Autor Tópico: Convite: Debate inter-blogue  (Lida 36553 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #25 Online: 22 de Maio de 2007, 12:04:12 »

Enfrendo a idéia com argumentação e a argumentação agnóstica é a da impossibilidade de se concluir que deus não existe.
de existencia de qualquer divindadade. E esse conceito de divindade que existe para além do universo, e que apenas o criou mas não interfere no mesmo é muito desconexa e sem sentido.


Tão absurdo quando a dualidade do fóton ha anos atrás…….
Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

O que é absurdo para os teístas da propabilidade de um deus (agnósticos ateus) é a idéia de não existir deus algum. E para defenderem o seu deus propabilístico agem de forma espantosa.

Veja o absurdo é eu defender que não existe deus ou deuses algum e não o que considera a probabilidade. Estes são muito bem quistos.

Existencia de Deus é tão absurdo quanto era a dualidade do fóton.Imagino que qualdo alguém propos essa idéia alguém deve ter dito:

"Mas não há, além da fantasia e imaginação, como considerar lógicamente a possibilidade do fóton ser matéria e onda ao mesmo tempo."
Claro, deus vai ser provado científicamente assim como foi a dualidade do fóton, brilhante analogia.  :nao3:

Veja que o conceito da dualidade do fóton foi a inovação e não o conceito dominante. O mesmo ocorre com a inexistência de deus, este não é o conceito dominante, exatamente o contrário do conceito de deus, que está defendendo.

Dizer que deus existe não é nenhum absurdo é a coisa mais comum que existe.

Citação de: Oceanos
[quote author=Oceanos link=topic=11533.msg207232#msg207232 date=1179777645
E qual o problema do meu conceito de metafísica? O que eu sei da metafísica é que ela não age no mundo físico e ponto. Por isso não sei mais nada dela; nem se ela realmente existe.
A Wikipédia que muitos não gostam, tem um bom conceito de metafísica, e com a sua orígem etimológica. Acho mais adequado.


Wikipédia que estais no céu………
Demonsntre um conceito melhor ao invés de fazer crítica vazia e arrogante.

O Oceanos te teu um, se apegue ao santo que responde as tuas preces.

Leia e veja que eu discordei do conceito dele e disse que considero melhor o da Wikipédia.

E se algum ateu militante bater na minha porta domingo de manhã leva mais xingo que testemunha de jeová.
Os ateus militantes são inteligentes, se utilizam dos espaços públicos, publícam livros e usam da internet.
Mas isto não impede ofensas, assim como essa frase sua que não tem sentido algum, apenas o de agredir.

Inteligente, publicam livros e ultilizam a internet, assim como milhares de evangélicos….

E eles fazem o que você está fazendo, ficam defendendo a existência de deus.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Tash

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.191
  • Sexo: Masculino
    • http://about.me/alganet
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #26 Online: 22 de Maio de 2007, 14:02:19 »
Boa parte dos ateus não se tornaram ateus de uma hora pra outra. São comuns os testemunhos de ateístas que criam em algo e foram aos poucos eliminando suas crenças até que nada mais restasse.

Eu mesmo sou um exemplo de ex-teísta que foi aos poucos eliminando minhas crenças e me tornando ateísta. Cheguei ao ponto de dizer que não cria em nenhum deus. Logo após comecei a ler sobre o budismo e meu discurso mudou para não me importa se deus existe ou não, embora eu ainda não acredite nele.

Todo mundo é ateu em relação à pelo menos um deus, seja ele YHWH, Shiva, Vishnu ou Zeus. Para mim é impossível admitir a existência de algum desses deuses citados, embora seja possível admitir a existência de um deus conceitual. Cada um tem seus motivos pra crer em um deus.

Eu costumo usar esse exercício mental pra explicar meu agnosticismo às outras pessoas, que chamo de ateísmo prático:

Na minha opinião, se existe um deus (e eu realmente admito a possibilidade de um deus existir) ele não tem poder de comunicação conosco, talvez ele nem tenha percepção para compreender que temos inteligência suficiente para cogitar sua existência.

Esse deus também não tem o mesmo senso de ética que nós, ele não obedece as leis de justiça que nós criamos como humanos. Meu deus hipotético criou leis que em hipótese alguma podem ser quebradas, ele não precisa ficar constantemente monitorando sua obra, talvez ele nem exista mais.

O deus-descoberto-pelo-Alexandre também não tem necessariamente inteligência superior à nossa. Eu gosto de admitir que esse deus, embora represente uma identidade única e viva, talvez tenha criado o universo ao acaso. Deus seria um tipo de vida megascópica, grande demais para enxergarmos ou complexa demais para compreendermos.

Eu poderia inclusive admitir que o próprio universo é um deus, que nos criou sem consciência disso. É um deus sem personalidade, sem o aspecto humano que quase todos os deuses criados pelos humanos tem. Algo parecido com o conceito de panteísmo.

No final explico para a pessoa que se existe um deus com características que o tornam irrelevante, talvez seja mais prático admitir que não existe um deus. Meu agnosticismo, de um modo prático, é ateísmo.

Esse post foi criado com o intuito de participar do Debate Interblogues criado pelo Helder Sanches.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #27 Online: 22 de Maio de 2007, 15:21:22 »
Mas é isso que eu quis dizer, eu o vejo da forma que eu penso que seja, da forma verdadeira.
Discordo. Creio que você tenha uma visão bastante deturpada do que realmente é o agnosticismo. Como darei um exemplo mais a baixo.

Enfrendo a idéia com argumentação e a argumentação agnóstica é a da impossibilidade de se concluir que deus não existe. Mas não há, além da fantasia e imaginação, como considerar lógicamente a possibilidade de existencia de qualquer divindadade. E esse conceito de divindade que existe para além do universo, e que apenas o criou mas não interfere no mesmo é muito desconexa e sem sentido. 
Essa é sua crença.

A Wikipédia que muitos não gostam, tem um bom conceito de metafísica, e com a sua orígem etimológica. Acho mais adequado.
Você poderia ser mais específico?

É teísta quanto a essa possibilidade, acredita nessa possibilidade e é ateu para o restante. É igual ao teísta que acretida só em um deus, mas é ateu também para os demais deuses. Se existem milhares de deuses e o teísta acretida em apenas um, e o agnóstico acredita na possibilidade de um, não há muita direfença.
Aqui, por exemplo, você contradiz o próprio termo agnóstico.

Agnosticismo: prefixo de negação a, e gnosticismo, que vêm de gnostikós, que vem de gnosis, que significa gnose. A Gnose é o conhecimento absoluto sobre deus, a espiritualidade, a metafísica e tudo mais. Praticamente um 42 espiritual.

O agnosticismo nega a capacidade de se conhecer a verdade última de tudo; e é exatamente por isso que dizer que ele considera a existência de um deus e ignora as outras, um grave erro conceitual. Se ele não conhece, como pode supor a existência?! E é por isso que eu digo que seu conceito sobre agnosticismo é torto. Não é que ele considera a existência de algo, é que ele simplesmente nega que é possível saber se esse algo existe.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #28 Online: 22 de Maio de 2007, 16:08:40 »
A Wikipédia que muitos não gostam, tem um bom conceito de metafísica, e com a sua orígem etimológica. Acho mais adequado.
Você poderia ser mais específico?
Citação de: Wikipédia
Metafísica é uma palavra originária do Grego ( μετα [meta] = depois de/além de e Φυσις [physis] = natureza ou físico). É um ramo da filosofia que estuda o mundo como ele é. A saber, é o estudo do ser ou da realidade. Se ocupa em procurar responder perguntas tais como:

O que é real (veja realidade)? O que é natural (veja naturalismo)? O que é sobre-natural (veja milagres)?. O ramo central da metafísica é a ontologia, que investiga em quais categorias as coisas estão no mundo e quais as relações dessas coisas entre si. A metafísica também tenta esclarecer as noções de como as pessoas entendem o mundo, incluindo a existência e a natureza do relacionamento entre objetos e suas propriedades, espaço, tempo, causalidade, e possibilidade.

Considero bem mais adequado.

É teísta quanto a essa possibilidade, acredita nessa possibilidade e é ateu para o restante. É igual ao teísta que acretida só em um deus, mas é ateu também para os demais deuses. Se existem milhares de deuses e o teísta acretida em apenas um, e o agnóstico acredita na possibilidade de um, não há muita direfença.
Aqui, por exemplo, você contradiz o próprio termo agnóstico.
Me referi ao agnóstico ateísta que considera a probabilidade de existir deus, não é uma generalização, mas existem muitos assim no fórum.

Agnosticismo: prefixo de negação a, e gnosticismo, que vêm de gnostikós, que vem de gnosis, que significa gnose. A Gnose é o conhecimento absoluto sobre deus, a espiritualidade, a metafísica e tudo mais. Praticamente um 42 espiritual.
Este é o termo correto que é deturpado. Agnóstico surgiu com a negação da gnose teísta.

O agnosticismo nega a capacidade de se conhecer a verdade última de tudo;
Este é um grande erro, considerar que o agnosticismo seja a mesma coisa que o cetismo. O que o termo abrange atualmente é não considerar ser possível ter um conhecimento acerca de deus, e não de tudo.

e é exatamente por isso que dizer que ele considera a existência de um deus e ignora as outras, um grave erro conceitual.
O agnosticismo ao não considerar válida a negação de deus, admite assim a possibilidade da sua existencia. O agnóstico não acredita que seja possível dizer com certeza que deus não existe, acha que pode ter a possíbidade, e alguns justificam essa possibilidade com a probabilidade de deus existir.

Se ele não conhece, como pode supor a existência?!
Negando a inexistência. É uma questão de lógica básica.

E é por isso que eu digo que seu conceito sobre agnosticismo é torto.
Não o agnosticismo que é torto mesmo. É o que admite a burrice com relação ao conceito de deus mas com um nome mais pomposo, a incognoscíbilidade deste conceito.


Não é que ele considera a existência de algo, é que ele simplesmente nega que é possível saber se esse algo existe.
Considerar que é impossível saber se existe e se inexiste, é ilógico. Não afirma que existe e não afirma que inexiste, afirma que não pode saber a respeito. E quem afirma que não pode saber a respeito de algo assume a ignorancia deste assunto.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #29 Online: 22 de Maio de 2007, 16:47:38 »
Citação de: Wikipédia
Metafísica é uma palavra originária do Grego ( μετα [meta] = depois de/além de e Φυσις [physis] = natureza ou físico). É um ramo da filosofia que estuda o mundo como ele é. A saber, é o estudo do ser ou da realidade. Se ocupa em procurar responder perguntas tais como:

O que é real (veja realidade)? O que é natural (veja naturalismo)? O que é sobre-natural (veja milagres)?. O ramo central da metafísica é a ontologia, que investiga em quais categorias as coisas estão no mundo e quais as relações dessas coisas entre si. A metafísica também tenta esclarecer as noções de como as pessoas entendem o mundo, incluindo a existência e a natureza do relacionamento entre objetos e suas propriedades, espaço, tempo, causalidade, e possibilidade.

Talvez eu tenha sido realmente equivocado na definição do termo. Mas de qualquer maneira, isso não muda as outras coisas.


Me referi ao agnóstico ateísta que considera a probabilidade de existir deus, não é uma generalização, mas existem muitos assim no fórum.
Esta é uma contradição do termo.

Este é o termo correto que é deturpado.
Por quê? Já vamos começar com neologismos?

Agnóstico surgiu com a negação da gnose teísta.
Você está equivocado. O agnosticismo não diz respeito apenas a existência de deus ou deuses.

Citar
Agnosticism (from the Greek "a," meaning "without," and Gnosticism or "gnosis," meaning knowledge) means "unknowable," and is the philosophical view that the truth value of certain claims—particularly theological claims regarding metaphysics, afterlife or the existence of God, god(s), or deities—is unknown or, depending on the form of agnosticism, inherently unknowable.

http://en.wikipedia.org/wiki/Agnosticism

Este é um grande erro, considerar que o agnosticismo seja a mesma coisa que o cetismo. O que o termo abrange atualmente é não considerar ser possível ter um conhecimento acerca de deus, e não de tudo.
Mas não é mesmo a mesma coisa que ceticismo. E como eu digo e repito: o termo agnosticismo não diz respeito apenas ao conhecimento de deus. É também da metafísica.

O agnosticismo ao não considerar válida a negação de deus, admite assim a possibilidade da sua existencia. O agnóstico não acredita que seja possível dizer com certeza que deus não existe, acha que pode ter a possíbidade, e alguns justificam essa possibilidade com a probabilidade de deus existir.
A sua inferência está errada. O que ocorre é exatamente o contrário. Assumindo que não é possível se chegar a verdade última das coisas, o agnosticismo não considera válida qualquer argumento acerca de deus. E, sabendo assim que não é possível "tocar" deus, algumas pessoas acreditam nele ou não - mas isso já não tem nada a ver com o agnosticismo.

Negando a inexistência. É uma questão de lógica básica.
Seria. Se sua proposição fosse correta.

O agnosticismo não nega a inexistência. Ele simplesmente diz que é impossível saber se existe ou não; tal como, conhecê-lo, caso exista.

Não o agnosticismo que é torto mesmo. É o que admite a burrice com relação ao conceito de deus mas com um nome mais pomposo, a incognoscíbilidade deste conceito.
Tua crença.

Considerar que é impossível saber se existe e se inexiste, é ilógico. Não afirma que existe e não afirma que inexiste, afirma que não pode saber a respeito. E quem afirma que não pode saber a respeito de algo assume a ignorancia deste assunto.
Como assim ilógico? O que a sagrada lógica tem a ver com essa postura? De resto, é exatamente isso que você disse: somos ignorantes.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #30 Online: 22 de Maio de 2007, 18:48:41 »
O agnosticismo ao não considerar válida a negação de deus, admite assim a possibilidade da sua existencia. O agnóstico não acredita que seja possível dizer com certeza que deus não existe, acha que pode ter a possíbidade, e alguns justificam essa possibilidade com a probabilidade de deus existir.
A sua inferência está errada. O que ocorre é exatamente o contrário. Assumindo que não é possível se chegar a verdade última das coisas, o agnosticismo não considera válida qualquer argumento acerca de deus. E, sabendo assim que não é possível "tocar" deus, algumas pessoas acreditam nele ou não - mas isso já não tem nada a ver com o agnosticismo.
Dizer que deus não existe não é chegar a realidade última nem a verdade absoluta é apenas desconsiderar a realidade de uma divindade, saber que não há lógica para a existencia de deus, crença que tem como base a fantasia e a imaginação, sendo inútil e fútil.

Negando a inexistência. É uma questão de lógica básica.
Seria. Se sua proposição fosse correta.

O agnosticismo não nega a inexistência. Ele simplesmente diz que é impossível saber se existe ou não; tal como, conhecê-lo, caso exista.
E qual é o motivo de considerar impossível saber que deus não existe? Qual é o conceito de deus que considera impossível de não saber da sua inexistência?

Considerar que é impossível saber se existe e se inexiste, é ilógico. Não afirma que existe e não afirma que inexiste, afirma que não pode saber a respeito. E quem afirma que não pode saber a respeito de algo assume a ignorancia deste assunto.
Como assim ilógico? O que a sagrada lógica tem a ver com essa postura? De resto, é exatamente isso que você disse: somos ignorantes.
Ilógico ao afirmar que não podemos saber se deus inexiste. Sobre a existência é notório que é impossível saber, exatamente por não existir. Para não aceitar a afirmativa de que deus inexiste tem que mostrar a possibilidade de existência. Caso não faça isso vai ficar na afirmativa vazia de que é impossível saber, e não tem nada de positivo nisto. Nem ao menos esclarece o motivo de achar que é impossível não saber.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #31 Online: 23 de Maio de 2007, 07:53:26 »

Claro, deus vai ser provado científicamente assim como foi a dualidade do fóton, brilhante analogia.  :nao3:

Veja que o conceito da dualidade do fóton foi a inovação e não o conceito dominante. O mesmo ocorre com a inexistência de deus, este não é o conceito dominante, exatamente o contrário do conceito de deus, que está defendendo.

Dizer que deus existe não é nenhum absurdo é a coisa mais comum que existe.


Difícil entender né?

O que eu quis mostrar é que é impossível afirmar a inexistencia sem conhecer todo o universo.É nisso que se baseia o agnosticismo.Nem que a probabilidade de existencia se 10 x 10 elevado a 1000 , a probabibilidade de existencia existe.A questão é se queremos perder nosso tempo com uma possibilidade tão pequena.





E eles fazem o que você está fazendo, ficam defendendo a existência de deus.

By the way…… Eu sou ateu……
Proselitismo ateu é proselitismo igual a qualquer outro.Muda o produto, mas o vendedor é igualmente chato.
« Última modificação: 23 de Maio de 2007, 07:55:27 por Barata Tenno »
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #32 Online: 23 de Maio de 2007, 12:12:12 »

Claro, deus vai ser provado científicamente assim como foi a dualidade do fóton, brilhante analogia.  :nao3:

Veja que o conceito da dualidade do fóton foi a inovação e não o conceito dominante. O mesmo ocorre com a inexistência de deus, este não é o conceito dominante, exatamente o contrário do conceito de deus, que está defendendo.

Dizer que deus existe não é nenhum absurdo é a coisa mais comum que existe.

Difícil entender né?

Muito difícil com esse exemplo ridículo por ser antagonico ao assunto proposto.

O que eu quis mostrar é que é impossível afirmar a inexistencia sem conhecer todo o universo. É nisso que se baseia o agnosticismo.

E não mostrou porra nenhuma,  é possível e necessário afirmar que deus não existe. E não estou falando cientificamente e sim filosóficamente. Tenho vários textos de grandes filósofos em meu blog que propõe e defendem o ateísmo e com grande embasamento. Impossível é esta sua afirmação que conduz a considerar possível existir qualquer conceito paranóico e doentio, simplesmente por não poder ser provada. É a velha história do ônus da prova. Além de ter aquele ótimo tópico do provando uma negação

Nem que a probabilidade de existencia se 10 x 10 elevado a 1000 , a probabibilidade de existencia existe.A questão é se queremos perder nosso tempo com uma possibilidade tão pequena.

Não existe probabilidade alguma de deus existir. A questão é conceitual e se perde na tentativa de conceituar um ser superior como real. É fácil conceituar um ser superior como imaginário e este é o único que existe.

E através da matemática e estatística é que muitas pessoas fazem besteiras igual a esta. É assim que ocorre também com a física quântica. Não é a toa que a filosofia da matemática está sendo importante,  pois é um embasamento necessário para não cair nestes embuste.



E eles fazem o que você está fazendo, ficam defendendo a existência de deus.
By the way…… Eu sou ateu……
Mas está defendendo a propabilidade de deus existir. É sobre isto que eu falava com o Oceanos e ele disse que não é agnosticismo.

Proselitismo ateu é proselitismo igual a qualquer outro.Muda o produto, mas o vendedor é igualmente chato.
VTNC  :madlol:

Não sei como responder a uma provocação barata dessas, acredito que assim expresse melhor o meu sentimento de indignação para com a sua crítica.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Narkus

  • Visitante
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #33 Online: 23 de Maio de 2007, 13:53:47 »
Deus existe ou não afinal? Duendes existem...

Olha lá, todo bom agnóstico tem que considerar a possibilidade de existir duendes, fadas encantadas, dragões invisíveis...

Qual a diferença entre Deus e dragão invisível? Ah... Deus seria uma força "consciente" que criou e rege o universo?

P*rra, quem inventou Deus foi o homem. Vo inventar dragões invisíveis e vou cobrar que os agnósticos considerem a possibilidade de um dragãoi invisível existir. E mais, quero que os agnósticos afirmem que é impossível provar que eu estou errado, que é impossível provar que o dragão invisível não existe!

Faça mil favor!

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #34 Online: 23 de Maio de 2007, 14:04:15 »
Dizer que deus não existe não é chegar a realidade última nem a verdade absoluta é apenas desconsiderar a realidade de uma divindade, saber que não há lógica para a existencia de deus, crença que tem como base a fantasia e a imaginação, sendo inútil e fútil.
Não me leve a mal, mas você tem um problema sério com lógica, Adriano. Só porque A infere em B, não quer dizer que B vá inferir em A.

Deus não é objeto de inferência da lógica proposicional. Ele tem atributos metafísicos, sobrenaturais. Não poderia, de forma alguma, ser objeto de estudo da ciência ou lógica. EXATAMENTE POR ISSO, é impossível argumentar acerca dele.

Anyway, é inútil e fútil. Mas isso só quer dizer que é inútil e fútil, não impossível.

E qual é o motivo de considerar impossível saber que deus não existe? Qual é o conceito de deus que considera impossível de não saber da sua inexistência?
Sua natureza metafísica.


Ilógico ao afirmar que não podemos saber se deus inexiste.
Por quê? Qual metodologia que alcance a natureza e os atributos de deus que você propôe para podermos estuda-lo? Com ela, como podemos prova-lo ou desprova-lo?

Para não aceitar a afirmativa de que deus inexiste tem que mostrar a possibilidade de existência. Caso não faça isso vai ficar na afirmativa vazia de que é impossível saber, e não tem nada de positivo nisto. Nem ao menos esclarece o motivo de achar que é impossível não saber.
É impossível estudar deus. É por isso que os agnósticos não aceitam argumentos a respeito dele. Ninguém dá probabilidade de existência de nada, de nada. Tire esse espantalho da sua cabeça.

Narkus

  • Visitante
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #35 Online: 23 de Maio de 2007, 14:14:52 »
Ae Oceanos...

To AFIRMANDO que existe um dragão invisível na minha garagem! Duvidas? Prove que estou errado!

Ah...
Eu tbm quero vc fale pra todo mundo que é IMPOSSÍVEL PROVAR QUE O NARKUS ESTÁ MENTINDO SOBRE O DRAGÃO.

Imaginem só eu assassinar alguém e dizer no julgamento: "O dragão invisível conduziu minha mão até o pescoço da vítima!". Pronto! Ninguém pode provar que eu estou errado! O dragão é invisível, ninguém vê, portanto eu tenho que ser inocentado ou ter a pena reduzida por que "não foi eu que matou, mas sim o dragão invisível".

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #36 Online: 23 de Maio de 2007, 14:16:09 »
Deus existe ou não afinal? Duendes existem…

Olha lá, todo bom agnóstico tem que considerar a possibilidade de existir duendes, fadas encantadas, dragões invisíveis…
Depende dos atributos que você dá para eles.

De qualquer modo, depende muito da crença da pessoa e das prioridades que ela dá à elas.

P*rra, quem inventou Deus foi o homem. Vo inventar dragões invisíveis e vou cobrar que os agnósticos considerem a possibilidade de um dragãoi invisível existir. E mais, quero que os agnósticos afirmem que é impossível provar que eu estou errado, que é impossível provar que o dragão invisível não existe!

Faça mil favor!
Um dia, só um dia, eu vou acordar, as pessoas vão entender do que falam, vão ler o que digo, e tudo vai ser feliz naquele dia. Só naquele dia.

Vou repetir pela última vez: o agnosticismo não fala da possibilidade de deus existir, e sim da impossibilidade de se saber se ele existe ou não. Não é ter que dar prioridade igual para todas as idéias não-naturais balbuciadas, é simplesmente assumir que podemos ser um pouquinho ignorantes perante a realidade e que não sabemos, não que, sabemos que não pode.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #37 Online: 23 de Maio de 2007, 14:17:32 »
Ae Oceanos…

To AFIRMANDO que existe um dragão invisível na minha garagem! Duvidas? Prove que estou errado!

Ah…
Eu tbm quero vc fale pra todo mundo que é IMPOSSÍVEL PROVAR QUE O NARKUS ESTÁ MENTINDO SOBRE O DRAGÃO.

Imaginem só eu assassinar alguém e dizer no julgamento: "O dragão invisível conduziu minha mão até o pescoço da vítima!". Pronto! Ninguém pode provar que eu estou errado! O dragão é invisível, ninguém vê, portanto eu tenho que ser inocentado ou ter a pena reduzida por que "não foi eu que matou, mas sim o dragão invisível".
Espantalho.

Offline FxF

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.720
  • Sexo: Masculino
  • Yohohoho!
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #38 Online: 23 de Maio de 2007, 14:24:23 »
Ninguém se presa a dizer que é impossível provar se Papai Noel existe ou não, dizem logo de cara que não e que é uma história infantil.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #39 Online: 23 de Maio de 2007, 14:33:50 »
Ai ai...

Offline Tash

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.191
  • Sexo: Masculino
    • http://about.me/alganet
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #40 Online: 23 de Maio de 2007, 15:00:34 »
O erro do Narkus é simples. Agnósticos afirmam que é impossível provar se deus existe ou não.

Ser agnóstico não implica em acreditar em todos os deuses (como você sugeriu na afirmação "Vo inventar dragões invisíveis e vou cobrar que os agnósticos considerem a possibilidade de um dragãoi invisível"), um agnóstico simplesmente não tem imagem ou conceito de deus algum.

Geralmente, o agnóstico não acredita em nenhuma religião. Nenhuma delas faz o mínimo sentido pra ele porque todas tentam de alguma forma afirmar que deus existe, o que ele acredita que seja impossível.

Pro agnóstico também não interessa provar que os deuses não existem, ele julga que isso é impossível de ser realizado.

Um exercício mental simples pra explicar isso:

Imagine se não existisse religião alguma. Não existiria quem defende que deus existe (religiosos) nem quem defende que deus não existe (ateus), existiriam apenas pessoas que não tem preocupação alguma com esse tipo de conclusão (agnósticas). É exatamente esse o sentido etmológico da palavra "agnóstico" (não conhecimento).

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #41 Online: 23 de Maio de 2007, 15:02:23 »
Perfeito, Tash. :)

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #42 Online: 23 de Maio de 2007, 15:03:03 »
Dizer que deus não existe não é chegar a realidade última nem a verdade absoluta é apenas desconsiderar a realidade de uma divindade, saber que não há lógica para a existencia de deus, crença que tem como base a fantasia e a imaginação, sendo inútil e fútil.
Não me leve a mal, mas você tem um problema sério com lógica, Adriano.

Não tenho problema algum com lógica, existem vários tipos de lógica e quando não é definido qual usamos a lógica formal que é mais básica.

Só porque A infere em B, não quer dizer que B vá inferir em A.
Na lógica formal sim.

Deus não é objeto de inferência da lógica proposicional.
E qual é o tipo de lógica adequado? Ou vai admitir que é um conceito ilógico?

Ele tem atributos metafísicos, sobrenaturais.
Exatamente e é através deste atributos que podemos descaracterizar o conceito quando a suposição de um ser real e sim enquadra-lo através de uma abstração e um engano cultural. Assim como a mitologia e as crenças diversas.

Não poderia, de forma alguma, ser objeto de estudo da ciência ou lógica.

A exclusão seria da lógica proposicional. Existem muitas outras inferencias e apricações lógicas. Vide a teoria dos jogos que é um conceito matemático e usado em diversas áreas do conhecimento humano, como a economia e biologia.

E não estou abordando o assunto do ponto de vista científico, pelo menos não na filosofia epistemológica de Popper, embora penso que seja possível enquadrar a hipótese deus não existe, pois esta pode ser falseada com a comprovação da existencia de deus. Mas independente disso eu tomo como referência a filosofia que contém a lógica, pois a lógica é um dos ramos da filosofia.

E deus pode sim ser objeto de estudo da lógica e da filosofia e de fato é. Se pensa que o conceito de deus não pode ser estudado, que fique com a sua auto-limitação do assunto apenas para você e não me venha pregar isto como verdade.

A teologia estuda deus, mas considerando que ele exista, o que a torna parcial. E para além da teologia tem crescido a ciência da religião que estuda as religiões, com grande representação no cenário acadêmico. São as questões "metafísicas" sendo observadas sobre diversos ângulos e olhares para um aprofundamento do entendimento destas religiões. São empregados vários conhecimentos das diversas ciências para o desenvolvimento da ciência da religião.


EXATAMENTE POR ISSO, é impossível argumentar acerca dele.

Anyway, é inútil e fútil. Mas isso só quer dizer que é inútil e fútil, não impossível.
Não é impossível argumentar sobre deus, que não passa de um conceito, e é isso que estamos fazendo. A problemática é que o agnóstico foge e se acovarda da discussão através deste espantalho epistemológico que o agnosticismo é. Simplesmente ignora o assunto por dizer que não é possível argumentar, chega a ser ridículo.

E qual é o motivo de considerar impossível saber que deus não existe? Qual é o conceito de deus que considera impossível de não saber da sua inexistência?
Sua natureza metafísica.
Através do conceito de metafísica que citei da Wikiédia, vemos que isto não é impedimento de saber que deus não existe. A metafísica estuda a realidade, e junto com a ontologia é um dos ramos da filosofia. Se não gosta de assuntos metafísicos não diga ser impossível a estudar. Temos um grande arcabouço teórico acerca da metafísica.

É impossível estudar deus.
Espantalho. É possível estudar deus, eu estudo e muitos estudam. Se acha que para você é impossível não queira fazer disso a regra.

É por isso que os agnósticos não aceitam argumentos a respeito dele.
Claro tem um bom espantalho espistemológico. Nega a discussão sobre o assunto.

Ninguém dá probabilidade de existência de nada, de nada. Tire esse espantalho da sua cabeça.
Não é probabilidade, é certeza absoluta de que não podemos saber da inexistência de deus.
É o espantalho epistemológico.

Para mim tem duas posições, teísta e ateu, ou até mesmo a dúvida é valido. Mas o agnosticismo é desonesto por  não ter posição e se julgar superior por não dizer que não participa do debate, pois só fica na teoria e na prática fica se justificando através do conceito de deus. 
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Narkus

  • Visitante
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #43 Online: 23 de Maio de 2007, 15:13:34 »
Eu sei o q é agnosticismo ok?

O que eu to querendo dizer é que ser agnóstico não é ser racional e isso a lógica comprova!

Oras, qual a diferença entre as 2 sentenças abaixo?
1) É impossível provar a existência ou não de duendes invisíveis
2) É impossível provar a existência ou não de deus

Ser agnóstico é não ter lógica. É ter medo ou receio de desacreditar em Deus. Pq possuem certeza da inexistência de fadas e fantasmas mas afirmam que é impossível comprovar a inexistência de deus? Po! Então afirma também que é impossível comprovar a inexistência de fadas e fantasmas! Afirma também que é impossível provar que o Narkus está mentindo ao afirmar que dragões invisíveis existem.

Pergunta para os agnósticos:
Qual a diferença entre desacreditar em duendes invisíveis e desacreditar em deus?

Querem ser agnósticos sejam, mas é tolice julgar o ateísmo como algo radical ou "não tão cético".

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #44 Online: 23 de Maio de 2007, 15:16:28 »
O erro do Narkus é simples. Agnósticos afirmam que é impossível provar se deus existe ou não.

Ser agnóstico não implica em acreditar em todos os deuses (como você sugeriu na afirmação "Vo inventar dragões invisíveis e vou cobrar que os agnósticos considerem a possibilidade de um dragãoi invisível"), um agnóstico simplesmente não tem imagem ou conceito de deus algum.
E qual o motivo de usar a palavra deus? Qual é o seu intendo com essa palavra? Não tem nenhum significado?
Para o ateu é um conceito imaginário e fantasioso. Para um teísta é um ser real. E para o agnóstico é uma boa desculpa para não dar palpite e opinião e se abster do assunto.

Geralmente, o agnóstico não acredita em nenhuma religião. Nenhuma delas faz o mínimo sentido pra ele porque todas tentam de alguma forma afirmar que deus existe, o que ele acredita que seja impossível.
Se acredita ser impossível que entenda que o motivo é a inexistência de deus. É que nem acreditar na teoria da evolução, é um conhecimento científico, mas se pode ser refutada, o que é pouco provável. Assim acontece com a hipótese ateísta da inexistência de deus. Pode ser refutada com a comprovação de deus, científicamente tem probabilidades.
Mas a questão perde valor na argumentação baseada no racionício crítico. Fica óbvio a inconsistencia dos atributos metafísicos e sobrenaturais de deus.


Pro agnóstico também não interessa provar que os deuses não existem, ele julga que isso é impossível de ser realizado.
É o espantalho agnóstico.

Um exercício mental simples pra explicar isso:

Imagine se não existisse religião alguma. Não existiria quem defende que deus existe (religiosos) nem quem defende que deus não existe (ateus), existiriam apenas pessoas que não tem preocupação alguma com esse tipo de conclusão (agnósticas). É exatamente esse o sentido etmológico da palavra "agnóstico" (não conhecimento).
Mais um exemplo de imaginação e fantasia. Está tentando provar a validade do agnosticismo igual tentam provar deus.
É praticamente impossível alguem que não tenha um conceito sobre deus, que desconheça.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #45 Online: 23 de Maio de 2007, 16:03:24 »
Só porque A infere em B, não quer dizer que B vá inferir em A.
Na lógica formal sim.
Absolutamente errado. A inferir em B e B inferir em A é a chamada de relação de bi-inferência.

Se está chovendo, a rua está molhada.
A = Está chovendo
B = Rua molhada

Proposição: Se A, então B. A->B.

Estar chovendo, vai diretamente implicar na rua estar molhada. Mas a rua estar molhada de forma alguma implica em estar chovando. Para isos, existe a relação de bi-inferência:

Está chovendo, se e somente se, a rua está molhada.

Nesse caso, assume-se: A <-> B. O que é equivalente à A->B ^ B->A.

http://pt.wikibooks.org/wiki/L%C3%B3gica:_C%C3%A1lculo_Proposicional_Cl%C3%A1ssico:_Operadores_e_Tabelas_de_Verdade#Implica.C3.A7.C3.A3o

E qual é o tipo de lógica adequado? Ou vai admitir que é um conceito ilógico?
Não conheço. Por isso estou te perguntando.

Exatamente e é através deste atributos que podemos descaracterizar o conceito quando a suposição de um ser real e sim enquadra-lo através de uma abstração e um engano cultural. Assim como a mitologia e as crenças diversas.
Não. Podemos apenas dizer que ele não tem atributos físicos.

A exclusão seria da lógica proposicional. Existem muitas outras inferencias e apricações lógicas. Vide a teoria dos jogos que é um conceito matemático e usado em diversas áreas do conhecimento humano, como a economia e biologia.
Mostre-me uma.

E não estou abordando o assunto do ponto de vista científico, pelo menos não na filosofia epistemológica de Popper, embora penso que seja possível enquadrar a hipótese deus não existe, pois esta pode ser falseada com a comprovação da existencia de deus. Mas independente disso eu tomo como referência a filosofia que contém a lógica, pois a lógica é um dos ramos da filosofia.
Não, deus não pode ser falseado porque não pode ser testado pela ciência.

E deus pode sim ser objeto de estudo da lógica e da filosofia e de fato é. Se pensa que o conceito de deus não pode ser estudado, que fique com a sua auto-limitação do assunto apenas para você e não me venha pregar isto como verdade.
A própria premissa de deus o tire das limitações lógicas. Ele é, por definição, e não por falha, ilógico. A lógica é baseada em observações naturais do mundo real, tal como a matemática. É axiomática. Ela existe porque a natureza funciona assim. Deus não é natural. Como inferir nele regras naturais, já que ele não o é?!

A teologia estuda deus, mas considerando que ele exista, o que a torna parcial. E para além da teologia tem crescido a ciência da religião que estuda as religiões, com grande representação no cenário acadêmico. São as questões "metafísicas" sendo observadas sobre diversos ângulos e olhares para um aprofundamento do entendimento destas religiões. São empregados vários conhecimentos das diversas ciências para o desenvolvimento da ciência da religião.
Parcial não, errada. Deus não pode ser estudado por definição. Como se estuda algo que não pode ser tocado?

Não é impossível argumentar sobre deus, que não passa de um conceito, e é isso que estamos fazendo. A problemática é que o agnóstico foge e se acovarda da discussão através deste espantalho epistemológico que o agnosticismo é. Simplesmente ignora o assunto por dizer que não é possível argumentar, chega a ser ridículo.
Ui.

Agora, me mostre: como posso estudar deus? Qual método você propôe que nos dê a possibilidade de falsea-lo?

Através do conceito de metafísica que citei da Wikiédia, vemos que isto não é impedimento de saber que deus não existe. A metafísica estuda a realidade, e junto com a ontologia é um dos ramos da filosofia. Se não gosta de assuntos metafísicos não diga ser impossível a estudar. Temos um grande arcabouço teórico acerca da metafísica.
Mas.. mas.. mas.. Como?

Espantalho. É possível estudar deus, eu estudo e muitos estudam. Se acha que para você é impossível não queira fazer disso a regra.
Como estudam?

Claro tem um bom espantalho espistemológico. Nega a discussão sobre o assunto.
Por quê?

Não é probabilidade, é certeza absoluta de que não podemos saber da inexistência de deus.
Você acabou de falar de probabilidade para o Barata. Está se confundindo?

É o espantalho epistemológico.
De novo?

Para mim tem duas posições, teísta e ateu, ou até mesmo a dúvida é valido. Mas o agnosticismo é desonesto por  não ter posição e se julgar superior por não dizer que não participa do debate, pois só fica na teoria e na prática fica se justificando através do conceito de deus. 
Quem se julga superior aqui, cara-pálida? Em que planeta você vive que isso acontece?

O agnosticismo é exatamente o contrário disso tudo, ele se julga incapaz de saber. Ao contrário daqueles que dizem saber, como você e os teístas. É uma postura muito mais humilde.

Você acha que vai chegar à algum lugar ofendendo dessa forma? Você só vai conseguir fazer as pessoas que concordam contigo rir com você. Nada mais.

Enfim, seja mais educado na próxima. Minha intenção não foi em nenhum momento ofende-lo ou insinuar algo, então espero que não tenha pensado isso. Continue com essa postura que da próxima vez não vou nem me dignificar a comentar algo seu.

Offline Tash

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.191
  • Sexo: Masculino
    • http://about.me/alganet
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #46 Online: 23 de Maio de 2007, 16:33:34 »

Oras, qual a diferença entre as 2 sentenças abaixo?
1) É impossível provar a existência ou não de duendes invisíveis
2) É impossível provar a existência ou não de deus


Na primeira o sujeito é "duendes invisíveis", na segunda o sujeito é "deus". Você pode afirmar que não acredita em nenhum deles, mas de maneira alguma pode afirmar que são iguais.

Agnosticismo é uma postura religiosa. Assim como podem existir ateus que acreditam em duendes, fadas, programação neurolinguística e homeopatia, podem existir agnósticos que acreditam nessas coisas. Ateísmo não é sinônimo de ceticismo, embora geralmente andem juntos.

Ser agnóstico é não ter lógica. É ter medo ou receio de desacreditar em Deus.

Fácil falar, mas olha a conclusão que você chegou:

Pq possuem certeza da inexistência de fadas e fantasmas mas afirmam que é impossível comprovar a inexistência de deus? Po! Então afirma também que é impossível comprovar a inexistência de fadas e fantasmas! Afirma também que é impossível provar que o Narkus está mentindo ao afirmar que dragões invisíveis existem.

Bom, já falei sobre isso. Houve uma generalização grosseira da sua parte.

Pergunta para os agnósticos:
Qual a diferença entre desacreditar em duendes invisíveis e desacreditar em deus?

Nesse mesmo post já expliquei.

Querem ser agnósticos sejam, mas é tolice julgar o ateísmo como algo radical ou "não tão cético".

Nem todo ateísmo é radical. O seu com certeza é. Ateísmo não é sinônimo de ceticismo.

Offline Tash

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.191
  • Sexo: Masculino
    • http://about.me/alganet
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #47 Online: 23 de Maio de 2007, 16:50:03 »
O erro do Narkus é simples. Agnósticos afirmam que é impossível provar se deus existe ou não.

Ser agnóstico não implica em acreditar em todos os deuses (como você sugeriu na afirmação "Vo inventar dragões invisíveis e vou cobrar que os agnósticos considerem a possibilidade de um dragãoi invisível"), um agnóstico simplesmente não tem imagem ou conceito de deus algum.
E qual o motivo de usar a palavra deus? Qual é o seu intendo com essa palavra? Não tem nenhum significado?
Para o ateu é um conceito imaginário e fantasioso. Para um teísta é um ser real. E para o agnóstico é uma boa desculpa para não dar palpite e opinião e se abster do assunto.

Geralmente a palavra deus é utilizada quando se fala de algum tipo de inteligencia superior. É esse o significado.

Para um agnóstico pouco importa se deus é real ou não, isso não faz diferença em sua vida. Um agnóstico pode debater e dar opinião ao falar sobre deuses que ele considera imaginários. Um agnóstico pode criticar os relatos bíblicos e a existência de milagres. O que um agnóstico não faz em hipótese alguma é afirmar "não existe inteligência superior", porque simplesmente não há provas disso. Podemos chegar a conclusão que YHWH, Vishnu, Poseidon e todos os outros não existem, mas não podemos afirmar que não existe nenhum tipo de inteligência superior, não há prova alguma disso.

Geralmente, o agnóstico não acredita em nenhuma religião. Nenhuma delas faz o mínimo sentido pra ele porque todas tentam de alguma forma afirmar que deus existe, o que ele acredita que seja impossível.
Se acredita ser impossível que entenda que o motivo é a inexistência de deus. É que nem acreditar na teoria da evolução, é um conhecimento científico, mas se pode ser refutada, o que é pouco provável. Assim acontece com a hipótese ateísta da inexistência de deus. Pode ser refutada com a comprovação de deus, científicamente tem probabilidades.
Mas a questão perde valor na argumentação baseada no racionício crítico. Fica óbvio a inconsistencia dos atributos metafísicos e sobrenaturais de deus.

Você pensou em qual deus quando falou isso? Existem tantos, pode haver um deus que criou o universo e não existe mais, um deus que não é detectável (e não influencia diretamente em nossas ações). São deuses hipotéticos que você nunca conseguirá provar que não existem, e eu nunca conseguirei provar que existem.

Pro agnóstico também não interessa provar que os deuses não existem, ele julga que isso é impossível de ser realizado.
É o espantalho agnóstico.

A Falácia do Espantalho ocorre quando você explica a posição do outro interlocutor de maneira distorcida e então argumenta em cima dessa distorção. Nesse caso eu expliquei um aspecto raiz do agnosticismo, sua própria definição. Em momento algum eu distorci palavras de outro interlocutor.

Seria bastante prudente de sua parte conhecer as falácias antes de sair classificando qualquer argumento como alguma delas.

Um exercício mental simples pra explicar isso:

Imagine se não existisse religião alguma. Não existiria quem defende que deus existe (religiosos) nem quem defende que deus não existe (ateus), existiriam apenas pessoas que não tem preocupação alguma com esse tipo de conclusão (agnósticas). É exatamente esse o sentido etmológico da palavra "agnóstico" (não conhecimento).
Mais um exemplo de imaginação e fantasia. Está tentando provar a validade do agnosticismo igual tentam provar deus.
É praticamente impossível alguem que não tenha um conceito sobre deus, que desconheça.

Foi uma suposição, toda suposição é objeto da imaginação, isso é óbvio. Um agnóstico pode ter infinitos conceitos sobre diversos deuses, a questão que eu tentei mostrar foi que ele desconsidera buscar respostas pra pergunta "existe um deus?".

Narkus

  • Visitante
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #48 Online: 23 de Maio de 2007, 17:07:24 »
poxa, mas será que preciso desenhar?
Pq aki ninguém refuta apenas o que digo ao inves de refutar o que "acha q eu quiz dizer".

Se afirmam que agnosticismo é uma postura religiosa que não vê Deus da mesma maneira fantasiosa como duendes, então acho que ficou claro e óbvio uma coisa:
- O agnóstico não considera um delírio acreditar na possível existência de Deus!

ótimo, alguém discorda disso?

Mas... Seguindo a lógica cética e científica, sabemos que uma coisa para existir ou ter pelo menos sua "possibilidade de existência admitida" precisa de evidências e provas. Seguindo a lógica agnostica, não há como comprovar a existência ou não de Deus. Agora pergunto... Há qualquer evidência ou prova da possível existência de Deus?

Me respondam, caros agnosticos...
Por que não posso comparar a possibilidade de existência de Deus com a possibilidade de existência de anjos? Em matéria de evidências e provas essas duas hipóteses são equivalentes, totalmente equivalentes!

Eu quero a resposta, chega de enrolar! Eu to falando de lógica agora! Ser agnóstico é ser lógico e racional? Se vierem falar pra mim que duendes existem eu vou falar o q? Pela "logica" (eu disse lógica, nao crenca) agnostica eu iria abandonar o debate e dizer "Não há como provar a existência ou não de duendes".

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Convite: Debate inter-blogue
« Resposta #49 Online: 23 de Maio de 2007, 17:13:29 »
Só porque A infere em B, não quer dizer que B vá inferir em A.
Na lógica formal sim.
Absolutamente errado.
Absolutamente errado não, estou correto, pede educação para mim e fala dessa maneira.  :x

Não estamos tratando de A e B e somente de A que é o conceito de deus. E aplicando os princípios do CPC:

Citar
    O Cálculo Proposicional Clássico (CPC) consiste num sistema simbólico de Lógica Clássica. E como todos os sistemas de lógica clássica, segue os seguintes princípios:

    * Bivalência: Cada fórmula recebe apenas um de dois valores distintos e absolutos, verdadeiro ou falso.

    * Não-contradição: Dadas uma fórmula e sua negação, uma delas é falsa.

    * Terceiro Excluído: Dadas uma fórmula e sua negação, uma delas é verdadeira.

    * Identidade: Se uma fórmula é verdadeira, então esta fórmula é verdadeira.

Wikipédia


Exatamente e é através deste atributos que podemos descaracterizar o conceito quando a suposição de um ser real e sim enquadra-lo através de uma abstração e um engano cultural. Assim como a mitologia e as crenças diversas.
Não. Podemos apenas dizer que ele não tem atributos físicos.
E podemos verificar a impossibilidade de cada um desses atributos.

E não estou abordando o assunto do ponto de vista científico, pelo menos não na filosofia epistemológica de Popper, embora penso que seja possível enquadrar a hipótese deus não existe, pois esta pode ser falseada com a comprovação da existencia de deus. Mas independente disso eu tomo como referência a filosofia que contém a lógica, pois a lógica é um dos ramos da filosofia.
Não, deus não pode ser falseado porque não pode ser testado pela ciência.
Não pode ser falseado a sua existência, mas a sua inexistência pode ser falseada com a comprovação científica da existência de deus. É o princípio da falseabilidade, inexiste até que possa ser comprovado. E a impossibilidade de refutar a inexistência só vem a fortalecer a veracidade de tal fato.

E deus pode sim ser objeto de estudo da lógica e da filosofia e de fato é. Se pensa que o conceito de deus não pode ser estudado, que fique com a sua auto-limitação do assunto apenas para você e não me venha pregar isto como verdade.
A própria premissa de deus o tire das limitações lógicas. Ele é, por definição, e não por falha, ilógico. A lógica é baseada em observações naturais do mundo real, tal como a matemática. É axiomática. Ela existe porque a natureza funciona assim. Deus não é natural. Como inferir nele regras naturais, já que ele não o é?!
De que premissa de deus está falando? Creio não ter tal limitação.

A teologia estuda deus, mas considerando que ele exista, o que a torna parcial. E para além da teologia tem crescido a ciência da religião que estuda as religiões, com grande representação no cenário acadêmico. São as questões "metafísicas" sendo observadas sobre diversos ângulos e olhares para um aprofundamento do entendimento destas religiões. São empregados vários conhecimentos das diversas ciências para o desenvolvimento da ciência da religião.
Parcial não, errada. Deus não pode ser estudado por definição. Como se estuda algo que não pode ser tocado?
É gigantesco o número  de conceitos e abstrações mentais da cultura humana que são reais e não podem ser tocados e nem serem vistos. A começar pelo conceito de consciência.
O conceito de deus como um ser real é falso. E podemos estudar o motivo de ser falso. O conceito de deus como um ser imaginário é verdadeiro, e podemos estudar este conceito observando as características deste ser imaginário.

Não é impossível argumentar sobre deus, que não passa de um conceito, e é isso que estamos fazendo. A problemática é que o agnóstico foge e se acovarda da discussão através deste espantalho epistemológico que o agnosticismo é. Simplesmente ignora o assunto por dizer que não é possível argumentar, chega a ser ridículo.
Ui.

Agora, me mostre: como posso estudar deus? Qual método você propôe que nos dê a possibilidade de falsea-lo?
Estudamos o conceito de deus. Os atributos e características de tal ser. Podemos utilizar o método descritívo. Muitos que já fizeram estes estudos, temos muito material a respeito. E não estou propondo a tentativa de falsear a hipótese de deus como ser real e sim a hipótese de deus como ser imaginário.


Através do conceito de metafísica que citei da Wikiédia, vemos que isto não é impedimento de saber que deus não existe. A metafísica estuda a realidade, e junto com a ontologia é um dos ramos da filosofia. Se não gosta de assuntos metafísicos não diga ser impossível a estudar. Temos um grande arcabouço teórico acerca da metafísica.
Mas… mas… mas… Como?
Deus é a resposta para a pergunta "de onde viemos?" e respondem com o conceito de deus como ser real, sendo este ser o criador. Para esta resposta metafísica eu fico com a resposta que a teoria da evolução fornece.
Temos a pergunta "como surgiu o mundo?" e eu fico com as resposta da astronomia, onde o conceito de um ser superior como criador do universo é inexistente.

Espantalho. É possível estudar deus, eu estudo e muitos estudam. Se acha que para você é impossível não queira fazer disso a regra.
Como estudam?
Estudando o ateísmo é uma maneira das mais profundas de entender o conceito de deus, pessoalmente eu prefiro este método. Mas a ciência da religião ao estudar as religiões teístas faz esta abordagem de deus para seu entendimento.

Claro tem um bom espantalho espistemológico. Nega a discussão sobre o assunto.
Por quê?
Nega a discussão por não acreditar ser possível uma conclusão. E considera os que discutem e sabem da possibilidade de se obter um conhecimento definitivo como bobocas.

Não é probabilidade, é certeza absoluta de que não podemos saber da inexistência de deus.
Você acabou de falar de probabilidade para o Barata. Está se confundindo?
Ele acredita na probabilidade de deus existir, de ser real. O que me referia é ao agnóstico que não considera probabilidade alguma de se obter um conhecimento acerca da inexistência de deus.


Para mim tem duas posições, teísta e ateu, ou até mesmo a dúvida é valido. Mas o agnosticismo é desonesto por  não ter posição e se julgar superior por não dizer que não participa do debate, pois só fica na teoria e na prática fica se justificando através do conceito de deus. 
Quem se julga superior aqui, cara-pálida?
Me desculpe pelo desonesto.  :?

O agnosticismo é exatamente o contrário disso tudo, ele se julga incapaz de saber.
O problema é que ao se julgar incapaz de saber quer converter os demais a esta incapacidade por achar que todos são incapazes. Coloca como uma regra geral. Seria bom o agnóstico que diz, eu sou incapaz de saber e não querer impor este viez do pensamento epistemológico para todos.

Ao contrário daqueles que dizem saber, como você e os teístas. É uma postura muito mais humilde.
E eu consiredo mais humilde ter uma opinião. Pois se você considera impossível saber se existe ou não um deus isto não tem nada a ver com qualquer discussão. Humildade é não querer pregar uma impotência do conhecimento sobre este tema.

Você acha que vai chegar à algum lugar ofendendo dessa forma? Você só vai conseguir fazer as pessoas que concordam contigo rir com você. Nada mais.

Enfim, seja mais educado na próxima. Minha intenção não foi em nenhum momento ofende-lo ou insinuar algo, então espero que não tenha pensado isso. Continue com essa postura que da próxima vez não vou nem me dignificar a comentar algo seu.
Gosto da boa educação também. Não tive o intuito de ofender.  :ok:
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!