Autor Tópico: Obra desmonta estereótipos criados pelos conceitos de caráter nacional no Brasil  (Lida 1478 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Unknown

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.324
  • Sexo: Masculino
  • Sem humor para piada ruim, repetida ou previsível
Citar
Obra desmonta estereótipos criados pelos conceitos de caráter nacional no Brasil

No clássico "O caráter nacional brasileiro", Dante Moreira Leite analisa exaustivamente o conceito de caráter nacional e as sucessivas teorias e aplicações no caso brasileiro. Faz este exame recorrendo não apenas às formulações sociológicas, antropológicas e históricas, mas também pela imagem construída pela literatura. Uma leitura que se faz atual e necessária ao se notar como os debates sociais no Brasil ainda se movem por meio de estereótipos, quando não por preconceitos de raça ou regionais. É também uma denúncia do preconceito que está presente no discurso pseudocientífico do darwinismo social e em certo modelo de nacionalismo adotado no Brasil. O livro chega agora à sétima edição revista, publicada pela Editora Unesp (460 páginas, R$ 57).

Da carta de Pero Vaz de Caminha a seus contemporâneos de meados do século XX, Moreira Leite passa por Euclides da Cunha, Silvio Romero, Oliveira Vianna, Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda, entre outros. Antes, analisa historicamente o destino das teorias do caráter nacional na Europa. Mostra também como os intelectuais brasileiros, fortemente influenciados pelos movimentos nacionalistas europeus, criaram uma idéia de Brasil sem que esta estivesse relacionada com a realidade política, social e econômica do país.

O resultado é uma clara demonstração da fragilidade de teorias onde a raça e o meio - ou qualquer outro estereótipo ou peculiaridades de apenas um grupo social - são os determinantes de uma cultura nacional. Em "O caráter nacional brasileiro", desvenda as ideologias existentes ligadas à definição do caráter nacional brasileiro que geralmente não representam a autêntica tomada de consciência de uma nação, mas obstáculos para que um povo se torne livre de preconceitos.

http://pingado.terra.com.br/noticias/noticiaImprime.asp?idNoticia=9864

Citar
SINOPSE:

Texto clássico para aqueles que buscam discutir o que é e qual é a identidade brasileira, envereda pela complexa busca das raízes do caráter nacional. Debruça-se, portanto sobre o pensamento, entre outros de Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda. Texto clássico da psicologia social nacional, este livro é uma busca do que significa ser brasileiro. Para isso, Dante Moreira Leite mostra a fragilidade de qualquer estereótipo e se aventura pelos caminhos das raízes do caráter nacional. Estuda os textos iniciais da fase colonial, a literatura do romantismo, o cientificismo de Sílvio Romero, a originalidade de Euclides da Cunha e numerosos outros autores, como Nina Rodrigues, Manuel Bonfim, Gilberto Freyre, Sérgio Buarque de Holanda e Caio Prado Júnior. A partir dessas referências, conclui que as ideologias existentes ligadas à definição do caráter nacional brasileiro geralmente não representam a autêntica tomada de consciência de uma nação, mas obstáculos para que um povo se torne livre de preconceitos.

ORELHAS:

Aclamado depois como um clássico, O caráter nacional brasileiro foi originalmente apresentado como tese de doutoramento na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, em 1954. Refundido e ampliado, teve sua primeira publicação em livro em 1969. Neste ensaio o autor examina o conceito de caráter nacional e sua crítica e reformulação da segunda metade do século XIX até meados do século XX, abordando em seguida as sucessivas teorias sobre o caráter nacional brasileiro.

Dante Moreira Leite (1927-1976) cursou Filosofia na Universidade de São Paulo, onde obteve seus títulos acadêmicos. Publicou em volume sua tese de doutoramento O caráter nacional brasileiro (1954, 2.ed. refundida e ampliada, 1969), O amor romântico e outros temas (1964, 2.ed. ampliada, 1979), Psicologia e literatura (1965), Psicologia diferencial (1966), além das antologias Personalidade (1963) e O desenvolvimento da criança (1972). Lecionou em diversas unidades da USP, da atual UNESP e da PUC. Foi professor visitante da Universidade de Wisconsin (Madison, EUA), em 1967, e, em 1974, assumiu a direção do Instituto de Psicologia da USP.

http://www.editoraunesp.com.br/titulo_view.asp?IDT=631

Até achei um estudo a respeito desse livro:
http://www.histedbr.fae.unicamp.br/res1_15.htm

"That's what you like to do
To treat a man like a pig
And when I'm dead and gone
It's an award I've won"
(Russian Roulette - Accept)

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!