Autor Tópico: New York Times critica etanol dos EUA e defende o do Brasil  (Lida 527 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Diegojaf

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 24.187
  • Sexo: Masculino
  • Bu...
New York Times critica etanol dos EUA e defende o do Brasil
« Online: 19 de Setembro de 2007, 12:03:15 »
'NYT' critica etanol dos EUA e defende o do Brasil
Um editorial do jornal "The New York Times" critica nesta quarta-feira a produção americana de etanol a partir do milho e afirma que o biocombustível brasileiro, feito da cana-de-açúcar, faz "mais sentido" economicamente.

O texto, intitulado "Os altos custos do etanol", argumenta que o etanol produzido nos Estados Unidos "é caro", e que traz "diversos riscos", como o aumento do preço dos alimentos.

"Os preços do milho já aumentaram 50% em relação ao ano passado, e estima-se que os preços da soja subam até 30% no próximo ano, à medida que os produtores substituírem suas colheitas de soja por milho", sustenta o NYT.

"O custo cada vez maior de alimentar os animais eleva os preços de produtos lácteos e carne de frango."

O jornal critica a sobretaxa de US$ 0,54 aplicado pelo governo dos EUA a cada galão importado de etanol brasileiro.

Na outra via, nota o editorial, produtores americanos recebem um subsídio de US$0,51 por galão de etanol, sem contar os "subsídios generosos" de que os fazendeiros do milho já gozam.

"A economia do etanol do milho nunca fez muito sentido", avalia o NYT.
O jornal diz que existe uma "grande esperança" na produção do chamado etanol de 2ª geração, produzido a partir dos restos da colheita - da celulose das plantas, por exemplo. Acordos para desenvolver este tipo de tecnologia foram assinados pelo Brasil na semana passada com países nórdicos.

"O que é errado é deixar que a política - do tipo que leva a subsídios desnecessários, invasão das paisagens naturais que deveriam ser deixadas intactas e elevação nos preços dos alimentos, que prejudicam os mais pobres - e não a ciência e a economia sólidas conduzir a política energética dos EUA."

http://noticias.uol.com.br/economia/ultnot/bbc/2007/09/19/ult2283u1013.jhtm
"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto." - Rui Barbosa

http://umzumbipordia.blogspot.com - Porque a natureza te odeia e a epidemia zumbi é só a cereja no topo do delicioso sundae de horror que é a vida.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: New York Times critica etanol dos EUA e defende o do Brasil
« Resposta #1 Online: 19 de Setembro de 2007, 13:00:35 »
É o velho protecionismo americano. Precisam aprender muito ainda sobre livre mercado, estão mais para faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço. Nos mercados onde lideram querem a abertura comercial.

Mas deve ter alguma motivação estratégica e política, para não possibilitar mais esse controle de produção de energia para o Brasil. Já brigam tanto pelo petróleo.  :?
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Pregador

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.957
  • Sexo: Masculino
  • "Veritas vos Liberabit".
Re: New York Times critica etanol dos EUA e defende o do Brasil
« Resposta #2 Online: 19 de Setembro de 2007, 13:24:21 »
O negócio para o Brasil é ficar bem quieto e deixar eles aumentarem os subsídios. O X da questão está em deixar eles produzirem como bem entenderem e comprarem como bem entenderem até que fiquem dependentes do etanol. Cedo ou tarde terão tanta demanda pelo produto que não restará alternativa senão importar do Brasil.
Como o país deles é constantemente assolado por catástrofes naturais, dependerão de nosso etanol de forma constante.
"O crime é contagioso. Se o governo quebra a lei, o povo passa a menosprezar a lei". (Lois D. Brandeis).

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.852
  • Sexo: Masculino
Re:New York Times critica etanol dos EUA e defende o do Brasil
« Resposta #3 Online: 20 de Junho de 2018, 11:33:17 »

ETANOL

CAMINHÕES A ETANOL: OPÇÃO MAIS ECONÔMICA E SUSTENTÁVEL PARA O MERCADO DE TRANSPORTE DE CARGAS


14/01/2016

Brasil adota tecnologia já utilizada em países como Suécia, Noruega, Finlândia e Dinamarca


ScaniaUma das três primeiras unidades do modelo na América Latina Capazes de reduzir em 92% a emissão de CO2 em comparação a veículos similares a diesel, os novos caminhões movidos a etanol de cana já se apresentam como a solução mais sustentável para empresas comprometidas em reduzir os impactos ambientais gerados pelo transporte de carga.


A avaliação é do consultor de Tecnologia e Emissões da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Alfred Szwarc, após a multinacional Clariant, uma das líderes mundiais no setor químico, anunciar, em dezembro de 2015, a aquisição de três caminhões a etanol produzidos pela Scania, empresa pioneira na fabricação deste tipo de veículo.



“É significativo o fato de a Clariant reconhecer o potencial do etanol na mitigação dos gases de efeito estufa e fechar uma parceria com a Scania na compra destes primeiros caminhões, até então inéditos na América Latina, mas desde 2011 já utilizados na Europa. Sem dúvida, uma excelente oportunidade para o mercado nacional. Afinal, a maior frota de carros leves do mundo movida a etanol é a brasileira. Por que não repetir este sucesso no segmentos de veículos pesados?”, analisa o especialista da UNICA.


O gerente de Comunicação e Marketing da Scania no Brasil, Márcio Furlan, acredita que a tendência é que as companhias com práticas sustentáveis optem por soluções menos agressivas ao meio ambiente em sua cadeia de transporte. “Acreditamos que esta primeira venda no Brasil para uma empresa da importância da Clariant irá gerar novos negócios. Já estamos recebendo mais consultas de empresas interessadas em conhecer os benefícios do caminhão a etanol”, afirma o executivo.



Segundo a Clariant, os três novos caminhões P 270 4×2 da Scania serão utilizados nas operações industriais da empresa em Suzano, interior de São Paulo. Trabalhando ininterruptamente nos sete dias da semana, os veículos, com capacidade de transportar até 25 mil litros de produtos químicos, farão, por ano, 35 mil movimentações para entregar suas cargas à frota rodoviária responsável pela entrega direta aos clientes.


Em comunicado divulgado pela Clariant no final do ano passado, o diretor de Operações da unidade Industrial de negócios da companhia para a América Latina, Manfred Schwarz, afirmou que a substituição dos caminhões a diesel que faziam esta função deverá gerar uma redução anual considerável das emissões de GEEs. “Temos certeza de que essa operação pioneira com combustível renovável será um sucesso”, enfatizou.


Frota sustentável


DivulgaçãoCaminhão movido a etanol em uso na Noruega, parte da frota de uma rede de supermercados Além possuir a maior frota flex de veículos leves do mundo, o Brasil também se orgulha de ser o primeiro país do continente americano a promover o uso do derivado da cana em ônibus. Graças aos 402 coletivos abastecidos com até 30% de diesel de cana e aos 59 veículos movidos com 95% de etanol na maior metrópole da América Latina, a cidade de São Paulo é referência ao adotar dois combustíveis renováveis oriundos da cana no transporte público. Os paulistas seguem o modelo implantado há mais de uma década em Estocolmo, na Suécia, onde atualmente existem mais de 600 veículos desse tipo em operação, todos produzidos pela Scania.

Os ônibus paulistas movidos a etanol, como os caminhões adquiridos pela Clariant, dispõem de uma tecnologia para que os motores a diesel funcionem com uma mistura de 95% de etanol e 5% de um aditivo especial. O etanol combustível utilizado pelos caminhões da Scania tem em sua composição o aditivo Master Batch ED 95, produzido pela Clariant no Brasil. A produção local foi fundamental para a viabilidade do projeto, otimizando custos e logística. O aditivo permite que motores desenhados para consumir diesel utilizem etanol hidratado, ajustando as características do combustível às necessidades do motor para obter um bom funcionamento do veículo.


http://www.unica.com.br/noticia/24913111920315981183/caminhoes-a-etanol-por-cento3A-opcao-mais-economica-e-sustentavel-para-o-mercado-de-transporte-de-cargas/



Offline Pregador

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.957
  • Sexo: Masculino
  • "Veritas vos Liberabit".
Re:New York Times critica etanol dos EUA e defende o do Brasil
« Resposta #4 Online: 24 de Junho de 2018, 21:45:47 »
Só a autonomia destes caminhões deve ser péssima. O preço do etanol também é quase o mesmo do diesel, logo, não parece bom para os negócios.
"O crime é contagioso. Se o governo quebra a lei, o povo passa a menosprezar a lei". (Lois D. Brandeis).

Offline Pedro Reis

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.874
Re:New York Times critica etanol dos EUA e defende o do Brasil
« Resposta #5 Online: 25 de Junho de 2018, 18:04:18 »
Nem aqui no Brasil o etanol consegue competir na relação preço/rendimento com os combustíveis derivados do petróleo.

No entanto, inexoravelmente, em algum momento no futuro o petróleo será caro demais e o Brasil será o maior produtor de etanol do mundo.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!