era puramente pragmática. E acho que mais ela atendia à visão de mundo dos conservadores do que o rompimento, no qual vejo certa inclinação idealista, avessa à matemática e à ordem dos fatos.

Esse “contar a história do futuro” com base numa idealização do passado me parece muito mais, digamos, esquerdista do que a permanência — esta, sim, assentada em fatos concretos e em interesses de curto e médio prazos.

Aliás, o próprio Coutinho trata muito bem, como uma virtude (e eu concordo com ele), desse horizonte de mais curto prazo do conservadorismo num pequeno e magistral livro: “As Ideias Conservadoras”, da editora Três Estrelas. Recomendo a todo não esquerdista. Recomendo a todo esquerdista. Recomendo a qualquer um.

Ao defender que o Reino Unido permanecesse na União Europeia, não fiz uma escolha entre bulas ou entre duas bíblias. Não se trata de um choque de fundamentalismos. Eu apenas pesei qual circunstância me parecia melhor para a realização de alguns desígnios que, entendo, tornam o mundo melhor: mais eficiência econômica, maior poder de negociação de um bloco que tem a democracia como valor universal; um trânsito mais desimpedido de mercadorias e ideias; a chance efetiva de países se preservarem (também nesse caso, caro Coutinho) de si mesmos.

E continuo achando que eu estava certo. Tanto é que, tudo indica, se efetivada a saída, o Reino Unido terá de fazer tantos acordos bilaterais com a União Europeia que, na prática, será quase como se não tivesse saído.

E isso tornará, então, ainda mais absurdo o custo do rompimento.

Em política, o idealismo custa caro. Os conservadores sempre souberam disso como ninguém.
Texto publicado originalmente às 21h29 desta terça.

Título: Re:Inglaterra independente
Enviado por: Gauss em 29 de Junho de 2016, 10:27:28
Pelo visto a nova moda é chamar os que não são nacionalistas-conservadores-direita-cristã-mística-virginiana de socialista fabiano amigo do globalismo.
Título: Brexit
Enviado por: O Grande Capanga em 29 de Junho de 2016, 11:45:52
Aqui no fórum não vi nada a respeito.

Um texto a favor: http://sensoincomum.org/2016/06/25/brexit-globo-news-nao-conta/

Tá difícil copiar o texto pra cá porque tô no celular.
Título: Re:Brexit
Enviado por: Digão em 29 de Junho de 2016, 14:19:14
Tem discussão sim: Inglaterra independente (https://clubecetico.org/forum/index.php?topic=29788.0;topicseen)
Título: Re:Brexit
Enviado por: O Grande Capanga em 29 de Junho de 2016, 14:22:52
Tem discussão sim: Inglaterra Independente (https://clubecetico.org/forum/index.php?topic=29788.0;topicseen)

É que só acesso, praticamente, esta área do fórum.

Vlw.
Título: Re:Brexit
Enviado por: Skorpios em 29 de Junho de 2016, 14:42:46
Alguém da moderação poderia transferir essas mensagens para o tópico Inglaterra Independente?
Título: Re:Brexit
Enviado por: Gabarito em 29 de Junho de 2016, 14:58:35
Alguém da moderação poderia transferir essas mensagens para o tópico Inglaterra Independente?

Apoiado.

Ao fazer isso, sugiro ainda que coloquem o termo "Brexit" e/ou "Reino Unido" no título do tópico.
Eu fiz pesquisas com esses termos e não encontrei o tópico "Inglaterra Independente" (claro).
Fiquei pensando que o tópico havia sumido, pois não me lembrava que ele tinha esse outro nome.

Um conjunto de palavras-chave mais apropriadas para o tema certamente deve incluir "Brexit", "Reino Unido" e "União Europeia", que não constam do título atual.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 29 de Junho de 2016, 16:46:45
Aqui no fórum não vi nada a respeito.

Um texto a favor: http://sensoincomum.org/2016/06/25/brexit-globo-news-nao-conta/

Tá difícil copiar o texto pra cá porque tô no celular.

Os direitinhas e esquerdinhas sempre reclamando do que a Globo não mostra...

Bem como tendência a maquiar a realiade, comumente dessa forma de negá-la como se fosse fato evidente o contrário...


Citar
[...] Que até mesmo Nigel Farage, o líder do UKIP, o partido eurocético a transformar a Inglaterra em um sistema de quatro partidos principais, que nunca é citado sem as palavras mentirosas “xenófobo”, “populista” ou “de extrema-direita”, teria admitido a derrota. [...]

https://www.youtube.com/v/PkYyWSdP1cI

http://leftfootforward.org/2015/02/is-ukip-a-racist-party-these-15-comments-would-suggest-so/


https://www.youtube.com/v/Kkx5KdLMVeg

"Se ele for nosso primeiro MP asiático, eu vou pessoalmente enfiar uma bala entre seus olhos".

“His family have only been here since the Seventies. You are not British enough to be in our parliament. “I’ve got 400 years of ancestry where I live. He has not got that.”




Mas não, "mimim, esquerdistas, é tudo mentira isso de racistas, xenófobos, direitistas, mimimi, como podem ser tão mentirosos, mimimi".




(Hehehe, traduzi "persnoally" como "personalmente")[









https://www.youtube.com/v/nh0ac5HUpDU

Mais trabalho para os burocratas do UK, que custam mais do que os da UE, para refazer o mesmo trablaho que já estava feito. Êêêêêê!!!!
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Feliperj em 30 de Junho de 2016, 21:37:30
Análise do Pondé sobre o Brexit :

https://www.youtube.com/v/WcwtF7AzKqw

Novamente, essa tentativa de resumir o Brexit a uma questão xenofóbica e racista é simplória!
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Feliperj em 30 de Junho de 2016, 22:19:06
Outra entrevista com Nigel Farage :

https://www.youtube.com/v/-FiZ90wz9eI

Só um detalhe. Ele está a 25 anos lutando contra a UE.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 30 de Junho de 2016, 23:04:36
Novamente, essa tentativa de resumir o Brexit a uma questão xenofóbica e racista é simplória!

Não é um resumo, apenas um elemento importante, juntamente com a ignorância econômica e/ou populismo em detrimento de economia e gastos públicos (apesar da propaganda ser na direção contrária, evidentemente) .
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 01 de Julho de 2016, 01:29:42
Novamente, essa tentativa de resumir o Brexit a uma questão xenofóbica e racista é simplória!

Não é um resumo, apenas um elemento importante, juntamente com a ignorância econômica e/ou populismo em detrimento de economia e gastos públicos (apesar da propaganda ser na direção contrária, evidentemente) .

http://oglobo.globo.com/mundo/policia-britanica-relata-aumento-de-500-em-crimes-de-odio-apos-brexit-19618919

http://veja.abril.com.br/noticia/economia/brexit-faz-reino-unido-perder-nota-maxima-na-sp-apos-meio-seculo

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Rhyan em 01 de Julho de 2016, 01:44:04
Citar
eu não queria falar sobre essa questão do reino unido porque é uma coisa complexa e tudo que eu poderia fazer é dar palpite sobre coisas que eu não sei se vão acontecer. Eu resolvi postar só pra dizer que a reação desproporcional das pessoas tá muito engraçada, então quero só lembrar de umas coisas:

1. Noruega e Suíça não fazem parte da União Européia

2. Noruega recebe mais imigrantes per capita do que o Reino Unido

3. A Suíça comercializa mais com a União Européia do que o Reino Unido em proporção ao PIB, mesmo estando fora

Parem com esse drama apocalíptico senão eu vo morrer aqui

(https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13501791_10153487229726577_686274735203356649_n.jpg?oh=7d28ccd2aff41b1da8704cdeb5bdbe95&oe=580300B5)

fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153487229726577&set=a.10150160200106577.282104.511396576&type=3&permPage=1
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Rhyan em 01 de Julho de 2016, 01:46:00
UE é um sistema fadado ao fracasso.

Recomendo esse livro: http://www.mises.org.br/Ebook.aspx?id=71
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Feliperj em 01 de Julho de 2016, 02:31:24
Novamente, essa tentativa de resumir o Brexit a uma questão xenofóbica e racista é simplória!

Não é um resumo, apenas um elemento importante, juntamente com a ignorância econômica e/ou populismo em detrimento de economia e gastos públicos (apesar da propaganda ser na direção contrária, evidentemente) .

A questão de ignorância econômica depende do cliente!!  :) Todos os Liberais e Libertários são pró Brexit! Já a questão de soberania é clara.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Feliperj em 01 de Julho de 2016, 02:35:12
Estou esperando - daqueles que me acusaram de "paranóia" por afirmar (e apresentar evidências) que a ONU estava empenhada em fomentar um governo global, tendo sido majoritariamente ocupada pela ideologia socialista - os exemplos de políticas conservadoras e/ou liberais e/ou libertárias da ONU....
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 01 de Julho de 2016, 04:32:12
O objetivo é teoricamente promover cooperação internacional, paz. Isso é "socialista"?

O que ao menos poderiam ser políticas "conservadoras" da ONU? Subsidiar missionários cristãos? Pregar "laicamente" abstinência sexual e sexo só depois do casamento?

Liberal deve ser então "sinônimo" de "libertário", não antônimo de "conservador", para que a pergunta tenha mais sentido, ou seja, "livre-mercado". Bem, o FMI é "organização-filha" da ONU, e é meio que novidade para mim que seja "comunista"/socialista. São, na concepção mainstream do mundo, posições liberais (ou "neoliberais", geralmente quando se quer criticar, o que é comum vindo da esquerda!) aquelas do Consenso de Washiingon.

Então estamos de novo naquelas de que sempre vai ter um Walter Block da vida para dizer que o Hayek é comunista e que semáforos são escravidão. Eu fico sem saber o que fazer diante disso.








Novamente, essa tentativa de resumir o Brexit a uma questão xenofóbica e racista é simplória!

Não é um resumo, apenas um elemento importante, juntamente com a ignorância econômica e/ou populismo em detrimento de economia e gastos públicos (apesar da propaganda ser na direção contrária, evidentemente) .

A questão de ignorância econômica depende do cliente!!  :) Todos os Liberais e Libertários são pró Brexit! Já a questão de soberania é clara.

O discurso tem um verniz pseudo-liberal, mas é conversa-mole, apesar de enganar muitos.

http://bleedingheartlibertarians.com/2016/06/no-theres-not-a-market-liberal-case-for-brexit/

Vão ter que refazer todos acordos, com menos poder de barganha, pagando burocratas mais caros para redefinir algo inferior ao que já funcionava. Burocratas que já fazem o mercado do UK mais regulado/menos livre do que o de vários paises dentro da UE, como a Suécia.

E o dinheiro que o cara disse que iria para o sistema de saúde deles não vai, era mentira, populismo inflando os custos da afiliação.



O Financial Times fez uma pesquisa com economistas comunistas que largamente não acham que o Brexit irá melhorar as coisas:

(http://im.ft-static.com/content/images/f1daf266-b236-11e5-8358-9a82b43f6b2f.img)

http://www.ft.com/cms/s/2/1a86ab36-afbe-11e5-b955-1a1d298b6250.html

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Geotecton em 01 de Julho de 2016, 08:47:33
Novamente, essa tentativa de resumir o Brexit a uma questão xenofóbica e racista é simplória!

Não é um resumo, apenas um elemento importante, juntamente com a ignorância econômica e/ou populismo em detrimento de economia e gastos públicos (apesar da propaganda ser na direção contrária, evidentemente) .
[...]
Todos os Liberais e Libertários são pró Brexit! Já a questão de soberania é clara.

Completamente equivocada a sua observação.

Eu me considero mais próximo de um liberal do que qualquer outra coisa e sou contra, em tese, a saída do Reino Unido.

Semana retrasada atendi, em minha empresa, um jovem casal de ingleses (na faixa dos 30) e eles são liberais, em especial o rapaz (que também é ateu). Os dois votaram contra a saída.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 01 de Julho de 2016, 09:16:49
A decisão de saída foi 79.43% emocional. O povão só pensa emocionalmente.

Minha bola de cristal prevê o lançamento de um bolsa família inglês em 5 anos para a alegria do reino.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 01 de Julho de 2016, 10:51:18
Semana retrasada atendi, em minha empresa, um jovem casal de ingleses (na faixa dos 30) e eles são liberais, em especial o rapaz (que também é ateu). Os dois votaram contra a saída.

Mas de há muito que os Liberais britânicos (agora designados por Liberais-Democratas) constituem precisamente o partido mais europeísta de todos os partidos do R.U... Logo não é de admirar essa posição do referido casal.

http://www.cmjornal.xl.pt/cm_ao_minuto/detalhe/liberais_democratas_britanicos_vao_centrar_programa_eleitoral_no_regresso_a_ue.html


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 01 de Julho de 2016, 10:56:45
A decisão de saída foi 79.43% emocional. O povão só pensa emocionalmente.

O que só demonstra que a atual U.E. não "emociona" o povão inglês... Se "emocionasse" já "pensar emocionalmente" seria excelente  :?

Estive há dois atrás em Londres e não me lembro de ver uma bandeira da U.E. içada onde quer que fosse...   
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 01 de Julho de 2016, 11:09:30
Estou esperando - daqueles que me acusaram de "paranóia" por afirmar (e apresentar evidências) que a ONU estava empenhada em fomentar um governo global, tendo sido majoritariamente ocupada pela ideologia socialista - os exemplos de políticas conservadoras e/ou liberais e/ou libertárias da ONU....
O FMI é o órgão mais liberal da ONU. As decisões do Fundo irritam muito a esquerda global, muito também devido aos programas de austeridade incentivados pelo órgão. A Escola de Chicago (de viés liberal e libertária) influenciou muito na construção deste órgão.

Sem contar que há acusações de suporte do FMI a ditaduras africanas e latino-americanas... Não a de Cuba e Nicarágua, mas as conservadoras militares que tiveram por aqui e na África. Inclusive no Brasil.

https://en.wikipedia.org/wiki/International_Monetary_Fund#Criticisms

É interessante ver também os "cabeças" do FMI são todos chicaguistas:

http://portugaldigital.com.br/politica/ver/20090578-joaquim-levy-da-escola-de-chicago-do-fmi-e-do-bce-para-o-comando-da-politica-financeira-do-brasil

https://estadosa.wordpress.com/2011/06/30/lagarde-e-nova-diretora-do-fmi/
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 01 de Julho de 2016, 16:01:07
A ONU alguma vez já cogitou promover a anarquia generalizada pelo mundo? Não, pois nesse caso teria que mudar seu nome para OAU, Organização das Aarquias Unidas, que já denuncia a contradição com a liberdade, um órgão de controle central das anarquias livres. Portanto, qualquer pretensa amostra de "libertarianismo" vinda de um órgão que é centralizador/comunista em sua essência, nada mais é do que gramscianismo fabianista marxista cultural.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 01 de Julho de 2016, 18:36:10
A ONU alguma vez já cogitou promover a anarquia generalizada pelo mundo? Não, pois nesse caso teria que mudar seu nome para OAU

OAU? ou será que você queria dizer OUA?......... Bolas, esta saiu-me demasiado "colonialista". :stunned:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 01 de Julho de 2016, 19:53:39

[...]
Todos os Liberais e Libertários são pró Brexit! Já a questão de soberania é clara.

Cara, diria que concordo em muito com as ideias liberais/libertárias, mas se eu fosse britânico votaria contra o Brexit.

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Jack Carver em 01 de Julho de 2016, 21:15:11
Análise do Pondé sobre o Brexit :

https://www.youtube.com/v/WcwtF7AzKqw

Novamente, essa tentativa de resumir o Brexit a uma questão xenofóbica e racista é simplória!
Pondé falou pouco, mas fez lembrar o que é a Europa.

https://www.youtube.com/v/HbgIe_uBAo0
Uma boa avaliação política e psicológica da coisa.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 02 de Julho de 2016, 06:22:45

[...]
Todos os Liberais e Libertários são pró Brexit! Já a questão de soberania é clara.

Cara, diria que concordo em muito com as ideias liberais/libertárias, mas se eu fosse britânico votaria contra o Brexit.



Como referi antes, o Partido Liberal Democrático inglês sempre foi o mais pró-UE..., talvez porque valorizam o indivíduo e as liberdades individuais em primeiro lugar? A livre circulação é-lhes cara e estarão menos focados em questões de soberania nacional ou de interesses de classe e de proteção de grupos de trabalhadores em face da imigração. Como individualistas, são muito pouco xenófonos e racistas...

Seja como for, não entendo como alguns de vocês parecem insistir em que o típico liberal inglês seria pró-Brexit... Foi ao contrário, liberais britânicos e nacionalistas escoceses e galeses foram sempre contra e foram seguidos pelos seus eleitores (ao contrário dos eleitores dos trabalhistas). 

(Como em tantos outros caso, o Nacionalismo visa a criação de um Estado-Nação e não a posterior implementação interna de políticas extremistas...).
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 02 de Julho de 2016, 20:51:11
A decisão de saída foi 79.43% emocional. O povão só pensa emocionalmente.

O que só demonstra que a atual U.E. não "emociona" o povão inglês... Se "emocionasse" já "pensar emocionalmente" seria excelente  :?

Estive há dois atrás em Londres e não me lembro de ver uma bandeira da U.E. içada onde quer que fosse...   

Talvez apenas porque os que não caíram nas ladainhas brexistas não tenham uma aprovação à UE de natureza tão "futebolística".


(https://4.bp.blogspot.com/-R3kre5XlCJ8/V1rKyO7NciI/AAAAAAAABmQ/4VWc-qAqwzcF20DsJ9sl37mBUObFluDKgCLcB/s640/Brexit%2B350%2Bmillion%2Blie.jpg)

http://anotherangryvoice.blogspot.com.br/2016/06/350-million-per-week-is-lie.html

Esse dinheiro não vai para a Saúde Socializada o NHS.

http://www.telegraph.co.uk/news/2016/06/24/nigel-farage-350-million-pledge-to-fund-the-nhs-was-a-mistake/

"Speaking just an hour after the Leave vote was confirmed the Ukip leader said the money could not be guaranteed and claimed he would never have made the promise in the first place."


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 03 de Julho de 2016, 01:49:18

Lembrando que não só muitos da extrema-direita que defendem Brexit, mas até mesmo comunismo e extrema-esquerda, por motivos diferentes, claro:


http://www.socialistamorena.com.br/o-efeito-banana-e-o-brexit (http://www.socialistamorena.com.br/o-efeito-banana-e-o-brexit)


O “efeito banana” e por que a esquerda deve esperar para se posicionar sobre o Brexit

(A norma sobre a curva das bananas da União Europeia)
Dentre tantas coisas que me chamaram a atenção sobre as razões dos britânicos para sair da União Europeia, uma me pareceu particularmente bizarra e ao mesmo tempo emblemática: a queixa sobre as bananas. Um dos líderes do movimento, o ex-prefeito de Londres, o conservador Boris Johnson, foi ridicularizado ao criticar o fato de os dirigentes europeus em Bruxelas interferirem até mesmo na curvatura das bananas. Sim: para ser considerada uma “banana ideal”, classe A, para os padrões da UE, a fruta não pode ter uma curvatura “anormal”. Parece notícia do Sensacionalista, mas é verdade. E o mesmo vale para pepinos!
Johnson foi alvo de todo tipo de gozação ao apelar para isso, mas a reclamação tem seu fundamento. Para começo de conversa, os britânicos adoram banana, é a quarta fruta de predileção no país. Eles consomem 5 bilhões de bananas anualmente, o que dá uma média de 10 quilos de banana por pessoa ou 100 bananas por cabeça por ano. Pensar que a União Europeia se mete até no tipo de banana que a pessoa come mexe com a cabeça de alguém. Ou não? Eu acharia bem ruim que o governo dissesse como deve ser o formato da minha fruta favorita (ainda mais porque prefiro orgânicos, por princípio contrários justamente a qualquer padronização). E, pelo visto, muitos britânicos também não aceitam.
O “efeito banana” sobre o Brexit ainda deverá ser estudado, mas calou tão profundamente na opinião pública que veículos importantes como a The Economist tentaram negar o inegável, que existem regras rígidas para tudo que é coisa na União Europeia, ditada pelos chefões em Bruxelas. “Yes, não temos bananas retas”, diz o texto da Economist, tratando de desmentir Johnson e lamentando que os britânicos queiram sair do bloco num momento em que se estaria “flexibilizando” estas normas. Será? Mesmo para quem acha essa discussão prosaica, sobressaem dois aspectos incômodos: a “ditadura” da UE sobre questões mínimas, coisa que não tinha vindo à tona até a discussão sobre o Brexit, e o excesso de burocracia existente para o bem de ninguém.
O bananagate fez chegar aos ouvidos do cidadão comum algo que poucos sabiam: que a tão civilizada democracia europeia repetia, nos bastidores, o comportamento ditatorial e a burocracia que pareciam ser característica unicamente da criticada (e extinta) União Soviética… O que nos leva à pergunta: afinal, qual é exatamente a diferença entre a velha URSS e a União Europeia, além do fato de uma ser comunista e a outra capitalista, uma totalitária e a outra aparentemente democrática?
Ambas, UE e URSS, são, cada uma a sua maneira, uma união de países sob um governo central. Ambas ensejaram, em sua essência, passar por cima de características nacionais em nome de um Estado único –não à toa, na UE as moedas dos países, culturalmente simbólicas dessa identidade, com anos de história, foram literalmente derretidas e substituídas pelo Euro (menos justamente na Inglaterra, que não quis abrir mão de sua Libra Esterlina). A URSS resistiu 69 anos, até que um dia acabou. Será que a saída do Reino Unido da UE não é, de certa forma, uma espécie de revival do fim da União Soviética? Após o Brexit, vários países ameaçam repetir o referendo: Itália, França, Suécia, Holanda, Dinamarca, Áustria… Além dos falidos Grécia e Portugal. A União Europeia pode não ser o problema central destes países, mas tampouco parece ser a solução.
Em todo o mundo, as reações foram de espanto, até de deus-nos-acuda. Confesso que estranhei um certo desespero por parte da esquerda com a saída da Inglaterra do bloco, como se fosse uma espécie de fim dos tempos –mesmo porque a esquerda nunca foi uma grande defensora da União Europeia, pelo contrário. Nestes 23 anos de sua existência, não se pode dizer que a UE tenha sido uma maravilha para as pessoas mais necessitadas da Europa –a pobreza e a desigualdade estão crescendo, inclusive– ou para os imigrantes, que todos temem se tornar o maior alvo da extrema-direita agora (como se já não fossem, com ou sem União Europeia). Sinceramente, acho tão exagerada a reação da extrema-direita em festejar o Brexit quanto da esquerda de lamentar.
Às vezes tenho a impressão de que entramos numas brigas que não nos pertencem. Quanto mais a gente olha para essa questão, mais percebe que era uma briga entre a direita rentista e a direita xenofóbica. Tanto é que a esquerda europeia se dividiu. Parte apoiou o Brexit; e parte era contra. Mesmo quem votou contra apontou incertezas sobre se estava agindo bem, já que nem mesmo os mais prestigiados analistas internacionais são capazes de arriscar o que pode acontecer daqui para a frente. Não podemos esquecer que, quando explodiu a crise na Grécia, a esquerda foi amplamente favorável à sua saída da União Europeia. Faltou coragem aos dirigentes do Syriza. Aos britânicos, não.

(http://imagens.socialistamorena.com.br/wp-content/uploads/2016/06/pcebrexit.jpg)

(Campanha do Partido Comunista Espanhol e do Podemos pela saída da União Europeia)
Os defensores da permanência do Reino Unido na UE argumentam que quem estava ao lado do Brexit era a extrema-direita e por isso nós, a esquerda, deveríamos nos posicionar automaticamente do outro lado, mas a coisa é bem mais complexa do que parece. Os partidos comunistas europeus, por exemplo, se declararam a favor da saída, embora as justificativas sejam outras, sobretudo a falta de democracia e o favorecimento dos monopólios rentistas. Este último ponto, aliás, nos empurra para um raciocínio oposto, o de que a esquerda deveria se alinhar naturalmente ao Brexit, já que o FMI, o mercado financeiro e os EUA são contra…
As reações das novas lideranças europeias de esquerda vão bem neste sentido: até lamentaram o fato, mas ainda mais a necessidade urgente de a Europa se repensar. “É um momento triste, mas de uma Europa justa e solidária ninguém iria querer sair”, cutucou Pablo Iglesias, do espanhol Podemos. O primeiro-ministro grego Alexis Tsipras foi na mesma toada de “mudança de rumos”. “A política deve recuperar a supremacia sobre a economia e os tecnocratas na União Europeia”, afirmou.
Prefiro, portanto, esperar para ver antes de automaticamente me afirmar contra o Brexit. Não bastassem todas estas complexidades, a mais importante delas para um esquerdista: se, por um lado, negros (73%) e minorias étnicas (67%) votaram pela permanência, a grande maioria dos mais pobres votou pela saída do Reino Unido da União Europeia (64% a 36%). Um sinal preocupante de que também lá a esquerda está distante dos anseios, temores e queixas da classe trabalhadora, à mercê dos populistas de direita.
Uma coisa é certa: as mudanças na Europa virão e a esquerda precisa se preparar para elas. Sem açodamentos.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 03 de Julho de 2016, 09:24:11
A decisão de saída foi 79.43% emocional. O povão só pensa emocionalmente.

O que só demonstra que a atual U.E. não "emociona" o povão inglês... Se "emocionasse" já "pensar emocionalmente" seria excelente  :?

Estive há dois atrás em Londres e não me lembro de ver uma bandeira da U.E. içada onde quer que fosse...   

Talvez apenas porque os que não caíram nas ladainhas brexistas não tenham uma aprovação à UE de natureza tão "futebolística".


A minha frase ficou incompleta eu queria dizer  "Estive há dois ANOS atrás em Londres e não me lembro de ver uma bandeira da U.E. içada onde quer que fosse..." e a minha admiração é a de que na Europa continental é habitual ver bandeiras da UE içadas em diversos edifícios ao lado da bandeira nacional ou junto a outras bandeiras e julgo que em Londres tal não acontecia... Ou seja, não se procurava que a população se sentisse parte da UE...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 03 de Julho de 2016, 10:15:09
A decisão de saída foi 79.43% emocional. O povão só pensa emocionalmente.

O que só demonstra que a atual U.E. não "emociona" o povão inglês... Se "emocionasse" já "pensar emocionalmente" seria excelente  :?

Estive há dois atrás em Londres e não me lembro de ver uma bandeira da U.E. içada onde quer que fosse...   

Talvez apenas porque os que não caíram nas ladainhas brexistas não tenham uma aprovação à UE de natureza tão "futebolística".


A minha frase ficou incompleta eu queria dizer  "Estive há dois ANOS atrás em Londres e não me lembro de ver uma bandeira da U.E. içada onde quer que fosse..." e a minha admiração é a de que na Europa continental é habitual ver bandeiras da UE içadas em diversos edifícios ao lado da bandeira nacional ou junto a outras bandeiras e julgo que em Londres tal não acontecia... Ou seja, não se procurava que a população se sentisse parte da UE...

Curioso é que em Londres o Brexit perdeu feio.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 03 de Julho de 2016, 16:37:25
Sobre os padrões de bananas da UE, o que acontece é que todos os países tem padrões definidos sobre isso, padrões diferentes. A UE apenas estabelece um padrão comum para facilitar importações e exportações, evitando a necessidade de "conversões" e adaptações, etc etc, para todos falarem "a mesma língua" sobre características do produto em questão.

http://www.sbs.com.au/news/thefeed/article/2016/06/23/wackiest-eu-laws-and-myths-and-truth-behind-them

Mas para os mercantes de histeria e escândalo, sempre interessa apenas uma parte seleta dos fatos.







(http://ichef-1.bbci.co.uk/news/624/cpsprodpb/167D6/production/_90081129_eu_ref_uk_regions_leave_remain_gra624_by_age.png)

(http://www.indexmundi.com/graphs/population-pyramids/united-kingdom-population-pyramid-2014.gif)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Feliperj em 03 de Julho de 2016, 17:02:16
Estou esperando - daqueles que me acusaram de "paranóia" por afirmar (e apresentar evidências) que a ONU estava empenhada em fomentar um governo global, tendo sido majoritariamente ocupada pela ideologia socialista - os exemplos de políticas conservadoras e/ou liberais e/ou libertárias da ONU....
O FMI é o órgão mais liberal da ONU. As decisões do Fundo irritam muito a esquerda global, muito também devido aos programas de austeridade incentivados pelo órgão. A Escola de Chicago (de viés liberal e libertária) influenciou muito na construção deste órgão.

Sem contar que há acusações de suporte do FMI a ditaduras africanas e latino-americanas... Não a de Cuba e Nicarágua, mas as conservadoras militares que tiveram por aqui e na África. Inclusive no Brasil.

https://en.wikipedia.org/wiki/International_Monetary_Fund#Criticisms

É interessante ver também os "cabeças" do FMI são todos chicaguistas:

http://portugaldigital.com.br/politica/ver/20090578-joaquim-levy-da-escola-de-chicago-do-fmi-e-do-bce-para-o-comando-da-politica-financeira-do-brasil

https://estadosa.wordpress.com/2011/06/30/lagarde-e-nova-diretora-do-fmi/

Eu realmente não estava pensando na questão de políticas econômicas - até porque o FMI é uma organização criada antes da ONU, na ocasião do Breton Woods, com sua missão, políticia, etc definidas - quando coloquei a pergunta. Estava me referindo às questões educacionais (onde o livro Maquiavel Pedagogo expõe, com documentação, como a ONU está disseminando valores socialistas via UNESCO), no projeto globalista (agigantamento dos estados) e nas questões culturais (que no final é aquilo que irá moldar o mundo no futuro, e onde toda a ação da internacional socialista e dos socialistas fabianos está concentrada, via Gramcismo e Marxismo Cultural) - , onde ~se replica toda a agenda esquerdista no tocante a aborto, feminismo, ideologia de gênero, etc , não por coincidência, contando com o financiamento das mesmas instituições que apoiam o plano globalista.

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 03 de Julho de 2016, 17:20:02
O autor recomenda usarmos chapéus de papel alumínio para nos protegermos?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Feliperj em 03 de Julho de 2016, 17:39:35
O objetivo é teoricamente promover cooperação internacional, paz. Isso é "socialista"?

O que ao menos poderiam ser políticas "conservadoras" da ONU? Subsidiar missionários cristãos? Pregar "laicamente" abstinência sexual e sexo só depois do casamento?

Liberal deve ser então "sinônimo" de "libertário", não antônimo de "conservador", para que a pergunta tenha mais sentido, ou seja, "livre-mercado". Bem, o FMI é "organização-filha" da ONU, e é meio que novidade para mim que seja "comunista"/socialista. São, na concepção mainstream do mundo, posições liberais (ou "neoliberais", geralmente quando se quer criticar, o que é comum vindo da esquerda!) aquelas do Consenso de Washiingon.

Então estamos de novo naquelas de que sempre vai ter um Walter Block da vida para dizer que o Hayek é comunista e que semáforos são escravidão. Eu fico sem saber o que fazer diante disso.

Claro que não! O objetivo de se buscar paz e integração é um objetivo comum, acho que a todos os seres humanos. Porém, os meios para se buscar isso é que estão sendo questionados. O que coloquei foi que a ONU hoje está ocupada pela esquerda e suas políticas educacionais, culturais e globalistas refletem essa ideologia.

O FMI é uma organização precedente à ONU. E nem todos os membros da ONU são membros do FMI. E a pergunta envolve todas as filosofias mesmo. Se a ONU é uma mistura (conservadores, liberais, libertários, socialistas, comunistas, etc), sem nenhum tipo de dominância ideológica, era de se esperar que suas politicas educacionais, culturais e "governamentais" (integração via projeto globalista x nacionalista) refletissem essa pluralidade. E isso NÃO ocorre!

E a crítica do Walter Block ao Hayek é válida do ponto de vista libertário (apesar de eu achá-lo um "radical"). Hayek era um Socialista no sentido literal, que acreditava no planejamento central, na propriedade publica dos meios de produção. Foi o trabalho de Mises sobre o problema do cálculo econômico, que o fez mudar de idéia, e passar a defender o livre mercado. Porém, a sua filosofia política (onde ele foi mais produtivo) nunca abandonou o papel do estado como garantidor de direitos, como renda mínima. O Walter nunca o acusou de comunista, apenas falou que o Hayek era um liberal, quando comparado ao que se tinha em sua época.

Abaixo conclusão do artigo do Wlater Block sobre Hayek :

"CONCLUSION
There is little doubt that Hayek deserves his reputation as a
defender of economic freedom—but only compared to his
contemporaries who, with only a few honorable exceptions, were
almost totally immersed in interventionistic philosophy.
However, when compared either to some ideal standard, or to
numerous modern commentators, it is clear that Hayek falls short
of a clear unambiguous advocate of the free marketplace. "


https://mises.org/files/12260pdf/download?token=S6QioEKh

Aqui um outro artigo comparando Hayek e Mises :

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1124

Citar
O discurso tem um verniz pseudo-liberal, mas é conversa-mole, apesar de enganar muitos.

http://bleedingheartlibertarians.com/2016/06/no-theres-not-a-market-liberal-case-for-brexit/

Vão ter que refazer todos acordos, com menos poder de barganha, pagando burocratas mais caros para redefinir algo inferior ao que já funcionava. Burocratas que já fazem o mercado do UK mais regulado/menos livre do que o de vários paises dentro da UE, como a Suécia.

E o dinheiro que o cara disse que iria para o sistema de saúde deles não vai, era mentira, populismo inflando os custos da afiliação.

Não! TODOS os integrantes da EA são a favor da separação por motivos econômicos (e muito bem fundamentados), todos os Libertários são a favor da saída por motivos políticos-econômicos.

A relação Inglaterra-Europa é benéfica para ambos, não tem porque isso se alterar. Acho inclusive, que a Inglaterra tem saldo negativo na balança comercial com a Zona do Euro. Outra coisa, ao sair da ZOna do Euro, a Inglaterra ficará liver de cotas, e poderá negociar acordos com outros países livremente, o que não é possível hoje!

Citar
O Financial Times fez uma pesquisa com economistas comunistas que largamente não acham que o Brexit irá melhorar as coisas:


(http://im.ft-static.com/content/images/f1daf266-b236-11e5-8358-9a82b43f6b2f.img)

http://www.ft.com/cms/s/2/1a86ab36-afbe-11e5-b955-1a1d298b6250.html

Eu quero uma estratificação dessa pesquisa, pelas escolas econômicas dos entrevistados. Keynesianos irão sempre concordar com o Bremain, Chicaguistas não tenho certeza; Liberais Austriacos, irão ser a favor do Brexit!
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Feliperj em 03 de Julho de 2016, 17:43:33
O autor recomenda usarmos chapéus de papel alumínio para nos protegermos?

Voce está falando do autor do Maquiavel Pedagogo? Se for, O autor não teoriza e não recomenda nada, apenas constata. O livro dele é todo documentado!

O que eu recomendo sempre é que os pais se envolvam na educação dos seus filhos, se iterem sobre o que os seus filhos estão "aprendendo" nas escolas.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Geotecton em 03 de Julho de 2016, 18:00:59
O autor recomenda usarmos chapéus de papel alumínio para nos protegermos?

Voce está falando do autor do Maquiavel Pedagogo? Se for, O autor não teoriza e não recomenda nada, apenas constata. O livro dele é todo documentado!

O que eu recomendo sempre é que os pais se envolvam na educação dos seus filhos, se iterem sobre o que os seus filhos estão "aprendendo" nas escolas.

E o que deve ser feito com os pais que 'ensinam' criacionismo e a adulteração da Ciência para satisfazer as suas ideologias religiosas?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 03 de Julho de 2016, 18:24:15
:biglol:

Depois eu leio o resto das mensagens, se bem que o rumo delas é bem desanimador (me avisem se houver maior consenso sobre termos que nos defender da ONU e como fazê-lo)... só uma nota... a colocação sobre Hayek e Block foi algo que eu "simplesmente inventei", como "paródia", na linha dessas de que os libertários chamam o Reagan mesmo de "comunista", e etc.... lei de Poe... sempre... :D



O autor recomenda usarmos chapéus de papel alumínio para nos protegermos?

Voce está falando do autor do Maquiavel Pedagogo? Se for, O autor não teoriza e não recomenda nada, apenas constata. O livro dele é todo documentado!

O que eu recomendo sempre é que os pais se envolvam na educação dos seus filhos, se iterem sobre o que os seus filhos estão "aprendendo" nas escolas.

E o que deve ser feito com os pais que 'ensinam' criacionismo e a adulteração da Ciência para satisfazer as suas ideologias religiosas?

Acho que legalmente, não "deve ser feito" nada... o que estes fazem é tentar se envolver com o que os filhos estão aprendendo nas escolas e tentar no mínimo "criticar" ou mesmo mudar o currículo. Outros tantos devem estar descontes com noções de igualdade sexual e liberdades individuais, pelo andar da carruagem. Então em alguns lugares tem suas escolas particulares com noções sem essas influências globalistas-socialistas não-conservadoras:

(http://i.imgur.com/SgmOXkR.jpg)


Na mesma linha, os livros de história das crianças parece que têm problemas graves:

(http://cdn.x2n.com.br/~minilua/wp-content/uploads/2013/03/image_121.jpg)

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Feliperj em 03 de Julho de 2016, 18:28:28
O autor recomenda usarmos chapéus de papel alumínio para nos protegermos?

Voce está falando do autor do Maquiavel Pedagogo? Se for, O autor não teoriza e não recomenda nada, apenas constata. O livro dele é todo documentado!

O que eu recomendo sempre é que os pais se envolvam na educação dos seus filhos, se iterem sobre o que os seus filhos estão "aprendendo" nas escolas.

E o que deve ser feito com os pais que 'ensinam' criacionismo e a adulteração da Ciência para satisfazer as suas ideologias religiosas?

Isso depende. Se você acha que os filhos de um casal pertencem a sociedade, você irá propor uma intervenção estatal. Se você acha que esse tipo de intervenção estatal é totalitária e perigosa, pois abre precedentes para outras intervenções na vida familiar/individual e na redução da liberdade de decisão individual/ de associação, você irá defender que o estado não deve se meter nessa questão.

A grande questão é : o quanto você realmente acredita na liberdade dos indivíduos e na livre associação, a ponto de defender coisas que você considera escrotas! Defender o direito das pessoas serem burras, idiotas, babacas, etc. E isso ainda existe nos EUA, porém, do jeito que as coisas estão caminhando em sua sociedade (principalmente nas suas Universidades), não acho que termos mais uma década;

 
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 03 de Julho de 2016, 18:39:20

Isso depende. Se você acha que os filhos de um casal pertencem a sociedade

Ter direitos/liberdades que podem ser violados pelos pais = "pertencer a sociedade"?

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Feliperj em 03 de Julho de 2016, 18:40:10

Isso depende. Se você acha que os filhos de um casal pertencem a sociedade

Ter direitos/liberdades que podem ser violados pelos pais = "pertencer a sociedade"?

Exemplifique, por favor.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 03 de Julho de 2016, 20:06:19
O próprio caso corrente, o curriculo escolar expor as crianças a fatos e valores dos quais os pais discordam.

Indo mais adiante na mesma linha, ainda se tem a questão de castigo corporal, que é bem comum ouvir-se ser intromissão indevida do estado, na maior parte do tempo quando seria castigo a crianças, mas eventualmente até a mulheres.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Brienne of Tarth em 04 de Julho de 2016, 14:49:22
Ou quando pais maltratam, espancam, torturam e até mesmo matam seus próprios filhos, estarão imunes à punição por serem pais? Ou o Estado deverá aplicar as leis existentes?

"Menos Estado" não é "mais libertinagem".

Acho (achismo mesmo, não tenho conhecimento suficiente para entrar em um debata mais profundo sobre esse tema) desnecessária a intromissão do Estado no meu bolso, por exemplo, ou quando um currículo escolar segue uma cartilha de "catequização" ideológica do partido que está no poder, mas gerações são necessárias para assimilar conceitos mais civilizados sem a  interferência de um Estado gestor, ao menos por enquanto; sei de países onde a interferência estatal é benéfica, e podemos até entender o porquê de se ocupar até mesmo do "tamanho da banana", haja visto a tendência de alguns para a fraude e o roubo, e outros cuja "liberdade individual" cria anacronismos como os lobbyies escancarados de armas nos EUA, interferindo na elaboração das leis daquele país.

Quanto ao Brexit, interessante que os mais velhos não viram vantagens em continuar pertencendo à UE, mas os mais jovens não desejaram a saída em sua maioria; poderíamos concluir com isso que os remanescentes de uma era pré UE não teriam maior capacidade na comparação do antes/depois do que os mais jovens, entendendo ser desvantajoso para eles a permanência?



Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 04 de Julho de 2016, 15:42:13
http://rr.sapo.pt/noticia/58260/mota_amaral_se_e_com_ameacas_que_querem_construir_a_europa_vou_ali_e_ja_venho?utm_source=rss

É uma entrevista do 1º presidente do governo regional dos Açores (região autónoma).
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 04 de Julho de 2016, 15:42:56
Quanto ao Brexit, interessante que os mais velhos não viram vantagens em continuar pertencendo à UE, mas os mais jovens não desejaram a saída em sua maioria; poderíamos concluir com isso que os remanescentes de uma era pré UE não teriam maior capacidade na comparação do antes/depois do que os mais jovens, entendendo ser desvantajoso para eles a permanência?

Você está supondo que eles estavam votando bem conscientes do que faziam, não mal informados nem vítimas de populismo. Mas no dia seguinte ao referendo ser votado, o Reino Unido teve número recorde de pesquisas no google perguntando "o que é a União Européia?"

http://www.npr.org/sections/alltechconsidered/2016/06/24/480949383/britains-google-searches-for-what-is-the-eu-spike-after-brexit-vote

(https://pbs.twimg.com/media/Cltl4jFWEAEbnun.jpg)


Citar
https://www.youtube.com/v/9WY-tWsNKDY

So brexit won a 17:16 victory. Probably one of the greatest Pyrrhic victories in history!

Oddly however, the PM didnt decide to invoke article 50, that will START the process of withdrawal from the EU. Curiously he decided to wait to get a new PM (which will take ~ 3 months) and then there is 'no hurry'.

Oddly, none of the brexiters thought this a little weird. Why if you intend to respect the result should you wait 3 months.... maybe years, for invoke the process of leaving the EU?
The period of uncertainty will just screw anyone over trying to make long term plans for investing in the UK.

To make things even funnier, the EU has come straight out said the referendum should be respected and the UK should invoke article 50.

It looks to me like everyone is just hoping that if they leave it for a month or two, something will come out of the woodwork to save them, or it will become so clear to the British ppl that this was a profoundly stupid thing to do that they will want another referendum.

In short, Brexiter, its not even begun until someone invokes article 50. Honestly, I think the UK should sleep in the bed its made, so to that end Ive set up a government petition for you.



Stephen Colbert também faz uma brincadeira sobre o sotaque britânico fazer as coisas parecerem inteligentes... é só aparência, mas de vez em quando é algo como "yes, indeed, if everybody is jumping off the bridge, so shall I as well." :biglol:

https://www.youtube.com/v/iRAU6hODSck
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 04 de Julho de 2016, 16:34:16
http://rr.sapo.pt/video/107300/brexit_lider_do_ukip_demite_se

WHAT THE FUCK ?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 04 de Julho de 2016, 19:27:37
http://rr.sapo.pt/video/107300/brexit_lider_do_ukip_demite_se

WHAT THE FUCK ?

HAHAHAHA

O cara literalmente jogou a merda no ventilador e caiu fora. "Foi mal galera, descobri que nunca gostei de ser político, to largando! Falou!"
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 04 de Julho de 2016, 19:38:27
Os Rolling Stones também estão anunciando que vão se aposentar.



Nada de errado. Seria ótimo se mais políticos tivessem essa postura.

Tanto no duplo sentido anarcóide da frase, quanto no mais sério mesmo.






Brexit foi voto de protesto para alguns...

https://www.youtube.com/v/uNsxCU0glHw
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Diegojaf em 05 de Julho de 2016, 16:38:45
Citar
Dinamarca vê aumento do apoio à UE com incerteza gerada por 'Brexit'
SÃO PAULO - 04/07/2016 às 21h13


A Dinamarca tornou-se o mais novo país nórdico a detectar aumento do apoio popular à União Europeia (UE), contrariando as previsões de que a votação no Reino Unido para abandonar o bloco econômico inspiraria eurocéticos em outros lugares.
http://www.valor.com.br/internacional/4623947/dinamarca-ve-aumento-do-apoio-ue-com-incerteza-gerada-por-brexit
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 05 de Julho de 2016, 19:30:35
Essa noticia do Euronews deu a entender uma possivel ligação (ou falsa ligação) entre o Brexit e aumento de racismo. a BBC também noticiou algo assim:

https://www.youtube.com/v/4S5CKDcGO6k

Ainda não achei video da BBC sobre xenofobia, por enqunato vai esse sobre manifestações pró-reversão:

https://www.youtube.com/v/ZDP2unT49ek



Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 08 de Julho de 2016, 02:02:59
https://www.youtube.com/v/3wjKl4ZonDc


Diz ele que agora o discurso dos brexiitas é praticamente algo que, com poucas modificações nas frases, poderia estar se ouvindo de quem defendesse a pernanência na UE antes do referendo.... :biglol: de um dia para outro, o discurso muda de "esse será nosso DIA DA INDEPENDÊNCIA!!!1111", para um mais modesto "nós precisamos de muitos laços estreitos com toda a Europa". Junto com abdicações necessárias a todas as principais promessas de campanha, como dinheiro que deixaria de ir para a UE, e controle de fronteiras.

...

Eu fico imaginando até que talvez os brexiitas talvez nem esperassem realmente ganhar o referendo eles mesmos, preferindo apenas manter carreiras políticas nesse nicho secundário de "eternos descontentes" (não necessariamente demonstração disso, mas bem condizente com isso, é a demissão do líder do UKIP).
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Lorentz em 08 de Julho de 2016, 20:46:05
O Buck redescobriu o canal do thunderfoot.

Que pena que ele ainda não operou a batata da boca.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Jack Carver em 09 de Julho de 2016, 18:02:49
Os liberais ainda estão a comemorar.

https://www.youtube.com/v/S4iKkXSaKxI

Governo britânico descarta segundo referendo sobre o Brexit (http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2016/07/09/governo-britanico-descarta-segundo-referendo-sobre-o-brexit.htm)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 09 de Julho de 2016, 19:39:29
Não, a posição pró-Brexit e contra não coincide 100% entre liberais e não-liberais.

Citar
[...] Osborne did not specify a date for cutting corporation tax to below 15 percent. In his most recent budget statement, announced in March, Osborne announced a cut in the corporation tax to 17 percent by 2020, down from 20 percent now. [...]

http://fortune.com/2016/07/04/uk-business-tax-cut-brexit/


Citar
Brexit will mean higher taxes, less spending for U.K.

U.K. Treasury chief George Osborne has no doubts: Britain will "absolutely" have to cut spending and raise taxes following its vote to leave the European Union.
"It's very clear that the country is going to be poorer as a result of what's happening to the economy," Osborne told the BBC on Tuesday.
...
http://money.cnn.com/2016/06/28/news/economy/uk-economy-brexit-taxes-spending-austerity/
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 09 de Julho de 2016, 20:43:58
Liberalismo=Nacionalismo?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Feliperj em 10 de Julho de 2016, 01:34:49
http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/?p=874801?utm_source=redesabril_veja&utm_medium=twitter&utm_campaign=redesabril_veja&utm_content=feed&
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 14 de Julho de 2016, 07:31:35
http://www.dn.pt/portugal/interior/costa-recusa-visto-previo-bruxelas-vai-ter-oe-ao-mesmo-tempo-do-que-o-parlamento-5283644.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+DN-Portugal+(DN+-+Portugal)

Recusa de visto prévio de Bruxelas... Estes socialistas estão a ter mais dignidade do que os conservadores e liberais que pareciam meros sabujos de Bruxelas... Estou surpreendido por os mínimos do patriotismo estarem a vir do Partido Socialista, que sobre foi o mais "europeísta" de todos... As voltas que a história dá.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Diegojaf em 14 de Julho de 2016, 16:00:12
Os liberais ainda estão a comemorar.

Liberais, pero no mucho...

(http://i.huffpost.com/gen/2193794/thumbs/o-COMRES-570.jpg)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 14 de Julho de 2016, 17:25:47
Citar
http://www.economist.com/news/latin-america/21697097-leaving-eu-would-come-heavy-cost-treasury-analysis-suggests-costs-brexit-would

(http://cdn.static-economist.com/sites/default/files/imagecache/original-size/images/2016/04/articles/body/20160423_woc123_1.png)

[...] The resultant numbers are large. Even for the EEA option, which best preserves British access to the EU’s single market, the analysis points to a GDP loss of around 3.8%. The Swiss/Canadian negotiated option, which gives some access but not for most services (including financial services), yields Mr Osborne’s central estimate of 6.2%. For the WTO option, which would mean losing privileged access to the single market and facing some tariffs on trade, the figure is 7.5%. As a body much concerned with its own revenues, the Treasury also assesses the effects on public-sector receipts. On its central estimate, these would be £36 billion lower—a sum that, as the authors point out, is roughly equivalent to 35% of annual spending by the National Health Service in England.

The Treasury’s numbers are bigger than those in some other recent studies, but that is mainly because they include the dynamic effects on productivity. A similar dynamic study by researchers at the Centre for Economic Performance, London School of Economics (LSE), came up with even bigger losses. To the disgust of Brexiteers, the Treasury agrees with the Bank of England that the benefits of EU membership considerably outweigh the costs. And it dismisses the possibility of a boost from less regulation in a post-Brexit world by pointing out that Britain is relatively lightly regulated already. [...]



https://www.youtube.com/v/uH_tFEuYT4Y



Parece que boa parte do apelo ao voto é bem similar àquelas propostas esquerdistas brasileiras de calotear a dívida externa; populismo com uma visão de apenas um palmo a frente do nariz, "menos dinheiro vai embora = temos mais dinheiro."
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Diegojaf em 27 de Julho de 2016, 20:26:45
:histeria:

É sério... Assistam isso:
UK Foreign Minister Boris Johnson Grilled About His Anti-Hillary Clinton and Obama Comments
http://abcnews.go.com/International/uk-foreign-minister-boris-johnson-grilled-anti-hillary/story?id=40703695

Não vejo a hora de quando ele estiver com Putin e perguntarem sobre quando ele comparou o Putin ao Elfo Dobby de Harry Potter... :lol:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 27 de Julho de 2016, 23:16:14
O Boris Johnson é um bobão igual ao Farage. Acho que o cargo de chanceler foi uma armação da Theresa May para desgastar ainda mais sua imagem.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Jack Carver em 28 de Julho de 2016, 01:45:59
Começo a desconfiar que a chance do RU não sair de fato da UE é a mesma de um segundo país da UE decidir sair. É esperar para ver.

https://www.youtube.com/v/gFRd9VqKYM8
https://www.youtube.com/v/ONM2mTiLCV4


PS: A propósito, Nigel Farage tem dado entrevistas para o Infowars.



Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 28 de Julho de 2016, 07:41:33
Tudo será culpa dos imigrantes.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Jack Carver em 29 de Julho de 2016, 17:00:51
https://www.youtube.com/v/uQCQECpRyqw

Já deram o rótulo de The George Washington Of The UK   :D
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 29 de Julho de 2016, 22:58:13
...porque Washington declarou a independência e largou a carreira política imediatamente? :hein:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 29 de Julho de 2016, 23:00:46
...porque Washington declarou a independência e largou a carreira política imediatamente? :hein:

Na verdade antes de largar a carreira política ele foi presidente por 8 anos.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Rhyan em 30 de Julho de 2016, 00:48:59
As causas do Brexit, a história da União Europeia e suas duas ideologias conflitantes
por Diversos Autores, sexta-feira, 24 de junho de 2016

Desde o início da União Europeia, tem havido um conflito entre os defensores de dois ideais diferentes.  Qual postura o continente europeu deve adotar: a visão liberal-clássica ou visão socialista?
Para se entender melhor as motivações do Brexit, é importante estar familiarizado com essas duas visões divergentes e essenciais, assim como as subsequentes tensões que vieram à tona em decorrência delas.

A visão liberal-clássica

Os pais fundadores da União Europeia, Robert Schuman (França [nascido em Luxemburgo]), Konrad Adenauer (Alemanha) e Alcide de Gasperi (Itália), todos católicos que falavam alemão, eram adeptos da visão liberal-clássica para a Europa. Eles também eram democratas-cristãos.

A visão liberal-clássica considera a liberdade individual como sendo o mais importante valor cultural dos europeus e do cristianismo.  De acordo com essa visão, a função dos estados soberanos europeus é proteger os direitos de propriedade e a economia de livre mercado em uma Europa de fronteiras abertas, permitindo desta forma o livre comércio de bens, serviços e idéias.

O Tratado de Roma, assinado em 1957, foi a principal realização para a criação de uma Europa baseada no liberalismo clássico.  O tratado estabeleceu quatro liberdades básicas: livre circulação de bens, livre oferta de serviços, livre movimentação de capital financeiro e livre migração.  O tratado também restaurou direitos que haviam sido essenciais para a Europa durante a vigência do período liberal-clássico no século XIX, mas que haviam sido abandonados durante a era do nacionalismo e do socialismo.  O tratado representou a rejeição da era do socialismo, período esse que havia gerado conflitos entre as nações européias, culminando em duas guerras mundiais.

A visão liberal-clássica visa à restauração das liberdades do século XIX.  A livre concorrência, sem barreiras à entrada nos mercados, deveria prevalecer em um mercado comum europeu.  De acordo com essa visão, ninguém poderia proibir um cabeleireiro alemão de cortar cabelos na Espanha, e ninguém poderia tributar um inglês que quisesse transferir dinheiro de um banco alemão para um banco francês, ou que quisesse investir no mercado de ações da Itália.

Ninguém poderia impedir, por meio de regulamentações, que uma cervejeira francesa vendesse suas cervejas na Alemanha.  Nenhum governo poderia dar subsídios, algo que distorce e corrompe o sistema de livre concorrência.  Ninguém poderia impedir que um dinamarquês fugisse de seu estado assistencialista e de sua alta carga tributária e migrasse para um estado com uma carga tributária mais baixa, como a Irlanda.

Para atingir esse ideal de cooperação pacífica e prosperidade comercial, o único pré-requisito necessário seria a liberdade.  De acordo com essa visão, não haveria nenhuma necessidade de se criar um super-estado europeu.  Com efeito, a visão liberal-clássica é completamente cética no que concerne a um estado central europeu; tal criação é considerada prejudicial e perniciosa para as liberdades individuais.

Filosoficamente falando, muitos defensores dessa visão são inspirados pelo catolicismo, e as fronteiras da comunidade europeia são definidas pelo cristianismo.

De acordo com a doutrina social católica, o princípio da subsidiariedade deveria prevalecer: os problemas deveriam ser resolvidos no nível mais baixo e menos concentrado possível dos arranjos.  A única instituição centralizada europeia aceitável seria uma Corte de Justiça Europeia, com suas atividades sendo restritas à resolução de conflitos entre os estados-membros e à garantia das quatro liberdades básicas.

Do ponto de vista liberal-clássico, deveria haver vários sistemas políticos concorrentes, como ocorreu na Europa durante séculos.  Desde a Idade Média até o século XIX, existiram sistemas políticos muito diferentes, tais como as cidades independentes de Flandres (região no noroeste da Europa, que inclui partes da Bélgica, França e Holanda), da Alemanha e do norte da Itália.  Havia reinados, como os da Bavária e da Saxônia, e havia repúblicas, como a de Veneza.

A diversidade política era demonstrada de modo mais explícito na fortemente descentralizada Alemanha.  Sob essa cultura de diversidade e pluralismo, a ciência e a indústria se desenvolveram e prosperaram.[1]

A concorrência em todos os níveis é essencial para a visão liberal-clássica.  Ela gera uma congruência, uma vez que a qualidade dos produtos, os preços dos fatores de produção e, principalmente, os salários tendem a convergir.  O capital vai para os locais onde os salários são menores, o que provoca sua elevação; os trabalhadores, por outro lado, vão para onde os salários são mais altos, o que faz com que essa maior oferta de mão-de-obra os reduza.  Os mercados oferecem soluções descentralizadas para os problemas ambientais, baseando-se na propriedade privada.  A concorrência política assegura o mais importante valor europeu: a liberdade.

A concorrência tributária promove alíquotas de impostos mais baixas, bem como a responsabilidade fiscal.  As pessoas "votam com seus pés", saindo dos países com carga tributária abusiva, como fazem as empresas.  Nações soberanas concorrendo entre si com diferentes cargas tributárias são vistas como a melhor proteção contra a tirania.  A concorrência também se dá na questão das moedas.  Diferentes autoridades monetárias competem para oferecer a moeda de maior qualidade.  As autoridades que oferecem moedas mais estáveis exercem pressão sobre as autoridades mais displicentes, e estas são obrigadas a se adequar e seguir o exemplo daquelas.

A visão socialista

Em direta oposição à visão liberal-clássica tem-se a visão socialista ou imperial da Europa, defendida por políticos como Jacques Delors e François Mitterrand.  Uma coalizão de interesses estatistas entre grupos nacionalistas, socialistas e conservadores faz o que pode para promover e avançar sua agenda.  Tal coalizão sempre quis ver a União Europeia como um império ou uma fortaleza: protecionista para quem está de fora e intervencionista para quem está dentro.

Esses estatistas sonham com um estado centralizado e controlado por tecnocratas eficientes — atributo este que todos os tecnocratas estatistas imaginam ter.

Dentro desse ideal, o centro do Império deveria governar toda a periferia.  Haveria uma legislação comum e centralizada.  Os defensores da visão socialista para a Europa querem erigir um megaestado europeu, reproduzindo as nações-estado em um nível continental.  Eles querem um estado assistencialista europeu que garanta a redistribuição de riqueza, a regulamentação econômica e a harmonização das legislações dentro da Europa.

A harmonização dos impostos e as regulamentações sociais seriam executadas pelo mais alto escalão da burocracia.  Se o imposto sobre valor agregado estiver variando entre 15 e 25% dentro União Europeia, os socialistas iriam harmonizá-lo em 25% para todos os países.  Tal harmonização das regulamentações sociais é do interesse dos mais protegidos, mais ricos e mais produtivos trabalhadores, que podem "arcar" com os custos dessas regulamentações — ao passo que seus concorrentes não podem.  Por exemplo, se as políticas sociais alemãs fossem aplicadas aos poloneses, estes teriam grandes problemas para concorrer com aqueles.

A intenção desse ideal socialista é conceder cada vez mais poderes para o estado central — isto é, para Bruxelas.  A visão socialista para a Europa é a ideal para a classe política, para os burocratas, para os grupos de interesse que fazem lobby, e para os setores protegidos e subsidiados que querem criar um poderoso estado central visando ao seu próprio enriquecimento.

Partidários dessa visão apresentam um megaestado europeu como uma necessidade, e consideram sua total implementação apenas uma questão de tempo.

Ao longo desse caminho socialista, o estado central europeu iria se tornar um dia tão poderoso, que os estados soberanos passariam a lhe prestar total subserviência.  (Já podemos ver os primeiros indicadores de tal subserviência no caso da Grécia.  A Grécia se comporta hoje como um protetorado de Bruxelas, que diz ao governo grego como ele deve lidar com seus problemas).

A visão socialista não fornece nenhuma limitação geográfica explícita para o estado europeu — ao contrário da visão liberal-clássica inspirada no catolicismo.  A concorrência política é vista como um obstáculo para o estado central, o qual, no ideário socialista, deve sair completamente de qualquer controle por parte do público.  Nesse sentido, o estado central, na visão socialista, se torna cada vez menos democrático à medida que o poder vai sendo deslocado para burocratas e tecnocratas.

(Um bom exemplo disso é a Comissão Europeia, o corpo executivo da União Europeia.  Os membros da comissão não são eleitos, mas sim designados pelos governos dos estados-membros.  E o próprio Parlamento Europeu é totalmente impotente para impedir ou revogar os atos da Comissão Europeia.)

Historicamente, os precedentes para esse velho plano socialista de criar um estado central controlador na Europa foram estabelecidos por Carlos Magno, Napoleão, Stalin e Hitler.  A diferença, entretanto, é que dessa vez nenhum meio militar seria necessário.  A mera coerção do poder estatal seria a mola propulsora para a criação de um poderoso estado central europeu.

De um ponto de vista tático, situações específicas de crise seriam utilizadas pelos partidários da visão socialista para criar novas instituições (tais como o Banco Central Europeu (BCE), ou, possivelmente, um Ministério Europeu das Finanças), bem como para ampliar os poderes das atuais instituições, como a Comissão Europeia e o próprio BCE.

A visão liberal-clássica e a visão socialista para a Europa são irreconciliáveis.  Com efeito, o aumento no poder de um estado central — como proposto pela visão socialista — implica uma redução das quatro liberdade básicas (livre circulação de bens, livre oferta de serviços, livre movimentação de capital financeiro e livre migração) e certamente liberdades civis cada vez menores.

A história de uma batalha entre duas visões

Essas duas visões têm travado batalhas entre si desde os anos 1950.  No início, o projeto das Comunidades Europeias era mais fiel à visão liberal-clássica.

As Comunidades Europeias eram formadas pela Comunidade Europeia do Carvão e do Aço, que criava um mercado comum para carvão e aço; pela Comunidade Econômica Europeia, que promovia a integração econômica; e pela Comunidade Europeia da Energia Atômica, que criava um mercado especial para energia nuclear, fazendo sua distribuição pela Comunidade.

A Comunidade Europeia era composta por estados soberanos e assegurava as quatro liberdades básicas.  Do ponto de vista do liberalismo clássico, um dos principais defeitos de nascença do projeto eram os subsídios e as intervenções da política agrícola.  Da mesma forma, desde seu nascimento, o único poder legislativo pertencia à Comissão Europeia.  Assim, uma vez que a Comissão fizesse uma proposta legislativa, o Conselho da União Europeia poderia sozinho, ou em conjunto com o Parlamento Europeu, aprovar a proposta.

Esse arranjo já continha em si as sementes da centralização.  Consequentemente, o arranjo institucional, desde seu início, havia sido projetado para acomodar a centralização e o controle sobre as opiniões minoritárias, uma vez que a unanimidade não era necessária para todas as decisões, e as áreas em que a regra da unanimidade se fazia necessária foram sendo reduzidas ao longo dos anos.

O modelo liberal-clássico é defendido tradicionalmente pelos democratas-cristãos e por países como Holanda, Alemanha e Reino Unido.  Porém, os social-democratas e socialistas, normalmente liderados pelo governo francês, defendem a versão imperialista da Europa.  Com efeito, em decorrência de sua rápida queda em 1940, dos anos da ocupação nazista, de seus fracassos na Indochina, e da perda de suas colônias africanas, a classe dominante francesa utilizou a Comunidade Europeia para readquirir sua influência e seu orgulho, e para se recuperar da perda de seu império.[2]

Com o passar dos anos, houve uma lenta porém contínua tendência rumo ao ideal socialista: os países-membros foram sendo obrigados a direcionar cada vez mais dinheiro de impostos de seus cidadãos para custear os orçamentos cada vez maiores da União Europeia; houve uma crescente perda de autonomia nacional, com sua transferência praticamente integral para Bruxelas; e, após a crise financeira de 2008, adotou-se uma nova política regional que efetivamente redistribui riquezas por toda a Europa.

Tudo isso culminou na situação atual.

Só o Reino Unido, em termos líquidos, paga 136 milhões de libras por semana para a União Europeia.  Por outro lado, a Grécia há muito tempo não contribui nada para o orçamento da UE, dado que a Alemanha cobre indiretamente suas contribuições por meio de empréstimos que a UE faz para a Grécia.

Inúmeras regulamentações econômicas e "harmonizações burocráticas e tributárias" ajudaram a empurrar ainda mais o arranjo para essa direção socialista.  As políticas intervencionistas e centralizadoras da União Europeia criaram uma sombria situação econômica e financeira para seus países-membros: desemprego em massa, finanças públicas descontroladas, e perspectivas de crescimento desanimadoras.

Tudo isso insuflou os desejos separatistas da população do Reino Unido.  A imposição da União Europeia para que o país aceitasse imigrantes muçulmanos após o conflito na Síria foi a gota d'água.

A integração forçada

Com a recente enxurrada de refugiados e imigrantes entrando na Europa, a pressão dos cidadãos britânicos sobre para a saída aumentou.  Os burocratas de UE propuseram espalhar os imigrantes por vários países da Europa de acordo com um plano de re-assentamento pré-definido.  Naturalmente, os britânicos não gostaram da ideia, pois, além das questões que envolvem a segurança nacional, os novos imigrantes geram uma pressão adicional sobre o estado assistencialista britânico.

E, mesmo que absolutamente nenhum imigrante fosse realocado para o Reino Unido, os britânicos ainda assim teriam de financiar ao menos parcialmente o re-assentamento dos imigrantes no resto da Europa por meio dos impostos que pagam para sustentar a União Europeia.

Mas essa questão da imigração é mais antiga.  Foi só agora que o caldo entornou de vez, mas os conflitos gerados são antigos. Não apenas o influxo de imigrantes afetou o mercado de trabalho para os trabalhadores britânicos menos qualificados (insuflando os argumentos nacionalistas e protecionistas), como também afetou a cultura britânica, até mesmo o idioma.  Já em 2009, o inglês não era o primeiro idioma de mais de meio milhão de estudantes nas escolas primárias da Grã-Bretanha.  Isso mexeu com os brios de uma parte da população.

Por toda a Europa, a onda de imigração muçulmana em massa é frequentemente apresentada pelos políticos e intelectuais progressistas como sendo um grande salto para a frente, tornando a Europa uma sociedade mais multicultural (conceito esse que sempre foi promovido por essas pessoas como sendo o ideal).

No entanto, essa insistente ideia do "multiculturalismo" (uma versão do "marxismo cultural") pouco ou quase nada tinha a ver com diversidade ou interações culturais positivas, como se propagandeava.  Em sua essência, políticas de integração forçada, ao criarem inevitáveis conflitos, abrem espaço para os governos intervirem mais amplamente na sociedade sob o pretexto de estar agindo como o protetor daquelas "minorias discriminadas", as quais vão se tornando cada vez mais dependentes do estado.

Políticos adoram esse arranjo, pois ele lhes confere mais poderes discricionários e mais argumentos para se criar novos programas de redistribuição de renda.  A divisão social, as tensões e as discordâncias inevitavelmente geradas por esse arranjo criam um terreno fértil para mais restrições sobre as liberdades pessoais e a autonomia do indivíduo.

O Brexit

Os defensores da saída da União Europeia argumentaram que o Reino Unido havia perdido sua soberania e sua autonomia para tomar decisões — pois estas haviam sido transferidas para Bruxelas —, e estava pagando um alto preço, tanto político quanto econômico, para fazer parte da UE.

A crise da imigração e a incapacidade de se adotar políticas nacionais autônomas para lidar com ela foi apenas mais uma manifestação dessa excessiva centralização de poderes em Bruxelas.

Em tese, com sua saída, a população do Reino Unido não mais terá de dar satisfações a uma entidade superior localizada em outro país, vista como intrusiva.  Tampouco sua população poderá ser tolhida por essa entidade estrangeira.  Os indivíduos poderão agora usufruir uma maior autonomia, podendo, agora localmente, resolver os problemas que são do interesse do povo britânico, e não da conveniência de burocratas em Bruxelas.

O fato é que o atual conceito de estado-nação é contrário à ideia de liberdade individual.  Não há como ele ser reconciliado com a ideia de liberdade individual.  E a situação fica ainda pior quando estados-nações começam a criar uniões, tentando unificar seus poderes em uma única estrutura burocrática — como a União Europeia.

Com a saída do Reino Unido da União Europeia, os britânicos têm em mãos uma oportunidade de frustrar o rolo compressor de Bruxelas, pelo menos por algum tempo, e decidirem com mais autonomia sobre o que realmente querem.  No fundo, tudo se resume a esse pergunta: "quem deve decidir por nós?"

É verdade que os libertários não deveriam se preocupar com o conceito político "soberania nacional".  Governos, em qualquer nível, não são regentes soberanos e jamais deveriam ser considerados dignos de determinar o curso de nossas vidas.  No entanto, também é verdade que, quanto mais enfraquecido o elo entre o indivíduo e o corpo político que pretende lhe governar, maior a autonomia e o poder desse indivíduo.

Em última instância, o Brexit não foi um referendo sobre livre comércio, imigração, ou regras burocráticas impostas pelo (pavoroso) Parlamento Europeu e pela (pavorosa) Comissão Europeia.  Foi, isso sim, um referendo sobre uma maior autonomia individual e sobre um menor poder a entidades políticas globalistas.

Libertários deveriam ver a descentralização e a redução do poder estatal como sempre sendo algo positivo, independentemente de quais sejam as motivações por trás de tais movimentos.  Reduzir o tamanho, o escopo e o poder de domínio de qualquer estado (ou de qualquer união de estados) é decididamente algo saudável para a liberdade.

_________________________________________

Philipp Bagus (http://www.mises.org.br/SearchByAuthor.aspx?id=161&type=articles), professor adjunto da Universidad Rey Juan Carlos, em Madri.  É o autor do livro A Tragédia do Euro (http://www.mises.org.br/Product.aspx?product=61).

Jeff Deist (http://www.mises.org.br/SearchByAuthor.aspx?id=531&type=articles), o atual presidente do Ludwig von Mises Mises Institute.

Claudio Grass (http://www.mises.org.br/SearchByAuthor.aspx?id=535&type=articles), diretor e presidente da empresa suíça Global Gold.

 

Leia também:

O Reino Unido e sua eventual saída da União Europeia - quais as implicações?  (http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2442)

Na questão do "Brexit", tanto os defensores da "saída" quanto os da "permanência" deveriam relaxar  (http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2447)

A Grã-Bretanha e sua saída da União Europeia  (http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2426)


[1]  Roland Vaubel, "The Role of Competition in the Rise of Baroque and Renaissance Music," Journal of Cultural Economics 25 (2005): pp. 277-97, argumenta que o surgimento da música barroca e renascentista na Alemanha e na Itália resultou da descentralização desses países e da subsequente concorrência entre eles

[2] Larsson, Hans Albin. 2004. "National Policy in Disguise: A Historical Interpretation of the EMU.", p. 162.  Como escreve Larsson: "A arena na qual a França buscou ressuscitar sua honra e influência internacional foi a Europa Ocidental.  Como principal país da Comunidade Econômica Europeia, a França recuperou influência e, com isso, recompensou a perda de seu império — e tudo isso dentro de uma área onde a França, tradicionalmente e de diversas maneiras, sempre procurou ter domínio e influência".

Já em 1950, o premiê francês René Pleven, propôs criar um Exército Europeu como parte da Comunidade de Defesa Europeia (sob a liderança da França).  Ainda que o plano tenha fracassado, ele fornece evidências de que, desde o início, os políticos franceses pressionaram pela centralização e pela visão imperial da Europa.  Uma exceção foi o presidente Charles de Gaulle, que se opunha a um estado europeu supranacional.  Durante a "crise da cadeira vazia", em junho de 1965, a França abandonou seu assento no Conselho dos Ministros por seis meses em protesto contra um ataque à sua soberania.  A Comissão havia pressionado por uma centralização do poder.  Entretanto, de Gaulle também estava tentando melhorar a posição e liderança da França nas negociações acerca da Política Comum Agrícola.  A Comissão havia proposto a criação de uma decisão por maioria de votos nesse quesito.  Os agricultores franceses eram os principais beneficiários dos subsídios, ao passo que a Alemanha era a principal contribuinte.  A decisão por maioria de votos poderia ter privado os agricultores franceses de seus privilégios.

Fonte: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2449
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 13 de Novembro de 2016, 18:07:43

http://exame.abril.com.br/mundo/mudancas-legais-geram-protestos-separatistas-em-barcelona

Mudanças legais geram protestos separatistas em Barcelona

Milhares de separatistas catalães se reuniram em Barcelona neste domingo (13) para protestar por mudanças contra políticos pró-independência

Barcelona – Milhares de separatistas catalães se reuniram em Barcelona neste domingo (13) para protestar contra uma série de mudanças legais feitas pelo governo da Espanha contra políticos pró-independência da região.

Diversos legisladores da Catalunha enfrentam processos judiciais impostos pelo governo espanhol por terem promovido um referendo sobre a independência em 2014 em desobediência a uma ordem judicial. Os processos envolvem ainda leis regionais desenhadas para preparar o caminho para a independência.

Entre os políticos envolvidos nos processos estão o ex-presidente regional, Artur Mas, e o atual porta-voz do parlamento local, Carme Forcadell. Ambos estiveram presentes nos protestos desse domingo.

Jordi Cuixart, presidente do grupo Omnium, que defende o separatismo, disse que tinha uma mensagem ao estado espanhol. “Se você atacar seus representantes democraticamente eleitos, vão atacar suas instituições”, disse.

O movimento separatista tem crescido em anos recentes nas regiões mais ricas que falam catalão além de espanhol. Separatistas reclamam que a Catalunha paga mais impostos do que deveria ao governo central.

Fonte: Associated Press.

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: André Luiz em 13 de Novembro de 2016, 18:55:03
É tão desagradável assim para um catalão ser parte da Espanha? 
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Rhyan em 13 de Novembro de 2016, 19:06:25
Secessão deveria ser um direito dado de forma absoluta, em qualquer região, inclusive individual, como defendia Mises. Se não me engano, a constituição de Liechtenstein permite a secessão regional se ela for requerida e houver um plebiscito aprovando.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 13 de Novembro de 2016, 21:28:30
Secessão deveria ser um direito dado de forma absoluta, em qualquer região, inclusive individual, como defendia Mises. Se não me engano, a constituição de Liechtenstein permite a secessão regional se ela for requerida e houver um plebiscito aprovando.

Se for assim, a California poderia ter secessão, já que de muitos que votaram na Hillary teve que mencionou isso. Seria um Calixit. Ou então secessão dos estados interioranos que votaram em Trump formarem países próprios.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: El Elyon em 13 de Novembro de 2016, 23:24:00
Citar
Se for assim, a California poderia ter secessão, já que de muitos que votaram na Hillary teve que mencionou isso. Seria um Calixit. Ou então secessão dos estados interioranos que votaram em Trump formarem países próprios.

Sim, porque não? Tenho quase certeza que o Libertário não se oporia a isso (embora creio que ele considere isso um mal menor).  :)

Embora eu não seja um entusiasta do modelo secessionista (por nenhum motivo além da sua quase impossibilidade de ocorrer por vias não-violentas), eu não vejo motivos para impedir que certos povos/grupos de pessoas vivam de acordo com suas próprias leis e reconhecendo o tipo de soberano/governo que consideram legítimos. Tanto que no caso dos Estados Unidos, que surgiu como uma federação de Estados unidos em torno de uma Constituição Federal enxuta e um Exército Comum (por isso o nome, aliás) que precisaram de ao redor de 150 anos (entre a Independência e a ascensão do Progressivismo Clássico, de Roosevelt) para ter algo que um Brasileiro reconheceria como um governo federal forte e capaz de se impor. Há até uma anedota que diz que por um certo tempo, a grafia mais comum era these United States, não the United States.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 14 de Novembro de 2016, 06:50:35
O problema talvez fosse se essas secessões se dessem pelos mesmos critérios que fazem com que o voto popular perca. Parece receita para encrenca.

Também haverá naturalmente alguma analogia em coisas como xária e "no-go-zones" com a motivação da secessão sulista americana. Isso é, mesmo que as pessoas não tenham grande apego nacionalista à formação atual de um país, sua fragmentação por diferenças dessa natureza pode encontrar maior resistência.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Nowa em 14 de Novembro de 2016, 15:47:32
https://www.youtube.com/v/3wjKl4ZonDc


Diz ele que agora o discurso dos brexiitas é praticamente algo que, com poucas modificações nas frases, poderia estar se ouvindo de quem defendesse a pernanência na UE antes do referendo.... :biglol: de um dia para outro, o discurso muda de "esse será nosso DIA DA INDEPENDÊNCIA!!!1111", para um mais modesto "nós precisamos de muitos laços estreitos com toda a Europa". Junto com abdicações necessárias a todas as principais promessas de campanha, como dinheiro que deixaria de ir para a UE, e controle de fronteiras.

...

Eu fico imaginando até que talvez os brexiitas talvez nem esperassem realmente ganhar o referendo eles mesmos, preferindo apenas manter carreiras políticas nesse nicho secundário de "eternos descontentes" (não necessariamente demonstração disso, mas bem condizente com isso, é a demissão do líder do UKIP).

Thundercuck é tipo o Pirula da Inglaterra: só porque entendem alguma coisa de biologia acham que os palpites deles sobre política valem qualquer coisa.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 14 de Novembro de 2016, 16:04:28
Mas deve estar certo em praticamente todos os pontos feitos.

Brexit não faria o RU economizar em nada, teria na verdade mais gastos com novos acordos e nova legislação para dar conta de algo que a atual já resolve, ficaria sujeito a possíveis sanções dos principais parceiros comerciais, o RU perde posição de influência interna mais "libertária" na UE, etc, etc.

Engabelação populista em que as pessoas caíram* apenas devido à proposta ter algum apelo libertário, muito embora mesmo este fosse substancialmente composto de engabelação.


* daquelas que não votaram a favor apesar de acharem que fosse perder, como voto de protesto, o que parece que não foi pouca gente. Talvez até o próprio líder do movimento, que pulou fora imediatamente em seguida.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 14 de Novembro de 2016, 16:20:10
Thundercuck é tipo o Pirula da Inglaterra: só porque entendem alguma coisa de biologia acham que os palpites deles sobre política valem qualquer coisa.

O Pirula eu só vejo os vídeos de Biologia, mesmo. Em economia e política ele parece um ignorante, vêm às vezes com um  papo pseudo-progressista que eu tenho asco só  em ouvir.

Mas deve estar certo em praticamente todos os pontos feitos.

Brexit não faria o RU economizar em nada, teria na verdade mais gastos com novos acordos e nova legislação para dar conta de algo que a atual já resolve, ficaria sujeito a possíveis sanções dos principais parceiros comerciais, o RU perde posição de influência interna mais "libertária" na UE, etc, etc.

Engabelação populista em que as pessoas caíram* apenas devido à proposta ter algum apelo libertário, muito embora mesmo este fosse substancialmente composto de engabelação.


* daquelas que não votaram a favor apesar de acharem que fosse perder, como voto de protesto, o que parece que não foi pouca gente. Talvez até o próprio líder do movimento, que pulou fora imediatamente em seguida.
Você está falando desse?
(http://imagenes.lainformacion.com/2016/05/15/disturbios-conflictos-y-guerra/Brexit-compara-UE-Hitler-Napoleon_917019497_105178679_667x375.jpg)

Maior trollada política de todos os tempos.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 14 de Novembro de 2016, 20:41:25
https://www.youtube.com/v/3wjKl4ZonDc


Diz ele que agora o discurso dos brexiitas é praticamente algo que, com poucas modificações nas frases, poderia estar se ouvindo de quem defendesse a pernanência na UE antes do referendo.... :biglol: de um dia para outro, o discurso muda de "esse será nosso DIA DA INDEPENDÊNCIA!!!1111", para um mais modesto "nós precisamos de muitos laços estreitos com toda a Europa". Junto com abdicações necessárias a todas as principais promessas de campanha, como dinheiro que deixaria de ir para a UE, e controle de fronteiras.

...

Eu fico imaginando até que talvez os brexiitas talvez nem esperassem realmente ganhar o referendo eles mesmos, preferindo apenas manter carreiras políticas nesse nicho secundário de "eternos descontentes" (não necessariamente demonstração disso, mas bem condizente com isso, é a demissão do líder do UKIP).

Thundercuck é tipo o Pirula da Inglaterra: só porque entendem alguma coisa de biologia acham que os palpites deles sobre política valem qualquer coisa.

Pirula jé vi cometer erros em algumas opiniões (nao necessariamente de politica e economia) mas pelo menos ele tem humildade e mente aberta pra aceitar correções e até faz erratas em outros videos. Já certos youtubers e até mesmo alguns liberais se acham dono da verdade sem nunca ter mostrado nada na pratica das ideias deles serem realizadas, só teoria, e não aceitam que alguem rebata eles, sempre vão dar uma terplica só pra mostrar que são certos.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Lorentz em 14 de Novembro de 2016, 22:38:40
Já certos youtubers e até mesmo alguns liberais se acham dono da verdade sem nunca ter mostrado nada na pratica das ideias deles serem realizadas, só teoria, e não aceitam que alguem rebata eles, sempre vão dar uma terplica só pra mostrar que são certos.

Dê alguns exemplos aí. Vamos debater aqui.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 14 de Novembro de 2016, 22:52:27
Pirula jé vi cometer erros em algumas opiniões (nao necessariamente de politica e economia) mas pelo menos ele tem humildade e mente aberta pra aceitar correções e até faz erratas em outros videos. Já certos youtubers e até mesmo alguns liberais se acham dono da verdade sem nunca ter mostrado nada na pratica das ideias deles serem realizadas, só teoria, e não aceitam que alguem rebata eles, sempre vão dar uma terplica só pra mostrar que são certos.

Fiquei curioso com esses youtubers e liberais. Fale das ideias deles.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 15 de Novembro de 2016, 14:30:53
Já certos youtubers e até mesmo alguns liberais se acham dono da verdade sem nunca ter mostrado nada na pratica das ideias deles serem realizadas, só teoria, e não aceitam que alguem rebata eles, sempre vão dar uma terplica só pra mostrar que são certos.

Dê alguns exemplos aí. Vamos debater aqui.

Opinião anti-Pirula por parte de conseravdores nem precisa mencionar (ou precisa?), já menciona um mais conhecido, Nando Moura, e outros não tão populares.

Já do liberal Gaus sobre Pirula, isso pareceu uma opinião de alguém

Thundercuck é tipo o Pirula da Inglaterra: só porque entendem alguma coisa de biologia acham que os palpites deles sobre política valem qualquer coisa.

O Pirula eu só vejo os vídeos de Biologia, mesmo. Em economia e política ele parece um ignorante, vêm às vezes com um  papo pseudo-progressista que eu tenho asco só  em ouvir.

Se isso não é opinião cheia de preconceitos, eu não sei o que é.
Que eu saiba ele mesmo não é expert em economia ou política, ele parece ser um cidadão comum com conhecimento básico ou superficial sobre esses temas (ele pode ter até mais conhecimento que imagino), e não um erudito que acha que tem domínio sobre política e economia e em vez de ficar só no refuta, deveria mostrar exemplos práticos de suas idéias dando certo a longo prazo e em um território que tenha uma cidade grande.

O El Elyon já rebateu algumas das afirmações de alguns de vocês aqui. Mesmo as que falam de economia-política. Pena que não sou tão afiado quanto ele (pois sou um desses conhecedores básicos e não um expert em economia e política da qual não conheço nada que tenha sido feito na prática desse tal de liberalismo econômico de tal Mises sei lá o quê).

Se acha que Pirula, apesar do seus erros, presta desserviço porque não cria canal que informe melhor sobre isso  pra tirar as pessoas da ignorância? Ou vai lá no canal dele e diz pra ele que isso e aquilo tá errado (como já fiz algumas vezes) em vez de ficar em foruns dizendo que não gosta de certo youtuber A, B, etc só porque isso e aquilo.

Aliás, falando nisso, Pirula tem um vídeo especifico sobre pra saber o que as pessoas não gostam nele:

https://www.youtube.com/v/Eni0bUy1D0c






Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 15 de Novembro de 2016, 19:46:52
Já certos youtubers e até mesmo alguns liberais se acham dono da verdade sem nunca ter mostrado nada na pratica das ideias deles serem realizadas, só teoria, e não aceitam que alguem rebata eles, sempre vão dar uma terplica só pra mostrar que são certos.

Dê alguns exemplos aí. Vamos debater aqui.

Opinião anti-Pirula por parte de conseravdores nem precisa mencionar (ou precisa?), já menciona um mais conhecido, Nando Moura, e outros não tão populares.

Já do liberal Gaus sobre Pirula, isso pareceu uma opinião de alguém

Thundercuck é tipo o Pirula da Inglaterra: só porque entendem alguma coisa de biologia acham que os palpites deles sobre política valem qualquer coisa.

O Pirula eu só vejo os vídeos de Biologia, mesmo. Em economia e política ele parece um ignorante, vêm às vezes com um  papo pseudo-progressista que eu tenho asco só  em ouvir.

Se isso não é opinião cheia de preconceitos, eu não sei o que é.
Que eu saiba ele mesmo não é expert em economia ou política, ele parece ser um cidadão comum com conhecimento básico ou superficial sobre esses temas (ele pode ter até mais conhecimento que imagino), e não um erudito que acha que tem domínio sobre política e economia e em vez de ficar só no refuta, deveria mostrar exemplos práticos de suas idéias dando certo a longo prazo e em um território que tenha uma cidade grande.

O El Elyon já rebateu algumas das afirmações de alguns de vocês aqui. Mesmo as que falam de economia-política. Pena que não sou tão afiado quanto ele (pois sou um desses conhecedores básicos e não um expert em economia e política da qual não conheço nada que tenha sido feito na prática desse tal de liberalismo econômico de tal Mises sei lá o quê).

Se acha que Pirula, apesar do seus erros, presta desserviço porque não cria canal que informe melhor sobre isso  pra tirar as pessoas da ignorância? Ou vai lá no canal dele e diz pra ele que isso e aquilo tá errado (como já fiz algumas vezes) em vez de ficar em foruns dizendo que não gosta de certo youtuber A, B, etc só porque isso e aquilo.

Aliás, falando nisso, Pirula tem um vídeo especifico sobre pra saber o que as pessoas não gostam nele:

https://www.youtube.com/v/Eni0bUy1D0c

Eu acompanho o Pirula,  gosto muito dos vídeos dele. Disse que às vezes ele vem com uns papos estranhos, dando alguns deslises, mas o problema está nas fontes que ele procura nessas vezes, que tem aquele ar meio pseudo-progressista. Você já viu o vídeo dele sobre a privatização da Fundação Zoo-Botânica? Ele fala como se  a privatização fosse o fim da Ciência.

Por falar nisso, você já viu os vídeos dele no BlaBláLogia? São muito bons.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 16 de Novembro de 2016, 05:11:03
Já certos youtubers e até mesmo alguns liberais se acham dono da verdade sem nunca ter mostrado nada na pratica das ideias deles serem realizadas, só teoria, e não aceitam que alguem rebata eles, sempre vão dar uma terplica só pra mostrar que são certos.

Dê alguns exemplos aí. Vamos debater aqui.

Opinião anti-Pirula por parte de conseravdores nem precisa mencionar (ou precisa?), já menciona um mais conhecido, Nando Moura, e outros não tão populares.

Já do liberal Gaus sobre Pirula, isso pareceu uma opinião de alguém

Thundercuck é tipo o Pirula da Inglaterra: só porque entendem alguma coisa de biologia acham que os palpites deles sobre política valem qualquer coisa.

O Pirula eu só vejo os vídeos de Biologia, mesmo. Em economia e política ele parece um ignorante, vêm às vezes com um  papo pseudo-progressista que eu tenho asco só  em ouvir.

Se isso não é opinião cheia de preconceitos, eu não sei o que é.
Que eu saiba ele mesmo não é expert em economia ou política, ele parece ser um cidadão comum com conhecimento básico ou superficial sobre esses temas (ele pode ter até mais conhecimento que imagino), e não um erudito que acha que tem domínio sobre política e economia e em vez de ficar só no refuta, deveria mostrar exemplos práticos de suas idéias dando certo a longo prazo e em um território que tenha uma cidade grande.

O El Elyon já rebateu algumas das afirmações de alguns de vocês aqui. Mesmo as que falam de economia-política. Pena que não sou tão afiado quanto ele (pois sou um desses conhecedores básicos e não um expert em economia e política da qual não conheço nada que tenha sido feito na prática desse tal de liberalismo econômico de tal Mises sei lá o quê).

Se acha que Pirula, apesar do seus erros, presta desserviço porque não cria canal que informe melhor sobre isso  pra tirar as pessoas da ignorância? Ou vai lá no canal dele e diz pra ele que isso e aquilo tá errado (como já fiz algumas vezes) em vez de ficar em foruns dizendo que não gosta de certo youtuber A, B, etc só porque isso e aquilo.

Aliás, falando nisso, Pirula tem um vídeo especifico sobre pra saber o que as pessoas não gostam nele:

https://www.youtube.com/v/Eni0bUy1D0c

Eu acompanho o Pirula,  gosto muito dos vídeos dele. Disse que às vezes ele vem com uns papos estranhos, dando alguns deslises, mas o problema está nas fontes que ele procura nessas vezes, que tem aquele ar meio pseudo-progressista. Você já viu o vídeo dele sobre a privatização da Fundação Zoo-Botânica? Ele fala como se  a privatização fosse o fim da Ciência.

Por falar nisso, você já viu os vídeos dele no BlaBláLogia? São muito bons.

Ok, mas é por isso que é possível mandar mensagem pra ele sobre as fontes não confiáveis, dizendo porque não confiável por isso ou aquilo. Ou mais de uma fonte em vez de apenas um só tipo de fonte
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 04 de Dezembro de 2016, 12:07:16


Agora é vez da Italia decidir:

https://www.youtube.com/v/bcEc5oezjHE

https://www.youtube.com/v/OcTRICJaf_I

https://www.youtube.com/v/tf40NDtzDLI
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Jack Carver em 04 de Dezembro de 2016, 23:22:25
Já foi.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 05 de Dezembro de 2016, 01:59:24
É mas a proposta era muito ruim, meio sem pé nem cabeça, muito centralizadora de poder. Daí dizer que a Itália vai sair da UE é outra conversa.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 14 de Dezembro de 2016, 04:47:52

Mais outro exemplo de que até extrema-esquerda pode ser a favor do separatismo, e também ao anti-monarquismo no caso da Catalunha:

https://www.youtube.com/v/ckFGhUQqTLU
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 14 de Dezembro de 2016, 07:56:29
Fala-se sempre dos ditos nacionalismos que parece quererem atingir a União Europeia, esquecendo-se que há muitos nacionalismos..., e que o nacionalismo escocês, o nacionalismo catalão, o nacionalismo ucraniano... parecem ser antes pró-U.E.... não há um nacionalismo de sentido único... Aliás, um dos problemas da União Europeia é nada ter feito para desenvolver entre os cidadãos europeus algum tipo de... nacionalismo europeu..., e vai sofrer com isso...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 14 de Dezembro de 2016, 09:36:14
Nacionalismo "europeu" é por definição internacionalismo, e internacionalismo  = globalismo = nova ordem mundial = comunismo = illuminatti = reptilianos
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 14 de Dezembro de 2016, 10:56:15
Nacionalismo "europeu" é por definição internacionalismo, e internacionalismo  = globalismo = nova ordem mundial = comunismo = illuminatti = reptilianos

Tenho dúvidas... Julgo que podem coexistir projetos nacionalistas diferentes e opostos no mesmo espaço. Na URSS formada por diversas nacionalidades era possível um nacionalismo soviético; na Jugoslávia, um nacionalismo jugoslavo; em Espanha, um espanhol; no Reino Unido, etc... Mas no interior desse espaços havia e há outros projetos nacionalistas mais restritos.

O nacionalismo é uma construção política que começa com um projeto nacional que vai ganhando dimensão ou então que aborta... Claro que tem de ter uma base cultural, civilizacional, história comum, etc... A ideia de um projeto nacionalista europeu capaz integrar e superar os nacionalismos locais existiu na mente de alguns..., mas foram largamente superados por projetos exclusivamente baseados em questões económicas e no cidadão individual (a Europa dos cidadãos)... Estas ideias não são suficientemente mobilizadoras...

Isto não quer dizer que um nacionalismo europeu tivesse "pernas para andar"..., mas não foi tentado, não vejo que seja "por definição" internacionalismo, o espírito é diferente pois continua sendo patriótico por assim dizer embora possa ser rejeitado pelo patriotismo mais estrito (curioso: quando entramos na então CEE, cheguei a ver um folheto oficial dizendo "a nossa pátria é a Europa"..., o que me deixou de boca aberta...).
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 14 de Dezembro de 2016, 13:11:32
Os nacionalismos tradicionais tenderão a ser mais fortes. Acho que qualquer supra-nacionalismo/nacionalismo maior tem mesmo que caminhar bem lentamente. As tentativas de acelerar demais isso, em especial se em confronto com os nacionalismos propriamente ditos, deve ajudar a reforçá-los, numa resposta natural de defesa do mais arraigado.

Se não me engano, o próprio "nacionalismo" soviético foi considerado um fracasso por Stalin e/ou outras figuras desse escalão. É mais um "nacionalismo do império russo", e então tenderá a desengatar nos países satélites uma reação nacionalista anti-imperialista.




Acho que, não chegando a ser um "supra-nacionalismo europeu" ainda, mas uma redução do euroceticismo, deverá precisar, além de recuperação econômica, de uma política que acalme aos mais avessos ao acolhimento de refugiados.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 15 de Dezembro de 2016, 04:46:40

https://www.youtube.com/v/7nWG2GS9jM8
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 15 de Dezembro de 2016, 15:15:27
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/theresa-faca-favor-sair-brexit-senta-mesa-do-conselho-europeu-100115

Nem o jantarzinho?... Fica a comer sanduiches... ::)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 28 de Dezembro de 2016, 16:32:46
(http://cdn.cmjornal.pt/images/2016-12/img_818x455$2016_12_28_02_11_05_585624.jpg)

rua Brexit em França...

http://www.cmjornal.pt/insolitos/imprimir/rua-do-brexit-gera-polemica-em-franca
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 07 de Janeiro de 2017, 10:10:30
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/francexit-nao-sera-brexit-assegura-le-pen-107989

Faz toda a diferença...  :hihi:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 08 de Janeiro de 2017, 02:16:06
Citar
Do the people of France support Frexit?

More than 60% of French people view the EU unfavourably, according to the latest research by US think tank Pew Research Center.

Over half of French voters also want their own in/out referendum on EU membership, found another survey by the University of Edinburgh.

If there was a EU referendum in France, 33% would vote to leave, 40% would vote to remain and 22% were undecided, the study found.

French Euroscepticism has been fuelled by the economic troubles of the eurozone crisis and the migrant crisis in Calais and other parts of France.

The National Front has managed to capitalise on general dissatisfaction, fears about immigration and security concerns in the wake of the Paris attacks.

Se ganhar, Le Pen promete lançar o referendo em até 6 meses da sua posse. Se ganhar.

Citar
Under the French election system, the two candidates who win the most votes in the first round of voting will contest a second and decisive round on May 7; unless one candidate gains an overall majority in the first round vote, a scenario which is deemed highly unlikely.

But Mrs Le Pen will have to watch her back: Mr Macron's popularity has skyrocketed in recent months and his chances of winning the presidency have never been higher.

If France's former economy minister Arnaud Montebourg, a fiery left-winger, wins the Socialist primaries - which will be held on January 22 and 29 -, Mr Macron will qualify for the second round of the election with 24 per cent of the vote, beating Mrs Le Pen, who, under this scenario, will win 22 per cent of the vote, the poll reveals.

Mesmo ganhando, as pesquisas indicam que o referendo terá 33% dos votos para aprovação do Frexit. Seria uma derrota desastrosa da direita logo nos primeiros 6 meses de governo. O quadro geral ainda continua nebuloso e não permite arriscar palpites.

http://www.express.co.uk/news/world/751152/french-presidential-election-marine-le-pen-poll-results-macron-fillon-valls
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 08 de Janeiro de 2017, 09:50:17
Se ganhar, Le Pen promete lançar o referendo em até 6 meses da sua posse. Se ganhar.

O sistema eleitoral francês praticamente impede essa eventual vitória...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Diegojaf em 20 de Janeiro de 2017, 14:12:47
Franceses putos...

http://www.lemonde.fr/europe/article/2017/01/17/l-insoutenable-arrogance-de-la-city_5063740_3214.html
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: DDV em 20 de Janeiro de 2017, 20:10:52
Tão começando a postar links em francês e alemão agora como parte corriqueira dos debates. O conhecimento destes idiomas tá disseminado assim no nosso Clube Cético?

O povo aqui tá chique no último.  :hihi:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Shadow em 20 de Janeiro de 2017, 20:58:34
Tão começando a postar links em francês e alemão agora como parte corriqueira dos debates. O conhecimento destes idiomas tá disseminado assim no nosso Clube Cético?

O povo aqui tá chique no último.  :hihi:

Só para você saber, existem outras opiniões contundentes.  Esse cara mata a charada:
http://m.dnevnik.bg/bulgaria/2017/01/20/2903576_telenor_e_podala_signal_za_finansovi_prestupleniia_na
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 20 de Janeiro de 2017, 20:59:23
Se ganhar, Le Pen promete lançar o referendo em até 6 meses da sua posse. Se ganhar.

O sistema eleitoral francês praticamente impede essa eventual vitória...

Teve uma eleição onde Le Pen venceu porque houve ato índice de abstenção de votos.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 21 de Janeiro de 2017, 13:53:25
Se ganhar, Le Pen promete lançar o referendo em até 6 meses da sua posse. Se ganhar.

O sistema eleitoral francês praticamente impede essa eventual vitória...

Teve uma eleição onde Le Pen venceu porque houve ato índice de abstenção de votos.

Presidenciais a duas voltas leva a que todos se juntem em torno do candidato que se opuser a Le Pen (caso ela ganhe a 1ª volta). Le Pen só será a presidente da França se tiver mais de 50% dos votos na 2ª volta ou logo na 1ª volta... O que parece improvável em ambos os casos.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: _Juca_ em 24 de Janeiro de 2017, 12:05:42
Se ganhar, Le Pen promete lançar o referendo em até 6 meses da sua posse. Se ganhar.

O sistema eleitoral francês praticamente impede essa eventual vitória...

Teve uma eleição onde Le Pen venceu porque houve ato índice de abstenção de votos.

Presidenciais a duas voltas leva a que todos se juntem em torno do candidato que se opuser a Le Pen (caso ela ganhe a 1ª volta). Le Pen só será a presidente da França se tiver mais de 50% dos votos na 2ª volta ou logo na 1ª volta... O que parece improvável em ambos os casos.

Pouco importa se Le PEn ganhar ou não, ele é um candidato forte, e tem muitos votos. Não ganha agora, ganha depois, ou ganha de outro jeito. E não tem outro barco melhor pra ninguém pular, a maior parte do mundo está contaminada por esses tipos que ganham cada vez mais relevância.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 24 de Janeiro de 2017, 19:33:21
O Juca "arcanjando" agora com essa de "o Le Pen"? :biglol:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 24 de Janeiro de 2017, 20:14:41
O Juca "arcanjando" agora com essa de "o Le Pen"? :biglol:
:biglol:
....E parece que o pai não está disposto a emprestar o dinheiro que a filha lhe pediu para a campanha eleitoral... É preciso ter mesmo mau feitio... ::)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 25 de Janeiro de 2017, 15:16:05


https://www.youtube.com/v/rGdMvN7sof8
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 07 de Fevereiro de 2017, 18:27:50
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/agora-senhora-may-escocia-rejeita-formalmente-saida-da-ue-120167

(http://st2.depositphotos.com/1482106/6104/i/950/depositphotos_61045561-stock-photo-scotland-and-european-union-flag.jpg)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 07 de Fevereiro de 2017, 18:34:45
Ótima notícia.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 08 de Fevereiro de 2017, 11:25:30
Havia o argumento ou previsão de que a saída do RU da UE não seria ruim só para ele, mas também pela UE perder o RU como influência mais pró-livre-mercado.

É perceptível algum movimento nesse sentido, propostas/vozes mais toscas na UE?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 08 de Fevereiro de 2017, 11:27:31
Para falar a verdade, eu gostei das declarações da May, afirmando que o RU se abriria mais ao livre comércio, citando inclusive o Brasil.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 10 de Fevereiro de 2017, 07:20:57
http://www.jn.pt/mundo/videos/interior/assobiam-e-murmuram-o-hino-da-uniao-europeia-na-votacao-do-brexit-5657962.html

Sempre interessante ver nacionalismos contrariarem os preconceitos incrustados em mentes pouco elásticas...   
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: _Juca_ em 10 de Fevereiro de 2017, 10:42:44
O Juca "arcanjando" agora com essa de "o Le Pen"? :biglol:

Só estou sendo realista.

http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,55-dos-europeus-quer-veto-a-muculmanos-similar-ao-de-trump-diz-pesquisa,70001659814
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 15 de Fevereiro de 2017, 18:41:55
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/brexit-ja-comecou-trabalhadores-europeus-estao-a-abandonar-o-reino-unido-123154

Bye Bye....
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 15 de Fevereiro de 2017, 20:12:47
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/brexit-ja-comecou-trabalhadores-europeus-estao-a-abandonar-o-reino-unido-123154

Bye Bye....

50 mil de 2,3 milhões, ou 2%, pouco!
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Geotecton em 15 de Fevereiro de 2017, 20:43:37
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/brexit-ja-comecou-trabalhadores-europeus-estao-a-abandonar-o-reino-unido-123154

Bye Bye....

50 mil de 2,3 milhões, ou 2%, pouco!

Pode ser apenas o começo.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 15 de Fevereiro de 2017, 21:13:05
Fico curioso quanto aos efeitos econômicos mais imediatos de manobras parecidas, anteriores, se tiver havido.

Será que os desempregados locais já estão ocupando essas vagas, que seria mais ou menos o que os brexitistas esperariam?

Ou a redução populacional, e conseqüente encolhimento também da demanda, acaba não deixando as coisas tão prorcionais, sem os locais ocuparem os empregos que os imigrantes "roubaram"?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Shadow em 16 de Fevereiro de 2017, 07:57:10
Fico curioso quanto aos efeitos econômicos mais imediatos de manobras parecidas, anteriores, se tiver havido.

Será que os desempregados locais já estão ocupando essas vagas, que seria mais ou menos o que os brexitistas esperariam?

Ou a redução populacional, e conseqüente encolhimento também da demanda, acaba não deixando as coisas tão prorcionais, sem os locais ocuparem os empregos que os imigrantes "roubaram"?

Seria a economia inglesa tão dependente do mercado interno?

Não deixa de ser curioso. Os primeiros passos da União Europeia foram certeiros. União Econômica. Quando a coisa caminhou para o lado de uma união realmente mais profunda, o bolo começou a desandar. Teriam os artífices desconsiderado questões locais, nacionais? Os passos deveriam ter sido mais lentos?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 16 de Fevereiro de 2017, 12:50:09
Mesmo alguns economistas não-heterodoxos questionam o Euro.

https://en.wikipedia.org/wiki/Euro#Criticism
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Lorentz em 16 de Fevereiro de 2017, 13:01:54
O Marco Villa fez uma crítica dura contra o euro, dizendo que a moeda forçou os países da UE a seguir o ritmo alemão, e muitos não tinham a estrutura ou cultura e acabam quebrando.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Shadow em 16 de Fevereiro de 2017, 13:07:24
Mesmo alguns economistas não-heterodoxos questionam o Euro.

https://en.wikipedia.org/wiki/Euro#Criticism

Não conheço economia o suficiente para comentar. Gosto da ideia do Euro por meio que vincular a economia de nações historicamente inimigas. É um fator de estabilização.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Geotecton em 16 de Fevereiro de 2017, 13:18:55
O Marco Villa fez uma crítica dura contra o euro, dizendo que a moeda forçou os países da UE a seguir o ritmo alemão, e muitos não tinham a estrutura ou cultura e acabam quebrando.

Então é simples: paguem o que devem e caiam fora da zona do euro.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 16 de Fevereiro de 2017, 13:31:07
Também não posso opinar com qualquer embasamento significativo. Acho que talvez alguns mais heterodoxos mas não ainda não defensores de padrão ouro (ou padrão-bitcoin?) diriam que talvez se pudesse ter ambas as moedas, a européia e as locais.

Talvez assim houvesse algumas das vantagens do euro, como agilizar em não ter que ficar trocando de moeda o tempo todo, sem perder também a adequação do valor da moeda à economia local... sei lá.

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 01 de Março de 2017, 16:57:10
http://rr.sapo.pt/noticia/77332/brexit_sofre_reves_lordes_britanicos_defendem_direitos_dos_cidadaos_europeus?utm_source=rss

Apesar dos preconceitos "populares"... Lordes são lordes... 8-)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 02 de Março de 2017, 21:07:01
Alívio...Marine Le Pen pode ser afastada da corrida presidencial na França.

A esperança agora é que Tony Blair consiga ser ouvido.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 03 de Março de 2017, 04:50:56
Primeiro François Fillon, depois Marie le Pen..., parece que tudo vale para a "necessidade" de se evitar que o povo "se engane" nas eleições presidenciais... Talvez até poupar nos gastos da votação e entronizar já Emmanuel Macron  :idea:... Bruxelas ficaria descansada... votações e referendos nacionais não passam de "incómodos" para essa "vanguarda operária" (lapso)... "vanguarda burocrática". :umm:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 03 de Março de 2017, 06:45:19
O jeito é Obama pra presidente da França!

Citar
(http://ichef-1.bbci.co.uk/news/660/cpsprodpb/13B25/production/_94877608_b1ad1509-694a-471e-a52a-413c91e4deba.jpg)
The four organisers of the Obama17 campaign say they want to remain anonymous to keep the focus on their message


An online petition urging Barack Obama to stand in the French election has attracted more than 42,000 supporters.

http://www.bbc.com/news/world-europe-39116133
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Shadow em 03 de Março de 2017, 08:03:01
O jeito é Obama pra presidente da França!

Citar
(http://ichef-1.bbci.co.uk/news/660/cpsprodpb/13B25/production/_94877608_b1ad1509-694a-471e-a52a-413c91e4deba.jpg)
The four organisers of the Obama17 campaign say they want to remain anonymous to keep the focus on their message


An online petition urging Barack Obama to stand in the French election has attracted more than 42,000 supporters.

http://www.bbc.com/news/world-europe-39116133

Rapaz.....como se a França já não estivesse ferrada o suficiente....
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 03 de Março de 2017, 10:31:46
O jeito é Obama pra presidente da França!

Citar
(http://ichef-1.bbci.co.uk/news/660/cpsprodpb/13B25/production/_94877608_b1ad1509-694a-471e-a52a-413c91e4deba.jpg)
The four organisers of the Obama17 campaign say they want to remain anonymous to keep the focus on their message


An online petition urging Barack Obama to stand in the French election has attracted more than 42,000 supporters.

http://www.bbc.com/news/world-europe-39116133

Rapaz.....como se a França já não estivesse ferrada o suficiente....

Não fale isso, Obama foi convertido numa espécie de semi-deus.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Shadow em 03 de Março de 2017, 10:37:53
O jeito é Obama pra presidente da França!

Citar
(http://ichef-1.bbci.co.uk/news/660/cpsprodpb/13B25/production/_94877608_b1ad1509-694a-471e-a52a-413c91e4deba.jpg)
The four organisers of the Obama17 campaign say they want to remain anonymous to keep the focus on their message


An online petition urging Barack Obama to stand in the French election has attracted more than 42,000 supporters.

http://www.bbc.com/news/world-europe-39116133

Rapaz.....como se a França já não estivesse ferrada o suficiente....

Não fale isso, Obama foi convertido numa espécie de semi-deus.

É o José Canjica dos EUA. Aquele, democrático e liberal...
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/10/pintura-biblica-do-ex-presidente-uruguaio-jose-mujica-e-sua-mulher-que-foi-retirada-apos-ordem-de-cima.html

Se é para escolher um democrata me parece que o Bill e o Carter seriam bem mais capazes, dada a opção.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 09 de Março de 2017, 17:43:30
http://expresso.sapo.pt/internacional/2017-03-09-Polonia-Reeleicao-de-Donald-Tusk-significa-que-UE-esta-as-ordens-de-Berlim

Se querem mandar então paguem ... Se não querem, saiam do euro e voltem ao marco e deixem os outros ter uma moeda  menos sobrevalorizada que permita o crescimento da todas as economias europeias...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 09 de Março de 2017, 17:58:38
Realmente, é injusto a Alemanha ficar sustentando países nanicos em termos econômicos como Grécia, Polônia, Portugal, Espanha, Croácia...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 09 de Março de 2017, 18:13:01
Realmente, é injusto a Alemanha ficar sustentando países nanicos em termos econômicos como Grécia, Polônia, Portugal, Espanha, Croácia...

E salvar a sua banca à custa desses países... https://www.publico.pt/2014/05/11/economia/noticia/ajudas-a-portugal-e-grecia-foram-resgates-aos-bancos-alemaes-1635405
http://www.dn.pt/dossiers/tv-e-media/revistas-de-imprensa/noticias/interior/ajuda-a-portugal-e-grecia-foi-pensada-para-salvar-bancos-3856276.html

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/euro-as-dores-de-crescimento-da-moeda-unica-128775
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Geotecton em 09 de Março de 2017, 21:31:56
Realmente, é injusto a Alemanha ficar sustentando países nanicos em termos econômicos como Grécia, Polônia, Portugal, Espanha, Croácia...

E salvar a sua banca à custa desses países... https://www.publico.pt/2014/05/11/economia/noticia/ajudas-a-portugal-e-grecia-foram-resgates-aos-bancos-alemaes-1635405
http://www.dn.pt/dossiers/tv-e-media/revistas-de-imprensa/noticias/interior/ajuda-a-portugal-e-grecia-foi-pensada-para-salvar-bancos-3856276.html

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/euro-as-dores-de-crescimento-da-moeda-unica-128775

Sim, os governos erraram em ajudar os bancos que emprestarem dinheiro. Estes deveriam arcar com as consequências de emprestar dinheiro sem garantias para países economicamente nanicos.

Mas, ainda assim, a responsabilidade primária continua sendo dos governos destes países 'anões', que aumentaram gastos cujo retorno ficou próximo do zero.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Lorentz em 09 de Março de 2017, 21:42:36
Reclamam que não conseguem arcar com as dívidas. Mas não reclamaram quando pegaram o dinheiro emprestado, sem fazer nada para garantir o pagamento.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Geotecton em 09 de Março de 2017, 21:48:10
Se querem mandar então paguem...

Eles já pagam.

E caro para levar um bando de países incompetentes.


Se não querem, saiam do euro e voltem ao marco e deixem os outros ter uma moeda  menos sobrevalorizada que permita o crescimento da todas as economias europeias...

Se a Alemanha sair a França vai junto e acaba o euro.

E os países anões afundam de vez...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 10 de Março de 2017, 16:26:33
http://observador.pt/2016/12/14/alemanha-devia-sair-da-zona-euro-defende-empresario-roland-berger/

Ou sair... ou... os alemães têm de se decidir... Bons a fazer dinheiro, mas maus em política como é hábito... Também é verdade que só conseguiram ser um país em 1871... Ainda não se sabe bem o que realmente querem ...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Geotecton em 10 de Março de 2017, 16:39:44
http://observador.pt/2016/12/14/alemanha-devia-sair-da-zona-euro-defende-empresario-roland-berger/

Ou sair... ou... os alemães têm de se decidir... Bons a fazer dinheiro, mas maus em política como é hábito... Também é verdade que só conseguiram ser um país em 1871... Ainda não se sabe bem o que realmente querem ...

Eu acho que eles querem é deixar de carregar países perdulários, corruptos e inaptos economicamente.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Geotecton em 10 de Março de 2017, 16:41:36
E não entendi o comentário jocoso sobre eles terem constituído um país unificado apenas em 1871.

Portugal é um país muito mais antigo mas não tem um átimo da importância da Alemanha.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 11 de Março de 2017, 08:11:51
http://www.portugalglobal.pt/PT/PortugalNews/RevistaImprensaNacional/Turismo/Documents/Gertrud%20Hohler_jneg260713.pdf

Os alemães continuam a não saber bem o que querem... desde 1871... (quererem o que não podem não conta).
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 13 de Março de 2017, 20:42:10
http://rr.sapo.pt/noticia/77332/brexit_sofre_reves_lordes_britanicos_defendem_direitos_dos_cidadaos_europeus?utm_source=rss

Apesar dos preconceitos "populares"... Lordes são lordes... 8-)

http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/brexit-deputados-rejeitam-duas-emendas-para-proteger-direitos-dos-europeus

Lordes são lordes... e comuns continuam comuns... :?

e...

 http://expresso.sapo.pt/internacional/2017-03-13-Escocia-quer-novo-referendo-a-independencia-antes-do-Brexit
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 14 de Março de 2017, 00:51:52
https://www.youtube.com/v/3Z1THN5QBPk

Esse aqui tem um caso curioso, de um lado tem até gay nacionalista holandês que votou num de extrema holandês, porque islâmicos homofóbicos teriam discriminado ele mas ao mesmo tempo reclamam de discriminação por serem estrangeiros e islâmicos Citaram caso de Pim Fortuyn ( https://pt.wikipedia.org/wiki/Pim_Fortuyn (https://pt.wikipedia.org/wiki/Pim_Fortuyn) ) um gay de extrema-direita (ou um nacionalista mas em termos culturais e não raciais, como ta definido no Wikipedia) anti-islâmico / anti-imigração (ilegal ou sem controle).

https://www.youtube.com/v/ymrKrhs1ANw

https://www.youtube.com/v/vvnOJ7AJg3M

https://www.youtube.com/v/ZWzWPMBh3oU

https://www.youtube.com/v/SaLkl24lF8E

https://www.youtube.com/v/E2wksIUCFAk
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 15 de Março de 2017, 07:40:42
http://expresso.sapo.pt/revista-de-imprensa/2017-03-15-Vistos-gold-concedidos-a-turcos-dispararam-desde-a-tentativa-de-golpe-de-Estado

Para um país sem um átimo de importância, isto começa a ser incompreensível... russos, chineses, franceses,etc... e agora turcos!!!!...Mas, porque não ficam nos seus grandes e importantes países?... Desconhecem a importância da Grandeza em todo o seu Esplendor?   :?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 15 de Março de 2017, 12:28:57
http://expresso.sapo.pt/revista-de-imprensa/2017-03-15-Vistos-gold-concedidos-a-turcos-dispararam-desde-a-tentativa-de-golpe-de-Estado

Para um país sem um átimo de importância, isto começa a ser incompreensível... russos, chineses, franceses,etc... e agora turcos!!!!...Mas, porque não ficam nos seus grandes e importantes países?... Desconhecem a importância da Grandeza em todo o seu Esplendor?   :?

Sorte de Portugal, mais colaboração dos imigrantes que não tem medo de trabalhar. Fora a contribuição de muitos com mão de obra especializada.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 15 de Março de 2017, 18:11:51
http://expresso.sapo.pt/revista-de-imprensa/2017-03-15-Vistos-gold-concedidos-a-turcos-dispararam-desde-a-tentativa-de-golpe-de-Estado

Para um país sem um átimo de importância, isto começa a ser incompreensível... russos, chineses, franceses,etc... e agora turcos!!!!...Mas, porque não ficam nos seus grandes e importantes países?... Desconhecem a importância da Grandeza em todo o seu Esplendor?   :?

Sorte de Portugal, mais colaboração dos imigrantes que não tem medo de trabalhar. Fora a contribuição de muitos com mão de obra especializada.

Só que os Vistos Gold estão a ser aplicados praticamente em exclusivo a quem compra casas de habitação de valor igual ou superior a 500 milhões de euros... beneficiando de amplo benefício fiscal... Parece terem pouco a ver com mão de obra especializada ou sequer com trabalho...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 15 de Março de 2017, 21:11:51
Ops...foi mal!

Bom mesmo foi a extrema direita holandesa se dar mal hoje!
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: JJ em 15 de Março de 2017, 21:38:25
http://expresso.sapo.pt/revista-de-imprensa/2017-03-15-Vistos-gold-concedidos-a-turcos-dispararam-desde-a-tentativa-de-golpe-de-Estado

Para um país sem um átimo de importância, isto começa a ser incompreensível... russos, chineses, franceses,etc... e agora turcos!!!!...Mas, porque não ficam nos seus grandes e importantes países?... Desconhecem a importância da Grandeza em todo o seu Esplendor?   :?

Sorte de Portugal, mais colaboração dos imigrantes que não tem medo de trabalhar. Fora a contribuição de muitos com mão de obra especializada.

Só que os Vistos Gold estão a ser aplicados praticamente em exclusivo a quem compra casas de habitação de valor igual ou superior a 500 milhões de euros... beneficiando de amplo benefício fiscal... Parece terem pouco a ver com mão de obra especializada ou sequer com trabalho...


Casas de habitação de valor igual ou superior a 500 milhões de euros ???????

Mas nem o Bill Gates tem uma casa de 500 milhões de euros.  Se não me engano a casa dele vale cerca de 50 milhões de dólares, o que dá cerca de 46,5 milhões de euros.



Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: JJ em 15 de Março de 2017, 21:49:14


Com três milhões de libras (que dá cerca de 3,42 milhões de euros), dá para comprar um dos mais caros castelos a venda na Europa:


"Entre os mais caros, está o castelo de Caverswall em Staffordshire, condado de West Midlands, na Inglaterra. Remonta ao início do século XVII e é composto por sete luxuosas suítes, seis quartos e 13 banheiros. Custa cerca de três milhões de libras."


http://br.luxuryestate.com/blog/2014/05/os-dez-castelos-mais-belos-que-estao-venda-na-europa/



Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: JJ em 15 de Março de 2017, 21:58:43


Tá aí uma coisa que eu não tinha pensado.  Gostei da arquitetura. Até que não está tão caro. Acho que vou comprar um castelo logo que tiver  essa grana sobrando.


 :histeria:



Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: JJ em 15 de Março de 2017, 22:05:29


Não tinha visto esse :

"Pela ‘bagatela’ de 16 milhões de euros é possível comprar um dos castelos mais antigos e bonitos do mercado, localizado na Itália, perto de Florença. A estrutura do Castello di Impruneta remonta a antes do ano 1000, mas, ao longo dos anos, passou por várias reformas."

http://br.luxuryestate.com/blog/2014/05/os-dez-castelos-mais-belos-que-estao-venda-na-europa/


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: JJ em 15 de Março de 2017, 22:06:13


Vou ter que economizar um pouco mais.

Ou então vou vender o meu Bugatti Veyron Supersport, e financio o restante.


http://top10mais.org/top-10-carros-mais-caros-do-mundo-2012/


 :histeria:

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 16 de Março de 2017, 09:01:12
http://expresso.sapo.pt/revista-de-imprensa/2017-03-15-Vistos-gold-concedidos-a-turcos-dispararam-desde-a-tentativa-de-golpe-de-Estado

Para um país sem um átimo de importância, isto começa a ser incompreensível... russos, chineses, franceses,etc... e agora turcos!!!!...Mas, porque não ficam nos seus grandes e importantes países?... Desconhecem a importância da Grandeza em todo o seu Esplendor?   :?

Sorte de Portugal, mais colaboração dos imigrantes que não tem medo de trabalhar. Fora a contribuição de muitos com mão de obra especializada.

Só que os Vistos Gold estão a ser aplicados praticamente em exclusivo a quem compra casas de habitação de valor igual ou superior a 500 milhões de euros... beneficiando de amplo benefício fiscal... Parece terem pouco a ver com mão de obra especializada ou sequer com trabalho...


Casas de habitação de valor igual ou superior a 500 milhões de euros ???????

Mas nem o Bill Gates tem uma casa de 500 milhões de euros.  Se não me engano a casa dele vale cerca de 50 milhões de dólares, o que dá cerca de 46,5 milhões de euros.

Disparate meu... são, evidentemente, casas de 500 mil euros (500.000), meio milhão. :vergonha:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Shadow em 16 de Março de 2017, 09:17:04
http://expresso.sapo.pt/revista-de-imprensa/2017-03-15-Vistos-gold-concedidos-a-turcos-dispararam-desde-a-tentativa-de-golpe-de-Estado

Para um país sem um átimo de importância, isto começa a ser incompreensível... russos, chineses, franceses,etc... e agora turcos!!!!...Mas, porque não ficam nos seus grandes e importantes países?... Desconhecem a importância da Grandeza em todo o seu Esplendor?   :?

Sorte de Portugal, mais colaboração dos imigrantes que não tem medo de trabalhar. Fora a contribuição de muitos com mão de obra especializada.

Só que os Vistos Gold estão a ser aplicados praticamente em exclusivo a quem compra casas de habitação de valor igual ou superior a 500 milhões de euros... beneficiando de amplo benefício fiscal... Parece terem pouco a ver com mão de obra especializada ou sequer com trabalho...


Casas de habitação de valor igual ou superior a 500 milhões de euros ???????

Mas nem o Bill Gates tem uma casa de 500 milhões de euros.  Se não me engano a casa dele vale cerca de 50 milhões de dólares, o que dá cerca de 46,5 milhões de euros.

Disparate meu... são, evidentemente, casas de 500 mil euros (500.000), meio milhão. :vergonha:

É um valor razoável. Tenho dito aos amigos que podem bancar que é prudente adquirir imóveis nesse valor fora desse triste vale de lágrimas em que vivemos....
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 17 de Março de 2017, 18:26:08


https://www.youtube.com/v/TlXE1rU_PXg


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 20 de Março de 2017, 13:19:13


https://www.youtube.com/v/TlXE1rU_PXg





Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 21 de Março de 2017, 13:22:47
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/bye-bye-londres-grandes-bancos-preparam-se-para-deixar-o-reino-unido-135762

Grandes bancos, bye-bye Londres?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 21 de Março de 2017, 19:48:43
http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/portugal-pede-afastamento-de-presidente-do-eurogrupo-jeroen-djisselbloem

Maldito pirata holandês! Ainda por cima parece que acabam de desviar uma carta armadilhada que lhe poderia chocalhar o miolo!!!!
  :twisted:
http://www.jornaldenegocios.pt/economia/europa/uniao-europeia/detalhe/-carta-armadilhada-enviada-para-dijsselbloem-foi-interceptada-pela-policia

A bem da Europa, haja algumas raças europeias que se interessam por copos e por mulheres :!: :!: :!: :!: :!: :!: :!: :

(manobra de desvio de atenções da continuada reação turca contra os políticos holandeses) |(
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 21 de Março de 2017, 20:23:36
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/bye-bye-londres-grandes-bancos-preparam-se-para-deixar-o-reino-unido-135762

Grandes bancos, bye-bye Londres?

Enquanto isso o Euro cai em relação à Libra...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 23 de Março de 2017, 17:07:02
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/60-mil-milhoes-de-euros-bruxelas-estima-pela-primeira-vez-fatura-do-brexit-137246

Parece que há uma fatura...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 25 de Março de 2017, 15:38:48

https://www.youtube.com/v/NJrmL1LOT1g

https://www.youtube.com/v/ck2ytdvcMBQ


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 28 de Março de 2017, 13:42:42
Escócia - referendo ao vivo

https://www.youtube.com/v/Z-PSVcpyRYE
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 28 de Março de 2017, 18:05:02
E com a aprovação do novo referendo pela Escócia, a libra esterlina tomou um tombo hoje...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 29 de Março de 2017, 18:51:58
http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/o-longo-caminho-do-brexit-comeca-hoje-e-nao-se-sabe-quando-nem-como-terminara

Dia 1...

http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/leia-na-integra-a-carta-que-hoje-entrou-para-os-registos-da-historia-da-europa

A carta...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 01 de Abril de 2017, 05:11:34


Talvez seja hora da França dar um Guixit pra Guiana francesa terem independencia (no sentido inverso, em vez da Guiana pedir a França dar sem guianeses quererem), pois dá impressão de que eles querem depender dos franceses pra tudo, como se França tivesse que bancar eles em tudo sem saberem se vira por conta própria:

https://www.youtube.com/v/sxowZRYRGNA
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: JJ em 01 de Abril de 2017, 09:46:57


Talvez seja hora da França dar um Guixit pra Guiana francesa terem independencia (no sentido inverso, em vez da Guiana pedir a França dar sem guianeses quererem), pois dá impressão de que eles querem depender dos franceses pra tudo, como se França tivesse que bancar eles em tudo sem saberem se vira por conta própria:




Mas será que seria realmente vantajoso para os guianeses a independência  ?


A princípio não me parece ser vantajoso.


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 01 de Abril de 2017, 10:19:23


Talvez seja hora da França dar um Guixit pra Guiana francesa terem independencia (no sentido inverso, em vez da Guiana pedir a França dar sem guianeses quererem), pois dá impressão de que eles querem depender dos franceses pra tudo, como se França tivesse que bancar eles em tudo sem saberem se vira por conta própria:




Mas será que seria realmente vantajoso para os guianeses a independência  ?


A princípio não me parece ser vantajoso.

Por isso eu postei independencia inversa , a França dar ou se tornar independente da Guiana (independencia partindo da França e nao da Guiana), que parece sugar mais do que dar algum beneficio ou cooperação.


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 01 de Abril de 2017, 11:44:51
http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/governo-hungaro-lanca-campanha-paremos-bruxelas-contra-politicas-europeias

A Hungria resiste...?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: JJ em 01 de Abril de 2017, 11:54:22


Talvez seja hora da França dar um Guixit pra Guiana francesa terem independencia (no sentido inverso, em vez da Guiana pedir a França dar sem guianeses quererem), pois dá impressão de que eles querem depender dos franceses pra tudo, como se França tivesse que bancar eles em tudo sem saberem se vira por conta própria:




Mas será que seria realmente vantajoso para os guianeses a independência  ?


A princípio não me parece ser vantajoso.

Por isso eu postei independencia inversa , a França dar ou se tornar independente da Guiana (independencia partindo da França e nao da Guiana), que parece sugar mais do que dar algum beneficio ou cooperação.


Também não acho vantajoso para França:


Centro Espacial de Kourou


Coordenadas: 5,165° N, 52,646° W

Base de lançamento da Ariane 5, em Kourou

Centro Espacial de Kourou (em francês Centre spatial guyanais, "Centro espacial guianense") é o centro de lançamentos da Agência Espacial Europeia, localizado na Guiana Francesa, na localidade de Kourou.

É beneficiado por estar próximo à Linha do Equador.


https://pt.wikipedia.org/wiki/Centro_Espacial_de_Kourou


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 01 de Abril de 2017, 13:22:41


Talvez seja hora da França dar um Guixit pra Guiana francesa terem independencia (no sentido inverso, em vez da Guiana pedir a França dar sem guianeses quererem), pois dá impressão de que eles querem depender dos franceses pra tudo, como se França tivesse que bancar eles em tudo sem saberem se vira por conta própria:




Mas será que seria realmente vantajoso para os guianeses a independência  ?


A princípio não me parece ser vantajoso.

Por isso eu postei independencia inversa , a França dar ou se tornar independente da Guiana (independencia partindo da França e nao da Guiana), que parece sugar mais do que dar algum beneficio ou cooperação.


Também não acho vantajoso para França:


Centro Espacial de Kourou


Coordenadas: 5,165° N, 52,646° W

Base de lançamento da Ariane 5, em Kourou

Centro Espacial de Kourou (em francês Centre spatial guyanais, "Centro espacial guianense") é o centro de lançamentos da Agência Espacial Europeia, localizado na Guiana Francesa, na localidade de Kourou.

É beneficiado por estar próximo à Linha do Equador.


https://pt.wikipedia.org/wiki/Centro_Espacial_de_Kourou





Também pensei nisso, apesar de eu não ter mencionado.
Mas é só isso mesmo, até onde sei. Pondo na balança, entre prós (produtos primários minerais/agrícolas) e contras (gastos com população que parece sempre esperar que governo francês faça tudo por eles sem eles pelo menos cooperarem ), a França já tem protesto de trabalhadores sobre questão de jornada de trabalho, problema com refugiados, agora essa mais recente com chinês morto por polícia francesa (que eu criei um tópico sobre isso http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=30060 (http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=30060) ) é muita coisa pra dar conta e agora mais essa de guianeses querendo que governo da Françaresolva problemas sociais e violencia na Guiana.










 


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 01 de Abril de 2017, 15:17:02
A Guiana tem estatuto de Départment (estado) da França. A França é um Estado unitário. Então, por ser um Estado Unitário... tem a obrigação de sustentar a Guiana.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 01 de Abril de 2017, 15:29:28
A Guiana tem estatuto de Départment (estado) da França. A França é um Estado unitário. Então, por ser um Estado Unitário... tem a obrigação de sustentar a Guiana.

Mas é curioso falar em ser liberal ser contra assistencialismo estatal mas nesse caso é correto (eticamente falando) um estado ser obrigado a sustentar outro sem a população local saber se virar sem ficar nessa dependência?
Por exemplo: Até onde lembro a Austrália e Canadá ainda são parte da Coroa britânica, mas tem suas autonomias econômicas e a Grã-Bretanha não tem que ficar sustentando esses estados.


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 02 de Abril de 2017, 03:41:14
Citação de: Agnoscetico

Mas é curioso falar em ser liberal ser contra assistencialismo estatal mas nesse caso é correto (eticamente falando) um estado ser obrigado a sustentar outro sem a população local saber se virar sem ficar nessa dependência?
Não estou falando como deve ser, mas sim como as coisas são. Eu particularmente apoio o Federalismo.

Citação de: Agnoscético
Por exemplo: Até onde lembro a Austrália e Canadá ainda são parte da Coroa britânica, mas tem suas autonomias econômicas e a Grã-Bretanha não tem que ficar sustentando esses estados.
São casos diferentes. Esses países não têm o mesmo estatuto que a Guiana tem em relação França (ou seja, de estado constituinte, e sim de comunhão de um Reino, mas com poderes e autonomia completamente separados).
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 02 de Abril de 2017, 04:47:44
Citação de: Agnoscetico

Mas é curioso falar em ser liberal ser contra assistencialismo estatal mas nesse caso é correto (eticamente falando) um estado ser obrigado a sustentar outro sem a população local saber se virar sem ficar nessa dependência?
Não estou falando como deve ser, mas sim como as coisas são. Eu particularmente apoio o Federalismo.

Citação de: Agnoscético
Por exemplo: Até onde lembro a Austrália e Canadá ainda são parte da Coroa britânica, mas tem suas autonomias econômicas e a Grã-Bretanha não tem que ficar sustentando esses estados.
São casos diferentes. Esses países não têm o mesmo estatuto que a Guiana tem em relação França (ou seja, de estado constituinte, e sim de comunhão de um Reino, mas com poderes e autonomia completamente separados).

Entendi
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 02 de Abril de 2017, 08:49:58
http://rr.sapo.pt/noticia/80106/espanha_abre_a_porta_a_adesao_da_escocia_a_uniao_europeia?utm_source=rss

Importante...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 03 de Abril de 2017, 11:19:03
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/brexit-afeta-gibraltar-reino-unido-e-espanha-de-costas-voltadas-141554

Gibraltar...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 04 de Abril de 2017, 15:10:40
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/soberania-espanhola-gibraltinos-preferem-passar-fome-142327?utm_medium=Push%20Notificiation&utm_source=OneSignal&utm_campaign=OneSignal

Percebo-os perfeitamente...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 07 de Abril de 2017, 03:39:59
Sobre separatismo regional barsileiro acei isso por acaso:

Separatismo!

https://adrenaline.uol.com.br/forum/threads/separatismo.176778/page-3 (https://adrenaline.uol.com.br/forum/threads/separatismo.176778/page-3)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pregador em 07 de Abril de 2017, 17:00:27
Se a França não quer, a gente poderia reanexar a Guiana Francesa. Seria mais uma Roraima, mas sem demarcações indígenas em 80% do território...

Sobre a Escócia, acho que agora vai. Acredito que a independência vai vencer e eles farão parte da União Europeia. Fico curioso só se eles vão restaurar a monarquia e teremos um rei ou raínha da Escócia. Acho que vão coroar alguém sim, do contrário, todos os nobres perderão os títulos numa república.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 08 de Abril de 2017, 10:30:36
Se a França não quer, a gente poderia reanexar a Guiana Francesa. Seria mais uma Roraima, mas sem demarcações indígenas em 80% do território...

Sobre a Escócia, acho que agora vai. Acredito que a independência vai vencer e eles farão parte da União Europeia. Fico curioso só se eles vão restaurar a monarquia e teremos um rei ou raínha da Escócia. Acho que vão coroar alguém sim, do contrário, todos os nobres perderão os títulos numa república.

Mas aí ia vir o pacote de problemas (população com problemas sociais incluído). Já temos muitas Guianas aqui pra resolver.





Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 08 de Abril de 2017, 11:38:35


Nesses vídeos (1,2 e 3) respectivamente falam sobre problemas na Guiana Francesa. Nos dois primeiros fala do problema atual , no último, o depoimento de um brasileiro que mora lá e fala de muitos problemas lá (de criminalidade, transportes, serviços médicos, etc.) - pela descrição ele descreveu um país de quarto mundo a nível de países muito pobres da África:

https://www.youtube.com/v/qTUjQvFTJds

https://www.youtube.com/v/wHiRz_wFriI

https://www.youtube.com/v/T_XfoOVIYw8
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 14 de Abril de 2017, 16:59:54
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/bruxelas-tem-um-plano-b-para-o-brexit-tratar-o-reino-unido-como-a-noruega-146797

A exemplo da Noruega...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: DDV em 14 de Abril de 2017, 17:30:23
Fico curioso só se eles vão restaurar a monarquia e teremos um rei ou raínha da Escócia. Acho que vão coroar alguém sim, do contrário, todos os nobres perderão os títulos numa república.

A rainha continuaria sendo a atual. Eles só teriam parlamento e primeiro-ministro próprios. Seriam como Canadá e Austrália.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 14 de Abril de 2017, 18:58:09
Acabei descobrindo que Guiana Francesa tem um movimento que quer independência. E pelo que andei vendo são os franceses que nao querem dar independência por causa do , recursos naturais (ouro, etc) e da base de Korou - única região que eles teriam desenvolvido deixando resto da Guiana de lado em investimentos.

http://www.mdes.org (http://www.mdes.org)



Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 17 de Abril de 2017, 06:06:33
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/macron-avisa-que-excedente-comercial-alemao-prejudica-a-zona-euro-147029

Responsabilidades da Alemanha um pouco esquecidas... Há acordos na U.E. sobre limitação do superavit de cada país e não apenas sobre o deficit de cada país, até porque estão interligados. Só que os primeiros estão "esquecidos".

https://www.pressreader.com/brazil/valor-econ%C3%B4mico/20131114/281745562156785
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Skorpios em 18 de Abril de 2017, 08:41:50
Citar
Premiê britânica anuncia eleições antecipadas (http://www.dw.com/pt-br/premi%C3%AA-brit%C3%A2nica-anuncia-elei%C3%A7%C3%B5es-antecipadas/a-38462235)

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, anunciou nesta terça-feira (18/04) que planeja convocar eleições gerais antecipadas no país, a serem realizadas no próximo dia 8 de junho.

"Precisamos de eleições gerais, e precisamos delas agora [...] antes que comecem as conversas detalhadas", disse a premiê, referindo-se a negociações com a União Europeia sobre o Brexit – saída do Reino Unido do bloco. Ela anunciou que o pleito é necessário para assegurar "a liderança forte e estável de que o país precisa".

Segundo a primeira-ministra, desde que os britânicos votaram pelo Brexit em referendo em junho passado, a população se uniu, mas os políticos, não. Ela afirmou que os partidos de oposição podem influenciar negativamente as negociações sobre os termos do divórcio do bloco europeu.

"Uma divisão em Westminster colocará em risco a capacidade do Reino Unido de fazer do Brexit um sucesso", disse.

O Partido Conservador de May aparece bem à frente do Partido Trabalhista em pesquisas de opinião. Dos eleitores, 50% afirmam que May seria a melhor primeira-ministra, contra 14% a favor de Jeremy Corbyn, líder trabalhista. Uma vitória fortaleceria a premiê antes das negociações com a UE.

May, que foi nomeada primeira-ministra após o país decidir pelo Brexit, afirmou que pedirá nesta quarta-feira à Câmara dos Comuns que apoie o pleito antecipado. De acordo com a legislação britânica, a primeira-ministra pode convocar uma eleição se dois terços dos parlamentares votarem a favor.

O líder do Partido Trabalhista, a principal legenda da oposição, já afirmou que apoiaria a convocação. As próximas eleições gerais deveriam ser realizadas somente em 2020.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 18 de Abril de 2017, 08:53:24
Finalmente o Iluminati achou um caminho para interferir no Brexit.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 18 de Abril de 2017, 20:23:09
E a libra esterlina animadíssima depois dessa surpresa, valorizou com força em relação às outras moedas.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 26 de Abril de 2017, 06:39:23
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/sao-muito-ricos-nao-trabalham-muito-e-vivem-no-pais-mais-feliz-do-mundo-sabe-quem-sao-149625?utm_medium=Push%20Notificiation&utm_source=OneSignal&utm_campaign=OneSignal

Afinal estes nórdicos não são o exemplo por excelência para o Sul "dos copos e mulheres"?... :olheira:

Felizes sem longos dias luminosos, quentes, ensolarados?  :?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 26 de Abril de 2017, 17:09:30
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/sao-muito-ricos-nao-trabalham-muito-e-vivem-no-pais-mais-feliz-do-mundo-sabe-quem-sao-149625?utm_medium=Push%20Notificiation&utm_source=OneSignal&utm_campaign=OneSignal

Afinal estes nórdicos não são o exemplo por excelência para o Sul "dos copos e mulheres"?... :olheira:

Felizes sem longos dias luminosos, quentes, ensolarados?  :?

Faz tempo que não creio nesse mito de paises tropicais sao mais felizes. Isso é uma compensação psicologica pra aliviar os não-brancos e pobres do terceiro mundo, fazeno parecer que lá eles sao tristes. Uma pesquisa um tempo desse deu resultado que país mais feliz do mundo era Dinamarca e mais infeliz o Zimbabue. Essas pesquisas parecem subjetivas mas se estimativa tiver certa só comprova que "felicidade tropical" é mais mito do que verdade.





 
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 26 de Abril de 2017, 18:23:58
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/sao-muito-ricos-nao-trabalham-muito-e-vivem-no-pais-mais-feliz-do-mundo-sabe-quem-sao-149625?utm_medium=Push%20Notificiation&utm_source=OneSignal&utm_campaign=OneSignal

Afinal estes nórdicos não são o exemplo por excelência para o Sul "dos copos e mulheres"?... :olheira:

Felizes sem longos dias luminosos, quentes, ensolarados?  :?
Só tem vagabundo na Noruega?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 28 de Abril de 2017, 00:50:08

https://www.youtube.com/v/nUKKU5oHWf4
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 28 de Abril de 2017, 13:44:33
http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/brexit-lideres-da-ue-vao-discutir-adesao-automatica-de-uma-irlanda-unida

Extremamente provocador...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 08 de Maio de 2017, 15:23:00
https://www.dinheirovivo.pt/internacional/brexit-mais-de-um-quarto-das-empresas-fogem-de-londres/?utm_source=Push&utm_medium=Web

É de fugir?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: André Luiz em 08 de Maio de 2017, 17:43:58
Nao sei se já foi comentado aqui mas tem uma treta forte entre Grécia e Macedônia pelo o nome do país.

Os gregos alegam que essa galera não são helenos e sim eslavos e que Macedônia é um nome da herança cultural grega.

* Engraçado é que no mundo antigo os macedônios eram considerados por eles gregos de segunda divisão
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 08 de Maio de 2017, 20:07:11
Nao sei se já foi comentado aqui mas tem uma treta forte entre Grécia e Macedônia pelo o nome do país.

Os gregos alegam que essa galera não são helenos e sim eslavos e que Macedônia é um nome da herança cultural grega.

* Engraçado é que no mundo antigo os macedônios eram considerados por eles gregos de segunda divisão


A 14 de Março de 2008, estive em Aegae, (atual Vergina) primeira capital da antiga Macedónia, em visita aos túmulos de Filipe II, pai de Alexandre Magno, e do rei Arrídeo, meio-irmão de Alexandre. É bem próximo de Salónica e terra da Grécia... Talvez por isso a dificuldade grega em prescindir da Macedónia como sua herança cultural.

(http://operamundi.uol.com.br/media/images/vergina%201.jpg)
(https://travel.greecel.com/wp-content/uploads/2016/12/vergina-royal-tombs-philipII-kingbox-macedonia-greece-europe-cel-tours.jpg?lang=pt)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 08 de Maio de 2017, 21:03:01
Mas nesse caso do video ai, parece que é problema entre Macedônios e albaneses (minoria etnica lá).

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 09 de Maio de 2017, 08:15:42
Mas nesse caso do video ai, parece que é problema entre Macedônios e albaneses (minoria etnica lá).

Sim, são questões bem diferentes... No video, talvez os autodenominados macedónios se lembrem da questão do Kosovo e de como albaneses arrancaram um pedaço da Sérvia...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 17 de Maio de 2017, 07:21:07
A dita excelência dos países nórdicos...

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/fraude-fiscal-de-135-mil-milhoes-desencadeia-investigacao-na-dinamarca-159600


Surpreendido mais pelas deficiências de organização do Estado do que pelas políticas fiscais...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Lorentz em 17 de Maio de 2017, 08:36:56
A dita excelência dos países nórdicos...

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/fraude-fiscal-de-135-mil-milhoes-desencadeia-investigacao-na-dinamarca-159600

Alguém ainda acha que cobrar impostos abusivos para oferecer welfare  é uma boa ideia? É lógico que dói no bolso e a sonegação será inevitável.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 17 de Maio de 2017, 09:24:00
Outra pergunta carregada possível é "quando é que os ricos vão parar de ser ladrões?"

Sem uma fiscalização "perfeita", sempre haverá chance de haver instâncias de desonestidade, independentemente do cobrado ser abusivo ou não.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Lakatos em 17 de Maio de 2017, 17:15:25
Se todos os tributos parassem de ser cobrados, a sonegação imediatamente cairia para zero.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 17 de Maio de 2017, 19:59:34
A cor de anarco-varejista é laranja, sendo preferível em negrito, segundo alguns, para ficar melhor de ler.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 18 de Maio de 2017, 19:29:40
A dita excelência dos países nórdicos...

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/fraude-fiscal-de-135-mil-milhoes-desencadeia-investigacao-na-dinamarca-159600

Alguém ainda acha que cobrar impostos abusivos para oferecer welfare  é uma boa ideia? É lógico que dói no bolso e a sonegação será inevitável.

Apenas uma noticia sobre fraude na Dinamarca e ja tem conclusão negativa sobre Estado de bem-estar social.


Tenho dúvida sobre se não houver imposto como vão ser regidas por exemplo as polícias: se é cada pessoa ou grupo de pessoas (em associação privada) vão ter sua tropa ou exército particular de policiais regidos com leis próprias de seus patrões privados ou coisa assim?
Qual seria o limite desse "privatiza 'tudo' "?







Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Lorentz em 18 de Maio de 2017, 20:11:42
A dita excelência dos países nórdicos...

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/fraude-fiscal-de-135-mil-milhoes-desencadeia-investigacao-na-dinamarca-159600

Alguém ainda acha que cobrar impostos abusivos para oferecer welfare  é uma boa ideia? É lógico que dói no bolso e a sonegação será inevitável.

Apenas uma noticia sobre fraude na Dinamarca e ja tem conclusão negativa sobre Estado de bem-estar social.


Tenho dúvida sobre se não houver imposto como vão ser regidas por exemplo as polícias: se é cada pessoa ou grupo de pessoas (em associação privada) vão ter sua tropa ou exército particular de policiais regidos com leis próprias de seus patrões privados ou coisa assim?
Qual seria o limite desse "privatiza 'tudo' "?









Mas negar o estado de bem estar social é diferente de querer privatizar tudo.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 18 de Maio de 2017, 20:19:17
Pode-se sempre ter um estado que dirija os recursos públicos para atender apenas o que é mais prioritário a uma elite.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 24 de Maio de 2017, 04:22:21


https://www.youtube.com/v/I9KJUFGXTJM
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 01 de Junho de 2017, 01:51:44
https://www.youtube.com/v/FYPy-4nxJ5M

"Tão desconhecida até então que provavelmente teve que ir olhar a própria página na wikipédia quando ouviu falar dela". :histeria:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 08 de Junho de 2017, 18:51:53
Citar
Reino Unido encerra votação; boca de urna indica que conservadores lideram, mas podem perder maioria absoluta (http://g1.globo.com/mundo/noticia/reino-unido-encerra-votacao-boca-de-urna-indica-vantagem-conservadora.ghtml)

(http://s2.glbimg.com/Ama6vDde1PDuFga_Do1sosup7BE=/0x0:1700x1065/600x0/smart/filters:strip_icc()/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2017/06/08/mayecorbyn.jpg)
May e Corbyn votam no Reino Unido

A conservadora Thereza May antecipou as eleições em 2 anos e se deu mal: ganhou as eleições, mas perdeu algumas cadeiras no parlamento, perdeu a maioria absoluta!

O esquerdista Jeremy Corbyn surpreendeu e foi melhor do que jamais alguém imaginaria há dois meses.

E a libra esterlina vai caindo...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 08 de Junho de 2017, 21:03:48
A Thereza May deu um tiro no pé parecido com aquele do referendo do Brexit do Cameron e às vésperas da eleição ainda meteu os pés pelas mãos mexendo no NHS, justamente com a população idosa tradicionalmente conservadora.

Eu acho que não dura. Deve renunciar em breve por "problemas de saúde".
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 08 de Junho de 2017, 21:26:19
Muitas surpresas nas últimas eleições: Brexit, Trump e hoje a vitória com sabor de derrota da May.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 08 de Junho de 2017, 21:56:36
Agora só falta a Escócia.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 08 de Junho de 2017, 23:39:56
Corbyn pede que May renuncie:

Citação de: Jeremy Corbyn
The prime minister called the election because she wanted a mandate. Well the mandate she’s got is lost Conservative seats, lost votes, lost support and lost confidence. I would have thought that is enough for her to go actually ...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 09 de Junho de 2017, 12:22:41
Corbyn está mais a esquerda ou mais ao centro dentro do Partido Trabalhista?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 09 de Junho de 2017, 12:45:36
Mais à esquerda, mas deu uma amenizada no discurso...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 09 de Junho de 2017, 17:21:18
Mais à esquerda, mas deu uma amenizada no discurso...
Lula britânico, então. Ele se deu ao trabalho de escrever uma "Carta ao Povo Britânico",pelo menos?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pasteur em 09 de Junho de 2017, 18:17:28
Mais à esquerda, mas deu uma amenizada no discurso...
Lula britânico, então. Ele se deu ao trabalho de escrever uma "Carta ao Povo Britânico",pelo menos?

Ele prometeu respeitar o Brexit. Mas é esquerdista verdadeiro, coisa que Lula não é. Ganhou até elogio da Cristina Kirchner chamando de amigo da América Latina e esperança de se resolver as Malvinas.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 09 de Junho de 2017, 22:30:25
[...]Mas é esquerdista verdadeiro, coisa que Lula não é.[...]
:lol:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 23 de Junho de 2017, 18:11:11



https://www.youtube.com/v/VTrCPBjdTtE


Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 23 de Junho de 2017, 23:59:55
Imagine a confusão que isso vai dar com postos de fronteira fiscalizando a circulação de pessoas e de mercadorias no meio de dois países que possuem uma história terrível de conflitos. Não vai demorar muito para a Escócia pular fora desse naufrágio promovido pelo Brexit.

Apesar de tudo, as últimas pesquisas mostram que a ficha ainda não caiu para os ingleses que se iludiram com a possibilidade de ter "o controle de volta", vão precisar sentir no bolso o peso dessa decisão idiota. Com o enfraquecimento político de May é possível que a negociação do Brexit seja péssima e sobre apenas a chance de um retorno com o custo de vexame e arrependimento por tantas trapalhadas em nome da "democracia".
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 24 de Junho de 2017, 11:24:10
Eu ainda não consigo entender o porque de o que era apenas "non binding", ou qualquer que tenha sido o termo usado para o referendo nesse sentido, ter sido levado como um comprometimento sob juramento de sangue pelo bebê Jesus, Jesus adulto, e Jesus nas alturas. Faltou só a rainha cavaleirizar Boris Johnson, Nigel Farage, e qualquer outro além desses, confiando-lhes a missão Real de levar adiante The Quest for Brexit.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Muad'Dib em 24 de Junho de 2017, 12:03:49
https://www.theguardian.com/politics/2017/jun/24/andrea-leadsom-patriotic-brexit-coverage-newsnight-eu-negotiations
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 25 de Junho de 2017, 22:00:19
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 26 de Junho de 2017, 20:45:35

Já ia postar esse vídeo, ele apareceu nas indicações do Youtube.

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 26 de Junho de 2017, 21:26:40
Theresa May colocou a mão em outro vespeiro. Ela tem talento para isso. "Comprou" descaradamente o DUP por 1 bilhão de libras basicamente esperando receber apoio ao seu governo de representação minoritária depois do lamentável tiro que deu em seu próprio pé. O que era óvio aconteceu. A Escócia, Wales e partes da Inglaterra abriram o bico dizendo que também querem uma graninha. E assim segue o Reino Unido ladeira abaixo. Se renunciar, entrega o governo de bandeja ao Labour. Sua única saída é ir empurrando o governo de barriga até 2022 fazendo esse jogo barganha de poder. Será que o Conservative consegue chegar até lá?
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 10 de Julho de 2017, 16:09:07
http://pt.euronews.com/2017/07/06/euniao-europeia-deixa-avbiso-ao-reino-unido-sobre-brexit

Acesso ao mercado europeu dificultado...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 12 de Setembro de 2017, 17:06:34
Spain already is another country for many in Catalonia

SABADELL, Spain (AP) — The challenge facing Spain as it moves to stifle the push for independence in its proud and wealthy Catalonia region goes beyond stopping plans by separatist politicians to hold a referendum on secession.

https://www.mail.com/int/news/europe/5502662-spain-country-catalonia.html#.1258-stage-hero1-1 (https://www.mail.com/int/news/europe/5502662-spain-country-catalonia.html#.1258-stage-hero1-1)

Spanish police raids aim to halt Catalan independence vote

BARCELONA, Spain (AP) — A Spanish judge ordered police to search a printer's shop and two offices of a regional newspaper in Catalonia as part of an investigation into alleged preparations for an illegal referendum on independence for the prosperous northeastern region.

https://www.mail.com/int/news/europe/5501440-spanish-police-raids-aim-to-halt-catalan-independe.html#.1258-stage-hero1-2 (https://www.mail.com/int/news/europe/5501440-spanish-police-raids-aim-to-halt-catalan-independe.html#.1258-stage-hero1-2)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 17 de Outubro de 2017, 12:38:14
Aos poucos a ficha vai caindo e o Conservative vai derrentendo.

Citar
The time has come for Theresa May to tell the nation: Brexit can’t be done

Alastair Campbell

As she tries to move the Brexit negotiations forward, how much better would Theresa May and the country feel if the speech she made to her party went as follows.

Citar
“Leadership is about confronting the great challenges. But Brexit is the biggest challenge we have faced since the second world war. So I intend to devote my speech, in four parts, to this alone.

“First, I want to explain why I voted remain – because for all its faults, the European Union has been a force for good in Europe and in the UK. I believed that our future prosperity and security, and opportunities for our young people, would be enhanced by staying in. Second, I want to explain why, nonetheless, I was something of a reluctant remainer. The truth is, there is a lot wrong with the EU. So though I voted remain, I was not starry-eyed. I was determined that, had we won, we would also fight for reform.

She would get resignations, and vitriol by the bucket-load from the Brextremist media
“Third, I want to explain why I have been trying so hard to deliver the Brexit the people voted for. It was a close result. But leave won. I felt strongly that it was my duty to deliver the only Brexit that I believed could meet the demands of the majority of leavers – out of the single market and the customs union, out of the European court of justice.

“But precisely because I have a profound sense of duty, I want to tell you the absolute truth as I see it. It cannot be done. Yes, you can shout. You can storm out. But I have looked at it every which way. And, as your leader, I have concluded that it cannot be done without enormous damage to our economy, to your living standards, to our public services, to our standing in the world. This is damage I am not prepared to inflict. The cost is too high.

“I will publish the legal advice that I have the right to unilaterally revoke article 50, and if you look behind me you will see the backdrop has gone and instead there is onscreen the letter I will be sending to Donald Tusk and the EU 27 heads of government later today.

“I say to Boris, to Michael, to Liam, and to their acolytes, it is decision time. If you feel you don’t wish to listen to the arguments I will make, then you know what you have to do. I am ready for any challenge, confident that finally I will be able to fight for what I believe is the right course for Britain, and confident that once the public have the proper debate we failed to have during the referendum and the election, that my view can prevail in the country.

“The Labour party will also have to make up its mind. Most Labour MPs support the position I am setting out today, though their leadership may need to be persuaded. We may need a general election to settle this. At some point we may need a referendum to reverse the outcome of the first one. I am aware I am launching something here, the course of which is unpredictable. I am prepared to take all the risks attached to that. For I am no longer willing to pretend. I am no longer willing for the delusions of the few to dictate a strategy for the many, when so much is at stake.

“I will also be publishing the sectoral advice papers we have received on the impact of Brexit on all aspects of our national life, so MPs can debate these fully. I know many of you think I might be ill. I feel a lot better now. Because what has been making me ill is the reality of which I have been certain more each day … that Brexit is a disaster, a potential catastrophe for our country. That my duty now is to steer the country to the only sensible decision I can see – a rethink, a change of course: not hard Brexit or soft Brexit, but no Brexit at all.”

Big and bold, I’m sure you will agree. She would get resignations, and vitriol by the bucket-load from the Brextremist media. She might lose her job. Equally, this might be the way to save it. In her Florence speech, May called for more creativity, as though it needed to come from others. This speech is the kind of creativity she needs. It would be the making of her. And most of the country, I am sure, would breathe an enormous sigh of relief.

https://www.theguardian.com/commentisfree/2017/oct/16/theresa-may-brexit-cant-be-done
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 10 de Novembro de 2017, 07:38:57
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/reino-unido-decreta-dia-e-hora-para-concretizacao-do-brexit-231193

A partir das 23h01 de dia 29 de março de 2019, os britânicos não serão mais cidadãos da União Europeia.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 06 de Dezembro de 2017, 14:47:15
http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/londres-admite-que-nao-avaliou-impacto-do-brexit-na-economia-britanica

Talvez seja melhor começar a avaliar...  :umm:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 06 de Dezembro de 2017, 16:39:46
Foi pior do que isso. David Davis mentiu e até enganou Thereza May com um sumário fajuto dos estudos que não foram realizados. Diante desse fiasco o lado europeu disse que fez tais estudos e que estavam disponíveis para a Inglaterra na internet.  :hihi:

Acho que Thereza May, e o Conservative, não duram muito no poder. Está cada vez mais difícil para o povo inglês aguentar suas lambanças.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 13 de Dezembro de 2017, 09:13:43
http://www.sabado.pt/mundo/detalhe/brexit-porque-sera-tao-dificil-a-segunda-fase-de-negociacoes?utm_campaign=Newsletter&utm_content=1498445067&utm_medium=email&utm_source=diaria_ON

Dificuldades nas próximas negociações...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 15 de Dezembro de 2017, 09:29:14
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/preparando-o-reino-unido-para-o-futuro-245093

Reino Unido prepara o futuro..., explica a embaixadora em Portugal.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Pagão em 12 de Janeiro de 2018, 16:17:21
https://www.dn.pt/mundo/interior/pro-brexit-nigel-farrel-evoca-segundo-referendo-no-reino-unido-9039937.html?utm_source=dn.pt&utm_medium=recomendadas&utm_campaign=beforeArticle

Coragem e convicção... Nigel Farrel surpreende.

(https://cdn.images.express.co.uk/img/dynamic/139/590x/UKIP-European-Union-Nigel-Farage-MEP-referendum-Brussels-Douglas-Carswell-582638.jpg)
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 12 de Janeiro de 2018, 21:12:30
Ainda é cedo para um novo referendo. A ficha do povão ainda não caiu e será preciso sofrer um pouco para ver a besteira que fizeram. Por outro lado, até lá o Conservative já derreteu de vez e possivelmente nem será preciso referendo algum.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: JJ em 13 de Janeiro de 2018, 12:08:12
Foi pior do que isso. David Davis mentiu e até enganou Thereza May com um sumário fajuto dos estudos que não foram realizados. Diante desse fiasco o lado europeu disse que fez tais estudos e que estavam disponíveis para a Inglaterra na internet.  :hihi:



 :hihi: :hihi: :hihi: :hihi: :hihi: :hihi: :hihi: :hihi: :hihi: :hihi:
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Agnoscetico em 31 de Janeiro de 2018, 02:30:08
Enquanto isso na Catalunha...




https://www.mail.com/int/news/europe/8241470-fugitive-catalan-chief-seeks-parliament-protection.html#.1258-stage-hero1-3 (https://www.mail.com/int/news/europe/8241470-fugitive-catalan-chief-seeks-parliament-protection.html#.1258-stage-hero1-3)

Fugitive Catalan chief seeks parliament protection for vote
MADRID (AP) — Catalonia's fugitive ex-president, Carles Puigdemont, asked the region's parliament on Monday to guarantee his right to attend a session this week in which he hopes to be re-elected government leader, without being arrested.

(https://i1.mail.com/mcom/394/8235394%2Cpd=1%2Cf=teaser-card-m/.jpg)

(1 of 1) Ousted Catalan leader Carles Puigdemont arrives to address the media after a meeting with the President of the Parliament of Catalonia Roger Torrent in Brussels on Wednesday, Jan. 24, 2018.

January 29, 2018
Spain's Constitutional Court ruled Saturday that Puigdemont, who fled to Belgium following an illegal declaration of independence last October, must be present in parliament to be chosen as the region's chief in Tuesday's session. But a Spanish judge has ordered Puigdemont's arrest on possible rebellion and sedition charges if he re-enters Spain.

The Constitutional Court also said Puigdemont must get court permission to attend the session. Initially, Puigdemont was expected to seek that, but his lawyer said Monday this was unlikely. The lawyer did not rule out Puigdemont's attendance.

The Constitutional Court ruled the session would not be valid if Puigdemont attends without the permit. Should the Catalan parliament governing board approve Puigdemont's request and encourage his attendance without the permit it would set the chamber on course for further clashes with Spain's government and courts.

Puigdemont is just one of more than a dozen lawmakers and civic group leaders already under investigation for rebellion and sedition relating to an independence push that brought Spain's worst political crisis in decades to a head.

The slim majority regained by separatist lawmakers headed by Puigdemont in Dec. 21 elections has kept the crisis very much alive. In Tuesday's session, the parliament speaker has two choices. He can ignore the court and allow a vote with Puigdemont present in person, if he turns up, or by video conference, which has been banned by the tribunal.

Alternatively, he can seek another candidate but that would likely outrage the thousands of pro-independence supporters promising to rally outside the chamber. Polls regularly show most Catalans want the right to decide the region's future, but are evenly divided over splitting from Spain.





https://www.mail.com/int/news/europe/8243510-latest-ex-leader-catalonia-urges-unity-backers.html (https://www.mail.com/int/news/europe/8243510-latest-ex-leader-catalonia-urges-unity-backers.html)

The Latest: Ex-leader of Catalonia urges unity among backers
MADRID (AP) — The Latest on the political crisis in Catalonia (all times local): 9:15 p.m. The former president of Spain's Catalonia region is calling on supporters of Catalan independence to remain united in re-electing him even though he is in Belgium as a fugitive.

(https://i1.mail.com/mcom/488/8243488%2Cpd=1%2Cf=teaser-card-m/.jpg)


(1 of 3) Catalan police officers inspect a car at a check point outside the Catalonian Parliament, in Barcelona, Spain, Tuesday, Jan. 30, 2018. Lawmakers in the Catalan parliament are to hold the first investiture debate to elect a new government for the troubled Spanish region.

January 30, 2018
Carles Puigdemont produced an online video reacting to decision by the Catalan parliament's speaker to postpone indefinitely the assembly's vote on choosing a new regional leader. Puigdemont said his intentions for Catalonia are the same now as they were when Spain removed him from office in October for promoting the region's independence.

The suspension of the parliamentary vote leaves the region's next government in limbo and has exposed divisions among secession supporters. Puigdemont is the only candidate for the top position, but faces jail if he returns to Spain.

Despite the chaotic situation, the 54 year-old politician said "there is no other possible candidate or other possible arithmetic combination" in the regional parliament.

12:00 p.m.

Central authorities in Spain are welcoming the decision to postpone a Catalan parliamentary session intended to re-elect the Spanish region's fugitive former president.

A spokeswoman said pressure applied by the government and the country's top court "have prevented a mockery of our democracy."

The spokeswoman, who declined to be named in news reports citing internal government rules, said "the separatists know that they are obliged to comply with the law like other citizens."

Spain's Constitutional Court ruled ex-president Carles Puigdemont would have to return from Belgium, where he fled to dodge a Spanish court probe over an illegal independence declaration, in order to be re-elected as leader. Puigdemont would also need permission from a judge to attend an investiture session, the top court said.

10:30 a.m.

The speaker of Catalonia's parliament has postponed a session intended to re-elect the Spanish region's fugitive ex-president.

Roger Torrent announced the decision Tuesday, hours before the session he had called to hold a vote authorizing separatist leader Carles Puigdemont to form a government.

The decision comes after Spain's top court had ruled Puigdemont, who faces arrest in Spain, would have to return from Belgium and ask a judge permission to attend the session.

Torrent says he will reconvene the session once Spanish authorities guarantee they "won't interfere" in the election of Puigdemont.

Puigdemont is the focus of an investigation into October's illegal— and unsuccessful— declaration of independence.

10:15 a.m.

Spanish Prime Minister Mariano Rajoy is urging the Catalan parliament not to press ahead with the candidacy of fugitive leader Carles Puigdemont for regional president and instead to opt for a lawmaker free of legal proceedings.

Speaking Tuesday on Spanish National Television hours before the parliament is scheduled to hold an investiture vote for Puigdemont, Rajoy said the parliament speaker will face legal consequences if he disobeys a Constitutional Court order saying Puigdemont can only be voted on if he is physically present and has previously obtained court permission.

Puigdemont faces arrest if he returns to Spain.

Rajoy said the "most sensible" thing for the parliament speaker would be to propose a "clean candidate" who is willing to obey the law and work for the return of normality in Catalonia.

Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Fevereiro de 2018, 16:28:02
https://youtube.com/v/zZyN1d4fy5Y?start=606&end=806

Em meio a um monte de resmungos e caçoadas aleatórias do Pétrovão, ele comenta sobre o estado atual do Brexit.

"I think we understand that the terms on offer are it will be basically a continuation of the status quo although of course the UK
would have left the EU and therefore won't have a vote or seat at the table in future decisions" - Phillip Hammond, ministro das finanças
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 14 de Junho de 2018, 00:51:47
(https://i.guim.co.uk/img/media/14f4ddc24c3c5d6300c8e685d55b361fc53dd8b4/0_0_3260_4157/master/3260.jpg?w=620&q=55&auto=format&usm=12&fit=max&s=e6f2e2ced2f97cdf17160be685e88f38)

Will of the people... :histeria:

Citar
Theresa May has just faced yet another torrid period of Tory revolts over her Brexit strategy. David Davis was on the verge of resignation. Government MPs were publicly rejecting her customs backstop fudge. And Boris Johnson became so exasperated that he was telling his supporters that he wanted Donald Trump to take over the negotiations.

It is now clearer than ever that May will fail to deliver the Brexit deal that Britain needs. She cannot command the confidence of her cabinet, of her party, or of the country. Instead of negotiating for Britain, the prime minister is lurching from crisis to crisis, increasing the risk that the talks break down, and we crash out without an agreement. We cannot go on like this.

There are just four months left before the UK needs to strike a deal on our future relationship with the EU. It will be the most important agreement this country has struck in a generation. People’s jobs, their mortgages and their children’s futures are all at stake. So, with the government in such turmoil, parliament must be prepared to step in and take a more central role.
https://www.theguardian.com/commentisfree/2018/jun/11/brexit-theresa-may-no-deal-amendments-eu-withdrawal-bill
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gigaview em 09 de Julho de 2018, 13:14:30
David Davis e Boris Johnson pedem demissão e deixam Teresa May em situação ainda mais difícil. Deve se mudar logo de Downing Street e o seu partido vai rachar de vez. Corby vem aí...
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 09 de Julho de 2018, 21:35:55
David Davis e Boris Johnson pedem demissão e deixam Teresa May em situação ainda mais difícil. Deve se mudar logo de Downing Street e o seu partido vai rachar de vez. Corby vem aí...
Esse Corbyn não é o Lula britãnico, que comemorou o 11 de setembro e lamentou a morte do Bin Laden? Aliado do Hamas e Hezbollah? Lamento pelos britânicos.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: Gauss em 09 de Julho de 2018, 21:46:19
https://en.wikipedia.org/wiki/Jeremy_Corbyn#Policies_and_views


O cara é pior que o Trump.
Título: Re:'Brexit' ou o Reino Unido separado da União Européia
Enviado por: pehojof em 10 de Julho de 2018, 00:44:01
(https://i.guim.co.uk/img/media/14f4ddc24c3c5d6300c8e685d55b361fc53dd8b4/0_0_3260_4157/master/3260.jpg?w=620&q=55&auto=format&usm=12&fit=max&s=e6f2e2ced2f97cdf17160be685e88f38)

Will of the people... :histeria:

Citar
Theresa May has just faced yet another torrid period of Tory revolts over her Brexit strategy. David Davis was on the verge of resignation. Government MPs were publicly rejecting her customs backstop fudge. And Boris Johnson became so exasperated that he was telling his supporters that he wanted Donald Trump to take over the negotiations.

It is now clearer than ever that May will fail to deliver the Brexit deal that Britain needs. She cannot command the confidence of her cabinet, of her party, or of the country. Instead of negotiating for Britain, the prime minister is lurching from crisis to crisis, increasing the risk that the talks break down, and we crash out without an agreement. We cannot go on like this.

There are just four months left before the UK needs to strike a deal on our future relationship with the EU. It will be the most important agreement this country has struck in a generation. People’s jobs, their mortgages and their children’s futures are all at stake. So, with the government in such turmoil, parliament must be prepared to step in and take a more central role.
https://www.theguardian.com/commentisfree/2018/jun/11/brexit-theresa-may-no-deal-amendments-eu-withdrawal-bill

 :hein:

Talvez eu esteja por fora de algo, mas o povo lá não votou pela saída, pelo brexit? :umm: