Autor Tópico: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!  (Lida 2590 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Online: 10 de Junho de 2007, 21:27:45 »
Citar
Nos EUA, ateístas militantes são uma reação a Bush. Mas, cuidado: a turma também pode ser fundamentalista

Patrícia Campos Mello, WASHINGTON

Pela primeira vez na História, um político americano saiu do armário e declarou: eu sou ateu. Foi há dois meses que o deputado Pete Stark, da Califórnia, ganhou as páginas dos jornais ao dizer que não acredita em um "ser supremo" e que vai trabalhar contra a crescente influência da religião na vida americana.

Vários congressistas são abertamente gays e muitos já admitiram uso de drogas nos Estados Unidos. No ano passado, um muçulmano praticante foi eleito deputado, e assumiu o posto jurando sobre o Alcorão. Mas o ateísmo continuava a ser um tabu intransponível na sociedade americana. Até agora.

A revelação de Stark e o apoio entusiasmado que recebeu de vários eleitores são um sinal da força dos chamados neo-ateus, um grupo de ateístas militantes que estão defendendo o direito de não acreditar em
Deus. Mas alguns dos neo-ateus chegam a ser tão radicais quanto seus nêmesis, os fundamentalistas cristãos e muçulmanos. Eles não se limitam a defender sua falta de fé. Eles são evangelistas, pregam a palavra da não-religião, tentam converter os fiéis ao racionalismo e pedem o fim do misticismo.

Nos últimos meses, esse ateísmo militante se transformou em um fenômeno editorial. Cinco livros anti-religião freqüentaram a lista dos mais vendidos do jornal The New York Times. São eles God Delusion, de Richard Dawkins, Breaking the Spell, Daniel Dennett, The End of Faith e Letter to a Christian Nation, de Sam Harris, e recentemente God is not great: How Religion Poisons Everything, do polemista Christopher Hitchens.

Em seus livros, os evangelistas do ateísmo pegam pesado. Hitchens, famoso por chamar a madre Teresa de Calcutá de "fanática" e "uma fraude", argumenta que a religião é o combustível da maioria dos atuais conflitos sangrentos, como sunitas contra xiitas no Iraque, hindus contra muçulmanos em Mumbai, protestantes contra católicos em Ulster.

Já Dennett ataca o cristianismo, por ser uma religião "insana o bastante", a ponto de levar as pessoas a esperarem ansiosamente pelo fim do mundo e pela volta do messias, segundo ele.

Já Dawkins afirma que "não existe opção entre o Talebã do Afeganistão e seu equivalente cristão na América". E que "o fanatismo religioso está se espalhando desenfreadamente na América de hoje." Para ele, Deus não passa de um "psicótico delinqüente".

Harris diz, simplesmente, que é necessário acabar com a religião, antes que ela acabe com a civilização.

Esse extremismo gera controvérsia até dentro das fileiras do ateísmo. Os chamados ateus soft, encabeçados por Greg Epstein, o capelão humanista da Universidade Harvard, acham que os neo-ateus estão se tornando agressivos demais e usando a mesma arma que os fundamentalistas religiosos, ou seja, a intolerância. "A meta do
humanismo não é simplesmente eliminar a religião", diz Epstein. "Trata-se de uma filosofia bem mais ampla." O humanismo rejeita o sobrenatural, mas prega princípios como a dignidade humana, igualdade e justiça social.

Lori Lipman Brown, diretora da Coalizão Secularista da América, acha que os neo-ateus estão fazendo um ótimo trabalho com seu contra-ataque. "Em alguns lugares dos Estados Unidos, uma pessoa que diz abertamente não acreditar em Deus ainda pode perder o emprego, ter seus filhos ridicularizados na escola e até ser espancado', diz. "O fato de muitos livros sobre o assunto estarem fazendo sucesso e existir, desde 2005, um lobby pró-ateus no Congresso, faz com que até cristãos praticantes reconheçam que ateus podem ser americanos patróticos e éticos, há mais respeito por essa minoria.'Para Daniel Dennett, autor do livro Breaking the Spell e diretor do
centro de estudos cognitivos da universidade Tufts, todo esse ímpeto ateísta foi um "backlash" contra os vários anos de fundamentalismo cristão do governo Bush. Durante esse período, várias organizações da Direita Cristã ganharam milhões de dólares em recursos, muitas restrições às pesquisas usando células-tronco foram provadas, o governo passou a pregar a abstinência como método anticoncepcional, e o criacionismo - corrente que nega a teoria da evolutiva de Darwin - ganhou força. Outros apontam também para o 11 de setembro como fonte dessa reação violenta contra o fanatismo religioso.

"Vários secularistas chegaram à conclusão, de forma independente, que o tradicional respeito dado à religisão estava sendo abusado por pessoas tentando impor suas opiniões no país, e que já era hora de corrigir isso', diz Dennett. Ele espera que agora outros integrantes do Congresso tenham coragem de falar de forma aberta sobre seu ateísmo. Dennett saiu do armário em um artigo do The New York Times em 2003, ao declarar: "Nós, os rights, não acreditamos em fantasmas , duendes, coelhinhos da Páscoa - ou Deus."

"Brights", no caso, é a forma como alguns neo-ateus se auto-intitulam. Da mesma maneira que os homossexuais passaram a usar a palavra gay (alegre), os humanistas, secularistas e agnósticos estão usando a palavra bright (brilhante, inteligente), que teria uma carga negativa menor do que o vocábulo "ateu".

Segundo Paul Kurtz, professor emérito de filosofia da State University of New York e fundador do Conselho para Humanismo Secular, o número de pessoas "não-religiosas" não pára de crescer: eram 8,1% da população
em 1990 e hoje são 14%, ou seja, mais de 30 milhões de americanos.

Os neo-ateus comemoram o crescimento do número de seus discípulos. Eles vislumbram o fim da discriminação contra ateus. Como diz o autor Dawkins em um artigo: "É como acontece com os gays: quanto mais brights saírem do armário, mais fácil será para outros brights assumirem."
http://txt.estado.com.br/suplementos/ali/2007/06/10/ali-1.93.19.20070610.13.1.xml?
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #1 Online: 10 de Junho de 2007, 21:36:02 »
Eu acho importante gente como Dawkins e Dennett chamarem a atenção da imprensa para o tabu do ateísmo, sem esse tipo de exposição não se pode esperar que o preconceito que os ateus sofrem na sociedade seja discutido. Entretanto às vezes eles pegam pesado demais. Não é comparando a religião com um câncer, como um mal que deve ser combatido, não é chamando os outros de estúpidos que se consegue fazer amigos. Ateísmo e religião podem conviver pacificamente no estado democrático.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #2 Online: 10 de Junho de 2007, 21:47:34 »
Eu acho importante gente como Dawkins e Dennett chamarem a atenção da imprensa para o tabu do ateísmo, sem esse tipo de exposição não se pode esperar que o preconceito que os ateus sofrem na sociedade seja discutido. Entretanto às vezes eles pegam pesado demais. Não é comparando a religião com um câncer, como um mal que deve ser combatido, não é chamando os outros de estúpidos que se consegue fazer amigos. Ateísmo e religião podem conviver pacificamente no estado democrático.

Eu não vejo nada de radical (alguem se surpreendeu?  :P) pois é uma crítica e faz parte da liberdade de expressão. Qualquer um sabe que perante a doutrina das religiões os ateus tem as piores adjetivações possíveis, mas sempre ficaram comportados. E expressão dos brights é sempre democrática e em veículos de comunicação adequados. Os novos ateus não tornaram a repetir os erros dos ateus comunistas e autoritarios (espero que não :o ). O que está sendo insustentável é o fanatismo religioso americano com o criacionismo, que é anticientífico.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #3 Online: 10 de Junho de 2007, 22:00:01 »
Ser radical ou moderado nada tem a ver com liberdade de expressão, a democracia deve garantir a manifestação de opiniões radicais tanto quanto de opiniões moderadas. Nada impede também uma crítica de ser moderada.

Eu considero muito radical, por exemplo, a frase de Sam Harris "É preciso acabar com a religião antes que a religião acabe com a civilização." É uma opinião expressa democraticamente, mas que contém em si um viés autoritário.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #4 Online: 10 de Junho de 2007, 22:14:22 »
Eu compartilho da mesma opinião de Sam Harris e o que vejo é bom senso na frase dele. A religião está fazendo mal para a sociedade atual. Ainda mais para quem vive nos EUA.

Além de que, certas frases são tiradas de contexto, pois sempre gostam de polemizar acerca de ateus militantes. O respeito tem que ser igual ao da religião, sendo que esta sempre foi incisiva e autoritária e isso faz parte da sua estrura.

Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Nightstalker

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.354
  • Sexo: Masculino
  • Suae quisque fortunae faber est
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #5 Online: 10 de Junho de 2007, 22:29:20 »
Para mim boa parte desses militantes age da mesma forma que crentes fundamentalistas.
Conselheiro do Fórum Realidade.

"Sunrise in Sodoma, people wake with the fear in their eyes.
There's no time to run because the Lord is casting fire in the sky.
When you make sin, hope you realize all the sinners gotta die.
Sunrise in Sodoma, all the people see the Truth and Final Light."

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #6 Online: 10 de Junho de 2007, 22:32:28 »
Eu compartilho da mesma opinião de Sam Harris e o que vejo é bom senso na frase dele. A religião está fazendo mal para a sociedade atual. Ainda mais para quem vive nos EUA.

O fanatismo religioso sempre fez e continua fazendo mal à sociedade. Mas o sentimento religioso moderado não traz maiores problemas. A grande maioria das pessoas segue uma religião, acredita em Deus, mas não dão a esses assuntos uma importância tão grande que interfira em suas decisões, é só ver quantos são os católicos que pensam por si próprios e apóiam a camisinha, o divórcio o aborto e a eutanásia a despeito das recomendações do Vaticano. Não conheço também muita gente que seria capaz de matar ou morrer por Deus.

Citar
Além de que, certas frases são tiradas de contexto, pois sempre gostam de polemizar acerca de ateus militantes.

Mas você já disse que concordava com a frase.

Citar
O respeito tem que ser igual ao da religião, sendo que esta sempre foi incisiva e autoritária e isso faz parte da sua estrura.

Eu achei que fosse justamente esse respeito que os neo-ateus estivessem combatendo… Dawkins não quer que respeitem as opiniões dele, ele quer que suas opiniões sejam avaliadas por seus méritos - e quer que as pessoas extendam esses questionamentos também às religiões, que elas sejam questionadas, não que sejam respeitadas, não que sejam aceitas porque foram passadas pela tradição e pelas autoridades.

Nesse sentido eu concordo totalmente com o Dawkins, como poderia me opor a isso? Mas uma coisa é defender o raciocínio crítico, outra coisa é culpar a religião por todos os conflitos do mundo, isso é um raciocínio simplista, ingênuo e que não resiste aos fatos.


Além disso, digam o que quiserem os neo-ateus, existem formas e formas de dizê-lo. Por mais corretos que estejam em suas idéias é deselegante manifestar essas opiniões com arrogância. A beligerância de gente como Harris só nos traz antipatia.
« Última modificação: 10 de Junho de 2007, 22:34:36 por Willy Nilly »

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #7 Online: 10 de Junho de 2007, 22:58:44 »
O fanatismo religioso sempre fez e continua fazendo mal à sociedade. Mas o sentimento religioso moderado não traz maiores problemas. A grande maioria das pessoas segue uma religião, acredita em Deus, mas não dão a esses assuntos uma importância tão grande que interfira em suas decisões, é só ver quantos são os católicos que pensam por si próprios e apóiam a camisinha, o divórcio o aborto e a eutanásia a despeito das recomendações do Vaticano. Não conheço também muita gente que seria capaz de matar ou morrer por Deus.
Há religiosos e religiosos, mas a religião em si não é nada benéfica. Alguns apelam para a moral religiosa, mas é justamente essa que atrapalha o desenvolvimento social e científico ao ser baseada na fé e em seus dogmas. E princialmente nos temas polêmicos e atuais que necessitam de uma discussão séria a respeito. É claro que ocorre uma mudança, mas é devido a ciência, ao esclarecimento, uma vivência do secularismo por parte da sociedade.

Citar
Além de que, certas frases são tiradas de contexto, pois sempre gostam de polemizar acerca de ateus militantes.
Mas você já disse que concordava com a frase.
E concordo, apesar de achar que ele foi educado naquela frase.  :smartass:

Citar
O respeito tem que ser igual ao da religião, sendo que esta sempre foi incisiva e autoritária e isso faz parte da sua estrura.

Eu achei que fosse justamente esse respeito que os neo-ateus estivessem combatendo… Dawkins não quer que respeitem as opiniões dele, ele quer que suas opiniões sejam avaliadas por seus méritos - e quer que as pessoas extendam esses questionamentos também às religiões, que elas sejam questionadas, não que sejam respeitadas, não que sejam aceitas porque foram passadas pela tradição e pelas autoridades.
Eu digo respeitar a liberdade de falar, criticar,  pois ateus tem o direito de criticar a vontade a religião, pois sempre recebemos criticas. E a crítica a religião é que ela socialemente tem o respeito apenas por ser religião e não pode ser criticada por isso. Mas quanto a méritos é covardia comparar a ciência com a religião. E digo que o atéismo é embasado na ciência pois o mundo observado pela ciência é sem deus. É o pressuposto ateísta. 

Nesse sentido eu concordo totalmente com o Dawkins, como poderia me opor a isso? Mas uma coisa é defender o raciocínio crítico, outra coisa é culpar a religião por todos os conflitos do mundo, isso é um raciocínio simplista, ingênuo e que não resiste aos fatos.
Tem um filósofo Francês Lucy Ferry, já foi ministro da educação, e que fala bem sobre a influência da religião no cenário internacional. E não é culpar por todos os conflitos, mas ter consciência de sua influência, que muitos trasnferem apenas para as questões políticas. E o Islã tem um grande peso nessa influência.

Além disso, digam o que quiserem os neo-ateus, existem formas e formas de dizê-lo. Por mais corretos que estejam em suas idéias é deselegante manifestar essas opiniões com arrogância. A beligerância de gente como Harris só nos traz antipatia.
Tanta antipatia que tem ótimas vendas de seus livros e sucesso na divulgação do ateísmo e das farsas religiosas. Não podemos ser torelantes com a intolerância religiosa.
 
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Herf

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.380
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #8 Online: 10 de Junho de 2007, 23:01:27 »
Não é a religião em si que causa o mal, e sim o fanatismo. E este está presente em todas as classes de seres humanos (sim, incluindo os ateus).

Offline Nightstalker

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.354
  • Sexo: Masculino
  • Suae quisque fortunae faber est
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #9 Online: 10 de Junho de 2007, 23:04:19 »
Não é a religião em si que causa o mal, e sim o fanatismo. E este está presente em todas as classes de seres humanos (sim, incluindo os ateus).

Exato. Excetuando algumas religiões que são maléficas a priori como a Quimbanda.
Conselheiro do Fórum Realidade.

"Sunrise in Sodoma, people wake with the fear in their eyes.
There's no time to run because the Lord is casting fire in the sky.
When you make sin, hope you realize all the sinners gotta die.
Sunrise in Sodoma, all the people see the Truth and Final Light."

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #10 Online: 10 de Junho de 2007, 23:09:00 »
Não é a religião em si que causa o mal, e sim o fanatismo. E este está presente em todas as classes de seres humanos (sim, incluindo os ateus).
Incluindo os liberais também não se esqueça  :P
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #11 Online: 10 de Junho de 2007, 23:50:35 »
Há religiosos e religiosos, mas a religião em si não é nada benéfica. Alguns apelam para a moral religiosa, mas é justamente essa que atrapalha o desenvolvimento social e científico ao ser baseada na fé e em seus dogmas. E princialmente nos temas polêmicos e atuais que necessitam de uma discussão séria a respeito. É claro que ocorre uma mudança, mas é devido a ciência, ao esclarecimento, uma vivência do secularismo por parte da sociedade.

A sociedade brasileira é até relativamente secular. Pode-se perceber isso pela alta aceitação de temas reprovados pela Igreja, como a questão do divórcio e dos anticoncepcionais. Existem sociedades bem mais seculares do que a nossa, mas não se pode dizer que o Brasil é hoje uma nação ameaçada pelo fanatismo religioso - embora isso seja verdade para os Estados Unidos. O fato é que no Brasil as pessoas não vêem contradição em acreditar em Deus, participar de cerimônias religiosas, mas ter pontos de vista seculares a respeito de questões sociais polêmicas.


Citar
Eu digo respeitar a liberdade de falar, criticar,  pois ateus tem o direito de criticar a vontade a religião, pois sempre recebemos criticas. E a crítica a religião é que ela socialemente tem o respeito apenas por ser religião e não pode ser criticada por isso. Mas quanto a méritos é covardia comparar a ciência com a religião. E digo que o atéismo é embasado na ciência pois o mundo observado pela ciência é sem deus. É o pressuposto ateísta. 

Ninguém nega aos ateus o direito de criticarem a religião nem aos religiosos o direito de criticar o ateísmo. Esses são direitos constitucionais de todo cidadão. Em uma sociedade democrática também as pessoas têm liberdade de consciência para terem a visão de mundo que mais lhes agrade. Ninguém é obrigado por lei a ser racionalista, uma pessoa se quiser pode muito bem optar por crer no que quer que seja com base na fé mesmo que isso vá contra os fatos.

Quanto ao ateísmo ser embasado na ciência, depende do que você entende por ateísmo e do que você entende por ciência. O ateísmo fraco é compatível com a definição falsificacionista da ciência, mas só ele. Para se dizer que Deus não existe (ateísmo forte), a existência de Deus deveria ser uma proposição falseável. Sendo uma proposição falseável, poderíamos fazer algum experimento cujo resultado poderia nos revelar que Deus não existe. Entretanto, uma vez que Deus é uma proposição infalseável ele está fora dos domínios da ciência, é uma questão irrelevante, não está nem certa e nem errada, é simplesmente uma pergunta que não faz sentido. Sendo assim a ciência não diz que Deus não existe, mas ela é atéia no sentido que Deus não tem participação nela - mesmo assim muita gente preferiria dizer que a ciência é agnóstica.

Citar
Tem um filósofo Francês Lucy Ferry, já foi ministro da educação, e que fala bem sobre a influência da religião no cenário internacional. E não é culpar por todos os conflitos, mas ter consciência de sua influência, que muitos trasnferem apenas para as questões políticas. E o Islã tem um grande peso nessa influência.

A religião costuma ser um bode-expiatório nos conflitos. Geralmente ela não tem culpa, mas acaba levando a fama. O caso é que dificilmente duas nações vão mobilizar dispendiosos esforços militares porque não concordam com uma passagem das escrituras. Geralmente as guerras serão motivadas pelos motivos de sempre: riqueza e poder. Acontece que o comandante em chefe de uma nação não vai conseguir reunir um exército se pedir a seu povo que combata numa guerra para deixá-lo mais rico e poderoso. É preciso inflamar os sentimentos das massas para que elas acreditem que a luta dela própria, que há uma razão moral pela qual vale a pena um guerreiro dar a sua vida. Nessa hora vale apelar para tudo, a religião é um dos recursos, mas nesse jogo também vale o nacionalismo, a justiça, e mais recentemente uma das desculpas preferidas tem sido a democracia - vide Iraque e Vietnã. Que motivação os soldados americanos teriam para lutar se não acreditassem que estavam lutando por uma causa nobre?

Citar
Tanta antipatia que tem ótimas vendas de seus livros e sucesso na divulgação do ateísmo e das farsas religiosas. Não podemos ser torelantes com a intolerância religiosa. 

Há controvérsisas... Que os livros estão tendo boas vendas é inegável, mas quem garante que não são os próprios ateus que estão comprando quase a totalidade dos livros? Afinal, esse é um nicho editorial pouco explorado, mas que contém pessoas altamente instruídas e com grande poder aquisitivo. Sendo assim, embora uma grande quantidade de ávidos ateus estejam lendo esses livros, a divulgação do ateísmo se limita à exposição deles na imprensa.

E não, não podemos ser tolerantes com a intolerância. Nem a religiosa nem a ateísta.

Offline Alenônimo

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.545
  • Sexo: Masculino
    • Alenônimo.com.br
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #12 Online: 10 de Junho de 2007, 23:53:36 »
Mas o que é fanatismo ateísta? Dizer que a religião desvirtua a percepção da realidade e deveria ser combatida, por mais forte que pareça, não está errado. Simplismente não há duas realidades diferentes e as realidades pregadas pelas religiões não batem com a realidade real.

Não acho que exista fundamentalismo no ateísmo. Pode haver certas opiniões mais chocantes ou radicais, mas nenhuma delas chega a ser extrema. Não há nenhum ateu pregando a morte de religiosos, que eu saiba.
“A ciência não explica tudo. A religião não explica nada.”

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #13 Online: 11 de Junho de 2007, 00:18:32 »
Pregar o fim da religião é uma posição radical. Por mais que você acredite, ou mesmo que você saiba que está certo, você deve compreender que as pessoas têm o direito de estarem erradas, certas pessoas de fato se sentem tão confortáveis com suas próprias crenças que a elas a verdade não interessa. Se confrontados com a realidade elas estarão dispostas a negá-la em nome da sua fé. É triste, mas é um direito delas, e na medida que esse direito não interfere nas liberdades individuais de mais ninguém não há motivos para ser combatido.

Muito pelo contrário. Eu, na qualidade de cético, ateu, e humanista não acredito em vida após a morte. Por esse motivo penso que todos devemos viver as nossas vidas com o máximo de qualidade e satisfação, felicidade é um assunto sério. Sendo assim, acredito que se a religião traz para certas pessoas uma vida plena de significado e sentido então beira ao anti-ético tirar isso delas.

rizk

  • Visitante
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #14 Online: 11 de Junho de 2007, 15:25:46 »
Eu considero muito radical, por exemplo, a frase de Sam Harris "É preciso acabar com a religião antes que a religião acabe com a civilização." É uma opinião expressa democraticamente, mas que contém em si um viés autoritário.

Mas é! Mas é! :lol:

Eu não li, mas pretendo. Gosto de autor que chuta balde. E é preciso que alguns saiam para as cabeças, sempre, porque, na pior das hipóteses, a gente pode dizer "sou ateu sim, não RADICAL como o Dawkings que você viu na TV". As pessoas não gostam de radicalismo, né hehe. Enfim.

Offline Spitfire

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.530
  • Sexo: Masculino
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #15 Online: 11 de Junho de 2007, 19:35:55 »
Ateus falando assustam bastante estes teístas. Se pudessem, calariam todos os ateus.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #16 Online: 12 de Junho de 2007, 00:18:42 »
A discussão sobre agnosticismo foi movida para cá.

É bem difícil mover tópicos, então, se algo que deveria estar aqui foi pra lá, me avisem ou respondam diretamente aqui. :)

Offline Felius

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.746
  • Sexo: Masculino
Re: ATEUS SAINDO DO ARMÁRIO? GRAÇAS A DEUS!
« Resposta #17 Online: 13 de Junho de 2007, 18:56:38 »
Há religiosos e religiosos, mas a religião em si não é nada benéfica. Alguns apelam para a moral religiosa, mas é justamente essa que atrapalha o desenvolvimento social e científico ao ser baseada na fé e em seus dogmas. E princialmente nos temas polêmicos e atuais que necessitam de uma discussão séria a respeito. É claro que ocorre uma mudança, mas é devido a ciência, ao esclarecimento, uma vivência do secularismo por parte da sociedade.

A sociedade brasileira é até relativamente secular. Pode-se perceber isso pela alta aceitação de temas reprovados pela Igreja, como a questão do divórcio e dos anticoncepcionais. Existem sociedades bem mais seculares do que a nossa, mas não se pode dizer que o Brasil é hoje uma nação ameaçada pelo fanatismo religioso - embora isso seja verdade para os Estados Unidos. O fato é que no Brasil as pessoas não vêem contradição em acreditar em Deus, participar de cerimônias religiosas, mas ter pontos de vista seculares a respeito de questões sociais polêmicas.

Sejamos francos, as pessoas aqui no Brasil nao se importam em ir na Igreja Catolico, sair, assitir a missa evangelica, depois ir no centro espirita fazer uma cirurgia espiritual, ir no terreiro pra tirar o encosto, e ainda dar um pulinho na igreja catolica de novo pra pedir bencao ao padre.
"The patient refused an autopsy."

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!