Autor Tópico: A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises  (Lida 13217 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.583
  • Sexo: Masculino
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #75 Online: 18 de Junho de 2016, 06:10:50 »
O autor do tópico quer criticar "pseudociência", mas ele mesmo acredita no projeto Vênus. Um tanto quanto contraditório  :hihi: :hihi:


Argumentum ad hominem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Argumentum ad hominem (latim, argumento contra a pessoa) é uma falácia identificada quando alguém procura negar uma proposição com uma crítica ao seu autor e não ao seu conteúdo.[1] [2] [3] Um argumentum ad hominem é uma forte arma retórica, apesar de não possuir bases lógicas.

A falácia ocorre porque conclui sobre o valor da proposição sem examinar seu conteúdo, o que é absurdo.

O argumento contra a pessoa é uma das falácias caracterizadas pelo elemento da irrelevância, por concluir sobre o valor de uma proposição através da introdução, dentro do contexto da discussão, de um elemento que não tem relevância para isso, que neste caso é um juízo sobre o autor da proposição.

Pode ser agrupado também entre as falácias que usam o estratagema do desvio de atenção, ao levar o foco da discussão para um elemento externo a ela, que são as considerações pessoais sobre o autor da proposição.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Argumentum_ad_hominem




Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.583
  • Sexo: Masculino
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #76 Online: 18 de Junho de 2016, 11:45:41 »
O autor do tópico quer criticar "pseudociência", mas ele mesmo acredita no projeto Vênus. Um tanto quanto contraditório  :hihi: :hihi:


Só para registrar:

-Eu nem conheço os detalhes desse projeto Vênus;

-A história não chegou ao fim; quem acredita que chegou parece ter medo de grandes mudanças;

-A automação e a IA irão provocar cada vez mais o desemprego estrutural,  o homem está sendo cada vez mais ultrapassado pela sua criação; já estamos tendo resultados nessa área que eu imaginava que iriam demorar.

E

_ Eu acredito que no momento histórico atual o Brasil se beneficiaria muito com uma ampla liberalização da economia; sou bastante favorável a que o Brasil ficasse nas primeiras posições no índice de liberdade do Heritage.




« Última modificação: 18 de Junho de 2016, 11:52:42 por JJ »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.171
  • Sexo: Masculino
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #77 Online: 18 de Junho de 2016, 13:03:48 »
O autor do tópico quer criticar "pseudociência", mas ele mesmo acredita no projeto Vênus. Um tanto quanto contraditório  :hihi: :hihi:


Argumentum ad hominem

Seria mais "tu quoque" aqui, acho. Se é que dá para chamar aquilo de "pseudociência", uma vez que acho que nem se propunha a ser uma "ciência"... então é um pouco como admitir gostar de uma marca ou produto que não existe mais, faliu... ou dum "movimento social"...

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #78 Online: 20 de Junho de 2016, 21:31:42 »
Mises deixa claro que esse daulismo metodológico é um artifício (primeiro parágrafo do livro Teoria e História) :

"O HOMEM MORTAL não sabe como o universo e tudo o que ele contém
pode parecer a uma inteligência sobre-humana. Talvez uma mente assim
esteja numa posição que lhe permita elaborar uma interpretação monista
coerente e abrangente de todos os fenômenos. O homem – até agora, pelo
menos – sempre fracassou redondamente em suas tentativas de construir
uma ponte sobre o abismo que ele vê se abrir entre a mente e a matéria, entre
o cavaleiro e o cavalo, entre o pedreiro e a pedra. Seria absurdo enxergar
este fracasso como uma demonstração suficiente da solidez de uma filosofia
dualística. Tudo o que podemos deduzir a partir disso é que a ciência – ao
menos por ora – deve adotar um enfoque dualístico, mais como um artifício
metodológico do que como uma explicação filosófica.
O dualismo metodológico evita fazer qualquer proposição a respeito de
essências e constructos metafísicos; ele apenas leva em conta o fato de que
não sabemos como os eventos externos – físicos, químicos e fisiológicos
– afetam os pensamentos, ideias e julgamentos de valor humanos. Esta
ignorância divide o reino do conhecimento em dois campos separados, o
reino dos eventos externos, comumente chamado de natureza, e o reino do
pensamento e da ação humana."

* qdo você coloca indefensavelmente dualista, você que dizer o que : que o materialismo está comprovado??

A praxeologia é somente a ciência da ação intencional humanam (ela estuda o comportamento do sistema complexo, formado pelos individuos e suas iterações, através de suas ações), baseada no axioma da ação (repare que Mises nunca falou que o homem somente agisse intencionalmente - atos reflexos, por exemplo).

O axioma da ação, nesse sentido, afirma que o homem age, através de meios, para  atingir determinados fins (o que não significa que ele conseguirá escolher os melhores meios para o atingimento de determinados fins, muito menos que escolherá os que possibilitem o atingimento desses fins  - muito diferente do homo economicus da escola de chicago).


Obs : não é a praxeologia que é parte da economia. A economia é um dos ramos da praxeologia, e o mais desenvolvido deles.

Outra premissa da praxeologia, é o princípio da casualidade.

Então, a pergunta que você tem que responder para refutar a praxeologia é : existe  ação humana economia não intencional (onde não se busque meios, para atingir fins)? O conjunto de ações humanas em uma sociedade (interações) viola o princípio da casualidade?

Se vocês conseguir responder positivamente esses questionamentos, vocês terá refutado praxeologia. Se não conseguir, os fundamentos da praxeologia não terão sido falseados.

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #79 Online: 20 de Junho de 2016, 21:39:47 »
Eu pensava que a praxeologia já havia sido relativamente abandonada pelos libertários. Ela ainda tem essa influência toda?


A praxeologia é o fundamento, é a base de toda teoria do Ludwig von Mises,  sem a praxeologia  os    anarcocapitalistas/libertários    ficam sem base  para sua ideologia.  A  ideologia desmorona,  a ideologia entra em colapso.  Só  sobram  escombros.


Não há previsões corretas de várias crises usando a teoria de Mises?



Solicito que apresente previsões precisas e detalhadas, que sejam plenamente testáveis e falsificáveis, utilizando esta teoria do Mises, para os próximos anos de 2017, 2018,  2019, 2020, 2021, 2022, 2023, 2024, 2025.

Você já leu o livro Teoria e História do MIses, onde ele aborda justamente essa questão metodológica, racionalidade, previsibilidade, etc?

Me de, por exemplo, a previsão para todos os anos, daqui até o ano 110,000 para a evolução humana (os órgãos que vão se alterar - e se vão se alterar - habilidades que iremos desenvolver, etc). Isso faz da teoria da evolução uma pseudociência?

Ciências que lidam com sistemas dinâmicos complexos NÃO tem como fazer previsões precisas da mesma forma que se faz nas ciências naturais. O que elas fornecem são as leis, através das quais será possível explicar as possíveis "histórias" desses sitemas. O livro Teoria e História, não tem esse nome à toa, pois nele Mises esclarece essa confusão.

Por exemplo, temos várias histórias possíveis para a evolução humana. Porém, só podemos compreender cada uma delas, à luz da Teoria da Evolução.

Link para o livro Teoria e História - http://www.mises.org.br/files/literature/MisesBrasil_TeoriaeHistoria_Brochura.pdf
« Última modificação: 20 de Junho de 2016, 21:54:17 por Feliperj »

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #80 Online: 20 de Junho de 2016, 21:52:36 »



Mas, antecipando ao seu trabalho, os próprios adeptos da ideologia admitem não serem capazes de fazerem previsões que sejam realmente falsificáveis.  Ou seja eles admitem que não conseguem passar  pelo critério proposto por  Karl Popper.

Todas as crises/grandes bolhas econômicas ocorridas até hoje são explicadas pela TACE (Teoria Austriaca dos Cilcos Econômicos). Inlcusive, um dos eventos "só explicáveis" pela "irracionalidade" humana, é explicada também pela TACE (já ouviu falar na "Mania das Tulipas"?).

Dito de outra forma, a Escola Austriaca afirma que toda grande crise/bolha econômica será precedida por uma expansão creditícia, com dinheiro "novo" sendo jogado na economia (expansão da base monetária). Isso é falseável em qualquer sentido que você deseje. E adivinha só : ela passa no teste!!!

Até mesmo a "Mania das Tulipas", sempre citada como um exemplo de crise causada pela irracionalidade pura e simples,  é explicada pela TACE (pois segundo MIses, mesmo uma expansão montetária que ocorra com "dinheiro bom" - no caso, ouro e prata - também causará distorção nos preços relativos, e "malinvestiments").

Sobre a manida das tulipas : http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=267

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #81 Online: 20 de Junho de 2016, 22:02:01 »

[1] Eles usaram socialismo como sinônimo de marxismo, e argumentaram que tal área possui pretensões claras de ser ciência, e que, segundo eles, por não obedecer um conjunto de regras, ela seria pseudocientífica, em alusão a Popper e seu critério de demarcação.

[2] Eles confundiram socialismo com marxismo ou foram desonestos em unificá-los.


Socialismo é, por definição, a propriedade estatal dos meios de produção, o que é em essência, o próprio Marxismo. Não houve confusão alguma. O que ocorreu foi que, da época deles para cá, o socialismo e a social democracia (que propunha uma reforma do sistema capitalismo sem necessidade de luta revolucionária, mas visando a estatização dos meios de produção -e todos eles apoiados na dialética de Marx) produziu o que chamamos de socialismo moderno (estado de bem estar social). Mas isso é recente.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.171
  • Sexo: Masculino
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #82 Online: 20 de Junho de 2016, 22:04:12 »
Obs : não é a praxeologia que é parte da economia. A economia é um dos ramos da praxeologia, e o mais desenvolvido deles.

OBS.: na verdade isso é meio como dizer, "não é a teologia que é parte da biologia; a biologia que é de certa forma um dos ramos da teologia, que, por estudar a Deus e a toda sua criação, estuda tudo".

E então se tem em vez dos axiomas praxeológicos misesianos, alguma daquelas coisas como argumento do primeiro motor e etc para derivar tudo.

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #83 Online: 20 de Junho de 2016, 22:16:45 »
Depois que eu li um texto que Rothbard escreveu falando que a dialética é melhor e mais confiável que a matemática eu passei a ficar com o pé muito mais atrás em relação à Escola Austríaca, que eu já não era muito fã.

Gosto em especial da Escola de Chicago, de Milton Friedman e do conceito de Expectativa Racional, que é bem mais próximo da realidade que os libertários anarcocapitalistas de Viena pregam.

https://en.wikipedia.org/wiki/Rational_expectations


Creio que você tirou de contexto a frase do Rothbard. O que ele sempre falou é que, NA ECONOMIA, a lógica verbal é muito mais importante do que a matemática (entender as consequências das ações, é muito mais importante do que tentar descrever a economia em linguagem matemática, o que pode levar a entendimentos incorretos da realidade - vide Keynes e sua abordagem Marco). E que a matematização da economia se baseava em hipóteses, a priori, irreais cujas equações na verdade não agregavam conhecimento .
algum.

Você citou a Escola de Chicago. Eles tentaram transformar a economia em uma ciência equivalnte às ciências naturais (previsibilidade, etc), sem se darem conta que estavam lidando mais com uma ciência similar a evolução, do que com Física ou Química.

As premissas que eles adotam para matematizar a economia e tentar fazer dela uma ciência natural são, no mínimo, risíveis

- informações perfeitamente distribuida entre os agentes/concorrência perfeita (infinitos competidores)
- sistema em equilíbrio
- homem racional (racionalidade aqui significando que o agente sempre toma as decisões corretas, muito diferente do conceito de racionalidade misesano)

De uma olhada no capítulo I, página 15 onde é feita uma comparação entre a escola de chicago e a escola austriaca e me responda : quem trabalha com o mundo real, e não com o mundo de peter pan?

http://www.mises.org.br/files/literature/Escola%20Austr%C3%ADaca%20-%20Mercado%20e%20criatividade%20empresarial%20-%20WEB.pdf
« Última modificação: 20 de Junho de 2016, 22:24:27 por Feliperj »

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #84 Online: 20 de Junho de 2016, 22:23:29 »
Obs : não é a praxeologia que é parte da economia. A economia é um dos ramos da praxeologia, e o mais desenvolvido deles.

OBS.: na verdade isso é meio como dizer, "não é a teologia que é parte da biologia; a biologia que é de certa forma um dos ramos da teologia, que, por estudar a Deus e a toda sua criação, estuda tudo".

E então se tem em vez dos axiomas praxeológicos misesianos, alguma daquelas coisas como argumento do primeiro motor e etc para derivar tudo.

Não é naõ Buck. A Praxeologia é a ciência da ações humana em geral! A Economia é um dos ramos da Praxeologia

Aqui um artigo sobre os fundamentos praxeologicos da teoria legal libertária, que seria outro ramo da praxeologia :

http://rothbardbrasil.com/os-fundamentos-praxeologicos-da-teoria-legal-libertaria/


Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #85 Online: 20 de Junho de 2016, 22:37:43 »
Embora talvez possa-se em última instância traçar alguma ligação com praxeologia a essas "previsões", não é algo que derivaria muito diretamente, ou, "necessariamente", disso (o contrário tem um quê da lógica "impostos não devem ser exageradamente altos, logo, tudo que Mises disse está correto"). Previsões de alguns libertários/austrianistas não tem nem "nada a ver" nem com economia, mas com tradições políticas dos países e regiões ("dinheiro dos pagadores de impostos irá reconstruir a Palestina e o Afeganistão", etc).

No que for mais diretamente economia, provavelmente pode chegar a conclusões similares sobre economia sem partir de praxeologia (talvez com embasamento empírico), e até aceitar modelos matemáticos (como a escola de Chicago), e então provavelmente fazer "previsões" similares (sem falar de talvez ser possível fazer previsões diferentes partindo dos mesmos princípios praxeológicos, que acho que não chega a ser como uma "matemática" onde 2+2=4). Ou mesmo ter visões econômicas bastante diferentes, como marxismo, neo-marxismo, pós-keynesianismo e o escambau, e também fazer as mesmas "previsões".

Citar
http://socialdemocracy21stcentury.blogspot.com.br/2011/12/austrians-predicted-housing-bubble-but.html
...
It is obvious that Austrians identifying a housing bubble from 2003–2004 onwards should not regarded as having any special predictive power. They were merely identifying an on-going phenomenon. It is, furthermore, notable that when some Austrians identified a housing bubble in the first half of 2002, so too did the Keynesian economist Dean Baker.

We must remember that any “predictions” after 2002 are not even predictions at all: they represent people identifying an existing asset bubble that was becoming worse.


A ligação entra a praxeologia e as previsões são consequências diretas do fato de que a TACE (Teoria Austriaca dos Ciclos Econômicos) é produto direto da Praxeologia. E nenhuma outra escola chegou nessa teoria, justamente pela diferença metodológica. Então, na verdade, é o contrário. Qualquer teoria ou lei desenvolvida por empiristas - se de fato for uma teoria ou lei, e não uma "lei"/"teoria" de uma história de dados específica, que poderá ser explicada por uma lei geral que abranja outros conjuntos possíveis de dados históricos -  poderá ser deduzida praxeologicamente (caso contrário, teremos rompido o axioma da ação e o princípio da casualidade).
 
Com relação ao link : desde que se baixou a taxa de juros e liberou-se crédito os austriacos já sabiam que isso geraria uma crise/bolha, posteriormente foi identificado onde a bolha foi gerada e as consequências graves da mesma (nesse sentido, só os austríacos previram corretamente o desastre que se seguiria)  pois é isso o que a TACE diz! Além disso, não é só 2008. Tem todo o histórico de previsões dos austríacos, desde 1929, como já coloquei aqui além da TACE explicar também crises anteriores a 1929.

Edit - quer ver uma outra coisa interessante. Também pela diferença metodológica, nenhuma outra escola de economia achou que a estatização total dos meios de produção era impraticável. Pensavam que era uma decisão meramente política. Somente a EA, com sua abordagem metodológica, conseguiu identificar essa falha fatal no projeto socialista, no que ficou conhecido como "O Probelma do Cálculo Econômico". Hayek, por exemplo, era um socialista convicto. Porém, após ler o trabalho de Mises sobre o Cálculo Econômico, abandonou esse caminho e foi estudar com o Mises.

« Última modificação: 20 de Junho de 2016, 22:44:15 por Feliperj »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.171
  • Sexo: Masculino
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #86 Online: 20 de Junho de 2016, 22:47:04 »
Obs : não é a praxeologia que é parte da economia. A economia é um dos ramos da praxeologia, e o mais desenvolvido deles.

OBS.: na verdade isso é meio como dizer, "não é a teologia que é parte da biologia; a biologia que é de certa forma um dos ramos da teologia, que, por estudar a Deus e a toda sua criação, estuda tudo".

E então se tem em vez dos axiomas praxeológicos misesianos, alguma daquelas coisas como argumento do primeiro motor e etc para derivar tudo.

Não é naõ Buck. A Praxeologia é a ciência da ações humana em geral! A Economia é um dos ramos da Praxeologia

Aqui um artigo sobre os fundamentos praxeologicos da teoria legal libertária, que seria outro ramo da praxeologia :

http://rothbardbrasil.com/os-fundamentos-praxeologicos-da-teoria-legal-libertaria/



Eu estou bem certo de que os defensores disso dizem que sim, é sim. Tal como qualquer defensor de teoria/posição fringe tentará enaltecê-la, dar um status maior que realmente tem. Mas o resto do mundo não dá bola para isso. Nem mesmo economistas partidários da escola austríaca.

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #87 Online: 20 de Junho de 2016, 22:52:09 »
Não. A meteorologia consegue fazer previsões com razoável grau de acerto para mais ou menos até cinco dias. Entretanto veja que quem sugeriu que a teoria do Mises era científica porque acertava previsões foi o Lorentz, o que eu fiz foi apenas solicitar as previsões para poder comparar com a realidade posteriormente.

E veja também que o problema da praxeologia já começa logo no início ao depender da ideia furada de livre arbítrio (e conforme o texto também do dualismo).  O livre arbítrio é uma ideia muito boa... para a religião...

Ué, mas a Meteorologia é ou não científica (as vezes tb erra, mesmo nesse horizonte de tempo)? E sim, a "teoria de Mises" faz previsões corretas, dentro daquilo a que se propõe prever, como já expus aqui.

De onde você tirou que a questão do livre arbítrio está resolvida? Se quiser podemos debater em outro tópico!

Ademais, mesmo que estivesse, Mises deixa claro que o dualismo metodológico é um artifício :

"O dualismo metodológico evita fazer qualquer proposição a respeito de
essências e constructos metafísicos; ele apenas leva em conta o fato de que
não sabemos como os eventos externos – físicos, químicos e fisiológicos
– afetam os pensamentos, ideias e julgamentos de valor humanos. Esta
ignorância divide o reino do conhecimento em dois campos separados, o
reino dos eventos externos, comumente chamado de natureza, e o reino do
pensamento e da ação humana."

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #88 Online: 20 de Junho de 2016, 22:57:24 »
Eu estou bem certo de que os defensores disso dizem que sim, é sim. Tal como qualquer defensor de teoria/posição fringe tentará enaltecê-la, dar um status maior que realmente tem. Mas o resto do mundo não dá bola para isso. Nem mesmo economistas partidários da escola austríaca.

Sinceramente não entendi seu ponto. Você colocou uma questão referente a praxeologia e a economia, e eu evidenciei que existem outros ramos da praxeologia, como a teoria do direito libertária. Ou você está querendo dizer que a Economia não é uma ciência da ação humana? 

Praxeologia - Ciência da Ação Humana (baseada no axioma da ação)
Economia - um ramo da ciência da ação humana

Se não é uma ciência da ação humana, é uma ciência do que?


Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #89 Online: 20 de Junho de 2016, 23:03:22 »
"Então a psicanálise aplicada à economia é tão válida quanto a meteorologia"... :hein:











Eu pensava que a praxeologia já havia sido relativamente abandonada pelos libertários. Ela ainda tem essa influência toda?


Citar

In my view, a useful division of modern Austrians would be as follows:

(1) The Anarcho-capitalists
E.g., Murray Rothbard, Hans-Hermann Hoppe and Jörg Guido Hülsmann;

(2) The minimal state/classical liberal Austrians in the tradition of Mises
This variety often supports praxeology and utilitarianism;

(3) Hayek’s economics, with a minimal state, and with an empirical (or Popperian) approach to economic method, in place of praxeology;

(4) Moderate subjectivist Austrians
E.g., Israel Kirzner and Roger Garrison;

(5) Radical subjectivists like Ludwig M. Lachmann (1906–1990), and Austrians influenced by him.


http://socialdemocracy21stcentury.blogspot.com.br/p/blog-page.html


(Em outro tópico eu chutava que Mises seria meio utilitarianista/óide, bom saber que provavelmente não foi tão bola fora assim, provavelmente, já que esse cara certamente os estudou mais do que eu)

Não. O que o GEO quis colocar é que existe uma delimitação de previsão que uma teoria é capaz de fazer! E que a TACE tem a sua delimitação de previsão (como já coloquei).

Existe essa divisão. Mas a maior parte dos Austriacos são adeptos do método praxeológico. Eu, particularmente, não tenho nada contra submeter às teorias, como a TACE, a testes.

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #90 Online: 20 de Junho de 2016, 23:08:51 »
Praxeologia: o método dos economistas austríacos

Praxeologia é a distinta metodologia da Escola Austríaca. O termo foi inicialmente aplicado ao método austríaco por Ludwig von Mises, que foi não apenas o maior arquiteto e elaborador dessa metodologia mas também o economista que mais completamente e de forma mais bem-sucedida a aplicou na construção da teoria econômica.[1] Enquanto o método praxeológico é fora de moda, para dizer o mínimo, na economia contemporânea bem como em ciências sociais no geral e em filosofia da ciência, ele foi o método básico no início da Escola Austríaca e também de um considerável segmento da antiga escola clássica, em particular de J. B. Say e Nassau W. Senior.[2]


A praxeologia se baseia no axioma fundamental de que indivíduos agem, ou seja, no fato primordial de que indivíduos participam de ações conscientes visando objetivos escolhidos. Esse conceito de ação contrasta com o comportamento puramente reflexivo, ou automático, que não é dirigido para objetivos.



É aqui que a teoria desaba, e espertamente o autor deste texto não declarou que isto é a velha crença  no livre arbítrio  (provavelmente para não despertar um sinal de alerta nos leitores mais desavisados, já que a crença no livre arbítrio também é um componente fundamental de religiões cristãs, e não é muito legal ter como base,  e compartilhar uma crença que também é tão importante para religiosos).  Mas, é exatamente este um fundamento básico da praxeologia: a crença no livre arbítrio.

Não é! Como já falei, o uso do dualismo metodológico é um artifício, como explicado pelo próprio Mises!

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.171
  • Sexo: Masculino
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #91 Online: 20 de Junho de 2016, 23:10:54 »
Eu estou bem certo de que os defensores disso dizem que sim, é sim. Tal como qualquer defensor de teoria/posição fringe tentará enaltecê-la, dar um status maior que realmente tem. Mas o resto do mundo não dá bola para isso. Nem mesmo economistas partidários da escola austríaca.

Sinceramente não entendi seu ponto. Você colocou uma questão referente a praxeologia e a economia, e eu evidenciei que existem outros ramos da praxeologia, como a teoria do direito libertária. Ou você está querendo dizer que a Economia não é uma ciência da ação humana? 

Praxeologia - Ciência da Ação Humana (baseada no axioma da ação)
Economia - um ramo da ciência da ação humana

Se não é uma ciência da ação humana, é uma ciência do que?



Não é uma ciência. Como diversas outras coisas cujo restrito círculo de defensores/crentes defendem ser.

Ainda que "seja", "no conceito de 'ciência' deles". Como astrologia, desenho inteligente, ou marxismo científico, por exemplo. Como seria alguém inventar "omnilogia" como "a ciência de todas as coisas", da qual outras ciências seriam parte, com ressalvas como que ele deriva versões alternativas do que é aceito pelas tradicionais/reais em seus respectivos campos específicos.


Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #92 Online: 20 de Junho de 2016, 23:11:37 »
Novamente devo  relembrar que foi o Lorentz que sugeriu que a praxeologia  seria correta (e científica)  por ter feito boas previsões [significativas, precisas , detalhadas]. Dado que ele sugeriu isto, eu simplesmente solicitei as novas previsões [significativas, precisas , detalhadas] que ele possa ter  com base na praxeologia, e que possam passar por testes da realidade.

Ou seja, ao invés de você tentar rever parte de seus argumentos, você não se dá por vencido, não responde, e ainda pede algo que é impossível em várias outras ciências na tentativa de demonstrar que a praxeologia é de fato pseudociência.

Talvez seja mesmo, pois minha pergunta foi sincera. Eu não sei se Mises acertou em várias crises. Já ouvi dizer que sim e queria sua opinião.

Mas sua opinião não existe. Você já está convicto e não vai dar o braço a torcer.



Ela certamente é pseudociência  por outros motivos, tais como os mostrados no texto que abre o tópico. 

A minha resposta foi apenas uma forma de chamar a atenção para a crença de que a teoria do Mises tinha capacidade de previsão (significativa).  Se a crença é verdadeira porque não são apresentadas  novas previsões significativas ( e  precisas, testáveis, falsificáveis) ? 



 :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?:

Se você ler o que a TACE fala, saberá que estamos a caminho de uma crise MUITO, MAS MUITO PIOR que a de 2008! Use esse conhecimento prévio para se preparar para o que está por vir!

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #93 Online: 20 de Junho de 2016, 23:14:16 »
Citar

Não é uma ciência. Como diversas outras coisas cujo restrito círculo de defensores/crentes defendem ser.

Ainda que "seja", "no conceito de 'ciência' deles". Como astrologia, desenho inteligente, ou marxismo científico, por exemplo. Como seria alguém inventar "omnilogia" como "a ciência de todas as coisas", da qual outras ciências seriam parte, com ressalvas como que ele deriva versões alternativas do que é aceito pelas tradicionais/reais em seus respectivos campos específicos.

Como não? Já cansei de mostrar aqui que, mesmo com seus defensores se recusando a admitir a necessidade de falsificação, sua princiapal teoria vem passando em todos os testes empíricos ao qual foi submetida! Incluindo um teste com "dados" de 1600,


Buck, você já leu Teoria e História?

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.735
  • Sexo: Masculino
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #94 Online: 20 de Junho de 2016, 23:16:26 »
Se você ler o que a TACE fala, saberá que estamos a caminho de uma crise MUITO, MAS MUITO PIOR que a de 2008! Use esse conhecimento prévio para se preparar para o que está por vir!


Alguma outra escola econômica também está prevendo esta crise?
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #95 Online: 20 de Junho de 2016, 23:23:14 »
Não faz sentido pedir "previsões científicas" no sentido popperiano da coisa (com a qual essas caricaturalmente se assemelham) em resposta a alegação de praxeologia ser científica, porque eles rejeitam a esse critério de ciência, tal como seria o caso com psicanálise*, à qual a praxeologia "deve muito"**, segundo Mises.

"Previsões" nas linhas de "já temos as fórmulas e apenas falta poder computacional para sermos o demônio de Laplace" são mais o que faria algum sentido de se esperar do conceito popperiano de ciência, de refutabilidade, ainda que numa forma caricatural/espantalhosa para fins humanamente práticos, que conduziria a concluir que nada então é "científico" se não fizer previsões tão fantasticamente proféticas.






* Comumente o mesmo com qualquer outro círculo restrito de crenças que dê a si mesma rótulos científicos, apesar de ser algo largamente ignorado/desprezado pelo resto do mundo, ou pela maioria dos pesquisadores com instrução em campos científicos próximos ao tema pretensamente estudado. Como criacionismo, espiritismo, e medicina alternativa. A "cientificidade" será defendida em "bater com os fatos", não em ser refutável por eles.




**




"Human action"

Acho que faz mais sentido falar em praxeologia como método, não como teoria científica. Da mesma forma como não temos como demonstrar a cientificidade do método científico, não temos como fazer o mesmo com o método praxeologia. Porém, podemos testar as teorias oriundas da praxeologia, da mesma forma que testamos as demais teorias científicas.

No caso da TACE : toda crise/bolha econômica é precedida por um período de expansão creditícia/monetária (tem mais detalhes, mas estou colocando dessa forma, para evidenciar como podemos ter um critério de falseabilidade)

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.171
  • Sexo: Masculino
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #96 Online: 20 de Junho de 2016, 23:25:47 »
<a href="https://www.youtube.com/v/Y_SXHEJ59p8" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/Y_SXHEJ59p8</a>







Citar

Não é uma ciência. Como diversas outras coisas cujo restrito círculo de defensores/crentes defendem ser.

Ainda que "seja", "no conceito de 'ciência' deles". Como astrologia, desenho inteligente, ou marxismo científico, por exemplo. Como seria alguém inventar "omnilogia" como "a ciência de todas as coisas", da qual outras ciências seriam parte, com ressalvas como que ele deriva versões alternativas do que é aceito pelas tradicionais/reais em seus respectivos campos específicos.

Como não? Já cansei de mostrar aqui que, mesmo com seus defensores se recusando a admitir a necessidade de falsificação, sua princiapal teoria vem passando em todos os testes empíricos ao qual foi submetida! Incluindo um teste com "dados" de 1600,


Buck, você já leu Teoria e História?

Não, não li. Também não li Marx. Os defensores de Marx dizem exatamente as mesmas coisas em termos de status e confirmação/validade. São quase tão ignorados quanto.

Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #97 Online: 20 de Junho de 2016, 23:27:37 »
Pode haver, mas isso seria apenas confusão (e generalização) de "má ciência" com pseudociência, já que é possível sim partir de observações para formar hipóteses sobre o comportamento ou pensamento humano, testá-las, e revisá-las. O mesmo vale para outras relacionadas com psicologia, conflitantes com praxeologia, como psiquiatria, neurociências, endocrinologia comoportamental, etc.

Ou seja, só "tem relevância" o comentário se a pessoa não tem adota esse critério padrão de cientificidade, mas sim algo mais "vale tudo"/"vale o que eu quero".

Mas a praxeologia não tem como objetivo determinar o porque das pessoas pensarem, agirem de tal forma, como constroem seus valores, etc. Para ela, só interessa o resultado disso, aquilo que se manifesta no mundo físico : a ação humana, através de meios, para atingimento de determinados fins. 

Eu sinceramente não consigo entender porque tanto problema com esse axioma. Alguém aqui conhece um exemplo de ação humana que não se encaixe no axioma (já falei dos atos reflexos, e o proprio Mises não considerava que toda ação era proposital).


Offline Feliperj

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.147
Re:A Pseudociência Praxeologia de Ludwig von Mises
« Resposta #99 Online: 20 de Junho de 2016, 23:57:18 »
<a href="https://www.youtube.com/v/Y_SXHEJ59p8" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/Y_SXHEJ59p8</a>

Todos que decidem colocar datas especificas para previsões desse tipo, correm sério risco de caírem nessa. Mas veja : inflação, por definição, é a emissão de moeda. O aumento do nível geral dos preços é uma das consequências possíveis dessa ação. Tudo vai depender do caminho que o dinheiro vai fazer na sociedade. Dessa forma, a base monetária americana já foi hiperinflada.

Os EUA emitiram 3 trilhões de dólares. Porém, boa parte desse dinheiro não foi para a sociedade, ficando como reservas nos bancos. Outra grande parte foi para áreas específicas e, por isso, atualmente se fala que não existe bolha nos EUA, mas que a própria economia é uma bolha (ações, imoveis novamente, automovies, financiamento de estudantes). Além disso, existe uma grande pressão deflacionária na economia americana e mundial (esse é um outro motivo pelo qual ainda não tivemos uma definição - os BCs estão lutando contra deflação), que está sendo combatida pelso BCs.

Edit - de uma olhada em como o dinheiro que o FED emitiu criou a bolha das bolhas no mercado acionário :

https://research.stlouisfed.org/fred2/graph/?graph_id=205372

Nunca existiu dúvida com relação à crise que se aproxima (prevista pela TACE). A questão toda é : qual será a dinâmica dessa crise ? hiperinflação, deflação ou deflação, seguida por hiperinflação - foi essa dinâmica que o cara do vídeo, além de tentar antecipar, tentou colocar uma data específica.

Eu aposto em uma deflação, em função do nível de débito que se encontra no mercado mundial (publico e privado), seguida de hiperinflação (devido à reação dos BCs para reverterem a deflação). Se os BCs optarem pelo Helicopter Money, aí teremos hiperinflação, sem passar por deflação.

Mas repare que independente da dinâmica da crise, a causa básica da mesma ainda será aquela descrita pela TACE.





 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!