Forum Clube Cetico

Discussões => Laicismo, Política e Economia => Tópico iniciado por: Südenbauer em 23 de Outubro de 2005, 13:09:57

Título: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Südenbauer em 23 de Outubro de 2005, 13:09:57
Interessante:
http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/SSI99.htm
Título: Re.: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: n/a em 23 de Outubro de 2005, 14:55:32
Não li inteiro, mas é engraçado como o brasileiro tem confiança que pelo menos as eleições aqui não são fraudadas, são honestas, etc. Quando houver o primeiro escândalo de fraude com essas urnas vai desmoronar tudo.
Título: Re.: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Rodion em 23 de Outubro de 2005, 15:05:59
interessante, mesmo...
ah, tem povo mais ufanista que o nosso?
Título: Re.: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Agnostic em 23 de Outubro de 2005, 17:08:40
Texto muito interessante. O autor defende a urna eletrônica segura como coadjuvante no processo de votação juntamente com a votação por cédulas e não como substituição direta ao voto tradicional, como acontece desde 1996.
Título: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: HSette em 20 de Outubro de 2007, 18:51:45
Citar
Eleitores começarão a ser identificados pelas impressões digitais em 2008
da Folha Online

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) vai promover um cadastro digital de parte do eleitorado brasileiro para as próximas eleições municipais, em 2008. A iniciativa é da Secretaria de Tecnologia da Informação do TSE, que planeja implantar o novo sistema em algumas cidades dos estados de Mato Grosso do Sul, Rondônia e Santa Catarina.

Um sistema biométrico será capaz de identificar o eleitor por meio das digitais dos dedos polegar e indicador. A expectativa do tribunal é implantar o aparelho em todos estados do Brasil no prazo de dez anos.

Segundo o TSE, o principal problema de fraudes em eleições é um eleitor votar no lugar de outro. A partir da implantação do novo sistema, diz o órgão, os problemas de fraudes acabariam.

A previsão do TSE é de que sejam utilizadas, para as eleições municipais de 2008, 25.538 urnas eletrônicas adaptadas com a leitura biométrica de digital, distribuídas nos municípios de Fátima do Sul, no Mato Grosso do Sul; Colorado do Oeste, em Rondônia; e São João Batista, em Santa Catarina.

É um bom passo para diminuir as fraudes. Agora dizer que vai acabar, é pura ilusão.
Já ouvi cada coisa que ocorre nas seções eleitorais de arrepiar os cabelos.  :oba:
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Rodion em 20 de Outubro de 2007, 19:03:13
hm. eu não tenho idéia da freqüência em que acontecem fraudes pra saber se algo assim se justifica ou não. ideal seria se o sistema de impressões digitais cruzasse várias informações, poupando-nos de levar toda a documentação. mas aí seria pedir demais, pelo menor por ora.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Diegojaf em 20 de Outubro de 2007, 20:34:01
Eu trabalhei em 4 eleições como mesário, incluindo a do desarmamento, na minha seção correu tudo de acordo, exceto por uma vez em que um cara do PSDB e outro do PT saíram na porrada dentro da sala porque os dois queriam "ajudar" uma velhinha que não tava conseguindo votar... ::)
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Südenbauer em 20 de Outubro de 2007, 21:20:46
Já ouvi cada coisa que ocorre nas seções eleitorais de arrepiar os cabelos.  :oba:
Conta! Conta! Conta!
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: HSette em 20 de Outubro de 2007, 22:58:17
Já ouvi cada coisa que ocorre nas seções eleitorais de arrepiar os cabelos.  :oba:
Conta! Conta! Conta!

Vai lá, uma delas. Do tempo do voto escrito.
Não presenciei, mas assino embaixo.
O tio de um amigo meu era candidato a prefeito em uma cidade do interior.
Ele (esse amigo meu) era fiscal partidário na seçao.

Encerrada a eleição, chegou um grupo do candidato adversário dizendo que iriam recolher a urna e o restante do material para guardá-la em segurança até o dia seguinte, quando seria iniciada a apuração. E assim fizeram.

Contestados, mostraram armas de fogo, e levaram mesmo o material.
De fato entregaram a urna, e outras que recolheram em outras seções, no dia seguinte.
Quando contaram os votos, a diferença de votos era algo de totalmente anormal, tipo 9 x 1. Um massacre.
E assim ficou.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 20 de Outubro de 2007, 23:35:42
Já ouvi cada coisa que ocorre nas seções eleitorais de arrepiar os cabelos.  :oba:
Conta! Conta! Conta!

Vai lá, uma delas. Do tempo do voto escrito.
Não presenciei, mas assino embaixo.
O tio de um amigo meu era candidato a prefeito em uma cidade do interior.
Ele (esse amigo meu) era fiscal partidário na seçao.

Encerrada a eleição, chegou um grupo do candidato adversário dizendo que iriam recolher a urna e o restante do material para guardá-la em segurança até o dia seguinte, quando seria iniciada a apuração. E assim fizeram.

Contestados, mostraram armas de fogo, e levaram mesmo o material.
De fato entregaram a urna, e outras que recolheram em outras seções, no dia seguinte.
Quando contaram os votos, a diferença de votos era algo de totalmente anormal, tipo 9 x 1. Um massacre.
E assim ficou.

Há pouco tempo postei um tópico no CC com  noticias sobre fraudes em eleição com urnas eletronicas.

Já apreenderam 10 urnas falsas na fazenda de um petista antes da eleição do Lullalá, depois disso fizeram mais duas apreensões, sendo que na última tinha 66 urnas falsas  mais 20 placas de circuito eletronico.

Se vcs quiserem eu posto novamente, tinha as fontes no tópico.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: HSette em 20 de Outubro de 2007, 23:38:28
Passa o link do tópico, se vc encontrar.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 20 de Outubro de 2007, 23:39:25
http://clubecetico.org/forum/index.php/topic,12976.0.html

Tem dois links com as fontes em que  tirei a noticia.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: HSette em 20 de Outubro de 2007, 23:47:07
http://clubecetico.org/forum/index.php/topic,12976.0.html

Tem dois links com as fontes em que  tirei a noticia.

Putz. Foi aqui na região metropolitana de BH.

Não demora vão falsificar impressões digitais.  :'(
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Temma em 21 de Outubro de 2007, 00:07:58
Já ouvi cada coisa que ocorre nas seções eleitorais de arrepiar os cabelos.  :oba:
Conta! Conta! Conta!

Vai lá, uma delas. Do tempo do voto escrito.
Não presenciei, mas assino embaixo.
O tio de um amigo meu era candidato a prefeito em uma cidade do interior.
Ele (esse amigo meu) era fiscal partidário na seçao.

Encerrada a eleição, chegou um grupo do candidato adversário dizendo que iriam recolher a urna e o restante do material para guardá-la em segurança até o dia seguinte, quando seria iniciada a apuração. E assim fizeram.

Contestados, mostraram armas de fogo, e levaram mesmo o material.
De fato entregaram a urna, e outras que recolheram em outras seções, no dia seguinte.
Quando contaram os votos, a diferença de votos era algo de totalmente anormal, tipo 9 x 1. Um massacre.
E assim ficou.

Há pouco tempo postei um tópico no CC com  noticias sobre fraudes em eleição com urnas eletronicas.

Já apreenderam 10 urnas falsas na fazenda de um petista antes da eleição do Lullalá, depois disso fizeram mais duas apreensões, sendo que na última tinha 66 urnas falsas  mais 20 placas de circuito eletronico.

Se vcs quiserem eu posto novamente, tinha as fontes no tópico.

quanto as 66 urnas, não são de um petista. estavam com um tal de "Tarcísio Timo Silva", irmão um tal de Antônio Ernesto Timo Silva que é prefeito de uma cidadezinha do interior, pelo PL, apoiado pelo DEM. ao que parece esse tarcísio inclusive já teve desavenças com petistas (http://www2.camara.gov.br/internet/comissoes/cdhm/relatorios/ViolMemPT.html).



ps: não sou petista, e os acho indignos de confiança como muitos outros partidos, por isso mesmo que não acho justo que só o PT seja associado as fraudes com urnas
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 21 de Outubro de 2007, 09:17:01
Video do Youtube com a prova de que urnas foram fraudadas.


Fraude eleitoral em Alagoas, em Guarulhos SP, urnas falsas em fazendas, urnas apreendidas... o que não falta na NET é denúncia de fraude em urna eletronica.

Fico pensando, se estão fabricando urnas falsas, como uma urna  acaba numa seção eleitoral sem a conivencia de mesários e funcionários do TSE?

 E se existem dezenas de fraudes comprovadas, por que insistem  em usar essas urnas?

PS*... O que não falta é denuncia de urna fraudada por um monte de gente de um monte de partidos diferentes, não falando só do PT.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Oceanos em 21 de Outubro de 2007, 11:33:56
Poderiam ter escolhido uma biometria melhor...

Citar
Segundo o TSE, o principal problema de fraudes em eleições é um eleitor votar no lugar de outro. A partir da implantação do novo sistema, diz o órgão, os problemas de fraudes acabariam.
Parece que esse povo nunca ouviu falar de falsa aceitação...
http://en.wikipedia.org/wiki/Biometrics#Performance
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Tash em 21 de Outubro de 2007, 11:37:07
Quero só ver gente vindo com polegares decepados no bolso na hora de votar..
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: HSette em 21 de Outubro de 2007, 11:48:11
Quero só ver gente vindo com polegares decepados no bolso na hora de votar..

 :susto:
Do jeito que as coisa vão, eu não duvido de mais nada.

E olha que vale o polegar e o indicador. Só não entendi se é um ou outro, ou necessariamente os dois.
Na dúvida, vai ter neguinho decepando a mão inteira.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Tash em 21 de Outubro de 2007, 11:51:41
Quero só ver gente vindo com polegares decepados no bolso na hora de votar..

 :susto:
Do jeito que as coisa vão, eu não duvido de mais nada.

E olha que vale o polegar e o indicador. Só não entendi se é um ou outro, ou necessariamente os dois.
Na dúvida, vai ter neguinho decepando a mão inteira.

Onde eu vou trabalhar, cadastram todos os dedos no sistema, e na hora de entrar você pode usar qualquer um deles. Acho que vai ser parecido.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 21 de Outubro de 2007, 12:10:54
Se não me engano, existe no Brasil algo em torno de 10 MILHÕES de eleitores fantasmas, ou seja fraudaram documentos de gente morta para votar em eleição.

Se fraudam documentos para arrumar títulos de eleitor, se fraudam urnas eletronicas, se fraudam tudo, o que impede que cadastrem a mesma impressão digital dezenas de vezes em seções eleitorais diferentes?
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Adriano em 21 de Outubro de 2007, 12:20:05
Claro que sempre vai ter as falsificações, e isso acontece mesmo com o dinheiro. Mas por isso que cada vez mais medidas de segurança devem ser tomadas. É o mesmo que acontece na informática, na parte de segurança.

E quando esse sistema de biometria estiver funcionando eles já poderiam estar com outros em desenvolvimento, como a leitura da íris.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 21 de Outubro de 2007, 12:25:32
Não importa qual é o sistema que usarão, se o cadastro de eleitores for fraudado..
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Adriano em 21 de Outubro de 2007, 12:32:18
Mas fraudes são que nem crimes, não tem como se extinguir por completo. Existe um mínimo aceitável, como um controle de qualidade. Agora tem que ver qual é a proporção dessa fraudas e comparar a outros países do mundo. Já ouvi muitas reportagens elogiosas ao sistema eleitoral brasileiro.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Tash em 21 de Outubro de 2007, 12:39:18
Se um dia os RGs tiverem informação digital atrelada a um banco de dados com dados de biometria de cada um, as fraudes serão muito, muito difíceis de acontecer sem participação de algum envolvido na segurança do sistema.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 21 de Outubro de 2007, 12:43:19
""...Um laudo do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), um dos centros de pesquisa mais tradicionais e respeitados do país, revela que mais de um terço das urnas eletrônicas do estado registram indícios de manipulação criminosa.

A análise da memória dos computadores que processaram os resultados das eleições alagoanas revelou que:

• O número de votos registrados em algumas urnas foi menor do que o número de eleitores que efetivamente votaram.

• Foram totalizados votos oriundos de urnas que não existiam.

• Algumas urnas misteriosamente não registraram voto algum....


....• Em 35% das urnas utilizadas nas eleições de Alagoas os arquivos apresentaram erros bizarros e comportamentos irregulares.

• Pelos dados oficiais votaram 1.514.113 eleitores alagoanos. O sistema eletrônico de voto, porém, registra 22.562 eleitores a menos. Não se sabe se esses votos foram subtraídos de algum candidato, se nunca existiram ou como e por que foram manipulados.""

Se em 35% das urnas de um estado houve irregularidades, não dá para acreditar que nos outros estados não tenha existido uma fraude igual .


Essa abaixo é a fonte de onde retirei esses números.

http://www.ita.br/online/2007/itanamidia07/jan07/veja22jan07.htm






















 

Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 21 de Outubro de 2007, 12:46:42
Se um dia os RGs tiverem informação digital atrelada a um banco de dados com dados de biometria de cada um, as fraudes serão muito, muito difíceis de acontecer sem participação de algum envolvido na segurança do sistema.

Duvido que essas fraudes que citei acima não tiveram participação de gente  que cuida do sistema eleitoral.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Adriano em 21 de Outubro de 2007, 12:54:45
Se em 35% das urnas de um estado houve irregularidades, não dá para acreditar que nos outros estados não tenha existido uma fraude igual .
Isso é uma generalização apressada. O próprio TRE está fazendo as investigações. E quanto mais forem investigas as fraudes mais fácil melhorar o sistema de segurança.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 21 de Outubro de 2007, 12:58:44
Se em 35% das urnas de um estado houve irregularidades, não dá para acreditar que nos outros estados não tenha existido uma fraude igual .
Isso é uma generalização apressada. O próprio TRE está fazendo as investigações. E quanto mais forem investigas as fraudes mais fácil melhorar o sistema de segurança.

Não acho que seja uma generalização apressada, quem são os fornecedores das urnas? existem vários ou é um só?Quem cuida da segurança das urnas?

Pelo meu modo de pensar, quem frauda  eleição, não vai fazer isso em apenas UM estado e ser honesto e imparcial nos outros.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Adriano em 21 de Outubro de 2007, 13:25:06
Se em 35% das urnas de um estado houve irregularidades, não dá para acreditar que nos outros estados não tenha existido uma fraude igual .
Isso é uma generalização apressada. O próprio TRE está fazendo as investigações. E quanto mais forem investigas as fraudes mais fácil melhorar o sistema de segurança.

Não acho que seja uma generalização apressada, quem são os fornecedores das urnas? existem vários ou é um só?Quem cuida da segurança das urnas?

Pelo meu modo de pensar, quem frauda  eleição, não vai fazer isso em apenas UM estado e ser honesto e imparcial nos outros.
Mas é isso mesmo, será que é apenas um responsável pelo país inteiro? Não seriam favorecimentos de autoridades nos  respectivos estados (Rondônia teve um caso bem diferente) nesse esquema? Para mim foram fatos localizados e que estão sendo investigado. Sim, pode ter mais, mas muito dificilmente nas mesmas proporções.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 21 de Outubro de 2007, 19:00:33
Verifique os links que postei, foram pelo menos três apreensões de urnas em estados diferentes.


Irregularidades em Alagoas, urnas falsas em Minas e Brasilia...pode acreditar, não é caso isolado.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Adriano em 21 de Outubro de 2007, 21:41:13
Do último link:
Citar
Em Rondônia, a Polícia Federal investiga uma denúncia de fraude eleitoral de natureza totalmente distinta. O esquema teria a participação de técnicos do Tribunal Regional Eleitoral. Nas últimas eleições, Josué Donadon, irmão e assessor do candidato ao Senado Melkisedek Donadon, contou à polícia que foi procurado por uma pessoa, quinze dias antes do pleito, que lhe propôs alterar os votos das urnas. Essa pessoa, ainda não identificada, relatou que tinha contatos com técnicos do tribunal que poderiam introduzir um software pirata nas urnas e, assim, dirigir votos para quem ela quisesse. Ofereceu o serviço por 300.000 reais. O candidato, que não aceitou a proposta, perdeu a eleição, mas a PF continua apurando a existência do esquema. A suspeita de fraude pela manipulação eletrônica em Alagoas é um caso único. Suas conseqüências são imprevisíveis. Essa suspeita pode provocar uma avalanche de pedidos de investigação em todo o país e colocar em xeque a confiabilidade do sistema eletrônico de votação. Por isso, é vital que o TSE esclareça o caso o mais rápido possível e de tal modo a evitar que as falhas se repitam. As urnas eletrônicas são um orgulho nacional e é preciso cuidar para que continuem sendo.

Os casos mais graves são esse de Alagoas e o de Rondônia por interferir direto no sistema. No vídeo postado mostrava clonagem de  urnas, mas que foi identificado e está sendo investigado em Guarulhos.

Irreguralidades são previsíveis e tem um nível mínimo aceitável. Não dá para saber disso através de reportagens e denúncias na internet. É um bom indício, mas depende de investigação e constatação das irreguralidades em relação a quantidade total de urnas do país, o que é muito grande. Por isso uma pequena porcentagem pode significar uma quantidade absurda em números absolutos.
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 22 de Outubro de 2007, 11:30:10
Citar
"""que lhe propôs alterar os votos das urnas. Essa pessoa, ainda não identificada, relatou que tinha contatos com técnicos do tribunal que poderiam introduzir um software pirata nas urnas e, assim, dirigir votos para quem ela quisesse.""

"...TINHA CONTATOS COM TÉCNICOS DENTRO DO TRIBUNAL QUE PODERIAM INTRODUZIR UM SOFTWARE PIRATA NAS URNAS E ASSIM DIRIGIR VOTOS PARA QUEM ELA QUISESSE."

Resumindo:

Eles podem alterar resultador de qualquer urna do Brasil sem tirar a bunda da cadeira.

E vc acha que eleição  não pode ter fraude no resultado geral só por que um caso que veio a público foi em Minas , outro foi em Rondonia e outro em Belo Horizonte?
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Adriano em 22 de Outubro de 2007, 11:54:22
Citar
"""que lhe propôs alterar os votos das urnas. Essa pessoa, ainda não identificada, relatou que tinha contatos com técnicos do tribunal que poderiam introduzir um software pirata nas urnas e, assim, dirigir votos para quem ela quisesse.""

"...TINHA CONTATOS COM TÉCNICOS DENTRO DO TRIBUNAL QUE PODERIAM INTRODUZIR UM SOFTWARE PIRATA NAS URNAS E ASSIM DIRIGIR VOTOS PARA QUEM ELA QUISESSE."

Resumindo:

Eles podem alterar resultador de qualquer urna do Brasil sem tirar a bunda da cadeira.

E vc acha que eleição  não pode ter fraude no resultado geral só por que um caso que veio a público foi em Minas , outro foi em Rondonia e outro em Belo Horizonte?
Essa parte é realmente preocupante. Mas mesmo assim ainda acho as eleições confiáveis, não é por uma possibilidade de fraude maior que se deva desconsidera-la.

E se houvessem fraudes significativas mesmo o Lula nem teria se elegido :P
Título: Re: Biometria nas eleições 2008
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 22 de Outubro de 2007, 16:21:00
Dinheiro elege qualquer um....
Título: A raposa quer tomar conta do galinheiro
Enviado por: HSette em 18 de Novembro de 2007, 21:16:38
Era só o que faltava. Deputados e senadores agora querem ter o controle sobre as urnas eletrônicas.  :stunned:

Se a proposta vingar, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pode deixar de ter o controle das urnas eletrônicas. Há sete meses uma subcomissão foi instituída na Câmara e um relatório deve ser divulgado nos próximos dias com a sugestão de passar a fiscalização das urnas a uma "Comissão de Automação Eleitoral do Congresso Nacional".

Os deputados questionam a isenção da Justiça Eleitoral (caramba, se acham com moral para isso?).
E, a pretexto de resolver o suposto problema, sugerem que as regras do processo eleitoral eletrônico passem a ser definidas pelos próprios deputados e senadores, reunidos numa Comissão Eleitoral (talvez seja mais apropriado dizer Quadrilha Eleitoral).

Quanta cara de pau!  :(

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u346551.shtml

Título: Re: A raposa quer tomar conta do galinheiro
Enviado por: Luis Dantas em 18 de Novembro de 2007, 21:23:00
Peraí, isso era para ser levado a sério?
Título: Re: A raposa quer tomar conta do galinheiro
Enviado por: HSette em 18 de Novembro de 2007, 21:41:51
No Blog do Josias (UOL) tem a cronologia da malandragem:

Citar
A esperteza começou a andar em fevereiro de 2007. O deputado Maurício Quintella Lessa (PR-AL) propôs a realização de uma audiência pública na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara, para discutir a segurança das urnas eletrônicas. A tal audiência foi realizada no mês seguinte. A estrela do encontro foi Clóvis Torres Fernandes, professor da Divisão de Ciência da Computação do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica).
 
O professor Clóvis Torres realizara, no ano passado, um estudo sobre a votação eletrônica realizada em Alagoas. Trabalho feito por encomenda do usineiro João Lyra. Candidato ao governo do Estado, Lyra estava inconformado com o resultado das urnas. Embora fosse o candidato mais bem-posto nas pesquisas eleitorais, terminou derrotado por Teotônio Vilela Filho (PSDB-AL).
 
Na audiência da CCJ, Clóvis Torres disse aos deputados que, ao periciar as urnas alagoanas, constatara vulnerabilidades em pelo menos 44% delas. O deputado Jutahy Júnior (PSDB-BA) perguntou ao professor se ele tinha segurança para afirmar que os supostos problemas teriam resultado em fraude. A resposta foi negativa. Clóvis Torres reafirmou a sua convicção quanto à fragilidade das urnas eletrônicas, mas disse que os dados que coletara não permitem dizer que houve fraude efetiva.
 
Convidado a participar da audiência pública, Carlos Veloso, ex-ministro do STF e do TSE, fervoroso defensor da segurança da votação eletrônica, não apareceu. E a urna acabou ficando indefesa. Pressionando aqui, você chega à íntegra da ata da sessão da CCJ da Câmara.
 
No início de abril, aprovou-se por unanimidade um requerimento do deputado Geraldo Magela (PT-DF). Propôs a instalação de uma subcomissão, no âmbito da comissão de Justiça, para estudar a segurança da votação eletrônica no Brasil. Nomeou-se como relator da empreitada Vital do Rego (PMDB-PB). É o relatório desse deputado que será divulgado nos próximos dias. Ele não esconde a intenção de esvaziar o TSE e transferir para o Congresso o controle das urnas eletrônicas.
 
Vital do Rego não foi nomeado relator da subcomissão por acaso. Ele já havia sido designado antes para relatar um projeto de lei complementar que trata do mesmo tema. Apresentou-o, em 2005, o deputado Severiano Alves (PDT-BA). Propõe que as eleições eletrônicas sejam regulamentadas e fiscalizadas por uma “Comissão de Comissão de Automação Eleitoral formada no Congresso Nacional”.
 
Ao justificar o teor de seu projeto, Severiano Alves anota que “a automação do processo eleitoral no Brasil foi desenvolvida de forma pioneira e, para orgulho do brasileiro, tem servido de exemplo” para outros países. Mas ele ressalva: “Não podemos acomodar-nos nos louros do pioneirismo na suposição de que teríamos construído um sistema perfeito e totalmente transparente”.
 
Para o deputado Severiano, a automação das urnas trouxe “o risco inerente provocado pela falta de domínio pela sociedade dos detalhes e peculiaridades das tecnologias de segurança envolvidas”. Acha que “a falta de transparência no processo eleitoral é muito perigosa”. E, a pretexto de “aumentar a eficiência do sistema, especialmente quanto à fiscalização do processo informatizado do voto”, propõe que o Congresso, e não o TSE, passe a ter “a competência exclusiva e prioritária” na regulamentação e fiscalização da matéria.
 
Passa da hora de lideranças sérias e repórteres prestarem um naco de atenção em mais esta manobra urdida na Câmara.
Título: Re: A raposa quer tomar conta do galinheiro
Enviado por: FxF em 18 de Novembro de 2007, 23:30:45
É a democria do Brasil. Mais democrático que urna eletrônica.

RAPOSA O CARALHO!
Título: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: DDV em 04 de Outubro de 2008, 09:23:48
O Brasil se orgulha de ter "o sistema de votação mais moderno do mundo", mas ainda cabe a pergunta: é confiável? É a prova de fraude ?

O Brasil não é um país dos mais "high-tech" que eu conheço. Países exportadores de tecnologia não adotam esse sistema, preferindop métodos mais "primitivos". Por quê? Eles não seriam tão chegados assim em inovações tecnológicas?

O Brasil também não é um dos maiores faróis da democracia que eu conheço. Países de longuíssima história democrática também preferem métodos mais "primitivos" de votação. Eles não valorizariam tanto as eleições como o Brasil?

Enfim... o que acham?



PS: Lembrei-me daquela placa super high-tech que a Ferrari adotou na fórmula-1 na hora do pit-stop, substituindo o antigo e sem graça "pirulito", e deu no que deu.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 04 de Outubro de 2008, 10:26:20
Hoje mesmo postei um tópico sobre isso...

Uma urna guardada no apartamento de um mesário quase foi queimada em um incêndio, fico pensando na "grande segurança" dessas urnas guardadas por qualquer um ao invés de ficar em um galpão vigiado.

http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2008/interna/0,,OI3231742-EI11839,00-MS+apartamento+pega+fogo+e+quase+destroi+urna+eletronica.html

"Um princípio de incêndio em um apartamento localizado no bairro Nova Bandeirantes, em Campo Grande (MS), quase destruiu uma urna eletrônica nesta manhã. A residência pertence a um mesário, que não estava no local no momento do acidente.

Em Campo Grande, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confiou as urnas eletrônicas aos presidentes de cada seção eleitoral, que ficam responsáveis pelo equipamento até o dia das eleições. O Estado do Mato Grosso do Sul contará com 5.897 urnas, sendo 1.381 delas somente na capital.

-------------------------------------------------------------------------------

São 5.897 possibilidades de fraude .
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: FxF em 04 de Outubro de 2008, 11:50:23
Máquinas não mentem. Infelizmente quem tem a senha o faz.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Pregador em 04 de Outubro de 2008, 21:33:46
Eu não confio muito, mas não vejo alternativa melhor. Outra coisa a favor das urnas é que em 2002 Lula venceu FHC. Outra coisa é que, salvo raras exceções, as pesquisas de intenção de voto ou boca de urna costumam refletir o resultado aproximado das eleições...
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: DDV em 05 de Outubro de 2008, 08:32:27
Eu não confio muito, mas não vejo alternativa melhor. Outra coisa a favor das urnas é que em 2002 Lula venceu FHC. Outra coisa é que, salvo raras exceções, as pesquisas de intenção de voto ou boca de urna costumam refletir o resultado aproximado das eleições...


É verdade.
Aí então vem a pergunta: por que os países mais avançados não adotam um sistema de votação parecido?
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 08:40:05
Eu não confio muito, mas não vejo alternativa melhor. Outra coisa a favor das urnas é que em 2002 Lula venceu FHC. Outra coisa é que, salvo raras exceções, as pesquisas de intenção de voto ou boca de urna costumam refletir o resultado aproximado das eleições...


É verdade.
Aí então vem a pergunta: por que os países mais avançados não adotam um sistema de votação parecido?

Por que vários países já estudaram esse sistema das urnas brasileiras e vários deles disseram que é fácil de fraudar.

Se não me engano houve até proibição de uso em um país da A.L.

Vou ver se encontro algo e coloco aqui.


Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: DDV em 05 de Outubro de 2008, 08:50:37
Eu não confio muito, mas não vejo alternativa melhor. Outra coisa a favor das urnas é que em 2002 Lula venceu FHC. Outra coisa é que, salvo raras exceções, as pesquisas de intenção de voto ou boca de urna costumam refletir o resultado aproximado das eleições...


É verdade.
Aí então vem a pergunta: por que os países mais avançados não adotam um sistema de votação parecido?

Por que vários países já estudaram esse sistema das urnas brasileiras e vários deles disseram que é fácil de fraudar.

Se não me engano houve até proibição de uso em um país da A.L.

Vou ver se encontro algo e coloco aqui.





Outro problema também é a facilidade  com que dados de votação podem ser perdidos de forma irrecuperável.

Nos EUA, se não me engano, o sistema é parecido com aquelas cartelas antigas de bater ponto em firma, baseado em cartões perfurados. Caso haja alguma dúvida, e seja necessária uma recontagem, os votos estão lá. O sistema brasileiro é completamente digitalizado, ou seja, se houver perda de dados ou erros de processamento, não há nada "concreto" disponível para se corrigir ou recuperar os dados.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 08:58:36
http://www.casaca.com.br/home/2008/09/09/a-falacia-da-lisura-das-urnas-eletronicas/


"Trecho da entrevista do engenheiro Amilcar Brunazo Filho que acompanha, desde 2000, o desenvolvimento do sistema eletrônico eleitoral no Brasil (as “intocáveis” urnas eletrônicas) ao blog Dia a Dia, Bit a Bit, de Silvio Meira, portal Terra. Lembrando que, recentemente, enfiaram goela abaixo dos vascaínos a garantia de lisura de um processo eleitoral baseado em urnas eletrônicas:

blog: a urna, em particular, é segura? se você, que conhece -como muita gente- seus princípios, fosse fraudá-la, faria o que e em qual estágio do processo? que cuidados a mais o TSE deveria tomar para, mesmo com a urna insegura, diminuir tal risco?

O processo eleitoral se inicia com o cadastramento de eleitores, passa pela votação, apuração e termina na totalização. Qualquer um destes pontos pode ser atacado para se deturpar o resultado. E isto quer dizer que o melhor ponto para atacar é aquele ao qual se obtém acesso mais fácil.

Assim, quem tem acesso ao cadastro pode inserir eleitores fantasmas; os mesários podem inserir, nas urnas, votos de eleitores ausentes; quem tem acesso aos programas-fonte (versão em texto legível dos programas de computador da urna), pode adulterá-los para desviar votos em todo um estado. E, se o acesso for a apenas algumas urnas, pode-se tentar modificar seus programas e burlar suas defesas.

No caso das urnas, eu vejo nos flash-cards de carga (que são os cartões de memória que transportam os programas oficiais para as urnas eletrônicas) um ponto vulnerável, que se explorado pode contaminar 100 urnas eletrônicas de cada vez com programas desonestos, capazes de mudar o resultado da votação nas urnas em que forem inseridos com sucesso.

Este tipo de ataque foi usado -e deu resultado- por técnicos da Universidade de Princeton, em urnas eletrônicas muito similares às brasileiras em termos de projeto de segurança. Um vídeo (em inglês) sobre este ataque está neste link . Mas é claro que é muito difícil prever todas as formas de ataque e projetar defesas contra cada uma delas é ainda mais complicado.

Por exemplo, o TSE anunciou para outubro deste ano testes em urnas com biometria para impedir a “compra de votos”, ou seja, quando se paga a eleitores para fornecerem seus títulos a outras pessoas que votarão em seu lugar. O custo destas urnas biométricas será enorme. Mas o teste ainda nem foi feito e o TSE já sabe de modificações na forma de fraudar que burla as urnas biométricas, como a “compra do voto com celular”, onde o eleitor usa o telefone celular para filmar a tela da urna com seu voto e a “compra da abstenção”, quando se paga eleitores do adversário para fornecerem seus títulos e identidades, impedindo-os de votar.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Donatello em 05 de Outubro de 2008, 09:23:47
Citar
Assim, quem tem acesso ao cadastro pode inserir eleitores fantasmas; os mesários podem inserir, nas urnas, votos de eleitores ausentes; quem tem acesso aos programas-fonte (versão em texto legível dos programas de computador da urna), pode adulterá-los para desviar votos em todo um estado. E, se o acesso for a apenas algumas urnas, pode-se tentar modificar seus programas e burlar suas defesas.
Citar
Por exemplo, o TSE anunciou para outubro deste ano testes em urnas com biometria para impedir a “compra de votos”, ou seja, quando se paga a eleitores para fornecerem seus títulos a outras pessoas que votarão em seu lugar. O custo destas urnas biométricas será enorme. Mas o teste ainda nem foi feito e o TSE já sabe de modificações na forma de fraudar que burla as urnas biométricas, como a “compra do voto com celular”, onde o eleitor usa o telefone celular para filmar a tela da urna com seu voto e a “compra da abstenção”, quando se paga eleitores do adversário para fornecerem seus títulos e identidades, impedindo-os de votar.
É legal perceber que nenhuma das possibilidades de fraude apresentadas aí é maior em se usando urnas eletrônicas do que cédulas.

No primeiro quote são citadas possibilidades de fraudes típicas do meio eletrônico mas que de maneira nenhuma são mais relevantes do que as possibilidades de fraude no meio de papel.

No segundo quote as duas formas de fraude citadas são perfeitamente aplicáveis tanto num meio quanto no outro, aliás, no caso do celular, se o comprador exigir apenas uma foto da tela e não a filmagem de todo o processo fica extremamente simples enganá-lo (venda seu voto, digite o número do candidato corrupto, fotografe a tela, corrija, vote no seu candidato, apresente a foto ao candidato ladrão e receba o dinheiro do FDP).
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: FZapp em 05 de Outubro de 2008, 12:13:46
Geeeeente, é mais barato pagar uma cesta básica pro cara, ou ameaçar a favela e pronto...

Por outro lado tem esse problema de não recuperação de dados, mas isso não seria fraude, seria falha de segurança.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 12:38:04
Citar
É legal perceber que nenhuma das possibilidades de fraude apresentadas aí é maior em se usando urnas eletrônicas do que cédulas.

Não existe sistema impossível de ser fraudado e não entendo de informática ma acho que em certo ponto as cédulas de papel eram mais confiáveis.

Penso da seguinte forma, um só cara pode alterar um programa da urna eletrônica e  mudar o resultado de várias delas mas para alterar o resultado de várias urnas com cédulas de papel vc precisaria de um monte de gente sendo conivente com a fraude, principalmente por que a contagem era manual.

Se usassem cédulas de papel perfurado com contagem por leitor ótico seria uma apuração tb bem rápida e ainda teria o papel como contra-prova, não acham?
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 12:39:10
Citar
Por outro lado tem esse problema de não recuperação de dados, mas isso não seria fraude, seria falha de segurança.

Se "perderem" os dados de um  candidato, é fraude sim.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Donatello em 05 de Outubro de 2008, 12:50:54
Sim, nenhum modo é 100% confiável mas eu não vejo o porquê de se voltar pra célula não. E como já disseram, as eleições por aqui nos últimos anos não estão deixando nem suspeitas de fraude...me lembro quando eu era criança que toda apuração era um fuzuê.

Sobre o papel com furinho eu nem sei como funciona, mas já deu problema no USA, não?
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 13:04:32
Citar
Sobre o papel com furinho eu nem sei como funciona, mas já deu problema no USA, não?

Era como no sistema de loteria dos anos 70, tinha um gabarito com o tamanho da cédula que era encaixada nele e perfurada no lugar certo.

Na hora de apurar era só passar por um leitor ótico ou enfiar uma aste metálica no furo  e pescar todas as fichas perfuradas no mesmo local.

Bem simples e rápido.

O problema que deu nos EUA é que a cédula deixava o eleitor  em dúvida sobre onde deveria perfurar porque tinha o nome do candidato mas o furo não ficava bem alinhado ao nome.

Citar
E como já disseram, as eleições por aqui nos últimos anos não estão deixando nem suspeitas de fraude...

Minha mãe foi votar na última eleição, digitava o número certo de um candidato e a urna registrava um candidato do PT, corrigia e registrava o mesmo candidato, corrigia de novo e registrava o mesmo cara.

Foi falar com o mesário que respondeu que não poderia interferir, só conseguiu na quarta tentativa e tinha a certeza de digitar o mesmo número certo.

Mal funcionamento ou fraude?

Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: J Ricardo em 05 de Outubro de 2008, 13:21:28
Nada é a prova de fraude, nem o novo método de identificação biométrica que estão testando em algumas zonas eleitorais.

Mesmo que voltem aos papés, quem iria recontar todos os votos? A esquerda? A direita? Eles são livres de fraude? E retornamos ao princípio da questão.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 13:36:11
Nada é a prova de fraude, nem o novo método de identificação biométrica que estão testando em algumas zonas eleitorais.

Mesmo que voltem aos papés, quem iria recontar todos os votos? A esquerda? A direita? Eles são livres de fraude? E retornamos ao princípio da questão.

Só que  com um papel na mão existe uma contra-prova para qualquer dúvida.

Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 05 de Outubro de 2008, 13:39:16
Então o problema não é se as urnas são seguras ou não, e sim que elas são fraudadas para beneficiar o PT.
Onde vence o candidato do PSDB ou DEM ninguém cogita que possa ter sido alterado o programa da urna.

PELAMORDEDEUS



Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 13:43:12
Então o problema não é se as urnas são seguras ou não, e sim que elas são fraudadas para beneficiar o PT.
Onde vence o candidato do PSDB ou DEM ninguém cogita que possa ter sido alterado o programa da urna.

PELAMORDEDEUS





Não foi isso que eu quis dizer, o caso é que a máquina registrava outro número.

A questão aqui é se são confiáveis ou não.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 05 de Outubro de 2008, 13:43:51
Só que  com um papel na mão existe uma contra-prova para qualquer dúvida.

Engano seu, nas eleições de 1989 e todas as subsequentes, até a implantação da urna eletrônica, aconteceram fraudes ou tentativas de fraude, sem falar nas suspeitas de que uma ou outra urna tinha sido violada.

E eram cédulas de papel.

A suspeita sempre vai a ver, a não ser que façam um comício gigante e cada um levante a mão e fale o nome e o número do candidato. Tudo deverá ser filmado e fotografado. A eleição levaria um ano, pois cada partido teria de ter uma cópia das fitas e acompanhar todo o processo.

Do jeito tradicional, sempre haverá suspeitas.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 05 de Outubro de 2008, 13:46:26
Não foi isso que eu quis dizer, o caso é que a máquina registrava outro número.

A questão aqui é se são confiáveis ou não.

Eu não podia perder a chance de tirar um casquinha:

Citação de: Arcanjo Lúcifer
Minha mãe foi votar na última eleição, digitava o número certo de um candidato e a urna registrava um candidato do PT, corrigia e registrava o mesmo candidato, corrigia de novo e registrava o mesmo cara.

Vai ter de me dar um desconto nessa, eu não resisti.  :P
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 13:47:53
Só que aconteceu mesmo.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 13:51:25
Citar
Engano seu, nas eleições de 1989 e todas as subsequentes, até a implantação da urna eletrônica, aconteceram fraudes ou tentativas de fraude, sem falar nas suspeitas de que uma ou outra urna tinha sido violada.

E eu já postei aqui um monte de links com apreensões de urnas eletrônicas falsas, quase 300 no total mais material para fabricar outras.

Bom, ninguém faz eleição em casa, então presumo que se acabariam em um local de votação deve ser com a conivência de gente ligada ao sistema eleitoral, concorda? :hihi:
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 05 de Outubro de 2008, 13:53:37
Só que aconteceu mesmo.

Eu não duvido, Arcanjo.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Fabulous em 05 de Outubro de 2008, 13:56:43
Não são confiáveis.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Athena em 05 de Outubro de 2008, 14:03:36
Só que aconteceu mesmo.

Será que o candidato não era de outra cidade? Nas grandes cidades  (as regiões metropolitanas das capitais)é muito comum a pessoa pensar que está votando num candidato da sua cidade e ele ser de outra.

Sobre a confiabilidade das urnas , comento que meu pai sempre foi presidente de mesa, naquelas eleições que  ainda usavam o voto de papel, quando criança eu ficava impressionada e temerosa de , após as eleições meu pai ficar com todos os votos do bairro dentro de casa até ele , no outro dia, poder levar para serem
apurados. Eles acertaram em escolher meu pai que é um homem muito correto para aquela função, mas será que todos os outros presidentes de mesa eram assim?
Por isso , acho o voto eletrônico bem mais confiável.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Donatello em 05 de Outubro de 2008, 14:13:47
Só que aconteceu mesmo.
Será que o candidato não era de outra cidade? Nas grandes cidades  (as regiões metropolitanas das capitais)é muito comum a pessoa pensar que está votando num candidato da sua cidade e ele ser de outra.
Mas se o número que ela digitou estava certo o tal candidato teria que ser do mesmo partido, a não ser que o candidato que a mãe do AL estivesse querendo votar também fosse do PT só que de uma cidade vizinha. Aí faz sentido, mas em se tratando de mãe do Arcanjo eu acho esta hipótese improvável :lol: .

Eu cá palpitaria que o problema neste caso deve ter sido com a própria mãe do AL e não com a urna, bem... ele já não é tão jovem, suponho que a mãe dele já tenha passado dos 60, talvez dos 70... não é segredo que as pessoas idosas costumam ter dificuldades para lidar com aparelhos eletrônicos, mesmo os mais simples e até quando são pessoas instruidas, com formação superior e tal... o que não sei se é o caso da mãe dele.

Tanto que sem a intervenção de nenhum mesário a urna acabou funcionando e no final das contas apareceu o candidato que ela queria votar.

Mas é só um palpite, pode ser que não tenha nada a ver com este caso, e eu espero que eu não esteja falando demais :|
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 05 de Outubro de 2008, 14:23:27
Citar
Engano seu, nas eleições de 1989 e todas as subsequentes, até a implantação da urna eletrônica, aconteceram fraudes ou tentativas de fraude, sem falar nas suspeitas de que uma ou outra urna tinha sido violada.

E eu já postei aqui um monte de links com apreensões de urnas eletrônicas falsas, quase 300 no total mais material para fabricar outras.

Bom, ninguém faz eleição em casa, então presumo que se acabariam em um local de votação deve ser com a conivência de gente ligada ao sistema eleitoral, concorda? :hihi:

O texto passa a impressão de que acho as urnas eletrônicas à prova de fraudes, não é verdade. Onde diz:
"aconteceram fraudes ..." leia-se "TAMBÉM aconteceram fraudes..."
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 16:47:28
Olá, Athena...é bom ver vc por aqui de novo.

Citar
Será que o candidato não era de outra cidade? Nas grandes cidades  (as regiões metropolitanas das capitais)é muito comum a pessoa pensar que está votando num candidato da sua cidade e ele ser de outra.

Isso aconteceu na eleição passada, se não me engano em 2006.

Já não me recordo, mas quais eram os cargos em disputa na época?

Presidente e governador?

Citar
Mas se o número que ela digitou estava certo o tal candidato teria que ser do mesmo partido, a não ser que o candidato que a mãe do AL estivesse querendo votar também fosse do PT só que de uma cidade vizinha. Aí faz sentido, mas em se tratando de mãe do Arcanjo eu acho esta hipótese improvável


Pode acreditar, a aversão que sinto pelo PT e pela esquerda é de família.

Ninguém aqui vota em comuna.

Citar
suponho que a mãe dele já tenha passado dos 60, talvez dos 70... não é segredo que as pessoas idosas costumam ter dificuldades para lidar com aparelhos eletrônicos, mesmo os mais simples e até quando são pessoas instruidas, com formação superior e tal... o que não sei se é o caso da mãe dele.

Tem essa idade mesmo, mas ainda trabalha e é bem lúcida.

Acontece que a tal urna registrava exatamente o número digitado , só que aparecia outro candidato.

Depois de várias tentativas registrou o mesmo número e o candidato certo, então não foi erro dela.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Fabulous em 05 de Outubro de 2008, 16:53:06
Aqui também, PT NÃO!
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 05 de Outubro de 2008, 17:15:21
Isso aconteceu na eleição passada, se não me engano em 2006.

Já não me recordo, mas quais eram os cargos em disputa na época?

Presidente e governador?

Presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Outubro de 2008, 17:22:30
Isso aconteceu na eleição passada, se não me engano em 2006.

Já não me recordo, mas quais eram os cargos em disputa na época?

Presidente e governador?

Presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual.

Citar
a não ser que o candidato que a mãe do AL estivesse querendo votar também fosse do PT só que de uma cidade vizinha.

Então não era candidato só da cidade de SP.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Fabulous em 06 de Outubro de 2008, 09:37:42
Acontece que a tal urna registrava exatamente o número digitado , só que aparecia outro candidato.

Depois de várias tentativas registrou o mesmo número e o candidato certo, então não foi erro dela.

Acontece mesmo, com muita frequencia!
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 06 de Outubro de 2008, 10:24:48
Não deveria, afinal é um sistema feito para garantir o resultado de uma eleição.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Fabulous em 06 de Outubro de 2008, 15:22:18
Nem tudo que está escrito na teoria acontece quando se põe em prática, infelizmente.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: FxF em 07 de Outubro de 2008, 01:41:56
http://www.youtube.com/watch/v/1aBaX9GPSaQ
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 07 de Outubro de 2008, 07:46:05
 :lol:

Eleição brasileira é quase igual mesmo.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Fenrir em 07 de Outubro de 2008, 08:30:35
Citar
:yahoo: Eu acredito em milagres



Bem-feito pro Crivella. É isto, Donatello?
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Fabulous em 07 de Outubro de 2008, 14:44:46
Eu também achei pouco pro Crivella, prepotente.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Fernando Silva em 08 de Outubro de 2008, 12:32:11
Um debate no Slashdot sobre urnas eletrônicas, com foristas de vários países:
http://politics.slashdot.org/article.pl?sid=08/10/07/0029224

Há algumas explicações dos envolvidos sobre as medidas de segurança e comentários dos americanos sobre o por que é mais seguro  no Brasil que nos EUA. Por exemplo, aqui são 30 partidos e seria mais complicado eles se unirem para montar um esquema de fraude, enquanto que nos EUA há dois partidos poderosos.

Um brasileiro diz: "Já sabemos o resultado antes da meia noite".
Um argentino responde: "Grande coisa... Na Argentina, já sabemos o resultado meses antes da eleição".
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Fenrir em 08 de Outubro de 2008, 13:37:52
Eu também achei pouco pro Crivella, prepotente.

Infelizmente ele, o bispo e a IURD nao vao desistir tao facilmente.
E provavelmente o Crivella vai vender seu apoio a um preco salgado.

Quem ai duvidaria que é para isto que o Maluf candidata em São Paulo?
Embora ele tenha uma base eleitoral cativa ela nao é suficiente para elege-lo.

O que o babaluf e um monte de outros "perdedores" querem é vender seu apoio no segundo turno para quem pagar mais e engordar suas contas bancarias já obesas.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: FxF em 08 de Outubro de 2008, 18:14:16
Um brasileiro diz: "Já sabemos o resultado antes da meia noite".
Um argentino responde: "Grande coisa... Na Argentina, já sabemos o resultado meses antes da eleição".
Cubano: Eleiçã... *BANG*
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 08 de Outubro de 2008, 18:20:48
Lá em Cuba a apuração não demora muito...só tem um candidato . :lol:
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: DDV em 08 de Outubro de 2008, 21:44:30
Arcanjo Lúcifer, você deve nutrir uma enorme simpatia por Cuba, afinal é o país da AL que mais se aproxima do ideal político por você defendido, que é a ditadura.

Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Tupac em 08 de Outubro de 2008, 21:48:57
Arcanjo Lúcifer, você deve nutrir uma enorme simpatia por Cuba, afinal é o país da AL que mais se aproxima do ideal político por você defendido, que é a ditadura.
:histeria:
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 09 de Outubro de 2008, 06:24:46
Como assim?

 Os esquerdistas do PT e da igreja vivem dizendo que lá é uma democracia!

Alguns chegaram até a ir para lá nos anos 70 receber treinamento de guerrilha para combater a ditadura no Brasil e reestabelecer a democracia aqui!

Será mesmo que aquilo não é uma democracia ou a turma do Lullalá e do Zé Desceu  está  mentindo?    :hihi:
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Südenbauer em 10 de Outubro de 2008, 09:05:32
Não tem umas cidades nos últimos anos que registraram mais votos do que o número de habitantes?
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 10 de Outubro de 2008, 09:41:10
Não tem umas cidades nos últimos anos que registraram mais votos do que o número de habitantes?

Sim, não achei o link mas é uma cidade do Nordeste.

Aproximadamente 93% das urnas tinham irregularidades do tipo mais votos registrados que eleitores, urnas desligadas  durante a votação, erro em números de candidatos e mais um monte de coisa.

Se achar postarei aqui.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Temma em 10 de Outubro de 2008, 15:09:50
Não tem umas cidades nos últimos anos que registraram mais votos do que o número de habitantes?

Sim, não achei o link mas é uma cidade do Nordeste.

Aproximadamente 93% das urnas tinham irregularidades do tipo mais votos registrados que eleitores, urnas desligadas  durante a votação, erro em números de candidatos e mais um monte de coisa.

Se achar postarei aqui.


opa. isso é bem pertinente. Se achar, posta pra gente Arcanjo. Sou um dos que não desconfia MAIS das urnas eletrônicas do que do modo convencional, mas com esses números acho que mudaria de opinião  :)
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 10 de Outubro de 2008, 16:37:50
Não encontrei o link certo, mas tem esse aqui  que tb é interessante:

http://arquivoetc.blogspot.com/2007/01/suspeita-de-fraude-com-urna-eletrnica.html

"Não passa pela cabeça de ninguém questionar a lisura do sistema. Exatamente por essa razão está tirando o sono do TSE a suspeita de que podem ter sido resultado de fraude as falhas em um grande número de urnas eletrônicas de Alagoas nas eleições do ano passado. Um laudo do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), um dos centros de pesquisa mais tradicionais e respeitados do país, revela que mais de um terço das urnas eletrônicas do estado registram indícios de manipulação criminosa....

...A análise da memória dos computadores que processaram os resultados das eleições alagoanas revelou que:

• O número de votos registrados em algumas urnas foi menor do que o número de eleitores que efetivamente votaram.

• Foram totalizados votos oriundos de urnas que não existiam.

• Algumas urnas misteriosamente não registraram voto algum.


...Por segurança e para dar transparência ao processo eleitoral, todas as atividades das urnas eletrônicas ficam gravadas numa espécie de "caixa-preta" – os chamados "logs" – e são disponibilizadas a quem se interessar em consultá-las. Dessa forma, pode-se saber em detalhes a que horas o aparelho foi ligado ou desligado, os programas implantados ou se ocorreu algum tipo de falha de processamento. A análise do especialista revelou que alguns sinais excluem a possibilidade de mau funcionamento e apontam mesmo para fraude...

...• Em 35% das urnas utilizadas nas eleições de Alagoas os arquivos apresentaram erros bizarros e comportamentos irregulares.

• Pelos dados oficiais votaram 1.514.113 eleitores alagoanos. O sistema eletrônico de voto, porém, registra 22.562 eleitores a menos. Não se sabe se esses votos foram subtraídos de algum candidato, se nunca existiram ou como e por que foram manipulados.

"A diferença é uma quantidade expressiva, mas o mais significativo é que ela coloca em dúvida o trabalho de totalização para todo o estado de Alagoas", escreveu o professor Fernandes. Outras pistas estão sendo seguidas e algumas reforçam a hipótese de fraude. A perícia apontou a existência de 29 urnas cujos votos foram computados normalmente pelo Tribunal Regional Eleitoral. Só que essas urnas não aparecem nos registros do tribunal. Até prova em contrário, elas são "urnas-fantasma"....

....Nas cidades de Branquinha e Taquarana, no interior do estado, outra estranheza: os votos das duas localidades foram registrados com códigos de lugares inexistentes. Ou seja: oficialmente, não existiu eleição nos municípios ou, se existiu, não se sabe para onde foram os votos. A perícia mostra também que em outras 121 urnas não foi instalado o programa que totaliza os votos, 157 tiveram o número de identificação alterado durante o período de votação e 162 registraram na memória códigos desconhecidos e sem sentido. Em 36 cidades de Alagoas, as urnas não informaram se foi emitida a lista comprovando que todos os candidatos estavam com os votos zerados no início do pleito. O laudo aponta ainda casos de urnas perdidas no tempo (com a data de votação como 17 de junho de 2002), urnas ocas (sem nenhuma informação dentro – embora os votos computados nelas tenham sido validados pela Justiça Eleitoral) e até uma urna que registrava voto para cargo inexistente....

...Conclui o perito: "Um ou dois tipos de erro seriam aceitáveis, mas a quantidade e o padrão das irregularidades verificadas são inadmissíveis. Isso não é uma questão menor. Pela gravidade e extensão dos problemas, os indícios de fraude são fortes"...

...
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 10 de Outubro de 2008, 16:39:38
Em Rondônia, a Polícia Federal investiga uma denúncia de fraude eleitoral de natureza totalmente distinta. O esquema teria a participação de técnicos do Tribunal Regional Eleitoral. Nas últimas eleições, Josué Donadon, irmão e assessor do candidato ao Senado Melkisedek Donadon, contou à polícia que foi procurado por uma pessoa, quinze dias antes do pleito, que lhe propôs alterar os votos das urnas. Essa pessoa, ainda não identificada, relatou que tinha contatos com técnicos do tribunal que poderiam introduzir um software pirata nas urnas e, assim, dirigir votos para quem ela quisesse. Ofereceu o serviço por 300.000 reais. O candidato, que não aceitou a proposta, perdeu a eleição, mas a PF continua apurando a existência do esquema.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 10 de Outubro de 2008, 16:52:26
Links com notícias e fotos de urnas falsas apreendidas:

80 urnas e material para fabricar mais:

http://www2.correioweb.com.br/cw/EDICAO_20020906/pri_tem_060902_236.htm

" ‘‘O programa do simulador, com pequenas adaptações, é capaz de desviar parte dos votos de um candidato para outro na urna verdadeira’’, afirma o matemático Pedro Rezende, coordenador do programa de extensão em Segurança Computacional da Universidade de Brasília (UnB). "

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG58023-6009,00-AS+URNAS+QUE+PODEM+CUSTAR+O+MANDATO.html

"O rastro das urnas foi descoberto por peritos da Polícia Federal em computadores da empresa Linknet Informática apreendidos na investigação sobre o suposto financiamento da campanha de Roriz com dinheiro público. Com a ajuda da Receita estadual do Paraná, os policiais descobriram que as impressoras foram vendidas à Linknet pela Bematech, a mesma fornecedora do Tribunal Superior Eleitoral. A comprovação da fraude veio com o exame das notas fiscais emitidas pela empresa paranaense: elas continham o mesmo número de série das urnas apreendidas em Brasília."

52 urnas apreendidas:

http://www.pernambuco.com/ultimas/noticia.asp?materia=2004101110936&assunto=202&onde=1

É só digitar no buscador "urna aprendida", "urna fraude", "urna irregularidade"....tem fraude de todo tipo , tamanho e cor .
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Temma em 10 de Outubro de 2008, 17:34:58
Bem Arcanjo, eu não duvido que possam haver fraudes. mas do mesmo mal sofriam as antigas urnas.


E me desculpe, eu realmente não li que os 93% se referiam a uma cidade do nordeste, achei que fosse do total de urnas (e fiquei um pouco incrédulo, pois isso seria um total escândalo e quase impossível passar em branco)



são lamentáveis esses problemas com urnas eletrônicas, mas não vejo como abandoná-las hoje. que diferença faz um software que aumenta votos pra um candidato, de alguém comprado que "contaria" votos em papel a mais para algum candidato?
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 10 de Outubro de 2008, 17:45:19
Citar
Sim, não achei o link mas é uma cidade do Nordeste.

Aproximadamente 93% das urnas tinham irregularidades do tipo mais votos

Foi 1/3 das urnas de Alagoas , sendo que 93% das urnas de uma cidade que não lembro o nome agora tinham irregularidades, tb me expressei mal nisso e dei a entender errado.

Sei que não existe esquema de eleição que não possa ser fraudado, basicamente porque precisa de um monte de gente para organizar uma eleição e onde tem muita gente sempre  existe falha de segurança.

Mas sei lá..acho que uma coisa tão importante deveria ser levada mais a sério.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Temma em 10 de Outubro de 2008, 18:22:46
yep, um terço  de um estado já é muito expressivo. Pela fonte que você postou, isso foi publicado na Veja. Acredito que pela repercussão, isso tenha sido levado adiante (alguma apuração dos órgãos envolvidos), tem que ver a conclusão de tudo isso. Só estou sendo pragmático. há muitos interesses envolvidos pra passar em branco

E acho se alguém aqui no CC não considerasse sérias essas fraudes (ou qualquer tipo de fraude num pleito tão importante), nem estaríamos aqui discutindo sobre isso, expondo as maneiras de se evitar as fraudes. estariamos acessando o fuxico.com  :)
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 11 de Outubro de 2008, 07:06:51
Achei umas quatro fontes além da Veja e tem muitos comentários em Blogs, mas sobre as investigações não achei nada.

Talvez por sigilo de justiça ou por colocarem uma pedra sobre o assunto   como é de costume.


Lembra quando o Duda Mendonça provou com extratos bancários em uma CPI que movimentou dinheiro do PT no exterior e isso seria motivo comprovado para cancelamento do registro do PT?

Hoje não encontro nem uma linha a respeito do caso.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Mussain! em 11 de Outubro de 2008, 11:31:42
Citar
são lamentáveis esses problemas com urnas eletrônicas, mas não vejo como abandoná-las hoje. que diferença faz um software que aumenta votos pra um candidato, de alguém comprado que "contaria" votos em papel a mais para algum candidato?
Nesse ponto vc tem razão. O problema mesmo está nos humanos... Não em papel ou digital....  :?

Não confio muito, mas.... Melhor com ela. Sobre a perca de dados, acho muito improvável. Deve haver um sistema de backup, armazenamento num tipo de hd, pra que mesmo que o sistema dê problemas, um outro copie as informações criptografadas e tal para o suposto discol. Não entendo como funciona, mas acho que é isto aí.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 11 de Outubro de 2008, 13:53:47
Lembra quando o Duda Mendonça provou com extratos bancários em uma CPI que movimentou dinheiro do PT no exterior e isso seria motivo comprovado para cancelamento do registro do PT?

Hoje não encontro nem uma linha a respeito do caso.


 :o

Veja o que encontrei em um minuto, além do mais tenho a cópia eletrônica de toda a documentação da CPI dos correios (formato PDF):

Citar
Para o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) e o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR), sub-relator de movimentação financeira, a revelação dessas operações torna inevitável a convocação do publicitário a depor na CPI. Quando foi ouvido pela CPI, em agosto do ano passado, Duda compareceu voluntariamente. Os congressistas esperavam ouvir apenas sua sócia, Zilmar Fernandes.

O depoimento, no qual confirmou ter recebido dinheiro ilegalmente no exterior pelos serviços prestados à campanha de Luiz Inácio Lula da Silva e outros em 2002, foi um dos momentos mais tensos da crise política.

fonte: http://www.adpf.org.br/modules/news/article.php?storyid=29943 (http://www.adpf.org.br/modules/news/article.php?storyid=29943)

Citar
No dia 11 de agosto do ano passado Duda Mendonça apareceu na CPI dos Correios durante depoimento da sua sócia Zilmar Fernandez e informou que tinha recebido o equivalente R$ 10,5 milhões do PT como pagamento pelo trabalho de propaganda eleitoral do então candidato Lula. O pagamento também cobria o serviço de propaganda eleitoral prestado a outros concorrentes a cargos majoritários do partido no Rio e de São Paulo. Tudo pelo caixa 2. Segundo Duda, a conta tinha sido aberta por exigência do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, encarregado pelo então tesoureiro petista Delúbio Soares para quitar os custos da campanha.

fonte: http://www.adpf.org.br/modules/news/article.php?storyid=33438 (http://www.adpf.org.br/modules/news/article.php?storyid=33438)


Citar
A CPI que investiga a corrupção no governo vai enviar nesta semana aos Estados Unidos um grupo de parlamentares com a missão de obter os extratos bancários da nova conta do publicitário, descoberta no fim do ano passado em Miami.

fonte: http://www.conjur.com.br/static/text/41061,1 (http://www.conjur.com.br/static/text/41061,1)

Citar
Duda Mendonça

Nesta quinta-feira, a partir das 15h30, Osmar Serraglio e os relatores-adjuntos, deputados Maurício Rands (PT-PE) e Eduardo Paes (PSDB-RJ), reúnem-se com dirigentes do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) do Ministério da Justiça. O encontro servirá para que os parlamentares tenham o primeiro acesso aos extratos bancários das contas, no exterior, do publicitário Duda Mendonça.

Os documentos, que ficarão sob a custódia do DRCI, só poderão ser manuseados, numa primeira fase, pelos três deputados e pelo presidente da CPI dos Correios, senador Delcídio Amaral (PT-MS). Os extratos foram enviados pela Promotoria Distrital de Nova Iorque no final do ano passado, após três meses de negociação. Somente depois da análise de toda a documentação é que a CPI decidirá se convoca ou não Duda Mendonça para depor pela segunda vez.
 

fonte: http://www.tnbrasil.com.br/Noticias/Exibe.asp?CodNoticia=4326&Tipo=4 (http://www.tnbrasil.com.br/Noticias/Exibe.asp?CodNoticia=4326&Tipo=4)

Citar
A conta Dusseldorf, usada pelo publicitário Duda Mendonça para receber no exterior parte do pagamento pela campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002, ainda tem algum dinheiro. Guarda um modestíssimo saldo de US$ 175 - pouco mais que um salário mínimo -, escondidos nas Bahamas, conhecido paraíso fiscal no Caribe. O grosso do dinheiro, portanto, já voou. Mas as autoridades brasileiras identificaram os depositantes dos US$ 3,2 milhões que passaram pela conta vindos das arcas do empresário Marcos Valério. Metade dessa bolada o publicitário já havia explicado como conseguira. Faltava esclarecer a origem do outro US$ 1,6 milhão. Na semana passada, ÉPOCA obteve documentos que mostram os depositantes desses dólares no Caribe. São os famosos extratos enviados pela Promotoria Pública de Nova York, analisados pela Inteligência do Ministério Público Federal.

fonte: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG72451-6009,00-A+LAVANDERIA+DE+DUDA.html (http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG72451-6009,00-A+LAVANDERIA+DE+DUDA.html)
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 11 de Outubro de 2008, 16:21:13
Ótimo!

Mas a quantas anda o cancelamento de registro?
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 11 de Outubro de 2008, 16:22:48
Ótimo!

Mas a quantas anda o cancelamento de registro?

A CPI não encontrou indícios para tanto.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 11 de Outubro de 2008, 16:30:32
Ótimo!

Mas a quantas anda o cancelamento de registro?

A CPI não encontrou indícios para tanto.

Peraí....vamos ver se entendi..o cara diz que pagou as contas  da campanha do Lullalá  com dinheiro ilegal movimentado no exterior pelo partido do presidente, acharam as contas e depositantes mas não tem provas conta o PT?

Eles querem o que como prova além de extratos bancários e depoimento de quem recebeu a grana?

Uma declaração do BUXI assinada pelo Lullalá tb?

Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 11 de Outubro de 2008, 16:36:42

Peraí....vamos ver se entendi..o cara diz que pagou as contas  da campanha do Lullalá  com dinheiro ilegal movimentado no exterior pelo partido do presidente, acharam as contas e depositantes mas não tem provas conta o PT?

Eles querem o que como prova além de extratos bancários e depoimento de quem recebeu a grana?

Uma declaração do BUXI assinada pelo Lullalá tb?



Ele, o Duda Mendonça, deu a entender que o PT não era o único cliente seu que tinha feito isso. O Marcos Valério também esteve envolvido em campanhas anteriores e disse que ia abrir a boca.
Resultado: cada um dos envolvidos cedeu meia dúzia de cabeças para serem cortadas e ficou por isso mesmo.

Agora você entende porque parece que eu defendo o PT, mas não é bem isso não.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 11 de Outubro de 2008, 16:38:37
Resumindo, colocaram uma pedra sobre o assunto.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 11 de Outubro de 2008, 16:42:06
Resumindo, colocaram uma pedra sobre o assunto.

Infelizmente sim, Arcanjo.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Luiz Souto em 11 de Outubro de 2008, 19:40:47
Resumindo, colocaram uma pedra sobre o assunto.

Infelizmente sim, Arcanjo.

Entrando na discussão , pedras no assunto são uma prática velha e antecedem os conchavos do PT no caso do mensalão. No fim das contas se puxa do bolso o termo "governabilidade" e todos fazem uma acomodação.

Quando estourou o escãndalo que culminou com o impeachment de Collor , foi lembrado que TODO o processo de eleição presidencial de 1989 estava comprometido e que em consequência dever-se-ia convocar nova eleição. Arrumaram rapidamente um tapete para empurrar esta idéia para baixo e o cargo passou para o Itamar.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Dodo em 11 de Outubro de 2008, 21:39:25

Entrando na discussão , pedras no assunto são uma prática velha e antecedem os conchavos do PT no caso do mensalão. No fim das contas se puxa do bolso o termo "governabilidade" e todos fazem uma acomodação.

Quando estourou o escãndalo que culminou com o impeachment de Collor , foi lembrado que TODO o processo de eleição presidencial de 1989 estava comprometido e que em consequência dever-se-ia convocar nova eleição. Arrumaram rapidamente um tapete para empurrar esta idéia para baixo e o cargo passou para o Itamar.

Foi isso que tentei, inutilmente, explicar em outro tópico. Os problemas políticos do Brasil antecedem até mesmo o próprio PT.

Mas.... como eu disse, foi inútil.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Outubro de 2008, 08:14:20

Entrando na discussão , pedras no assunto são uma prática velha e antecedem os conchavos do PT no caso do mensalão. No fim das contas se puxa do bolso o termo "governabilidade" e todos fazem uma acomodação.

Quando estourou o escãndalo que culminou com o impeachment de Collor , foi lembrado que TODO o processo de eleição presidencial de 1989 estava comprometido e que em consequência dever-se-ia convocar nova eleição. Arrumaram rapidamente um tapete para empurrar esta idéia para baixo e o cargo passou para o Itamar.

Foi isso que tentei, inutilmente, explicar em outro tópico. Os problemas políticos do Brasil antecedem até mesmo o próprio PT.

Mas.... como eu disse, foi inútil.


Eu tb já disse isso várias vezes, uma boa parte dos esquemas de corrupção que apareceram nas últimas CPIs tinham participação de gente do PT e do PSDB.

Não é sem motivo que "nunca encontraram provas" para dar um bota fora no LUllalá, isso mostraria a sujeira dos dois partidos.

A minha aversão especial ao PT é mais pelo passado do pessoal que o fundou  e pela ideologia que o pessoal mais radical ainda segue, e principalmente porque conheci gente que conviveu com os fundadores dele lá pelos anos 70 e como comentei não valem uma moeda furada.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Lua em 12 de Outubro de 2008, 10:30:38
Foi a primeira vez que participei de um processo eleitoral de perto e verifiquei as mais absurdas situações: vi dezenas de pessoas desesperadas, chorando, afirmando que não conseguiram votar para prefeito. Outras disseram que apareceu a foto de um candidato ao invés do outro. Isso sem contar nos erros absurdos cometidos por mesários e presidentes de mesa.

Na minha cidade até os mortos votaram (inclusive um senhor que foi assassinado recentemente). Pessoas foram votar e já haviam votado por elas. Quer bagunça pior? Descobri que o mesmo aconteceu em diversas cidades da vizinhança. Surpreendentemente, todos os candidatos a prefeito que detinham maioria nas pesquisas perderam as eleições (a diferença era de cerca de 8 a 12% dos votos do eleitorado).

Primeiro: minha cidade recebeu a 'visita' de um major, dois tenentes e uns 15 pms. Era inegável que estavam trabalhando a favor da oposição (PT) e foram enviados pelo próprio governador, a pedido de um deputado federal petista. De sábado para domingo foi estipulado um 'toque de recolher' em que a oposição não se recolheu e fez um arraso comprando votos. Precisei sair de casa durante a noite e quase fui presa. Para minha surpresa, encontrei dois fazendeiros da região passeando pela cidade como se nada tivesse acontecido. E a movimentação no fórum também não era nada inocente - não havia ninguém das duas coligações para fiscalizar, já que todos precisavam estar recolhidos.

O resultado: eleições perdidas e o major e seu séquito de policiais num churrasco, na segunda feira, na casa do candidato que venceu o pleito. Depois disso tudo, ando desconfiadíssima do PT (já que o mesmo se repetiu em diversas cidades vizinhas)...  :hein:
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Skorpios em 12 de Outubro de 2008, 10:34:44
Foi a primeira vez que participei de um processo eleitoral de perto e verifiquei as mais absurdas situações: vi dezenas de pessoas desesperadas, chorando, afirmando que não conseguiram votar para prefeito. Outras disseram que apareceu a foto de um candidato ao invés do outro. Isso sem contar nos erros absurdos cometidos por mesários e presidentes de mesa.

Na minha cidade até os mortos votaram (inclusive um senhor que foi assassinado recentemente). Pessoas foram votar e já haviam votado por elas. Quer bagunça pior? Descobri que o mesmo aconteceu em diversas cidades da vizinhança. Surpreendentemente, todos os candidatos a prefeito que detinham maioria nas pesquisas perderam as eleições (a diferença era de cerca de 8 a 12% dos votos do eleitorado).

Primeiro: minha cidade recebeu a 'visita' de um major, dois tenentes e uns 15 pms. Era inegável que estavam trabalhando a favor da oposição (PT) e foram enviados pelo próprio governador, a pedido de um deputado federal petista. De sábado para domingo foi estipulado um 'toque de recolher' em que a oposição não se recolheu e fez um arraso comprando votos. Precisei sair de casa durante a noite e quase fui presa. Para minha surpresa, encontrei dois fazendeiros da região passeando pela cidade como se nada tivesse acontecido. E a movimentação no fórum também não era nada inocente - não havia ninguém das duas coligações para fiscalizar, já que todos precisavam estar recolhidos.

O resultado: eleições perdidas e o major e seu séquito de policiais num churrasco, na segunda feira, na casa do candidato que venceu o pleito. Depois disso tudo, ando desconfiadíssima do PT (já que o mesmo se repetiu em diversas cidades vizinhas)...  :hein:

Onde você mora, Lua ?
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Outubro de 2008, 10:37:08
Que tal isso aqui?

Eu já havia postado uma notícia  em que mesários foram autorizados a guardar urnas eletrônicas em casa e uma delas quase foi queimada em um incêndio, agora aparece esse vídeo no Youtube  mostrando urnas em caixas sem lacre sendo transportadas em carros comuns sem qualquer segurança.

Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Lua em 12 de Outubro de 2008, 10:40:29
Que tal isso aqui?

Eu já havia postado uma notícia  em que mesários foram autorizados a guardar urnas eletrônicas em casa e uma delas quase foi queimada em um incêndio, agora aparece esse vídeo no Youtube  mostrando urnas em caixas sem lacre sendo transportadas em carros comuns sem qualquer segurança.


Sinceramente, que tipo de juiz autoriza um mesário a guardar urnas eletrônicas em casa? É totalmente irracional, levando em conta a lisura que deve nortear o processo eleitoral. Por essas e outras, não sei onde esse país vai parar. ¬¬
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Outubro de 2008, 10:44:35
Matéria de jornal na televisão comprovando fraude nas urnas de Guarulhos em 2004

http://br.youtube.com/watch?v=AY6nefQTf5A&NR=1

Que tal isso aqui?

Eu já havia postado uma notícia  em que mesários foram autorizados a guardar urnas eletrônicas em casa e uma delas quase foi queimada em um incêndio, agora aparece esse vídeo no Youtube  mostrando urnas em caixas sem lacre sendo transportadas em carros comuns sem qualquer segurança.


Sinceramente, que tipo de juiz autoriza um mesário a guardar urnas eletrônicas em casa? É totalmente irracional, levando em conta a lisura que deve nortear o processo eleitoral. Por essas e outras, não sei onde esse país vai parar. ¬¬

Mas foi isso mesmo, os caras ficaram com as urnas em casa até o dia da eleição.

Mais de 5000 urnas no estado de MS e umas 1400 só em uma cidade.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: SnowRaptor em 26 de Outubro de 2008, 19:26:01
A maioria dos problemas seria resolvida se colocassem de volta aquela impressora que imprimia cada voto computado. Melhor ainda: perfurar cada voto em um cartão.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: DDV em 29 de Outubro de 2008, 13:15:28
O sistema de votação nos EUA está me parecendo bem mais "estranho" do que o daqui. Estive vendo que lá vota-se com antecedência, vota-se por e-mail, astronautas votam do espaço, votam pessoas que estão fora do país, etc
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Mussain! em 29 de Outubro de 2008, 13:18:32
É. Também vi. Isso sim é bem mais vulnerável, acho.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: darkshi em 29 de Outubro de 2008, 18:08:04
Perfeito não é. Mas é incomparável com o sistema de cédulas.

Maioria das fraudas aqui sitadas são perfeitamente possíveis em qualquer sistema eleitoral. Eleitor que já morreu, eleitor que já teve seu voto utilizado por terceiros. Nada disso é impossível, na verdade, o contrario, é muito mais facilitado em um sistema de cédulas.

Não achem que é fácil adulterar uma urna. Que mexer em seus sistemas é como programar um video-cacete.
Os software são de produção interna e centralizada no TSE. Todos os sistemas, em suas versões utilizadas na eleição, são assinados digitalmente. A mais minima alteração no sistema é facilmente detectável. Nenhum técnico dos TREs tem acesso aos sistemas eleitorais.
E os sistemas são desenvolvido por equipes de cerca de 10 pessoas. Não tem mudanças no código que passaria desapercebido pela equipe inteira. Sem contar que do voto a sua totalização, o voto passa por mais de um sistema e distorções graves são facilmente visíveis.

Os países que recusaram o sistema eletrônico brasileiro sob o pretexto de ele não ser seguro é a mesma coisa que uma pessoa que tem um fusca velho recusar um Astra porque não é uma Ferrari.

O sistema não é perfeito. Mas sim o melhor que há no mundo. É o mais difícil de ser fraudado.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: JUS EST ARS em 29 de Outubro de 2008, 18:10:09


É assim tão bom mesmo? Porque se for fico orgulhoso desse mecanismo brasileiro.



Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Temma em 29 de Outubro de 2008, 18:59:30
acho que a resistência de países ricos é mais pelo aspecto cultural. nesses países as pessoas, por serem mais politizadas, teriam mais receio de um futuro 'orwelliano', então qualquer medida que pode abrir um precedente pra isso (identificação dos votos), acaba sendo vista com desconfiança.



Deixa eu traçar um paralelo com a campanha do desarmamento. Até  da efetiva campanha nas Tevês, a maioria das pessoas não tinha se ligado tanto nas consequências do desarmamento (e que a campanha contra o desarmamento conseguiu extrapolar às últimas consequências), tanto é que a maioria da população apoiava o desarmamento... quando isso tudo veio à tona, a população repeliu o desarmamento.



Digamos que se fosse feita uma ampla campanha dos potenciais perigos que uma eleição eletrônica em teoria pode ter, talvez aconteceria o mesmo em relação ao voto eletrônico.



E isso nem quer dizer que agimos errado nem nada. acho que essa credulidade acabou sendo positiva, visto que na minha opinião as urnas atuais são mesmo mais confiáveis que as antigas.

Acho que o fato de o judiciário à época não ter sua imagem manchada pela corrupção (Hoje com o Gilmar MEndes a coisa é diferente dhasjdhsja) contribuiu para isso também.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: SnowRaptor em 30 de Outubro de 2008, 07:04:02
Tem uma coisa chamada criptografia e outra chamada assinatura digital, que não existem nas cédulas. Como não se leva mais que 12h pra totalizar os votyos, o tempo também é um fator dificultador de fraudes.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: huawei em 05 de Novembro de 2008, 00:22:20
Eu fiu mesário. Pelo que  persebi do funcionamento, uma fraude so pode ser feita pelo TSE ou TRE. Mas aí não teria sistema no mundo capaz de impedir a fraude.
Título: Especialistas em tecnologia dizem que urna eletrônica não é segura
Enviado por: 4 Ton Mantis em 25 de Novembro de 2008, 19:18:56
http://www.diariodopara.com.br/noticiafull.php?idnot=15866 (http://www.diariodopara.com.br/noticiafull.php?idnot=15866)


Especialistas em tecnologia que participaram da audiência pública da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania nesta terça-feira afirmaram que a urna eletrônica não é segura. Os participantes explicaram aos deputados várias formas de fraude que podem ocorrer durante o processo eleitoral. A maior parte delas não é detectável e não pode ser comprovada. Como o voto não é mais impresso, não há uma forma de refazer a apuração e não há provas materiais da fraude para um eventual processo judicial.

O professor de Ciência da Computação da Universidade de Brasília (UnB) Pedro Dourado Rezende disse que o modo mais seguro de evitar fraudes é dar ao eleitor a possibilidade de fiscalizar o processo. Para isso, é preciso haver um registro impresso da votação.

Pedro Rezende explica as características exigidas em uma eleição. "O processo eleitoral é avesso à informatização. Por um motivo muito simples: ele exige duas propriedades, duas qualidades, dois objetivos que são antagônicos no virtual - o sigilo para que não seja identificado o eleitor com o voto e a correta soma. [A urna eletrônica] é um sistema que elimina as formas de varejo de fraude, mas ao custo e ao preço de introduzir formas por atacado e invisíveis de fraude, as quais o eleitor e as potenciais vítimas não têm como demonstrar."

Urnas com problemas

Para o diretor da empresa Microbase Tecnologia, Frederico Gregório, "os resultados das eleições feitas apenas com urnas eletrônicas não são confiáveis". A Microbase é a responsável pelo sistema operacional VirtuOS, que foi utilizado em grande parte das urnas eletrônicas brasileiras até a penúltima eleição.

Gregório afirmou que sua empresa foi contratada em 1998 para resolver um problema apresentado pelas urnas. Segundo ele, em 2008 houve uma mudança no sistema operacional, e a falha voltou a acontecer. O diretor da Microbase disse que, nas últimas eleições, aproximadamente 30% das urnas tiveram problema, percentual muito acima do normal, que é de 2% a 3%.

Especialistas e deputados lembraram ainda que o Brasil é o único país que usa apenas a urna eletrônica, sem impressão do voto. A opinião comum é que outras nações receiam eliminar a prova material do voto.

Processo transparente

O presidente da subcomissão especial de Segurança do Voto Eletrônico, deputado Magela (PT-DF), resumiu as propostas que estão sendo analisadas na comissão. "Nós queremos propor que o voto possa ser materializado, ou seja, que tenha um papel para que, caso haja dúvidas dos partidos ou da sociedade, possa ser feita uma recontagem. Além disso, queremos garantir aos partidos políticos e à sociedade como um todo a possibilidade de fiscalizar o processo eleitoral desde o início da elaboração do programa até a divulgação do resultado. Todo o processo tem que ser transparente. Hoje, nós não temos instrumentos de fiscalização nem transparência", ressaltou.

O professor Pedro Rezende criticou o processo de auditoria das urnas. Ele destacou que a fiscalização e o julgamento do processo eleitoral são feitos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ou seja, pela própria autoridade que executa as eleições.

Ele recomendou ainda uma forma simples para evitar as fraudes no cadastro dos eleitores. No momento da eleição, bastaria o eleitor ter o dedo pintado com uma tinta que saia dois ou três dias depois da votação. Pedro Rezende acredita que a tinta no dedo é uma forma de os próprios eleitores fiscalizarem uma parte do processo, evitando que um cidadão vote várias vezes.

O deputado Gerson Peres (PP-PA), que sugeriu o debate, informou que a comissão fará mais uma audiência com técnicos da Justiça Eleitoral e depois apresentará sugestões para melhoria do processo eleitoral.
Título: Re: Especialistas em tecnologia dizem que urna eletrônica não é segura
Enviado por: FxF em 26 de Novembro de 2008, 07:20:48
http://www.youtube.com/v/IoWJkrlptNs
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Temma em 29 de Novembro de 2008, 20:07:20



reportagem da Band sobre alguns problemas no Pará
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 30 de Novembro de 2008, 08:41:32
Eu fiu mesário. Pelo que  persebi do funcionamento, uma fraude so pode ser feita pelo TSE ou TRE. Mas aí não teria sistema no mundo capaz de impedir a fraude.

O problema é que existem casos comprovados de fraude em urna eletrônica, então se existir conivência de funcionários do TSE será fácil meia dúzia de técnicos fraudarem uma eleição inteira.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Fabulous em 30 de Novembro de 2008, 12:09:39
É possível fraudar sim e não são confiáveis. Aliás, tem um esquema ai que pelo titulo de eleitor da para saber para quem votou.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: darkshi em 30 de Novembro de 2008, 12:18:33
É possível fraudar sim e não são confiáveis. Aliás, tem um esquema ai que pelo titulo de eleitor da para saber para quem votou.

Não tem não.
Os relação de qual eleitor votou em qual candidato não existe nos bancos de dados do TSE.
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: Lua em 30 de Novembro de 2008, 14:57:09
É possível fraudar sim e não são confiáveis. Aliás, tem um esquema ai que pelo titulo de eleitor da para saber para quem votou.

Até onde sei, existem possibilidades de fraudar uma eleição inteira mas não a possibilidade de saber em qual candidato o eleitor votou... Aliás, é essa a razão de muitos países rejeitarem a adoção de urnas eletrônicas: a impossibilidade de guardar provas materiais dos votos. Aliás, esse tipo de dado seria importante nos casos em que houve fraude, já que haveria uma possibilidade de conferir eleitores votantes e votos dados... e mesmo assim, isso não é garantia de resultado idôneo. No fim das contas, não existe meio de impedir fraudes em nada que existe no mundo: no começo é tudo muito seguro e à prova de invasões e pirataria, mas logo surge alguém capaz de reverter isso...
Título: Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
Enviado por: FxF em 30 de Novembro de 2008, 14:59:21
Citar
No fim das contas, não existe meio de impedir fraudes em nada que existe no mundo: no começo é tudo muito seguro e à prova de invasões e pirataria, mas logo surge alguém capaz de reverter isso...
"Tudo que um homem é capaz de criar, outro é capaz de destruir"
Título: Re: Especialistas em tecnologia dizem que urna eletrônica não é segura
Enviado por: Mr. Mustard em 10 de Fevereiro de 2009, 23:12:27
Claro que não é segura! Afinal de contas, o Lula ganhou 2 vezes! Como isso é possível?
Título: Re: Especialistas em tecnologia dizem que urna eletrônica não é segura
Enviado por: Gaúcho em 10 de Fevereiro de 2009, 23:17:18
Afinal, são só 84% de aprovação...
Título: Re: Especialistas em tecnologia dizem que urna eletrônica não é segura
Enviado por: Mr. Mustard em 10 de Fevereiro de 2009, 23:18:42
Afinal, são só 84% de aprovação...

Eita maquininha que gosta de desviar votos viu! :-D
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Unknown em 23 de Novembro de 2009, 16:50:01
Recentemente o TSE fez um teste de segurança com as urnas eletrônicas. Notícias sobre o assunto:
Citação de: [url=http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2009/11/20/perito-quebra-sigilo-eleitoral-e-descobre-voto-de-eleitores-na-urna-eletronica/]IDG Now![/url]
Perito quebra sigilo e descobre voto de eleitores em urna eletrônica do Brasil

Especialista ganha prêmio do TSE por registrar interferência da urna sobre rádio, o que permitiria romper segredo por meio de receptores baratos.

Durante os testes promovidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para testar a segurança da urna eletrônica a ser usada nas eleições de 2010, um perito teve sucesso em quebrar o sigilo eleitoral e descobrir, por meio de radiofrequência, o candidato escolhido pelo eleitor.

O consultor Sérgio Freitas da Silva compôs o grupo de 32 especialistas convocados pelo TSE e compareceu à sede do órgão na terça-feira (10/11), primeiro dia dos testes, com a estratégia de detectar a interferência eletromagnética que a urna exerce sobre as ondas de rádio.

"Fiz meu experimento em 29 minutos e obtive sucesso no escopo que estava proposto: rastrear a interferência e gravar arquivos para comprovar a materialidade do fenômeno", que sintonizam ondas longas e curtas e estações em AM e FM.

Segundo Sérgio, o equipamento usado é encontrado em rádios convencionais vendidos nas lojas, "destes que custam 10 reais". A técnica acabou dando a Sérgio a primeira posição no concurso de melhorias para urna promovido pelo TSE, o que lhe rendeu prêmio de cinco mil reais.

"Enquanto eu digitava na urna, rastreava através do rádio pra ver se detectava alguma interferência. Consegui rastrear a interferência que isto provocava na onda, gravando um arquivo WAV com estes sons", explica.

Sérgio explica que após gravar os ruídos que os botões da urna eletrônica exercem sobre a onda é possível decodificar os sons, o que levaria à descoberta dos candidatos escolhidos pelo eleitor, quebrando seu sigilo.

"É como se o teclado da urna eletrônica se transformasse em um teclado musical, conseguindo rastrear a tonalidade da interferência neste arquivo WAV que gravei", compara.

A técnica descrita por Sérgio é chamada de Van Eck Phreaking, segundo o especialista em segurança Marco Canut, que confirma a possibilidade de quebra do sigilo eleitor caso o método seja aplicado à urna eletrônica brasileira.

Canut é diretor geral da Tempest, consultoria de segurança contratada tanto pela iniciativa privada como pelo Governo para realizar testes de segurança em sistemas computacionais, mesmo intuito do TSE ao convocar os 32 especialistas que atacariam a urna eletrônica.

"Todo computador é uma pequena estação de rádio, emitindo ondas eletromagnéticas", explica Canut. Enquanto os humanos notam como um chiado, a interferência pode ser "entendida" por máquinas, demonstrando qual a tecla escolhida pelo eleitor.

No experimento realizado no TSE, o perito precisava estar a até 20 centímetros da urna para que sua interferência fosse sentida no receptor do rádio.

É o próprio Sérgio, porém, quem esclarece que o uso de antenas mais potentes podem fazer com que a captação seja feita a até dezenas de metros da urna, como demonstraram os pesquisadores Martin Vaugnoux e Sylvain Pasini.

No experimento, gravado em vídeo no Vimeo (http://vimeo.com/2007855), o apertar de botões em teclados convencionais poderiam ser interceptados e decifrados a até 20 metros de distância de onde a suposta vítima usava seu computador.

Se aplicássemos o modelo para seções eleitorais brasileiras, a distância seria suficiente não apenas para eleitores ou acompanhantes longe das salas onde as urnas estão, mas também para imóveis vizinhos aos prédios onde acontecem as votações.

Sérgio explica que seriam necessárias antenas mais potentes que melhorem a recepção do sinal no sistema. A estratégia quebra o sigilo do eleitor, não podendo ser aplicada para alterar os resultados de votações.

Durante a Guerra Fria, o exército dos Estados Unidos descreveu os perigos da interceptação de ondas eletromagnéticas em documentos conhecidos como Tempest, nome que acabou se tornando o apelido da técnica, explica Canut.

Desde então, as instalações militares norte-americanas usam técnicas que as blindam do vazamento eletromagnético. O especialista não vê a blindagem da urna eletrônica como uma saída plausível já que a "tornaria mais cara, mais pesada e de manutenção mais díficil".

Possíveis alterações que poderiam minimizar a emissão de onda pela urna, sugere Canut, incluiriam o uso de teclados sensíveis a toque, menos invasivos que os mecânicos usados atualmente pelo TSE.

Procurado pela reportagem, o TSE confirmou que, ao contrário do que havia confirmado anteriormente, quando disse que nenhuma estratégia de ataque havia tido sucesso, que o teste de Sérgio foi bem sucessido, mas fez ressalvas.

"Nas condições que ele conseguiu, a repetição durante uma eleição é impraticável.  Seria necessário que a pessoa ficasse a centímetros da urna, o que não é permitido. A cabine é vigiada pelos mesários. Ninguém pode ficar próximo", afirmou o o secretário de tecnologia do TSE, Giuseppe Gianino.

Questionado sobre a possibilidade de uso de equipamento mais potente, levantada pelo próprio Sérgio, Gianino afirmou que se trata "do campo teórico".  "Se tivesse realmente a possibilidade, ele (Sérgio) teria apresentado um aparelho que faria isto".
Citação de: [url=http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2009/11/18/tse-exalta-acao-de-hackers-nas-urnas-mas-descarta-teste-promovido-pela-web/]IDG Now![/url]
TSE exalta ação de hackers nas urnas, mas descarta teste promovido pela web

Secretário de TI do TSE detalha tentativas de invasão da urna, diz que migração para Linux tornou sistema mais seguro e descarta teste na web.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou como prova da segurança das urnas eletrônicas o término dos testes realizados com hackers na semana passada, mas descartou a possibilidade de expandir a avaliação para o ambiente digital nos próximos ciclos eleitorais.

O teste permitiu que 32 especialistas em segurança digital tentassem aplicar estratégias para quebrar as barreiras de segurança da urna eletrônica e explorarem ataques que permitiriam a manipulação dos votos e a consequente fraude das eleições no Brasil.

Anunciado em outubro, o evento promovido pelo TSE ocorreu entre os dias 10 e 13 de novembro, na primeira vez em que as urnas eletrônicas estiveram disponíveis para que fossem testadas por especialistas sem ligações diretas com o tribunal eleitoral.

Para o secretário de tecnologia do TSE, Giuseppe Gianino, o teste "não foi só um desafio, mas também uma forma de, através do meio científico e acadêmico, melhorar os dispositivos de segurança" que garantem a isenção do processo eleitoral no Brasil.

Classificado por Gianino como inédito internacionalmente, o teste com hackers será integrado ao ciclo eleitoral de dois anos montado pelo TSE para revisar especificações técnicas e preparar as urnas que serão usadas nos pleitos.

O executivo, porém, descarta a possibilidade de levar o teste para fora de ambientes controlados pelo TSE, oferecendo as soluções de segurança online para que hackers possam tentar quebrar os sistemas remotamente.
 
"O teste deve ser realizado dentro de ambiente controlado e com observação da comissão disciplinadora para que sirva de material para promover a melhoria. Não vamos simplesmente submeter a urna a testes sem que haja retornos produtivos", explicou.

O grupo de especialistas contou com peritos em tecnologia da Polícia Federal, Marinha, Controladoria Geral da União, Procuradoria Geral da República e Tribunal Superior do Trabalho, além de empresas privadas, como a Cáritas Informática e a ISSA. Membros da academia, como a Universidade de Brasília, também participaram da prova.

Entre os dez planos de ataque realizados pelos especialistas, tentou-se fraudar o resultado das eleições por invasão de software, o que permitiria desvios de votos e criação e manipulação de dados que trouxessem suspeitas ao processo, ou por hardware, como a leitura por radiofrequência do apertar de cada tecla, método não invasivo para descobrir a escolha do eleitor.

Além da migração para o sistema Linux, realizada para as eleições de 2008, a incapacidade dos especialistas em invadirem a urna eletrônica tem relação, segundo Gianino, com "vários dispositivos de segurança encadeados que, uma vez estabelecidos, tornam a fraude inviável", adicionado "várias barreiras de segurança vinculadas" que dificultam o ataque.

A troca do sistema operacional (http://idgnow.uol.com.br/computacao_corporativa/2007/12/14/idgnoticia.2007-12-14.7421326619/) (anteriormente, o TSE usava os sistemas VirtuOS e Windows CE, da Microsoft) forçou o órgão a reescrever os aplicativos usados pela urna eletrônica, o que ajudou na sofisticação dos mecanismos de segurança do equipamento.

A ação dos peritos que tentaram invadir a urna se desdobrou em sugestões para melhoria da segurança do equipamento.

O TSE anuncia nesta sexta-feira (20/11) os prêmios de cinco mil reais, três mil reais e dois mil reais para as melhorias e sugestões técnicas.
Citação de: [url=http://idgnow.uol.com.br/internet/2009/11/20/hackers-que-testaram-urna-eletronica-sao-premiados/]IDG Now![/url]
Hackers que testaram urna eletrônica recebem prêmios

Para o presidente do TSE, ministro Carlos Ayres Brito, avaliações demonstraram que o sistema de votação adotado pelo Brasil é confiável.

O sistema eletrônico de votação brasileiro foi considerado inviolável depois de diversos testes de invasão realizados por hackers entre os dias 10 e 13 deste mês, sob a coordenação do ministro Ricardo Lewandowski, do Tribunal Superior Eleitoral.

A experiência, que foi inicialmente sugerida pelo PT e pelo PDT e depois encampada pelo Ministério Público, contou com trabalhos de profissionais da área da Tecnologia da Informação (TI). Os hackers convidados foram premiados nesta sexta-feira (20/11), em Brasília.

O primeiro deles, o consultor de segurança da informação, Sérgio Freitas, recebeu R$ 5 mil. Ele concluiu que só seria possível captar os sinais eletromagnéticos de uma urna a cinco centímetros dela, "para que fosse possível eventualmente decodificar os sinais e saber o que foi digitado". Segundo ele, com essa distância, o equipamento estranho ficaria visível, pela sua estrutura física, o que não tornaria a experiência possível.

Para o presidente do TSE, ministro Carlos Ayres Brito, os testes demonstraram que o sistema de votação adotado pelo Brasil "é confiável, sendo um fiador da legitimidade do processo eleitoral, assegurando a soberania do voto". Ele destacou que é um sistema de fácil manejo, rápido e absolutamente seguro, pelo que está demonstrado.

O ministro Ricardio Lewandowski afirmou que o TSE vai redobrar a atenção ao lacre das urnas, porque é o único atrativo para quem quer burlá-las. Os testes feitos pelos chamados hackers  que testaram o sistema, sob sua coordenação, no entanto, não conseguiram retirá-lo sem danos.

As avaliações foram realizados com a presença de observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA). Os demais premiados foram Fernando Andrade Martins de Araújo e a equipe da Controladoria Geral da União, em segundo lugar; Antônio Gil Borges de Barros e a equipe da Cáritas Informática, em terceiro. Os prêmios foram de R$ 3 mil e R$ 2 mil, respectivamente.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Spitfire em 23 de Novembro de 2009, 17:08:53
Mas o "teste" hacker com a urna eletrônica foi feito sob uma situação controlada, inexistente no mundo real. Ocorre que no mundo real, em uma sessão eleitoral por exemplo, não existem apenas 1 urna, existem várias, e o nível de ruído eletro-magnético gerado pelo funcionamento delas, simultaneamente, gera-se uma cacofonia inaudível e indistinguível... isto sem contar com outras fontes de ruídos, como celulares, emissoras de TV e rádio com seus transmissores de vários KWatts, redes wi-fi e a própria indução da rede elétrica. No mundo real esta "solução" é impraticável.

Além do que, 1 "cabo eleitoral" ao lado de cada urna, com um headphone nos ouvidos, me parece uma atitude muito fácil de se coibir... enfim... bullshit.  ::) :P
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Mr. Mustard em 23 de Novembro de 2009, 17:12:08
Apesar de uma fraude aqui outra acolá, prefiro mil vezes o sistema eletrônico.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Spitfire em 23 de Novembro de 2009, 17:18:29
Além do que, o "sistema" apresentado, mesmo se viável fosse (não é por N razões), não permite adulterar o resultado mas simplesmente viola o voto secreto... a única aplicação seria para uma apuração paralela (que apenas confirmaria a idoneidade do sistema)  e não para mudar o resultado da urna... enfim, como disse, bullshit.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: gustavo em 25 de Novembro de 2009, 13:58:39
Perfeito não é. Mas é incomparável com o sistema de cédulas.

Maioria das fraudas aqui sitadas são perfeitamente possíveis em qualquer sistema eleitoral. Eleitor que já morreu, eleitor que já teve seu voto utilizado por terceiros. Nada disso é impossível, na verdade, o contrario, é muito mais facilitado em um sistema de cédulas.

Não achem que é fácil adulterar uma urna. Que mexer em seus sistemas é como programar um video-cacete.
Os software são de produção interna e centralizada no TSE. Todos os sistemas, em suas versões utilizadas na eleição, são assinados digitalmente. A mais minima alteração no sistema é facilmente detectável. Nenhum técnico dos TREs tem acesso aos sistemas eleitorais.
E os sistemas são desenvolvido por equipes de cerca de 10 pessoas. Não tem mudanças no código que passaria desapercebido pela equipe inteira. Sem contar que do voto a sua totalização, o voto passa por mais de um sistema e distorções graves são facilmente visíveis.

Os países que recusaram o sistema eletrônico brasileiro sob o pretexto de ele não ser seguro é a mesma coisa que uma pessoa que tem um fusca velho recusar um Astra porque não é uma Ferrari.

O sistema não é perfeito. Mas sim o melhor que há no mundo. É o mais difícil de ser fraudado.

Obscuridade não é segurança. Nem convocar "hackers" pagando R$2000 (mixaria) em caso de falhas detectadas.

Transparência total no processo é o que torna o mesmo confiável, sem esquecer que segurança é um processo.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 28 de Novembro de 2009, 18:06:00
Só seria confiável se imprimissem o voto em duas vias, uma cópia ficaria com o eleitor e outra para confirmação dos resultados em uma recontagem obrigatória.

Acho que não é sem motivo que recusaram as urnas em outros países.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Unknown em 28 de Novembro de 2009, 18:30:35
Só seria confiável se imprimissem o voto em duas vias, uma cópia ficaria com o eleitor e outra para confirmação dos resultados em uma recontagem obrigatória.

Acho que não é sem motivo que recusaram as urnas em outros países.
Fraudar cópia impressa é muito mais fácil que fraudar a urna eletrônica.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Eremita em 28 de Novembro de 2009, 19:10:18
Acho mais fácil de dividir as falcatruas de qualquer sistema eleitoral em dois tipos: "quebra do sigilo do voto" e "fraude".

Fraude é relativamente fácil de se combater, e pra mim depende mais de transparência (como o Gustavo falou) no processo que outra coisa. Se houver a possibilidade de transmissão ao vivo das apurações, acho que seria uma boa usar a velha votação por papel.

A quebra do sigilo é mais difícil de combater; não é necessário, nem recomendado, alterar o sistema quando você quer obter dados. Contra interceptação de qualquer sinal de longo alcance, criptografia; contra o "mostre no celular em quem você tá votando", não sei - talvez pedir pra que não levem celulares, ou levem-os desligados? Entretanto, isso seria incômodo, seria necessário talvez detectores ou gente fazendo vistorias (duas pessoas por sala, o que é bastante e pode onerar muito o processo).
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 28 de Novembro de 2009, 22:57:43
Só seria confiável se imprimissem o voto em duas vias, uma cópia ficaria com o eleitor e outra para confirmação dos resultados em uma recontagem obrigatória.

Acho que não é sem motivo que recusaram as urnas em outros países.
Fraudar cópia impressa é muito mais fácil que fraudar a urna eletrônica.

Mas teriam de fraudar a urna e a cópia impressa.

E o eleitor poderia conferir na hora se o voto impresso é igual ao que digitou na urna.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _tiago em 28 de Novembro de 2009, 23:00:13
Ou seja, eles fraudariam tudo de alguma forma.
E se o voto fosse facultativo, existiriam eleitores fantasmas!
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabi em 28 de Novembro de 2009, 23:04:47
Já viram o recadastramento biométrico? Agora todo mundo vai ter que cadastrar as digitais.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _tiago em 28 de Novembro de 2009, 23:07:56
Já viram o recadastramento biométrico? Agora todo mundo vai ter que cadastrar as digitais.

Nossa... Vc me lembrou disso! Eu tenho que fazer e somente faria no último dia, depois de sem querer ver na Net.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 28 de Novembro de 2009, 23:11:28
Ou seja, eles fraudariam tudo de alguma forma.
E se o voto fosse facultativo, existiriam eleitores fantasmas!

Que diminuiriam se todo mundo tivesse apenas um documento com um número de registro ao invés de carteira disso, daquilo ou daquilo outro só para provar que é o fulano de tal.

Quanto mais burocracia, mais fraudes.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 28 de Novembro de 2009, 23:12:38
Já viram o recadastramento biométrico? Agora todo mundo vai ter que cadastrar as digitais.

Esqueci por pura falta de tempo, preciso fazer tb.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 28 de Novembro de 2009, 23:15:17
não se preocupe. Por enquanto, só em pororóca da serra, quixeramobim e são joão da PQP. Acho.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 28 de Novembro de 2009, 23:16:42
e mais, o procedimento biométrico é uma estratégia de autenticação, não de autorização. O problema segue exatamente o mesmo como definido no link inicial.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _tiago em 28 de Novembro de 2009, 23:26:28
Ou seja, eles fraudariam tudo de alguma forma.
E se o voto fosse facultativo, existiriam eleitores fantasmas!

Que diminuiriam se todo mundo tivesse apenas um documento com um número de registro ao invés de carteira disso, daquilo ou daquilo outro só para provar que é o fulano de tal.

Quanto mais burocracia, mais fraudes.

Se a lei de unificação de tudo ainda não foi aprovada já encontra-se na mão do Lula. Mas a perspectiva de utilização encontra-se lá longe no tempo.
Agora, interessante que a burocracia foi inventada pra se evitar as fraudes. Procuração, documento, leis sobre sigilos... Pessoas impondo-se barreiras pra que elas mesmas não se sacaneiem.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _tiago em 28 de Novembro de 2009, 23:38:17
e mais, o procedimento biométrico é uma estratégia de autenticação, não de autorização. O problema segue exatamente o mesmo como definido no link inicial.

Ainda que fosse um estratégia de autorização, o problema ainda não persistiria? Olha as falhas apontadas...

Citar
Resumindo o que foi mostrado nas seções precedentes, lista-se a seguir as principais falhas de segurança no projeto e implantação da urna eletrônica brasileira:
1 - A legislação sobre o voto eletrônico é pouco detalhada, permitindo interpretações "liberais" que desvirtuam a segurança.
2 - O conhecimento apenas dos programas-fonte pelos técnicos dos partidos não valida o software real carregado na urna.
3 - A ausência de fiscalização externa ao TSE na compilação e carga dos programas.
4 - O teste de certificação das urnas é invalidado pela alteração do conteúdo da urna antes e depois do teste.
5 - É impossível se proceder à fiscalização ou recontagem da apuração de uma urna.
6 - O eleitor não tem como conferir se o seu voto foi dado ao candidato escolhido.
7 - O conteúdo do voto e a identificação do eleitor estão disponíveis simultaneamente na mesma memória de computador.
8 - O TSE não permitiu que fossem feitos nem auditoria nem testes com o programa real da urna em funcionamento normal.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 28 de Novembro de 2009, 23:42:21
sim tem razão..  reduziria apenas na questão da alteração do voto depois que ele foi feito. Mas se o programa for alterado por exemplo, já era.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 28 de Novembro de 2009, 23:59:59
Citar
Agora, interessante que a burocracia foi inventada pra se evitar as fraudes. Procuração, documento, leis sobre sigilos... Pessoas impondo-se barreiras pra que elas mesmas não se sacaneiem.

Só que teve efeito contrário.

Com um cadastro nacional procurando um número de identificação único para cada pessoa seria mais fácil descobrir fraude.

Lembro de um caso por cima e foi mais ou menos assim, certa vez vi uma reportagem de um cara que conseguiu dois CPFs apenas entrando com dois pedidos em postos diferentes no mesmo dia, na época ainda não usavam computadores e não havia comunicação entre repartições.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Eremita em 29 de Novembro de 2009, 01:31:15
Lúcifer, mas ao que eu lembre, é só a identidade (ou documentos que mostrem o RG) que se pode votar, não é isso? Se sim, não faz diferença pra esse caso unificar ou não os números...
(Se estou falando besteira, avisem. De boa, sempre votei usando a identidade e pronto :P)
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 29 de Novembro de 2009, 08:30:09
Lúcifer, mas ao que eu lembre, é só a identidade (ou documentos que mostrem o RG) que se pode votar, não é isso? Se sim, não faz diferença pra esse caso unificar ou não os números...
(Se estou falando besteira, avisem. De boa, sempre votei usando a identidade e pronto :P)

Sim, mas estava falando de como a burocracia facilita as fraudes.

Se um cara conseguiu dois CPFs, porque seria impossível conseguir duas identidades?
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Spitfire em 29 de Novembro de 2009, 11:30:08
Fraudes nas eleições??? Não precisa nada disto, nada Hi-Tech, infelizmente nosso povo ainda vende o voto por um apito e/ou um espelho (dentaduras, sapatos, rancho ou um emprego para o filho).
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 29 de Novembro de 2009, 12:27:39
Ou seja, como em qualquer sistema de informação, o ponto fraco são as pessoas e a melhor forma de atacar é engenharia social.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 29 de Novembro de 2009, 14:02:55
Ou seja, como em qualquer sistema de informação, o ponto fraco são as pessoas e a melhor forma de atacar é engenharia social.


Discordo.

Isso seria equivalente a defender uma "engenharia psicossocial" entre os cientistas para que a ciência funcione. Está errado. Não é mexendo nas pessoas que tais coisas funcionam, mas criando instituições e métodos para eliminar ou minimizar as influências indesejadas de características pessoais.

Ou seja, é nas regras do jogo que devemos mexer, e não nos jogadores. Não é fazendo "reeducação" nos jogadores para jogarem limpo, nos cientistas para serem honestos e nas pessoas para não fraudarem que conseguiremos avançar, avançamos criando regras, métodos e instituições para inviabilizar ou punir os desvios
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _tiago em 29 de Novembro de 2009, 15:57:19
Fraudes nas eleições??? Não precisa nada disto, nada Hi-Tech, infelizmente nosso povo ainda vende o voto por um apito e/ou um espelho (dentaduras, sapatos, rancho ou um emprego para o filho).

Vc praticamente encerrou minha conversa com o Arcanjo! rs
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _tiago em 29 de Novembro de 2009, 16:09:42
Ou seja, como em qualquer sistema de informação, o ponto fraco são as pessoas e a melhor forma de atacar é engenharia social.


Discordo.

Isso seria equivalente a defender uma "engenharia psicossocial" entre os cientistas para que a ciência funcione. Está errado. Não é mexendo nas pessoas que tais coisas funcionam, mas criando instituições e métodos para eliminar ou minimizar as influências indesejadas de características pessoais.

Ou seja, é nas regras do jogo que devemos mexer, e não nos jogadores. Não é fazendo "reeducação" nos jogadores para jogarem limpo, nos cientistas para serem honestos e nas pessoas para não fraudarem que conseguiremos avançar, avançamos criando regras, métodos e instituições para inviabilizar ou punir os desvios

Eliminar é impossível, mas minimizar é o que se consegue.
Regras e instituições temos aos montes, elas é quem deveriam ser "reengenharizadas". Não vejo como um problema de burocracia, simplesmente a coisa funciona mal, isso quando funciona.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Spitfire em 29 de Novembro de 2009, 17:34:20
Ou seja, como em qualquer sistema de informação, o ponto fraco são as pessoas e a melhor forma de atacar é engenharia social.


Discordo.

Isso seria equivalente a defender uma "engenharia psicossocial" entre os cientistas para que a ciência funcione. Está errado. Não é mexendo nas pessoas que tais coisas funcionam, mas criando instituições e métodos para eliminar ou minimizar as influências indesejadas de características pessoais.

Ou seja, é nas regras do jogo que devemos mexer, e não nos jogadores. Não é fazendo "reeducação" nos jogadores para jogarem limpo, nos cientistas para serem honestos e nas pessoas para não fraudarem que conseguiremos avançar, avançamos criando regras, métodos e instituições para inviabilizar ou punir os desvios

Mas ele não esta discordando disso... o que nós (e ele confirmou) dissemos é que para quê se dar ao trabalho de fraudar (com hi-tech) uma eleição se é mais fácil e melhor de comprar voto de eleitores?

Eu, se candidato fosse,  se FDP fosse, contrataria um hacker para buscar as informações dos meus adversários tão somente... mas burlar a urna? sinceramente... me parece perda de tempo e deixar demais "na reta", se posso utilizar de velhos (mas não menos eficientes) expedientes.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 29 de Novembro de 2009, 20:15:46
Spitfire tirou as palavras do meu teclado :)
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 29 de Novembro de 2009, 20:29:25
Uma coisa que venho observando até mesmo nas eleições locais é que está ficando cada vez mais difícil e caro comprar votos do povo. O povo está querendo cada vez mais.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 29 de Novembro de 2009, 20:30:27
Experiência pessoal? :twisted:
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 29 de Novembro de 2009, 21:22:59
Uma coisa que venho observando até mesmo nas eleições locais é que está ficando cada vez mais difícil e caro comprar votos do povo. O povo está querendo cada vez mais.

É para isso que agora existe o Bolsa-eleitor, Vale-Pastel,o Bolsa-vai-ver-o-filme-do-Lullalá-n-cinema...
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabi em 29 de Novembro de 2009, 21:46:55
não se preocupe. Por enquanto, só em pororóca da serra, quixeramobim e são joão da PQP. Acho.
E logo aqui  :parede: até agora nem consigo acreditar nisso... E ainda dizem "Pode ser uma das primeiras capitais... " (http://www.parana-online.com.br/editoria/politica/news/411640/?noticia=TRE+AGUARDA+MATERIAL+PARA+RECADASTRAMENTO+BIOMETRICO+DE+ELEITORES) como se fosse bom, desde quando é bom ir lá no TRE enfrentar aquela fila enorme? Pior, aquelas senhas (parece que eles atendem 3 pessoas por hora), você pode pegar a senha e voltar depois de 3 horas que nem vai estar perto do número da sua senha.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Eremita em 29 de Novembro de 2009, 23:44:55
Há uma forma bastante eficiente de burlar a urna (fraude) quando você sabe que adulterações serão descobertas: veja as pesquisas de votos, descubra em quais locais o seu adversário principal arrecada mais votos, e burle justamente essas, para serem impugnadas.

No DCE/UFPR, esse era um dos maiores medos (ao menos quando fui gestão*): o pessoal sabia que o pessoal das Engenharias costumava votar mais em uma chapa, e o das Humanas em outra, etc.; então, a gente ficava com medo de um engraçadinho de uma chapa arrumar alguma forma de tacar uns votos a mais nas urnas que sua chapa não obtia muitos votos, já que sabia que votos a mais = impugnação.

(* - fui gestão, mas tava como apoiador de uma chapa; participei como fiscal de urna pela chapa que eu apoiava.)
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 01 de Dezembro de 2009, 00:02:19
não se preocupe. Por enquanto, só em pororóca da serra, quixeramobim e são joão da PQP. Acho.
E logo aqui  :parede: até agora nem consigo acreditar nisso... E ainda dizem "Pode ser uma das primeiras capitais... " (http://www.parana-online.com.br/editoria/politica/news/411640/?noticia=TRE+AGUARDA+MATERIAL+PARA+RECADASTRAMENTO+BIOMETRICO+DE+ELEITORES) como se fosse bom, desde quando é bom ir lá no TRE enfrentar aquela fila enorme? Pior, aquelas senhas (parece que eles atendem 3 pessoas por hora), você pode pegar a senha e voltar depois de 3 horas que nem vai estar perto do número da sua senha.

hehe dá nisso morar em capital pequena
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 01 de Dezembro de 2009, 17:47:22
Experiência pessoal? :twisted:


Sim. Eu ouço conversas de várias pessoas ligadas à política nesse sentido. Elas também comentam muito que está cada vez mais caro se eleger.

Ou seja, o povo está se vendendo cada vez mais caro.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 01 de Dezembro de 2009, 20:00:01
Okay.
Título: Estudo questiona segurança de urnas eletrônicas
Enviado por: Fernando Silva em 17 de Abril de 2010, 11:39:08
Recebi por email. Acho que já há um tópico sobre o assunto, mas não me lembro de ele incluir este documento:

Citar
Segue link para um extenso relatório onde uma comissão independente questiona a segurança das urnas eletrônicas.
 
Nesse trabalho, de março/2010, a comissão relata os problemas que encontrou e denuncia que não foi mais profunda em suas críticas devido às dificuldades impostas pelas equipes do governo em apresentar as informações técnicas que eles solicitaram (inclusive com informações falsas!). Mesmo assim, com as informações disponíveis, eles conseguiram identificar as principais fragilidades do sistema.
 
Ainda não li todo o material mas, quem tiver curiosidade, pode começar a ler as conclusões (item 5.2 na página 85) para "abrir o apetite", ou o capítulo de "dificuldades de fiscalização", que apresenta evidências de fraudes (capítulo 3, páginas 21 a 43) constatadas em eleições anteriores.
 
Destaco o seguinte trecho:

"Em outras palavras, desde 1996 a sociedade civil brasileira não tem como conferir e confirmar o resultado publicado pela autoridade eleitoral e foi esta impossibilidade de auditoria independente do resultado que levou à rejeição de nossas urnas eletrônicas em todos os mais de 50 países que aqui vieram estudá-la."

Leiam e façam seu próprio julgamento.
 
http://www.votoseguro.org/textos/RelatorioCMind.pdf
 
E que Deus nos ajude...
Título: Re: Estudo questiona segurança de urnas eletrônicas
Enviado por: Derfel em 17 de Abril de 2010, 15:27:58
Dê uma olhada no próprio site do votoseguro.org. Eles realmente informam esse problema, mas existe um artigo sobre a Lei de Independência dos Softwares nas Urnas-E (Lei 12034/09). No artigo é mencionada uma modificação nas urnas-E para facilitar uma auditoria, através dos votos imprensos em papel. A modificação será válida para a eleição de 2014. Antes que alguém questione o porquê de não ser a partir desta eleição de 2010, lembre-se que a lei foi sancionada em setembro de 2009, portanto não há tempo hábil para a criação de software, hardware e produção nos período que exige a lei para esta eleição.

Citar
Art. 5º da Minirreforma Eleitoral

A Lei da
Independência do Software nas Urnas-E

   Lei 12034/09 - publicada no Diário Oficial da União de 30/09/2009
Artigos e Textos do
Voto Eletrônico
   

    Índice

        1. Histórico
        2. A Independência do Software nas urnas eletrônicas
        3. O Artigo 5º da Lei 12.034/2009 - texto oficial

        4. A primeira Lei do Voto Impresso - revogada
        5. A Lei do Voto Virtual - em vigor


    1. Histórico

               A Lei 12.034/09, conhecida como Minirreforma Eleitoral, foi sancionada em 29 de setembro de 2009 e estabelece novas regras eleitorais relativas ao uso da Internet, a campanhas e prestação de contas. Também aborda a auditoria do resultado eleitoral e reintroduz o voto em trânsito.

               O artigo 5º da minirreforma trás o conceito de Auditoria Independente do Software nas Urnas Eletrônicas que deverá ser realizada por meio da recontagem do Voto Impresso Conferível pelo Eleitor em 2% das seções eleitorais.

               Esta nova lei vêm complementar, sem alterar, a Lei do Voto Virtual (2003) e revive a primeira Lei do Voto Impresso (2002) que havia sido revogada em 2003 antes de viger.

               A idéia de imprimir o voto para conferência da apuração, enfrenta ferenha oposição dentro do corpo administrativo da autoridade eleitoral brasileira, e nasceu lá de dentro forte pressão sobre os legisladores e sobre o Presidente da República para que este artigo 5º fosse derrubado.

               Vieram à público verberar e pressionar contra o voto impresso e, por consequência, contra a auditoria independente do software nas urnas três presidentes ou ex-presidentres do TSE: o Min. Ayres Britto (presidente do TSE), o Min. Gilmar Mendes (presidente do STF) e o Min. da Defesa Nelson Jobim (ex-presidente do TSE e do STF).

               Apesar deste lobby vindo do poder judiciário superior, os legisladores e o chefe do poder executivo houveram por bem enfrentá-lo, criando a Lei da Independência do Software nas Urnas-E, o art. 5º da lei 12.034.

               Para fazer justiça, o Fórum do Voto Eletrônico parabeniza as autoridades políticas que mais contribuiram para a aprovação da Lei da Independência do Software nas Urnas-E, destacando:

            * Dep. Michel Temer (PMDB-SP) - presidente da Câmara dos Deputados que apoiou e estimulou o colégio de lideres a aprovar uma reforma eleitoral possível, visando recuperar a função legislativa do Congresso.
            * Dep. Flavio Dino (PCdoB-MA)- relator do projeto de lei, que resistiu à pressão do judiciário para excluir o voto impresso;
            * Dep. Brizola Neto (PDT-RJ) - que levou a idéia e convenceu o colégio de lideres a adotá-la;
            * Dep. Gerson Peres (PP-PA), Dep. Geraldo Magela (PT-DF), Dep. Vital do Rego (PMDB-PB) e Dep. Janete Capiberibe (PSB-AP) que ajudaram na tramitação na Câmara;
            * Sen. Flávio Torres (PDT-CE), Sen. Renato Casagrande (PSB-ES) e Sen. Wellington Salgado (PMDB-MG) que ajudaram na tramitação no Senado;
            * Pres. Lula, que sancionou a lei enfrentanto o lobby do judiciário superior que pedia o veto.

        obs.: a diversidade partidária dos citados demonstra a que a tese da auditoria independente nas urnas-e e o próprio Fórum do Voto-E têm natureza supra-partidária.


    2. A Independência do Software nas urnas eletrônicas

               O conceito de Independência do Software em Máquinas de Votar vem ganhando cada vez mais espaço e tem sido adotado como referência técnica no meio acadêmico e no meio eleitoral oficial internacional.

            A independêndia do software não significa que tais máquinas não devam possuir software e, sim, que a auditoria da apuração eletrônica dos votos deve ser feita de forma que independa da integridade do software das próprias máquinas, ou seja, a recontagem dos votos sempre dará o mesmo resultado esteja ou não integro o software do equipamento.

               Este conceito foi proposto inicialmente em 2006 por Ronald Rivest (MIT) e John Wack (NIST) no artigo On the notion of "software independence" in voting systems, para enfrentar a dificuldade de comprovar a integridade dos programas em urnas eletrônicas, onde explicitamente resumem:

            "Propomos que sistemas de votação independentes do software sejam preferidos e que sistemas de votação dependentes do software sejam abandonados."

               É necessário destacar a importância do matemático Ph.D. Ronald Rivest no contexto do voto eletrônico. É de sua concepção três inovadores e importantes conceitos de segurança que, de algum modo, permeiam todos os sistemas eleitorais existentes e em construção, inclusive no sistema eleitoral brasileiro.

               São suas principais contribuições:

            * Assinatura Digital (RSA) - 1977 - para garantir a integridade de arquivos digitais. Adotada pelo TSE como principal salvaguarda do sistema brasileiro.

            * Three Ballot Voting System - 2004 - sistema criptográfico de votação baseado no Sistema Chaum, com entrega do voto criptografado ao eleitor para que este possa conferir que foi devidamente apurado.

            * Independência do Software em Máquinas de Votar - 2006 - aqui resumido.

               A técnica matemática de Assinatura Digital para garantir integridade de dados, foi proposta em 1977 como aplicação genérica. Com sua adoção em sistemas eleitorais, Rivest notou que o uso da assinatura digital não conseguia cumprir a esperada garantia de integridade do software eleitoral e, então, envolveu-se na criação de novas técnicas de segurança para esta área.

               Rivest participou dos três principais grupos de estudos sobre voto eletrônico: o CalTech-MIT Voting Technology Project , o Brennan Center Task Force e o Voluntary Voting System Guidelines (VVSG).

               Nestas Diretrizes VVSG, que é a primeira norma técnica sobre auditoria de sistemas eleitorais eletrônicos, a independência do software foi adotada como absolutamente necessária para o credenciamento desses sistemas, conforme explícito na seção Intro 2.4:

            "Todos os sistemas de votação precisam ser independentes do software para estar conformes com esta norma.

            Um exemplo de sistema dependente do software são as máquinas DRE (urnas brasileiras são deste tipo DRE), que NÃO estão conforme com estas normas.

            Atualmente, os sistemas de votação que podem satisfazer a definição de independência do software usam os registros em papel conferível pelo eleitor"

               A Independência do Software está sendo adotada em países como: EUA, Alemanha, Holanda, Reino Unido e, na América Latina, na Venezuela, na Argentina e no México. O Brasil estava para trás.

               No Brasil, o TSE tem usado a Assinatura Digital como salvaguarda em suas urnas eletrônicas, conceito criado em 1977 e insuficiente para a segurança esperada, e chama isto de "técnicas modernas".

               A nova Lei da Independência do Software nas Urnas-E vem finalmente alinhar o Brasil aos demais países que modernizam suas eleições adotando a recontagem por amostragem do registro independente do voto conferível pelo eleitor.

        Em eleições, moderno é dispor de um sistema que permita a auditoria do resultado.

        Retrocesso é votar em máquinas, como as brasileiras, cujo resultado não tem como ser conferido.


    3. O Artigo 5º da Lei 12.034/2009

        Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L12034.htm

        Lei nº 12.034, de 29.09.2009; publicada no D.O.U. de 30.09.2009

        Art. 5º - Fica criado, a partir das eleições de 2014, inclusive, o voto impresso conferido pelo eleitor, garantido o total sigilo do voto e observadas as seguintes regras:

        § 1º - A máquina de votar exibirá para o eleitor, primeiramente, as telas referentes às eleições proporcionais; em seguida, as referentes às eleições majoritárias; finalmente, o voto completo para conferência visual do eleitor e confirmação final do voto.

        § 2º - Após a confirmação final do voto pelo eleitor, a urna eletrônica imprimirá um número único de identificação do voto associado à sua própria assinatura digital.

        § 3º - O voto deverá ser depositado de forma automática, sem contato manual do eleitor, em local previamente lacrado.

        § 4º - Após o fim da votação, a Justiça Eleitoral realizará, em audiência pública, auditoria independente do software mediante o sorteio de 2% (dois por cento) das urnas eletrônicas de cada Zona Eleitoral, respeitado o limite mínimo de 3 (três) máquinas por município, que deverão ter seus votos em papel contados e comparados com os resultados apresentados pelo respectivo boletim de urna.

        § 5º - É permitido o uso de identificação do eleitor por sua biometria ou pela digitação do seu nome ou número de eleitor, desde que a máquina de identificar não tenha nenhuma conexão com a urna eletrônica.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Unknown em 17 de Abril de 2010, 17:17:07
Tópicos unidos.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fernando Silva em 18 de Abril de 2010, 15:55:24
Citar
      § 2º - Após a confirmação final do voto pelo eleitor, a urna eletrônica imprimirá um número único de identificação do voto associado à sua própria assinatura digital.

        § 3º - O voto deverá ser depositado de forma automática, sem contato manual do eleitor, em local previamente lacrado.
Como o eleitor saberá que o voto impresso corresponde ao candidato em que ele votou?
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 18 de Abril de 2010, 18:48:12
Não saberá, só seria possível se ele pegasse o voto impresso em mãos, confirmasse e depositasse em uma outra urna.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Derfel em 18 de Abril de 2010, 19:27:47
É aí que entram as auditorias independentes. :ok:
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Derfel em 18 de Abril de 2010, 19:29:44
Não saberá, só seria possível se ele pegasse o voto impresso em mãos, confirmasse e depositasse em uma outra urna.

Ou seja, fazer dois trabalhos ao invés de um e ainda correndo o risco que o eleitor possa fraudar de alguma forma (como a inserção de mais de uma cédula, por exemplo)
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 18 de Abril de 2010, 20:54:20
Não saberá, só seria possível se ele pegasse o voto impresso em mãos, confirmasse e depositasse em uma outra urna.

Ou seja, fazer dois trabalhos ao invés de um e ainda correndo o risco que o eleitor possa fraudar de alguma forma (como a inserção de mais de uma cédula, por exemplo)

Quando as eleições eram com cédulas de papel, sempre tinha um fiscal por perto justamente para evitar que alguém danificasse a urna ou fizesse algo indevido, e para fraudar uma eleição seria necessário um batalhão de vigaristas usando a mesma urna, sem levar em consideração que vc assina uma lista antes de depositar seu voto.

Mas e com a urna eletrônica em que não sei se meu voto vai mesmo para o candidato que aparece na foto, não tenho qualquer meio de confirmar se meu voto não foi alterado e não existe nada impresso para uma recontagem?

Se fosse um bom sistema já teria sido adotado por outros países que o estudaram e recusaram justamente pelo elevado número de possibilidades de fraude.

Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Derfel em 18 de Abril de 2010, 21:05:33

Se fosse um bom sistema já teria sido adotado por outros países que o estudaram e recusaram justamente pelo elevado número de possibilidades de fraude.



O aprimoramento do sistema é justamente o que visa a nova lei. A modificação tornará mais auditável a eleição e cumprirá os requisitos para que um sistema seja considerado seguro.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Pandora em 18 de Abril de 2010, 22:36:54
 :susto: A urna eletrônica não é segura? :susto: :susto: Mas tanta gente falava isso na televisão? A Tv mentiu pra mim?  :|   :(   :chorao:
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Derfel em 18 de Abril de 2010, 22:49:50
:susto: A urna eletrônica não é segura? :susto: :susto: Mas tanta gente falava isso na televisão? A Tv mentiu pra mim?  :|   :(   :chorao:

É segura até certo ponto. E existem algumas brechas como dificuldade em auditar, a não ser por autenticação digital.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Pandora em 18 de Abril de 2010, 23:53:42
Eu sei, só estou brincando com o fato de que a propaganda dá a entender que é 100% seguro, que até países desenvolvidos vieram conhecer o sistema (só não mencionaram que não levaram). A tv, o grande oráculo do brasileiro está nos iludindo... :ok:
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 19 de Abril de 2010, 05:25:05
:susto: A urna eletrônica não é segura? :susto: :susto: Mas tanta gente falava isso na televisão? A Tv mentiu pra mim?  :|   :(   :chorao:

É segura até certo ponto. E existem algumas brechas como dificuldade em auditar, a não ser por autenticação digital.

Algumas brechas?

Postei um monte de notícias de fraudes em urnas eletrônicas que vão desde eleitor fantasma até a desligamento de urna durante votação, número de votos registrados maior que número de eleitores registrados e uma cidade do nordeste onde 93% (NOVENTA E TRÊS) TINHAM INDÍCIOS DE FRAUDE.

Não são "algumas brechas" o que acontece hoje é uma fraude generalizada.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Temma em 19 de Abril de 2010, 14:01:23
Citar
Mas e com a urna eletrônica em que não sei se meu voto vai mesmo para o candidato que aparece na foto, não tenho qualquer meio de confirmar se meu voto não foi alterado[...]?

E quem garante que o papelzinho com um X que você coloca numa Urna convencional não pode ser substituido? Ou mesmo a contagem dos votos ser fraudada.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 19 de Abril de 2010, 16:02:14
Citar
Mas e com a urna eletrônica em que não sei se meu voto vai mesmo para o candidato que aparece na foto, não tenho qualquer meio de confirmar se meu voto não foi alterado[...]?

E quem garante que o papelzinho com um X que você coloca numa Urna convencional não pode ser substituido? Ou mesmo a contagem dos votos ser fraudada.

Quantas pessoas seriam necessárias para alterar o resultado de uma eleição fraudando cédulas assinadas por mesários uma a uma?

E quantas urnas poderiam ser fraudadas ao mesmo tempo com um programa?

O caso é que desde 2002 estão aparecendo notícias de urnas falsas apreendidas, irregularidades, fraudes de todo tipo.

Digite no buscador "urna eletrônica fraude" e veja do que estou falando.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Temma em 19 de Abril de 2010, 16:56:10
Citar
Mas e com a urna eletrônica em que não sei se meu voto vai mesmo para o candidato que aparece na foto, não tenho qualquer meio de confirmar se meu voto não foi alterado[...]?

E quem garante que o papelzinho com um X que você coloca numa Urna convencional não pode ser substituido? Ou mesmo a contagem dos votos ser fraudada.

Quantas pessoas seriam necessárias para alterar o resultado de uma eleição fraudando cédulas assinadas por mesários uma a uma?


E quantas urnas poderiam ser fraudadas ao mesmo tempo com um programa?

A quantidade de pessoas envolvidas não representa o único empecilho para a fraude nos dois processos. é muito mais fácil simplesmente substituir um saco com cédulas originais por outro com cédulas forjadas do que hackear o software da urna eletrônica. O primeiro, até um analfabeto é capaz de fazer.


Depois, você se esquece que, tanto no caso da urna eletrônica quanto da convencional, os dois sistemas não são "transparentes" aos eleitores. Em ambos os casos os resultados podem ser alterados ao bel-prazer, quando você parte do princípio de que o processo não é confiável. Assinaturas não representam muita coisa, pois é totalmente inviável um tipo de perícia em todas as cédulas para verificação de autenticidade. A diferença entre os dois processos é que em vez de se confiar no software, na urna convencional se "confia" nas pessoas que realizam a contagem dos votos, e depois nas pessoas que somam essas contagens chegando a uma apuração local, e assim por diante, até que se tenha o resultado Global. E quanto mais se sobe nessa hierarquia, mais a fraude se torna simples, nos dois processos



Citar
O caso é que desde 2002 estão aparecendo notícias de urnas falsas apreendidas, irregularidades, fraudes de todo tipo.

Digite no buscador "urna eletrônica fraude" e veja do que estou falando.

à época das eleições com urnas convencionais não existia o google.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 19 de Abril de 2010, 18:47:34
Citar
A quantidade de pessoas envolvidas não representa o único empecilho para a fraude nos dois processos. é muito mais fácil simplesmente substituir um saco com cédulas originais por outro com cédulas forjadas do que hackear o software da urna eletrônica. O primeiro, até um analfabeto é capaz de fazer.


Só que no caso de uma eleição para presidente, precisariam substituir milhões de cédulas para justificar uma vitória, não apenas um saco de cédulas.

E o software da urna foi criado por alguém, portanto sempre existirá quem sabe exatamente como funciona e onde se pode mexer, então acho que não foi recusada em um monte de países sem um motivo real.

Citar
à época das eleições com urnas convencionais não existia o google.

Hoje existe e continuam usando cédulas de papel em um monte de países.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Temma em 19 de Abril de 2010, 18:58:33
Citar
A quantidade de pessoas envolvidas não representa o único empecilho para a fraude nos dois processos. é muito mais fácil simplesmente substituir um saco com cédulas originais por outro com cédulas forjadas do que hackear o software da urna eletrônica. O primeiro, até um analfabeto é capaz de fazer.


Só que no caso de uma eleição para presidente, precisariam substituir milhões de cédulas para justificar uma vitória, não apenas um saco de cédulas.

E o software da urna foi criado por alguém, portanto sempre existirá quem sabe exatamente como funciona e onde se pode mexer, então acho que não foi recusada em um monte de países sem um motivo real.

A conferência não é feita sob nossos olhos. Pode ser que o que seja divulgado simplesmente não corresponda ao que está nas cédulas. Não seria nem preciso alterá-las.


E um software é gerado através de um código-fonte, que pode ser facilmente auditado. Não é uma caixa-preta como se quer fazer parecer. Modificações no "executável" podem ser percebidas através de uma simples geração de MD5 do código original, ou outra verificação de integridade, comum até mesmo nos downloads do nosso dia-a-dia.


Citar
à época das eleições com urnas convencionais não existia o google.

Hoje existe e continuam usando cédulas de papel em um monte de países.
[/quote]

A razão de "um monte de países" não adotarem o sistema pode ser outra, que não a maior segurança do voto em papel.

Na verdade, creio que em razão é mais simples. Intuitivamente achamos que por algo não se manifestar "fisicamente", ele estaria mais sujeito à fraude. Isso claro não tem nada a ver com a segurança dos dois sistemas em si, mas com nossa percepção. Creio que em nosso país essa tecnologia foi mais facilmente aceita apenas porque nunca vimos o Estado com a desconfiança Orwelliana que existe em outros países. O Estado sempre foi "paizão"
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 19 de Abril de 2010, 21:31:02
Aqui tem uma matéria meio longa (De 2001) explicando o motivo da urna eletrônica não ser aceita, acho que vale a pena vcs lerem:

http://jus2.uol.com.br/DOUTRINA/texto.asp?id=5596

(Cláudio Andrade Rêgo, perito judicial em Informática)

"O fato das Urnas não estarem ligadas em Rede é falacioso, pois, ainda que não haja cabos interconectando-as fisicamente, todas foram "alimentadas" com o mesmo software, ou seja, executarão as mesmas instruções básicas, salvo se sofrerem alteração posterior. Assim, se houver um erro de programação, todas as urnas executarão a falha; se tiver havido um ataque, interno ou externo, ao programa dentro do TSE, este será propagado para todas as Urnas quando do carregamento delas."

"É impossível que uma máquina, dita tão revolucionária, seja admirada apenas dentro de sua própria casa, não sendo respaldada por qualquer outro técnico ou Instituição Auditora independente, além de ter sido vergonhosamente recusada por todos os governos dos mais de 45 (Quarenta e Cinco) países democráticos, aos quais unidades foram demonstradas, e até cedidas para avaliação, desde 1996."


Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 27 de Abril de 2010, 19:25:04
A prova de que a urna é facilmente manipulada:

http://www.youtube.com/v/AY6nefQTf5A
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 27 de Abril de 2010, 19:42:58
Ainda não me conformei com o fato dos EUA e outros países, que são democráticos de longuíssima data e são da vanguarda tecnológica, não usem votação eletrônica virtual como aqui.

Por que eles não usam? Do que eles têm medo e nós também deveríamos ter?

Mistérios...
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 27 de Abril de 2010, 23:05:55
Ainda não me conformei com o fato dos EUA e outros países, que são democráticos de longuíssima data e são da vanguarda tecnológica, não usem votação eletrônica virtual como aqui.

Por que eles não usam? Do que eles têm medo e nós também deveríamos ter?

Mistérios...

Na matéria que postei acima, listam desde a possibilidade real de identificar o voto do eleitor até a possibilidade de alterar resultados da eleição conforme comprova o vídeo acima.

Se fosse boa, não teria sido recusada em 45 países.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Derfel em 27 de Abril de 2010, 23:27:43
Ainda não me conformei com o fato dos EUA e outros países, que são democráticos de longuíssima data e são da vanguarda tecnológica, não usem votação eletrônica virtual como aqui.

Por que eles não usam? Do que eles têm medo e nós também deveríamos ter?

Mistérios...

No EUA usa-se sim, em alguns estados. Em outros não. Cada estado tem sua própria legislação e sistema de votação.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _tiago em 27 de Abril de 2010, 23:45:42
E estava eu procurando em como transferir meu título de eleitor, quando... Foi quase como uma piada!

Citar
TSE alerta sobre e-mail falso que circula na internet
27 de abril de 2010 - 15h19
    Ver Arquivos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informa que é falso e-mail apócrifo que circula na internet, sobre suposta manipulação no sistema de votação das urnas eletrônicas. Trata-se do chamado Hoax, definição de informática para e-mails apelativos cujo objetivo é espalhar boatos, lendas ou golpes sem veracidade.

O argumento em que o texto é baseado parte de premissa falsa, de que seria possível o desenvolvimento de um software secreto malicioso para infectar as urnas eletrônicas, sem que esse fato seja detectado.

O TSE destaca que a urna eletrônica está em utilização desde 1996 e que, nesses 14 anos, o sistema de votação revelou-se absolutamente seguro e passível de ser auditado para aperfeiçoamentos. Pesquisa de opinião pública realizada pelo Instituto Nexus logo após as eleições municipais de 2008 mostrou que 97% dos eleitores confiam na urna.

Em seu discurso de posse, o novo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, lembrou que a legitimidade dos representantes do povo tem sua raiz nas eleições e informou que, para cumprir a sua missão, a Justiça Eleitoral "conta com sofisticados mecanismos de coleta e apuração dos votos, a exemplo da urna eletrônica e da identificação biométrica dos eleitores, que dentro em breve será estendida a todos os votantes".

O ministro salientou que os mecanismos de coleta e apuração de votos têm também a vantagem de permitir a apuração da vontade popular poucas horas depois de encerrada a votação. "Trata-se de uma tecnologia pioneiramente desenvolvida em nosso País, e motivo de justo orgulho de todos os brasileiros”, ressaltou o presidente.

Em novembro de 2009, o TSE realizou, pela primeira vez, testes públicos na urna eletrônica de 2010 e demais componentes do sistema de votação. Durante quatro dias, especialistas em informática e engenharia fizeram tentativas de violação dos programas e, ao final, confirmaram que o sistema é seguro.

Todas as inscrições foram aceitas, e a Comissão Avaliadora, formada por pessoas qualificadas e independentes, selecionou para premiação os três trabalhos que apresentaram as melhores contribuições ao aperfeiçoamento da urna eletrônica.

Os testes foram realizados sob a coordenação do ministro Lewandowski, então relator de processo em que o PDT e o PT pediam ao Tribunal que tomasse essa providência. Após o plenário do TSE autorizá-los, os partidos desistiram da ação, mas o procurador-geral eleitoral, Roberto Gurgel, assumiu a autoria do processo, e a iniciativa foi viabilizada.

O Tribunal lembra que a Lei nº 9.504/97 (Lei das Eleições) determina a apresentação, aos partidos políticos, à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e ao Ministério Público Federal (MPF), de todos os programas que são utilizados nas urnas eletrônicas e sistemas correlatos, a partir de 180 dias antes das eleições. Ao final, esses programas são compilados e lacrados em sessão pública. Todos os códigos-fonte que originam os programas que vão para as urnas – e os próprios programas compilados – são lacrados com resumos digitais e assinaturas digitais. Ao final deste processo, todos os programas, incluindo os códigos-fonte e as assinaturas digitais, são gravados em mídia não regravável, a qual é lacrada fisicamente pelos presentes (com rubricas) e armazenada no cofre do TSE.

Esse procedimento de lacração, tanto lógico quanto físico, assegura que todas as 500 mil urnas eletrônicas tenham exatamente a mesma versão de software. Isso permite que, antes ou depois da votação, a integridade e autenticidade dos programas instalados possam ser verificadas em qualquer urna do país.

Além disso, depois da votação, os códigos-fonte e programas compilados podem ser verificados por tempo ilimitado. A segurança é tanta que, quando há necessidade de alteração, os partidos políticos têm que ser novamente convocados para nova realização da cerimônia de lacração.

Por fim, é importante ressaltar que são 14 anos de eleições eletrônicas conduzidas pela Justiça Eleitoral sem confirmação de nenhum registro de fraude e com 97% de aprovação da população brasileira.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _tiago em 27 de Abril de 2010, 23:46:24
Fonte: http://agencia.tse.gov.br/sadAdmAgencia/noticiaSearch.do?acao=get&id=1298498
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 28 de Abril de 2010, 00:07:09
Ainda não me conformei com o fato dos EUA e outros países, que são democráticos de longuíssima data e são da vanguarda tecnológica, não usem votação eletrônica virtual como aqui.

Por que eles não usam? Do que eles têm medo e nós também deveríamos ter?

Mistérios...

No EUA usa-se sim, em alguns estados. Em outros não. Cada estado tem sua própria legislação e sistema de votação.

Na realidade a legislçaõ varia de condado para condado.

E isto se chama república (efetivamente) federativa e democrática.

Diferente da "terra brasilis".

P.S. Isto não quer dizer que o Tio Sam não tenha seus problemas eleitorais. Basta lembrar do ano de 2.000 (Gore versus Bush).
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 28 de Abril de 2010, 05:29:27
Citar
Por fim, é importante ressaltar que são 14 anos de eleições eletrônicas conduzidas pela Justiça Eleitoral sem confirmação de nenhum registro de fraude e com 97% de aprovação da população brasileira.

Não é o que o vídeo acima deixa bem claro, existem fraudes aos montes conforme se pode ver em dezenas de notícias publicadas desde 2002.

Em uma cidade do nordeste chegou-se a ter 93% das urnas com irregularidades, é comprovado.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Dbohr em 28 de Abril de 2010, 06:56:34
Me desculpem, mas isso parece conversa do velho Brizola...

A urna não é perfeita, mas nenhum sistema é -- vide o escândalo Proconsult, que envolveu o próprio Brizola. É francamente um exagero achar que a urna eletrônica é mais perigosa ou mais propensa a falhas. Concordo totalmente com o Temma.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 28 de Abril de 2010, 09:01:23
Ainda não me conformei com o fato dos EUA e outros países, que são democráticos de longuíssima data e são da vanguarda tecnológica, não usem votação eletrônica virtual como aqui.

Por que eles não usam? Do que eles têm medo e nós também deveríamos ter?

Mistérios...

No EUA usa-se sim, em alguns estados. Em outros não. Cada estado tem sua própria legislação e sistema de votação.

Se eu não me engano, nenhum voto lá é puramente "virtual". Os sistemas eletrônicos imprimem cartões perfurados, que podem ser recontados a qualquer momento.

No sistema brasileiro, se surgirem dúvidas quanto a integridade de uma urna, perde-se completamente os votos dela, e só mesmo marcando outra votação para consertar o problema.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _tiago em 28 de Abril de 2010, 10:00:22
Me desculpem, mas isso parece conversa do velho Brizola...

A urna não é perfeita, mas nenhum sistema é -- vide o escândalo Proconsult, que envolveu o próprio Brizola. É francamente um exagero achar que a urna eletrônica é mais perigosa ou mais propensa a falhas. Concordo totalmente com o Temma.

 :ok:

E sabemos que não é necessário isso pra um Sarney, por exemplo, se eleger.
Título: Re: A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gordon Nerd em 30 de Abril de 2010, 10:53:52
é nada o brasil é segura desde os politicos aos mais ruins bandidos que existe no brasil no brasil tem fraudes todos os dias mas sao tirado para nao mostrar censuras malditas
Título: Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: 4 Ton Mantis em 22 de Outubro de 2010, 09:13:03
http://www.votoseguro.org/


Nós criamos uma civilização global em que elementos cruciais - como as comunicações, o comércio, a educação e até a instituição democrática do voto - dependem profundamente da ciência e da tecnologia.
Também criamos uma ordem em que quase ninguém compreende a ciência e a tecnologia. É uma receita para o desastre. Podemos escapar ilesos por algum tempo, porém mais cedo ou mais tarde essa mistura inflamável de ignorância e poder vai explodir na nossa cara.

Carl Sagan
cientista, escritor e divulgador científico


================================================== =======

No Brasil, sempre houve fraude eleitoral. O que as urnas eletrônicas produziram não foi o fim das fraudes. Foi o fim da investigação das fraudes.

Pedro Dória
Jornalista e Blogueiro


================================================== ====

É até irônico que estas máquinas de votar, que supostamente deveriam resolver os problemas causados pelo sistemas eleitorais antiquados, estão simplesmente tornando os problemas invisíveis para o eleitor.


Penny M. Venetis
Professora de Direito na Rutgers University, NJ, USA


================================================== =====



O voto eletrônico é para muitos políticos o mesmo que o sexo para adolecentes.
Ambos gostam de falar sobre o tema sem saber direito do que se trata.

Sergio Angelini
Presidente da Magic Software Argentina


================================================== ======

Votar na urna eletrônica brasileira é mais menos como jogar palitinho por telefone.


Paulo Mora de Freitas, Fis.
Chefe de Informática do Laboratório Leprince-Ringuet
da Ecole Polytechnique, França
Título: Re: Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Geotecton em 23 de Outubro de 2010, 00:25:57
Eu não confio nas urnas eletrônicas. Ao meu ver, elas podem continuar sendo usadas mas devem gerar (pelo menos) um papelete impresso e que possa ser conferido (contado) posteriormente, se for necessário.
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Dodo em 25 de Junho de 2012, 09:39:40
Citar
Professor: urna brasileira abre brecha para voto de cabresto

A equipe do professor Diego Aranha, da Universidade de Brasília (UnB), precisou de 1 hora de análise do código-fonte da urna eletrônica brasileira para identificar uma fragilidade que permitiu a violação do sigilo do voto. Com ataques não-invasivos e não-rastreáveis, o grupo foi capaz de desembaralhar o Registro Digital do Voto (RDV) e reordenar as escolhas dos eleitores durante os Testes Públicos de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação, promovidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em março. Segundo Diego, uma falha conhecida há pelo menos 17 anos abriu a brecha para que fosse derrubado o único mecanismo da urna para proteger o sigilo da votação.
"Essa vulnerabilidade advém de um erro de projeto e implementação no software e reproduz fielmente uma outra vulnerabilidade encontrada em 1995 por calouros de doutorado da Universidade de Berkeley no navegador Netscape. Ou seja, passaram-se 17 anos e os mesmos erros continuam sendo cometidos", afirma Diego.
Para embaralhar os votos, o software recorre a um gerador de números que produz uma sequência aleatória a partir de uma "semente". A fragilidade foi identificada quando a equipe constatou que a semente utilizada pela urna era uma tomada de tempo com precisão de segundos - parâmetro que, além de não ser verdadeiramente aleatório, era tornado público na "zerésima", documento emitido antes da votação para atestar que a urna está "zerada".
A semente exposta deixou a equipe à vontade para - sem sequer tocar na urna nem deixar rastros e com um programa de análise de apenas 133 linhas - recuperar com sucesso absoluto a ordem da votação em testes com 10, 16, 21 e 475 eleitores. O TSE alega que o grupo "não conseguiu quebrar o sigilo do voto, pois não conseguiu relacionar o nome dos eleitores com os votos digitados na urna".
De fato, burlar o RDV (cujo conteúdo é impresso no Boletim de Urna para fins de recontagem dos votos) não é suficiente para consumar a tarefa. Ocorre que, depois dos testes, a equipe achou nos arquivos de LOG da urna, também de acesso público, o horário de cada voto. Para descobrir quem votou em quem, basta confrontar o LOG com os horários em que cada eleitor computou a sua opção, o que abriria caminho para um "voto de cabresto digital", como Diego vem chamando, em alusão ao sistema de coação de eleitores típico do coronelismo.
"Vale ressaltar que a semente deveria ser aleatória e confidencial até para o próprio TSE. O erro encontrado é, portanto, inadmissível, especialmente quando se considera que o equipamento em questão é de missão crítica", diz o professor, que observa que desde 1883 é recomendado a um sistema criptográfico resistir a inimigos que o conheçam em seus mínimos detalhes.
Inimigo forjado em poucos dias (para a análise do código, foram apenas cinco horas), o grupo do professor Diego mereceu do TSE nota 0,0313 em escala de 0 a 400 (o equivalente a 0,0007825 em escala de 0 a 10), ainda que a contribuição do time tenha sido apreciada como "extremamente positiva". "Considero duas hipóteses válidas para a nossa pontuação ínfima: ou a Comissão Avaliadora apontada pelo TSE não entendeu a seriedade das consequências provocadas pela vulnerabilidade encontrada, ou houve uma tentativa deliberada de descaracterizar e minimizar o ocorrido. Na minha opinião, ambas as hipóteses são absolutamente preocupantes", diz Diego.
O TSE responde que "o ataque só foi possível graças à disponibilização do código-fonte de todos os softwares executados pela urna, algo que, em uma eleição normal, não ocorre". Contra essa posição pesa o artigo 66 da Lei 9.504, que garante a técnicos de partidos a conferência dos programas. "Imagine agora quantos fiscais de partido, ex-funcionários, técnicos ou terceirizados tiveram acesso ao trecho de código vulnerável. É justamente por isso que a segurança da urna eletrônica não pode depender unicamente da confidencialidade do código-fonte ou do sigilo dos seus mecanismos de segurança", afirma o professor.
Com tamanho acompanhamento técnico, pode causar surpresa que uma fragilidade com 17 anos de idade não tenha sido apontada antes, mas Diego salienta que um acordo de não-divulgação veta aos fiscais falar sobre os programas. "Dessa forma, os fiscais de partido honestos são impedidos de prestar contas à sociedade sobre a qualidade do que é feito no software, enquanto os fiscais de partido desonestos possuem toda a liberdade para tentar articular fraudes eleitorais sem qualquer risco de vazamento das vulnerabilidades encontradas. Do jeito que está estabelecida, a fiscalização por parte dos partidos é completamente inócua para incremento de segurança. Como a fiscalização por investigadores independentes é extremamente limitada, consistindo em apenas alguns dias e sob monitoração completa do Tribunal, na prática nenhuma fiscalização efetiva é realizada sobre o software do sistema eletrônico de votação. Como a integridade dos resultados depende unicamente da integridade desse software, fica montado um cenário perfeito para fraudes que não deixam vestígios."
Segundo o professor, apenas uma semente verdadeiramente aleatória, que não possa ser recuperada ou determinada mesmo pelos projetistas do sistema, seria capaz de proteger o embaralhamento dos votos - correção que não demandaria alto custo nem grande esforço técnico. O que ele sugere, entretanto, é eliminar de vez o RDV. "Como a estrutura é produzida pelo mesmo software que produz o Boletim de Urna com as contagens parciais, é tão vulnerável quanto o que tenta proteger. A redundância dessa informação também em meio digital não serve a nenhum propósito prático além de permitir a quebra do sigilo do voto, caso seja projetada ou implementada de forma insegura", afirma.
Outras fragilidades indicariam software "imaturo"
Além de desembaralhar os votos, Diego também alega ter encontrado uma série de "práticas não-recomendáveis" que, "na minha opinião", ele diz, "atestam que o processo de desenvolvimento do software da urna eletrônica ainda é bastante imaturo do ponto de vista de segurança".
Entre esses problemas estaria a utilização de apenas uma chave criptográfica para cifrar as mídias de todas as urnas, crítica rechaçada pelo TSE: "Essa chave não é a única barreira de segurança provida pelo sistema. Para exemplificar, é utilizada chave específica para as partições das mídias eletrônicas, outra chave para o sistema operacional. A utilização de criptografia é apenas uma das inúmeras barreiras de segurança. De toda forma, mesmo a afirmação de chave única, se vista isoladamente, não procede. A cada eleição, o TSE gera e cifra uma chave única desse sistema de arquivos que é gravada nas mais de 400 mil urnas eletrônicas. Por critério de segurança, essa mídia é cifrada por uma única chave, com o objetivo de evitar ataques criptoanalíticos baseados em estimadores estatísticos. Portanto, qualquer outro procedimento, como o de utilizar-se de várias chaves para cifrar o mesmo conteúdo com o objetivo de prover sigilo, torna por si só o resultado fragilizado. Por esse motivo, a cada eleição, o TSE gera uma chave que é utilizada para manter sigilo da mídia que é gravada em cada urna."
Segundo o professor da UnB, essa justificativa acaba "contrariando fortemente o bom senso (vazar essa chave uma única vez tem efeito absolutamente devastador) e princípios básicos da área de segurança (que se orienta a minimizar a quantidade de material protegido com a mesma chave para reduzir o impacto de um vazamento)". Diego entende nessa prática um exemplo de que a Justiça Eleitoral tem fechado os olhos para a possibilidade de atacantes internos, conhecedores do sistema. Questionado, o TSE não respondeu sobre as consequências de um eventual vazamento da chave.
Ainda outra fragilidade teria sido a desativação da função que deveria verificar a integridade de parte do software. Com isso, um fraudador poderia alterar trechos do programa e, por exemplo, desviar votos para um candidato sem que o sistema acusasse qualquer irregularidade.
O TSE nega ter sido alertado: "Essa informação não foi registrada em qualquer um dos relatórios apresentados nos Testes Públicos de Segurança. Dessa forma, o TSE não pode emitir opinião por desconhecimento do conteúdo da alegação." O professor diz que o dado ficou de fora do relatório por não ter feito parte dos testes e garante ter se voluntariado, em reunião com o TSE depois do evento, a ministrar palestra elencando todas as fraquezas que viu no programa. "Não houve convite posterior para tal. Informei publicamente o TSE a respeito desse e de outros problemas na ocasião da audiência pública para debate sobre o voto impresso verificável pelo eleitor, realizada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Congresso Nacional."
Em 2008, o ministro Carlos Ayres Britto, que então presidia o TSE e que hoje é presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), atribuiu às urnas brasileiras ares de "absolutamente invioláveis". Na audiência de maio na CCJ da Câmara, Diego Aranha apontou que "não existe sistema inviolável. Isso é até uma impossibilidade teórica. Na área de segurança de softwares, o trabalho não é projetar sistemas invioláveis; é projetar sistemas onde o custo do ataque seja demasiadamente alto". E deixou para o TSE o trabalho de dar tamanho ao bolso de quem tem interesse em fraudar eleições.
]
]]
Fonte: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2012/noticias/0,,OI5835177-EI19136,00-Professor+urna+brasileira+abre+brecha+para+voto+de+cabresto.html
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Dodo em 25 de Junho de 2012, 09:52:35
Citar
Urna é a mais defasada, diz professor que violou sistema do TSE
Líder da equipe que conseguiu derrotar o sistema de embaralhamento dos votos da urna eletrônica brasileira, o professor Diego Aranha, da Universidade de Brasília (UnB), demonstra preocupação não apenas com o sigilo do voto, mas também com a impossibilidade de o eleitor ter a comprovação física de sua escolha. Sob a perspectiva do eleitor, a urna eletrônica brasileira seria, segundo o professor, "a mais defasada do mundo" por resistir ao movimento de outros países em direção à impressão do voto.
Em outubro de 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu a vigência do artigo 5º da Lei 12.034/09, que cria o voto impresso a partir das eleições de 2014. No entendimento unânime dos ministros, o dispositivo compromete o sigilo e a inviolabilidade do voto previstos na Constituição, o que é contestado pelo professor.
"Não é possível realizar votação puramente eletrônica com verificação independente dos resultados. Por esse motivo, a maioria das alternativas para se permitir essa verificação envolvem materializar o voto em algum veículo que permita apuração posterior sem permitir simultaneamente que o eleitor possa comprovar sua escolha para uma terceira parte interessada. Um exemplo recente é a urna argentina, que produz como cédula um acoplamento das versões digital e impressa do voto. A versão digital é utilizada para apuração rápida, e a versão impressa, para se verificar a integridade dos votos computados eletronicamente", comenta Diego Aranha, citando a Bélgica como outro exemplo a ser seguido.
Sem a materialização do voto, a apuração das eleições ficaria refém do programa que computa as escolhas dos eleitores em ambiente digital. "Como a integridade dos resultados depende unicamente da integridade desse software, fica montado um cenário perfeito para fraudes que não deixam vestígios", alerta Diego, ao comentar as consequências da brecha que sua equipe encontrou para desembaralhar o Registro Digital do Voto (RDV).
Com o abandono da Índia a urna similar à brasileira, depois de especialistas provarem que o sistema estava sujeito a fraudes, o Brasil restou como o único país a insistir em equipamento de "primeira geração", o que Diego lamenta ser fomentado por "argumentos de autoridade sem nenhuma acurácia técnica".
Essa desinformação técnica encontraria representação no voto do ministro Ricardo Lewandowski, que acorreu à metáfora de que "acoplar uma impressora eletromecânica às urnas eletrônicas equivaleria, a meu ver, a dotar um avião a jato de uma bússola a vapor". PhD em Ciência da Computação, Diego Aranha tacha a analogia de "extremamente infeliz".
"A urna brasileira não se assemelha em nada a um avião a jato do ponto de vista tecnológico. (...) Sob a perspectiva do eleitor, parte mais interessada no processo democrático de votação, é também a urna mais defasada do mundo por não permitir qualquer verificação independente dos resultados", diz, invertendo o argumento de Lewandowski: "Não faço ideia do que seja uma bússola 'a vapor', mas todo avião moderno possui bússola analógica convencional como componente do conjunto básico de instrumentos de voo. A razão para tal é sempre ter em mãos um dispositivo redundante que funcione em caso de pane de todos os outros instrumentos e que permita a verificação independente do funcionamento correto dos dispositivos de navegação mais sofisticados. Não consigo entender o porquê desse mesmo princípio não poder ser aplicado à segurança do voto eletrônico, visto que é tão difundido nas práticas seguras de engenharia."
Em resposta ao Terra, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) afirmou entender que "as medidas atuais são simples e suficientes para a garantia da confiabilidade pelas partes interessadas. Ou seja, a verificação da integridade da totalização das eleições é feita pelos fiscais de partido, que podem comparar as cópias impressas dos Boletins de Urna de cada seção eleitoral com o resultado recebido, totalizado e publicado pela Justiça Eleitoral (disponível na internet). Assim, a simples comparação do resultado recebido pelo fiscal e o processado na Justiça Eleitoral é suficiente para qualquer interessado criar sua própria totalização e verificar individualmente o resultado de cada urna eletrônica".
O TSE também rejeita a avaliação das urnas conforme a ideia de "geração", que teria "origens comerciais nas empresas que vendem ao Peru e à Argentina suas urnas e não tem nenhum fundamento mais profundo".
Para Diego Aranha, o conceito apenas serve de tradução para o processo de migração de urnas que não permitem a verificação do voto pelo eleitor para aquelas hoje adotadas em países como Bélgica e Venezuela, que seriam de "segunda geração".
"De fato, ao se acompanhar a cronologia dos sistemas de votação eletrônica em utilização no mundo, é possível observar uma evolução clara nessa direção. A noção de geração também não é utilizada para se descrever nenhum modelo específico fabricado por alguma empresa ou adotado em algum país, apenas para se sintetizar as propriedades de segurança fornecidas por aquelas famílias de modelos. Assim, não há nenhum apelo comercial, mas apenas a captura simples de uma tendência mundial em votação eletrônica", explica o professor, que vê a urna argentina à frente das demais por acoplar em mesma cédula as versões impressa e digital do voto, permitindo comparação direta entre os resultados registrados pelas duas formas.
Apesar das críticas ao modelo de votação em vigor, Diego vê bons agouros na ampliação de espaços para o debate sobre o tema. "Espero que a tendência recente à à transparência tão alardeada pelo TSE de fato se confirme na prática e que o debate público em torno da questão do voto eletrônico seja mais difundido, e não suprimido, como vem acontecendo. Muitos especialistas no País desejam enormemente contribuir para que o nosso sistema de votação atinja requisitos mínimos e plausíveis de segurança, mas não encontram nenhuma forma efetiva de fazê-lo."
Presente a audiência na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara, o engenheiro Amílcar Brunazo Filho engrossou o coro de Diego Aranha pela impressão, chamando o sistema em vigor de "curral eleitoral" em que "nenhum brasileiro pode ver o que foi gravado como registro do seu voto". Recorrente crítico do sistema eleitoral brasileiro, Brunazo considera que o TSE concentra os poderes administrativo, normativo e judicial, em fuga à recomendação de Charles de Montesquieu consagrada pelo governo republicano.

Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Buckaroo Banzai em 25 de Junho de 2012, 10:57:15
Acho que tem algum outro tópico com várias notícias interessantes sobre o assunto.

8 páginas:

http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=3499.175
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Price em 25 de Junho de 2012, 11:36:23
http://oab-ma.jusbrasil.com.br/noticias/1994233/tse-seleciona-32-hackers-para-testa-urnas-eletronicas (http://oab-ma.jusbrasil.com.br/noticias/1994233/tse-seleciona-32-hackers-para-testa-urnas-eletronicas)

Lembram-se de quando este fato ocorreu? O teste de invasão nas urnas eletrônicas foi feito com ferramentas pré selecionadas e membros pré selecionados de órgãos "confiáveis" do governo. Um desses membros fez um breve relato da limitação que os testadores tinham (dentre elas, não poder usar o próprio computador). Quando achar essa matéria postarei aqui.

Se a segurança das urnas forem feitas pelos técnicos de TI da PF de fato a segurança das urnas deve ser bem deplorável.
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Temma em 25 de Junho de 2012, 12:31:19
Não vejo as eleições destoando das pesquisas, e não acredito que essas últimas sejam fraudadas.
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Gaúcho em 25 de Junho de 2012, 14:54:23
Agora já sabemos como o PT ganhou 3 eleições presidenciais seguidas.
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Barata Tenno em 25 de Junho de 2012, 15:16:31
Eu acho que grandes eleições, com grande destaque da imprensa nacional não tem tanto problema, o que me preocupa é em cidades pequenas no interior brasileiro, onde o voto de cabresto realmente faz diferença.
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Derfel em 25 de Junho de 2012, 16:56:10
Não sei se nessas cidades teria a massa crítica para realizar a quebra da urna...
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Geotecton em 25 de Junho de 2012, 17:02:22
Não vejo as eleições destoando das pesquisas, e não acredito que essas últimas sejam fraudadas.

Agora já sabemos como o PT ganhou 3 eleições presidenciais seguidas.

Sem entrar nesta questão, resta a pergunta: Alguém por aqui realmente considera segura a urna eletrônica?
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Price em 25 de Junho de 2012, 17:23:17
Não vejo as eleições destoando das pesquisas, e não acredito que essas últimas sejam fraudadas.

Agora já sabemos como o PT ganhou 3 eleições presidenciais seguidas.

Sem entrar nesta questão, resta a pergunta: Alguém por aqui realmente considera segura a urna eletrônica?

Pequena observação: tecnicamente, é infimamete mais fácil interceptar dados do que incluir dados, o que garante um pouco mais a integridade dos resultados, embora incluir dados não seja difícil com a devida permissão e acesso (>> à rede. Com acesso as urnas, seria muito mais simples).
 
 Pequena observação 2: Um atacante bem preparado descobriria muito sobre a urma mesmo sem o código liberado, se ele tivesse acesso aos arquivos compilados, ainda mais se a máquina utilizar algum sistema operacional conhecido, ou rotinas conhecidas (o que é possível).
-

O único aspecto que considero seguro da urna é o conteúdo dos votos. Não falo dos votos "como objeto" mas de sua integridade, o sistema nesse ponto foi competente. Isso foi mencionado na matéria.

Porém o sistema governamental de backbones regidos por tercerizados, seus DNS com péssimo alastramento e incrível lentidão, sistemas de segurança ultrapassados e mal regidos e policiais federais despreparados e incompetentes faz com que, para mim, seja evidente que as urnas sejam facilmente comprometidas e não sejam confiáveis.
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Temma em 25 de Junho de 2012, 17:45:20
Não vejo as eleições destoando das pesquisas, e não acredito que essas últimas sejam fraudadas.

Agora já sabemos como o PT ganhou 3 eleições presidenciais seguidas.

Sem entrar nesta questão, resta a pergunta: Alguém por aqui realmente considera segura a urna eletrônica?


Sinceramente, eu não vejo razão para entrar em questões técnicas. Que o software pode evoluir, isso é inegável. Mas daí que possíveis falhas venham a lançar sombras sobre às eleições são outros quinhentos. Mas respondendo a pergunta. Eu creio que seja necessário contextualiza-la. Mais segura que o quê? Que a alternativa, voto manual, eu considero sim.

Quanto as impressões dos votos, seja como comprovante para o eleitor (que permite o voto de cabresto e a venda do voto), ou com comprovante em urna para recontagem, também essas são passíveis de fraude. A impressão de voto no candidato X e o cômputo do voto para o candidato Y não oferece nenhum desafio em termos de programação(e isso pode ser contornado via integridade do código, o que já é feito sem a impressão). Aliás, outro ponto que eu não vejo ninguém abordando. Estender o processo de apuração, pela via impressa, pra se "confirmar os dados eletrônicos", também aumenta as possibilidade de fraude, porque simplesmente o processo terá um período bem maior, assim como manipulação direta. E aí, o que se faria em relação à apuração, caso houvesse conflito? Outra eleição? Quantas vezes poderia ser repetida?



Então, resumindo. Acho a apuração manual menos segura que a eletrônica. Acho que impressão de votos para os eleitores, além de também ser fraudada, ressuscita o velho voto de cabresto, que creio ser um mal pior ainda do que a própria falibidade das urnas, sejam manuais ou eletrônicas.


Eu acabo sendo nesses casos pragmático, pois vejo maiores interessados, os partidos - derrotados e vencedores -, confiando nas urnas, assim como institutos de pesquisa independentes corroborando os resultados.
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Derfel em 25 de Junho de 2012, 17:50:42
Não vejo as eleições destoando das pesquisas, e não acredito que essas últimas sejam fraudadas.

Agora já sabemos como o PT ganhou 3 eleições presidenciais seguidas.

Sem entrar nesta questão, resta a pergunta: Alguém por aqui realmente considera segura a urna eletrônica?
Não existe sistema completamente seguro.
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Cientista em 26 de Junho de 2012, 02:38:23
Só não é surpreendente ver alguém acreditando que a votação eletrônica é algo extensivamente mais seguro que votação em papel porque é mais uma evidência de um relativismo humano sobre tudo. Como o problema nesses sistemas é o elemento humano, a pergunta a ser respondida é: onde é mais trabalhoso fraudar? Num sistema onde se pode chegar a um máximo teórico do simples pressionar de um botão, não há muita dificuldade em responder.

Eu não dou a mais mínima importância para isso pois desde que decidi não votar (em ninguém; "ir votar" eu vou para não haver a eventualidade de eu ser morto), já há mais de 20 anos, não quero nem saber quem ganha ou perde qualquer eleição.
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: A Mosca em 26 de Junho de 2012, 06:27:51
Ser morto por não ter comparecido ao pleito?  :?
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Mr. Mustard em 26 de Junho de 2012, 09:02:11
Sem entrar nesta questão, resta a pergunta: Alguém por aqui realmente considera segura a urna eletrônica?

Em vista dos políticos que temos, eu acredito que a urna é absolutamente segura. Qualquer resultado de uma apuração de votos será um desastre para nosso país de qualquer maneira. :-)
Título: Re:Pensamentos sobre o voto eletrônico[seguro ???]
Enviado por: Gaúcho em 26 de Junho de 2012, 09:03:37
Ser morto por não ter comparecido ao pleito?  :?

Esses são tempos perigosos.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Temma em 21 de Setembro de 2012, 12:03:20
Agradeço quem responder sem o espírito "Haters gonna hate". Por quê não?


Citar
Jimmy Carter surpreende: ‘Venezuela tem melhor processo eleitoral do mundo’

[...]Carter elogiou o sistema de votação venezuelano por incluir duas formas de contagem, o que dificulta qualquer tipo de tentativa de fraude. No país, os eleitores escolhem o seu candidato em uma urna eletrônica e ainda recebem um comprovante, que é depositado em uma caixa vedada, aberta para confirmar os resultados eleitorais. Além disso, um dos dedos é manchado com tinta indelével.[...]

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/09/jimmy-carter-eleicoes-venezuela.html


Pra mim seria perfeito, inclusive com a mancha de tinta no dedo. Só diria ser necessário um registro das ocorrências para verificação posterior em ocasiões onde eleitor afirmasse que o candidato que está no comprovante não é o mesmo que ele havia escolhido(para o caso de malucos, attention whores e idosos com dificuldade pra votar).


Mesmo a mancha no dedo, que num primeiro olhar parece algo tão retrógrada e na contramão de toda TI envolvida, dá mais transparência ao processo e elimina muito desse clima de desconfiança e boataria que sempre pipoca no dia das eleições.


Creio que a última preocupação seria a questão do "voto de cabresto" moderno, que já há registros de ocorrência, onde os eleitores tiram fotos da tela no momento da votação. A solução é inviabilizar o uso de celulares e câmeras, seja por revista prévia ou por detector de metais. Haveria ainda a questão dos gadgets miniaturizados, mas não são nem de longe tão acessíveis.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 23 de Setembro de 2012, 13:16:07
Não foi na Venezuela que saiu umas fotos de urnas sendo queimadas?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Price em 23 de Setembro de 2012, 13:32:01
A votação é boa, sim. O problema é que o que a antecede e o que a procede: o governo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 23 de Setembro de 2012, 17:35:32
Não foi na Venezuela que saiu umas fotos de urnas sendo queimadas?

Foi, o Chapolim Colorado mandou o exército queimar as urnas no dia seguinte para impedir uma recontagem.

Eu postei as fotos aqui na época.

Procurei as fotos novamente mas não encontrei, encontrei uma notícia de 2008:

http://coturnonoturno.blogspot.com.br/2008/11/urnas-eletrnicas-mudam-votos-na.html

Citar
domingo, 23 de novembro de 2008


Urnas eletrônicas mudam votos na Venezuela.


As urnas eletrônicas da Venezuela emitem um comprovante impresso que, por sua vez, é depositado na urna convencional. Assim os eleitores podem verificar se o voto está representando efetivamente a escolha.Pois não é que na Unidad Educativa del Juan XXIII de Valencia os eleitores estão votando no candidato Frango (El Pollo) e aparece o voto em Mário Silva? As autoridades, em alguns casos, estão permitindo que o eleitor corrija o seu voto. Em algumas máquinas, os candidatos da oposição nem aparecem. Denúncias começam a aparecer em todo o país. É o socialismo bolivariano em ação.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 23 de Setembro de 2012, 17:55:28
Achei:


http://blogcasamata.blogspot.com.br/2009/02/crime-eleitoral-urnas-queimadas-na.html

Tem a notícia e as fotos.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 23 de Setembro de 2012, 21:03:14
Hoje eu soube de candidatos (não sei quais) que compram votos por R$50,00. Ointeressado deve deixar nome, número do titulo e seção eleitoral. Aí os caras dão a bufunfa.

Fico imaginando se isso é blefe ou se os caras têm mesmo como obter essa informação.  Foi demonstrado que não é impossível.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabi em 23 de Setembro de 2012, 22:17:58
Mesmo onde tem aquele negócio das digitais?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 23 de Setembro de 2012, 22:25:37
Mesmo onde tem aquele negócio das digitais?

A ideia não é votarem pela pessoa. Pelo que entendi é conferir o voto.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Temma em 24 de Setembro de 2012, 14:48:28
Achei:


http://blogcasamata.blogspot.com.br/2009/02/crime-eleitoral-urnas-queimadas-na.html

Tem a notícia e as fotos.

Só pra constar. Blogs não são fontes confiáveis. Há também alguns sites de notícias genéricos, com notícias que só aparecem neles, e que nunca são replicados por outras agências. Um exemplo caseiro: "notícia" (http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/internacional/mundo/ministerio-publico-pede-bloqueio-de-bens-de-lula) em que o MPF teria pedido o bloqueio dos bens do presidente Lula, ou ainda, o caso do patrimônio de 2 bilhões do mesmo Lula, que teria saido na revista Forbes. Não sei se é o caso desse notícia24.com

De qualquer forma, minha intenção não é de maneira nenhuma defender a lisura do processo eleitoral venezuelano. Até porque, à exceção da marca de tinta no polegar, todos os outros processos são burláveis.



Hoje eu soube de candidatos (não sei quais) que compram votos por R$50,00. Ointeressado deve deixar nome, número do titulo e seção eleitoral. Aí os caras dão a bufunfa.

Fico imaginando se isso é blefe ou se os caras têm mesmo como obter essa informação.  Foi demonstrado que não é impossível.


Em 2008 eu me lembro que havia denúncias sobre isso, com os eleitores tendo que tirar fotos com o celular no momento da votação pra provar em quem estariam votando. O retorno do voto de cabresto, agora tecnológico.

Não votei nas eleições de 2010, pois justifiquei. Quando vocês votaram, tinha revista? Lembra se conseguiram votar com o celular? Talvez essa seja a melhor maneira pra coibir essas vendas, além de claro, campanhas né.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 24 de Setembro de 2012, 21:43:58
Achei:


http://blogcasamata.blogspot.com.br/2009/02/crime-eleitoral-urnas-queimadas-na.html

Tem a notícia e as fotos.

Só pra constar. Blogs não são fontes confiáveis. Há também alguns sites de notícias genéricos, com notícias que só aparecem neles, e que nunca são replicados por outras agências. Um exemplo caseiro: "notícia" (http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/internacional/mundo/ministerio-publico-pede-bloqueio-de-bens-de-lula) em que o MPF teria pedido o bloqueio dos bens do presidente Lula, ou ainda, o caso do patrimônio de 2 bilhões do mesmo Lula, que teria saido na revista Forbes. Não sei se é o caso desse notícia24.com

De qualquer forma, minha intenção não é de maneira nenhuma defender a lisura do processo eleitoral venezuelano. Até porque, à exceção da marca de tinta no polegar, todos os outros processos são burláveis.



Hoje eu soube de candidatos (não sei quais) que compram votos por R$50,00. Ointeressado deve deixar nome, número do titulo e seção eleitoral. Aí os caras dão a bufunfa.

Fico imaginando se isso é blefe ou se os caras têm mesmo como obter essa informação.  Foi demonstrado que não é impossível.


Em 2008 eu me lembro que havia denúncias sobre isso, com os eleitores tendo que tirar fotos com o celular no momento da votação pra provar em quem estariam votando. O retorno do voto de cabresto, agora tecnológico.

Não votei nas eleições de 2010, pois justifiquei. Quando vocês votaram, tinha revista? Lembra se conseguiram votar com o celular? Talvez essa seja a melhor maneira pra coibir essas vendas, além de claro, campanhas né.

Só achei uma fonte hoje porque é coisa antiga mas na época não era a única.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: EuSouOqueSou em 06 de Outubro de 2012, 09:16:54
feature=player_embedded
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 06 de Outubro de 2012, 09:39:38
Muito interessante o sistema da Argentina, descrito lá pelos 20 min do video!
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Dodo em 06 de Outubro de 2012, 11:44:09
Não votei nas eleições de 2010, pois justifiquei. Quando vocês votaram, tinha revista? Lembra se conseguiram votar com o celular? Talvez essa seja a melhor maneira pra coibir essas vendas, além de claro, campanhas né.

Ninguém me revistou ou perguntou se eu estava com celular, mas não deixaram minha filha de oito anos me acompanhar até a urna. Vamos ver amanhã como vai ser, depois eu posto aqui.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Diegojaf em 06 de Outubro de 2012, 12:46:07
Nas recomendações para as operações que faremos amanhã (eu hoje a partir das 23h), tem recomendações sobre como coibir os crimes mais comuns e alertas sobre formas que estão sendo usadas para compra de voto, além do celular, alguns candidatos disseminaram entre as pessoas (imagino que sejam idosos e pessoas de menor nível educacional) a quem forneceram favores (dinheiro, produtos, material de construção, etc) que a urna irá fornecer um comprovante escrito após a votação e que para ter o benefício prometido, devem levar esse comprovante.

Safadeza não tem limites...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 06 de Outubro de 2012, 15:49:21
Urna fornecendo comprovante escrito? :hein: Isso ta muito errado!

Tem candidato comprando voto e pra isso pedindo número do título, zona e seção do "vendedor". O que eles fazem com isso exatamente, eu não sei. Me disseram que é pra saber que na seção X vai ter N votos, mas pra isso não precisa do número do título, então estranhei.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: EuSouOqueSou em 07 de Outubro de 2012, 20:44:25
Nas recomendações para as operações que faremos amanhã (eu hoje a partir das 23h), tem recomendações sobre como coibir os crimes mais comuns e alertas sobre formas que estão sendo usadas para compra de voto, além do celular, alguns candidatos disseminaram entre as pessoas (imagino que sejam idosos e pessoas de menor nível educacional) a quem forneceram favores (dinheiro, produtos, material de construção, etc) que a urna irá fornecer um comprovante escrito após a votação e que para ter o benefício prometido, devem levar esse comprovante.

Safadeza não tem limites...

Não entendi. A urna não emite nenhum comprovante. Aliás, acho que eles dizem isso só pra dar a desculpa de negar o benefício pq nao mostrarão o comprovante, é isso?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Diegojaf em 07 de Outubro de 2012, 20:52:41
Nas recomendações para as operações que faremos amanhã (eu hoje a partir das 23h), tem recomendações sobre como coibir os crimes mais comuns e alertas sobre formas que estão sendo usadas para compra de voto, além do celular, alguns candidatos disseminaram entre as pessoas (imagino que sejam idosos e pessoas de menor nível educacional) a quem forneceram favores (dinheiro, produtos, material de construção, etc) que a urna irá fornecer um comprovante escrito após a votação e que para ter o benefício prometido, devem levar esse comprovante.

Safadeza não tem limites...

Não entendi. A urna não emite nenhum comprovante. Aliás, acho que eles dizem isso só pra dar a desculpa de negar o benefício pq nao mostrarão o comprovante, é isso?
Funciona como uma forma de intimidação. O velhinho vota por pressão como combinado na venda do voto.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Dodo em 12 de Dezembro de 2012, 10:48:31
Citar
Não é a urna, é o sistema: hacker mostra como mudar resultado da eleição, e diz que mudou em 2012

Parte da comunidade de informática brasileira interessada em eleições e voto eletrônico passou anos tentando mostrar ao TSE, autoridade eleitoral nacional, que havia uma [isso, uma] coisa errada no sistema eleitoral brasileiro e que esta “coisa” era o sistema como um todo, e não somente a urna eletrônica brasileira.
um comitê multidisciplinar independente enfrentou o problema ao analisar o sistema eleitoral brasileiro e concluiu, em 2009, que… 1. além do sistema de apuração rápida, que oferece aos brasileiros, o TSE deveria propiciar uma sistema eleitoral de apuração conferível pela sociedade civil; 2. há exagerada concentração de poderes no processo eleitoral brasileiro e 3. no atual sistema eleitoral brasileiro é impossível para os representantes da sociedade conferir e auditar o resultado da apuração eletrônica dos votos.
o comitê recomendou que se tomasse providências para 1. Propiciar separação mais clara de responsabilidades nas tarefas de normatizar, administrar e auditar o processo eleitoral brasileiro, deixando à Justiça Eleitoral apenas a tarefa de julgar o contencioso; 2. Possibilitar auditoria dos resultados eleitorais de forma totalmente independente das pessoas envolvidas na sua administração, e 3. Regulamentar detalhadamente o Princípio de Independência do Software em Sistemas Eleitorais, expresso na Lei 12.034/09, definindo claramente as regras de auditoria com o Voto Impresso Conferível pelo Eleitor. detalhes e mais links sobre o assunto neste link.
de 2009 pra cá, como antes das recomendações do comitê, nada de significativo foi feito para mudar o processo eleitoral. o mantra repetido pelo TSE, que confia na sua informática, é que as eleições brasileiras estão acima de qualquer suspeita.
antes das últimas eleições, um grupo de pesquisadores liderado por diego aranha, da UnB, descobriu como quebrar o sigilo da urna. para minimizar o problema, o TSE afirmou que nada havia sido “quebrado” e que era apenas mais um aspecto da urna que deveria ser melhorado. para o presidente do TSE, a quebra do sigilo da urna… “Foi dentro de um ambiente controlado. Isto numa situação real seria absolutamente impossível porque ele não teria acesso à fonte”.
em outubro passado, o blog fez uma só pergunta diego aranha: quais são suas principais críticas à segurança da urna eletrônica do TSE? e a resposta que ele nos enviou por emeio e publicada na íntegra, em outubro, é repetida a seguir em itálico, com negritos nossos.
Os principais problemas de segurança da urna eletrônica estão exatamente ligados aos dois requisitos fundamentais para a lisura das  eleições: sigilo e integridade dos votos. Durante os testes de segurança, encontramos uma vulnerabilidade que nos permitiu derrotar o único mecanismo de segurança implementado na software da urna para proteção do sigilo do voto. Utilizando essa vulnerabilidade, minha equipe conseguiu recuperar a lista ordenada dos votos em eleições simuladas com até 475 eleitores a partir unicamente de informação pública, com impacto potencial até em eleições passadas. Além disso, detectamos outras fragilidades que abrem a possibilidade de adulteração ou substituição do software de votação por uma versão que conta os votos de forma desonesta. Todas as urnas eletrônicas do país compartilham uma mesma chave criptográfica que protege os seus dados mais críticos e esta chave está ainda disponível na porção desprotegida dos cartões de memória. Mesmo que corrigidas pontualmente, este conjunto de vulnerabilidades denuncia um processo de projeto e desenvolvimento de software defeituoso, incapaz de detectar trechos de código inseguros inseridos no software por acidente ou sabotagem e que descarta  completamente a possibilidade de fraude promovida por agentes internos.
É certo que sistemas de votação puramente eletrônicos, como o adotado no Brasil, permitem apuração rápida, mas criam simultaneamente um cenário ideal para fraudes indetectáveis em larga escala. A velocidade de apuração nunca deve ter prioridade sobre a integridade do que é apurado. Para mitigar esse perigo, sugere-se aumentar a transparência atualmente insuficiente do nosso sistema por meio da reintrodução do voto impresso conferível pelo eleitor. Esse recurso consiste em apresentar uma versão materializada do voto para conferência dentro da cabine de votação e depósito automático em urna convencional. Assim, uma contagem manual posterior dos votos conferidos pode determinar se a contagem eletrônica foi feita corretamente, sem no entanto fornecer um comprovante que possa ser utilizado para violar o caráter secreto do voto. Além da verificação independente de resultados, é possível ainda realizar auditoria externa por fiscais eleitorais e recontagem de votos para resolver disputas. O Brasil é o único país do mundo que permanece utilizando significativamente sistemas de votação eletrônica que não fornecem um nível desejável de transparência.
o grupo de diego foi um dos que testou a urna, que é só uma parte do sistema.
qual foi uma das constatações do comitê independente? de que no atual sistema eleitoral brasileiro é impossível para os representantes da sociedade conferir e auditar o resultado da apuração eletrônica dos votos. sistema, e não só urna.
em um sistema opaco, sem auditoria independente, que se tornou parte essencial dos mecanismos de poder da nação e, com o passar do tempo, com cada vez mais gente sabendo cada vez mais sobre as mais variadas partes dos métodos, processos e do software que as implementam, e com muita gente, em eleições cada vez mais caras, interessadas em obter votos de forma mais, digamos, “efetiva”, era questão de tempo rolar um evento eu-não-disse, como parece que acaba de acontecer.
leia: um hacker, através de acesso ilegal e privilegiado à intranet da Justiça Eleitoral no Rio de Janeiro… interceptou os dados alimentadores do sistema de totalização e, após o retardo do envio desses dados aos computadores da Justiça Eleitoral, modificou resultados beneficiando candidatos em detrimento de outros – sem nada ser oficialmente detectado.
o texto em itálico vermelho acima é do site do PDT, sobre seminário realizado no dia 10/12 pelos institutos de estudos políticos do PR e PDT do rio de janeiro.
a notícia continua, citando o hacker, que estaria sob proteção policial: “A gente entra na rede da Justiça Eleitoral quando os resultados estão sendo transmitidos para a totalização e, depois que 50% dos dados já foram transmitidos, atuamos. Modificamos resultados mesmo quando a totalização está prestes a ser fechada”. um ataque, portanto, à integridade do voto. você votou em X? o voto será de Y.
o “gente” poderia ser um só, na fala do dia a dia. mas o “modificamos”… preocupa. o “gente” são quantos, vindos de onde, que adquiriram conhecimento de quem e como, que atuaram em que eleições em 2012 [foram mais de 5.500 eleições…] e fizeram o que, a soldo de quem, com que resultado? se tiveram sucesso, quantos “eleitos”, diplomados pelos TREs, tiveram votos vitaminados pela “gente” amiga do hacker? mais: em um sistema em que é impossível para os representantes da sociedade conferir e auditar o resultado da apuração eletrônica dos votos, se o TSE nos disser que que não houve nenhuma fraude, vamos acreditar? agora que parece que temos um agente confessando que perpetrou uma, e das graves?…
segundo o hacker do rio, a atuação da “gente” era em prol de clientes da região dos lagos, lá. só isso já merece ampla e profunda investigação, que deveria ocorrer da forma mais aberta e transparente possível. estamos chegando a um ponto em que não dá mais para sustentar que um sistema do porte e importância do que elege os brasileiros que vão nos representar e administrar o país esteja sob qualquer tipo de suspeita. e também já não dá mais para sustentar, na base da crença e discursos, que o sistema não tem furos, é à prova da “gente” lá do hacker, os do rio ou outros, talvez mais contidos, que estão escondidos pelo brasil afora.
o sistema eleitoral brasileiro, todo ele, das regras e atribuições dos agentes até os componentes de hardware, software, logística, segurança… precisa de uma real e urgente revisão, com toda transparência do mundo, para que se ache as falhas que for possível achar e as corrijamos pela raiz. ou para que, todos juntos e ao mesmo tempo, em um processo aberto a todos, comemoremos que verdadeiramente não há falhas. e que este menino do rio não passa de um calor que provoca arrepio. no verão, na praia. e não na democracia brasileira.

Fonte:http://terramagazine.terra.com.br/silviomeira/blog/2012/12/12/no-a-urna-o-sistema-hacker-mostra-como-mudar-resultado-da-eleio-e-diz-que-mudou-em-2012/
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 12 de Dezembro de 2012, 11:38:27
Eu ainda vou dar muitas risadas sobre o tema "segurança e inviolabilidade da urna e do processo eleitoral brasileiro".

É mais um "castelo-de-cartas" que vai ruir...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Price em 12 de Dezembro de 2012, 11:42:16
Viu? Eu falei que quando houve aquele teste com os hackers o ambiente foi todo propício à falha de invasão...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Dezembro de 2012, 19:39:27
Mais uma que o Lúcifer acertou, né pessoal?

Falei que urna eletrônica era uma merda, acreditam agora?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gaúcho em 12 de Dezembro de 2012, 23:06:56
Agora que saiu uma reportagem no TerraMagazine, eu acredito. :P
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 12 de Dezembro de 2012, 23:50:03
Agora que saiu uma reportagem no TerraMagazine, eu acredito. :P

Saiu no meioBit também!
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 13 de Dezembro de 2012, 00:17:45
Cara, imagino o escandalo que seria se os hackers fizessem o último colocado nas pesquisas ganhar no primeiro turno, ou ainda um candidato inexistente.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fernando Silva em 30 de Julho de 2014, 11:30:52

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2014-07-30/para-justica-eleitoral-historias-fantasiosas-criam-suspeita-infundada-sobre-a-urna-eletronica.html
Citar
Justiça Eleitoral rebate ‘histórias fantasiosas’ sobre urna eletrônica

TSE descarta versões que circulam na web sobre a segurança do processo eleitoral brasileiro e nega possibilidade de fraudes

Às vésperas de comemorar sua maioridade, a urna eletrônica brasileira é alvo de críticas e teorias da conspiração que a colocam sob suspeita. O Tribunal Superior Eleitoral, entretanto, classifica a onda de ataques à reputação da urna como fruto de informações fantasiosas, não comprovadas e carentes de evidências que pudessem embasá-las. Neste ano, a urna eletrônica completará 18 anos de uso. Será a décima eleição em que ela será utilizada. Por quase uma hora, o iG confrontou o TSE acerca dos principais argumentos disseminados na internet para saber o que a Justiça Eleitoral tem a dizer sobre as críticas ao sistema.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fernando Silva em 30 de Julho de 2014, 11:32:28

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2014-07-30/seis-mitos-sobre-fraudes-na-urna-eletronica.html
Citar
Seis mitos sobre fraudes na urna eletrônica

Principais fantasias que circulam na internet sobre sistema brasileiro de votação desmistificadas pelo TSE
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 12:57:45

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2014-07-30/seis-mitos-sobre-fraudes-na-urna-eletronica.html
Citar
Seis mitos sobre fraudes na urna eletrônica

Principais fantasias que circulam na internet sobre sistema brasileiro de votação desmistificadas pelo TSE

E as dezenas de fraudes comprovadas? Inclusive as que são investigadas pelo Ministério Público e que postamos em vídeos aqui mesmo?

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 01 de Agosto de 2014, 13:30:07
Eu não sei de que casos você está falando, mas queria apontar que investigado não quer dizer comprovado.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 13:47:34
Eu não sei de que casos você está falando, mas queria apontar que investigado não quer dizer comprovado.

Barata, descobriram um monte de fraudes nessas urnas e as investigações começaram do ponto em que se comprovaram as fraudes.

Quando digo que o Ministério Público está investigando é só para tentar achar os responsáveis.

Veja aqui, fraude em Guarulhos comprovada com documentos:

https://www.youtube.com/v/XxntwtIjEV4

É muito fácil achar no Youtube ou em outra fonte qualquer, existem dezenas de fraudes sendo que em uma cidade de Alagoas havia 93% de urnas com irregularidades comprovadas.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 01 de Agosto de 2014, 14:39:08
Eu não sei de que casos você está falando, mas queria apontar que investigado não quer dizer comprovado.

Exato.

E é este um dos motivos pelo qual um certo ex-governador de São Paulo, egrégio do período ditatorial, nunca foi preso no Brasil.

Porém, se ele 'tirar o pé' daqui...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 01 de Agosto de 2014, 14:48:17
Eu não sei de que casos você está falando, mas queria apontar que investigado não quer dizer comprovado.

Barata, descobriram um monte de fraudes nessas urnas e as investigações começaram do ponto em que se comprovaram as fraudes.

Quando digo que o Ministério Público está investigando é só para tentar achar os responsáveis.

Veja aqui, fraude em Guarulhos comprovada com documentos:

https://www.youtube.com/v/XxntwtIjEV4

É muito fácil achar no Youtube ou em outra fonte qualquer, existem dezenas de fraudes sendo que em uma cidade de Alagoas havia 93% de urnas com irregularidades comprovadas.



Arcanjo, isso é uma alegação com alegados documentos, pra ser COMPROVADO não basta só acusar tem que pegar esses documentos se investigar os mesmos são reais, se quem denuncia não esta mentindo, etc. Pelo vídeo não da afirmar que a fraude foi COMPROVADA, só da pra dizer que foi feita uma denúncia. Pra se comprovar é necessário uma investigação e uma sentença.

Só pra esclarecer, não estou dizendo que acho que não aconteceu, eu acho que aconteceu, só estou explicando que um vídeo no youtube com denúncias não é comprovação.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 15:04:13
OK, Barata.

Até entendo seu ponto mas o que vejo a todo momento são pessoas ligadas ao sistema eleitoral afirmando que essas urnas são fáceis de manipular.

São juízes eleitorais e técnicos em informática afirmando isso, não é conversa de Orkut, então não tenho motivos para duvidar.

http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/dellandrea1.htm

Citar
       A preocupação com a vulnerabilidade da urna eletrônica é antiga. Pode ser acompanhada no site Voto Seguro, mantido por técnicos especializados, engenheiros, professores e advogados que defendem que a urna eletrônica virtual - que não registra em apartado o voto do eleitor e que será usada nas próximas eleições - admite uma vasta gama de possibilidades de invasões, sendo definitivamente insegura e vulnerável.


Citar
O livro detalha a adaptação criativa de fraudes anteriores, como o voto de cabresto e a compra de votos, e outros meios mais sofisticados, como clonagem e adulteração dos programas, o engravidamento da urna e outros. Além das fraudes na eleição, são possíveis fraudes na apuração e na totalização do votos.

       O livro demonstra que a zerésima - um neologismo para a listagem emitida pela urna antes da votação e na qual constam os nomes dos candidatos com o número zero ao lado, indicando que nenhum deles recebeu ainda votos, na qual repousa a garantia de invulnerabilidade defendida pelo TSE -, ela própria pode ser uma burla porque é possível se imprimir qualquer coisa, como o número zero ao lado do nome do candidato, e ainda assim haver votos guardados na memória do computador (página 27).

       O livro não lança acusações levianas. Explica como as fraudes podem ocorrer e ao mesmo tempo apresenta soluções, ao menos parciais, como o uso da Urna Eletrônica Real - que imprime e recolhe os votos dos eleitores em compartimento próprio - ao contrário da urna eminentemente virtual, que não deixa possibilidade de posterior conferência.

Citar
O mais instigante é que os autores e outros técnicos e professores protocolizaram no TSE pedidos para efetuar um teste de penetração visando demonstrar sua tese e isto lhes foi negado, apesar da fundamentação usada.

       O livro cita o Relatório Hursti, da ONG Black Box Voting, dos EUA, em que testes de penetração nas urnas-e TXs da Diebold demonstraram que é perfeitamente possível se adulterar os programas daqueles modelos de forma a desviar votos numa eleição normal (página 25).

       Pelo menos 375 mil das 426 mil urnas que serão utilizadas nas eleições de 2006 são fabricadas pela Diebold. Elas foram, por esses motivos, recusadas tantos nos EUA quanto no Canadá.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 01 de Agosto de 2014, 16:00:42
Ser fácil de manipular e afirmar que de fato foram manipuladas são coisas diferentes. Você pode afirmar que as urnas são fáceis de manipular, pode afirmar que existem denúncias e  investigações sobre manipulação, mas não pode afirmar que as manipulações são fatos comprovados.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 16:31:36
Ser fácil de manipular e afirmar que de fato foram manipuladas são coisas diferentes. Você pode afirmar que as urnas são fáceis de manipular, pode afirmar que existem denúncias e  investigações sobre manipulação, mas não pode afirmar que as manipulações são fatos comprovados.

Se fossem seguras não fariam questão de impedir qualquer verificação como fazem.

E com sei lá quantas fontes mostrando fraudes nas eleições dá mesmo para acreditar que não aconteçam?

http://folhacentrosul.com.br/geral/2871/centenas-de-suspeitas-de-fraudes-em-urnas-eletronicas-usadas-no-brasil-poe-em-duvida-a-legitimidade-das-eleicoes

Citar
Centenas de suspeitas de fraudes em urnas eletrônicas usadas no Brasil põe em dúvida a legitimidade das eleições

Citar
Hacker Adolescente mostra como burlou urna eletrônica no Rio de Janeiro (MAIS DE 60 MIL CURTIDAS)
VEJA MAIS SOBRE ISSO
Acompanhado por um especialista em transmissão de dados, Reinaldo Mendonça, e de um delegado de polícia, Alexandre Neto, um jovem hacker de 19 anos, identificado apenas como Rangel por questões de segurança, mostrou como — através de acesso ilegal e privilegiado à intranet da Justiça Eleitoral no Rio de Janeiro, sob a responsabilidade técnica da empresa Oi – interceptou os dados alimentadores do sistema de totalização e, após o retardo do envio desses dados aos computadores da Justiça Eleitoral, modificou resultados beneficiando candidatos em detrimento de outros – sem nada ser oficialmente detectado.
Mas, como???
“A gente entra na rede da Justiça Eleitoral quando os resultados estão sendo transmitidos para a totalização e depois que 50% dos dados já foram transmitidos, atuamos. Modificamos resultados  mesmo quando a totalização está prestes a ser fechada”, explicou Rangel, ao detalhar em linhas gerais como atuava para fraudar resultados. (Fonte: Viomundo)

Citar
A Diebold, empresa responsável pela fabricação das urnas eletrônicas usadas no Brasil, 450 mil no total, uma das principais fornecedoras de equipamentos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) graças a seguidos aditivos contratuais, vai ser obrigada a pagar multa de quase US$ 50 milhões nos Estados Unidos, por determinação do Departamento de Justiça, por subornar funcionários na Rússia, na Indonésia e na China e fraudar programação das urnas eletrônicas e de caixas eletrônicos. A Diebold faturou US$ 3 bilhões ano passado e atua em mais de 90 paises

A empresa que fabrica urnas usadas no Brasil vai pagar uma multa nos EUA por suborno e fraude na programação das urnas que ela mesma vende.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 16:40:06
Para não falarem que é mais uma "conspiração do Arcanjo":

http://www.folhapolitica.org/2013/12/eua-multam-diebold-fabricante-das-urnas.html

Citar
http://www.folhapolitica.org/2013/12/procurador-dos-eua-diz-que-fabricante.html

"Procurador dos EUA dia que fabricante das urnas brasileiras tem padrão mundial de conduta criminosa"

A tal empresa fraudou programas usados em urnas no exterior e caixas eletrônicos.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 01 de Agosto de 2014, 18:12:24
Vou ter que desenhar?

Não estou dizendo que não aconteçam, não estou dizendo que é conspiração, não estou dizendo que são seguras, o que estou dizendo é que não ha nada COMPROVADO. Voce sabe o que é comprovado né? Sabe o que são evidencias circunstanciais né? Sabe a diferença entre suspeita, investigação e comprovação?


Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gaúcho em 01 de Agosto de 2014, 18:33:54
Acho que tudo o que ele está dizendo é que onde há fumaça, há fogo. Também não existe nada comprovado contra o Sarney, Lula...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 01 de Agosto de 2014, 18:43:15
Acho que tudo o que ele está dizendo é que onde há fumaça, há fogo. Também não existe nada comprovado contra o Sarney, Lula...

Nem sempre onde há fumaça há fogo e pode haver fogo sem fumaça. Se não existe nada comprovado, não existe nada comprovado, então não use a palavra comprovado.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 18:49:13
Vou ter que desenhar?

Não estou dizendo que não aconteçam, não estou dizendo que é conspiração, não estou dizendo que são seguras, o que estou dizendo é que não ha nada COMPROVADO. Voce sabe o que é comprovado né? Sabe o que são evidencias circunstanciais né? Sabe a diferença entre suspeita, investigação e comprovação?




Entendi, Barata.

Agora diga uma coisa, vc sabe que tentam a todo custo impedir uma verificação das urnas, não sabe?

Sim, sabe pois já postamos m monte de links aqui com o pessoal do governo dizendo que não precisam da verificação pois as urnas são seguras e fim.

Se fossem mesmo não precisariam impedir uma verificação feita por terceiros.

Deu para entender agora ou não?

Como vc pode provar que existe uma fraude se vc não tem acesso a elas justamente porque quem cuida delas pode estar metido nisso?

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 18:51:22
Acho que tudo o que ele está dizendo é que onde há fumaça, há fogo. Também não existe nada comprovado contra o Sarney, Lula...

Nem sempre onde há fumaça há fogo e pode haver fogo sem fumaça. Se não existe nada comprovado, não existe nada comprovado, então não use a palavra comprovado.

E sobre isso, tem os registros das eleições mostrados nos vídeos com os números apresentados na reportagem.

Para mim, um registro fornecido pelo próprio TSE vale como prova, talvez não para vc.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Dodo em 01 de Agosto de 2014, 19:30:21
Deixa eu fazer uma pergunta meio imbecil: não era hora então da Veja, do Reinaldo Azevedo, do Rodrigo Constantino, enfim, toda a oposição, trazerem provas de que a urna É falha e facilitou a vitória do PT nessas últimas eleições? Se a coisa é tão falha, tão escancarada, e de domínio público, por que os maiores interessados (PSDB,PSOL, PSTU e outros) vão arriscar perder mais uma vez para o PT?

Ou será que o PT conseguiu algum tipo de poção mágica que faz com que todo mundo, menos quem tem o poder de derrubá-lo, enxergue as falcatruas?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 19:33:24
Deixa eu fazer uma pergunta meio imbecil: não era hora então da Veja, do Reinaldo Azevedo, do Rodrigo Constantino, enfim, toda a oposição, trazerem provas de que a urna É falha e facilitou a vitória do PT nessas últimas eleições? Se a coisa é tão falha, tão escancarada, e de domínio público, por que os maiores interessados (PSDB,PSOL, PSTU e outros) vão arriscar perder mais uma vez para o PT?

Não disse que o PT fraudou, disse que existem fraudes aos montes nesse sistema eleitoral.

Até onde vc pode confiar no resultado de uma eleição sabendo que todo dia aparece algo sobre essas urnas?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Dodo em 01 de Agosto de 2014, 19:39:47
Deixa eu fazer uma pergunta meio imbecil: não era hora então da Veja, do Reinaldo Azevedo, do Rodrigo Constantino, enfim, toda a oposição, trazerem provas de que a urna É falha e facilitou a vitória do PT nessas últimas eleições? Se a coisa é tão falha, tão escancarada, e de domínio público, por que os maiores interessados (PSDB,PSOL, PSTU e outros) vão arriscar perder mais uma vez para o PT?

Não disse que o PT fraudou, disse que existem fraudes aos montes nesse sistema eleitoral.

Até onde vc pode confiar no resultado de uma eleição sabendo que todo dia aparece algo sobre essas urnas?

Essa é a questão: se o problema é a urna e todo o processo, então o que estamos discutindo aqui?  Se o PT fica ou sai, se o Lula vota, se o FHC retorna... tudo perde o sentido! Pelo menos eu vejo assim. Se as urnas são falhas, então todos em algum momento se beneficiaram, e a possibilidade disso estar acontecendo é que me assusta. Teremos que reconstruir o pais do zero?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 19:46:03
Deixa eu fazer uma pergunta meio imbecil: não era hora então da Veja, do Reinaldo Azevedo, do Rodrigo Constantino, enfim, toda a oposição, trazerem provas de que a urna É falha e facilitou a vitória do PT nessas últimas eleições? Se a coisa é tão falha, tão escancarada, e de domínio público, por que os maiores interessados (PSDB,PSOL, PSTU e outros) vão arriscar perder mais uma vez para o PT?

Não disse que o PT fraudou, disse que existem fraudes aos montes nesse sistema eleitoral.

Até onde vc pode confiar no resultado de uma eleição sabendo que todo dia aparece algo sobre essas urnas?

Essa é a questão: se o problema é a urna e todo o processo, então o que estamos discutindo aqui?  Se o PT fica ou sai, se o Lula vota, se o FHC retorna... tudo perde o sentido! Pelo menos eu vejo assim. Teremos que reconstruir o pais do zero? Se as urnas são falhas, então todos em algum momento se beneficiaram, é esta possibilidade que me assusta!

Então, é isso que digo há tempos.

Já postei links com apreensões de urnas falsas, como é possível que uma urna falsa acabe em uma cabine eleitoral?

Já postei links com apreensões de peças eletrônicas para fabricação de urnas e as peças externas delas.

Já postei links de todo tipo com apreensões feitas pela Polícia Federal, de fraudes, de irregularidades, de mesários que guardaram as urnas em casa, de urnas desligadas durante a votação, de eleitores falecidos que compareceram à votação, de eleitores em número maior que os registrados na seção, tem fraude de todo tipo, inclusive as que vc viu acima.



Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Dodo em 01 de Agosto de 2014, 19:50:40
Eu quero acreditar (veja bem minhas palavras) que você está errado! O problema é que eu não sei se QUERO ou se PRECISO!
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 01 de Agosto de 2014, 20:15:49
Acho que tudo o que ele está dizendo é que onde há fumaça, há fogo. Também não existe nada comprovado contra o Sarney, Lula...

Nem sempre onde há fumaça há fogo e pode haver fogo sem fumaça. Se não existe nada comprovado, não existe nada comprovado, então não use a palavra comprovado.

E sobre isso, tem os registros das eleições mostrados nos vídeos com os números apresentados na reportagem.

Para mim, um registro fornecido pelo próprio TSE vale como prova, talvez não para vc.

E você prontamente acredita que qualquer papel que aparece numa reportagem é automaticamente verdadeiro e expressão da mais pura verdade? Sério?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Reginaldo brasileiro em 01 de Agosto de 2014, 20:16:30
Mesmo que as urnas possam ser fraudadas e sejam fraudadas,não quer dizer que isto terá influência em nível estadual e nacional . Se houver um esforço nacional e concentrado para abusar dessa falha,será algo quase impossível que alguem não note isso .  E basta uma pessoa dedurar o esquema para que todo esse complicado esquema vá a água abaixo . Fraudar eleições nesse nível só é possível se não houver "oposição" para denunciar a fraude ao Judiciário e convocar novas eleições .
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 01 de Agosto de 2014, 20:17:54
Vou ter que desenhar?

Não estou dizendo que não aconteçam, não estou dizendo que é conspiração, não estou dizendo que são seguras, o que estou dizendo é que não ha nada COMPROVADO. Voce sabe o que é comprovado né? Sabe o que são evidencias circunstanciais né? Sabe a diferença entre suspeita, investigação e comprovação?




Entendi, Barata.

Agora diga uma coisa, vc sabe que tentam a todo custo impedir uma verificação das urnas, não sabe?

Sim, sabe pois já postamos m monte de links aqui com o pessoal do governo dizendo que não precisam da verificação pois as urnas são seguras e fim.

Se fossem mesmo não precisariam impedir uma verificação feita por terceiros.

Deu para entender agora ou não?

Como vc pode provar que existe uma fraude se vc não tem acesso a elas justamente porque quem cuida delas pode estar metido nisso?




Se mesmo admite que não pode provar então pare de dizer que esta comprovado!!!!!!!!!!!!11111111ondemilcentoeonze
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 20:55:51
Acho que tudo o que ele está dizendo é que onde há fumaça, há fogo. Também não existe nada comprovado contra o Sarney, Lula...

Nem sempre onde há fumaça há fogo e pode haver fogo sem fumaça. Se não existe nada comprovado, não existe nada comprovado, então não use a palavra comprovado.

E sobre isso, tem os registros das eleições mostrados nos vídeos com os números apresentados na reportagem.

Para mim, um registro fornecido pelo próprio TSE vale como prova, talvez não para vc.

E você prontamente acredita que qualquer papel que aparece numa reportagem é automaticamente verdadeiro e expressão da mais pura verdade? Sério?

Aos 26 segundos do filme que postei :

"..ele apresenta documentos fornecidos pela própria justiça eleitoral"

OK, Barata, a justiça eleitoral emite documentos falsos só para fazerem denúncias infundadas.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 20:58:09
Vou ter que desenhar?

Não estou dizendo que não aconteçam, não estou dizendo que é conspiração, não estou dizendo que são seguras, o que estou dizendo é que não ha nada COMPROVADO. Voce sabe o que é comprovado né? Sabe o que são evidencias circunstanciais né? Sabe a diferença entre suspeita, investigação e comprovação?




Entendi, Barata.

Agora diga uma coisa, vc sabe que tentam a todo custo impedir uma verificação das urnas, não sabe?

Sim, sabe pois já postamos m monte de links aqui com o pessoal do governo dizendo que não precisam da verificação pois as urnas são seguras e fim.

Se fossem mesmo não precisariam impedir uma verificação feita por terceiros.

Deu para entender agora ou não?

Como vc pode provar que existe uma fraude se vc não tem acesso a elas justamente porque quem cuida delas pode estar metido nisso?




Se mesmo admite que não pode provar então pare de dizer que esta comprovado!!!!!!!!!!!!11111111ondemilcentoeonze

O que aparece no vídeo acima é fundamentado pela própria justiça eleitoral que forneceu os documentos apresentados, que parte do filme vc deixou de ver?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 01 de Agosto de 2014, 21:50:35
A parte em que existe a comprovação de que o documento apresentado é realmente fornecido pela justiça eleitoral. Não sei se você já ouviu falar de fraude de documentos, mas é bem comum e existem pessoas muito boas nisso. Foi feito perícia no documento? A justiça eleitoral se manifestou? Foi feita investigação do caso? Saiu uma sentença? Não? Então não tem porra nenhuma comprovada. Existem suspeitas, acusações, mas nenhuma comprovação. Cadê o seu ceticismo? Você desliga ele quando o assunto bate com sua ideologia?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 01 de Agosto de 2014, 22:02:37
A parte em que existe a comprovação de que o documento apresentado é realmente fornecido pela justiça eleitoral. Não sei se você já ouviu falar de fraude de documentos, mas é bem comum e existem pessoas muito boas nisso. Foi feito perícia no documento? A justiça eleitoral se manifestou? Foi feita investigação do caso? Saiu uma sentença? Não? Então não tem porra nenhuma comprovada. Existem suspeitas, acusações, mas nenhuma comprovação. Cadê o seu ceticismo? Você desliga ele quando o assunto bate com sua ideologia?

OK, Barata.

Vamos esquecer tb a parte em que a empresa que produz a urna é processada pela justiça americana por um monte de crimes e vai pagar alguns milhões como indenização.

Tá todo mundo errado.

A justiça americana, a justiça brasileira, o Ministério Público, ninguém verificou documento nenhum antes de fazer as acusações contra a empresa que produz as urnas, ninguém verificou os documentos antes de levar ao ar na televisão, nenhum funcionário da Justiça eleitoral verificou os documentos que forneceram ao cara que denunciou...

https://www.youtube.com/v/0AKR-Lo-700


Fim.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 01 de Agosto de 2014, 22:40:44
Alguém verificou? O juiz jâ aceitou como prova? O MP ja ganhou o caso? Os culpados já estão presos? Me diz ai o número do processo para eu poder acompanhar a verificação das provas. Você tem né? Afinal você não é inocente de acreditar que uma equipe de reportagem realmente verifica isso. Tem as provar ai ou mais vídeo to youtube? Ja disse, e repito, pode ser tudo verdade, as acusações tem uma base forte, as evidencias (se comprovadas) são bem contundentes, mas ate agora só existem acusações, suspeitas e investigações, quando algo for realmente COMPROVADO, com laudos, julgamento, sentença, ai você pode usar essa palavra. Até lá, usa as palavras certas, SUSPEITA, ACUSAÇÃO, INVESTIGAÇÃO.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 02 de Agosto de 2014, 00:15:46
seja mais razoável Barata,  há elementos fortes aí para você simplesmente ignorar o debate.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 02 de Agosto de 2014, 00:21:16
Alguém verificou? O juiz jâ aceitou como prova? O MP ja ganhou o caso? Os culpados já estão presos? Me diz ai o número do processo para eu poder acompanhar a verificação das provas. Você tem né? Afinal você não é inocente de acreditar que uma equipe de reportagem realmente verifica isso. Tem as provar ai ou mais vídeo to youtube? Ja disse, e repito, pode ser tudo verdade, as acusações tem uma base forte, as evidencias (se comprovadas) são bem contundentes, mas ate agora só existem acusações, suspeitas e investigações, quando algo for realmente COMPROVADO, com laudos, julgamento, sentença, ai você pode usar essa palavra. Até lá, usa as palavras certas, SUSPEITA, ACUSAÇÃO, INVESTIGAÇÃO.

Concordo.

Mas não dá para ignorar o fato de que o 'sistema' opera de modo a se auto-proteger.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Dodo em 02 de Agosto de 2014, 00:41:42
Então, eu não gosto de bater nesta tecla, mas lá vai: o mensalão! A oposição tinha a faca e o queijo na mão para, ao menos, pedir o impeachment do Lula, mas não o fizeram. Por que?
Agora eu tô vendo o mesmo caso das urnas eletrônicas, se é tão escancarado esse problema e a galinha dos ovos de ouro pode ir, novamente, para o PT, por que ninguém faz nada?

Trocando em miúdos: por que até agora não apareceu uma reportagem de capa da Veja com o seguinte título: Fraudes na urna eleitoral! Um esquema fraudulento que manteve o PT doze anos no poder é descoberto!
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 02 de Agosto de 2014, 01:11:14
Então, eu não gosto de bater nesta tecla, mas lá vai: o mensalão! A oposição tinha a faca e o queijo na mão para, ao menos, pedir o impeachment do Lula, mas não o fizeram. Por que?
Agora eu tô vendo o mesmo caso das urnas eletrônicas, se é tão escancarado esse problema e a galinha dos ovos de ouro pode ir, novamente, para o PT, por que ninguém faz nada?

Trocando em miúdos: por que até agora não apareceu uma reportagem de capa da Veja com o seguinte título: Fraudes na urna eleitoral! Um esquema fraudulento que manteve o PT doze anos no poder é descoberto!

Boa pergunta, temos duas opções mais provaveis para o caso:

1- Todo mundo é honesto na nossa política e ninguém nunca roubou um valor muito grande. Todo aquele dinheiro mandado por empresas e indivíduos a campanhas eleitorais é honesto e visa pura e somente bem do país (empresários altruístas de direita e esquerda).

2 - Ou, está todo mundo envolvido nos esquemas, o PT e o PSDB são duas faces da mesma moeda imunda e não querem fazer qualquer coisa que cause incomode muito a sociedade. Afinal, uma sociedade desconfiada e defensiva é muito mais resistente para entregar seu dinheiro e liberdades para o estado. Todo mundo na política perde. Até os policiais ficam questionando o que devem ou não fazer.

Imaginem o cenário: foi descoberto e comprovado que as eleições foram fraudadas. O que vai acontecer? Quem entra no comando (e por que deveriam aceitar líderes não eleitos democraticamente)? As leis que colocariam esses substitutos no poder são respeitáveis? Refaz as eleições? quem pode se candidatar? E as leis que foram criadas? Quem será punido? Qual seria a punição? Seria o caos. Um impeachment não seria muito diferente. Não é um cenário muito agradável a quem já tem seus esquemas formados e quer roubar caladinho e sem muitas incertezas.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Dodo em 02 de Agosto de 2014, 01:25:16
Parcus, eu acho que no primeiro caso simplesmente não tinham provas suficientes para enquadrar o Lula (não estou afirmando que ele é inocente), se contentaram em pegar os outros achando que isso ia desgastar o PT e influenciar nas eleições. No caso das urnas, apesar das evidências (ressalto que, na minha opinião, somente alguns dos relatos podem se caracterizar como evidências), quem pedir essa investigação pode acabar com um resultado inconclusivo nas mãos e fazer papel de ridículo.
Mas, como eu mesmo disse, eu apenas acho!
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 02 de Agosto de 2014, 01:32:56
Parcus, eu acho que no primeiro caso simplesmente não tinham provas suficientes para enquadrar o Lula (não estou afirmando que ele é inocente), se contentaram em pegar os outros achando que isso ia desgastar o PT e influenciar nas eleições. No caso das urnas, apesar das evidências (ressalto que, na minha opinião, somente alguns dos relatos podem se caracterizar como evidências), quem pedir essa investigação pode acabar com um resultado inconclusivo nas mãos e fazer papel de ridículo.
Mas, como eu mesmo disse, eu apenas acho!
Também acho, até porque a tendencia vai ser não "concluirem nada" em um caso tão sensível e com consequências tão impactantes como esse (razões expostas acima).
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 02 de Agosto de 2014, 08:31:23
Lá vão aí os meus dois centavos:


Até quando vão levar esse engodo adiante, eu não sei. Mas acho que não é nada sobre o PT, as eleições de Lula e Dilma ou um esquema maior por trás de tudo. É apenas projeto falho, sujeito a fraudes em que os mais espertos conseguem tirar sua casquinha aqui e ali.
E o TSE não tem (aqui vai um termo que sempre evito, mas ficou difícil substituir por um melhor) bolas para assumir o problema e sugerir aperfeiçoamento ou mesmo substituição completa das urnas eletrônicas brasileiras, que por sinal, nenhum país quer para si.

Dessa vez, o PT não tem culpa. :umm:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 02 de Agosto de 2014, 10:48:56
O TSE não admite as falhas e não permite auditoria porque acredita em segurança por obscuridade (http://en.wikipedia.org/wiki/Security_through_obscurity).
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 02 de Agosto de 2014, 11:12:11
seja mais razoável Barata,  há elementos fortes aí para você simplesmente ignorar o debate.


Sim, há elementos bem fortes, concordo. Não estou ignorando o debate, estou dizendo que não podemos dizer que é um fato comprovado. Temos que ter cuidado com o critério usado na palavra comprovado, se aceitamos qualquer reportagem em que alguém afirma ter um documento temos que fazer o mesmo com petistas que se dizem inocentes de acusações.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 02 de Agosto de 2014, 11:16:41
O TSE não admite as falhas e não permite auditoria porque acredita em segurança por obscuridade (http://en.wikipedia.org/wiki/Security_through_obscurity).

Exato.
As investigações não são levadas adiante nem há interesse nisso justamente para não revelar a fragilidade da coisa toda.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Luiz F. em 02 de Agosto de 2014, 13:55:31
O problema das urnas inseguras não é por possibilidade de fraudes em eleições de âmbito nacional ou estadual, pois seria extremamente improvável alguma fraude passar despercebida ou mesmo implementada. Além do fato das pesquisas de opinião já darem um cenário provável de resultado o que inviabiliza viradas de mesa sem levantarem suspeitas.

O grande problema é em nível municipal, cidades pequenas principalmente.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Rhyan em 03 de Agosto de 2014, 03:52:31
Citar
A urna eletrônica é realmente segura?
Por Guilherme Inojosa @guilhermeifc · 13/06/2014

Passado quase um século marcado por uma república mantida à base da fraude, duas ditaduras e uma experiência republicana repleta de instabilidades políticas, o Brasil inaugurou, em 1985, a sua Nova República, como um verdadeiro marco em defesa da estabilidade institucional e do desenvolvimento econômico-social. Um dos principais pontos desse novo procedimento democrático foi a instauração da urna eletrônica, tratada como uma evolução da democracia que estabeleceria agilidade, modernidade e segurança aos milhões de eleitores do país na escolha de seus governantes. Infelizmente, com uma análise mais apurada, chegaremos à conclusão de que esse pensamento se dá muito mais mais como uma forma de conforto psicológico do que pela real segurança existente na nossa urna eletrônica.

Nossa primeira experiência democrática eletrônica se deu em Santa Catarina – sete anos após a experiência indiana (http://www.e-pao.net/epSubPageExtractor.asp?src=news_section.10th_Manipur_Legislative_Assembly_Election_2012.How_can_Electronic_Voting_Machines_EVM_be_manipulated_Part_1), o que impediu o nosso reconhecimento da paternidade do dispositivo. A urna eletrônica foi instaurada em maior escala no país pela primeira vez nas eleições de 1996, em mais de 50 municípios, e implantada em todas as regiões do país nas eleições de 2000. Com a implementação em larga escala, a discussão sobre a real segurança do modelo por especialistas em informática se tornou inevitável.

O primeiro relatório sobre o assunto foi o Relatório Unicamp (http://www.tse.jus.br/internet/eleicoes/relatorio_unicamp/rel_final.pdf), elaborado por professores da instituição. Recebeu conclusões tão ambíguas sobre o seu resultado que outros estudos sobre o caso foram indispensáveis: o relatório COPPE (http://www.angelfire.com/journal2/tatawilson/coppe-tse.pdf) (encomendado pelo PT a professores da UFRJ, com resultados inconclusivos sobre a segurança), o [ur=http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/relatoriosbc.pdfl]relatório SBC[/url] (encomendado pelo TRE e elaborado por professores da UFMG e da UFSC, cujo diagnóstico tratou da possibilidade de identificação física do votante e da dificuldade na transparência e auditabilidade), o relatório BRISA (mantido em sigilo por muitos anos, cujo resultado (https://secure.avaaz.org/po/petition/Tribunal_Superior_Eleitoral_Auditoria_em_urnas_eletronicas_praticada_por_empresas_idoneas/?pv=1) expôs a falta de atendimento aos parâmetros internacionais de transparência pelo principal engenheiro por trás da urna eletrônica), o relatório CMTES (http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/comiteTSE-1.pdf) (que diagnosticou que o sistema de DRE utilizado pelo Brasil possui defeitos sanáveis), desmentido pelo relatório CMIND (http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/RelatorioCMind.pdf) (que demonstrou que o sistema brasileiro não se atenta às normas internacionais de segurança), o Relatório Alagoas-2006 (http://www.votoseguro.org/arquivos/AL06-laudoFerITA.zip) (de idoneidade dúbia, por ser encomendado pelo candidato derrotado nas eleições a um professor do ITA, e atesta uma possibilidade de fraude nas eleições do estado) e o Relatório FACTI-CENPRA (encomendado pelo TSE e ainda mantido em sigilo).

O estudo mais polêmico sobre o tema, entretanto, foi o Relatório UNB (https://1996ce7e-a-62cb3a1a-s-sites.googlegroups.com/site/dfaranha/projects/relatorio-urna.pdf?attachauth=ANoY7cqQjtBSZwjB3D_rLlVkEHN-ibYTMEjvG6LVoYzLRkx1c_sOo4BJNiV0cMkivsCdly6cNk8VN0byCONZaHHvOtLNxafxV6xQsvhE6xuM0fO0glVKRlLsMYM5P_kEU1M5Lm5PQqDBfbPLu1yD7A5plsh_saoFKDLaoZbFL4VcWZ2F-Jmno9d_7hpmMMT5bJeBHjlAyGCUPyO_V_NEqGks_P-Y0cZyDWdS1hkKQviDConE081fLWY%3D&attredirects=0) (realizado por uma equipe de professores da instituição ao TSE). O relatório atesta a possibilidade de quebra do sigilo e uma possível adulteração dos votos. Em apenas um teste, conseguiu quebrar não apenas a suposta existência de um sigilo dentro das eleições no Brasil, como demonstrar que a transparência e auditabilidade se encontram prejudicadas com esse sistema. O TSE, como de praxe, minimizou os efeitos e afirmou que uma simples melhora do algoritmo poderia acabar com estes problemas. Resta saber como confiar em um aparelho cujo próprio tripé (sigilo, transparência e auditabilidade) não são respeitados ou, na melhor das hipóteses, são no mínimo de duvidosa apuração.

E essa falta de segurança não é presente apenas no plano teórico. Na prática, provavelmente o caso mais notório tenha sido de um hacker de 19 anos que assumiu ter executado fraudes nas eleições municipais do Rio de Janeiro (http://www.viomundo.com.br/denuncias/voto-eletronico-hacker-de-19-anos-revela-no-rio-como-fraudou-eleicao.html), a fim de beneficiar determinados candidatos em detrimento de outros. E esse tampouco é um problema restrito ao Brasil. Nas eleições de 2000 dos Estados Unidos, que elegeu George W. Bush, houve fraude eleitoral no Condado de Volusia, na Florida (http://en.wikipedia.org/wiki/Volusia_error) - não por acaso, o estado que definiu a eleição mais conturbada da história do país.

Tendo em vista que a própria Constituição Federal afirma como cláusula pétrea o voto direto, secreto e universal, a mera dúvida sobre a existência dessa violação do sigilo já seria motivo suficiente para, no mínimo, questionarmos se a urna eletrônica seria realmente o melhor instrumento para se decidir uma eleição. E a situação apenas se agrava ao constatarmos que essa dúvida está amparada por relatórios de especialistas no assunto. Quando a instância jurídica máxima da justiça eleitoral, a qual deveria zelar pela lisura, ignora este problema e sequer se dispõe a fazer novos testes públicos (http://oglobo.globo.com/brasil/tse-nao-fara-teste-publico-das-urnas-eletronicas-antes-das-eleicoes-12715187) em relação à segurança de seus aparelhos, a desconfiança só aumenta.

Até mesmo países que já importaram a urna eletrônica brasileira perceberam que o aparelho não consegue oferecer uma eleição verdadeiramente segura: como a justiça eleitoral paraguaia (http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL418621-5602,00-ELEICOES+NO+PARAGUAI+NAO+TERAO+URNAS+ELETRONICAS.html), a justiça holandesa (http://www.theregister.co.uk/2007/10/01/dutch_pull_plug_on_evoting/) e a Corte Constitucional Alemã (http://www.ccc.de/en/updates/2009/wahlcomputer-urteil-bverfg). Em todos esses casos houve o reconhecimento que a lisura da eleição não pode ser tida através de um software de caráter duvidoso.

Evidentemente, não proponho que se retorne ao período do voto manual. É preciso que ocorra um aprimoramento no atual sistema de voto eletrônico que o ampare às normas internacionais de auditoria. Em tese, o Brasil adota o conceito de independência do software em sistemas eleitorais (http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/lei12034.htm), que afirma que modificações ou erros no software não podem acarretar em modificações no resultado da eleição. Mas a própria urna eletrônica utilizada no Brasil torna a aplicação desse conceito inviável.

A segunda geração de urnas eletrônicas (http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/relatoriocmind-arg2011.pdf) consegue garantir uma eleição célere, ao utilizar um sistema de duas etapas – na primeira o voto é obtido eletronicamente, na segunda ele é impresso e depositado em uma urna para eventual recontagem (que apenas é realizada se necessária e de acordo com a legislação eleitoral de cada país que a adota). Esse sistema é utilizado na Bélgica, Holanda, Alemanha, Argentina, Rússia, em boa parte dos Estados Unidos, além de alguns estados do México e províncias do Canadá. É perceptível que os exemplos citados correspondem a países das mais distintas dimensões e desenvolvimento econômico. Não temos qualquer desculpa para não adotar o mesmo modelo.

Mas se existia alguma esperança de caminharmos neste sentido, o STF declarou inconstitucional (http://www.tse.jus.br/noticias-tse/2013/Novembro/norma-que-institui-voto-impresso-a-partir-de-2014-e-inconstitucional-decide-stf) o dispositivo da mini reforma do Código Eleitoral que estabelecia a impressão do voto a partir das eleições de 2014. A alegação? A velha desculpa do sigilo dos votos e o reconhecimento internacional quanto às benesses da urna eletrônica brasileira – mitos que se perpetuam e que são derrubados numa breve análise de evidências. Dessa maneira, estamos condenados a termos que insistir num sistema que, por mais útil que tenha sido durante determinado momento, encontra-se em desconformidade com os padrões internacionais de segurança das eleições, cujo resultado é um extenso número de municípios com suspeita de fraude nas urnas eletrônicas (http://www.fraudeurnaseletronicas.com.br/2012/10/2a-relacao-de-municipios-que-suspeitam.html).

É impossível olharmos para um cenário político minimamente confiável para o eleitor sem que tenhamos mecanismos de controle para que a sua vontade seja soberana nas eleições. Um passo inevitável para que isso seja possível  é, sem dúvida, questionarmos e extinguirmos a atual urna eletrônica brasileira – uma peça tão arcaica que estaria melhor aproveitada num museu ao lado de fósseis de dinossauros e pirâmides egípcias.


Guilherme Inojosa é estudante de Direito da Fits, libertário, nerd e alagoano (não necessariamente nessa ordem).


Fonte: http://liberzone.com.br/urna-eletronica-e-realmente-segura/


Achava que tudo não passava de teorias conspiratórias até ler esse artigo e ver suas fontes.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cientista em 04 de Agosto de 2014, 04:20:04
Ainda tem quem acredite nisso?!!!!

...Claro que tem, eu sei. O mundo é cheio deles. É só porque é sempre divertido perguntar!
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 17 de Setembro de 2014, 10:06:46
O risco de fraude é muito grande.
E não é teoria da conspiração, não! São professores e especialistas que falam dos riscos.
Quem entender um pouco de sistemas de dados, criptografia, processos e programação vai entender.

Vamos torcer para que aloprados não metam a mão em algo que ainda está muito fragilizado:

Citar
Vulnerabilidades das urnas eletrônicas (http://www.canaldootario.com.br/blog/vulnerabilidades-das-urnas-eletronicas/)
16 de setembro de 2014   1 Comentário

O Prof. Pedro Rezende (do Departamento de Ciência de Computação da UnB) publicou um artigo no site Observatório da Imprensa apresentando os resultados da fiscalização dos programas que serão utilizados nas urnas eletrônicas do TSE. E, como já podíamos esperar, foram encontradas uma série de vulnerabilidades, as quais foram formalmente comunicadas ao presidente do TSE, Dias Tóffoli.

O texto do comunicado (conforme incluído em uma apresentação do Prof. Pedro na UFBA, realizada em 15/09) pode ser lido integralmente aqui (http://www.cic.unb.br/~rezende/trabs/eleicoes2014/ufba2014-Cida.pdf#8).

Leia também
Entrevista com Diego Aranha sobre as urnas eletrônicas (http://www.canaldootario.com.br/blog/entrevista-com-diego-aranha-sobre-urnas-eletronicas/)
Mais uma propaganda mentirosa do TSE (http://www.canaldootario.com.br/blog/mais-uma-propaganda-mentirosa-do-tse/)
TSE – Tribunal dos Superpoderes Eleitoral (http://www.canaldootario.com.br/blog/tse-tribunal-dos-superpoderes-eleitoral/)

Vulnerabilidades

O engenheiro Amilcar Brunazo Filho, um dos maiores especialistas do Brasil em segurança eletrônica, além de um grande divulgador das fragilidades das urnas eletrônicas brasileiras, enviou-me um texto exclusivo, onde ele destaca os principais riscos dessas vulnerabilidades.

Confira a seguir:

1- Clonagem de Urnas

Foram detectadas vulnerabilidades nos programas de Ajuste de Data e Hora (conhecido pela sigla: ADH), que permitem a alteração de hora e data de uma urna eletrônica já preparada e lacrada para votação.

Apesar de toda a propaganda da autoridade eleitoral de que, uma vez lacrada, a urna só irá entrar em operação às 7h da manhã no dia da eleição, o próprio TSE prepara um pen-drive que, quando colocado em uma urna já pronta, permite ajustar a hora do relógio interno desta urna e, por exemplo, fazer com que ela entre em modo de votação bem antes da hora certa.

Em outras palavras, é possível realizar fraudes de forma que qualquer urna possa receber votos antes do dia, viabilizando a fraude conhecida como “Clonagem de Urnas” (que, simplificadamente, realiza uma votação antes da hora, guarda os seus resultados, recarrega a urna para enviar para a seção eleitoral e depois troca os resultados antes da transmissão).

Como esse risco é real, o próprio TSE toma uma série de cuidados especiais com esse pen-drive de ADH, como:

a) geração em programa próprio do TSE, e não nos TRE;
b) definição de um prazo de validade (tanto de inicio do uso quando do final).

O que foi encontrado na análise do código do programa gerador do ADH, é que a chave de proteção contra o uso indevido dessa mídia possui exatamente o mesmo erro de segurança que o Prof. Diego Aranha (da Unicamp) explorou nos testes de 2012, quando conseguiu quebrar o embaralhamento dos votos (conhecido como RDV), permitindo assim, desvendar o sigilo do voto.

Citar
Vale ressaltar que o erro no embaralhamento do RDV foi corrigido (depois de exposto no relatório do prof. Aranha), porém, este mesmo erro persiste em outros pontos do código.

Portanto, é fácil, para quem entende, pegar uma mídia de ADH e quebrar suas defesas para conseguir usá-la a qualquer hora.

E, para piorar, quem terá acesso físico às urnas e às mídias são aquelas pessoas contratadas pelos TREs (Tribunal Regional Eleitoral) para serviço temporário e cujos nomes não são divulgados pela justiça. Ou seja, se existir algum indivíduo mal intencionado no quadro de funcionários temporários, será muito mais difícil de se descobrir.

Citar
Resumo: a clonagem das urnas será possível se os partidos não souberem como se defender (e a grande maioria não sabe)

2 – Chave de Segurança Guardada Embaixo do Tapete

Para tentar evitar o “Ataque de Princeton” (que é a inserção de vírus nos programas das urnas para desviar votos, por meio de um cartão flash-card inserido no soquete externo da urna – conforme demonstrado no vídeo a seguir), o TSE comprou 400 mil novas urnas (modelos UE 2009 a 2013) com um chip de criptografia adicional que faz o acesso cifrado a uma partição (pedaço) da mídia externa, de maneira que só uma mídia corretamente cifrada poderá ser lida e executada pela urna.

https://www.youtube.com/v/0AKR-Lo-700

A vulnerabilidade está no fato que as chaves do ciframento e deciframento da partição protegida encontram-se gravadas na própria mídia, de maneira fácil de ser recuperada por qualquer especialista.

Dessa forma, bastaria ter acesso a uma dessas mídias (e.g. flash-de-carga) que seria possível obter a chave de proteção para gravar qualquer coisa na mídia, de forma que seja aceito pelo chip implantado nas urnas. Essa vulnerabilidade já havia sido identificada, em 2012, pelo prof. Diego Aranha, mas até hoje não foi corrigida pelo TSE.

Citar
Resumo: o Ataque de Princeton continua tão possível quanto antes.

3 – Comando Invisível

Para proteger seus computadores, o TSE os equipa com o sistema SIS (da empresa Módulo).

Mas a Módulo não fornece um simples produto de prateleira. O SIS, usado pelo TSE, possuiu muitas implementações exclusivas, nem todas devidamente documentadas.

O que foi encontrado é um pequeno programa, denominado INSERATOR (ou INSERIDOR, em português), isolado do resto do SIS (ou seja, não é chamado por nenhum outro componente do sistema), que é executado a partir da digitação de um comando por um operador que conheça sua função.

Não havia nenhuma documentação explicando a função desse programa e nem os funcionários da empresa Módulo souberam explicar o que era. Enfim, uma espécie de “comando invisível“, accessível apenas para aqueles que sabem de sua existência.

Seu código-fonte, simples, descrevia apenas uma função de inserir um par de chaves criptográficas ofuscadas por uma senha simples e constante, em qualquer base de dados que o computador tiver acesso, por ex.: no banco de chaves criptográficas válidas.

Posteriormente, o TSE alegou que o INSERATOR era um resquício do programa usado até 2004 e que não era mais usado. Mas não explicou porque ainda está ali, disponível para uso por quem o conhece, e nem porque seu resumo criptográfico (Hash) não aparece na lista de assinaturas publicadas pelo TSE.

Citar
Resumo: o risco que se apresenta é que, além de proteger de forma fraca as chaves “ofuscadas”, o comando invisível pode incluir no sistema chaves de assinatura digital que passarão a ser aceitas pelos demais sistemas de verificação.

4 – Ataque pela Internet

Apesar de toda a propaganda do TSE de que suas urnas funcionam sem contato com a Internet, inviabilizando ataques a seus sistemas pela rede, o que ficou demonstrado no teste realizado durante a cerimônia no TSE é que, durante a Geração da Mídias (quando os programas das urnas são gravados primeiramente na Flash-de-carga), o programa gerador (conhecido como GEDAI) funciona normalmente, sem produzir nenhum alerta, e gera as mídias que serão utilizadas nas urnas enquanto está conectada a Internet.

Citar
Resumo: fica, assim, perfeitamente viabilizado o ataque pela Internet aos programas que serão carregados nas urnas, já que nesse momento estão trafegando por computadores ligados à rede.

Sem mais…

Por favor, o último que sair, dê a descarga ;-)

Otário Anonymous
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Diegojaf em 17 de Setembro de 2014, 10:22:33
Pra pensar em algo nessa escala, em primeiro lugar, eu teria que imaginar que todos os entes envolvidos (TSE, TCU e MPF) estão no mínimo, omissos, quanto a listas de mesários de um mesmo partido/coligação, que normalmente são compostos por 5 a 8 pessoas que sequer querem estar lá. Eu fui mesário por 5 vezes e nunca vi sequer algum tipo de movimentação suspeita ao redor da urna.

Em segundo lugar, eu teria que acreditar que todos aqueles envolvidos teriam a competência necessária pra manter algo assim em absoluto sigilo, agindo de forma coordenada e harmoniosa, o que eu sei, por vasta experiência, que é algo impossível para o poder público.

Nada é infalível, mas até que ponto é provável uma conspiração de proporções nacionais, em um número suficiente de urnas, que possa alterar os resultados das eleições? Cada urna recebe cerca de 300 a 400 votos. Quantas urnas seriam necessárias para "virar" uma eleição de nível nacional e estadual?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 17 de Setembro de 2014, 10:31:55
Nada é infalível, mas até que ponto é provável uma conspiração de proporções nacionais, em um número suficiente de urnas, que possa alterar os resultados das eleições? Cada urna recebe cerca de 300 a 400 votos. Quantas urnas seriam necessárias para "virar" uma eleição de nível nacional e estadual?

Faz sentido.
Mas há sempre o risco de um ataque que não exige a manipulação direta da urna, mas da totalização.
Alguém que entenda muito bem do processo e que também conheça bastante de programação e ataques remotos poderia causar um belo estrago no resultado final.
Faria tudo sem nunca ter olhado a cara de um mesário ou ter se aproximado de alguma urna.
Seria um pequeno grupo, meia dúzia de técnicos no máximo.

Eu também acredito que uma ação orquestrada, que tenha muita gente envolvida, não funciona.
Conforme já disse aqui:

Lá vão aí os meus dois centavos:

  • O sistema de urna eletrônica brasileira atual é visivelmente falho.
  • Ocorrem pequenas fraudes aqui e ali. Não é um esquema orquestrado por partido A ou B. É mais algo localizado, pontual e ocorre pela existência da oportunidade. É aquela máxima de que "a ocasião faz o ladrão".
  • Ocorrem essas fraudes devido à existência de falhas de projeto, brechas na programação e estrutura do sistema de informática e logística. Tudo isso já foi e sempre é apontado por dezenas de especialistas. Basta ver a quantidade de material produzido por toda parte (debates, reportagens, vídeos, exposições, etc).
  • O Tribunal Superior Eleitoral não assume as falhas. Empurra o problema com a barriga, temendo acusações de sistema falho, roubo nas urnas, maracutaias "polítiqueiras" e esse tipo de coisa. Talvez também porque não possua uma solução para o problema sem uma total remodelação do que existe, o que daria uma confusão muito grande, tempo para implementar, dinheiro e precisaria funcionar já para a eleição seguinte.

[...]

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 17 de Setembro de 2014, 11:33:10
Exatamente, poucas pessoas tem acesso aos programas do computador que dá o valor final. Só precisa sabotar isso e fim. Vai recontar? As mesmas poucas pessoas irão achar o mesmo resultado sabotado. É algo tão simples que me impressiona as pessoas acreditarem que não há fraudes por rituais tribais como lacre das urnas, o sistema ser offline, etc.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 17 de Setembro de 2014, 12:09:36
Exatamente, poucas pessoas tem acesso aos programas do computador que dá o valor final. Só precisa sabotar isso e fim. Vai recontar? As mesmas poucas pessoas irão achar o mesmo resultado sabotado. É algo tão simples que me impressiona as pessoas acreditarem que não há fraudes por rituais tribais como lacre das urnas, o sistema ser offline, etc.

Claro, só faltam as evidências, pouca coisa.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 17 de Setembro de 2014, 13:26:32
Exatamente, poucas pessoas tem acesso aos programas do computador que dá o valor final. Só precisa sabotar isso e fim. Vai recontar? As mesmas poucas pessoas irão achar o mesmo resultado sabotado. É algo tão simples que me impressiona as pessoas acreditarem que não há fraudes por rituais tribais como lacre das urnas, o sistema ser offline, etc.

Claro, só faltam as evidências, pouca coisa.
Não já disse que não bato palma para louco dançar?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 17 de Setembro de 2014, 14:11:56
Acho que o Geotecton acidentalmente editou minha mensagem em vez de citar. Ainda bem que tem o aviso, deu até um medo de ter postado algo há tão pouco tempo e não lembrar do post inteiro.

Acho que acabou apagando parte do meu post, também. Em vez do comentário entre as tags "petista", havia citação de um texto sobre um livro onde era dito que as fraudes não são tremendamente difíceis, e que podem ocorrer em diversos pontos, desde em urnas individuais, até na apuração, e que alguns aspectos que são alardeados como dando segurança, não dão.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 17 de Setembro de 2014, 14:17:34
Citar
Mais duas urnas eletrônicas adulteradas são encontrada no DF
2002

.... Segundo o procurador eleitoral regional, Franklin Rodrigues, que acompanha o caso, as urnas falsificadas estavam programadas para computar o voto presidencial para José Serra (PSDB) e de governador para Joaquim Roriz (PDMB-DF).
[...]

[petista]
Era para favorecer o Serra?

Então não há dúvida que existe fraude em urnas eletrônicas!
[/petista]


P.S.

A mensagem número de 285 que era originalmente do forista Buckaroo Banzai, foi acidentalmente editada por mim. Eu já avisei o forista e pedi que, se for possível, ele refaça a mensagem.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 17 de Setembro de 2014, 14:20:22
Acho que o Geotecton acidentalmente editou minha mensagem em vez de citar. Ainda bem que tem o aviso, deu até um medo de ter postado algo há tão pouco tempo e não lembrar do post inteiro.

Acho que acabou apagando parte do meu post, também. Em vez do comentário entre as tags "petista", havia citação de um texto sobre um livro onde era dito que as fraudes não são tremendamente difíceis, e que podem ocorrer em diversos pontos, desde em urnas individuais, até na apuração, e que alguns aspectos que são alardeados como dando segurança, não dão.

Explicação fornecida na mensagem que antecede esta.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 17 de Setembro de 2014, 15:01:32

A mensagem número de 285 que era originalmente do forista Buckaroo Banzai, foi acidentalmente editada por mim. Eu já avisei o forista e pedi que, se for possível, ele refaça a mensagem.


Viu o que acontece quando um grande poder é dado na mão de alguém (mesmo sendo esse monstro sagrado)? Agora imagina isso na mão de quem deve zelar pelas urnas.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 17 de Setembro de 2014, 15:20:50
Seria legal se tivessem feito uma enquete, "você confia nas urnas eletrônicas", a resposta tivesse sido positiva, e depois o autor ou um moderador alterasse a pergunta ou o "rótulo" das opções, só para sacanear. :lol:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 17 de Setembro de 2014, 18:34:37
Exatamente, poucas pessoas tem acesso aos programas do computador que dá o valor final. Só precisa sabotar isso e fim. Vai recontar? As mesmas poucas pessoas irão achar o mesmo resultado sabotado. É algo tão simples que me impressiona as pessoas acreditarem que não há fraudes por rituais tribais como lacre das urnas, o sistema ser offline, etc.

Claro, só faltam as evidências, pouca coisa.
Não já disse que não bato palma para louco dançar?

Na verdade você está só plagiando, e pior, com um ad hominem. 
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 18 de Setembro de 2014, 01:03:28
http://corruptednerds.com/pod/c00008/

O podcast ficou travando para mim, mas vale a pena ouvir.

Basicamente o que eles dizem: é possível criar um vírus que sobrevive a flash de bios (ou seja, uma vez infectada, não tem como limpar a urna do vírus). Que nos EUA conseguiram infectar as urnas com softwares que conseguiam tomar conta do computador central (e consequentemente poderia se espalhar para toda a rede com base em uma urna só) e fazer umas coisinhas a mais. Isso sem contar o mais óbvio, que só um número muito pequeno de pessoas podem de fato verificar o software (e eu queria saber quem são essas pessoas no Brasil e como elas são escolhidas, provavelmente os partidos nem podem trazer seus próprios programadores). O interessante é que ela acha que o mais preocupante para ela é a secretividade do sistema (um sistema em que não há auditoria independente das eleições por parte dos partidos, como em certo país da AL). Aliás, no Brasil a falta de auditoria é considerado importante pelo estado, por que será em?

E advinha quem foi o país pioneiro a adotar esse tipo de tecnologia...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 18 de Setembro de 2014, 11:38:21
Aliás, no Brasil a falta de auditoria é considerado importante pelo estado, por que será em?

Pela Navalha de Hanlon (http://en.wikipedia.org/wiki/Hanlon%27s_razor), eu acho que é porque acreditam na Segurança por obscuridade (http://en.wikipedia.org/wiki/Security_through_obscurity).

A ideia é que se "ninguém sabe" como funciona, então ninguém consegue descobrir e explorar falhas. Óbvio que isso é furada, mas é a desculpa fácil. Sabe aquela história: "se ninguém souber que eu guardo a chave embaixo do capacho, minha casa está segura"? Pois é.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 18 de Setembro de 2014, 11:45:22
Aliás, no Brasil a falta de auditoria é considerado importante pelo estado, por que será em?

Pela Navalha de Hanlon (http://en.wikipedia.org/wiki/Hanlon%27s_razor), eu acho que é porque acreditam na Segurança por obscuridade (http://en.wikipedia.org/wiki/Security_through_obscurity).

A ideia é que se "ninguém sabe" como funciona, então ninguém consegue descobrir e explorar falhas. Óbvio que isso é furada, mas é a desculpa fácil. Sabe aquela história: "se ninguém souber que eu guardo a chave embaixo do capacho, minha casa está segura"? Pois é.

Pelo que entendi, para alterar os votos seria necessário violar as urnas individualmente, e ainda assim os votos não poderiam ser 100% para um candidato senão o hack seria facilmente detectado. Então para que um presidente possa ser eleito forjando resultados, um número muito grande de urnas teria que ser violado, e não acho isso muito prático de fazer.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 18 de Setembro de 2014, 11:46:59
Pelo que entendi, para alterar os votos seria necessário violar as urnas individualmente, e ainda assim os votos não poderiam ser 100% para um candidato senão o hack seria facilmente detectado. Então para que um presidente possa ser eleito forjando resultados, um número muito grande de urnas teria que ser violado, e não acho isso muito prático de fazer.

Mas os deputados, vereadores, que são, realmente, quem mama no governo, facinho.

Considerando ainda que a maioria das pessoas só olha pro "óbvio" cargo majoritário do executivo, os proporcionais do legislativo fazem a festa.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 18 de Setembro de 2014, 14:24:58
Pelo que entendi, para alterar os votos seria necessário violar as urnas individualmente, e ainda assim os votos não poderiam ser 100% para um candidato senão o hack seria facilmente detectado. Então para que um presidente possa ser eleito forjando resultados, um número muito grande de urnas teria que ser violado, e não acho isso muito prático de fazer.

Segundo resenha de livro que li, não, ou não necessariamente. A adulteração pode ser também nas apurações. Mas também, como o Snowraptor disse, não é só eleição presidencial que conta.

E mesmo as eleições menores roubadas podem também estar contribuindo com suas votações forjadas para presidente (como no caso da notícia citada no post do Geotecton), o que, apesar de não garantir a eleição, já ajuda. Se você considera que não é absolutamente inútil um voto individual por ser só um, então é obviamente muito menos inútil todos votos coletados numa urna. E sei lá quantos podem ser estes. Se bobear gente morta pode votar nesses casos, sem falar da possibilidade (se é que há, não sei) de não ser necessário nem título de eleitor.



Será que já houve qualquer estudo independente de quão grande poderia ser uma margem de votos fraudados que não despertasse suspeita óbvia? Para o primeiro e segundo com mais intenção de votos, é obviamente menor, e é então mais seguro fraudar. Para o terceiro e quarto, também pode valer a pena para tentar pegar um segundo turninho pelo menos.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Pregador em 18 de Setembro de 2014, 14:31:10
O problema das urnas inseguras não é por possibilidade de fraudes em eleições de âmbito nacional ou estadual, pois seria extremamente improvável alguma fraude passar despercebida ou mesmo implementada. Além do fato das pesquisas de opinião já darem um cenário provável de resultado o que inviabiliza viradas de mesa sem levantarem suspeitas.

O grande problema é em nível municipal, cidades pequenas principalmente.

Num cenário de empate, como o atual na presidência, seria fácil manipular dados sem levantar suspeita. Resultados como 50,10 contra 49,90 não seriam suspeitos...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 18 de Setembro de 2014, 14:40:56
O problema das urnas inseguras não é por possibilidade de fraudes em eleições de âmbito nacional ou estadual, pois seria extremamente improvável alguma fraude passar despercebida ou mesmo implementada. Além do fato das pesquisas de opinião já darem um cenário provável de resultado o que inviabiliza viradas de mesa sem levantarem suspeitas.

O grande problema é em nível municipal, cidades pequenas principalmente.

Num cenário de empate, como o atual na presidência, seria fácil manipular dados sem levantar suspeita. Resultados como 50,10 contra 49,90 não seriam suspeitos...
Ainda porque não há auditorias independentes.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 18 de Setembro de 2014, 23:43:09
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 18 de Setembro de 2014, 23:45:26
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

Não.

Vamos imprimir cada voto feito em cada urna eletrônica e depois fazer verificações aleatórias sob os auspícios de auditores independentes.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 19 de Setembro de 2014, 02:58:06
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

É, porque é isso que quem critica a segurança das urnas sugere, é sim.

Da mesma forma que, quem critica o SUS é porque acha que com a mesma verba dava para sanar 100% de todos os problemas de saúde do Brasil e do mundo duas vezes. Porque são só essas as duas alternativas; ou está se fazendo já o máximo possível com os recursos disponíveis, ou se tem ideais delirantes.


Vocês não conseguem não usar espantalhos para defender o governo?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 19 de Setembro de 2014, 03:47:45
Então, eu não gosto de bater nesta tecla, mas lá vai: o mensalão! A oposição tinha a faca e o queijo na mão para, ao menos, pedir o impeachment do Lula, mas não o fizeram. Por que?
Agora eu tô vendo o mesmo caso das urnas eletrônicas, se é tão escancarado esse problema e a galinha dos ovos de ouro pode ir, novamente, para o PT, por que ninguém faz nada?

Trocando em miúdos: por que até agora não apareceu uma reportagem de capa da Veja com o seguinte título: Fraudes na urna eleitoral! Um esquema fraudulento que manteve o PT doze anos no poder é descoberto!


Bem, para começar, nem necessariamente isso ocorreu, e mesmo se hipoteticamente tivesse ocorrido, não necessariamente qualquer grupo jornalístico já teria descoberto e em posse de provas suficientes.

Isso não quer dizer que não existam fraudes em menor escala, como as sugeridas no início do tópico, de vitórias indo contra as pesquisas em cidades pequenas (ainda que as pesquisas em si possam ter sido compradas), e que não possa haver influência não-desprezível de fraudes mesmo para as eleições grandes, como sugerido pelas fraudes "propriamente ditas" noticiadas. Só que mesmo assim não necessariamente seria configurado um esquema "federal" dirigindo tudo. Até porque possivelmente é desnecessário e mais arriscado do que a atuação de células independentes, que caíssem sozinhas, se apanhadas. Não havendo lei anticorrupção para partidos, só para empresas.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 19 de Setembro de 2014, 07:27:56
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

É, porque é isso que quem critica a segurança das urnas sugere, é sim.

Da mesma forma que, quem critica o SUS é porque acha que com a mesma verba dava para sanar 100% de todos os problemas de saúde do Brasil e do mundo duas vezes. Porque são só essas as duas alternativas; ou está se fazendo já o máximo possível com os recursos disponíveis, ou se tem ideais delirantes.


Vocês não conseguem não usar espantalhos para defender o governo?

Então querem voltar a um sistema que era trabalhoso, demorado, mais custoso, e do qual as evidências de fraudes eram concretas e muito mais fácil de ser cometida por qualquer um, principalmente por quem hoje os conspiracionistas apontam. Não da pra entender, pois depois de contados os votos, eletronicamente ou não, eles são todos inseridos em um sistema informatizado, o que não mudaria exatamente nada.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 19 de Setembro de 2014, 08:49:09
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

É, porque é isso que quem critica a segurança das urnas sugere, é sim.

Da mesma forma que, quem critica o SUS é porque acha que com a mesma verba dava para sanar 100% de todos os problemas de saúde do Brasil e do mundo duas vezes. Porque são só essas as duas alternativas; ou está se fazendo já o máximo possível com os recursos disponíveis, ou se tem ideais delirantes.


Vocês não conseguem não usar espantalhos para defender o governo?
Então querem voltar a um sistema que era trabalhoso, demorado, mais custoso, e do qual as evidências de fraudes eram concretas e muito mais fácil de ser cometida por qualquer um, principalmente por quem hoje os conspiracionistas apontam. Não da pra entender, pois depois de contados os votos, eletronicamente ou não, eles são todos inseridos em um sistema informatizado, o que não mudaria exatamente nada.

Como não muda nada?

Se existe a possibilidade da contagem eletrônica ser fraudada antes de ser enviada ao sistema de totalização se deve, no mínimo, agir para que este problema seja minorado. E isto se faz pela impressão de cada voto e pela análise amostral e aleatória sob supervisão de esquipes de auditores independentes.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Pregador em 19 de Setembro de 2014, 09:17:50
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

Não é isso. A questão é aumentar o controle, como auditorias, melhorar o sistema, etc. Mudar a postura do TSE.

E sim, eu desconfio demais do governo do PT e não confio em absolutamente nada do que eles fazem ou dizem, ainda mais com Toffoli presidente do Tribunal.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Sergiomgbr em 19 de Setembro de 2014, 13:41:07
Eu acredito que muitas decisões para o mundo todo são deliberadas com muita antecedência por um mesmo grupo restrito de pessoas já a algum tempo, e se o Brasil for um desses países que tendem a precisar mais corda para ser amarrado num esquema qualquer, o fato de as urnas eletrônicas serem uma forma de manipulação é um achado e tanto para quem realmente quer controlar o mundo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 19 de Setembro de 2014, 13:46:23
Eu acredito que muitas decisões para o mundo todo são deliberadas com muita antecedência por um mesmo grupo restrito de pessoas já a algum tempo, e se o Brasil for um desses países que tendem a precisar mais corda para ser amarrado num esquema qualquer, o fato de as urnas eletrônicas serem uma forma de manipulação é um achado e tanto para quem realmente quer controlar o mundo.

(http://www.midiagospel.com.br/images/stories/608px/noticia/religiao/i/historias-sobre-os-illuminati-conspiracoes-sao-ficcao-bispo-walter-mcalister.jpg)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Sergiomgbr em 19 de Setembro de 2014, 14:04:58
Eu acredito que muitas decisões para o mundo todo são deliberadas com muita antecedência por um mesmo grupo restrito de pessoas já a algum tempo, e se o Brasil for um desses países que tendem a precisar mais corda para ser amarrado num esquema qualquer, o fato de as urnas eletrônicas serem uma forma de manipulação é um achado e tanto para quem realmente quer controlar o mundo.

(http://www.midiagospel.com.br/images/stories/608px/noticia/religiao/i/historias-sobre-os-illuminati-conspiracoes-sao-ficcao-bispo-walter-mcalister.jpg)
Gosto muito dessa poesia toda. E esse símbolo em forma de triângulo é muito belo.

Quanto a real situação de comandantes x comanadados, basta ver que no Brasil, certas figurinhas oligarcas são as mesmas de sempre, assim como na maioria dos players globais. Não há coincidência nisso!
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 19 de Setembro de 2014, 18:39:53
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

É, porque é isso que quem critica a segurança das urnas sugere, é sim.

Da mesma forma que, quem critica o SUS é porque acha que com a mesma verba dava para sanar 100% de todos os problemas de saúde do Brasil e do mundo duas vezes. Porque são só essas as duas alternativas; ou está se fazendo já o máximo possível com os recursos disponíveis, ou se tem ideais delirantes.


Vocês não conseguem não usar espantalhos para defender o governo?

Então querem voltar a um sistema que era trabalhoso, demorado, mais custoso, e do qual as evidências de fraudes eram concretas e muito mais fácil de ser cometida por qualquer um, principalmente por quem hoje os conspiracionistas apontam. Não da pra entender, pois depois de contados os votos, eletronicamente ou não, eles são todos inseridos em um sistema informatizado, o que não mudaria exatamente nada.

Não, necessariamente, críticas à segurança do sistema das urnas eletrônicas não apresentam como solução únicamente seu abandono e volta a usar só cédulas de papel.

Apesar de ser argumentável que, se a escolha fosse realmente limitada entre "eletrônica-tal-como-é ou de papel", a de papel ainda levaria vantagem em segurança, apesar de sim, não ser impossível de ser fraudada.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Luiz F. em 21 de Setembro de 2014, 18:06:02
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

É, porque é isso que quem critica a segurança das urnas sugere, é sim.

Da mesma forma que, quem critica o SUS é porque acha que com a mesma verba dava para sanar 100% de todos os problemas de saúde do Brasil e do mundo duas vezes. Porque são só essas as duas alternativas; ou está se fazendo já o máximo possível com os recursos disponíveis, ou se tem ideais delirantes.


Vocês não conseguem não usar espantalhos para defender o governo?

Então querem voltar a um sistema que era trabalhoso, demorado, mais custoso, e do qual as evidências de fraudes eram concretas e muito mais fácil de ser cometida por qualquer um, principalmente por quem hoje os conspiracionistas apontam. Não da pra entender, pois depois de contados os votos, eletronicamente ou não, eles são todos inseridos em um sistema informatizado, o que não mudaria exatamente nada.

A impressão dos votos não mudaria em nada a agilidade na apuração dos resultados, tal como é hoje. A impressão tem como objetivo apenas:

- Tornar a votação mais transparente para os eleitores, visto que ele pode conferir na hora se o voto dele foi corretamente contabilizado. A urna eletrônica imprime o voto, o eleitor confere e coloca em uma urna após sair da cabina de votação;

-Evitar fraudes físicas nas urnas, já que o número de votos eletrônicos deve ser necessariamente igual ao número de votos impressos. Isso evita alguns pontos levantados por especialistas sobre a vulnerabilidade das urnas se pessoas com más intenções conseguirem ter acesso físico a elas. Rever postagens anteriores.

- Permitir recontagem. Os votos de papel seriam um 'negativo' dos votos eletrônicos e qualquer discrepância entre os números seriam facilmente detectadas.

A adoção do uso de impressão dos votos aumenta a transparência das eleições e todos se beneficiam, desde os eleitores, partidos, até próprio TSE que pararia de receber críticas sobre a segurança do sistema.

Dizer que de alguma forma a adoção do voto impresso é voltar ao sistema antigo é um espantalho. Os votos continuarão a ser contabilizados de forma eletrônica e os votos impressos só serão contados em caso de alguém pedir recontagem.(não sei se todos os defensores da impressão concordam nesse ponto, pois acho que alguns gostariam que os votos fossem todos contados para depois sair o resultado 'verdadeiro', sendo os votos de papel é que 'valem' e os votos eletrônicos apenas uma prévia. Pra mim isso não tem lógica), e em possíveis auditorias da sociedade civil, órgãos da justiça, órgãos internacionais e mesmo dos partidos.(mais um ponto na questão da transparência)

Sobre a questão dos custos, acho que o aumento não seria significativo visto os benefícios na segurança que isso traria. Seria um custo que valeria a pena. Mas se houver alguma choradeira quanto a isso, pode-se economizar uma caralhada de dinheiro unificando as eleições municipais com o resto.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 21 de Setembro de 2014, 19:47:59
Votos impressos ou um "backup" tradicional deveriam ser contados paralelamente de qualquer jeito, não só sob caso de "suspeita".


Eu acho impressionante como os petistas simplesmente acreditam, "o governo disse que as urnas eletrônicas são mais seguras, então devem ser mesmo, o governo não mentiria para nós" e passam a repetir isso com uma fé inabalável.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 21 de Setembro de 2014, 20:45:19
Citar
Publicado em 18/09/2014

Debate "Polêmicas Contemporâneas" - FACED/UFBA - 15/09/2014
Parte do debate, com a exposição da Dra. Maria Aparecida R. Cortiz (advogada eleitoral).
Entre os temas abordados estão as Fases do Processo de Votação no Brasil (desenvolvimento e apresentação dos programas a serem instalados nas urnas, geração de mídias, inseminação das urnas, votação, totalização de votos etc.) e as VULNERABILIDADES que foram encontradas nos programas que serão utilizados nas urnas eletrônicas nas eleições de 2014.


https://www.youtube.com/v/zZiysJxvNlI
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 21 de Setembro de 2014, 22:37:45
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

É, porque é isso que quem critica a segurança das urnas sugere, é sim.

Da mesma forma que, quem critica o SUS é porque acha que com a mesma verba dava para sanar 100% de todos os problemas de saúde do Brasil e do mundo duas vezes. Porque são só essas as duas alternativas; ou está se fazendo já o máximo possível com os recursos disponíveis, ou se tem ideais delirantes.


Vocês não conseguem não usar espantalhos para defender o governo?

Então querem voltar a um sistema que era trabalhoso, demorado, mais custoso, e do qual as evidências de fraudes eram concretas e muito mais fácil de ser cometida por qualquer um, principalmente por quem hoje os conspiracionistas apontam. Não da pra entender, pois depois de contados os votos, eletronicamente ou não, eles são todos inseridos em um sistema informatizado, o que não mudaria exatamente nada.

A impressão dos votos não mudaria em nada a agilidade na apuração dos resultados, tal como é hoje. A impressão tem como objetivo apenas:

- Tornar a votação mais transparente para os eleitores, visto que ele pode conferir na hora se o voto dele foi corretamente contabilizado. A urna eletrônica imprime o voto, o eleitor confere e coloca em uma urna após sair da cabina de votação;

-Evitar fraudes físicas nas urnas, já que o número de votos eletrônicos deve ser necessariamente igual ao número de votos impressos. Isso evita alguns pontos levantados por especialistas sobre a vulnerabilidade das urnas se pessoas com más intenções conseguirem ter acesso físico a elas. Rever postagens anteriores.

- Permitir recontagem. Os votos de papel seriam um 'negativo' dos votos eletrônicos e qualquer discrepância entre os números seriam facilmente detectadas.

A adoção do uso de impressão dos votos aumenta a transparência das eleições e todos se beneficiam, desde os eleitores, partidos, até próprio TSE que pararia de receber críticas sobre a segurança do sistema.

Dizer que de alguma forma a adoção do voto impresso é voltar ao sistema antigo é um espantalho. Os votos continuarão a ser contabilizados de forma eletrônica e os votos impressos só serão contados em caso de alguém pedir recontagem.(não sei se todos os defensores da impressão concordam nesse ponto, pois acho que alguns gostariam que os votos fossem todos contados para depois sair o resultado 'verdadeiro', sendo os votos de papel é que 'valem' e os votos eletrônicos apenas uma prévia. Pra mim isso não tem lógica), e em possíveis auditorias da sociedade civil, órgãos da justiça, órgãos internacionais e mesmo dos partidos.(mais um ponto na questão da transparência)

Sobre a questão dos custos, acho que o aumento não seria significativo visto os benefícios na segurança que isso traria. Seria um custo que valeria a pena. Mas se houver alguma choradeira quanto a isso, pode-se economizar uma caralhada de dinheiro unificando as eleições municipais com o resto.

Se vai imprimir o voto e contá-lo, não faz sentido a urna eletrônica, pra que se vamos ter o mesmo trabalho de antes? E vai ser muito legal as fraudes, que são bem mais fáceis e certas de serem cometidas na contagem manual, colocarem em cheque todo o sistema eleitoral porque uma contagem não vai bater com a outra nem a pau.

 O que vocês querem é que se volte a um sistema que era muito mais falho e difícil de ser fiscalizado e que se cometia inúmeras fraudes e falhas, em nome de uma suposição de falha ou fraude, nunca comprovadas no sistema eletrônico, é pra cair o c da bunda. Antes até das eleições serem decididas, em 99% dos casos a gente já sabe qual vai ser o resultado devido às inúmeras pesquisas, como pode isso, ó meu pai?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 21 de Setembro de 2014, 22:49:21
[...]
O que vocês querem é que se volte a um sistema que era muito mais falho e difícil de ser fiscalizado e que se cometia inúmeras fraudes e falhas, em nome de uma suposição de falha ou fraude, nunca comprovadas no sistema eletrônico, é pra cair o c da bunda. Antes até das eleições serem decididas, em 99% dos casos a gente já sabe qual vai ser o resultado devido às inúmeras pesquisas, como pode isso, ó meu pai?

É ainda uma suposição porque até hoje o Estado brasileiro (seja pelo TSE, seja pelo Executivo) não permitiu uma análise e inspeção total e completa por especialistas independentes.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Luiz F. em 21 de Setembro de 2014, 22:51:02
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

É, porque é isso que quem critica a segurança das urnas sugere, é sim.

Da mesma forma que, quem critica o SUS é porque acha que com a mesma verba dava para sanar 100% de todos os problemas de saúde do Brasil e do mundo duas vezes. Porque são só essas as duas alternativas; ou está se fazendo já o máximo possível com os recursos disponíveis, ou se tem ideais delirantes.


Vocês não conseguem não usar espantalhos para defender o governo?

Então querem voltar a um sistema que era trabalhoso, demorado, mais custoso, e do qual as evidências de fraudes eram concretas e muito mais fácil de ser cometida por qualquer um, principalmente por quem hoje os conspiracionistas apontam. Não da pra entender, pois depois de contados os votos, eletronicamente ou não, eles são todos inseridos em um sistema informatizado, o que não mudaria exatamente nada.

A impressão dos votos não mudaria em nada a agilidade na apuração dos resultados, tal como é hoje. A impressão tem como objetivo apenas:

- Tornar a votação mais transparente para os eleitores, visto que ele pode conferir na hora se o voto dele foi corretamente contabilizado. A urna eletrônica imprime o voto, o eleitor confere e coloca em uma urna após sair da cabina de votação;

-Evitar fraudes físicas nas urnas, já que o número de votos eletrônicos deve ser necessariamente igual ao número de votos impressos. Isso evita alguns pontos levantados por especialistas sobre a vulnerabilidade das urnas se pessoas com más intenções conseguirem ter acesso físico a elas. Rever postagens anteriores.

- Permitir recontagem. Os votos de papel seriam um 'negativo' dos votos eletrônicos e qualquer discrepância entre os números seriam facilmente detectadas.

A adoção do uso de impressão dos votos aumenta a transparência das eleições e todos se beneficiam, desde os eleitores, partidos, até próprio TSE que pararia de receber críticas sobre a segurança do sistema.

Dizer que de alguma forma a adoção do voto impresso é voltar ao sistema antigo é um espantalho. Os votos continuarão a ser contabilizados de forma eletrônica e os votos impressos só serão contados em caso de alguém pedir recontagem.(não sei se todos os defensores da impressão concordam nesse ponto, pois acho que alguns gostariam que os votos fossem todos contados para depois sair o resultado 'verdadeiro', sendo os votos de papel é que 'valem' e os votos eletrônicos apenas uma prévia. Pra mim isso não tem lógica), e em possíveis auditorias da sociedade civil, órgãos da justiça, órgãos internacionais e mesmo dos partidos.(mais um ponto na questão da transparência)

Sobre a questão dos custos, acho que o aumento não seria significativo visto os benefícios na segurança que isso traria. Seria um custo que valeria a pena. Mas se houver alguma choradeira quanto a isso, pode-se economizar uma caralhada de dinheiro unificando as eleições municipais com o resto.

Se vai imprimir o voto e contá-lo, não faz sentido a urna eletrônica, pra que se vamos ter o mesmo trabalho de antes? E vai ser muito legal as fraudes, que são bem mais fáceis e certas de serem cometidas na contagem manual, colocarem em cheque todo o sistema eleitoral porque uma contagem não vai bater com a outra nem a pau.

 O que vocês querem é que se volte a um sistema que era muito mais falho e difícil de ser fiscalizado e que se cometia inúmeras fraudes e falhas, em nome de uma suposição de falha ou fraude, nunca comprovadas no sistema eletrônico, é pra cair o c da bunda. Antes até das eleições serem decididas, em 99% dos casos a gente já sabe qual vai ser o resultado devido às inúmeras pesquisas, como pode isso, ó meu pai?
Nah. Eu ia responder, mas o mesmo espantalho é repetido e aparentemente você não leu (ou não entendeu) o que eu escrevi.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 22 de Setembro de 2014, 00:59:32
[...]
O que vocês querem é que se volte a um sistema que era muito mais falho e difícil de ser fiscalizado e que se cometia inúmeras fraudes e falhas, em nome de uma suposição de falha ou fraude, nunca comprovadas no sistema eletrônico, é pra cair o c da bunda. Antes até das eleições serem decididas, em 99% dos casos a gente já sabe qual vai ser o resultado devido às inúmeras pesquisas, como pode isso, ó meu pai?

É ainda uma suposição porque até hoje o Estado brasileiro (seja pelo TSE, seja pelo Executivo) não permitiu uma análise e inspeção total e completa por especialistas independentes.

Citar
[...]O Relatório FACTI-CENPRA foi desenvolvido por pesquisadores do CTI-MCT contratados pelo TSE em 2008 (Contrato TSE 032/2008) para avaliar e propor melhorias na segurança das urnas eletrônicas, mas seu conteúdo foi mantido secreto como declarado na Informação nº 002/2008-STI/TSE, que pode ser vista no Anexo 1 do Relatório CMind.
A Microbase, empresa que desenvolveu a solução de software da primeira urna eletrônica, modelo 1996, utilizada pelo TSE até 2006, considera que há elevado grau de insegurança na automação eleitoral brasileira e emitiu uma nota oficial36 que, entre outras informações, alerta que
"a legislação em vigor que exige a auditoria de todos os programas-fonte do Sistema de Eleições Eletrônicas nunca foi adequada e rigorosamente obedecida pelo TSE, de modo a dar a necessária e devida credibilidade ao processo de Assinatura Digital e de Lacração dos Sistemas para as Eleições Oficiais"
O Relatório UnB32 apresenta o resultado dos testes de segurança desenvolvido por uma equipe de professores e técnicos da Universidade de Brasília em março de 2012 no TSE, quando demonstraram que era possível ordenar os votos digitais gravados nos arquivos das urnas, quebrando a única defesa delas para garantir o sigilo do voto gravado. O relatório também cita outras vulnerabilidades do software que permitiriam adulterar o resultado da apuração eletrônica dos votos, mas informa que as regras impostas pelo TSE, não lhes permitiu desenvolver os testes necessários para fazer tal demonstração.[...]

http://pt.wikipedia.org/wiki/Urna_eletr%C3%B4nica_brasileira#Seguran.C3.A7a


Ah gente, quanto baixo astral, vamos sim confiar nas nossas urnas que afinal são tecnologia  BRA - SI - LEI - RA -- BRASIL-ZIL-ZIL-ZIL-ZIL!!!!!!!11

Quem acredita nessas bobagens de possibilidade de fraude é o tipo de gente que acredita em "mensalão" e essas coisas inventadas pelo PiG ou de outros países, com menos títulos de futebol, e até mesmo argentinos... irrc!
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 22 de Setembro de 2014, 10:07:51
Até que alguém aqui demonstre alguma evidência de fraude nas eleições brasileiras, a urna eletrônica tem sido muitas vezes mais confiável no que a uma contagem de votos manual qualquer. É pedir muito uma evidência de fraude ou de falha sistêmica nas eleições brasileiras que comprometam as urnas eletrônicas? Tipo pesquisas de boca de urna que apontem grandes discrepâncias, organismos independentes internacionais que apontem falhas...

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 22 de Setembro de 2014, 10:11:27
Até que alguém aqui demonstre alguma evidência de fraude nas eleições brasileiras, a urna eletrônica tem sido muitas vezes mais confiável no que a uma contagem de votos manual qualquer. É pedir muito uma evidência de fraude ou de falha sistêmica nas eleições brasileiras que comprometam as urnas eletrônicas? Tipo pesquisas de boca de urna que apontem grandes discrepâncias, organismos independentes internacionais que apontem falhas...

Se já foi demonstrado que o TSE não permitiu a divulgação dos resultados de uma análise de vulnerabilidade feita em 2008, como é que você ainda pede que seja apresentado um "caso concreto"?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 22 de Setembro de 2014, 10:19:24
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

É, porque é isso que quem critica a segurança das urnas sugere, é sim.

Da mesma forma que, quem critica o SUS é porque acha que com a mesma verba dava para sanar 100% de todos os problemas de saúde do Brasil e do mundo duas vezes. Porque são só essas as duas alternativas; ou está se fazendo já o máximo possível com os recursos disponíveis, ou se tem ideais delirantes.


Vocês não conseguem não usar espantalhos para defender o governo?

Então querem voltar a um sistema que era trabalhoso, demorado, mais custoso, e do qual as evidências de fraudes eram concretas e muito mais fácil de ser cometida por qualquer um, principalmente por quem hoje os conspiracionistas apontam. Não da pra entender, pois depois de contados os votos, eletronicamente ou não, eles são todos inseridos em um sistema informatizado, o que não mudaria exatamente nada.

A impressão dos votos não mudaria em nada a agilidade na apuração dos resultados, tal como é hoje. A impressão tem como objetivo apenas:

- Tornar a votação mais transparente para os eleitores, visto que ele pode conferir na hora se o voto dele foi corretamente contabilizado. A urna eletrônica imprime o voto, o eleitor confere e coloca em uma urna após sair da cabina de votação;

-Evitar fraudes físicas nas urnas, já que o número de votos eletrônicos deve ser necessariamente igual ao número de votos impressos. Isso evita alguns pontos levantados por especialistas sobre a vulnerabilidade das urnas se pessoas com más intenções conseguirem ter acesso físico a elas. Rever postagens anteriores.

- Permitir recontagem. Os votos de papel seriam um 'negativo' dos votos eletrônicos e qualquer discrepância entre os números seriam facilmente detectadas.

A adoção do uso de impressão dos votos aumenta a transparência das eleições e todos se beneficiam, desde os eleitores, partidos, até próprio TSE que pararia de receber críticas sobre a segurança do sistema.

Dizer que de alguma forma a adoção do voto impresso é voltar ao sistema antigo é um espantalho. Os votos continuarão a ser contabilizados de forma eletrônica e os votos impressos só serão contados em caso de alguém pedir recontagem.(não sei se todos os defensores da impressão concordam nesse ponto, pois acho que alguns gostariam que os votos fossem todos contados para depois sair o resultado 'verdadeiro', sendo os votos de papel é que 'valem' e os votos eletrônicos apenas uma prévia. Pra mim isso não tem lógica), e em possíveis auditorias da sociedade civil, órgãos da justiça, órgãos internacionais e mesmo dos partidos.(mais um ponto na questão da transparência)

Sobre a questão dos custos, acho que o aumento não seria significativo visto os benefícios na segurança que isso traria. Seria um custo que valeria a pena. Mas se houver alguma choradeira quanto a isso, pode-se economizar uma caralhada de dinheiro unificando as eleições municipais com o resto.

Se vai imprimir o voto e contá-lo, não faz sentido a urna eletrônica, pra que se vamos ter o mesmo trabalho de antes? E vai ser muito legal as fraudes, que são bem mais fáceis e certas de serem cometidas na contagem manual, colocarem em cheque todo o sistema eleitoral porque uma contagem não vai bater com a outra nem a pau.

 O que vocês querem é que se volte a um sistema que era muito mais falho e difícil de ser fiscalizado e que se cometia inúmeras fraudes e falhas, em nome de uma suposição de falha ou fraude, nunca comprovadas no sistema eletrônico, é pra cair o c da bunda. Antes até das eleições serem decididas, em 99% dos casos a gente já sabe qual vai ser o resultado devido às inúmeras pesquisas, como pode isso, ó meu pai?
Nah. Eu ia responder, mas o mesmo espantalho é repetido e aparentemente você não leu (ou não entendeu) o que eu escrevi.

Entendi sim, a sua proposta é nula e não faz sentido do ponto de vista prático, seguindo a lógica conspiracionista, se é possível fraudar a urna eletrônica é possível fraudar os votos que ela imprime, ou dar outro resultados contrastantes para impressão e voto de fato. Se teremos que contar os votos impressos, voltaremos no tempo em que demoraríamos semanas ou meses para apurar a contagem dos votos, com um sem número de pessoas envolvidas onde o sistema era muito, mas muito mais vulnerável e sempre pipocavam denúncias de fraudes e falhas aqui e acolá, isso acabou e você propõe a volta desse sistema.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 22 de Setembro de 2014, 10:27:06
Até que alguém aqui demonstre alguma evidência de fraude nas eleições brasileiras, a urna eletrônica tem sido muitas vezes mais confiável no que a uma contagem de votos manual qualquer. É pedir muito uma evidência de fraude ou de falha sistêmica nas eleições brasileiras que comprometam as urnas eletrônicas? Tipo pesquisas de boca de urna que apontem grandes discrepâncias, organismos independentes internacionais que apontem falhas...

Se já demonstrado que o TSE não permitiu a divulgação dos resultados de uma análise de vulnerabilidade feita em 2008, como é que você ainda pede que seja apresentado um "caso concreto"?

Discrepâncias sistêmicas em pesquisas de boca de urna de institutos sérios já seria uma boa evidência.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 22 de Setembro de 2014, 12:33:09
A impressão em duas vias seria apenas uma segurança a mais, poderia ser usada em auditorias numa porcentagem X e aleatória das urnas. Não vejo porque ser contra isso.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 22 de Setembro de 2014, 12:54:26
"determination of the [election] result must be able to be examined by the citizen reliably and without any specialist knowledge of the subject".


Alguém discorda disso? Se sim, por quê?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gaúcho em 22 de Setembro de 2014, 12:56:13
"Leve o celular no dia da votação e tire uma foto do comprovante, antes de deixá-lo na urna, provando que votou no sinhô, senão já sabe..."
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 22 de Setembro de 2014, 18:59:23
Até que alguém aqui demonstre alguma evidência de fraude nas eleições brasileiras, a urna eletrônica tem sido muitas vezes mais confiável no que a uma contagem de votos manual qualquer. É pedir muito uma evidência de fraude ou de falha sistêmica nas eleições brasileiras que comprometam as urnas eletrônicas? Tipo pesquisas de boca de urna que apontem grandes discrepâncias, organismos independentes internacionais que apontem falhas...

Se já demonstrado que o TSE não permitiu a divulgação dos resultados de uma análise de vulnerabilidade feita em 2008, como é que você ainda pede que seja apresentado um "caso concreto"?

Discrepâncias sistêmicas em pesquisas de boca de urna de institutos sérios já seria uma boa evidência.

Por que as fraudes teriam que ser necessariamente também sistêmicas, e só feitas por quem estivesse em desvantagem gritante?

Eu não consigo entender essa fé; todo analista independente levanta problemas e pontos de melhora, mas não, vamos confiar só na versão oficial, que não tem casos comprovados de fraude, segundo ela mesma, que impede investigações independentes de fraude.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 22 de Setembro de 2014, 21:04:36
Até que alguém aqui demonstre alguma evidência de fraude nas eleições brasileiras, a urna eletrônica tem sido muitas vezes mais confiável no que a uma contagem de votos manual qualquer. É pedir muito uma evidência de fraude ou de falha sistêmica nas eleições brasileiras que comprometam as urnas eletrônicas? Tipo pesquisas de boca de urna que apontem grandes discrepâncias, organismos independentes internacionais que apontem falhas...

Se já demonstrado que o TSE não permitiu a divulgação dos resultados de uma análise de vulnerabilidade feita em 2008, como é que você ainda pede que seja apresentado um "caso concreto"?

Discrepâncias sistêmicas em pesquisas de boca de urna de institutos sérios já seria uma boa evidência.

Por que as fraudes teriam que ser necessariamente também sistêmicas, e só feitas por quem estivesse em desvantagem gritante?

Eu não consigo entender essa fé; todo analista independente levanta problemas e pontos de melhora, mas não, vamos confiar só na versão oficial, que não tem casos comprovados de fraude, segundo ela mesma, que impede investigações independentes de fraude.

É difícil você falar coisa com coisa, né? Ser sucinto então...

Eu confio na versão oficial na medida em que não há nada para desconfiar. Tem alguma fraude comprovada, algum indício, alguma discrepância considerável com pesquisas, tendências? Organismos internacionais independentes acusam alguma coisa e principalmente algum partido contesta as votações, põe em dúvida o sistema? Não? "Ah, mesmo assim é melhor confiar nos conspiracionistas !!!!". E ainda me acusa de ter fé.  :hein:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 22 de Setembro de 2014, 21:09:29
A impressão em duas vias seria apenas uma segurança a mais, poderia ser usada em auditorias numa porcentagem X e aleatória das urnas. Não vejo porque ser contra isso.

Como você colocou não teria nada contra, mas também não vejo tanta necessidade. Ainda assim, pioraria muito a logística e a apuração.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 22 de Setembro de 2014, 21:12:03
Até que alguém aqui demonstre alguma evidência de fraude nas eleições brasileiras, a urna eletrônica tem sido muitas vezes mais confiável no que a uma contagem de votos manual qualquer. É pedir muito uma evidência de fraude ou de falha sistêmica nas eleições brasileiras que comprometam as urnas eletrônicas? Tipo pesquisas de boca de urna que apontem grandes discrepâncias, organismos independentes internacionais que apontem falhas...

Se já demonstrado que o TSE não permitiu a divulgação dos resultados de uma análise de vulnerabilidade feita em 2008, como é que você ainda pede que seja apresentado um "caso concreto"?

Discrepâncias sistêmicas em pesquisas de boca de urna de institutos sérios já seria uma boa evidência.

Por que as fraudes teriam que ser necessariamente também sistêmicas, e só feitas por quem estivesse em desvantagem gritante?

Eu não consigo entender essa fé; todo analista independente levanta problemas e pontos de melhora, mas não, vamos confiar só na versão oficial, que não tem casos comprovados de fraude, segundo ela mesma, que impede investigações independentes de fraude.

É difícil você falar coisa com coisa, né? Ser sucinto então...

Eu confio na versão oficial na medida em que não há nada para desconfiar. Tem alguma fraude comprovada, algum indício, alguma discrepância considerável com pesquisas, tendências? Organismos internacionais independentes acusam alguma coisa e principalmente algum partido contesta as votações, põe em dúvida o sistema? Não? "Ah, mesmo assim é melhor confiar nos conspiracionistas !!!!". E ainda me acusa de ter fé.  :hein:

É a versão oficial, que impede investigações independentes, versus todas as outras opiniões de especialistas. Se acha que isso não é fé, OK. É "doutrina", então...



A impressão em duas vias seria apenas uma segurança a mais, poderia ser usada em auditorias numa porcentagem X e aleatória das urnas. Não vejo porque ser contra isso.

Como você colocou não teria nada contra, mas também não vejo tanta necessidade. Ainda assim, pioraria muito a logística e a apuração.

Se apuração é prioridade, e não segurança, o melhor é dar valor de votação às pesquisas de intenção, e dispensar a eleição em si.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 22 de Setembro de 2014, 21:29:20

É a versão oficial, que impede investigações independentes, versus todas as outras opiniões de especialistas. Se acha que isso não é fé, OK. É "doutrina", então...

Fé é acreditar em coisas que não existem comprovadamente, no caso fraudes e falhas nas urnas, compreendeu? Na hora em que os partidos, que são os mais interessados na lisura do sistema, começarem a contestar o sistema por causa de eventuais falhas, então talvez eu comece a desconfiar que elas existam de fato e precisem de correções. Até lá, eu sou totalmente ateu no que se refere a falhas nas urnas e fraudes nas eleições atuais, mas posso mudar, mediante provas.



Citar


Se apuração é prioridade, e não segurança, o melhor é dar valor de votação às pesquisas de intenção, e dispensar a eleição em si.

E pesquisas não são votos, né? Detalhe básico contra sua dicotomização sarcástica, ou seja seu modus operandi para debates.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 22 de Setembro de 2014, 22:26:59
Não são votos, mas basta que se dê valor de votos (como eu disse. Não disse? :hein:), e que se proiba investigação de fraudes e ignore as contestações de metodologia. Pronto, bem mais fácil e barato. E será tão isento de fraudes comprovadas como o sistema atual.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 23 de Setembro de 2014, 01:24:46
Escumalha golpista e anti-patriota engendra esquema golpista para inspirar desconfiança do povo ingênuo e ignorante na confiabilidade da Grande Apuração Oficial Incorruptível:

http://www.administradores.com.br/noticias/cotidiano/aplicativo-permitira-a-eleitor-participar-de-apuracao-independente-nas-eleicoes-de-outubro/90732/

Citar
[...] Em 2012, um grupo de técnicos da UnB (Universidade de Brasília) realizou pesquisa, em processo promovido pelo próprio TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que mostrou falhas no sistema eleitoral brasileiro, como a não garantia do sigilo do voto, nem a integridade dos resultados. De lá para cá, o órgão, que não está sujeito a nenhuma auditoria externa efetiva, declarou que algumas das falhas seriam corrigidas e não voltou a realizar, ou pelo menos divulgar, testes abertos à sociedade.

O pesquisador-chefe da equipe que identificou as vulnerabilidades, Diego Aranha, hoje professor de Computação da Unicamp, lançou, às 23 horas do dia 22, um financiamento coletivo pelo site Catarse para desenvolver o aplicativo Você Fiscal. Por meio do envio de fotos do Boletim de Urna (BU) de seções eleitorais em qualquer parte do Brasil, o Você Fiscal permitirá a todo eleitor que o utilize (direto no smartphone Android ou em site específico) colaborar para uma apuração paralela e independente da parte transparente das próximas eleições: da urna para fora (leia mais abaixo). [...]

Aranha e os técnicos que coordenou provaram a falha ao simularem uma eleição com 950 votos e, na sequência, ordenarem esses votos. “Ou seja, achamos um erro absolutamente banal do sistema, e isso durante um teste limitado e curto. Acredito que, se pudéssemos fazer experimentos realistas e sem restrições, as urnas eletrônicas brasileiras seriam viradas do avesso. Infelizmente, hoje elas são praticamente uma caixa preta”, diz.

O Administradores.com procurou a assessoria do TSE, que nos atendeu mas não se pronunciou quanto ao assunto até o fechamento desta matéria.

http://www.administradores.com.br/noticias/cotidiano/aplicativo-permitira-a-eleitor-participar-de-apuracao-independente-nas-eleicoes-de-outubro/90732/
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 23 de Setembro de 2014, 08:01:19
Não são votos, mas basta que se dê valor de votos (como eu disse. Não disse? :hein:), e que se proiba investigação de fraudes e ignore as contestações de metodologia. Pronto, bem mais fácil e barato. E será tão isento de fraudes comprovadas como o sistema atual.

É o seu enésimo espantalho serve pra que? Vai dar valor de voto pra pesquisa, sendo mais fácil e barato, porque eu disse que imprimir os votos deixaria as eleições mais devagar e dispendiosas.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 23 de Setembro de 2014, 08:33:18
Não são votos, mas basta que se dê valor de votos (como eu disse. Não disse? :hein:), e que se proiba investigação de fraudes e ignore as contestações de metodologia. Pronto, bem mais fácil e barato. E será tão isento de fraudes comprovadas como o sistema atual.
É o seu enésimo espantalho serve pra que? Vai dar valor de voto pra pesquisa, sendo mais fácil e barato, porque eu disse que imprimir os votos deixaria as eleições mais devagar e dispendiosas.

As eleições não ficariam mais lentas se fossem impressos os votos, porque eles seriam contados apenas em casos específicos. E o maior gasto pode ser largamente compensado unificando as eleições municipais com as estaduais e federais.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 23 de Setembro de 2014, 13:52:53
Outra forma talvez fosse já votar de uma vez para um eventual segundo turno. Quem quiser alterar, vai votar outra vez, se não, continua o voto anterior. Ou aquela coisa de ordenar os candidatos por preferência, que também já teria o mesmo resultado implícito, acredito, além das vantagens adicionais.

Mesmo que fossem sempre contados -- até mesmo para fins de teste prático da segurança (e segurança redobrada, uma vez que seria muito mais trabalhoso fraudar os dois sistemas ao mesmo tempo, "espelhadamente"), que nunca foi feito inicialmente. Qual é a prioridade, velocidade de apuração, custos, trabalho, ou confiabilidade do processo?

E se velocidade de apuração/evitar cansaço é a prioridade, então usar pesquisas de intenção de voto já como votação é o mais rápido e prático para todos. As votações não bateram quase sempre com os resultados das pesquisas? Quantos casos confirmados de corrupção houve em pesquisas? Então por que a choradeira? Isso não é espantalho, é a simples realidade, esperneie-se o quanto quiser.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 23 de Setembro de 2014, 15:35:44
Para quem não teve paciência ou interesse no vídeo da profa. Aparecida Cortiz, segue abaixo um pequeno resumo:

Citar

[...]

Para piorar, o presidente da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, conseguiu demonstrar total desinformação durante entrevista concedida ao TSE, dizendo que o Brasil exporta a tecnologia das urnas eletrônicas, quando a realidade é que as urnas brasileiras foram rejeitadas por TODOS os mais de 70 países que vieram ao Brasil para conhecê-las e testá-las.

Citar
    … a urna eletrônica tem se demonstrado uma ferramenta importante e que inclusive o Brasil tem exportado a tecnologia para outros lugares do mundo”
    Marcus Vinicius Furtado Coêlho (presidente da OAB)
Pelo visto, nem os próprios atores do processo de votação parecem estar interessados em que o sistema seja realmente seguro :-/

Provavelmente, além de pura ignorância (assim espero), este desinteresse se deve também ao fato de ausência de mão de obra qualificada para a realização destas auditorias, além da falta de tempo, afinal, os fiscais teriam, na prática, apenas 1 mês para analisarem mais de 90 mil arquivos, ou cerca de 17 milhões de linhas de código!

Resumo:
A seguir, um breve resumo das principais falhas apresentadas no seminário da UFBA:

1) A análise do código do programa gerador do Ajuste de Data e Hora (ADH), mostrou que a chave de proteção contra o uso indevido dessa mídia possui exatamente o mesmo erro de segurança que o Prof. Diego Aranha (da Unicamp) explorou nos testes de 2012, quando conseguiu quebrar o embaralhamento dos votos e desvendar o sigilo do voto. Apesar dos técnicos de TSE terem corrigido o problema que o professor Aranha apontou, não foram capazes de corrigir o mesmo erro nas outras partes do código.

Citar
    … qualquer pessoa que tiver acesso a um computador da justiça eleitoral vai poder gravar uma mídia de ADH, mudar o resultado da urna e cloná-la com uma votação aleatória”.
    Maria Aparecida Rocha Cortiz (CMInd)

2) Foram encontradas senhas “hard coded” (ou seja, literalmente escritas) no código fonte destes programas. Isto é o mesmo que deixar anotada a senha do cartão de crédito em seu próprio verso.

3) Foi descoberto que a senha para desabilitar a biometria, a qual seria idêntica para todo o Brasil, era composta apenas de uma sequência de um único dígito (por exemplo: 555555). Qualquer computador de criança é capaz de quebrar uma senha dessas!

4) Foi encontrado um pequeno programa dentro do código fonte chamado INSERATOR (ou programainserator.cpp) que, teoricamente, nem deveria estar lá, já que não possuiria qualquer função ou utilidade específica. Porém, este comando está ativo e pode rodar nos computadores dos cartórios e TREs (por exemplo, na etapa de preparação das mídias) e sem deixar rastros.

Aparentemente, trata-se de uma espécie de “comando invisível“, acessível apenas para aqueles que sabem da sua existência. Isto é gravíssimo e pode mudar os rumos de uma eleição (inclusive presidencial)!

5) Apesar de toda a propaganda do TSE de que suas urnas funcionam sem contato com a Internet, inviabilizando ataques a seus sistemas pela rede, o que ficou demonstrado é que, durante a Geração das Mídias, o programa gerador (conhecido como GEDAI) funciona normalmente, sem produzir nenhum alerta, e gera as mídias que serão utilizadas nas urnas enquanto está conectado a Internet. Portanto, fica perfeitamente viabilizado o ataque pela Internet aos programas que serão carregados nas urnas, já que nesse momento estão trafegando por computadores ligados à rede.



Basicamente, temos que acreditar que os programas criados pela Justiça Eleitoral, em Brasília, durante a fase 1, de desenvolvimento, estão livres de falhas ou códigos maliciosos inseridos por algum funcionário mal intencionado. Sem contar a fase de 3, carga, onde a inseminação das urnas será realizada por empresas terceirizadas, variando conforme o estado. No estado do Maranhão, por exemplo, as urnas serão administradas por pessoas ligadas à família Sarney :-/

Alerta!

Todo processo eletrônico de votação brasileiro necessita ser urgentemente revisado e seus códigos fontes tem que ser jogados na lata do lixo!

Só não foi possível demonstrar, na prática, como tais vulnerabilidades poderiam ser exploradas, simplesmente porque o TSE não permite. Por isso, a única coisa que poderia ser feita foi comunicar oficialmente os problemas ao próprio TSE, por meio da petição TSE Nº 23.891 dirigida ao presidente desta instituição, com uma cópia entregue ao presidente da OAB.

E como bem lembrou a advogada, enquanto a Justiça Eleitoral exercer as funções de réu e juiz em um mesmo processo, estes problemas nunca serão solucionados!


Renovo o convite àqueles, principalmente programadores e analistas, que vejam o vídeo.
Não é Teoria da Conspiração. São fatos, analisados por técnicos e especialistas.

E aqueles que não veem risco ou falhas no processo, que coloquem argumentos técnicos razoáveis, e não apenas frases soltas de que não há denúncias, etc.

O vídeo novamente:

https://www.youtube.com/v/zZiysJxvNlI


A palestrante é integrante do CMInd e acompanha o desenvolvimento dos sistemas eleitorais junto ao TSE desde 2002.
Durante debate realizado pela UFBA, no dia 15 de setembro desse ano, fez acusações gravíssimas a respeito das falhas de segurança existentes no processo eletrônico de votação brasileiro.

Ela também é advogada do PDT nas eleições desse ano.

Ouçam o que ela diz em 17:17, que não é intenção de ninguém tumultuar as eleições, mas alertar de que a porta dos fundos está aberta e que o ladrão pode entrar.
Ela também diz em 28:02 que ela é a mais otimista do grupo de trabalho, mas depois que mergulhou no estudo do processo atual, ficou descrente, usando as palavras dela: "Quem deixou o INSERATOR hábil a modificar o resultado e quiser, vai fazê-lo, vai modificar o resultado, em todos os estados, pois ele está em todos os TREs".

Vejam o vídeo e divulguem.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Luiz F. em 25 de Setembro de 2014, 16:24:04
E vamos voltar para as infalíveis urnas de lona e as cédulas de papéis, que ao contrário das urnas eletrônicas nunca foram fraudadas. Para vai...

É, porque é isso que quem critica a segurança das urnas sugere, é sim.

Da mesma forma que, quem critica o SUS é porque acha que com a mesma verba dava para sanar 100% de todos os problemas de saúde do Brasil e do mundo duas vezes. Porque são só essas as duas alternativas; ou está se fazendo já o máximo possível com os recursos disponíveis, ou se tem ideais delirantes.


Vocês não conseguem não usar espantalhos para defender o governo?

Então querem voltar a um sistema que era trabalhoso, demorado, mais custoso, e do qual as evidências de fraudes eram concretas e muito mais fácil de ser cometida por qualquer um, principalmente por quem hoje os conspiracionistas apontam. Não da pra entender, pois depois de contados os votos, eletronicamente ou não, eles são todos inseridos em um sistema informatizado, o que não mudaria exatamente nada.

A impressão dos votos não mudaria em nada a agilidade na apuração dos resultados, tal como é hoje. A impressão tem como objetivo apenas:

- Tornar a votação mais transparente para os eleitores, visto que ele pode conferir na hora se o voto dele foi corretamente contabilizado. A urna eletrônica imprime o voto, o eleitor confere e coloca em uma urna após sair da cabina de votação;

-Evitar fraudes físicas nas urnas, já que o número de votos eletrônicos deve ser necessariamente igual ao número de votos impressos. Isso evita alguns pontos levantados por especialistas sobre a vulnerabilidade das urnas se pessoas com más intenções conseguirem ter acesso físico a elas. Rever postagens anteriores.

- Permitir recontagem. Os votos de papel seriam um 'negativo' dos votos eletrônicos e qualquer discrepância entre os números seriam facilmente detectadas.

A adoção do uso de impressão dos votos aumenta a transparência das eleições e todos se beneficiam, desde os eleitores, partidos, até próprio TSE que pararia de receber críticas sobre a segurança do sistema.

Dizer que de alguma forma a adoção do voto impresso é voltar ao sistema antigo é um espantalho. Os votos continuarão a ser contabilizados de forma eletrônica e os votos impressos só serão contados em caso de alguém pedir recontagem.(não sei se todos os defensores da impressão concordam nesse ponto, pois acho que alguns gostariam que os votos fossem todos contados para depois sair o resultado 'verdadeiro', sendo os votos de papel é que 'valem' e os votos eletrônicos apenas uma prévia. Pra mim isso não tem lógica), e em possíveis auditorias da sociedade civil, órgãos da justiça, órgãos internacionais e mesmo dos partidos.(mais um ponto na questão da transparência)

Sobre a questão dos custos, acho que o aumento não seria significativo visto os benefícios na segurança que isso traria. Seria um custo que valeria a pena. Mas se houver alguma choradeira quanto a isso, pode-se economizar uma caralhada de dinheiro unificando as eleições municipais com o resto.

Se vai imprimir o voto e contá-lo, não faz sentido a urna eletrônica, pra que se vamos ter o mesmo trabalho de antes? E vai ser muito legal as fraudes, que são bem mais fáceis e certas de serem cometidas na contagem manual, colocarem em cheque todo o sistema eleitoral porque uma contagem não vai bater com a outra nem a pau.

 O que vocês querem é que se volte a um sistema que era muito mais falho e difícil de ser fiscalizado e que se cometia inúmeras fraudes e falhas, em nome de uma suposição de falha ou fraude, nunca comprovadas no sistema eletrônico, é pra cair o c da bunda. Antes até das eleições serem decididas, em 99% dos casos a gente já sabe qual vai ser o resultado devido às inúmeras pesquisas, como pode isso, ó meu pai?
Nah. Eu ia responder, mas o mesmo espantalho é repetido e aparentemente você não leu (ou não entendeu) o que eu escrevi.

Entendi sim, a sua proposta é nula e não faz sentido do ponto de vista prático, seguindo a lógica conspiracionista, se é possível fraudar a urna eletrônica é possível fraudar os votos que ela imprime, ou dar outro resultados contrastantes para impressão e voto de fato. Se teremos que contar os votos impressos, voltaremos no tempo em que demoraríamos semanas ou meses para apurar a contagem dos votos, com um sem número de pessoas envolvidas onde o sistema era muito, mas muito mais vulnerável e sempre pipocavam denúncias de fraudes e falhas aqui e acolá, isso acabou e você propõe a volta desse sistema.



É não entendeu mesmo. Deixa pra lá. Pelas respostas do povo ai de cima muita gente entendeu o espirito da coisa.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 01 de Outubro de 2014, 18:45:44
https://www.youtube.com/v/wQEsHOqXP9s

Chegou a hora de fazer a nossa parte. Acho que os participantes do CC tem muito a colaborar.
Além de votar, claro, podemos contribuir para fiscalizar melhor a apuração do resultado.
Se todos fizerem a sua parte, teremos uma eleição mais transparente e com menos possibilidades de ter sido fraudada.
Nesse ano, existe uma equipe independente que está trabalhando para isso e precisa do nosso apoio e participação.
Portanto, vamos exercer um pouco mais de cidadania, que vai também um pouco além da ação de votar, e tirar fotos dos Boletins de Urna.
Assim:

Citar
Você Fiscal: Ajude a fiscalizar as eleições (http://www.canaldootario.com.br/blog/voce-fiscal-ajude-fiscalizar-eleicoes/)
Postado por: Otário A. Anonymous 1 de outubro de 2014   6 Comentários

O Você Fiscal é um aplicativo para levar mais transparência à votação eletrônica brasileira, colocando nas mãos dos eleitores o poder de fiscalizá-la. Confira o vídeo acima!

Este projeto foi idealizado pelo professor Diego F. Aranha, da UNICAMP, e foi totalmente financiado pela sociedade civil, sem fins lucrativos e sem vinculação a nenhum partido, grupo ou empresa.

Leia também
Graves falhas no processo de votação a poucos dias da eleição (http://www.canaldootario.com.br/blog/graves-falhas-processo-de-votacao-poucos-dias-da-eleicao/)
Entrevista com Diego Aranha sobre as urnas eletrônicas (http://www.canaldootario.com.br/blog/entrevista-com-diego-aranha-sobre-urnas-eletronicas/)
Você Fiscal – Fiscalize a eleição, garanta seu voto (http://www.canaldootario.com.br/blog/voce-fiscal-fiscalize-eleicao-garanta-seu-voto/)

A ideia é permitir que a totalização dos votos seja feita de forma independente, detectando se uma urna foi extraviada, trocada ou adulterada após o término da votação. Será possível, também, verificar a existência de algum bug ou fraude no software que roda nos computadores do TSE para somar o resultado final.

Faça o download do aplicativo (gratuito) para o seu celular Android, basta clicar no botão a seguir:

Download (para Android) (https://play.google.com/store/apps/details?id=org.vocefiscal)

É importante ressaltar que este aplicativo não impede (ou detecta) a existência de um software malicioso dentro da urna antes do termino da votação, mas cria mais um mecanismo de verificação para a etapa posterior a esta, que envolve, especialmente, a transmissão dos votos para o TSE e o somatório final dos resultados.
Outras opções para fiscalizar

O aplicativo Você Fiscal é apenas para Android, mas qualquer pessoa com um celular ou uma câmera digital comum também pode participar da fiscalização.

Confira, no vídeo a seguir, como fiscalizar o Boletim de Urna (B.U.) a partir de qualquer câmera digital e contribuir com a transparência eleitoral!

https://www.youtube.com/v/3sIE6AxJKkU

Depois é só enviar as fotos para o email bu@vocefiscal.org ou pelo site www.vocefiscal.org (http://www.vocefiscal.org/).

Finalização

No momento em que o TSE realiza a divulgação do vencedor das eleições, ele também divulga uma versão oficial (digital) de cada Boletim de Urna (B.U.), então, os computadores do Você Fiscal poderão fazer uma comparação entre as fotos que você enviou e a versão oficial do TSE.

Caso estas informações não batam, significa que a urna pode ter sido adulterada após o término da eleição, ou que houve alguma fraude ou erro na transmissão dos dados. Então, o Ministério Público poderá ser acionado.

Resumo

Confira a seguir um resumo do processo:

(http://i0.wp.com/www.canaldootario.com.br/wp-content/uploads/2014/10/cartaz-vocefiscal-resumo.png)
Fonte/Reprodução: Você Fiscal

Então, anotem aí na agenda! No dia 5 de outubro, às 17:00, todos com o celular na mão tirando foto dos Boletins de Urna e enviando para a equipe do Você Fiscal!

Quanto mais gente participar, melhor será o resultado! ;-)

Abraços,

Otário Anonymous


É o momento para cada um sair do comodismo e ajudar a fazer a democracia.
As críticas e opiniões que fazemos ficarão melhor respaldadas por ações dessa natureza.
Não devemos criticar, apontar o dedo, reclamar e se indignar se não tivermos a iniciativa de se mexer também.
Não custa nada tirar essas fotos. Com elas, muita informação poderá ser validada ou não.
Como eu disse antes, acho que os participantes do CC tem muito a colaborar.

Mãos à obra no próximo domingo.  :ok:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 01 de Outubro de 2014, 20:56:39
Já instalei o aplicativo aqui. Vou ver se consigo fazer as fotos. Também vou divulgar pros colegas de trabalho.

O aplicativo encontra-se no Google play
https://play.google.com/store/apps/details?id=org.vocefiscal
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 01 de Outubro de 2014, 21:19:23
É isso aí, Lorentz.
Cada um fazendo um pouquinho, a gente consegue um "muitão".
Democracia não é só reclamar, mas arregaçar as mangas e botar a mão na massa.

Divulgue, divulgue mesmo!  :ok:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 01 de Outubro de 2014, 22:14:01
:histeria: quanta ilusão. Vão acreditando que vocês tem algum poder de decisão na política....
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gregory House em 01 de Outubro de 2014, 22:32:11
:histeria: quanta ilusão. Vão acreditando que vocês tem algum poder de decisão na política....

2
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: AlienígenA em 01 de Outubro de 2014, 23:03:44
Ôh, gente de pouca fé!
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 02 de Outubro de 2014, 00:01:23
:histeria: quanta ilusão. Vão acreditando que vocês tem algum poder de decisão na política....

Se votar e vigiar não é ter algum poder de decisão, o que é?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 02 de Outubro de 2014, 00:03:02
Aliás, este país elegeu FHC 2 vezes. Temos alguma esperança.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fernando Silva em 02 de Outubro de 2014, 16:03:24
Alarmista, talvez, mas possível.

Citar
Títulos duplicados, compra de votos e sistema eleitoral sem chance de recontagem podem reeleger bandidos

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net


O espectro da fraude eleitoral ronda as moderníssimas eleições brasileiras. A frase de defeito seria perfeita para Carlinhos Petralha e Frederico Banqueiro iniciarem a redação do Manifesto Capimunista - uma obra sobre o sistema político e econômico tupiniquim. O Brasil se autodesmoraliza com a incontestável insegurança de um processo eletrônico de votação sem chances de auditoria externa ou recontagem física dos votos que reelege representantes do crime organizado a cada dois anos.

O incompleto modelo eletrônico de votação, sem possibilidade de auditoria impressa do voto, é a única coisa que pode garantir 101% de chances a favor da reeleição da Presidenta Dilma Rousseff. Além disso ou combinada com isso, a velha compra de votos nos currais eleitorais nos grotões urbanos e nas pequenas cidades do norte-nordeste. A onda de pesquisas com resultados cientificamente inconfiáveis respalda, psicossocialmente, o número final que o sistema proclamar na votação.

Em várias “comunidades” do Rio de Janeiro, principalmente no Complexo da Maré e na Baixada Fluminense, existem vários cidadãos com dois títulos de eleitores. Eles recebem dinheiro em troca do voto. Este mecanismo eleitoral do crime organizado foi denunciado, oficialmente, pela inteligência do Exército à Presidenta Dilma Rousseff – candidata à reeleição. Generais revoltados com tal escândalo já falam em “risco de ruptura institucional”, dependendo do resultado. Eis a verdadeira Zona Eleitoral que o Alerta Total denunciou na edição de 27 de agosto.

Só a identificação biométrica, individualizada, do eleitor, cruzando dados do número do cadastro do eleitor, da carteira de identidade e do CPF, poderia evitar tal duplicidade de títulos ou a chance de alguém votar no lugar de alguém que já morreu – mas continua eleitoralmente ativo. Mas o Tribunal Superior Eleitoral não agiu com a necessária velocidade para fazer o recadastramento geral dos eleitores. Mais grave ainda: a oposição sequer cobrou tal celeridade que deveria ser prioritária e urgente para impedir a fraude eleitoral na hora da votação. A urna só é liberada para o voto se reconhecer as digitais do eleitor.

A meta do TSE era contar, neste ano, com 22 milhões de eleitores identificados pela impressão digital. Em julho, chegou a um total de 23.851.673 aptos a votar com biometria. O eleitorado brasileiro total habilitado a votar este ano é de 142.822.046 eleitores – conforme as estatísticas eleitorais de 2014 do TSE. Este é o número de “apostadores” no verdadeiro Cassino Eleitoral do Al Capone. Você sabe em quem vota. Mas é o sistema quem sabe quem se elege.

Fantasma da Fraude

Dois motivos colocam nosso modelo eleitoral brasileiro na vanguarda do atraso democrático. Primeiro, o absurdo voto obrigatório – negação da liberdade individual. Uma massa de ignorantes, manipulável por pressão política, econômica ou pelo desconhecimento sobre o mundo real, é compulsoriamente obrigada a dar uma dedada mágica na urna eletrônica. O ato de pseudocidadania garante emprego bem remunerado aos políticos, por quatro anos (no caso de vereadores, deputados, prefeitos, governadores e o presidente da república) ou oito anos (no caso dos senadores).

O segundo motivo é o sistema eletrônico de votação com resultado final incontestável. Pior que isto é o rótulo dogmático de “100% seguro” imposto pela Justiça Eleitoral. É muito inocência acreditar, piamente, nesta infalibilidade ou confiabilidade total do sistema. Principalmente no País do Mensalão, onde as instituições republicanas funcionam conforme os piores vícios corruptos de uma monarquia absolutista. O governo do crime organizado transforma nossas eleições em um passeio cívico pelo cassino do Al Capone.

Só um político de expressão – justiça histórica lhe seja feita – criticava tal processo. O falecido Leonel de Moura Brizola denunciava uma armação perfeita. Pesquisas de opinião, com resultados duvidosos, indicando a vitória de quem lhe financiasse, ajudavam a abrir caminho para a fraude. Tanto induzindo o eleitor mais ignorante a “votar com o vencedor”. Quanto preparando o terreno psicossocial para a manipulação final do resultado eleitoral. O resultado da pesquisa casaria direitinho com o da votação – o que impediria a contestação do número final.

Esforços hercúleos de defensores da transparência e segurança total do processo eleitoral conseguiram emplacar a chance legal de o voto ser recontado parcialmente. O artigo 5º da Lei 12.034, de setembro de 2009, previa a exigência de impressão dos votos, para posterior conferência, por amostragem, de 2% das urnas de todas as zonas eleitorais. Uma auditoria independente contaria os votos em papel, Assim seria feita uma comparação entre os resultados e os boletins das urnas.
Esse modelo já não seria o ideal. Melhor seria uma auditoria total. O resultado eletrônico pode e deve ser ágil, como é. Mas a posterior conferência poderia acontecer sem tanta pressa. O resultado final só seria homologado, com proclamação definitiva do vencedor, após a conferência pública e independente. O resultado da urna eletrônica teria de coincidir com o do papel. A recontagem valeria para esta eleição de 2014...

O sistema previsto era simples. Após a confirmação do voto, a urna imprimiria o voto. O papel seria depositado automaticamente em um recipiente lacrado. Por que o eleitor não poderia fazer isto, confirmando se o voto foi corretamente atribuído pela maquininha de votação? Tudo bem, não quiseram assim... Afinal, o eleitor é inconfiável... A informática, não?

Agora, o mais grave e triste. Integrantes do movimento do Voto Seguro – liderado pelo engenheiro Amilcar Brunazo Filho -  sempre denunciaram a insegurança do nosso sistema de votação, apuração e fiscalização. No entanto, foi a própria Justiça Eleitoral quem sempre criou obstáculos para que o sistema tenha transparência. No dia 6 de novembro do ano passado, o Supremo Tribunal Federal – presidido pelo super Joaquim Barbosa - ajudou a sepultar de vez a possibilidade de conferência do voto, por impressão e posterior recontagem por amostragem de urnas.

Em 2011, a Procuradoria Geral da República questionou o modelo. Alegou-se que a impressão do voto geraria um número de identificação associado á assinatura do eleitor. Tal processo comprometeria o princípio constitucional do segredo do voto. O STF, imediatamente, concedeu uma decisão liminar, suspendendo o pedido.

Dois anos depois, neste final de 2013, em plenos festejos pós condenação dos mensaleiros, os ministros do STF decidiram que o voto impresso seria desnecessário, porque a justiça eleitoral já faz auditorias a cada eleição e fica à disposição para fazer recontagens, se isto for requisitado. Curiosamente, nenhum partido político brasileiro, até hoje, pediu a tal recontagem...

Nosso sistema de votação tem falhas. Amilcar Brunazo Filho já denunciou: “Conhecendo todos os procedimentos usados, por força de minha função como representante técnico de partidos junto ao TSE, sei como agentes dos cartórios eleitorais desonestos podem proceder para conseguir a troca de BUs (Boletins de Urnas) usando as próprias urnas para emitirem, com antecedência, BUs falsos, porém aceitos pelo sistema, burlando todos os recursos de criptografia, assinaturas, tabelas, etc. Descrevo os passos desta fraude nos cursos de fiscalização que dou para poder ensinar como se defender. E a única defesa eficaz contra esta fraude de troca de BUs é justamente a coleta de cópias impressas dos Bus, assim que são emitidos nas seções eleitorais”. 

País com o antidemocrático voto obrigatório, pesquisas de opinião eleitoral manipuladas e insegurança no processo de votação é capaz de produzir qualquer escatologia política. A dogmática confiança na veracidade absoluta do resultado da votação é o mais doloroso calcanhar de Aquiles do subdesenvolvido regime político tupiniquim.

Já passou da hora de os segmentos esclarecidos da sociedade engrossarem a campanha pelo voto seguro. Repito: só o fantasma da fraude eleitoral pode garantir a vitória petralha em 2014. Corremos tal risco concreto no domingo que vem.

Urna fraudável

Interessante material reunido sobre o inseguro sistema eleitoral brasileiro

veja o vídeo em:
http://www.alertatotal.net/2014/10/titulos-duplicados-compra-de-votos-e.html
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 06 de Outubro de 2014, 09:33:30
Fui votar bem próximo do final do dia (16:45) e conversei com o pessoal responsável pela seção. Deu para observar e ou constatar que a identificação biométrica gastou mais do que o dobro de tempo do que a identificação convencional na eleição de 2010. Eu, por exemplo, só tive a identificação confirmada na sétima tentativa. E, a despeito da identificação biométrica estar em uso, o pessoal ainda pedia a carteira de identidade ou motorista e mais o título de eleitor. Esta redundância de segurança deveria ser aplicada na apuração dos votos.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fernando Silva em 06 de Outubro de 2014, 10:51:38
Segundo este site, urnas tiveram que ser recolhidas porque mostravam sempre o 13 não importando qual candidato fosse digitado.

http://www.folhapolitica.org/2014/10/em-rondonia-urna-apresentou-somente-o.html
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 06 de Outubro de 2014, 11:42:45
O que importa é que até agora fraudes não foram comprovadas, logo, são impossíveis.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Skorpios em 06 de Outubro de 2014, 16:19:04
Olhem isso:
Citar
Eleitores não conseguem votar ao descobrirem que outras pessoas votaram em seu lugar  (http://tiagoalbuquerque.jusbrasil.com.br/noticias/143481932/eleitores-nao-conseguem-votar-ao-descobrirem-que-outras-pessoas-votaram-em-seu-lugar?utm_campaign=newsletter-daily_20141006_164&utm_medium=email&utm_source=newsletter)
(http://imgs.jusbrasil.com/publications/noticias/images/1412550726.jpg)

Na tarde deste domingo, a empregada doméstica Maria José da Silva, de 47 anos, foi impedida de votar. Ao chegar à seção 110 da 163ª zona eleitoral, no CIEP Tancredo Neves, no Catete, na zona sul do Rio, Maria foi informada por um mesário que ela já havia votado.

    Eu dei o título e a minha identidade. Aí, o rapaz (mesário) falou "Ué, mas você já votou". Eu falei “Não, mas eu cheguei agora”. Ele foi conferir e, quando voltou, falou "senhora, outra pessoa votou no seu lugar".
(http://imgs.jusbrasil.com/publications/noticias/images/1412550749.jpg)
Segundo Maria, o mesário informou que a pessoa que votou no lugar dela era analfabeta e votou assinando com a impressão digital. Ela foi orientada pelo mesário a ir amanhã ao TRE do Largo do Machado, na zona Sul, onde alguma providência poderia ser tomada.

    Eu me senti constrangida. Como que eu saio de casa para votar e alguém votou no meu lugar? É chato isso. Eu queria que ele me deixasse votar, mas e ele disse que não poderia.

Na Pavuna, a correspondente bancária Isabel Cristina Conceição dos Santos, de 28 anos, recebeu a mesma notícia ao chegar à seção 150 da 167ª zona eleitoral.

    Quando eu cheguei, a mesária falou “aqui está constando que você já votou”. E eu falei que não, que eu tinha acabado de chegar. Ela tentou cinco vezes, mas continuou constando. Eu falei com a responsável pela zona. Aí, uma pessoa chamada Elisa Pires falou assim "se ela faz muita questão de votar nos candidatos, fala pra ela voltar 17h20 e votar no lugar de quem não votou". Mas eu não vou fazer isso. Eu moro na Tijuca, vim aqui na Pavuna votar e não vou conseguir. Eu me sinto indignada. Escolheram os candidatos por mim. Isso é uma fraude.

Em Nova Iguaçu, a representante comercial Catia Lima também não conseguiu registrar seu voto. Ela afirma que ao chegar à zona 27, na seção 101, recebeu a informação de que "já tinha votado". Revoltada, conseguiu fotografar a assinatura de outra pessoa no livro de registro e fez uma denúncia junto à Polícia Federal.
(http://imgs.jusbrasil.com/publications/noticias/images/1412550773.jpg)
Deu uma confusão danada. A chefe de seção ameaçou chamar a polícia para me prender. Ela me disse que eu não tinha direito de votar porque alguém já tinha votado no meu lugar. Isso é uma fraude! Tiraram o meu direito de voto! Agora não tenho nem comprovante. A maior canallhice. Fui na Polícia Federal e me explicaram que vou ter que procurar a Justiça, porque vou ficar sem o comprovante de que votei. Não posso viajar para fora do país, fazer um monte de coisas.
(http://imgs.jusbrasil.com/publications/noticias/images/1412550793.jpg)
Em Iataboraí, Ibson Freire enfrentou o mesmo problema. Ao constatar que outra pessoa havia registrado o voto em seu lugar, ele pediu para o chefe de seção incluir o fato na ata do dia. A resposta?

    Solicitei que o mesário me fornecesse uma declaração e que fosse lançado em ata o ocorrido. Escutei o seguinte comentário: "Você já é o sexto que já votaram no lugar". Mas não havia outros relatos na ata, somente o meu - contou o eleitor, que vota na seção 231 da zona 104.

Procurado, o TRE-RJ informou que “casos assim acontecem” e que, nesses casos, o presidente da mesa tem que registrar a ocorrência na ata, para que a Polícia Federal possa investigar o que aconteceu.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 06 de Outubro de 2014, 16:26:59
Quem votou no lugar deles furou a biometria, o RG ou documento com foto, o nome, a assinatura... pode isso Arnaldo?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 06 de Outubro de 2014, 17:00:16
E agora as eleições tem de ser anuladas, pois todos os votos contam e o estado quer muito ter uma eleição fidedigna a vontade de todos os eleitores...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 06 de Outubro de 2014, 17:21:19
A biometria não foi obrigatória nessa eleição, muita gente ainda não fez o registro.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 06 de Outubro de 2014, 17:35:17
Quem votou no lugar deles furou a biometria, o RG ou documento com foto, o nome, a assinatura... pode isso Arnaldo?

É impossível que isto tenha ocorrido porque todo mundo sabe que as urnas eletrônicas e o controle biométrico são perfeitos, totalmente a prova de violações.  ::)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 06 de Outubro de 2014, 17:35:55
A biometria não foi obrigatória nessa eleição, muita gente ainda não fez o registro.

Nos locais em que ela foi implantada, o registro foi obrigatório.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 06 de Outubro de 2014, 17:43:51
A biometria não foi obrigatória nessa eleição, muita gente ainda não fez o registro.

Nos locais em que ela foi implantada, o registro foi obrigatório.

O Brasil tem 141.824.607 eleitores, só 22.000.000 foram cadastrados. Foi isso que eu quis dizer e dizer e disse muito mal.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 06 de Outubro de 2014, 17:46:13
A biometria não foi obrigatória nessa eleição, muita gente ainda não fez o registro.
Nos locais em que ela foi implantada, o registro foi obrigatório.
O Brasil tem 141.824.607 eleitores, só 22.000.000 foram cadastrados. Foi isso que eu quis dizer e dizer e disse muito mal.

 :ok:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 06 de Outubro de 2014, 18:12:43
E agora as eleições tem de ser anuladas, pois todos os votos contam e o estado quer muito ter uma eleição fidedigna a vontade de todos os eleitores...

Se e somente se os votos das urnas onde se formalizou queixas de mal funcionamento forem considerados anulados (isso é diferente de nulos) e essa nulidade representar mais de 50% dos votos totais.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 06 de Outubro de 2014, 18:41:33
Segundo este site, urnas tiveram que ser recolhidas porque mostravam sempre o 13 não importando qual candidato fosse digitado.

http://www.folhapolitica.org/2014/10/em-rondonia-urna-apresentou-somente-o.html


Fiz um comentário na eleição passada sobre isso, exatamente isso.

Minha mãe foi votar e digitava um número, aparecia um candidato do PT, digitava novamente e aparecia um candidato do PT.

Postei isso aqui no CC, mas não acho o tópico e na época ninguém levou a sério.

Isso não é um simples erro.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 06 de Outubro de 2014, 18:45:33
Citar
Sobre o papel com furinho eu nem sei como funciona, mas já deu problema no USA, não?

Era como no sistema de loteria dos anos 70, tinha um gabarito com o tamanho da cédula que era encaixada nele e perfurada no lugar certo.

Na hora de apurar era só passar por um leitor ótico ou enfiar uma aste metálica no furo  e pescar todas as fichas perfuradas no mesmo local.

Bem simples e rápido.

O problema que deu nos EUA é que a cédula deixava o eleitor  em dúvida sobre onde deveria perfurar porque tinha o nome do candidato mas o furo não ficava bem alinhado ao nome.

Citar
E como já disseram, as eleições por aqui nos últimos anos não estão deixando nem suspeitas de fraude...

Minha mãe foi votar na última eleição, digitava o número certo de um candidato e a urna registrava um candidato do PT, corrigia e registrava o mesmo candidato, corrigia de novo e registrava o mesmo cara.

Foi falar com o mesário que respondeu que não poderia interferir, só conseguiu na quarta tentativa e tinha a certeza de digitar o mesmo número certo.


Mal funcionamento ou fraude?



Achei...Outubro de 2008.

Acreditam no Arcanjo agora?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Barata Tenno em 06 de Outubro de 2014, 19:17:54
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 06 de Outubro de 2014, 19:22:41
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?

Fraude, talvez não fosse.

Mas basta que tenha ocorrido um mau-funcionamento para mostrar a fragilidade da urna. E do sistema.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 06 de Outubro de 2014, 19:34:56
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?

Eu falei sobre algo que aconteceu, minha postagem foi de 2008, agora está acontecendo novamente e por coincidência com outro petista.

Ok, deve ser só acaso mesmo...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 06 de Outubro de 2014, 20:14:36
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?

Eu falei sobre algo que aconteceu, minha postagem foi de 2008, agora está acontecendo novamente e por coincidência com outro petista.

Ok, deve ser só acaso mesmo...
E não trocaram as urnas com defeito?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 06 de Outubro de 2014, 20:20:43
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?

Eu falei sobre algo que aconteceu, minha postagem foi de 2008, agora está acontecendo novamente e por coincidência com outro petista.

Ok, deve ser só acaso mesmo...
E não trocaram as urnas com defeito?

Não fiquei sabendo, o caso é que minha mãe reclamou na hora e ninguém fez nada.

Se depois disso por acaso trocaram ou não, não fiquei sabendo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 06 de Outubro de 2014, 20:24:47
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?

Eu falei sobre algo que aconteceu, minha postagem foi de 2008, agora está acontecendo novamente e por coincidência com outro petista.

Ok, deve ser só acaso mesmo...
E não trocaram as urnas com defeito?

Não fiquei sabendo, o caso é que minha mãe reclamou na hora e ninguém fez nada.

Se depois disso por acaso trocaram ou não, não fiquei sabendo.

Então, no caso das urnas dessas eleições elas foram trocadas.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 06 de Outubro de 2014, 20:33:32
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?

Eu falei sobre algo que aconteceu, minha postagem foi de 2008, agora está acontecendo novamente e por coincidência com outro petista.

Ok, deve ser só acaso mesmo...
E não trocaram as urnas com defeito?

Não fiquei sabendo, o caso é que minha mãe reclamou na hora e ninguém fez nada.

Se depois disso por acaso trocaram ou não, não fiquei sabendo.

Então, no caso das urnas dessas eleições elas foram trocadas.

Então, supostamente as urnas são seguras mas vivem registrando votos para o candidato errado.

Supondo que foi um erro.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 07 de Outubro de 2014, 00:00:42
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?

Fraude, talvez não fosse.

Mas basta que tenha ocorrido um mau-funcionamento para mostrar a fragilidade da urna. E do sistema.
Será que alguém é ingenuo o suficiente para acreditar que um erro desses era só "um defeito"? Não é assim que bugs costumam se manifestar.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabrício em 07 de Outubro de 2014, 08:23:03
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?

Fraude, talvez não fosse.

Mas basta que tenha ocorrido um mau-funcionamento para mostrar a fragilidade da urna. E do sistema.
Será que alguém é ingenuo o suficiente para acreditar que um erro desses era só "um defeito"? Não é assim que bugs costumam se manifestar.

Claro que não era defeito, era obviamente uma conspiração do PT contra a mãe do Arcanjo!  :susto:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Skorpios em 07 de Outubro de 2014, 15:59:19
Mais do mesmo...

Citar
Urna eletrônica é falha, alerta MP (http://tiagoalbuquerque.jusbrasil.com.br/noticias/143481949/urna-eletronica-e-falha-alerta-mp?utm_campaign=newsletter-daily_20141007_166&utm_medium=email&utm_source=newsletter)

O sistema atual de votação eletrônica é falho e não pode garantir o sigilo do voto e a integridade dos resultados das eleições.

A conclusão é do Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo, com base em relatório apresentado à Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão por pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB).

O documento aponta ainda outras vulnerabilidades no programa usado nas urnas eletrônicas, com “efetivo potencial para violar a contagem dos votos“, destaca.

Consta de investigação preliminar do procurador Pedro Antonio Machado que urnas eletrônicas submetidas a teste de segurança apresentaram fragilidade principalmente para garantir o caráter secreto do voto.

Em tese os votos devem ser armazenados na urna eletrônica e misturados aleatoriamente pelo software programado para seguir um padrão matemático. No entanto, durante prova técnica laboratorial conduzida em 2012, os pesquisadores conseguiram colocar em ordem os 950 registros usados no teste, que foi realizado em atendimento a chamada pública doTribunal Superior Eleitoral (TSE).

O responsável pelo relatório, professor Diego Aranha, alertou para o fato de a prova revelar a possibilidade de descobrir em quem o eleitor votou: “Com a reordenação dos votos, é possível, sabendo os horários que os eleitores foram a determinada seção eleitoral, descobrir em quem eles votaram, sendo certo que, para isso, basta que um dos fiscais anote tais horários”, esclareceu o especialista, que hoje atua no Instituto de Computação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). “No caso de personalidades, como candidatos das eleições majoritárias, basta que se acompanhe o noticiário para saber o horário em que exerceram o voto”, complementou Aranha.

De acordo com o documento a falha foi descoberta com rapidez pela equipe da UnB.

No entanto, devido às restrições impostas pelo comitê organizador do TSE, os pesquisadores não puderam submeter tais vulnerabilidades a novos testes, que poderiam demonstrar a existência de mais fragilidades. Segundo Aranha, os pesquisadores tiveram acesso ao código-fonte (programa em linguagem de computação) do software de votação por um período de apenas cinco horas.

Após os testes de 2012, a área de tecnologia da informação do TSE deveria corrigir as falhas apresentadas pela equipe da UnB. O detalhamento e a verificação de outras vulnerabilidades, no entanto, não avançaram. Para as eleições deste ano o tribunal não vai realizar novos testes públicos na urna eletrônica, como vinha fazendo desde a eleição de 2010. Para a próxima eleição foi criado um grupo de trabalho – quase todo integrado por servidores do próprio TSE – pela portaria nº 215 do diretor-geral da secretaria da corte eleitoral. O objetivo é estudar e propor soluções aos problemas referentes à segurança do sistema automatizado de votação adotado no país.

Os autos foram encaminhados ao procurador regional eleitoral André de Carvalho Ramos. Ele deve remetê-los ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de SP, que dará conhecimento ao TSE.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 07 de Outubro de 2014, 16:32:28
Citar
Fiscalizamos!

Só quem estava lá para ver! A participação que tivemos no primeiro turno foi espetacular! Jamais esperávamos receber tantos BUs (mais de 15 mil!).
Se você foi fiscalizar BU, sabe a alegria que foi sair da seção eleitoral com o orgulho de ter participado. Fizemos história! Isso é só o começo: há muita transparência para cobrar, e podemos (e vamos) fazer muito mais juntos!
Esse sucesso todo é ótimo, mas também é um trabalho enorme para uma equipe de 5 pessoas com empregos em tempo integral, família, e contas para pagar. Fomos pegos de surpresa!
Vamos precisar dar um tempo da Internet para usar bem nosso tempo e processar os dados que recebemos o quanto antes, então não estranhe o silêncio: estamos trabalhando!
Precisamos ser muito cautelosos e analisar com todo o cuidado os dados para tirarmos conclusões técnicas sérias, isentas e confiáveis. Pode levar semanas.
No meio tempo, já dá para ir treinando para o segundo turno. Aprendemos muito com essa primeira experiência, e temos certeza que você também pegou uns macetes. Com o que nós fiscais aprendemos neste primeiro experimento, temos certeza que o impacto no segundo turno será maior ainda!
O que você precisa saber: receberemos BUs até 23:59 de 6 de outubro de 2014. Conforme fizermos progresso na análise dos dados, postaremos atualizações na nossa página do Facebook. Por favor, acompanhe por lá, e divulgue para termos uma participação ainda maior dia 26 de outubro. Obrigado pela paciência e parabéns pelo feito histórico deste fim de semana: é o seu exemplo que nos inspira a continuar.
Abraço,
Equipe Você Fiscal

http://www.vocefiscal.org/
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 07 de Outubro de 2014, 19:24:26
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?

Fraude, talvez não fosse.

Mas basta que tenha ocorrido um mau-funcionamento para mostrar a fragilidade da urna. E do sistema.
Será que alguém é ingenuo o suficiente para acreditar que um erro desses era só "um defeito"? Não é assim que bugs costumam se manifestar.

Claro que não era defeito, era obviamente uma conspiração do PT contra a mãe do Arcanjo!  :susto:


Se tivesse acontecido uma vez apenas seria erro, mas como acontece o mesmo erro em eleições diferentes favorecendo o mesmo partido em Estados diferentes vc não acha que tem algo errado?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 07 de Outubro de 2014, 19:28:15
Aliás, se muitas das 15.000 urnas acima tiverem diferenças entre os votos registrados e os contabilizados nos resultados e por acaso isso mostrar que existe um favorecimento ao partido x ou y, o que vcs acham que acontecerá?

Nada.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Dodo em 07 de Outubro de 2014, 20:45:36
Wait, se era fraude, ela conseguiu alterar a máquina fraudulenta e votar em quem queria? Ou funcionava igual caça níqueis, se ela tentar uma quantidade x de vezes a maquina da prêmio?

Fraude, talvez não fosse.

Mas basta que tenha ocorrido um mau-funcionamento para mostrar a fragilidade da urna. E do sistema.
Será que alguém é ingenuo o suficiente para acreditar que um erro desses era só "um defeito"? Não é assim que bugs costumam se manifestar.

Claro que não era defeito, era obviamente uma conspiração do PT contra a mãe do Arcanjo!  :susto:

Ou ela é petista e tem vergonha de contar pro Arcanjo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 20 de Outubro de 2014, 18:14:12
Muito boa essa iniciativa. Mostra que tem muita gente engajada, preocupada com os destinos do país e que se vê motivada a um exercício de cidadania.

Chamada usada pela página do Você Fiscal (http://somos.vocefiscal.org/):
Citar
Já somos 5596 fiscais, faltam 4590. Contamos com você!

Citar
Aprendizados do primeiro turno (http://www.vocefiscal.org/vemproBU/)

Neste 1º turno, aprendemos muito. Milhares de pessoas baixaram o aplicativo e se engajaram na fiscalização dos Boletins de Urna, um sucesso muito maior do que esperávamos. Nossa expectativa mais otimista era a de receber mil BUs. Recebemos mais de 19 mil, dos quais 11.530 foram enviados pelo aplicativo financiado coletivamente pelo Catarse. Parabéns a você que foi fiscal e fez tudo isso acontecer!

Com muitos fiscais participando, tivemos também muitos tipos diferentes de dispositivos. Apesar de o aplicativo ter funcionado bem para a maioria deles, houve casos em que problemas no app produziram imagens desfocadas ou com ruído. Além disso, diversas outras questões como o comprimento dos BUs, variações na iluminação, pressão para sair da seção eleitoral, etc., dificultaram a captura de imagens de qualidade.

Tínhamos a expectativa de possibilitar o upload das fotos do BU também pelo site, para aqueles que não tivessem celular Android compatível com o app Você Fiscal. Infelizmente, como somos uma equipe pequena e todos divididos entre muitas funções (desenvolvimento, mobilização, divulgação), tivemos que priorizar, e não houve tempo hábil para implementar essa funcionalidade no site.

Emergencialmente, disponibilizamos o envio das fotos para o e-mail bu@vocefiscal.org, com a intenção de ampliar o alcance do mutirão e não deixar ninguém de fora.  Apesar da vantagem de ser um meio universal, o e-mail também é muito desestruturado. Recebemos submissões nos mais diferentes formatos (anexos, links, compartilhamentos do Dropbox, e outros mais inesperados).

Somando as dificuldades com algumas das fotos do aplicativo à falta de estrutura do e-mail, tivemos um acréscimo grande de esforço manual à análise que, originalmente, esperávamos poder fazer de forma quase totalmente automatizada. Por isso, ela ainda vai demorar.

Para o 2º turno, já corrigimos os bugs do aplicativo e será possível enviar os BUs fiscalizados para o site, assim como checá-los coletivamente. O BU do 2º turno também será muito menor e mais fácil de fotografar, facilitando a análise automatizada.

Para agilizarmos uma primeira análise dos BUs do 1º turno, vamos precisar da sua ajuda. É fácil participar: abaixo damos instruções de como comparar os BUs que você fiscalizou com a versão oficial divulgada pelo TSE, em 4 passos simples.

Obrigado por fazer parte disso conosco. O mutirão continua: após finalizar a conferência dos BUs que você fotografou, por favor, junte-se a nós no Mutirão do Segundo Turno (http://bit.ly/vocefiscal-2o-turno) (https://www.facebook.com/events/398148680339505/ (https://www.facebook.com/events/398148680339505/)).

Todos aprendemos muito com esta primeira experiência. No segundo turno, com a sua participação, faremos ainda melhor. Vamos lá?


Como comparar os BUs do 1º turno:


[continua na página do VocêFiscal. (http://www.vocefiscal.org/vemproBU/)]

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Alexmonteiro em 20 de Outubro de 2014, 18:31:29
Está questão é muito relevante.

Se até Domingo as pesquisas continuarem indicando um empate técnico e sabendo nós como é o "modus operandi" do PT, a possibilidade de manipulação é evidente.

Não é à toa que está bizarrice das urnas eletrônicas não pegou em nenhuma democracia avançada.

Os riscos superam, e muito, os possíveis benefícios.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Derfel em 20 de Outubro de 2014, 19:27:44
Já esperava que começassem as teorias conspiracionistas. Se o Aécio ganhar pode-se pensar o mesmo?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 20 de Outubro de 2014, 19:38:32
Evidentemente.



Fico curioso sobre se os dados do primeiro turno, os padrões de votação de pequenos locais, comparados aos de um segundo, poderiam detectar padrões que sugerissem fortemente manipulação de resultados locais, se observarem viradas muito dramáticas, e isoladas. Acho que deve ser possível sim, se o mecanismo de manipulação for manifesto nessa maneira em vez de algo mais maquiado/homogêneo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 20 de Outubro de 2014, 20:00:24
Já esperava que começassem as teorias conspiracionistas. Se o Aécio ganhar pode-se pensar o mesmo?

Sim, sem dúvida.

Mas entre os dois candidatos e considerando o contexto, para quem a consecução de uma possível fraude seria mais plausível?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 20 de Outubro de 2014, 20:34:46
Já esperava que começassem as teorias conspiracionistas. Se o Aécio ganhar pode-se pensar o mesmo?

E se ganhar?

Vamos dizer que ele ganhe, então se os petistas acusarem o Aécio de fraude eleitoral, como ficam todos os membros do governo que afirmam que as urnas são seguras mas não querem uma perícia feita por terceiros?

Continuarão afirmando que as urnas são seguras ou assumirão que a fraude é possível?

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 20 de Outubro de 2014, 20:40:47
Não seria uma situação difícil?

Se assumirem que o Aécio ganhou honestamente admitirão que o povo se cansou de PT, se acusarem de fraude eleitoral admitirão que o sistema é fajuto...

Se admitirem que o sistema é fajuto colocam em dúvidas as eleições passadas..
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 20 de Outubro de 2014, 20:45:33
Já esperava que começassem as teorias conspiracionistas. Se o Aécio ganhar pode-se pensar o mesmo?
Não muda muita coisa, o PSDB já esteve no governo e possivelmente tem seus dedos sujos no TSE também. A única certeza é que ninguém com políticas muito diferentes será eleita.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Alexmonteiro em 21 de Outubro de 2014, 00:16:28
Já esperava que começassem as teorias conspiracionistas. Se o Aécio ganhar pode-se pensar o mesmo?

Não se trata de teoria da conspiração mas sim de receios legítimos.

O PT estando no poder há 12 longos anos, controla a máquina administrativa e os principais órgãos fiscalizadores do país. E como já demonstrou inúmeras vezes, não tem pudor em usar qualquer tipo de meio para se manter no topo.

Até aqui não teve necessidade de apelar para as falhas do sistema eleitoral, porque venceu as duas últimas eleições com tranquilidade. E também não necessitará desta vez se daqui até Domingo as pesquisas mostraram uma maior vantagem da Dilma.

Mas se o empate técnico persistir nas sondagens, obviamente que o espírito messiânico , típico de uma seita, poderá empurrar os "companheiros" para aquilo que melhor sabem fazer: as manobras de bastidores.

Os simpatizantes do PT estão impregnados de um sentimento quase religioso que apregoa que os fins justificam os meios. Por isso aos militantes não lhes tira o sono a desonestidade comprovada dos seus líderes, casos como mensalão, a Petrobrás, a amiga Rose, etc, etc, etc. Tudo se justifica em nome de um bem maior e como a própria Dilma disse, se for preciso, irão fazer o diabo para vencer está eleição.

A urna eletrônica é uma aberração que propicia, com os devidos meios, toda uma série de oportunidades de fraude. Daí que tenha sido rejeitada em praticamente todos os países do mundo. Curiosamente os responsáveis brasileiros recusam a existência dos riscos ao mesmo tempo que também recusam auditorias externas.

Com Lula e o PT no meio todo o cuidado é pouco. A desonestidade é o seu ADN. E, portanto, não terão qualquer escrúpulo em usar o sistema para "corrigir" algum desvio eleitoral que as "Zélite" possa proporcionar com o voto.

Tudo em nome da felicidade do povo como é óbvio.


Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jack Carver em 21 de Outubro de 2014, 00:35:58
Acho que alguém já deve ter postado isso nas 16 páginas. Caso não...

http://www.folhapolitica.org/2013/12/procurador-dos-eua-diz-que-fabricante.html

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-03-14/roseana-sarney-e-acusada-de-fraudar-eleicao-para-o-governo-do-maranhao.html

...Mas, como sempre, pro TSE não é nada demais.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Leotelles em 21 de Outubro de 2014, 18:10:13
O TSE é um dos órgãos, se não o único, em que as pessoas depositam sua fé sem questionar achando que o sistema é maravilhoso. Depois de tantos anos de manipulação na mídia sobre como as urnas são exemplo mundial, acho que me questionaria se as pessoas dissessem o contrário.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 26 de Outubro de 2014, 20:31:53
Agora falta só a nossa auditoria independente da urna e.... ops, as pessoas acreditam que o TSE é infalível. Como o povo é retardado.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 11 de Novembro de 2014, 14:49:25
Citar
Cientista americano se oferece para auditar urnas brasileiras (http://www.canaldootario.com.br/blog/cientista-americano-se-oferece-para-auditar-urnas-brasileiras/)
Postado por: Otário A. Anonymous 10 de novembro de 2014   7 Comentários

Um pesquisador e cientista norte-americano que hackeou as urnas nos EUA e na Índia se ofereceu para auditar as urnas eletrônicas brasileiras!

– Ooooh que legaaaaal!

Mas será que o TSE permitirá que isto aconteça?! ;-)

Entrevista

Considerado autoridade mundial em segurança da votação eletrônica, o pesquisador J. Alex Halderman (https://jhalderm.com/) (da Universidade de Michigan (https://www.umich.edu/)), em depoimento gravado à Helder Ribeiro (coordenador do Você Fiscal (http://www.canaldootario.com.br/blog/voce-fiscal-ajude-fiscalizar-eleicoes/)), disse que tem acompanhado de perto o sistema de votação brasileiro, e ficaria feliz em participar da auditoria autorizada pelo TSE.

    Eleitores, não importa onde, merecem saber como seus votos são contados e se o processo é confiável.
    J. Alex Halderman

Ele fez parte do primeiro estudo sobre segurança de votação eletrônica nos EUA, onde foram descobertos que, além de ser possível alterar o software e mudar votos, também era possível criar um vírus para roubar votos e que podia se espalhar de uma máquina para outra, comprometendo o resultado de toda uma eleição. A máquina era a Diebold Accuvote TS machine (mesma empresa que fabrica atualmente as urnas brasileiras) e que na época era a máquina de votação mais usada nos EUA.

Confira o vídeo a seguir (com legendas em português), onde o professor fala sobre suas pesquisas e como elas contribuíram para que os governos dos EUA, Europa e Índia substituíssem seus sistemas de votação por tecnologias mais seguras.

https://www.youtube.com/v/acF3TvyKqYA

Para habilitar as legendas em português, basta clicar no botão “Legendas/CC”.

Vale destacar que o pesquisador afirmou ter ficado impressionado com o trabalho do Professor Diego Aranha (https://sites.google.com/site/dfaranha/pubs/aranha-karam-miranda-scarel-12-pt), durante os testes realizados em 2012. Destacando também que estes testes foram conduzidos sob circunstâncias extremamente restritas, o que torna este feito ainda mais importante.

Além disto, sugere que existem muitos problemas a serem descobertos!

– Pois é, e o TSE ainda tem a cara de pau de fazer propaganda (com o nosso dinheiro) dizendo que possuem um sistema 100% seguro e a prova de fraudes!

Você Fiscal

De acordo com Helder Ribeiro, o trabalho do Prof. Halderman foi uma grande inspiração para o projeto Você Fiscal (http://www.canaldootario.com.br/blog/voce-fiscal-ajude-fiscalizar-eleicoes/), e sua integridade e perícia técnica são exemplares.

    Acreditamos que ter a participação de um especialista independente de fora do país é a melhor forma de dar seriedade e lisura à auditoria e afastar qualquer questionamento de partidarismo.
    Helder Ribeiro

Luz no fim do túnel

Aparentemente, a pressão popular em cima do TSE está funcionando e, recentemente, seus ministros aprovaram a auditoria solicitada pelo PSDB sobre os sistemas eleitorais de 2014.

Vale a pena conferir o vídeo a seguir, onde o próprio ministro do TSE, Gilmar Mendes, faz suas considerações favoráveis a respeito da auditoria, além de dar um “puxão de orelha” em algumas autoridades ;-)

https://www.youtube.com/v/3yVLiLC2YjI

Agora, resta apenas sabermos se a auditoria será, de fato, realizada por um especialista independente, de fora do Brasil, livre da influência de qualquer partido político. Ou se será apenas mais uma encenação, onde os Partidos fingem que auditam, e o TSE finge que foi auditado.

Abraços,

Otário Anonymous
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 11 de Novembro de 2014, 14:49:49
Citar
Vulnerabilidades no software da urna eletrônica brasileira (https://sites.google.com/site/dfaranha/pubs/aranha-karam-miranda-scarel-12-pt)

Diego F. Aranha, Marcelo Monte Karam, André de Miranda, Felipe Scarel, Relatório Técnico, 2012.
[ Full-text (https://sites.google.com/site/dfaranha/projects/relatorio-urna.pdf?attredirects=0) ]

(https://sites.google.com/site/dfaranha/_/rsrc/1346384698828/config/foto.jpg)

Abstract
Este relatório apresenta uma análise de segurança do software da urna eletrônica brasileira baseada na experiência dos autores enquanto participantes da 2a edição dos Testes Públicos de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação organizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Durante o evento, foram detectadas vulnerabilidades no software que permitiram a recuperação em ordem dos votos computados. Apresentamos cenários onde as vulnerabilidades permitem a possibilidade de fraude eleitoral e sugestões para se restaurar a segurança dos mecanismos afetados. Também são apontadas outras fragilidades no software e nas práticas utilizadas para confecção do mesmo. Em particular, este relatório versa sobre os principais problemas de projeto e/ou implementação de mecanismos de segurança detectados no software da urna eletrônica:
  • Proteção inadequada do sigilo do voto: os votos são armazenados fora de ordem, mas é trivial recuperá-los em ordem a partir unicamente dos produtos públicos de uma eleição e conhecimento superficial do código-fonte, também de acesso público aos partidos políticos;
  • Cifração inadequada: a mesma chave criptográfica é utilizada para cifrar as mídias de todas as urnas eletrônicas. Utilizando a analogia clássica de um cadeado como abstração de técnica criptográfica, isto é equivalente a proteger meio milhão de cadeados com uma mesma chave, visto ser este o número aproximado de equipamentos em opera-ção. Além disso, a chave que decifra todas as mídias é armazenada às claras na porção decifrada das mídias. Utilizando a mesma analogia, isto equivale a esconder a chave do cadeado embaixo do tapete e confiar no segredo dessa localização como fonte de segurança;
  • Utilização de algoritmos obsoletos: a função de resumo criptográfico utilizada não mais oferece a segurança esperada para sua aplicação em verificação de integridade. Esta aplicação específica da função escolhida não é mais recomendada há pelo menos 6 anos;
  • Formulação equivocada do modelo de atacante: há ênfase demasiada no projeto de mecanismos resistentes apenas a atacantes externos, quando agentes internos representam risco muito maior;
  • Processo de desenvolvimento defeituoso: práticas inseguras permitem a inserção acidental ou maliciosa de vulnerabilidades de software, claramente atestando que o processo de desenvolvimento adotado pelo TSE é imaturo do ponto de vista de segurança;
  • Verificação insuficiente de integridade: o software da urna eletrônica verifica sua própria integridade durante o processo de inicialização, mas toda a informação necessária para subverter esse mecanismo encontra-se armazenada nas próprias urnas eletrônicas, com dificuldades distintas para um ataque, dependendo da presença do módulo de segurança em hardware. Em urnas sem este recurso, o problema de verificação é reduzido a si próprio, sem fonte externa de confiança. Nesse caso, "software auto-verificável'' por assinatura digital equivale a confiar a autenticidade de uma assinatura de punho em um documento apenas ao testemunho do próprio ``autor'', que, assim, pode se passar por quem quiser. É importante ressaltar ainda que uma assinatura autêntica apenas atesta o processamento do conteúdo assinado em algum ponto no tempo e espaço no qual também estava presente a chave de assinatura. Mesmo que os mecanismos de verificação de integridade não sejam contornados e funcionem a contento, ainda não há qualquer garantia de que o conteúdo do documento é de fato o desejado, visto que no caso o mesmo (software) tem extensão da ordem de milhões de linhas (de código). Caso o software possua vulnerabilidades (como as descritas neste documento), a verificação de integridade (quando não subvertida) tem o efeito colateral de garantir que as mesmas vulnerabilidades estarão presentes em todas as urnas. A versão do código observada pelos autores apresentava ainda como desativada a verificação de integridade de parte do software contido na urna, evidenciando as limitações intrínsecas da técnica.
Mais detalhes a respeito dos problemas acima são fornecidos no decorrer deste relatório, mas pode-se observar de antemão que vários dos recursos implementados no software da urna eletrônica não representam mecanismos de segurança, mas apenas de ofuscação, não resistindo a colaboradores internos ou atacantes persistentes. Como vários dos problemas encontrados resultam de falhas arquiteturais ou premissas inadequadas de projeto, é improvável que a intervenção pontual em algumas dessas questões resolva as causas fundamentais para a sua ocorrência. É imprescindível que se execute revisão crítica completa dos processos de desenvolvimento de software para que se estabeleçam boas práticas que tenham condições de evitar que novas vulnerabilidades sejam inseridas acidentalmente ou intencionalmente por agentes maliciosos internos ou externos. Como o modelo de urna eletrônica adotado no Brasil depende exclusivamente da integridade do software para se atingir integridade dos resultados, os problemas discutidos aqui adquirem uma caráter crítico e exigem urgência na introdução de mecanismos que permitam a auditabilidade de resultados independente do software. Apenas com uma revisão de práticas e instalação de metodologia científica para avaliação contínua do sistema, é possível que o software da urna eletrônica satisfaça requisitos mínimos e plausíveis de segurança e transparência.

BibTeX
@MISC{aranha-karam-miranda-scarel-12,
    author = {D. F. Aranha and M. M. Karam and A. Miranda and F. Scarel},
    title = {{Vulnerabilidades no software da urna eletrônica brasileira}},
    howpublished = {Relatório Técnico},
    year = {2012}
}
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 11 de Novembro de 2014, 15:02:00
Se mostra cada vez mais necessário, urgente, um controle social da publicação científica. Isso não pode ficar apenas nas mãos das elites intelectuais, livres para promover ciência burguesa que tem como únicos objetivos verdadeiros o favorecimento das classes dominantes, em detrimento do estado e da sociedade, do povo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gigaview em 11 de Novembro de 2014, 21:56:55
Por isso, considero importante a criação de um Supremo Tribunal Eleitoral Multinacional com a participação da Argentina, da Venezuela, do Brasil e da Bolívia com assentos permanentes para controlar esse tipo de coisa do ponto de vista dos interesses democráticos latinoamericanos.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 11 de Novembro de 2014, 22:04:54
Adorei a idéia!!

Assinado: Marco Aurélio Garcia
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 11 de Novembro de 2014, 22:14:05
Adorei a idéia!!

Assinado: Marco Aurélio Garcia
:histeria: :histeria: :histeria: :histeria:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 11 de Novembro de 2014, 22:18:30
Vamos aguardar as manifestações daqueles que acham que as urnas eletrônicas brasileiras são perfeitas e que o processo eleitoral brasileiro está acima de qualquer suspeita.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: O Grande Capanga em 11 de Novembro de 2014, 23:15:09
Por isso, considero importante a criação de um Supremo Tribunal Eleitoral Multinacional com a participação da Argentina, da Venezuela, do Brasil e da Bolívia com assentos permanentes para controlar esse tipo de coisa do ponto de vista dos interesses democráticos latinoamericanos.

Multinacional? Isso é muito capitalista, pois remete à ideia de empresas transnacionais.

O correto seria Tribunal Superior Eleitoral Bolivariano da América Latina e Caribe. Os ministros seriam democraticamente eleitos pelo Foro de São Paulo. A indicação caberia a Fidel e Lula.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 11 de Novembro de 2014, 23:48:35
Vamos aguardar as manifestações daqueles que acham que as urnas eletrônicas brasileiras são perfeitas e que o processo eleitoral brasileiro está acima de qualquer suspeita.

Não é melhor aguardar evidências de que o processo eleitoral tem falhas graves?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 11 de Novembro de 2014, 23:54:09
Vamos aguardar as manifestações daqueles que acham que as urnas eletrônicas brasileiras são perfeitas e que o processo eleitoral brasileiro está acima de qualquer suspeita.
Não é melhor aguardar evidências de que o processo eleitoral tem falhas graves?

A demonstração de que as urnas não são 'perfeitas' e muito menos 'invioláveis' já é mais do que suficiente para destroçar os argumentos dos que defendiam as palavras de ordem do governo federal, do TSE e dos partidos em geral.

As 'falhas graves do processo eleitoral' serão apenas o corolário disto.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 12 de Novembro de 2014, 08:46:25
Vamos aguardar as manifestações daqueles que acham que as urnas eletrônicas brasileiras são perfeitas e que o processo eleitoral brasileiro está acima de qualquer suspeita.
Não é melhor aguardar evidências de que o processo eleitoral tem falhas graves?

A demonstração de que as urnas não são 'perfeitas' e muito menos 'invioláveis' já é mais do que suficiente para destroçar os argumentos dos que defendiam as palavras de ordem do governo federal, do TSE e dos partidos em geral.

As 'falhas graves do processo eleitoral' serão apenas o corolário disto.

Não é preciso auditar as urnas para detectar inconsistências graves no processo eleitoral. Talvez possamos achar pequenos erros, mas nem isso é tão certo. Todos os partidos fazem pesquisas próprias, todos os partidos fiscalizam o processo, existem as pesquisas dos institutos, existem auditores e observadores externos do processo eleitoral que atuam dentro do TSE de inúmeros países diferentes, os boletins das urnas são públicos, o resultado de cidades, bairros, pequenas e grandes regiões são públicos para os partidos. É muito fácil para qualquer um detectar inconsistência entre o resultado e a apuração, como era antes com a urna de lona. Se houvesse de fato um resultado distinto qualquer, as evidências já teriam aparecido há muito tempo e eu estaria dando razão ao fato de que elas não são seguras, mas não há. Ninguém apontou uma falha digna de ser levada a sério. É só gente que aparece falando e falando que pode, que tem, que vai ser, que é, mas ninguém conseguindo provar qualquer coisa sobre coisa nenhuma, sem contar as fraudes que apareceram na internet, mas não das urnas e sim dos conspiracionistas.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 12 de Novembro de 2014, 08:50:50
É só gente que aparece falando e falando que pode, que tem, que vai ser, que é, mas ninguém conseguindo provar qualquer coisa sobre coisa nenhuma

Talvez ninguém tenha conseguido provar porque o TSE não permitiu. Por que não abre o fonte para os pesquisadores? O que há de temer?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 12 de Novembro de 2014, 08:59:13
É só gente que aparece falando e falando que pode, que tem, que vai ser, que é, mas ninguém conseguindo provar qualquer coisa sobre coisa nenhuma

Talvez ninguém tenha conseguido provar porque o TSE não permitiu. Por que não abre o fonte para os pesquisadores? O que há de temer?

A lógica explica, se não há inconsistências entre o resultado, pesquisas, partidos, auditores, observadores, não há o que temer e não há porque auditar um negócio que já foi auditado antes das eleições e até hoje se mostrou seguro.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 12 de Novembro de 2014, 09:05:45
É só gente que aparece falando e falando que pode, que tem, que vai ser, que é, mas ninguém conseguindo provar qualquer coisa sobre coisa nenhuma

Talvez ninguém tenha conseguido provar porque o TSE não permitiu. Por que não abre o fonte para os pesquisadores? O que há de temer?

A lógica explica, se não há inconsistências entre o resultado, pesquisas, partidos, auditores, observadores, não há o que temer e não há porque auditar um negócio que já foi auditado antes das eleições e até hoje se mostrou seguro.

Não se mostrou seguro. Não foi possível concluir nada. Recomendo que você releia todo este tópico.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 12 de Novembro de 2014, 09:15:45
É só gente que aparece falando e falando que pode, que tem, que vai ser, que é, mas ninguém conseguindo provar qualquer coisa sobre coisa nenhuma

Talvez ninguém tenha conseguido provar porque o TSE não permitiu. Por que não abre o fonte para os pesquisadores? O que há de temer?

A lógica explica, se não há inconsistências entre o resultado, pesquisas, partidos, auditores, observadores, não há o que temer e não há porque auditar um negócio que já foi auditado antes das eleições e até hoje se mostrou seguro.

Não se mostrou seguro. Não foi possível concluir nada. Recomendo que você releia todo este tópico.

Lorentz, eu acompanhei o tópico, e ninguém foi capaz de demonstrar nada. Só gente dizendo isso e aquilo sem demonstrar que há falhas graves no processo eleitoral. Me mostre uma inconsistência entre resultado e fiscalização, pesquisas, observações independentes, etc, então a gente conversa. Fora isso, o resto é mais teoria da conspiração do que qualquer outra coisa.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Diegojaf em 12 de Novembro de 2014, 09:19:00
É muito complicado considerar falta de transparência como sinônimo de honestidade. Só aqui mesmo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabrício em 12 de Novembro de 2014, 09:20:10
É só gente que aparece falando e falando que pode, que tem, que vai ser, que é, mas ninguém conseguindo provar qualquer coisa sobre coisa nenhuma

Talvez ninguém tenha conseguido provar porque o TSE não permitiu. Por que não abre o fonte para os pesquisadores? O que há de temer?

A lógica explica, se não há inconsistências entre o resultado, pesquisas, partidos, auditores, observadores, não há o que temer e não há porque auditar um negócio que já foi auditado antes das eleições e até hoje se mostrou seguro.

Não se mostrou seguro. Não foi possível concluir nada. Recomendo que você releia todo este tópico.

Eu acho essa desconfiança toda com as urnas muita teoria da conspiração. Óbvio, o sistema é passível de falhas e fraudes (qual sistema não é?), e deve ser fiscalizado e auditado, mas não temos nenhuma evidência forte de que tenham acontecido fraudes significativas a ponto de alterar alguma eleição importante, principalmente a nível nacional.

Citação de: Juca
Não é preciso auditar as urnas para detectar inconsistências graves no processo eleitoral. Talvez possamos achar pequenos erros, mas nem isso é tão certo. Todos os partidos fazem pesquisas próprias, todos os partidos fiscalizam o processo, existem as pesquisas dos institutos, existem auditores e observadores externos do processo eleitoral que atuam dentro do TSE de inúmeros países diferentes, os boletins das urnas são públicos, o resultado de cidades, bairros, pequenas e grandes regiões são públicos para os partidos. É muito fácil para qualquer um detectar inconsistência entre o resultado e a apuração, como era antes com a urna de lona. Se houvesse de fato um resultado distinto qualquer, as evidências já teriam aparecido há muito tempo e eu estaria dando razão ao fato de que elas não são seguras, mas não há. Ninguém apontou uma falha digna de ser levada a sério. É só gente que aparece falando e falando que pode, que tem, que vai ser, que é, mas ninguém conseguindo provar qualquer coisa sobre coisa nenhuma, sem contar as fraudes que apareceram na internet, mas não das urnas e sim dos conspiracionistas.

Estou com o Juca nessa, não temos nenhuma evidência real dessas tão faladas "falhas graves" no processo eleitoral, pelo contrário, o processo eleitoral brasileiro, mesmo longe da perfeição, é uma das poucas coisas que funciona bem. As críticas me parecem muito mais choro de perdedor do que qualquer outra coisa. Lembrando que eu sou um dos perdedores chorões.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Dream em 12 de Novembro de 2014, 09:26:33
Sem contar que pra mudar o resultado de uma eleição a nível nacional - Como congresso e presidente, seria necessário mudar MUITO urna, mas MUITA URNA mesmo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 12 de Novembro de 2014, 09:42:44
Dream, Fabrício e _Juca_

Está havendo algum ruído em nosso diálogo.

Até o momento eu não contestei o resultado desta eleição (ou de qualquer outra) apesar das várias denúncias de problemas com urnas.

O que está sendo discutido - e é o próprio título do tópico - é o propalado e alardeado grau de confiabilidade do sistema eleitoral na ponta de recepção dos votos, isto é, nas urnas eletrônicas. Há evidências que demonstram que o atual sistema é muito vulnerável por conta de inúmeros fatores, amplamente discutidos em diversos ensaios aqui postados.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 12 de Novembro de 2014, 09:44:19
Sem contar que pra mudar o resultado de uma eleição a nível nacional - Como congresso e presidente, seria necessário mudar MUITO urna, mas MUITA URNA mesmo.

O que é extremamente fácil para quem detém os códigos fontes e conhece a estrutura do sistema. Além disto, não há a possibilidade de conferência porque os votos não são impressos.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 12 de Novembro de 2014, 09:59:58
Dream, Fabrício e _Juca_

Está havendo algum ruído em nosso diálogo.

Até o momento eu não contestei o resultado desta eleição (ou de qualquer outra) apesar das várias denúncias de problemas com urnas.

O que está sendo discutido - e é o próprio título do tópico - é o propalado e alardeado grau de confiabilidade do sistema eleitoral na ponta de recepção dos votos, isto é, nas urnas eletrônicas. Há evidências que demonstram que o atual sistema é muito vulnerável por conta de inúmeros fatores, amplamente discutidos em diversos ensaios aqui postados.

Geo, se não há problemas no resultado eleitoral qual o problema com as urnas de fato? Elas já são auditadas, não há problemas com os resultados, não há problemas com a contagem. Qual a garantia que a abertura do código fonte daria para a desconfiança conspiracionista, se o programa não está conectado na rede? Os únicos que poderiam fraudar as urnas eletrônicas continuariam a ser os técnicos e ou juízes do TSE que tem acesso ao programa, e nós sabemos que não fazem isso porque todo o processo eleitoral é amplamente fiscalizado de diversas formas, de modo que para que tal coisa acontecesse, mídia, institutos de pesquisa, partidos de situação e oposição, observadores e auditores estrangeiros teriam que estar todos envolvidos nessa mega fraude.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 12 de Novembro de 2014, 10:03:52
Os únicos que poderiam fraudar as urnas eletrônicas continuariam a ser os técnicos e ou juízes do TSE que tem acesso ao programa, e nós sabemos que não fazem isso porque todo o processo eleitoral é amplamente fiscalizado de diversas formas, de modo que para que tal coisa acontecesse, mídia, institutos de pesquisa, partidos de situação e oposição, observadores e auditores estrangeiros teriam que estar todos envolvidos nessa mega fraude.

Ou não.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Novembro de 2014, 18:40:16
Vamos aguardar as manifestações daqueles que acham que as urnas eletrônicas brasileiras são perfeitas e que o processo eleitoral brasileiro está acima de qualquer suspeita.

Não são os mesmos que defendem a Petrofraude?

Aliás, uma fornecedora holandesa da Petrofraude acabou de receber uma multa de 240 milhões do governo holandês justamente por oferecer propina para funcionários da Petrofraude lá no exterior.

Pagaram 200 milhões em propina e tomaram uma naba de 240 milhões...

Postarei o link lá no outro tópico.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Novembro de 2014, 18:44:00
Vamos aguardar as manifestações daqueles que acham que as urnas eletrônicas brasileiras são perfeitas e que o processo eleitoral brasileiro está acima de qualquer suspeita.


Não é melhor aguardar evidências de que o processo eleitoral tem falhas graves?

Mais evidências que aquela denúncia que postei aqui em um  vídeo de reportagem mostrado na Band? Quer prova maior de fraude que aquilo?

O que vc achou dos documentos do TSE achados no lixo no dia da última votação?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Novembro de 2014, 18:46:15
É só gente que aparece falando e falando que pode, que tem, que vai ser, que é, mas ninguém conseguindo provar qualquer coisa sobre coisa nenhuma

Talvez ninguém tenha conseguido provar porque o TSE não permitiu. Por que não abre o fonte para os pesquisadores? O que há de temer?

A lógica explica, se não há inconsistências entre o resultado, pesquisas, partidos, auditores, observadores, não há o que temer e não há porque auditar um negócio que já foi auditado antes das eleições e até hoje se mostrou seguro.

Não há inconsistência entre resultados? desculpe, Juca, mas cansamos de posta aqui denúncias de urnas com mais votos que eleitores registrados.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Novembro de 2014, 18:55:36
"Cansou" algo de postar algo que tivesse algum embasamento maior do que "estar na internet"?

Ex.: os denunciantes originais tem nome real, são pessoas reais, a urna denunciada tem alguma localidade/zona eleitoral explícita, etc?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Novembro de 2014, 18:57:05
"Cansou" algo de postar algo que tivesse algum embasamento maior do que "estar na internet"?

Ex.: os denunciantes originais tem nome real, são pessoas reais, a urna denunciada tem alguma localidade/zona eleitoral explícita, etc?

Pelo jeito vc não viu a reportagem da Band que postei aqui.

Se tratava da reportagem que foi ao ar em horário nobre com uma denúncia investigada pelo Ministério Público de fraude eleitoral.

Veja o vídeo, não vou procurar mais uma vez para vcs nem terem o trabalho de olhar.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Novembro de 2014, 18:58:26
É só gente que aparece falando e falando que pode, que tem, que vai ser, que é, mas ninguém conseguindo provar qualquer coisa sobre coisa nenhuma

Talvez ninguém tenha conseguido provar porque o TSE não permitiu. Por que não abre o fonte para os pesquisadores? O que há de temer?

A lógica explica, se não há inconsistências entre o resultado, pesquisas, partidos, auditores, observadores, não há o que temer e não há porque auditar um negócio que já foi auditado antes das eleições e até hoje se mostrou seguro.

Não se mostrou seguro. Não foi possível concluir nada. Recomendo que você releia todo este tópico.

Lorentz, eu acompanhei o tópico, e ninguém foi capaz de demonstrar nada. Só gente dizendo isso e aquilo sem demonstrar que há falhas graves no processo eleitoral. Me mostre uma inconsistência entre resultado e fiscalização, pesquisas, observações independentes, etc, então a gente conversa. Fora isso, o resto é mais teoria da conspiração do que qualquer outra coisa.

Já foi explicado que essas inconsistências não são resultado necessariamente esperado de fraude; não haver tais inconsistências simplesmente não é indicativo de não ter havido fraude, muito menos de não poder haver.

Os estudos apontando as falhas/inseguranças no sistema não são teoria da conspiração, isso é uma tentativa muito pífica de desmerecê-los.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Novembro de 2014, 19:01:16
"Cansou" algo de postar algo que tivesse algum embasamento maior do que "estar na internet"?

Ex.: os denunciantes originais tem nome real, são pessoas reais, a urna denunciada tem alguma localidade/zona eleitoral explícita, etc?

Pelo jeito vc não viu a reportagem da Band que postei aqui.

Se tratava da reportagem que foi ao ar em horário nobre com uma denúncia investigada pelo Ministério Público de fraude eleitoral.

Veja o vídeo, não vou procurar mais uma vez para vcs nem terem o trabalho de olhar.

Encontrei apenas esse, pesquisando por "Band":




reportagem da Band sobre alguns problemas no Pará

Aí já tem denúncias mais sérias/sólidas do que as últimas "capturas do tweeter", que só servem para desacreditar as denúncias como meros "boatos".
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Novembro de 2014, 19:05:37
"Cansou" algo de postar algo que tivesse algum embasamento maior do que "estar na internet"?

Ex.: os denunciantes originais tem nome real, são pessoas reais, a urna denunciada tem alguma localidade/zona eleitoral explícita, etc?

Pelo jeito vc não viu a reportagem da Band que postei aqui.

Se tratava da reportagem que foi ao ar em horário nobre com uma denúncia investigada pelo Ministério Público de fraude eleitoral.

Veja o vídeo, não vou procurar mais uma vez para vcs nem terem o trabalho de olhar.

Encontrei apenas esse, pesquisando por "Band":




reportagem da Band sobre alguns problemas no Pará

Aí já tem denúncias mais sérias/sólidas do que as últimas "capturas do tweeter", que só servem para desacreditar as denúncias como meros "boatos".

Aqui, mais uma vez...

https://www.youtube.com/v/1GKkNR9fdX0
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Novembro de 2014, 19:09:31
Aliás, preste muita atenção nos minutos finais do vídeo...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Novembro de 2014, 19:13:09
É cada vez mais difícil ver a defesa intrensigente dos petistas sobre as urnas como outra coisa além apenas mais uma faceta de aceitação velada à corrupção. Ingenuidade/fé cega, são as únicas alternativas. Em qualquer outra condição a pessoa pelo deve admitir a possibilidade das coisas não serem perfeitas, de poder haver fraude, e de poder haver melhora no sistema.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Novembro de 2014, 19:32:57
O vídeo acima é de 2013, a reportagem foi naquela eleição anterior a atual.

Já existiam essas denúncias de fraudes em urnas, não é coisa nova.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 12 de Novembro de 2014, 19:46:55
O vídeo acima é de 2013, a reportagem foi naquela eleição anterior a atual.

Já existiam essas denúncias de fraudes em urnas, não é coisa nova.

Arcanjo, só mais do mesmo, não foi demostrada nenhuma evidencia séria  de que as eleições são fraudadas.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 12 de Novembro de 2014, 19:52:02
Não acho que foram fraudadas no sentido dos votos. Foi fraudada na maneira como colocaram medo nos que necessitam do bolsa família, no coronelismo, campanha rasteira e mentirosa. E acusar os outros de coisas que fariam 5 dias depois de reeleitos.

Isso é uma fraude, mas não é ilegal. É apenas imoral.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 12 de Novembro de 2014, 19:53:20
E isso não tem nada a ver com as urnas eletrônicas, Madiba, não tenta deturpar (mais ainda) o tópico pra dicotomia PT x não-PT
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Novembro de 2014, 20:38:14
O vídeo acima é de 2013, a reportagem foi naquela eleição anterior a atual.

Já existiam essas denúncias de fraudes em urnas, não é coisa nova.

Arcanjo, só mais do mesmo, não foi demostrada nenhuma evidencia séria  de que as eleições são fraudadas.

Ou, nenhuma evidência foi aceita, o que é bem diferente.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Novembro de 2014, 20:40:38
O vídeo acima é de 2013, a reportagem foi naquela eleição anterior a atual.

Já existiam essas denúncias de fraudes em urnas, não é coisa nova.

Arcanjo, só mais do mesmo, não foi demostrada nenhuma evidencia séria  de que as eleições são fraudadas.

Quer dizer que usar o mesmo código para inicializar três urnas diferentes ao mesmo tempo não é indício de fraude?

E nem mesmo é indício de que há algo errado o fato de que o inventor da urna cumpriu pena por fraudar eleições?

Interessante.

Quer dizer que o Ministério Público abriu uma investigação por nada, sem que exista qualquer indício?

É isso que vc afirma?





Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Novembro de 2014, 20:41:27
O Ministério Público é uma das principais forças golpistas no país.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 12 de Novembro de 2014, 21:10:07
E isso não tem nada a ver com as urnas eletrônicas, Madiba, não tenta deturpar (mais ainda) o tópico pra dicotomia PT x não-PT
correto
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 12 de Novembro de 2014, 21:12:14
Mas Arcanjo porque o PSDB não está caindo de pau?  Ok, são bundões.  Outra possibilidade é não haver clima para questionamento.  Mas é estranho.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Novembro de 2014, 21:31:17
Mas Arcanjo porque o PSDB não está caindo de pau?  Ok, são bundões.  Outra possibilidade é não haver clima para questionamento.  Mas é estranho.


Outra possibilidade é também muitos de seus candidatos terem conseguido assim boa parte de seus votos.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 12 de Novembro de 2014, 21:53:49
O Ministério Público é uma das principais forças golpistas no país.

Exato. Temos que privatizar este ministério, e chamá-lo de Ministério Privado.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 12 de Novembro de 2014, 22:15:52
Mas Arcanjo porque o PSDB não está caindo de pau?  Ok, são bundões.  Outra possibilidade é não haver clima para questionamento.  Mas é estranho.


Outra possibilidade é também muitos de seus candidatos terem conseguido assim boa parte de seus votos.

Aí danou-se tudo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 12 de Novembro de 2014, 22:34:45
Olha, eu trabalho com TI. E não é montando micro, eu trabalho em Data Center onde temos equipamentos que custam mais de US$26 milhões.

Te digo o seguinte:

Em suma: se um sistema com as caraterísticas acima não é inviolável, quanto mais os video-games de quinta categoria do TSE!

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 12 de Novembro de 2014, 23:50:22
Duas palavras apenas: "ciência" burguesa.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 13 de Novembro de 2014, 17:11:45
Mas Arcanjo porque o PSDB não está caindo de pau?  Ok, são bundões.  Outra possibilidade é não haver clima para questionamento.  Mas é estranho.



"Não mostre minha sujeira e não mostro a sua"
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 13 de Novembro de 2014, 17:13:27
Mas Arcanjo porque o PSDB não está caindo de pau?  Ok, são bundões.  Outra possibilidade é não haver clima para questionamento.  Mas é estranho.


Outra possibilidade é também muitos de seus candidatos terem conseguido assim boa parte de seus votos.

Aí danou-se tudo.

Pessoalmente acredito que todo mundo sabia das sujeiras do Lulla, mas ninguém mexia com ele por conveniência.

Sempre disse isso aqui no CC.

Urnas fraudadas? Ninguém questionou isso antes?

Por que será?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 13 de Novembro de 2014, 17:15:08
"Não mostre minha sujeira e não mostro a sua"

(http://i.ytimg.com/vi/X7FVYJ6ONXk/hqdefault.jpg)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 13 de Novembro de 2014, 17:34:59
(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/10368386_763531147066772_499669787142964539_n.jpg?oh=5d654e8110a9426c75b7a7fbb79aa065&oe=54DBF36E&__gda__=1423026607_6bd12323d5e285d80226d1e830d8b212)

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 13 de Novembro de 2014, 17:39:04
O pior é não entrar no Face pra ver esse tipo de coisa e se deparar com elas aqui.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 13 de Novembro de 2014, 17:40:27
A difícil tarefa de evitar se expor à realidade incômoda. :/
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 13 de Novembro de 2014, 17:45:16
:biglol:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 13 de Novembro de 2014, 17:52:37
A difícil tarefa de evitar se expor à realidade incômoda. :/



Verdade, o trollismo é uma praga na internet, você sabe bem.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 13 de Novembro de 2014, 17:54:41
O pior é não entrar no Face pra ver esse tipo de coisa e se deparar com elas aqui.

Tem razão, Juca...

Depois de 2000 escândalos descobertos nos últimos anos sendo que a Petrofraude é a cereja do bolo,  é mesmo um absurdo pensar que existe alguma fraude no nosso honestíssimo sistema eleitoral.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 13 de Novembro de 2014, 17:56:43
O pior é não entrar no Face pra ver esse tipo de coisa e se deparar com elas aqui.

Tem razão, Juca...

Depois de 2000 escândalos descobertos nos últimos anos sendo que a Petrofraude é a cereja do bolo,  é mesmo um absurdo pensar que existe alguma fraude no nosso honestíssimo sistema eleitoral.

Pois é, um escândalo na Petrobrás prova uma fraude no TSE. Sei.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 13 de Novembro de 2014, 18:03:31
O pior é não entrar no Face pra ver esse tipo de coisa e se deparar com elas aqui.

Tem razão, Juca...

Depois de 2000 escândalos descobertos nos últimos anos sendo que a Petrofraude é a cereja do bolo,  é mesmo um absurdo pensar que existe alguma fraude no nosso honestíssimo sistema eleitoral.

Pois é, um escândalo na Petrobrás prova uma fraude no TSE. Sei.

Petrofraude, Bancoop, mensalão, qualquer contrato público...

A honestidade impera "neste país", então não é questão da Petrofraude ou outra qualquer, a questão é que esse governo é tão imundo que dá nojo em vermes.

Por qual motivo tenho que acreditar cegamente que não existe uma falcatrua nas eleições se há mil e um motivos para acreditar que há?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabrício em 13 de Novembro de 2014, 18:49:36
Citação de: aRCANJO
Por qual motivo tenho que acreditar cegamente que não existe uma falcatrua nas eleições se há mil e um motivos para acreditar que há?

Por qual motivo tenho que acreditar cegamente que não existe um Deus nos olhando do céu se há mil e um motivos para acreditar que há?  :P

Arcanjo, estou só brincando, mas não existem "mil e um motivos" para duvidar das urnas eletrônicas, existem alguns (fracos) indícios. Nem sei se pode-se chamar o que foi apresentado até agora de indício.

Concordo que as urnas são vulneráveis (qualquer sistema é, as urnas de lona eram tão ou mais vulneráveis), concordo que deve mesmo haver o máximo de transparência, auditorias e fiscalização, mas o fato é que, além de indícios muito fraquinhos e teorias da conspiração, não há um bom motivo (pelo menos por enquanto) para essa paranóia toda com as urnas eletrônicas.

O que parece é que o raciocínio é: se as urnas podem ser fraudadas, com certeza estão sendo fraudadas!!!!! E se for assim, não existe um sistema que sirva, qualquer um deles pode ser fraudado.




Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 13 de Novembro de 2014, 19:05:40
Arcanjo, estou só brincando, mas não existem "mil e um motivos" para duvidar das urnas eletrônicas, existem alguns (fracos) indícios. Nem sei se pode-se chamar o que foi apresentado até agora de indício.

Você viu as reportagens da band mencionadas anteriormente?

http://www.youtube.com/v/0CFFogJqeKU

https://www.youtube.com/v/1GKkNR9fdX0


Gostaria que me explicassem como esse tipo de coisas não seriam "nem indícios".


(A rede BANDidos é um dos mais ferozes integrantes do PiG. Chegaram até a se opor abertamente no referendo do desarmamento)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 13 de Novembro de 2014, 20:40:45
O que parece é que o raciocínio é: se as urnas podem ser fraudadas, com certeza estão sendo fraudadas!!!!! E se for assim, não existe um sistema que sirva, qualquer um deles pode ser fraudado.
Se os políticos podem mentir, com certeza mentem. Todos sabemos que isso não ocorre. Realmente, você ganhou.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 13 de Novembro de 2014, 20:45:39
O que parece é que o raciocínio é: se as urnas podem ser fraudadas, com certeza estão sendo fraudadas!!!!! E se for assim, não existe um sistema que sirva, qualquer um deles pode ser fraudado.
Se os políticos podem mentir, com certeza mentem. Todos sabemos que isso não ocorre. Realmente, você ganhou.
:histeria: :histeria: :histeria: :histeria:

Desculpe, não resisti.

Isso seria um exemplo de Non-sequitur?

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 13 de Novembro de 2014, 20:47:21
O pior é não entrar no Face pra ver esse tipo de coisa e se deparar com elas aqui.
Não fuja do face. Ele é o retrato da sociedade, para o bem e para o mal.

Mas não tem jeito: em qualquer lugar as verdades inconvenientes sempre se confrontarão com as mentiras confortáveis.

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 13 de Novembro de 2014, 21:23:13
Bom, estou revendo a minha opinião. Realmente, me parece possível de ser feito e provável para um partido como o PT.

E o Juca estará errado novamente  :biglol:

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 13 de Novembro de 2014, 21:38:22
O pior é não entrar no Face pra ver esse tipo de coisa e se deparar com elas aqui.

O que é que, essencialmente, tem de errado nas figuras?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 13 de Novembro de 2014, 21:39:54
Pense no seguinte: o PT era o partido do povo, pelo povo e para o povo que:

Vou parar porque a lista de hipocrisias é gigante. Então, pegue um partido assim e pense se é possível duvidar de que sejam capazes de "fazer o diabo" para se manter no poder?

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 13 de Novembro de 2014, 22:06:06
Pense no seguinte: o PT era o partido do povo, pelo povo e para o povo que:
  • Combatia ferrenhamente a corrupção e... se tornou o partido mais corrupto da história;
  • Criticava ferrenhamente medidas impopulares e... sempre votou (enquanto oposição) contra todas as medidas que conduziram o Brasil para o crescimento;
  • Acusa o PSDB de privatizador e... faz "concessões" a torto e à direita (ou seria à esquerda);
  • Sempre gritou contra os ladrões e... protege os seus ladrões;
  • Fala em democracia e... expulsa quem ousa discordar da cúpula;
  • Encabeçou o fora Collor e fora FHC e... acha que falar em impedimento da Dilma é golpe;

O PT não é pior nem melhor que os outros. No fundo todos são iguais. Vocês que são inocentes e acham que os outros partidos não roubam. Eles roubam até mais (só não me peçam pra provar)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 13 de Novembro de 2014, 22:08:41
dava para colocar mais cento e trinta itens nessa lista.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 13 de Novembro de 2014, 22:19:20
dava para colocar mais cento e trinta itens nessa lista.
Quando uso o termo bolchevique tenho consciência que estou agindo com agressividade e estou sendo extremista.

Mas, com alguns pouco itens de diferença, se forem listados os "feitos" desses camaradas aqui (sem mencionar de quem se fala) pouca gente não identificará o PT como o dono das características citadas. Imagino que apenas alguns leitores mais ávidos (ou aqueles com boa memória) dirão: não, esse não é o PT; são características dos bolcheviques!

Pouco importa. Estudaram bem os textos de Lenin.

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 13 de Novembro de 2014, 22:28:17
Citação de: aRCANJO
Por qual motivo tenho que acreditar cegamente que não existe uma falcatrua nas eleições se há mil e um motivos para acreditar que há?

Por qual motivo tenho que acreditar cegamente que não existe um Deus nos olhando do céu se há mil e um motivos para acreditar que há?  :P

Arcanjo, estou só brincando, mas não existem "mil e um motivos" para duvidar das urnas eletrônicas, existem alguns (fracos) indícios. Nem sei se pode-se chamar o que foi apresentado até agora de indício.

Concordo que as urnas são vulneráveis (qualquer sistema é, as urnas de lona eram tão ou mais vulneráveis), concordo que deve mesmo haver o máximo de transparência, auditorias e fiscalização, mas o fato é que, além de indícios muito fraquinhos e teorias da conspiração, não há um bom motivo (pelo menos por enquanto) para essa paranóia toda com as urnas eletrônicas.

O que parece é que o raciocínio é: se as urnas podem ser fraudadas, com certeza estão sendo fraudadas!!!!! E se for assim, não existe um sistema que sirva, qualquer um deles pode ser fraudado.






Fracos indícios com três urnas sendo liberadas exatamente no mesmo minuto com uma chave clonada e dezenas de técnicos e engenheiros dizendo que as urnas são uma porcaria enquanto apenas o TSE afirma que são boas?

E sim, se as urnas podem ser fraudadas é porque estão sendo fraudadas.

Nessa merda de país do PT, Collor, Sarney e Malufs o estranho é esperar que não sejam fraudadas quando podem ser.

Pode acreditar.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 13 de Novembro de 2014, 23:02:28
Eu tenho a opinião de que, em se tratando de áreas cujo histórico não é dos melhores (política e justiça), em pequena escala, é quase improvável que não haja fraude.

No entanto, e traçando um paralelo com sistemas financeiros, em pequena escala se desvia até bilhões!

Das inúmeras formas de "viciar" a urna, a mais simples e limpa é inserir uma simples linha de código do tipo:

Código: (php) [Selecionar]
$voto = ($_POST["votopresidente"]);switch($voto){case (45): $contavoto45 = ++$contavoto45;break;case(13): $contavoto13 = ++$contavoto13; $contavoto13++;break;}

Sem entrar em detalhes (um case a mais nos código faz com que a soma acima se limite ao número de eleitores da urna) essa linha computará um voto (o que é o certo) para o 45 e dois para o 13. Com mais um case, não se extrapola o número de eleitores da urna.

Imaginado que a linha normal já exista, inserir o ++ é mais simples ainda. Basta que o programador queira ou seja comprado para isso.

Agora, entre poder e fazer, é óbvio que há uma distância estratosférica! Por isso que acho que em pequena escala seja possível. Fraudes em TREs, aparentemente (dadas as notícias), são mais prováveis do que no TSE.

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 13 de Novembro de 2014, 23:09:10
tem que ser mais sofisticado que isso. Entendi que o programa está hardcoded no chipset. Deve ser C ou ASM mas nem é essa questão, a questão é ter que alterar fisicamente o chip. O que é possível e simples.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 13 de Novembro de 2014, 23:14:12
tem que ser mais sofisticado que isso. Entendi que o programa está hardcoded no chipset. Deve ser C ou ASM mas nem é essa questão, a questão é ter que alterar fisicamente o chip. O que é possível e simples.
:ok:

Ou seja, qualquer análise diz a mesma coisa: é mais do que possível!

Se se faz é outra história.

Agora, engolir a ladainha de inviolável, como declara o TSE, tenha santa paciência  |(

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 13 de Novembro de 2014, 23:39:39
Esse seria mesmo o melhor meio de fraudar, segundo os estudos? :hein:

Imaginava ser muito mais provável adicionar votos falsos ou alterá-los no disquete com algum outro aparelho/unidade "hackeada", ou produzida para esse fim a partir de conhecimento das especificações.


Mas se bobear acontecem coisas até como gente trocando o botão 4 pelo 1 e o 5 pelo 3 e vice-versa. O plástico da tecla mesmo, não a "fiação".
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 14 de Novembro de 2014, 09:48:39
O pior é não entrar no Face pra ver esse tipo de coisa e se deparar com elas aqui.

Tem razão, Juca...

Depois de 2000 escândalos descobertos nos últimos anos sendo que a Petrofraude é a cereja do bolo,  é mesmo um absurdo pensar que existe alguma fraude no nosso honestíssimo sistema eleitoral.

Pois é, um escândalo na Petrobrás prova uma fraude no TSE. Sei.

Petrofraude, Bancoop, mensalão, qualquer contrato público...

A honestidade impera "neste país", então não é questão da Petrofraude ou outra qualquer, a questão é que esse governo é tão imundo que dá nojo em vermes.

Por qual motivo tenho que acreditar cegamente que não existe uma falcatrua nas eleições se há mil e um motivos para acreditar que há?

E o TSE faz parte do governo/PT?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 14 de Novembro de 2014, 09:57:41
E o TSE faz parte do governo/PT?

(http://imguol.com/c/noticias/2013/06/10/dias-toffoli-no-poder-e-politica-1370903919304_956x500.jpg)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 14 de Novembro de 2014, 10:41:22
Hehehehehehehehehehehehehe.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 14 de Novembro de 2014, 11:45:52
E o TSE faz parte do governo/PT?

(http://imguol.com/c/noticias/2013/06/10/dias-toffoli-no-poder-e-politica-1370903919304_956x500.jpg)

E...?

(http://iguatu.net/novo/wordpress/wp-content/uploads/2014/11/12.jpg)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 14 de Novembro de 2014, 11:51:37
Que susto! Achei que ele estava levantando outro dedo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 14 de Novembro de 2014, 12:18:20
E o TSE faz parte do governo/PT?

(http://imguol.com/c/noticias/2013/06/10/dias-toffoli-no-poder-e-politica-1370903919304_956x500.jpg)

KKKK o cara é advogado do PT!!!
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 14 de Novembro de 2014, 12:19:31
A merda da instrumentalização do estado é essa. Quanto mais esse câncer ficar no poder, mais as instituições estarão apodrecendo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 14 de Novembro de 2014, 12:36:45
A merda da instrumentalização do estado é essa. Quanto mais esse câncer ficar no poder, mais as instituições estarão apodrecendo.


A merda da instrumentalização do estado é essa. Quanto mais um câncer ficar no poder, mais as instituições estarão apodrecendo.

Por isso, nestas eleições, tornei-me contra a reeleição. Os resultados pro governo de SP e pra presidência foram igualmente ruins pelo mesmo motivo: instrumentalização.

“Politicians and diapers must be changed often, and for the same reason.”
― Mark Twain

;P
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 14 de Novembro de 2014, 17:37:07
concordo, sou contra a reeleição. Só não cometa o erro de pensar que, por poder chamar o governo de SP e o do Brasil de bandidos, de alguma maneira eles são semelhantes. Não são, e não é só o banditismo do PT que prejudica o pais.

A;ias, eu vou além: Não deveria haver políticos profissionais, que fazem carreira na política. Sem reeleição, tem que ter outro emprego, máximo de 5 anos de trabalho públcio ao país (pu algo nessa linha)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 14 de Novembro de 2014, 18:12:49
O pior é não entrar no Face pra ver esse tipo de coisa e se deparar com elas aqui.

Tem razão, Juca...

Depois de 2000 escândalos descobertos nos últimos anos sendo que a Petrofraude é a cereja do bolo,  é mesmo um absurdo pensar que existe alguma fraude no nosso honestíssimo sistema eleitoral.

Pois é, um escândalo na Petrobrás prova uma fraude no TSE. Sei.

Petrofraude, Bancoop, mensalão, qualquer contrato público...

A honestidade impera "neste país", então não é questão da Petrofraude ou outra qualquer, a questão é que esse governo é tão imundo que dá nojo em vermes.

Por qual motivo tenho que acreditar cegamente que não existe uma falcatrua nas eleições se há mil e um motivos para acreditar que há?

E o TSE faz parte do governo/PT?

Propina é o idioma universal que todos entendem, independente de partido, raça ou religião.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gaúcho em 14 de Novembro de 2014, 18:21:27
concordo, sou contra a reeleição. Só não cometa o erro de pensar que, por poder chamar o governo de SP e o do Brasil de bandidos, de alguma maneira eles são semelhantes. Não são, e não é só o banditismo do PT que prejudica o pais.

A;ias, eu vou além: Não deveria haver políticos profissionais, que fazem carreira na política. Sem reeleição, tem que ter outro emprego, máximo de 5 anos de trabalho públcio ao país (pu algo nessa linha)

Eu li algo nessa linha há algum tempo, e é uma das ideias mais sensacionais de todas. No que eu li, e concordo, o tempo máximo de vida política permitida seria de 8 anos, o  que daria um mandato e uma releição. Claro, seria possível ficar 4 anos no legislativo e 4 no executivo, por exemplo, mas os tempos se somariam, independente do Poder.

Depois disso, você volta a praticar sua profissão anterior e dá o lugar para outros. Político NÃO deve ser profissão.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 14 de Novembro de 2014, 19:10:00
Eu acho que ouvi essa idéia primeiro vindo de alguém do PT, inclusive.


Quais cargos políticos realmente exigem de uma única pessoa em tempo integral, em vez de mais pessoas dividindo a mesma função, se orientando a partir de um programa definido para todos?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 14 de Novembro de 2014, 20:10:01
Eu li algo nessa linha há algum tempo, e é uma das ideias mais sensacionais de todas. No que eu li, e concordo, o tempo máximo de vida política permitida seria de 8 anos, o  que daria um mandato e uma releição. Claro, seria possível ficar 4 anos no legislativo e 4 no executivo, por exemplo, mas os tempos se somariam, independente do Poder.

Depois disso, você volta a praticar sua profissão anterior e dá o lugar para outros. Político NÃO deve ser profissão.
O Partido Novo (http://www.novo.org.br/), em seu estatuto, registra:

Citar
Art. 99. - É vedado ao filiado eleito para cargo no Poder Legislativo que se candidate a
mais de uma reeleição consecutiva.

Será que não foi aí que você leu?  :hihi:

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 14 de Novembro de 2014, 20:26:55
O Partido Novo (http://www.novo.org.br/)

Citar
implementar as ações necessárias para construção de um Estado que privilegie o indivíduo

Não gostei. :nao3:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 14 de Novembro de 2014, 21:01:20
O Partido Novo (http://www.novo.org.br/)

Citar
implementar as ações necessárias para construção de um Estado que privilegie o indivíduo

Não gostei. :nao3:
Não posso inferir muito a partir dessa observação.

Eu entendo que privilegiar o indivíduo privilegia todo mundo, já que todos somos "indivíduos".

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 14 de Novembro de 2014, 21:06:03
Não necessariamente.

Mas estamos off-topic.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 14 de Novembro de 2014, 21:06:29
Esses proto-partidos de viés libertário-objetivista brasileiros me parecem meio que uns PCOs/PSTUs do "mundo bizarro", só "negativando" o discurso, mas mantendo o mesmo tom.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 14 de Novembro de 2014, 21:08:31
Esses proto-partidos de viés libertário-objetivista brasileiros me parecem meio que uns PCOs/PSTUs do "mundo bizarro", só "negativando" o discurso, mas mantendo o mesmo tom.
Você fala isso por conhecer o Novo ou é apenas uma ilação?

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fernando Silva em 15 de Novembro de 2014, 13:25:11

A empresa contratada pelo TSE para fazer a apuração dos votos é venezuelana.

Citar
Este post destina-se a apresentar aos leitores uma série de fatos que estão ligados diretamente ao processo eleitoral brasileiro e se vincula ao fato de que o Tribunal Superior Eleitoral contratou os serviços de uma empresa denominada Smartmatic que opera sistemas de voto eletrônico. Essa empresa foi criada na Venezuela e, segundo as denúncias, teria o aporte financeiro do governo chavista. A Smartmatic realizou os serviços eleitorais do referendo que transformou o finado caudilho Hugo Chávez, no primeiro déspota bolivariano do continente. Naquela ocasião houve uma enxurrada de denúncias de fraude eleitoral cometida por meio do sistema eletrônico concebido pelos engenheiros venezuelanos criadores e proprietários dessa empresa.

http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2014/11/general-venezuelano-revela-como.html

Citar
SMARTMATIC, uma empresa venezuelana que oculta seus donos
(...)
A Smartmatic tem uma história breve, mas controversa. A empresa foi fundada em Caracas, Venezuela, durante o final da década de 1990 pelos engenheiros Antonio Mugica e Alfredo Anzola. Eles trabalharam na periferia de Caracas prestando serviços de tecnologia em pequena escala para bancos da América Latina. Apesar de não ter experiência eleitoral, a pequena empresa disparou da obscuridade em 2004, depois que foi "premiada" com um contrato de US $ 100 milhões pelo Conselho Nacional Eleitoral [da Venezuela], dominado por Hugo Chávez, para substituir todas as urnas eletrônicas da Venezuela para o Referendo Revogatório de 2004 [referendo onde o povo deveria dizer se Chávez deveria sair ou ficar na presidência].

Quando o Conselho Eleitoral anunciou o acordo, ele descreveu a Smartmatic como uma sendo empresa da Flórida-EUA, embora as principais operações da Smartmatic estavam em Caracas e a empresa tinha apenas um pequeno escritório em Boca Raton, na Flórida. Em seguida, surgiu um "sócio" da Smartmatic no negócio, a empresa Bizta Corp., também dirigida pelos venezuelanos Antonio Mugica e Alfredo Anzola [os donos da Smartmatic], com participação acionária do Governo da Venezuela através de uma série de empresas de fachada. A Venezuela negou inicialmente o investimento, mas acabou vendendo sua participação.

Quando a eleição finalmente chegou [Referendo na Venezuela em 2004], pesquisas realizadas por Penn, Schoen & Berland Associates de Nova York mostraram que Chávez havia sido derrotado por 59-41 por cento; no entanto, quando o resultados oficiais foram anunciados, os números se inverteram para 58-42 por cento a favor de Chávez. O Conselho Eleitoral da Venezuela publicou brevemente contagens máquina-a-máquina na Internet, mas retirou-as da rede quando matemáticos do MIT, Harvard e outras universidades americanas começaram a questionar padrões suspeitos nos resultados.

http://www.realclearpolitics.com/articles/2006/03/forget_dubai_worry_about_smart.html
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Moro em 15 de Novembro de 2014, 13:46:37
tá de brincadeira.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 15 de Novembro de 2014, 13:56:09
tá de brincadeira.

Não está não, fui pesquisar no Google e achei isso no próprio site da empresa:

Citar
Comissão eleitoral brasileira utiliza tecnologia Smartmatic para agilizar resultados das eleições presidenciais

http://www.smartmatic.com/pt/

Citar
Londres, 28 de outubro de 2014.- Smartmatic, líder mundial no fornecimento de tecnologia de votação, utilizou sua tecnologia de satélite para agilizar os resultados durante os dois turnos das eleições presidenciais realizadas no Brasil em outubro deste ano.

Citar
Tendo prestados serviços semelhantes para as eleições municipais de 2012, esta é a segunda eleição brasileira consecutiva em que a Smartmatic estava envolvida. "Entrar no mercado brasileiro em 2012 foi uma oportunidade incrível para nós para demonstrar como podemos melhorar a administração eleitoral por meio de nossos serviços de tecnologia originais e inovadores", comentou Mugica. "Estamos muito satisfeitos por ter novamente colaborado com uma das comissões eleitorais mais avançadas do mundo e de ter desempenhado um papel tão fundamental na eleição ..."
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 15 de Novembro de 2014, 13:59:46
Esses proto-partidos de viés libertário-objetivista brasileiros me parecem meio que uns PCOs/PSTUs do "mundo bizarro", só "negativando" o discurso, mas mantendo o mesmo tom.
Você fala isso por conhecer o Novo ou é apenas uma ilação?

Saudações

Apenas a exemplo dessa frase e de um perfil de significativa parte dos "partidários" dessa filosofia. A forma como são convictos de todas as soluções e recitam os slogans-mantras lembra bastante o comportamento dos jovens comunistas mais empolgados, com camisa do Che Guevara e peças de uniforme militar.

Se bobear em lojas de sites de grupos assim deve haver a dupla ironia de venderem camisas de grafismos dos rostos de figuras como Hayek ou Rothbard, no estilo da clássica do Che Guevara.

Ron Paul mesmo tinha um slogan com "revolution".
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 15 de Novembro de 2014, 14:03:21
Esses proto-partidos de viés libertário-objetivista brasileiros me parecem meio que uns PCOs/PSTUs do "mundo bizarro", só "negativando" o discurso, mas mantendo o mesmo tom.
Você fala isso por conhecer o Novo ou é apenas uma ilação?

Saudações

Apenas a exemplo dessa frase e de um perfil de significativa parte dos "partidários" dessa filosofia. A forma como são convictos de todas as soluções e recitam os slogans-mantras lembra bastante o comportamento dos jovens comunistas mais empolgados, com camisa do Che Guevara e peças de uniforme militar.

Se bobear em lojas de sites de grupos assim deve haver a dupla ironia de venderem camisas de grafismos dos rostos de figuras como Hayek ou Rothbard, no estilo da clássica do Che Guevara.

Ron Paul mesmo tinha um slogan com "revolution".

Você considera os ideais do Novo tão ruins quanto os do PCO?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 15 de Novembro de 2014, 14:10:07
Esses proto-partidos de viés libertário-objetivista brasileiros me parecem meio que uns PCOs/PSTUs do "mundo bizarro", só "negativando" o discurso, mas mantendo o mesmo tom.
Você fala isso por conhecer o Novo ou é apenas uma ilação?

Saudações

Apenas a exemplo dessa frase e de um perfil de significativa parte dos "partidários" dessa filosofia. A forma como são convictos de todas as soluções e recitam os slogans-mantras lembra bastante o comportamento dos jovens comunistas mais empolgados, com camisa do Che Guevara e peças de uniforme militar.

Se bobear em lojas de sites de grupos assim deve haver a dupla ironia de venderem camisas de grafismos dos rostos de figuras como Hayek ou Rothbard, no estilo da clássica do Che Guevara.

Ron Paul mesmo tinha um slogan com "revolution".
Olha, esse seu comentário foi completamente sem noção. Além de ser preconceituoso, demonstra que você não acompanha os temas liberais.

Eu já havia escrito sobre isso em outro tópico. O Liberalismo utópico e o prático. Aquilo que sonham os defensores do Liberalismo Clássico e aquilo que esses mesmos defensores sabem que pode ser implementado na prática.

Se você tiver tempo de ler sobre isso (pode ser na própria documentação do Novo) você verá que não existe nada que se baseia em questões "apenas" teóricas, ou mantras como você diz. Ao contrário, são propostas pragmáticas e viáveis.

Mas não vou me alongar para não extrapolar o OFF-TOPIC. Fica só a dica de que você está com a visão errada sobre o tema.

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gaúcho em 16 de Novembro de 2014, 13:04:35
Eu li algo nessa linha há algum tempo, e é uma das ideias mais sensacionais de todas. No que eu li, e concordo, o tempo máximo de vida política permitida seria de 8 anos, o  que daria um mandato e uma releição. Claro, seria possível ficar 4 anos no legislativo e 4 no executivo, por exemplo, mas os tempos se somariam, independente do Poder.

Depois disso, você volta a praticar sua profissão anterior e dá o lugar para outros. Político NÃO deve ser profissão.
O Partido Novo (http://www.novo.org.br/), em seu estatuto, registra:

Citar
Art. 99. - É vedado ao filiado eleito para cargo no Poder Legislativo que se candidate a
mais de uma reeleição consecutiva.

Será que não foi aí que você leu?  :hihi:

Saudações

Acho que não, porque esse artigo abre margem para que políticos continuem se perpetuando na política, só não no mesmo cargo. As pessoas só são "reeleitas" para cargos que já ocupavam, ou seja, se alguém ficou 2 mandatos como vereador, e agora quer concorrer a deputado estadual, ele pode, porque ele seria "eleito" para deputado, e não "reeleito".
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 16 de Novembro de 2014, 18:15:28
Esses proto-partidos de viés libertário-objetivista brasileiros me parecem meio que uns PCOs/PSTUs do "mundo bizarro", só "negativando" o discurso, mas mantendo o mesmo tom.
Você fala isso por conhecer o Novo ou é apenas uma ilação?

Saudações

Apenas a exemplo dessa frase e de um perfil de significativa parte dos "partidários" dessa filosofia. A forma como são convictos de todas as soluções e recitam os slogans-mantras lembra bastante o comportamento dos jovens comunistas mais empolgados, com camisa do Che Guevara e peças de uniforme militar.

Se bobear em lojas de sites de grupos assim deve haver a dupla ironia de venderem camisas de grafismos dos rostos de figuras como Hayek ou Rothbard, no estilo da clássica do Che Guevara.

Ron Paul mesmo tinha um slogan com "revolution".

Você considera os ideais do Novo tão ruins quanto os do PCO?

Não exatamente. Provavelmente, por pior que seja a visão mais extremada de ambos os lados, as coisas seriam incomparavelmente melhores com um "governo dos sonhos" desse PN comparado ao do PCO.

O problema começa antes, acho que esses aspectos de empolgação exagerada acabam servindo de espantalho para as idéias mais liberais. Os slogans poéticos e cheios de ideais acabam sendo só "pregação ao coro". As pessoas que recebem bolsa-família ou que não a vêem como tão ruim simplesmente não vão acreditar que o socialismo só faz uma "distribuição igualitária de miséria", é algo gritantemente contra a realidade que percebem. Só gente como a mocinha que chorava pelos "ricos desamparados" pelo governo que têm boas chances de gostar do discurso/slogans mais comuns desse lado. O que certamente deve servir para arrecadar doações e etc, mas não deve ter boas chances de ir a qualquer lugar politicamente (além de para trás).

Em alguns casos, o efeito da propaganda é ainda limitado às crianças de três a oito anos:

https://www.youtube.com/v/kOD5mcyruB0
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 16 de Novembro de 2014, 18:35:22
As páginas amarelas da Veja dessa semana serão dedicadas ao Partido Novo (http://www.novo.org.br). O Rodrigo Constantino apresenta em seu blog alguns trechos da matéria. Mas o comentário inicial do Rodrigo merece ser reproduzido aqui pelo alinhamento liberal que expressa:

Citação de: Rodrigo Constantino
No Brasil, o cidadão é tratado como súdito em um estado paternalista ao extremo, que pesa cada vez mais em nosso bolso e se intromete cada vez mais em nossas vidas. A “coisa púbica” cedeu lugar ao patrimonialismo que trata os recursos públicos como propriedade particular.

Muitos ainda olham para o estado como salvador da Pátria, em clara contradição ao próprio desprezo que sentem da classe política. É preciso mudar radicalmente esse modelo e essa mentalidade.

O artigo completo pode ser lido AQUI (http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/democracia/novo-na-veja-objetivo-e-devolver-poder-ao-cidadao/).

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 18 de Dezembro de 2014, 19:50:41
https://www.youtube.com/v/w3_0x6oaDmI
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 18 de Maio de 2015, 18:56:19
Postando a notícia aqui para aproveitar o tópico aberto, alguém ouviu algo sobre isso?

http://folhacentrosul.com.br/brasil/7790/procurador-denuncia-fraude-na-contratacao-das-urnas-eletronicas-das-eleicoes-de-2014

Citar
Procurador denuncia fraude na contratação das urnas eletrônicas das eleições de 2014

Citar
Agora o procurador Matheus Faria acaba de ajuizar ação popular contra o emprego da Smartmatic em nossas eleições.
Ao contrário das demais, a ação de Matheus não se foca na fraude ou não nas eleições. Ele defende que estes serviços jamais poderiam ser objeto de licitação, já que o governo brasileiro através da lei nº 4.516, de 1 de dezembro de 1964, criou o Serviço Federal de Processamento de Dados – Serpro (empresa pública)  que tem por fim exatamente prestar serviços de informática de relevante interesse nacional.

http://arquivo-yahoo-noticias.tumblr.com/post/118704585151/peticao-inicial-de-suspensao-de-contratos-mateus

Citar
A contratação foi então ilegal, a seu ver?
Entendemos que estes serviços jamais poderiam ser objeto de licitação, já que o governo brasileiro através da lei nº 4.516, de 1 de dezembro de 1964, criou o serviço federal de processamento de dados – Serpro (empresa pública)  que tem por fim exatamente prestar serviços de informática de relevante interesse nacional (como já faz, por exemplo para a receita federal).
Ademais, mesmo que se admitisse uma licitação para auxílio nas eleições, é bom lembrar que a justiça eleitoral já conta com servidores para tal fim. além disso, os cidadãos são convocados para, compulsoriamente, prestar o serviço eleitoral, no dia das votações.
Mesmo que fosse permitida a terceirização, jamais se poderia delegar a inteligência do sistema eleitoral brasileiro a uma empresa privada ou a um consórcio de empresas.
Pior, a empresa privada e os consórcios fraudaram as habilitações técnicas e econômicas do certame. a modalidade de licitação pregão eletrônico, também não se presta para licitações desta natureza. por fim, a empresa estrangeira,  Smartmatic International Corporation, participou da prestação dos “serviços” sem que  tivesse autorização para atuar no brasil.

Se houve fraude até na licitação dos contratos e a empresa é investigada por fraudes no exterior, que motivo tenho para não acreditar que houve fraude na contagem de votos?

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: FZapp em 12 de Agosto de 2015, 19:29:31
https://www.youtube.com/v/w3_0x6oaDmI

Engraçadinho, mas a enorme maioria das empresas do mundo fazem mais de 90% dos seus pagamentos de forma eletrônica e segura. Dá para fazer sim sistemas seguros e fechados para controlar o voto, existe uma custódia de cada urna, fiscais que revisam os votantes e os totais de votos impressos, é impressa uma listagem que vai junto com cada urna, etc. A falha pode estar no software que pode ser invadido sim, e o interesse é grande, sim, mas para mim isso não justifica que fique tudo manual, onde a gente também tem que confiar em quem conta. Uma máquina sempre vai contar melhor e com mais imparcialidade.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Agosto de 2015, 19:34:20



Engraçadinho, mas a enorme maioria das empresas do mundo fazem mais de 90% dos seus pagamentos de forma eletrônica e segura. Dá para fazer sim sistemas seguros e fechados para controlar o voto, existe uma custódia de cada urna, fiscais que revisam os votantes e os totais de votos impressos, é impressa uma listagem que vai junto com cada urna, etc. A falha pode estar no software que pode ser invadido sim, e o interesse é grande, sim, mas para mim isso não justifica que fique tudo manual, onde a gente também tem que confiar em quem conta. Uma máquina sempre vai contar melhor e com mais imparcialidade.

Ao que parece já aprovaram o retorno do voto impresso, o eleitor vota, a urna imprime, o eleitor confere o voto e deposita na urna.

O Toffoli é contra.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gaúcho em 13 de Agosto de 2015, 16:39:44



Engraçadinho, mas a enorme maioria das empresas do mundo fazem mais de 90% dos seus pagamentos de forma eletrônica e segura. Dá para fazer sim sistemas seguros e fechados para controlar o voto, existe uma custódia de cada urna, fiscais que revisam os votantes e os totais de votos impressos, é impressa uma listagem que vai junto com cada urna, etc. A falha pode estar no software que pode ser invadido sim, e o interesse é grande, sim, mas para mim isso não justifica que fique tudo manual, onde a gente também tem que confiar em quem conta. Uma máquina sempre vai contar melhor e com mais imparcialidade.

Ao que parece já aprovaram o retorno do voto impresso, o eleitor vota, a urna imprime, o eleitor confere o voto, tira uma foto com o celular, para mostrar pro cabra que pagou R$50 reais pelo voto, e deposita na urna.

O Toffoli é contra.

Arrumei pra ti.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 13 de Agosto de 2015, 16:42:34
O processo pra tirar uma foto da tela da urna e da cédula impressa com o celular apresenta as mesmíssimas dificuldades. Imprimir ou não o voto não muda isso.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gaúcho em 13 de Agosto de 2015, 16:45:49
O processo pra tirar uma foto da tela da urna e da cédula impressa com o celular apresenta as mesmíssimas dificuldades. Imprimir ou não o voto não muda isso.

O voto impresso é depois que você já votou. Tirar foto da urna, não garante nada. Você pode tirar a foto, apagar os números e votar em outro candidato.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 13 de Agosto de 2015, 17:14:07
Não existe sistema a prova de imbecis, quem vende voto vai continuar vendendo.

O objetivo é dificultar fraudes na contagem.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gaúcho em 13 de Agosto de 2015, 17:27:35
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabrício em 13 de Agosto de 2015, 17:54:16
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

Concordo.

Aliás acho que a crítica às urnas eletrônicas até agora é bem frágil, parece uma coisa do tipo "tem como fraudar, então obrigatoriamente estão fraudando".
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: João da Ega em 13 de Agosto de 2015, 18:56:29
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

Concordo.

Aliás acho que a crítica às urnas eletrônicas até agora é bem frágil, parece uma coisa do tipo "tem como fraudar, então obrigatoriamente estão fraudando".

Concordo com o Fabrício, mas não com o Gaúcho.

Em eleições majoritárias nacional e estadual, a compra direta ao eleitor é bem menor - nesses casos, compram caciques locais, líderes comunitários e cabos eleitorais.
Mas em eleições municipais, só o que há é compra de voto (tá, sei que minha evidência é anedótica - trabalho na Justiça Eleitoral desde 2005. A mesma impressão tem os colegas de outros municípios com quem converso).
em conversas, posteriores à eleição, com políticos mais caras de pau, eles confessam: quem não paga não ganha voto.
Mas não tem como provar, como afirmou o Gaúcho. É verdade. mas o que ocorre é o seguinte:
Candidatos A, B e C. O eleitor pede (sim, o próprio eleitor na maioria das vezes pede) benefício em troca do voto aos 3.
A e B cedem. o candidato C não compra. O eleitor vai escolher entre A e B.
Os candidatos sabem que não tem garantia de receber o que compraram (o voto); mas sabem que se não comprarem, não serão votados. Trabalhei em 3 municípios e quase sempre os que mais gastam mais são os mais votados.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 13 de Agosto de 2015, 19:26:09
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

O sujeito não leva a cédula para casa, é para simples conferência com os votos eletrônicos registrados na urna.

Tenho 200 votos impressos depositados na urna e 350 eletrônicos registrados na mesma urna, qual é o número de eleitores registrados na seção? São 200? OK, descobrimos uma fraude aqui.

Quem vende voto vai continuar tirando foto com celular.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 13 de Agosto de 2015, 19:29:31
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

Concordo.

Aliás acho que a crítica às urnas eletrônicas até agora é bem frágil, parece uma coisa do tipo "tem como fraudar, então obrigatoriamente estão fraudando".


Bom, depois de doze anos de PT no governo e sabendo o que fizeram na Lava jato, se tem como fraudar é porque fraudaram mesmo.

Ou vc ainda acredita que eles arriscariam esses bilionários esquemas todos que desviaram bilhões mas não fraudariam uma simples eleição?

Eleição é a parte mais fácil de roubar.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabrício em 13 de Agosto de 2015, 20:10:52
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

Concordo.

Aliás acho que a crítica às urnas eletrônicas até agora é bem frágil, parece uma coisa do tipo "tem como fraudar, então obrigatoriamente estão fraudando".


Bom, depois de doze anos de PT no governo e sabendo o que fizeram na Lava jato, se tem como fraudar é porque fraudaram mesmo.

Ou vc ainda acredita que eles arriscariam esses bilionários esquemas todos que desviaram bilhões mas não fraudariam uma simples eleição?

Eleição é a parte mais fácil de roubar.



Arcanjo, da vontade e capacidade do PT (e de outros partidos) de fraudar as eleições eu não duvido nem um minuto. Só acho muito difícil fraudar uma eleição a nível nacional sem que os adversários fiquem sabendo. Então, enquanto não houverem provas conclusivas de que as urnas estão sendo fraudadas, sou favorável às urnas eletrônicas. E claro, com quanto mais fiscalização sobre todo o processo eleitoral, melhor.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 13 de Agosto de 2015, 20:15:17
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

Concordo.

Aliás acho que a crítica às urnas eletrônicas até agora é bem frágil, parece uma coisa do tipo "tem como fraudar, então obrigatoriamente estão fraudando".


Bom, depois de doze anos de PT no governo e sabendo o que fizeram na Lava jato, se tem como fraudar é porque fraudaram mesmo.

Ou vc ainda acredita que eles arriscariam esses bilionários esquemas todos que desviaram bilhões mas não fraudariam uma simples eleição?

Eleição é a parte mais fácil de roubar.



Arcanjo, da vontade e capacidade do PT (e de outros partidos) de fraudar as eleições eu não duvido nem um minuto. Só acho muito difícil fraudar uma eleição a nível nacional sem que os adversários fiquem sabendo. Então, enquanto não houverem provas conclusivas de que as urnas estão sendo fraudadas, sou favorável às urnas eletrônicas. E claro, com quanto mais fiscalização sobre todo o processo eleitoral, melhor.

Sem que os adversários fiquem sabendo.

Colega, fraudaram bilhões em dezenas de esquemas denunciados na Lava Jato e os "adversários" não souberam e não quiseram saber justamente porque participaram de tudo.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cumpadi em 13 de Agosto de 2015, 20:27:26
Engraçadinho, mas a enorme maioria das empresas do mundo fazem mais de 90% dos seus pagamentos de forma eletrônica e segura.
Você está comparando um sistema onde há todo um incentivo de poder por trás. Não há dúvidas que sistema de voto pode em teoria ser "seguro", mas também não há dúvidas que na política você encontra um número elevadíssimo de picaretas e das piores pessoas da sociedade e que eles tem o comando disso.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabrício em 13 de Agosto de 2015, 21:39:20
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

Concordo.

Aliás acho que a crítica às urnas eletrônicas até agora é bem frágil, parece uma coisa do tipo "tem como fraudar, então obrigatoriamente estão fraudando".


Bom, depois de doze anos de PT no governo e sabendo o que fizeram na Lava jato, se tem como fraudar é porque fraudaram mesmo.

Ou vc ainda acredita que eles arriscariam esses bilionários esquemas todos que desviaram bilhões mas não fraudariam uma simples eleição?

Eleição é a parte mais fácil de roubar.



Arcanjo, da vontade e capacidade do PT (e de outros partidos) de fraudar as eleições eu não duvido nem um minuto. Só acho muito difícil fraudar uma eleição a nível nacional sem que os adversários fiquem sabendo. Então, enquanto não houverem provas conclusivas de que as urnas estão sendo fraudadas, sou favorável às urnas eletrônicas. E claro, com quanto mais fiscalização sobre todo o processo eleitoral, melhor.

Sem que os adversários fiquem sabendo.

Colega, fraudaram bilhões em dezenas de esquemas denunciados na Lava Jato e os "adversários" não souberam e não quiseram saber justamente porque participaram de tudo.



Só que todos estão sabendo agora, não estão? Cadê as provas das fraudes eleitorais tão bem documentadas quanto na Lava Jato?

Além do mais, você mesmo disse, os adversários não souberam ou quiseram saber porque interessava a eles. Bem diferente de eleição, que é uma disputa direta pelo poder, os "fraudados" jamais deixariam passar sem botar a boca no trombone.

Se tem alguma coisa que podemos confiar nos políticos é a sua sede de poder, isso é a maior "garantia" de que as eleições não foram fraudadas (ainda).
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gaúcho em 14 de Agosto de 2015, 01:40:23
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

O sujeito não leva a cédula para casa, é para simples conferência com os votos eletrônicos registrados na urna.

Tenho 200 votos impressos depositados na urna e 350 eletrônicos registrados na mesma urna, qual é o número de eleitores registrados na seção? São 200? OK, descobrimos uma fraude aqui.

Quem vende voto vai continuar tirando foto com celular.

Já expliquei acima a diferença entre tirar foto da urna e tirar foto de um comprovante pós-voto. Pensem em outra 'solução'.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 14 de Agosto de 2015, 09:50:05
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

O sujeito não leva a cédula para casa, é para simples conferência com os votos eletrônicos registrados na urna.

Tenho 200 votos impressos depositados na urna e 350 eletrônicos registrados na mesma urna, qual é o número de eleitores registrados na seção? São 200? OK, descobrimos uma fraude aqui.

Quem vende voto vai continuar tirando foto com celular.

Já expliquei acima a diferença entre tirar foto da urna e tirar foto de um comprovante pós-voto. Pensem em outra 'solução'.

Claro que tem como provar, com um toque no mesmo celular que fotografaria inutilmente a urna, é possível filmar o processo de confirmação do voto e aí sim ter validade.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 14 de Agosto de 2015, 12:40:12
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

O sujeito não leva a cédula para casa, é para simples conferência com os votos eletrônicos registrados na urna.

Tenho 200 votos impressos depositados na urna e 350 eletrônicos registrados na mesma urna, qual é o número de eleitores registrados na seção? São 200? OK, descobrimos uma fraude aqui.

Quem vende voto vai continuar tirando foto com celular.

Já expliquei acima a diferença entre tirar foto da urna e tirar foto de um comprovante pós-voto. Pensem em outra 'solução'.

E já comentamos que o objetivo não é evitar que idiota venda voto por sanduba de mortadela, é para evitar que fraudem os resultados na apuração.

Se o cara vendeu voto e elegeu outro, ou se vendeu e cumpriu o prometido é outro caso.

Antigamente, antes dos celulares e das fotos tb vendiam votos, o cara pegava um pé de sapato dado pelo candidato e se ele se elegesse o imbecil pegava o outro pé depois da eleição.

Ou não, se o candidato não quisesse.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Brienne of Tarth em 14 de Agosto de 2015, 12:58:55
Mas...

Art. 88. Na cabina de votação é vedado ao eleitor portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiocomunicação, ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto, devendo ficar retidos na Mesa Receptora enquanto o eleitor estiver votando (Lei nº 9.504/97, artigo 91-A, parágrafo único). Fonte (https://http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2014/normas-e-documentacoes/resolucao-no-23.399/)

Grifo meu. Como assim comprometer o sigilo? Confesso que li estarrecida essa Resolução, muita futilidade legalizada e descaso real com a segurança do meu voto... E se cada um tirasse uma foto da tela ao confirmar o voto e houvesse uma acareação com o resultado final? É disso que eles tem medo?

Já questionei aqui como as duas menos populosas regiões do Brasil podem ter decidido uma eleição, se os bolsa whatever realmente compraram votos, o Centro-Oeste e o Sudeste deveriam ter eleito Dilmãe de lavada...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 14 de Agosto de 2015, 13:07:34
Ah, tomara que façam uma lei proibindo ser criminoso, então! Aí acaba o crime.  :lol:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Sergiomgbr em 14 de Agosto de 2015, 13:17:50
A única segurança possível nas urnas, é quando o povo parar de querer mais direitos do que deveres.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 14 de Agosto de 2015, 13:30:48
A única segurança possível nas urnas, é quando o povo parar de querer mais direitos do que deveres.


Entendi.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Skorpios em 14 de Agosto de 2015, 16:19:54
Ah, tomara que façam uma lei proibindo ser criminoso, então! Aí acaba o crime.  :lol:

É isso mesmo. Excelente matéria  (http://professorlfg.jusbrasil.com.br/artigos/217049312/por-que-o-brasil-mata-no-transito-4-vezes-mais-que-a-uniao-europeia?utm_campaign=newsletter-daily_20150806_1655&utm_medium=email&utm_source=newsletter)a respeito do Prof.Luiz Flavio Gomes que já postei aqui num tópico sobre trânsito, já que dizia respeito a mortes no mesmo.
Mas a mentalidade do brasileiro é essa mesmo. Faz-se uma lei a respeito e está resolvido.
Abaixo um trecho do artigo, aue importa aqui:
Citar
Nós acreditamos na eficácia da lei. Não há meio de o brasileiro escapar da armadilha histórica (ibero-americana) que o conduz a acreditar na força das leis e dos regulamentos. A lei é publicada no diário oficial e nós já achamos que isso seja a solução (daí nosso enorme desleixo ou pouco caso com todos os 5 vetores que solucionam de verdade o problema: educação – conscientização -, engenharia, fiscalização, primeiros socorros e punição – certeza do castigo). “Escapa-nos esta verdade de que não são as leis escritas, fabricadas pelos jurisconsultos, as mais legítimas garantias de felicidade para os povos e de estabilidade para as nações” (S. B. De Holanda, Raízes do Brasil, p. 178). Achamos que os bons regulamentos e os preceitos abstratos representam, por si sós, a floração ideal de uma apurada educação política, da alfabetização, da aquisição de hábitos civilizados [sobretudo quando somos motoristas] e de outras condições igualmente excelentes (Raízes do Brasil, p. 178).

Não nos aprimoramos no desenvolvimento da capacidade de disciplina espontânea. O cumprimento de deveres (especialmente dos relacionados com o ato de dirigir) não brota (em regra) do nosso interior (da nossa subjetividade). Ao contrário, como somos personalistas (alguns ainda aristocráticos), temos enorme dificuldade de obedecer às leis gerais e impessoais (válidas para todos) (veja Roberto DaMatta). Odiamos (em geral) o princípio da igualdade de todos perante a lei. Sempre procuramos nos diferenciar.

Um país com média educacional de 7,2 anos de escolaridade (igual a Zimbábue), “acredita sinceramente que da sabedoria e, sobretudo, da coerência das leis depende diretamente a perfeição dos povos e dos governos” (autor citado, p. 179). Firme nessa crença, o legislador brasileiro já reformou nossas leis penais 158 vezes de 1940 até julho de 2015. Nenhum crime, a médio prazo, diminuiu. Nós continuamos acreditando, no entanto, no efeito mágico da edição das leis. Não lutamos pela certeza do castigo (muito menos pela educação de qualidade para todos), sim, pela publicação de mais leis. O tempo todo só falamos em mais leis penais e sempre queremos que a última seja mais dura que as anteriores. Somos um paraíso para os políticos e os demagogos. Ocorre que, no trânsito, quem pega o caminho errado entra (frequentemente) na contramão e é capaz de matar 45 mil pessoas por ano: isso é o Brasil (que já evoluiu bastante, mas ainda continua com crenças e hábitos arcaicos e neofeudais arraigados).
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: FZapp em 16 de Agosto de 2015, 15:51:06
Engraçadinho, mas a enorme maioria das empresas do mundo fazem mais de 90% dos seus pagamentos de forma eletrônica e segura.
Você está comparando um sistema onde há todo um incentivo de poder por trás. Não há dúvidas que sistema de voto pode em teoria ser "seguro", mas também não há dúvidas que na política você encontra um número elevadíssimo de picaretas e das piores pessoas da sociedade e que eles tem o comando disso.

A maioria dos golpes acontece no sistema financeiro, então a sua comparação não é valida.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Cientista em 17 de Agosto de 2015, 03:19:22
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

O sujeito não leva a cédula para casa, é para simples conferência com os votos eletrônicos registrados na urna.

Tenho 200 votos impressos depositados na urna e 350 eletrônicos registrados na mesma urna, qual é o número de eleitores registrados na seção? São 200? OK, descobrimos uma fraude aqui.

Quem vende voto vai continuar tirando foto com celular.

Já expliquei acima a diferença entre tirar foto da urna e tirar foto de um comprovante pós-voto. Pensem em outra 'solução'.

Claro que tem como provar, com um toque no mesmo celular que fotografaria inutilmente a urna, é possível filmar o processo de confirmação do voto e aí sim ter validade.
Ah, obrigado, cara!!! O FEDERUNIVERSAL aqui já estava colapsando vendo tão tamanho absurdo! É impressionante como a obviedade é embarreirada por bloqueios 'sei-lá-quais' que sabe-se muito bem o que são afetam as mais 'face-esfregantes' coisas...







Mas...

Art. 88. Na cabina de votação é vedado ao eleitor portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiocomunicação, ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto, devendo ficar retidos na Mesa Receptora enquanto o eleitor estiver votando (Lei nº 9.504/97, artigo 91-A, parágrafo único). Fonte (https://http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2014/normas-e-documentacoes/resolucao-no-23.399/)

Grifo meu. Como assim comprometer o sigilo? Confesso que li estarrecida essa Resolução, muita futilidade legalizada e descaso real com a segurança do meu voto... E se cada um tirasse uma foto da tela ao confirmar o voto e houvesse uma acareação com o resultado final? É disso que eles tem medo?

Já questionei aqui como as duas menos populosas regiões do Brasil podem ter decidido uma eleição, se os bolsa whatever realmente compraram votos, o Centro-Oeste e o Sudeste deveriam ter eleito Dilmãe de lavada...
Não sei se entendi direito... Estás se declarando contrária ao sigilo do voto?! Se sim, tamos aí!!! Estarrecedor que isso seja cláusula pétrea daquela bíblia para crentes de direito errado.








A única segurança possível nas urnas, é quando o povo parar de querer mais direitos do que deveres.


Entendi.
Aposto que não...
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 17 de Agosto de 2015, 08:30:03
Hoje ninguém vende voto, não tem como. Simplesmente não tem como provar que você votou em quem foi pago pra votar. Se começar a imprimir o voto, é a oficialização do retorno do voto de cabresto. Simples assim.

Que encontrem outra forma de dificultar fraudes. É impossível que imprimir o voto seja a única solução encontrada, por favor.

O sujeito não leva a cédula para casa, é para simples conferência com os votos eletrônicos registrados na urna.

Tenho 200 votos impressos depositados na urna e 350 eletrônicos registrados na mesma urna, qual é o número de eleitores registrados na seção? São 200? OK, descobrimos uma fraude aqui.

Quem vende voto vai continuar tirando foto com celular.

Já expliquei acima a diferença entre tirar foto da urna e tirar foto de um comprovante pós-voto. Pensem em outra 'solução'.

Claro que tem como provar, com um toque no mesmo celular que fotografaria inutilmente a urna, é possível filmar o processo de confirmação do voto e aí sim ter validade.
Ah, obrigado, cara!!! O FEDERUNIVERSAL aqui já estava colapsando vendo tão tamanho absurdo! É impressionante como a obviedade é embarreirada por bloqueios 'sei-lá-quais' que sabe-se muito bem o que são afetam as mais 'face-esfregantes' coisas...


Não há de quê. Tô aqui é pra isso mesmo.


A única segurança possível nas urnas, é quando o povo parar de querer mais direitos do que deveres.


Entendi.
Aposto que não...

Adivinhão!


 :lol:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Skorpios em 20 de Novembro de 2015, 07:26:44
A respeito do recibo da urna.

Citar
Congresso derruba veto à impressão de voto pela urna eletrônica  (http://lucasbz.jusbrasil.com.br/noticias/257866633/congresso-derruba-veto-a-impressao-de-voto-pela-urna-eletronica?utm_campaign=newsletter-daily_20151119_2314&utm_medium=email&utm_source=newsletter)

O Congresso Nacional decidiu, na noite desta quarta-feira (18), derrubar o veto da presidente Dilma Rousseff ao trecho da reforma política que previa a impressão, pela urna eletrônica, do registro do voto do eleitor.

Segundo o projeto, esse comprovante seria depositado em um local lacrado após a confirmação pelo eleitor de que a impressão estava correta. Ao justificar o veto, Dilma argumentou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manifestou-se contrariamente à sanção do item porque isso geria "altos custos", com impacto de R$ 1,8 bilhão.

Primeiro, a Câmara apreciou o veto. Foram 368 votos pela derrubada, 50 pela manutenção e uma abstenção. Eram necessários ao menos 257 votos contrários ao veto. No Senado, também foi alcançado o mínimo necessário de 41 votos pela derrubada. Ao todo, foram 56 votos pela derrubada e 5 pela manutenção. Para a derrubar de um veto, é necessário que as duas casas tomem a decisão nesse sentido.

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), criticou a emissão de recibo nas urnas e destacou que isso vai gerar despesas. “Esse projeto é inconstitucional, aliado ao custo adicional que isso vai promover”, afirmou.

Já o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) defendeu a derrubada do veto. Para ele, a impressão de comprovante nas urnas vai dar “transparência” ao processo eleitoral. “É um instrumento que vai melhorar o sistema político e dar mais transparência às eleições”, declarou.

Na mesma linha, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu a emissão de recibo, para que o resultado eleitoral possa ser conferido, se houver auditoria determinada pela Justiça Eleitoral.

“Considero a urna eletrônica um passo muito importante. O que se busca aqui é um aprimoramento a mais. Hoje, pesquisas mostram que oito em cada 10 eleitores acham positivo que numa eventualidade, determinada por juiz eleitoral, possa haver a conferência dos votos”, afirmou.

Doação empresarial

Mais cedo, o Congresso decidiu manter o veto da presidente Dilma Rousseff a trecho da reforma política que permitia a doação de empresas a partidos políticos. O veto de Dilma atendeu a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), do dia 17 de setembro, de declarar inconstitucional o financiamento empresarial de campanha.

A doação de pessoas físicas continua permitida, num limite de até 10% de seu rendimento no ano anterior à eleição. O artigo do projeto de reforma política que trata de doação de empresas e que teve o veto mantido diz o seguinte: "Doações e contribuições de pessoas jurídicas para campanhas eleitorais poderão ser feitas para os partidos políticos a partir do registro dos comitês financeiros dos partidos ou coligações".

Ao justificar o veto, a presidente Dilma Rousseff se baseou na decisão Supremo. "A possibilidade de doações e contribuições por pessoas jurídicas a partidos políticos e campanhas eleitorais, que seriam regulamentadas por esses dispositivos, confrontaria a igualdade política e os princípios republicano e democrático, como decidiu o Supremo Tribunal Federal - STF", diz a justificativa.

Outros vetos

Nesta quarta, os deputados também mantiveram outros dois vetos da presidente Dilma Rousseff e derrubaram outro. Um dos vetos mantidos excluiu a extensão da política de reajuste real do salário mínimo para todos os aposentados e pensionistas. A regra de aumento do mínimo consiste na variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores, mais a inflação.

O governo batalhava para manter o veto com o argumento de que a extensão das correções para aposentadorias geraria um gasto adicional de R$ 300 milhões em 2016. Nos próximos quatro anos, a despesa somaria R$ 11 bilhões, de acordo com dados do Ministério do Planejamento.

Outro veto preservado impede a aplicação de alíquota diferenciada sobre a folha de pagamento do setor de vestuário. O projeto aprovado pelos deputados previa alíquota de 1,5% sobre o faturamento. Com o veto, a alíquota passa a ser de 2,5%. Os deputados mantiveram esse veto, por entender que reduziria a arrecadação do governo.

Na noite de terça (17), os parlamentares mantiveram o veto de Dilma ao reajuste de servidores do Judiciário, um dos temas que mais preocupavam o governo. O custo da correção salarial seria de R$ 5,3 bilhões no ano que vem, de acordo com cálculo do Ministério do Planejamento. Em quatro anos, até 2019, o custo total seria de R$ 36,2 bilhões.

O único veto derrubado é o que extinguia o prazo de 15 dias para que os bancos repassem 70% dos valores de depósitos judiciais aos estados, municípios e ao Distrito Federal. Esse prazo de 15 dias constava da proposta inicial aprovada pelo Legislativo, mas acabou vetado pelo governo sob o argumento de que a nova lei não previa um período para que as instituições financeiras desenvolvessem a tecnologia necessária para implementar as regras, “o que levaria a severa dificuldade de sua concretização”.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 20 de Novembro de 2015, 09:34:48
Nossa, como a Dilma se preocupa com gastos! Realmente, 1.8 bilhão é uma despesa grande (dá bilhão?). Espero ansiosamente que ela e seu partido abram mão dos quase 1 bi do fundo partidário.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabrício em 20 de Novembro de 2015, 09:37:56
Não partilho das teorias da conspiração a respeito das urnas eletrônicas, mas é óbvio que algum tipo de auditoria e fiscalização é necessário.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 20 de Novembro de 2015, 11:24:38
Aplicando o princípio usado por Arcanjo Lúcifer ("se o PT defende algo, alguma coisa errada há nele"), que tem se mostrado acertado na maioria dos casos vistos até agora, eu diria que o fato do PT ser contra a impressão do voto, que inegavelmente dará mais transparência ao processo, com uma desculpa esfarrapada (gastos) e nonsense (inconstitucional) certamente diz algo.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 20 de Novembro de 2015, 11:47:52
Eu não entendo como alguém pode honestamente ser contra isso. Só com uma fé cega no estado mesmo. Ao menos quando este está majoritariamente composto de membros do  partido ao qual se é fiel -- talvez se fosse algum rival, a coisa fosse diferente.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 20 de Novembro de 2015, 12:09:29
Aplicando o princípio usado por Arcanjo Lúcifer ("se o PT defende algo, alguma coisa errada há nele"), que tem se mostrado acertado na maioria dos casos vistos até agora, eu diria que o fato do PT ser contra a impressão do voto, que inegavelmente dará mais transparência ao processo, com uma desculpa esfarrapada (gastos) e nonsense (inconstitucional) certamente diz algo.



Reparou que os petistras são os maiores adversários do voto impresso? Qual é o problema real do eleitor conferir o voto antes de depositar na urna?

Citar
Segundo o projeto, esse comprovante seria depositado em um local lacrado após a confirmação pelo eleitor de que a impressão estava correta. Ao justificar o veto, Dilma argumentou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manifestou-se contrariamente à sanção do item porque isso geria "altos custos", com impacto de R$ 1,8 bilhão.

1-Sabem que existe uma fraude e querem impedir a possibilidade de uma recontagem onde seja descoberta.

2-SE existir mesmo algum vírus nas urnas, um vírus que altere a contagem dos votos, talvez isso fique claro nas próximas eleições SE ele ainda estiver no sistema, quando as urnas darão problemas.

Citar
Segundo o projeto, esse comprovante seria depositado em um local lacrado após a confirmação pelo eleitor de que a impressão estava correta. Ao justificar o veto, Dilma argumentou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manifestou-se contrariamente à sanção do item porque isso geria "altos custos", com impacto de R$ 1,8 bilhão.

O mesmo TSE que nas eleições passadas afirmava que as urnas eram seguras e ponto final....

Não dá para desconfiar de algo nisso?





Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 20 de Novembro de 2015, 12:15:44
Nossa, como a Dilma se preocupa com gastos! Realmente, 1.8 bilhão é uma despesa grande (dá bilhão?). Espero ansiosamente que ela e seu partido abram mão dos quase 1 bi do fundo partidário.


Só o que roubaram de Pasadena já supera o valor das impressoras, pode acreditar que eles não querem votos impressos por conveniência própria.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 21 de Novembro de 2015, 15:56:59
Nossa, como a Dilma se preocupa com gastos! Realmente, 1.8 bilhão é uma despesa grande (dá bilhão?). Espero ansiosamente que ela e seu partido abram mão dos quase 1 bi do fundo partidário.


Só o que roubaram de Pasadena já supera o valor das impressoras, pode acreditar que eles não querem votos impressos por conveniência própria.


Pois é. Ser contra o voto impresso é ter muita cara de pau, fica cada vez mais claro que estão escondendo algo. Eles não fazem nenhum esforço para parecerem honestos.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 21 de Novembro de 2015, 16:09:52
Nossa, como a Dilma se preocupa com gastos! Realmente, 1.8 bilhão é uma despesa grande (dá bilhão?). Espero ansiosamente que ela e seu partido abram mão dos quase 1 bi do fundo partidário.


Só o que roubaram de Pasadena já supera o valor das impressoras, pode acreditar que eles não querem votos impressos por conveniência própria.


Pois é. Ser contra o voto impresso é ter muita cara de pau, fica cada vez mais claro que estão escondendo algo. Eles não fazem nenhum esforço para parecerem honestos.


(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xal1/v/t1.0-9/12107740_328031287321021_2522064692546225162_n.png?oh=76b0e8b68c30f19f7f90170ff453fff8&oe=56E21B50&__gda__=1459083015_b20d9e9f0345470739c782618244dc23)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 21 de Novembro de 2015, 17:24:11
O problema é que votos impressos ainda não são uma salvação garantida.

Pode-se perfeitamente usar-se urnas-impressoras, que talvez nem precisariam ser adulteradas, para criar tanto versões digitais quanto físicas de votos fraudulentos.

Se a coisa não é independentemente fiscalizada em vários pontos estratégicos, acho que o voto impresso não é uma segurança adicional tão significativa.


Mas sem dúvida cria alguma dificuldade logística adicional. Tempo de impressão, e etc. Mas deve ser também necessário algo como uma espécie de autenticação criptográfica de votos impressos, ou algo assim.



Quais são os sistemas considerados mais seguros pelo mundo?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 21 de Novembro de 2015, 18:15:31
Quais são os sistemas considerados mais seguros pelo mundo?

Voto facultativo?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 21 de Novembro de 2015, 18:51:46
O voto impresso permite que o próprio eleitor veja o seu voto e saiba que está realmente indo para o candidato que ele deseja (ao invés de um candidato aparecer na tela e o voto ser computado para outro). Não é necessário muita sofisticação.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabrício em 21 de Novembro de 2015, 19:03:11
O voto impresso permite que o próprio eleitor veja o seu voto e saiba que está realmente indo para o candidato que ele deseja (ao invés de um candidato aparecer na tela e o voto ser computado para outro). Não é necessário muita sofisticação.


Se bem que em caso de fraude bastaria o fraudador computar o voto para o candidato corrupto mas programar a impressora para imprimir o candidato votado. Se é possível o voto ser computado para um candidato que não se deseja, provavelmente (sou totalmente leigo em informática) não deve ser difícil ludibriar a impressora também.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 21 de Novembro de 2015, 19:05:52
O voto impresso permite que o próprio eleitor veja o seu voto e saiba que está realmente indo para o candidato que ele deseja (ao invés de um candidato aparecer na tela e o voto ser computado para outro). Não é necessário muita sofisticação.


Se bem que em caso de fraude bastaria o fraudador computar o voto para o candidato corrupto mas programar a impressora para imprimir o candidato votado. Se é possível o voto ser computado para um candidato que não se deseja, provavelmente (sou totalmente leigo em informática) não deve ser difícil ludibriar a impressora também.

Mas aí haveria os votos impressos para recontagem e conferência.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabrício em 21 de Novembro de 2015, 19:11:17
O voto impresso permite que o próprio eleitor veja o seu voto e saiba que está realmente indo para o candidato que ele deseja (ao invés de um candidato aparecer na tela e o voto ser computado para outro). Não é necessário muita sofisticação.


Se bem que em caso de fraude bastaria o fraudador computar o voto para o candidato corrupto mas programar a impressora para imprimir o candidato votado. Se é possível o voto ser computado para um candidato que não se deseja, provavelmente (sou totalmente leigo em informática) não deve ser difícil ludibriar a impressora também.

Mas aí haveria os votos impressos para recontagem e conferência.



Verdade.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: SnowRaptor em 21 de Novembro de 2015, 19:35:49
E quais os critérios para fazer recontagem e conferência? Recurso de algum partido?

Será que pode acontecer um caso do "dilema do prisioneiro"? Um partido sabe que houve fraude numa urna mas não entra com recurso porque ele mesmo fraudou outra?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 21 de Novembro de 2015, 21:00:49
O voto impresso permite que o próprio eleitor veja o seu voto e saiba que está realmente indo para o candidato que ele deseja (ao invés de um candidato aparecer na tela e o voto ser computado para outro). Não é necessário muita sofisticação.


Se bem que em caso de fraude bastaria o fraudador computar o voto para o candidato corrupto mas programar a impressora para imprimir o candidato votado. Se é possível o voto ser computado para um candidato que não se deseja, provavelmente (sou totalmente leigo em informática) não deve ser difícil ludibriar a impressora também.

Mas aí haveria os votos impressos para recontagem e conferência.



O problema que eu penso que possa ocorrer é que "simplesmente" se acresça votos fraudulentos, de ambos os tipos. Tanto os "digitais", quanto seus respectivos impressos. Não precisa nem haver adulteração na máquina, só a votação ser fraudulenta, e nada pode ser detectado meramente contando os votos.

Só precisaria dar um jeito de fazer na surdina a operação sem que seja ligada a títulos de eleitor válidos, como de eleitores mortos, ou talvez até possa se gerar títulos falsos. Ou ainda, "resetar" os resultados e recriar os votos desejados, tanto digitais, quanto impressos, mas "associados" aos/"autorizados" por títulos de eleitor válidos. (Sem alguma coisa mais sofisticada relacionada a autenticidade de votos impressos, esse estágio talvez pudesse antecipado, o que facilita a operação).

O maior problema que acresce é ter que esperar a impressão e depois deslocar o papel para lá e para cá, bem como destruir os votos impressos verdadeiros, se for usada essa alternativa em vez de apenas votos extras.

Essa teria a vantagem de se esquivar de uma verificação de número de votos vs "número de eleitores que votaram", mas essa verificação provavelmente nem existe. Talvez ajudasse.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 21 de Novembro de 2015, 22:26:47
Quais países do mundo usam voto 100% virtual?

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 22 de Novembro de 2015, 01:10:27
Quais países do mundo usam voto 100% virtual?

Brasil, Terra do Nunca e Wonderland.

Venezuela?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 22 de Novembro de 2015, 06:19:34
O voto impresso permite que o próprio eleitor veja o seu voto e saiba que está realmente indo para o candidato que ele deseja (ao invés de um candidato aparecer na tela e o voto ser computado para outro). Não é necessário muita sofisticação.


Se bem que em caso de fraude bastaria o fraudador computar o voto para o candidato corrupto mas programar a impressora para imprimir o candidato votado. Se é possível o voto ser computado para um candidato que não se deseja, provavelmente (sou totalmente leigo em informática) não deve ser difícil ludibriar a impressora também.

Mas aí haveria os votos impressos para recontagem e conferência.



O problema que eu penso que possa ocorrer é que "simplesmente" se acresça votos fraudulentos, de ambos os tipos. Tanto os "digitais", quanto seus respectivos impressos. Não precisa nem haver adulteração na máquina, só a votação ser fraudulenta, e nada pode ser detectado meramente contando os votos.

Só precisaria dar um jeito de fazer na surdina a operação sem que seja ligada a títulos de eleitor válidos, como de eleitores mortos, ou talvez até possa se gerar títulos falsos. Ou ainda, "resetar" os resultados e recriar os votos desejados, tanto digitais, quanto impressos, mas "associados" aos/"autorizados" por títulos de eleitor válidos. (Sem alguma coisa mais sofisticada relacionada a autenticidade de votos impressos, esse estágio talvez pudesse antecipado, o que facilita a operação).

O maior problema que acresce é ter que esperar a impressão e depois deslocar o papel para lá e para cá, bem como destruir os votos impressos verdadeiros, se for usada essa alternativa em vez de apenas votos extras.

Essa teria a vantagem de se esquivar de uma verificação de número de votos vs "número de eleitores que votaram", mas essa verificação provavelmente nem existe. Talvez ajudasse.

Ainda seria muito mais difícil conseguir fraudar a eleição com votos impressos que simplesmente "contando" votos virtuais aos quais mais ninguém tem acesso depois da votação.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 23 de Novembro de 2015, 21:47:14
(https://fbcdn-photos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlf1/v/t1.0-0/p235x350/12246707_328581827265967_1444931150262809396_n.png?oh=ac73575222fd33bfb570d74f202eae39&oe=56AD56E7&__gda__=1458990688_837a8a9eafa8d799122097572c3e7050)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 23 de Novembro de 2015, 22:02:51
Cum hoc ergo propter hoc.





O voto impresso permite que o próprio eleitor veja o seu voto e saiba que está realmente indo para o candidato que ele deseja (ao invés de um candidato aparecer na tela e o voto ser computado para outro). Não é necessário muita sofisticação.


Se bem que em caso de fraude bastaria o fraudador computar o voto para o candidato corrupto mas programar a impressora para imprimir o candidato votado. Se é possível o voto ser computado para um candidato que não se deseja, provavelmente (sou totalmente leigo em informática) não deve ser difícil ludibriar a impressora também.

Mas aí haveria os votos impressos para recontagem e conferência.



O problema que eu penso que possa ocorrer é que "simplesmente" se acresça votos fraudulentos, de ambos os tipos. Tanto os "digitais", quanto seus respectivos impressos. Não precisa nem haver adulteração na máquina, só a votação ser fraudulenta, e nada pode ser detectado meramente contando os votos.

Só precisaria dar um jeito de fazer na surdina a operação sem que seja ligada a títulos de eleitor válidos, como de eleitores mortos, ou talvez até possa se gerar títulos falsos. Ou ainda, "resetar" os resultados e recriar os votos desejados, tanto digitais, quanto impressos, mas "associados" aos/"autorizados" por títulos de eleitor válidos. (Sem alguma coisa mais sofisticada relacionada a autenticidade de votos impressos, esse estágio talvez pudesse antecipado, o que facilita a operação).

O maior problema que acresce é ter que esperar a impressão e depois deslocar o papel para lá e para cá, bem como destruir os votos impressos verdadeiros, se for usada essa alternativa em vez de apenas votos extras.

Essa teria a vantagem de se esquivar de uma verificação de número de votos vs "número de eleitores que votaram", mas essa verificação provavelmente nem existe. Talvez ajudasse.

Ainda seria muito mais difícil conseguir fraudar a eleição com votos impressos que simplesmente "contando" votos virtuais aos quais mais ninguém tem acesso depois da votação.



Não tanto, se a fraude é na produção de votos, não na contagem, então a recontagem de votos impressos seria só recontagem de um "becape" da fraude.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 24 de Novembro de 2015, 07:51:27
Vamos pôr as coisas de forma simples:


1 - Sistema 100% virtual: é possível alterar as urnas eletrônica ANTES do eleitor votar, de modo que ele nunca saiba pra quem realmente seu voto foi e não tenha como conferir, e nem a justiça fazer recontagem para "recuperar" os votos corretos.

2- Sistema com impressão: seria necessário alguma forma de trocar as urnas após o eleitor ter votado, dando fim na verdadeira e colocando outra com impressos falsos no lugar*. A janela de tempo e privacidade disponíveis para fazer isso seria bem menor do que no sistema 100% virtual.


Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 24 de Novembro de 2015, 07:52:57

Não tanto, se a fraude é na produção de votos, não na contagem, então a recontagem de votos impressos seria só recontagem de um "becape" da fraude.

Você quer dizer que o eleitor já receberia impresso o voto alterado e não perceberia nada?

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Pasteur em 24 de Novembro de 2015, 08:11:08
A oposição é tão imbecil assim pra não perceber que estaria sendo roubada?

Coincidência, Ibope e Datafolha previram exatamente o tamanho da fraude...  :stunned:

Depois reclamam de teorias conspiratórias... ::)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 24 de Novembro de 2015, 08:55:26

Não tanto, se a fraude é na produção de votos, não na contagem, então a recontagem de votos impressos seria só recontagem de um "becape" da fraude.

Você quer dizer que o eleitor já receberia impresso o voto alterado e não perceberia nada?



Se é possível mudar os votos eletrônicos tal qual sua tese, é possível adulterar os votos impressos para que dêem aquilo que o cidadão votou e não o que foi fraudado. O melhor é voltaramos pra boa e velha urna de papel, aquela sim não tinha fraude.  ::) ::)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 24 de Novembro de 2015, 11:33:14
, é possível adulterar os votos impressos para que dêem aquilo que o cidadão votou e não o que foi fraudado.

Como seria? Tinta removível? Troca posterior de urna?

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 24 de Novembro de 2015, 11:36:28
Vocês acham aceitável 287 votos serem "perdidos" por conta de uma pane numa urna eletrônica?

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/urna-que-quebrou-e-perdeu-287-votos-pode-mudar-eleicao-em-santa-catarina-diz-jornal/
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: _Juca_ em 24 de Novembro de 2015, 11:53:12
, é possível adulterar os votos impressos para que dêem aquilo que o cidadão votou e não o que foi fraudado.

Como seria? Tinta removível? Troca posterior de urna?



Se a máquina pode ser adulterada para dar outro voto em vez do verdadeiro, ela pode muito bem ser adulterada para imprimir outro voto em vez do verdadeiro também, de qualquer modo poderia haver a recontagem dos votos impressos para determinar essa fraude.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 24 de Novembro de 2015, 11:54:23
, é possível adulterar os votos impressos para que dêem aquilo que o cidadão votou e não o que foi fraudado.

Como seria? Tinta removível? Troca posterior de urna?



Se a máquina pode ser adulterada para dar outro voto em vez do verdadeiro, ela pode muito bem ser adulterada para imprimir outro voto em vez do verdadeiro também, de qualquer modo poderia haver a recontagem dos votos impressos para determinar essa fraude.

Mas se imprimir outro voto o eleitor verá.

Não entendi o seu ponto ainda.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gaúcho em 24 de Novembro de 2015, 12:23:23
Ele está falando que a urna poderia computar o voto para outro candidato, mas, ainda assim, imprimir no papel o voto para o candidato escolhido pelo eleitor.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 24 de Novembro de 2015, 12:31:37
Ele está falando que a urna poderia computar o voto para outro candidato, mas, ainda assim, imprimir no papel o voto para o candidato escolhido pelo eleitor.

Mas os papéis, ao serem contados, mostrariam a fraude.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 24 de Novembro de 2015, 18:42:45
Cum hoc ergo propter hoc.





O voto impresso permite que o próprio eleitor veja o seu voto e saiba que está realmente indo para o candidato que ele deseja (ao invés de um candidato aparecer na tela e o voto ser computado para outro). Não é necessário muita sofisticação.


Se bem que em caso de fraude bastaria o fraudador computar o voto para o candidato corrupto mas programar a impressora para imprimir o candidato votado. Se é possível o voto ser computado para um candidato que não se deseja, provavelmente (sou totalmente leigo em informática) não deve ser difícil ludibriar a impressora também.

Mas aí haveria os votos impressos para recontagem e conferência.



O problema que eu penso que possa ocorrer é que "simplesmente" se acresça votos fraudulentos, de ambos os tipos. Tanto os "digitais", quanto seus respectivos impressos. Não precisa nem haver adulteração na máquina, só a votação ser fraudulenta, e nada pode ser detectado meramente contando os votos.

Só precisaria dar um jeito de fazer na surdina a operação sem que seja ligada a títulos de eleitor válidos, como de eleitores mortos, ou talvez até possa se gerar títulos falsos. Ou ainda, "resetar" os resultados e recriar os votos desejados, tanto digitais, quanto impressos, mas "associados" aos/"autorizados" por títulos de eleitor válidos. (Sem alguma coisa mais sofisticada relacionada a autenticidade de votos impressos, esse estágio talvez pudesse antecipado, o que facilita a operação).

O maior problema que acresce é ter que esperar a impressão e depois deslocar o papel para lá e para cá, bem como destruir os votos impressos verdadeiros, se for usada essa alternativa em vez de apenas votos extras.

Essa teria a vantagem de se esquivar de uma verificação de número de votos vs "número de eleitores que votaram", mas essa verificação provavelmente nem existe. Talvez ajudasse.

Ainda seria muito mais difícil conseguir fraudar a eleição com votos impressos que simplesmente "contando" votos virtuais aos quais mais ninguém tem acesso depois da votação.



Não tanto, se a fraude é na produção de votos, não na contagem, então a recontagem de votos impressos seria só recontagem de um "becape" da fraude.

Mas tudo deixaria algum rastro.

Votação eletrônica sem impressão dos votos, seu único comprovante de que a eleição foi honesta é a palavra do petista que preside o TSE.

Votação eletrônica com voto impresso, vc tem como saber pela lista de eleitores se existem mais votos que eleitores na votação, vc sabe o números de registro deles e pode saber se tem um defunto votando, com o voto impresso vc pode conferir na hora se o nome que vc escolheu é aquele mesmo.

Primeiramente, se for como as novas urnas argentinas,  o eleitor digita o número e ele é impresso na cédula com o nome do candidato e partido, então o eleitor confere visualmente e deposita a cédula em uma urna.

A urna argentina NÃO registra votos e NÃO tem memória, justamente para impossibilitar a identificação do eleitor pela ordem de chegada na seção eleitoral.

O único comprovante é a cédula impressa que depois é contabilizada no fim da votação.

Tem um vídeo na internet que postei aqui há algum tempo.

Pode existir fraude? Sim, pode existir assim mesmo, mas pelo menos vc sabe que votou no candidato X e o nome dele foi impresso na cédula ao invés de votar no candidato X e a urna registrar voto para candidato Y sem que vc saiba.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 24 de Novembro de 2015, 18:46:36
A oposição é tão imbecil assim pra não perceber que estaria sendo roubada?

Coincidência, Ibope e Datafolha previram exatamente o tamanho da fraude...  :stunned:

Depois reclamam de teorias conspiratórias... ::)

O que vc pode dizer, por exemplo, daquela pesquisa do IBOPE na qual faltava o nome de um candidato na cédula?

É muito fácil moldar as "pesquisas" se vc já sabe com antecedência quem vai ganhar e com que margem só para oficializar a coisa.

Sério mesmo que depois de 200 escândalos vc ainda acha que ninguém frauda pesquisas de opinião?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Pasteur em 24 de Novembro de 2015, 19:16:45
A oposição é tão imbecil assim pra não perceber que estaria sendo roubada?

Coincidência, Ibope e Datafolha previram exatamente o tamanho da fraude...  :stunned:

Depois reclamam de teorias conspiratórias... ::)

O que vc pode dizer, por exemplo, daquela pesquisa do IBOPE na qual faltava o nome de um candidato na cédula?

É muito fácil moldar as "pesquisas" se vc já sabe com antecedência quem vai ganhar e com que margem só para oficializar a coisa.

Sério mesmo que depois de 200 escândalos vc ainda acha que ninguém frauda pesquisas de opinião?

Ibope e Datafolha? Pra presidente?

Desculpa Arcanjo, mas parece muito teoria conspiratória.

Agora eu pergunto: sério mesmo que você acha a oposição tão idiota assim?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 24 de Novembro de 2015, 19:25:36
A oposição é tão imbecil assim pra não perceber que estaria sendo roubada?

Coincidência, Ibope e Datafolha previram exatamente o tamanho da fraude...  :stunned:

Depois reclamam de teorias conspiratórias... ::)

O que vc pode dizer, por exemplo, daquela pesquisa do IBOPE na qual faltava o nome de um candidato na cédula?

É muito fácil moldar as "pesquisas" se vc já sabe com antecedência quem vai ganhar e com que margem só para oficializar a coisa.

Sério mesmo que depois de 200 escândalos vc ainda acha que ninguém frauda pesquisas de opinião?

Ibope e Datafolha? Pra presidente?

Desculpa Arcanjo, mas parece muito teoria conspiratória.

Agora eu pergunto: sério mesmo que você acha a oposição tão idiota assim?

Idiotas? Não, de modo algum.

A oposição não é idiota, é conivente pois tb está na mesma sujeira.

Quantas vezes tiveram a oportunidade de investigar o Lulla desde o primeiro mandato?

E não fizeram.

E o PT? Quantas vezes acusou o PSDB e o FHC? E quantas vezes quiseram uma investigação séria com uma acusação formal?

Claro que não tem nada a ver usarem os mesmos doleiros presos na Lava Jato, é só coincidência.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 24 de Novembro de 2015, 23:43:55

Não tanto, se a fraude é na produção de votos, não na contagem, então a recontagem de votos impressos seria só recontagem de um "becape" da fraude.

Você quer dizer que o eleitor já receberia impresso o voto alterado e não perceberia nada?



Não, para os eleitores, tudo ocorre normalmente.

Mas em algum momento, em segredo, são produzidos votos fraudulentos, votos "extra", tanto o digital quanto sua confirmação impressa.

Talvez haja necessidade de fazer algum grau de "troca" de votos legítimos pelos falsos, "deletando" e destruindo/extraviando os verdadeiros, mas talvez seja possível apenas se acrescentar votos falsos e não despertar suspeita desse acréscimo.

A impressão e transporte de votos de papel cria uma dificuldade adicional, de qualquer forma.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: MuaddibBR em 25 de Novembro de 2015, 16:59:18
Voltando aleatoriamente do limbo para fazer algumas perguntas : Para quem interessaria "sabotar" a votação de uma sessão?

Eu explico : Imaginem que uma pessoa mal intencionada apenas simule o depósito do comprovante na urna (colocando outro papel, por exemplo). Essa sessão foi auditada e se descobriu a "fraude". O que aconteceria com os votos ? Seriam desconsiderados ? E se for uma sessão notoriamente "situação" ou oposição , por exemplo pelo bairro ? A quem interessaria isso ?

Em tempo, não tenho dúvidas que as urnas eletrônicas estão longe de serem seguras, mas esse voto impresso não pode estar apenas aumentando a complexidade e o número de possíveis problemas?

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 25 de Novembro de 2015, 17:13:41
Voltando aleatoriamente do limbo para fazer algumas perguntas : Para quem interessaria "sabotar" a votação de uma sessão?

Eu explico : Imaginem que uma pessoa mal intencionada apenas simule o depósito do comprovante na urna (colocando outro papel, por exemplo). Essa sessão foi auditada e se descobriu a "fraude". O que aconteceria com os votos ? Seriam desconsiderados ? E se for uma sessão notoriamente "situação" ou oposição , por exemplo pelo bairro ? A quem interessaria isso ?

Em tempo, não tenho dúvidas que as urnas eletrônicas estão longe de serem seguras, mas esse voto impresso não pode estar apenas aumentando a complexidade e o número de possíveis problemas?



Se encontrarem algo que não seja uma cédula oficial, o voto é anulado.

Só isso.

Era o procedimento na época das cédulas de papel.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: MuaddibBR em 25 de Novembro de 2015, 17:16:57
Eu entendi, mas nesse caso o número de votos válidos estaria diferente na eletrônica e na física. Isso não seria problema?


Voltando aleatoriamente do limbo para fazer algumas perguntas : Para quem interessaria "sabotar" a votação de uma sessão?

Eu explico : Imaginem que uma pessoa mal intencionada apenas simule o depósito do comprovante na urna (colocando outro papel, por exemplo). Essa sessão foi auditada e se descobriu a "fraude". O que aconteceria com os votos ? Seriam desconsiderados ? E se for uma sessão notoriamente "situação" ou oposição , por exemplo pelo bairro ? A quem interessaria isso ?

Em tempo, não tenho dúvidas que as urnas eletrônicas estão longe de serem seguras, mas esse voto impresso não pode estar apenas aumentando a complexidade e o número de possíveis problemas?



Se encontrarem algo que não seja uma cédula oficial, o voto é anulado.

Só isso.

Era o procedimento na época das cédulas de papel.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 25 de Novembro de 2015, 17:33:26
Eu entendi, mas nesse caso o número de votos válidos estaria diferente na eletrônica e na física. Isso não seria problema?


Voltando aleatoriamente do limbo para fazer algumas perguntas : Para quem interessaria "sabotar" a votação de uma sessão?

Eu explico : Imaginem que uma pessoa mal intencionada apenas simule o depósito do comprovante na urna (colocando outro papel, por exemplo). Essa sessão foi auditada e se descobriu a "fraude". O que aconteceria com os votos ? Seriam desconsiderados ? E se for uma sessão notoriamente "situação" ou oposição , por exemplo pelo bairro ? A quem interessaria isso ?

Em tempo, não tenho dúvidas que as urnas eletrônicas estão longe de serem seguras, mas esse voto impresso não pode estar apenas aumentando a complexidade e o número de possíveis problemas?



Se encontrarem algo que não seja uma cédula oficial, o voto é anulado.

Só isso.

Era o procedimento na época das cédulas de papel.

O que importa é o número total de votos bater com o total de eleitores registrados na votação.

O cara assinou a entrada e recebeu uma cédula, o voto foi registrado na urna eletrônica...

Colocaram 100 cédulas na urna e 100 eleitores votaram, uma cédula na verdade era um papel cheio de fezes (Sim, um eleitor fez isso lá pelos anos 80, lembro do caso) então se considera que 100 pessoas votaram e um voto foi anulado.

Só isso.

Se tiver 100 votos registrados e só 99 cédulas na urna alguém vai ter de se explicar, para isso tem aquele pessoal do TSE cuidando da votação.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: MuaddibBR em 25 de Novembro de 2015, 17:35:19
Saquei  :ok:  Gracias!

Eu entendi, mas nesse caso o número de votos válidos estaria diferente na eletrônica e na física. Isso não seria problema?


Voltando aleatoriamente do limbo para fazer algumas perguntas : Para quem interessaria "sabotar" a votação de uma sessão?

Eu explico : Imaginem que uma pessoa mal intencionada apenas simule o depósito do comprovante na urna (colocando outro papel, por exemplo). Essa sessão foi auditada e se descobriu a "fraude". O que aconteceria com os votos ? Seriam desconsiderados ? E se for uma sessão notoriamente "situação" ou oposição , por exemplo pelo bairro ? A quem interessaria isso ?

Em tempo, não tenho dúvidas que as urnas eletrônicas estão longe de serem seguras, mas esse voto impresso não pode estar apenas aumentando a complexidade e o número de possíveis problemas?



Se encontrarem algo que não seja uma cédula oficial, o voto é anulado.

Só isso.

Era o procedimento na época das cédulas de papel.

O que importa é o número total de votos bater com o total de eleitores registrados na votação.

O cara assinou a entrada e recebeu uma cédula, o voto foi registrado na urna eletrônica...

Colocaram 100 cédulas na urna e 100 eleitores votaram, uma cédula na verdade era um papel cheio de fezes (Sim, um eleitor fez isso lá pelos anos 80, lembro do caso) então se considera que 100 pessoas votaram e um voto foi anulado.

Só isso.

Se tiver 100 votos registrados e só 99 cédulas na urna alguém vai ter de se explicar, para isso tem aquele pessoal do TSE cuidando da votação.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 25 de Novembro de 2015, 17:41:01
 :ok:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lorentz em 09 de Dezembro de 2015, 19:40:15
Um absurdo.

https://www.youtube.com/v/T4ZkFfrAcqc
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 04 de Janeiro de 2016, 20:07:18
Já falou-se muito de voto impresso, urna eletrônica, auditagem e assuntos relacionados.
Mas eu ainda não tinha atentado para a ideia do VOTO ABERTO.

O que vocês acham desse conceito?

Citar
O Brasil não possui uma democracia verdadeira, séria e honesta! (https://www.facebook.com/TenhoVergonha/posts/483190755139193:0)

Manter o voto secreto sob a justificativa do voto de cabresto é a desculpa furada que essa máfia usa para enganar o povo. É uma enorme falta de inteligência sacrificar toda a nação (com o voto secreto) por causa de questões que poderiam ser resolvidas por meio de outras medidas estratégicas, com leis específicas e políticas sérias para tais finalidades.

É preciso entender que o voto secreto e a urna eletrônica acabam por sacrificar toda a nação, pois possibilita colocar e manter no poder políticos e governantes bandidos que são impostos ao povo por uma máfia que controla o sistema eleitoral e a democracia.

Manter o voto secreto por causa do voto de cabresto é como um suicida que prefere sacrificar toda a sua vida por causa de uma doença situada em uma parte do corpo que poderia ser curada com algum tratamento pontual e específico. Ou seja, é uma asneira absurda e irracional.

Os brasileiros que ainda defendem o voto secreto fazem isso pois simplesmente não estão tendo a capacidade de raciocínio para perceber a verdade: é o voto secreto que está colocando e mantendo no poder os políticos e governantes bandidos que destroem o Brasil.

Quem realmente são os "eleitos pelo povo por meio do voto"?

Qual é o cidadão que consegue com o TSE um documento oficial que ofereça uma prova irrefutável de que o seu voto foi realmente direcionado para o candidato escolhido? Ninguém consegue isso, mas a maioria aceita tal situação ridícula de enganação com a típica passividade do otário.

Um sistema em que o cidadão não tem provas irrefutáveis de que o seu voto foi realmente direcionado para o candidato escolhido é qualquer coisa, menos uma democracia séria e verdadeira.

E a transparência e lisura necessárias para uma democracia séria e verdadeira só é totalmente possível por meio do voto aberto. Somente o voto aberto possibilitará que qualquer cidadão audite as eleições, se assim desejar.

Não faz sentido algum sacrificar a transparência e a lisura do sistema de eleições democráticas por causa de alguns cidadãos que supostamente podem sofrer algum tipo de coerção eleitoral. O destino de toda uma população está muitíssimo acima de alguns poucos cidadãos que "poderão ou não" passar por uma "suposta" situação de coerção em que há muitas outras formas de ser resolvida. Não é necessário sacrificar TODA A NAÇÃO com um sistema eleitoral mafioso que possibilita que políticos e governantes bandidos alcancem o poder.

Se o voto fosse aberto e identificado ao invés de secreto e oculto não haveria como as urnas e as eleições serem fraudadas. Daí sim as urnas eletrônicas seriam úteis, pois seria simplesmente IMPOSSÍVEL fraudá-las sem que ninguém descubra. Elas obrigatoriamente teriam que registrar EXATAMENTE o resultado verdadeiro, pois do contrário qualquer cidadão constataria qualquer fraude.

Se o voto fosse aberto e identificado as urnas eletrônicas seriam realmente usadas apenas para agilizar a coleta de votos.

Mas, é preciso que o povo comece a despertar para essa necessidade do voto aberto e identificado.

O voto aberto e identificado é a ÚNICA maneira de termos eleições democráticas realmente honestas e de concertarmos o Brasil.

A partir do momento que os políticos e governantes passem a ser aqueles honestos que estão sendo realmente escolhidos pelo povo, cria-se a chance de que eles próprios providenciem as medidas e as leis necessárias para consertar o país. Porque serão políticos e governantes HONESTOS. Uma coisa será consequência da outra, como em um efeito em cadeia. Um ciclo virtuoso e positivo poderá se formar.

Por que o eleitor brasileiro gosta de exigir transparência dos políticos e governantes, mas, ao mesmo tempo, a maioria quer se manter na moita por meio do voto secreto e não quer ter a coragem de assumir abertamente as escolhas que faz para os rumos da nação? Não seria isso uma enorme hipocrisia coletiva?

Partindo do princípio de que o povo quer exigir transparência dos políticos e governantes, então, cada cidadão também deveria ser eleitoralmente transparente e ter a coragem de assumir publicamente as suas escolhas políticas que influenciarão na vida de todos os outros cidadãos do país. Cada cidadão deve ter a coragem patriótica de enfrentar quaisquer consequência advinda das suas escolhas para os rumos da nação.

Enquanto o povo não tiver esta coragem e honestidade de assumir publicamente os candidatos que escolheu, nenhum cidadão eleitor terá moral alguma para cobrar qualquer coisa de político ou governante algum. Para alguém ter a moral de cobrar transparência, primeiro é preciso provar que está disposto a praticar aquilo o que está cobrando.

(https://scontent.fudi1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xfp1/v/t1.0-9/5498_483190755139193_7301973233514810590_n.jpg?oh=415be6bc7efac9a3071c6af56990e167&oe=574560CA)

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Luiz F. em 04 de Janeiro de 2016, 20:10:30
Pra mim é um conceito estranho. Existe em alguma parte do mundo algo parecido com isso?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 04 de Janeiro de 2016, 20:13:20
Já falou-se muito de voto impresso, urna eletrônica, auditagem e assuntos relacionados.
Mas eu ainda não tinha atentado para a ideia do VOTO ABERTO.

O que vocês acham desse conceito?

Citar
O Brasil não possui uma democracia verdadeira, séria e honesta! (https://www.facebook.com/TenhoVergonha/posts/483190755139193:0)

Manter o voto secreto sob a justificativa do voto de cabresto é a desculpa furada que essa máfia usa para enganar o povo.

Eu acho perigoso justamente por causa do voto de cabresto.

Citar
É uma enorme falta de inteligência sacrificar toda a nação (com o voto secreto) por causa de questões que poderiam ser resolvidas por meio de outras medidas estratégicas, com leis específicas e políticas sérias para tais finalidades.

A crença no poder da lei e das "políticas sérias" normalmente não cabe no discurso daqueles que chamam os governantes de máfia, o que vem a calhar de ser meu caso, por exemplo. Não confio em "políticas sérias".

Certamente é um modo anti-fraude talvez mais eficaz do que os outros discutidos, mas ainda não é uma "soluçãozassa para a democracia". A compra de voto rolaria (ainda mais) solta e novamente, sabe quem roda nessa? o povo! Sabe quem se beneficia nessa? o ladrão com dinheiro na mão pra pagar o rebanho.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 04 de Janeiro de 2016, 20:17:00
Já falou-se muito de voto impresso, urna eletrônica, auditagem e assuntos relacionados.
Mas eu ainda não tinha atentado para a ideia do VOTO ABERTO.

O que vocês acham desse conceito?

Citar
O Brasil não possui uma democracia verdadeira, séria e honesta! (https://www.facebook.com/TenhoVergonha/posts/483190755139193:0)

Manter o voto secreto sob a justificativa do voto de cabresto é a desculpa furada que essa máfia usa para enganar o povo.

Eu acho perigoso justamente por causa do voto de cabresto.


Talvez esse seja o verdadeiro voto de cabresto:

(https://scontent.fudi1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/535253_484398811685054_5992222094718130229_n.jpg?oh=67044415c0db90c9cbfae17bfe73d07f&oe=57112F26)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Luiz F. em 04 de Janeiro de 2016, 20:19:32
Citar
[...]Para alguém ter a moral de cobrar transparência, primeiro é preciso provar que está disposto a praticar aquilo o que está cobrando[...]

Então se eu quiser cobrar que o cirurgião faça uma cirurgia bem feita em mim, eu mesmo tenho que saber fazer cirurgias de peito aberto? :hein:
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 04 de Janeiro de 2016, 20:23:19
Já falou-se muito de voto impresso, urna eletrônica, auditagem e assuntos relacionados.
Mas eu ainda não tinha atentado para a ideia do VOTO ABERTO.

O que vocês acham desse conceito?

Citar
O Brasil não possui uma democracia verdadeira, séria e honesta! (https://www.facebook.com/TenhoVergonha/posts/483190755139193:0)

Manter o voto secreto sob a justificativa do voto de cabresto é a desculpa furada que essa máfia usa para enganar o povo.

Eu acho perigoso justamente por causa do voto de cabresto.


Talvez esse seja o verdadeiro voto de cabresto:

(https://scontent.fudi1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/535253_484398811685054_5992222094718130229_n.jpg?oh=67044415c0db90c9cbfae17bfe73d07f&oe=57112F26)

Não somente esse, mas... Exato!

Imagine, só de ameaçar deixar de pagar o bolsa família, meio vagamente, a turma já vota. Imagina então incentivo direto e rastreável sobre quem votou e quem não votou... "Ah, você votou 45 é?! hmmm... tô vendo aqui... opa... parece que você não atende mais os requisitos, Zé das Côve... que pena hein?! Até a próxima!"
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 04 de Janeiro de 2016, 20:24:12
Pra mim é um conceito estranho. Existe em alguma parte do mundo algo parecido com isso?

Confesso que, num primeiro momento, eu também achei estranho.
Mas a ideia foi se acomodando no meu cérebro e eu vi que as pessoas não deviam esconder o que pensam e o que preferem.
Qual é o lance? Qual é o ganho em manter em sigilo aquilo que se conversa e que se defende?
Acho que aqui no fórum todos já sabem mais ou menos as inclinações políticas de todos.
Numa comunidade, num bairro, num bar, as pessoas já sabem de antemão a preferência política de muitos.

Abrir o segredo do voto é uma continuação da autenticidade de cada um e um chega-pra-lá na hipocrisia e dissimulação.

Mas ainda não fechei o raciocínio.
É uma ideia muito nova ainda e preciso amadurecê-la mais.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 04 de Janeiro de 2016, 20:26:12

Imagine, só de ameaçar deixar de pagar o bolsa família, meio vagamente, a turma já vota. Imagina então incentivo direto e rastreável sobre quem votou e quem não votou... "Ah, você votou 45 é?! hmmm... tô vendo aqui... opa... parece que você não atende mais os requisitos, Zé das Côve... que pena hein?! Até a próxima!"

Por isso...
Mas ainda não fechei o raciocínio.
É uma ideia muito nova ainda e preciso amadurecê-la mais.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 04 de Janeiro de 2016, 20:27:40
Pra mim é um conceito estranho. Existe em alguma parte do mundo algo parecido com isso?

Confesso que, num primeiro momento, eu também achei estranho.
Mas a ideia foi se acomodando no meu cérebro e eu vi que as pessoas não deviam esconder o que pensam e o que preferem.
Qual é o lance? Qual é o ganho em manter em sigilo aquilo que se conversa e que se defende?
Acho que aqui no fórum todos já sabem mais ou menos as inclinações políticas de todos.
Numa comunidade, num bairro, num bar, as pessoas já sabem de antemão a preferência política de muitos.

Abrir o segredo do voto é uma continuação da autenticidade de cada um e um chega-pra-lá na hipocrisia e dissimulação.

Mas ainda não fechei o raciocínio.
É uma ideia muito nova ainda e preciso amadurecê-la mais.

Cara, o mau-caratismo brasileiro é tão grande que atualmente as pessoas precisam de proteção contra super vilões do cotidiano. Com o voto aberto você não pode, em qualquer hipótese, deixar de votar no miliciano da sua "quebrada". Exagerando aqui pra ser didático, entre os outros mil casos possíveis.

Deixa de votar na candidata, e você ta fora do DCE, perde a boquinha do mestrado... por aí vai.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 04 de Janeiro de 2016, 20:28:28

Imagine, só de ameaçar deixar de pagar o bolsa família, meio vagamente, a turma já vota. Imagina então incentivo direto e rastreável sobre quem votou e quem não votou... "Ah, você votou 45 é?! hmmm... tô vendo aqui... opa... parece que você não atende mais os requisitos, Zé das Côve... que pena hein?! Até a próxima!"

Por isso...
Mas ainda não fechei o raciocínio.
É uma ideia muito nova ainda e preciso amadurecê-la mais.

;)
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 04 de Janeiro de 2016, 20:29:09

Imagine, só de ameaçar deixar de pagar o bolsa família, meio vagamente, a turma já vota. Imagina então incentivo direto e rastreável sobre quem votou e quem não votou... "Ah, você votou 45 é?! hmmm... tô vendo aqui... opa... parece que você não atende mais os requisitos, Zé das Côve... que pena hein?! Até a próxima!"

Mas isso seria explicitamente e gritantemente ilegal!
Qualquer Ministério Público acusaria no ato.
Há mecanismos para não ser possível e não seguir por esse caminho.


Mas... não sei direito de todas as implicações.
Lancei a ideia para debate.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 04 de Janeiro de 2016, 20:30:42

Imagine, só de ameaçar deixar de pagar o bolsa família, meio vagamente, a turma já vota. Imagina então incentivo direto e rastreável sobre quem votou e quem não votou... "Ah, você votou 45 é?! hmmm... tô vendo aqui... opa... parece que você não atende mais os requisitos, Zé das Côve... que pena hein?! Até a próxima!"

Mas isso seria explicitamente e gritantemente ilegal!
Qualquer Ministério Público acusaria no ato.
Há mecanismos para não ser possível e não seguir por esse caminho.


Mas... não sei direito de todas as implicações.
Lancei a ideia para debate.

Basta flexibilizar os critérios para garantir o benefício e voi la.

Normalmente o pessoal do poder ganha.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Luiz F. em 04 de Janeiro de 2016, 20:34:16
Por exemplo, eu, como professor designado do estado de Minas Gerais, que nesse inicio de ano terei que passar por toda a roleta russa de uma designação, onde tudo pode acontecer e literalmente qualquer um pode pegar as "minhas" aulas, não gostaria de que algum superintendente da secretaria de ensino do estado, apadrinhado de um petista qualquer, tenha como saber que eu não votei no padrinho dele e dê um jeito de melar o meu emprego.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 04 de Janeiro de 2016, 20:36:05
Muito preciso exemplo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gabarito em 04 de Janeiro de 2016, 20:37:36
Esquece tudo...

Vocês parecem ter razão.
Voto aberto é para sociedades perfeitas, coisa que não existe no nosso planeta.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Janeiro de 2016, 05:38:18
Esquece tudo...

Vocês parecem ter razão.
Voto aberto é para sociedades perfeitas, coisa que não existe no nosso planeta.

Voto aberto já existe e é usado na Venezuela onde um fiscal do finado Chavez te acompanha até a cabine de votação.

Vc sabe onde acabou.

Voto aberto deve ser o sonho secreto dos esquerdinhas
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 05 de Janeiro de 2016, 07:18:35
Sonho de alguns é mais nas linhas de acabar com "votos"/"democracia" que são só uma ferramenta burguesa para manutenção do poder. São preferíveis governos "mais estáveis".

Tópico "democracia representativa: a arma da burguesia"
http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=26104.msg665010#msg665010


Mas, lei de Poe, sempre.






Imagine, só de ameaçar deixar de pagar o bolsa família, meio vagamente, a turma já vota. Imagina então incentivo direto e rastreável sobre quem votou e quem não votou... "Ah, você votou 45 é?! hmmm... tô vendo aqui... opa... parece que você não atende mais os requisitos, Zé das Côve... que pena hein?! Até a próxima!"

Mas isso seria explicitamente e gritantemente ilegal!
Qualquer Ministério Público acusaria no ato.
Há mecanismos para não ser possível e não seguir por esse caminho.


Mas... não sei direito de todas as implicações.
Lancei a ideia para debate.

Acho que apesar de ser ilegal de forma "literal", as coisas bem poderiam acontecer assim por baixo dos panos. E ainda há a possibilidade talvez de se incentivar "pressão social" maior para o voto nos "candidatos bons" através dos vazamentos dos votos em comunidades mais suscetíveis ao fasci-populismo/"socialmente conscientes". Agindo sob o risco de mais pessoas serem atingidas pela "fuga aos requisitos" de algumas, num nível local/comunitário. "N pessoas votaram de forma que não atinge os requisitos na comunidade, então infelizmente não haverá verbas para a escola e para o hospital", ou isso escrito em código para algo mais debaixo do pano.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Fabrício em 05 de Janeiro de 2016, 07:49:50
Se o cidadão quiser ele pode abrir seu voto, basta dizer em quem votou.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 05 de Janeiro de 2016, 08:10:26
Se o cidadão quiser ele pode abrir seu voto, basta dizer em quem votou.

Mas isso somente não garantiria a rastreabilidade do voto, que é o ponto interessante anti-fraude da proposta.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 05 de Janeiro de 2016, 08:32:07
Enquanto isso, ninguém se preocupa com sigilo ou problema com falta dele, nos pagamentos diretos dos clientes aos fornecedores de produtos ou serviços. #AnarcoCapitalismoJá
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Sergiomgbr em 05 de Janeiro de 2016, 10:51:33
Uma boa solução é a massivisação do uso de plebiscitos aproveitando a realidade hodierna dos meios informáticos.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Março de 2016, 13:21:40
Reaproveitando o tópico.

http://noticias.portalvox.com/politica/2016/03/teste-do-tse-detecta-risco-de-adulteracao-no-resultado-de-urna-eletronica.html

Lembram que comentamos sobre as fraudes e possibilidades de adulteração dos resultados das eleições, e que o pessoal do TSE dizia que a urna era segura e ponto final?

Bom...

Citar
O teste público encerrado nesta quinta-feira, dia 10, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para detectar vulnerabilidade no sistema de votação eletrônico resultou na descoberta de duas falhas graves nas urnas.

Um dos problemas foi encontrado nas urnas com áudio, destinadas a cegos. Segundo especialistas convidados pelo TSE, é possível que outras pessoas identifiquem o voto do deficiente através do som emitido pelo equipamento.

Outra falha grave encontrada foi a possibilidade de haver troca no número de votos atribuídos a determinado candidato após o fechamento das urnas.

Pronto, coloquem mais uma na conta do velho Lúcifer.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Pasteur em 12 de Março de 2016, 14:25:43
Lê esse link Arcanjo:

http://m.folha.uol.com.br/poder/2016/03/1748646-presidente-do-tse-critica-omissao-de-partidos-em-teste-de-urnas-eletronicas.shtml
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 12 de Março de 2016, 14:33:25
Lê esse link Arcanjo:

http://m.folha.uol.com.br/poder/2016/03/1748646-presidente-do-tse-critica-omissao-de-partidos-em-teste-de-urnas-eletronicas.shtml
Isso, sem dúvida, é lastimável.

Só me resta supor que esses calhordas contam com uma urna passível de falhas para alcançarem seus objetivos. É tudo lixo!

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 12 de Março de 2016, 18:59:54
Lê esse link Arcanjo:

http://m.folha.uol.com.br/poder/2016/03/1748646-presidente-do-tse-critica-omissao-de-partidos-em-teste-de-urnas-eletronicas.shtml

Os caras receberam informações sobre as urnas e conseguiram achar uma brecha para fraudes em três dias, as mesmas que o TSE dizia que eram seguras.

Imagine o que poderiam fazer com mais tempo, conivência de funcionários públicos corruptos a serviço de um partido qualquer e uma ajudinha da Smartimatic.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lakatos em 14 de Março de 2016, 01:00:06
Quinta-feira passada foi realizado o teste público de segurança das urnas eletrônicas, em que especialistas têm oportunidade de tentar fraudar o sistema. Foram detectadas duas vulnerabilidades, mas que não seriam capazes de alterar significativamente o resultado.

Detalhe: todos os partidos políticos têm o direito de enviar uma comissão para acompanhar o processo, mas apenas membros do PDT apareceram no dia.

http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/03/tse-realiza-teste-publico-de-seguranca-das-urnas-eletronicas.html
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 14 de Março de 2016, 08:09:47
Entrando no campo das elucubrações, não entendo muito bem do que servem esses testes públicos... Se eu fosse "chutar" que há falcatrua nas urnas, não "chutaria" que ela se dá através de hackers aproveitando as brechas de seguranças, mas sim de algo de dentro, anterior, ja feito para se comportar de maneira distinta. Arranjado, por quem comanda, algum tempo antes do evento e meio que anulado automaticamente logo em seguida.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lakatos em 14 de Março de 2016, 08:23:09
Entrando no campo das elucubrações, não entendo muito bem do que servem esses testes públicos... Se eu fosse "chutar" que há falcatrua nas urnas, não "chutaria" que ela se dá através de hackers aproveitando as brechas de seguranças, mas sim de algo de dentro, anterior, ja feito para se comportar de maneira distinta. Arranjado, por quem comanda, algum tempo antes do evento e meio que anulado automaticamente logo em seguida.

Acho que a ideia do teste público é mostrar que a urna é tão ou mais confiável que os métodos "concorrentes" de votação. O tipo de problema que você descreveu acima seria possível, em tese, mas se admitirmos a possibilidade de uma conspiração com o poder e motivação para colocar em prática esse tipo de plano, temos que admitir que ela atuaria tanto em um sistema eletrônico quanto em um sistema manual. O sistema de votação seria mero detalhe.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Johnny Cash em 14 de Março de 2016, 09:02:29
Entrando no campo das elucubrações, não entendo muito bem do que servem esses testes públicos... Se eu fosse "chutar" que há falcatrua nas urnas, não "chutaria" que ela se dá através de hackers aproveitando as brechas de seguranças, mas sim de algo de dentro, anterior, ja feito para se comportar de maneira distinta. Arranjado, por quem comanda, algum tempo antes do evento e meio que anulado automaticamente logo em seguida.

Acho que a ideia do teste público é mostrar que a urna é tão ou mais confiável que os métodos "concorrentes" de votação. O tipo de problema que você descreveu acima seria possível, em tese, mas se admitirmos a possibilidade de uma conspiração com o poder e motivação para colocar em prática esse tipo de plano, temos que admitir que ela atuaria tanto em um sistema eletrônico quanto em um sistema manual. O sistema de votação seria mero detalhe.

Com o envolvimento e conluio do poder esse tipo de fraude se abre paraoutros meios também, concordo.

Mas com a diversificação do meio em que se da o processo, se requer tipos mais "raros" de expertise a participarem e até provas a serem deixadas pelo caminho, bem como diferentes possibilidades de reversão da falcatrua caso necessário.

Em suma, será sempre possível a mutreta, mas a detectabilidade no caso eletrônico vai ser bastante dificultada. Com a dobradinha eletrônico/papel a coisa deve ficar bem mais complicada (e portanto, segura) em diversos pontos.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lakatos em 14 de Março de 2016, 09:10:00
Entrando no campo das elucubrações, não entendo muito bem do que servem esses testes públicos... Se eu fosse "chutar" que há falcatrua nas urnas, não "chutaria" que ela se dá através de hackers aproveitando as brechas de seguranças, mas sim de algo de dentro, anterior, ja feito para se comportar de maneira distinta. Arranjado, por quem comanda, algum tempo antes do evento e meio que anulado automaticamente logo em seguida.

Acho que a ideia do teste público é mostrar que a urna é tão ou mais confiável que os métodos "concorrentes" de votação. O tipo de problema que você descreveu acima seria possível, em tese, mas se admitirmos a possibilidade de uma conspiração com o poder e motivação para colocar em prática esse tipo de plano, temos que admitir que ela atuaria tanto em um sistema eletrônico quanto em um sistema manual. O sistema de votação seria mero detalhe.

Com o envolvimento e conluio do poder esse tipo de fraude se abre paraoutros meios também, concordo.

Mas com a diversificação do meio em que se da o processo, se requer tipos mais "raros" de expertise a participarem e até provas a serem deixadas pelo caminho, bem como diferentes possibilidades de reversão da falcatrua caso necessário.

Em suma, será sempre possível a mutreta, mas a detectabilidade no caso eletrônico vai ser bastante dificultada. Com a dobradinha eletrônico/papel a coisa deve ficar bem mais complicada (e portanto, segura) em diversos pontos.

Também sou favorável ao sistema misto, desde que o eleitor seja impossibilitado de fotografar ou levar qualquer espécie de comprovante do voto para fora da sala de votação.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 14 de Março de 2016, 09:20:29
Entrando no campo das elucubrações, não entendo muito bem do que servem esses testes públicos... Se eu fosse "chutar" que há falcatrua nas urnas, não "chutaria" que ela se dá através de hackers aproveitando as brechas de seguranças, mas sim de algo de dentro, anterior, ja feito para se comportar de maneira distinta. Arranjado, por quem comanda, algum tempo antes do evento e meio que anulado automaticamente logo em seguida.

Acho que a ideia do teste público é mostrar que a urna é tão ou mais confiável que os métodos "concorrentes" de votação. O tipo de problema que você descreveu acima seria possível, em tese, mas se admitirmos a possibilidade de uma conspiração com o poder e motivação para colocar em prática esse tipo de plano, temos que admitir que ela atuaria tanto em um sistema eletrônico quanto em um sistema manual. O sistema de votação seria mero detalhe.

Na atual configuração, o sistema de votação é mais vulnerável à fraudes do que o de urnas eletrônicas com impressão do voto.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lakatos em 14 de Março de 2016, 09:29:00
Entrando no campo das elucubrações, não entendo muito bem do que servem esses testes públicos... Se eu fosse "chutar" que há falcatrua nas urnas, não "chutaria" que ela se dá através de hackers aproveitando as brechas de seguranças, mas sim de algo de dentro, anterior, ja feito para se comportar de maneira distinta. Arranjado, por quem comanda, algum tempo antes do evento e meio que anulado automaticamente logo em seguida.

Acho que a ideia do teste público é mostrar que a urna é tão ou mais confiável que os métodos "concorrentes" de votação. O tipo de problema que você descreveu acima seria possível, em tese, mas se admitirmos a possibilidade de uma conspiração com o poder e motivação para colocar em prática esse tipo de plano, temos que admitir que ela atuaria tanto em um sistema eletrônico quanto em um sistema manual. O sistema de votação seria mero detalhe.

Na atual configuração, o sistema de votação é mais vulnerável à fraudes do que o de urnas eletrônicas com impressão do voto.

Sim, quando disse "concorrentes" estava pensando em sistemas de votação estritamente manuais. Sistemas mistos tendem a aumentar o nível de segurança, já que agregam as dificuldades de fraude dos dois sistemas. O único problema com eles é o custo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 14 de Março de 2016, 09:41:29
A probabilidade de ocorrer fraude em um sistema de TI não significa necessariamente que a fraude ocorrerá. Com pouco esforço é possível se imaginar diversas formas de fraudar o resultado sem necessariamente fraudar a urna e adjacências.

Por exemplo: não transmitindo os dados de uma urna, digamos, desfavorável, sob alegação de um evento qualquer, ou corrompendo o cartão que armazena os dados, etc.

Ainda assim haveria a necessidade de conluio com autoridades ou membros participantes do processo. E acreditem, isso existe. Eu já vi.

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lakatos em 14 de Março de 2016, 09:48:37
Ainda assim haveria a necessidade de conluio com autoridades ou membros participantes do processo. E acreditem, isso existe. Eu já vi.

Saudações

O que você viu? Pode dar detalhes?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 14 de Março de 2016, 10:30:30
Ainda assim haveria a necessidade de conluio com autoridades ou membros participantes do processo. E acreditem, isso existe. Eu já vi.

Saudações

O que você viu? Pode dar detalhes?
Em prefeitura do interior, mesários, delegados e etc. são sempre os mesmos, seja para eleições municipais seja pra eleições estaduais e nacionais.

Eu soube através de um funcionário da prefeitura (técnico em informática), que ele (não sei se mesário ou outra coisa) corrompeu fisicamente o cartão de contagem (o que grava os dados da urna) por ser uma urna desfavorável para a reeleição do prefeito. Fiquei sabendo (por ele) que ele havia instruído mais pessoas, nos redutos da oposição, a fazerem o mesmo.

Também já vi urnas serem desconsideradas na contagem sob alegação de que estavam defeituosas após a votação, mesmo tendo sido emitido o relatório de votação ao final do dia.

Se conseguiram chegar a termo com as fraudes eu não sei. O que sei é que, por margem apertada, o prefeito foi reeleito. Não é preciso dizer que foi uma confusão danada que, ao final, ficou por isso mesmo.

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 14 de Março de 2016, 10:39:33
Detalhe sobre o relato acima: quase fui ameaçado de morte quando comentei o assunto com outras pessoas e fui ridicularizado pelos defensores da urna inviolável.

Ainda bem que me mudei da cidade e nunca mais me envolvi com política municipal.

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lakatos em 14 de Março de 2016, 10:59:16
Ainda assim haveria a necessidade de conluio com autoridades ou membros participantes do processo. E acreditem, isso existe. Eu já vi.

Saudações

O que você viu? Pode dar detalhes?
Em prefeitura do interior, mesários, delegados e etc. são sempre os mesmos, seja para eleições municipais seja pra eleições estaduais e nacionais.

Eu soube através de um funcionário da prefeitura (técnico em informática), que ele (não sei se mesário ou outra coisa) corrompeu fisicamente o cartão de contagem (o que grava os dados da urna) por ser uma urna desfavorável para a reeleição do prefeito. Fiquei sabendo (por ele) que ele havia instruído mais pessoas, nos redutos da oposição, a fazerem o mesmo.

Também já vi urnas serem desconsideradas na contagem sob alegação de que estavam defeituosas após a votação, mesmo tendo sido emitido o relatório de votação ao final do dia.

Se conseguiram chegar a termo com as fraudes eu não sei. O que sei é que, por margem apertada, o prefeito foi reeleito. Não é preciso dizer que foi uma confusão danada que, ao final, ficou por isso mesmo.

Saudações

Em eleições municipais eu já soube de coisas parecidas, mas acho que é inviável em eleições de nível nacional justamente por exigir conluio direto com as pessoas que manipulam as urnas.

Minha cidade é de porte pequeno para médio. Nas últimas eleições municipais, eu estava acompanhando as apurações em tempo real e, até cerca de 60% da apuração completa, o candidato A, oposicionista, liderava com grande vantagem. Mas no final da apuração, houve uma virada impressionante e o candidato B, situacionista, acabou eleito. Tempos depois espalhou-se o boato de que doze urnas haviam desaparecido dos locais de votação durante a madrugada e retornado no dia seguinte, que era o dia da eleição (doze urnas são uma quantidade considerável dado o porte da cidade).

O candidato A, derrotado, imediatamente recorreu nos tribunais eleitorais e moveu uma ação acusando o candidato B por propaganda ilegal, já que na noite anterior o então prefeito havia realizado um evento com funcionários públicos onde pediu votos a seu candidato, o B. Ele ganhou o processo em primeira instância, B foi destituído e A governou a cidade por cerca de 40 dias. Nesse período, houve um atentado à sua casa onde dispararam dezenas de tiros contra o portão para afugentá-lo. Poucos dias depois, uma instância judiciária superior devolveu o governo ao candidato B, que está até hoje. Dizem que a juíza responsável pela decisão ganhou um carro de presente.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 14 de Março de 2016, 11:13:18
Ainda assim haveria a necessidade de conluio com autoridades ou membros participantes do processo. E acreditem, isso existe. Eu já vi.

Saudações

O que você viu? Pode dar detalhes?
Em prefeitura do interior, mesários, delegados e etc. são sempre os mesmos, seja para eleições municipais seja pra eleições estaduais e nacionais.

Eu soube através de um funcionário da prefeitura (técnico em informática), que ele (não sei se mesário ou outra coisa) corrompeu fisicamente o cartão de contagem (o que grava os dados da urna) por ser uma urna desfavorável para a reeleição do prefeito. Fiquei sabendo (por ele) que ele havia instruído mais pessoas, nos redutos da oposição, a fazerem o mesmo.

Também já vi urnas serem desconsideradas na contagem sob alegação de que estavam defeituosas após a votação, mesmo tendo sido emitido o relatório de votação ao final do dia.

Se conseguiram chegar a termo com as fraudes eu não sei. O que sei é que, por margem apertada, o prefeito foi reeleito. Não é preciso dizer que foi uma confusão danada que, ao final, ficou por isso mesmo.

Saudações

Em eleições municipais eu já soube de coisas parecidas, mas acho que é inviável em eleições de nível nacional justamente por exigir conluio direto com as pessoas que manipulam as urnas.

Minha cidade é de porte pequeno para médio. Nas últimas eleições municipais, eu estava acompanhando as apurações em tempo real e, até cerca de 60% da apuração completa, o candidato A, oposicionista, liderava com grande vantagem. Mas no final da apuração, houve uma virada impressionante e o candidato B, situacionista, acabou eleito. Tempos depois espalhou-se o boato de que doze urnas haviam desaparecido dos locais de votação durante a madrugada e retornado no dia seguinte, que era o dia da eleição (doze urnas são uma quantidade considerável dado o porte da cidade).

O candidato A, derrotado, imediatamente recorreu nos tribunais eleitorais e moveu uma ação acusando o candidato B por propaganda ilegal, já que na noite anterior o então prefeito havia realizado um evento com funcionários públicos onde pediu votos a seu candidato, o B. Ele ganhou o processo em primeira instância, B foi destituído e A governou a cidade por cerca de 40 dias. Nesse período, houve um atentado à sua casa onde dispararam dezenas de tiros contra o portão para afugentá-lo. Poucos dias depois, uma instância judiciária superior devolveu o governo ao candidato B, que está até hoje. Dizem que a juíza responsável pela decisão ganhou um carro de presente.
Não podemos nos esquecer de que uma eleição estadual e nacional é realizada no, e pelo, município. A replicação de atos similares não é improvável. O nível de atuação, segurança e fiscalização é idêntico. O modus operandi pode ser o mesmo, seja para prefeito ou para presidente. Para a Justiça Eleitoral o evento (eleições) é feito de forma similar.

Some-se à isso o fato de escolher redutos para aplicar a estratégia (o que não seria difícil, dado o nível de corrupção dos prefeitos em geral) e temos uma fraude limpa sem intervenção diretamente na TI. Qual juiz ou delegado vai sair para os interiores de suas comarcas, onde povoados e vilas de difícil acesso estão recheadas de rotas, esconderijos e etc., para averiguar esse tipo de coisa? São mais de 5000 municípios! Não tem nem gente pra fazer isso. Sempre fica à cargo da prefeitura, seus aliados e coronéis. É um convite irresistível à fraude. E acontece, pode acreditar!

O sistema urna eletrônica/voto impresso pode diminuir isso, mas não vai zerar.

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Lakatos em 14 de Março de 2016, 11:23:04
Eu digo que é diferente porque fraudes municipais envolvem um número pequeno de pessoas. Fraudes em diferentes municípios quase com certeza acontecem de forma independente, ou seja, cada cidade tem seu próprio grupinho, e não de forma orquestrada a nível nacional. Criar um esquema unificado para agir de forma coordenada em centenas de municípios me parece algo bem mais improvável.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Jurubeba em 14 de Março de 2016, 11:50:40
Eu digo que é diferente porque fraudes municipais envolvem um número pequeno de pessoas. Fraudes em diferentes municípios quase com certeza acontecem de forma independente, ou seja, cada cidade tem seu próprio grupinho, e não de forma orquestrada a nível nacional. Criar um esquema unificado para agir de forma coordenada em centenas de municípios me parece algo bem mais improvável.
Já eu acho que não. Um telefonema, uma insinuação em um encontro regional/estadual, uma determinação da base aliada a nível nacional, tudo isso pode desencadear um trabalho localizado em municípios, com a mesma estratégia de uma eleição municipal, que, ao se somar a vários outros municípios, geram um volume de votos que pode ser decisivo. Cada um trabalhando isoladamente (não há necessidade de uma articulação nacional) produzirá a fração que, na soma final, pode representar milhões de votos.

Faça isso em uma região onde já se espera uma votação expressiva e o evento estará maquiado por ter ocorrido em um local onde o candidato possui muitos votos. É uma estratégia difícil de ser revelada e denunciada, uma vez que ninguém desconfiará que alguém ira investir onde já se sabe que o candidato ganha fácil. O óbvio é o melhor inimigo da fraude. Ninguém desconfia.

Isso me lembra de uma fraude bancária onde alguém retirou alguns centavos de milhares de contas que, no final, representou milhões. A gente vê em filme, mas eu trabalho no setor bancário e sei de fraudes desse tipo. Inclusive já auditei fraudes mais simples que se revelaram movimentar altas somas. A lógica é a mesma!

Saudações
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 21 de Outubro de 2016, 17:21:11

Why Electronic Voting is a BAD Idea - Computerphile
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 05 de Novembro de 2016, 02:33:39
Como o declínio histórico da petecracia afeta os achismos sobre a ocorrência de fraudes?
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 05 de Novembro de 2016, 05:38:21
Continuo dizendo que eleição é fraudada mas dessa vez não tinha dinheiro suficiente.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 05 de Novembro de 2016, 08:52:12
E eu mantenho a minha posição: A despeito da fragorosa derrota do PT, ainda desejo que o voto eletrônico seja eliminado.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Geotecton em 05 de Novembro de 2016, 08:52:43
Continuo dizendo que eleição é fraudada mas dessa vez não tinha dinheiro suficiente.

Nem dinheiro e nem o controle sobre o processo.
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: DDV em 05 de Novembro de 2016, 11:22:34
O processo de votação deve ser passível de 'auditoria' por qualquer pessoa sem exigir conhecimento técnico para tal.

Essa é minha posição.

Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 01 de Fevereiro de 2018, 16:52:50
Detalhe sobre o relato acima: quase fui ameaçado de morte quando comentei o assunto

Não querendo levantar dúvida sobre a legitimidade do depoimento em si, gostaria de saber o que constituiria uma "quase ameaça de morte".

"Cale-se, ou quase te mataremos!"

"Cale-se, ou nós vamos te matashisshwhshishh..."
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Buckaroo Banzai em 09 de Fevereiro de 2018, 17:57:44
(http://www.ilisp.org/wp-content/uploads/2017/10/mapa-mundi-sistemas-votacao.png)

http://www.ilisp.org/artigos/brasil-e-unico-pais-do-mundo-que-utiliza-urnas-eletronicas-inauditaveis-e-obsoletas/
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Gigaview em 09 de Junho de 2018, 00:14:39
Título: Re:A segurança do voto na urna brasileira
Enviado por: Arcanjo Lúcifer em 22 de Junho de 2018, 08:57:36