Autor Tópico: Os estragos do chavismo na Venezuela  (Lida 108875 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Zero

  • Nível 16
  • *
  • Mensagens: 447
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3150 Online: 15 de Março de 2019, 12:55:24 »
Citar
John Matherly diz que "o Google procura por websites. Eu procuro por dispositivos". Em seu mecanismo de busca, uma procura rápida por um monitor igual ao de Gilbert resulta em mais de 40 mil outros dispositivos semelhantes e todos estão sujeitos a ataques.

John explica que pensou no Shodan inicialmente como um serviço que poderia ser usado por empresas como a Cisco, Juniper ou Microsoft, para procurar dispositivos dos seus competidores pelo mundo. Ao invés disso, ele pode ter criado o mecanismo de busca mais perigoso do planeta.
shodan

John parece saber que sua criação pode ser usada com essas intenções, mas afirma que não há riscos de sua busca ser usada para crimes de grande escala, como assumir o controle de uma usina de energia. Ele afirma que o Shodan não é um serviço anônimo. Para conseguir 50 resultados, o usuário precisa fornecer informações pessoais e de pagamento. Se alguém mal-intencionado quisesse atacar um sistema de larga escala, essa pessoa usaria botnets para obter essas informações.

https://canaltech.com.br/seguranca/Shodan-conheca-o-buscador-mais-perigoso-da-internet/
“A menor minoria na Terra é o indivíduo. Aqueles que negam os direitos individuais não podem se dizer defensores das minorias.” - Ayn Rand

Offline Zero

  • Nível 16
  • *
  • Mensagens: 447
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3151 Online: 15 de Março de 2019, 13:09:31 »
Seguindo as fontes, cheguei no https://medium.com/dominio-cuba/el-apag%C3%B3n-ciberataque-como-guerra-de-baja-intensidad-en-venezuela-3674ab8da978?%24

Não há nenhuma fonte sobre os 288 dispositivos conectados. Apenas um site indicando a outro, nada de concreto.

Dei uma olhada no Shodan e não apareceu nada de relevante, algumas informações sobre companhias de internet e telefônicas.

E, mesmo supondo que haja tal conexão com os dispositivos, não sabemos a gravidade das brechas, se é algo que possa ser usado para tomar controle, algo improvável, já que o governo deveria ter medidas mínimas para garantir a segurança de suas redes.
“A menor minoria na Terra é o indivíduo. Aqueles que negam os direitos individuais não podem se dizer defensores das minorias.” - Ayn Rand

Offline Peter Joseph

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 2.041
  • Sexo: Masculino
  • Ela, a Entropia!
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3152 Online: 15 de Março de 2019, 13:27:37 »
Nestes sistemas críticos tipo o Scada, o mais provável é a infiltração por meio de dispositivos de entrada infectados, como pendrives e DVDs. De forma intencional ou não.
« Última modificação: 15 de Março de 2019, 13:41:46 por Peter Joseph »
"Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente." - Krishnamurti

"O progresso é a concretização de Utopias." – Oscar Wilde
O Minhocário - https://ominhocario.wordpress.com/

Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.919
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3153 Online: 21 de Março de 2019, 21:40:14 »
Acho que já se passaram as 72 horas, o vagabundo já peitou os fuzileiros armados que fazem a segurança da embaixada americana ou só é fodão na hora de ameaçar os civis esfomeados?
Prorrogou para 30 dias o prazo.

O prazo de 30 dias se esgotou e o cagão não cumpriu a promessa sobre a expulsão dos embaixadores americanos. Aliás, o governo chavista nem teve coragem de prender Guaidó ainda. Mas já saiu a notícia de que prenderem o chefe de gabinete de Guaidó.
« Última modificação: 21 de Março de 2019, 21:43:42 por -Huxley- »

Offline Adler

  • Nível 07
  • *
  • Mensagens: 77
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3154 Online: 25 de Março de 2019, 10:00:57 »
Citar
Aviões militares russos carregando tropas e equipamentos chegam à Venezuela

Ainda não se sabe quais objetivos da movimentação, três meses após manobras conjuntas dos dois países

CARACAS – Dois aviões militares russos pousaram no principal aeroporto da Venezuela neste sábado carregando tropas e equipamentos, em movimentação cujos objetivos permanecem um mistério.

Segundo o jornalista venezuelano Javier Mayorca, um avião de passageiros Ilyushin IL-62 trouxe para a Venezuela Vasily Tonkoshkurov, chefe do Estado Maior das forças terrestres da Rússia, junto com cerca de cem outros militares, enquanto um avião de carga Antonov AN-124 desembarcou cerca de 35 toneladas de material militar.

O site de monitoramento global de voos Flightradar24 registrou os dois aviões deixando a base aérea russa de Chkalovsky na sexta-feira, fazendo uma escala na Síria antes de seguir para Caracas, onde pousaram no sábado. Outro site do tipo, Adsbexchange, mostrou o avião de carga deixando a Venezuela ainda neste sábado.

Nem o Ministério da Informação da Venezuela nem os ministérios da Defesa e das Relações Exteriores da Rússia informaram ainda o que Tonkoshkurov e as tropas russas farão no país sul-americana, nem no que consistiria a carga.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse na última quarta-feira que a Rússia enviaria remédios para o país na “próxima semana”, acrescentando que em fevereiro os russos já tinham mandado cerca de 300 toneladas de ajuda.

Em dezembro, dois bombardeiros estratégicos russos, capazes de carregar ogivas nucleares, pousaram na Venezuela como parte de manobras militares conjuntas, numa demonstração de apoio ao governo Maduro que enfureceu os EUA.

FONTE: O Globo/Agências Internacionais

https://www.forte.jor.br/2019/03/24/avioes-militares-russos-carregando-tropas-e-equipamentos-chegam-a-venezuela/
Não devemos resisitir às tentações: elas podem não voltar.
Millor Fernades

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.321
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3155 Online: 25 de Março de 2019, 19:48:25 »
E tome mais um apagão, se até Caracas fica no escuro com tanta frequência nem quero imaginar qual é a situação das regiões mais pobres.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.321
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3156 Online: 28 de Março de 2019, 15:40:10 »
https://www.terra.com.br/noticias/mundo/venezuela-inabilita-guaido-a-cargos-publicos-por-15-anos,4534a541d63e18d3b73

Chavistas querem impedir que Guaidó ocupe cargos públicos por 15 anos mas como ele foi reconhecido como presidente interino por 50 países a coisa deve esquentar logo.


Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.816
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3157 Online: 28 de Março de 2019, 15:42:59 »
E tome mais um apagão, se até Caracas fica no escuro com tanta frequência nem quero imaginar qual é a situação das regiões mais pobres.


A coisa lá tá preta.


 :hihi:

Offline Peter Joseph

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 2.041
  • Sexo: Masculino
  • Ela, a Entropia!
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3158 Online: 29 de Março de 2019, 10:38:38 »
Citar
Pressionada pelos EUA, Rússia diz que militares ficarão na Venezuela 'o tempo que for necessário'

https://oglobo.globo.com/mundo/pressionada-pelos-eua-russia-diz-que-militares-ficarao-na-venezuela-tempo-que-for-necessario-23556615

Guerraaaaaaaaa...!!!111!1!
"Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente." - Krishnamurti

"O progresso é a concretização de Utopias." – Oscar Wilde
O Minhocário - https://ominhocario.wordpress.com/

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.816
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3159 Online: 29 de Março de 2019, 10:45:52 »
Como surge cooperação russo-venezuelana e por que EUA querem retornar à Doutrina Monroe?



© REUTERS / Carlos Jasso
AMÉRICAS


07:30 29.03.2019(atualizado 07:31 29.03.2019) URL curta3111


A cooperação técnico-militar entre a Venezuela e a Rússia é legal e existe há mais de 18 anos, lembrou o analista em assuntos internacionais Sergio Rodríguez Gelfenstein à Sputnik Mundo.

O especialista sublinhou que a Venezuela estabeleceu essas ligações com Moscou depois que os EUA deixaram de enviar suprimentos militares para o país sul-americano.

Rodríguez Gelfenstein apontou que o acordo de cooperação entre a Venezuela e a Rússia data de 2001, quando o país, encabeçado naquela época por Hugo Chávez, "foi forçado a mudar o fornecedor de suas Forças Armadas".

Quando Trump acha que pode mandar fora dos EUA
© SPUTNIK / VITALY PODVITSKY


Quando Trump acha que pode mandar fora dos EUA


O analista lembrou que, quando Chávez chegou ao poder, "a maior parte do armamento das Forças Armadas venezuelanas era de origem norte-americana".
A oposição dos EUA em relação às políticas implementadas pelo chavismo fez com que a Venezuela logo enfrentasse restrições em usar o armamento ou obter peças sobresselentes.


"É nesse quadro que surge o grande convénio com a Rússia", disse o analista à Sputnik Mundo. O acordo, sublinhou, prevê "revisões permanentes" e permite a cooperação entre as Forças Armadas de ambos os países.

Assim, o Exército venezuelano participou de celebrações patrióticas russas, enquanto Moscou enviou delegações técnicas para trabalhar na Venezuela.

Uma dessas delegações visitou a Venezuela em dezembro de 2018 e outra em março deste ano. Para Rodríguez Gelfenstein, se trata de operações habituais no quadro do acordo, "embora a situação internacional, sobretudo depois de 23 de janeiro, tenha evoluído de forma tão rápida que há um questionamento de qualquer decisão que a Venezuela tome em matéria interna e internacional".


As relações da Venezuela com a Rússia e a China, por exemplo, são especialmente questionadas pelos EUA, disse o analista.


"Doutrina Monroe" foi o nome dado ao princípio da política exterior implementado a partir de 1823 pelo presidente estadunidense James Monroe, que considerava como uma "agressão" qualquer intervenção de um país europeu no continente americano. "A América para os americanos" é a frase que resume essa doutrina, segundo a qual os EUA interviriam antes de qualquer intervenção extracontinental.

Apagão em Caracas, Venezuela
© SPUTNIK / EVA MARI USKATEGI

Maduro: ataque à principal hidrelétrica da Venezuela foi efetuado por franco-atirador


Para o analista, a intenção dos EUA de regressar a essa política "é hoje aberta, patente e oficializada pelo conselheiro [John] Bolton".
Foi precisamente o conselheiro de Segurança dos EUA que declarou na sua conta no Twitter que o seu país “não tolerará a interferência de potências militares estrangeiras nos objetivos compartilhados do hemisfério ocidental: democracia, segurança e supremacia da lei. O Exército venezuelano deve apoiar o povo da Venezuela”.

Para Rodríguez Gelfenstein, as palavras de Bolton constituem “uma clara ameaça” para a América Latina e a participação de países como a Rússia e a China.



https://br.sputniknews.com/americas/2019032913577176-cooperacao-russo-venezuelana-euadountrina-monroe/


Offline Peter Joseph

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 2.041
  • Sexo: Masculino
  • Ela, a Entropia!
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3160 Online: 29 de Março de 2019, 10:49:05 »
Fico imaginando, a Russia tem fama de ser bem preparada para guerras cibernéticas e mesmo assim deixou a nova versão do Stuxnet avacalhar a rede elétrica da Venezuela. Ou os Russos não são tão bons assim ou o apagão se deve principalmente a outras causas.
"Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente." - Krishnamurti

"O progresso é a concretização de Utopias." – Oscar Wilde
O Minhocário - https://ominhocario.wordpress.com/

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.816
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3161 Online: 29 de Março de 2019, 10:51:17 »


Por que Brasil está insatisfeito com a presença russa na Venezuela?


Marcos Corrêa/PR

AMÉRICAS

07:34 29.03.2019(atualizado 09:01 29.03.2019) URL curta24718


O ministro do MRE do Brasil, Ernesto Araújo, declarou que os militares russos devem deixar a Venezuela caso pretendam manter o presidente Nicolás Maduro no poder. Em conversa com o serviço russo da Rádio Sputnik, analistas sugeriram por que o Brasil reage dessa forma.


"Se a ideia é manter Maduro no poder por mais tempo, significa que haverá mais pessoas famintas e fugindo do país, mais tragédia humana na Venezuela", afirmou o chanceler brasileiro por telefone à Reuters, adicionando que "tudo que contribui para a continuação do sofrimento do povo venezuelano deve ser removido".


Fronteira entre Brasil e Venezuela
© REUTERS / BRUNO KELLY

Análise: Brasil não tem interesse em se arriscar pela mudança de governo na Venezuela


O professor da Academia Diplomática do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Lev Klepatsky, comentou ao serviço russo da Rádio Sputnik o pedido do Brasil de retirada de tropas russas da Venezuela. Vale destacar que o presidente dos EUA, Donald Trump, declarou um pouco antes do Brasil que os militares russos deveriam abandonar a Venezuela.
"Os Estados Unidos iniciaram, e o Brasil está simplesmente 'indo de carona'. Nos últimos tempos, o Brasil vem cada vez mais dando atenção às recomendações de Washington, ao invés de realizar uma política externa independente. Não há nada de novo, e teve tempo em que a América Latina era considerada 'quintal' dos EUA."


Para Klepatsky, o pedido do Brasil pode ser interpretado erroneamente como um desejo de a América Latina ser somente de latino-americanos, com governos de fora sem poder participar do que está acontecendo na região, quando, na verdade, não passa de "tributo à atual política dos EUA". O serviço russo da Rádio Sputnik também falou com o cientista político e jornalista Yuri Svetov.


De acordo com Svetov, durante anos, o Brasil foi governado por políticos da esquerda com uma política externa um tanto antiamericana, vindo a ser presidido agora por Jair Bolsonaro, que mostra uma tendência diferente da adotada por outros chefes de Estado. O cientista político lamentou o passo do Brasil ao pedir a saída das tropas russas da Venezuela, visto que as duas nações, Brasil e Rússia, fazem parte do BRICS e são parceiras econômicas.

Soldado junto à bandeira dos EUA (foto de arquivo)
© AP PHOTO / HASAN JAMALI

Especialista: EUA minam situação na Venezuela usando Brasil e Colômbia


"O Brasil, liderado pelo novo presidente, se vê como o novo líder da América Latina, e a presença da Rússia certamente o irrita, como se a Rússia estivesse se envolvendo nos assuntos deles", disse Svetov.
Em 21 de janeiro, a Venezuela começou a ser atingida por protestos em massa contra o presidente Nicolás Maduro, logo após a tomada de posse. Juan Guaidó se declarou ilegalmente presidente interino do país. Vários países ocidentais, liderados pelos EUA, anunciaram o reconhecimento de Guaidó. Rússia, China e vários outros países apoiam Maduro como presidente legítimo.



https://br.sputniknews.com/americas/2019032913577217-brasil-insatisfeito-presenca-russa-venezuela/



Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.321
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3162 Online: 30 de Março de 2019, 21:21:12 »
Terceiro apagão geral em menos de um mês.


Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.919
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3163 Online: 30 de Março de 2019, 21:46:11 »
Ouvi dizer que parte da energia elétrica da Venezuela depende do diesel. Será que esses apagões são um reflexo das sanções americanas?

E, ademais, parece que o Arcanjo Lúcifer perdeu a aposta sobre a data da queda de Maduro.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.321
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3164 Online: 30 de Março de 2019, 21:59:02 »
Sim, eu errei, tinha forte impressão de que não passaria da primeira semana de Março.

Acho que o problema da energia mostra o ponto em que chegou a falta de manutenção, mesmo que precisem de Diesel ainda assim toda a produção de petróleo vinha caindo ano a ano enquanto forneciam de graça para Cuba a troco de pagar milicianos.

A festa não vai durar para sempre.

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.216
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3165 Online: 31 de Março de 2019, 08:36:00 »
Ouvi dizer que parte da energia elétrica da Venezuela depende do diesel. Será que esses apagões são um reflexo das sanções americanas?
Não adianta ter diesel se as usinas termoelétricas não funcionam por falta de manutenção e a rede elétrica está caindo aos pedaços.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.816
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3166 Online: 01 de Abril de 2019, 11:16:05 »


Espero que os  Estados Unidos façam coisas mais efetivas para ajudar a oposição tirar o  M  do poder. 
« Última modificação: 01 de Abril de 2019, 11:19:34 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.816
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3167 Online: 01 de Abril de 2019, 11:18:28 »

Venezuelanos ficam sem água após apagões; Maduro decreta racionamento de energia



Venezuelanos carregam garrafões de água em Caracas - AFP

AFP

01/04/19 - 06h25 - Atualizado em 01/04/19 - 11h12

Milhões de venezuelanos ficaram sem uma gota de água em um cenário de desabastecimento provocado pela série de apagões registrados desde o início de março, que levaram o presidente Nicolás Maduro a decretar um racionamento da energia elétrica e a reduzir a jornada de trabalho.

“Temos crianças pequenas e não temos como dar uma gota de água para beber”, afirmou Maria Rodríguez em Caracas.

Diante da situação, Maduro anunciou no domingo, em uma cadeia de rádio e TV, um plano de racionamento de energia elétrica por 30 dias, período em que espera solucionar os problemas que provocaram uma série de apagões desde 7 de março no país de 30 milhões de habitantes.

O anúncio aconteceu no domingo, após uma série de protestos espontâneos motivados pela falta de energia elétrica, vários deles reprimidos pelos coletivos – como são conhecidos na Venezuela os grupos de civis armados vinculados ao governo socialista -, denunciaram manifestantes e ONGs.


Maduro, que atribui os apagões a atos de sabotagem, autorizou os coletivos civis que apoiam o governo a conter os protestos que chama de “guarimbas violentas” para derrubá-lo.

O governo chavista também decidiu manter a suspensão das atividades escolares e estabeleceu uma jornada de trabalho até as 14H00 em instituições públicas e privadas, informou o ministro da Comunicação, Jorge Rodríguez.

O comunicado lido pelo ministro não explica por quanto tempo prosseguirá a redução da jornada de trabalho ou a suspensão das aulas. Maduro afirmou que as atividades escolares podem ser retomadas entre terça-feira e quarta-feira.

Não temos água, não temos luz, não temos Internet, não tempos telefones, estamos incomunicáveis. Chegamos ao pior que poderíamos imaginar”, afirmou Joaquín Rodríguez à AFP.


O apagão provocou um colapso no abastecimento de água, que já era deficitário.

A cena é parecida em vários bairros de Caracas. Famílias inteiras formam filas e carregam baldes para retirar água de nascentes, canos quebrados, valas, de carros-pipa fornecidos pelo governo ou do pouco que flui pelo rio Guiare.

O governo socialista reiterou que atentados “terroristas” afetaram a central hidrelétrica de Guri, que gera 80% da energia elétrica na Venezuela.

O regime bolivariano “denuncia a infame e brutal perpetração de dois ataques programados e sincronizados contra o sistema elétrico nacional para obstruir de maneira criminosa e homicida os imensos esforços do governo revolucionário (…) para estabilizar o serviço de energia elétrica”, declarou o ministro Rodríguez.


 
A emergência, que de maneira intermitente afeta 21 dos 23 estados, além de Caracas, parece estar longe de uma solução devido à falta de investimentos em infraestruturas e uma corrupção endêmica, alertam especialistas.

A situação é resultado da corrupção, falta de perícia e falta de manutenção do sistema elétrico, afirmou Miguel Ara, gerente de operações do sistema elétrico venezuelano até 2004.

O líder opositor Juan Guaidó, reconhecido como presidente encarregado da Venezuela por mais de 50 países, pediu protestos a cada nova falha no sistema de energia elétrica.


 
“Senhores da FANB (Forças Armadas), os cidadãos protestam porque TODOS, incluindo vocês e suas famílias, estamos sofrendo por culpa do colapso que o regime gerou”, escreveu no Twitter Juan Guaidó, que na semana passada foi declarado inabilitado pela Controladoria venezuelana para exercer cargos públicos por 15 anos.

Em meio à emergência, a Cruz Vermelha anunciou que distribuirá ajuda humanitária de forma iminente na Venezuela, uma questão que é central na disputa de poder entre Maduro e Guaidó.


https://istoe.com.br/venezuelanos-ficam-sem-agua-apos-apagoes-maduro-decreta-racionamento-de-energia/


Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.216
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3168 Online: 01 de Abril de 2019, 13:42:42 »
Não temos água, não temos luz, não temos Internet, não tempos telefones, estamos incomunicáveis. Chegamos ao pior que poderíamos imaginar”, afirmou Joaquín Rodríguez à AFP.
Sim, mas ... fora isso?

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.321
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3169 Online: 01 de Abril de 2019, 14:23:10 »
Eles têm igualdade.

Todos os cidadãos comuns e bolivarianos que apoiam o Maduro agora estão no mesmo nível social.

Falta tudo para todos, igualmente.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.894
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3170 Online: 01 de Abril de 2019, 14:33:21 »
Nesse sentido foi alcançado o ideal socialista: a democratização da pobreza.
Brandolini's Bullshit Asymmetry Principle: "The amount of effort necessary to refute bullshit is an order of magnitude bigger than to produce it".

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.216
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3171 Online: 01 de Abril de 2019, 15:18:18 »
Maduro retomou o controle. Agora está escuro por decreto dele e não mais por sabotagem dos zamericanos.

Offline Pregador

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.049
  • Sexo: Masculino
  • "Veritas vos Liberabit".
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3172 Online: 02 de Abril de 2019, 00:02:58 »
Falta ainda Maduro se converter ao islã, como já manifestou a vontade uma vez... Para os EUA um país islâmico-socialista deve ser a personificação do capeta.
"O crime é contagioso. Se o governo quebra a lei, o povo passa a menosprezar a lei". (Lois D. Brandeis).

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.816
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3173 Online: 02 de Abril de 2019, 09:17:45 »



Até quando irá essa novela  mexicana  na Venezuela ?




Offline Zero

  • Nível 16
  • *
  • Mensagens: 447
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #3174 Online: 02 de Abril de 2019, 12:42:55 »



Até quando irá essa novela  mexicana  na Venezuela ?

Se os EUA tomar alguma iniciativa mais direta, como invasão, haverão críticas por todo lado, "não é pelo povo venezuelano, é pelo petróleo", mas só se for os EUA, porque a Rússia pode intervir a favor :hihi:

É somente questão de tempo, uma hora os recursos acabam, sem ajuda externa a Venezuela não terá como se manter por muito tempo.

Ao menos não cheguei ao ponto de presumir que haja possibilidade de estabilização e recuperação para que ele se mantenha no poder por anos.
“A menor minoria na Terra é o indivíduo. Aqueles que negam os direitos individuais não podem se dizer defensores das minorias.” - Ayn Rand

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!