Autor Tópico: Perguntas sem-vergonha sobre física...  (Lida 163337 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline SnowRaptor

  • Webmaster
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 17.961
  • Sexo: Masculino
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #850 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 14:00:21 »
Tá derfel, entendi. Mas o combustível no tanque da nave tem massa tendendo ao infinito certo? Pois está em alta velocidade. Logo, a queima dele gera energia em quantidade que tende ao infinito não?

Não há como ter combustível que tenda ao infinito em termos de volume.

Na verdade, o Marcel tá levando em conta que uma espaçonave movida por foguete é impulsionada pela troca de momento com o combustível ejetado.

É uma pergunta bem marota, na verdade. Vou tentar postar uma resposta decente durante o fim de semana.
Elton Carvalho

Antes de me apresentar sua teoria científica revolucionária, clique AQUI

“Na fase inicial do processo [...] o cientista trabalha através da
imaginação, assim como o artista. Somente depois, quando testes
críticos e experimentação entram em jogo, é que a ciência diverge da
arte.”

-- François Jacob, 1997

Offline D|V

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 650
  • Sexo: Masculino
  • Livre pensador
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #851 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 14:08:03 »
Ola Diego,

Eu postei isso, a pouco tempo na cienclist, da seguinte forma :

"Na TGR a gravidade é causada pelo espaço-temp, na MQ pelos grávitons. Existem tentativas de unificação das duas, mas eu tenho uma dúvida : elas são "ontologicamente excludentes", não ? Ou seja, a TR fala da "existencia de um espaço curvo", a MQ da existência de uma partíclua que é trocada entre os corpos. Assim, se uma tá certa sobre o que causa a gravidade, a outra está errada. Como pode-se unificar teorias tão diferentes com relação a exsitência de algo que seja a causa de um fenômeno ?"

A melhor resposta que me deram foi essa :

"O insucesso da unificação da TGR e da MQ não reside na diferença tão grande entre as duas, mas sim no fato de que a TGR não é renormalizável. Em outras palavras, se uma massa for comprimida até r=0, aparecerá um infinito que não pode ser removido dos cálculos. Na MQ os infinitos são removidos meio por mágica (a tal renormalização), mas na TGR eles persistem. Se a renormalização da TGR for algum dia conseguida, talvez se conclua que os grávitons são os causadores da curvatura do espaço-tempo. "

O que me gerou outra dúvida : atualmente considera-se a massa como a responsável pela curvatura do espaço-tempo. Caso em uma futura unificação isto passe a ser "culpa" dos grávitons, que propriedade eles deverão ter  (ou qual das propriedades que sabemos que eles devem ter) para causar a curvatura do espaço, dado que eles não possuem massa (ou possuem?)?

Abs
Felipe

A sua dúvida, Felipe, é mesmo exatamente igual a minha. Essa resposta que te deram foi igual ao que o outro forista me passou mais pra cima no tópico.

Agora quanto a sua segunda dúvida, eu também não faço a menor idéia. Não faz sentido que os próprios grávitons possuam massa, da mesma forma que não faria se os fótons tivessem um campo eletromagnético inerente a si próprios. Acredito que caso se concluam que os grávitons de fato existem, eles não devem ter nem massa nem valor nenhum para eletromagnetismo. Agora qual será a propriedade elementar que os faz curvar o tempo (não podemos esquecer que não é só o espaço que curva) e o espaço, eu já não faço idéia.

E isso agora me levou a outra pergunta : sabemos que a velocidade exerce o mesmo tipo de curvatura no espaço-tempo que algum corpo massivo exerce, mas isso se dá por conta do aumento da massa inercial a que um corpo viajando a velocidade da luz é sujeito, ou isso é puramente derivado da velocidade em si, sem nenhuma relação com a massa inercial do objeto?

Offline D|V

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 650
  • Sexo: Masculino
  • Livre pensador
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #852 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 14:12:24 »
Tá derfel, entendi. Mas o combustível no tanque da nave tem massa tendendo ao infinito certo? Pois está em alta velocidade. Logo, a queima dele gera energia em quantidade que tende ao infinito não?

Não há como ter combustível que tenda ao infinito em termos de volume.

Na verdade, o Marcel tá levando em conta que uma espaçonave movida por foguete é impulsionada pela troca de momento com o combustível ejetado.

É uma pergunta bem marota, na verdade. Vou tentar postar uma resposta decente durante o fim de semana.

Eu acredito que não seja isso que ele esteja pensando não. O que eu acho que ele imaginou (e que foi o que eu tentei responder) é que a se a massa do combustível tendesse ao infinito, então ele poderia ser queimado infinitamente gerando uma energia infinito, porque o combustível nunca iria acabar.

É como se você botasse 20 litros de combustível no seu carro. Se cada litro tem um quilo, então seu tanque teria 20 quilos de combustível. Cada quilo de combustível gera energia suficiente pra impulsionar seu carro por 30 quilômetros, logo você poderia andar por 600 quilômetros com esse tanque até esvaziar. Mas se ao longo da viagem, a massa do combustível fosse aumentando infinitamente (e é aí que entrou o erro dele, em confundir massa inercial com massa elementar), seu tanque nunca iria esvaziar, e teria combustível infinito pra você ir queimando, logo, você poderia andar cada vez mais rápido e sem nunca acabar o combustível.

O autor da pergunta corrija-me se eu tiver entendido errado.

Offline Marcel

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 222
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #853 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 14:36:26 »
Tá derfel, entendi. Mas o combustível no tanque da nave tem massa tendendo ao infinito certo? Pois está em alta velocidade. Logo, a queima dele gera energia em quantidade que tende ao infinito não?

Não há como ter combustível que tenda ao infinito em termos de volume.

Na verdade, o Marcel tá levando em conta que uma espaçonave movida por foguete é impulsionada pela troca de momento com o combustível ejetado.

É uma pergunta bem marota, na verdade. Vou tentar postar uma resposta decente durante o fim de semana.

Eu acredito que não seja isso que ele esteja pensando não. O que eu acho que ele imaginou (e que foi o que eu tentei responder) é que a se a massa do combustível tendesse ao infinito, então ele poderia ser queimado infinitamente gerando uma energia infinito, porque o combustível nunca iria acabar.

É como se você botasse 20 litros de combustível no seu carro. Se cada litro tem um quilo, então seu tanque teria 20 quilos de combustível. Cada quilo de combustível gera energia suficiente pra impulsionar seu carro por 30 quilômetros, logo você poderia andar por 600 quilômetros com esse tanque até esvaziar. Mas se ao longo da viagem, a massa do combustível fosse aumentando infinitamente (e é aí que entrou o erro dele, em confundir massa inercial com massa elementar), seu tanque nunca iria esvaziar, e teria combustível infinito pra você ir queimando, logo, você poderia andar cada vez mais rápido e sem nunca acabar o combustível.

O autor da pergunta corrija-me se eu tiver entendido errado.

Pois é Diego, não foi isso que eu pensei não. Vou explicar o meu raciocínio: O hidrogênio é um gás inflamável. Se exatos 4g de gás hidrogênio reagirem completamente com exatos 32g de gás oxigênio, serão formados exatos 36g de água certo? Errado, serão formados QUASE 36g de água, pois uma pequena parte da massa dos reagentes foi liberada em forma de energia. Então, eu pensei o seguinte: Se no tanque há mais massa de combustível, a energia liberada pela combustão será proporcional à esse aumento de massa. As próprias moléculas de combustível, por estarem muito mais massivas à velocidade próxima da luz, irão liberar muito mais energia na combustão do que se estivessem em repouso.

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #854 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 15:08:02 »
Estou aqui pensando se vale a pena dar uma resposta técnica e correta, ou se tento encontrar uma resposta menos técnica e incorrer em alguma falsa analogia...

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #855 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 17:03:51 »
Ola Pessoal,

Segue uma resposta mais técnica do mesmo colega :

"Esse mecanismo é descrito pelas equações de Einstein: você coloca nelas determinado tensor momento-energia e obtém determinada geometria. No fim das contas, a TGR é "apenas" uma geradora de geometrias.

O gráviton, por enquanto uma partícula hipotética, não tem massa e deve ter spin 2. Na teoria quântica da gravitação essa partícula interage com o tensor momento-energia da mesma forma que o foton interage com a quadricorrente na eletrodinâmica quântica."


Mais uma resposta, mais uma dúvida : a frase "essa partícula interage com o tensor momento-energia " descreve a intgeração de um objeto físico com um objeto matemático. É isso mesmo ? Caso positivo, teríamos de assumir que objetos matemáticos são reais, resolvendo um antigo problema filosófico da matemática (ela é uma descoberta, ou uma criação da mente humana - da mesma forma para a lógica matemática : é uma descoberta, ou uma criação da mente humana?). Se não, qual o correspondente físico deste objeto matemático ?

Abs
Felipe

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.716
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #856 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 18:38:30 »
Tá derfel, entendi. Mas o combustível no tanque da nave tem massa tendendo ao infinito certo? Pois está em alta velocidade. Logo, a queima dele gera energia em quantidade que tende ao infinito não?

Não há como ter combustível que tenda ao infinito em termos de volume.

Na verdade, o Marcel tá levando em conta que uma espaçonave movida por foguete é impulsionada pela troca de momento com o combustível ejetado.

É uma pergunta bem marota, na verdade. Vou tentar postar uma resposta decente durante o fim de semana.

Eu acredito que não seja isso que ele esteja pensando não. O que eu acho que ele imaginou (e que foi o que eu tentei responder) é que a se a massa do combustível tendesse ao infinito, então ele poderia ser queimado infinitamente gerando uma energia infinito, porque o combustível nunca iria acabar.

É como se você botasse 20 litros de combustível no seu carro. Se cada litro tem um quilo, então seu tanque teria 20 quilos de combustível. Cada quilo de combustível gera energia suficiente pra impulsionar seu carro por 30 quilômetros, logo você poderia andar por 600 quilômetros com esse tanque até esvaziar. Mas se ao longo da viagem, a massa do combustível fosse aumentando infinitamente (e é aí que entrou o erro dele, em confundir massa inercial com massa elementar), seu tanque nunca iria esvaziar, e teria combustível infinito pra você ir queimando, logo, você poderia andar cada vez mais rápido e sem nunca acabar o combustível.

O autor da pergunta corrija-me se eu tiver entendido errado.

Pois é Diego, não foi isso que eu pensei não. Vou explicar o meu raciocínio: O hidrogênio é um gás inflamável. Se exatos 4g de gás hidrogênio reagirem completamente com exatos 32g de gás oxigênio, serão formados exatos 36g de água certo? Errado, serão formados QUASE 36g de água, pois uma pequena parte da massa dos reagentes foi liberada em forma de energia. Então, eu pensei o seguinte: Se no tanque há mais massa de combustível, a energia liberada pela combustão será proporcional à esse aumento de massa. As próprias moléculas de combustível, por estarem muito mais massivas à velocidade próxima da luz, irão liberar muito mais energia na combustão do que se estivessem em repouso.

Simplifique.

Imagine alguém olhando o foguete se deslocando e o que seria visto por alguém se estivesse no foguete.

Para quem está no foguete não muda nada. Essa pessoa apenas vai ver o mundo "fora" do foguete se comportando de maneira estranha, mas para quem está "fora", parado, também não muda nada, o estranho na estória será o foguete. Em ambos os casos, cada um a seu modo vai perceber alterações na medição do espaço e do tempo.

Portanto, para quem está no foguete, tudo vai parecer normal, inclusive não vai perceber nenhuma alteração de massa, mas a imagem que ele observa na escotilha vai estar estranhamente distorcida com as coisas acontecendo "mais rápido" do lado de fora.. O combustível vai continuar queimando normalmente e os instrumentos de bordo vão fornecer informações corretas do que está ocorrendo de fato no interior do foguete.

Para quem está parado, no lado de fora, olhando o foguete, vai perceber que ele fica cada vez mais curto e mais "pesado" na direção do movimento e se pudesse medir veria que as coisas demoram mais tempo para acontecer dentro do foguete, inclusive a queima do combustível.

Aonde foi que errei?

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #857 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 19:31:02 »
Lembrem-se que para um observador de fora a massa aparente do combustível aumenta, mas aumentam também os intervalos de tempo. Ou seja, a energia é liberada "mais lentamente" -- e assim o impulso é menor.

Claro, isso é chute; eu teria que verificar os cálculos. Desconfio que seja isso, entretanto.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.716
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #858 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 19:58:26 »
Lembrem-se que para um observador de fora a massa aparente do combustível aumenta, mas aumentam também os intervalos de tempo. Ou seja, a energia é liberada "mais lentamente" -- e assim o impulso é menor.

Claro, isso é chute; eu teria que verificar os cálculos. Desconfio que seja isso, entretanto.

Por que separar o "motor" do foguete do foguete? Para um observador externo não faz sentido a separação. É tudo foguete. Então, o impulso final resultante já aparece compensado pelos ajustes relativísticos, apesar de parecer inalterato para um observador colocado dentro do foguete.

De novo, aonde errei?

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.716
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #859 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 20:04:01 »
Não se esqueça do encurtamento do espaço na direção do movimento. Se por um lado diminui o impulso, este deve ser compensado por uma distância menor percorrida. Isso, do ponto de vista de um referencial externo.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.716
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #860 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 20:43:45 »

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #861 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 22:56:25 »
Então, para um observador externo, a troca de momento entre o combustível e o foguete ocorre ao longo de um tempo progressivamente maior, logo o impulso obtido é progressivamente menor. É por isso que a massa parece maior. Hoje em dia não se fala mais em massa relativística, aliás.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.716
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #862 Online: 10 de Fevereiro de 2012, 23:10:20 »
Então, para um observador externo, a troca de momento entre o combustível e o foguete ocorre ao longo de um tempo progressivamente maior, logo o impulso obtido é progressivamente menor. É por isso que a massa parece maior. Hoje em dia não se fala mais em massa relativística, aliás.


Onde errei?

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #863 Online: 11 de Fevereiro de 2012, 06:49:33 »
Não parece ter errado, embora não tenha descrito o panorama de forma qualitativamente completa. Aliás, isso é difícil sem calcular.

O ponto é: observadores diferentes verão coisas diferentes, mas vão concordar com certas coisas -- causalidade entre eventos, valor da velocidade da luz e conservação da energia. Discordarão quanto a distâncias e intervalos de tempo, que é o cerne da relatividade.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.716
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #864 Online: 11 de Fevereiro de 2012, 08:29:03 »
Não parece ter errado, embora não tenha descrito o panorama de forma qualitativamente completa. Aliás, isso é difícil sem calcular.

O ponto é: observadores diferentes verão coisas diferentes, mas vão concordar com certas coisas -- causalidade entre eventos, valor da velocidade da luz e conservação da energia. Discordarão quanto a distâncias e intervalos de tempo, que é o cerne da relatividade.

Valeu!  :ok:
É que quando me meto a falar de física sempre fico com a uma estranha sensação de estar dizendo besteiras.

Offline Derfel

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.885
  • Sexo: Masculino
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #865 Online: 11 de Fevereiro de 2012, 09:29:03 »


Pois é Diego, não foi isso que eu pensei não. Vou explicar o meu raciocínio: O hidrogênio é um gás inflamável. Se exatos 4g de gás hidrogênio reagirem completamente com exatos 32g de gás oxigênio, serão formados exatos 36g de água certo? Errado, serão formados QUASE 36g de água, pois uma pequena parte da massa dos reagentes foi liberada em forma de energia. Então, eu pensei o seguinte: Se no tanque há mais massa de combustível, a energia liberada pela combustão será proporcional à esse aumento de massa. As próprias moléculas de combustível, por estarem muito mais massivas à velocidade próxima da luz, irão liberar muito mais energia na combustão do que se estivessem em repouso.
Não entendi seu balanceamento da reação.

Offline Marcel

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 222
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #866 Online: 11 de Fevereiro de 2012, 15:19:52 »


Pois é Diego, não foi isso que eu pensei não. Vou explicar o meu raciocínio: O hidrogênio é um gás inflamável. Se exatos 4g de gás hidrogênio reagirem completamente com exatos 32g de gás oxigênio, serão formados exatos 36g de água certo? Errado, serão formados QUASE 36g de água, pois uma pequena parte da massa dos reagentes foi liberada em forma de energia. Então, eu pensei o seguinte: Se no tanque há mais massa de combustível, a energia liberada pela combustão será proporcional à esse aumento de massa. As próprias moléculas de combustível, por estarem muito mais massivas à velocidade próxima da luz, irão liberar muito mais energia na combustão do que se estivessem em repouso.
Não entendi seu balanceamento da reação.
É assim Derfel: 2h2+02 ---- 2h20. Ou seja, duas moléculas de gás hidrogênio reagindo com uma molécula de gás oxigênio, formam duas moléculas de água. Ou seja, dois mols de moléculas de hidrogenio reagindo com um mol de moléculas de oxigenio formam dois mols de moléculas de água. 2 mols de hidrogenio "pesam" 4g. 1 mol de oxigenio "pesa" 32g e 2 mols de água "pesam" 36g.

Offline Derfel

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.885
  • Sexo: Masculino
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #867 Online: 11 de Fevereiro de 2012, 15:44:01 »
Isso eu entendi. Não entendi foi a perda de massa que você relatou.

Offline Marcel

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 222
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #868 Online: 11 de Fevereiro de 2012, 16:47:49 »
Pois é, esse lance da perda de energia eu lembro dos tempos de cursinho. O professor dizia que a combustão é um processo exotérmico, ou seja, libera energia. Mas essa energia não foi criada pela combustão, e sim liberada. E ele dizia que parte da massa era "perdida" em forma de energia. Processo semelhante, dizia ele, à fissão nuclear, onde os produtos resultantes da fissão tem massa menor que o produto primitivo, pois parte da massa virava energia. Agora eu não sei se isso é sério ou se era algum macete pra vestibular...

Offline SnowRaptor

  • Webmaster
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 17.961
  • Sexo: Masculino
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #869 Online: 11 de Fevereiro de 2012, 16:54:51 »
No caso da fissão nuclear, é isso, sim. No caso da combustão, não.
Elton Carvalho

Antes de me apresentar sua teoria científica revolucionária, clique AQUI

“Na fase inicial do processo [...] o cientista trabalha através da
imaginação, assim como o artista. Somente depois, quando testes
críticos e experimentação entram em jogo, é que a ciência diverge da
arte.”

-- François Jacob, 1997

Offline Marcel

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 222
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #870 Online: 11 de Fevereiro de 2012, 17:33:09 »
No caso da fissão nuclear, é isso, sim. No caso da combustão, não.
Então, neste caso, o motor da minha nave não é de combustão, e sim de fissão, hehe.

Offline hugoxrosa

  • Nível 02
  • *
  • Mensagens: 23
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #871 Online: 11 de Fevereiro de 2012, 19:33:20 »
Marcel, não há perda de massa em reações químicas. As energias liberadas ocorrem devido a mudança de estado quântico dos elétrons.
Lembra das camadas (K,L,M,N...) e subcamadas (s,p,d,f...), então cada uma delas possui um nível de energia diferente, para passar de uma para outra o elétron deve mudar seu estado quântico absorvendo ou liberando energia (normalmente em forma de fótons), nesse processo não há mudança de massa dos elétrons.
As ligações químicas são como as camadas, tem forma e níveis energéticos diferentes, assim ao formar e quebrar ligações, elétrons mudam de estado quântico, liberando e absorvendo diferentes quantidades de energia restando um saldo que pode ser positivo (reação exotérmica) ou negativo (endotérmica).
Como o número de ligações não muda, a energia gerada será a mesma nos dois casos.

Nos outros casos, como tentar usar energia nuclear ou fusão, o limitante é o que já foi descrito de que a massa envolvida na transformação não é a massa inercial, e sim a massa elementar.

Mesmo assim, esta tecnologia usam a energia para geram movimento que irá deslocar o veiculo através de um meio epurrando o mesmo. Isto é, o carro empurra a estrada; barcos, a água; trens, os trilhos; aviões, o ar. No espaço não a nada para ser empurrado.

Nos foquetes o processo é diferente, a reação produz gases que expandem rapidamente, e então este são expelidos rápidamente por uma abertura numa única direção. Esse deslocamento de massa numa direção, empurra a nave na direção contrária. Neste caso, há a limitação da diferença entre as massas (fguete e gases) e a velocidade com que se consegue expulsá-las. Além disso, os átomos de gases serão cada vez menos não importa quanto aumente de massa, e a quantidade de átomos do foguete sempre permanecerá a mesma, então a diferença entre elas será cada vez maior.

Podemos pensar em técnicas inexistentes como converter energia em matéria e usar a matéria recém criada para obter momento. Mas, ainda tem limitação da quantidade de matéria a ser produzida antes que a energia acabe, e portanto do momento total a ser gerado.

Acabou minha criatividade sobre propulsão. Se pensar em mais alguja forma podemos tentar analisar, pode-se tentar fazer os cálculos se tiver números, poderia se atingir velocidades muito alta, mas nunca a da luz.

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #872 Online: 13 de Fevereiro de 2012, 17:05:35 »
Ola Pessoal,

Segue uma resposta mais técnica do mesmo colega :

"Esse mecanismo é descrito pelas equações de Einstein: você coloca nelas determinado tensor momento-energia e obtém determinada geometria. No fim das contas, a TGR é "apenas" uma geradora de geometrias.

O gráviton, por enquanto uma partícula hipotética, não tem massa e deve ter spin 2. Na teoria quântica da gravitação essa partícula interage com o tensor momento-energia da mesma forma que o foton interage com a quadricorrente na eletrodinâmica quântica."


Mais uma resposta, mais uma dúvida : a frase "essa partícula interage com o tensor momento-energia " descreve a intgeração de um objeto físico com um objeto matemático. É isso mesmo ? Caso positivo, teríamos de assumir que objetos matemáticos são reais, resolvendo um antigo problema filosófico da matemática (ela é uma descoberta, ou uma criação da mente humana - da mesma forma para a lógica matemática : é uma descoberta, ou uma criação da mente humana?). Se não, qual o correspondente físico deste objeto matemático ?

Abs
Felipe

Ola Pessoal,

Alguém pode me ajudar com minha dúvida ?

Abs
Felipe

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #873 Online: 13 de Fevereiro de 2012, 18:07:35 »
Ola Pessoal,

Segue uma resposta mais técnica do mesmo colega :

"Esse mecanismo é descrito pelas equações de Einstein: você coloca nelas determinado tensor momento-energia e obtém determinada geometria. No fim das contas, a TGR é "apenas" uma geradora de geometrias.

O gráviton, por enquanto uma partícula hipotética, não tem massa e deve ter spin 2. Na teoria quântica da gravitação essa partícula interage com o tensor momento-energia da mesma forma que o foton interage com a quadricorrente na eletrodinâmica quântica."


Mais uma resposta, mais uma dúvida : a frase "essa partícula interage com o tensor momento-energia " descreve a interação de um objeto físico com um objeto matemático. É isso mesmo ? Caso positivo, teríamos de assumir que objetos matemáticos são reais, resolvendo um antigo problema filosófico da matemática (ela é uma descoberta, ou uma criação da mente humana - da mesma forma para a lógica matemática : é uma descoberta, ou uma criação da mente humana?). Se não, qual o correspondente físico deste objeto matemático ?

Abs
Felipe

Ola Pessoal,

Alguém pode me ajudar com minha dúvida ?

Abs
Felipe

Vou tentar: o tensor stress-energia é de fato um objeto matemático. Mas é um objeto matemático que descreve um conjunto de características mensuráveis de um sistema. Existe toda uma caixa de pandora relacionada a questões epistemológicas [1], mas podemos dizer que esse conjunto de propriedades físicas é (se me lembro bem - meu livro de RG não está aqui perto no momento): a densidade de massa-energia, a pressão (ou fluxo de momento), e as tensões mecânicas. Enquanto que na gravidade newtoniana a massa apenas é a fonte do campo gravitacional, na Relatividade Geral torna-se necessário usar esse conjunto de propriedades. Isso porque é preciso, na RG, que o que gera o fenômeno da gravidade seja independente do referencial. Como a massa é equivalente à energia na RG, ela deve contribuir. Só que a densidade de massa-energia depende do referencial, daí serem precisos outros termos. 

É como um vetor: você pode descrever um vetor %7B%5Cbf+R%7D pelas suas componentes: %7B%5Cbf+R%7D+%3D+%28R_x%2C+R_y%2C+R_z%29 em três dimensões. Se você girar o seu sistema de coordenadas, os valores das componentes mudam, mas o vetor "em si" não deve mudar. Ou seja, a forma de descrever o vetor muda, mas ele mesmo não. Um tensor é uma generalização do vetor [2]. Resumindo: dizer que o gráviton se acopla ao tensor de stress-energia é uma forma mais compacta de dizer que ele se acopla à densidade de energia, à pressão e etc., sendo que estas se transformam de uma forma específica sob uma mudança de referencial.



[1] Ex.: qual é o sentido de se associar uma velocidade instantânea a um objeto? De um ponto de vista operacional, velocidades são sempre definidas como um %5CDelta+x+%2F+%5CDelta+t. O que significa dizer então que o objeto "tem" uma velocidade num dado instante? Bem, deixo essas questões para os interessados em filosofia da ciência. Eu fico feliz em aceitar a velocidade instantânea como um conceito teórico puro e simples.

[2] Os vetores são chamados tensores de rank 1. Isso quer dizer que suas componentes precisam apenas de 1 índice, como R_x. O tensor de stress-energia é de rank 2, daí precisa de dois índices, como T_%7B%5Cmu+%5Cnu%7D e pode ser escrito como uma matriz quadrada 4x4.
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline Derfel

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.885
  • Sexo: Masculino
Re:Perguntas sem-vergonha sobre física...
« Resposta #874 Online: 13 de Fevereiro de 2012, 18:09:54 »
Sinto muito. Até hoje não entendo direito o que é o momento, quanto mais um tensor momento energia. :lol:

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!