Autor Tópico: Sexo no Antigo Egito  (Lida 19652 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Metatron

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 707
  • Sexo: Masculino
    • A Hipótese Antigos Astronautas Revisitada
Sexo no Antigo Egito
« Online: 31 de Outubro de 2007, 12:06:55 »
Todos temos uma imagem misteriosa, mística e intrigante sobre o Antigo Egito. Mas um aspecto que se fala extremamente pouco é sobre a forma de ver o sexo que tinha este maravilhoso povo.


-O deus Min era representado sempre com o pênis ereto-

O tema da sexualidade e o erotismo no Antigo Egito foi "redescoberto" pelos egiptólogos apenas nas últimas décadas do século XX e, em muito menor medida, pelo público em geral (tivemos que esperar até 1987 para que se editasse o primeiro estudo integral sobre o tema). Tudo isto devido em grande parte aos arqueólogos – em sua maioria cristãos e muçulmanos – que viam com estupor o que para os antigos egípcios era algo habitual.



Atualmente existe uma coleção - Erótica Aegyptiaca - exposta no museu do Cairo, a qual versa única e exclusivamente sobre estes temas.

Na coleção mencionada pode-se encontrar uma grande quantidade de desenhos e esculturas que exageram sobremaneira os pênis masculinos ou que nos mostram mulheres exibindo sua vagina de forma aberta e provocativa.





Dentro da variedade de posturas representadas na coleção mencionada podemos arriscar uma classificação geral – que poderíamos fazer extensiva ao resto das expressões artísticas eróticas egípcias – onde se distinguem 5 tipos:

 :arrow: Coito vaginal: as quatro posições usuais são (1) o homem deitado em cima da mulher; (2) o homem ajoelhado e a mulher de barriga para cima; (3) o homem ajoelhado e a mulher apoiada em suas extremidades; e (4) a posição lateral, com a mulher dando as costas a seu companheiro.



 :arrow: Coito anal: ainda que difícil de distinguir na arte de superfície, é muito clara esta postura nas figuras eróticas de vulto isento. Entre os exemplos mais seguros encontramos as ilustrações do Papiro de Turim de onde vêem ao menos duas posições sexuais: posterior, com o homem ajoelhado e a mulher apoiada em suas extremidades, e lateral, com o casal reclinado sobre um flanco.



 :arrow: Coito oral: quase desconhecido nas representações egípcias, ainda que certas "figuras eróticas" mostram um homem sentado e dotado de um falo desmesurado que é sustentado por sua companheira de pé e o aproxima de sua boca. Pelo momento não se conhece nenhum exemplo de fellatio ou cunninlingus até agora, mas o material documental disponível ou publicado é muito escasso para afirmar seu absoluto desconhecimento no Antigo Egito.

 :arrow: Onanismo: as figuras eróticas nas quais uma mulher sustenta ou empunha o membro viril de seu companheiro poderiam ser consideradas também como representativas deste jogo sexual. Também se conhecem numerosos casos de masturbação feminina, seja com ou sem a assistência de um "corpo estranho".





É destacável, no entanto, a grande quantidade de objetos de barro ou pedra que representam um falo ereto, feito que poderia insinuar seu emprego no onanismo feminino. Um exemplar de falo de 19 cm de comprimento com testículos, exposto no museu do Cairo, é possível que tenha sido usado para tal.



 :arrow: Outros motivos: aqui se incluem uma série de figuras e representações que mostram casos de zoofilia, nas que o animal joga sempre o papel masculino e a mulher o feminino. Existem figuras que indicam que os homens egípcios gostavam de se fazer de voyeur nestas situações.

No entanto, não deixa de ser curioso que um povo que praticava com tanta assiduidade o coito anal e inclusive a zoofilia tachara de pervertidos aos homossexuais, seguramente porque em todas as épocas da historia sempre existiram hipócritas com certo poder social.



Outro aspecto curioso é que práticas como a masturbação, tão odiada e castigada pelo cristianismo retrógrado, tiveram no Egito um caráter que roçava o sagrado. Sem mais delongas, o deus supremo Atum gerou ao primeiro casal mediante o citado ato.



Em 1980 se conheceu o Papiro de Turim na forma íntegra, graças ao alemão J. Oslin. Ali, os altos dignitários da corte e os grandes sacerdotes excitam-se com prostitutas profissionais, exibindo seus pênis eretos e de tamanho desproporcionado. Cada um dos personagens ilustrados está acompanhado por um breve texto que reproduz o diálogo erótico. Uma das prostitutas diz a seu parceiro (quem a penetra por trás enquanto ela se apóia sobre suas extremidades): "Vem e faça-me amor por trás!". uma frase que bem poderia ter saído de algum vídeo pornô moderno.



Há de se destacar que a mulher egípcia era liberal no amor e em nenhum caso foi um personagem passivo.

Algumas mulheres egípcias, nem sempre prostitutas, estavam especializadas na arte da felação. Estas mulheres eram conhecidas como felatrizes. Neste sentido Cleópatra se erige como a melhor praticante de sexo oral de todos os tempos, pois deleitou-se oralmente com mais de um milhão de varões. Algo do que dá conta o historiador Heródoto em uma crônica. A cena se desenvolve no Egito, quando a rainha convoca 100 generais romanos para participar de um ritual que bem podia identificar-se com a prática do bukkake (beber sêmen depois do coito), posto em moda hoje pela industria mundial do cine pornô.

Conta Heródoto que cada um dos generais, depois de serem agasalhados oralmente pela anfitriã egípcia, depositaram seus sucos seminais numa grande taça de ouro que depois foi bebida até a última gota pela soberana.

Em apoio a isto refere-se o escritor e erotomaníaco Andrés de Luna que, "entre os egípcios abundam os testemunhos e peças que falam de sexo oral, mas o relato mais completo aparece em Heródoto e se relaciona com esta prática que era tão afim Cleópatra, afamada felatriz".

O significado e interpretação que deve dar-se a esta vasta tipologia erótica está muito disputado, especialmente pela carência de informação sobre a procedência de muitos destes objetos e por sua inacessibilidade para os interessados em seu estudo, muitas vezes por retrógradas razões "morais".




BIBLIOGRAFÍA COMPLEMENTAR

• BLÁZQUEZ MARTÍNEZ, J. M. / GARCÍA GELABERT, Mª. P. "Amor, sexo e inmortalidad en el mundo antiguo". Revista de Arqueología Nº 137. Zugarto Ediciones S. A. Madrid. 1992.

• MANNICHE, LISE. "Sexual Life in Ancient Egypt". Kegan Paul International. London & New York. 1997.

• UTRERA ESTÉBAN, ANA MARÍA. "Aproximación a la Ginecología e la Obstetricia en el Egipto Faraónico". BAEDE, Nº 12. Asociación Española de Egiptología. Madrid. 2002.

• GREEN, LYN. "Hand of the God: Sacred & Profane Sex in Ancient Egypt". KMT, Vol. 12, Nº 4. 2001-2002.

• JANSSEN, ROSALIND. "Ancient egyptian erotic fashion: fishnet dresses". KMT, Vol. 6, Nº 4. 1995-1996.
"Se nossos astronautas, algum dia, sobre um planeta, encontrarem seres primitivos, estes, provavelmente, também os tomarão por "filhos do céu" ou "deuses". Possivelmente, nossas inteligências, nesses espaços ignorados e ainda não suspeitados, estarão tão à frente dos indígenas locais quanto estavam aqueles vultos lendários do Cosmo, com relação a nossos antepassados." -  E.v.Däniken

Offline Dr. Manhattan

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.461
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re: Sexo no Antigo Egito
« Resposta #1 Online: 31 de Outubro de 2007, 12:39:24 »
Citar
Algumas mulheres egípcias, nem sempre prostitutas, estavam especializadas na arte da felação. Estas mulheres eram conhecidas como felatrizes. Neste sentido Cleópatra se erige como a melhor praticante de sexo oral de todos os tempos, pois deleitou-se oralmente com mais de um milhão de varões. Algo do que dá conta o historiador Heródoto em uma crônica. A cena se desenvolve no Egito, quando a rainha convoca 100 generais romanos para participar de um ritual que bem podia identificar-se com a prática do bukkake (beber sêmen depois do coito), posto em moda hoje pela industria mundial do cine pornô.

Conta Heródoto que cada um dos generais, depois de serem agasalhados oralmente pela anfitriã egípcia, depositaram seus sucos seminais numa grande taça de ouro que depois foi bebida até a última gota pela soberana.

Em apoio a isto refere-se o escritor e erotomaníaco Andrés de Luna que, "entre os egípcios abundam os testemunhos e peças que falam de sexo oral, mas o relato mais completo aparece em Heródoto e se relaciona com esta prática que era tão afim Cleópatra, afamada felatriz".

Isso não faz o menor sentido. Heródoto viveu séculos antes de Clópatra! Além disso, não
lembro de nenhuma descrição desse tipo nas "Histórias". Mas deixo claro que já faz alguns anos
que li o texto de Heródoto.

Qual é a fonte desse texto?
Ego non sum canis, nulla.
Vivere ut humilieris
Ego non sum canis, nulla.
Vivere contempserunt

Offline Alegra

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.453
  • Sexo: Feminino
Re: Sexo no Antigo Egito
« Resposta #2 Online: 31 de Outubro de 2007, 13:10:42 »
Citar
o deus supremo Atum

Seria aquele que comeu a tua?  :hihi:

"Atum tossiu e expeliu Shu (deus do ar) e Tefnut (deusa da humidade)." segundo a wikipédia.

« Última modificação: 31 de Outubro de 2007, 13:16:35 por Alegra »
Já sinto sua falta. Vá em paz meu lindo!

Offline Mancha Negra

  • Nível 14
  • *
  • Mensagens: 345
  • Sexo: Masculino
Re: Sexo no Antigo Egito
« Resposta #3 Online: 31 de Outubro de 2007, 13:38:40 »
Citar
Algumas mulheres egípcias, nem sempre prostitutas, estavam especializadas na arte da felação. Estas mulheres eram conhecidas como felatrizes. Neste sentido Cleópatra se erige como a melhor praticante de sexo oral de todos os tempos, pois deleitou-se oralmente com mais de um milhão de varões. Algo do que dá conta o historiador Heródoto em uma crônica. A cena se desenvolve no Egito, quando a rainha convoca 100 generais romanos para participar de um ritual que bem podia identificar-se com a prática do bukkake (beber sêmen depois do coito), posto em moda hoje pela industria mundial do cine pornô.

Conta Heródoto que cada um dos generais, depois de serem agasalhados oralmente pela anfitriã egípcia, depositaram seus sucos seminais numa grande taça de ouro que depois foi bebida até a última gota pela soberana.

Em apoio a isto refere-se o escritor e erotomaníaco Andrés de Luna que, "entre os egípcios abundam os testemunhos e peças que falam de sexo oral, mas o relato mais completo aparece em Heródoto e se relaciona com esta prática que era tão afim Cleópatra, afamada felatriz".

Isso não faz o menor sentido. Heródoto viveu séculos antes de Clópatra! Além disso, não
lembro de nenhuma descrição desse tipo nas "Histórias". Mas deixo claro que já faz alguns anos
que li o texto de Heródoto.
Qual é a fonte desse texto?
Hum... O que o Dr. Manhattam me chamou a atenção pelo detalhe de "Heródoto" e seu "relato" da Rainha Cleópatra.
Em primeiro lugar, o Dr. Manhattam está certo. Como pode se ver aqui.
Segundo o texto do Wikipédia:
Citar
Heródoto (em grego, Ἡρόδοτος - Hēródotos, na transliteração) foi um historiador grego, continuador de Hecateu de Mileto, nascido no século V a.C. (485?–420 a.C.) em Halicarnasso (hoje Bodrum, na Turquia).
Foi o autor da história da invasão persa da Grécia nos princípios do século V a.C., conhecida simplesmente como As histórias de Heródoto. Esta obra foi reconhecida como uma nova forma de literatura pouco depois de ser publicada.
Certo. Agora sobre Cleópatra VII, podemos ver aqui.
A questão é: "Será que a mesma Cleópatra?" Afinal, houve seis antes dessa.
O problema é que a dinastia ptolemaica surgiu no período 300 A.C. ( Lembrem-se que a contagem do tempo no período antes de Cristo é regressiva. ) E o referido Heródoto morreu em 420 A.C., a qual no Egito estava, ainda, na XXVII dinastia, sobre domínio persa. Veja aqui.
Por tanto, o nosso amigo vai ter se explicar qual Cleópatra está se referindo:
Cleópatra da Macedónia - filha de Filipe II da Macedónia e de Olímpia do Épiro, foi irmã de Alexandre Magno;
Cleópatra I - filha de Antíoco e esposa de Ptolemeu V Epifânio;
Cleópatra II - filha da anterior e esposa de Ptolemeu VI Filometor e mais tarde de Ptolemeu VIII Evérgeta II;
Cleópatra III - filha da anterior e de Ptolemeu VI Filometor, e esposa do seu tio Ptolemeu VIII Evérgeta II;
Cleópatra Thea - irmã da anterior e esposa dos reis selêucidas Alexandre Balas, Demétrio II Nicator e Antíoco VII Sidetes;
Cleópatra Selene I - filha de Ptolemeu VIII do Egipto e Cleópatra III, esposa de Ptolemeu IX e (possivelmente) X.
Cleópatra IV - filha de Ptolemeu VIII e de Cleópatra III, esposa de Ptolemeu IX Sóter II e mais tarde de Antíoco IX;
Cleópatra V Selene - irmã da anterior e esposa de Ptolemeu IX Sóter II e mais tarde de Antíoco VIII;
Cleópatra VI - filha de Ptolemeu XII e esposa do rei selêucida Antíoco VIII Filometor;
Cleópatra VII - filha de Ptolemeu XII e esposa dos seus dois irmãos, Ptolemeu XIII e Ptolemeu XIV, foi também amante de Júlio César e Marco António – é a Cleópatra mais conhecida;
Cleópatra Selene II - filha de Cleópatra VII e Marco António, foi rainha da Mauritânia;
Cleópatra Selene III - esposa de Antíoco X da Síria; 

Bem, é isso...
 
"Quod tibi non vis, alteri ne facias."
Deísmo - Razão & Filosofia.

Offline Contini

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.598
  • Sexo: Masculino
Re: Sexo no Antigo Egito
« Resposta #4 Online: 31 de Outubro de 2007, 16:55:28 »
Não conhecia esse aspecto da sexualidade entre os egipcios, muito interessante!!! Vou dar uma olhada nesses e em outros links...
Parece que era um traço mais ou menos comum na antiguidade associar o coito com o ato de fecundar a terra...
Quanto a figura do "deus c/ ereção", lembrou a lenda grega de Príapo...
"A idade não diminui a decepção que a gente sente quando o sorvete cai da casquinha"  - anonimo

"Eu não tenho medo de morrer, só não quero estar lá quando isso acontecer"  - Wood Allen

    “O escopo da ciência é limitado? Sim, sem dúvida: limitado a tratar daquilo que existe, não daquilo que gostaríamos que existisse.” - André Cancian

Offline Metatron

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 707
  • Sexo: Masculino
    • A Hipótese Antigos Astronautas Revisitada
Re: Sexo no Antigo Egito
« Resposta #5 Online: 01 de Novembro de 2007, 08:21:34 »
Essa do Heródoto descrever Cleópatra vou verificar, realmente é uma grande gafe...
"Se nossos astronautas, algum dia, sobre um planeta, encontrarem seres primitivos, estes, provavelmente, também os tomarão por "filhos do céu" ou "deuses". Possivelmente, nossas inteligências, nesses espaços ignorados e ainda não suspeitados, estarão tão à frente dos indígenas locais quanto estavam aqueles vultos lendários do Cosmo, com relação a nossos antepassados." -  E.v.Däniken

Offline Mancha Negra

  • Nível 14
  • *
  • Mensagens: 345
  • Sexo: Masculino
Re: Sexo no Antigo Egito
« Resposta #6 Online: 01 de Novembro de 2007, 11:21:58 »
Essa do Heródoto descrever Cleópatra vou verificar, realmente é uma grande gafe...
Não tem problema.
Lendo o seu post melhor, notei que a referência está equivocada e não você. Pessoalmente, achei muito legal os textos que está fazendo. Continue.
Eu que sou "rato de biblioteca" curto isto de montão...  :ok:
"Quod tibi non vis, alteri ne facias."
Deísmo - Razão & Filosofia.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!