Autor Tópico: Presente para o Sodré  (Lida 13225 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #75 Online: 15 de Agosto de 2010, 08:00:15 »
Na minha breve passagem pela igreja adventista eu ouvia o diabo tinha posto os fósseis de dinossauro para enganar o Homem. Alternativamente, Deus tinha criado o Universo "velho" para confundir os sábios e premiar apenas aqueles que tivessem fé...

:roll:

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 28.236
  • Sexo: Masculino
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #76 Online: 15 de Agosto de 2010, 10:38:08 »
Porque podemos duvidar dos 3,5 bilhões de anos

OS GEOLOGOS AGORA PODEM ABANDONAR O GRADUALISMO E ACREDITAR NO CATASTROFISMO E DILUVIO (MEGA-TSUNAMI ENVOLVENDO TODA TERRA!!!

Veja como o pequenino minusculo insignificanet  tsunami causado por uma movimentação de minusculos 15 metros nas placas causou

O evento de 26 de dezembro de 2004 em Sumatra foi "minúsculo e insignificante"?

Ele é o mais intenso terremoto já registrado, atingindo 9.3 na escala de Magnitude de Momento.

Em termos de tectônica, uma margem de placa com cerca de 1.100 Km de extensão sofreu uma movimentação de até 15 metros de maneira praticamente instantânea.

Não é "insignificante" de maneira nenhuma!

Mas ainda assim não foi um evento capaz de alterar significativamente a superfície do planeta, conforme veremos a seguir.


Ilha Karshall , Tsunami de 25 de dezembro:

Agora imagine a drastica mudança nos continentes cauasria um super-mega tsunami, causado por um imenso impacto de meteoro...

Antes da Tsunami:



Depois da Tsunami:




Primeiro. O nome da ilha é Katchall e não Karshall.

Segundo. Tomei a liberdade de apresentar as imagens pré e pós-terremoto de toda a ilha, e não somente a parte em detalhe apresentado pelo forista Sodré.

Terceiro. Nunca fui e nem tenho o mapa geológico desta ilha mas é possível deduzir algumas coisas das fotos. Reparem que:

A) Os vagalhões se deslocaram na direção WSW/NEE da foto, atingindo principalmente a parte W e SW da ilha.

B) Que praticamente toda a linha de costa da ilha se manteve intacta o que indica que o seu substrato é rocha ou um banco de coral antigo, hoje emerso.

C) Que as maiores modificações ocorreram na grande baía a SW; numa pequena baía do outro lado da ilha, na parte centro-norte; e um pouco a sudeste desta pequena baía, em uma região que provavelmente era um istmo. Porque tais regiões foram as mais afetadas? Provavelmente porque o substrato delas era constituído de sedimentos inconsolidados (areia, por exemplo), provavelmente uma área de dunas. No caso da grande baía a SW eu arrisco a dizer que era uma região com vegetação de mangue, de topografia quase plana e muito baixa.


Apesar de ter sido o mais forte terremoto já registrado, com influência identificável em termos de perturbação vertical e horizontal da superfície do nível de base (oceanos), a sua capacidade de mudar a superfície do planeta não apresenta a capacidade alardeada pela mídia leiga, pelo simples motivo físico que ondas mecânicas não carregam massa, mas sim energia e esta tende a se dissipar pelo atrito.

Observe na simulação abaixo, o comportamento das ondas partindo do epicentro na parte nordeste do Oceano Índico.





Mais tarde eu continuo...
« Última modificação: 09 de Novembro de 2012, 17:28:19 por Geotecton »
Foto USGS

Offline Fabulous

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.425
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #77 Online: 15 de Agosto de 2010, 20:43:12 »
Eu li, Presidente para o Sodré.
MSN: fabulous3700@hotmail.com

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 28.236
  • Sexo: Masculino
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #78 Online: 15 de Agosto de 2010, 23:13:45 »
Porque podemos duvidar dos 3,5 bilhões de anos

Muito obrigado APODman! Fico feliz em ver como o CATASTROFISMO SEMPRE TEVE RAZÃO  e não o gradualismo das eras  que sustenta o evolucionismo.

O neodarwinismo genetico ja eh questionado pelos paleontologos (Stephen Jay Gould com o pontualismo) criando criticas de Dawkins e vice-versa.. agora vemos a propria base da evolução na geologia, as eras nas camadas sedimentares serem questionadas a luz deste grande IMPACTO  de um meteoro, que geraria mega tsunamis, mega-manifestações vulcanicas e possivelmente quebra de placas e inicio ao processo de separação continenttal.

No tópico Uniformitarismo, Gradualismo, Atualismo e Catastrofismo, que está em preparação, eu esclarecerei as diferenças e os contextos históricos em que estes conceitos foram desenvolvidos.

Acho que o forista Sodré não leu o texto básico deste tópico, pois em momento algum se afirma ou aduz que todas as camadas sedimentares foram depositadas após "este grande impacto". Se o impacto ocorreu nos oceanos, certamente houve mega-tsunamis. Provavelmente houve algum tipo de fragmentação da crosta e é possível que tenha ocorrido vulcanismo associado.

Mas, de modo algum, isto gerou "uma enchente que tenha perdurada por 300 dias" e nem que tenha ocorrida há menos de 4.500 anos.


A questão do tempo, 3,5 bilhões de anos, baseada em dois fatores, veremos abaixo... o mais forte deles, a datação por uranio, veremos exemplos de  flagrantes erros de datação no metodo por uranio.como por exemplo:
Citação de: Michelson Borges
Através do método de datação do Urânio, cientistas obtiveram datas de 169 milhões e 3 bilhões de anos para dois escoamentos de lava no Havaí. Entretanto, estes dois escoamentos ocorreram a menos de 200 anos (1800 e 1801, respectivamente).

Solicito ao forista Sodré que peça a referência junto ao senhor Borges, que versa sobre o suposto erro de datação por Urânio em lavas do Havaí. Do contrário será apenas uma afirmação "solta", sem qualquer base na Ciência.


Com essa revelação, alem de aproximar e se identificar TOTALMENTE  com a interpretaão geológica catastrofista, inundação, gigantesco tsunami ..que logicamente poderia ser chamado de diluvio..

Não! Não pode ser chamado de "dilúvio" por duas razões. A primeira é que o "dilúvio" é um mito sumério. A segunda é que no livro do Gênesis não existe nada remotamente parecido com a descrição de impactos de corpos celestes e mega-tsunamis. Apenas menciona uma chuva torrencial seguida de uma inundação. Nada mais.


Particularmente,  fui duramente criticado pelo uso da expressão MEGAS-TSUNAMIS..ao me referir ao diluvio e as mudanças geologicas rapidas e de projeção maior que a sedimentação da terra revela.

As críticas não são infundadas, pois não existe nenhuma evidência de que todas as rochas sedimentares do planeta se formaram ao mesmo tempo. A Estratigrafia de Sequências indica para uma conclusão diametralmente oposta.


Detalhe importante: Se alguem aqui quiser ler literatura catastrofista, verá que ela JÁ  incluia os meteoritos como agentes desencadeadores daquele evento que 274 "lendas" relataram... dá até pra alguns começarem a namorar o catastrofismo e o diluvio  agora como causadares das mais proeminentes transformações geologicas na terra . *Inclusive o Dr Nahor tinha escrito  que a quebra das placas ainda era um misterio, porque se exigiria muita força para quebra-las...

Indique uma só literatura catastrofista (isto é, até o final do primeiro decênio do século XX) e que mencione e associe impactos de corpos celestes com as "274 lendas".

Causa-me estranheza a afirmação do "doutor Nahor" que "a quebra das placas ainda era um mistério, porque se exigiria muita força para quebrá-las". Para qual tempo geológico haveria esta dificuldade?


Bom em se aceitando tal impacto como causador do diluvio e da divisão dos continentes (fato bastante namorado pelo Dr Nahor Souza  em seu livro UMA BREVE HISTORIA DA TERRA  e em sua tese doutoral que defendeu solidificação tipo entablamento em SERRA GERAL , FATO INÉDITO  na geologia... e que combina somente com catástrofe envolvendo muita agua..muitos MACRO-TSUNAMIS (expressão que havia usado a 5 meses  para pegar carona no evento da Asia como micro-exemplo do que geraria um diluvio biblico) , teremos apenas a questão do tempo...mas posso dar pistas de onde a ciência se verá sob esta nova descoberta:

A solidificação de magma basáltico do tipo "entablamento" é um fenômeno comum, não tendo nada de ineditismo. Ela ocorre na presença de água, mas esta não necessita ser, sequer sob a forma de uma marolinha, quanto mais de um "mega ou macro ou grande ou hiper-tsunami".

A qualidade e ética científica do "doutor Nahor" pode ser aduzida por este trecho de texto de um ensaio dele:

Citação de: Nahor Souza
Os eventos tectônicos que afetaram a área, durante o vulcanismo Rio Columbiä, estão associados a movimentos regionais envolvendo as placas litosféricas da América do Norte e do Pacífico (BARRASH et alii, 1983); semelhantemente ao veriflcado na Formação Serra Geral, porém, neste caso as placas litosféricas seriam ourras (Sul Americana e Africana). Podemos então admitir um estreito vínculo entre o vulcanismo flssural e a Tectônica de Placas (expansão do assoalho oceânico). Em verdade, a análise perrográfica em amostras de basaltos oceânicos e continentais, denominados basaltos toleíticos, revela uma notável semelhança. Alguns cientistas consideram ainda a possibilidade de os platôs basálticos (vulcanismo continental) e os assoalhos oceânicos (sucessivos acréscimos laterais de lava basáltica, a partir de uma gigantesca fissura central) serem o resultado de um único processo geológico, ocorrido de maneira violenta e repentinamente - impactos de grandes meteoritos (ALT el alii, 1988).

Mas, eis o que ALT et al. (1988) afirmam no estudo objeto de referência do "doutor Nahor":

Citação de: ALT et al., 1988, Journal of Geology
Large lava plateaus, which form abruptly within plates without apparent tectonic cause, appear to be the terrestrial equivalents of lunar maria. Deep erosion of lava plateaus reveals that their magma chambers are gabbro and granophyre complexes, the classic lopoliths. The close association of the Deccan Plateau with the timing of the terminal Cretaceous boundary clay suggests that it is an impact crater large enough to cause pressure relief melting in the asthenosphere. Basalt then flooded the crater to form a lava lake, the terrestrial equivalent of a lunar mare. Part of the crater rim survives in the Amirante Ridge. The Carlsberg oceanic ridge and Chagos-Laccadive hotspot track formed simultaneously with the Deccan Plateau. Several other Mesozoic and Cenozoic lava plateaus are parts of similar arrays of simultaneous features. One of those is the southern Oregon part of the Columbia Plateau, with its associated continental rifting in the northern Basin and Range, and the Yellowstone hotspot track along the Snake River Plain. Impact craters apparently start hotspots by initiating pressure relief melting, which develops into a persistent low pressure cell within the mantle. They appear to form oceanic ridges and continental rifts by initiating a crack in stressed lithosphere, which then propagates in a direction transverse to that of maximum tensional stress. Pressure relief melting below the propagating fracture develops a persistent low pressure cell within the mantle.

Em qual trecho que ALT et al. citam que "todos os platôs basálticos (vulcanismo continental) e os assoalhos oceânicos (sucessivos acréscimos laterais de lava basáltica, a partir de uma gigantesca fissura central) serem o resultado de um único processo geológico decorrente de impacto"? Em lugar nenhum.

Eles citam que no limite do Cretáceo com o Terciário há indícios de que um impacto de um corpo celeste tenha sido o causador da formação de alguns dos platôs basálticos conhecidos, mais notadamente o de Deccan (Índia) e o de Columbia (EUA), por conta da formação e ou reativação de algumas estruturas tectônicas devido a um fraturamento da litosfera com direção transversal à direção de máximo esforço tensional decorrente do impacto.

E nada menciona sobre um "dilúvio" e nem sobre uma idade de 4.500 anos.


Os cientistas encontraram traços de um evento da colisão de um asteroide que disseram ter criado  um tsunami gigante que varreu em torno da terra diversas vezes, inundando  tudo exceto as montanhas. A linha da costa dos continentes foi transformada  dràsticamente  e quase toda a vida na terra foi eliminada.

Sim. Ele ocorreu há 3,5 bilhões de anos quando não existia vida na Terra, a não ser em sua forma unicelular básica, as bactérias.


Fico me perguntando ,  como ficarão os gradualistas agora? Pelo menos não precisarão defender tautologicamente camadas expostas por milhões de anos sem apresentarem erosão, sedimentação, etc.. ou defenderem o uniformitarianismo diante das gigantescas manifestações vulcanicas do passado...as do Havai são como mosquitos perto de elefante...

Defesa tautológica? Esta é boa! Pensamento(?) circular é marca criacionista.

Recomendo a leitura de um texto-base sobre geologia sedimentar, para que o forista evite escrever tolices sobre o tema. Pode começar com este: Geologia Sedimentar, de Kenitiro Suguio, com 416 páginas da Editora Edgard Blücher Ltda, ISBN 8521203179.


Quais os proximos passos da geologia depois desta admissão podemos esperar :
1. Condenar o gradualismo e volver-se caad vez mais ao catastrofismo como respostas as grandes transformações rapidas que foi envolvido este planeta

A leitura do meu tópico Uniformitarismo, Gradualismo, Atualismo e Catastrofismo, assim que estiver pronto, possibilitará a dissipação da grande e "nebulosa" confusão que o forista Sodré faz sobre estes conceitos.


2. Verificar que, se temos uma catastrofe capaz de resolver quase todas as perguntas sobre formação geológica da terra,  tornar-se-á cada vez mais superfluo, dispendioso, exagerado e totalmente DESNECESSÁRIO o fator tempo. OTIMIZAÇÃO  e enxugamento da maquina do tempo evolucionista.

Primeiro. Nenhuma catástrofe, seja qual fosse sua magnitude e extensão, conseguiria produzir todas as feições geológicas observadas no éon Fanerozóico.

Segundo. O éon Fanerozóico representa menos de 12,00% do tempo geológico total. Como explicar então as feições dos éons Arqueano e Proterozóico, incluindo as rochas sedimentares deles?

Terceiro. Agora estamos lidando com algum processo produtivo industrial ou administrativo, para se falar em "otimização e enxugamento"?


3. Verificar que as grandes cadeias de montanhas foram causadas pela quebra de continentes, egrando turbiditos, (deslizamentos gigantescos e rapidos)  pois que elas constituem uma expressão fisiográfica orogênica e está intimamente associada a quebra das placas

Non sequitur.

O Himalaia, a mais alta cordilheira do mundo e que se extende por cerca de 2.600Km, não foi formada por "quebra de continente" e sim por uma colisão do tipo continente-continente em uma zona de subducção do tipo A, sendo assim uma típica cordilheira de ambiente tectônico compressional.

Os Andes e as Montanhas Rochosas são as duas maiores cordilheiras do mundo em extensão e se formaram por colisões do tipo continente-oceano em uma zona de subducção do tipo B, e também são típicas de ambiente tectônico compressional.

Um bom exemplo de cadeia montanhosa gerada por quebra de continente (regime distensional) é a Serra do Mar, que formou-se quando da fragmentação do Gondwana e do início da abertura do Oceano Atlântico há cerca de 130 milhões de anos, na primeira metade do período Cretáceo. E aqui não houve nenhuma influência por queda de corpo celeste de massa significativa.


4. Aceitar a historia pelo menos de um diluvio, mesmo que não seja biblico (ateh que a questão de datação seja refutada)  como historia verdadeira

Este é o seu principal objetivo? Que a comunidade científica afirme: "Sim, constatamos que o cenário proposto pelo Sodré, Nahor, Borges e outros crentes descreve perfeitamente todas as feições de todas as formações do Fanerozóico!"?

A comunidade não irá fazê-lo porque não há evidências disto e porque há incongruências e erros na base física e geológica da especulação criacionista.


5. Ir para o ralo de um  diluvio, milhões de artigos geologicos gradualistas, que deram sustentação a formação lenta de camadas, historico-fossil das eras imaginadas pelos antecessores de Darwin e absorvidas por ele, etc...

Por favor!! Pare!

Leia o livro sobre geologia sedimentar que eu lhe passei e também este artigo sobre estratigrafia de sequências. Em caso de dúvidas eu posso lhe prover um míni-curso.

Mais tarde eu continuo...
« Última modificação: 13 de Novembro de 2012, 21:59:25 por Geotecton »
Foto USGS

Offline Calberto

  • Nível 07
  • *
  • Mensagens: 76
  • Sexo: Masculino
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #79 Online: 16 de Agosto de 2010, 02:35:05 »
Citar
Na minha breve passagem pela igreja adventista eu ouvia o diabo tinha posto os fósseis de dinossauro para enganar o Homem. Alternativamente, Deus tinha criado o Universo "velho" para confundir os sábios e premiar apenas aqueles que tivessem fé...


Veja o que está escrito no site do jornalista Michelson Borges citado pelo Sodré, aliás, o Michelson Borges é adventista:


Citar
O livro The Earth – Origins and Early History, de Clyde Webster, às páginas 22 e 24, apresenta um bom resumo dos aspectos que o criacionismo aceita como válidos:

e logo em seguida diz

Citar
6. O mundo de hoje é apenas um reflexo distorcido da criação original. Por causa dessa distorção e decadência, os registros do passado talvez não sejam totalmente confiáveis, ou facilmente interpretados.


http://criacionista.blogspot.com/2009/06/o-que-pensam-os-criacionistas.html


Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 28.236
  • Sexo: Masculino
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #80 Online: 16 de Agosto de 2010, 15:27:46 »
Porque podemos duvidar dos 3,5 bilhões de anos

EVIDÊNCIAS PARA UMA TERRA SUBAQUÁTICA 21/5/2005 22:50
Existe evidência para que o grande dilúvio, como descrito no livro de Gênesis, realmente tenha acontecido? Muitas das rochas que estão debaixo dos nossos pés são conhecidas como rochas sedimentares.

Não há nenhuma evidência de que o mito sumério copiado pelos hebreus tenha ocorrido.

 
Isto significa que elas foram originalmente depositadas sob a água, e quando a água finalmente desapareceu, o sedimento secou, endureceu, e se tornou rocha.

Nem todas as rochas sedimentares foram formadas em ambiente subaquoso. Os arenitos de paleodunas representam uma exceção.

Erro crasso!!! As rochas não se formam por exposição de sedimentos encharcados e que secam à luz do Sol. Os sedimentos são depositados em uma depressão crustal conhecida como bacia sedimentar. Com o decorrer do tempo, novas camadas de sedimentos são depositados fazendo com que os níveis inferiores sejam gradualmente compactados, com aumento crescente da pressão e temperatura, em um processo conhecido como diagênese. Em um dado momento, que depende do tipo de sedimento, da espessura da coluna sedimentar e das condições físico-químicas formam-se as rochas.

Cerca de 85% da superfície rochosa em todo o mundo é feita de rocha sedimentar, indicando que em algum período no passado, o mundo esteve coberto por água.

Non sequitur. Não há nenhum indício que o planeta já esteve inteiramente recoberto por água. E mesmo que existissem estes indícios, não significa que foi à 4.500 anos e nem que sua ocorrência tenha sido ordenada por qualquer deus.
 

2. Você sabia que fósseis marinhos tem sido descobertos até mesmo nos picos das montanhas mais altas? Isso é um fato.

Sim!


Mas muitas pessoas dizem que “essas tais montanhas não eram necessariamente montanhas quando foram cobertas por água. Placas tectônicas tem sido levantadas e abaixadas muitas vezes no decorrer da história”. É verdade.

Todos os geólogos modernos sabem que nas grandes cadeias montanhosas, as rochas sedimentares que contém fósseis eram sedimentos de fundo oceânico que foram alçados por tectônica principalmente.

Parte de uma placa tectônica oceânica retorna ao manto, via subducção, e outra parte (menor e mais superficial) é incorporada aos continentes nas zonas de subducção, e se tornam terrenos de acreção. Algumas regiões do planeta hoje são alçadas por um movimento essencialmente vertical chamado isostasia.


Mas a geologia fornece evidência como veremos, de um dilúvio total, em todo o mundo. E a evidência parece indicar que, embora estas placas tectônicas tenham colidido para formar montanhas, elas já estavam acima do que é hoje o nível do mar quando esses fósseis marinhos se desenvolveram. Isto significa que deve ter havido um dilúvio geral, significativo o suficiente para ter coberto essas placas tectônicas.

Não. A geologia não fornece nenhuma evidência de nenhuma enchente "global".

Não. Não há nenhuma evidência de que "(As placas) já estavam acima do que é hoje o nível do mar quando esses fósseis marinhos se desenvolveram".

O forista está equivocado, achando que uma montanha é a própria placa tectônica. Não é. Uma placa tectônica é uma porção da litosfera que pode conter crosta continental e crosta oceânica, como é o caso da placa Sul-Americana. As principais montanhas emersas são parte da crosta continental.

 
Antonio FATOS CONSISTENTES COM O DILÚVIO DE EXTENÇÃO MUN.. 21/5/2005 22:53

Os achados de Gilbert Hall são consistentes com aquilo que se esperaria se o dilúvio descrito em Gênesis realmente aconteceu. Depois dos primeiros dias, nem toda a terra estaria ainda coberta por água. Mas haveria quantidade suficiente de águas turbulentas correndo de rios e sobre as terras da superfície para depositarem sedimentos nos oceanos rapidamente.

Este cenário é uma sequência de absurdos.

Os oceanos representam 70,00% da superfície do planeta e mesmo que todas as terras emersas tivessem sido erodidas (absurdo 1) e depositadas (absurdo 2) em 300 dias (absurdo 3), ainda assim o volume total sedimentado não conseguiria preencher todas as bacias oceânicas (absurdo 4). E mesmo que tivesse ocorrido este processo, o resultado seria um planeta sem relevo e totalmente coberto de água salgada com uma espessura de 2.000 metros, pelo menos (absurdo 5).


A primeira coisa soterrada teria sido a vida marinha. Quanto mais a terra era coberta, répteis, anfíbios e mamíferos iam sendo destruídos e alguns deles teriam sido soterrados por sedimentos. Isto é exatamente o que nós vemos nas colunas geológicas. Os evolucionistas interpretam a coluna como a ordem evolutiva da vida, quando de fato ela poderia ser o desfecho natural de um catastrófico dilúvio mundial. Moral da História: estas criaturas não foram necessariamente soterradas de acordo com período de tempo, como querem os evolucionistas.

Se este processo tivesse ocorrido não vejo como não teriam se misturado os corpos de seres terrestres e marinhos, pois certamente o fluxo de água e detritos seria massivo e turbulento.


Antonio 21/5/2005 22:55

Todas as deficiências da Teoria da Evolução - a falta de uma evidência fóssil, numerosos argumentos circulares, experiências laboratoriais fracassadas, revelam um pouco da causa primária dos evolucionistas: “não existe Deus, exceto aquele que o homem criou”. Ao invés de admitir as falhas na Teoria da Evolução, os darwinistas apontam o dedo contra os criacionistas, ou teístas, acusando-os de se intrometerem em assuntos que eles não entendem

Apedeutismo científico acompanhado de proselitismo religioso e ambos disfarçados de filosofia de má-qualidade.


Antonio 21/5/2005 22:57
O esforço combinado do Darwinismo tem tornado a “Teoria da Evolução”, como disse o professor Johnson, “a religião filosófica estabelecida na América”. De nossos tribunais para nossas escolas, a Teoria da Evolução de Darwin tem sido sustentada como uma verdadeira religião, posto que reivindica ser a única teoria com base em “fatos”. “Ela é a equivalente científica do politicamente correto”, explicou o Dr. Walter Bradley, professor de Engenharia Mecânica na A & M Universidade do Texas. Bradley escreveu extensivamente sobre a controvérsia criação/evolução, e ele tem levado sua conferência “Evidência Científica da Existência de Deus” por todo o mundo.

A Teoria da Evolução foi elaborada por um britânico e teve na Europa o seu primeiro campo fértil. Somente depois é que ela foi introduzida no Novo Mundo, primeiramente nos EUA.

A Suprema Corte dos EUA considerou, corretamente, a Teoria da Evolução como sendo a única explicação válida cientificamente para a evolução das formas de vida, caracterizando e colocando no seu devido lugar o criacionismo e suas vertentes, ou seja, uma mera crença religiosa a ser mostrada nas aulas de religião.

É impressionante que quase todos os criacionistas "de destaque" são estadunidenses e apedeutas em ciências naturais. É o caso do "doutor Bradley".
Foto USGS

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 28.236
  • Sexo: Masculino
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #81 Online: 16 de Agosto de 2010, 15:29:56 »
Hammond, se vc lesse literatura dos geólogos catastrofistas, veria essa noticia como uma confirmação excepcional da tese deles, que basicamente é:

Drasticidade e rapidez nas mudanças geológicas
Diluvio
Derrames basalticos imensos como resultado da aberetura de fissuras magmáticas enormes
Mortandade repentina e não gradual dos seres vivos  na terra
Sepultamento repentino de florestas inteiras resultando em imensas bacias carboniferas, de petroleo e gas
Esta noticia encaixa como uma luva ao modelo geológico criacionista..se não quiser acreditar, dá uma lida e comprove.
 http://www.forumnow.com.br/vip/mensagens.asp?forum=108421&topico=2709002

Argumentos já refutados ad nauseam.
« Última modificação: 09 de Novembro de 2012, 17:30:05 por Geotecton »
Foto USGS

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 28.236
  • Sexo: Masculino
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #82 Online: 16 de Agosto de 2010, 15:34:20 »
Como eu disse, a questão do tempo é praticamente único empecilho para vcs aceitarem o diluvio biblico, ou melhor, tsunami gigante..hehehehe

Não é somente a geocronologia que contradiz o criacionismo. Acrescente o resto da geologia, a física, a química, a arqueologia, a paleontologia, a...


Também, tenho que dar um tempo para os geólogos refazerem suas idéias agora..coitadinhos, estavam tão viciados no gradualismo..hahahahha

PQP!

É o fim da picada!
Foto USGS

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 28.236
  • Sexo: Masculino
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #83 Online: 16 de Agosto de 2010, 16:13:03 »
Tente ser honestos vcs..o artigo fala de gigantesco tsunami, quebra de placas, ação vulcanica fissural, ...tudo que o catastrofismo falava a mais de 200 anos, e a Biblia a mais de 3500 anos, e a tradição oral a mais 4500 anos, e o épico de Gilgamesh e mais de 200 "lendas" ...tentem ser honestos VOCÊS!

Duvido que o forista Sodré consiga mostrar um só trabalho do final do século XVIII que mencione, relacionando-os, "gigantesco tsunami, quebra de placas e ação vulcanica fissural". E o motivo é simples, somente no final dos de 1950 é que se soube que o planeta era constituído por placas.

E, em parte nenhuma do dileto texto-judaico-cristão, há qualquer tipo de menção sobre tsunamis, placas tectônicas e vulcanismo fissural.


Agora vejam que a questão do tempo está fácil de ser resolvida, já que uma maneira de datação do envento envolve o urânio em rochas de Zirconio. (Leiam novamente o artigo)
O Urânio é também um material radioativo instável, que com o tempo vai se tornando em Chumbo. Então os cientistas tomam uma rocha e, calculando a quantidade de Urânio e Chumbo presentes, estimam a idade daquela rocha. Mas como podemos ter certeza da quantidade de Urânio e Chumbo presentes na formação daquele mineral? Sabe-se que, com o calor, tanto o Chumbo quanto o Urânio podem se esvair de formações rochosas. Bastaria então, por exemplo, a erupção de um vulcão nas proximidades para alterar o resultado dos testes de datação.

Zircônio não é uma rocha e sim um elemento químico e principal constituinte do zircão, este um mineral silicatado com composição química ZrSiO4 e que frequentemente possui como impurezas, átomos de Urânio e Tório.

Não é qualquer aquecimento que faz com que o Urânio ou o Chumbo saiam do sistema. Somente a combinação de fatores como alta temperatura e presença de importantes defeitos no retículo cristalino dos minerais de zircônio é que possibilitam a remoção daqueles elementos.

Mas mesmo que isto ocorra, ainda assim não invalida aquela datação radiométrica, apenas limita-a.


"Sabe-se também que uma infiltração de água levaria consigo o Urânio e manteria o Chumbo presente no mineral. Note então o seguinte, se a água pode esvair o Urânio, e não o Chumbo, podemos concluir que uma grande inundação faria com que os minerais daquela região parecessem ao teste muito mais velhos. Mais uma vez, me permita usar a idéia do Dilúvio. Que dizer então dos efeitos de uma inundação global, nos modelos do dilúvio bíblico?"

Não. A água não leva Urânio. Releia a sua fonte.


Leiam o artigo novamente e quando chegarem na questão da datação, pensem nisso!!!!

Ler esta materia e ler catastrofismo diluviano, é quase a mesma coisa, exceto o tempo.

Valeu APOD, te devo essa :D

Aprenda um pouco sobre datações radiométricas e geocronologia.
« Última modificação: 09 de Novembro de 2012, 17:20:11 por Geotecton »
Foto USGS

Offline Matheus de Souza

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 194
  • Sexo: Masculino
    • Twitter
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #84 Online: 29 de Setembro de 2010, 21:44:53 »
Não sabia que o Sodré também presenteava os participantes do Clube Cético com suas incríveis teorias. Pensava que a atazanação dele ficava só no Orkut mesmo.
"Um público comprometido com a leitura é crítico, rebelde, inquieto, pouco manipulável e não crê em lemas que alguns fazem passar por ideias."

Mário Vargas Llosa

Offline FZapp

  • Administradores
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.940
  • Sexo: Masculino
  • El Inodoro Pereyra
    • JVMC
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #85 Online: 29 de Setembro de 2010, 22:48:33 »
A ignorância travestida de conhecimento de Mr Sodré se propaga em ondas parecidas com as descritas pela explicação do Geotecton, só que causam maaaaais estragos.

Enfim...
--
Si hemos de salvar o no,
de esto naides nos responde;
derecho ande el sol se esconde
tierra adentro hay que tirar;
algun día hemos de llegar...
despues sabremos a dónde.

"Why do you necessarily have to be wrong just because a few million people think you are?" Frank Zappa

Offline Contini

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.610
  • Sexo: Masculino
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #86 Online: 28 de Outubro de 2010, 15:21:00 »
Opa! Repetindo a mesma postagem em mais de dois tópicos... Spam...
"A idade não diminui a decepção que a gente sente quando o sorvete cai da casquinha"  - anonimo

"Eu não tenho medo de morrer, só não quero estar lá quando isso acontecer"  - Wood Allen

    “O escopo da ciência é limitado? Sim, sem dúvida: limitado a tratar daquilo que existe, não daquilo que gostaríamos que existisse.” - André Cancian

Offline Hold the Door

  • Editores
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.656
  • Sexo: Masculino
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #87 Online: 28 de Outubro de 2010, 23:00:43 »
Não sabia que o Sodré também presenteava os participantes do Clube Cético com suas incríveis teorias. Pensava que a atazanação dele ficava só no Orkut mesmo.
Ih! Ele já participava de fóruns, como os antecessores fórum STR e fórum Alenônimo, muito anos antes de surgir o orkut...
Hold the door! Hold the door! Ho the door! Ho d-door! Ho door! Hodoor! Hodor! Hodor! Hodor... Hodor...

Offline Pagão

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.690
  • Sexo: Masculino
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #88 Online: 12 de Dezembro de 2010, 20:14:10 »
Atenção, eu nada tenho a ver com este Sodré, nem sou criacionista. Aceito que o Universo resultou do Big Bang há cerca de 13,7 mil milhões de anos e que a evolução é um facto e não apenas uma teoria...(só para que conste)
Nenhuma argumentação racional exerce efeitos racionais sobre um indivíduo que não deseje adotar uma atitude racional. - K.Popper

Offline Nina

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.805
  • Sexo: Feminino
    • Biociência.org
Re: Presente para o Sodré
« Resposta #89 Online: 12 de Dezembro de 2010, 21:38:44 »
hihihihi

Qualquer um teria medo de ser confundido com "O Sodré"... :D
"A ciência é mais que um corpo de conhecimento, é uma forma de pensar, uma forma cética de interrogar o universo, com pleno conhecimento da falibilidade humana. Se não estamos aptos a fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos afirmam que algo é verdade, e sermos céticos com aqueles que são autoridade, então estamos à mercê do próximo charlatão político ou religioso que aparecer." Carl Sagan.

Offline Sodré

  • Nível 17
  • *
  • Mensagens: 452
Re:Presente para o Sodré
« Resposta #90 Online: 09 de Novembro de 2012, 16:34:09 »
Que Gaia olhe por mim...

[...]
Em termos de biologia, tá quase tudo harmonizado, quanto a geologia, vou descrever abaixo PROVAS de que o gradualismo de Lyell em quem Darwin se apoiou desprezando NOMINALMENTE todos os pais da geologia, está totalmente errado....

Pelo jeito o seu conhecimento ínfimo (se é que existe) de Geologia se baseia no contexto histórico de meados do século XVIII. Vossa Senhoria não percebeu que estamos no início do século XXI, ou seja, já se passaram mais de 250 anos?

Geo..se vc não entendeu vou contextualizar..a geologia do sec XXI já condenou UNIFORMISMO  de Lyell substituindo-o por atualismo..por admitirem que as catastrofes do passado não possuem pares compativeis no presente. ponto. E Darwin se apoiou nesta cana quebrada e a ciencia se resvalou em datações gradualistas..médias pequenas de taxas de sedimentação/ano uniformistas até se isolarem na perspectiva radiometrica de forma acritica


fiquem tranquilos que vcs poderão agora acreditar em Deus e ouvir com prazer belos sermãos como este

"Acreditar em deus"?

Em qual deles?

Poseidon, Hades, Baal, Javé, Tupã, Shiva, Odin, Osíris, Marte, Gaia...?

cartão amarelo por proselitismo destes deuses aí..justiça seja feita
[...]
O estudo da geologia revela que estamos em cima de catástrofes imensas e recentes (basta ver as aguas de milhões de cachoeiras sem ter desgastado quinas..

Errado. vc não argumenta nada abaixo, ou seja, seu errado está sem fundamento

O fato de existirem "quinas" (sic!!) em cachoeiras não significa que elas sejam recentes (4.000 anos ou menos) e muito menos que sejam produtos da imaginação mitológica religiosa conhecida como "dilúvio".

claro que significa! Por um conceito simples e óbvio, agua e energia na rocha deveria degastar com o tempo e não é o que vemos

No geral, uma cachoeira representa uma linha de fraqueza crustal superficial proveniente do movimento relativo de dois blocos de rochas em que um deles desce em relação ao outro.

A maioria das cachoeiras que vejo desvendam todo catatrofismo na parte mais baixa de um terreno, são pedras sobre pedras, quebras, catastrofes imensas tiveram relações na sua formação RECENTE pois estão todas sem desgaste de milhões de anos

Apesar de muitas cachoeiras não serem recentes, muitas delas ainda hoje são afetadas pela atuação do campo de tensões dos diversos regimes macrotectônicos (compressivo, distensivo, transcorrente, transpressivo e transtensivo), como mostram várias artigos de Neotectônica, publicados em genuínas revistas científicas especializadas em Geologia Estrutural, Tectônica e Geotectônica, como a Tectonophysics e a Journal Structutal Geology.

mostre um ÚNICO  argumento que a amioria das cachoeiras não foram produzidas por catastrofes..recente..pois o desgaste é muito pouco, é atual..mostra ai Geotecton! Inclusive não tenho aqui comigo, mas eeste estudo de erosão das aguas foi feito no enérgico rio COLUMBIA  revelando erosões compativeis com 5000 anos atrás



tem que ser de uma perspectiva cronológica isolada para  acreditar nesta geocronologia atual )
[...]

Errado.

Tem que ser um ignorante, mesmo em conhecimento geológico básico, para afirmar que a Geocronologia atual é resultado de uma "crença ideológica". 

  geocronologia atual é um festival de anacronismo, fruto de uma ideologia que deu apoio a Darwin e vive-versa em suas lucubrações de especiação sem limite numa historia geologica que NUNCA  existiu..repleta de contradições e ad hocs



, de magnitude global que exige uma série de conjugações de eventos (efeito dominó consequente envolvendo

Tal jargão não é utilizado na Geologia, nem em seu meio acadêmico e nem no seu meio comercial.

É pura verborragia sua.

Um grave acidente de carro prevê diversas consequencias imediatas  como morte, paralisia, custos, danos nas peças, seguro, danos a terceiros, aspectos juridicos, histórico de causas, pericia, etc... Um detalhe interessante para se constituir um grave acidente, é que em geral necessitamos de rapidez e velocidade para que seja realmente desastroso. Semelhantemente ,  os eventos geologicos de magnitude global exigem links  com diversas outras catástrofes associadas assim  como um acidente de carro exige diversos aspectos.

Um impacto de asteroide por exemplo, exige ou explica causas para formação de LPIs, grandes provincias igneas, perto das quais os vulcões atuais são como moscas. Logo, exige-se tambem glaciações imediatas logo após tais mega-cogumelos  gerados,  exige-se tambem, simultanea e/ou sucessivamente,  grandes e gigantescos tsunamis, que geram grandes erosões e sedimentações,  que geram grandes mortandades vegetais e animais, que geram  grande seleção hidrodinamica de fosseis com suas deposições diferenciadas conforme diversos fatores como flutuabilidade e aspecto fisi-quimicos, seleções estas que geram formações de futuras minas de carvão e grandes cemiterios fosseis com espessura associada a lateralidade, devido as  altas taxas deposicionais (das várias analisadas por Sadler em 1981),http://sodregoncalves.rede.comunidades.net/index.php?pagina=1399208256



RAPIDEZ, MUITA ENERGIA, ASTROBLEMAS, TSUNAMES MEGA-HIPER-TERA GIGANTESCOS E RAPIDOS, TRNSPORTE EM LARGA ESCALA, EROSÕES EM LARGA ESCALA, SEDIMENTAÇÕES EM LARGA ESCALA...
[...]

Nenhum dos "processos" descritos acima é mencionado no mito religioso do "dilúvio". Então não passa de um wishful thinking seu para conciliar tais "processos" com o mito supra.


ou seja a geologia é como os pais da geologia perceberam..

Ou seja, uma fascinante área de pesquisa que não deveria ser manchada por religiosos que são, ao mesmo tempo, fanáticos e apedeutas científicos.


esqueceu de mencionar, TODOS OS PAIS DA GEOLOGIA  foram criacionistas e defensores de  diluvio e de catastrofes sucessivas.....Darwin foi contra todos eles nominalmente em seus livros..tanto Darwin como os geologos que o seguem foram INGRATOS E IRRESPONSAVEIS  ao apostar no gradualismo uniformista

uma demonstração CABAL de que estamos pouco acima de um diluvio global, não somente envolvendo muita chuva ,

Vou parodiar o forista Gigaview: Bullshit.


mas asteroides,

Existem evidências de impactos em rochas com idades desde 2,5 bilhões de anos (início do Paleo Proterozóico), sendo que não se conhece nenhum impacto de tamanho significativo com 4.000 anos ou menos.


argumetno circular, geocronologia se fundamenta em uma perspectiva datacional radiometrica ISOLADA  dos fatos gteologicos, bioquimicos, estatisticos e muitas outras perspectivas...como disse o Dr Baumgardner BAUMGARDNER: Mas como é Tempo Geológico a ser contada?
Com a descoberta da radioatividade cerca de um século atrás, os cientistas uniformitarianos ter assumido que eles têm um meio confiável e quantitativos para medir o tempo absoluto em escalas de bilhões de anos. Isto porque um número de isótopos instáveis ​​existir com meias-vidas de bilhões de gama ano. Confiança nestes métodos tem sido muito elevada por várias razões. Os níveis de energia nucleares envolvidas no decaimento radioactivo são muito maiores do que os níveis de energia electrónicos associados com a temperatura normal, a pressão, e da química que as variações na última pode ter efeitos insignificantes sobre a primeira.
Além disso, assumiu-se que as leis da natureza são invariantes no tempo e que as taxas de decaimento medimos hoje tem sido constante desde o início do cosmos - um ponto de vista, é claro, ditada pela crença materialista e uniformista. A confiança nos métodos radiométricos entre os cientistas materialistas foi tão absoluta de que todos os outros métodos para estimar a idade de materiais geológicos e eventos geológicos têm sido relegados a um status inferior e considerada confiável quando discordam com técnicas radiométricas.
A maioria das pessoas, portanto, incluindo a maioria dos cientistas, não estão cientes do conflito sistemática e flagrante entre métodos radiométricos e não-radiométricos métodos para namoro ou restringir a idade dos eventos geológicos. No entanto, este conflito é tão dura e tão consistente que não há razão mais do que suficiente, na minha opinião de forma agressiva contestar a validade de métodos radiométricos.
Um exemplo claro desse conflito diz respeito à retenção de hélio produzido pelo decaimento nuclear de urânio em pequenos cristais de zircão comumente encontrados em granito. Urânio tende a concentrar-se selectivamente em cristais de zircão de um magma solidificando porque os grandes espaços na estrutura de cristal de zircão mais facilmente acomodar os grandes iões de urânio. O urânio é instável e eventualmente, se transforma através de uma cadeia de passos decaimento nuclear em chumbo. No processo, a oito átomos de hélio são produzidos para cada átomo inicial de U-238. Mas o hélio é um átomo muito pequeno e é também um gás nobre, com pouca tendência para reagir quimicamente com as outras espécies. Hélio, portanto, tende a migrar facilmente através de uma rede cristalina.
O conflito de métodos radiométricos é que os zircões em pré-cambrianas de exibição de granito enormes concentrações de hélio [15]. Quando as quantidades de urânio, chumbo e hélio são determinadas experimentalmente, encontra-se quantidades de chumbo e urânio consistente com mais de um bilhão de anos de decadência nuclear em taxas atualmente medidos. Surpreendentemente, a maioria do hélio radiogênico a partir deste processo de decaimento é também ainda presente dentro destes cristais, que são tipicamente apenas alguns micrômetros de diâmetro. No entanto, com base em medidas experimentalmente taxas de difusão de hélio, o zircão teor de hélio implica um intervalo de tempo de apenas alguns milhares de anos, desde que a maioria da deterioração nuclear ocorrido.
Assim que o processo físico é mais confiável - a difusão de um gás nobre em uma rede cristalina ou o decaimento radioativo de um isótopo instável? Ambos os processos podem ser investigadas hoje em grande detalhe no laboratório. Tanto a taxa de difusão de hélio numa dada estrutura cristalina e a taxa de decomposição de urânio ao chumbo pode ser determinado com um alto grau de precisão. Mas esses dois processos físicos produzir estimativas totalmente díspares para a idade da rocha de granito mesmo. Onde está o erro de lógica ou processual? A conclusão mais razoável na minha opinião, é que ele se encontra na etapa de extrapolar como constantes das taxas atualmente medidos de decadência nuclear no passado remoto. Se este for o erro, então métodos radiométricos com base nas taxas atualmente medidos simplesmente não fazer e não pode fornecer estimativas corretas para a idade geológica.
Mas o quão forte é o caso de métodos radiométricos são na verdade tão incorreta? Há dezenas de processos físicos que, como a difusão de hélio, idade produzir estimativas ordens de grandeza menor do que as técnicas radiométricas. Muitos destes são geológica ou geofísica na natureza e, portanto, sujeitos à questão de saber se as taxas observadas atualmente pode legitimamente ser extrapolados para o passado indefinido.
No entanto, mesmo se fizermos essa suposição suspeito e consideram a taxa atual de aumento de sódio nos oceanos versus o conteúdo presente oceano de sódio, ou a atual taxa de acumulação de sedimentos nas bacias oceânicas contra o atual volume de sedimentos do oceano, ou a taxa corrente líquida de perda de continental rock (principalmente por erosão) versus o volume atual de crosta continental ou a atual taxa de elevação das montanhas do Himalaia (responsável por erosão) versus sua altura atual, inferimos vezes estima drasticamente em desacordo com a escala de tempo radiométrica [ 16]. Essas estimativas de tempo são ainda mais reduzidos drasticamente se não fizermos a suposição uniformista mas conta para o catastrofismo global, descrita anteriormente.
Existem outros processos que não são tão fáceis de expressar, em termos quantitativos, tais como a degradação da proteína em um ambiente geológico, que também apontam para uma escala de tempo muito mais curto para o registro geológico. Ele está agora bem estabelecido que o osso de dinossauro unmineralized ainda contendo proteína óssea reconhecível existe em muitos locais ao redor do mundo [17]. Da minha experiência própria mão primeiro com esse material, é inconcebível que o osso contendo proteína bem conservado de forma poderia ter sobrevivido por mais de alguns milhares de anos nas configurações geológicas em que eles são encontrados.
Creio, portanto, o caso é forte do ponto de vista científico a rejeitar métodos radiométricos como um meio válido para a datação de materiais geológicos. O que então pode ser usado em seu lugar? Como eu cristã, é claro, estou convencido de que a Bíblia é uma fonte confiável de informação. A Bíblia fala de um cataclismo mundial no dilúvio de Gênesis, que destruiu toda a vida de respiração de ar no planeta além dos animais e seres humanos Deus preservou vivo na Arca A correspondência entre a catástrofe global no registro geológico e do dilúvio descrito em Gênesis é muito óbvio para mim não concluir que esses eventos deve ser uma ea mesma coisa



esfrimaneot rapido,

Do quê?

Da atmosfera?

Da crosta?


abertura de fendas na criosta,

Existem fendas na crosta desde que o planeta se formou há mais de 4,5 bilhões de anos.

Rapaz, dá uma olhada no planeta, foi muito rapido o asfastamento das america da africa , as marcas dos continentes arrastados sobre a crosta ainda estão visiveis...se toca meu..joga no lixo essa geologia cega


trnasgressões marinhas continentais,

Existem dezenas de evidências de várias transgressões e regressões marinhas ao longo de todo o Fanerozóico, ou seja, nos últimos 542 milhões de anos. E elas não ocorreram por causa da ira de um deus genocida e sim por causa de fatores geológicos, climáticos e astronômicos.


argumento circular de novo...não existe este tempo...quantas vezes tenho que repetir que este tempo que vc se funda existe APENAS  em uma perspectiva isolada de diversas outras????simplesmente vc escolhe o que é mais conveniente???


mortandade em massa,

Vossa Senhoria poderia citar somente um artigo científico no qual os autores afirmam que um dado sítio paleontológico representa uma mortandade em massa por causa de uma enchente repentina e em escala mundial?

Aproveite e mostre um só artigo científico em que tenham sido encontrados no mesmo sítio fossilífero, exemplares de animais típicos do Cambriano (trilobitas, por exemplo) com animais típicos do Mioceno (ursos e camelos, por exemplo), pois esta é (ou deveria ser) uma consequência lógica e previsível de uma "catástrofe global", capaz de separar continentes e depositar todas as rochas sedimentares do mundo em um intervalo de menos de 300 dias.

a separação se deu devido estratificação espontanea separando elementos..ou vc acha que depositos vetgetais em abundancia na camada carbonifera e escassa em outras camadas indica que numa epoca houve um trilhão de vegetais a mais que outra??? se toca..se materiais organicos se ajuntaram, é sinal que elementos em comum se ajuntassem mais, apesar que vez ou outra se acha artefatos da arqueologia proibida pelo darwinismo aqui e acolá



sepultamento repentino até de animais imenssos deixando sua singular expressão fossil (não temos girafas, elefantes, hipopotamos como candidatos a fosseis completso em lugar algum por exemplo)....

Este é exatamente um argumento CONTRA o criacionismo.

Se o (mítico) Noé levou um casal de cada animal terrestre moderno para dentro da (mítica) 'caixinha fllutuante' então significa que estes animais existiam aos milhares (talvez milhões) antes do (mito do) "dilúvio". Se eles eram abundantes porque nenhum deles foi fossilizado? E porquê não há nenhum Tiranossauro rex em estratos do Holoceno?


tá vendo, ninguem estuda um livrinhozinho tecnico de criacionismo, mas todo mundo adora falar de criacionismo...se vc estudasse apenas um livro saberia do que estou falando..ou pelo menos atentasse para as postagens minhas de subespeciações em tempo real gerado por efeito gargalo e fundador quando deixamos as especies ancestrais para adaptar ao novo mundo semi-desrtuido a partir de uma reduzidissima população ou casais  ...favorecendo tanto a especiação como a expressão de novos genotipos e fenotipos


Ou seja , o catastrofismo geologico está cada vez mais sendo admitido em estudos geologicos e o uniformismo de Lyell, a cana quebrada que Darwin se apoiou , está cada vez mais desacreditado...

Errado.

O conceito de "uniformitarismo" continua tão sólido quanto antes. E o conceito de "catastrofismo" também é válido em muitas análises geológicas.

sério? então geotecton, ou VC É APENAS UM ALUNO   de geologia, ou precisa simplesmente estudar livros BÁSICOS DE GEOLOGIA  como  DECIFRANDO A  TERRA DA USP http://pdfs.name/decifrando-a-terra-cap-1[/BLUE]


E que fique bem claro: "Catastrofismo" em Geologia NÃO IMPLICA aceitar a esdrúxula e ridícula estória de terror da Idade do Bronze, conhecida como "dilúvio".


Então Kenji...como resolver isso???

Fácil.

Inscreva-se em um vestibular para um curso de Geologia em qualquer universidade que não seja de pregação religiosa, passe e estude COM SERIEDADE a Geologia OU, PELO MENOS, leia um livro de Introdução à Geologia ou de Geologia Geral.


VC TAMBEM, falar que o uniformismo de Lyell não foi substituido foi dose..etude mais http://pdfs.name/decifrando-a-terra-cap-1[/color]

Será que alguem já se perguntou por que sempre estamos pouco acima de imensas catastrofes formadoras de cenarios geologicos imensos,

Eu não conheço nenhum pesquisador que considere, sequer remotamente, tal sandice.

sandice? é a coisa mais óbvia que qualquer observador faz diante dos cenarios da natureza..mas a ideologia do tempo é tão imponente que cegou a todos do óbvio



ou no dizer do geologo Dr. Nahor Souza Junior, cenarios que indicam magnitude de relações globais?

Argumento de autoridade.

E de baixíssima e duvidosa qualidade.


doutor pela usp formado com A+  com louvor


São imensas bacias rodeando filetes de agua (rios),

Explique!


explicar mais? muitas aguas se passaram onde passa apenas um filete

são imensos morros testemunhos,

Vossa Senhoria realmente sabe o que é um 'morro testemunho'?


de inclinação vertical no desgaste superior demonstrando catastrofe enérgica e rápida (quanto maior verticalismo maior rapidez

canions,

E todos, por coincidência, tem pelo menos um rio em seu talvegue e com abundantes evidências de que foram escavados por estes rios, como planícies de inundação em diversos níveis em seu perfil vertical, solapamentos de capa por remoção de material de base, trechos abandonados por ação tectônica, etc.


rochas rasgadas por energias e brocas gigantescas, crostas e boulders em cima da terra,

Leia um pouco sobre deslocamento de geleiras alpinas e sobre fluxos densos de massa e então Vossa Senhoria saberá que são feições comuns resultantes de processos geológicos prosaicos.

ué..quem disse que isso não se complemnta com o catastrofismo que defendo? um mundo mergulhado em fumaça sem luz criando geleiras instantaneas capazes de sepultar paquidermes com alimentos de clima tropical NO POLO NORTE..depois geleiras se desabando e fazendo flutuar boulders que se formaram como brocas erodindo tudo que vem pela frente


fosseis gigantes completos sem nenhuma semelhança com candidatos dos animais gigantes atuais (girafas e elefantes),

Texto confuso e vago. Explique.


cadê uym elefante completo sendo fossilizado? girafa? hipopotamo? porque temos dinossauros e grandes animais fosseis completos no fanerozoico e agora não os vemos sendo formados completos, quando muito só partes de seu corpo em casos isolados????


algumas grandes no meio de centenas de crateras imensas de asteroides (astroblemas) em quase todo o fanerozoico ( do cambriano ao pleistoceno), sem comparações com as quedinhas de asteroidizinhos do pleistoceno em diante..

Como é que Vossa Senhoria pode ser tão descarado a ponto de continuar usando a terminologia cronoestratigráfica e, ao mesmo tempo, fica proferindo asneiras e sandices sobre os intervalos temporais do chamado 'tempo geológico'?

nb]ão entendi...


será que alguem já se perguntou das camadas muito extensas, abrangentes, largas e muito grossas (espessas) que tornam as camadas formadas pelo delta do amazonas, apenas um vislumbre das realidades catastroficas que a precedeu?
[...]

Já.

Eu já fiz isto e sei bastante sobre o assunto porque eu estudei Geologia, ao contrário de Vossa Senhoria que nada conhece.

Experimente ler um pouco sobre os diferentes tipos de bacias sedimentares, como por exemplo as de margens continentais, as intracratônicas e as de retro-arco, e então saberá como se formam os grandes empilhamentos de rochas sedimentares.

NUNCA SE FORMA HOJE  camadas com a extensão, lateralidade do fanerozoico. pode perguntar QUALQUER  professor DE GEOLOGIA
Tecido mole com elasticidade em fossil datado em 66 milhões de anos DERRUBA confiança em métodos de datação radiometricos www.sodregoncalves.rede.comunidades.net

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!